Sunteți pe pagina 1din 3

Eu me chamo Paulo. Fui chamado para ser apóstolo e separado para a boa notícia de Deus.

Deus já tinha
feito a promessa dessa boa notícia pelos profetas do Antigo Testamento. Ela fazia referência ao seu filho
Jesus, o Ungido, nosso Senhor. Além de ser descendente humano de Davi, Jesus, o Ungido, foi declarado
Filho de Deus pelo Espírito Santo depois que ressuscitou dos mortos. Por meio de Jesus nos recebemos a
graça e por causa de seu nome o ministério apostolico. O objetivo desse ministério é conduzir todos os não
judeus para a obediência que nasce da fé. Vocês estão entre esses que estão sendo chamados para serem
de Jesus, o Ungido. Essa carta é escrita para todos os que estão em Roma, amados de Deus. Vocês foram
chamados para serem santos. Graça e paz para vocês, da parte de nosso Pai Deus e do Senhor Jesus, o
Ungido.

Para começar, eu agradeço ao meu Deus, pelo meio aberto por Jesus Cristo, pela vida de todos os crentes
romanos. Essa gratidão é porque a fé de vocês está sendo anunciado por todo o mundo. Deus, que eu sirvo
em espírito a partir da boa notícia de Jesus, pode testemunhar por mim que eu sempre menciono vocês em
minhas orações. Eu peço que, se for da vontade de Deus, em tenha uma boa oportunidade para fazer uma
visita. Eu quero compartilhar dons que vem do Espírito Santo com vocês para que vocês sejam fortalecidos,
ou seja, para que unidos a gente seja encorado pela minha fé e a de vocês mutuamente. Não ignorem que
eu planei fazer várias visitas para ter algum fruto no meio de vocês e de outros gentios, mas até agora fui
impedido. A minha dívida é com gregos e bárbaros, sábios e ignorantes. Se dependesse da minha vontade,
estaria pronto para anunciar a boa nova também para vocês romanos.

Porque eu não fico envergonhado de falar da boa nova, pois ela é o poder de Deus para salvação de
todos os que creem. Em primeiro lugar ela serve para o judeu, mas também para o grego. Porque A justiça
de Deus é revelada de fé em fé, pois a bíblia já diz: o justo vai viver pela fé. Dessa maneira, a ira de Deus se
revela contra toda falta de piedade e falta de justiça dos homens que escondem a verdade em nome da sua
falta de justiça. Deus se manifestou entre eles e, portanto, pode ser conhecido no meio deles. Os seus
atributos, seu poder eterno e sua divindade podem ser visto desde que o mundo foi criado. As coisas que
foram criadas fazem com que os homens percebam essas coisas. Por isso, ninguém pode dar desculpas.
Essas pessoas conheciam quem era Deus, mas não o glorificaram dessa maneira, nem foram gratos. Ao
contrário, em suas próprias ideias se tornaram inuteis e seus corações ficaram escuros. Eles diziam que eram
sábios, mas se tornaram loucos. Trocaram a glória de Deus que não pode se corromper por imagens iguais
aos homens que se podem corromper, assim como aves, animais de quatro patas, répteis. Deus então
entregou essa gente para a impureza sexual, ao desejo ardente de seus próprios corações para que eles
desonrassem o corpo um do outro. Isso aconteceu porque eles trocaram a verdade de Deus pela mentira e
adoraram a criatura em vez de adorarem ao criador eternamente bendito. Amém!

Deus entregou esses homens a paixões sem honra. Até mesmo as mulheres começaram a substituir
as relações normais pelo que é contrário a sua natureza. Os homens largaram as mulheres e começaram a
gostar dos homens, se ardendo de desejo sensual um pelo outro. Receberam em si mesmo a recompensa
que lhe era devida. Rejeitando o conhecimento de Deus, foram entregues pelo próprio Deus para uma forma
condenável de pensamento, para fazer coisas que não é certo. Ficaram cheios de injustiça, malícia, cobiça,
maldade, inveja, homícidio, discórdia, engano, depravação, intrometidos, caluniadores, inimigos de Deus,
insolentes, orgulhosos, arrogantes, inventores de males, desobedientes ao pais, insensatos, indignos de
confiança, sem afeto natural e sem misericórdia. Eles conhecem o decreto de Deus que torna os homens
que fazem a essas coisas condenados a morte. Mas eles não somente fazem, mas também aprovam as
pessoas que fazem essas coisas1.

Dessa maneira, tu não tem desculpa quando julga alguém, seja quem ele for, pois está condenando
a ti mesmo, pois faz as mesmas coisas que está julgando. Mas Deus, a gente sabe disso, julga os que fazem
essas coisas de acordo com a verdade. Mas se tu, homem, julga quem peca dessa maneira, mas peca do
mesmo jeito, acha que vai escapar do juízo de Deus? Ou você despreza como é rica a sua bondade,
tolerância, paciência, ignorando que é a graça de Deus que conduz ao arrependimento? Mas pela tua
teimosia e teu coração sem arrependimento, está acumulando a ira de Deus sobre ti no dia da ira e da
revelação do justo julgamento de Deus que vai retribuir cada um segundo as suas obras. Dessa maneira, ele
vai dar vida eterna ao que preserveram em fazer o bem, procurando glória, honra e imortalidade. Mas vai
dar ira e indignação para os egoístas, aos que obedecem ao pecado em vez da verdade. Deus vai trazer
tribulação e angústia a todo o ser humano que fazer o mal, primeiro ao judeu, depois ao grego. Mas dará
glória, honra, e paz a todo os que praticam o bem, primeiro para o judeu e depois para o grego: em Deus
não há parcialidade. Todos o que pecaram sem lei, sem a lei perecerão. Todos os que pecaram com lei, pela

1
Fim do Capítulo 1.
lei serão julgados. Diante de Deus, não adianta ouvir a lei para ser justo, é preciso praticar para ser
justificado. Quando os gentios, que não possuem uma lei, praticam a lei por causa da sua natureza, mesmo
que não tenham uma lei, tornam-se lei para si mesmos. Os gentios mostram que tem a lei gravadao
coração, testemunhando em suas consciências e nos seus pensamentos acusando e defendendo-os no dia
em que Deus, por intermédio de Jesus, o Ungido, julgar o segredos dos homens de acordo com a sua Boa
Nova.
Mas se tu, que se diz judeu, descansa na lei, te glorias em Deus, conhece a sua vontade, aprova as
coisas que são boas, aprende da lei, que confia que é guia para os cegos, luz para os que estão nas trevas,
professor dos ignorantes, mestre de crianças, encontrando na lei a forma da sabedoria e da verdade; tu que
ensina aos outros, não ensina a ti mesmo? Tu que pregas contra o furto, furta? Diz que adulterar é errado,
mas adultera? Abomina os ídolos, mas roubas os templos? Tu que se gloria na lei, desonra a lei quando a
transgride? Está escrito que o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa desse tipo de gente.
Porque a circunsição só tem valor quando se pratica a lei. Se, no entanto, se é um trangressor da lei, a tua
circuncisão tem valor de inscircuncisão. Mas se o incircunciso observa a lei, não valerá como circuncisão? Se
o que é incircunciso por natureza cumpre o que a lei diz, certamente ele pode julgar o que, mesmo com a
lei e com a circuncisão, transgride a lei. O judeu não é o que é pelo lado de fora, nem é circunciso quem é
só na carne. Todavia, judeu é aquele que é dentro de si e o circunciso é que tem a circuncisão no coração.
Esse homem não é circundidado pela lei e não tem o louvor que nasce nos homens, mas em Deus 2.
Existe então vantagem em ser judeu? Existe vantagem em ser circundidado? Existe muitas
vantagens sob muitos aspectos. A principal delas é que para os judeus Deus confiou os seus segredos. Mas
e daí? Se uns não creram, a falta de crença vai desfazer a fidelidade de Deus? Obvio que não! Que Deus
seja verdadeiro e todo o homem seja mentiroso. Está escrito que para que sejas justificado em suas
palavras e venças quando fores julgado. Eu vou usar um argumento humano: se a nossa falta de justiça
revelar a justiça de Deus, a gente vai dizer que Deus é injusto por aplicar a sua ira? Claro que não. Se assim
fosse, Deus não poderia julgar o mundo. Se a minha mentira resalta a verdade de Deus, por que eu sou
julgado como pecador? Por que eu não digo como os caluniadores que devemos fazer o mal para vir o bem?
Quem pensa assim será condenado merecidamente. Mas a gente é superior de quem pensa assim? Não!
Tanto os judeus quanto os gregos estão debaixo do pecado. Na bíblia está escrito assim: não existe nenhum
justo. Não existe quem entenda, nem quem busque a Deus. Todos estão desviados, não servem para nada.
Não há ninguém que faça o bem. A garganta dos homens é como se fosse um túmulo aberto: enganam com
a língua, tem veneno de serpente nos lábios. Suas bocas são cheias de maldição e amargura. Os pés correm
para matar. Por onde passa causa destruição e miséria. Ninguém conhece o caminho da paz. Não possuem o
temor que vem de Deus.
A gente sabe que o que está escrito na lei é para os que estão debaixo dessa lei e para que todo
mundo cale a boca e obedeça ao julgamento de Deus. Ninguém vai ser justificado pelos resultados da lei,
pois a lei faz com que a gente conheça o pecado. Mas a justiça que vem de Deus foi manifestada sem o
poder da lei, mas provada por ela e pelos profetas. A justiça de Deus vem pela fé em Jesus, o Ungido, para
todos os que creem nele. Nesse assunto não há distinção de homens porque todos pecaram e não possuem
a glória de Deus. Por isso se tornam justos pela graça de Deus, por meio da redenção presente em Jesus, o
Ungido. Jesus, o Ungido, foi oferecido por Deus como sacríficio substituto que vem pela fé a partir do
derramento de seu sangue. Isso foi para feito para demonstrar a sua justiça. Na paciência de Deus, ele
deixou de nos condenar pelos nossos pecados que a gente já tinha cometido para que assim ele demonstre
hoje a sua justiça, para que seja justo e também aquele que justifica os que depositam a sua fé em Jesus.
Onde fica o lugar do orgulho? Não existe! Qual a lei que serve? A das obras? Não, a lei que serve é a da fé.
A gente então conclui que o homem é justificado pela fé sem as obras que vem da lei. Deus não é só Deus
dos judeus, mas também dos gentios. Ele é um só e vai justificar os que são circundidados e os que não
foram circuncidados. Ambos pela fé. Isso é argumento para anular a lei porque tivemos fé? Pelo contrário, a
gente pode confirmar a lei3.
Uma pergunta: o que podemos dizer de Abraão, o nosso pai humano. O que ele alcançou? Porque se
a justiça dele veio pelas obras, ele até poderia se gloriar, mas não em Deus. Se a gente pensar que escritura
nos fala que Abraão creu em Deus e isso valeu como justiça, podemos perceber que o salário de quem
trabalh não é um favor, mas uma dívida. Mas ao que não trabalha, mas somente crê em quem justifica, sua
fé vale como justiça. Davi também falou da alegria do homem que Deus atribuiu justiça sem as obras. Ele
diz assim: Feliz é o homem que os pecados são perdoados, cujos pecados são escondidos. Feliz é o homem
que o Senhor nunca cobrará os pecados. Para quem vale essa alegria? Somente para os que foram
circundidados ? Abraão recebeu justiça, mas ele era circundidado ou não? Na época ainda não. Ele recebeu
a circuncisão como prova da fé que ele teve para que fosse o pai de todos os que creriam, estando fora da

2
Fim do Capitulo 2
3
Fim do Capítulo 3
circuncisão, a fim de que recebam a justificação. Ele também é pai dos que foram circundidados, mas não só
dos que tiveram o prepúcio retirado, mas os que andam pela fé da mesma maneira que o pai Abraão, antes
da circuncisão. Não foi pela lei que Abraão e a sua descendência recebeu a promessa que receberia o
mundo como herança. Pelo contrário, foi pela justificação pela fé. Se os herdeiros são os que vivem na lei, a
fé não tem valor nenhum e a promessa não vale de nada. Porque a lei só produz ira. Onde não existe lei,
contudo, não existe transgressão. Por esse motivo, a promessa vem pela fé, para que seja um favor não
merecido. Assim a promessa é para toda a descendência, não somente os que estão debaixo do poder da
lei, mas também aos que estão debaixo da mesma fé de Abraão. Ele é nosso pai, pai de muitas nações,
diante do Deus que ele creu, o Deus que dá vida aos mortos e chama para existir o que não existe como se
já existisse. Abraão, diferentemente da lógica esperada, creu com certeza, para que se tornasse o pai de
muitas nações de acordo com o que havia sido prometido para ele: Dessa maneira será a tua descendência.
Sem diminuir a fé, diante do fato do seu corpo e o de Sara estarem velhos e fracos (não tinha mais
vitalidade, pois já tinha 100 anos e Sara já era esteril), não perdeu a crença, pelo contrário, ficou mais forte
na fé, glorificando a Deus por ele ser poderoso para realizar o que prometeu. Isso valeu para ele como
justiça. Não é só por causa de Abraão que está escrito que valeu como justiça, mas também por nossa
causa que também será dado justiça se crermos que o nosso Senhor Jesus ressuscitou dos mortos, foi
entregue para morrer por causa de nossos pecados e ressuscitou para nos dar justiça 4.
Por causa disso, recebendo justiça por meio da fé, a gente fica em pazes com Deus por causa de
nosso Senhor Jesus, o Ungido. Por meio de Jesus tivemos acesso a esse favor não merecido. Nela estamos
firmes e a nossa glória é na certeza da glória de Deus. Mas a gente não se gloria só nisso, mas também nas
tribulações. A gente sabe que a tribulação produz constância. A constância faz a gente ser aprovado. A
aprovação nos dá certeza. A certeza não nos deixa decepcionados, tendo em vista que o amor de Deus foi
derramado na gente pelo Espírito Santo que recebemos. VEja bem, quando a gente era fraco, u Ungido
morreu pelos pecadores no tempo certo. Por um justo já é dificil alguém morrer, mas até existe quem morra
por quem faz o bem. Mas a prova do amor de Deus é que ele morreu quando a gente ainda era pecador.
Agora somos justos por causa de seu sangue e seremos salvos de sua ira. Porque se a gente era inimigo de
Deus e foi reconciliado com ele pela morte de Jesus, o Ungido, agora seremos salvos pela vida de Jesus.
Também nos gloriamos em Jesus Cristo, pelo qual fomos reconciliados com Deus. Dessa maneira, do mesmo
que o pecado entrou no mundo por causa de Adão e, pelo pecado, também a morte, a morte passou para
todos os homens, pois todos também pecaram. Antes de existir lei o pecado já existia, mas sem a lei, o
pecado não conta.

4
Fim do capítulo 4.