Sunteți pe pagina 1din 1

Da raiz à flor: produção pedagógica dos movimentos sociais e a escola do campo.

In:
MOLINA, Mônica Castagna. Educação do Campo e Pesquisa: questões pa

Por SILVA, Maria do Socorro.

 Resumo

No texto da raiz à flor: produção pedagógica dos movimentos sociais e a escola do


campo, a autora Maria do Socorro Silva, tem como objetivo resgatar as produções
pedagógicas dos movimentos sociais do Campo e sua influência nos discursos e práticas
pedagógicas que têm se gestado em nosso país nas últimas décadas. A autora propõe a
necessidade de “entrelaçar” as questões atuais da Educação do Campo com a história
dos trabalhadores pelo acesso a este direito, especialmente a luta e as práticas da
Educação Popular: Compreender como parte dessa herança para enriquecer a construção
dos paradigmas da Educação do Campo, um dos objetivos da Educação Popular é
contribuir para criar possibilidades de o povo ser sujeito do processo de produção do
conhecimento e de sua própria vida. São importantes instrumentos na construção das
transformações necessárias ao país, colocando – se na dimensão formadora e
organizadora do povo para que seja o protagonista da construção de um novo projeto. A
autora ressalta que o resgate dos fundamentos e a socialização das práticas existentes
que evidenciam elementos e dimensões que estiveram presentes nas práticas da
Educação Popular. Disso resulta o interesse em tentar identificar como a produção
pedagógica dos movimentos sociais tem contribuído na discussão, ou seja, perceber
como os referenciais construídos na educação não formal dialogam com práticas
pedagógicas das escolas do Campo. Ressalta ainda, que as desigualdades sociais e a
exclusão continuam acirrando as contradições de nossa sociedade, porém, a luta por
uma sociedade mais justa para o “amanhã” permanece nos objetivos diários
de cada indivíduo.