Sunteți pe pagina 1din 2

Entrevista com dr. med. Michael Teut da Charité.

2º Congresso Europeu de Medicina Integrativa


(ECIM) em Berlim.

Da Terapia Neural. Blog | 8 de outubro de 2009

Médicos, cientistas, pacientes, políticos da saúde e funcionários das companhias de seguros de


saúde se reunirão em 20 e 21 de novembro de 2009 para o 2º Congresso Europeu de Medicina
Integrativa (ECIM) em Berlim. Especialistas renomados lidam aqui com a questão de como os
pontos fortes da medicina moderna e da medicina complementar podem ser combinados em um
medicamento integrativo em benefício do paciente individual, mas também em benefício da
comunidade solidária. Um workshop organizado pelo ZAEN (→ PDF flyer) também trata da terapia
neural. Dr. med. Michael Teut, diretor médico da Clínica Ambiental Charité para Prevenção e
Medicina Integrativa, explica abaixo como leigos (pacientes e pessoas saudáveis) podem se
beneficiar do 2º ECIM.

Dr. O que você entende por meio da medicina integrativa e o que isso parece em seu trabalho
prático, por exemplo?
Dr. med. Michael Teut:

Por meio da medicina integrativa, entendemos a combinação individualmente adaptada de


medicina complementar e universitária. Utilizamos a Medicina Integrativa especialmente para
doenças crônicas, como doenças cardiovasculares, doenças reumáticas, dor nas costas, dores de
cabeça ou mesmo alergias e dermatite atópica.

Talvez a medicina integradora possa ser explicada melhor por um exemplo concreto: um homem
de meia-idade vem a nós com uma pressão arterial elevada inicial na ambulância - na mão, uma
receita para uma droga, mas ele não quer tomar. A questão é, o que o paciente pode efetivamente
evitar que a medicação seja usada permanentemente?

É aqui que entra o nosso tratamento integrativo individual: dependendo do contexto do


desenvolvimento da doença, do desenvolvimento gradual de um programa de esportes de
resistência, redução do estresse, mudança de dieta e redução de peso. Também é útil yoga ou
qigong. As drogas só são usadas se essas mudanças de estilo de vida não forem suficientes.

Nós tomamos nosso tempo e motivamos o paciente a agir sob sua própria responsabilidade.
Durante seis a doze meses, tentamos implementar a estratégia desenvolvida em conjunto. Em
regra, é possível alcançar uma melhoria sustentável.

Agora, tratamentos complementares são freqüentemente considerados por médicos, bem como
por pacientes com ceticismo. Como você avalia a situação?
Dr. med. Michael Teut:

Estudos mostram que mais de 70% da população quer cuidados médicos complementares. Na
prática de muitos colegas estabelecidos, a medicina integrativa - ou seja, a combinação de
medicina complementar e medicina convencional - já é comum, enquanto as universidades são
tradicionalmente céticas e reservadas.

Aqui, nos últimos anos, temos um interesse claramente aumentado, o que também se reflete nas
publicações correspondentes. Mas muito poucas terapias complementares ainda são
suficientemente estudadas cientificamente.

Isso significa que a realidade do cuidado (uso por pacientes, ofertas em prática privada) e
pesquisas (pesquisa científica) ainda estão distantes.
O Congresso Europeu de Medicina Integrativa começa neste ponto. O dia aberto do paciente é de
grande importância para o diálogo entre pacientes e cientistas.

De que maneira?
Dr. med. Michael Teut:

O termo Medicina Integrativa é claramente transmitido ao público com a ajuda de um dia tão
paciente. Estamos satisfeitos por ter sido capazes de ganhar especialistas de renome para este
dia - Prof. Dr. med. Claudia Witt (Charité), Privatdozent Benno Brinkhaus (Charité) e Prof. Dr. med.
Andreas Michalsen (Charité, Hospital Immanuel) são apenas três dos nomes bem conhecidos. Até
agora, não aconteceu que tantos especialistas no campo da Medicina Integrativa se disponibilizem
aos pacientes em um dia.

Claro, a preocupação mais importante é promover um intercâmbio intensivo entre paciente e


especialista e dar aconselhamento e ajuda aos pacientes. O dia do paciente fornece o quadro e
acima do tempo para explicar métodos de tratamento e modos de ação de forma compreensível.
Uma possibilidade que raramente existe na prática diária.

Mas também para os cientistas e médicos, este dia é uma boa oportunidade para receber
feedback sobre seu trabalho. A discussão com os pacientes também pode ser uma enorme
motivação para os cientistas, o que se refletirá no futuro trabalho de pesquisa.

O que é especificamente oferecido aos pacientes no dia do paciente?


Dr. med. Michael Teut:

Temos uma grande variedade de tópicos, que se baseiam nas doenças crônicas e nas queixas
mais comuns e, portanto, uma grande parte dos Aborda a população. Doenças cardiovasculares,
reumatismo, osteoartrite, queixas gastrointestinais, dor nas costas e no pescoço, susceptibilidade
a infecções ou mesmo distúrbios do sono. Os tópicos serão apresentados em palestras de
impulso e, posteriormente, haverá a oportunidade de entrar em um diálogo intensivo com o
apresentador. É extremamente importante para nós que o paciente leve as descobertas muito
específicas. O foco é, portanto, sobre questões como: o que eu posso fazer? Quais métodos de
medicina chinesa ajudam com dor de pescoço crônica? Quais as opções de tratamento
naturopático disponíveis para doenças gastrointestinais? O conceito de oficinas de pacientes é
novo: os visitantes têm a oportunidade de experimentar as primeiras etapas sob orientação
profissional. Por exemplo, uma oficina transmite exercícios concretos de Qi Gong que podem
resolver a tensão do pescoço e do ombro. Oferecemos oficinas sobre ioga, caminhada nórdica,
relaxamento e redução do estresse. Se eu não estou sofrendo de uma doença eu mesmo - o dia
do paciente ainda é interessante para mim? Dr. med. Michael Teut: Definitivamente! Claro, muitos
dos tópicos são baseados em reclamações existentes. Mas também a manutenção da saúde, a
prevenção, desempenha um papel importante. Tópicos como "Saudável durante o inverno" ou
"Saudável para a velhice - é assim que eu me ajudo" deve atrair todos, lidar com a saúde
preventiva. Além disso, tomamos emprestado do tema da odontologia pediátrica com base no
congresso. Isso é particularmente interessante para os pais, porque para muitos há uma
necessidade muito alta de educação séria: quais remédios naturopáticos posso aplicar para
crianças? Mas também, como reconheço os limites do auto-tratamento? O que você espera do dia
do paciente? Dr. med. Michael Teut: muitos visitantes interessados, palestras e oficinas
emocionantes e conversas inspiradoras com os visitantes!