Sunteți pe pagina 1din 3

RAYANE MOREIRA DO NASCIMENTO

ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ESTÉTICA NA ÁREA HOSPITALAR:


QUEIMADOS E PÓS OPERATÓRIO

FORTELEZA, CE
2019
QUEIMADURAS

Queimadura é uma lesão da pele por um agente químico (ácidos, bases, produtos
químicos) ou físico (calor, irradiação, abrasão, eletricidade) levando à perda da
integridade da barreira cutânea. São classificadas de acordo com a profundidade em
primeiro, segundo e terceiro grau.

1º Grau: atingem a epiderme, causam vermelhidão e dor, cicatrizam em 3-7 dias e


não deixam cicatriz.
2º Grau: atingem a epiderme e parte da derme (superficial ou profunda),
caracterizam-se clinicamente pela presença de bolhas e dor, cicatrizam de 10 a 15
dias se superficiais e 30 dias se mais profundas e podem deixar cicatrizes.
3º Grau: atingem toda a espessura da pele e acometem tecidos profundos, não
são dolorosas.
Queimaduras de segundo e terceiro grau exigem acompanhamento médico dos
curativos e podem necessitar de internação hospitalar. O tratamento cirúrgico
realizado na fase aguda da queimadura envolve enxertos de pele e/ou retalhos.

O esteticista age juntamente com o medico, para promover a recuperação do tecido


danificado, com o mínimo de seqüelas possíveis. Ele atua condicionando a textura da
pele, diminuindo aderências, equilibrando a coloração e diminuindo o relevo das
cicatrizes hipertróficas. Como forma de controle de bactérias, um recurso pouco
usado, mas de grande eficácia, é o aparelho de Alta Freqüência que é bactericida e
fungicida, podendo ser aplicado diretamente na parte em que a pele sofreu a lesão da
queimadura. Utilizar recursos como LED e laser para uma melhor cicatrização e
recuperação do tecido danificado
.
Vale salientar que o esteticista não trata as queimaduras sozinho, mas a
Normativa 01/2012 do Conselho Federal de Biomedicina prevê a atuação do
esteticista em tratamento, recuperação e revitalização de queimados. É necessário
que o profissional tenha uma boa formação, e excelentes conhecimentos específicos
naquela área de atuação, para que ele saiba realmente o que está fazendo e que não
piore a situação do paciente.
PÓS OPERATÓRIO

A reabilitação é umas das horas mais importantes de todo o processo cirúrgico.


Melhora a oxigenação e circulação, aumento do tônus muscular, hidratação e nutrição
da pele, diminuição de hiperpigmentação pós-inflamatória, cicatrização e diminuição
da dor são apenas algumas funções dos procedimentos pós-operatórios.

A escolha dos procedimentos dependerá da particularidade de cada cirurgia.


Especialistas apontam que na fase inflamatória, não se recomenda manipular a
área,porém. A drenagem linfática, por exemplo, diminui edemas e o inchaço causados
pelos traumas dos bisturis em quase todos os casos. A fototerapia de baixa
intensidade, como a presente no LED, lasers e infravermelho, auxilia na diminuição do
comprometimento da vascularização de cirurgias que exigem retalhos, prevenido
necroses e podem estimular a atividade do sistema infático.

É sempre importante lembrar que nenhum procedimento estético deve ser feito,
nem antes e nem depois da operação, sem a autorização do médico responsável pela
cirurgia. É preciso responsabilidade para complementar o trabalho da medicina e
melhorar satisfação dos clientes.