Sunteți pe pagina 1din 4

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA

1. (VUNESP - 2014) Com relação aos princípios que norteiam o direito do


trabalho e considerando-se o entendimento doutrinário sobre a matéria, é correto
dizer que:

O princípio protetivo tem três desdobramentos: o princípio in dúbio pro


operário, o princípio da norma mais favorável e o princípio da hierarquia
da norma.
O princípio da norma mais favorável tem aplicabilidade em três momentos
distintos: na elaboração da regra, no confronto entre as regras concorrentes
e na interpretação das regras jurídicas.
O princípio da condição mais benéfica impõe a nulidade de qualquer
alteração contratual menos vantajosa, mesmo que decorrente de lei.
O princípio da indisponibilidade se traduz na inviabilidade de o empregado
poder despojar-se de direitos e proteções que lhe são garantidas pela lei ou
por contrato, por sua simples manifestação de vontade, não alcançando,
porém, a transação destes, pois esta, como ato bilateral, difere-se da
renúncia.
O princípio da continuidade dita a impossibilidade de o empregado
renunciar à estabilidade da qual é detentor na vigência do contrato de
trabalho.

2. No campo do direito do trabalho, os princípios são a base, a fundamentação, a


diretriz que deve ser seguida para a interpretação da norma trabalhista. São
princípios fundamentais e específicos do Direito do Trabalho:

Princípio da proteção, princípio da liberdade sindical e princípio de que


ninguém pode invocar a própria malícia.
Princípio da proteção, princípio de que os contratos devem ser cumpridos e
princípio da razoabilidade.
Princípio da aplicação da norma menos favorável e indubio pro-
empregador.
Princípio da proteção, princípio da primazia da realidade e princípio da
norma mais benéfica.
Princípio da condição mais favorável, princípio da identidade física do juiz
e princípio da liberdade sindical.

3. Equiparam-se a(o) ___________, para os efeitos exclusivos da relação de


emprego, os profissionais liberais, as instituições de beneficência, as associações
recreativas ou outras instituições sem fins lucrativos, que admitirem
trabalhadores como empregados. Complete a frase:

Autônomo
Empregador
Entidades do Terceiro Setor
Empresa pública
Empregado

4. Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os


riscos da atividade econômica admite, assalaria e dirige a prestação pessoal do
serviço. Também equiparam-se ao empregador, para efeitos exclusivos de
relação de empregado:

Os Dependentes Previdenciários.
Os Segurados facultativos.
Os profissionais liberais.
Os Prestações de Serviços eventuais facultativos.
Os Beneficiários facultativos.

5. O contrato de experiência é uma modalidade do contrato por prazo determinado.


Sua finalidade é verificar se o empregado tem aptidão para exercer a função para
a qual foi contratado. Esse tipo de contrato deverá ser de

180 dias e só poderá ter até duas prorrogações.


60 dias e só poderá ter até duas prorrogações
90 dias e só poderá ter uma única prorrogação
90 dias, tendo quantas prorrogações forem necessárias.
60 dias, tendo quantas prorrogações forem necessárias.

6. O Contrato de Trabalho regido pela CLT pode ser por prazo indeterminado, o
que é a regra, ou por prazo determinado, que só pode ser adotado em
determinadas situações ou hipóteses. O contrato por prazo determinado pode ser
usado em algumas hipóteses, exceto:

Trabalhador Autônomo
Nos Contratos de Experiência.
Para serviços cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação
do prazo.
Nas atividades empresariais de caráter transitório.
7. Analisando o instituto da equiparação salarial marque a opção correta:

Equiparação salarial só é possível se o empregado e o paradigma


exercerem a mesma função, desempenhando as mesmas tarefas, não
importando se os cargos têm, ou não, a mesma denominação.
Haverá equiparação salarial quando o empregador tiver pessoal organizado
em quadro de carreira.
O trabalhador readaptado em nova função por motivo de deficiência física
ou mental atestada pelo órgão competente da Previdência Social servirá de
paradigma para fins de equiparação salarial.
Trabalho de igual valor, para os fins deste Capítulo, será o que for feito
com igual produtividade e com a mesma perfeição técnica, entre pessoas
cuja diferença de tempo de serviço não for superior a 3 (três) anos.
Sendo idêntica a função, a todo trabalho de igual valor, prestado ao mesmo
empregador, em localidade diversa, corresponderá igual salário, com
distinção de sexo, nacionalidade ou idade.

8. Considerando que o salário é todo pagamento feito diretamente pelo empregador


ao empregado, como contraprestação do serviço feito ou da mão de obra
colocada à disposição. Tendo caráter alimentar, existindo assim, vários
princípios que dão proteção ao salário, sendo um deles que proibi o empregador
de coagir o empregado de só consumir bens (utilidades) e serviços nos armazéns
da empresa ou fornecidos por ela (empresa/empregador) a preços elevados
(Truck System), denominado como o princípio da:

Proteção contra abusos do empregador.


Proteção da primazia da realidade dos fatos.
Proteção contra credores do empregado.
Proteção da hierarquia.
Proteção da continuidade do emprego.

9. As férias coletivas passaram a ser um instrumento de gestão bastante importante


para as empresas em geral. São vários os segmentos de mercado empresarial que
apresentam sazonalidades específicas no decorrer do ano, seja por conta das
festas de final de ano, do verão, do inverno, da páscoa entre outros períodos que
interferem diretamente na produção e comercialização de determinados produtos
ou serviços e, consequentemente, na demanda ou escassez de mão de obra. As
férias coletivas

Podem ser repartidas em dois períodos sendo que um deles não pode ser
inferior a dez dias;
Devem ser decididas em conjunto, empresa e sindicato, sem o que não
terão valor legal;
Não podem sofrer o desconto das faltas ao serviço, no que é mais vantajoso
para o trabalhador;
Não podem abranger feriados nacionais e dias santos, como Natal, final de
ano e carnaval;
Não podem ser concedidas aos empregados com menos de um ano de casa.

10. Tratando-se de alteração no contrato de trabalho é correto afirmar:

Nos contratos coletivos de trabalho só é lícita a alteração das respectivas


condições por mútuo consentimento, e ainda assim desde que não resultem,
direta ou indiretamente, prejuízos ao empregado, sob pena de nulidade da
cláusula infringente desta garantia
Nos contratos individuais de trabalho o empregador poderá alterá-lo em
qualquer hipótese, ainda, que cause prejuízos para o empregador.
Nos contratos individuais de trabalho só é lícita a alteração das respectivas
condições por interesse exclusivo do autor, e ainda assim desde que
resultem, direta ou indiretamente, prejuízos ao empregado, sob pena de
nulidade da cláusula infringente desta garantia
Nos contratos individuais de trabalho nunca é possível alteração do contrato
de trabalho.
Nos contratos individuais de trabalho só é lícita à alteração das respectivas
condições por mútuo consentimento, e ainda assim desde que não resultem,
direta ou indiretamente, prejuízos ao empregado, sob pena de nulidade da
cláusula infringente desta garantia.