Sunteți pe pagina 1din 10
 

Instituto Politécnico de Tomar

 
 

Escola Superior de Tecnologia de Abrantes

 

Curso

Comunicação Social

 

Ano Lectivo

 

2006-07

 

Ficha da Disciplina

 

Unidade Curricular

 

História Diplomática Portuguesa

 

Créditos ECTS

 

-

Ano

 

 

Carga horária semanal

 

Natureza

Anual

 

Teórica

Teórico-Prática

 

Prática

 

2

-

-

Área Científica

 

-

Classificação curricular

 

Obrigatória

 

Tipo de aulas

 

Nome do Docente

 

Habilitações

Categoria

 

Teóricas

Fernando Larcher

 

Licenciatura em Direito, Licenciatura em História, Doutoramento em História

Equip. a Prof.Adjunto

Teórico-Práticas

 

-

-

-

Práticas

-

-

-

Docente Responsável

 

Fernando Larcher

 

Objectivos

O presente programa, destinado a alunos dum Curso de Comunicação Social, que já tiveram anteriormente cadeiras, ainda que com uma escassa carga horária, de História Universal e de Portugal procura complementar alguns dos conhecimentos então adquiridos e essencialmente dar uma visão global que se traduza numa sensibilização para a história da diplomacia, para alguns aspectos históricos do direito público e para as relações internacionais, áreas nevrálgicas para parte significativa dos profissionais do jornalismo, que não têm oportunidade de ser abordados noutras cadeiras do curso. Daí a justificação duma introdução em que se dão alguns conceitos estruturantes e a preocupação de incidir, a propósito dos vários temas abordados, nas questões de direito internacional público e de relações internacionais que lhe sejam afins. Também pela preocupação da directa utilidade profissional, dar-se-á uma maior relevância aos aspectos contemporâneos, ainda que sem deixar de fazer uma referência sumária a aspectos essenciais da época medieval e moderna.

Programa Previsto

CONCEITOS INTRODUTÓRIOS

1. Em torno do conceito e do objecto da história diplomática

o

noção de diplomacia e de história diplomática

o

as ciências auxiliares da diplomacia: o direito, a economia e a sociologia

o distinção da diplomacia face à política internacional, ao direito internaciona público e ao direito diplomático

2. Os grandes períodos da história diplomática geral

- até ao séc.XV

- do séc.XV ao Congresso de Viena

- do Congresso de Viena ao fim da Grande Guerra

- post Grande Guerra

3. A história da diplomacia e os seus historiadores em Portugal

4. os principais intervenientes

o

a Administração Central: da Secretaria de Estado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros:

breve referência às suas evoluções

o

o corpo diplomático e consular: estatuto, funções, privilégios e imunidades

- os representantes diplomáticos até ao Congresso de Viena

- os representantes diplomáticos nos termos do regulamento de Viena de 19 de Março de 1815 e do protocolo de Aix-la-Chapelle de 21 de Novembro de 1818

- os representantes diplomáticos: evolução nos sécs.XIX e XX

5. 5. Fontes e arquivos para a história diplomática portuguesa

- principais tipos de Fontes

- os Arquivos

o

a correspondência diplomática

o

os tratados

o

os livros brancos

- o fundo do Ministério dos Negócios Estrangeiros no ANTT (séc.XVII a meados do séc.XIX)

- o Arquivo histórico do Ministério dos Negócios Estrangeiros

- outros arquivos nacionais e estrangeiros com interesse para a história diplomática portuguesa

I

DA ORIGEM DA NACIONALIDADE AOS FINAIS DO ANTIGO REGIME

Referências sumárias

1.

A diplomacia da Independência. O processo de reconhecimento do reino de Portugal

2. A Intervenção pontifícia e destituição do exercício do poder de D.Sancho II

3. D.Dinis e a definição das fronteiras nacionais

4. A exemptio imperii e o beneplácito régio

5. Guerras e diplomacia durante o reinado de D.Fernando; Os Primórdios da Aliança Luso-Britânica

6. A Crise da Independência e as suas incidências diplomáticas

7. Em torno da unificação peninsular: de D.Afonso V a D.Manuel

8. Os descobrimentos e as suas implicações diplomáticas

9. Da política de D.Sebastião à crise dinástica; o problema da sucessão e da união pessoal

10.

A diplomacia da Restauração

11.

Portugal na Guerra de Sucessão de Espanha

12.

Portugal e a Guerra dos Sete Anos

 

II

A DIPLOMACIA PORTUGUESA NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

 

1.

Portugal perante a Revolução Francesa

2.

A

situação portuguesa ao tempo do Consulado

3.

Portugal post Tratado de Tilsit. O Tratado franco-espanhol de Fontainebleau e as Invasões Napoleónicas.

 

A

dependência portuguesa face à Inglaterra

 

4.

Portugal e o Congresso de Viena. O Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves

5.

A

Política diplomática do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves de 1815 a 1820

6.

Portugal no Triénio Revolucionário de Cádiz; A atitude da Santa Aliança, a intervenção francesa na

 

Espanha e as suas repercussões em Portugal.

 

7.

O Processo de reconhecimento da Independência do Brasil

8.

A sucessão de D.João VI perante a diplomacia

9.

A questão da legitimidade de D.Miguel perante a diplomacia internacional

10.

Guerra Civil e diplomacia

11.

O

Setembrismo e as intervenções estrangeiras

12.

A Patuleia e a Convenção de Gramido

13.

Portugal perante a corrida à África

o

a situação anterior à Conferência de Berlim

o

a Conferência de Berlim

o

o Mapa Cor de Rosa e o Ultimatum inglês

14. Portugal perante a Grande Guerra, a Conferência de Versalhes e a Sociedade das Nações

15. Portugal e a Guerra civil de Espanha

16.

A neutralidade portuguesa perante a Segunda Guerra Mundial

17.

Portugal ao tempo da guerra fria e a questão ultramarina

18.

A ordem internacional e a descolonização

19.

O Início de uma nova era: a integração na Comunidade Europeia

Bibliografia

FONTES IMPRESSAS E BIBLIOGRAFIA

I. Respeitantes a Portugal

1. Colecções Gerais de Fontes Impressas

BIKER, JÚLIO FIRMINO JÚDICE, Collecção de tratados e concertos de pazes que o Estado da India Portugueza fez com os Reis e Senhores com quem teve relações nas partes da Asia e Africa Oriental desde o princípio da conquista até ao fim do século XVIII, t.I, Imprensa Nacional, Lisboa, 1881

CASTRO, VISCONDE DE BORGES, Collecção dos tratados, convenções, contratos e actos públicos celebrados entre a Coroa de Portugal e as mais potencias, desde 1640 até ao presente, 8v., Lisboa, 1856-1858.

CASTRO, VISCONDE DE BORGES E JÚLIO FIRMINO JÚDICE BIKER, Supplemento à collecção dos tratados, convenções, contratos e actos públicos celebrados entre a Coroa de Portugal e as mais potencias, desde 1640, 22v., Lisboa, 1872-1879.

O Livro Azul ou correspondencia relativa aos negocios de Portugal apresentada em ambas as Camaras Inglesas, Lisboa, 1847

Nova Collecção de tratados, convenções, contratos e actos publicos celebrados entre a corôa de Portugal e as mais potencias, 15v., Lisboa, 1890-1921.

SANTARÉM, VISCONDE DE, Corpo diplomático portuguez, Paris, 1846

SANTARÉM, VISCONDE DE, LUIZ AUGUSTO REBELLO DA SILVA E JOSÉ DA SILVA MENDES LEAL, Quadro elementar das relações políticas e diplomáticas de Portugal com as diversas potências do mundo desde o principio da monarchia até aos nossos dias, 18v., Paris, 1842-1854, e Lisboa, 1858-1876.

SILVA, LUIS AUGUSTO REBELLO DA, MENDES LEAL, FREITAS MONIZ, ANTONIO FERRÃO e LARANJO COELHO, Corpo diplomático portuguez contendo os actos e relações políticas e diplomáticas de Portugal com as diversas potências do mundo desde o século XVI até aos nossos dias, 15v., 1862-1959.

2. Catálogos e Fontes Impressas respeitantes a períodos específicos

Descriptive list of the State Papers of Portugal 1661-1780 in the Public Record Office London, 3v., Lisboa, 1979-

1983.

Dez Anos de política externa (1936-1947), 12 v., Lisboa, 1961-1985.

LEITÃO, RUBEN ANDERSEN, Cartas de D.Pedro V ao Conde do Lavradio, Porto, 1945.

IDEM, Documentos dos Arquivos de Windsor, Coimbra, 1955.

IDEM, Novos Documentos dos Arquivos de Windsor, Coimbra, 1958.

SANTARÉM, 2º VISCONDE DE, Correspondência do -, coligida por ROCHA MARTINS, 8v., Lisboa, 1918-

1919.

3. Obras sobre História Diplomática Portuguesa

3.1. Obras gerais

BRANDÃO, FERNANDO DE CASTRO, Sinopse cronológica da história diplomática portuguesa, MNE, Lisboa,

1989

BRAZÃO, EDUARDO, História diplomática de Portugal, 2 v., Lisboa, 1932-1933.

IDEM, Relance da história diplomática de Portugal, Porto, 1940.

FERRÃO, ANTÓNIO, Os Estudos de história diplomática em Portugal, Coimbra, 1928.

MACEDO, JORGE BORGES DE, História diplomática portuguesa, IDN, Lisboa, s.d.

IDEM, História diplomática portuguesa – Constantes e linhas de força. Estudo de geopolítica, v.I, Lisboa, 1987.

MAGALHÃES, JOSÉ CALVET DE, Breve história diplomática de Portugal, 2ª ed., Publicações Europa- América, 1991

MARTINEZ, PEDRO SOARES, História diplomática de Portugal, Verbo, Lisboa, 1986

SAMPAYO, LUIZ TEIXEIRA DE, O Arquivo histórico do Ministério dos Negócios Estrangeiros in Arquivo de História e Bibliografia, v.II, 1925, republicado in Estudos históricos, MNE, Lisboa, 1984

3.2. Algumas obras sobre temas específicos

3.2.1. Da Origem da nacionalidade ao fim do Antigo Regime

ALBUQUERQUE, MÁRIO DE, A Expansão portuguesa e o problema da liberdade dos mares in A.BAIÃO e.a., História da expansão portuguesa no mundo, v.III, Ática, Lisboa, 1940, p.161-170.

AMZALAK, MOSES, A Primeira Embaixada enviada pelo Rei D.João IV, Lisboa, 1934.

ARNAUT, SALVADOR DIAS, A Crise nacional dos fins do séc.XIV, Coimbra, 1960.

BOCAGE, CARLOS ROMA DU, Relações exteriores de Portugal (1640-1649), I, Lisboa, 1916.

BOMBELLES, MARQUÊS DE, Journal d'un Ambassadeur de France au Portugal 1786-1788, Paris, 1979.

BRANDÃO, FERNANDO MANUEL DE CASTRO, Do Tratado de Madrid ao de Santo Ildefonso (1750-1777), Lisboa, 1970.

BRAZÃO, EDUARDO, A Diplomacia da Restauração, Lisboa, 1934.

IDEM, Portugal no Congresso de Utrech, Lisboa, 1934.

IDEM, Relações Externas de Portugal - Reinado de D.João V, 2v., Porto, 1938.

IDEM, Colecção de concordatas estabelecidas entre Portugal e a Santa Sé de 1238 a 1940, Lisboa, 1941.

IDEM, A Acção diplomática de Portugal no Congresso de Vestefália, Lisboa, 1942.

IDEM, Uma Velha Aliança, Lisboa, 1955

IDEM, A Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros, criação de D.João V, Coimbra, 1978.

IDEM, A Diplomacia Portuguesa nos séculos XVI e XVII, 2v., Lisboa, 1979-1980.

IDEM, A Poliítica externa Pombalina in Brotéria, v.114, p.515-s.

Collecção dos Negocios de Roma no Reinado de ElRey Dom José I Ministerio do Marquez de Pombal e Pontificados de Benedicto XIV e Clemente XIII, 4v., Lisboa, 1874.

CORTESÃO, JAIME, Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madrid, 8v., Rio de Janeiro, 1950-1963.

CRUZ, ANTONIO, Subsídios para a história das relações diplomáticas de Portugal com a Holanda (1640-1668), Porto, 1948.

DANVILA, ALFONSO, Felipe II y la sucesión de Portugal, Madrid, 1956.

GUEDES, ARMANDO MARQUES, A Aliança Inglesa, Lisboa, 1943.

JORGE, ARTUR GUIMARÃES DE ARAÚJO, A Restauração e a história diplomática do Brasil holandês (1640- 1661) in Anais da Academia Portuguesa da História, v.VII, 1942, p.11-s.

LIMA, DURVAL PIRES DE, As Relações de Portugal com a Suécia durante a Restauração in Anais da Academia Portuguesa da História, VII, 1942, p.319-s.

MENDONÇA, MANUELA R.C., As Relações externas em Portugal nos fins da Idade Média, Lisboa, 1994.

MILEWSKA, ELZBIETA, A Polónia e Portugal. Relações ao longo dos séculos, Varsóvia, 1984.

PERES, DAMIÃO, A Diplomacia portuguesa e a sucessão de Espanha, Barcelos, 1931.

IDEM, O Tratado de limites de 13 de Janeiro de 1750, Lisboa, 1950.

PÉREZ GONZÁLEZ, ALFREDO, Doctrina internacionalista de Serafin de Freitas, Madrid, 1963.

PRESTAGE, EDGAR, The Diplomatic relations of Portugal and England from 1640 to 1668, Watford, 1925.

IDEM, As Relações diplomáticas de Portugal com a França, Inglaterra e Holanda de 1640 a 1668, Coimbra,

1928.

IDEM, A Aliança Anglo-Portuguesa, trad.port., Coimbra, 1936.

PRESTAGE, EDGAR e KARL MELLANDER, As Relações diplomáticas e comerciais entre a Suécia e Portugal de 1641 a 1670, Lisboa, 1943.

RAMOS, JOÃO DE DEUS, História das relações diplomáticas entre Portugal e a China, Macau, 1991.

SAMPAYO, Luiz TEIXEIRA DE, Para a história do tratado de Methuen in Estudos históricos, Lisboa, 1984,

p.127-s.

SANTOS, MARIA EMÍLIA MADEIRA, Relações diplomáticas entre Portugal e Veneza (1641-1649), Lisboa,

1965.

SERRÃO, JOAQUIM VERISSIMO, Relações históricas entre Portugal e a França (1430-1481), Paris, 1975.

SOVERAL, VISCONDE DE, Apontamentos sobre as antigas relações políticas e commerciais de Portugal com a Republica de Veneza, Lisboa, 1893.

TORRE, ANTONIO DE LA e LUÍS SUÁREZ FERNÁNDEZ, Documentos referentes a las relaciones com Portugal durante el Reinado de los Reyes Catolicos, 3v., Valhadolid, 1953-1963.

ULRICH, RUY ENNES, Os Diplomatas de Portugal Restaurado in Boletim da Academia das Ciências de Lisboa, nova série, XII, 1940, p.192-s.

VILA FRANCA, CONDE DE, D.João I e a Aliança Inglesa, 2ªed., Lisboa, 1950.

WITTE, CHARLES MARTIAL DE, La Correspondance des premiers nonces permanents au Portugal 1532- 1553, Lisboa, 1980.

3.2.2. No Mundo Contemporâneo

ALMEIDA, MANUEL LOPES DE, Negociações diplomáticas com a França (1795-1801) in DAMIÃO PERES, dir.de, História de Portugal, v.VI, p.269-s.

BEYLERIAN, ARTHUR, La Mission du Duc de Rauzan, envoyé de Charles X, au Portugal, Paris, 1969.

BRANDÃO, FERNANDO MANUEL DE CASTRO, A Questão Luso-Espanhola sobre Montevideu, através da Correspondência diplomática portuguesa (1816 e 1818), Lisboa, 1970.

BRAZÃO, EDUARDO, Relações diplomáticas de Portugal com a Santa Sé da Revolução Francesa a Bonaparte (1790-1803), 3v., Lisboa, 1973

CARREIRA, CONDE DA, Correspondencia official de Luiz Antonio de Abreu e Lima actualmente conde da Carreira com o duque de Palmella, Lisboa, 1874.

CASTRO, LUÍS VIEIRA DE, D.Carlos I (Elementos de história diplomática), 2ª ed., Lisboa, 1941.

FERREIRA, JOSÉ MEDEIROS, Portugal na Conferência de Paz, Quetzal, Lisboa, 1992.

FONSECA, ISABEL SOARES DA, Relações entre Portugal e a França (1789-1799), [dactilografado], Lisboa,

1968.

GOYCOCHÊA, CASTILHOS, A Diplomacia de João VI em Caiena, Rio de Janeiro, 1963.

LANGHANS, F.P.DE ALMEIDA, Portugal na política de Palmerston, Lisboa, 1954

LEITÃO, RUBEN ANDERSEN, A Acção diplomática do Conde de Lavradio em Londres (1851-1855) in Memórias da Academia das Ciências de Lisboa, XVI, 1975, p.7-s.

LIMA, OLIVEIRA, O Reconhecimento do Império, Rio de Janeiro, 1901.

MAGALHÃES, FELIX PEREIRA DE, Apontamentos para a historia diplomática de Portugal desde 1826 até 1834, Lisboa, 1871.

MEDEYROS, J.PAULO DE, A Diplomacia de D.João VI na América e na Europa, Porto, 1956.

Missão diplomática do Conde de Paço d’Arcos no Brasil – 1891 a 1893, Lisboa, 1974.

NOWEL, CHARLES EDWARD, The Rose – Colored Map, Lisboa, 1982.

OLIVEIRA, FERNANDO DE, Duas Vitórias – O Princípio da liberdade e igualdade do comércio na baía convencional do Congo e as reservas portuguesas de 1885 e 1919 – Subsídio para a história da diplomacia portuguesa nos séculos XIX e XX, Lisboa, 1962.

PIMENTA, ALFREDO, Para a história das relações entre Portugal e a Alemanha (1884-1914), 3ª ed., Lisboa,

1941.

PORTES, RENÉ DES, L’Europe diplomatique et D.Miguel in Revue d’histoire diplomatique, VIII, 1894, p.81-s.

PRESTAGE, EDGAR, PEDRO DE AZEVEDO e LARANJO COELHO, Correspondência diplomática de Francisco de Sousa Coutinho, 3v., Coimbra e Lisboa, 1920, 1926 e 1955.

RANGEL, ALBERTO, Os Dois ingleses Strangford e Stuart, Rio de Janeiro, 1972.

TELO, ANTÓNIO JOSÉ, A política externa do Salazarismo in JOÃO MEDINA, História

IDEM, Portugal na Segunda Guerra: 1941-1945, Veja, Lisboa, 1991

IDEM, Portugal e a NATO: o reencontro da tradição atlântica, Edições Cosmos, Lisboa, 1996

TESTA, CARLOS, Incidentes da política externa de Portugal, Lisboa, 1890.

SANTA RITA, JOSÉ GONÇALO, Estudo sobre a Conferência de Berlim de 1885, Lisboa, 1916.

IDEM, A África nas relações internacionais depois de 1870, Lisboa, 1959.

SANTOS, EDUARDO DOS, A Questão da Barca "Charles et Georges" in Anais da Academia Portuguesa da História, II série, v.23, t.I, 1975, p.173-s.

SÃO PAYO, CONDE DE, O Visconde de Santarém diplomata, Lisboa, 1944

VIANNA, ANTONIO, Introdução aos apontamentos para a história diplomática contemporanea, Lisboa, 1907.

IDEM, Apontamentos para a história diplomática contemporanea, 3v., Lisboa 1901, 1922, 1958.

II. Para um Enquadramento Geral

ALBRECHT-CARRIÉ, RENÉ, A Diplomatic history of Europe since the Congress of Vienna, Nova Iorque, 1973

BECKER, J., Historia de las relaciones exteriores de España durante el siglo XIX, 3v., Madrid, 1924-26.

BONIFACE, PASCAL, Relations internationales, Paris, 1995.

CHATEAUBRIAND, Congrès de Vérone. Guerre d'Espagne, 2v., Paris, 1838.

COMBES, FRANÇOIS, Histoire générale de la diplomatie européenne, Paris, 1854.

Le Congrès de Vienne et les traités de 1815. Introdução de CAPEFIGUE, 2 v., Paris, 1863.

DEBIDOUR, A., Histoire diplomatique de l'Europe, 4v., Paris, 1891-1917.

DOLLOT, LOUIS, Histoire diplomatique, Paris, 1948.

DUROSELLE, JEAN BAPTISTE, Histoire diplomatique de 1919 à nos jours, 7ªed., Paris, 1978.

KISSINGER, HENRY, Diplomacy, New York, 1955

L’HUILLIER, F., De la Sainte-Alliance au Pacte Atlantique, I, Le dix-neuvième siècle 1815-1898, Neuchâtel,

1954.

METTERNICH, PRINCE DE, Mémoires, documents et écrits divers, 8v., Paris, 1880-1884.

MOWAT, R.B., History of European diplomacy, 3v., Londres, 1928-1933.

OZANAM, DIDIER, La Diplomacia de Fernando VI, Madrid, 1975.

RENOUVIN, PIERRE, dir.de, Histoire des Relations internationales, 8 t., Paris,

RENOUVIN, PIERRE e JACQUES DUROSELLE, Introduction à l’histoire des relations internationales, Paris,

1995.

PASCAL, BONIFACE, Relations internationales, Paris, 1995.

PELISTRANDI, BENOÎT, As Relações internacionais de 1800 a 1871, Edições 70, Lisboa, 2002

PETRIE, CHARLES, Diplomatic history 1713-1933, Londres, 1946.

POTIEMKINE, VLADIMIR, ea, Histoire de la diplomatie, trad.franc., 3v., Paris, 1946-1947.

ROSSIER, EDMOND, Du traité de Westfalie à l’Europe de Versailles, Paris, 1938.

TAPIA, CLAUDE e JACQUES TAIEB, Conférences et congrès internationaux de 1815 à 1913 in Relations internationales, 1976, 5, p.11-35.

 

Critérios de avaliação

 

A avaliação será o resultado das seguintes elementos:

Avaliação Periódica

duas frequências, (30% cada) nas quais é necessário obter a média de 10 valores e implicando uma nota inferior a 7 valores numa delas a obrigatoriedade de realizar o exame final.

-

- elaboração dum trabalho sintético com cerca de 20 páginas, que contará em 15%

- assiduidade e qualidade da participação, que contará até 5%

Avaliação Final

Exame final escrito na qual é exigida a classificação mínima de 10 (dez valores)

 

Horário de Tutoria

Dia

Horário

Local

5ª feira

16.30 – 17.30

Gabinete de Comunicação Social