Sunteți pe pagina 1din 1

VELLOSO, Mônica Pimenta. “A c) Mal urbano p103.

Para os verde-amarelos:
brasilidade verde-amarela: nacionalismo e a) Rural = espaço (campo); a verdadeira força
regionalismo paulista”. Estudos nacional;
b) Urbano = tempo; força negativa p103.
Históricos. Rio de Janeiro: vol. 6, nº 11, Para os verde-amarelos:
1993, p. 89-112. a) Interior = Brasil real;
b) Litoral = Brasil corrompido pelo estrangeiro.
Para os verde-amarelos: SP, por causa de sua rede
A construção da nação: arte e política hidrográfica contrária (que caminha do litoral ao centro),
Clima brasileiro do pós-primeira guerra: o Brasil é um desde os bandeirantes já teria centrado-se no Brasil
organismo sadio enquanto a Europa é uma nação verdadeiro. Por isso, deveria encabeçar o processo de
decadente que deve ceder lugar à América triunfante p89. comunhão brasileira p104.
Cai por terra o mito liberal da era internacional que
tornava obsoletos os nacionalismos p89. O imigrante se incorpora à “alma coletiva”
Palavra de ordem da época: criar a nação p90. SP: maior centro de imigração do Brasil p105.
Grande desafio da elite intelectual: encontrar um tipo Para os verde-amarelos, SP, em função mesmo de ser o
étnico representativo da nação p90. maior centro de imigrantes do país, conseguiu provar que
O valor da obra literária passa a ser medido pelo grau de mereceu o cargo de centro cultural e nacionalizador da
brasilidade p90. nação, já que teria sido capaz de “abrasileirar” (integrar)
Cria-se um vínculo entre arte e política p91. os imigrantes p105.
Ou seja: “se os imigrantes trouxeram o progresso é
São Paulo: símbolo da modernidade brasileira porque se incorporaram ao espírito paulista”
O movimento modernista nasce tentando expressar, COMENTÁRIO
simbolicamente, o fluxo da vida moderna p92. Esse argumento verde-amarelo é, evidentemente,
SP corporifica o espírito do progresso e da modernidade contraditório e infundado em sua lógica interna.
p93. Vejam-se as seguintes cadeias semânticas:
A visão ufanista de SP desqualifica o RJ p93.  SP  centro nacionalizador por excelência
Modernistas atacam: histórica (Bandeira)  contrário às idéias alienígenas.
a) Parnasianismo;  Imigrantes  progresso industrial europeu 
b) Realismo e; portadores de idéias alienígenas
c) Romantismo p95. De acordo com o raciocínio verde-amarelo, SP teria
Por que SP deveria exercer o papel de líder: integrado os imigrantes – ou seja, eles teriam tornado-
a) Pelo alto grau de desenvolvimento industrial; se paulistas (brasileiros), e não o contrário; mas,
b) Pela vanguarda de intelectuais que produziu p96. também de acordo com a lógica verde-amarela, os
1924: segundo tempo modernista. imigrantes trouxeram o progresso ao estado – o que
Diferença: subentende que eles (os imigrantes) teriam
a) Primeiro modernismo: urge a questão de modificado SP, e assim, que não teriam sido, logo,
atualização de nossa cultura; ataque à cultura completamente integrados, mas que, de certa forma,
ultrapassada; eles sim seriam os reais integradores.
b) Segundo tempo modernista: o ingresso na O raciocínio mais convincente nesse sentido deve
modernidade deve ser mediado pelo nacional p96. prever que SP pode realmente ter, numa certa altura,
integrado culturalmente os imigrantes, mas que
A geografização do Brasil necessitou, a priori, do progresso trazido por eles.
Verde-amarelos (regionalistas) acusam os modernistas Brota daí o cerne da problemática: a difícil
de estarem comprometidos com modismos estrangeiros, conciliação, num mesmo discurso, entre o
pois perderam a noção do nacional p96. nacionalismo “caipira”, voltado para o rural, para o
1925-26: Verde-amarelos rompem com Pau Brasil e interior e para o regional e a modernização efetiva,
Terra-Roxa p96. industrial, urbana, progressista.
Aflora a questão regionalismo-nacionalismo p96.
Verde-Amarelo: valoriza o culto das nossas tradições, O herói nacional é paulista!
ameaçadas que estas estão pela invasão alienígena p97.
Verde-Amarelo valoriza o caipirismo e se indispõe com Lógica verde-amarela: se SP, nas bandeiras, integrou o
Mário de Andrade (que defendia a desgeografização das branco, o negro e o índio, agora seguia integrando o
diferenças regionais em favor da unidade nacional) p97. imigrante p107.
Para os verde-amarelos:
a) Tempo = idéia de esgotamento; Grupo verde-amarelo Contra
b) Espaço = território; brasilidade; geografia p101. Espaço Tempo
O mapa do Brasil se torna objeto de culto cívico e Rural Urbano
Natureza Intelecto
poético p102.
Interior Litoral
Para os verde-amarelos (obstáculos à brasilidade):
a) Idéias alienígenas;
b) O mal da inteligência;