Sunteți pe pagina 1din 29

Parte I

O Marco Contextual
Aula 1. O Meio Ambiente e o Desenvolvimento
Sustentável

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho


Disciplina: Proteção ao Meio Ambiente
Professor: Roberto Fortuna Carneiro
Conceitos Gerais
 A humanidade é parte de um vasto universo em evolução. A Terra,
nosso lar, está viva com uma comunidade de vida única.

 A capacidade de recuperação do meio ambiente e o bem-estar da


humanidade dependem da preservação de uma biosfera saudável
com todos seus sistemas ecológicos, uma rica variedade de plantas
e animais, solos férteis, águas puras e ar limpo.

 Kraemer e Tinoco (2004) descrevem meio ambiente como “o


conjunto de elementos bióticos (organismos vivos) e abióticos
(energia solar, solo, água e ar) que integram a camada da Terra
chamada biosfera, sustentáculo e lar dos seres vivos”.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Conceitos de Meio Ambiente - Lei 6.938/81

 No Brasil, as atividades relativas ao meio ambiente pautam-se na Lei nº.


6.938 de 31 de Agosto de 1981, que dispõe sobre a PNMA - Política Nacional
do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, em
seu artigo 3º, inciso I, define:
 MEIO AMBIENTE: conjunto de condições, leis, influências e interações de
ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas
as suas formas.
 RECURSOS AMBIENTAIS: Atmosfera, as águas interiores, superficiais ou
subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo, os
elementos da biosfera, a fauna e a flora (Artigo 3o, inciso V, da Lei
6.938/81)
 DEGRADAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL: Alteração adversa das
características do meio ambiente (Artigo 3o, inciso I, da Lei 6.938/81)

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Conceitos de Meio Ambiente - Lei 6.938/81

 POLUIÇÃO: A degradação da qualidade ambiental, resultante de atividades


que direta ou indiretamente (Artigo 3o. inciso II, da Lei 6.938/81):
a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem estar da população;
b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;
c) afetem desfavoravelmente a biota;
d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente; e
e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais
estabelecidos (Artigo 3o, inciso III, da Lei 6.938/81);

 POLUIDOR: A pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado,


responsável direta ou indiretamente por atividade causadora de degradação
ambiental (Artigo 3o, inciso IV da Lei 6.938/81)

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Aula 2. O Processo de Exploração e Acumulação
Capitalista e a Sustentabilidade Ambiental.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Um Problema Histórico ...
 O processo de industrialização, iniciado com a Revolução Industrial,
trouxe um grande desenvolvimento tecnológico, aumento de
investimentos e massificação da produção e do consumo.

 Esta “Revolução” possui uma lógica fundada na exploração sistemática e


ilimitada de todos os recursos da terra para atingir três objetivos
fundamentais: aumentar a produção, o consumo e a riqueza.

 Essa lógica parte de duas crenças: a) a terra possui recursos ilimitados b)


o crescimento pode ser infinito e sempre, ano após ano.

 Esses padrões de produção e consumo estão causando devastação


ambiental, redução dos recursos e uma massiva extinção de espécies,
extrapolando a capacidade de suporte dos ecossistemas.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Problema Histórico ... Debates Antigos
 O preservacionismo e o conservacionismo são correntes ideológicas
surgidas no fim do século XIX, nos EUA.

 Possuem posicionamento contra o desenvolvimentismo (crescimento


econômico a qualquer custo, desconsiderando os impactos ao ambiente e
o esgotamento de recursos naturais).

 Preservacionismo: Proteção da natureza independentemente de seu


valor econômico. O homem é o causador da quebra deste “equilíbrio”. De
caráter explicitamente protetor, propõe a criação de santuários, intocáveis

 Conservacionismo: Uso racional e manejo criterioso da natureza. O


pensamento conservacionista caracteriza a maioria dos movimentos
ambientalistas, e é alicerce de políticas de desenvolvimento sustentável.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Problema Histórico ... Debates Recentes

 Na década de 60, o Clube de Roma, alertou o mundo a respeito do


crescimento econômico sem preocupação com o meio natural.
 1968 - Conferência da Biosfera: Consagrou a noção de desenvolvimento
sustentável.
 1972 - Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano,
Estocolmo, chegou à conclusão de que era preciso redefinir o conceito de
desenvolvimento.
 1992 - Conferência sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92). Um
dos documentos centrais foi a proposta da Agenda 21.
 1993 - Convenção sobre a Biodiversidade de (ver lâmina a seguir).
 2009 - ocorre a COP 15, em Copenhag – Dinamarca.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Foco dos debates:
A Sustentabilidade Ambiental
 Art. 10 da Convenção sobre a Biodiversidade de 1993 define como uso
sustentável dos recursos naturais: “a utilização de componentes da diversidade
biológica de modo e em ritmo tais que não leve, no longo prazo, à diminuição da
diversidade biológica, mantendo assim seu potencial para atender as
necessidades e aspirações de gerações presentes e futuras”.
 O Desenvolvimento Sustentável toma por base conceitual seis aspectos:
a) Satisfação das necessidades básicas;
b) Solidariedade com as gerações futuras;
c) Participação da população envolvida;
d) Preservação dos recursos naturais e do meio ambiente;
e) Elaboração de um sistema social que garanta emprego, segurança social e
respeito a outras culturas;
f) Programas de educação ambiental.
 O conceito de desenvolvimento sustentável se firma, portanto, em três pilares
básicos: crescimento econômico, eqüidade social e equilíbrio ecológico.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Desenvolvimento Sustentável
Questões Importantes para Discussão

 O planeta terra agüenta a voracidade e a violência do atual modo


de produção e de consumo?
 “Desenvolvimento” e “Sustentabilidade” representam lógicas
opostas?
 É possível existir a preservação do capital natural, vigorar um uso
racional dos recursos e manter-se a capacidade de regeneração de
todo o ecossistema?
 O desenvolvimento sustentável pode assegurar as necessidades
econômicas, sociais e ambientais, sem comprometer o futuro de
nenhuma delas?

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Aula 3.
O Conceito, os Tipos de Impacto Ambiental
e Suas Consequências

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Conceito de Impacto Ambiental
 Definição da Resolução CONAMA No 001/86 (DOU –
17/02/1986, Seção 1, páginas 2548-2549):
 “Qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e
biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de
matéria ou energia resultante das atividades humanas que,
direta ou indiretamente afetam:
a) a saúde, a segurança e o bem-estar da população;
b) as atividades sociais e econômicas;
c) a biota;
d) as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;
e) a qualidade dos recursos ambientais.”

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Processos Produtivos e Impacto Ambiental
Fluxo produtivo de via única

 Este ciclo produtivo, com seus efeitos ambientais nocivos, elevado grau
de irracionalidade e falta de economicidade, está sendo gradativamente
substituído pela adoção do fluxo da economia de ciclo fechado.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
O Desmatamento
 Um dos principais impactos ambientais que ocorrem em um
ecossistema natural é a devastação das florestas, notadamente das
florestas tropicais, as mais ricas em biodiversidade.
 Essa devastação ocorre basicamente por fatores econômicos, tanto
na Amazônia quanto na Mata Atlântica e no Cerrado.
 O desmatamento ocorre principalmente como conseqüência da:
- Extração da madeira para fins comerciais;
- Instalação de projetos agropecuários;
- Implantação de projetos de mineração;
- Construção de usinas hidrelétricas;
- Propagação do fogo resultante de incêndios.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Quais impactos ambientais o desmatamento
provoca?

São inúmeros os problemas relacionados ao desmatamento


desordenado ou ilegal. Por exemplo:
 A erosão do solo
 Infertilidade agrícola
 Mudança no micro-clima
 Destruição de nascentes e, consequentemente, das águas dos
riachos
 Desmoronamento de encostas e barrancos
 Destruição da biodiversidade
 Desertificação
 Aquecimento global

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Consequências dos Impactos

 Processo erosivo: empobrecimento dos solos, resultado da retirada


de sua camada superficial (inviabiliza a agricultura);
 Assoreamento de rios e lagos: provoca desequilíbrios nesses
ecossistemas aquáticos, causa enchentes e dificuldades para a
navegação;
 Elevação das temperaturas locais e regionais: maior irradiação e
calor para atmosfera a partir do solo exposto.
 Proliferação de pragas e doenças: resultado de desequilíbrios nas
cadeias alimentares;
 Queimada: aumento da concentração de gás carbônico na
atmosfera (efeito estufa);
 Destruição da biodiversidade: a diminuição ou extinção de espécies
vegetais e animais que poderiam ser a chave para a cura de
doenças, ou como novas matérias-primas.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Impacto ambiental das atividades
agrícolas
Erosão do solo
 São bastante dependentes de fatores
pouco controláveis (chuvas,
temperaturas, ventos, etc.);
 Impactos: perda de solos, produção
de gases, erosão genética,
contaminação de águas subterrâneas
com fertilizantes ou pesticidas, etc.
(ver fotos ao lado);
Uso de Agrotóxicos e pesticidas
 Em muitos casos os piores impactos
ambientais da agricultura são
invisíveis aos olhos da população, dos
consumidores e dos próprios
agricultores.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Impacto ambiental das atividades agrícolas
 Desmatamento: derrubada de matas para ceder espaço às lavouras;
 Erosão: perda de solo causada pelo uso incorreto, associado com chuvas e
ventos torna-o não-agricultável; soterra rios e lagos, comprometendo a vazão e
qualidade da água
 Perda de biodiversidade: espécies estão desaparecendo (desmatamento) e
podem ser necessárias para a produção de medicamentos no futuro.
 Esgotamento da água doce: Mais de 60% da água doce é utilizada na
irrigação de campos agrícolas.
 Poluição atmosférica: queima de diesel dos tratores, produção de fertilizantes
e defensivos agrícolas, decomposição de restos de cultura, etc.
 Poluição de águas: uso descontrolado de adubos e defensivos agrícolas.
 Desertificação: uso inadequado do solo, liderado pela produção de gado e
outros animais.
 Destruição de mananciais: o avanço da agricultura sobre as matas nativas
causa destruição das nascentes, por soterramento, impermeabilização, etc.
 Geração de resíduos: fezes animais (chorume de porco, cama de frango);
resíduos agrícolas queimados a céu aberto, entre outros.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
O Acidente com Produtos Químicos
Perigosos – Procedimentos
 Causas: velocidade, má condição das
estradas, falta de fiscalização na
movimentação desses materiais, falha
mecânica (precária conservação do veículo)
e condições meteorológicas.
 Em caso de acidentes é realizado o
atendimento emergencial.
 Participam: Policiamento Rodoviário,
Bombeiros, Defesa Civil Estadual ou
Municipal, órgão ambiental, Concessionárias
de Rodovias, podem ser apoiados pelos
órgãos responsáveis pelo abastecimento de
água na área da emergência.
 A Defesa Civil só é chamada em casos
isolados - somente se for preciso, pois é o
órgão máximo num caso de atendimento
emergencial.
O Transporte Rodoviário de Produtos
Químicos Perigosos – O Acidente
 Normalmente, apenas são acionados o
Corpo de Bombeiros, o órgão ambiental e
a Polícia.
 Dependendo dos produtos envolvidos,
podem ser acionados outros órgãos: a
Vigilância Sanitária, Policia Ambiental,
Fiscalização Fazendária e, no caso de
explosivos, o Gate - Grupo de Ações
Táticas e Especiais da Polícia Militar,
entre outros.
 Acidentes que envolvam materiais
radioativos: equipes de atendimento
contam com o apoio da Comissão
Nacional de Energia Nuclear, além da
própria transportadora envolvida, o
expedidor da carga e o fabricante do
produto.
Impactos das atividades humanas
sobre os recursos hídricos
 De toda água existente no planeta 97% são salgadas e 2% formam
geleiras, restando apenas 1% de água doce, armazenada em lençóis
subterrâneos, rios e lagos, distribuídos desigualmente pela Terra.
 O Brasil detém 8% de toda reserva de água, 80% encontram-se na
região Amazônica, e 20% circunscritos ao abastecimento de áreas onde
se concentram 95% da população.
 Uso dos ambientes aquáticos: abastecimento de água, geração de
energia, irrigação, navegação, aqüicultura e harmonia paisagística.
 Contaminações originm-se principalmente do lançamento de águas
residuais domésticas e industriais em rios e lagos. Envolve, portanto,
processos de ordem física, química e biológica.
 A demanda de água aumenta rapidamente, com 70-80% exigidos para a
irrigação, menos de 20% para a indústria, e apenas 6% para consumo
doméstico.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Impactos das atividades humanas
sobre os recursos hídricos
 Agricultura migratória sem controle e práticas agrícolas deficientes,
como o uso abusivo de defensivos;
 A ausência ou insuficiência de medidas de proteção dos mananciais
- desmatamento das margens (mata ciliares);
 Alteração de canais de rios e margens de lagos por meio de diques,
canalização, drenagem e inundações
 Problemas de drenagem agravados pela inadequada deposição de
lixo;
 Assoreamento dos corpos d’água e conseqüente diminuição das
velocidades de escoamento das águas;
 Esgotos domésticos tratados de forma inadequada;
 Localização errônea de unidades industriais e controles inadequados
dos seus efluentes.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Efeitos da Degradação de Recursos
Hídricos sobre a Saúde Humana
 Os esgotos contêm misturas tóxicas, como pesticidas, metais pesados,
produtos industriais e uma variedade de outras substâncias.
 Atualmente, a cada 14 segundos, morre uma criança vítima de doenças
hídricas (UNESCO).
 Estima-se que 80% de todas as moléstias e mais de um terço dos óbitos
dos países em desenvolvimento sejam causados pelo consumo de água
contaminada.
 Em média, até um décimo do tempo produtivo de cada pessoa se perde
devido a doenças relacionadas à água.
 Dores de cabeça, náuseas, irritações na pele e pulmões, reduções das
funções neurológicas e hepáticas.
 Aumento de incidência de carcinomas gastrointestinais, de bexiga,
anomalias reprodutivas e malformações congênitas tem sido encontrado
em populações que vivem próximas a perigosos depósitos de despejo.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Agressões causadas por resíduos
sólidos (lixo) nos centros urbanos

 Lixo é uma palavra latina (lix) que significa cinza, vinculada às


cinzas dos fogões. Os restos das atividades humanas, considerados
pelos geradores como inúteis, indesejáveis, ou descartáveis.

 O consumo cotidiano de produtos industrializados é responsável


pela contínua produção de lixo. Geralmente esses resíduos são
destinados a céu aberto.

 Em média, o lixo doméstico no Brasil é composto por: 65% de


matéria orgânica; 25% de papel; 4% de metal; 3% de vidro e 3%
de plástico.

 Impactos ambientais negativos: contaminação de corpos d’água,


assoreamento, enchentes, proliferação de vetores transmissores de
doenças (cães, gatos, ratos, baratas, moscas, vermes, etc.),
poluição visual, mau cheiro e contaminação do ambiente.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Agressões causadas por resíduos
sólidos (lixo) nos centros urbanos
 Nas cidades brasileiras é perceptível um
padrão de construção de edifícios junto a
leitos de rios.
 Também é possível observar que o rio é
usado como local de disposição final de
lixo.
 Constituem fontes poluidoras os esgotos
domésticos, comerciais e industriais e a
destinação inadequada de resíduos sólidos
em fundos de vale, margens de rios e
monturos.
 Impactos causados pela deficiente infra-
estrutura urbana: obstrução de
escoamentos por construções irregulares,
obstrução de rios por resíduos, projetos e
obras de drenagem inadequadas.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Conseqüências da Mineração no Meio Ambiente
 Degradação da Paisagem (impacto
visual)
 Ruídos e Vibração (desmonte de
maciços rochosos e terrosos muito
compactados é feito através de
explosivos)

 Tráfego de Veículos (poeira, emissão


de ruídos, freqüente deterioração do
sistema viário da região).

 Poeira e Gases (resíduos de perfuração


da rocha e beneficiamento e transporte
da produção. Podem ser solúveis ou
particulares que ficam em suspensão
como lama e poeira. Os gases são pouco
significativos, restrita à emissão dos
motores das máquinas e veículos usados Mineração na região de Carajás (Pará)
na lavra e beneficiamento). Fotos: Renata Falzoni

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Conseqüências da Mineração no Meio Ambiente
Contaminação das Águas
 A maior parte das minerações no Brasil provoca
poluição por lama e por compostos químicos
solúveis.
 Poluição química por efluentes que se dissolvem
na água usada no tratamento do minério ou na
água que passa pela área de mineração.
 Minerações de ouro apresentam problemas
complexos de contaminação das águas por Vista de uma barragem de rejeito
usarem cianetos altamente tóxicos no tratamento
do minério.

Estéril de mineração. Efeitos da mineração nos recursos


hídricos
Rejeito de mineração

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Problemas ambientais que os
municípios enfrentam

 Poluição atmosférica: lançamento de compostos químicos no


ar poluem a atmosfera, com destaque para o monóxido de
carbono (CO), produzido pelos veículos que circulam nas
cidades e a atividade industrial.

 Poluição sonora: gerada principalmente por atividades


noturnas, industriais e comerciais, e pelos meios de transporte.
Causa incômodo e danos à saúde física e mental da população.

 Poluição da água: As águas de rios, ribeirões, riachos, lagos e


represas podem ser contaminadas por resíduos agrícolas
(natureza química ou orgânica), esgotos, resíduos industriais,
lixo ou por sedimentos da erosão.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro
Problemas ambientais que os
municípios enfrentam

 Poluição por derramamento acidental de produtos:


Provocada por acidentes no transporte de explosivos, gases,
líquidos inflamáveis, substâncias oxidantes, tóxicas, infectantes
e irritantes e corrosivas.
 Assoreamentos: Provocados por atividades que exigem
movimentação de terra (escavação e aterros), aumentando o
risco de inundações e ainda obstrução da drenagem urbana.
 Desmatamentos: Áreas verdes urbanas amortecem ruídos,
protegem contra ventilação ou insolação excessivas, alterando o
micro-clima local, abrigam a fauna, ajudam no controle da
erosão, protegem mananciais de água, e proporcionam
recreação e lazer.

Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho / Disciplina Proteção ao Meio Ambiente / Prof.: Roberto Fortuna Carneiro