Sunteți pe pagina 1din 104
História ano 3 a edição São Paulo - 2013
História
ano
3 a edição
São Paulo - 2013

me2013_miolo_cadfuturo_hg_iniciais.indd

1

História ano 3 a edição São Paulo - 2013 me2013_miolo_cadfuturo_hg_iniciais.indd 1 17/12/12 17:21

17/12/12

História ano 3 a edição São Paulo - 2013 me2013_miolo_cadfuturo_hg_iniciais.indd 1 17/12/12 17:21

17:21

Coleção Caderno do Futuro História e Geografia © IBEP, 2013 Diretor superintendente Gerente editorial Editor

Coleção Caderno do Futuro História e Geografia © IBEP, 2013

Caderno do Futuro História e Geografia © IBEP, 2013 Diretor superintendente Gerente editorial Editor Assessora
Caderno do Futuro História e Geografia © IBEP, 2013 Diretor superintendente Gerente editorial Editor Assessora

Diretor superintendente Gerente editorial Editor Assessora pedagógica Assistente editorial Revisão

Coordenadora de arte Assistente de arte

Coordenadora de iconografia Assistente de iconografia

Ilustrações

Cartografia

Produção gráfica Assistente de produção gráfica Projeto gráfico Capa Editoração eletrônica

gráfica Projeto gráfico Capa Editoração eletrônica Jorge Yunes Célia de Assis Renata Regina Buset Valdeci Loch

Jorge Yunes Célia de Assis Renata Regina Buset Valdeci Loch Fernanda Santos André Tadashi Odashima Berenice Baeder Luiz Gustavo Bazana Maria Inez de Souza Karina Monteiro Marilia Vilela Tomás Troppmair Nane Carvalho Carla Almeida Freire Maria do Céu Pires Passuello Adriana Neves Wilson de Castilho Ulhôa Cintra Mario Yoshida Carlos Henrique da Silva José Antônio Ferraz Eliane M. M. Ferreira Departamento Arte Ibep Departamento Arte Ibep SG-Amarante Editorial

Arte Ibep Departamento Arte Ibep SG-Amarante Editorial CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS
Arte Ibep Departamento Arte Ibep SG-Amarante Editorial CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS
Arte Ibep Departamento Arte Ibep SG-Amarante Editorial CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ

P32h

Passos, Célia História e geografia : 4º ano / Célia Maria Costa Passos, Zeneide Albuquerque Inocêncio da Silva. - 3. ed. - São Paulo : IBEP, 2012. il. ; 28 cm. (Novo caderno do futuro)

ISBN 978-85-342-3517-4 (aluno) - 978-85-342-3522-8 (mestre)

1. História - Estudo e ensino (Ensino fundamental). 2. Geografia - Estudo e ensino (Ensino fundamental). I. Silva, Zeneide II. Título. III. Série.ISBN 978-85-342-3517-4 (aluno) - 978-85-342-3522-8 (mestre) 12-8653. CDD: 372.89   CDU: 373.3.0162:930

12-8653.

CDD: 372.89

 
  CDU: 373.3.0162:930

CDU: 373.3.0162:930

27.11.12

28.11.12

27.11.12 28.11.12 040991
27.11.12 28.11.12 040991
27.11.12 28.11.12 040991

040991

3

Todos os direitos reservados.

a edição - São Paulo - 2013

os direitos reservados. a edição - São Paulo - 2013 Av. Alexandre Mackenzie, 619 - Jaguaré

Av. Alexandre Mackenzie, 619 - Jaguaré

São Paulo - SP - 05322-000 - Brasil - Tel.: (11) 2799-7799

www.editoraibep.com.br

editoras@ibep-nacional.com.br

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

2

Tel.: (11) 2799-7799 www.editoraibep.com.br editoras@ibep-nacional.com.br me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 2 14/12/12 19:29
Tel.: (11) 2799-7799 www.editoraibep.com.br editoras@ibep-nacional.com.br me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 2 14/12/12 19:29
Tel.: (11) 2799-7799 www.editoraibep.com.br editoras@ibep-nacional.com.br me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 2 14/12/12 19:29

14/12/12

Tel.: (11) 2799-7799 www.editoraibep.com.br editoras@ibep-nacional.com.br me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 2 14/12/12 19:29
Tel.: (11) 2799-7799 www.editoraibep.com.br editoras@ibep-nacional.com.br me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 2 14/12/12 19:29

19:29

SUMÁRIO História   4 7 13 16 BLOCO 2 Nosso país O BLOCO 3 povo

SUMÁRIO

SUMÁRIO História   4 7 13 16 BLOCO 2 Nosso país O BLOCO 3 povo brasileiro
História

História

 

4

7

13

16

BLOCO 2

Nosso país

O

BLOCO 3

povo brasileiro

A

O

A

O

comunidade

município Os limites do município

cidade – zona urbana

campo – zona rural

BLOCO 4

Administração do município Serviços públicos

 

40

   

BLOCO 1

A história de cada um

   

49

BLOCO

2

 

A chegada dos portugueses

 

Os primeiros habitantes do Brasil

 
BLOCO 3

BLOCO 3

BLOCO 3      
   
BLOCO 3      
 
do Brasil   BLOCO 3       As capitanias hereditárias   62 BLOCO 4  

As capitanias hereditárias

 

62

BLOCO 4

 

O governo-geral

 

BLOCO 5

18 BLOCO 5

18

18 BLOCO 5

BLOCO 5

 

66

A Incon dência Mineira

 

20

23

Orientação

Os meios de transporte

O trânsito na zona urbana

Os meios de comunicação

BLOCO 6

Recursos naturais

 
BLOCO 6

BLOCO 6

A Independência do Brasil

 

BLOCO 7

A Abolição da Escravatura

   

77

BLOCO 8

26

26BLOCO 8 Paisagem natural e paisagem modi cada

Paisagem natural e paisagem modi cada

Paisagem natural e paisagem modi cada

Paisagem natural e paisagem modi cada

A Proclamação da República

29

39

29 39 Relevo Hidrogra a Clima Vegetação BLOCO 7 Pecuária e agricultura Extrativismo Indústria Comércio

Relevo

Hidrogra a

Clima

29 39 Relevo Hidrogra a Clima Vegetação BLOCO 7 Pecuária e agricultura Extrativismo Indústria Comércio

Vegetação

BLOCO 7

Pecuária e agricultura

Extrativismo

Indústria

Comércio

 
 

BLOCO 9

Festas e datas comemorativas

BLOCO 9 Festas e datas comemorativas
BLOCO 9 Festas e datas comemorativas
   

90

Geografia

 
 

BLOCO 1

Geogra a

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

3

    90 Geografia     BLOCO 1 Geogra a me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 3 14/12/12 19:29
    90 Geografia     BLOCO 1 Geogra a me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 3 14/12/12 19:29

14/12/12

19:29
19:29
A Certidão de Nascimento é um documento onde BLOCO 1 cam registradas as informações sobre
A Certidão de Nascimento é um documento onde
BLOCO 1
cam registradas as informações sobre a origem de
cada um.
CONTEÚDO:
• A história de cada um
2. Cƒrtidão de Nascimento.
1. C¾Œe sua fo”o†rafia na C˜rteira de
°dentidade e preencha co¼ seus dado“.
4

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

4

na C˜rteira de °dentidade e preencha co¼ seus dado“. 4 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 4 14/12/12 19:29

14/12/12

na C˜rteira de °dentidade e preencha co¼ seus dado“. 4 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 4 14/12/12 19:29
na C˜rteira de °dentidade e preencha co¼ seus dado“. 4 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 4 14/12/12 19:29

19:29

3. Lo}alize no do}umento que v¾}ê preen- cheu: 4. C¾¼ b˜se nas info’maçõƒs da Cƒrtidão
3. Lo}alize no do}umento que v¾}ê preen-
cheu:
4. C¾¼ b˜se nas info’maçõƒs da Cƒrtidão
de Nascimento, respo½da:
Respo“tas pesso{is.
Respo“tas pesso{is.
a)
o b’asão que indica que o do}umento
a)
Qual é o no¼e da criança registrada?
fo‰ elab¾’ado po’ um ó’gão o„icial;
b)
a
marca que identifica o cartó’io
b)
Qual é o s obr eno m e ?
em que fo‰ registrado o nascimento;
c)
o
no¼e do o„icial respo½sávƒl pelo
registro;
c) Qual é o no¼e co¼pleto do pai da
criança?
d)
o
número
de
identificação do
do}umento;
d) Qual é o no¼e co¼pleto da mãe da
criança?
e)
o
o
número do liv’o em que fo‰ feito
registro;
f)
a
página do liv’o na qual co½sta
e) E¼ que dia, mês e ano esta criança
nasceu?
esse do}umento;
g) o no¼e e o endereço do cartó’io.
f) Esta criança nasceu em que ho’ário?
g)
C¾¼ quanto“ ano“ ela está?
5

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

5

nasceu em que ho’ário? g) C¾¼ quanto“ ano“ ela está? 5 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 5 14/12/12 19:29

14/12/12

nasceu em que ho’ário? g) C¾¼ quanto“ ano“ ela está? 5 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 5 14/12/12 19:29
nasceu em que ho’ário? g) C¾¼ quanto“ ano“ ela está? 5 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 5 14/12/12 19:29

19:29

5. C¾½vƒrsando co¼ o“ pais, av¡“, tio“, v‰zinho“ e amigo“, tambñm po‚emo“ sabƒr um po§co
5. C¾½vƒrsando co¼ o“ pais, av¡“, tio“,
v‰zinho“ e amigo“, tambñm po‚emo“
sabƒr um po§co mais s o br e a no“sa
histó’ia.
Av¢ materno
No¼e co¼pleto:
®ata de Nascimento:
Lo}al de Nascimento:
−usque info’maçõƒs s o br e a sua o’igem
e registre no quadro:
Av¡ materna
No¼e co¼pleto:
²o}ê
No¼e co¼pleto:
®ata de Nascimento:
Lo}al de Nascimento:
®ata de Nascimento:
Lo}al de Nascimento:
Av¢ paterno
No¼e co¼pleto:
Mãe
No¼e co¼pleto:
®ata de Nascimento:
Lo}al de Nascimento:
®ata de Nascimento:
Lo}al de Nascimento:
Av¡ paterna
No¼e co¼pleto:
Pai
No¼e co¼pleto:
®ata de Nascimento:
Lo}al de Nascimento:
®ata de Nascimento:
Lo}al de Nascimento:
6

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

6

Lo}al de Nascimento: ®ata de Nascimento: Lo}al de Nascimento: 6 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 6 14/12/12 19:29

14/12/12

Lo}al de Nascimento: ®ata de Nascimento: Lo}al de Nascimento: 6 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 6 14/12/12 19:29
Lo}al de Nascimento: ®ata de Nascimento: Lo}al de Nascimento: 6 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 6 14/12/12 19:29

19:29

BLOCO 2 CONTEÚDOS: • A chegada dos portugueses • Os primeiros habitantes do Brasil
BLOCO 2
CONTEÚDOS:
• A chegada dos portugueses
• Os primeiros habitantes do Brasil
Lembre que: • História é a ciência que estuda os fatos do passado da humanidade.
Lembre que:
• História é a ciência que estuda os fatos do passado
da humanidade.
• No dia 22 de abril de 1500, a esquadra portuguesa
de Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil.
• Os portugueses avistaram primeiramente um monte,
chamando-o de Monte Pascoal, porque era época de
Páscoa.
• O escrivão da esquadra, Pero Vaz de Caminha, es-
creveu ao rei D. Manuel, de Portugal, relatando a
viagem e contando como era a vida dos povos que
habitavam o Brasil.
• No dia 26 de abril de 1500, Frei Henrique Soares de
Coimbra rezou a primeira missa no Brasil.
• Os portugueses batizaram a terra com vários nomes:
Ilha de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz e, finalmente,
Brasil.
• O nome Brasil se deu por causa da grande quanti-
dade de pau-brasil existente na terra. Dessa madeira
se extraía uma tinta vermelha muito usada, naquela
época, para tinturaria.
• No dia 2 de maio, a esquadra continuou viagem para
as terras distantes das Índias, deixando uma cruz de
madeira para confirmar que Portugal havia conquis-
tado o Brasil.
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd

7

madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd

17/12/12

madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd
madeira para confirmar que Portugal havia conquis- tado o Brasil. 7 17/12/12 18:37 7 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd

18:37

7

me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl2.indd

Mapa da viagem de Pedro Álvares Cabral ao Brasil EUROPA C T ÁSIA Lisboa A
Mapa da viagem de Pedro Álvares Cabral ao Brasil
EUROPA
C
T
ÁSIA
Lisboa
A
a
M
o
É
R
I
OCEANO
r
b
Canárias
C
ATLÂNTICO
A
ÍNDIA
m
o
Cabo Verde
Goa
ÁFRICA
Calicute
QUÊNIA
e
d
Melinde
n
OCEANO
BRASIL
a
Porto Seguro
PACÍFICO
MOÇAMBIQUE
OCEANO
t
ÍNDICO
s
Sofala
a
s
Ida
ESCALA
Volta
0
960
1920 km
Territórios atuais
1 cm = 960 km
Fonte: Atlas histórico escolar. Rio de Janeiro: FAE, 1991.
8
Mario Yoshida

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

8

Atlas histórico escolar. Rio de Janeiro: FAE, 1991. 8 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 8 14/12/12 19:29

14/12/12

Atlas histórico escolar. Rio de Janeiro: FAE, 1991. 8 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 8 14/12/12 19:29
Atlas histórico escolar. Rio de Janeiro: FAE, 1991. 8 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 8 14/12/12 19:29

19:29

1. C¾¼plete: 3. C¾¼plete a cruzadinha: A esquadra, co¼andada po’ Pedro Álv˜res C˜b’al , chego§
1. C¾¼plete:
3. C¾¼plete a cruzadinha:
A
esquadra, co¼andada po’
Pedro
Álv˜res C˜b’al
, chego§ ao Brasil
1. No¼e do rei de Po’tugal na épo}a
em
22 de ab’il de 1500
.
do desco|’imento.
2. Respo½da:
a) O
que o“ po’tugueses av‰staram
2. Sobrenome do co¼andante da es-
quadra po’tuguesa que chego§ ao
−rasil em 1500.
3. Mo½te que o“ po’tugueses av‰staram
primeiro? Que
no¼e
lhe
deram e
po’ quê?
primeiro.
4. No¼e do frei que celeb’o§ a primeira
¯o‰ um mo½te. ®eram-lhe o no¼e de Mo½te
¼issa ½o −rasil.
Pasco˜l, po’que era épo}a de Pásco˜.
5. ¬o|’eno¼e do escrivœo da esquadra
de C˜b’al.
1
3
M
P
b) Quem era o escrivœo da esquadra?
2 C
a
b
r
a
l
O que ele escrevƒu?
n
s
Pero ²az de C˜minha. EŒe escrevƒu uma
4
H
e
n
r
i q
u
e
c
carta ao rei de Po’tugal, relatando a
e
o
v‰agem e descrevƒndo co¼o eram o“ indí-
l
5
C
a
m
i
n
h
a
genas e o que hav‰am enco½trado aqui.
l
9

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

9

l 5 C a m i n h a genas e o que hav‰am enco½trado aqui.

14/12/12

l 5 C a m i n h a genas e o que hav‰am enco½trado aqui.
l 5 C a m i n h a genas e o que hav‰am enco½trado aqui.

19:29

4. O que aco½teceu no dia 26 de ab’il de 1500? 8. «b“ervƒ a ilustração
4. O que aco½teceu no dia 26 de ab’il
de 1500?
8. «b“ervƒ a ilustração e co½vƒrse co¼ o“
seus coŒegas so br e ela:
O sacerdo”e da esquadra, ¯rei Henrique
¬o˜res, rezo§ a primeira missa no −rasil.
5. Escre va o“ no¼es
dado“
à
terra
desco|ƒrta.
Ilha de ²era C’uz, ±erra de ¬anta C’uz
e −rasil.
6. Po’ que a terra desco|ƒrta recebƒu o
no¼e de −rasil?
Po’ havƒr aqui uma grande quantidade de
madeira chamada pau-b’asil, da qual se ex-
traía uma tinta vƒrmelha muito usada para
tinturaria.
7. ®esenhe o símb¾Œo
que C˜b’al deixo§
para co½firmar que
Po’tugal passav˜ a
ser do½o do no“so
país.
10

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

10
10

14/12/12

co½firmar que Po’tugal passav˜ a ser do½o do no“so país. 10 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 10 14/12/12 19:29
co½firmar que Po’tugal passav˜ a ser do½o do no“so país. 10 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 10 14/12/12 19:29

19:29

b) da casa do“ indígenas. Lembre que: o}a • Os povos indígenas foram os primeiros
b) da casa do“ indígenas.
Lembre que:
o}a
Os povos indígenas foram os primeiros habitantes
do Brasil.
c) do co½junto de o}as.
Os indígenas moram em ocas amplas. O conjunto de
ocas forma a taba ou aldeia.
tab˜ o§ aldeia
A
tribo é a reunião de diversas aldeias.
Cada tribo possui um chefe guerreiro, chamado ca-
d)
do chefe guerreiro da trib¾.
cique, morubixaba ou tuxaua, e um chefe religioso,
cacique, mo’ub‰xab˜ o§ tuxaua
o
pajé.
Os indígenas enfeitam o corpo com penas coloridas,
dentes de animais e pinturas.
e)
do chefe religio“o da trib¾.
A
alimentação dos indígenas se constitui basicamen-
pajé
te da caça, da pesca e de vegetais. Algumas tribos
cultivam a mandioca, o milho, o amendoim, a ba-
tata-doce, o feijão.
10. Respo½da:
Suas armas, no passado, eram a flecha, o arco, a
lança, o tacape e a zarabatana.
a) C¾¼o se enfeitam o“ indígenas?
Em suas festas, cantam, dançam e tocam instrumen-
tos musicais, como o maracá, o tambor e a flauta.
C¾¼ penas coŒo’idas, dentes de animais e
pinturas.
Os povos indígenas acreditam em várias divindades
como, por exemplo, Tupã.
Fabricam canoas, cestos, objetos de cerâmica etc.
O
órgão responsável pela proteção dos povos indíge-
nas é a Fundação Nacional do Índio (Funai), organi-
b) ®e que se alimentam, b˜sicamente?
zação do governo brasileiro.
®a caça, da pesca e de vƒgetais. Algumas
trib¾“ cultiv˜m a mandio}a, o milho, o
9. ®ê o no¼e:
amendo‰m, a b˜tata-do}e, o feijão.
a) do“ primeiro“ hab‰tantes do −rasil.
indígenas
11

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

11

feijão. a) do“ primeiro“ hab‰tantes do −rasil. indígenas 11 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 11 14/12/12 19:29

14/12/12

feijão. a) do“ primeiro“ hab‰tantes do −rasil. indígenas 11 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 11 14/12/12 19:29
feijão. a) do“ primeiro“ hab‰tantes do −rasil. indígenas 11 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 11 14/12/12 19:29

19:29

11. ResoŒv˜ a cruzadinha s obr e o po¥¾ indígena: 12. O que significa ¯unai?
11. ResoŒv˜ a cruzadinha s obr e o po¥¾
indígena:
12. O que significa ¯unai? Qual é a sua
respo½sab‰lidade?
¬ignifica ¯undação Nacio½al do Índio. ¬ua
respo½sab‰lidade é pro”eger o indígena.
1. C‡efe guerreiro
2. Alimento vƒgetal
3. Arma
4. °nstrumento musical
5. Uma div‰ndade
6. Meio de transpo’te
7. E½feite
13. Pesquise e escrev˜ duas co½trib§içõƒs
deixadas pelo“ indígenas para a no“sa
cultura:
Respo“tas pesso{is.
a)
na alimentação.
1
4
2
m
i
l
h o
b) no“ co“tumes.
m
o
6
a
r
c
r
u
5
a
c) nas emb˜rcaçõƒs.
3
z
a
r
a
b
a
t
a n
a
c
i
u
o
á
x
p
a
a
ã
d)
no v¾}ab§lário.
b
7
p
e
n
a
s
12

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

12

o á x p a a ã d) no v¾}ab§lário. b 7 p e n a

14/12/12

o á x p a a ã d) no v¾}ab§lário. b 7 p e n a
o á x p a a ã d) no v¾}ab§lário. b 7 p e n a

19:29

BLOCO 3 • Essa divisão não deu bons resultados em virtude da grande extensão de
BLOCO 3
• Essa divisão não deu bons resultados em virtude da
grande extensão de cada capitania, da falta de re-
cursos dos donatários para colonizá-las e dos ata-
CONTEÚDO:
ques dos indígenas.
• As capitanias hereditárias
• As únicas capitanias que prosperaram foram: a de
Pernambuco, doada a Duarte Coelho, e a de São Vi-
cente, doada a Martim Afonso de Sousa.
1. Respo½da:
Lembre que:
a) Po’ que D. J¾œo III resoŒvƒu div‰dir
o −rasil em grandes lo”es de terra?
• Para colonizar o Bra-
sil em 1534, o rei
de Portugal, D. João
III, dividiu o Brasil
Po’que queria coŒo½izar o país.
As capitanias hereditárias
MARANHÃO – João de Barros e Aires da Cunha
MARANHÃO – Fernando Álvares de Andrade
CEARÁ - Antônio Cardoso de Barros
RIO GRANDE – João de Barros e Aires da Cunha
em
quinze lotes de
ITAMARACÁ – Pero Lopes de Sousa
terra e entregou-os a
pessoas de sua con-
fiança.
b) C¾¼o
se
chamav˜m o“ lo”es no“
PERNAMBUCO – Duarte Coelho
BAÍA DE TODOS OS SANTOS – Francisco Pereira Coutinho
OCEANO
• Os lotes denominavam-
ILHÉUS – Jorge Figueiredo Correia
quais o −rasil fo‰ div‰dido? Po’
que recebƒram esse no¼e?
ATLÂNTICO
-se
capitanias
he-
PORTO SEGURO – Pero de Campos Tourinho
reditárias.
Os
seus
ESPÍRITO SANTO – Vasco Fernandes Coutinho
C˜pitanias hereditárias. Po’que o“ res-
po½sávƒis pelas capitanias po“suíam o
responsáveis
possu-
SÃO TOMÉ – Pero de Góis
SÃO VICENTE (2º lote) – Martim Afonso de Sousa
íam
o
título
de
ca-
título de capitão o§ do½atário, e eram
SANTO AMARO – Pero Lopes de Sousa
SÃO VICENTE – Martim Afonso de Sousa
pitão
ou
donatário.
hereditárias po’que passav˜m de pai para
SANTANA – Pero Lopes de Sousa
Elas eram hereditárias
porque passavam de
pai para filho.
410
820 km
filho.
Fonte: Atlas histórico escolar.
Rio de Janeiro: FAE, 1991.
13
Tratado de Tordesilhas
Carlos Henrique da Silva

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

13
13

14/12/12

FAE, 1991. 13 Tratado de Tordesilhas Carlos Henrique da Silva me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 13 14/12/12 19:29
FAE, 1991. 13 Tratado de Tordesilhas Carlos Henrique da Silva me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 13 14/12/12 19:29

19:29

c) Po’ que a div‰são do −rasil em capitanias não deu b¾½s resultado“? 3. Pro}ure
c) Po’ que a div‰são do −rasil em
capitanias não deu b¾½s resultado“?
3. Pro}ure no diagrama o no¼e das ca-
pitanias hereditárias.
E¼ v‰rtude da grande extensão de cada
capitania, da falta de recurso“ do“ do-
natário“ para coŒo½izá-las e do“ ataques
do“ indígenas.
p
s
v
x
n
a
s
ã
o
t
o m é
a
d
q
g
r
l
h
i
b
c
*
e
u
f
i
t
a
m a
r
a
c
á
b
u
t
e
b
s
j
f
o
l
a d
r
c
z
i
e
j
a
b
u m
e
f
h
m c
d
f
r
e
g
i
h
l
f
d) Quais fo’am as capitanias heredi-
tárias que pro“peraram e a quem
fo’am do˜das?
n
s
j
b
t
b
d
g
s
c
a
z
e
x
a d
s
n
h
s
q
é
g
n
a
h
g
c
f
s
t
a
l
i
r
i
o
g
r
a
n
d
e
a
u
f
m
*
A de Pernamb§co, do˜da a ®uarte C¾ƒlho,
e a de ¬ão ²icente, do˜da a Martim
m
a
b h
g
c
l
s
d
g
á
v
n
v
h
i
n
f
j
i
b
s
h
a
b
s
ã
o
v
i
c
e
n
t
e
j
s
n p
t
d
z
p
x
p n
r
*
Afo½so de ¬o§sa.
u
e
b
f
v
z
h
i
s
r
e
o
c
m x
p
a
o
v
l
c
a
u
a
c
d
t
p
o
r
t
o
s
e
g
u
r
o
t
n
r
o
a
m
t
o
n
*
2. Escre va , co¼pletando o“ quadradinho“:
o
e
s
p
í
r
i
t
o
s
a
n
t
o
r
a
q
r
b
s
r
f
h
*
Qual título receb‰am o“ respo½sávƒis
pelas capitanias?
p s
s
a
n
t
o
a
m a
r
o
s
n
z
a
c
r
s
e
g
t
ã
*
b
a
í
a
d
e
t
o
d
o
s
o
s
s
a
n
t
o
s
o
*
*
*
*
c
a
p
i
t
ã
e s
d
o
n
a
t
á r
i
o
s
14

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

14
14

14/12/12

* * * c a p i t ã e s o§ d o n a
* * * c a p i t ã e s o§ d o n a

19:29

4. Escreva no mapa o no¼e de to‚as as capitanias hereditárias. 5. Pinte no mapa
4. Escreva no mapa o no¼e de to‚as as
capitanias hereditárias.
5. Pinte no mapa o estado o½de v¾}ê
mo’a.
O seu estado pertence a alguma capi-
As capitanias hereditarias
tania? Qual?
Maranhão
Maranhão
Cƒará
Brasil – Divisão Política
OCEANO
Rio G’ande
ATLÂNTICO
Itamaracá
Pernamb§co
−aía de ±o‚o“ o“ ¬anto“
OCEANO
°lhéus
ATLÂNTICO
OCEANO
PACÍFICO
Po’to ¬eguro
OCEANO
ATLÂNTICO
E“pírito ¬anto
0
430
860 km
¬ão ±omé
1 cm = 430 km
Fonte: Atlas Geográfico Escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.
¬ão ²icente (2 o lote)
¬anto Amaro
¬ão ²icente
190
380 km
¬antana
Fonte: Atlas histórico escolar. Rio de Janeiro: FAE, 1991.
15
Tratado de Tordesilhas
Carlos Henrique da Silva
Mario Yoshida

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

15
15

14/12/12

15 Tratado de Tordesilhas Carlos Henrique da Silva Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 15 14/12/12 19:29
15 Tratado de Tordesilhas Carlos Henrique da Silva Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 15 14/12/12 19:29

19:29

BLOCO 4 1. Po’ que o rei de Po’tugal, D. J¾œo III, resoŒvƒu criar o
BLOCO 4
1. Po’ que o rei de Po’tugal, D. J¾œo III,
resoŒvƒu criar o go¥ƒrno-geral?
Para administrar a coŒô½ia.
CONTEÚDO:
• O governo-geral
2. Que lo}al fo‰ escoŒhido para ser a
sede do go¥ƒrno-geral?
A −ahia.
Lembre que:
3. E“crev˜
o
no¼e do“ três primeiro“
• Em 1548, o rei D. João III resolveu criar um governo-
-geral para administrar a colônia, sendo escolhida
go¥ƒrnado’es-gerais.
a
Bahia como sede do governo.
±o¼é de ¬o§sa, ®uarte da C¾“ta, Mem de ¬á.
• governo-geral era a maior autoridade na colônia e
O
os donatários deviam obedecer-lhe.
• Tomé de Sousa, o primeiro governador, chegou em
1549, trouxe soldados, colonos e seis jesuítas. Fun-
dou a cidade de Salvador, a primeira capital do Brasil.
4. Quem ±o¼é de ¬o§sa tro§xe co¼ ele?
• Duarte da Costa, o segundo governador, trouxe mais
colonos e jesuítas, entre eles, o padre José de An-
¬oŒdado“, coŒo½o“ e seis jesuítas.
chieta. Os jesuítas fundaram o Colégio de São Paulo
de Piratininga (origem da atual cidade de São Pau-
lo). Houve a invasão francesa no Rio de Janeiro.
• Mem de Sá, o terceiro governador, preocupou-se com
o
crescimento da colônia. O seu sobrinho, Estácio
de Sá, fundou a cidade de São Sebastião do Rio de
Janeiro. Os franceses foram expulsos.
16

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

16
16

14/12/12

de São Sebastião do Rio de Janeiro. Os franceses foram expulsos. 16 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 16 14/12/12 19:30
de São Sebastião do Rio de Janeiro. Os franceses foram expulsos. 16 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 16 14/12/12 19:30

19:30

5. Assinale as afirmaçõƒs co’retas: 7. Quem ®uarte da C¾“ta tro§xe co¼ ele? ®uarte da
5. Assinale as afirmaçõƒs co’retas:
7. Quem ®uarte da C¾“ta tro§xe co¼ ele?
®uarte da C¾“ta fundo§ o C¾Œégio de
‹o Paulo.
Alguns coŒo½o“ e jesuítas, entre eles o padre
J¾“é de Anchieta.
Mem de ¬á fo‰ um péssimo go¥ƒr-
nado’.
x
A primeira capital do −rasil fo‰ a
cidade de ¬alv˜do’.
8. O que o“ jesuítas fundaram?
O
C¾Œégio de ¬ão Paulo de Piratininga.
±o¼é de ¬o§sa expulso§ o“ franceses
do
Rio de J˜neiro.
x
O
go¥ƒrnado’-geral era a maio’
auto’idade da coŒô½ia e o“ do½atário“
9. C¾¼o fo‰ o go¥ƒrno de Mem de ¬á?
das capitanias dev‰am o|ƒdecer-lhe.
Mem de ¬á to¼o§ uma série de medidas que
pro¼o¥ƒram o pro†resso da coŒô½ia.
6. C¾¼plete:
a) ±o¼é de ¬o§za
fo‰ o primeiro
go¥ƒrnado’-geral, fundado’ da cida-
de de
¬alv˜do’
.
10. Quais fo’am o“ fato“ mais impo’tantes
do go¥ƒrno de Mem de ¬á?
b) O terceiro go¥ƒrnado’-geral fo‰
A
fundação da cidade de ¬ão ¬eb˜stião do
Mem de ‡
.
Rio de J˜neiro, po’ seu so|’inho E“tácio de
¬á, e a expulsão do“ franceses.
17

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

17

seu so|’inho E“tácio de ¬á, e a expulsão do“ franceses. 17 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 17 14/12/12 19:30

14/12/12

seu so|’inho E“tácio de ¬á, e a expulsão do“ franceses. 17 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 17 14/12/12 19:30
seu so|’inho E“tácio de ¬á, e a expulsão do“ franceses. 17 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 17 14/12/12 19:30

19:30

1. C¾¼plete: BLOCO 5 a) «s b’asileiro“ sempre desejaram CONTEÚDO: libƒrtar o −rasil d o
1. C¾¼plete:
BLOCO 5
a) «s b’asileiro“ sempre desejaram
CONTEÚDO:
libƒrtar
o
−rasil
d o
• A Inconfidência Mineira
do¼ínio de
Po’tugal
.
b) Para
isso,
fo‰ o’ganizado um
mo¥‰mento
em
Minas Gƒrais
,
deno¼inado °nco½fidência Mineira .
2. Respo½da:
Lembre que:
• Os brasileiros sempre desejaram libertar o Brasil do
a) Po’ que a °nco½fidência Mineira
fracasso§?
domínio de Portugal. Para isso, foi organizado, em
1789, um movimento em Minas Gerais, que plane-
java separar o Brasil de Portugal. Esse movimento
ficou conhecido como Inconfidência Mineira.
Po’que J¾˜quim ¬ilvñrio do“ Reis, um
do“ inco½fidentes, denuncio§ o“ plano“ às
auto’idades de Minas Gƒrais.
• A Inconfidência fracassou. Joaquim Silvério dos Reis,
um dos inconfidentes, denunciou os planos às auto-
ridades de Minas Gerais.
• Todos os que participaram do movimento foram pre-
sos e o líder, Joaquim José da Silva Xavier, o Tira-
dentes, foi condenado à morte e enforcado em 21 de
b) O que aco½teceu co¼ as pesso˜s que
participaram do mo¥‰mento?
abril de 1792, no Rio de Janeiro.
• Tiradentes era dentista, garimpeiro e alferes de ca-
±o‚as fo’am presas e ±iradentes fo‰
co½denado à mo’te e enfo’cado.
valaria, e é considerado o mártir da Independência,
que ocorreu anos após, porque lutou e morreu pela
liberdade do Brasil.
18

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

18
18

14/12/12

ocorreu anos após, porque lutou e morreu pela liberdade do Brasil. 18 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 18 14/12/12 19:30
ocorreu anos após, porque lutou e morreu pela liberdade do Brasil. 18 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 18 14/12/12 19:30

19:30

3. C¾¼plete: 6. «nde o}o’reu a °nco½fidência Mineira? «co’reu em Minas Gƒrais. a) No¼e do
3. C¾¼plete:
6. «nde o}o’reu a °nco½fidência Mineira?
«co’reu em Minas Gƒrais.
a) No¼e do líder da °nco½fidência Minei-
ra: J¾˜quim J¾“é da ¬ilv˜ Xav‰er
.
b) ¬eu apelido:
±iradentes
.
7. «b“ervƒ a ilustração e co½vƒrse co¼ o“
seus coŒegas so|’e ela.
c) Dia, mês e ano de sua mo’te:
21 de ab’il de 1792
.
4. Po’ que ±iradentes é co½siderado o
mártir da °ndependência?
Po’que luto§ e mo’reu pela libƒrdade do
no“so país.
5. C¾¼plete as frases:
a) J¾˜quim Silvñrio do“ Reis denuncio§
o“ plano“ às auto’idades de Minas Gƒrais.
Tiradentes ante o carrasco, de Rafael Falco, 1941.
b) ±iradentes fo‰ dentista, garimpeiro e
alferes da cav˜laria.
19

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

19
19

14/12/12

b) ±iradentes fo‰ dentista, garimpeiro e alferes da cav˜laria. 19 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 19 14/12/12 19:30
b) ±iradentes fo‰ dentista, garimpeiro e alferes da cav˜laria. 19 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 19 14/12/12 19:30

19:30

• BLOCO 6 Os defensores da Independência iniciaram uma cam- panha pedindo a permanência de
BLOCO 6
Os defensores da Independência iniciaram uma cam-
panha pedindo a permanência de D. Pedro no Brasil.
D. Pedro recebeu um abaixo-assinado dos brasileiros,
CONTEÚDO:
o
qual solicitava que ele permanecesse no Brasil. No
• A Independência do Brasil
dia 9 de janeiro de 1822, ele disse que ficaria no
Brasil. Esse dia passou a ser conhecido como “Dia
do Fico”.
No dia 7 de setembro de 1822, D. Pedro e sua co-
mitiva vinham da cidade de Santos para São Paulo.
Próximo ao riacho do Ipiranga, recebeu um mensa-
geiro que trazia cartas da corte, obrigando-o a voltar
para Portugal. Diante desse fato, ele gritou: “Inde-
pendência ou morte!”
O
Primeiro Reinado durou de 1822 até 1831, quando
Lembre que:
• Desde que os portugueses chegaram, em 1500, o
Brasil passou a ser uma colônia de Portugal.
D. Pedro I abdicou em favor do filho, D. Pedro de
Alcântara, que estava apenas com 5 anos de idade.
• Em 1808, a Família Real portuguesa veio para o Bra-
sil. O príncipe regente, D. João, transferiu a sede do
1. C¾¼plete:
seu governo para o Brasil, fugindo das tropas fran-
cesas que invadiram Portugal.
a) ®esde a chegada do“ po’tugueses, o
• D. João tomou as seguintes medidas: abriu os por-
tos brasileiros às nações amigas, elevou o Brasil à
categoria de Reino Unido e criou o Banco do Brasil.
−rasil passo§ a ser uma
de Po’tugal.
coŒô½ia
• Em 1818, com a morte de sua mãe, D. João foi co-
roado rei, passando a ser D. João VI.
• Em 1820, D. João VI foi obrigado a voltar para Por-
b) O príncipe regente, D. J¾œo, transferiu
a sede do seu
go¥ƒrno
para o
tugal, deixando seu filho, D. Pedro, como príncipe
regente do Reino Unido.
−rasil, fugindo das tro¿as fran-
cesas que inv˜diram
Po’tugal
.
• A corte portuguesa queria que o Brasil voltasse a ser
colônia e que D. Pedro retornasse a Portugal.
20

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

20
20

14/12/12

voltasse a ser colônia e que D. Pedro retornasse a Portugal. 20 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 20 14/12/12 19:30
voltasse a ser colônia e que D. Pedro retornasse a Portugal. 20 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 20 14/12/12 19:30

19:30

2. C‰te as medidas que D. J¾œo to¼o§ ao chegar às terras b’asileiras. Ab’iu o“
2. C‰te as medidas que D. J¾œo to¼o§
ao chegar às terras b’asileiras.
Ab’iu o“ po’to“ b’asileiro“ às naçõƒs amigas,
4. O que a co’te po’tuguesa pretendia em
relação ao −rasil? E em relação a
D. Pedro?
elev¾§ o −rasil à catego’ia de Reino Unido
e crio§ o −anco do −rasil.
A co’te queria que o −rasil v¾Œtasse a ser
coŒô½ia de Po’tugal e que D. Pedro reto’nasse
a Po’tugal.
3. Quem assumiu o go¥ƒrno do −ra-
5. O
que o“ poŒítico“ po’tugueses exi-
sil quando D. J¾œo VI v¾Œto§ para
giam?
Po’tugal?
Que D. Pedro v¾Œtasse para Po’tugal.
¬eu filho, o príncipe regente D. Pedro.
21

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

21

para Po’tugal. ¬eu filho, o príncipe regente D. Pedro. 21 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 21 14/12/12 19:30

14/12/12

para Po’tugal. ¬eu filho, o príncipe regente D. Pedro. 21 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 21 14/12/12 19:30
para Po’tugal. ¬eu filho, o príncipe regente D. Pedro. 21 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 21 14/12/12 19:30

19:30

6. O que fizeram o“ defenso’es da °nde- pendência do −rasil? 9. C¾¼o o}o’reu a
6. O que fizeram o“ defenso’es da °nde-
pendência do −rasil?
9. C¾¼o o}o’reu a Pro}lamação da °nde-
pendência b’asileira?
°niciaram uma campanha pedindo a per-
manência de D. Pedro no −rasil.
D. Pedro e sua co¼itiv˜ v‰nham da cidade
7. Quando o}o’reu
o
®ia
do ¯ico?
de ¬anto“ para ¬ão Paulo. Pró¦imo ao
riacho do °piranga, recebƒu um mensageiro
que trazia cartas da co’te, o|’igando-o a
v¾Œtar para Po’tugal. ®iante desse fato, ele
grito§: °ndependência o§ mo’te!
O que aco½teceu nessa data?
E¼ 9 de janeiro de 1822. D. Pedro disse
que ficaria no −rasil.
8. Po’ que D. Pedro decidiu ficar no
−rasil?
D. Pedro recebƒu um ab˜ixo-assinado do“
b’asileiro“, o qual soŒicitav˜ que ele permane-
cesse no −rasil, co½trariando a exigência
do“ poŒítico“ po’tugueses de que ele v¾Œtasse
para Po’tugal.
22
me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl6.indd
22
17/12/12
18:39
BLOCO 7 CONTEÚDO: • A Abolição da Escravatura
BLOCO 7
CONTEÚDO:
• A Abolição da Escravatura
• Muitas pessoas se opuseram à escravidão, eram os abolicionistas: escritores, poetas, jornalistas e políticos.
• Muitas pessoas se opuseram à escravidão, eram
os abolicionistas: escritores, poetas, jornalistas e
políticos. Aos poucos foram elaboradas leis abo-
licionistas.
• No dia 13 de maio de 1888, foi abolida a escravidão
no Brasil, quando a princesa Isabel assinou a Lei
Áurea.
Lembre que: • No começo da colonização do Brasil, os portugueses tentaram escravizar os indígenas,
Lembre que:
• No começo da colonização do Brasil, os portugueses
tentaram escravizar os indígenas, mas não conse-
guiram. Como os colonizadores necessitavam de tra-
balhadores para as lavouras de cana-de-açúcar, in-
troduziram os africanos como escravos na colônia,
que trabalhavam também na mineração e na casa
dos senhores.
• Os escravos vinham da África em navios negreiros.
• Os escravos moravam em senzalas, que eram bar-
racões sem janelas, trancados à noite. Recebiam
poucos alimentos e poucas roupas, trabalhavam
muito e nada recebiam por seu trabalho.
• Sempre que podiam, os escravos resistiam à escra-
vidão. Muitas vezes fugiam e fundavam os quilom-
bos, comunidades de escravos fugidos que ficavam
em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar.
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
23
23
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd

17/12/12

ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd
ficavam em lugares distantes, aonde era muito difícil chegar. 23 17/12/12 18:40 23 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd

18:40

23

me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd

1. Respo½da: 2. C¾¼o o“ escrav¾“ eram tratado“ pelo“ seus senho’es? a) Po’ que o“
1. Respo½da:
2. C¾¼o o“ escrav¾“ eram tratado“ pelo“
seus senho’es?
a) Po’ que o“ po’tugueses intro‚uziram
a escrav‰dão negra no −rasil?
Po’que precisav˜m de mão de o br a para
trab˜lhar na lav¾§ra e na mineração, po‰s
não co½seguiram escrav‰zar o“ indígenas.
EŒes mo’av˜m em senzalas, que eram
b˜rracõƒs sem janelas, trancado“ à no‰te.
Receb‰am po§co“ alimento“ e po§cas ro§pas,
trab˜lhav˜m muito e nada receb‰am po’ seu
trab˜lho.
b) ®e o½de v‰nham o“ escrav¾“? C¾¼o
eles eram trazido“?
EŒes v‰nham da África em nav‰o“ ne-
greiro“.
24

me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd

24

EŒes v‰nham da África em nav‰o“ ne- greiro“. 24 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd 24 17/12/12 18:40

17/12/12

EŒes v‰nham da África em nav‰o“ ne- greiro“. 24 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd 24 17/12/12 18:40
EŒes v‰nham da África em nav‰o“ ne- greiro“. 24 me2013_miolo_cadfuturo_h4_bl7.indd 24 17/12/12 18:40

18:40

3. E¼ que eles trab˜lhav˜m? 6. O que fo’am o“ quilo¼b¾“? Nas lav¾§ras de cana-de-açúcar,
3. E¼ que eles trab˜lhav˜m?
6. O que fo’am o“ quilo¼b¾“?
Nas lav¾§ras de cana-de-açúcar, na minera-
ção e na casa do“ senho’es.
C¾¼unidades de escrav¾“ fugido“ que ficav˜m
em lo}ais distantes, ao½de era muito difícil
chegar.
4. C¾¼plete:
a) No dia 13 de
maio
de
1888
fo‰ ab¾Œida a
escrav‰dão
no
−rasil.
7. Pesquise s o br e um ab¾Œicio½ista e co½te
sua histó’ia ao“ seus coŒegas.
b) A
princesa °sabƒl
assino§ a
lei que declaro§ extinta a escrav‰dão
no −rasil. E“sa lei recebƒu o no¼e
de
Lei Áurea.
.
5. Quem fo’am o“ ab¾Œicio½istas?
E“crito’es, poƒtas, jo’nalistas e poŒítico“ que
iniciaram uma campanha a fav¾’ da ab¾Œição
da escrav˜tura.
25

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

25
25

14/12/12

iniciaram uma campanha a fav¾’ da ab¾Œição da escrav˜tura. 25 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 25 14/12/12 19:30
iniciaram uma campanha a fav¾’ da ab¾Œição da escrav˜tura. 25 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 25 14/12/12 19:30

19:30

BLOCO 8 bleia Constituinte para elaborar uma Constituição republicana. • A Constituição é a lei
BLOCO 8
bleia Constituinte para elaborar uma Constituição
republicana.
A
Constituição é a lei fundamental de um país;
CONTEÚDO:
estabelece a forma de governo e os direitos e
deveres dos cidadãos.
• A Proclamação da República
A
partir da promulgação da Constituição republi-
cana, os presidentes passaram a ser eleitos para
governar o país por 4 anos.
O
primeiro presidente da República brasileira foi
o
marechal Deodoro da Fonseca, eleito pelo Con-
gresso.
O
seu
vice-presidente
foi
o
Marechal
Floriano Peixoto.
Lembre que:
• Com a independência, passou a vigorar em nos-
so país a Monarquia, que é a forma de governo
exercida por um rei ou imperador. Em 1831, D. Pe-
Respo½da:
dro foi obrigado a abdicar do trono. Em seu lugar
deixou seu filho, Pedro de Alcântara, de apenas 5
anos. Por esse motivo, José Bonifácio ficou sendo
seu tutor até 1840, quando Pedro chegou à maio-
1. Qual fo‰ o perío‚o chamado de ¬egun-
do Reinado e quanto tempo duro§?
ridade, aos 14 anos. Inicia-se, então, em 1840, o
Segundo Reinado com D. Pedro II, estendendo-se
por 50 anos.
¯o‰ o perío‚o em que D. Pedro II go¥ƒrno§
o −rasil; duro§ quase 50 ano“.
• No dia 15 de novembro de 1889, o marechal Deo-
doro da Fonseca proclamou a República no Brasil.
Findava a monarquia.
• A partir dessa data, o Brasil passou a ser governado
2. Quem pro}lamo§ a RepúbŒica? E¼ que
dia?
por um presidente. Normalmente, o povo brasileiro
escolhe o seu presidente por meio de eleições.
¯o‰ o marechal ®eo‚o’o da ¯o½seca. No dia
15 de no¥ƒmb’o de 1889.
• Com a República, as antigas províncias foram trans-
formadas em Estados e foi convocada uma Assem-
26

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

26
26

14/12/12

foram trans- formadas em Estados e foi convocada uma Assem- 26 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 26 14/12/12 19:30
foram trans- formadas em Estados e foi convocada uma Assem- 26 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 26 14/12/12 19:30

19:30

3. Respo½da: 4. C¾¼plete: a) O que é mo½arquia? ¯o’ma de go¥ƒrno exercida po’ um
3. Respo½da:
4. C¾¼plete:
a) O que é mo½arquia?
¯o’ma de go¥ƒrno exercida po’ um rei o§
a) C¾¼ a pro}lamação da RepúbŒica,
as pro¥ ncias fo’am transfo’madas
imperado’.
em
E“tado“ e fo‰ co½v¾}ada uma
AssembŒeia C¾½stituinte
para elab¾’ar
uma no¥˜ C¾½stituição repubŒicana.
b) Qual a diferença entre mo½arquia e
b) O primeiro presidente da RepúbŒica
b’asileira fo‰ o
marechal ®eo‚o’o da
repúbŒica? Na mo½arquia, quem go¥ƒrna é um im-
¯o½seca
,
eleito pelo C¾½gresso .
perado’ o§ rei. Na repúbŒica, quem go¥ƒrna
é um presidente, geralmente escoŒhido pelo
c) O v‰ce-presidente fo‰ o marechal
po¥¾.
¯lo’iano Peixo”o
.
d) A
partir
da
pro¼ulgação da
C¾½stituição repubŒicana
o“ presi-
c) O que v¾}ê acha da fo’ma mo½árquica
dentes passaram a ser eleito“ para
de go¥ƒrno?
g¾¥ƒrnar o país po’ 4 ano“
.
Respo“ta pesso{l.
e) C¾½stituição é a lei fundamental
de um país; estabƒlece a
fo’ma de
go¥ƒrno
e
o“ direito“ e devƒres
do“ cidadão“.
27

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

27

de go¥ƒrno e o“ direito“ e devƒres do“ cidadão“. 27 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 27 14/12/12 19:30

14/12/12

de go¥ƒrno e o“ direito“ e devƒres do“ cidadão“. 27 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 27 14/12/12 19:30
de go¥ƒrno e o“ direito“ e devƒres do“ cidadão“. 27 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 27 14/12/12 19:30

19:30

5. C¾¼plete o diagrama: 6. Registre o“ fato“ respectiv¾“ às datas em destaque: 1. ¯o’ma
5. C¾¼plete o diagrama:
6. Registre o“ fato“ respectiv¾“ às datas
em destaque:
1. ¯o’ma de go¥ƒrno em que o
po¥¾ escoŒhe seus representantes.
2. No¼e do“ do‰s primeiro“
imperado’es do −rasil.
3. No¼e do estado em que fo‰ de-
1808
C‡egada da família real.
1822
°ndependência do −rasil.
clarada no“sa independência.
4. S o breno me do primeiro presi-
dente da RepúbŒica.
5. No¼e da lei que acab¾§ co¼ a
escrav˜tura no −rasil.
1831
Ab‚icação de D. Pedro I.
1840
®eclarada a maio’idade de D.
Pedro II, início do 2 o reinado.
6. No¼e da princesa que as-
sino§ a lei de ab¾Œição da
escrav˜tura.
1888
Ab¾Œição da escrav˜tura.
1889
Pro}lamação da RepúbŒica.
1
R
e
p
ú
B
l
i
c
a
2
P
e
d
r
o
3
S
ã
o
P
a
u
l
o
4
F
o
n
s
e
c
a
5
L
e
i
Á
u
r
e
a
6
I
s
a
b
e
l
28

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

28
28

14/12/12

F o n s e c a 5 L e i Á u r e a
F o n s e c a 5 L e i Á u r e a

19:30

BLOCO 9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS
BLOCO 9
CONTEÚDO:
• Festas e datas comemorativas
E
DATAS
FESTAS
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
29
29
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

14/12/12

9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
9 CONTEÚDO: • Festas e datas comemorativas E DATAS FESTAS 29 14/12/12 19:30 29 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

19:30

29

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

12. Dia do Correio Aéreo Nacional Lembre que: 13 a 29 Festas Juninas • Durante
12.
Dia do Correio Aéreo Nacional
Lembre que:
13 a 29
Festas Juninas
• Durante o ano, comemoramos datas consideradas
importantes. Elas dizem respeito a assuntos bem di-
ferentes, como trânsito, meio ambiente e trabalho.
Julho
20.
Dia Internacional da Amizade
26.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
dos Avós
28.
Dia do Agricultor
• Veja a relação das datas comemorativas que sele-
Agosto
cionamos para você, como sugestão de trabalho e
Segundo
Dia dos Pais
de pesquisa.
11.
Dia do Estudante
21.
Dia da Habitação
Calendário comemorativo
22.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
do Folclore
25.
Dia do Soldado
Fevereiro ou março
Setembro
Carnaval
5.
Março
7.
Dia da Amazônia
Independência do Brasil
10.
Dia Nacional da Imprensa
12.
Dia do Bibliotecário
18.
Dia dos Símbolos Nacionais
14.
Dia do Consumidor
21.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
da Árvore
14.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
da Poesia
25.
Dia Nacional do Trânsito
19.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
da Escola
22.
Dia Mundial da Água
Outubro
Abril
4.
Dia dos Animais
7.
Dia Mundial da Saúde
Dia Mundial da Luta Contra o Câncer
2.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
da Criança
8
15.
Dia do Professor
15.
Dia da Conservação do Solo
6.
Dia da Ciência e da Tecnologia
18.
Dia Nacional do Livro Infantil
24.
Dia das Nações Unidas – ONU
19.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
do Índio
Novembro
21.
Tiradentes
5.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
da Cultura
22.
Dia do Descobrimento do Brasil
15.
Proclamação da República
Maio
19.
1 o
20.
Dia da Bandeira Nacional
Dia da Consciência Negra
5.
Dezembro
Segundo
Dia Internacional do Trabalho
Dia Nacional das Comunicações
Dia das Mães
1 o
Dia Mundial de Combate à Aids
13.
Libertação dos Escravos
10.
Dia Mundial dos Direitos Humanos
Junho
24.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Dia
do Órfão
5.
Dia Mundial do Meio Ambiente
25.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Natal
9.
Dia de Anchieta
31.
Dia da Esperança
30

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

30
30

14/12/12

. . . . . . Natal 9. Dia de Anchieta 31. Dia da Esperança 30
. . . . . . Natal 9. Dia de Anchieta 31. Dia da Esperança 30

19:30

Carnaval Dia do Consumidor – 14 de março O Carnaval é a maior festa popular
Carnaval
Dia do Consumidor – 14 de março
O Carnaval é a maior festa popular brasileira, come-
morada com muita folia e alegria, em que as pessoas
Consumidor é aquele que compra algo ou paga algum
serviço. No Brasil, temos o Código de Defesa do Con-
cantam e dançam nas ruas e nos salões.
sumidor, que estabelece os seus direitos.
1. C¾¼o é co¼emo’ado o C˜rnav˜l em
3. Quem é o co½sumido’?
sua região?
Respo“ta pesso˜l.
É a pesso˜ que co¼pra algo o§ paga algum
serv‰ço.
2. ¯aça um desenho s o br e o C˜rnav˜l.
4. Qual é o ó’gão respo½sávƒl pelo“ di-
reito“ do co½sumido’?
Respo“ta pesso˜l.
5. Quando é o ®ia Mundial da Água?
®ia 22 de março.
31

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

31

pesso˜l. 5. Quando é o ®ia Mundial da Água? ®ia 22 de março. 31 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 31

14/12/12

pesso˜l. 5. Quando é o ®ia Mundial da Água? ®ia 22 de março. 31 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 31
pesso˜l. 5. Quando é o ®ia Mundial da Água? ®ia 22 de março. 31 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 31

19:30

6. Po’ que água po”ávƒl? é impo’tante eco½o¼izar a 11. C¾¼o v¾}ê cuida da sua
6. Po’
que
água po”ávƒl?
é
impo’tante eco½o¼izar a
11. C¾¼o v¾}ê cuida da sua saúde?
Respo“ta pesso˜l.
Respo“ta pesso˜l.
Dia Nacional do Livro Infantil – 18 de abril
7. O que v¾}ê faz co¼ a água po”ávƒl?
O Dia Nacional do Livro Infantil é uma homenagem a
Monteiro Lobato, escritor brasileiro, autor de diver-
sos livros, entre eles, Reinações de Narizinho. Esse
Respo“ta pesso˜l.
autor afirmava que “um país se faz com homens e
livros”.
8. Mo½te co¼ seus coŒegas um cartaz em
que v¾}ês darão dicas para as pesso˜s
preserv˜rem a água do no“so planeta.
12. Quando co¼emo’amo“ o ®ia Nacio½al
do Liv’o °nfantil?
®ia 18 de ab’il.
Dia Mundial da Saúde – 7 de abril
Saúde é o bem-estar físico e mental, por isso deve-
mos: cuidar da nossa alimentação, manter a higiene,
ler, conversar, brincar e fazer exercícios físicos.
13. O que v¾}ê acha da afirmação “ um
país se faz co¼ ho¼ens e liv’o“ ” ?
Respo“ta pesso˜l.
9. Qual é o Dia Mundial da ¬aúde?
®ia 7 de ab’il.
14. E“crev˜ aqui uma mensagem que esti-
mule a leitura.
Respo“ta pesso˜l.
10. O que é saúde?
¬aúde é o bƒm-estar físico e mental.
32

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

32

10. O que é saúde? ¬aúde é o bƒm-estar físico e mental. 32 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 32 14/12/12

14/12/12

10. O que é saúde? ¬aúde é o bƒm-estar físico e mental. 32 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 32 14/12/12
10. O que é saúde? ¬aúde é o bƒm-estar físico e mental. 32 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 32 14/12/12

19:30

Dia do Índio – 19 de abril 17. Atualmente, qual o direito que o indí-
Dia do Índio – 19 de abril
17. Atualmente, qual o direito que o indí-
gena tem em relação à educação?
Quando os portugueses chegaram ao Brasil, em 1500,
havia milhões de indígenas aqui; atualmente, não
chegam a 500 mil. Depois que tiveram contato com
o português, eles contraíram doenças, perderam suas
±em direito a uma educação especial que
v˜lo’ize sua histó’ia, tradiçõƒs, co“tumes e
háb‰to“.
terras e mudaram seus costumes.
Os indígenas precisam de mais extensões de ter-
ra para poder viver de acordo com suas tradições.
Eles receberam áreas especiais demarcadas pelo
governo, mas continuam tendo problemas com fa-
zendeiros, garimpeiros e madeireiros, que explo-
Dia do Trabalho – 1 o de maio
ram ou invadem suas terras.
Atualmente, os indígenas têm direito a uma educa-
ção especial que valorize sua história, tradições, cos-
tumes e hábitos. Essa é uma maneira de respeitar e
O Dia do Trabalho foi criado em 1889.
A data foi escolhida em homenagem aos traba-
lhadores americanos que lutaram por melhores con-
dições de trabalho.
preservar a cultura deles.
Todas as pessoas, cada uma na sua profissão, são
igualmente importantes.
15. O que aco½teceu co¼ o“ indígenas apó“
De acordo com o Estatuto da Criança e do Adoles-
cente, o trabalho infantil é proibido.
a chegada do“ po’tugueses?
C¾½traíram doƒnças que antes não tinham,
perderam suas terras e mudaram seus
18. Qual é a data do ®ia °nternacio½al
co“tumes.
do ±rab˜lho?
®ia 1 o de maio.
16. Po’ que o“ indígenas precisam de mais
extensõƒs de terra?
Para po‚er v‰vƒr de aco’do co¼ suas
tradiçõƒs.
33

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

33
33

14/12/12

terra? Para po‚er v‰vƒr de aco’do co¼ suas tradiçõƒs. 33 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 33 14/12/12 19:30
terra? Para po‚er v‰vƒr de aco’do co¼ suas tradiçõƒs. 33 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 33 14/12/12 19:30

19:30

19. ²o}ê já o§v‰u falar em trab˜lho Dia das Mães v¾Œuntário? Qual é a sua
19. ²o}ê
o§v‰u
falar em trab˜lho
Dia das Mães
v¾Œuntário? Qual é a sua o¿inião?
Respo“ta pesso˜l.
O Dia das Mães é comemorado sempre no segundo
domingo do mês de maio.
23. ¯aça um desenho para sua mãe que
mo“tre o que v¾}ê sente po’ ela.
20. No
seu b˜irro existe
esse
tipo
de
coŒab¾’ação?
Respo“ta pesso˜l.
21. E¼ sua o¿inião, po’ que o trab˜lho
infantil é pro‰b‰do?
Respo“ta pesso˜l.
22. ²o}ê já penso§ em que go“taria de
trab˜lhar? E¦plique.
Respo“ta pesso˜l.
34

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

34

em que go“taria de trab˜lhar? E¦plique. Respo“ta pesso˜l. 34 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 34 14/12/12 19:30

14/12/12

em que go“taria de trab˜lhar? E¦plique. Respo“ta pesso˜l. 34 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 34 14/12/12 19:30
em que go“taria de trab˜lhar? E¦plique. Respo“ta pesso˜l. 34 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 34 14/12/12 19:30

19:30

Dia Mundial do Meio Ambiente – 5 de junho Festas Juninas Meio ambiente é tudo
Dia Mundial do Meio Ambiente – 5 de junho
Festas Juninas
Meio ambiente é tudo o que nos cerca.
As festas de Santo Antônio (dia 13), São João Ba-
tista (dia 24) e São Pedro (dia 29) são comemo-
O
meio ambiente é natural (as plantas, a terra, o ar,
a
água), mas também é transformado pelo homem,
radas no mês de junho, por isso são chamadas de
festas juninas.
com a construção de residências e estradas.
24. Quando se co¼emo’a o Dia Mundial
26. Pesquise e escrev˜ a letra de uma mú-
sica de ¯esta J§nina.
do Meio Amb‰ente?
Respo“ta pesso{l.
Dia 5 de junho.
25. Po’ que co¼emo’amo“ o Dia Mundial
do Meio Amb‰ente?
Respo“ta pesso{l.
27. C˜da região tem uma co¼ida típica
nessa épo}a do ano. Qual é a co¼ida
típica de sua região? E“crev˜ a receita
dela.
Respo“ta pesso{l.
35

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

35
35

14/12/12

de sua região? E“crev˜ a receita dela. Respo“ta pesso{l. 35 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 35 14/12/12 19:30
de sua região? E“crev˜ a receita dela. Respo“ta pesso{l. 35 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 35 14/12/12 19:30

19:30

Dia dos Pais Dia do Folclore – 22 de agosto O Dia dos Pais é
Dia dos Pais
Dia do Folclore – 22 de agosto
O Dia dos Pais é comemorado no segundo domingo
de agosto.
O
folclore expressa a sabedoria do povo; é o conjunto
de tradições, lendas, canções e costumes de um povo.
importante preservar o folclore, porque ele mostra
os conhecimentos e as tradições que cada povo tem.
É
28.¯aça um desenho para ho¼enagear o
seu pai o§ o respo½sávƒl po’ v¾}ê.
29. ²o}ê co½hece alguma manifestação do
foŒclo’e
da
sua
cidade
do seu
E“tado? Qual?
Respo“ta pesso{l.
Dia Nacional do Trânsito – 25 de setembro
• Trânsito é o movimento de pessoas e veículos.
• É preciso que haja sinais de trânsito e regras para
evitar confusão e acidentes.
• Nosso país tem um Código de Trânsito bastante rí-
gido para evitar acidentes.
30. O que é trânsito?
É o mo¥‰mento de pesso˜s e vƒículo“.
31. Qual a impo’tância
trânsito?
do“
sinais de
¬ão impo’tantes para ev‰tar co½fusão e aci-
dentes no trânsito.
36

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

36
36

14/12/12

impo’tantes para ev‰tar co½fusão e aci- dentes no trânsito. 36 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 36 14/12/12 19:30
impo’tantes para ev‰tar co½fusão e aci- dentes no trânsito. 36 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 36 14/12/12 19:30

19:30

32. C¾¼o é o trânsito de sua cidade? Dia Mundial dos Direitos Humanos – 10
32. C¾¼o é o trânsito de sua cidade?
Dia Mundial dos Direitos Humanos – 10 de
dezembro
Respo“ta pesso{l.
Direitos humanos são os direitos que todas as pes-
soas têm, independentemente do sexo, da etnia, da
33. ®esenhe, reco’te o§ coŒe, alguns sinais de
trânsito que v¾}ê co½sidere impo’tantes.
idade, da religião etc. Homens e mulheres, ricos e
pobres, têm direitos iguais.
A
Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu, no
dia 10 de dezembro de 1948, a Declaração Universal
dos Direitos Humanos, garantindo o direito à vida, à
liberdade, à igualdade perante a Justiça, o trabalho
e a educação.
É importante que as pessoas conheçam os direitos
humanos e lutem para que eles sejam respeitados em
nosso país e em todo o mundo.
34. Na sua o¿inião, o que é necessário
para que o“ direito“ humano“ sejam
respeitado“?
Respo“ta pesso{l.
35. E“crev˜ uma mensagem para ajudar
na co½strução de um futuro melho’
para to‚o“.
Respo“ta pesso{l.
37

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

37

de um futuro melho’ para to‚o“. Respo“ta pesso{l. 37 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 37 14/12/12 19:30

14/12/12

de um futuro melho’ para to‚o“. Respo“ta pesso{l. 37 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 37 14/12/12 19:30
de um futuro melho’ para to‚o“. Respo“ta pesso{l. 37 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 37 14/12/12 19:30

19:30

Geogra a ano ENSINO FUNDAMENTAL 3 a edição São Paulo - 2013 me2013_miolo_cadfuturo_g4_bl1.indd 38 17/12/12
Geogra a
ano
ENSINO FUNDAMENTAL
3 a edição
São Paulo - 2013
me2013_miolo_cadfuturo_g4_bl1.indd
38
17/12/12
18:32
b) C¾¼o po‚e ser div‰dida a Gƒo†rafia? BLOCO 1 E¼ Gƒo†rafia Astro½ô¼ica, Gƒo†rafia ¯ísica e
b) C¾¼o po‚e ser div‰dida a Gƒo†rafia?
BLOCO 1
E¼ Gƒo†rafia Astro½ô¼ica, Gƒo†rafia
¯ísica e Gƒo†rafia Humana.
CONTEÚDO:
• Geografia
2. Po’ que é impo’tante estudar Gƒo†rafia?
Para que po“samo“ entender a o’ganização
do espaço em que v‰vƒmo“.
Lembre que:
3. Escre va o que estuda a:
• Geografia é a ciência que estuda a Terra. É muito
importante para que possamos entender a orga-
a) Gƒo†rafia Astro½ô¼ica
estuda a
nização do espaço em que vivemos. Ela pode ser
dividida em:
➔ Geogra a Astronômica: estuda a Terra como astro
±erra co¼o astro e em relação ao“
o§tro“ astro“.
e
em relação aos outros astros.
➔ Geogra a Física: estuda as paisagens existentes na
b) Gƒo†rafia ¯ísica
estuda as paisagens
superfície da Terra.
existentes na superfície da ±erra.
➔ Geogra a Humana: estuda os povos, seus costumes
e
o espaço ocupado e preparado pelo ser humano.
c) Gƒo†rafia
Humana estuda o“ po¥¾“,
1. Respo½da:
seus co“tumes e o espaço o}upado e pre-
parado pelo ser humano.
a) O que é Gƒo†rafia?
É a ciência que estuda a ±erra.
39

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

39
39

14/12/12

a) O que é Gƒo†rafia? É a ciência que estuda a ±erra. 39 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 39 14/12/12
a) O que é Gƒo†rafia? É a ciência que estuda a ±erra. 39 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 39 14/12/12

19:30

• BLOCO 2 Vivemos em uma democracia, palavra que quer dizer “governo do povo”. Por
BLOCO 2
Vivemos em uma democracia, palavra que quer dizer
“governo do povo”. Por isso, nossos representantes –
presidente, governadores, prefeitos, deputados esta-
CONTEÚDOS:
duais e federais, vereadores, senadores – são eleitos
pelo povo. Nas eleições brasileiras o voto é secreto.
• Nosso país
• O povo brasileiro
Brasil – Divisão Política
OCEANO
ATLÂNTICO
Lembre que:
• O nome oficial do nosso país é República Federativa
do Brasil.
• O Brasil está dividido em 26 estados e um Distrito
Federal, onde fica Brasília, capital do país, a sede do
governo brasileiro.
OCEANO
PACÍFICO
OCEANO
• O sistema de governo do Brasil é a República Fede-
ATLÂNTICO
rativa Presidencialista.
0
430
860 km
• Quem governa o Brasil é o presidente da República,
1 cm = 430 km
eleito para um mandato de quatro anos.
Fonte: Atlas Geográfico Escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.
• Os estados são administrados pelos governadores.
• Os estados brasileiros estão divididos em partes me-
nores, os municípios, que são administrados pelos
prefeitos .
40
Mario Yoshida

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

40
40

14/12/12

que são administrados pelos prefeitos . 40 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 40 14/12/12 19:30
que são administrados pelos prefeitos . 40 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 40 14/12/12 19:30

19:30

1. «b“ervƒ o mapa do −rasil e pinte o b) C¾¼o o −rasil está div‰dido?
1. «b“ervƒ o mapa do −rasil e pinte o
b) C¾¼o o −rasil está div‰dido?
estado o½de v¾}ê mo’a.
E¼ 26 estado“ e um ®istrito ¯ederal.
Respo“ta pesso{l.
Brasil – Divisão Política
OCEANO
c) Qual é a capital do −rasil?
ATLÂNTICO
−rasília.
d) «nde a capital está lo}alizada?
No ®istrito ¯ederal.
e) Quem go¥ƒrna o no“so país?
OCEANO
PACÍFICO
O presidente da RepúbŒica.
OCEANO
ATLÂNTICO
f) Quem administra o“ estado“?
0
430
860 km
1 cm = 430 km
Fonte: Atlas Geográfico Escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.
«s estado“ são administrado“ pelo“
go¥ƒrnado’es.
2. Respo½da:
3. C¾¼plete:
a) Qual é o no¼e o„icial do −rasil?
a)
«s estado“ b’asileiro“ estão div‰-
RepúbŒica ¯ederativ˜ do −rasil.
dido“ em
partes
meno’es cha-
madas
município“
.
41
Mario Yoshida

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

41

em partes meno’es cha- madas município“ . 41 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 41 14/12/12 19:30

14/12/12

em partes meno’es cha- madas município“ . 41 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 41 14/12/12 19:30
em partes meno’es cha- madas município“ . 41 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 41 14/12/12 19:30

19:30

b) Quem go¥ƒrna o“ município“ c) C¾¼o eles são escoŒhido“? são o“ prefeito“ . Po’
b) Quem go¥ƒrna
o“
município“
c) C¾¼o eles são escoŒhido“?
são o“
prefeito“
.
Po’ meio do v¾”o secreto.
4. Respo½da:
a) Qual é o sistema de go¥ƒrno no
−rasil? C¾¼o funcio½a?
d) Na sua o¿inião, o que é demo}ra-
cia?
É
a RepúbŒica ¯ederativ˜ Presidencialista.
Respo“ta pesso{l.
O
presidente é eleito pelo po¥¾ para go¥ƒr-
nar po’ quatro ano“.
e) Para v¾}ê, o que é cidadania?
b) Quais são o“ go¥ƒrnantes eleito“
pelo po¥¾ no −rasil?
Respo“ta pesso{l.
O
presidente da RepúbŒica, o“ go¥ƒrnado’es
do“ E“tado“ e o“ prefeito“ do“ município“.
42

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

42

do“ E“tado“ e o“ prefeito“ do“ município“. 42 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 42 14/12/12 19:30

14/12/12

do“ E“tado“ e o“ prefeito“ do“ município“. 42 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 42 14/12/12 19:30
do“ E“tado“ e o“ prefeito“ do“ município“. 42 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 42 14/12/12 19:30

19:30

5. «b“ervƒ o mapa do −rasil e co¼plete c) A região que po“sui o maio’
5. «b“ervƒ o mapa do −rasil e co¼plete
c) A região que po“sui o maio’ número
as frases:
de
estado“ é a região
No’deste
.d) A região cujo“ estado“ são cen-
trais, isto é, não são b˜nhado“ pelo
Brasil – Regiões Geográficas
mar é a
Cƒntro-Oeste
.
RORAIMA
OCEANO
AMAPÁ
Boa Vista
ATLÂNTICO
Macapá
Equador
Belém
São Luís
Manaus
Fortaleza
d) A região o½de estão lo}alizado“ o“
estado“ de ¬ão Paulo e do Rio de
RIO GRANDE
Teresina
PARÁ
MARANHÃO
DO NORTE
CEARÁ
AMAZONAS
Natal
J˜ nei ro é a região
¬udeste
.
João
PARAÍBA
PIAUÍ
Pessoa
PERNAMBUCO
Recife
ACRE
Porto
Palmas
ALAGOAS
Maceió
Rio
Velho
Branco
SERGIPE
TOCANTINS
Aracaju
RONDÔNIA
MATO
e) A
região
o½de está lo}alizada
BAHIA
GROSSO
Salvador
Cuiabá
a
capital do −rasil é a região
DF
Brasília
Goiânia
MINAS
GERAIS
GOIÁS
Cƒntro-«este
.
MATO GROSSO
ESPÍRITO SANTO
Belo
DO SUL
Vitória
Horizonte
Campo
SÃO
OCEANO
Grande
PAULO
RIO DE JANEIRO
PACÍFICO
São Paulo
Rio de Janeiro
f) A região
Resposta pesso{l
é a
PARANÁ
Curitiba
LEGENDA
SANTA
órnio
CATARINA
Região Norte
d
e
Capric
Florianópolis
Trópico
Região Nordeste
RIO GRANDE
região o½de fica lo}alizado o estado
o½de eu mo’o.
Região Centro-Oeste
DO SUL
Região Sudeste
Porto Alegre
Região Sul
Capital de país
430
860 km
Capital de estado
1 cm = 430 km
Fonte: Atlas Geográfico Escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.
a) A maio’ região do −rasil em ex-
tensão é a região
No’te
.
b) A meno’ região em extensão é a
região
¬ul
.
43
Mario Yoshida

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

43
43

14/12/12

A meno’ região em extensão é a região ¬ul . 43 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 43 14/12/12
A meno’ região em extensão é a região ¬ul . 43 Mario Yoshida me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 43 14/12/12

19:30

6. Pesquise o que é uma C¾½stituição e escrev˜ o que v¾}ê entendeu. Lembre que:
6. Pesquise o que é uma C¾½stituição e
escrev˜ o que v¾}ê entendeu.
Lembre que:
O
povo brasileiro formou-se a partir de três grupos
étnicos, representados pelo indígena, pelo branco
e
pelo negro.
Os povos indígenas já habitavam o Brasil quando
os portugueses aqui chegaram. Estavam organiza-
dos em tribos, que se dividiam em aldeias.
Os primeiros brancos vieram de Portugal como
colonizadores da terra. Mais tarde vieram os imi-
grantes europeus: italianos, alemães, poloneses,
espanhóis etc. Esses imigrantes instalaram-se prin-
cipalmente nas regiões Sudeste e Sul do Brasil, e
deixaram contribuições como:
➔ o desbravamento e o povoamento de regiões;
➔ a industrialização;
➔ a fundação de cidades;
➔ o desenvolvimento da agricultura e da pecuária.
negro foi trazido da África para trabalhar como
escravo.
O
Do cruzamento desses grupos étnicos (indígena,
branco e negro), originaram-se os mestiços. Esses
cruzamentos chamam-se miscigenação:
➔ do branco com o indígena surgiu o mameluco;
➔ do branco com o negro surgiu o mulato;
➔ do indígena com o negro surgiu o cafuzo.
Os costumes herdados do indígena, do branco e
do negro marcaram a maneira de ser do povo bra-
sileiro.
44

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

44
44

14/12/12

branco e do negro marcaram a maneira de ser do povo bra- sileiro. 44 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 44
branco e do negro marcaram a maneira de ser do povo bra- sileiro. 44 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 44

19:30

➔ Do indígena herdamos: 7. Que grupo“ étnico“ fo’maram o po¥¾ b’asileiro? – o vocabulário:
Do indígena herdamos:
7. Que grupo“ étnico“ fo’maram o po¥¾
b’asileiro?
– o vocabulário: o jacaré, o tucano, a jiboia,
O indígena, o b’anco e o negro.
Iguaçu etc.;
– os instrumentos musicais: o maracá, a gaita etc.;
– os alimentos: a mandioca, o milho, a batata-
-doce, o abacaxi, a pitanga etc.;
– as ervas medicinais;
8. Quem hab‰tav˜ o −rasil quando o“
po’tugueses chegaram?
– a rede;
«s po¥¾“ indígenas.
– o folclore.
➔ Do português herdamos:
– a religião;
– os alimentos: a bacalhoada, o cozido etc.;
– a língua portuguesa;
– o sistema de educação.
9. Po’ que o“ negro“ fo’am trazido“ da
África?
➔ Do negro herdamos:
Para trab˜lharem co¼o escrav¾“.
– o vocabulário;
– a música: o batuque e o samba;
– os alimentos: o vatapá, o caruru, a farofa;
– as crenças e festas populares: o candomblé, a
umbanda;
– as danças e lutas: o samba, o cateretê, a ca-
poeira;
– o folclore.
45

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

45
45

14/12/12

e lutas: o samba, o cateretê, a ca- poeira; – o folclore. 45 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 45 14/12/12
e lutas: o samba, o cateretê, a ca- poeira; – o folclore. 45 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 45 14/12/12

19:30

10. Escre va algumas co½trib§içõƒs que o“ imigrantes deixaram no −rasil. 12. Escre va co¼o
10. Escre va algumas co½trib§içõƒs que o“
imigrantes deixaram no −rasil.
12. Escre va co¼o o cruzamento do“ gru-
po“ étnico“ deu o’igem ao“ mestiço“.
O desb’av˜mento e o po¥¾˜mento de regiõƒs;
a industrialização; a fundação de cidades etc.
b’anco
indígena
m
a
m
e
l
u
}
o
b’anco
negro
11. Que no¼e recebƒ o cruzamento desses
grupo“ étnico“?
m
u
l
a
t
o
Miscigenação o§ mestiçagem.
negro
indígena
c
a
f
u
z
o
46

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

46
46

14/12/12

Miscigenação o§ mestiçagem. negro indígena c a f u z o 46 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 46 14/12/12 19:30
Miscigenação o§ mestiçagem. negro indígena c a f u z o 46 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 46 14/12/12 19:30

19:30

13. Pesquise e escre va algumas influências herdadas de cada grupo étnico que 14. C¾¼
13. Pesquise e escre va algumas influências
herdadas de cada grupo étnico que
14. C¾¼ b˜se no gráfico ab˜ixo, respo½da
às perguntas:
fo’mo§ o no“so po¥¾:
População indígena do Brasil – 1500 e 2010
Respo“tas pesso{is.
em
milhões
a) indígena
b) b’anco
1500
2010
ano
Fonte: IBGE. Censo Demográfico 2010.
a) O que v¾}ê po‚e o|“erv˜r quanto à
po¿ulação indígena do −rasil do
ano de 1500 para o ano de 2000?
Respo“tas pesso{is.
c)
negro
b) Na sua o¿inião, po’ que isso aco½-
teceu?
47

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

47

c) negro b) Na sua o¿inião, po’ que isso aco½- teceu? 47 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 47 14/12/12 19:30

14/12/12

c) negro b) Na sua o¿inião, po’ que isso aco½- teceu? 47 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 47 14/12/12 19:30
c) negro b) Na sua o¿inião, po’ que isso aco½- teceu? 47 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 47 14/12/12 19:30

19:30

15. ¯aça uma pesquisa e resoŒv˜ esta negro b’anco índio questão. A qual grupo humano
15. ¯aça uma pesquisa
e resoŒv˜
esta
negro
b’anco
índio
questão. A qual grupo humano co’-
respo½dem estas co½trib§içõƒs? Marque
co¼ um x.
No“sa língua, fes-
negro
b’anco
índio
x
x
²atapá, acarajé,
quindins, quiab¾,
xinxim.
tas juninas, reisado“,
jo†o de damas, jo†o
de b˜ralho, pandeiro,
ciranda, chamarrita,
foŒguedo, pau de fita.
x
Milho, mandio}a,
bƒiju, pirão, redes de
do’mir, jangada.
x
C˜ndo¼bŒés o§ xan-
Religião catóŒica,
b’inquedo de prendas,
artesanato de rendas,
pão-de-ló, picadinho,
cho§riço (linguiça de
po’co).
gô“, capoƒira, mara-
x
catu, jango, samb˜,
bƒrimb˜u de b˜rriga,
cuíca.
Lendas do C§rupira,
do ¬aci-Pererê,
x
°ara (mãe-d'água),
−o‰tatá, Uirapuru.
48

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

48
48

14/12/12

x °ara (mãe-d'água), −o‰tatá, Uirapuru. 48 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 48 14/12/12 19:30
x °ara (mãe-d'água), −o‰tatá, Uirapuru. 48 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 48 14/12/12 19:30

19:30

BLOCO 3 CONTEÚDOS: • A comunidade • O município ➔ Os limites do município •
BLOCO 3
CONTEÚDOS:
• A comunidade
• O município
➔ Os limites do município
• A cidade – zona urbana
• O campo – zona rural
Lembre que: • A comunidade é formada por um grupo de pessoas que vivem em
Lembre que:
• A comunidade é formada por um grupo de pessoas
que vivem em um mesmo lugar ou que têm interesses
comuns.
• A família é a primeira comunidade da qual fazemos
parte.
• As pessoas podem participar de diferentes comunida-
des ao mesmo tempo, por exemplo: a igreja, a escola,
o clube.
• Os bairros e os povoados são comunidades menores
que formam, juntas, uma comunidade maior: o muni-
cípio.
• Os municípios reunidos formam o estado e a reunião
de estados forma o país – a comunidade nacional.

1. O que é uma co¼unidade?

É um co½junto de pesso˜s que v‰vƒm agru- padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns.

padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a
padas em um mesmo lugar o§ que têm inte- resses co¼uns. 2. C¾¼o se chama a

2. C¾¼o se chama a co¼unidade em que as pesso˜s se reúnem para o’ar?

a co¼unidade em que as pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12
a co¼unidade em que as pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12

°greja o§ co¼unidade religio“a.

pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12 19:30 49 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12 19:30 49 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12 19:30 49 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12 19:30 49 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
49
49
pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12 19:30 49 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

14/12/12

pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12 19:30 49 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
pesso˜s se reúnem para o’ar? °greja o§ co¼unidade religio“a. 49 14/12/12 19:30 49 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

19:30

49

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

3. Pinte a figura que representa a primei- ra co¼unidade da qual fazemo“ parte. 4.
3. Pinte a figura que representa a primei-
ra co¼unidade da qual fazemo“ parte.
4. Prencha a cruzadinha:
1. C¾¼unidade fo’mada po’ b˜irro“
e po¥¾˜do“.
2. Primeira co¼unidade de que fa-
zemo“ parte.
3. No¼e da reunião de estado“.
4. Uma co¼unidade pequena.
4
x
b
a
2
3
i
f
p
r
a
a
r
1
m
u
n
i
c
í
p
i
o
í
s
l
i
a
50

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

50
50

14/12/12

i f p r a a r 1 m u n i c í p i
i f p r a a r 1 m u n i c í p i

19:30

5. C¾Œe o§ desenhe no“ espaço“ ab˜ixo uma representação da sua: C¾¼unidade familiar C¾¼unidade escoŒar
5. C¾Œe o§ desenhe no“ espaço“ ab˜ixo uma representação da sua:
C¾¼unidade familiar
C¾¼unidade escoŒar
51
me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
51
14/12/12
19:30
8. Respo½da: Lembre que: • Os estados brasileiros estão divididos em municípios. Estes são uma
8. Respo½da:
Lembre que:
• Os estados brasileiros estão divididos em municípios.
Estes são uma parte do estado.
• Os municípios, por sua vez, dividem-se em área ur-
bana e área rural.
a) Escre va o no¼e do município o½de
v¾}ê mo’a e crie uma frase so br e
ele.
• Alguns municípios só têm área urbana. Isso acontece
porque a área urbana vai crescendo e avançando tan-
Respo“ta pesso{l.
to, que a área rural passa a não existir mais.
• As pessoas que vivem no município formam a comu-
nidade municipal.
b) ®e que estado ele faz parte?
6.
Respo½da:
Respo“ta pesso{l.
a) C¾¼o estão div‰dido“ o“ estado“
b’asileiro“?
E“tão div‰dido“ em município“.
c) C¾¼o se chama o prefeito do seu
município?
Respo“ta pesso{l.
b) O que são o“ município“?
‹o uma parte do estado.
d) E¼
que
sede da Prefeitura?
b˜irro está instalada a
Respo“ta pesso{l.
7.
C¾¼plete:
O
município é
fo’mado pela área
urb˜na
e pela área
rural
.
A
área urb˜na
é a
cidade
.
O
campo é a
área rural
.
52

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

52

. A área urb˜na é a cidade . O campo é a área rural . 52

14/12/12

. A área urb˜na é a cidade . O campo é a área rural . 52
. A área urb˜na é a cidade . O campo é a área rural . 52

19:30

9. ResoŒv˜ esta cruzadinha: 10. «b“ervƒ o mapa: 1. No¼e de uma das áreas de
9. ResoŒv˜ esta cruzadinha:
10. «b“ervƒ o mapa:
1.
No¼e de uma das áreas de um
Município
Município
de Ingá
de Piriri
município.
Município de
Piramboia
2. A área sub§rb˜na tambñm po‚e
Rio dos
Ventos
Rodovia Leste-
ser chamada de
Estrada
-Oeste
de Ferro
3. No¼e de o§tra área de um mu-
Município
Lago
Brasiliana
Dourado
de Pinhal
nicípio.
Município
4. O município é uma parte do
de Joá
Mata dos
Município de
Pinheirais
5. Área co½stituída pela parte mais
Dourado
Serra
afastada do centro da cidade.
Prateada
6. No¼e que se dá à área rural.
a) Qual é o município que apresenta o
maio’ número de tipo“ de limites?
1
r
u
r
a
l
O município de Pinhal.
2
s
u
b
ú
r
b
i
o
3
u
r
b
a
n
a
4
e
s
t
a
d
o
b) Que município“ aparecem na ilustra-
ção?
5
s
u
b
u
r
b
a
n
a
6
c
a
m
p
o
Aparecem o“ município“ de Piriri, Piramb¾‰a,
°ngá, J¾š, ®o§rado e Pinhal.
53
Ulhôa Cintra

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

53
53

14/12/12

Piramb¾‰a, °ngá, J¾š, ®o§rado e Pinhal. 53 Ulhôa Cintra me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 53 14/12/12 19:30
Piramb¾‰a, °ngá, J¾š, ®o§rado e Pinhal. 53 Ulhôa Cintra me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 53 14/12/12 19:30

19:30

c) O que separa o município de Piriri do município de Piramb¾‰a? O rio do“
c) O que separa o município de Piriri
do município de Piramb¾‰a?
O rio do“ ²ento“.
Município
de São João
Município
de Praça
d) O que existe no limite entre o“ mu-
nicípio“ de Piramb¾‰a e de °ngá?
Município
de Correntes
Município
de Palmeiras
Uma estrada de ferro.
e) Quais o“ municípios que fazem li-
mite co¼ o município de J¾š?
Município“ de ®o§rado, Piramb¾‰a e
Piriri.
11. Respo½da:
Lembre que:
a) C¾¼o o“ município“ são separado“
entre si?
Po’ uma linha demarcató’ia chamada
Limite: é a linha demarcatória que separa os muni-
cípios.
limite.
➔ O limite pode ser um rio, um lago, uma serra,
um bosque, uma rua, uma estrada de ferro, uma
rodovia, uma linha imaginária etc.
b) O que po‚e serv‰r de limite?
➔ São colocadas placas de metal ou marcos de pe-
dra, madeira ou concreto, para indicar onde ter-
minam as terras de um município e onde come-
çam as terras de outro município.
Um rio, um lago, uma serra, um b¾“que,
uma rua, uma estrada de ferro, uma
ro‚o¥‰a, uma linha imaginária etc.
54

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

54
54

14/12/12

uma estrada de ferro, uma ro‚o¥‰a, uma linha imaginária etc. 54 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 54 14/12/12 19:30
uma estrada de ferro, uma ro‚o¥‰a, uma linha imaginária etc. 54 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 54 14/12/12 19:30

19:30

c) O que é usado para indicar o½de co¼eçam e o½de terminam o“ limites de
c) O que é usado para indicar o½de
co¼eçam e o½de terminam o“ limites
de um município?
• Nos municípios brasileiros, a maior parte da popula-
ção mora na cidade. As pessoas que moram na cida-
de formam a comunidade urbana.
• Toda cidade tem um centro e bairros em volta dele.
Placas de metal o§ marco“ de pedra, madeira
➔ Zona suburbana ou subúrbio é formada pelos
o§ co½creto.
bairros mais afastados do centro da cidade. É a
periferia da cidade.
As cidades muito pequenas não têm zona su-
burbana.
12. Pesquise o no¼e do“ município“ que
➔ Os bairros de uma cidade podem ser:
fazem limite co¼
o município o½de
v¾}ê mo’a:
– residenciais: predominam os estabelecimentos e
os prédios que servem de moradia;
– comerciais: prevalecem as casas comerciais;
a) ao no’te
– industriais: concentram muitas indústrias e
Respo“tas pesso{is.
b) ao sul
fábricas, pátios de estacionamento e trânsito
de caminhões. Nesses bairros, em virtude da
fumaça que sai das chaminés das fábricas e
dos escapamentos dos caminhões, o ar pode
ser mais poluído.
c) ao leste
➔ A vida na cidade:
– costuma ser mais agitada que a vida no campo;
d) a oƒste
– os moradores da cidade trabalham em bancos,
oficinas, escritórios, lojas, hospitais, reparti-
ções públicas etc.;
Lembre que:
A cidade, ou área urbana, é a sede do município.
– geralmente, há muitas opções de lazer: cine-
mas, teatros, museus, clubes, parque de diver-
sões, centros esportivos;
Toda cidade tem um centro e é nele que se concen-
– algumas cidades apresentam sérios problemas
tram as maiores lojas, os bancos, os escritórios, as
igrejas, os cinemas etc.
como desemprego, falta de moradia, poluição,
violência, transporte coletivo deficiente etc.
55

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

55
55

14/12/12

poluição, violência, transporte coletivo deficiente etc. 55 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 55 14/12/12 19:30
poluição, violência, transporte coletivo deficiente etc. 55 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 55 14/12/12 19:30

19:30

−airro residencial −airro industrial −airro co¼ercial 13. Respo½da: a) E¼ que parte do município fica
−airro residencial
−airro industrial
−airro co¼ercial
13. Respo½da:
a) E¼ que parte do município fica
lo}alizada a sede administrativ˜ do
município, a Prefeitura?
¯ica lo}alizada na cidade.
56
Corel Stock Photo Library
João Prudente (Pulsar Imagens)
Pedro Viegas (Reflexo)

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

56
56

14/12/12

Photo Library João Prudente (Pulsar Imagens) Pedro Viegas (Reflexo) me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 56 14/12/12 19:31
Photo Library João Prudente (Pulsar Imagens) Pedro Viegas (Reflexo) me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 56 14/12/12 19:31

19:31

b) O que se co½centra no centro da cidade? 15. Escreva no“ parênteses v (vƒrdadeiro)
b) O que se co½centra no centro da
cidade?
15. Escreva no“ parênteses v (vƒrdadeiro)
o§ f (falso):
As maio’es loŠas, o“ b˜nco“, o“ escritó’io“,
as igrejas, o“ cinemas etc.
v
a)
O centro da cidade é uma parte
do município.
v
b)
No centro da cidade há mais
mo¥‰mento do que no“ b˜irro“.
c) f
«s b{irro“ lo}alizam-se na
área rural.
d) v
A área urb{na tambñm é cha-
14. ¬ubŒinhe
o
que
existe nas
cidades
mada de cidade.
grandes:
e) f
Na área urb{na há plantaçõƒs
e são criado“ animais.
• ruas estreitas
• po§cas loŠas
grande número de pesso˜s
16. Respo½da:
• muitas residências
a) C¾¼o é o centro de sua cidade?
• avƒnidas largas e mo¥‰mentadas
• prédio“ alto“
Quais são as principais ruas e
avƒnidas?
• po§co“ vƒículo“
Respo“tas pesso{is.
• muito“ v‰aduto“
57

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

57

vƒículo“ Respo“tas pesso{is. • muito“ v‰aduto“ 57 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 57 14/12/12 19:31

14/12/12

vƒículo“ Respo“tas pesso{is. • muito“ v‰aduto“ 57 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 57 14/12/12 19:31
vƒículo“ Respo“tas pesso{is. • muito“ v‰aduto“ 57 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 57 14/12/12 19:31

19:31

b) ²o}ê mo’a no centro da sua cidade 18. Ligue co’retamente: o§ em um b{irro
b) ²o}ê mo’a no centro da sua cidade
18. Ligue co’retamente:
o§ em um b{irro mais afastado?
Respo“ta pesso{l.
área urb˜na
A
po¿ulação mo’a
em sítio“, chácaras
e fazendas.
sub¤rb‰o
17. ®escub’a do que se trata e preencha
o“ quadradinho“:
área rural
po¿ulação mo’a
em casas e edifício“.
A po¿ulação mo’a
A
a) −airro“ que ficam afastado“ do
centro da cidade.
em b˜irro“ afasta-
do“ do centro.
19. C‰te o“ principais b{irro“ co¼erciais
s
u
b
ú
r
b
i
o
s
de sua cidade.
Respo“ta pesso{l.
b) Parte da cidade.
b
a
i
r
r
o
c) ±ipo de b{irro o½de existem muitas
casas co¼erciais.
c
o
m
e
r
c
i
a
l
d) Parte mais mo¥‰mentada da cidade.
c
e
n
t
r
o
58

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

58
58

14/12/12

i a l d) Parte mais mo¥‰mentada da cidade. c e n t r o 58
i a l d) Parte mais mo¥‰mentada da cidade. c e n t r o 58

19:31

20. Numere a segunda coŒuna de aco’do co¼ a primeira: 23. Escre va três v{ntagens
20. Numere a segunda coŒuna de aco’do
co¼ a primeira:
23. Escre va três v{ntagens de quem mo’a
em uma cidade grande.
1
b˜irro industrial
3
casas co¼erciais
Respo“ta pesso{l. (¬ugestão: mais o¿ções de
lazer, de estudo, de trab˜lho e de tratamento
de saúde.)
2
b˜irro residencial
1
indústrias
3
b˜irro co¼ercial
2
residências
21. Escre va algo so|’e o lugar o½de v¾}ê
mo’a.
Respo“ta pesso{l.
24. Escre va alguns pro|Œemas enfrentado“
po’ quem v‰vƒ em uma cidade grande.
Respo“ta pesso{l. (¬ugestão: v‰oŒência, trân-
sito co½gestio½ado e alto preço de pro‚uto“
e serv‰ço“.)
22. Escre va alguns tipo“ de divƒrsão que
existem em sua cidade.
Respo“ta pesso{l.
59

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

59
59

14/12/12

de divƒrsão que existem em sua cidade. Respo“ta pesso{l. 59 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 59 14/12/12 19:31
de divƒrsão que existem em sua cidade. Respo“ta pesso{l. 59 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 59 14/12/12 19:31

19:31

Lembre que: d) • O campo é uma área rural. Nele predominam sítios, chácaras e
Lembre que:
d)
• O campo é uma área rural. Nele predominam sítios,
chácaras e fazendas.
C¾¼o são chamadas as pesso{s que
mo’am na área rural? O que elas
fo’mam?
• As pessoas que vivem no campo trabalham princi-
palmente na agricultura e na pecuária.
¬ão chamadas de campo½eses. ¯o’mam a
co¼unidade rural.
➔ Vilas: pequenos povoados na zona rural. Nela fi-
cam a escola, o posto de saúde, a igreja e alguns
estabelecimentos comerciais.
• Os habitantes do campo são chamados camponeses e
e)
O que é v‰la?
formam a comunidade rural.
É
um pequeno po¥¾˜do o½de fica a escoŒa,
• A vida no campo também é trabalhosa. Os trabalha-
dores acordam muito cedo e saem para cuidar das
plantações e dos animais.
o po“to de saúde, a igreja e algumas
casas co¼erciais.
• Os moradores da área rural costumam ir às cidades
para fazer compras, divertir-se ou fazer tratamento de
saúde.
f)
C¾¼o é a v‰da na área rural?
É
trab˜lho“a. «s trab˜lhado’es aco’dam
25. Respo½da:
muito cedo e saem para cuidar das
plantaçõƒs e do“ animais.
a) O que é área rural?
É o campo.
b) O que enco½tramo“ na área rural?
g)
Nela há sítio“, chácaras e fazendas.
Po’ que o“ mo’ado’es da área ru-
ral vœo às cidades?
c) E¼
que
pesso{s que v‰vƒm na área rural?
co“tumam trab{lhar as
Para fazer co¼pras, pro}urar divƒrsão e
tratar da saúde.
EŒas trab˜lham na agricultura e na
pecuária.
60

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

60
60

14/12/12

tratar da saúde. EŒas trab˜lham na agricultura e na pecuária. 60 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 60 14/12/12 19:31
tratar da saúde. EŒas trab˜lham na agricultura e na pecuária. 60 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 60 14/12/12 19:31

19:31

26. E¼ sua o¿inião, po’ que a área rural 28.Quando um município tem fazendas, é
26. E¼ sua o¿inião, po’ que a área rural
28.Quando
um município tem fazendas,
é impo’tante?
o½de elas se lo}alizam?
Respo“ta pesso{l.
Na área rural.
29. Escre va:
Respo“tas pesso{l.
a) uma v˜ntagem de se mo’ar na área
urb˜na.
27. Escre va
uma frase
s obr e
a
v‰da
b) uma desv˜ntagem de se mo’ar na
área urb˜na.
urb{na e o§tra s o br e a v‰da rural.
Respo“ta pesso{l.
c) uma v˜ntagem de se mo’ar na área
rural.
d)
uma desv˜ntagem de se mo’ar na
área rural.
61

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

61

área rural. d) uma desv˜ntagem de se mo’ar na área rural. 61 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 61 14/12/12 19:31

14/12/12

área rural. d) uma desv˜ntagem de se mo’ar na área rural. 61 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 61 14/12/12 19:31
área rural. d) uma desv˜ntagem de se mo’ar na área rural. 61 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 61 14/12/12 19:31

19:31

BLOCO 4 • Nos municípios existem secretarias de Educação, de Obras, de Saúde, de Abastecimento,
BLOCO 4
• Nos municípios existem secretarias de Educação, de
Obras, de Saúde, de Abastecimento, de Segurança
Pública etc., que são encarregadas de prestar servi-
ços à população.
CONTEÚDOS:
• Administração do município
• Serviços públicos
1. Respo½da:
a) Quem go¥ƒrna o município?
O prefeito, o v‰ce-prefeito e o“ vƒreado’es.
Lembre que:
b) Qual é a função do prefeito?
O município é governado pelo prefeito, pelo vice-
-prefeito e pelos vereadores. Eles são eleitos pelo
povo por meio do voto secreto.
É o respo½sávƒl pela execução das leis.
O
vice-prefeito substitui o prefeito quando este pre-
cisa se afastar do cargo. O prefeito também é auxi-
c) Qual é a função do v‰ce-prefeito?
liado pelos secretários municipais.
Poder Executivo: é representado pelo prefeito, que é
¬ub“tituir o prefeito em caso de afasta-
mento deste.
responsável pela execução das leis.
Poder Legislativo: é exercido pelos vereadores, que
são encarregados de fazer as leis do município e de
fiscalizar o Poder Executivo. Os vereadores compõem
a
Câmara Municipal.
d) ®e que o“ vƒreado’es são encarrega-
do“ e o½de trab˜lham?
Poder Judiciário: não faz parte do poder municipal.
Ele pertence ao governo do Estado e do Distrito Fe-
deral, mas é no município que ele funciona, encarre-
gando-se de fiscalizar o cumprimento das leis.
EŒes são encarregado“ de fazer as leis do
município e de fiscalizar o Po‚er E¦ecutiv¾.
±rab˜lham na C›mara Municipal.
62

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

62

o Po‚er E¦ecutiv¾. ±rab˜lham na C›mara Municipal. 62 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 62 14/12/12 19:31

14/12/12

o Po‚er E¦ecutiv¾. ±rab˜lham na C›mara Municipal. 62 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 62 14/12/12 19:31
o Po‚er E¦ecutiv¾. ±rab˜lham na C›mara Municipal. 62 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 62 14/12/12 19:31

19:31

2.

Ligue co’retamente:

2. Ligue co’retamente: 4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar
2. Ligue co’retamente: 4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar
2. Ligue co’retamente: 4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar
2. Ligue co’retamente: 4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar

4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x:

4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar as leis.
4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar as leis.
4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar as leis.
4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar as leis.
4. Assinale a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar as leis.

Po‚er J§diciário

a afirmativ˜ co’reta co¼ um x: Po‚er J§diciário encarregado de executar as leis. encarregado de fazer

encarregado de executar as leis.

encarregado de fazer as leis. encarregado de fiscalizar o cum- primento das leis.

a) Quem representa o Po‚er E¦ecutiv¾ no município? o juiz de direito

o Po‚er E¦ecutiv¾ no município? o juiz de direito Po‚er Legislativ¾ Po‚er E¦ecutiv¾ x o juiz

Po‚er Legislativ¾

no município? o juiz de direito Po‚er Legislativ¾ Po‚er E¦ecutiv¾ x o juiz de paz prefeito

Po‚er E¦ecutiv¾

o juiz de direito Po‚er Legislativ¾ Po‚er E¦ecutiv¾ x o juiz de paz prefeito o b)

x

o

juiz de paz

prefeito

o

Legislativ¾ Po‚er E¦ecutiv¾ x o juiz de paz prefeito o b) O Po‚er Legislativ¾ é exercido
Legislativ¾ Po‚er E¦ecutiv¾ x o juiz de paz prefeito o b) O Po‚er Legislativ¾ é exercido

b) O Po‚er Legislativ¾ é exercido pelo“:

prefeito o b) O Po‚er Legislativ¾ é exercido pelo“: 3. C¾¼plete: delegado“ de poŒícia Respo“tas

3. C¾¼plete:

delegado“ de poŒícia

exercido pelo“: 3. C¾¼plete: delegado“ de poŒícia Respo“tas pesso{is. x vƒreado’es a) Mo’o no

Respo“tas pesso{is.

x vƒreado’es

a) Mo’o no município de

pesso{is. x vƒreado’es a) Mo’o no município de secretário“ do prefeito . 5. A quem pertence

secretário“ do prefeito

a) Mo’o no município de secretário“ do prefeito . 5. A quem pertence o Po‚er J§diciário?
a) Mo’o no município de secretário“ do prefeito . 5. A quem pertence o Po‚er J§diciário?
a) Mo’o no município de secretário“ do prefeito . 5. A quem pertence o Po‚er J§diciário?

.

5. A quem pertence o Po‚er J§diciário? «nde ele funcio½a?

EŒe pertence ao go¥ƒrno do E“tado e do Distrito Federal. EŒe funcio½a no município.

e do Distrito Federal. EŒe funcio½a no município. b) O prefeito do meu munícipio chama-se e
e do Distrito Federal. EŒe funcio½a no município. b) O prefeito do meu munícipio chama-se e
e do Distrito Federal. EŒe funcio½a no município. b) O prefeito do meu munícipio chama-se e
e do Distrito Federal. EŒe funcio½a no município. b) O prefeito do meu munícipio chama-se e

b) O prefeito do meu munícipio chama-se

no município. b) O prefeito do meu munícipio chama-se e o v‰ce-prefeito, 6. ¯aça a seguinte

e o v‰ce-prefeito,

O prefeito do meu munícipio chama-se e o v‰ce-prefeito, 6. ¯aça a seguinte entrev‰sta co¼ um
O prefeito do meu munícipio chama-se e o v‰ce-prefeito, 6. ¯aça a seguinte entrev‰sta co¼ um
O prefeito do meu munícipio chama-se e o v‰ce-prefeito, 6. ¯aça a seguinte entrev‰sta co¼ um
O prefeito do meu munícipio chama-se e o v‰ce-prefeito, 6. ¯aça a seguinte entrev‰sta co¼ um

6. ¯aça

a

do meu munícipio chama-se e o v‰ce-prefeito, 6. ¯aça a seguinte entrev‰sta co¼ um . adulto:

seguinte entrev‰sta co¼ um

.

adulto:

Respo“tas pesso{is.

entrev‰sta co¼ um . adulto: Respo“tas pesso{is. a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção?
entrev‰sta co¼ um . adulto: Respo“tas pesso{is. a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção?

a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção?

pesso{is. a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção? 63 14/12/12 19:31 63 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
pesso{is. a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção? 63 14/12/12 19:31 63 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
63
63
pesso{is. a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção? 63 14/12/12 19:31 63 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

14/12/12

pesso{is. a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção? 63 14/12/12 19:31 63 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
pesso{is. a) Qual é a impo’tância de uma elei- ção? 63 14/12/12 19:31 63 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

19:31

63

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

b) O que v¾}ê acha do atual prefeito do município o½de mo’a? Lembre que: •
b) O que v¾}ê acha do atual prefeito
do município o½de mo’a?
Lembre que:
Respo“tas pesso{is.
Os serviços públicos são de responsabilidade dos go-
vernos municipal, estadual e federal.
➔ Os serviços públicos são, entre outros:
– construção de rede de água e esgoto;
– tratamento da água e do esgoto;
c) C‰te uma v˜ntagem da administra-
ção do prefeito de sua cidade.
– limpeza, conservação, calçamento e arborização
de ruas, praças, jardins e locais públicos;
– transporte coletivo;
– construção e conservação de escolas, creches,
museus, bibliotecas, teatros, hospitais, postos
de saúde, prontos-socorros;
– corpo de bombeiros e policiamento de trânsito.
d) C‰te uma desv˜ntagem. J§stifique.
➔ Para manter os serviços públicos, os governos co-
bram impostos e taxas da população.
– taxas: são pagamentos pelos serviços públicos.
e) Quando será a pró¦ima eleição para
prefeito em seu município?
– impostos: são pagamentos sobre os bens (casa,
carro, terreno, empresa etc.) que as pessoas
possuem e sobre os produtos que adquirem.
➔ Alguns serviços públicos (como água, luz e tele-
fone) passaram para empresas particulares, isto é,
foram privatizados.
7. Respo½da:
a) O que são taxas?
¬ão pagamento“ que as pesso˜s fazem ao
go¥ƒrno pelo“ serv‰ço“ púbŒico“ que recebƒm.
64
me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
64
14/12/12
19:31
b) O que são impo“to“? ¬ão pagamento“ o br igató r io s feito“ ao
b) O que são impo“to“?
¬ão pagamento“ o br igató r io s feito“ ao
go¥ƒrno pelo“ bƒns que po“suímo“ e pelo“
9. «b“ervƒ a figura e escrev˜ o no¼e
do“ serv‰ço“ púbŒico“ co’respo½dentes
ao“ número“.
pro‚uto“ que adquirimo“.
1
8
4
5
8. °ndique alguns serv‰ço“ púbŒico“ que o“
6
go¥ƒrno“ devƒm o„erecer à po¿ulação.
C¾½strução de rede de água e esgo”o;
3
tratamento da água e do esgo”o; limpeza,
7
co½serv˜ção, calçamento e arb¾’ização de ruas,
praças, jardins, lo}ais púbŒico“ etc.
2
1. ±ratamento de água
2.
C¾’reio“
3. ±elefo½e púbŒico
4. C¾’po de −o¼bƒiro“
5. Limpeza de ruas
6. Arb¾’ização
7.
PoŒiciamento de trânsito
8. E½ergia elétrica
65

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

65
65

14/12/12

7. PoŒiciamento de trânsito 8. E½ergia elétrica 65 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 65 14/12/12 19:31
7. PoŒiciamento de trânsito 8. E½ergia elétrica 65 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 65 14/12/12 19:31

19:31

BLOCO 5 ➔ Se você estiver olhando de frente para o lado onde o Sol
BLOCO 5
➔ Se você estiver olhando de frente para o lado
onde o Sol “desaparece” – Oeste –, atrás de você
estará o Leste. À sua esquerda estará o Sul e à
sua direita estará o Norte.
CONTEÚDOS:
• Orientação pelo Cruzeiro do Sul
• Orientação
• Os meios de transporte
• O trânsito na zona urbana
➔ O Cruzeiro do Sul é um grupo de estrelas em for-
ma de cruz, cuja ponta inferior indica a direção
Sul.
• Os meios de comunicação
• Observe a ilustração:
Lembre que:
• Necessitamos de orientação para saber onde estamos
ou qual a direção que devemos seguir para chegar a
um certo local.
• Orientação pela bússola
• O Sol (durante o dia), o Cruzeiro do Sul (em noi-
tes estreladas), e a bússola, a qualquer hora, podem
servir para nos orientar.
➔ A bússola é o meio mais
seguro para orientar as
pessoas. Ela tem um pe-
• Orientação pelo Sol
queno ímã em forma de
➔ O Sol “surge” pela manhã de um lado (nascente
ou leste) e se “põe” ao final da tarde, no outro
lado (poente ou oeste).
agulha que aponta sem-
pre para o norte. Pode-
mos localizar as outras
L
direções, porque no seu
➔ Se você estiver olhando de frente para o lado
onde o Sol “nasce” – Leste –, atrás de você es-
tará o Oeste. À sua esquerda estará o Norte e à
sua direita estará o Sul.
mostrador há o desenho
da rosa dos ventos. Os aviões, os barcos e os na-
vios usam a bússola para se orientar.
66
me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
66
14/12/12
19:31
3. Pinte o“ quadradinho“ que indicam as • A rosa dos ventos indica N respo“tas
3. Pinte o“ quadradinho“ que indicam as
• A rosa dos ventos indica
N
respo“tas certas:
os pontos cardeais (norte,
NO
NE
sul, leste, oeste) e tam-
bém os pontos colaterais:
«s po½to“ cardeais são apenas o
O
L
nordeste (NE), sudeste
no’te e
o sul.
(SE), sudoeste (SO) e no-
roeste (NO).
SO
SE
S
A
±erra recebƒ luz do ¬oŒ.
O
¬oŒ é uma estrela.
1. Po’ que necessitamo“ de o’ientação?
Para sabƒr o½de estamo“ o§ qual a direção
Poƒnte
é
o
lado
¾½de
o
¬oŒ
se
que devƒmo“ seguir para chegar a um certo
põƒ
ao final da tarde.
lo}al.
Po‚emo“ no“ o’ientar, à no‰te, pelo
C’uzeiro do ¬ul.
2. C¾¼plete:
4. E“crev˜ o no¼e do“:
a) O
lado em
que
o
¬oŒ
surge
pela
manhã chama-se
nascente
a) po½to“ cardeais
leste .
no’te, sul, leste e oƒste.
b) O
lado
em
que
o
¬oŒ se
põƒ
ao
b) po½to“ coŒaterais
final
da
tarde
chama-se
poƒnte
no’deste, sudeste, no’oƒste e sudoƒste.
oƒste
.
67

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

67

no’deste, sudeste, no’oƒste e sudoƒste. o§ oƒste . 67 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 67 14/12/12 19:31

14/12/12

no’deste, sudeste, no’oƒste e sudoƒste. o§ oƒste . 67 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 67 14/12/12 19:31
no’deste, sudeste, no’oƒste e sudoƒste. o§ oƒste . 67 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 67 14/12/12 19:31

19:31

5. Qual é o instrumento mais seguro 8. Na ro“a do“ vƒnto“, pinte de uma
5. Qual
é
o
instrumento
mais
seguro
8. Na
ro“a
do“
vƒnto“,
pinte
de
uma
para o’ientar as pesso˜s?
A b¤ssoŒa.
6. Respo½da:
co’ o“ po½to“ cardeais e de o§tra o“
po½to“ coŒaterais. ®epo‰s, escrev˜ no“
lugares certo“ as siglas de cada um
do“ po½to“:
a) O
que é a b¤ssoŒa?
É um instrumento pró¿rio para o’ientação,
co½stituído de um pequeno ímã em fo’ma
de agulha que apo½ta sempre para o no’te.
b) Quais
são
o“
meio“
de
transpo’te
que mais utilizam a b¤ssoŒa?
Av‰õƒs, nav‰o“ e b˜rco“.
7. O que são satélites artificiais?
9. «b“ervƒ
a
ilustração
e
respo½da
às
¬ão aparelho“ co½struído“ pelo ser humano,
que giram em v¾Œta da ±erra, no espaço,
fo’necendo info’maçõƒs para a o’ientação de
aero½avƒs e emb˜rcaçõƒs mo‚ernas.
seguintes perguntas:
68
me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
68
14/12/12
19:31
a) A menina quer ir à escoŒa. Que direção devƒ seguir? 10. Na pró¦ima página,
a)
A
menina
quer
ir
à
escoŒa.
Que
direção devƒ seguir?
10. Na pró¦ima página, desenhe um lago.
C¾½strua uma ro“a do“ vƒnto“ em
¬ul.
cartoŒina e coŒe-a no centro do lago.
«b“ervƒ o“ po½to“ cardeais e coŒaterais
para desenhar:
b) Ao sair da
escoŒa ela v˜i para a
fáb’ica. ¬eguindo na direção sul
ela chegará lá?
N
mo½tanhas
Não.
NE
fáb’icas
c) ®epo‰s
da
fáb’ica,
ela
v˜i
até
a
L
casas
casa. Que direção ela seguirá?
®ireção oƒste.
SE
igreja
S
parque
d) ¬aindo
da
casa,
ela
deseja
seguir
SO
edifício“
até
a
igreja.
¬eguindo
a
direção
no’te ela chega lá?
O
fáb’icas
Não.
NO
rio“
e) Que direção ela precisa seguir para
chegar à igreja?
Direção leste.
69

me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb

69
69

14/12/12

ela precisa seguir para chegar à igreja? Direção leste. 69 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 69 14/12/12 19:31
ela precisa seguir para chegar à igreja? Direção leste. 69 me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb 69 14/12/12 19:31

19:31

Lembre que: • Os meios de transporte servem para levar e trazer pessoas e mercadorias
Lembre que:
• Os meios de transporte servem para levar e trazer
pessoas e mercadorias de um lugar para outro.
• Os transportes podem ser feitos por terra, por ar e
por água.
• Transportes terrestres: realizados por terra em ruas,
avenidas, ferrovias, rodovias, estradas e trilhas. Os
meios de transporte são: o automóvel, o trem, o ca-
minhão, a bicicleta, o metrô, a carroça etc.
• Transportes aéreos: são feitos no espaço aéreo por
aviões e helicópteros. O local onde pousam ou de-
colam os aviões são os aeroportos. Os helicópteros
usam os heliportos.
• Transportes aquáticos: são os realizados em rios
(fluviais), nos lagos (lacustres), nos mares e ocea-
nos (marítimos). Os navios, barcos, canoas, lanchas,
iates e outras embarcações são meios de transpor-
te aquáticos. O local onde essas embarcações param
para a entrada e saída de passageiros e mercadorias
chama-se ancoradouro ou porto.
11. C¾¼plete:
a) «s
meio“
de
transpo’te
são
de
grande impo’tância, po’que lev˜m e
trazem
as
pesso˜s
e
as
mercado’ias
de
um
lugar
para o o§tro.
70
me2013_miolo_cadfuturo_hg4.indb
70
14/12/12
19:31
b) «s meio“ de transpo’te po‚em ser 13. ¬ub“titua o“ có‚igo“ pelas letras e terrestres
b) «s
meio“
de
transpo’te
po‚em
ser
13. ¬ub“titua
o“
có‚igo“
pelas
letras
e
terrestres
,
aéreo“
descub’a o que está escrito:
aquático“
.
c) «s
meio“
de
transpo’te
aquáti-
✩ ✬
co“
po‚em
ser
fluv‰ais
,
A
C
D
E
G
I M
N
O
P
R
S
T
U
lacustres
marítimos
.
12. Pro}ure,
no
diagrama,
o“
seguintes
meio“ de transpo’te:
✯✳ ✬✥✩✯✳ ✤✥ ✴✲✡✭✳✰✯✲✴✥ ✳✡✯
✤✥ ✧✲✡✭✤✥ ✩✬✰✯✲✴✡✭✣✩✡
✰✡✲✡ ✭✯✳✳✯ ✬✵✭✩✣✩✰✩✯
Mo”o}icleta
Auto¼ó¥ƒl
±rem
Metrô
−icicleta
C˜rroëa
«s meio“ de transpo’te são de grande
impo’tância para no“so município.
Nav‰o
Ônib§s
C˜minhão
m
z
b
i
f
i
v
x
v
c
f
14. Na cidade o½de v¾}ê mo’a existem meio“
o
p
i
e
t
r
e
m
h
a
v
de transpo’te púbŒico? Quais?
t
q
c
x
h
e
n
g
n
r
c