Sunteți pe pagina 1din 15

OTIMIZAÇÃO DE PARÂMETROS CPML NA MODELAGEM DE FDTD

FONTE IMPULSIVA
Branko Gvozdić1, Dušan Đurđević1, Nebojša Raičević, (Julho 2017)

Resumo: A camada convolucional perfeitamente combinada (CPML) é atualmente, talvez, o tipo mais
eficiente de condição limite de absorção na modelagem de campos eletromagnéticos do método do
domínio do tempo de diferenças finitas (FDTD). O objetivo deste artigo é fornecer uma visão mais
detalhada sobre a configuração de parâmetros e o desempenho da absorção de CPML. No caso de
absorção de ondas eletromagnéticas para modelagem de fonte impulsiva de alta frequência, uma escolha
adequada dos parâmetros CPML é substancial. Os resultados numéricos mostram que o coeficiente de
alongamento, afeta tanto a eficiência de absorção quanto a dispersão. Demonstramos que, para eliminar a
dispersão, o coeficiente de alongamento deve ser o menor possível. Além disso, os resultados mostraram
que um pulso gaussiano diferenciado é uma escolha melhor do que um pulso gaussiano regular em
simulações de FDTD.
Palavras-chaves: Domínio do tempo de diferenças finitas, FDTD, Camada perfeitamente combinada,
PML, PML convolucional, Parâmetros CPML.

1. INTRODUÇÃO

Um dos métodos numéricos mais populares em eletromagnetismo


computacional (CEM) é o método do domínio de tempo de diferenças finitas (FDTD).
O método FDTD é comumente usado para simulação de propagação de ondas
eletromagnéticas e interação com estruturas complexas e pouco homogêneas. As
simulações computacionais de FDTD são frequentemente utilizadas para simular a
propagação de radiação de antena no campo eletromagnético, para calcular a seção
transversal do radar e no projeto de microondas e fotônica.
As condições de contorno de absorção (ABC) são implementadas nos limites do
domínio computacional para simular o espaço infinito em simulações de FDTD. A
camada perfeitamente combinada (PML) [1] é um dos ABCs mais eficientes. PMLs são
usados na absorção de ondas eletromagnéticas de polarização arbitrária, o ângulo de
incidência e frequência. É baseado na divisão de campo não físico das equações de
Maxwell e é aplicável em domínios homogêneos, não homogêneos, lineares, não-
lineares, dispersivos e anisotrópicos. A PML uniaxial (UPML) [2] tem a mesma
eficiência que a PML de campo dividido [3,4]. A formulação de coordenadas esticadas
(SC) da equação de Maxwell ampliou o uso do PML em outros sistemas de coordenadas
ortogonais [5, 6] e em sistemas de coordenadas curvilíneas gerais [7,8]. O uso de
coeficientes de tensor de deslocamento de frequência complexo (CFS) para parâmetros
de PML em [9, 10] ganhou a causalidade de PML. Implementação muito eficaz de PML
baseada em SC, CFS e técnica de convolução recursiva [11] é derivada em [12]. A PML
convolucional (CPML) [12] é totalmente independente do meio hospedeiro e sem a
necessidade de modificações quando aplicada em meios não homogêneos, sem perdas,
com perdas, dispersivos, não-lineares e anisotrópicos. CPMLs aprimorados são
derivados recentemente em [13, 14]. Embora numerosos trabalhos mostrem que CPML
é eficiente, há um espaço para melhoria no caso de problemas eletromagnéticos
específicos. Pesquisas baseadas na frequência de absorção dominante são muito comuns
[14,15], no entanto, pesquisas sobre otimização de parametrização estão apenas
começando [16].
O método FDTD reconhece, em geral, diferentes tipos de fontes
eletromagnéticas. A seleção da fonte é baseada em múltiplos fatores: dimensão do
domínio FDTD (1D, 2D, espaço 3D), geometria do domínio computacional (guia de
onda, fibra ótica, etc.), estrutura física do domínio computacional (espaço livre, meio
espaço, etc.) . O mais comum é o uso de fontes de pulso com função de base gaussiana e
sinusoidal. As fontes de pulso do campo eletromagnético são caracterizadas com
propagação em todas as direções do domínio computacional e geração de uma ampla
faixa de frequências. Numerosos problemas eletromagnéticos práticos podem ser
resolvidos usando a propagação de ondas eletromagnéticas geradas a partir de uma fonte
de impulso.
Em nosso artigo recente [17], as vantagens de CPML sobre UPML são
investigadas. Demonstramos que CPML é uma escolha melhor em termos de
implementação no método FDTD, absorção de ondas eletromagnéticas e uso de recursos
computacionais.
Neste artigo, nos concentramos principalmente na melhoria da absorção de
ondas eletromagnéticas CPML usando a otimização de parâmetros CPML. A influência
de diferentes configurações de parâmetros CPML na absorção de ondas
eletromagnéticas em modelagem de fontes impulsivas de alta frequência é investigada
com um grande número de experimentos numéricos. Primeiramente, o uso de duas
fontes de pulso diferentes no método FDTD é examinado e proposta sobre a escolha da
fonte é dada. Subsequentemente, uma simulação FDTD 3D de um pulso gaussiano
diferenciado propagando-se no espaço livre é usada para a comparação de absorção de
cinco configurações de parâmetros diferentes. Além disso, o erro relativo do campo
elétrico é calculado para todos os tipos de PML.
A comparação da utilização de fontes em FDTD, nomeadamente de um pulso
Gaussiano diferenciado e um pulso Gaussiano regular, é dada na Secção 2. Os
resultados numéricos indicam claramente a vantagem do pulso Gaussiano diferenciado.
A teoria básica e implementação de CPML no método FDTD é mostrada na Seção 3. Os
resultados numéricos e discussão apresentados na Seção 4 sugerem os critérios para a
estratégia ideal de definição de parâmetros CPML.

2. FONTES IMPULSIVAS
O método FDTD permite a modelagem de vários problemas de propagação
eletromagnética, onde a ampla gama de frequências é incluída, usando apenas uma
única simulação. Portanto, é geralmente adequado usar fontes impulsivas que podem
introduzir um amplo espectro de frequências em vez de fontes harmônicas. O pulso
gaussiano é uma fonte potencialmente conveniente e é frequentemente usado nesse
método. No domínio do tempo, o pulso gaussiano é expresso como:

onde t é o tempo, d é um tempo de atraso e w é a metade da largura do pulso Gaussiano.


Além de suas vantagens, o pulso gaussiano contém componentes DC (corrente
contínua), indesejados na modelagem FDTD. Reflexões numéricas e campos não físicos
são visíveis no domínio computacional com fontes contendo componentes DC [18]. A
forma do pulso Gaussiano no domínio do tempo e da frequência, com d = 0 e w = 10, é
apresentada na Fig. 1.

Figura 1: Pulso Gaussiano em: a) domínio do tempo; b) domínio de frequência.


Além do pulso gaussiano original, sua primeira derivada no tempo:

é comumente usado em simulações de FDTD, porque não contém um componente DC


[19]. A representação do domínio do tempo e da frequência do pulso gaussiano
diferenciado, com os mesmos parâmetros de um pulso gaussiano regular, é mostrada na
figura 2.

Figura 2: Pulso gaussiano diferenciado em: a) domínio do tempo; b) domínio de frequência.

Na Fig. 3 é apresentada a distribuição do campo Ex de um pulso gaussiano e de


um pulso Gaussiano diferenciado propagando-se no espaço livre. A dimensão do
domínio computacional é de 100 x 80 x 100 células espaciais e o campo elétrico é
apresentado no plano xy no 50º passo de tempo. Na Fig. 3(a), pode-se ver claramente
que o pulso gaussiano tem um componente DC artificial localizado no centro do
domínio computacional da grade FDTD. Esses componentes são campos não físicos que
contribuem para a análise imprecisa de dados numéricos. Caso contrário, na Fig 3(b), na
simulação de pulso gaussiano diferenciado, não há componente DC no centro da grade.
Portanto, sugere-se o uso de um pulso Gaussiano diferenciado na modelagem
eletromagnética de fontes de pulso no método FDTD. Em todos os experimentos
numéricos deste trabalho, um pulso Gaussiano diferenciado é usado como fonte.
Figura 3: Distribuição do campo Ex de: a) pulso gaussiano; b) pulso gaussiano diferenciado.

3. IMPLEMENTAÇÃO DA CPML EM FDTD

Teoricamente, todas as condições limites de absorção de PML são baseadas em


uma formulação SC da equação de Maxwell, com o objetivo principal de absorver
ondas eletromagnéticas. O CPML [12] é derivado com base na PML de campo parcial
bem estabelecida da Berenger [1] e na forma de não-disposição proposta em [2]
(chamada UPML). O CPML é baseado em deslocamento de frequência complexo (CFS)
[9]. Mais precisamente, o deslocamento do pólo de su (SC) para a metade superior do
plano complexo permitiu o mapeamento da equação de Maxwell no espaço de
coordenadas complexas com os parâmetros PML descritos como [9]:

Onde k ≥ 1 é o coeficiente de alongamento, σ ≥ 0 é a média da condutividade, α ≥ 0 é é


um parâmetro de deslocamento de frequência complexo e ε0 é a permissividade.
Coordenadas esticadas na forma complexa da lei de Ampere no espaço livre são:

e depois da conversão do domínio do tempo:

onde “*”representa a convolução como consequência da dependência de frequência das


métricas e 𝑆𝑢 é a transformada inversa de Laplace de 𝑆𝑢 -1.
A transformada de Fourier do 𝑆𝑢 é necessária, a fim de derivar CPML no
domínio do tempo, portanto:

onde δ(t) é a função impulso unitário e h(t) é a função degrau unitário.


A implementação da transformada 𝑆𝑢 (6) em (3) produz pares de convolução no
lado direito da equação. O uso da técnica de convolução recursiva (RC) [11] evita o uso
de uma enorme quantidade de recursos computacionais durante a implementação no
domínio do tempo. A resposta de impulso discreta de pares de convolução e relação de
convolução recursiva dá a expressão:

Com

Em (8) os coeficientes são diferentes de zero apenas na região PML e calculados


com os parâmetros σu, αu e ku (n = i, j, k; u = x, y, z). Ao implementar esta forma de
Ψu,v(n) é alcançada uma boa eficiência de tempo de marcha no algoritmo FDTD. Assim,
a discretização de tempo e espaço da FDTD da lei de Ampere com CPML produz uma
atualização explícita de Ex expressa como:

Em (9) ΨEx,y, ΨEx,z são coeficientes PML definidos apenas na região PML.
Expressões semelhantes são derivadas para as cinco componentes de campo restantes
(Ey, Ez, Hx, Hy e Hz) para domínio 3D no FDTD, com a substituição adequada de (i, j,
k) e (x, y, z).
Nem uma PML de campo dividido nem uma PML SC representam um meio
físico. Foi demonstrado que PML e UPML possuem as mesmas propriedades de
reflexão [3, 4], causando grandes reflexões em baixas frequências [4-6].
A eficiência da CPML depende principalmente da escolha adequada dos
parâmetros. Estes parâmetros cruciais em todas as condições de limite de absorção de
PML estão resumidos na Tabela 1.

Tabela 1: Principais parâmetros que afetam a absorção de PML.

Parâmetros
Significado Efeito na PML
de síntese

k coeficiente de alongamento Deformando o espaço para atenuar


a energia do EM
σ condutividade Transformar a energia EM em
energia térmica
parâmetro de deslocamento de determinar a absorção
α característica
frequência complexo
frequência, suprimir a dispersão

Os parâmetros da Tabela 1 podem ser classificados espacialmente de maneiras


diferentes, mas os dois mais bem-sucedidos são a graduação polinomial e classificação
geométrica. Neste trabalho, a classificação polinomial é usada. Os parâmetros PML são
dimensionados da seguinte forma [12]:

onde n é a profundidade de perda da PML, m é a espessura da PML, r é a potência


exponencial e ra é a ordem de escala. Condutividade σu é escalada para ser 0 na camada
mais interna de PML (n = 0) e σu,max no limite externo da PML (n = m). O coeficiente de
estiramento ku é 1 na superfície interna de PML e ku,max na camada mais externa de
PML. O parâmetro de deslocamento de frequência complexa αu tem um máximo na
camada mais interna de PML, diminuindo assim o erro de reflexão dos modos
evanescentes. Dentro da PML, o αu é reduzido ao mínimo para diminuir as baixas
frequências da propagação de ondas [12].
A eficiência da CPML depende fortemente da configuração adequada dos
parâmetros CPML. Se σu,max é muito pequeno, reflexões das camadas externas de
CPML são dominantes, enquanto que para grandes σu,max campos de indução máximos
nas camadas mais internas são inevitáveis [10]. Uma relação ótima para o meio geral de
polinômio graduado σu,max é proposto em [12]:

onde Z0 é a impedância do espaço livre, Δu é o passo espacial na direção u = x, y, z, εr,eff


e μr,eff são permissividade relativa e permeabilidade relativas, respectivamente.
Na prática, a implementação do CPML é um algoritmo mais simples e mais
eficiente de armazenamento que o PML e o UPML [17]. Implementação bastante
simples de UPML nos códigos FDTD existentes, vem com o custo de duplicar os
requisitos de memória através de todo o domínio FDTD. Complexidade da programação
é aumentada pelo uso de loops triplo-aninhados para os campos dentro do domínio
computacional, e com loops individuais em UPML. Armazenados apenas na região
PML do algoritmo FDTD, as variáveis CPML estão resultando em uma melhor
eficiência de memória que a UPML. Além disso, a implementação da CPML permanece
a mesma no caso de meios com perdas, dispersivos, homogêneos e não homogêneos.
Duas variáveis adicionais por componente de campo em todos esses meios são
necessárias no caso de UPML [17].

4. RESULTADOS NUMÉRICOS E DISCUSSÕES


Uma simulação FDTD 3D de propagação de ondas eletromagnéticas no espaço
livre com um pulso gaussiano diferenciado como fonte é usada para analisar a eficiência
de absorção da CPML. Um erro relativo é calculado comparando a absorção de
diferentes PMLs com diferentes configurações de parâmetros.
O algoritmo FDTD explícito é usado e calculado usando os códigos C ++
originais. Os resultados numéricos dos gráficos de campo eletromagnético e de erro
relativo são plotados com o utilitário de gráficos Gnuplot, comandado por linha de
comando.

Análise de dispersão de PMLs com simulação de fonte impulsiva de alta frequência


Numerosos experimentos numéricos usando o algoritmo CPML na simulação de
espaço livre com pulsos de alta frequência são realizados e os resultados são
apresentados nesta seção. Um conjunto de parâmetros CPML é retirado de [12], e
CPML-A e CPML-B servem para investigar a influência de k e α na absorção de ondas
eletromagnéticas de alta frequência geradas a partir da fonte de pulso.
A frequência básica de um pulso gaussiano diferenciado é fbasicϵ (0,3/w), onde w
é a largura base do pulso gaussiano [16]. A energia de pulso tem o máximo para a
frequência f = 0 e mínima para f = 3/w. Para as simulações de campo eletromagnético
da FDTD nesta seção, definimos a largura de pulso w = 30ps, resultando na faixa de
frequência de fbasicϵ (0,100) GHz.
A propagação de um pulso gaussiano diferenciado no espaço livre no domínio
FDTD 3D é simulada em uma rede espacial de 150x150x150, com células quadradas de
1mm e intervalo de tempo de dt = 1,906575ps (0,99 vezes o limite de CFL). A duração
da simulação é de 600 timesteps (1.143945 ns). O pulso gaussiano diferenciado de alta
frequência (2) é colocado no centro do domínio computacional com w = 30ps e d = 4w.
Para fins de comparação, o domínio FDTD 3D é encerrado com PML-s diferentes de
espessura de 10 células: PML, UPML, CPML, CPML-A e CPML-B. O conjunto de
parâmetros PML usados nos experimentos numéricos está listado na Tabela 2.
Dado que todas as configurações de parâmetros compartilham o mesmo domínio
computacional (espaço livre), condutividade (σmax), r=3 e ra=1 [12], as ondas
eletromagnéticas refletidas camadas externas de PMLs aumentarão exponencialmente,
mas a condutividade as suprirá igualmente.
Tabela 2: Conjunto de parâmetros para diferentes tipos de PMLs.

Tipo de PML kmáx σmáx αmáx


PML 1 0,75σopt /
UPML 10 0,75σopt /
CPML 20 0,75σopt 0,2
CPML-A 5 0,75σopt 9x10-4
CPML-B 1 0,75σopt 3x10-4
A Fig. 4 exibe as agregações instantâneas de Ez (a componente z no campo
elétrico do pulso gaussiano diferenciado) combinando 5 grupos de configurações de
parâmetros e 3 momentos. O plano xy dos instantâneos é perpendicular à coordenada z
em um espaço livre. A barra de cores indica os valores de Ez. As configurações dos
parâmetros para PML na Fig. 4(a1-a3) são: kmax = 1, σmax = 0.75σopt; as configurações
de parâmetro para UPML na Fig. 4(b1-b3) são: kmax = 10, σmax = 0.75σopt; as
configurações de parâmetro para CPML na Fig. 4(c1-c3) são: kmax = 20, σmax= 0.75σopt,
αmax = 0.2; as configurações de parâmetro para CPML-A na Fig. 4(d1-d3) são: kmax = 5,
σmax = 0,75σopt, αmax = 9x10-4; as configurações de parâmetro para CPML-B na Fig.
4(e1-e3) são: kmax = 1, σmax = 0,75σopt, αmax = 3x10-4. As configurações dos parâmetros
de PML e UPML mostram o efeito de absorção do pulso de alta frequência com
diferentes kmax e sem influência de αmax. As configurações de parâmetro de CPML,
CPML-A e CPML-B mostram absorção para diferentes kmax e αmax.
A figura 4 (a1-e1) apresenta o momento no tempo (200º intervalo de tempo)
quando o pulso é propagado e as ondas eletromagnéticas começam a interagir com as
camadas internas da PML. Nenhuma reflexão pode ser observada na Fig. 4(a1-e1),
entretanto algumas diferenças na absorção para diferentes PMLs podem ser observadas.
Por exemplo, comparando gráficos de campo em (a1) e (b1) na Fig. 4, fica claro que as
ondas estão mais próximas das camadas externas em (a1), o que indica que a velocidade
de propagação é mais lenta em (b1). Além disso, em (b1), as ondas são absorvidas antes
de atingir as camadas externas, mas há alguma reflexão das camadas internas.
Comparando (c1-e1) na Fig. 4, pode ser visto que em (c1), as ondas também não
alcançaram as camadas externas e a pequena reflexão começou a subir. Para (d1) e (e1),
as ondas são linearmente absorvidas sem atingir as camadas externas. Considerando que
no parâmetro (b1) (UPML) e (c1) (CPML) kmax é 10 e 20, respeitosamente, é razoável
concluir que o aumento de kmax irá diminuir a velocidade de propagação da onda
eletromagnética.
No próximo passo (230º) mostrado na Fig. 4(a2-e2), todas as frentes de onda
alcançaram as camadas externas. Assim, a absorção diferente das frentes de onda agora
pode ser notada. Na Fig. 4(a2-b2), a forma de onda é levemente distorcida, seguindo a
quantidade significativa de dispersão. A menor dispersão pode ser vista na figura 4 (c2).
Além disso, as ondas são absorvidas por CPML-A e CPML-B, na maior parte, na Fig. 4
(d2-e2). Como o parâmetro αmax não está definido em PML e UPML, e em CPML αmax
é igual a 0,2, fica claro que a existência de αmax afeta consideravelmente a absorção de
ondas eletromagnéticas. Considerando que αmax e kmax são muito menores em CPML-A
e CPML-B do que em CPML, a conclusão razoável é que a absorção em PMLs não
depende apenas dos valores do parâmetro e de sua razão.

Figura 4: Efeitos instantâneos de absorção para diferentes tipos de PML. Distribuição do componente de
campo Ez no plano xy. Com todos os outros parâmetros permanecendo constantes, as configurações dos
parâmetros de (a1) a (a3) são PML; (b1) a (b3) é UPML; (c1) para (c3) é CPML; (d1) a (d3) é CPML-A;
(e1) para (e3) é CPML-B. O tempo de (a1) a (e1) é o 200º passo do tempo; (a2) a (e2) é o 230º passo do
tempo; (a3) a (e3) é o 300º passo do tempo.
A figura 4(a3-e3) apresenta a dispersão para diferentes configurações dos
parâmetros PML no 300º passo da simulação. Quando comparamos a Fig. 4 (a3), (b3) e
(c3), podemos ver que a absorção é ruim na Fig. 4 (a3) e (b3). Os resultados de (c3) e
configurações de parâmetro de PML, UPML e CPML, levam à conclusão de que a
influência do parâmetro αmax tem uma contribuição significativa na absorção como no
passo anterior. Por outro lado, na Figura 4 (d3) e (e3), há uma dispersão muito baixa,
embora o parâmetro αmax seja muito menor que em (c3). Portanto, a dispersão está
positivamente correlacionada com o aumento do parâmetro kmax e a absorção tem que
ser controlada com precisão com a escolha do parâmetro αmax. Embora kmax seja maior
em (d3) que em (e3), há uma melhor absorção em (d3). Isso porque o parâmetro αmax é
maior em (d3) do que em (e3), portanto, um αmax maior permite que CPML possua uma
capacidade de absorção mais alta. Da Figura 4 (d3) fica claro que kmax maior faz com
que a velocidade das ondas eletromagnéticas seja menor, de modo que αmax afeta
predominantemente a absorção dos limites da PML artificial.
O erro relativo é calculado para o campo elétrico E no ponto B, a fim de
examinar as características de absorção com diferentes configurações de parâmetros
PML, como mostrado na Fig. 5. O domínio de teste com 40 x 40 x 40 e o domínio de
referência com grade de 400 x 400 x 400 células é usada para cálculo de erro relativo,
definido como:

Em (19), 𝐸|𝑛𝑖,𝑗,𝑘 é o campo elétrico no ponto de prova e no passo de tempo n no


domínio do teste, 𝐸𝑟𝑒𝑓 |𝑛𝑖,𝑗,𝑘 é o campo elétrico no ponto de prova e passo no tempo n no
domínio de referência e 𝐸𝑟𝑒𝑓,𝑚á𝑥 |𝑛𝑖,𝑗,𝑘 é a amplitude máxima do campo de referência no
ponto de sondagem ao longo do intervalo de interesse de tempo. O domínio de
referência é mantido suficientemente grande para evitar a reflexão das paredes do
domínio do FDTD durante 1000 períodos de tempo de interesse. A mesma função de
fonte, uma propagação de um pulso Gaussiano diferenciado em espaço livre é usada,
com w = 30ps, d = 4w, em teste e domínio de referência. Um local de origem idêntico
(centralizado na grade FDTD) é usado para os dois domínios e os pontos de teste estão
na mesma posição em relação à origem. O ponto B (38,20,38) no domínio do teste
corresponde ao ponto B (218,200,218) no domínio de referência.
Figura 5: Teste e referência de ilustração do domínio FDTD usada para o cálculo do erro relativo.

O erro relativo para calcular todos os três componentes do campo E no ponto B,


no caso de PMLs de 10 células, é mostrado na Figura 6. As configurações de parâmetro
para PML, UPML, CPML, CPML-A e CPML-B são da Tabela 2. Os picos de erro no
início, devido ao erro de discretização, podem ser observados na figura 6, que decaem
lentamente após o aumento do tempo. Comparando os gráficos PML e UPML é
perceptível que a UPML fornece alguma redução de erro, como consequência do
aumento do parâmetro kmax. O gráfico CPML mostra uma boa absorção de ondas
eletromagnéticas em comparação com PML e UPML. Embora a absorção seja muito
melhor na CPML, a dispersão tardia (do 760º ao 920º tempo) é uma consequência das
ondas refletidas induzidas pelo aumento do kmax.
Figura 6: Erro relativo para 10 diferentes tipos de PML com diferentes espessuras de célula ao longo do
tempo.

Na Fig. 6, os gráficos CPML-A e CPML-B mostram o mesmo erro devido a


quase as mesmas configurações de parâmetros. A redução de erros é significativamente
maior em comparação com os gráficos PML, UPML e CPML. Não há dispersão tardia
também. Considerando os resultados da Fig. 4 (d3-e3) e os gráficos da Fig. 6, fica claro
que as configurações ótimas dos parâmetros devem estar dentro do alcance dos
parâmetros CPML-A e CPML-B.
No geral, a escolha do kmax é decisiva tanto para a eficiência de absorção quanto
para a dispersão, devido à evidente dependência positiva entre eles. Quando o método
FDTD é usado para modelar propagações de ondas eletromagnéticas na presença de
fontes eletromagnéticas de alta frequência, o inevitável efeito de pele não pode ser
desprezado. Nesses casos, definir a eficiência de absorção da CPML para depender mais
de σ e αmax e ajustar kmax suficientemente pequeno resultará em uma dispersão
desprezível.

5. CONCLUSÃO
Cinco configurações diferentes de parâmetros CPML são usadas na simulação
de FDTD de fonte impulsiva de alta frequência para melhorar os mecanismos de
absorção da CPML. Simulamos a propagação do espaço livre de um pulso Gaussiano
diferenciado no domínio computacional FDTD 3D. A absorção calculada nos levou a
uma configuração ideal de parâmetro CPML em nossa pesquisa. Os resultados indicam
que os maiores valores do coeficiente de alongamento aumentarão tanto a absorção
quanto a dispersão. Entretanto, para supressão completa da dispersão, o coeficiente de
estiramento deve ser mantido igual a 1. Portanto, a absorção deve ser controlada com o
parâmetro de deslocamento de frequência complexo e a condutividade.