Sunteți pe pagina 1din 4

UNIVERSIDADE FEDARAL DA PARAIBA

CENTRO DE TECNOLOGIA

PLANO DE ENSINO

Departamento: DTCC Área: SANEAMENTO


Curso: ENGENHARIA CIVIL Período: ____
Disciplina: TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS Carga Horária: 60 h

1 EMENTA DO PROGRAMA

Qualidade da Água. Processos Gerais de Tratamento. Projeto, Operação e Manutenção de


Estações de Tratamento de Água. Características das Águas Residuárias e Processos Gerais de
Tratamento. Processos Econômicos de Tratamento. Projeto, Operação e Manutenção de
Estações de Tratamento de Esgotos.

2 OBJETIVO (S) GERAL (IS)

Transmitir conhecimentos básicos que permitam aos alunos, analisar, projetar, operar e manter
estações de tratamento de água para sistemas de abastecimento de água públicos e estações de
tratamento de esgotos para sistemas de esgotos sanitários.

3 PROGRAMA POR UNIDADE DIDÁTICA


Sub Carga
Unid Desenvolvimento
Unid Horária

1.0 1.1 Introdução 02


- Apresentação da disciplina
- Conteúdo da matéria a ser abordada
- Critério de avaliação
- Bibliografia
2.0 Qualidade e Impurezas das Águas Naturais 01
2.1 - Características das águas naturais
2.2 - Padrões de potabilidade
2.3 - Resolução CONAMA - Classificação das águas
3.0 Considerações Gerais Sobre Projeto de Tratamento de Água 01
3.1 - Introdução
3.2 - Finalidade do tratamento e principais processos
3.3 - Tratamento mais comuns
3.4 - Classificação das águas para efeito de tratamento
3.5 - Alcance das instalações e programação
3.6 - Disposição e capacidade das instalações
3.7 - Localização das estações de tratamento
4.0 Aeração 01
4.1 - Conceituação, aplicação, dimensionamento

3 PROGRAMA POR UNIDADE DIDÁTICA


Sub Carga
Unid Desenvolvimento
Unid Horária

5.0 Mistura Rápida 01


5.1 - Conceituação, aplicação, dimensionamento
EXERCÍCIOS
EXERCÍCIO ESCOLAR 02
6.0 Floculação 02
6.1 - Conceituação, aplicação, dimensionamento
(Hidráulica e Mecanizada)
7.0 Decantação 02
7.1 - Conceituação, aplicação, dimensionamento
8.0 Filtração 02
8.1 - Conceituação, aplicação, dimensionamento
(Filtro rápido e filtro lento)
9.0 Desinfecção e Fluoretação 02
9.1 - Importância, aplicação e dosagem
10.0 Unidades Complementares 01
10.1 - Projeto da estação de tratamento: laboratório; estocagem de
produtos químicos; salas de dosadores; etc.
11.0 Operação e Manutenção de Estações de Tratamento 01
11.1 - Preparação de dosagem e aplicação de soluções, lavagem de
filtros e outras unidades. Aplicação e manuseio de produtos
químicos. Segurança do trabalho.
VISITA TÉCNICA - CAGEPA/GRAMAME 02
12.0 12.1 Aulas práticas de laboratório: montagem e acompanhamento do 08
desempenho de pequenas experiências sobre tratamento de água
EXERCÍCIOS
EXERCÍCIO ESCOLAR 02
13.0 Vazões e Características dos Esgotos 03
13.1 - Definição. Composição. Conceito de Poluição. Características
físicas, químicas e biológicas dos despejos de esgotos. Importantes
contaminantes. Contribuição per-capita. Relação água/esgoto.
Variação das vazões de esgoto. População equivalente. Medição de
vazão de esgotos. Medição de contaminantes em esgoto. Principais
processos utilizados no tratamento de esgoto doméstico.
14.0 Microbiologia Sanitária 01
14.1 - Intodução. Excretas e riscos para a saúde. Bactérias indicadores
de poluição. Organismos patogênicos. Testes de grupos
coliformes. Sistema de tratamento biológico.
15.0 Níveis, Processos e Sistemas de Tratamento de Esgoto 04
15.1 - Requisitos de qualidade
15.2 - Operações, processos unitários e sistemas de tratamento (fase
líquida)
15.3 - Operações, processos e sistemas de tratamento do lodo (fase
sólida)
15.4 - Análise e seleção do processo de tratamento
EXERCÍCIOS
EXERCÍCIO ESCOLAR 02
16.0 Tratamento Preliminar 01
16.1 - Grade de barra. Caixa de areia
17.0 Tratamento Primário 01
17.1 - Decantadores. Fossa séptica
18.0 Lagoas de Estabilização 04
18.1 - Generalidades. Vantagens e desvantagens. Tipos. Fundamentos
teóricos de projetos. Aspectos construtivos. Aspectos operacionais
19.0 Lagoas Aeradas Mecanicamente 02
19.1 - Generalidades. Tipos. Dimensionamento. Detalhes de construção
VISITA TÉCNICA – Lagoa de Estabilização de Mangabeira 02
20.0 20.1 Determinação de características físico-químicas de esgoto 08
doméstico e acompanhamento de pequenos experimentos de
tratamento de esgoto
21.0 Auto-depuração do curso de água 02
21.1 - Qualidade da água e poluição. Mudança na qualidade da água.
Poluição nos rios. Efeito da diluição. Poluição orgânica. Equação
da curva de depressão do oxigênio. Eutrofização.
EXERCÍCIOS
EXERCÍCIO ESCOLAR 02

4 MÉTODOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM

• Aulas teóricas (explanação oral),


• Aulas práticas,
• Visitas técnicas e relatório,
• Aulas de exercícios.

5 RECURSOS DIDÁTICOS DO ENSINO-APREDIZAGEM (MODOS E MEIOS)

• Quadro verde,
• Giz,
• Retro-projetor com transparências,
• Filmes técnicos.

6 MODOS E MEIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO-APRENDIZAGEM

Avaliação através das seguintes notas:


• Provas (03),
• Relatórios das visitas Técnicas.

7 BIBLIOGRAFIA

1 AZEVEDO NETTO, J. M. de, ‘Técnica de Abastecimento e Tratamento de Água”,


Vol. II. 3ª ed., CETESB/ABES, São Paulo, 1987.
2 MENDONÇA, S. R. et alli, “Curso para Engenheiros e Químicos sobre Lagoas de
Estabilização e Aeradas Mecanicamente”, Caps. 1, 4, 7 e 8, CAGEPA, Campina
Grande, jul/ago. 1981
3 MENDONÇA, S. R. “ Lagoas de Estabilização e Aeradas Mecanicamente: Novos
Conceitos”- Ed. Universitária/UFPB, João Pessoa,1990.
4. MENDONÇA, S. R “ Tópicos Avançados em Sistemas de Esgotos Sanitários”- Associação
Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Rio de Janeiro, 1987, 259p.
3. PNB-592 “Elaboração de Projetos de Sistema de Tratamento de Água para Abastecimento
Público”, ABNT/ABES, Rio de janeiro, 1977.
4. AZEVEDO NETTO, J. M. de & HESS, M. L., “Tratamento de Águas Residuárias”, Separata
da revista DAE, São Paulo, 1970.
7. PNB-570 “Elaboração de Projetos Hidráulicos – Sanitários de Sistemas de Tratamento de
Esgotos Sanitários”, ABNT/ABES, Rio de Janeiro, 1975.
8. HAMMER, M. J. “Sistema de Abastecimento de Água E Esgoto”. Livro Técnico e Científico
Rio de Janeiro, 1979.
9. JORDÃO, E. P. E PESSOA, C. A. “Tratamento de Esgotos Domésticos”, 2ª ed. ABES/BNH,
Rio de Janeiro, 1982.
10.VAN HAANDEL, A.C. e LETTINGA, G. ”Tratamento Anaeróbio de Esgotos – Um Manual
para Região de Clima Quente”. Ed. Epgraf, Campina Grande, 1994.
11. DI BERNARDO, L. “Métodos e Técnicas de Tratamento de Água”. Vol I e II. Associação
Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, Rio de Janeiro, 1993.
12. AZEVEDO NETTO, J. M. de, e BOTELHO, Manuel Henrique Campos, “Manual de
Saneamento de Cidades e Edificações. Ed. Pini. São Paulo, 1991.
13. SPERLING, Marcos Von, “Princípios do Tratamento Biológico de Águas Residuárias” Vol.
I, II e III. Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental/UFMG. BH, 1995.
14. SPERLING, Marcos Von, “Introdução à Qualidade das Águas e ao Tratamento de Esgotos.
Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental/UFMG. Belo Horizonte, 1995.
15. SPERLING, Marcos Von, “Lagoas de Estabilização. Departamento de Engenharia Sanitária
e Ambiental/UFMG. Belo Horizonte, 1996.
16. IMHOFF, K. “ Manual de Tratamento de Águas Residuárias” . Edgard Blucher. São Paulo,
1996, 301p.
17. DACACH, N.G., “ Tratamento Primário de Esgoto”. Ed. Didática e Científica. Rio de
Janeiro, 1991, 106p.
18. JORDÃO, E.P., “Tratamento de Esgotos Domésticos”. Associação Brasileira de
Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, São Paulo, 1995, 681p.
• Revista DAE - São Paulo
• Revista CETESB de Tecnologia – Ambiente - São Paulo
• Revista de Engenharia Sanitária – ABES - Rio de Janeiro

__________________________
PROFESSOR DA DISCIPLINA

DE ACORDO:

__________________________
REPRESENTANTE DA ÁREA

Nos termos dos Parágrafos 4° e 5° do Artigo 4° da


Resolução n° 49/80 - CONSEPE, o presente Plano de Curso foi aprovado pelo Departamento de
Tecnologia da Construção Civil, em sua sessão de ......./....../.......... .

____________________________
CHEFE DO DEPARTAMENTO