Sunteți pe pagina 1din 2

A VERDADE desde a concepção da Filosofia

Antiga:

Não pertence a ninguém;


Não é um prêmio conquistado por competição;
Está diante de todos nós;
É algo a ser procurado;
É encontrada por todos aqueles que a desejarem,
que tiverem olhos para vê-la e coragem para buscá-
la.

Para chegar à verdade o HOMEM precisa


abandonar preconceitos, crenças ,fechadas em si
mesma, abrir-se ao diálogo com o diferente, visitar a
história humana em todas as suas etapas, conhecer
as bases das diversas formas, e/ou, conjuntos, e/ou,
modalidades de saberes, e/ou, conhecimentos, a
saber: ARTÍSTICO, RELIGIOSO, MITO, SENSO
COMUM E CIÊNCIA. O Homem que não aprendeu a
dialogar com os conteúdos destas modalidades em
uma saudável interação, terá maiores dificuldade de
aproximar-se da verdade plena.
CETICISMO

O cético, no sentido comum, é aquele que desconfia de tudo, que não acredita nas
possibilidades que estão à sua frente. Por exemplo: alguns alunos, no inicio do segundo
semestre letivo, diante do seu mau desempenho escolar, tornam-se céticos com relação à
possibilidade de aprovação e não se esforçam mais.
Em filosofia, dizemos ceticismo a corrente de pensamento que duvida de toda e qualquer
possibilidade de se chegar ao conhecimento verdadeiro.
A Atitude cética é típica das épocas de crise, quando verdades estabelecidas são destruídas,
sem que se tenham, ainda, propostos novos princípios sobre os quais fundamentar o
conhecimento e as ações. Nesses momentos, coloca-se tudo em dúvida, examinam-se todas as
certezas, opiniões e crenças, numa busca de solo seguro sobre o qual construí um novo saber.
O ceticismo, ainda, inspira a atitude crítica e questionadora da filosofia contemporânea,
colocando questões sobre a relatividade do conhecimento e os limites da razão.

DOGMATISMO

No senso comum, o dogmático é a pessoa que acredita ter a posse da verdade e se recusa ao
diálogo, não admitindo o questionamento de suas certezas. Encontramos essa atitude em
muitas situações do cotidiano: desde governos a escolas e pais dogmáticos, que se recusam a
colocar em discussão certas regras que, para eles, são as únicas verdadeiras e corretas.
Em filosofia, dogmatismo assume sentidos um pouco diferentes entre si, mas interligados. O
primeiro sentido de dogmatismo é a admissão de que se pode conhecer as coisas em si e de
que esse conhecimento é confiável para nos guiar na vida prática diária.
No segundo sentido, dogmatismo é a doutrina, ou atitude, que afirma, de modo absoluto,
sermos capazes de chegar a verdades seguras exclusivamente por meio do uso da razão.