Sunteți pe pagina 1din 1

Cantora Protestante Profetiza Fim da Igreja Católica Apostólica Romana

A cantora protestante Ana Paula Valadão da denominação religiosa igreja da Lagoinha em


show, em Salvador, BA, profetizou o fim da Igreja Católica Apostólica Romana.
Em determinado momento de sua
apresentação a cantora baseando-se em
passagem bíblica repete diversas vezes a
palavra tambores como numa invocação, ao
mesmo tempo em que a percussão da banda
acelera a batucada. Momentos seguintes, a
palavra de ordem de Valadão é “receba o
tambor, receba o tambor…É a ruína dos falsos
deuses, é a ruína do povo idólatra”, diz.
Adiante pede ao conjunto que toquem
os tambores em ritmo baiano, as bailarinas
dançam se debatendo, algumas pelo chão. Muitos internautas compararam a apresentação às
manifestações da macumba. A cantora parecia fora de si e de um lado para o outro do palco soltou
as palavras, “ (Aqui em Salvador) Aonde a idolatria chegou, aonde chegou o culto aos
deuses. Onde entrou a influência de toda mariolatria no nosso Brasil, desde as primeiras missas
efetuadas em solo brasileiro …o senhor fará tocar novos tambores nesta nação”, proclamou.
Ana Paula Valadão é de uma
corrente protestante proselitista que
associa o culto dos católicos à Virgem
Maria como idolatria e parece se ofender
com a religião que novamente mostra
toda sua potência na nação brasileira,
isso está bem claro quando a artista se diz
falar em nome de Deus e proclama a
suposta profecia da queda da idolatria
tendo como expoente a Igreja Católica.
Tomar a palavra em nome do Criador é
algo sério e nos recorda os falsos profetas
citados na Bíblia que são como lobos em
pele de cordeiro.
O mandado evangélico de Jesus
tem como primazia o amor, o que nos
leva responder à cantora imbuídos dessa
caridade e não de outros sentimentos. Portanto, desconsideramos o entendimento da protestante que
no vê como idólatra e dignos do castigo eterno e acolhemos suas palavras que diz na mesma
apresentação, “…A Igreja Católica Apostólica Romana do Brasil será invadida por uma onda de
conversão…Haverá entre os padres, entre os seminaristas um espírito de ousadia para tomarem
posição diante do senhor”, falou.
De fato uma onda de graça e de conversão invade a Igreja Católica
desde seus inícios quando foi fundada por Jesus Cristo e confiada aos
cuidados de Pedro e da sucessão apostólica. Diferente dos protestantes
pregamos que precisamos de conversão continuamente e não ostentamos o
título de salvo por vanglória e presunção, mas como um dom de Deus feito a
nós por Cristo Jesus na Cruz, não é resultado de voluntarismo humano.
Como católicos não possuímos nenhum rancor contra nossos
irmãos protestantes, apenas gostaríamos de sermos respeitados assim
como respeitamos sua fé, seus cultos, seu apreço aos pastores que se
identifica com nosso respeito às autoridades eclesiásticas; sua admiração à formiguinha – o
Smiliguido – que, quem diria, ganhou o formato de escultura, artigo reprovado por eles no
culto católico.