Sunteți pe pagina 1din 100

Globalização do Amor Fraterno Em palestra ecumênica, Paiva Netto convida milhares

de jovens para a participação ativa nas soluções de problemas mundiais

Genebra (Suíça): Secretário-Geral da ONU,


Ban Ki-moon, prestigia e parabeniza a LBV

Laura Cardoso Francis Hime


Uma das maiores Décadas de
referências do sucesso do
teatro comemora compositor,
80 anos de vida maestro e cantor

Roberto Cabrini
Ignácio de Loyola
Brandão
Seu Jorge
Valorização
abre o coração
Memórias de um das raízes e revela desafios, experiências e
veterano cronista afro-brasileiras lições dos 30 anos de jornalismo

comportamento social Perigo na web: defendendo o futuro Rompendo o pacto de


internautas que não se desconectam nem para silêncio e unindo esforços no combate à violência
dormir preocupam especialistas sexual contra crianças e adolescentes
Sumário Ao Leitor GLOBALIZAÇÃO DO AMOR FRATERNO Em palestra ecumênica, Paiva Netto convida milhares
de jovens para a participação ativa nas soluções de problemas mundiais

6 Cartas, e-mails e literatura O renomado publicitá- evidência assuntos como os


14 Acontece em São Paulo rio Washington Olivetto Oito Objetivos do Milênio
15 Opinião Esportiva afirmou a esta revista que (ODMs), propostos pelas
uma das descobertas mais Nações Unidas para serem
Genebra (Suíça): Secretário-Geral da ONU,

16 Teatro
Ban Ki-moon, prestigia e parabeniza a LBV

20 Literatura importantes de qualquer alcançados até 2015, e cuja


pessoa é saber para que ser- metade do período para sua
Laura Cardoso Francis Hime
Uma das maiores Décadas de
referências do sucesso do

23 Comportamento Social
teatro comemora compositor,
80 anos de vida maestro e cantor

ve, sua vocação. A definição realização já se foi. As duas


26 Cultura Roberto Cabrini
dada por um dos maiores Ignácio de Loyola Seu Jorge
abre o coração primeiras metas: reduzir em
30 Especial
Brandão Valorização
Memórias de das raízes e revela desafios, experiências e

nomes da nossa propagan- 50% a pobreza extrema e a


um veterano cronista afro-brasileiras lições dos 30 anos de jornalismo

33 Saúde
COMPORTAMENTO SOCIAL Perigo na web: DEFENDENDO O FUTURO Rompendo o pacto de

da cai perfeitamente para fome e a cobertura universal


internautas que não se desconectam nem para silêncio e unindo esforços no combate à violência
dormir preocupam especialistas sexual contra crianças e adolescentes

34 Entrevista na Band alguns dos destaques desta edição, que da Educação básica mereceram en-
40 Nações Unidas cedo identificaram essa virtude nata: o foque na agenda da ONU na reunião
49 Opinião — Mídia jornalista Roberto Cabrini e a atriz Lau- do High-Level Segment 2007, em
52 Samba & História ra Cardoso. O mais interessante é que Genebra/Suíça, e a LBV representou
55 Destaque ambos começaram pela grande escola do a sociedade civil da América Latina na
56 Arte na Tela rádio, ainda adolescentes, por volta dos 16 oportunidade. A Instituição brasileira
58 Acontece no mundo e 17 anos. E nos dois casos a paixão pelo foi muito bem recebida, em particular a
60 Congresso Jovem Ecumênico ofício se manteve pelas décadas, como revista Globalização do Amor Fraterno
69 In memoriam no primeiro dia. (inicialmente editada em português,
70 Opinião — Meio Ambiente Cabrini comemora 30 anos de pro- inglês, francês e esperanto), que traz a
72 Opinião — Economia fissão neste mês de agosto, e Laura, no ecumênica mensagem de Paiva Netto
próximo 13 de setembro, 80 anos de vida, com recomendações de boas práticas
75 Opinião — Política
sendo 60 deles passados no palco. Traje- no cumprimento dos ODMs.
76 Esporte é Vida! tórias vitoriosas, escolas vivas de quem Confira ainda por que cresce o
82 Acontece no Brasil
faz aquilo que ama. Além deles, o leitor número de internautas que não se des-
84 Espírito e Ciência poderá conhecer um pouco da história dos conectam da web nem para dormir, em
88 Lar e Parque da LBV talentosos Seu Jorge e Francis Hime, Comportamento Social, e o que se pode
92 Esperanto músicos em sentido maior e abrangente, fazer para combater a violência sexual
94 Ação Jovem LBV e do jornalista Ignácio de Loyola Bran- contra crianças e adolescentes, na seção
96 Soldadinhos de Deus dão, um ícone da Literatura Brasileira. Especial.
98 Acontece no Rio Reportagens especiais colocam em Boa leitura!

34 15 16 20 26
Entrevista na Coluna de José Teatro Literatura Cultura
Band Carlos Araújo Laura Cardoso Ignácio de Loyola Seu Jorge e
Roberto Cabrini Depois do Pan do Rio, chega aos 80 anos Brandão: Memórias de as raízes afro-
abre o coração Olimpíadas de Pequim plena de vida um cronista brasileiras

4 | BOA VONTADE
BOA VONTADE Reflexão de BOA VONTADE:
ANO 51 • No 219 •julho/agosto/2007

BOA VONTADE é uma publicação das IBVs, editada pela Editora Elevação. Registrada sob “(...) Quando cito a Caridade na Educação,
o nº 18166 no livro “B” do 9º Cartório de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo.
não a vejo de modo tão apenas contemplativo,
Diretor e Editor-responsável
Francisco de Assis Periotto
MTE/DRTE/RJ 19.916 JP
mas com espírito atuante de quem realiza
Coordenador Geral firmado em números, contanto que igualmente
Gerdeilson Botelho
Jornalistas Colaboradores Especiais
iluminados pelo ideal de compaixão. Estatísticas
Carlos Arthur Pitombeira, Hilton Abi-Rihan, José Carlos Araújo
e Mario de Moraes.
sozinhas, desprovidas de sentimento elevado
Equipe Elevação em sua análise e aproveitamento, não
Adriane Schirmer, Angélica Beck, Daiane Emerick, Daniel Trevisan, Danielly Arruda,
Débora Verdan, Felipe Tonin, Flávio de Oliveira, Jaqueline Lemos, João Miguel Neto, impedem a atividade solerte da corrupção
Joílson Nogueira, Juliana Bortolin, Karina Sene, Leila Marco, Leilla Tonin, Lícia
Curvello, Maria Aparecida da Silva, Natália Lombardi, Neuza Alves, Rita Silvestre, e seus correlatos. Empreender a Caridade é
Roberta Assis, Rodrigo Oliveira, Rosana Serri, Simone Barreto, Walter Periotto,
Wanderly Albieri Baptista e William Luz. reeducar as Criaturas. Os Seres Humanos têm
Projeto Gráfico
Helen Winkler de respeitar os Seres Humanos! E isso não se
Fotos de Capa consegue apenas com planos e decretos.”
Roberto Cabrini: Divulgação TV Band/ Ban Ki-moon: Eduarda Pereira/ Laura Cardoso:
Divulgação TV Globo/ Seu Jorge: Daniel Trevisan/ Ignácio de Loyola Brandão: Márcia
Gullo/ Francis Hime: Divulgação Trecho extraído do artigo “Oito Objetivos
do Milênio”, de autoria do jornalista Paiva
Produção
Endereço para correspondência: Netto, publicado na revista Globalização do
Rua Doraci, 90 — Bom Retiro — CEP 01134-050 — São Paulo/SP Amor Fraterno, entregue aos chefes de Esta-
Tel.: (11) 3358-6868 — Caixa Postal 13.833-9 — CEP 01216-970
Internet: www.boavontade.com / E-mail: info@boavontade.com do e demais representações durante o High-
Impressão: Editora Parma Level Segment 2007, da ONU, em Genebra
A revista BOA VONTADE não se responsabiliza por conceitos e opiniões
(Suíça). Confira reportagem sobre o assunto
em seus artigos assinados. na página 40.

40 52 60 70 84
Espírito e Ciência
Nações Unidas Samba & História Congresso Jovem Opinião — Meio
Parcerias globais Décadas de sucesso do Ecumênico Ambiente A ciência e a
compositor Francis Hime Paiva Netto exalta a O paraíso verde possibilidade dos
Cidadania Solidária universos paralelos

BOA VONTADE | 5
Cartas, e-mails e literatura @
Centenário da ABI Nossas câmeras são seus olhos,
As comemorações de 100 anos da
Tribuna da Imprensa
por Fernando Barbosa Lima
Associação Brasileira de Imprensa Texto e foto: Simone Barreto
(ABI) — que se completam em abril
de 2008 — já movimentam toda a O livro Nossas câmeras são seus olhos, do
classe. O renomado Presidente da jornalista Fernando Barbosa Lima, Presidente
Casa do Jornalista, Maurício Azêdo, do Conselho da Associação Brasileira de Impren-
encaminhou missiva ao seu amigo sa (ABI), traz à discussão a importância da TV
José de Paiva Netto, convidando-o, e seu papel de elevar o nível cultural do Povo
e também à Legião da Boa Vontade, brasileiro. A obra, que vem acompanhada de um
para aderir e participar da série de DVD e foi lançada em junho, tem também como
eventos que marcará a data: um de seus pontos altos mostrar a passagem do
“Ilustre Doutor José de Paiva Netto, autor, um ícone intelectual da
“É com especial orgulho que informamos a Vossa televisão brasileira, por essa
Senhoria que esta Associação Brasileira de Imprensa, mídia e as histórias das pessoas
conhecida nacionalmente pela histórica sigla ABI, com quem conviveu, a exem-
vai completar em 7 de abril de 2008 o seu centenário, plo do jornalista Villas-Bôas
acontecimento da maior significação para a comuni- Corrêa, do colunista social
dade jornalística, por expressar a continuidade por Ibrahim Sued, do cineasta
todo um século da mais antiga instituição de imprensa Glauber Rocha, entre outras
do País. personalidades.
“Para festejar com as devidas galas fato tão mar- Fernando foi o criador de
cante de sua existência, a ABI concebeu uma série de mais de cem programas televi-
eventos, alguns dos quais programados para este ano sivos, como Preto no Branco e
de 2007, declarado o Ano Inaugural do Centenário o sempre lembrado Jornal de Fernando Barbosa Lima
desta Casa do Jornalista, e outros para a efetivação Vanguarda. Agora ele conta a
em 2008. Essa programação está sendo organizada experiência na TV e apresenta suas reflexões sobre
por uma Comissão Executiva, sob a chancela de uma o veículo que foi a principal fonte de informação do
Comissão de Honra presidida pelo arquiteto Oscar século XX.
Niemeyer, sócio da ABI desde 1953, quando editava e Durante a noite de autógrafos na capital flumi-
dirigia a revista Módulo, especializada em arquitetura nense, representantes da Legião da Boa Vontade
e questões culturais. levaram o abraço cordial do dirigente da Instituição e
“A ABI se sentirá distinguida e homenageada se o autor pôde relembrar, na ocasião, a antiga amizade
contar com a adesão e a participação dessa renomada que unia Paiva Netto e seu pai, o saudoso Presidente
instituição em programação mencionada (...). da ABI, Barbosa Lima Sobrinho, considerado o
“No ensejo, digno Dr. José de Paiva Netto, apre- decano dos jornalistas. Em um dos exemplares do
sentamos as expressões do nosso elevado apreço e livro, escreveu: “Dr. Paiva Netto, com admiração,
justificada admiração”. um abraço do Fernando”.

Abrind

Dona Canô, a matriarca dos Vellosos, enaltece a BOA VONTADE


o o Co
ração

I
Souza

níc io Leila
mundo do séc ulo
Nizete

Marco

o avi des XX
ão inv lumbra-se : o

A querida Dona Canô, que em setembro celebra um século de vida, teve um pouco dessa tra-
sil ent com
(1873- eir o Sa ado pelo
nto bra tendo
vez alç1932), que s Du mo -
em alg apenas del
fot ogr a vôo com pela prime nt e
ou em uns períod se ausent
de gra afi a col ori o 14 Bis ira ocasiõ os ado
(1862- ças a Au da é rea , a
acomp es esp de sua vid
l
o pessoa

guste lid gens anhava os eciais, qua a


ge com1954), e Lumi a- e sho filhos ndo

jetória de grandes lições contada na última edição da revista BOA VONTADE, a de número 218. A
Arquiv

o
Braqu Picasso Cubismo ère E foi ws. em via
(18 sur- lia, na no velho -
Brasil, e (1882-196 81-197 cid cas
a Eco 3). Aq 3) e Recôn ade de San arão da fam
com nom ui, cav o Ba to Am í-
a da BO
da sup crise caf ia sofre aba no A VO iano, que aro, no
eei com
equaci erproduçã ra, por cau lo dona NTADE se a equipe
o, vista. Canô encont
tervenç onado em o que é sa para

matriarca dos Vellosos elogiou a publicação e destacou aos representantes da LBV, que estiveram
log anos, Prestes a est rou
É nes ão do gov virtude da o ela fez comple a entre-
te erno da fam
maior cenário, brasile in- ília uma
retr
tar 100
que
ia dis
de sete de nós, que tante par iro. ma rca e de aconte ospectiva
dois ram ciment
Viann mbro de 190 nasce, em a a íco a
a compos nes baiano bio gra fia os Foto em fam
Canô, Telles Vel 7, Claudi 16
intérpr itor Caeta s, o can de
Caetano ília.
apelido loso, ono , Beth Em sent
ou don r

com ela no início de agosto, o fato de a reportagem não ter omitido, nem acrescentado, nada além
menin que ete Ma no tor e ânia, ido horá
o
o seu que não sourecebeu de a Seg ria Be Veloso e Dona
Canô rio, os filho
nome. um foi um undo ela, thânia a hoj e Clar s Nici
A cid be pronun
a.
Santo a . e est nha,
e aco lugar esp cidade sem
Irene,
Am ciar ariam
quilôm aro da ade de ori para Rodrigo
lhedor ecial, pre ir à bem , Mab
Pur gem, meu
marid . “Nasci, tranqüilo Em 7 faculdade apreciado
el, Rob
hoje etros de Sal ificação, ”. s
erto,
o dele o
triarca local esc vador, é ain 85
a e a min é daqui, me criei, casa-se comde jan eir “O me
dos Vel olhido fância ha tam a fam o gra o de u ma
pela da Jos

do que disse na entrevista. Na ocasião, a ilustre moradora de Santo Amaro da Purificação/BA Um


, 193 ior org
losos
para ma- 15 ano as lembra bém”. Da ília con nde amor é Telles Vel 1, meus ulho
nça hec da los filhos
Dona
Canô
residir
, Usina s, são as s, dos
7
in-
mum. eu graças vida dela, o, serem é
ma a mim
Vellos , a ma festas Passagem is caras: aos uma “Ele era a amigo em que ain unido
s
tria , , “N pessoa um bom da
os, rev rca dos de dra baile pas que promo a con co- com a hoje,

s
ela com mas e tor ta da maravilho marido, mesm

granédculo de
aos 100 via
o che nhas, comédi il, um retr irm ã, família sa, tom posiç
ão o
anos gar a freq
rapaze as com ato sob mãe, tod ava ocupa que
no Am acredi üentei. s. E desde cunhad a dele,

recebeu ainda a visita de Dona Orquídea de Jesus Monteiro que, ao saber da presença dos
tando mo rin m, pri
or, na
União uma
ma A min os 7 anoci- tos) hos. Foram os, par da
Bethâ ncipa
lment
em De muito ent
us. e na Fé pessoa ravilha, ha infânci s
Lo bem-viv 53 anos es, nia e
Caeta e
bri a
vida l era muito ncávam foi meira go vieram idos”. (jun- Isso é no.

es liçõ
muito uni os, o foi Eu os filh muito
Desse boa até do, foi um par os, a bom!
lidade, períod 15 ano a ano a a família nice (ou pri- geme
r, daqu Se eu
o s”. s, que ), um Nic
dament na época, realça a ado a menin inha chega i a po

Legionários em sua casa, logo afirmou: “Eu colaboro com a LBV!” Dona Canô completou,
qua- seis biológ taram. uco
dona al, em que do ensino Depoi a de 3 todo

es
Ca fun Ma ria ico s: Cla s ma mu ndo. A
de apr nô teve , por exemp - ficou Isabel ra Ma is união
é a me
28 a (ou
| BOA
VON piano. end er fra oportunid lo, casa), conhecida Mabel, ria, do lhor coi
ncê com mund
Havia “Eram pro s e a tocade tan sa
TADE
Rodri a esc
o go, ritora o o.”
zes, umduas escolafessores bon ar dos e Maria Be Roberto, da
Vel
Soares a do Pa s para rap s. recebe losos, rico thânia. E Cae- lhõ

exclamando: “Eu também! É a única que ajudo, porque já visitei e conheço”.


dre o
estudou, onde o Zec Monse a- Irene. ria em seu em amor, Lar hoj es e amigo
nhor ainda e. Tin
E doi , com pad a (seu esp seio
a caç
s,
na cid ham bas como são
s res por oso
Sacram colégios tugues ) Uma ula
nossa
ade,
mas tantes am até
para
Araújo entinas e moças es. entre casa ale cas todos
dentro s
igo
os irm gre e a Dona a”.
ravam . Eram esc de dona Co: a A mã ãos parce e Be Can da
pra faz ola ra ria thâ ô con
er qua s que prepa- em núm e diz que tuíam nia desde ta que Cae
lquer
exame gra ero de , mesmo “Toda o futuro que pequenos o
tan
, mu ndes traves oito, não sendo hor os esp in-
ita ale suras, havia ser artista a eles bri erava.
gri a: ma nca
“E ram s, sim, tista não ’. E eu diz vam: ‘Vo
bri nca lhe é brinqu ia: ‘Se u
- voc retrucavam edo!’” r ar-
ê vai . Ao
ver!”. : “Você vai que

6
ver,

| BOA VONTADE BOA VON


TADE
| 29
Daniel Trevisan
Roberta Assis

Japiassu com a sua simpática esposa, a também jornalista Marcia Rubens Ewald Filho e Nilu Lebert
Lobo, e a assessora de comunicação da LBV, Marta Trigueiro.

Moacir Japiassu lança Culinária e Cinema


Carta a uma paixão definitiva Leilla Tonin
O tema gastronomia é a base do livro O cinema
Marta Trigueiro e Leilla Tonin
vai à mesa — Histórias e Receitas, escrito pelo críti-
O jornalista e escritor Moacir Japiassu lançou co de cinema Rubens Ewald Filho e pela jornalista
recentemente, na capital paulista, o livro Carta a uma Nilu Lebert. O enredo da obra foi elaborado após
paixão definitiva. Tendo o amor como tema central, uma pesquisa que resultou na escolha de 27 filmes,
o trabalho é repleto de crônicas escritas por ele no nos quais, em boa parte do tempo, os personagens
suplemento “Modo de Vida”, do Jornal da Tarde, de encenavam seus papéis à volta de uma mesa, em
São Paulo, entre 1986 e 1989. “Elas refletem os di- almoços, jantares, ou mesmo “beliscando” doces e
versos aspectos da vida contraditória daqueles anos salgados. Para recriar esses pratos, que literalmente
de redemocratização, mas num sentido universal, “enchem os olhos”, os autores solicitaram a colabo-
próprio dos alcançados pelos grandes cronistas. Di- ração de 20 chefs para trazer aos leitores as receitas
vidida em cinco campos temáticos, a obra é para ser das telonas e, com elas, oferecer um pouco mais da
lida com o frescor dos textos contemporâneos, mas cultura de países como a França, o Japão, a Itália e
que também conduzem os leitores a uma divertida o Brasil. Além disso, há comentários sobre todos
viagem por momentos importantes de nossa recente os trabalhos cinematográficos.
história”, afirmou Japiassu. Amigos, parentes, leitores e personalidades
O jornalista falou de sua amizade pelo Diretor- estiveram presentes ao lançamento, oportunidade
Presidente da LBV: “Ele é uma figura exemplar, ma- em que os escritores deixaram as seguintes dedi-
ravilhosa, adoro ele! Se no Brasil tivéssemos alguns catórias:
homens como o Paiva, isso aqui seria diferente”. E “Ao amigo José de Paiva Netto, para unir
ainda dedicou-lhe o novo título, com as seguintes pa- o prazer do cinema com o da boa mesa! Bom
lavras: “Ao consideradíssimo amigo e mestre Irmão apetite! Rubens Ewald Filho”.
Paiva, com aquele abração do Moacir Japiassu”.  “Um grande abraço, Nilu Lebert”.
Mônica Mendes

Ecumênica e humanística da LBV. Isso faz muito bem ao meu muito bem realçados nos
“A leitura da revista BOA VON- Espírito e, como acredito, ao Espírito textos e ilustrações trazi-
TADE, como aliás acontece com de tantos quantos desfrutam da opor- dos à nossa apreciação
muitas outras realizações da LBV, tunidade de ler os artigos, as reporta- como leitores.” (Dr. Cé-
me proporciona sempre instantes de gens, os depoimentos inseridos cada sar Vanucci, jornalista e
encantamento. Habituei-me a ver mês na publicação. Todos os aspectos Secretário Municipal de
projetada nas páginas da publicação a edificantes do trabalho da LBV, em Abastecimento, de Belo
mensagem ecumênica e humanística favor da construção humana, estão Horizonte/MG).

BOA VONTADE | 7
Cartas, e-mails e literatura @
Jornalista
Ricardo Viveiros
emociona-se com o
trabalho da LBV
Roberta Assis

Clayton Ferreira
Cida Linares

O jornalista e escritor carioca


Ricardo Viveiros tem 41 anos
Agnaldo Timóteo: na área de comunicação, com Viveiros lê a revista Globalização do Amor
passagem pelos mais importan- Fraterno.
maravilhosa revista tes jornais, revistas, emissoras
BOA VONTADE de rádio e televisão do Brasil
“Com alegria vejo a edição e do Exterior. Recentemente, Por isso, o rico, o político famo-
no 218 da maravilhosa revista Viveiros recebeu homenagem so e o empresário exitoso são
BOA VONTADE, até porque, do Coral Ecumênico Infantil também grandes beneficiados
além das matérias extraordiná- LBV pelo trabalho que desem- pela Legião da Boa Vontade.
rias envolvendo pessoas muito penha à frente da Oficina de (...) Ao salvar vidas, respeitar os
especiais na minha vida, como Comunicação, fundada por ele direitos, dar qualidade de vida,
Ziraldo e José Carlos Araújo, há 20 anos, prestando assessoria oportunidade ao mal-sucedido,
no seu bojo estão também ma- de imprensa a organizações do ela não só promove a igualdade
térias com Dona Canô e sobre Terceiro Setor. social como tira um problema da
a Afrobras. Evidentemente me Na ocasião, afirmou: “Ou- sociedade, resgatando e prote-
assusta um pouco a velocidade tro dia saiu um assunto (entre gendo-a. Um menino que poderia
com que passou o tempo, afinal, os amigos) sobre a Legião da ser bandido se torna um cidadão
o que é feito hoje por Paiva Netto, Boa Vontade e eu comentei que honesto e cresce bem-sucedido
acompanho desde 1961, através sou uma pessoa cuidada e be- por causa do trabalho da LBV.
da Rádio Mundial, instalada na neficiada pela LBV. As pessoas (...) Tem histórias assim dentro
Av. Rio Branco, onde hoje se acharam isso muito estranho, da Legião, de pessoas que foram
encontra um enorme edifício começaram a se olhar, questio- alunos e hoje são grandes empre-
comercial. nando: ‘Como é isso? Você foi sários e dão emprego, ajudando e
“Lá se vão 46 anos desde que menino carente, estudou lá na promovendo a Paz, o respeito, a
a conheci, e a LBV (...) continua Legião?’ Eu disse que não; sou dignidade, a ética”, destacou.
desempenhando com a mesma uma pessoa de berço, bem-suce- Na próxima edição da BOA
determinação o seu importantís- dida, mas, diariamente, a cada VON­TADE, confira a entrevista
simo projeto social. Parabéns e segundo, sou beneficiado quando completa de Ricardo Viveiros so-
boa sorte!” (Agnaldo Timóteo, ela cuida de uma criança pobre bre sua história de vida e carreira
Vereador e cantor) e a transforma em cidadão. (...) profissional.

Cultura e tradições da Alemanha em evidência


Gostaríamos de expressar a nossa gratidão à Fundação José de Paiva Netto e seus meios de comuni-
cação (Super Rede Boa Vontade de Rádio, Rede Mundial de Televisão e revista BOA VONTADE) pela
divulgação, no programa Arte na Tela, da cultura e das tradições da Alemanha.
(Friedrich Prot von Kunow,
Embaixador da República Federal da Alemanha no Brasil — Brasília/DF)

8 | BOA VONTADE
Fotos: Vinícius Ramão

Dr. Paulo Pimentel discursa durante homenagem que parou a redação do jornal O Estado do Paraná

56o aniversário de O Estado do Paraná


O jornal O Estado do Paraná quadro apresentando as atividades deixou todo mundo feliz. Nós ve-
comemorou, em 17 de julho, 56 realizadas no Centro de Educação mos o fruto do trabalho da LBV:
anos de fundação. O Coral Ecumê­ Infantil da Legião da Boa Vonta- crianças participando de um
nico Infantil LBV foi à redação do de, em Curitiba/PR. Coral tão bonito, transmitindo
periódico e homenageou diretores “É emocionante essas crian- essa alegria para todos nós. É
e equipe, em especial, o Dr. Paulo ças cantando, com emoção, é um trabalho social que não tem
Pimentel, Presidente do Grupo magnífico! O jornal está super- limite, iniciando a condução de
Paulo Pimentel, e o Diretor do feliz pela lembrança. A Legião vida dessas crianças. Parabéns
jornal, sr. Mussa José Assis. Na da Boa Vontade veio aqui nos ao Paiva Netto”, declarou o
ocasião, ambos receberam um dar essa alegria imensa. Por isso jornalista e diretor do jornal O
homenageamos, juntos, o jornal Estado do Paraná.
Aplaudindo a homenagem, da esquerda O Estado do Paraná”, afirmou O Dr. Paulo Pimentel, ao salien-
para a direita, Rosana Serri e Claudemar Pimentel. tar a importância dos colunistas no
Ferreira, da LBV; o Dr. Paulo Pimentel; sr. O gesto dos pequenos cantores jornal nesses 56 anos, destacou a
Mussa José Assis; e Renata Pimentel Sla-
viero, Diretora Administrativa do Grupo.
também foi colocado em relevo coluna assinada pelo dirigente da
pelo sr. Mussa. “A presença do LBV: “A coluna de Paiva Netto
Coral da LBV aqui na redação é muito lida. Eu, principalmente,
do jornal ofereceu um sentido gosto muito. Leio todos os domin-
todo especial para essa festa que gos e aprendo muito. E também
a gente comemora trabalhando. nas entrelinhas ele manda muitas
Entre as mensagens que o jornal mensagens que a gente sente, uma
recebeu de vários locais, esta foi espiritualidade que chega até nós.
a mais bonita, uma mensagem Então, o jornal O Estado do Para-
humana com a presença das ná se engrandece com a coluna de
crianças cantando aqui, o que José de Paiva Netto”.
Liliane Cardoso

Esporte em alta na BOA VONTADE


“Vocês estão de parabéns, não só pela rabéns a todos da Equipe do Lar e Parque
beleza, mas, principalmente, pelas repor- Alziro Zarur (da LBV) pelo entusiasmo e
tagens de excelente qualidade. A matéria coragem que, mais uma vez, surpreende
sobre o Pan-americano ficou muito boa e pela qualidade do trabalho. Um grande
notei que deram espaço para o Esporte abraço.” (Paulão, campeão olímpico
como um todo e é esta esperança que pela Seleção Brasileira de Vôlei em
podemos dar para as nossas crianças. Pa- 1992, via e-mail)
Cartas, e-mails e literatura @
Diário de S. Paulo noticia
time de futsal da LBV
Boas
Roberta Assis receitas
Com o
culinárias
destaque
“Time com
e de vida

Clayton Ferreira
jogadores
de até 17 Leilla Tonin
anos dá
um show”, Lila Covas — Histórias e receitas de uma vida é o resultado
o Diário de S.Paulo pu- interessante de misturar anotações culinárias e o bom relaciona-
blicou, em 7 de agosto, matéria mento em família. A idéia surgiu quando a jornalista Luci Molina
sobre a participação da equipe de começou a reunir material para um livro de culinária tradicional
futsal da Legião da Boa Vontade com dona Lila Covas, viúva do ex-Governador de São Paulo,
nos Jogos da Cidade — Subpre-
Mário Covas. Só que a cada encontro com a jornalista, dona Lila
feitura Casa Verde.
A nota dá ênfase para as habi- ia rememorando para as anotações de suas melhores receitas um
lidades dos alunos do Instituto de momento especial em que aquele prato foi preparado, mostrando
Educação José de Paiva Netto, a presença de uma mulher forte e amável no dia-a-dia de um dos
da LBV, que, apesar de serem mais importantes nomes da política brasileira.
mais novos — a média de idade E mesclando esses ingredientes de emoção e paladar foi surgindo
é inferior a 17 contra os 23 anos a obra, dedicada ao saudoso esposo, que ela chamava carinhosa-
de média do time adversário —, mente de Zuza, e também a todos que queiram uma convivência
conseguiram um bom resultado: mais amorosa e solidária no âmbito familiar. “Na verdade, a
vencer por 4x3, de virada, os Legião da Boa Vontade faz isso e ensina para nós. A LBV já vem
favoritos na competição, Gobbi
ensinando isso há muito tempo”, destaca dona Lila a representantes
Santos.
Na primeira etapa dos Jogos, da Instituição.
em sua fase regional, todos os As autoras ainda deixaram o seguinte recado ao líder da LBV: “Para
times das subprefeituras de São José de Paiva Netto, grande abraço. Luci Molina e Lila Covas”.
Paulo disputam vagas na semi-
final em setembro. A final do
campeonato está marcada para
Estudante de jornalismo
dezembro deste ano.
Os meninos participam de
pauta a BOA VONTADE no 200
Aneliése de Oliveira
atividades do programa Esporte é
Vida! e o professor de Educação A estudante de jornalismo Ma- lista e escritor Paiva Netto intitulado
Física Michel Isse Neto é quem ria Juliana Gomes de Oliveira, “Cuidado, estamos respirando a
acompanha as aulas de futsal, duas da PUC-Campinas, interior de São morte”.
vezes por semana. As equipes são Paulo, ao escrever uma matéria para Em seu texto, a estudante
separadas em três modalidades: a revista on-line Portal Imprensa ressalta a pesquisa que a BOA
futsal masculino, vôlei feminino (www.portalimprensa.uol.com.br) VONTADE realizou sobre o
e atletismo. O objetivo é, além sobre o aquecimento global e as suas alerta da comunidade científica
da preparação física, despertar conseqüências para o mundo todo, do caos que o Planeta Terra está
o prazer pela prática esportiva abordou a reportagem da revista enfrentando com o efeito estufa
e competir nas modalidades de BOA VONTADE, edição 200, que e os graves problemas previstos
forma saudável. traz em destaque o artigo do jorna- para o ano de 2050.

10 | BOA VONTADE
Jonas Rezende: Revista Globalização do
Revista atraente e Amor Fraterno, da LBV, Globalizaç
ão
de forte conteúdo com destaque internacional do Am
Fraternoor
Publicação

Rodrigo Oliveira
especial da
57- anos par ticipante
s do High-Lev
Legião da
el Segmen
Boa Vontade
t 2007, do
dirigida aos
PALA IS DES
NATI ONS Ecosoc (ON
• GENE BRA

U).
SUÍÇ A •
DE 2 A 5
DE JULH O

A mensagem ecumê- tante sobre as iniciativas da

João Periotto
nica da Globalização do Instituição.
Amor Fraterno (disponí-
vel em português, fran- Leitores brasileiros
cês, inglês e esperanto), também destacam a
entregue pela Legião da Diane Williams publicação
Boa Vontade a chefes De São Paulo/SP, a lei-
de Estado e demais delegações tora Joanice Barbosa Parmegiani
Arquivo pessoal

presentes no High-Level Segment escreve: “Ao trabalhar em coo-


2007, na sede da ONU, em Gene- peração com a Organização das
bra (Suíça), de 2 a 5 de julho, tem Nações Unidas (ONU), a Legião
ganhado destaque e repercussão da Boa Vontade estende sua força
O respeitável Pastor e es-
internacional. Exemplo disso de Solidariedade para o Planeta
critor Jonas Rezende, que se
é o que narra Diane Williams, e, certamente, não temos nenhuma
recupera de uma cirurgia na
Presidente Emérita do Comitê de dúvida disso. O exemplo de trabalho
coluna, recebeu os votos de
Espiritualidade, Valores e Interes- de Paiva Netto reverbera e contagia
breve restabelecimento dos
ses Globais nas Nações Unidas, organizações e pessoas pelo mundo
representantes da LBV. Simpá-
em um e-mail encaminhado ao inteiro, pois a chama do Amor bene-
tico como sempre, agradeceu o
representante da LBV na ONU, volente e altruísta da LBV entra nas
carinho e a atenção de todos da
Danilo Parmegiani. mentes e corações, principalmente
Obra, especialmente de seu lí-
Admiradora da Instituição, daqueles que pelo mundo afora bus-
der e velho amigo, Paiva Netto,
ela fala sobre o encontro que teve cam a transformação social com o
ressaltando que aprecia muito
com seu amigo suíço Rudolf desejo de ver o fim das injustiças”.
tudo o que o dirigente da LBV
Schneider, participante do evento Outra leitora, Celina de Freitas
prega, faz e escreve.
internacional em Genebra. Para Ribeiro, do Rio de Janeiro/RJ,
Logo que esteja recupe-
surpresa de Diane, ele citou o recomenda a publicação: “Esse tra-
rado, visitará o Lar da LBV
trabalho da LBV, de que tomou tado do jornalista Paiva Netto está
para Melhor Idade, em Volta
conhecimento na oportunidade, formidável! Destaco um subtítulo:
Redonda/RJ, e comentou: “A
por meio da revista Globalização ‘Educação Básica de Qualidade
revista BOA VONTADE está
do Amor Fraterno (inglês). Em para Todos’, na qual ele ensina com
muito atraente na apresenta-
seu relato, Diane escreve que Espiritualidade Ecumênica, plan-
ção e forte em seu conteúdo”.
Rudolf se mostrou impressiona- tando essa semente nos corações,
Atualmente, Jonas Rezen-
do pelas realizações da Legião para que saibamos o caminho certo
de é Pastor Emérito da Igreja
da Boa Von­tade, e inclusive a seguir. Essa educação ensinada
Cristã de Ipanema/RJ, profes-
apresentou a publicação para por ele é um exemplo para o mundo
sor da Faculdade Brasileira de
Diane, com quem conversou bas- inteiro!”
Ciências Jurídicas (Suesc), na
área de Sociologia, e autor de SAIBA MAIS: Leia a repercussão do High-Level Segment 2007 na página 40 desta
vários livros. edição.

BOA VONTADE | 11
Cartas, e-mails e literatura @
Evento em SP Jornalista e escritor Joel Silveira
debate trabalho morre aos 88 anos no Rio
e objetivo das Faleceu, no dia 14 de agosto, aos 88 anos, o escritor

Divulgação
e jornalista Joel Silveira. Sofria de câncer na próstata
fundações no Brasil e morreu enquanto dormia, em sua casa, no Rio de
Visando à conscientização Janeiro. Segundo sua filha Elisabeth Silveira, 61,
sobre a efetividade da atuação “ele foi em paz, como merecia”.
Um dos mais importantes jornalistas do Brasil,
das fundações e o trabalho que
Silveira foi repórter especial, correspondente de guerra
realizam no âmbito do Terceiro e lançou cerca de 40 livros em mais de 60 anos de
Setor, o 3o Encontro Paulista de carreira. Nascido em 1918, na cidade de Lagarto/SE,
Fundações, promovido pela As- começou a trabalhar em um jornal local. Mudou-se para o Rio aos 19 anos
sociação Paulista de Fundações e atuou em grandes publicações, como O Cruzeiro, Diretrizes, Última Hora,
(APF), apresentará subsídios O Estado de S. Paulo, Correio da Manhã e a revista Manchete.
para orientação, esclarecimento Silveira ganhou da Academia Brasileira de Letras (ABL) o prêmio
de dúvidas e encaminhamento Machado de Assis pelo conjunto de sua obra. Em 2001, concorreu a uma
de sugestões relativas ao tema. O vaga na entidade para a cadeira de Jorge Amado (1912-2001), que morreu
encontro será realizado em 1o de naquele ano. Ganhou também os prêmios Líbero Badaró e Jabuti.
A Legião da Boa Vontade solidariza-se com a família do jornalista Joel
setembro, das 7h30 às 17 horas,
Silveira, dedicando-lhe os mais nobres sentimentos, na certeza de que, como
no Colégio Rio Branco/Fundação ensina Paiva Netto, “os mortos não morrem”.
de Rotarianos de São Paulo (Av.
Higienópolis, 996 – 3o andar). O
tema central será “A efetividade
Newton Rossi, o poeta que amou Brasília
da atuação das Fundações”. O poeta e jornalista Newton Egydio Rossi
Fernando Franco

Nos últimos dois anos, o (1926-2007) faleceu, no último 26 de agosto, em


evento discutiu a conceituação Brasília/DF, a terra que este mineiro de Ouro Fino
dessas instituições, atividades escolheu para viver desde que chegou nela, em
a que se dedicam e proble- 1o de janeiro de 1960, vindo a convite do então
Presidente da República, Juscelino Kubitschek,
mas que enfrentam, além de
do qual se tornou amigo quando residia em Belo
conscientizá-las a respeito do Horizonte.
verdadeiro papel que exer- Lá, no coração do Brasil, este amigo de longa
cem. Trata-se de uma ótima data da Legião da Boa Vontade e de seu dirigente
ocasião para fortalecer suas escreveu livros e prosas, alguns com tamanha
representatividades diante dos afinidade com os ideais da Instituição, a exemplo
poderes públicos, sociedade e da Oração dos que não sabem rezar, traduzida para mais de dez idiomas,
meios de comunicação. Nesta que Paiva Netto, com a gentil anuência do autor, publicou em seu livro Ao
3a edição, a abertura ficará por Coração de Deus — Coletânea Ecumênica de Orações. Rossi também era
conta da presidente da Asso- Conselheiro da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica, láurea do
ciação Paulista de Fundações ParlaMundi da LBV que agracia pessoas e instituições que se destacam
pela Solidariedade.
e da Confederação Brasileira
A Editora Elevação o homenageará levando o livro Trovas escolhidas,
de Fundações, Dora Sílvia que o poeta lançou por ela, para a 26a Feira do Livro de Brasília, que se
Cunha Bueno, e do Curador realiza de 31 de agosto a 9 de setembro próximo. Ao Espírito eterno de
de Fundações de São Paulo, Newton Rossi as melhores vibrações de Paz e Amor da LBV e de todos
Dr. Airton Grazzioli. os Legionários da Boa Vontade. Sentimentos esses extensivos a todos os
Inscrição e outras informa- seus queridos familiares — especialmente aos filhos Márcia, Wagner
ções pelo tel.: (11) 3675-5444. e Gleno e à esposa, Ninon Teixeira Rossi.

12 | BOA VONTADE
Para Secretária de Cultura do RS,
BOA VONTADE multiplica saberes
U
ma das leitoras assíduas

Clayton Ferreira
da BOA VONTADE, a
jornalista Mônica Leal,
Secretária Estadual de
Cultura do Rio Grande do Sul,
assim se expressou a respeito da
revista: “(...) Tenho uma admira-
ção muito grande pelo trabalho de
vocês, e, como jornalista, sempre
que leio esse veículo (revista BOA
VONTADE), tenho olhos muito
críticos, porque a gente tem essa
formação. Analiso o projeto gráfico,
o editorial e a variedade de maté-
rias. Realmente, vocês estão de
parabéns, pois alcançam des-
de o cidadão comum, a dona
de casa, ao profissional que
Lucian Fagundes

tem mestrado, doutorado, Mônica Leal participa de atividades lúdicas na


principalmente pela forma Escola da LBV em São Paulo (acima). No Sul, é
recebida pelos integrantes do grupo Raízes do Rio
simples e objetiva com que Grande, da LBV.
os temas são apresentados,
porque o cidadão pode não
entender de um determinado complexo Legião da Boa Vontade. Quero dei-
assunto, mas se é colocado com cultural, eu xar o meu abraço carinhoso a Paiva
clareza, ele não só passa a entender não consegui- Netto. Foi a melhor coisa que fiz nos
como se torna multiplicador daque- ria. O trabalho de profissionais vol- últimos tempos na minha caminha-
la idéia, que defende e divulga. Isso tados única e exclusivamente para da política. Ver coisas boas, o lado
é muito importante na comunica- formar o Ser Humano em um todo positivo, é saber que podemos ter
ção, é o objetivo final. (...) Como é algo que anima, é nossa respon- cidadãos por completo”, finaliza.
vereadora, sempre tive o prazer de sabilidade. Quanto mais próximas Algum tempo depois, no dia 10
receber a BOA VONTADE e era a as crianças e jovens estiverem da de agosto, Mônica conheceu ainda o
que ficava na minha mesa. Passava Cultura, da Educação, desse cui- Centro Comunitário e Educacional
dias lendo, porque são assuntos dado com a família, mais distantes da capital gaúcha e o Lar e Parque
profundos, tão bem colocados, que estarão da violência e do aumento Alziro Zarur, localizado na cidade
não podemos, de maneira alguma, da criminalidade”. de Glorinha/RS, quando foi presen-
apenas folhear”. A titular da pasta da Cultura teada com um distintivo da LBV.
Mônica também acompanha as concluiu o raciocínio incentivando “É como ser um soldado da Solida-
atividades da LBV de perto e, no outros a conhecerem também as riedade da Legião da Boa Vontade,
início de julho, visitou o Instituto ações da LBV: “Saio daqui gratifi- um agente multiplicador, porque é
de Educação da Obra, na capital cada, valeu a pena ter vindo a São possível fazer, está aqui o modelo.
paulista. Àquela altura comentou: Paulo. Vocês ganharam, não só (...) Nós vivemos hoje em dia uma
“Por mais que tentasse em pala- uma torcedora, mas uma voluntária carência de liderança, e Paiva Netto
vras exteriorizar o que senti nesse nessa causa maravilhosa que é a é um líder positivo”, concluiu.

BOA VONTADE | 13
Daniel Trevisan
Acontece em São Paulo

FUTURO DE OURO
A jovem e vitoriosa
delegação de caratê da
escola da LBV, com as 25

Quinze alunos e um
medalhas conquistadas
em torneio em SP.
No alto, ao centro da
foto, o professor Paulo
Tadeu de Souza.

mesmo sonho no Esporte Natália Lombardi

O
Instituto de Educação e pelo equilíbrio da mente e do Caratê Shito-kai e Zenbu-Kai, no
José de Paiva Netto, es- corpo. Seus praticantes dizem que bairro do Ipiranga, em São Paulo/
cola-modelo da Legião esta arte auxilia no autocontrole e SP. O evento, promovido pela Or-
da Boa Vontade (LBV) na contribuição pessoal para har- ganização Zenbu-Kai em parceria
na capital paulista, oferece, duas monização do meio onde vivem. com a Associação Shito-kai, con-
vezes por semana, aulas de caratê Apesar de ser uma luta, os mestres tou com a participação de mais de
aos alunos de 3 a 14 anos. Na sua sempre ponderam e dizem que o 100 atletas. A grande concorrência
maioria, são crianças provenientes objetivo principal é conter e con- não atrapalhou a concentração da
de famílias que não têm renda sufi- trolar o espírito de agressão. garotada da LBV, que levou para
ciente para comprar material esco- No mês de maio, 15 alunos da casa a alegria de ter integrado uma
lar, quanto mais pagar por aulas de escola da LBV foram selecionados grande competição e conquistado
outra modalidade desportiva. para participar no I Torneio CAY de 25 medalhas — sendo sete de
No Conjunto Educacional da ouro, oito de prata e dez de bronze.
Obra (que inclui a Supercreche Graças ao suporte da Nenhum competidor da Instituição
Jesus), a arte marcial japonesa in- deixou o ginásio de mãos vazias.
tegra a grade curricular das turmas Legião da Boa Vontade, Os meninos e meninas do Ins-
da Educação Infantil ao Ensino jovens de todo o Brasil tituto de Educação José de Paiva
Médio, desenvolvendo a pioneira Netto competiram em duas moda-
Campanha LBV — Esporte é Vida, ganham diversas medalhas lidades: kata livre (apresentação
não violência! Atualmente, são dos golpes de defesa e ataque
217 crianças treinando. O caratê nas mais variadas sem a presença do adversário no
ajuda na busca pela disciplina modalidades esportivas. tatame) e luta.

14 | BOA VONTADE
Opinião Esportiva

Depois do
Arquivo pessoal

Pan do Rio,
José Carlos Araújo (comunicador esportivo da
Rádio Globo do Rio de Janeiro/RJ),
especial para a BOA VONTADE.

Olimpíadas de Pequim

A
participação brasileira o Hino Nacional, de vestir o verde- inclusive naqueles em que não
nos Jogos Pan-ameri- e-amarelo e carregar a bandeira do temos tradição.
canos do Rio foi um País para mostrar ao mundo que o Apenas, como frisei, temos
sucesso. Nossos atletas Brasil é uma pátria amada. de ser realistas e antever que, nas
bateram recordes de medalhas e Apesar disso tudo, temos de Olimpíadas de Pequim, as dificul-
mostraram que estão em franca manter os pés no chão e conviver dades serão muito maiores. Estare-
ascensão. Subimos ao pódio em com a realidade. Vamos sonhar, mos competindo com os melhores
esportes nos quais nunca nos des- sim, mas sem deixar que o sonho do mundo todo e não apenas com
tacamos. nos impeça de enxergar o real. os melhores das Américas.
Jamais, em Pan-americanos Não podemos nos iludir — como Não podemos achar que, depois
anteriores, ouvimos o Hino Na- já apregoam alguns — que va- do sucesso no Pan do Rio, esta-
cional ser executado tantas vezes. mos para Pequim para repetir mos prontos para as Olimpíadas
Nunca a bandeira brasileira foi nas Olimpíadas a enxurrada de de Pequim. Nada disso. Temos de
tantas vezes içada ao ponto mais medalhas conquistadas no Rio de nos preparar muito mais, com um
alto, reservado aos vencedores, aos Janeiro/RJ. empenho bem superior ao de agora.
grandes campeões. Jogos Pan-americanos são uma Precisamos, acima de tudo, apoiar
Temos muito a agradecer aos coisa, e Olimpíadas, outra. São com- e dar condições de treinamento
atletas por todo o empenho, pela petições diferentes em suas abran- adequado aos nossos atletas.
garra fantástica com que se en- gências. Nas Olimpíadas, vamos Não basta cobrar deles meda-
tregaram às competições, pelas enfrentar atletas do mundo inteiro, lhas e mais medalhas. Primeiro,
alegrias que nos proporcionaram enquanto o Pan é uma competição precisamos dar estrutura. Porque
a cada vitória, a cada pódio. Cada restrita ao continente americano. eles já mostraram do que são ca-
vez que um deles recebia uma me- Não que isso desmereça as me- pazes. Se tiverem apoio de todos,
dalha era como se cada brasileiro dalhas brilhantemente arrebatadas especialmente dos governos em
fosse condecorado junto. pelos nossos atletas no Pan do Rio. todos os níveis, Pan-americanos,
Nossos atletas nos encheram de Muito pelo contrário, elas foram Mundiais e Olimpíadas serão
orgulho. Despertaram na população justas e transpareceram a evolução sempre uma rotineira chuva de
a alegria de ser brasileira, de cantar brasileira em todos os esportes, medalhas para o Brasil.

BOA VONTADE | 15
Teatro

Às vésperas de
completar 80 anos,
Laura Cardoso está
cheia de vida e no
auge do talento

Laura
de muitas mídias
16 | BOA VONTADE
“O
Juliana Bortolin e Leilla Tonin
Fotos: Divulgação TV Globo

palco é onde os deu- O fato de não ter sido uma porque ensina a falar, flexionar,
ses me abençoam”, mãe tão presente a fez compensar fazer com que o ouvinte imagine,
diz Laura Cardoso, como avó e, agora, com o mais fantasie”, explica a atriz que, na
uma das maiores re- novo membro da família. “Sou seqüência, faz uma recomenda-
ferências do teatro brasileiro. São bisavó do Fernando, que é ma- ção: “Todo ator deveria passar
mais de 60 anos de profissão, ravilhoso. Sempre falo que ele uma temporada no rádio. Fiz um
nos quais se pode contabilizar é meu último amor. Depois dele, teste na Cosmos, que hoje é Rádio
cerca de 90 trabalhos, entre fil- ninguém.” América, e fui aprovada. No dia
mes, novelas e peças de teatro. seguinte, comecei no radioteatro
Em entrevista exclusiva à BOA Início da carreira ao vivo”.
VONTADE, contou um pouco A brilhante caminhada desta Em 1950, um novo meio de
da sua trajetória vitoriosa. Nas- dama do teatro teve início no comunicação chegava ao Brasil:
cida em 13 de setembro de 1927,
Laura, ou melhor, Laurinda de
Jesus Cardoso Balleroni, desde
tenra idade mostrava um profun- “Posso representar até no meio
do interesse pela arte. “Sempre
gostei de representar. As paixões
da rua, mas faço questão de
que se tem pela música, pelo que o texto seja bom, a direção
teatro ou pela dança já nascem
seja maravilhosa e o elenco seja
com a gente e, em certa época
da vida, cedo, acredito, elas se super. Essas coisas me fazem
manifestam. Desde pequenininha aceitar um personagem ou uma
gostava muito de declamar, de ler
alto para as pessoas ouvirem. Era peça. Sempre me baseei no
uma coisa que me dava prazer e padrão de qualidade e não no de
dá até hoje”, revela.
A atriz também sempre teve quantidade.”
um grande amor pela indepen-
dência: “Leio muito, adoro cine-
ma, sair. Não gosto de casa, de
ficar fechada, presa. Tenho este rádio. Seu nome artístico, Lau- a televisão. À época, diversos
sentimento de liberdade desde ra, surgiu de uma necessidade atores tiveram problemas para se
pequena. Não sou dona de casa, sonora, assim que entrou para adaptar. A mudança, para Laura,
até acho maravilhoso quem é, o meio, pois Laurinda não teria foi mais um estímulo. “Não tive
mas não sou. Prefiro a rua”. bom impacto para os ouvintes. nenhuma dificuldade. Estava na
Laura brinca que, como boa “O nome tem de ter sonoridade e Tupi Difusora de São Paulo, no
intérprete, soube algumas vezes ser simpático a quem ouve. Adoro Sumaré, e passei naturalmente
se valer da aparência frágil: “Às Laurinda, porque foi meu pai do rádio para a TV. Lógico que
vezes dou até uma enganada. Fa- quem colocou, mas, realmente, era uma coisa que você devia
lam: ‘Ah, ela tem uma carinha...’, Laura é mais bonito e forte”, decorar e representar de outra
mas sou de temperamento forte, conta. forma, porque o rádio, o teatro,
mesmo! Um ator tem várias face- Nos anos de 1947 e 1948 seu a televisão, o cinema, todos eles
tas: ele sabe usar, quando precisa, talento é descoberto. “Comecei têm características de represen-
do temperamento forte ao mais em rádio e é uma coisa mara- tação diferentes.”
suave”. vilhosa, uma grande escola, Na década posterior, vários

BOA VONTADE | 17
Teatro

As fotos reve-
lam a versatili-
dade da atriz,
desempenhando
papéis de gente
simples a gran-
des comediantes
e vilãs. Pudera:
são cerca de 90
trabalhos em
mais de 60 anos
de carreira.

atores alçavam sucesso. Caso o que se passa na programação workshops de interpretação com
semelhante ocorreu com Laura diária, pela falta de tempo, e avalia grupos jovens de teatro, com o
Cardoso, que atuou em Imitando a evolução do veículo no País. “As- objetivo de compartilhar, doar
o sol (1964), sob a direção de sisto pouco, quase nada, quando o que viveu em tanto tempo de
Geraldo Vietri, consagrando- posso vejo filmes, documen­tários. trabalho. “Eles sempre buscam a
se também neste meio, no qual A televisão tem coisas boas e experiência de quem dá a aula, o
recebeu, por diversas vezes, o ruins. O propósito dela era um no que a pessoa já passou.”
prêmio de melhor atriz, a exemplo começo, quando chegou ao Brasil; Para a atriz, alguns ainda pro-
do que ocorreu no IV Festival de depois, com o negócio de merchan- curam os cursos da área apenas em
Cinema do Recife, no IV Festival dising, do comercial, dinheiro, ela busca de uma vitrine; para esses, faz
de Cinema Brasileiro de Miami se modificou, tirou um pouco da séria advertência: “Representação
(IV Brazilian Film Festival of qualidade.” é uma coisa, ser ator é outra, é de-
Miami), no Festival de Cuiabá ou dicação, estudo, sacrifício, burilar
quando foi indicada pela APCA Compartilhando o talento. Hoje em dia há muita
— Associação dos Críticos de experiências facilidade de ir para a TV. Sempre
Arte (2000). Prestes a completar 80 anos, digo que, quem realmente tem valor,
Apesar da estreita ligação com mas com o espírito juvenil, Lau- fica 20, 30, 40, 50 anos na profissão.
a TV, ela admite não acompanhar ra desenvolve atualmente vários Agora, quem vai só para vitrine,

18 | BOA VONTADE
Sonhos e lições
frases “O jovem vem com as idéias dele, com seus sonhos, ilusões, e a gente vai com a expe-
riência, com as lições que temos. Nós acabamos aprendendo com eles e acredito que
também aprendem alguma coisa com quem está do lado de cá.”

Religiosidade
“Acredito em Deus, rezo todos os dias e agradeço a Ele por estar viva, por ver o sol,
ver a lua, enfim, creio nessa força maior que a gente chama de Deus.”

Conselho
“Desejo aos jovens, que estão começando a vida em qualquer profissão, que tenham
Paz, Fé, pratiquem o Bem e caminhem sempre para um lado mais claro. Que se afastem
das coisas escuras, obscuras, do que é ruim. Amem sua família, seus pais, seus filhos,
seus netos, enfim, que o Ser Humano ame o Ser Humano.”

permanece um ano, dois e depois A maturidade ensinou Laura seja maravilhosa e o elenco seja
todo mundo esquece, ninguém sabe a selecionar com cuidado suas super. Essas coisas me fazem
mais quem é. Dá um imenso prazer, participações: “Sou meio elitista, aceitar um personagem ou uma
mas construir algo que tenha credi- chata. Posso representar até no peça. Sempre me baseei no pa-
bilidade, um personagem que seja meio da rua, mas faço questão de drão de qualidade e não no de
de verdade, dá muito trabalho”. que o texto seja bom, a direção quantidade”.
Literatura

Memórias
de um cronista
Roberta Assis

E
m fevereiro de 2007, a em sua residência duas alunas do
convite da Confederação Instituto de Educação da Legião
Israelita do Brasil e da Em- da Boa Von­tade, na capital pau-
baixada de Israel no Brasil, lista, em nome dos mais de 1.200
doze escritores brasileiros viajaram alunos do Centro Educacional.
juntos para participar da 23ª Feira As meninas entregaram a ele um
Internacional do Livro, em Jerusa- buquê e um cartão confeccionado
lém/Israel. Uma forma de levar a pelas próprias crianças da escola,
nossa cultura e, ao mesmo tempo, para saudar seu 71º aniversário.
promover um maior intercâmbio Comovido com o gesto, comen-
entre os dois países. tou: “Homenagens como essa, a
Este encontro rendeu muitos gente nunca esquece... E é a pri-
frutos e fatos significativos para seus meira do dia, muito obrigado”.
participantes, a exemplo do jornalista Na oportunidade, represen-
e escritor Ignácio de Loyola Bran- tantes da LBV também deixaram
dão, que conta como se enterneceu com o escritor a revista Glo-
ao conhecer os ambientes por onde balização do Amor Fraterno,
Jesus passou. “A maior sensação publicação oficial da Instituição
que eu tive, uma espécie de reen- durante o High-Level Segment
contro comigo mesmo. De repente 2007, evento realizado no escri-
estava em Jerusalém e me voltaram tório da ONU em Genebra (Leia
à memória toda a minha infância, reportagem na p. 40).
minha casa e raiz”, relembra. As memórias deste cronista,
Durante o bate-papo com a como gosta de ser chamado, é o que
reportagem da BOA VONTADE, segue no bate-papo abaixo.
ele falou também de sua trajetória
literária (com 31 livros publicados BOA VONTADE — Como define a
desde 1965), dos planos para o viagem feita a Israel com outros
futuro e a forma curiosa como foi escritores brasileiros?
Anotações de Ignácio levado a se candidatar à cadeira Ignácio — Esta foi a minha
número 37 da Academia Paulista de quarta viagem a Israel; cada vez que
de Loyola Brandão Letras (APL). você vai lá é um novo país. A maior
Pouco tempo depois desta en- sensação que eu tive, uma espécie
sobre a própria vida
Márcia Gullo

trevista, no dia 31 de julho, Loyo- de reencontro comigo mesmo.


la recebeu com muita simpatia E por quê? Porque nasci e cresci

20 | BOA VONTADE
dentro de uma família católica, de

Márcia Gullo
uma liturgia antiga — já tenho 71
anos —, por exemplo, a liturgia
da Semana Santa é muito bonita.
De repente estava em Jerusalém
e me voltaram à memória toda a
minha infância, minha casa e raiz.
Eu dizia que tudo aquilo já tinha
TIME DE RESPEITO:
“visto”, quer dizer, ouvido falar
Em Cafarnaum, o
ou lido. Depois, estava no lugar encontro dos escritores
real onde as coisas aconteceram, Ignácio de Loyola,
foi emocionante: andei pelas vias Rubem Fonseca,
sobre as quais o Cristo caminhou, Affonso Romano
de Sant’Anna e Luís
passei pelo mercado árabe citado Fernando Veríssimo.
na Bíblia, cheio de gente, como
sempre foi, e nos outros lugares Fico pensando como alguém pode ter tanta força para suportar tudo
mencionados. Você entende o que
se passou há dois mil anos. o que Ele (Jesus) suportou. E também imagino o seguinte: a gente
faz as coisas e os resultados vêm depois. Você tem de fazer o Bem,
BV — Qual a reflexão daqueles
momentos para sua vida? o que acredita, a coisa na qual tem fé (...). Pode realizar-se um ano
Ignácio — É difícil dizer, mas
fico pensando como alguém pode
depois, cem anos depois, mil anos; essa é a grande lição.
ter tanta força para suportar tudo o
que Ele (Jesus) suportou. E também Ignácio — Há 59 anos, quando livro, na crônica, no conto, na
imagino o seguinte: a gente faz as foi fundado o Estado de Israel (14 peça teatral, onde quer que seja.
coisas e os resultados vêm depois. de maio de 1948), aquela região era Faço isso para ajudar as pessoas a
Você tem de fazer o Bem, o que praticamente um deserto, uma terra compreenderem a vida, o mundo.
acredita, a coisa na qual tem fé, árida, seca. Por isso, cada árvore Nem sempre esse lugar em que
não sabe o que acontecerá. Pode plantada lá significa a luta contra a gente vive é muito agradável,
realizar-se um ano depois, cem anos a natureza hostil. Desde então, as é feio, mas a função do escritor
depois, mil anos; essa é a grande pessoas que vão para Israel com- é retratá-lo com fidelidade. A
lição. pram mudas e sementes e as plan- minha literatura mostra a passa-
tam. Nestes anos foram plantadas gem do Homem pela sua vida,
BV — O que mais o marcou nessa cerca de 200 milhões de árvores. pelo seu país, em determinado
expedição? (...) Israel renasceu e ressurgiu do tempo, momento do qual sou
Ignácio — Eu diria que ter deserto. testemunha.
conhecido o Mar da Galiléia, onde
o Cristo andou sobre as águas: foi BV — Agora, sobre sua carreira. BV — No seu discurso de posse
outro fato que me mandou lá para Você só escreve sobre o que gos- na APL em abril deste ano, você
trás, na minha infância religiosa. Ca- ta? disse que quer ser lembrado como
minhar sobre as águas é uma coisa Ignácio — Prefiro falar sobre cronista, esse observador da reali-
extraordinária e me achar naquele o que gosto, mas também escrevo dade. Por quê?
lago imenso, onde houve uma de- sobre o que não gosto para man- Ignácio — Eu gosto de ser essa
monstração de fé, foi marcante. ter uma atitude crítica, mostrar o pessoa que anda pelas ruas e capta os
outro lado das coisas. Falar isso momentos, observa e “seqüestra” si-
BV — Durante a viagem, vocês parece ambíguo, porém sou um tuações curiosas, emocionantes, co-
plantaram uma árvore. Qual o observador da vida e da realidade moventes, tristes ou alegres. Adoro
significado do ato para aquele que, às vezes é bonita, às vezes é mostrar São Paulo, esta cidade que é
povo? feia, e cabe a mim colocá-la no caótica, complicada e violenta, mas

BOA VONTADE | 21
Literatura

também tem poesia. Quero, sim, ser me refletisse. Eu sou uma pessoa

Roberta Assis
lembrado como cronista. muito bem-humorada, apesar da
cara brava (risos). Então, coloquei
BV — As histórias engraçadas no meu discurso momentos de
são uma inspiração quando você profunda ironia. Foi, na verdade,
observa a sociedade? a primeira vez que entrou o humor
Ignácio — Parte da observação na cerimônia de posse.
sim, porque a vida tem humor e é
engraçada. As situações pitorescas BV — O senhor é dono de uma
ou anedóticas que ponho nas mi- trajetória de sucesso. Quais os
nhas crônicas servem para dar um momentos que lembra com mais
sabor diferente e dizer que as coisas emoção?
também são divertidas. Na minha Ignácio — Bom, eu não pos-
literatura há momentos profunda- so me lembrar de quando nasci,
mente dramáticos, trágicos, tanto acho que seria este meu grande
no Zero quanto no Não verás País momento. No entanto, recordo-
nenhum, meus dois romances mais me, com emoção, do meu renas-
O jornalista recebeu o carinho das crian- comentados. Na história de Dentes cimento. Em 2003 descobri que
ças da LBV no dia 31 de julho, pelo seu ao sol, um livro de que gosto muito, tinha um aneurisma cerebral (uma
aniversário. Na ocasião, foi presenteado
com um cartão personalizado e um o personagem reflete uma pessoa alteração da parede das artérias
buquê de flores. que não conseguiu se realizar e se cerebrais, causando uma dilatação
frustrou. Isso é dor. Há um pouco local que forma uma bolha. Ao
dos dois na minha literatura. romper-se, o sangramento pode
levar à morte). Assim que soube,
Ignácio de Loyola Brandão autografa a
edição comemorativa dos 25 anos de seu BV — Ainda sobre o discurso consegui operar. Era uma cirur-
livro Não verás País nenhum, no qual na APL, seu estilo foi muito co- gia delicada, mas voltei intacto,
antevia a pena que o Homem teria de mentado por seguir a linha do incólume e sem seqüelas. Este,
pagar pelo mau uso que faz da terra. irreverente. Como foi isso? talvez, tenha sido outro grande
No exemplar, deixou este recado: “Paiva
Netto, veja só, tudo está acontecendo. Ignácio — Há algum tempo momento da minha vida. Claro
Abraço, Loyola”. vários colegas meus da Academia que o lançamento dos meus livros
Paulista de Letras vinham insistin- são instantes bonitos e felizes,
Daniel Trevisan

do para me candidatar, e eu dizia mas, um dia, quando acordei após


que não, “a Academia não é para a cirurgia e vi que estava vivo,
mim”. Um dia apareceu uma vaga comentei: “Viver é muito bom”.
e eles me inscreveram, sem que Renascer seria minha história.
soubesse; acabei gostando, me
candidatei e entrei. Isso foi, para BV — Que recado você deixa
mim, o reconhecimento da minha aos leitores da revista BOA VON-
carreira. Aumentou o meu astral, TADE?
porque a Academia é o ponto alto Ignácio — O recado que eu
de uma carreira literária. E aquele deixaria é que nunca abandonem
meu discurso... (risos) Antes de su- seus sonhos, seus projetos. É im-
bir para falar, reli os outros que fiz e portante ter sempre à frente um
eles eram muito formais, restritos, alvo a ser alcançado. Conheço
digamos que muito acadêmicos. E o trabalho da LBV há muitos
é naquele sentido de ranço mesmo, e muitos anos. Lá tem, prati-
com frases do tipo: “A vós, que camente, todos os meus livros
me recebeis nesse cenáculo de autografados que assinei para o
cultura (...)”. Aí vi que não dava, Paiva Netto. Um abraço a todos
queria algo moderno, atual e que e ao Paiva Netto também.

22 | BOA VONTADE
Comportamento Social

Perigo

@
na
Web
Internautas que não
se desconectam da

For@
web nem para dormir
preocupam especialistas

de controle
Natália Lombardi
Fotos: Daniel Trevisan

“N
avigare necesse; vivere non estamos tratando de uma doença ou apenas quatro horas por dia. “Eu
est necesse” (Navegar é não, o fenômeno já chama a atenção acordava às 8 e ficava no computa-
preciso; viver não é preciso). da comunidade científica. dor até as 4 horas da manhã. Não
A frase em latim do general O Instituto de Psiquiatria do Hos- parava nem para fazer o almoço
romano Pompeu (106-48 a.C.), pital das Clínicas da Faculdade de direito”, conta.
imortalizada pelo poeta Fernando Medicina da USP (Universidade de O interesse do Dr. Nabuco em
Pessoa (1888-1935), tem sentido São Paulo) desenvolveu um estudo analisar esse quadro surgiu há dois
peculiar para um grupo de pessoas sobre o assunto. O projeto, coorde- anos, durante o I Congresso Mun-
com reações de quem adquiriu um nado pelo professor Dr. Cristiano dial contra a Exploração Sexual da
novo vício: ficar permanentemente Nabuco de Abreu, encontrou casos Criança, em Estocolmo (Suécia).
on-line. Em todo o mundo, há entre como o de Roberto*, de 18 anos. Àquela ocasião, o Unicef (Fundo
50 e 100 milhões de compulsivos Ele chega da faculdade e senta-se das Nações Unidas para a Infância)
em internet. Isso corresponde de diante do computador sem saber divulgou dados assustadores: no
5% a 10% do total de internautas exatamente o que procura, senão Brasil, que figura de forma lamentá-
do Planeta, segundo pesquisa pu- apenas navegar. O jovem só percebe vel nas estatísticas, estimava-se que
blicada em maio de 2006 na revista o cansaço 17 ou 18 horas depois, 500 mil jovens viviam na prostitui-
Perspectives in Psychiatric Care. quando decide parar, ansioso para ção — empurrado pela internet, o
Apesar de os distúrbios provocados conectar-se novamente. Já Eliane*, crime havia se alastrado. “Comecei
por essa situação gerarem dúvidas se 39, passou quase um ano dormindo a prestar mais atenção em queixas

BOA VONTADE | 23
Comportamento Social

Doutor em

Francisco Emolo, Espaço Aberto/USP


de mau uso da rede e percebi que “Ao ver isso, decidimos con- psicologia, o
sempre houve um grande número de vocar alguns voluntários. Tivemos professor Cris-
pessoas que fazia seu uso abusivo”, um número muito grande de inte- tiano Nabuco
de Abreu é
revela. A partir daí, o tema passou a ressados em participar do projeto”, coordenador
ser amplamente discutido, resultan- conta o Dr. Nabuco, surpreso com a do Ambu-

@
do na criação do Ambulatório Inte- quantidade de adesões. latório dos
grado dos Transtornos do Impulso, Transtornos
do Impulso do
no Hospital das Clínicas de SP. Uma nova patologia? Instituto de
O fato de o nosso País ocupar Ainda não se sabe se a depen- Psiquiatria do
a primeira posição no ranking dência em web é um transtorno Hospital das
internacional de tempo de cone- parti­cular entre as patologias psi- Clínicas, de
São Paulo.
xão doméstica contribuiu para cológicas ou mais uma conseqüên-
a análise. Um estudo divulgado cia dos transtornos atuais ligados
pelo Ibope e Nielsen/Net Ratin- à tecnologia. Alguns especialistas
gs, neste mês de agosto, mostra acreditam que essa euforia inicial evolui e torna-se uma patologia pro-
que os brasileiros aumentaram o seja normal, e o usuário, com o priamente dita, com características
tempo de navegação residencial tempo, lida naturalmente com ela e comportamentos específicos.
e bateram o próprio recorde de e não há motivo para preocupa- As pessoas compulsivas na rede
permanência na rede, chegando à ções. No entanto, levantamentos costumam apresentar ansiedade e
média de 23 horas e 30 minutos. revelam que a média de horas nervosismo quando não têm aces-
Com isso, o Brasil fica à frente navegadas da população brasileira so aos e-mails e desejo incontido
de Estados Unidos (19h52), Ja- não pára de crescer. de permanecer on-line. Exemplo
pão (18h41), Alemanha (18h07) “A gente percebeu em muitos disso é Felipe, 17, que se identifica
e Austrália (17h51). Ainda de pacientes alguns tipos de problema na rede como MarcoX. Ele deixou
acordo com a pesquisa, o país psicológico já conhecidos. Depres- de sair com amigos para ficar no
alcançou uma marca inédita em sivos, por exemplo, usam a internet computador: “Chego da escola e
número de usuários domiciliares: como uma forma de minimizar a venho direto aqui no micro. Acho
mais de 18,5 milhões. sensação de solidão. Os que têm que para voltar à vida normal,

As pessoas compulsivas na rede costumam apresentar


ansiedade e nervosismo quando não têm acesso aos e-
mails e desejo incontido de permanecer on-line.

O índice chega perto dos 20 muita dificuldade de se apresentar como era há alguns anos, será
milhões de chineses ligados na em ambientes sociais aproveitam muito complicado. Quando al-
internet, e, segundo o China Daily, esta ferramenta para arquitetar guém me pergunta na escola como
13% dos internautas (2,6 milhões) respostas mais facilmente, pois, foi meu dia, eu só digo que fiquei
são considerados viciados, situa- em tese, teriam mais tempo para na internet. Isso me deprime”.
ção avaliada como alarmante por organizar suas idéias. Deste modo, Segundo o especialista, os que
especialistas. Em fevereiro, um vimos que existem problemas an- têm muita dificuldade para interagir
jovem chinês de 26 anos morreu teriores que levam a pessoa até o transformam a web em um refúgio
após maratona de sete dias jogando vício”, assegura o médico. Com o protegido, lugar de manifestação
na web. passar do tempo, esse uso excessivo daquilo que não conseguem ser

24 | BOA VONTADE
Divulgação Ambulim
no mundo real. “Eles geralmente
acessam sites de relacionamento,
compras, chats... Mas não existe

@
uma predisposição do indivíduo
procurando um determinado site.
Tivemos casos de compulsivos por
notícias; depende do interesse da
pessoa”, conta o Dr. Nabuco.

Como identificar a
dependência e tratá-la
De forma geral, os internautas
entram com um objetivo, fazem
o que têm de fazer e saem — seja
uma pesquisa para o trabalho ou
para a escola, mandar e-mails ou
fazer um download qualquer. No Fachada do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da
emprego, por exemplo, mesmo USP (Universidade de São Paulo)
que alguém passe de cinco a sete
horas seguidas diante do com- O Dr. Cristiano Nabuco escla- que muitos pensavam, o problema
putador, não quer dizer que se rece que, para perceber se está atinge pessoas de diversas idades
trata de um viciado, pois há um viciada, a pessoa deve observar — principalmente de 18 a 75 anos,
propósito para ficar on-line. sintomas muito além do tempo segundo o estudo do Hospital das
Um estudo realizado pela bri- de conexão. “A web torna-se uma Clínicas de SP — e derruba o mito
tânica YouGov (especialista em alternativa para as situações do de que só jovens são acometidos
pesquisa sobre a internet), em dia-a-dia: a pessoa prefere ficar por esse mal.
novembro do ano passado, aponta em chats a sair com os amigos Para este tipo de dependência não
que, para o compulsivo, a conexão ou ir a algum encontro; tem mais há um tratamento à base de remédios
não tem um propósito específico: facilidade de relacionar-se com ou internação, mas um acompa-
ao abrir um site, encontra diver- outros internautas e cultiva essas nhamento como o que é feito pelo
sos links que o possam interessar, amizades que nunca evoluem... Ambulatório Integrado dos Trans-
então abre outros endereços e São aspectos que utilizamos como tornos do Impulso. Um atendimento,
assim navega sem parar, horas referência para concluir se, pro- estruturado ao longo de 18 semanas,
a fio. Essas pessoas ganharam o gressivamente, a vida real é tro- oferece psicoterapia em grupo, no
nome de wilfers (a palavra deri- cada pela virtual”, afirmou. E qual o paciente é levado a fazer um
va de “wilf”, uma abreviação de continua: “Eles apresentam a raciocínio sobre o porquê de usar a
“What was I Looking For?” ou necessidade de aumentar o tempo web de maneira abusiva. “Eles são
“O que eu estava procurando?”), conectado. Questionados a res- orientados a perceber, dentro dos
que pode certamente ser entendido peito do uso da internet, tendem a aspectos pessoais ou do ambiente,
por “navegar perdido em um mar omitir o período que ficam on-line quais seriam os elementos que fun-
de informações”, como define um e, quando off-line, ficam nervosos. cionam como gatilhos, que fazem
dos promotores da pesquisa, Jason Embora saibam do uso excessivo, da rede um escape dos problemas
Lloyd, que acrescenta: “Mesmo notam que fica difícil diminuí-lo e das dificuldades do cotidiano. (...)
que as pessoas se conectem com ou largar o computador”. Ao final, esperamos que essas pes-
um propósito, elas têm a oferta de O acesso compulsivo à rede é soas restaurem o controle do uso da
tantas opções e distrações na rede diagnosticado como um distúrbio internet”, finaliza.
que muitas esquecem o motivo de psiquiátrico do mesmo patamar
estar lá e gastam horas wilfing que as dependências do álcool, do
vagamente”. jogo e das compras. Diferente do * Os nomes apresentados são fictícios.

BOA VONTADE | 25
Cultura

Seu Jorge e as
raízes afro-brasileiras Leila Marco e Leilla Tonin
Fotos: Daniel Trevisan

R
ecentemente o cantor ca- e, conseqüentemente, pegar a deles para fazer música, circo e teatro ao
rioca Seu Jorge recebeu e melhorar a nossa aqui”. mesmo tempo, mas a banda queria
os resultados de uma pes- Jorge Mário da Silva recebeu o só música, gente que estava come-
quisa encomendada pela nome artístico de um dos amigos, çando e precisava ganhar dinheiro.
BBC Brasil, que integra o projeto Marcelo Yuka, ex-baterista do gru- E eu falava que não iríamos ganhar
Raízes Afro-brasileiras, confir- po O Rappa. É flamenguista, devoto enquanto não tivéssemos uma disco-
mando a forte ancestralidade de São Jorge, filho de Oxóssi e apa- grafia. Havia muitas divergências e
negra em sua carga genética: ele drinhado por Ogum, um batalhador tomei a atitude de deixá-los. Encon-
possui 85,1% de genes africanos, brasileiro, sambista de primeira. trei a minha felicidade e acredito que
12,9% de genes europeus e 2% de A realização profissional começa eles a deles. É um grupo muito inte-
ameríndio. No ensejo, aproveitou a se desenhar em 1993, ao encontrar ressante no Rio de Janeiro/RJ; quero
o assunto em voga na mídia para o teatro pelas mãos do clarinetista que ele vá em frente e cresça.”
defender mais uma vez o fim do Paulo Moura. A arte de representar Posteriormente, participou como
preconceito. Aliás, foi sempre e os novos amigos do tablado o en- artista convidado de trabalhos impor-
dessa forma contundente e sincera sinaram a se relacionar melhor com tantes, a exemplo dos CDs Tributo
que fez da arte uma bandeira para o mundo e ajudaram a superar uma a Tim Maia (1999), Casa do Samba
a defesa dessa causa. Sobre o re- violência tremenda, vivida quando 3 (1999 — com Beth Carvalho),
conhecimento internacional, em teve um dos irmãos mortos em uma entre outros. O disco solo, Samba
particular em nações européias, chacina. O fato havia mudado com- Esporte Fino, viria em 2001.
fala com simplicidade sobre os pletamente a vida dele, pois, com Além da música, na qual se reve-
degraus percorridos: “Pude ser medo de represálias, foi obrigado lou ainda jovem um excelente intér-
uma pessoa que falava mais do a se afastar da família e viveu sete prete, compositor e instrumentista,
Povo do que da música. Converso anos na rua. encontra no cinema uma carreira
sobre a favela, a restauração da No ano de 1998, outro passo sólida, não só na criação de trilhas
dignidade social; a música é só decisivo: cria com os amigos Ga- sonoras para longas-metragens, mas
um motivo para nos encontrar- briel Moura, Bertrand Doussain também como ator. Por sinal, com o
mos. O meu trabalho é defender e outros músicos o grupo Farofa Ca- filme Cidade de Deus, dirigido por
aqueles que não teriam meios para rioca e lança o CD Moro no Brasil, Fernando Meirelles, em 2002, na
chegar lá e dizer: ‘Nós moramos com o qual viajou por todo o nosso pele do personagem Mané Galinha,
na favela, mas somos gente boa, País, Portugal e Japão. “Um grupo veio o sucesso no Exterior. “Foi
trabalhamos todos os dias’. Levo maravilhoso; foi ótimo ter realizado o abre-alas para muita gente no
a minha experiência de Brasil aquele projeto, a primeira banda Brasil, beneficiou Leandro Firmi-
para melhorar a deles na Europa de moradores de rua. O Farofa era no, o Antônio Pinto, o Fernando

26 | BOA VONTADE
tos, estava sempre em movimento,
não havia espaço para pipa, bola
de gude, não aprendi a jogar futebol.
Por outro lado, gostava de ter res-
ponsabilidades, de ser o filho mais
velho dos três irmãos homens. Meu
pai, uma figura maravilhosa, mas
separou-se da minha mãe quando
eu tinha exatamente essa idade, 10
anos, acompanhou nossa educação
fora de casa. Em certos momentos
é necessário que se tenha a figura
masculina no lar, e cumpri esse pa-
pel, mesmo com pouca idade.”
Os fatos eram enfrentados pelo
menino com bastante coragem:
“Tive de ensinar a minha mãe a
ler e escrever para arrumar um
emprego e continuar cuidando da
gente. Quando não se sabe nem ler e
escrever, pode-se ter uma consciên-
cia boa, mas há uma amargura, um
ranço, uma dureza, a gente se sente
inferior. Era um grande complexo da
minha mãe, ela perdia a paciência
“Cresci num ambiente de dureza; havia dias em que muito rápido. Depois que foi alfabe-
tizada tudo isso mudou”.
se tinha café, faltava o açúcar, pão sem manteiga,
mas, por mais que fosse assim, era beijo, abraço toda O amor ao samba em família
A música também chegou-lhe
hora, muito papo, ‘cosquinhas’ (...).” mais ou menos por esta época, pri-
meiro pelo exemplo paterno, que
trazia aquela manifestação artística
para dentro do lar. Jorge achava tudo
Meirelles, a Kátia Lund. O mais havia amor e carinho por parte dos interessante, a começar pelo tama-
importante é que o Cidade de Deus é pais, Sula e Jorge, mas também nho dos instrumentos: “Quando a
um filme de comunidade, que fala de bastante dificuldade. “Cresci num gente é pequeno, as coisas têm outra
favela, de negros, do ponto de vista ambiente de dureza; havia dias em dimensão (risos)”. Ele se sentia
local. Quem escreveu o livro foi um que se tinha café, faltava o açúcar, especial por ter um pai diferente
favelado, e o Meirelles não mexeu pão sem manteiga, mas, por mais dos demais, o único que tocava um
nessa essência, nesse diamante. Nós que fosse assim, era beijo, abraço instrumento no bairro. “Às vezes ele
temos 30 anos desde Escrava Isaura, toda hora, muito papo, ‘cosquinhas’ chegava em uma roda de samba e,
é maravilhoso termos um filme que (...).” se não tivesse o que tocar, catava o
nos represente.” O cantor recorda que cedo teve molhinho de chaves dele e fazia o
de trabalhar para colaborar no maior swing”, conta.
Infância na Baixada sustento do lar. “Apesar disso só O samba sempre esteve próximo
E Seu Jorge fala de uma realidade encontrei gente fina. Tenho 37 anos também por meio de outros familia-
muito próxima dele. A infância foi e nunca briguei na minha vida, não res, como a tia Jovelina Pérola Ne-
passada em uma casinha simples sei o que é uma desavença. Não tive gra (1944-1998). No fim dos anos
de um cômodo no bairro de Belford tempo para isso, com 10 anos já era setentas, a mãe conseguiu emprego
Roxo, Baixada Fluminense, onde borracheiro e vivia no meio de adul- numa empresa como faxineira, tra-

BOA VONTADE | 27
Cultura

O samba sempre “Ele começou primeiro que eu na trabalho, desta vez uma produção
carreira, com 7 anos, e eu com 20. mista (Brasil, Espanha e República
esteve próximo Gravei primeiro com o Farofa, e, na- Tcheca), o filme Carmo, gravado em
também por
Cida Linares
quele mesmo ano, ele lança o disco Corumbá/MT: “Acabei de contrace-
dele, muito legal; logo em seguida nar com o Márcio Garcia, foi muito
meio de outros se casou com a Bombom, o que foi bom. Ele é um grande ator, sofre às
maravilhoso”. vezes discriminação por ser muito
familiares, Aliás, do tempo em que a grana bonito, pelo estereótipo, e então só
como a tia era curta há outro amigo de quem pode fazer papel de galã. E neste
se recorda com carinho: “Em 1991, trabalho ele fez o papel de um cara
Jovelina Pérola Negra eu tocava percussão para o Xande chamado Diamantino, que é a coisa
(1944-1998): “E toda madrugada (grupo Revelação). Nessa época, ele mais engraçada do mundo, com uns
pagou muito angu à baiana, dentes grandes, nariz feio.
a Jovelina entrava em casa, fazia

Divulgação
matou muito a minha fome. É um filme curioso, porque
E olha que não era fácil, ele é uma produção brasileira,
um macarrão, uma carne, a gente
me ajudou bastante. Tenho polonesa e espanhola. Um
comia e depois ia embora. Ela vinha amor e muita gratidão pelo dos diretores brasileiros
Xande”. (Murilo Pasta) debutando
do trabalho, passava na Central do no seu primeiro longa-me-
Dudu Nobre
Brasil, cantava uns pagodes, ganhava O reconhecimento tragem, só tinha carreira na
internacional Inglaterra. Desde Quatrilho
sempre alguma coisa na época A visibilidade fora do País, muito até aqui, estamos repatriando quem
da vaca magra, que dividia com a pelo sucesso do filme Cidade de saiu para fazer cinema lá fora. E
Deus, o levou a participar de vários hoje o cinema brasileiro vai bem,
gente.” outros trabalhos, em Hollywood. obrigado!”
Em 2003, filma em Roma The Life Além de toda esta boa fase, nin-
Aquatic with Steve Zissou, estréia guém pode esquecer a estrondosa
dois anos depois Casa de Areia ao repercussão do encontro do artista
balhava no plantão da noite. “E toda lado de Fernanda Montenegro e com Ana Carolina, que resultou
madrugada a Jovelina entrava em Fernanda Torres, com direção de na gravação do CD e DVD Ana &
casa, fazia um macarrão, uma car- Andrucha Waddington. No início Jorge, principalmente da música É
ne, a gente comia e depois ia embo- de 2007, integra o elenco do longa- Isso Aí, uma versão de Ana para a
ra. Ela vinha do trabalho, passava metragem The Escapist, ao lado de composição The Blower’s Daughter
na Central do Brasil, cantava uns atores a exemplo de Brian Cox, (Damien Rice), tema do filme
pagodes, ganhava sempre alguma Joseph Fiennes, Dominic Cooper Closer.
coisa na época da vaca magra, que e Liam Cunningham, com a dire- Na oportunidade da entrevista,
dividia com a gente.”Além dela, ção de Rupert Wyatt. Seu Jorge conversou ainda, durante
é primo do cantor Dudu Nobre: Em abril deste ano, mais um um bom tempo, com dois dos 1.220
alunos do Instituto de Educação da
Legião da Boa Vontade, localizado
Seu Jorge recebe das crianças da LBV uma carta convidando-o a co- na capital paulista (Av. Rudge, 700,
nhecer a Instituição. Ao lado, posa para foto com os meninos. Bom Retiro, tel.: (11) 3225-4500).
Eles entregaram a ele, gentilmente,
o convite para visitar a escola, ao que
o artista logo se prontificou. Além
da admiração pela qualidade do
trabalho e pelas dependências do
Conjunto Educacional da LBV, o
cantor relembrou aos estudantes a
importância de valorizar a educação
que estavam recebendo.
28 | BOA VONTADE
Cultura

Mafalda Minnozzi, da italiana RAI,


encanta-se com unidade educacional da LBV
Isabela Ribeiro

“P
arabéns por essas lindas relatou suas impressões da calo-
crianças! Um aplauso rosa acolhida que teve na LBV.

edes u
para elas!” São palavras “Quando cheguei, encontrei

Rafael G
que mostram a alegria da sorrisos e mais de trinta crian-
cantora italiana Mafalda Min- ças cantando, um coro afinado,
nozzi ao conhecer o Centro Edu- educado e charmoso. São focos
cacional, Cultural e Comunitário de estrelas iluminando a minha
da LBV, no Rio de Janeiro. Em vida. Sou eu quem tem de agra-
junho, ela marcou em sua agenda decê-las. É uma honra saber que
uma visita à escola da Legião da existe tudo isso.”
Boa Vontade no bairro Del Casti- Desde 2004, Mafalda é cor-
lho e foi carinhosamente recebida respondente no Brasil da Rádio
pelos alunos que cantam no Coral RAI. Às sextas-feiras, vai ao ar
Ecumênico Infantil LBV. Emo- em rede nacional na Itália o pro- “Estou muito feliz com todas
cionada, retribuiu com o que sabe grama Brasil. Ela leva aos seus
fazer de melhor: cantar. Além de ouvintes compatriotas informa- essas crianças maravilhosas.
músicas napolitanas, arriscou ver- ções sobre cultura, variedades, Elas têm cultura e educação,
sos de Aquarela do Brasil, de comenta fatos e novidades da
Ary Barroso, acompanhada vida cultural brasileira. A o que é muito bonito! Na
pelo Coral Infantil. emissora é uma das de maior LBV, são bem alimentadas e
“Estou muito feliz com expressão na Europa e pode
todas essas crianças mara- ser sintonizada também pela educadas. É o futuro deste
vilhosas. Elas têm cultu- internet. “Sempre falo
ra e educação, o que é do potencial desta ter- País! São, sinceramente,
muito bonito! Na LBV, ra e da gente boa que pérolas do Brasil, do mundo.”
são bem alimentadas existe aqui”, conta. E
e educadas. É o fu- finaliza dizendo que,
turo deste País! São, para ela, este “é um quinho, porque o nosso poder
sinceramente, pérolas momento importan- é a união. A nossa força é ficar
do Brasil, do mundo”, te. Vejo o potencial junto, não indiferentes uns aos
garantiu Mafalda en- que tem este Brasil. outros”.
quanto andava pelas Lanço um apelo como A cantora e compositora ficou
salas, afirmando que italiana, como pessoa especialmente orgulhosa ao saber
o sorriso e os olhos privilegiada que conhe- que o Patrono da LBV é São
daqueles pequenos ce a cultura brasileira, Francisco de Assis, o Santo de
traduziam a pureza ao Rio de Janeiro: que Assis, cidade localizada na região
peculiar da infância. cada um faça um pou- central da Itália.
Divulgação

Nascida na cidade
de Pávia, no norte
da Itália, a intérprete V I S I T E , A PA I X O N E - S E E A J U D E A L B V !
de Pregherei, Sei Tu Centro Educacional Cultural e Comunitário da LBV:
e Con Te Partiró Av. Dom Hélder Câmara, 3.059, Del Castilho, Rio de Janeiro.

BOA VONTADE | 29
Especial

Photos.com
É hora de
responsabilizar
os agressores
Rompendo o pacto de silêncio e unindo esforços no combate à violência sexual
contra crianças e adolescentes Leila Marco

P
Fotos: Divulgação

roteger a criança e o ado- foram recebidas nos centros de


“Abusar de

Wagner O. Nunes
lescente dos vários tipos de referência.
violência ainda é um grande O titular da pasta (Smads), Dr. uma criança
desafio dos governos e da Floriano Pesaro, diz que há uma
sociedade. Conforme noticiamos série de ações e discussões sendo ou explorá-la
na edição passada, o número de desenvolvidas no município de São sexualmente
meninos, com menos de 18 anos, Paulo contra esses crimes. Ele des-
vítimas de abuso e exploração se- taca que “abusar de uma criança ou é um ato
xual na capital paulista subiu nos explorá-la sexualmente é um ato de de covardia que merece
últimos anos. De acordo com dados covardia que merece ser combatido,
estatísticos da Secretaria Municipal denunciado e condenado por toda ser combatido, denunciado
de Assistência e Desenvolvimento a sociedade. Por isso, se alguém
e condenado por toda a
Social (Smads), foram registrados souber de algum caso envolvendo
100 atendimentos em 2004; no ano criança ou adolescente, pode e deve sociedade. ”
seguinte, 135 garotos e, em 2006, denunciar, para que possamos pro-
houve um salto para 252 casos. tegê-los de seus agressores”. Dr. Floriano Pesaro
Ainda que estatisticamente mais Especialistas no assunto dizem Secretário Municipal de As-
estabilizado, as meninas sofrem em que, na realidade, o que está ocor- sistência e Desenvolvimento
número maior com este mal: ape- rendo não é um aumento de casos, Social (Smads)
nas no ano passado, 419 crianças que acontecem em todas as classes
e adolescentes do sexo feminino sociais, mas, sim, uma maior vi-

30 | BOA VONTADE
la, que faz parte do Plano Nacional de Assistência e De-

Daniel Trevisan

Wagner O. Nunes
de Enfrentamento à Violência Sexual senvolvimento Social
Contra Crianças e Adolescentes. Ela — e será integrada
diz que, “para romper esse pacto por representantes de
de silêncio, é necessário fortalecer várias secretarias e co-
as famílias, facilitar e dar suporte a legiados, indicados até
esses meninos e meninas para que o fim de agosto. Tatiana Amêndola
responsabilizem seus agressores”.
Outra medida importante, apontada A denúncia como aliada
pela Coordenadora, é conscientizar A Subsecretária de Assistência
quem agride de que ele tem uma Social da cidade do Rio de Janeiro,
Gilberto Kassab, Prefeito de São Paulo.
doença a ser tratada. Ainda segundo Dra. Marília Rocha, também desta-
Amêndola, uma criança que passa ca a maior visibilidade do tema. Ela
sibilidade deles; o tema tem sido por essa experiência pode ter seu afirma que há cerca de dois anos,
mais debatido, há mais profissionais emocional abalado por muito tempo com a criação do Programa Senti-
capacitados, o que faz com que as e, em média, necessita de três anos nela, ampliaram-se as denúncias,
vítimas se sintam seguras para falar. de atendimento especializado. “o que não significa mais casos”.
Segundo a Smads, isso é fundamen- A comissão pretende viabilizar No Rio, o serviço foi
tal, pois quase 90% dos que praticam ações que vão desde o encaminha- municipalizado, tendo
o abuso estão dentro de casa: irmãos mento à rede de atendimento, supor- em seus quadros as-
mais velhos, tios, pais, padrastos e te jurídico, prestação de serviços de sistentes sociais, psi-
babás. Por isso, existe um grande abordagem educativa (às crianças e cólogos e educadores.
medo de represália. aos adolescentes explorados sexual­ Marília comenta que
No último 18 de maio, dia na- mente nas ruas) até o atendimento o denunciante está em
cional de combate a essa forma psicossocial a grupos de famílias, vários segmentos: es- Marília Rocha
cruel de violação de direitos, foi às crianças e adolescentes — sob colas, conselho tutelar,
assinado pelo Prefeito de São Paulo, a responsabilidade da Secretaria vizinhos que notam alguma coisa
Gilberto Kassab, decreto-lei que diferente. Tudo é sigiloso e existe
instituiu a Comissão Municipal de um grande cuidado para não se
“Isso não
Enfrentamento à Violência, Abuso cometer erros: “A partir desse
e Exploração Sexual. A iniciativa acontece só momento são ouvidos: pai, mãe,
prevê, entre outras coisas, a criação tios, avós, enfim, toda a família. A
de mecanismos de estudo, inter- em novela, escuta também é realizada com a
venção direta e formação de rede na casa criança e o adolescente, uma equi-
de atendimento, além de sugerir pe especializada procura conversar
procedimentos complementares às do vizinho. sobre a situação. Temos técnicas
diretrizes e normas existentes, incen- Isso pode estar com bonecos, brinquedos, com os
tivando a capacitação e atualização quais a criança passa a reproduzir
de profissionais e representantes das acontecendo na sua família. uma situação da qual ela foi vítima.
instituições prestadoras de serviço Educador, fique atento e Muitas vezes o abuso envolve uma
ao público-alvo, envolvendo nessas pessoa de extrema confiança, então
atividades as Secretarias de Desen- ajude a identificar esses é preciso muito cuidado para que,
volvimento Social, de Educação e junto a todo aquele sofrimento que
casos. Você pode salvar
da Saúde. ela vive, não lhe seja acrescentado
“Só assim daremos suporte a uma criança.” o sentimento de traidora do ente
essas crianças e adolescentes que familiar”.
passam por um trauma tão terrível”, Jurema Batista A Subsecretária explica que a
destaca a Dra. Tatiana Amêndola, Presidente da Fundação para entrevista nunca acontece uma vez,
Coordenadora do Programa Sentine- a Infância e Adolescência é uma seqüência de encontros, para

BOA VONTADE | 31
Especial

que se possa definir se houve ou “Se a sociedade prietário, gerente ou responsável


não abuso e, mais, é verificado pela casa comercial, onde ocorre a
“que tipo de circunstância cruza os exploração, e prevê o fechamento
pode ter sido criada para que do estabelecimento. “Mas não é
braços, há um
a criança tenha uma fala desse um problema só da lei, é também
za
tipo”. E conclui: “Muitas vezes
ze
te
So
u
agravamento social. Quantas e quantas vezes,
não há um abuso, mas uma situação Ni
ao fazermos inspeções nos hotéis,
de violência doméstica, algo que das conseqüências, motéis de Salvador, encontramos
provoque um mal-estar ou alguma na medida que a criança jovens sendo exploradas, princi-
situação negativa voltada ao am- palmente por turistas estrangeiros e
biente familiar que também merece hoje abusada pode ser um as retiramos desses locais, levamos
cuidado e atenção”. abusador amanhã, e temos para a família e, de uma forma de-
Para a Presidente da Fundação cepcionante para nós, que estamos
para a Infância e Adolescência provas disso.” nessa labuta, ouvimos da mãe: ‘Ah,
(FIA), Dra. Jurema Batista, a divul- ela está buscando um aumento da
Dr. Salomão Resedá
gação do assunto é primordial: “O renda familiar’. Então a gente vê
Juiz da 1a Vara da Infância e
que antes era considerado normal, que esse problema só será resolvido
confundido com afetividade, hoje Juventude de Salvador/BA pela conscientização, por políticas
está caracterizado como abuso. públicas, pela responsabilização
Nós, da FIA no Rio de Janeiro, car esses casos. Você pode salvar da família e outras medidas com
realizamos diversas campanhas, uma criança. O abuso pode levar à conotações sociais”.
inclusive sobre exploração sexual, reprovação na escola, a um distúr- Ainda quanto ao ECA, o Dr.
cobrando também dos educadores bio no comportamento da criança Resedá ressalta a importância de
uma postura diante da questão, e também à morte (queima de a sociedade conhecê-lo mais a
sobre a importância da denúncia, arquivo). Gostaria de agradecer a fundo, porque ele “precisa sair do
no caso de alguma criança denotar oportunidade que a LBV está dando papel e vir para o mundo da vida.
qualquer característica de que tenha à FIA de tratar do tema. Parabéns É uma lei de 1990, adolescente,
sofrido abuso sexual. Temos de que- pela ação que a LBV desenvolve tem 17 anos, mas lamentavelmente
brar o gelo e a invisibilidade desse com as crianças! Já estive em seu as políticas públicas previstas nele
ato terrível. Ainda hoje o abuso com Centro Educacional, é um trabalho não estão implementadas”.
meninos é mais difícil, porque a so- muito bonito. Um abraço ao Paiva Por fim repete que há uma gran-
ciedade tacha como homossexual. Netto e para todos vocês”. de necessidade de todas as pessoas
Quanto menos idade, a propensão é O Juiz Salomão Resedá, da 1a participarem dessa cruzada contra
maior, porque o abusador, em geral, Vara da Infância e da Juventude de a violência. “Se a sociedade cruza
está procurando um objeto para se Salvador, afirma que também na os braços, há um agravamento das
relacionar sexualmente e não em si Bahia há um crescimento do número conseqüências, na medida que a
o sexo”. de casos. Para ele, o problema não criança hoje abusada pode ser um
Jurema diz que entre as atitu- será resolvido apenas com leis, como abusador amanhã, e temos provas
des para combater o mal está, em na recente alteração do Estatuto da disso. Começamos a mergulhar na
primeiro lugar, o esclarecimento. Criança e do Adolescente (ECA), vida de muitos desses indivíduos e
“Isso não acontece só em novela, que inclui ao artigo 244-A, que pune a observar que vários deles foram
na casa do vizinho. Isso pode estar a exploração sexual de crianças e vítimas.”
acontecendo na sua família. Educa- adolescentes, a pena de reclusão, Colaboração: Iracy Guerra e
dor, fique atento e ajude a identifi- de 4 a 10 anos, também para o pro- Nizete Souza

Disque-Denúncia
As diversas formas de abuso e violência sexual podem ser denunciadas às autoridades competentes pelo número 100, que
funciona todos os dias da semana, inclusive nos feriados, das 8 às 22 horas. Neste número, que possui abrangência nacional e
é gratuito, o cidadão obtém também informações de como funcionam os Conselhos Tutelares e o telefone e endereço do órgão
mais próximo de sua casa. É mantido em sigilo o nome do denunciante.

32 | BOA VONTADE
Saúde

Cuidado
com o
glaucoma
O
glaucoma é um mal silen- to contínuo, e que sua interrupção

Daniel Trevisan
cioso, que aparentemente pode significar a perda da visão.
não apresenta sinais, mas “Sempre que utilizarem qualquer
é de extrema gravidade outra medicação nos olhos, falem
se não for diagnosticado a tempo, com seu oftalmologista, porque há
podendo até mesmo levar à cegueira. colírios com cortisona que pioram
Especialistas são unânimes ao afir- o glaucoma”, conclui.
mar que a prevenção é a grande arma Para conhecimento e providên-
no seu combate. A oftalmologista cias contra essa doença, apresen-
Diane Marinho, com mestrado e tamos, a seguir, um resumo bem
doutorado na área pela Universidade elucidativo encontrado na Biblioteca Walter Periotto
Federal de São Paulo (Unifesp), Virtual em Saúde do Ministério da
explica que as pessoas devem, ao Saúde (bvsms.saude.gov.br).
consultar o seu médico, pergun- O que é? — O glaucoma é do nervo óptico, o que pode levar
tar: “Como está minha pressão uma enfermidade que ocorre nos à cegueira.
ocular?”, porque na maioria dos olhos e se manifesta quando a Quem corre risco? — Ele é
casos não se sente nada, quando a pressão intra-ocular se altera. Essa maior com a idade, sendo mais co-
visão está prejudicada, “é porque pressão pode afetar o nervo óptico mum após os 40 anos, em diabéticos
anos se passaram, danos já acon- e causar cegueira. Há vários tipos e com miopia alta. O histórico fami-
teceram no nervo e, muitas vezes, o de glaucoma e o mais comum é o liar aumenta o risco de apresentar a
caso é irreversível”, ressalta. A Dra. crônico simples. Dentro dos olhos doença. Pessoas de raça negra tam-
Diane lembra que, apesar de ser um existe um líquido transparente bém possuem maior predisposição
problema mais freqüente em adultos, chamado “humor aquoso”. Esse (quatro vezes mais).
há os que nascem com ele, ou seja, líquido se forma, circula e sai do Tratamento — Faz-se de três
o glaucoma é congênito. “Nessas olho, e é muito importante para maneiras: por medicamentos, por
crianças é perceptível, porque um nutrir e manter as estruturas dos laser ou cirurgia. No começo, o
olho é muito maior do que o outro”. olhos normais. No entanto, quando glaucoma pode ser tratado com re-
A especialista adverte ainda para o ele tem dificuldade de sair do olho, médios, que têm a função de baixar
fato de ser este um problema crôni- a pressão intra-ocular aumenta de a pressão intra-ocular (colírios e
co, a exigir do paciente um tratamen- modo progressivo e provoca lesão comprimidos).

OMS prevê crescimento assustador para diabetes


De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada dez segundos uma pessoa morre
em conseqüência de complicações da diabetes e o mal atinge hoje mais de 200 milhões de indivíduos no
mundo, com 12 milhões só no Brasil. O estudo recente da OMS prevê também que, em 2030,
a doença poderá acometer 376 milhões de cidadãos se não for realizado um grande trabalho
de prevenção, combatendo, principalmente, o sedentarismo e a obesidade. Isso significa mudar
hábitos, ter alimentação saudável e praticar regularmente uma atividade física.

BOA VONTADE | 33
Entrevista na Band

“ Seres Humanos!
Jornalismo é sobre
Seres Humanos!”
Assim exclama Roberto Cabrini ao completar 30 anos de profissão

Leilla Tonin e Rodrigo Oliveira

O
desafio de ancorar diariamen- desde os tempos da escola, quando É a respeito desse entusiasmo
te o Jornal da Noite (exibido o menino Cabrini já era escolhido pela profissão e das memórias dos
no início das madrugadas orador das festas municipais de melhores momentos da carreira que
da TV Bandeirantes) não Piracicaba/SP. A maioridade não conversamos com Cabrini, logo
afastou Roberto Cabrini dessas havia chegado quando, aos 17 anos, após apresentar o Jornal da Noite,
reportagens, uma tarefa a qual foi admitido como repórter em rede na redação da Band. Comenta a boa
titula de coração do jornalismo. nacional da TV Globo, na época, o fase pela qual a emissora passa no
Entender o fascínio deste paulista mais jovem da emissora. Quatro jornalismo e destaca o desempenho
pela profissão é fácil se levarmos anos mais tarde, cobriu uma Copa do Presidente do Grupo de comuni-
em conta que a sina de ir a campo do Mundo e, aos 22, mudou-se para cação, sr. Johnny Saad, na consoli-
farejar notícias é uma paixão anti- Nova York, para ser correspondente dação deste resultado. Também faz
ga, que completa 30 anos no mês internacional. Desde aquela época, menção a outro colega de profissão:
de agosto. já passou por quase 50 países. “É uma honra muito grande rece-
No entanto, a vocação de co- Essas diferentes situações credi- ber o abraço do Paiva Netto, um
municar é anterior a 1977; vem taram ao jornalista uma diversidade comunicador de tanta importância
de pautas e, com elas, o leque de e de tanta sensibilidade”.
Cabrini na Copa do Mundo da Espanha, possibilidade de falar sobre os mais
em 1982, um dos primeiros eventos in- variados temas. “São 30 anos bem- BOA VONTADE — Como o Cabrini
ternacionais no qual atuava como
repórter.
vividos porque eu tive o privilégio de foi parar no jornalismo?
pessoal

ter uma diversidade muito grande de Roberto Cabrini — Eu sem-


situações para cobrir: desde esporte pre gostei muito de comunicação.
Arquivo

a guerras, reuniões econômicas, edi- Lá em Piracicaba, no interior de


tar documentários, ser editor-chefe São Paulo, era escolhido orador
de telejornal, ancorar”, pontua. Ao da turma nas festas de Sete de Se-
perguntar-lhe qual dos temas tem tembro, 15 de Novembro. Desde
preferência de abordar, disparou: aquela época, fui apaixonado pelo
“Seres Humanos! Jornalismo é Rádio, pelo dinamismo dele. Aos
sobre Seres Humanos!”. 16 anos, fui convidado a ser can-

34 | BOA VONTADE
didato à presidência de um Centro

Divulgação TV Band
Cívico importante desse colégio.
A primeira reação que tive foi a de
divulgar nossa chapa no ambiente
que eu mais admirava: uma peque-
na emissora de rádio, do interior de
São Paulo. E, quando cheguei ao
local, fiquei absolutamente encan-
tado por aquele ambiente, aquele
dinamismo. Era uma emissora
pequena, mas me parecia enorme,
realmente cercada pela paixão, e
aquilo me cativou. Naquele exato
instante tive a certeza absoluta de
que queria ser um jornalista, um
repórter. Consegui oportunidade
de estagiar numa rádio, onde, um
mês depois, virei repórter. Os meus
irmãos são formados em faculdades
mais tradicionais, como Medicina,
Biologia, Agronomia, e o meu pai,
quando me viu no rádio, ficou preo­
cupado; mas, quando percebeu a
paixão que eu tinha por aquilo, me
deixou seguir. No ano seguinte, me
transformei no repórter mais jovem “A lição mais importante
contratado pela TV Globo, tendo
apenas um ano de experiência em
(nesses 30 anos de carreira) é
rádio e, depois, num jornal da cida- manter o mesmo entusiasmo
de, o que demonstra o quanto rica
é a experiência no pequeno veículo do primeiro dia. A hora que
de comunicação. eu perder isso talvez seja o
BV — Como você avalia a atuação momento de fazer outra coisa.
dos profissionais nestes veículos Mas me sinto muito longe
de comunicação de pequeno
porte? desse dia, porque quando
Cabrini — Constantemente
tenho uma reportagem pela
me encontro com alunos de co-
municação e todos eles pensam, frente o entusiasmo é o mesmo
invariavelmente, em trabalhar
num grande veículo de comuni- que senti no primeiro dia.”
cação, quando a grande escola
é o pequeno veículo. Acho im-
prescindível ter essa experiência Ganhador de mais de oito prêmios, Cabrini coleciona
— mais importante ainda do que honrarias, entre elas, a de melhor repórter da TV
a faculdade (que posteriormente brasileira (Troféu Imprensa); vencedor do VI Prêmio
Líbero Badaró de Jornalismo; do 14o Prêmio de Direi-
eu cursei). Nestes lugares, você
tos Humanos de 1997; e, mais recentemente, o Leão
cobra o escanteio e cabeceia, ou de Ouro de Melhor Telejornal, com o Jornal da Noite.
seja, torna-se um polivalente; e

BOA VONTADE | 35
Entrevista na Band

Fotos: Arquivo pessoal


“A melhor
(reportagem) é sempre
a próxima. É assim que
me condiciono: sempre
penso que vou fazer na
próxima a entrevista
da minha vida.”

Nos 30 anos de carreira, Cabrini cobriu seis guerras BV — Para provocar isso, o repór-
internacionais (Afeganistão, Iraque, Palestina, Cam-
boja, Caxemira e Haiti). Nestas imagens, registros das ter deve ter quais qualidades?
reportagens que fez no Iraque. Na foto em destaque, o Cabrini — Acho que existem
jornalista aparece dentro do buraco onde foi encontrado algumas palavras essenciais que
Saddam Hussein, em Tikrit, sua cidade natal. formam o bom repórter. A primei-
ra é inquietação: você tem de ser
realmente descobre a sua paixão, amo a rua e, hoje, mesmo sendo um eterno inquieto, sempre achar
porque você não ganha pratica- editor-chefe e âncora, não deixo que há uma reportagem melhor
mente nada, mas faz aquilo com de exercer esse papel, porque que não foi feita, um ângulo
amor. a reportagem é o grande barato não-explorado, algo relevante
do jornalismo; é o coração da que não está sendo demonstrado.
BV — Qual é o maior desafio na profissão! Outras são: determinação, que
reportagem e o que a faz espe- é muito importante; paciência;
cial? BV — Entre todas as reportagens, sensibilidade; iniciativa; e estar
Cabrini — A reportagem é qual foi a melhor? permanentemente antenado com
a essência do jornalismo — dá Cabrini — A melhor (reporta- o que está acontecendo. Tudo
até para radicalizar, dizendo que gem) é sempre a próxima. É assim começa com esses valores bási-
tudo que não seja reportagem é que me condiciono: sempre penso cos. Sem isso, você jamais será
mera burocracia. Evidente que que vou fazer na próxima a entre- um grande repórter. Se tiver de
há um certo exagero nisso. Mas vista da minha vida. É evidente escolher uma grande qualidade, a
uma redação que não privilegia que existem aquelas matérias que inquietação, na minha análise, é a
a reportagem não está tendo um geraram grande repercussão — e principal, porque todas as outras
contato direto com a comunidade, não existe nada mais gratificante advêm dela.
com o público. A reportagem é o do que o público lembrar de uma
coração do jornalismo. É preciso matéria que você fez há 8, 10 anos. BV — Você já cobriu diversas
que ela seja atuante, ousada, cria- A maior contribuição do jornalista guerras, qual episódio mais mar-
tiva, tenha os olhos muito volta- é a de gerar reflexão, provocar cante?
dos para a rua; traga o jornalismo questionamento nas pessoas. Não Cabrini — Em toda guerra o
da rua para a redação e não como fazer com que pensem como você que marca mais é o sofrimento da
muita gente faz, quando concebe e que tenham os mesmos valores, população, são pessoas inocentes
as matérias na redação e sai na mas que elas possam, ao acompa- que morrem. Mas a situação que
rua apenas para confirmar aquilo nhar uma reportagem sua, ques- mais me impressionou foi quando
que já foi imaginado. Isso é muito tionar situações, comportamentos vi um fuzil apontado para minha
errado! É na rua que brotam as e disso gerar uma evolução. O cabeça. Nós estávamos em uma vila
grandes idéias, que brota o ver- jornalismo só tem sentido quando muita pequena e pobre que estava
dadeiro jornalismo. Por isso, eu provoca reflexão, discussão. sendo totalmente destruída por uma

36 | BOA VONTADE
milícia que atuava no local três anos da sua vida, eu

Arquivo BV
porque seus moradores cobria a Fórmula 1 durante
tinham ajudado as tropas toda a temporada. Naquela
inimigas. Quando estáva- época, em 1994, fui um
mos saindo de lá fomos in- dos primeiros jornalistas
terceptados, o cinegrafista a chegar ao hospital para

n
sa
evi
l Tr
e eu. E eles botaram o fuzil Ayrton Senna acompanhar tudo o que os

nie
Da
na nossa cabeça, fazendo médicos diziam, todos os
menção de disparar. O cinegrafista boletins. No momento de anunciar
ficou em pânico. Eu consegui falar a morte dele, tive de me concentrar “A maior contribuição
as palavras no idioma local e mos- ao máximo para que a emoção não do jornalista é a de
trar que estávamos supostamente prejudicasse a minha precisão nas
perdidos; nas poucas palavras que informações. Julguei ser muito im- gerar reflexão, provocar
usei, eles me entenderam e chama- portante manifestar uma certa emo- questionamento nas pessoas.
ram um superior que falasse inglês ção, o que significa respeito, porque
e para este eu pude me explicar era como se estivesse anunciando a Não fazer com que as
melhor. Mas nos minutos em que morte de um ente querido coletivo
pessoas pensem como você
a impulsividade dos que queriam de toda uma nação — assim era o
nos executar se contrapunha aos Ayrton Senna: foi como se todo o e que tenham os mesmos
que manifestavam intenção de nos brasileiro tivesse perdido um irmão,
ouvir, esses minutos foram muito tamanho era o carisma dele, a sua valores, mas que elas
longos e você só descobre como comunicação com as pessoas e o possam, ao acompanhar uma
reage a essas experiências vivendo- seu talento. Então foi uma questão
as. Não existe segurança total numa de conciliar emoção com precisão reportagem sua, questionar
guerra: uma bala perdida pode das informações e, no momento de situações, comportamentos
atingi-lo, uma bomba pode cair na anunciar a morte mesmo, acho que
sua cabeça a qualquer momento, consegui me expressar bem porque e disso gerar uma evolução.
mas existem situações de maior e disse: “Uma notícia que a gente ja-
O jornalismo só tem sentido
de menor risco. E, se você entrar em mais gostaria de dar”. Foi uma frase
pânico, fatalmente tomará decisões que saiu com simplicidade, mas ao quando provoca reflexão,
que vão colocá-lo em situações mesmo tempo representou toda a
muito mais arriscadas. Ainda na- dor de um País. Cinco dias depois, discussão.”
quele dia, a gente acabou tendo uma
espécie de banquete oferecido pelos
Daniel Trevisan

líderes da milícia: banquete à moda Minutos antes de


deles — basicamente pão, tomate apresentar o Jornal
e chá, com muito mosquito. Mas da Noite, Cabrini
aquele, com certeza, foi o melhor revisa as notícias
chá que eu tomei em toda a minha
vida (risos).

BV — Dos momentos desafiantes,


qual vem à mente?
Cabrini — A morte do Senna
foi um dos momentos mais desafia-
dores da minha carreira, até porque
tinha uma relação profissional muito
intensa com o Ayrton Senna. Fui
o repórter que mais teve contato
com ele na televisão. Nos últimos

BOA VONTADE | 37
BV — Como é para você estar

Daniel Trevisan
todo dia no Jornal da Noite?
Cabrini — Fazer o Jornal da
Noite é um privilégio muito gran-
de, porque ele tem muito da minha
cara, privilegia reportagem; nele
convivo diretamente com a equipe
e com aquilo pelo que sou realmente
apaixonado, que é a reportagem.
Fico feliz porque estou à frente do
Jornal da Noite há 4 anos e temos
uma equipe muito unida que gosta
Cabrini com parte da sua equipe, depois da edição do de fazer o telejornal. Nela 80% dos
telejornal. Da esquerda para a direita, estão: Daniel
Graciano (editor de internacional); Thiago Feitosa
profissionais são muito jovens e
(editor); Alan Covas (produtor); Eduardo Nerath (edi- extremamente apaixonados pelo
tor-executivo); Juliano Nunes (produtor); e Maurício estilo do jornal e evoluem com
Vessoni (chefe de reportagem). No destaque abaixo, ele. Essa fórmula que privilegia a
nin

o jornalista Paulo de Tarso Porrelli (editor), Renata


grande reportagem (com temas mais
Leilla To

Caetano (repórter), João D’Andrea (produtor), e


Angélica Pires (editora). ousados) que a gente faz principal-
mente no primeiro bloco,
quando fiz minha mas extremamente fa- e nos outros traz todas

Divulgação
última matéria sobre isso, mosas, a exemplo de Ted as notícias, foi atingida
aí que pude sentir a grande perda, Koppel. Logo no início da com o decorrer do tempo.
porque até então estava anestesiado minha carreira (aos 21, 22 Não foi uma fórmula que
pelo trabalho. O jornalista não pode anos) fui para os Estados nós descobrimos logo no
se deixar dominar pelo sentimento Unidos. Depois tive uma primeiro momento. Fer-
e nem se mostrar totalmente frio, bolsa aos 26 anos e fui seu Ted Koppel nando Mitre participou
alguém que não se sensibiliza com a correspondente. Então, co- ativamente desse processo,
morte de uma pessoa da estatura de nheci o negativo e o positivo do jor- atualmente o Fernando Vieira de
um Ayrton Senna. Um meio-termo é nalismo americano. Ele influenciou Melo também.
o fundamental. Este foi, sem dúvida, muito minha carreira, com certeza.
um episódio muito desafiador na Mas, às vezes, quem o marca não BV — Como é estar na Band, essa
minha carreira. são pessoas necessariamente co- Casa que completou 70 anos de
nhecidas assim. Eu me lembro de existência e tem uma grande
BV — Qual a lição mais importan- Jaime Luiz, um repórter da rádio importância na comunicação
te nesses 30 anos de carreira? do interior onde eu trabalhava. Ele brasileira?
Cabrini — A lição mais impor- me ensinou coisas fundamentais, Cabrini — Trabalhar na Band e
tante é manter o mesmo entusiasmo como ser muito ousado, não ter ter como Presidente o senhor João
do primeiro dia. A hora que eu medo de perguntar e, ao Carlos Saad — uma pes-
perder isso talvez seja o momento mesmo tempo, fazer a soa cujo entusiasmo passa
Antonio Chahestian/Record

de fazer outra coisa. Mas me sin- pergunta da forma mais para você — é um enorme
to muito longe desse dia, porque objetiva possível. Cito privilégio. Não estou aqui
quando tenho uma reportagem pela ainda o Márcio Terra, somente elogiando o Presi-
frente o entusiasmo é o mesmo que outra pessoa importante dente da empresa. Eu pos-
senti no primeiro dia. lá em Piracicaba, que me so citar um episódio, por
deu a primeira oportunida- Juarez Soares exemplo, quando fui cobrir
BV — Quais as pessoas que mais de; o Juarez Soares, que a guerra do Iraque. Estava
influenciaram nessa sua trajetória me influenciou profunda- com tudo pronto e, de repente, chega
vitoriosa? mente pelo seu estilo e raciocínio à minha casa, sem que eu pedisse
Cabrini — São muitas; algu- rápido. ou soubesse, uma série de camisas

38 | BOA VONTADE
Fotos: Divulgação TV Band
Entrevista na Band

Fernando Mitre, Diretor Nacional de Johnny Saad, Presidente do Grupo Fernando Vieira de Melo, Diretor Executivo
Jornalismo. Bandeirantes. de Jornalismo.

da Seleção Brasileira e um bilhete o telejornalismo da Band vive uma Legião da Boa Vontade, que é
do Presidente da empresa, dizendo etapa extremamente especial de a questão da Solidariedade. O
que aquelas camisas eram para me reconhecimento, de dinamismo e jornalismo que não pensa em in-
ajudar. É muito bom você trabalhar de conquistas. crementar Solidariedade, que não
num local que tem tradição no jorna- promove tolerância, compreensão,
lismo, que vem desde a Rádio Ban- BV — Qual o recado aos que estão é inútil. Então, acredito que são
deirantes, um compromisso antigo, entrando agora no jornalismo, o ensinamentos fundamentais para
duradouro, com a informação. Para que eles podem esperar? quem está começando. Inquietação,
mim, é um privilégio muito grande Cabrini — Eles podem apren- determinação, mas, acima de tudo,
vivenciar o momento atual em que der algo tão genuíno da própria humanidade.
Daniel Trevisan

“Os profissionais que estão


ingressando no jornalismo
podem aprender algo tão
genuíno da própria Legião
da Boa Vontade, que é a
questão da Solidariedade.
O jornalismo que não
pensa em incrementar
Solidariedade, que não
promove tolerância, que
não promove compreensão,
é inútil.”

Ao término da entrevista, Cabrini olhou para os monitores da redação da emissora que, naquele instante, exibiam o Programa
Boa Vontade, com Paiva Netto, e disse que sempre que pode o assiste, frisando que o discurso do dirigente da Legião da Boa
Vontade é forte e eloqüente. Veiculado na TV Bandeirantes desde 1983, vai ao ar de segunda a sexta-feira, logo após o programa
A Noite é uma criança, apresentado por Otávio Mesquita, também amigo da LBV.

BOA VONTADE | 39
Nações Unidas

Parcerias
globais
Conferência da ONU, em Genebra, reúne sociedade civil
e representantes de governos no combate
à fome e à miséria. A atuação da LBV, entidade brasileira
com status consultivo geral nas Nações Unidas, foi
destacada como modelo das Américas.

Leila Marco e Danilo Parmegiani

Visão geral do salão 19, no Palais des


Nations, escritório da ONU em Genebra,
onde se realizou a Assembléia do High-
Level Segment 2007.
i
rmegian
Photos.com

Danilo Pa

40 | BOA VONTADE
Danilo Parmegiani

Eduarda Pereira
O Secretário-
Geral da
ONU, Ban
Ki-moon,
manifestou seu
apoio ao trabalho
da LBV assinando
Representantes da LBV, da esquerda para a direita: Noys Rocha (Portu-
a capa da revista
gal), Conceição de Albuquerque (EUA) e Rosana Bertolin (Brasil) com
Globalization of
a revista da LBV. Ao centro, o Secretário-Geral da ONU e no lado direito da foto
Fraternal Love.
a sra. Hanifa Mezoui, Chefe da Seção de ONGs do UN/DESA.

J
á se foi a primeira metade dos
Eduarda Pereira

quinze anos estipulados para “É poderosa a mensagem


o cumprimento dos oito Ob-
da LBV. Somente com a
jetivos de Desenvolvimento
do Milênio (ODMs), adotados por globalização do Amor em todo
191 países membros na cúpula de o seu sentido teremos Paz,
governantes promovida pelas Na-
ções Unidas em 2000, e o Planeta progresso e prosperidade para
amarga ainda números desafiantes. toda a Humanidade.”
Basta ver, por exemplo, o resultado
do recente estudo da Organização Hilario Davide
das Nações Unidas para a Agri- O Dr. Hilario (E) com a revista
Vice-Presidente do Conselho
cultura e a Alimentação (FAO), ao Globalização do Amor Fraterno, Econômico e Social da ONU.
e Danilo, da LBV.
apresentar o relatório “O estado da
insegurança alimentar 2006”, no
qual se constata que 854 milhões tivos — têm merecido
de pessoas passam fome no mundo, destaque na agenda da
ou seja, cerca de 17% da população ONU (Veja na página 45
planetária. Desses, 820 milhões as demais metas).
moram nos países em desenvolvi- Como parte das medidas para
mento, 25 milhões em nações da tornar realidade esse megaprojeto,
antiga União Soviética e 9 milhões mecanismos mais eficientes são
nos Estados mais ricos. Não é sem utilizados pela Organização para a
motivo que a redução em 50% da análise complexa das informações.
pobreza extrema e da fome e a Um deles é o Exame Ministerial
cobertura universal da educação do Conselho Econômico e Social
básica — os dois primeiros obje- (Ecosoc), criado em 2005, cujas

BOA VONTADE | 41
Rosana Bertolin
Nações Unidas

Eduarda Pereira

Eduarda Pereira
Conceição de Albuquerque entrega o documen- O Embaixador da Missão Permanente da A Dra. Michele Billant-Fedoroff, Chefe Adjunta da
to da LBV ao Presidente do Painel Intergoverna- República Dominicana nas Nações Unidas, Seção de ONGs do Ecosoc, com a versão da revista
mental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), Dr. sr. Francis Lorenzo (D), com a revista da Globalização do Amor Fraterno em francês.
Rajendra K. Pachauri, eleito em 2002. LBV.

conclusões foram apresentadas, reu em março, em diversas cidades O encontro em Genebra teve
em sua sessão inaugural, na mais do País e na América Latina, com a incumbência de compartilhar
importante reunião anual do Con- a participação de 1.124 entidades com a sociedade civil, os chefes de
selho: o High-Level Segment 2007, dessas regiões, e abordou o tema Estado, conselheiros ministeriais e
realizada de 2 a 5 de julho, no Palais “Parcerias globais para desenvol- Alto Comissariado da ONU boas
des Nations, escritório da ONU em vimento — Fortalecendo esforços práticas que possam ser multipli-
Genebra/Suíça. para a erradicação da pobreza e da cadas, novas tecnologias sociais e
fome”. estratégias intersetoriais.
LBV representa o Brasil e a A presença brasileira foi ressalta-
América Latina da em dezenas de meios de comu- Secretário-Geral das Nações
Esse exame é feito em vá- nicação, a exemplo do programa A Unidas visita estande
rios níveis, incluindo as consi- Voz do Brasil (da Agência Brasil), na brasileiro
derações da sociedade civil. A Rádio da ONU em língua portugue- A cerimônia de abertura, con-
convite da ONU, a Legião da sa, além de ter sido lembrada, no dia duzida pelo Secretário-Geral da
Boa Vontade (LBV), como organi- 10 de julho, pelo Deputado Federal ONU, Ban Ki-moon, contou com
zação com status consultivo geral Luiz Bassuma, em pronunciamento representantes dos países membros
no Ecosoc desde 1999, representou na sessão plenária da Câmara dos do Ecosoc. Em seguida, o Secre-
a América Latina no evento. Na Deputados em Brasília/DF. tário-Geral visitou a mostra de
oportunidade, a Instituição levou
a experiência de um trabalho so-
cioeducacional realizado há quase
60 anos, que começou no Brasil, Boa Vontade, destaque das Américas
e também o resultado da 1ª Feira A Seção de ONGs do Departamento de Assuntos Econômicos
e Sociais das Nações Unidas disponibilizou um blog na internet
de Inovações Rede Sociedade
(www.amrif.blogspot.com), no qual destaca as ações da LBV como
Solidária, organizada pela LBV
a representação das Américas na conferência mundial do Ecosoc
com o suporte do Departamento
High-Level Segment 2007. Na página, é possível assistir a um vídeo
de Assuntos Econômicos e Sociais
sobre o trabalho da Instituição brasileira, ver mais de duzentas fotos
da ONU (UN/Desa) e do Centro de
da sua atuação no Encontro e ainda fazer o download da revista
Informação das Nações Unidas no
Globalização do Amor Fraterno nos idiomas inglês e francês.
Brasil (UNIC-Rio). O evento ocor-

42 | BOA VONTADE
Danilo Parmegiani

Arquivo BV
O simpático Dr. Juan Somavia, Diretor-Geral da Organização In- Noys Rocha (LBV de Portugal) entrega a revista Globalization of
ternacional do Trabalho (OIT), ao lado de Conceição de Albuquer- Fraternal Love para membros da International Ontopsychology
que, destacando a revista Globalização do Amor Fraterno. Association, também presente na 1a Feira de Inovações da ONU.

trabalhos das instituições presen- da Boa Vontade. A Dra. Hanifa

Eduarda Pereira
tes. No estande da LBV, observou Mezoui, Chefe da Seção de ONGs
atentamente os painéis com foto- do UN/Desa, acompanhou o Se-
grafias e histórias de sucesso da cretário-Geral na visita.
Organização brasileira, apreciou No dia 4 de julho, Conceição
as pinturas temáticas e recebeu de Albuquerque, mestra em
a revista Globalização do Amor Educação pelo Gratz College, no
Fraterno (inicialmente editada em Estado da Pensilvânia, discursou,
português, inglês, francês e espe- em nome da LBV, na Assembléia
ranto), que traz a mensagem de do High-Level Segment 2007,
Paiva Netto com recomendações conduzida pelo Vice-Presidente
de boas práticas no cumprimento do Conselho Econômico e Social,
dos ODMs e foi alvo de especial Dr. Hilario Davide. Essa apresen-
LBV apresenta suas ações na Assembléia do
atenção dos participantes. Ban tação aos chefes de Estado resumiu High-Level Segment 2007. A declaração teve
Ki-moon registrou seu encontro o relatório que a LBV entregou à tradução simultânea para os seis idiomas
com a LBV ao assinar a capa da ONU como recomendação e que oficiais da ONU.
publicação, ratificando seu apoio o próprio Organismo traduziu
às ações empreendidas pela Legião para os seus seis idiomas oficiais,
Conceição de Albuquerque
ês
Portugu Inglês Francês Esperan
to

zação zation sation


Globali or Globali rnal Globali our
do Am of Frate l’Am
o
Fratern Love
de
el
Publicaç
ão espe
cial da
High-Lev
Legião
el Segm
da Boa
ent 200
Vontade
dirigida
7, do Ecos
• DE 2
oc (ON
A 5 DE
aos
U).
JULH O
of Goo
d Will’s
publica
tion for
High-Le
the par
vel Seg
ticipants
ment 200
ND • JULY
7
2-5
Fratern
ion spéc
iale de
la Légion
de la Bon
ent 200
ne Volo
7, au ECO
nté adre
SOC (ON
2 AU 5
ssée
U).
JUILL ET
ntes do BRA •
SUÍÇA
Legion ECOSOC ZERLA Publicat -Level Segm E • DU
participa NS • GENE Nations VA • SWIT du High VE • SUISS
NATIO
DES United NS • GENE icipants • GENÈ
PALA IS of the PALA IS
DES NATIO aux part IS DES
PALA
NATI ONS

57- anos 57- years 57- ans

Estande da Legião da Boa Vontade na 1a Feira de Inovações da


ONU, em Genebra, Suíça.

BOA VONTADE | 43
Nações Unidas

“A Legião da Boa Vontade luta,

Conceição de Albuquerque

Noys Rocha
principalmente, por formar
o caráter das crianças com
valores como o Amor, e fazer
com que elas se tornem calmas,
conscientes. Uma Educação
firmada nesses valores pode
Ricardo Espinosa (D), Coordenador da Meena Sur, do UN/Desa, e Ekaterina
mudar completamente uma Seção de ONGs do escritório da ONU Zagladina, Secretária Permanente dos
em Genebra, com Danilo, da Legião da Laureados da Cúpula do Prêmio Nobel da
sociedade e fazer as pessoas Boa Vontade. Paz, em Roma, e o representante da LBV.
viverem em Paz, e, dessa forma,
contendo o resultado da 1ª Feira incentivo à Instituição: “Estou fe-
melhorar o mundo inteiro.” de Inovações Rede Sociedade So- liz pelo fato de o Secretário-Geral
Anna Mwasha lidária (a íntegra pode ser obtida no das Nações Unidas ter visitado o
Diretora do Departamento de Erra- site www.redesociedadesolidaria. estande da LBV e parabenizado a
dicação da Pobreza, do Ministério do org.br). ação que realizam tão bem, encora-
Planejamento Econômico e Empode- Em seguida, a palavra de Con- jando-os a continuar trabalhando
ramento da República da Tanzânia. ceição, recebida com entusiasmo cada vez melhor no futuro”. E
pelo público, o Dr. Hilario comen- completou: “Para nós, das Nações
Eduarda Pereira

tou: “É poderosa a mensagem da Unidas, é muito importante que


LBV. Somente com a globalização desenvolvamos essas parcerias
do Amor em todo o seu sentido entre a ONU, ONGs e a sociedade
teremos Paz, progresso e prosperi- civil. A Legião da Boa Vontade é
dade para toda a Humanidade”. um desses braços da sociedade,
A Dra. Michele Billant-Fe- especialmente na América Latina.
Ao centro, Anna Mwasha, da Tanzâ- doroff, Chefe Adjunta da Seção A LBV faz um trabalho incrível ao
nia, com Rosana e Conceição, da LBV. de ONGs do Ecosoc, deixou seu promover a Feira de Inovações”.

As várias cores da fome


Este é o mapa da fome traçado pela Orga-
nização das Nações Unidas para Agricultura
e Alimentação (FAO), divulgado com o re-
latório “O estado da insegurança alimentar
2006”. O estudo, feito três anos antes de
ser publicado, revela a porcentagem da
população desnutrida dos países. Os que
têm maior número de famintos são repre-
sentados pelas cores mais fortes. Liderando
a lista estão: República do Congo, Libéria,
Serra Leoa, Eritréia, Tadjiquistão e Haiti.
Nesses locais, mais de 50% da população
enfrentam a desnutrição. O Brasil aparece
no ranking ao lado de países como México
e China, regiões onde a fome afeta entre
5% e 15% das pessoas.

44 | BOA VONTADE
Noys Rocha
O Xeque Khalifa
Bin Salman Al
Khalifa, Primeiro-
Ministro do Reino
de Bahrein, cumpri-
menta a represen-
tante da LBV. Ele
foi homenageado
na cerimônia de

Conceição de Albuquerque
abertura pelo Secre-
tário-Geral da ONU
com uma placa pelo
trabalho em prol
da erradicação da
fome e da pobreza O economista norte-americano Jeffrey
em seu país. Sachs recebe a publicação da LBV

Educação na erradicação da unidades da LBV do Exterior (Ar-


pobreza gentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia,
Na manhã seguinte, 5 de julho, Portugal e Estados Unidos). Co- Oito Objetivos
a Organização para a Educação, mentou a própria experiência como do Milênio
Ciência e Cultura (Unesco), das voluntária no programa Peace and
Campanha de divulgação dos
Nações Unidas, promoveu uma Good Will Garden, desenvolvido Objetivos do Milênio no Brasil, criada
mesa de debates com o tema “De- nos Estados Unidos, e ressaltou pelo premiado publicitário Percival
Caropreso, da agência McCann-Erickson.
senvolvimento do papel da Edu- que, mais que receber um diploma,
cação na erradicação da pobreza os alunos que se beneficiam dessa
— Desafios de qualidade, acesso linha educacional se transformam
e igualdade”. Para essa reunião em cidadãos comprometidos com
de alta cúpula, foram convidados o entendimento entre os povos,
chefes de Estado do Japão, da In- agentes construtores da Paz, pre-
glaterra, dos Estados Unidos, da ocupados em disseminar o Amor
Rússia, da Tanzânia, do Quênia Fraterno.
e da Etiópia, além da Legião da Depois da explanação, muitos
Boa Vontade, que representou a foram dar seu incentivo à causa,
sociedade civil. como o Dr. Koichiro Matsuura,
O debate foi intermediado pelo que mostrou também o interesse
Diretor-Geral da Unesco, Koichiro da Unesco em fomentar a cida-
Matsuura, e Conceição de Albu- dania e valores éticos e morais
querque apresentou ao público a no caráter da criança tendo como
Pedagogia do Cidadão Ecumênico, base a Educação com princípios
a Pedagogia do Afeto, linha educa- universais.
cional preconizada por Paiva Netto O Dr. Matsuura ainda agradeceu
que alia intelecto, sentimento e Espi- a presença da LBV no encontro e a
ritualidade. Conceição explicou, em preocupação da Obra em promo-
sua palestra, que os educadores da ver uma Educação com qualidade
Instituição têm alcançado grande su- e valores de cidadania.
cesso no processo de aprendizagem Anna Mwasha, Diretora do
com a aplicação dessa pedagogia, Departamento de Erradicação
não só no Brasil, mas em diversas da Pobreza, do Ministério do

BOA VONTADE | 45
Segundo estudo

Conceição de Albuquerque

Noys Rocha
da Organização das
Nações Unidas para
a Agricultura e a
Alimentação (FAO),
854 milhões de
pessoas passam fome
Conceição de Albuquerque com o sr.
Koichiro Matsuura, Diretor-Geral da no mundo, cerca de
Unesco. Ele intermediou um debate
entre chefes de Estado sobre a ajuda da 17% da população
Acima, o Sr. Amitava Tripathi, Embai- Educação para erradicar a pobreza e a
xador da Índia na Suíça e no Vaticano, fome. No encontro, a LBV representou a planetária.
ladeado por Danilo e Rosana, da LBV. sociedade civil.

Planejamento Econômico e Em- sociedade, fazer as pessoas viver


Abaixo, Nicholas Burnett, Diretor do
Relatório de Monitoramento Global de poderamento da República da em Paz e, dessa forma, melhorar
Educação para Todos (EPT), da Unesco, Tanzânia, impressionou-se com o mundo inteiro”.
com Conceição, da LBV. Anna encorajou a continuidade
as propostas apresentadas e fez
Danilo Parmegiani

questão de unir-se à comitiva da do trabalho e fez um pedido espe-


LBV, ressaltando o valor da Pe- cial: “Gostaria que a LBV viesse
dagogia do Cidadão Ecumênico: nos visitar para que possamos
“A LBV está fazendo um trabalho introduzir essa linha educacional
maravilhoso, principalmente ga- para as crianças da Tanzânia”. E
rantindo que as crianças recebam concluiu, comentando o alto sig-
uma Educação com qualidade e nificado do distintivo da LBV, em
valores. São valores diferencia- forma de um coração azul: “Essa
dos, que desenvolvem seu cére- logomarca significa muito, pois
bro e coração. No futuro, essas quer dizer Amor, é um símbolo
crianças farão toda a diferença global. E se alguém tem Amor,
na sociedade, mudando-a com- sabemos que a Paz estará lá, que
Eduarda Pereira

pletamente, fazendo a Paz pre- o desenvolvimento estará lá; por


dominar por toda parte. Isso me essas pequenas coisas é que você
deixou muito emocionada. Nos poderá, espiritualmente — e até
países mais desenvolvidos, fala-se academicamente —, comparti-
muito em melhorar a qualidade lhar com os outros. Então, com os
da Educação, mas entendo que a poucos recursos que uma pessoa
Legião da Boa Vontade luta, prin- possa ter, se lá estiver o Amor, é
cipalmente, por formar o caráter possível compartilhar e levar o
das crianças com valores como desenvolvimento para muitos”.
o Amor e fazer com que elas se Outras autoridades se emo-
tornem calmas, conscientes. Uma cionaram com os ideais da LBV,
O Secretário-Geral da Droit à l’énergie
SOS Futur, o francês Serge Perez, com Educação firmada nesses valores entre elas Victor Manuel Bar-
Danilo Parmegiani. pode mudar completamente uma bosa Borges, Ministro dos Ne-

46 | BOA VONTADE
Eduarda Pereira

LBV apresenta Objetivos de


Desenvolvimento do Milênio em telas
A Legião da Boa Vontade, que possui um trabalho abrangente e
universalista, tem levado seu recado fraterno também pela arte. Um
bom exemplo ocorreu durante a reunião do High-Level Segment
da ONU, em Genebra/Suíça, quando autoridades e representantes
da sociedade civil puderam apreciar três das oito obras, apresen-
tadas primeiramente no Brasil na mostra “Faça a Diferença”,
que integrou a 1ª Feira de Inovações Rede Sociedade Solidária,
A Secretária Executiva do Ministério do De­ organizada pela LBV, com suporte do UN/Desa e do UNIC-Rio,
sen­volvimento Social e Combate à Fome,
no Templo da Boa Vontade, em Brasília/DF. Veja, abaixo, as telas
Márcia Lopes, que chefiou a delegação do
Brasil, em Genebra, ao lado de Conceição de escolhidas pelas Nações Unidas para ilustrar os temas em destaque
Albuquerque. na conferência de Genebra:

1o Objetivo — Acabar com a fome


gócios Estrangeiros, Cooperação e a miséria. Obra: Amor, o princípio
e Comunidades da República de da vida. Artista: Hermínia Metzler.
Cabo Verde; de George Saitoti,
Ministro de Educação do Quê-
nia; e Nicholas Burnett, Diretor
do Relatório de Monitoramento
Global de Educação para Todos
(EPT), da Unesco. 2o Objetivo — Educação
básica de qualidade para todos.
Representantes de outros Obra: Educação de qualidade
países apóiam a iniciativa para todos. Artista: Adauto
No estande da LBV, represen- Pereira.
tantes de vários segmentos entra-
ram em contato com a Instituição.
Alguns ficavam surpresos com a 8o Objetivo — Todo mundo trabalhan-
participação dela em tantas ativi- do pelo desenvolvimento. Obra: Todos
dades, a exemplo de Serge Perez, Trabalhando. Artista: Nazaré Martins.
Secretário-Geral da associação
Droit à l’énergie SOS Futur (Direito
à energia SOS Futuro): “Estou muito
feliz em ver a Legião da Boa Vontade
por toda parte. Isso é muito impor- Serge elogiou o fato de a pu- lhoso ver o Yasser Arafat e tantos
tante para nós”. Ele acredita que o blicação Globalização do Amor Prêmios Nobel falando sobre o
problema da pobreza e da fome não Fraterno estar também em seu Templo da Boa Vontade (em Bra-
pode ficar apenas “nas mãos dos idioma pátrio: “É muito bom ter sília/DF). Podemos construir um
governantes. Todos nós precisamos essa mensagem da LBV em fran- mundo sem guerras, melhor”.
apressar os Estados para irem além cês. Fraternidade, Paz e Amor Igualmente visitaram o estande
dos Objetivos de Desenvolvimento são sentimentos importantes da LBV e receberam a revista com
do Milênio”. para todas as pessoas. É maravi- as recomendações de boas práticas

BOA VONTADE | 47
Nações Unidas

no cumprimento dos ODMs, Ali Netto, que estou lendo, ele atribui
Cherif, Conselheiro da Missão da uma enorme importância ao êxito
Tunísia; Abha Bahadur, Rela- dos Objetivos de Desenvolvimento
ções Internacionais da Organiza- do Milênio, o que resultará na
ção Internacional Sulabh; e o sr. melhoria geral da Humanidade.
Amitava Tripathi, Embaixador Quanto mais essa mensagem se
da Índia na Suíça e no Estado do espalhar pelo Planeta, melhores
Vaticano, que foi especialmente da serão as chances de os Objetivos
Em frente ao escritório da cidade onde reside, Berna (capital do Milênio serem alcançados”,
ONU em Genebra, a equipe da LBV, com o
da Suíça), para encontrar-se com declarou o Embaixador.
coração azul, símbolo da Instituição, depois de
proferir a prece ecumênica do Pai-Nosso, men- integrantes da Instituição. “Tenho A Secretária Executiva do Mi-
talizando o sucesso da reunião, que discutia os grande simpatia e respeito pelo tra- nistério do Desenvolvimento So-
avanços de dois dos oito Objetivos de Desen-
volvimento do Milênio, os quais prevêem a re-
balho maravilhoso que a Legião da cial e Combate à Fome, Márcia
dução em 50% da pobreza extrema e da fome e Boa Vontade faz no Brasil e fora Lopes, que chefiou a delegação
a cobertura universal da educação básica. dele. No artigo do senhor Paiva do Brasil no High-Level Segment,
comentou as ações do programa
Fome Zero, do governo federal, e
Palais des Nations (Genebra/Suíça) — É considerado a preocupação constante do Presi-
o segundo lugar de importância das Nações Unidas e o dente Lula em cobrar das nações
quartel-general europeu da Organização para assuntos de mais ricas uma cooperação maior
desenvolvimento e ajuda humanitária. O prédio, construído para os ODMs. Márcia asseverou
nos idos de 1920 a 1930, serviu primeiramente à Liga das a relevância das organizações civis,
Nações, dissolvida em 18 de abril de 1946, com o término a exemplo da LBV, nessa emprei-
da Segunda Guerra Mundial. Meses depois, o monumento tada: “Toda essa abertura, inteli-
tornou-se oficialmente sede da ONU. gência da Legião da Boa Vontade a
O fato de esse escritório estar localizado na Suíça foi re- serviço das comunidades, da popu-
levante em diversos momentos, como no terremoto de lação e do aprendizado do próprio
26 de dezembro de 2004 e no tsunami que se seguiu Governo é de um mérito indiscutí-
a ele, quando foram deixadas, em seu rastro, mais vel. A presença da Instituição em
de 232 mil pessoas mortas e/ou desaparecidas todo o mundo com seu exemplo
ao atingir 13 países na Ásia e na África. Na de persistência, de continuidade,
ocasião, o Palais des Nations serviu de de uma construção cotidiana, que
base estratégica da ONU em razão da vai vencendo e alcançando os
menor distância e da pouca dife- resultados para os quais se pro-
rença de fuso horário para as pôs, é admirável. Parabenizamos
áreas devastadas. (a LBV) pelas iniciativas e pelos
resultados; por estar neste evento,
em que centenas de países estão
presentes, e a LBV está partilhan-
do esse processo, essa construção
coletiva. Ela é um exemplo para
inúmeras outras entidades e orga-
nismos internacionais”.
Colaboração: Rosana Berto­lin,
Conceição de Albuquerque, Noys
Rocha e Eduarda Pereira.
Opinião — Mídia

A TV
e o desafio
de educar
A
s novas Regras de Classifi- Alemanha, França e Canadá, o
Felipe Freitas

cação Indicativa de Progra- Brasil também precisa, por meio


mas de Televisão dispostas de conselhos de representantes da
em portaria governamental, sociedade, eleitos para exercer o
deixando a autoclassificação por controle externo sobre a política
conta das emissoras e assegu- de radiodifusão e telecomunica-
rando ao Ministério da Justiça a ções no País, regular a relação de
palavra final, não encerram a que- sua sociedade com a informação e
da-de-braço entre a TV comercial a qualidade de seu produto.
e o governo, mantêm acesa a luz Na Europa e nos Estados
vermelha de advertência contra a Carlos Arthur Pitombeira, jornalista
Unidos da América do Norte, a e conselheiro da ABI (especial para a
censura e reabrem a discussão so- prática é essa, questão que para os BOA VONTADE)
bre quem deve definir os padrões países do Primeiro Mundo é mui-
éticos da programação, que entra to mais importante do que as que televisão local ultrapassar essa
sem pedir licença na nossa casa. envolvem tecnologia e mercado. demarcação, está prevista a aber-
Os dois lados não parecem dis- Uma das variáveis equacionadas tura de concorrência pública para
postos a substituir a emoção pela pela Lei de Regulação norte- o credenciamento de novos con-
razão e reconhecer que a exem- americana é o limite da audiência cessionários, visando equilibrar
plo do que ocorre na Inglaterra, nacional das emissoras. Se uma o mercado. Lá, por conta dessa

BOA VONTADE | 49
Opinião — Mídia

Os filmes, nos mais diferentes horários,


incitam à violência, mostram a
comercialização, o uso de drogas e
detalham o tráfico de armas. Até nos
infantis sobra socos e pontapés. Se as
pesquisas indicam que as crianças passam
atualmente 50% mais tempo vendo TV do
que fazendo qualquer outra atividade fora
da escola, elas são influenciadas nos seus
conceitos de valores e limites.

estabilidade democrática e a im- de conteúdo que expressem as fusão, ou seja, para a troca legal
posição dos limites de audiência, muitas opiniões da sociedade. de proprietários, que acaba sendo
as TVs comerciais têm de brigar O modelo de concentração feita antes do prazo, adotando-se
é pela qualidade da programação vertical, em que se procura inte- a prática dos “contratos de gave-
oferecida. grar as diferentes etapas da cadeia ta” que aquecem esse mercado de
A tendência concentradora da produtiva e de distribuição, é negócios entre os novos conces-
mídia brasileira pode ser notada, cruel, pois um único grupo con- sionários e os donos das grandes
antes mesmo de se manifestar a trola desde os vários gêneros de cadeias de rádio e televisão; e 3)
concentração da propriedade no programas até o que se veicula, A não-existência de normas ou
setor de comunicações no mun- comercializa e distribui. Na co- restrições legais para a afiliação
do. Nossa legislação tem sido municação, poucos proprietários de emissoras de radiodifusão, ou
historicamente tímida ao não significa menos concorrência, seja, para a formação de redes
incluir dispositivos regulatórios diversidade e conteúdo, ou a nacionais e/ou regionais.
nessa área, o que, aliás, segue no possibilidade de restrições — ex- Para o cientista político Gio-
sentido inverso do que ocorre em plícitas ou implícitas, diretas ou vanni Sartori, “uma opinião
nações como a França, a Itália e o indiretas — à livre manifestação pública livre deriva de uma es-
Reino Unido que respeitam dois do pensamento. trutura policêntrica dos meios de
princípios fundamentais da de- Dentre os fatores que têm comunicação e de sua interação
mocracia liberal: a pluralidade e contribuído para a concentração competitiva, sendo sustentada
a diversidade nas comunicações. da propriedade das comunicações por elas”. Segundo ele, somente
A primeira significa garantia de brasileiras, principalmente na em uma sociedade com pluralida-
competição ou a ausência de radiodifusão, pode-se destacar: 1) de de proprietários e diversidade
oligopólios e monopólios, além O não-cumprimento da norma le- de conteúdo estariam asseguradas
de provisões legais que proíbam gal (Decreto 236/67), que limita a as condições indispensáveis para
um mesmo proprietário controlar participação societária do mesmo que se constitua uma opinião
— no mesmo mercado — mídias grupo nas empresas de radiodifu- pública livre e autônoma pelo
distintas, por exemplo, jornal e te- são; 2) O desrespeito ao período debate de idéias, ficando claro,
levisão ou rádio. Já a diversidade de carência de cinco anos para a portanto, que a concentração da
quer dizer a presença nos meios venda das concessões de radiodi- propriedade na mídia coloca em

50 | BOA VONTADE
risco os próprios fundamentos da mos que, por conta da briga pela Os filmes, nos mais diferentes
democracia representativa. audiência, a programação da TV horários, incitam à violência,
O Brasil precisa tomar como comercial disponibilizada para nós mostram a comercialização, o uso
modelo esses exemplos no restante assusta cada dia mais. Na telinha, de drogas e detalham o tráfico de
do mundo. Com a qualidade da a partir das 18 horas, tem de tudo: armas. Até nos infantis sobram
programação de rádio e televisão de atrizes passeando de calcinha socos e pontapés. Se as pesquisas
sendo controlada pela sociedade, a atores desfilando de tanguinhas indicam que as crianças passam
respeitando-se a cultura de cada re- e exibindo-se quase que comple- atualmente 50% mais tempo ven-
gião, estaríamos atendendo àquilo tamente nus, quando focalizados do TV do que fazendo qualquer
que está no Artigo 221 da Consti- pelas costas. São beijos sensuais e outra atividade fora da escola,
tuição, ou seja, promovendo arte, gemidos a todo instante. Há apelos elas são influenciadas nos seus
cultura, educação e informação. Os à prostituição nas cenas em que se conceitos de valores e limites.
Conselhos de Representantes — dá destaque ao estilo de vida das Esse debate sobre as novas
como os já existentes na Alemanha, garotas de programa. E ainda há a regras de classificação indicativa
França, Canadá e Inglaterra —, seqüência de atores que se despem de programas de televisão é muito
acreditamos, acolheriam melhor a todo instante ou apresentam seus bom e precisa mobilizar a socie-
a idéia das rádios comunitárias, o personagens no banho ou agarrados dade, levando para as universi-
que abriria novas perspectivas nas sobre uma cama, simulando uma dades, escolas públicas, fábricas,
áreas de ensino e de informação relação sexual. Esta é a realidade: periferia e a classe média em geral
do povo, cansado de lutar, em vão, pais, filhos, avós, tios e vizinhos, informação sobre os monopólios e
pela comunicação democrá­tica pe­ na sala, uns mais à vontade, outros oligopólios na mídia. E deixar que
la mídia eletrônica. morrendo de vergonha. o povo forme seu conceito sobre a
É preciso deixar de lado qual- Mas o lixo cultural não é uma TV que poderemos ter com a de-
quer corporativismo e reconhecer- exclusividade das telenovelas. mocratização da informação.
Samba & História

Artista Compositor, arranjador,


maestro e cantor, o
consagrado Francis Hime

completo
agrada gerações há mais
de 40 anos.

Hilton Abi-Hihan
(especial para a BOA VONTADE)
Fotos: Arquivo pessoal

Francisco Trombino

Radialista e jornalista Hilton Abi-Hihan,


também é apresentador do programa
Samba e História*

O
músico carioca Francis
Hime já teve medo do
banquinho giratório
do piano aos 6 anos.
Estudava o instrumento por causa
da mãe, Dália Antonina, que era
pintora retratista. Àquela altura,
não imaginava a influência que
suas composições teriam no meio
musical no Brasil e fora dele.
Representante da melhor geração
de compositores surgida no País,
desde a década de 1920 (quando
foram lançados os jovens Noel
Rosa, Ary Barroso, Lamartine
Babo, João de Barro, Ismael
Silva e tantos outros), Francis teve
na sua formação o Estudo Clás-

52 | BOA VONTADE
sico no Conservatório Brasileiro Era um disco semi-amador e eu
de Música e mais quatro anos de era o único que sabia ler música.
internato na Suíça, na fase adoles- Nem sei por que gravaram com
cente, com 16 anos. a gente. Achávamos que esse era
Nessa época, ele ainda divi- o melhor grupo, íamos abafar,
dia seu tempo entre a música e conquistar o mundo”, brinca o
a faculdade de Engenharia na artista sobre o disco, que tinha
Suíça.“Passei no exame corres- como trunfo a assinatura de Tom
pondente ao nosso vestibular, ia Jobim e Ronaldo Bosco na con-
ser engenheiro. Voltei para cá e tracapa.
me tornei engenheiro mecânico, Nos anos de 1970, morou em
nada a ver com a música”, conta Los Angeles, na Califórnia, onde
o artista que queria uma carreira fez cursos com grandes nomes do
mais sólida. Faltou pouco para cinema, como Hugo Friedhofer,
seguir de vez no ramo, o que não David Raksin, Lalo Schiffrin e,
aconteceu graças ao indispensável por sugestão deste último, compôs
apoio dos pais. A decisão veio “Tom Jobim é um piano; com Paul Glass. De volta ao Rio,
mesmo no dia da formatura da fa- Caymmi, um violão; gravou seu primeiro disco como
culdade, quando deveria receber o cantor em 1973, pela Odeon. Sem-
diploma. Todos estavam no Mara- Vinicius, uma caneta; pre escrevendo, foi durante essa
canãzinho, menos ele. “Nesse dia, Noel, um terno branco. década e a seguinte que compôs
preferi participar da inauguração seus maiores sucessos, gravados
de uma TV em São Paulo. Ficou Por analogia, Francis Hime por Roberto Carlos, Tony Ben-
claro que seria músico mesmo”, é uma orquestra (...).” nett, Bill Evans, Lenine, Caeta-
assegura. no Veloso, Ângela Maria, Ivan
O sucesso começa a se dese- Ruy Castro Lins, Nara Leão, Nana Caymmi,
nhar na primeira metade da década jornalista e escritor Adriana Calcanhoto, Fafá de
de 1960, quando Hime assumiu Belém, Beth Carvalho, Daniela
o papel de um dos principais Mercury, João Bosco, Paulinho
protagonistas da Música Popular Tereza sabe sambar, que a Elis da Viola, Zélia Duncan, Djavan,
Brasileira. No mapa da MPB deste Regina gravou”, relembra. Além entre outros.
período, muitos trabalhos tiveram de Vinicius, trabalhou muito com Parte do êxito de Francis deve-
a mão talentosa do pianista. “Mi- o cineasta moçambicano Ruy se à sua facilidade de colocar me-
nha primeira parceria foi com Guerra e Paulinho Pinheiro. lodia em poemas. “Não há uma
o Vinicius de Moraes, em 1963, Foi também o parceiro mais cons-
com a música Sem mais adeus. tante de Chico Buarque; juntos
Essa arrebentou nas emissoras fizeram canções como Meu Caro
de rádio, tocou bastante. Fizemos Amigo e Atrás da Porta, a última
várias canções como Anoitecer e dedicada a Olívia, com quem se
casou em 1969 e tem três filhas e
* Programa Samba e História — Na Super Rede uma neta.
Boa Vontade de Rádio (Super RBV), você pode acom-
panhar essas entrevistas aos domingos, às 5, 14 e
Seu primeiro lançamento foi
20 horas. Pela Boa Vontade TV, o telespectador pode em 1964, com Os Seis em Ponto.
assisti-las aos sábados, às 23 horas. Outra opção para “Éramos seis: um trombone, uma
acompanhar o programa é aos domingos, às 15 ou
23 horas. Pela Rede Mundial de Televisão, confira o
flauta, um violão, um baixo, ba-
O regente, cantor e compositor Francis e
bate-papo aos domingos, às 12 horas. teria e eu no piano instrumental. sua esposa, Olívia Hime.

BOA VONTADE | 53
Samba & História

Piano e Orquestra, Terra Encan-


tada, Sinfonia do Rio de Janeiro
de São Sebastião e a recém-con-
cluída Ópera do Futebol. Hime
regeu a Sinfonia do Rio de Janeiro
em diversas ocasiões em teatros
municipais brasileiros,
na Praia de Copacabana
Na foto, o maes- (para um público de
tro Francis Hime, mais de 20 mil pessoas
Milton Nascimento em 2002) e na Unesco,
e Chico Buarque
estão no estúdio para em Paris, encerrando
a gravação da música as festividades do
Parceiros, em 1984,
ano França-Brasil de
O sucesso começa a se desenhar na para o disco original
2005.
Essas Parcerias. O álbum
primeira metade da década de 1960, reúne, ainda, os cantores Este talentoso
Simone, Elba Ramalho,
músico não deseja
quando Francis Hime assumiu o papel Gal Costa e Gilberto Gil.
parar tão cedo e, recentemente,
de um dos principais protagonistas da fórmula, mas tem uma manha que compôs um Concerto para violão
não sei definir, comigo funciona e Orquestra em três movimentos
Música Popular Brasileira.
muito na base da intuição: vejo com avant-première prevista
na primeira frase o que o poema para maio de 2008, na Sala São
sugere e o tipo de ritmo. De uns Paulo, sob a regência de John
tempos para cá, como diz o meu Neschling. Em agosto deste ano,
parceiro Ruy Guerra, se deixar, lança um novo CD/DVD ao vivo,
musico até bula de remédio (ri- com o qual comemora também
sos)”, descontrai o artista. Ele seus 68 anos de vida, que se com-
confessa, no entanto, que o difícil pletam no dia 31 de agosto.
é fazer o contrário: “Há algum O célebre biógrafo Ruy Cas-
Francis tempo comecei a investir mais na tro, jornalista e escritor, tem
e o amigo Toquinho parte de musicar poemas e desco- sua própria definição do artis-
durante turnê realizada em 1980
bri que, às vezes, colocar letra em ta: “Tom Jobim é um piano;
música que é o complicado” — o Caymmi, um violão; Vinicius,
Francis no Colégio Santo Inácio em 1950, que pôde experimentar ao compor uma caneta; Noel, um terno
com 11 anos, período em que estudou
no Conservatório Brasileiro de Música e as canções Gente Carioca, Duas branco. Por analogia, Francis
tocava Dorival Caymmi, Pixinguinha, Faces e Jardim Botânico para Hime é uma orquestra. E uma
Dalva de Oliveira e Ângela Maria. um disco que recebeu o nome de orquestra sinfônica. Não uma
Ele é o terceiro da primeira fila. Na
seqüência, também em destaque, Cacá “Choro rasgado”. sinfônica convencional, apoia-
Diegues, cineasta, e Carlinhos Monte, Apesar de ter alcançado noto- da exclusivamente nas cordas,
ex-Diretor da Portela, pai da cantora riedade com suas obras populares, madeiras e gravatas, mas uma
Marisa Monte.
o compositor não abandonou a formação enriquecida por me-
formação clássica e retornou ao tais de gafieira, cavaquinhos de
erudito nos últimos anos, mes- chorões e tamborins de escola
clando os dois estilos. Escreveu a de samba”.
Sinfonia nº 1, Carnavais para Coro
Misto e Orquestra, Fantasia para Colaboração: Natália Lombardi

54 | BOA VONTADE
Destaque

Metropolitana FM,
Rafael Guedes

de São Paulo,
comemora 11 anos
Um grupo de crianças da Le-
gião da Boa Vontade, na capital
paulista, homenageou a Metro-
politana FM, no mês de junho,
pelos 11 anos de programação
voltada para o público jovem.
Os diretores Jayr Sanzone,
Karina Meyer, apresentadores
À esquerda, o músico Cloves do Violão, e à direita o radialista Fernando Sérgio com e produtores da rádio recepcio-
as crianças da LBV.
naram a garotada.
Radialista Fernando Sérgio, da Tupi do O Coral Ecumênico Infantil
LBV, formado pelos alunos que
estudam no Conjunto Educacio-
Rio, um amigo de Boa Vontade nal da Instituição, cantou músicas
em homenagem à emissora e seus
“O Povo ajuda e a LBV faz!” mundo é o Ecumenismo, maravi-

Fotos: Roberta Assis


Graças ao apoio que a Insti- lhosamente pregado por José de
tuição constantemente recebe Paiva Netto”.
de milhões de brasileiros, os Sobre a atuação social, comen-
programas e projetos da Legião tou: “Percebi um trabalho muito
da Boa Vontade têm alcançado bonito voltado notavelmente
cada vez mais as famílias em às pessoas carentes. Só tenho
situação de pobreza. Um desses a agradecer a maneira fidalga
parceiros é o radialista Fernando como fui recebido, parabenizar
A Pedagoga da LBV,
Sérgio, da Super Rádio Tupi (AM José de Paiva Netto e dizer que Suelí Periotto, e as
1.280), do Rio de Janeiro/RJ. as pessoas deveriam freqüentar crianças atendidas
Recentemente, o apresentador mais os Centros Educacionais da pela Instituição no
do programa Super Madrugada LBV, para perceber que aqui se estúdio da Metropo-
litana.
Tupi visitou o Centro Educacional, forja um Brasil de forma diferen-
Cultural e Comunitário da Institui- te daquele que nós estamos acos- profissionais, que receberam car-
ção, na cidade. Caminhando pelo tumados a ver aí fora. A minha tões e um bolo de aniversário.
local, testemunhou a qualidade do vontade é abraçá-lo de coração A apresentação emocionou
serviço prestado: “Parabéns pelo e parabenizá-lo. Só posso dizer, tanto os radialistas da Metropo-
trabalho maravilhoso. Sinto-me nesta visita e sem medo de errar, litana FM que os estudantes fo-
muito honrado de estar na LBV. que saí enriquecido”. ram convidados a participar, ao
(...) Destaco a vocação para o Encerrando sua visita, arrema- vivo, do programa Chupim. Por
Ecumenismo, da construção de tou: “A Legião da Boa Vontade 10 minutos, os apresentadores
um mundo novo, mais do que um — que teve em seu nascedouro Ricardo Tofanello e Marcelo
País novo. É um trabalho magní- um dos maiores radialistas do Barbur perguntaram sobre a
fico! Logo mais, no meu programa Brasil, o saudoso Alziro Zarur escola da LBV e mandaram seus
de rádio, vou focar isso, fiquei (1914-1979) e, na seqüência, a abraços ao Diretor-Presidente
admirado”, revelou Fernando, presença desse homem extraordi- da LBV, José de Paiva Netto.
complementando: “A Humani- nário, Paiva Netto — realmente Terminado o bate-papo, muitos
dade está em busca do progresso executa, mostrando que é possí- ouvintes se manifestaram para-
e da Paz, e a única saída para o vel e que dá certo fazer o Bem”. benizando a Instituição.

BOA VONTADE | 55
Arte na Tela

Nos caminhos da
Educação
e da
Cultura Marta Jabuonski
Fotos: Divulgação

credos. A pesquisa que deu origem com os artistas da época, visitando


Arquivo pessoal

à exposição foi realizada em São ateliês, teatros e exposições.


Paulo/SP, cidade cosmopolita que Armando e Annie Alvares Pen-
acolhe diferentes religiões, possibi- teado resolveram transformar essa
litando que elas floresçam. paixão em algo concreto, ou seja,
A coleção permite um passeio criar uma escola para a formação
histórico sobre a própria cultura cultural ou técnica, onde se pudesse
brasileira e descreve o início e a estudar pintura, escultura, arquitetu-
evolução das crenças no País. ra e decoração.
Ela também me falou da Fun- Sofreu modificações em 1960
dação Armando Alvares Penteado, quando passou a dedicar-se ao ensi-
que surgiu em 1948, cumprindo no universitário, com as faculdades
Marta Jabuonski, curadora da Galeria de
Arte do Templo da Boa Vontade. determinação testamentária do de artes plásticas, comunicação, en-
seu instituidor, com o objetivo de genharia, economia, administração,

Q
fomentar e divulgar a Educação e a direito, computação e informática.
uando visitei a Exposição Cultura. Inicialmente voltada para O Museu de Arte Brasileira da
“Diversidade Religiosa cursos e apresentações de diversas FAAP, fundado em 1961, é um
no Brasil”, no Palácio atividades artísticas, cresceu, criou grande centro de arte e desenvolve
do Itamarati, em Brasí- corpo e hoje é um complexo cultural uma programação invejável nos seus
lia/DF, tive o privilégio de conhecer cuja grandiosidade supera em muito diferentes espaços, apresentando
Celita Procopio de Carvalho, as metas outrora almejadas pela mostras nacionais e internacionais
Presidente do Conselho de Curado- família Penteado. de grande relevância como: China,
res da Fundação Armando Alvares Para escrever sobre a FAAP, é ne- Napoleão, Heranças dos Czares,
Penteado (FAAP). Encantei-me com cessário voltar um pouco no tempo, A Arte no Egito no Tempo dos
sua simpatia, o compromisso com a lá pelo início do século XX, período Faraós (que atraiu mais de 400 mil
arte e a simplicidade com que tratava em que o conde Armando Alvares pessoas).
o tema. Penteado era conhecido por sua Outra expressiva mostra a qual
Celita apresentou-me a mostra e paixão pelas atividades artísticas. Celita destacou foi a que saiu dire-
traçou um panorama da diversidade Era um homem bastante talen- tamente da Ilha dos Museus, locali-
religiosa no Brasil, ressaltando a toso: pintava, esculpia, desenhava zada no Centro Histórico de Berlim,
convivência harmoniosa entre os e mantinha um contato permanente Alemanha. Trata-se da exposição de

56 | BOA VONTADE
A ilustre Presidente
do Supremo
Tribunal Federal,
Ministra Ellen
Gracie Northfleet.

arte greco-romana mais significativa a exemplo da Exposição “Modernis-

Divulgação FAAP
a deixar o museu alemão: “Quan- mo, Propostas e Caminhos”, aberta
do montamos uma exposição, ao público na Embaixada do Brasil
procuramos nos envolver com o em Berlim, em 2004.
lugar de onde ela provém e tentamos Olhando para a Celita, figura tão
recriar esse ambiente com a maior delicada, ficamos pensando como
fidelidade possível. Na mostra ‘Deu- consegue essas façanhas. “Tudo
ses Gregos — Coleção do Museu na vida é um desafio, quanto mais
Pergamon de Berlim’, que apresen- difícil, mais queremos chegar lá”,
tamos no MAB, fizemos uma réplica afirma convicta. Na verdade, é de-
em gesso do Altar do Pergamon. E terminada e paciente: “Para trazer
o Panteão, dedicado ao conjunto de uma exposição de grande porte, é
Celita Procopio de Carvalho, Presidente
deuses da mitologia grega, em forma preciso às vezes negociar de dois a do Conselho de Curadores da Fundação
circular como o existente em Berlim, cinco anos”. Armando Alvares Penteado (FAAP).
em que um deus Apolo, de 2,20 A Fundação e o MAB são bastan-
metros, observa tudo. Num lago es- te conhecidos fora do País, possuem da FAAP. Além das constituições,
pelhado, Narciso admira a própria convênios, entre outros locais, com podem ser apreciadas ainda pinturas,
figura. Isso porque queremos que o o Museu do Louvre, de Viena e de esculturas, fotografias, documentos,
visitante possa sentir o local onde o Nova York. vestuários e objetos pessoais dos
fato histórico aconteceu, nesse caso, Como destaque especial de expo- constituintes.
onde viviam os gregos”. sição recente, menciona “As Cons- Organizada de forma didática,
E concluiu a curadora: “O es- tituições Brasileiras”, que ocorre até permite ao público um passeio pela
pectador é convidado a ir além das o dia 23 de agosto deste ano, em três história do Brasil.
imagens visuais, sentir e participar espaços na Praça dos Três Poderes, Consciente do trabalho desenvol-
do contexto socioeconômico da em Brasília/DF: o Palácio do Pla- vido pelo MAB e da necessidade da
época. A proposta é permitir que a nalto, o Supremo Tribunal Federal Educação e da Cultura para o cresci-
pessoa viaje no tempo”. (STF) e o Congresso Nacional. mento do nosso País, Celita Proco-
O MAB possui uma coleção de A iniciativa foi do STF, que tem pio de Carvalho elogia todos aqueles
cerca de três mil obras de artistas como Presidente a brilhante Minis- que a ajudam no dia-a-dia: “Nada se
brasileiros que, volta e meia, divul- tra Ellen Gracie Northfleet, mas faz sozinho, tudo é uma questão de
gam nossa arte no Brasil e Exterior, toda a organização e montagem, se trabalhar em equipe”.

BOA VONTADE | 57
Acontece no mundo

LBV uruguaia presenteia Montevidéu


com moderno centro
educacional e cultural Antonio Paulo Espeleta
Fotos: Clayton Ferreira

N
o dia 29 de junho, a Legião Uruguai, Masami Takemoto, cola- A Diretora do Conselho de
da Boa Vontade (LBV) do borador e parceiro para a construção Educação Primária do Ministério
Uruguai ampliou seu aten- da escola da LBV. “O governo do de Educação e Cultura do Uruguai,
dimento à comunidade em Japão avaliou positivamente as ati- professora Edith Moraes, enviou
situação de vulnerabilidade social, vidades que, durante mais de vinte mensagem felicitando a iniciativa:
ao inaugurar novas instalações do anos, a Legião da Boa Vontade vem “Estou muito emocionada com
seu Instituto Educativo e Cultural. A desenvolvendo no Uruguai. (...) A a atividade que vi nesta escola,
data de inauguração homenageou os LBV arrecadou fundos graças à não só em favor das crianças, mas
51 anos de trabalho de Paiva Netto Solidariedade dos cidadãos uru- também da comunidade em geral.
na LBV, completados no mesmo dia. guaios que fizeram o possível para A obra da Legião da Boa Vontade
Personalidades e famílias atendidas que, também com a cooperação do presta serviços a toda a sociedade
pela Instituição marcaram presença governo do Japão, fosse possível uruguaia. (...) Se houvesse muitas
e superlotaram a cerimônia de inau- estabelecer esse novo espaço para instituições educativas como a LBV,
guração da unidade educacional, as crianças, o que me faz sentir teríamos uma grande quantidade de
cujas frentes de ação beneficiam grande alegria e satisfação. Por crianças incluídas, beneficiando a
diretamente crianças, jovens, adultos isso, expresso meu desejo de prospe- sociedade”. E completou dizendo:
e idosos da região. ridade para essa organização, para “Creio, como educadora, professo-
Entre as autoridades, esteve todos aqueles que a integram e que ra e inspetora, que as ações realiza-
presente o Embaixador do Japão no colaboram”. das pela Legião da Boa Vontade se

Instituto Educativo e Cultural da Legião da Boa Vontade visto


de frente. A inauguração (29 de junho) homenageou os 51
anos de trabalho de Paiva Netto na LBV, completados naquela
data.

58 | BOA VONTADE
destacam não só em nível nacional,
mas também internacional. Obras
como essas não devem ser incenti-
vadas somente no Uruguai, mas em
todo o Planeta”.
O Jovem Legionário Alziro de
Paiva, representando o Diretor-
O Embaixador do Japão no Uruguai, O Jovem Legionário Alziro de Paiva e o respon­
Presidente da LBV, José de Paiva sr. Masami Takemoto, em discurso na sável da LBV do Uruguai, Maciel Ferreira,
Netto, reforçou, em seu discurso, inauguração da escola da LBV. descerram a fita inaugural com alunos da escola.
o compromisso da Obra com a
Educação e com a Cultura sempre to, durante esses últimos anos, mos a Educação que nossos filhos
ligadas à Espiritualidade Ecumênica. as atividades empreendidas pela recebem e a maneira como são
“A Pedagogia do Cidadão Ecumê- Legião da Boa Von­tade. Estar aqui educados. É algo realmente espe-
nico, colocada em prática em todos presente e ver essa obra magnífica tacular. O esforço e a dedicação
os centros de ensino da Legião da realmente me conforta como jor- para com nossos filhos são clara-
Boa Vontade, desde suas origens, nalista, como comunicador e como mente notados. Aqui as crianças
prima por formar o cérebro e o Ser Humano, porque demonstra têm atenção, Educação, alimen-
coração, posto que, conciliando o que nem tudo no mundo está perdi- to, dedicação, amor, carinho.
intelecto e o sentimento, à luz da Es- do. (...) Quem me dera um dia po- Realmente recebem tudo
piritualidade Ecumênica, contribui der fazer um pouquinho de tudo o de que precisam”,
para a solução dos grandes conflitos que a LBV faz”, enfatiza. ponderou.
humanos”, explanou durante seu A Inspetora de Educa-
pronunciamento, fundamentado no ção Inicial do Conselho de
artigo “Educar o mundo Educação Primária,
para a Sociedade Soli- Graciela Vázquez,
dária Altruística Ecumê­ também compareceu o
“Se houvesse
açã
nica”, de autoria do líder à festa e frisou a parceria Di
v ulg
muitas instituições
da Instituição, que afirma: entre a Legião da Boa Von-
“A Educação e a Cultura tade e o Povo: “Sinto muita educativas como a LBV, teríamos
têm sido uma das maiores emoção e satisfação em ver uma grande quantidade de
preocupações da LBV. Na Graciela Vázquez o resultado deste esforço
Educação reside a grande conjunto. Porque o pequeno, crianças incluídas, beneficiando
meta a ser atingida. E mais, somente o médio e o grande esforço de cada
a Reeducação da própria Educação um dos uruguaios se cristalizaram
a sociedade. (...) As ações
pode garantir-nos dias de prosperi- nesta obra da LBV que realmente realizadas pela Legião da
dade e Paz social”. ficará para a Eternidade”.
Sempre acompanhando o tra- Karina Goech, uma das mui- Boa Vontade se destacam não só
balho da LBV, o locutor de rá- tas mães atendidas pela Legião da em nível nacional, mas também
dio Nestor Gimenez Boa Vontade do Uruguai, também
é outra personalidade expressou sua gratidão pelo am- internacional. Obras como essas
uruguaia que une sua paro oferecido. “O trabalho da não devem ser incentivadas
voz à da Instituição. “A LBV me encanta, é um projeto
emoção é muito grande espetacular! O que fazem pelas somente no Uruguai, mas em
porque nós, como co- minhas filhas de 2 e 12 anos é
municadores sociais, maravilhoso. Eu me sinto muito todo o Planeta.”
Nestor Gimenez acompanhamos de per- segura e tranqüila porque nota- Edith Moraes
Diretora do Conselho de Educação
V I S I T E , A PA I X O N E - S E E A J U D E A L B V ! Primária do Ministério de Educação
Instituto Educativo e Cultural José de Paiva Netto: Av. Bulevar Batlle y Ordoñez, 4820 — Aires Puros. e Cultura do Uruguai.
Montevidéu/Uruguai. • Site: www.lbv.org.uy

BOA VONTADE | 59
Congresso Jovem Ecumênico

Daniel Trevisan
Líder da LBV
convida milhares
de jovens para
a participação
ativa nas soluções
de problemas
mundiais

Cidadania
Leila Marco e Rodrigo Oliveira

N
o último 14 de
Clayton Ferreira

julho, já nas
imediações
Gustavo Oliveira

do Ginásio
do Ibirapuera, na capital
paulista, podia-se notar o
tamanho da mobilização
local, com pessoas vindas
de todo o Brasil e de diferentes
partes do mundo. O espaço estava
tomado por centenas e centenas de
ônibus, carros, bicicletas, motos,
gente chegando a pé. Da movi-
mentação destaca-se o grande
número de jovens, adolescentes,

60 | BOA VONTADE
otto
João Peri
Assim que chegou, Paiva Netto
foi carinhosamente recebido por
crianças que invadiram o grande
palco para saudá-lo

Solidária no Ibirapuera
crianças, muitos deles acompa-
Lucian Fagundes

Clayton Ferreira

nhados pelos familiares, uma cena


bonita de se ver. Nas dependências
do ginásio, atividades artísticas,
culturais e o debate de temas im-
portantes revezaram-se no palco
montado para a realização do 32o
Congresso Internacional do Jovem
Militante de Boa Vontade.
Uma mocidade engajada, que
quer ter voz ativa e realmente
somar, contribuir para a resolução
dos problemas. Na liderança de
gente tão entusiasta, um antigo
incentivador desse idealismo

BOA VONTADE | 61
Gustavo Oliveira

O entusiasmo dos jovens


durante a tradicional
cerimônia em que Paiva
Netto lança flores e água
para o público ao término
do evento.

Platéia atenta durante


Lucian Fagundes

Clayton Ferreira
palestra do dirigente
da LBV
Na foto acima, vista parcial da
compacta massa que superlotou
o Ginásio do Ibirapuera durante
discurso de Paiva Netto, em que
exaltou os pontos do documento
que encaminhou à ONU,
constante da revista Globalização
do Amor Fraterno.

juvenil, com 51 anos ou povo em que Em sua prédica, discorreu


de relevantes serviços mesmo parte de seus sobre vários temas abordados na
à causa da Legião da Boa filhos passe fome, não tenha referida mensagem, tais como:
Vontade (LBV), o jornalista acesso à Educação, em que a “Ecumenismo — Educação aberta
e escritor Paiva Netto. E foi ele, Mulher seja discriminada ou à Paz”, “Aquecimento Global”,
para quem: “o Jovem é o futuro a violência grasse, onde exis- “Caridade e Política”, “Economia
no presente!”, que comandou ta algum tipo de preconceito”, da Solidariedade Espiritual e Hu-
os momentos mais esperados e conforme Paiva Netto destacou mana”, “Democracia: regime da
emocionantes daquele dia, não ao relembrar o documento “Oito responsabilidade” e “A Mulher no
apenas pela alegria e carinho com Objetivos do Milênio”, constante conSerto das nações”.
que foi recebido, mas pelo con- da revista Globalização do Amor Paiva Netto fez comentários
teúdo e forma de suas palavras, Fraterno, entregue a chefes de a respeito deste trabalho literário,
cheias de Paz, Sabedoria, Amor Estado e demais representantes ressaltando que com ele objetiva
e Realização. que estiveram na mais importante mostrar, acima de tudo, o que
reunião do Conselho Econômico e pode ser feito quando se toma
Caridade como estratégia de Social (Ecosoc) das Nações Uni- realmente uma decisão. É pensa-
Deus das: o High-Level Segment 2007, mento dele: “Quem não é capaz
Um público atento ouviu seu ocorrido no mês de julho, em Ge- de assumir uma atitude correta
alerta de que “não se pode con- nebra/Suíça (Outras informações acaba consumido pela circuns-
siderar liberto qualquer país na reportagem da p. 40). tância criada por sua omissão”.

62 | BOA VONTADE
João Periotto
pode transfigurar-se em rebeldia
feroz”.
Ainda acerca de sua mensa-
gem dirigida aos participantes
do High-Level Segment 2007, do

João Periotto
Ecosoc, enfatizou logo no início,
segundo se expressou em 1991 à
Presente ao evento, o professor Shigeki Maeda (do Japão), representante da platéia que o ouvia na capital do
Oomoto no Brasil, entregou ao líder da LBV este quadro com uma reprodução do belo Estado de São Paulo, no Brasil:
Templo Choosei-den, da Oomoto, em Ayabe, no Japão, onde recentemente Legionários “Olho para o mundo e penso que
estiveram participando de importante congresso da Entidade. “Minha Mestra Kurenai
Deguchi me confiou oferecer-lhe um presente. Todos os diretores da Oomoto e seus
não pode ser considerado liberto
fiéis, pouco a pouco, aprofundam seus conhecimentos sobre a LBV. Faço votos de que, quem anda faminto; quem passa
num futuro próximo, nossa Mestra e o Mestre Paiva Netto possam se encontrar.” diante de um colégio, mas não
pode freqüentá-lo, porque os pais

André Fernandes
não têm dinheiro para comprar-
lhe o material escolar; quando
na TV, mesmo hoje, aos negros
sobram papéis secundários e
faltam-lhes os de projeção no en-
redo; quando a mulher recebe sa-
Personalidades lários inferiores aos dos homens;
no palco do
evento também quando a droga força a porta das
acompanham a casas das famílias; quando os
prédica ricos, para sair à rua, precisam
blindar seus carros e, até assim,
não se sentem seguros; quando
O texto de sua autoria traduz a inspirou a economia solidária os pobres vivem no aconchego do
própria experiência da LBV em difundida pelo ilustre sociólogo lar sob o risco de balas perdidas;
quase 60 anos de existência, Émile Durkheim (1858-1917). quando os enfermos não possuem
durante os quais, não obstante A Economia da Solidariedade a assistência devida; quando o
as imensas lutas, tem realizado Espiritual e Humana, que preco- respeito à liberdade de expres-
tanto pelo Brasil e o mundo: “Nos nizamos, é holística, porquanto são está sob ameaça constante.
relacionamentos internacionais, nos convida a vislumbrar a nossa Enfim, quando qualquer pátria
Amor, Solidariedade e Frater- verdadeira origem, que é espi- potencialmente forte, porém com
nidade são vistos de uma forma ritual. Somente assim haverá a expressiva parte da população
técnica. Não pode funcionar. A humanização e a espiritualização ainda na indigência, não alcan-
coisa tem de ter início no coração do Estado e da própria Criatura çou a autonomia espiritual ver-
das gentes (...)”. Humana, ou seja, sob o banho lus- dadeira, porque tudo tem início
Para o dirigente da LBV, esta tral da Caridade Ecumênica, que na Alma das Criaturas: tanto o
é uma das mais poderosas formas não faz distinção de pessoas, pois acerto como o desacerto. Daí a
de se combater o aviltamento da considera que — acima de cor, necessidade urgente de instruir,
sociedade. Ratificando suas pala- crença, descrença, visão política, educar e espiritualizar com o
vras, leu trechos da página 41 de sexo, idade — estamos diante de ecumenismo do coração. Trata-se
seu documento a Genebra, no qual Seres Terrenos, que suplicam por de um desafio no oceano encape-
expressa: “Por isso, a Caridade socorro (...) apelo que, quando lado pela indiferença de alguns
a qual sugerimos vai além do que não eficazmente compreendido, à situação dos indivíduos ou de

BOA VONTADE | 63
PELA PAZ MUNDIAL: O líder da LBV rege

Fotos: Clayton Ferreira


o público, que canta O Alertamento Divino
no Evangelho e no Apocalipse, obra escrita
por ele em Portugal, que faz parte do ora-
tório O Mistério de Deus Revelado (1998),
orquestrado pelo criativo ex-roqueiro,
maestro Vanderlei Alves Pereira. O ora-
tório apresenta partes destinadas a coro e,
substituindo os tradicionais recitativos,
Paiva Netto usou narrativas de passa-
gens do Evangelho, do Apocalipse de
Jesus e do Antigo Testamento, alter-
nadas com o canto do Coro Capela
Svetoslav Obretenov, da Bulgária.

seus povos. Contudo, constitui demais); portanto, o abrigo de


uma das mais avançadas deci- um país, qualquer que o seja, e
sões que a Humanidade é capaz a sobrevivência do Orbe, que nos
de enfrentar e tornar auspiciosa agasalha como filhos nem sempre
realidade. O Amor Fraterno é o em ecume­nismo, queremos dizer bem-comportados”.
mais potente instrumental para a Uni­versalismo, Fraternidade sem Fez menção ao triste panora-
libertação do Ser Humano. fronteiras, Solidariedade inter- ma do meio ambiente em nosso
“A propósito, Cícero (106-43 nacional, visto que entendemos Planeta: “Basta lembrar o la-
a.C.), grande tribuno romano, a Humanidade como uma famí- mentável fenômeno do aqueci-
grafou: ‘Dentre todas as socie- lia. E não existe uma só em que mento global, a cada dia mais
dades, nenhuma há mais nobre e todos os filhos tenham o mesmo denunciado pelas maiores ca-
mais estável que aquela em que comportamento. Cada um é um beças pensantes do mundo. (...)
os homens estejam unidos pelo cosmos independente, o que não Os vanguardeiros — entre eles,
Amor’. significa que esses ‘corpos celes- ativistas ecológicos, políticos
“Eis por que — estimados tes’ tenham de esbarrar uns nos e cientistas de ponta — já pro-
ouvintes e leitores e respeitáveis outros. Seria o caos. (...) Repor- curam e empreendem soluções
leitoras e ouvintes que me hon- tamo-nos, então, ao Ecumenismo práticas para conter a poluição
ram com sua atenção — o isola- dos Corações, aquele que nos que nos envenena desde o útero
cionismo, quando caracterizado convence a não perder tempo materno”.
pela ilusão do orgulho espiritual, com ódios e contendas estéreis, Em seu discurso deixou claro
social e político, há sempre de se mas a estender a mão aos caídos, também aos jovens o valor da
render, um dia, ao contagiante pois se comove com a dor; tira a palavra dada, do compromisso
sentimento de Solidariedade Es- camisa para vestir o nu; contribui assumido, recordando que todas
piritual e Humana. Alziro Zarur para o bálsamo curativo do que as promessas feitas pelo saudoso
(1914-1979) ensinava: ‘Deus se encontra enfermo; protege os Fundador da LBV, Alziro Zarur,
criou o Ser Humano de tal forma órfãos e as viúvas; sabe que a ele as tem cumprido (...). Acon-
que ele só pode ser feliz pratican- Educação com Espiritualidade selhou aos mais moços a segui-
do o Bem’”. Ecumênica tornar-se-á cada rem este exemplo, pediu à nova
Nesse contexto, trouxe para vez mais fundamental para o geração que pegue as idéias, que
a reflexão outro trecho da pu- progresso dos povos, porque ele, Paiva Netto, lançou e vem
blicação, no qual pontua sobre ecumenismo é Educação aberta tornando realidade, e as colo-
a solidariedade que ultrapassa à Paz; para o fortalecer de uma que em prática, o valor de teses
fronteiras. “(...) Quando falamos nação (não para que domine as e conceitos, por ele criados, a

64 | BOA VONTADE
Único balé de cegos

Daniel Trevisan
do mundo no palco do
Congresso Jovem da LBV
A performance dos dançarinos do
Grupo da Associação de Ballet e Artes para
Cegos Fernanda Bianchini arrancou aplausos do
público presente. “No começo era muito com-
plicado, pois nem os professores acreditavam
que isso era possível. Para que esse projeto
se tornasse realidade, foi necessário vencer

Fotos: Daniel Trevisan


barreiras. Lidar com a diferença me fez ver com
os olhos do coração. Desse jeito eu consegui en-
xergar um mundo mais bonito”, disse Fernanda
Bianchini, responsável do grupo.

exemplo do Fórum Internacional

João Periotto
Permanente Jesus; a Sociedade
Solidária Altruística Ecumênica;
a Pedagogia do Cidadão Ecumê-
nico; o Instituto de Estudos da
Ciência da Alma, um poderoso
instrumento para as discussões
sobre o Mundo Espiritual; a Aca-
demia Jesus, o Cristo Ecumênico;
o Fórum Mundial Espírito e Ciên-
cia e tantas coisas mais.
Também aproveitou o encon-
tro para mostrar à juventude que,
hoje em dia, com o aumento da
expectativa de vida, as pessoas
vivem mais, e que todos devem Paiva Netto com o cantor Rappin’ Hood (E) e o produtor Negro Rauls.
ter cuidado com a alimentação,
evitando bebidas alcoólicas, o
Daniel Trevisan

Lucian Fagundes

fumo, entre outros malefícios;


citando, até mesmo, os tristes
dados de aumento do número de
diabéticos no mundo (veja o re-
sultado das últimas pesquisas da
Organização Mundial de Saúde,
na página 33).
Ao término do evento, num
ato de louvor à Paz mundial,
acompanhado pela multidão, fez
a Prece Ecumênica de Jesus, o
Pai-Nosso, encerrando de forma
marcante o 32o Congresso Inter-
nacional do Jovem Militante de Abaixo, alguns momentos das apresentações culturais: a dupla argentina Sebástian Rodrigues
e Juliana Teixeira; e o casal paraguaio Ingredi Frutos e Alejandro Saade apresentam uma
Boa Vontade. polka ao som de Estampas de mi tierra

BOA VONTADE | 65
Congresso Jovem Ecumênico

Personalidades unem voz ao comandada por Paiva Netto. Para Vi que lá as crianças crescem
Congresso ele, “é um trabalho de gran­deza com uma forma de ensino bem
Presente no Ibirapuera, o peculiar, à altura dos grandes interessante que continua na ju-
Presidente da Sociedade Afro- líderes da Humanidade; não é ventude. Não tem como avaliar a
Brasileira de Desenvolvimento para qualquer um. E está nas importância deste Congresso da
Sociocultural mãos da pessoa certa, que tem LBV”, ressalta.
(Afrobras), Dr. grandeza e capacidade de realizar. O Presidente da Associação
Rodrigo Oliveira

José Vicente, É bom saber que temos o Irmão para Valorização e Promoção
manifestou seu Paiva Netto à frente dessa inicia- de Excepcionais (Avape), Dr.
apoio à propos- tiva, que tem como fundamento e Marcos Gonçalves, também
ta da Legião da balizamento o Amor. É bonito ver ma­nifestou seu
Boa Vontade de esse trabalho se materializando apoio ao encon-
labutar em favor em cada uma das atividades desta tro. “Eu tenho
José Vicente de uma socie- Instituição. Nós ficamos mais sempre o pra-
dade solidária e esperançosos e tranqüilos porque zer de estar nos
mais igual. “É um trabalho que sabemos que, tendo à frente o eventos da LBV,
está diretamente ligado aos meus Irmão Paiva Netto, certamente que são sempre
propósitos pessoais e das nossas o futuro, em breve, sorrirá para carregados de
instituições (tanto a Afrobras nós”. muita Espiritua- Sebastião Nicomedes
quanto a Universidade da Cida- Essa vertente também foi lidade, de muito
dania Zumbi dos Palmares), de colocada em evidência por Se- compromisso e construção cole-
modo que estar na LBV é estar bastião Nicomedes, Conselheiro tiva de cidadania. Fico sempre
numa extensão das nossas pró- do Comas (Conselho Municipal feliz de estar com vocês”, regis-
prias instituições”, saúda. de Assistência Social). “Há bem trou o Conselheiro do Conselho
Dr. José Vicente avalia como pouco tempo eu estive visitando a Nacional de Assistência Social.
indispensável a atuação da Obra escola da Legião da Boa Vontade. No mesmo tom, endossou o
cantor Rappin’ Hood: “É uma
satisfação estar com a LBV, nesse
Congresso maravilhoso. Hoje em
dia, o Brasil vive um momento
complicado, cada vez é mais
difícil ter acesso à educação, saú-
de, cultura, lazer; e eu só posso
parabenizar e dizer que eu estou
com a LBV e com essa juventude
maravilhosa no que precisar”.
O rapper relembrou, na opor-
tunidade, que conheceu a Institui-
ção ainda moço, e sua família
acompanha esse ideal de
longa data. “Desde o tempo
de Alziro Zarur, meus avós
paravam às seis da tarde
Ao lado, a alegria do Coral Ecumênico LBV; em para ouvir a oração do
destaque, as valorosas mulheres que compõem o Pai-Nosso. O trabalho é ma-
Coral Nair Torres. O coro, formado por senhoras
Legionárias, sempre anima o público. de
s ravilhoso e eu me identifico
gun
n Fa
cia
Lu
66 | BOA VONTADE
com a LBV. Por isso que eu estou
aqui no Ibirapuera”. Dr. Marcos Gonçalves (C)
Nas próximas edições da re- ao lado de Paiva Netto, e
vista BOA VONTADE, publi- à direita o repórter do
programa Ação Brasil,
caremos trechos do importante Clóvis Reis.
discurso de Paiva Netto durante
o 32o Congresso Jovem Ecumê-
nico, da LBV.

LBV e Avape pela igualdade nascimento, pio-


social neiramente prega o
Depois de tantos aconteci- inter-relacionamento
mentos vividos no Congresso religioso. Neste con-
Internacional do Jovem Militante texto, citou a Cruzada to
ot
de Boa Vontade, Paiva Netto de Religiões Irmanadas, ão
Pe
ri
Jo
concedeu entrevista ao repórter iniciada por Zarur, a 7 de janeiro
Clóvis Reis, do Programa Ação de 1950, cujo primeiro encontro
Brasil, exibido todas as terças- ocorreu na Associação Brasileira alianças em benefício da igualda-
feiras, a partir das 11h30, nos de Imprensa (ABI). de social no Planeta, a exemplo
canais 72 (TVA) e 9 (Net). Nela, O repórter colocou em evi- da parceria firmada entre a Asso-
explica como a sociedade civil dência o fato de a Instituição ter ciação para Valorização e Promo-
pode se unir em prol da melhoria nascido no Rio de Janeiro e logo ção de Excepcionais (Avape) e a
da qualidade de vida dos cidadãos ter avançado para outros países, Legião da Boa Vontade (LBV).
brasileiros. Para cobrir o evento, afirmando que “a LBV é uma As duas organizações somam
o repórter chegou ao ginásio às referência mundial em inclusão esforços em prol de um segmento
5 horas da manhã e acompanhou social”. Paiva Netto atribui este duplamente excluído: as pessoas
de perto toda a movimentação salto positivo ao investimento com deficiência que fazem parte
que já cercava o Ibirapuera desde que se faz nas novas gerações: de famílias e comunidades em
aquela hora. “É acreditar no Povo! É não dar situação de vulnerabilidade so-
Impressionado pelo fato de os lixo para a juventude! Porque se cial.
jovens não arredarem pé para as- você der lixo para os jovens, eles Na entrevista, o repórter quis
sistir ao pronunciamento de Paiva vão devolver lixo. Eles vão matar, saber:
Netto, Clóvis iniciou o bate-papo, assassinar. Se o Estado e a socie- “Clóvis Reis — Mas, Presidente
ressaltando o entusiasmo da dade não derem para as crianças Paiva, houve a globalização da
juventude que seguia até aquele estudo, instrução, educação, o economia, dos mercados, mas não
instante — a entrevista foi conce- que resulta na boa convivência, se globalizou...
dida às 21 horas. O entrevistado até assim tudo será o bê-á-bá, “Paiva Netto — O Amor!
afirmou que esse sentimento é ini- mesmo que da química mais ele- “Clóvis Reis — O Amor, não é?
maginável e que valeram a pena vada, da física mais aprofundada. “Paiva Netto — Sim, a Fra-
os 51 anos de trabalho na LBV. Pois, antes de tudo, é preciso ternidade...
Rememorou também o honroso espiritualizar. (...) Os moços, “Clóvis Reis — A Fraterni-
momento em que conheceu Al- levados na mais respeitosa con- dade. É isso que eu acho que o
ziro Zarur, frisando a coragem sideração, irão transformar este Terceiro Milênio pode melhorar
do saudoso poeta, radialista e País e o mundo.” pelo Terceiro Setor. Justamente o
ativista social brasileiro ao fundar Na sua pauta, Clóvis chamou que o senhor está fazendo...
uma Instituição que, desde seu a atenção para a importância das “Paiva Netto — O Terceiro Se-

BOA VONTADE | 67
Congresso Jovem Ecumênico

Jovens norte-americanos qualificam como tor é o mais poderoso que existe,


lado a lado dos Poderes enuncia-
impressionante o Congresso Jovem da LBV dos por Montesquieu; porque ele
Estudantes da Pace University, de Nova York/EUA, vieram ao Brasil, na semana do Con- é nascido da sociedade.”
gresso Jovem Militante da Boa Vontade de Deus para promover um intercâmbio solidário. Na Partindo deste princípio, Paiva
agenda, ações em comunidades carentes e visitas às unidades de atendimento da LBV em
São Paulo e Rio de Janeiro. O motivo pelo qual viajaram era também acompanhar o evento,
Netto comparou o desenvolvi-
em 14 de julho, um dos dias mais aguardados pela delegação. mento de uma boa árvore ao pro-
“Estamos ansiosos para ver o responsável de todo esse belo trabalho social que a Legião cesso de edificar uma sociedade
da Boa Vontade realiza”, pondera John Cruz, 25, referindo-se às iniciativas promovidas pela mais justa, ou seja, seu cresci-
Instituição, também em solo estadunidense. Assim que adentrou o Ginásio do Ibirapuera,
Guillermo Cedillo, 18, expressou: “Aqui é muito alegre, é muito bonito ver todos unidos e mento tem de ser de baixo para
felizes lutando por um mundo de Paz”. Sua amiga, Katherine Tucker, 22, completou: “É cima, a partir das raízes. Neste
interessante ver como muitos jovens se unem por um mesmo objetivo”. Depois do encontro, contexto, salientou o indispen-
quando questionados sobre qual palavra melhor qualifica o acontecimento, a resposta foi
unânime: — Impressionante! sável apoio das Mulheres: “Não
nos esqueçamos disso. A grande
Exportando Solidariedade força da LBV está nas Mulheres”,
Acompanhava o grupo a professora Amanda Wright-Stafford (na registrou.
Lina Silva

foto, em frente da Mandala, no Templo da Boa Vontade), Diretora da


escola de Ensino Médio Lincoln Avenue School de Orange, Nova Jersey. Ao término da entrevista, Cló-
Amanda, além da alegria em participar do Congresso Jovem, comentou vis Reis destacou: “Presidente
a respeito da visita realizada com os voluntários da LBV à comunidade Paiva Netto, eu faço um progra-
carente do Moinho, na capital paulista, que é beneficiada pelo programa
Ronda da Caridade. “Não sei o que essas pessoas fariam se não tivessem ma ligado à Avape no Terceiro
esse tipo de intervenção em suas vidas. Estariam quase sem esperança. Setor e, há 36 anos, lá no sul de
É um presente de Deus para elas ter alguém que as ajudem a sair dessa Minas, ouvindo o senhor no rá-
situação.”
Sobre o intercâmbio dos estudantes americanos, que ali conheciam
dio, não imaginava que hoje teria
outra realidade, ressaltou: “É muito importante que percebam como esse prêmio, essa dádiva de Deus
outros vivem, os estilos de vida diferentes, que reconheçam o que Deus lhes deu e não apenas de poder entrevistá-lo”.
querer mais. Eles não se dão conta de que existem tantas pessoas no mundo, até mesmo nos
Estados Unidos, que têm bem menos. Quantos pais, particularmente os americanos, vivem tão
Ao ser perguntado sobre o que
ocupados em conseguir mais e mais, que passam também essa mentalidade para os filhos. é preciso ser feito para minimizar
Então, eles não estão dispostos a ajudar a mais ninguém e têm coisas demais”. as diferenças sociais no País,
E concluiu: “Espero aprender mais sobre o trabalho que a Legião da Boa Vontade vem Paiva Netto exclamou: “Cumprir
desenvolvendo no mundo todo. Quero compartilhar essas informações com meus alunos da
Lincoln Avenue School, para que pensem sobre o que podem fazer para melhorar a vida de o nosso papel, e as associações
alguém que não é tão afortunado como eles. Somos todos responsáveis uns pelos outros civis — as leais ao Povo e aos
e precisamos nos ajudar. Não se pode acomodar com o (próprio) estilo de vida; é preciso seus ideais — poderão fazer
pensar no semelhante. Isso deve fazer parte do que praticamos nas escolas, tornar os alunos
conscientes de situações fora de suas comunidades, de seus países”. isso unindo-se. (...) A questão é
conhecer o Povo de perto. Sabe
A professora Amanda Wright-Stafford presenteou Paiva Netto com uma tela a óleo, na
qual se encontram as imagens da bandeira dos Estados Unidos e da águia de cabeça por que a LBV cresceu tanto?
branca, símbolos máximos dos norte-americanos, e ainda um papiro com a fotografia Porque ela sempre foi ao Povo.
de Abraão Lincoln, o 16o Presidente dos EUA. Ao lado, os jovens norte-americanos. E digo a todos os que trabalham
comigo: não se esqueçam, tudo
passa, até os regimes, mas o Povo
é eterno!”
O repórter agradeceu a opor­
tunidade da entrevista, desejan­do:
“Deus lhe dê saúde para continuar
nessa missão!” Ao que Paiva Netto
Daniel Trevisan

retribuiu: “Obrigado! Foi um


João Periotto

prazer. Até a próxima!”

68 | BOA VONTADE
In memoriam

Antonio Carlos Magalhães,


Júlio Redecker e Nélio Dias
Juliana Bortolin
Carlos Rudiney

Antonio Cruz/ABr

Divulgação

A
ntonio Carlos Ma- S.A. (Eletrobras) e Conselheiro O Deputado Nélio Dias foi
galhães, ACM, um Administrativo da Itaipu Binacio- Secretário de Estado da Agri-
dos principais nomes nal. Foi membro da Academia de cultura do Rio Grande do Norte,
da política brasileira, Letras da Bahia. entre 1999 e 2002. Tomou posse
recebeu as últimas homenagens Também retornaram à Pátria do cargo, pela primeira vez, em
do povo baiano e da família no dia Espiritual os Deputados Júlio 2003. Estava de licença para
21 de julho, em Salvador/BA. O Redecker, natural da cidade de tratar da saúde, quando sofreu
Senador teve seu quadro de saú- Taquari/RS, vítima da tragédia aneurisma e parada cardíaca em
de agravado, com complicações com o vôo 3054 da TAM, em 10 de junho, nove dias depois
cardíacas e renais, e precisou ser julho deste ano, e Nélio Dias, seu estado clínico piorou e, no
internado em 13 de junho deste ano que nasceu em Umarizal/RN, que dia 20 de julho, culminou em seu
no Instituto do Coração do Hospital faleceu de câncer. A Câmara dos falecimento.
das Clínicas (Incor), em São Paulo/ Deputados em Brasília fez uma A LBV e seu dirigente solida-
SP, falecendo em 20 de julho. homenagem, em 1o de agosto, aos rizam-se com os parentes e ami-
ACM nasceu em Salvador/BA, três ilustres parlamentares. gos do Senador Antonio Carlos
no dia 4 de setembro de 1927, e Redecker iniciou sua carreira Magalhães e dos Deputados Júlio
exerceu a vida política desde 1954, política na Arena, partido já ex- Redecker e Nélio Dias e enviam
quando se elegeu Deputado Esta- tinto. Foi eleito para o cargo de as mais sinceras vibrações de
dual. Entre suas principais funções primeiro suplente de Deputado Paz ao Espírito eterno deles,
no Poder Público estão: Prefeito de Federal em 1994. Efetivado na pois como afirma Paiva Netto:
Salvador; Governador da Bahia; Câmara, foi reeleito por três man- “O grande segredo da Vida é,
Ministro das Comunicações; Presi- datos consecutivos, sendo, no amando a Vida, saber preparar-
dente do Senado Federal; Presiden- sufrágio de 2006, o mais votado se para a morte ou Vida eterna.
te das Centrais Elétricas Brasileiras no Rio Grande do Sul. Os mortos não morrem”.

BOA VONTADE | 69
Opinião — Meio Ambiente

Photos.com
Amazônia
paraíso verde
A
Bacia Amazônica cobre apro­ milares e história compartilhada
xi­madamente 7 milhões de de mudanças, o que resulta em
km², dos quais cerca de 60% uma diversidade biológica pró-
(4,1 milhões de km²) estão no pria, a Amazônia abrange cerca
território brasileiro. Compreende de 4.200.000 km2.
no Brasil áreas distintas se consi- Nos nove Estados da Ama-
derarmos os conceitos político ou zônia Legal residem 55,9% da
biogeográfico. No contexto polí- população indígena brasileira, ou
tico, a chamada Amazônia Legal seja, cerca de 250 mil pessoas.
engloba nove Estados brasilei- Os povos indígenas são os pri-
ros: Acre, Amapá, Amazonas, meiros habitantes da Amazônia e
Pará, Rondônia, Roraima, além detêm o conhecimento ancestral
de parte de Mato Grosso, To- do convívio harmônico com a
cantins e Maranhão, totalizando biodiversidade. As comunidades
pouco mais de 5.200.000 km2. humanas tradicionais são ainda
Levando em conta o con- compostas por ribeirinhos, cabo-
ceito biogeográfico, constituído clos seringueiros, castanheiros e
pelo agrupamento de tipos de outros.
ve­g etação e fauna associadas Grande parte da Amazônia é
iden­tificáveis em escala regional, coberta pela denominada Floresta
com condições geoclimáticas si- Ombrófila Densa. Esse tipo de

70 | BOA VONTADE
encontrar vegetais de dois a três Além do
Daniel Trevisan

metros, com ramificação baixa imenso


Dr. Eng. verde, a
Marco e densa, de difícil penetração. A Amazônia
Antonio vitória-régia é uma das espécies possui uma
Palermo, da encontradas nesse tipo de mata. grande diversida-
Associação Entre a terra firme e os igapós, de de corpos d’água,
Brasileira representada por rios, lagos e pequenos
de Recursos
aparecem as matas de várzea, igarapés. Os altos índices pluviométricos
Hídricos variando de acordo com a proxi- da região são importantes para a ma-
(especial midade dos rios. Nelas podem ser nutenção de uma das mais densas redes
para a BOA encontradas algumas espécies de hidrográficas do mundo.
VONTADE)
grande porte como a seringueira,
as palmeiras e o jatobá. raras. Entre os mamíferos, ocorrem
fisionomia vegetal é caracterizada Outro exemplo dessa magnitu- cerca de 310 espécies distribuídas
pelo seu grande porte e notável de da biodiversidade é a distribui- na Amazônia, representando 7%
biodiversidade. Compreende: ma- ção na Amazônia de 3.000 espé- do total de espécies conhecidas
tas de terra firme, matas de igapó cies de peixes, aproximadamente no globo terrestre, sendo a floresta
e matas de várzea. um terço da ictiofauna* de água tropical mais rica em espécies de
Nas matas de terra firme encon- doce do globo. Os peixes de valor primatas, com algumas espécies
que só são vistas em determinados
lugares, como o uacari-branco de
Mamirauá.
A Amazônia possui uma forte
relação com a água, que consti-
tui a base de sua sobrevivência,
proporcionando-lhe uma fonte
inesgotável de alimento, fertili-
zando suas terras e constituindo-
se, muitas vezes, na única via
de transporte e comunicação. A
tram-se as gigantescas árvores de comercial são importantes para os região apresenta uma produção
madeira de lei da Amazônia. Em povos ribeirinhos e há espécies hídrica da ordem de 133.380 m3/s,
alguns locais as copas das árvores de interesse ornamental como os ou seja, cerca de 64% da vazão
são tão grandes que impedem a acarás-disco, entre outras. Nas média total da Bacia, e 10% da
passagem de até 95% da luz do áreas de alto relevo, onde nascem média mundial.
sol, tornando o interior da floresta rios da Bacia Amazônica, as águas A riqueza da biodiversidade
escuro, mal ventilado e úmido. em corredeiras e ricas em oxigê- da Amazônia e o seu delicado
As matas de igapó localizam- nio favorecem o aparecimento equilíbrio ecológico, aliados ao
se nos terrenos mais baixos, de plantas especializadas que se grande valor econômico de seus
pró­ximos aos rios, mantendo-se associam com espécies raras de recursos naturais, exigem da
permanentemente alagadas. Du- pequenos peixes, contribuindo sociedade, tanto nacional como
rante o período de cheia, as águas para a diversidade de espécies. mundial, uma nova consciência
inundam as margens dos rios, Na Amazônia existem 163 em direção ao desenvolvimento
avançam pela floresta e chegam espécies de anfíbios e 550 de sustentável. Este é o grande de-
quase a alcançar as copas das répteis. Mais de 60% dessas es- safio da Amazônia.
árvores, formando os “igapós”. pécies de répteis são endêmicas,
Quando esse fenômeno acontece isto é, próprias da Amazônia. Na
nos pequenos rios e afluentes, são região há registros de cerca de *Ictiofauna — Em ecologia e ciências pesqueiras, cha-
ma-se ictiofauna ao conjunto das espécies de peixes que
denominados “igarapés”. As árvo- 1.000 espécies de aves, das quais
existem numa determinada região biogeográfica.
res aí encontradas podem atingir 283 possuem distribuição restrita
20 metros de altura, mas é comum à região ou são intrinsecamente Saiba mais: www.mre.gov.br

BOA VONTADE | 71
Opinião — Economia

Poupar
para o amanhã
P
ara falarmos em poupança tal- sua origem. Durante a Idade Média

Arquivo pessoal
vez seja interessante lembrar não havia muito metal disponível e
tempos de muito antigamente praticamente todos os utensílios do-
quando as mães explicavam mésticos eram confeccionados com
aos filhos por que deviam guardar um tipo de argila de tom vermelho-
seus níqueis no cofrinho em forma escuro conhecida como pygg. Em
de porco, contando-lhes velha fábu- inglês porco é pig. Vai daí... Mario de
Moraes
la de La Fontaine (1621-1695), das Os tempos passaram e hoje (especial
formigas e das cigarras. No verão as em dia as pessoas prevenidas já para a BOA
formigas acumularam comida para sabem que é necessário poupar, VONTADE)
o inverno, enquanto as cigarras só o menos que seja, para garantir
faziam cantar o tempo todo. Quando tempos futuros. A origem da 2.723, de 12 de janeiro de 1861, que
chegou o inverno, as formigas esta- poupança tem história antiga. Ela criou a Caixa Econômica da Corte.
vam bem abastecidas e as cigarras remonta ao início da atividade da No Artigo 1º, o então imperador
morreram de fome. E por falar em Caixa Econômica como institui- Dom Pedro II determinava: “A
cofrinho em forma de porco, damos ção financeira no século XIX. Na Caixa Econômica estabelecida na
uma informação que pode pa- verdade, o nascimento da Caixa e cidade do Rio de Janeiro (...) tem
recer cultura inútil, mas da poupança estão entrelaçados, por fim receber, a juro de 6%, as
não custa saber uma vez que o banco nasceu para, pequenas economias das classes
principalmente, recolher depósitos menos abastadas e de assegurar,
dos brasileiros, notadamente da- sob garantia do Governo Imperial,
queles menos favorecidos. Seria a fiel restituição do que pertencer
uma forma de eles guardarem um a cada contribuinte quando este o
pouco do que ganhavam e aumen- reclamar (...)”.
tarem o bolo à custa de juros. Em outras palavras, a poupança
Isto pode ser comprovado por inicialmente foi criada como uma
meio de trechos do Decreto nº reserva monetária para as camadas

72 | BOA VONTADE
mais pobres da população, a fim o Decreto nº 5.153, de 13 de novem-
de atender urgentes necessidades, bro de 1872, que regulamentou a Lei
inclusive como segurança para nº 2.040 do ano anterior, as Caixas
uma velhice mais tranqüila. Como Econômicas podiam recolher os
o Governo garantia os depósitos depósitos feitos pelos “escravos de
e ainda pagava juros por eles, as ganho”, aqueles que trabalhavam
pessoas consideraram a poupança em atividades rentáveis, tanto para
da Caixa um excelente negócio e a os seus senhores como para si pró-
ele aderiram. prios. Como os demais depositantes,
os escravos também recebiam uma
Escravo também podia caderneta para controle de depósi-
poupar tos e retiradas. Havia, porém, uma
Entre os poupadores, é interes- diferença. Na caderneta do escravo
sante revelar, havia muitos escravos. constava o nome do seu senhor, já
Resultado das transformações so- que era necessária a autorização do
ciais e políticas que o Brasil passou patrão para que ele depositasse na
na segunda metade do século XIX. Caixa.
E isso foi possível graças à Lei Desde a fundação da Caixa
nº 2.040, de 1871, que permitia Econômica até a implantação da
ao escravo formar um pecúlio, República, foram realizadas vá-
vindo de doações, legados e rias modificações no regime de
heranças, ou mesmo por algum funcionamento da poupança, com
tipo de trabalho. De acordo com destaque para a que se referia ao
percentual de remuneração dos
depósitos. O que pode ser compro-
vado com o Decreto nº 5.594, de 18
de abril de 1874, que determinava
que as taxas de juros não poderiam
ser superiores a 6% ao ano, e que
ela seria fixada anualmente. Até o
ano de 1915 tudo correu do mesmo
modo, até que o Decreto nº 11.820,
de 15 de dezembro, entrou em
vigor. A partir dessa data os juros
passaram a ser estipulados pelo
Governo anualmente, conforme
as circunstâncias locais, demons-
trando que a turma das finanças
estava preocupada com um patamar
unificado para todo o País. Para
tanto, retirou do Conselho Fiscal de
cada Caixa o poder de estabelecer

BOA VONTADE | 73
Opinião — Economia

as remunerações, centralizando em 1994, ano em que foi instituído o vendo o sucesso da caderneta de
suas mãos essa decisão. Com uma Plano Real. Hoje em dia os valores poupança, também criaram as
novidade: a mulher casada, desde depositados na Poupança da Caixa suas. Até o Banco do Brasil entrou
que o marido concordasse, a partir são remunerados a uma taxa de nessa. Em 2005, por exemplo, os
daquela data poderia ter sua própria juros de 0,5%, aplicada sobre os bancos privados bateram recorde
poupança. valores atualizados pela Taxa Re- de financiamento da casa própria.
A maior modificação na mecâni- ferencial (TR). O resultado daquele período su-
ca dos depósitos na Caixa, no entan- A Caixa também oferece linhas perou todas as expectativas, os
to, aconteceu com a introdução do de crédito diversificadas aos seus bancos privados emprestaram R$
Decreto nº 24.427, de 14 de junho usuários, adequadas ao perfil e à 4,793 bilhões para o financiamento
de 1934. Além de introduzir novos necessidade do solicitante. Não da casa própria com recursos da
parâmetros para o funcionamento podemos nos esquecer das Loterias caderneta de poupança, o melhor
dos depósitos, foi criado o Conselho Federais, que passaram a existir a desempenho registrado pela Abe-
Superior, um órgão destinado a con- partir de 1962. Foi nesse ano que a cip (Associação Brasileira das
trolar e fiscalizar as diversas Caixas União delegou à Caixa Econômica Entidades de Crédito Imobiliário e
então existentes no País. Isto per- a administração dos jogos. Ela ficou Poupança) desde 1995. O Conse-
mitiu que os depó- responsável por sua exploração e lho Monetário Nacional determi-
sitos aumen- por repassar ao Governo Federal nara que os bancos deviam elevar

Em outras palavras, a poupança inicialmente foi criada como uma reserva


monetária para as camadas mais pobres da população, a fim de atender urgentes
necessidades, inclusive como segurança para uma velhice mais tranqüila.

tassem de forma surpreendente. Em os valores destinados aos benefícios em até 50% a concessão de crédito
cinco anos, o montante de depósitos legais oriundos da arrecadação com para a habitação em relação a 2004.
passou de Cr$ 909.980.000,00 para a venda dos produtos lotéricos. Foi acirrada a disputa entre as ca-
Cr$ 2.078.243.000,00, crescendo Além de fazer muitos milionários, sas bancárias para conseguir mais
mais de 100%. E ao longo dos anos os jogos transformaram-se em clientes, procurando oferecer-lhes
esse crescimento vem se mantendo excelente fonte de renda para o o maior número de facilidades. No
de modo significativo. desenvolvimento social. Só para final de 2005 a Caixa Econômica
Nova modificação veio com a dar um exemplo: graças aos jogos também entrou na dança, retornan-
Lei nº 4.380, de 21 de agosto de a Seguridade Social recebeu R$ do ao financiamento habitacional
1964, quando foi aprovada a cor- 719.964.715,02 para serem aplica- com dinheiro da poupança, com
reção monetária para os depósitos dos em benefícios previdenciários. R$ 2 bilhões a serem oferecidos
de poupança da Caixa. Além da Um pouco mais, um pouco menos ao mercado, com a previsão desse
remuneração anual de 6% (0,5% foi destinado ao Esporte nacional; total ser utilizado em 2006.
ao mês), os valores depositados ao Programa de Financiamento Es- Os analistas financeiros, de
nas cadernetas passaram a ser atua- tudantil (FIES); ao Fundo Nacional um modo geral, aconselham os
lizados mensalmente pela correção de Cultura e ao Fundo Penitenciário pequenos e médios poupadores a
monetária, de acordo com o percen- Nacional (FPN). aplicarem seu dinheiro na caderneta
tual definido pelo Banco Central Embora a Caixa seja a pioneira, de poupança, onde fica a critério do
do Brasil. Esse sistema vigorou até os bancos privados brasileiros, poupador.

74 | BOA VONTADE
Opinião — Política

Por esta causa,


vale qualquer sacrifício Deputado Federal Luiz Bassuma

C
ompreendo a política no sen- no momento da fecundação. Por-
tido mais amplo desta pala- tanto, aborto é crime hediondo pela
vra, que é originada do grego crueldade de matar uma vida sem
polis, que significa cidade, nenhum direito de defesa.
abarcando, portanto, a idéia de ci- Ainda existe muita desinforma-
dadania. Modernamente a política ção por parte da sociedade a respeito
continua sendo, do ponto de vista do que significa o aborto e suas
macro, a arte do relacionamento graves conseqüências biológicas,
entre os que vivem nas cidades, psicológicas e espirituais. Essa de-

Fernando Franco
ou seja, os cidadãos. E do ponto sinformação parece intencional e é
de vista micro, na democracia nossa obrigação, como legisladores,
representativa, temos o exercício preservarmos os direitos de nossos
dos mandatos eletivos. Exerço cidadãos, tanto à vida quanto à dig- assim como temos o Estatuto do
mandato desde 1997, quando fui nidade dessa vida. Idoso e da Criança, precisamos
eleito Vereador de Salvador até Paralelamente Organismos In- avançar para consolidar o art. 5o
este ano de 2007 com o exercício ternacionais como a Fundação Ford, da nossa Constituição, que tem
do segundo mandato de Deputado Fundação Mac Arthur, FMI e Banco como cláusula pétrea a garantia
Federal pela Bahia. Mundial investem muito dinheiro do direito à Vida.
Na atual conjuntura, minha no financiamento de ações voltadas Além desse, no dia seguinte
prioridade máxima é trabalhar para para o controle da natalidade no em que o Ministro da Saúde, José
evitar a legalização do aborto no Brasil, com o objetivo de retardar Gomes Temporão, declarou em
Brasil. Em 2005, organizamos a o desenvolvimento deste País que entrevista, que o Ministério preten-
Frente Parlamentar em defesa da tem potencial para se tornar uma de distribuir gratuitamente e sem
vida que conta hoje com a adesão das maiores potências econômicas prescrição médica a “pílula” (AE
de 210 parlamentares. Com muita da Terra. — Anticoncepção de Emergência)
mobilização da sociedade civil, O Estado precisa intensificar apresentei o Projeto de Lei no 1.413
conseguimos evitar a aprovação as políticas públicas visando de 26 de junho de 2007 que proíbe
do PL 1135/1991 por apenas um enfrentar as causas da gravidez a distribuição indiscriminada do
voto. Agora, ele volta a tramitar na indesejada. Paralelamente, na medicamento conhecido como “pí-
Comissão de Seguridade Social e Comissão de Seguridade Social lula do dia seguinte” por considerá-
Família da Câmara Federal. e Família, tramita também o lo potencialmente abortivo.
Hoje a ciência, com seus ex- Projeto de Lei que dispõe sobre Estou fazendo minha parte nes-
traordinários avanços, principal- “O Estatuto do nascituro” rea- se processo e não medirei esforços
mente na genética e na embriologia, presentado por mim, a pedido do para combater qualquer tentativa
vem convergindo a cada dia na ex-Deputado Osmânio Pereira, no sentido de legalizar no Brasil,
confirmação daquilo que todas as seu autor na legislatura passada. direta ou indiretamente, o hediondo
religiões cristãs afirmam há milê- Significa justamente o contra- crime do aborto. Por esta causa,
nios, ou seja, que a vida começa ponto ao PL 1135/91, ou seja, vale qualquer sacrifício.

BOA VONTADE | 75
Esporte é Vida!

Ricardo Stuckert/PR
VIVA ESSA ENERGIA Assim como na cerimônia de abertura, na festa de encerramento os cerca de 1.200 ritmistas
formaram os raios do Sol — símbolo dos Jogos do Rio — no centro do tradicional estádio do Maracanã.

Brasileiros
vencedores Natália Lombardi

C
rianças atendidas pela de sucesso e o desejo de muitas não violência!, desenvolvida pela
Legião da Boa Vontade medalhas. Instituição desde a década de 1970.
em Minas Gerais e no Rio O esforço de cada atleta, aliado Também receberam trabalhos ar-
de Janeiro, sede dos Jogos à grande torcida brasileira, fez desta tesanais feitos pelos atendidos no
Pan-americanos 2007, prestaram a melhor campanha do País na his- Centro Educacional, Cultural e
homenagens aos atletas da dele- tória da competição: 161 medalhas, Comunitário da LBV.
gação brasileira no maior evento sendo 54 de ouro, superando o total
esportivo das Américas. O empur- do Pan de Santo Domingo, na Re- Seleção de Natação
rãozinho da vitória — expressão pública Dominicana, em 2003, com Com músicas e lembranças feitas
criada pelos próprios competido- 101 medalhas no total e 29 ouros. por elas, as crianças atendidas pela
res — serviu de incentivo para Foram entregues aos nossos LBV em Minas Gerais saudaram a
melhorar o desempenho de cada campeões camisas da pioneira delegação dourada da natação, uma
um nas provas, com os votos Campanha LBV — Esporte é Vida, semana antes das provas. Rodrigo

76 | BOA VONTADE
Castro, ouro no revezamento
4x200m livre, agradeceu a visita:
“Foi superlegal essa homenagem,
LBV dá sorte!
Dias antes da competi-
principalmente pela LBV estar em

João Muniz
ção, crianças atendidas
uma região onde nasci, fui criado pela LBV prestaram
e tive minhas raízes. Que bom vê- homenagem aos atle-
las no Esporte e na Arte, um meio tas da natação. Da es-
querda para a direita,
de torná-las mais responsáveis,
o técnico da Seleção
longe das drogas e fora das ruas. Brasileira e do Minas
Obrigado!” Tênis Clube, Fernan-
Prata nos 100m borboleta e no do Antonio Vanzella
4x100 medley, Gabriel Manga- e os nadadores Ga-
briel Mangabeiras,
beiras expressou: “É uma emoção Fernanda Nunes,
única receber este carinho e essa Thiago Pereira e
energia positiva que as crianças Rodrigo Castro.
da LBV mandam. Com certeza,
fará a diferença na reta final. É “Fiquei bastante emocionado com a homenagem da Legião da
emocionante vê-las fazendo isso Boa Vontade. (...) É muito bom imaginar que muitas crianças se espelham
pela gente”.
na gente para, quem sabe um dia, estar presentes nessas competições.
Seleções masculinas de Caratê Levarei esse carinho da LBV a todas as provas de que participarei.”
e Judô
O encontro aconteceu dias antes Thiago Pereira
do evento, no Clube de Regatas do recordista em número de medalhas em uma única competição do
Vasco da Gama. O estreante Caio Pan (seis ouros, uma prata e um bronze).
Duplat aproveitou para mandar
(continua na página 78)

Nossa homenagem também à Se- Diogo Silva e a medalha de ouro, a


Divulgação/ Assessoria de Imprensa Grupo Cimed

leção Brasileira Masculina de Vôlei primeira conquistada pela delegação


(ouro no Pan), comandada pelo brasileira no Pan do Rio. Ele visitou a Su-
vitorioso técnico Bernardinho. Seu per Rede Boa Vontade de Comunicação,
filho, o levantador Bruno, apro- em São Paulo/SP, e concedeu entrevista
veitou o microfone da Super Rede sobre tae kwon do e os desafios que
Boa Vontade de Rádio para deixar venceu para se tornar um campeão.
o recado para o pai de ouro: “Há
dois anos estou treinando com o
meu pai direto e foi uma surpresa Clayton Ferreira
competir no Pan 2007. Fiquei muito
honrado em fazer parte de, pelo
menos, algum momento dessa ge-
ração tão vitoriosa. Meu pai sempre
passou para mim que qualquer
profissão deve ser exercida com
dedicação total, 110% de paixão”.

Durante o último treino oficial das


Simone Barreto

meninas do vôlei no Maracanãzi-


nho, antes do Pan, as vice-campeãs
receberam das crianças da Legião
da Boa Vontade a camisa Esporte
é Vida! e mensagens escritas com
desejos de boa sorte a todas. A foto
mostra a atacante Érika exibindo,
orgulhosa, sua camisa da Campa-
nha da LBV.

BOA VONTADE | 77
um “beijão a todas as crianças da

Alexandre Avelino
LBV. Estamos juntos no esporte,
para qualquer evento. Gostei mui-
to do desenho e usarei a camisa.
Obrigado”. Também agradeceram
a homenagem os caratecas Carlos
Lourenço, prata na categoria até
65 kg, Vinicius Souza, bronze nos
70 kg, e Juarez Santos, ouro na
modalidade acima dos 80 kg.
Equipe de canoagem
A homenagem aos judocas rece-
com as crianças da beu destaque no álbum de fotos do
LBV, antes do Pan, portal UOL e na página de esportes
na sede do Clube de do globo.com, seguido da nota: “Das
Regatas Flamengo.
mãos de Thalles, Juan e Gabrielle,
[Flávio] Canto recebeu desenhos
feitos pelas crianças da LBV, além
“Agradeço a torcida da de uma carta desejando boa sorte ao
LBV. Já a conheço e vi todo lutador. Visivelmente emocionado,
Flávio agradeceu o carinho: ‘Essa
esse trabalho que é mais homenagem só me dá ainda mais
força para lutar por uma vaga no
um incentivo para nós. pódio’”. O lutador que defendia o
Alexandre Avelino

Melhor não seria possível: ouro conquistado no Pan de Santo


Domingo, em 2003, contundiu-se
contar com o apoio dessas na semifinal: teve uma luxação no
Os caratecas Caio Duplat, Vinicius Souza, crianças.” braço direito e não conseguiu dar
Juarez Santos e Carlos Lourenço tam- prosseguimento à competição.
bém apóiam a Campanha Esporte é Vida! Juarez Santos A Seleção masculina de Judô
carateca e medalhista de ouro conquistou duas medalhas de
ouro (João Derly, 66 kg, e Tiago
Baú do Pan
da categoria acima de 80 kg.

O jornalista Odir Cunha reuniu no livro 1955


Arquivo pessoal

Heróis da América — História Completa A delegação brasileira levou cinco dias para chegar ao México,
dos Jogos Pan-Americanos um apanhado viajando em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).
dos detalhes que fizeram desta a maior  
festa esportiva das Américas. Nele, constam 1959
informações sobre todos os jogos realizados No lançamento do martelo, o norte-americano Harold Con-
desde sua criação, conseguidas graças ao nolly já tinha sido declarado vencedor,
amplo trabalho de pesquisa. Especialista Odir Cunha quando uma nova medição mostrou um
na área esportiva, reservou para a BOA empate entre ele e seu compatriota Al
VONTADE os momentos que considera mais curiosos de algumas Hall, ambos com 56,67 metros. Como Al
edições do Pan: Hall havia arremessado primeiro, ficou
com a medalha de ouro. Entretanto, o
recorde Pan-Americano foi creditado
1951 aos dois.
O mundo esportivo ainda era muito machista. Na  
primeira edição do Pan, as mulheres só participaram 1963
das provas de atletismo, esgrima, equitação, nata- Os governos estadual e municipal de São Paulo uniram-se para
ção, saltos ornamentais e tênis. dar à cidade condições de fazer o evento, que foi bem-organiza-

78 | BOA VONTADE
Esporte é Vida!

Camilo, 90 kg), duas de prata (João

Fotos: João Muniz


Schlittler, acima de 100 kg, e Le-
andro Guilheiro, 73 kg) e duas no
bronze (Alexandre Lee, 60 kg, e
Luciano Corrêa, 100 kg).

Seleção de Canoagem
As mensagens de apoio também
motivaram os atletas da canoagem
logo no início das competições. Eles
receberam as crianças da LBV no
Estádio Remo da Lagoa. “Coloca-
remos os desenhos no nosso quarto
na Vila Olímpica”, contou o expe-
riente canoísta Sebastian Cuattrin,
que conseguiu no Rio sua primeira
medalha de ouro em cinco partici- “Estou recebendo homenagens desde quando ganhei o ouro,
pações no Pan-americano, no K-4 mas algumas, como essa da Legião da Boa Vontade, são
1000m. “A gente ficou muito con-
tente com a visita das crianças. Isso especiais. Somos espelho para milhões de pessoas e temos
nos deu força e tranqüilidade para uma responsabilidade, pois sabemos que crianças, como por
as provas”, completou Cuattrin.
O técnico da seleção, Pedro exemplo da LBV, estão esperando o resultado meu. Quero
Sena, sabe a diferença que faz para agradecer de coração à Legião da Boa Vontade por ter prestado
o participante esse tipo de apoio.
“Foi muito importante a presença esta homenagem e o que precisarem podem contar comigo.”
da LBV, porque temos atletas que
vieram de projetos sociais. Com Franck Caldeira
certeza, toda aquela vibração da ouro na Maratona dos jogos Pan-americanos Rio 2007, após
criançada fez a gente trazer vitórias ser homenageado por crianças atendidas pela LBV em Belo
para o Povo brasileiro”. Horizonte/MG.

do. A Vila Pan-americana, prevista para ficar pronta zamento, além de uma de prata e uma de bronze em provas
em três anos, foi construída no tempo recorde de individuais. Sua explosão aconteceu aos 22 anos, nos Jogos de
150 dias.  Hoje pertencente à Universidade de São Munique, quando estabeleceu o recorde de sete medalhas de
Paulo (USP), a Vila foi erguida com estruturas pré- ouro: 100 e 200 metros estilo livre; 100 e 200 metros borboleta;
fabricadas, num projeto arrojado para a época, e revezamentos 4x100 livre, 4x100 medley e 4x200 livre. Após
ficou pronta dentro do cronograma. Foram cons- Munique, abandonou a natação e a faculdade de odontologia
truídos piscinas, quadras, refeitórios; organizados para se tornar garoto-propaganda.
o serviço médico e o transporte.  
  1971
1967 O pugilista brasileiro Vicente Maximiliano Campos fez só uma
A equipe norte-americana apresentou um luta, perdeu, mas saiu com a medalha de bronze na categoria
colegial de 17 anos que desde os 10 foi pesado. É que só havia quatro inscritos e os dois perdedores das
apontado como um fenômeno da natação. semifinais garantiam o bronze.
Nascido em Modesto, Califórnia, em 10 de  
fevereiro de 1950, Mark Spitz não decep- 1975
cionou e ganhou cinco medalhas de ouro em Na luta greco-romana, que estreava nos Jogos, o norte-ame-
Winnipeg. Nos Jogos Olímpicos do México, ricano Willie Williams conquistou o público ao aceitar lutar
no ano seguinte, ele conquistou apenas contra o mexicano Javier Serrano depois que este já tinha sido
duas medalhas de ouro em provas de reve- desqualificado por tomar mel (somente água é permitida entre

BOA VONTADE | 79
Moraes
Mônica
Prata no Pan, Bruno Nolasco
aparece na foto com as crianças da LBV
durante homenagem aos jogadores brasi-
leiros do pólo aquático.

Além das medalhas citadas, a


modalidade conquistou outras qua-

Alexandre Avelino
tro: uma prata (no C-2 1000m) e
três bronzes (C-1 500m, C-2 500m
e K-1 500m).
No complexo esportivo do Maracanã, a garotada
da LBV levou carinho e as camisetas Esporte é
Saltos Ornamentais
o
Alexandre Avelin

Vida! aos atletas dos saltos ornamentais. Na foto


maior, Tammy Galera e Juliana Veloso. Ao lado, Os atletas receberam o abraço da
Hugo Parisi e Cassius Duran. garotada no complexo esportivo do
Maracanã, às vésperas da competi-
Luisa Parente, ex-atleta e medalhista Pan-ameri-
Jorge Alexandre

cana, em visita à escola da Legião da Boa Vontade


ção. A estreante Tammy Galera,
do Rio. Ao conhecer a rede educacional da obra e a que faz dupla no salto sincronizado
infra-estrutura de incentivo ao Esporte nas novas com a experiente Juliana Veloso
gerações, registrou: “Há muito conheço a LBV de (bronze na prova individual da pla-
ouvir falar e de muitos livros publicados de seu
Presidente Paiva Netto. Mas hoje posso dizer que
taforma de 10m), disse que “é muito
realmente conheço a Legião da Boa Vontade! (...) Vi bom o que a LBV está fazendo. Não
a dedicação de cada profissional nos olhinhos das são só as crianças que torcem por
crianças da LBV. Vi o respeito que eles têm por elas nós. A gente também torce pelo
e uma percepção dos alunos do quanto eles estão
sendo privilegiados de estarem aqui. É um trabalho
futuro delas”.
muito sério que eu pude ver e isso me deixa muito Cassius Duran (prata na plata-
feliz porque a gente vê que há uma saída para os forma no Pan de 2003) retribuiu:
problemas do mundo”. “Muito obrigado por tudo! Com

os rounds). Williams ganhou de Serrano, ficou com a medalha de norte-americana, lembrou-se da segunda cidadania e conseguiu
ouro e foi aplaudido pelas duas mil pessoas que minutos antes inscrever-se na equipe que foi a Caracas. Saltou 5,20m. Só ficou
tinham jogado de tudo sobre o ringue. atrás de Jeff Buckingham, com 5,25m, e Mike Tully, com 5,45m,
  ambos dos Estados Unidos.
1979  
O pugilista mexicano Javier Colín, de 22 anos, chorava e rezava 1987
pelos adversários depois de nocauteá-los. Após o Pan ele havia Contrariando teimosas teorias racistas de que negros não pode-
decidido trocar as luvas de boxe pela batina de padre no pequeno riam se dar bem na natação, Anthony Nesty, nascido em Trinidad
convento jesuíta da cidade de Vera Cruz, no interior de seu país. e Tobago em 25/11/1967, mas criado no Suriname, venceu os 100
Colín ganhou a medalha de bronze da categoria médio-ligeiro. metros nado borboleta e também ganhou a medalha de bronze
O ouro ficou com o cubano Andrés Aldama. nos 200 metros do mesmo estilo. Um ano depois, Nesty – que
  desde 1984 passara a treinar com uma elite de nadadores no
1983 centro de treinamento Bolles, em Jacksonville, Flórida – venceu
O Brasil ganhou a medalha de bronze no salto com vara com um o favorito norte-americano Matt Biondi (53s00 a 53s01) nos 100
atleta que só falava inglês. O loiro Tomas Waldemar Hintnaus, metros borboleta dos Jogos de Seul e conquistou o primeiro ouro
filho de norte-americanos, nasceu no Brasil quando seus pais olímpico para o Suriname e também o primeiro de um nadador
estavam de passagem. Como não conseguiu vaga na forte equipe negro.
  

80 | BOA VONTADE
Esporte é Vida!

Brasileiros dão show


no Parapan
Bastaram sete dias de competições
para que a terceira edição oficial dos Jogos
Parapan-americanos Rio 2007 mostrasse
mais que espírito de luta e brilhantismo.
Pela primeira vez na história do esporte,
Uniformizadas com a camiseta da Campanha Esporte é Vida!, da LBV, as Seleções Feminina dois grandes eventos tiveram como sede
e Masculina de Esgrima posam para foto com as crianças da Legião da Boa Vontade. um mesmo local, sendo disputados na
seqüência um do outro. Após os Jogos Pan-
americanos (entre 13 e 29 de julho), foi a vez
certeza, essa homenagem da LBV saber que elas estariam torcendo dos 1.300 paraatletas — e 700 membros
aqueceu os nossos corações”. por nós. Foi uma responsabilidade de delegações — atuarem, de 12 a 19 de
Ele fez dupla com Hugo Parisi, a mais. Nós nos revigoramos para agosto, em dez modalidades e confirmaram
campeão individual sul-americano dar alegrias a elas”, disse. a evolução de nosso esporte alcançando o
2006, que também agradeceu o Bronze no florete individual, 1o lugar na classificação geral.
A Natação foi a que mais contribuiu
carinhoso gesto. João Souza disse ter treinado muito para o saldo de medalhas do Brasil (que
para a prova. “Este é um momento terminou os jogos com 83 de ouro, 68 de
Seleções Feminina e importante, não só na vida esportiva, prata e 77 de bronze), somando 228 ao todo.
Masculina de Esgrima mas na pessoal”. Sobre a homena- Destaque para Daniel Dias, André Brasil,
Uma das maiores surpresas para gem das crianças da LBV, comentou: Adriano Lima e o Tubarão Pa-
raolímpico, Clodoaldo Silva.
o Brasil neste Pan, o bronze na espa- “É muito bom receber todo esse

Wilsom Dias/ABr
Para o Ministro dos Espor-
da individual de Clarisse Menezes apoio, esse carinho. Saber que tem tes, Orlando Silva, os Jogos
teve gosto de ouro. Reserva na equi- tanta gente apoiando influencia e nos Parapan-americanos podem
pe nacional do pentatlo moderno, a sensibiliza, principalmente na hora ajudar a candidatura brasileira
esgrimista confessa que não gosta de fazer a diferença no campeonato, às Olimpíadas de 2016 e tam-
de perder mas que “o importante é na hora da superação e do cansaço. bém incentivar os portadores de
deficiência a superar dificulda-
ter conseguido a primeira medalha Muito obrigado”. Completando o des. O Instituto Muito Especial Orlando Silva
para as mulheres (na modalidade)”. quadro de esgrima, Renzo Agreste calcula, com base em dados do
Homenageada pela LBV, pouco foi bronze no sabre individual. IBGE, que 14,5% da população brasileira
antes da competição, Clarisse conta (Colaboração: Mônica Mendes, possuem algum tipo de deficiência. Confira
que a presença das crianças foi signi- Isabela Ribeiro, Mônica Moraes e na próxima edição da BOA VONTADE a
cobertura do Parapan.
ficativa. “Ficamos muito felizes em Simone Barreto)

1991 1999
O Presidente Fidel Castro assistiu à derrota de Cuba para o A medalha de prata foi um prêmio mais do
Brasil na final do basquete feminino (97 a 76) e na entrega que merecido para a triatleta brasileira Carla
de medalhas resolveu brincar com Paula. “Você é a número Moreno. Antes da viagem ela foi assaltada em
oito, não é? Você fica sem medalha. Você acabou com o time Campinas/SP e lhe roubaram o carro, com sua
de Cuba”. Depois, perguntou quantos arremessos Paula e bicicleta e documentos. Teve de conseguir nova
Hortência treinavam por dia e terminou tirando uma foto ao bicicleta no dia do embarque e por menos de
lado das duas brasileiras. cinco minutos não perdeu o avião. Quando
  desembarcou, descobriu que sua bagagem
1995 havia se extraviado. 
O pugilista brasileiro Acelino Freitas, mais tarde  
famoso como “Popó”, ficou com a medalha de prata 2003
na categoria ligeiro (até 60 quilos) ao perder a final O time brasileiro feminino de basquete foi prejudicado por um
para o cubano Julio González. O baiano Popó, que erro no placar eletrônico, que apontou um ponto inexistente
como profissional seria campeão mundial dos para os Estados Unidos, na semifinal. Graças a esta falha o jogo
super pena (59 quilos) e leve (62 quilos), venceu terminou empatado. O Brasil perdeu na prorrogação e acabou
29 lutas seguidas por nocaute. ficando com a medalha de bronze.

BOA VONTADE | 81
Acontece no Brasil

M o n t e s c l a r o s / m g

Mutirão da Cidadania Texto e foto: Elionai Mendes

A Legião da Boa Vontade tadas palestras sobre os Direitos Outros parceiros da Instituição
(LBV) promoveu em Montes da Mulher e dos Trabalhadores, foram: as Secretarias Municipais
Claros, norte de Minas Gerais, o além de emissão gratuita de RG de Saúde e de Meio Ambiente,
Mutirão da Cidadania, mais uma e da Oficina Rua de Lazer para Corpo de Bombeiros, Defensoria
ação do sexagenário programa as crianças. Pública da Mulher, INSS, Escolas
Ronda da Caridade, atendendo O público pôde conferir apre- Municipais Alfredo Coutinho e
500 pessoas de comunidades sentações de cães adestrados e da Neide Melo Franco, SESC, Po-
em situação de vulnerabilidade Banda do 10o Batalhão da Polícia lícia Civil, Lafarge, Assessoria
social. Foram aferidas pressão Militar e de vários grupos de de Comunicação da Prefeitura de
arterial e glicemia, apresen­ dança. Montes Claros, Centro de Refe-
rência de Assistência Social, Pro-
grama Saúde da Família (PSFs)
dos bairros Novo Delfino, Camilo
Prates e Vila Anália; Escola CE-
MEI São Marcos e Pastoral do
Menor; além de associações de
moradores dos bairros Vila Aná-
lia, Camilo Prates e Delfino Ma-
galhães. O Centro Comunitário
e Educacional da LBV na cidade
está localizado na Rua Germa-
no Gonçalves, 601, São José,
tel.: (38) 3221-0636.

s a l v a d o r / b a

Curso capacita jovens para mercado turístico


Nino Santos

Jovens de comunidades em situa­ Impactos do Turismo. Agregadas


Nizete Souza

ção de vulnerabilidade social, da ao currículo, ainda ocorrem visitas


capital baiana, poderão participar técnicas a museus e pontos turísti-
do curso básico de “Capacitação cos da cidade, nas quais os alunos
Turística — Conceitos, Tipologias e exercem, na prática, o que apren-
Impactos do Turismo”, fruto de uma deram. O curso, ministrado pelos
parceria firmada entre a Legião da formandos do 7o e 8o semestres da
Boa Vontade e a Faculdade Baiana Fabac, terá duração de seis meses.
de Ciências (Fabac). Os interessados devem entrar em
As primeiras turmas iniciaram- contato com a LBV em Salva-
se em junho com três aulas sema- dor/BA, localizada na Av. Porto
nais das disciplinas: Turismo com dos Mastros, 19, Ribeira, tel.: (71)
Espanhol básico, Inglês básico e 3312-0555.

82 | BOA VONTADE
Acontece no Brasil

n i t e r ó i / r j b RAS Í LIA / d f

Ler e escrever, Para DJ Aly,


um direito conquistado LBV é Amor
Texto e foto: Simone Barreto
Texto e foto: João Areis Preda
A população de Niterói/RJ programa LBV — Criança: Futuro Ex-aluno da Escola de Educa-
também realiza o sonho de ler e no Presente! Em Niterói, o órgão ção Infantil Alziro Zarur (QSD
escrever no Centro Comunitário e da Instituição está localizado na 08, Área Especial 11, tel.: (61)
Educacional da LBV, ao participar Alameda São Boaventura, 474, 3561-3788), em Taguatinga/DF,
do Programa Brasil Alfabetizado, Fonseca, tel.: (21) 2625-4278. George Fabiano Sales, conheci-
do MEC, em parceria com o do como DJ Aly, fez a cobertura
Núcleo de Educação e Cidadania do Arraiá da Boa Vontade da
da Universidade Federal Flumi- LBV, no fim de junho, para o
nense. programa Balanço da Galera,
“Depois que aprendi a ler e a da Rádio JK FM. “A LBV é meu
escrever, resolvi meu problema de pai, minha mãe e família! Estou
ir ao banco, assinar o nome e fazer com minhas duas filhas, Ketlen e
contas”, orgulha-se a dona de casa Giovana, que também estudaram
Ana Maria da Silveira (58), que aqui”, conta o radialista.
foi incentivada por sua neta An- Aos 24 anos, Aly é bacharel
dressa Lacerda (10), atendida no em Educação Física e credita sua
formação à base sólida encontrada
m a n a u s / a m na Instituição: “Sou colaborador
da LBV e, pela JK FM, posso le-
Alfabetização e var à população Amor. E o Amor
é a LBV! Quero agradecer ao

dignidade para idosos Paiva Netto por proporcionar a


mim e à minha família a chance
Texto e foto: Adriane Mafra de estudar em uma escola que é
A LBV, que promove curso de Peso, 69 anos, que, feliz, agra- Amor, é uma oportunidade única
alfabetização de adultos em seu deceu: “Vocês me ampararam na vida”.
Centro Comunitário e Educacio- quando mais precisei, pois meu
nal em Manaus/AM, realizou no sonho era saber ler e escrever”.
mês de junho a formatu- Graças à iniciativa, Francisca
ra de mais uma turma, pode agora tornar realidade um
da qual participaram sonho antigo: “Quero ler a Bíblia
muitas pessoas da e passar essa mensagem a todos,
Terceira Idade. Entre assim como vocês fazem”. Para
os alunos, destaque participar do curso, entre em con-
para a aposenta- tato com a LBV na Av. Ma-
da Francisca nicoré, 100, Cachoeirinha,
Nascimento tel.: (92) 3215-7930.

BOA VONTADE | 83
Espírito e Ciência

Photos.com
A Ciência
e a possibilidade
dos Universos
paralelos
S
Angélica Beck e Josué Ben-Nun

erá que o Universo sempre mos motivou também gerações de


Arquivo pessoal

existiu ou em algum mo- pesquisadores em todas as áreas


mento foi criado? Você já do conhecimento. O Ser Humano,
parou para pensar nisto? tornado consciente, passando a
Desde os primórdios dos tempos, viver o mito do herói e a planejar
Ciência, Fé e Arte buscam respostas a compreensão de si mesmo e de
para esta reflexão, tentando decifrar seu mundo exterior, almeja poder
como foi o início de tudo. Particular- descrever a criação do mundo, suas
mente no meio científico, há grande leis e conseqüências”.
esforço neste sentido, conforme E é a respeito deste pensamento,
Elcio Abdalla, professor titular da afirma o professor Elcio Abdalla: das recentes teorias sobre ele, como
Universidade de São Paulo (USP).
“A busca da compreensão do Cos- a das Cordas, das Supercordas* e

84 | BOA VONTADE
da Teoria M, que o Dr. Abdalla, nos diferencia dos outros animais. ninguém conseguira realizar esse
nosso entrevistado, fala com desen- Isso se revestiu de várias roupagens grande sonho de Albert Einstein
voltura sobre a possível existência através do tempo: na Pré-História (1879-1955). Tal meta apenas hoje
de universos paralelos, localizados e na Antiguidade, eram os mitos e está sendo vislumbrada diante de
em outras dimensões. os desenhos na parede, oriundos teorias modernas que são as das
Dr. Elcio graduou-se em Física, desse olhar para o céu e ver o que Cordas, em que pretensamente
em 1975, pela Universidade de São aquilo representava. Quase todas — porque ainda não há fatos expe-
Paulo (USP) e fez o doutorado em as civilizações primordiais têm rimentais que corroborem a Teoria
Física também pela USP, no ano de o mito da criação. Passados dois de Cordas — se consiga descrever
1977. Nesta entrevista conta ainda milênios, com Galileu (1564- todas as interações fundamentais,
a seu favor com a experiência de ter 1642) e Newton (1643-1727) incluindo a relatividade em geral,
sido pesquisador associado em im- temos a Física clássica, trazendo descrevendo o Universo como um
portantes centros de pesquisas da a descrição de um mundo muito todo.
Europa, como em Hamburgo (Ale- material, no sentido de que vigo-
manha), Copenhague (Dinamarca), rava um determinismo de objetos BV — Qual seria a diferença da
Trieste (Itália), Genebra (Suíça) e palpáveis, levando-nos pouco Física clássica para essa nova
Shanghai (China). Atualmente, é às origens. Estas passaram a ser revolução no entendimento da
professor titular da Universidade descritas, primeiramente, com a interação das partículas?
de São Paulo. Possui estudos na descoberta da Teoria da Relati- Elcio Abdalla — Isso é muito
área de Física, com ênfase em vidade e da Mecânica Quântica, importante. A chamada clássica
Física das partículas elementares, mostrando que o Universo também visão de mundo diz respeito a
gravitação e cosmologia, atuando tem uma história. Com isso, a mi- Newton, expõe a evolução da ma-
principalmente nos seguintes te- tologia se concretizou em Ciência. téria por equações que descrevem
mas: modelos integráveis, teoria da Uma visão, ainda assim, um tanto o movimento. Por exemplo, uma
gravitação clássica, perturbações, palpável, porque é uma evolução bola de bilhar. Ao dar um empurrão
energia e matéria escuras, buracos vista, mas não explica a origem nessa bolinha, é possível prever o
negros e holografia. do próprio Universo. Essa questão movimento dela. Esse é um mundo
permaneceu adormecida desde a determinista. O ápice foi quando se
BOA VONTADE — Várias pergun- década de 1930, em que o estudo dizia: “Dê-me todas as posições e
tas surgem quando se pensa na de uma teoria quântica do Univer- velocidades dos objetos do mundo
criação, tais como: De onde vie- so, ou seja, a inclusão dos nossos e poderei prever todo o futuro”.
mos? O que fazemos aqui? Para conhecimentos sobre o interior da Prever e saber de tudo era o sonho
onde iremos? Qual o panorama matéria permitiu-nos saber mais da do físico dito clássico. Houve duas
que o senhor faz dessa evolução interação das partículas e, portanto, revoluções: a da Relatividade e a
de pensamento? da época em que o Universo se da Mecânica Quântica; por esta
Elcio Abdalla — Eu não posso criou. Precisamos, agora, juntar última, olha-se para um objeto e
dizer que, desde que o homem a Teoria Quântica da Gravitação, não se consegue prever, com certe-
é homem, ele olha para o céu e a Teoria da Relatividade e a Me- za, a evolução futura dele, de uma
pergunta de onde veio. Isto é uma cânica Quântica, pilares da Física partícula ou de um ponto material.
parte atávica do Ser Humano que moderna. Trata-se de uma questão Trabalha-se com possibilidades
remonta à própria origem. É o que primordial em Física e que, de fato, na Mecânica Quântica. A visão de

*Teoria das supercordas — Busca a elaboração de uma proposta para explicar, numa única estrutura matemática, a natureza física do Universo, unindo a Teoria da
Relatividade Geral e a Teoria Quântica em um só modelo. A idéia parte da premissa de que as partículas elementares (elétrons, neutrinos e quarks, por exemplo) não seriam
partículas pontuais (um ponto no espaço), mas, sim, pequenas cordas que, dependendo da freqüência de sua vibração, formariam distintas partículas elementares. Isso
também explicaria as características das forças fundamentais da Natureza. Como conseqüência desses estudos, em virtude dos novos princípios matemáticos utilizados
nesta teoria, é possível aos físicos afirmarem, diante da veracidade deste modelo, que o nosso Universo deve possuir dez dimensões: nove espaciais (incluindo as três que
já conhecemos) e uma temporal.

BOA VONTADE | 85
Espírito e Ciência

mundo é totalmente nova. Uma dimensão. Mas logo foi notado fala-se na existência de dez
série de experiências, no final do que temos então outra implicação: dimensões, e ainda há uma su-
século XIX e início do século XX, pode existir mais de um universo! posta décima primeira. O que
constatou que assim é a Natureza, Ora, essa idéia evoluiu muito e isso significa?
mesmo que não gostemos. Eins- descobriu-se que ela contém a Elcio Abdalla — Esse problema
tein, por exemplo, não aprovava Teoria da Gravitação Quântica. nos persegue desde a década de
essa idéia, porque, para ele, Deus Então, um objeto que descreve uma 1920, quando Einstein pensava em
não jogaria dados com o Universo. corda elementar, o faz também de unificar todas as teorias, já se falava
Podemos ver a questão um pouco todo um espaço e tempo. O nosso em dimensões extras que descreve-
mais abrangente, dizendo que tal espaço é descrito por campos da riam interações. Uma forma natural
visão permite toda essa dinâmica Teoria de Cordas. Essas cordas são de se entender isso é exatamente
da Natureza, porque o mundo clás- objetos filamentares que andam no pensar que a ponta de cada corda
sico é rígido, nele as leis estão vin- espaço-tempo. Hoje compreende- vive num espaço de dimensão me-
culadas de tal maneira que certos se que nas pontas delas (cordas) nor do que a dimensão em que vive
processos não podem acontecer. temos campos materiais. Com isso, a própria corda. Então, só a extre-
o lugar geométrico onde passam midade dela descreve esse mundo
BV — A possível junção das teo- as pontas das cordas são os nossos material. Com isso, descobriu-se
rias pilares da Física, Relativida- universos. Tem um monte de cor- a partir do resultado da “supersi-
de e Quântica nos leva à Teoria das andando num espaço-tempo metria” que seriam necessárias dez
das Cordas. Como seria? bem mais amplo do que aquele dimensões: nove de espaço e uma
Elcio Abdalla — O físico ma- que vemos. Somos, de fato, uma de tempo. E a décima primeira? É
temático Edward Witten, que re- folha chamada de membrana, uma uma coisa um pouco mais compli-
pensou a Teoria de Cordas — uma parte infinitesimal de todo um cada, mas muito interessante, que é
teoria do século XXI que aparece, cosmo muito maior. Nele existe a o seguinte: não existe só uma teoria
por acaso, no século XX — sugeriu geração espontânea desses objetos de corda ou de supercordas, mas há
que as cinco formas matemáticas filamentares, que formaria vários várias. Trabalhamos com cinco que
diferentes da teoria eram simples- universos. têm certas exigências satisfeitas.
mente maneiras distintas de se Pensava-se, até o início da década
olhar para o mesmo problema por BV — Para entendermos essas de 1990, que uma delas teria de ser
meio da Teoria M, com uma nova teorias que estão surgindo, a verdadeira teoria do Universo e
as outras descreveriam outras coi-
sas, sendo artefatos matemáticos.
Photos.com

Porém, descobriu-se que há uma


simetria chamada de “simetria de

Tem um monte de
cordas andando num
espaço-tempo bem
mais amplo do que
aquele que vemos.

86 | BOA VONTADE
Photos.com
Os físicos ainda não sabem
o que é esse algo, mas
entendem que ele existe,
precisando de uma dimensão
a mais para sobreviver. Essa
teoria ganha, então, M, que já
foi interpretado como “Mãe”
ou como “Mistério”.

dualidade”, revelando-nos que essas a evoluir como se fosse a criação de teoria de cordas, podemos gerar
cinco teorias de cordas são, na ver- uma bolha. Essa é a ligação, o big- universos em qualquer instante
dade, roupagens diferentes de algo bang é uma singularidade, gerado e lugar, não um lugar físico. Ele
mais complicado. Os físicos ainda espontaneamente por meio de um está fora do nosso espaço-tempo.
não sabem o que é esse algo, mas processo quântico da Teoria das Pode se acomodar nessa teoria uma
entendem que ele existe, precisando Cordas. O que é o big crunch? Em criação quase que contínua de uni-
de uma dimensão a mais para sobre- primeiro lugar, ele pode existir. O versos fora do nosso. São universos
viver. Essa teoria ganha, então, M, Universo pode evoluir como uma novos e podem ter pessoas ou não,
que já foi interpretado como “Mãe” bolha indefinidamente, mas pode ser vazios ou cheios, de acordo com
ou como “Mistério”. também, de repente, colapsar. as condições de formação espon-
tânea de cada um deles. Alguns
BV — O que as teorias do big- BV — Pode-se dizer que existem podem evoluir eternamente, outros
bang e do big crunch têm a ver vários big-bangs? E o tempo? de repente implodir.
com essas aqui mencionadas? Ele sempre existiu ou começa a
Elcio Abdalla — Quando che- partir do big-bang? BV — Podem existir universos
gamos perto do início do Universo, Elcio Abdalla — Esta questão sobrepostos?
temos uma chamada singularidade, também é complexa. Santo Agos- Elcio Abdalla — Em prin-
não só uma explosão, mas o tempo tinho (354-430) pensou no tempo cípio, isso é possível e podem,
para trás acaba. Como olhamos de como algo que se criou. Quer dizer, inclusive, bater uns nos outros. Se
fora e vemos uma explicação para não havia tempo antes do tempo. você me perguntar onde isso está
esse big-bang? Será que isso de Esta é também a visão de Einstein. ocorrendo ou como isso está se
fato aconteceu só uma vez? Por Dentro da Teoria das Cordas isso dando, eu não sei, mas esta é uma
que se comporta assim? Por que passa a ter outra visão. Ainda as- possibilidade realizável, dentro
a gravitação nos dá o big-bang? sim, o nosso mundo é criado, nele da Teoria de Cordas. Mais uma
A explicação é que o Universo é se cria o conceito de espaço e de vez, quero chamar a atenção que
descrito por um campo métrico, tempo. Antes do tempo zero, ou do não são questões que eu possa
que faz parte de uma teoria das big-bang, não havia um tempo tal verificar diretamente, porque os
cordas e é gerado espontaneamente como pensamos hoje, mas existiam nossos olhos e o nosso alcance
num processo quântico. Portanto, em outra parte criações de Universo físico estão dentro de uma dessas
o próprio Universo é gerado pelo com espaço-tempo completamente bolhas, e não posso olhar para
mesmo processo, com isso ele passa independentes do nosso. Nessa fora.

BOA VONTADE | 87
Lar e Parque da LBV

Alguns dos guris


atendidos diariamente
pelo Lar da LBV
durante atividade
recreativa

Crianças, rdo
so

Natureza
e Ca
ian
Lil

e
Cidadania Plena
Lar e Parque Alziro Zarur, da LBV, promovendo qualidade de vida em 47 anos de existência.

Liliane Cardoso e Mário Augusto Brandão


Fotos históricas: Arquivo Lar e Parque LBV

A
Organização Mundial cuidado, a promoção e a recupera- além de trabalhar esse conceito,
da Saúde (OMS) define ção da saúde, gerando qualidade de utiliza-se da Espiritualidade Ecu-
saúde como “o completo vida aos indivíduos e à coletividade. mênica como ferramenta pedagó-
bem-estar físico, mental No Lar e Parque Alziro Zarur, da gica das mais significativas para
e social, e não apenas a ausência de Legião da Boa Vontade (LBV), na o desenvolvimento salutar dos
doença”. A integralidade das práti- cidade de Glorinha/RS, a equipe milhares de crianças e adolescen-
cas profissionais deverá garantir o multidisciplinar da Instituição, tes em situação de vulnerabilidade

88 | BOA VONTADE
social por ela atendidos ao longo as crianças e adolescentes obtêm paterna a filosofia institucional.
destes 47 anos de trabalho, come- no que diz respeito à prática de O desenvolvimento do psiquismo
morados em maio. políticas sociais abrangem a área fragilizado delas é fortalecido
Na revista Sociedade Soli- de habitação, saúde, educação, com Amor, construção de regras,
dária (7a edição), encontramos lazer e convívio social. Para Solidariedade, união e crença,
este esclarecimento do escritor desenvolver esse trabalho, assim visto que o comportamento hu-
Paiva Netto: “Trata-se da que ingressam no local mano é a junção de diversos fa-

Liliane Cardoso
Pedagogia de Deus, que passam por uma série de tores psicológicos, físicos, sociais
é Amor, a qual prepara avaliações contínuas. e espirituais que não se dissociam
o indivíduo para viver a Para a psicóloga que jamais”, disse.
Cidadania Ecumênica, atua no Lar, Ângela
firmada no exercício pleno Gatelli, a evolução ob- Reintegração social
da Solidariedade espi- Ângela Gatelli servada nessas análises Esta visão holística é um dos
ritual, humana e social. é resultado da aplicação fatores que tornam o Lar e Par-
Daí há tanto tempo afirmar que da proposta educacional da LBV que da LBV uma obra especial
é urgente difundir a Pedagogia no cotidiano das crianças. “Nas no Rio Grande do Sul. Desde a
do Amor, do Carinho e do Afeto, pesquisas, constatou-se que elas década de 1960, quando foi inau-
tão imprescindíveis ao sustento têm como referência materna e gurado, o centro de atendimento
Lucian Fagundes

A foto histórica, tirada


em 1965, mostra o
primeiro edifício do Lar
e Parque da LBV. Ao
lado, o mesmo prédio
nos dias atuais, que,
por determinação de
Paiva Netto, foi total-
mente remodelado e
acrescido de muitas flores
e muito verde à sua volta.
Detalhe: a arquitetura
original foi preservada.

da Alma e que são medicamen-


A exemplo de muitos outros guris
tos enérgicos para a cura de que passaram pelo Lar, Mário da
enfermidades, a começar pelas Silva Filho, que foi fotografado
quando garoto durante as aulas de
psíquicas que prejudicam a ab- marcenaria, é hoje empresário da
sorção das lições necessárias ao construção civil e colaborador da
desenvolvimento intelectual dos LBV.
estudantes. O bom gosto da vida
é o aprendizado infinito”.
Aliás, esta é uma das vertentes
que fazem deste um lugar muito
Os primeiros moradores do Lar São
especial. Todas as ações promo-
Francisco de Assis (como era chamado
vidas no Lar e Parque da LBV o Lar nos seus primórdios). Da esquerda
focam essa linha educacional para a direita, Mário da Silva Filho, Paulo
Vicente da Rosa, Milton da Silva, João
inovadora, preconizada por Paiva Gilmar da Silva, Américo Brito e Fran-
Netto. A lista de benefícios que cisco da Silva.

BOA VONTADE | 89
Lar e Parque da LBV

formação integral dos atendidos:

Arquivo BV
“O Estatuto da Criança e do
Adolescente (ECA), em seu artigo
19, indica como princípio a ser se-
guido nos abrigos: a participação
na vida comunitária, garantindo
acesso aos abrigados às políticas
básicas. A LBV proporciona aos
meninos atendidos diversas opor-
Uma constante preocupação do dirigente da LBV: na década de 1990, o Lar passa por tunidades de socialização, desen-
grande reforma e ganha novas e modernas instalações para melhor acolher os guris do volvendo relações de cidadania e
Sul do País. democracia”, assegura.

da Legião da Boa Vontade tem de árvores e muitas flores, tota- Qualidade de vida
mudado a vida de muitos guris. lizando uma imensa área verde. Os atendimentos básicos tam-
Já passaram por lá, em regime Esses fatores fizeram com que o bém são rotina do Lar e Parque
residencial, milhares de garotos local ficasse conhecido também da LBV. Só para se ter uma idéia,
entre 6 e 18 anos que estiveram pelo nome de Templo da Natureza quando crianças e adolescentes in-
afastados de seus pais, por serem e da Criança, expressão criada por gressam na Instituição são levados
órfãos, ou porque seus res- Paiva Netto. Dispõe de ao pediatra ou clínico (de acordo
ponsáveis perderam mo- jardins internos, ginásio com a idade). E, nestas consultas,
Liliane Cardoso

mentaneamente a guarda poliesportivo, quadras de são realizados exames de rotina e


deles na Justiça, ou ainda futebol e um quiosque vacinação, conforme a necessida-
em conseqüência das di- com produtos naturais. de, avaliando, deste modo, o estado
ficuldades financeiras de Esse conjunto de geral de saúde deles.
seus familiares. ações, na opinião da as- Além desta, outra ação eficaz
Ana Cláudia Trindade
A obra ocupa uma área sistente social da LBV, são as oficinas de higiene e saúde,
com mais de um milhão de Ana Cláudia Trindade, que ocorrem semanalmente. Por
metros quadrados, com milhares é um valioso instrumento para a meio delas, meninos abrigados

Parceiros de Boa Vontade “Sou colaboradora da LBV e, além


disso, coloquei à disposição a minha
Fotos: Liliane Cardoso
atividade profissional. Estou muito
No Lar e Parque Alziro Zarur, da LBV, é feito gratificada em ver o resultado daqui-
permanentemente o acompanhamento médico- lo que posso ajudar essas crianças.”
odontológico dos meninos, que recebem atendimen- Rosaura Franco
to gratuito em clínicas e consultórios particulares, oftalmologista
por intermédio de parcerias. Esses profissionais
da saúde, ao conhecerem o trabalho que a “A LBV é uma Instituição séria, está em todo
Instituição exerce na sociedade, se unem o Brasil e fico muito feliz em atender as
a ela, formando uma poderosa corrente de crianças da Legião da Boa Vontade. Preten-
Boa Vontade, com o intuito de melhorar a do fazer muito mais, é prazeroso ajudá-los.”
qualidade de vida dos atendidos. E justifi- Marcelo Dummer
cam por que eles apóiam a iniciativa: cirurgião-dentista

90 | BOA VONTADE
no Lar e crianças em situação de
Nildo Evaldo da Silva foi acolhi-
vulnerabilidade social, residentes do dos 2 aos 16 anos no Lar da LBV.
em comunidades vizinhas, são ins- Nas duas fotos em destaque, ele
aparece no dia-a-dia da Casa, sem-
truídos quanto aos cuidados que pre com alegria característica das
devem ter em relação à higiene crianças. Hoje Nildo integra a equipe
do corpo e do meio em que vivem. da Rádio AM 1.300 kHz, emissora da
Super Rede Boa Vontade em
Técnica em enfermagem, Flávia Porto Alegre/RS.
Freitas destaca outros benefícios
oferecidos à criança-
Liliane Cardoso

da: “Cada menino sica praticada regu-


abrigado recebe um larmente e orientada
kit identificado, con- por profissionais.
tendo, entre outros Essa receita, unida
itens, saboneteira, a uma boa educação
Flávia Freitas escova de dentes, de- alimentar, resulta em unde
s
Fag
sodorante, toalha, qualidade de vida, confor- Luc
ian

creme dental, anti-séptico bucal, me pontua o professor de educação


fio dental e xampu. Periodicamen- física Eduardo Luckmann. “Na um plano de aten-

Liliane Cardoso
te são tratados contra a pediculo- prática esportiva, são trabalhados dimento individual.
se, prevenindo assim o contágio os fatores primários como limites, Além disso, os ob-
e infestações comuns em convi- regras, convivência, vitórias, der- jetivos trabalhados
vências coletivas. Contam, ainda, rotas, superação, e que fazem parte em cada sessão são
com um profissional do dia-a-dia das aulas e da vida dos repassados à pro- Marileuza Zorzetto
voluntário que vem, meninos, já que estas experiências fessora de reforço
Liliane Cardoso

mensalmente, cortar são vivenciadas em outros meios escolar e/ou moni-


os cabelos deles”. como escola-família-comunidade. tor para que sejam fortalecidos”,
Também faz parte (...) Com o corpo e a mente em esclarece a fonoaudióloga Mari-
do dia-a-dia dos guris forma, fica mais fácil cuidar da leuza Zorzetto.
Eduardo Luckmann do Lar a atividade fí- saúde do Espírito, que também Todo esse resultado positivo,
precisa de cuidados e deve estar na avaliação do responsável pelo
em sintonia com as demais”, frisou Lar e Parque da LBV, Roberto
Luckmann. Rivelino, se deve
Liliane Cardoso
Ainda na área médica, os guris ao engajamento da
“É um recebem atenção para o desen- população, que reco-
prazer, um volvimento da comunicação oral nhece no local uma
retorno e auditiva. A necessidade de um unidade modelar
para a so- profissional da fonoaudiologia no da Legião da Boa
ciedade do Lar e Parque da LBV foi notada Vontade. “Tudo isso Roberto Rivelino
que aprendi. É após ser verificado que algumas se deve à vontade
gratificante poder ajudar pessoas crianças apresentavam problemas realizadora do Povo, em especial
que precisam e têm pouco aces- vocais e dificuldades de comuni- do gaúcho, que sempre diz sim à
so à saúde. As crianças da LBV cação oral. “Em um primeiro mo- LBV, pois sabe que, ao colaborar no
são muito bem-tratadas; é um mento é realizada uma avaliação resgate de crianças e adolescentes
trabalho bastante positivo.” para que sejam identificadas suas em situações adversas, reintegra-
Elisabeth Guarienti necessidades, e, de acordo com os os à sociedade como verdadeiros
dermatologista resultados obtidos, é elaborado cidadãos ecumênicos”.

BOA VONTADE | 91
Esperanto

Esperanto em foco
Congresso no Rio discute estratégias para o crescimento do idioma internacional

C
Simone Barreto

riado em 1887 trocando idéias, emoções, que, evidentemente, coincidem com


Arquivo BV

pelo médico po- conhecimentos e cultura”. a Fraternidade, bondade, amizade,


lonês Lázaro Por meio de publicações do Esperanto. Grato de coração por
Luiz Zamenhof traduzidas para o idioma esta revista Paz para o Milênio”,
(1859-1917), conhecedor internacional, a Legião disse o Presidente da Academia In-
de onze línguas, o Esperan- da Boa Vontade (LBV) ternacional de Esperanto (AIE), Dr.
Zamenhof
to é um idioma internacio- divulgou sua mensagem Geraldo Mattos. Ele pediu que fos-
nal planejado para facilitar irrestritamente ecumênica se encaminhada a Paiva

Simone Barreto
a comunicação entre pessoas de aos participantes, vindos de diversas Netto a mensagem de
nacionalidades diferentes e tornar- partes do Brasil e do mundo. No que seu “coração está
se a segunda língua dos povos. Este congresso, lançou a versão em Espe- com ele e com aqueles
ano de 2007 é memorável para seus ranto da revista Paz para o Milênio que acreditam no que a
falantes por dois motivos especiais: (ou Paco por la Jarmilo). Destaque LBV prega”.
os 100 anos da Liga Brasileira de também para o livreto com trechos Homenageado no Geraldo Mattos
Esperanto (BEL) e os 120 da criação do artigo Oito Objetivos do Milênio,
do idioma. mensagem do jornalista e escritor
Clayton Ferreira

A dupla comemoração ocorreu Paiva Netto encaminhada aos chefes


de 8 a 13 de julho, durante o 42º de Estado e demais representações
Congresso Brasileiro de Esperan- presentes à reunião no High-Level
to, organizado por membros da Segment 2007, na sede das Nações
Associação Esperantista do Rio de Unidas em Genebra, Suíça, em julho
Janeiro/RJ. Na programação foram deste ano (ver reportagem na página
incluídos palestras, congresso in- 40). Os esperantistas tiveram acesso
fantil, lançamento de livros, CDs, também a um folder de apresentação
DVDs e selos comemorativos, entre do Templo da Boa Vontade (TBV),
outras atrações relacionadas ao idio- em Brasília/DF, monumento que
ma. Segundo o então Presidente da recebe, anualmente, cerca de um Sala de aula do Instituto de Educação da
BEL, Pedro Jacintho Cavalheiro, milhão de pessoas, de acordo com LBV, onde alunos têm a oportunidade de
o objetivo do encontro foi “fazer dados oficiais da Secretaria de Turis- aprender Esperanto. As aulas são ministra-
das pelo Diretor da Seção Brasileira da Liga
uma profunda reflexão sobre o idio- mo do Distrito Federal (Setur). Internacional de Esperanto José Tenório
ma e discutir as estratégias para o “Para mim é um prazer e uma (foto). “Para mim é um grande desafio estar
futuro. Quem fala Esperanto vive honra receber os representantes da com essa tarefa dentro dessa grande Insti-
tuição. Posso afirmar que as crianças estão
uma experiência única de se comu- LBV, entidade sumamente meritória, aprendendo com muita dedicação, alegria e
nicar com gente do mundo inteiro, com ideais absolutamente cristãos entusiasmo”, frisou Tenório.

92 | BOA VONTADE
Livros infantis

Cida Linares
em Esperanto
Outras obras também disponí-
veis no 42º Congresso Brasileiro de
Esperanto foram dois livros infantis
da Coleção Fábulas da Natureza:
La Mallaborema Formiko (A For-
miga Preguiçosa) e Ruĝa Fiŝeto
(O Peixinho Vermelho), ambas da
Na foto, o então Presidente da Liga Brasileira de Esperanto, Pedro Jacintho Cavalhei- Editora Elevação.
ro, no estande da LBV, ladeado pelos representantes da Instituição; da esquerda para “Parabenizo a LBV pelo traba-
a direita, Felipe Duarte, Jéssica Botelho e Maria Aparecida da Silva.
lho que faz com as crianças e por
difundir o Esperanto entre elas.
encontro, por seus esforços na cas”, recorda-se o poeta que, poste-
Vocês fazem algo excepcional”,
difusão do idioma, o professor e riormente, foi convidado por Paiva
destacou o então Presidente da
poeta Jorge das Neves, Netto a colaborar com o BEL, Pedro Jacintho
Delegado Geral no Brasil Departamento de Espe-
Cida Linares

Cavalheiro, ao visitar

Cida Linares
da Associação Universal ranto da LBV e lecionar o estande da Eleva-
de Esperanto (UEA), falou o idioma para crianças da ção. Entre os repre-
sobre a comenda e o lança- escola da Instituição no Rio sentantes de delega-
mento da revista Paz para de Janeiro. “Isso mostrou o ções internacionais, o
o Milênio. “Quero dividir Jorge das Neves Ecumenismo da Legião da sr. Harada Tsukuru,
essa placa com a LBV. Nos Boa Vontade, praticado por da UEA, também pas- Harada Tsukuru
meus 23 anos de idade fui meio da língua. Eu parabe- sou pelo estande e
convidado pelo Fundador da Insti- nizo a gestão do Irmão Paiva Netto, adquiriu diversas obras para levar
tuição, Alziro Zarur (1914-1979), que foi meu colega de Colégio Pedro aos seus amigos no Japão. “Con-
para apresentar na Rádio Mundial II, pela continuação do trabalho ma- sidero o idioma importantíssimo,
um programa intitulado Vamos ravilhoso e pelo lançamento de Paco não apenas para a comunicação
aprender Esperanto, que realmente por la Jarmilo, mostrando como a entre as pessoas, mas para a com-
formou uma plêiade de esperantistas LBV sabe agir de modo tão bonito preensão entre os povos, criando o
até hoje em atividade. Obteve uma e moderno para a aproximação dos sentimento da amizade”, analisa o
audiência espetacular nas estatísti- povos”, finaliza. visitante oriental.
Rafael Guedes

Japão é sede do Congresso Universal de Esperanto


Nascido há 120 anos, o Espe- publicações na língua internacional
ranto vem, desde a sua criação se e pelo fato de a Instituição estar em
multiplicando. O sinal do bom diferentes partes do Planeta, disse-
fôlego do idioma pôde ser visto nos minando sua mensagem fraterna e
dias 5 a 10 de agosto, no Japão, mas ecumênica com apoio do Esperanto.
exatamente na cidade portuária de A repercussão da presença dos
Yokohama, onde se realizou o 92o esperantistas da LBV — não só no
Congresso Universal de Esperanto, evento em questão, mas também a
As crianças que participaram do Congresso
do qual participaram mais de três viagem feita por eles a outras cida- Infantil exibem as publicações La mallabore-
mil pessoas oriundas de 55 países. des na terra do sol nascente — será ma formiko (A Formiga Preguiçosa) e Ruĝa
O estande da Legião da Boa tema de uma ampla reportagem, Fiŝeto (O Peixinho Vermelho), da Coleção
Vontade foi um dos destaques do na próxima edição da revista BOA Fábulas da Natureza, do selo infantil Bolo
encontro, pela diversidade das VONTADE. com Pudim Editorial, da Editora Elevação.

BOA VONTADE | 93
Ação Jovem LBV

Uma fórmula de sucesso


no campo da Educação
O
s debates em torno da Educa-
ção figuram entre os assuntos
mais recorrentes quando pen-
samos em possíveis soluções
para os grandes problemas que
afligem povos e nações, a exemplo
da fome, do desemprego, de doenças
como o câncer e o HIV/aids, crimi-
nalidade, violência etc. Contudo,
apesar de reconhecermos no ensino
PhotoDisc um dos caminhos mais importantes,
as formas de percorrê-lo, em parte,
não têm alcançado resultados satis-
fatórios.
As instituições de ensino norte-
americanas — não obstante o desen-
volvimento econômico do país que
possibilita maciços investimentos no
setor — já serviram de palco para
vários crimes envolvendo armas de
fogo, como massacres de alunos e
professores. Todos esses tristes epi-
sódios causam profunda comoção
mundial. O mais recente e trágico
aconteceu na cidade de Blacksburg,
no Estado da Virgínia, na costa leste
dos Estados Unidos, no dia 16 de
abril de 2007, e redundou na morte
de 33 pessoas, incluindo o atirador, o
estudante Cho Seung-hui, que tirou
a própria vida.
Alguém poderia se perguntar:
“Como fatos nefastos como esses
acontecem em um país que dispõe
de tantos recursos, que possui um
sistema de ensino que promove efi-
cientemente a instrução das letras?”
Há décadas, o jornalista e escritor
Paiva Netto afirma que “não basta

94 | BOA VONTADE
que, conseqüentemente, influencia para o exercício da profissão, mas
na interação social, Jesus, o Cristo se esquece do preparo para a vida
Ecumênico, já havia revelado à em sociedade. Contrapondo-se a
Humanidade, há mais de dois mil esse triste cenário, a Educação com
anos, tal relevância ao nos deixar o Espiritualidade da Pedagogia do
Seu Novo Mandamento*2. Não só Cidadão Ecumênico — ou seja, a
nos legou esta Lei de Amor como formação do cérebro e do coração,
também exemplificou-a. Jesus oferecendo um ensino com valores
deu-nos Sua vida, deixando para a éticos, morais, sociais e espirituais,
Humanidade o maior exemplo de como respeito, Solidariedade Ecumê­
Alexandre Herculano Rueda, Militante da abnegação em favor do próximo, nica e cidada­nia —, proposta pelo
Juventude Ecumênica da LBV e graduan- mostrou-nos que somos capazes de educador Paiva Netto, oferece, além
do em Ciência Política pela UnB. vencer os infortúnios que surgem da instrução e da profissionalização,
em nossas vidas, por maiores que o preparo para o convívio em socie-
educar, não basta instruir, é preciso pareçam e, sobretudo, venceu a dade, Sociedade Solidária Altruística
espiritualizar as criaturas”. E em morte, provando que o Amor ver- e Ecumênica, e tem se mostrado uma
seus mais de 50 anos de trabalho dadeiro elimina todo o mal. O Di- fórmula de grande sucesso no campo
em prol do desenvolvimento do Ser vino Mestre concedeu-nos a prova da Educação. Educadores do Brasil
Humano e de seu Espírito eterno, o inequívoca da força da entronização e do Exterior visitam as escolas da
criador da Pedagogia do Cidadão dos bons sentimentos quando exte- LBV para conhecer a Pedagogia do
Ecumênico*1, a Pedagogia do Afe- riorizados*3 em boas ações, que é o Cidadão Ecumênico e se encantam
to, responde-nos a essa questão em Amor para com o próximo. com o que encontram*4.
sua obra Diretrizes Espirituais da Por outro lado, emoções como “Se não houver Amor, a violên-
Religião de Deus, volume segundo, medo, insegurança, ódio, ressenti- cia se apossa do território. Como
no capítulo “Até onde vão os go- mento e solidão, quando interioriza- aprendemos em Sociologia: Na
vernos”, no qual escreve: “Se por das e não sobrepujadas, podem ser sociedade não resta espaço vazio.
efeito de um verdadeiro milagre, exteriorizadas por meio de atos de- “Prosseguiremos vivenciando a
resolvessem os governos do mundo sequilibrados e, em casos extremos, Pedagogia do Cidadão Ecumênico,
todos os problemas materiais de sua constituem verdadeiros atentados isto é, daquele que ama e que tem
gente, as multidões continuariam contra a vida humana, como o ocor- coragem de amar os seus seme-
desgostosas, posto que, apesar dos rido nos Estados Unidos. Fatos desse lhantes, num mundo em que se faz
esforços materializantes da mídia, tipo são fruto da inabilidade em lidar a apologia da violência, do desamor
o Homem teimosamente continua com os sentimentos humanos, por (...)”. (trecho da palestra proferida de
sendo algo além de sexo, estômago causa da deficiência da Educação improviso por Paiva Netto em 14 de
e intelecto, quando apenas jungido (em seu sentido amplo, não restrito agosto de 2004, na cidade do Rio de
à visão material das coisas. Existe, à escola) que prepara os indivíduos Janeiro/RJ).
dando vida a tudo, o Espírito, que
não é uma simples projeção do *1 Pedagogia do Cidadão Ecumênico — Trata-se, resumidamente, de uma vanguardeira linha educacional, preconizada por
cérebro. Ele é o elemento essencial Paiva Netto e aplicada com sucesso nos programas e projetos socioeducativos desenvolvidos pela Legião da Boa Vontade em todo
o País, por meio de Lares para crianças, jovens e idosos; Centros Comunitários e Educacionais; e de pólos esportivos e culturais.
da existência humana (...)”. *2 Novo Mandamento de Jesus — Disse o Cristo Ecumênico: “Novo Mandamento vos dou: Amai-vos como Eu vos
Eis o cerne da questão. A pers- amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros. (...) O
pectiva do Ser Humano restrita ao meu Mandamento é este: que vos ameis como Eu vos tenho amado. Não há maior Amor do que doar a sua própria Vida
campo das necessidades materiais pelos seus amigos. E vós sereis meus amigos se fizerdes o que Eu vos mando. E Eu vos mando isto: amai-vos como Eu vos
realmente não possui respostas para amei. Já não mais vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor. Mas tenho-vos chamado amigos,
porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer. Não fostes vós que me escolhestes; pelo contrário, fui Eu
esse contexto de violência comple- que vos escolhi e vos designei para que vades e deis bons frutos, de modo que o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo
xa. Antes mesmo das mais moder- quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vos conceda. E isto Eu vos mando: que vos ameis como Eu vos tenho amado. (...)
nas teorias sociais contemporâneas, Porquanto, da mesma forma como o Pai me ama, Eu também vos amo. Permanecei no meu Amor”. (Evangelho de Jesus,
que apontam a importância essen- segundo João, 13:34 e 35; 15:12 a 17 e 9).
*3 “Interiorizar para exteriorizar”, conceito do escritor Paiva Netto encontrado no segundo volume de seu livro Diretrizes
cial e a centralidade das emoções Espirituais da Religião de Deus, 1a edição, p.127.
no processo de tomada de decisão *4 Paiva Netto. Somos todos Profetas. 23ª edição. “Educadores norte-americanos destacam a Pedagogia da LBV”,
e na motivação da própria ação pp. 133-136.

BOA VONTADE | 95
Soldadinhos de Deus Prece Espiritual
Mariane Cecília Lopes da Silva
9 anos, São Paulo/SP.
Jesus, dê-me entendimento espiritual para que
eu possa vencer com sabedoria e inteligência, neste
mundo de provações, todas as coisas ruins que venham
a acontecer em meu caminho. Sem o Seu poder, eu nada
serei; sem o Seu Amor, nada posso.
Senhor Jesus, meu Guardião Divino, nos abençoe
nesse caminho de Paz e Amor. Vamos praticar o Bem
para nunca ter guerra.
Obrigada, Senhor Jesus Cristo!
Amém!

Curitiba/PR — O escritor Alcione Giacomitti


e sua esposa, Marilda de Fátima Covalski,
com a filhinha, Nicole Covalski Giacomitti,
que segura o livro Diretrizes Espirituais da
Religião de Deus, do escritor Paiva Netto.

O orgulho dos avós Regina e Nilton Duarte


com o neto, Thiago Júlian Bortolin Tonin,
de 2 anos, de São Paulo/SP.

Descubra o animal que vive em um lugar


diferente dos demais

(1) Matheus Paulo Neves de Oliveira, 11 anos, São Paulo/SP (2)


João Antônio Neves de Oliveira, 5 anos, São Paulo/SP (3) Eugênia
da Silva Araújo, Vitória/ES (4) Soldadinhos de Deus de Piracicaba/
SP (5) Beatriz Belo da Silva, 7 anos, São Paulo/SP (6) Giovanna
Victoria Rueda de Barros, 4 anos, Jundiaí/SP (7) Gabriel Belo da
Silva, São Paulo/SP (8) Os irmãos de Uberlândia/MG: Widlla Bian-
ca, 7 anos; Lawane Bruna, 5 anos; Welbert Vitor; 4 anos e Wendy
Lara, 4 meses (9) Luiz Miguel Bueno Basso, 1 ano, Bauru/SP.

Resposta: (1) cachorro.

96 | BOA VONTADE
São muitas as
participações dos Soldadinhos
de Deus na Super Rede Boa Vontade de
Rádio, a exemplo das passagens do Evangelho
do Cristo e a explicação delas, comentadas
com muita propriedade pelas crianças durante a
programação.
Então lhes propôs Jesus “O Homem bom, do bom tesouro do coração
esta parábola: Qual dentre vós é tira o bem; e o mau, do mau tesouro tira o mal;
o homem que, possuindo cem ovelhas e porque a boca fala do que está cheio o coração.”
perdendo uma delas, não deixa no deserto (Evangelho de Jesus, segundo Lucas, 6:45)
as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu,
até encontrá-la? Achando-a, põe-na sobre os ombros, Palavras de Nicholas Gabriel
cheio de júbilo. E, indo para casa, reúne os amigos e Beck de Paiva, atualmente com
vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque 13 anos, São Paulo/SP, gravadas
já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que assim em 1o de fevereiro de 2005.
haverá maior júbilo no céu por um pecador que se
arrepende do que por noventa e nove justos que não Jesus ensina nesse ver­sículo
necessitam de arrependimento. que o coração não pode ter
(Evangelho de Jesus, segundo Lucas, 15:3 a 7) maldade, mas, sim, Bondade.
Se você faz alguma maldade,
Gabriela da Silva Azevedo isso vai ficar marcado em seu
Porto Alegre/RS coração, e se faz coisas boas o seu
coração vai agradecer.
Nesta parábola, a gente Mas é claro que se maltratar um amigo, você
pode ver que Jesus sempre vai pode reverter isso, porque o tempo nunca acaba
em busca da ovelha para ajudar. para nos desculparmos. É como
Outras pessoas acham que Jesus diz o Irmão Paiva: “Todo dia
dá mais importância pra esta, mas é dia de renovar o nosso
não! É que ela precisa mais de ajuda, destino”.
as outras já entenderam. As ovelhas são como os Que façamos sempre
Seres Humanos, e Jesus é esse Pastor. a prece e também falemos
Também não é para a gente dizer: Vamos largar coisas boas, porque o que
tudo e ir pelo mau caminho para Jesus pegar a gente. a gente falar é o que está
Não! É pra gente seguir, que a outra ovelha está em nosso coração.
precisando de um pouco mais de atenção.
E mesmo porque se formos pelo caminho errado,
é mais difícil voltar para o lado certo. Melhor a
gente ir feliz pelo caminho certo, porque Jesus
estará sempre feliz com a gente e nunca vai se
decepcionar. E esse é o recado que eu deixo
para todos os Soldadinhos de Deus: Façam
o Bem e sejam sempre essas 99 ovelhas
boas.

BOA VONTADE | 97
Acontece no Rio

Nova CEDAE amplia distribuição


de água em Itaboraí/RJ
Simone Barreto

O
Fotos: Pedro Paulo Torres

município de Itaboraí, em 10% o consumo de sulfato de o Diretor de Manutenção e Distri-


no interior do Rio de alumínio e realizará o reaprovei- buição, Armando Costa Vieira
Janeiro, adotou uma tamento da água de lavagem dos Júnior.
ação política ecologica- filtros da estação. Com isso, será Wagner Victer ressaltou também
mente correta e viável. A Estação proporcionado ganho significati- a participação da empresa nos Jogos
de Tratamento de Água (ETA) foi vo ao meio ambiente e produção Pan-americanos do Rio 2007: “A
reinaugurada, no dia 24 de julho, adicional de 20 litros de água por Cedae foi a fornecedora oficial de
pela Nova Companhia Estadual de segundo. água no Pan. Colocamos
Águas e Esgotos (Cedae), benefi- Realizada na locali­ seis milhões de copos em
ciando, agora, cerca de 26 mil ha- dade de Porto das Caixas, todos os jogos, para todos
bitantes nos bairros de Ampliação, a cerimônia teve a presen- os atletas, na Vila Pan-
Nova Cidade, Outeiro das Pedras ça de autoridades e políti- Americana. E, com isso,
e Reta Velha. cos, a exemplo do Prefeito demonstramos a confiabi-
De acordo com a Nova Ce- de Itaboraí, Cosme Salles; Wagner Victer lidade do nosso produto. A
dae, a entrada em funcionamento do Secretário de Esportes pureza revela que estamos
da Estação de Porto das Caixas do município, Fernando Roscio no caminho certo, porque no mo-
aumentou a capacidade de tra- de Ávila (conhecido como Fer- mento em que se consome para a
tamento e distribuição de água nandão do Vôlei); e executivos da prática esportiva, quando a saúde
no município em 60 litros por Cedae, como o Presidente Wagner está relacionada com a água, com-
segundo, ampliando em 50% a Victer; o Diretor de Distribuição e provamos a qualidade”.
sua produção, passando de 120 Comercialização, Heleno Silva, e Colaboração: Isabela Ribeiro
para 180 litros por segundo. A
água, que será tratada pela nova
estação compacta, tem sua capta-
ção no sistema Imunana-Laranjal.
O sistema de produção de água,
que envolve todas as fases de
tratamento do produto, reduzirá Cosme Salles Fernando de Ávila Heleno Silva Armando Vieira Jr.

98 | BOA VONTADE
Isabella Schultz Ekstein Mota Santana é ganhadora da promoção cadeira de rodas “Sua história vale um sonho”.

Escolha fazer a diferença na vida de uma pessoa com deficiência.


Há 25 anos a AVAPE desenvolve um trabalho de reabilitação clínica, profissional e de acompanhamento familiar às pessoas
com deficiência. Além disso, capacita e encaminha estas pessoas ao mercado de trabalho. Só no último ano, foram mais de
4 milhões de atendimentos, mais de 90% deles gratuitos. Um importante trabalho de inclusão social que transformou a AVAPE
em referência nacional no atendimento a pessoas com deficiência. E que precisa da ajuda de todos para continuar, inclusive da sua.
Faça parte desta história repleta de força de vontade, dedicação e superação. Ligue (11) 4993-9200 ou acesse www.avape.org.br.

AVAPE. Diminuindo as diferenças,


aumentando as oportunidades.
Novo CR-V
Liberdade é ser você mesmo