Sunteți pe pagina 1din 2

ANALISE DO FLUXO DE CAIXA COM ÊNFASE NO CONTROLE INTERNO

E A LUCRATIVIDADE NAS MICRO E PEQUENAS NO MUNICIPIO DE


CROATÁ - CE

Antonio Sergio Nobre Bezerra1


Francisco Willian da Silva 1
Luis Carlos de Sousa Lopes1
Antônia Rosemeire Moraes Ribeiro Portela 2

RESUMO: O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de analisar o uso desta
ferramenta nas micros e pequenas empresa e sua gestão financeira, haja vista o alto custo
do dinheiro. O tema do presente trabalho parte da importância do Fluxo de Caixa com
ênfase, no controle interno e a lucratividade nas micro e pequenas empresas, onde
evidencia a estimativa de liquidez como ponto relevante na entrada e saída de recurso
financeiro, na empresa. Propõe-se a contribuir para analisar se há necessidade ou não de
capital externo, para desafogar o caixa da empresa, oferecendo uma ferramenta de
controle financeiro. O fluxo de caixa permite uma visualização antecipada das
necessidades ou sobras de caixa no curto prazo que, permitindo simulações, auxilia o
gestor a planejar seu negócio.

PALAVRAS CHAVES: Analise do Controle Interno. Lucratividade. Recursos


Financeiros

INTRODUÇÃO: Nas operações do dia a dia de uma empresa, a organização financeira


é fundamental. Para isso o empresário conta com um instrumento básico de planejamento
e controle financeiro, denominado fluxo de caixa. O objetivo dessa ferramenta é apurar e
projetar o saldo disponível para que haja sempre capital de giro na empresa, para
aplicação ou eventuais gastos.Assim, Zdanowicz (2004, p. 37), “o fluxo de caixa consiste
na representação dinâmica da situação financeira de uma empresa, considerando todas as
fontes de recursos e todas as aplicações em itens do ativo”.Ele é uma das ferramentas
mais simples utilizadas na administração financeira. Além de auxiliar na tomada de
decisões ajuda a melhorar o desempenho financeiro através da otimização e alocação dos
recursos da empresa onde economizar e onde investir. E complementado por (Assaf Neto;
Silva, 2012) onde ele expõe que para que haja uma gestão competente, é de extrema
importância que o administrador financeiro saiba avaliar criteriosamente seu ciclo
operacional, uma vez que possuindo conhecimento necessário, saberá avaliar qual nível
de caixa deverá ser mantido, para que não haja nem sobra e nem falta de recursos para
manter suas atividades.Com simplicidade dessa demonstração torna-se indispensável seu
uso tendo em vista a gama de benefícios que o mesmo traz, e com o avanço tecnológico
que a cada dia proporciona aos administradores e gestores de organizações uma facilidade
em organizar suas atividades seja por sistemas ou planilhas e até mesmo manual deixando
o gestor informado do que pode ou não fazer.

1
Graduando em Ciências contábeis pelo o Instituto de Estudos e Pesquisas do Vale do Acaraú– IVA. E-mail:
sergiobezerra103@gmail.com
1
Graduando em Ciências contábeis pelo o Instituto de Estudos e Pesquisas do Vale do Acaraú – IVA. E-mail:
williansilva123ips@hotmail.com
1
Graduando em Ciências contábeis pelo o Instituto de Estudos e Pesquisas do Vale do Acaraú – IVA. E-mail:
luiscsousa11@hotmail.com
2
Professora Orientadora, graduada em Letras e Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA,
especialista em Gestão de Pessoas pela Universidade Estadual Vale do Acaraú. E-mail: meirinharibeiro@hotmail.com
MATERIAL E MÉTODOS: A realização do estudo utilizou-se como fonte de pesquisa
baseada em LAKATOS (2003) onde ela afirma que “pesquisa de campo é o instrumento
utilizado com o fim de identificar informações referentes a um problema que se queira
identificar uma resposta”. Com pesquisa de campo com empresas do município de
Croata- CE, tendo como amostra uma empresa de material de construção, duas do ramo
de alimentos e uma do ramo de autopeças e serviços mecânicos, a fim de mensurar o nível
de instrução e utilização do fluxo de caixa pelas empresas, cujo objetivo foi obter um
diagnóstico de como as micro e pequenas empresas elaboravam o fluxo de caixa e como
ele poderá melhorar o controle interno e a lucratividade das mesmas. Segundo SILVA
(2012), “Ele é uma das ferramentas mais simples utilizadas na administração financeira,
além de auxiliar nas tomadas de decisões, ajuda a melhorar o desempenho financeiro
através da otimização e alocação dos recursos da empresa onde economizar e onde
investir. Portanto com a aplicação do questionário nas empresas foi coletado informações
e relatos que evidenciam o tema abordado, reafirmando que o fluxo de caixa influencia
no controle interno melhorando os resultados financeiros e aumentando a lucratividades
das empresas.

RESULTADOS E DISCUSSÃO: A pesquisa envolveu o universo de quatro empresas


entrevistadas, apenas 50% se dizem obter o resultado esperado enquanto 25% se diz obter
um resultado razoável ou parcial e 25% afirmam ser relevante ou não satisfatório os
resultados esperados. O público pesquisado envolveu colaboradores que estão na empresa
entre um e quatro anos que atuam no quadro de funcionários da empresa. Os resultados
obtidos possibilitaram o desenvolvimento de propostas para que os administradores e
proprietários passem a usar esta ferramenta com mais frequência para apresentar uma
melhoria continua nos processos existentes e ainda, a adoção de novos processos em
busca, de uma melhor qualidade no gerenciamento do uso dessa ferramenta. A partir do
estudo e da análise realizada afirma-se que a eficácia do Fluxo de Caixa está atrelada
diretamente ao monitoramento dos elementos que o compõem, bem como a observância
da fase do ciclo de vida em que a empresa se encontra.

CONCLUSÕES: Para alcançar os objetivos propostos na pesquisa sobre a importância


do fluxo de caixa para proporcionar ao usuário uma gama de benefícios e de informações
precisas e atualizadas do ciclo operacional das organizações tendo ao seu poder as opções
de investimento necessárias e o melhor momento para efetua-los além de prevenir baixas
excessivas no caixa deixando-o desprevenido de gastos extras. Assim foi constatado que
a eficiência do fluxo de caixa e importante ´para essas empresas para que haja uma gestão
de competência e para que o administrador avalie com critérios o seu ciclo operacional,
quando a ele e dado esse conhecimento o mesmo saberá avaliar qual nível de caixa deve
manter-se

REFERÊNCIAS

LAKATOS, Fundamentos de metodologia cientifica. São Paulo: Atlas, 2003.

ASSAF NETO; SILVA . Administração do capital de giro. São Paulo. Atlas, 2012.

ZDANOWICZ . Fluxo de caixa. São Paulo. Sagra Luzzatto,2004.