Sunteți pe pagina 1din 16

Rede Telefónica Pública Comutada

- Principais elementos -

• Equipamento terminal:
– o telefone na rede convencional
• Equipamento de transmissão:
– meio de transmissão: cabos de pares simétricos, cabo coaxial, fibra
óptica, feixes hertzianos; e repetidores
• Equipamento de comutação: comutador
– electromecânicos: passo a passo (Strowger) e barras cruzadas
(crossbar);
– Electrónico: relés de palheta (reeds);
– Digital;
• Equipamento de sinalização e gestão

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 1


Rede Telefónica Pública Comutada
- Estrutura geral: topologia -

• 1ª configuração: Rede com conexão total e com topologia em malha


Telefone
• Para n telefones, cada
telefone necessita de n-1
linhas, logo o nº total de
ligações é N = n(n-1)/2.
• Configuração prática para n
pequeno e comprimento das
linhas reduzido.
• Cada telefone tem que ter um
comutador
• Quando n cresce e o comprimento das linhas aumenta estrutura
impraticável (custo muito elevado).

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 2


Rede Telefónica Pública Comutada
- Estrutura geral: topologia (cont.) -

• 2ª configuração: Rede com conexão total e com topologia em estrela

Telefone
• O problema da rede em malha
pode ser resolvido:
– concentrando toda a
comutação numa central de
comutação telefónica;
– ligando cada assinante a essa
central por meio de uma linha
telefónica;
– Assim, o nº total de ligações
Central de Comutação passa a ser N = n.

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 3


Rede Telefónica Pública Comutada
- Número de centrais telefónicas -

• Quando a área coberta pela rede em Nº óptimo de centrais

estrela e o número de assinantes por ela


Custo Custo total
servidos cresce interessa dividir essa
rede em várias redes, cada uma servida
pela sua própria central. Custo da comutação

• Consequências:
– o comprimento da linha de assinante Custo da linha
decresce, diminuindo o seu custo;
– o custo associado à comutação cresce. Nº de centrais de comutação

• Conclusão: Existência de um número de centrais telefónicas óptimo que


minimiza o custo total.

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 4


Rede Telefónica Pública Comutada
- Estrutura geral: rede de junção -

• É necessário estabelecer ligações, ou junções, entre as diferentes


centrais locais de uma determinada área rede de junção.

• Se as junções são estabelecidas entre todas as centrais locais, tem-se


uma rede de junção com conexão total ou em malha.

• Uma rede de junção em malha pode ser pouco económica quando o


tráfego é reduzido e as distâncias são grandes. Nesta situação
– é preferível ligar as centrais locais entre si através de um centro de
comutação central de nível superior, designado por central tandem

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 5


Rede Telefónica Pública Comutada
- Estrutura geral: rede de junção (cont.) -

Centrais locais

Central tandem

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 6


Rede Telefónica Pública Comutada
- Rede de longa-distância ou de troncas -

• Os utilizadores da rede necessitam de comunicar com pessoas em


outras partes do país.

• As diferentes áreas estão ligadas entre si por circuitos de longa


distância, que constituem a rede de longa-distância ou rede de
troncas, cujo meio físico que assegura a ligação é a fibra óptica ou os
feixes hertzianos.

• É muitas vezes, pouco económico ter as centrais de longa distância


totalmente interligadas. Assim, para encaminhar o tráfego entre as
diferentes áreas surgem as centrais (ou centros) de trânsito.

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 7


Rede Telefónica Pública Comutada
- Rede de longa-distância ou de troncas (cont.) -

• Um centro de trânsito primário constitui a interface entre a rede de


junção e a rede de troncas: cada central local está ligada a um centro
primário, seja directamente, seja através de uma central de junção
tandem.

• Um centro primário constitui a primeira camada da rede de troncas,


sendo o número de camadas adicionais dependente da dimensão do
país.

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 8


Rede Telefónica Pública Comutada
- Estrutura geral: rede nacional -
Rede internacional

Rede de troncas ou
de longa-distância

Rede de
junção

Rede local
ou de acesso

• A topologia da rede telefónica nacional é em árvore não pura, porque à


medida que sobe no nível hierárquico, aumenta o nº de ligações
directas entre centrais do mesmo nível

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 9


Rede Telefónica Pública Comutada : Evolução

Telefone
Transmissão analógica
Rede
Rede Comutação Comutação
telefónica
telefónica analógica analógica
analógica
analógica

Transmissão analógica Transmissão digital Transmissão analógica


Rede
Rede
telefónica
telefónica
Comutação A/D A/D Comutação
analógica D/A D/A analógica
híbrida
híbrida

Transmissão analógica Transmissão digital Transmissão analógica


Rede
Rededigital
digital
integrada
integrada A/D Comutação Comutação A/D
(RDI) D/A digital digital D/A
(RDI)
Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 10
Rede Telefónica Pública Comutada: - RDI (cont.)

Transmissão digital
Transmissão analógica
• O passo seguinte da
evolução consiste em
Central proporcionar
analógica transmissão digital até
CT CL
ao assinante - Rede
Digital com
Integração de
CT RDI CT CL
Serviços (RDIS)

CL CL CL
CT Central de trânsito digital

CR CL Central local digital

CR Concentrador digital

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 11


Rede Digital com Integração de Serviços
Transmissão digital

Comutação Comutação
digital digital

• A característica fundamental é a digitalização da linha do assinante;


• A RDIS oferece: acesso básico e acesso primário
Acesso básico Acesso primário
2×64 kbit/s – canais B para comunicação 30×64 kbit/s – canais B para comunicação

1×16 kbit/s – canal D para sinalização 1×64 kbit/s – canal D para sinalização
Interface a 2 fios a 160 kbit/s Interface a 4 fios a 2 Mbit/s

• Como os débitos oferecidos são bastante modestos, a ITU-T avançou com


o conceito de RDIS de Banda Larga
Implica um novo modo de transferência da informação designado por ATM
(Asynchronous Transfer Mode)

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 12


Rede de dados pública
Comutação por pacotes
• A informação é dividida em pacotes (datagramas),
WAN
que no cabeçalho incluem o endereço do
destinatário
• Os pacotes pertencentes a uma determinada MAN
mensagem podem seguir percursos diferentes até
ao seu destino, sendo agregados no destinatário de
modo a formar a mensagem transmitida LAN
• Não existe um percurso pré-estabelecido entre
a fonte e o destinatário

Comutação por circuitos virtuais


• O primeiro pacote enviado para a rede é responsável por estabelecer um caminho
através da rede (circuito virtual) e todos os pacotes correspondentes à mensagem
seguem por esse caminho
!! ""
## $$ ## %% $$
&& '"
'"

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 13


Redes híbridas fibra-coaxial

OOservidor
servidorsituado
situadonanacabeça
cabeçadederede
rede
distribui
distribuipara
paraososutilizadores
utilizadoresos
osdiferentes
diferentes
sinais de televisão usando multiplexagem
sinais de televisão usando multiplexagem
por
pordivisão
divisãona nafrequência
frequência(FDM)
(FDM)

Para
Paraserviços
serviçosinteractivos
interactivoséénecessário
necessário
usar
usaramplificadores
amplificadoresbidireccionais
bidireccionaiseeum
um
protocolo de acesso múltiplo para evitar
protocolo de acesso múltiplo para evitar
colisões
colisõesentre
entreos
ossinais
sinaisde
deretorno
retornoenviados
enviados
pelos
pelosdiferentes
diferentesutilizadores
utilizadores

As redes de distribuição por cabo CATV (CAble TV) usam uma infra-estrutura de
fibra óptica, seguida de uma rede de cabo coaxial até às instalações do utilizador

Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 14


Redes híbridas fibra-coaxial (2)

Espectro de radio-frequência

Os
Oscanais
canaisde
detelevisão
televisãofazem
fazemuso
usoda
dachamada
chamadabanda
bandadirecta
directaentre
entreos
os111
111eeos
os750
750MHz
MHz

AAparte
partesuperior
superiorda
dabanda
bandaééreservada
reservadapara
paraos
oscanais
canaisdigitais
digitaisou
oucomo
comocanal
canal
descendente
descendentenos
nosserviços
serviçosinteractivos
interactivos

AAvia
viade
deretorno
retornofunciona
funcionacomo
comocanal
canalascendente
ascendentenos
nosserviços
serviçosinteractivos
interactivos
A existência de uma via de retorno com uma gama limitada (60 MHz)
constitui uma das principais limitações das redes híbridas
Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 15
Redes do século XXI

Os objectivos vão ser banda larga e convergência


••AAbanda
bandalarga
largairá
iráexigir
exigiraaaproximação
aproximaçãoda
dafibra
fibraóptica
ópticaao
aoutilizador
utilizador
••AAconvergência
convergênciairá
iráreduzir
reduziroonúmero
númerode
detecnologias
tecnologiasde
derede
redeusadas
usadas
tanto
tantona
nacamada
camadade
deserviço
serviçocomo
comona
nacamada
camadade
detransporte
transporte
Tecnologia IP/MPLS – convergência das redes PSTN (Public Switch
Telephone Network), DPCN (Data Public Communication Network), ATM e IP
Tecnologia OTN – convergência das redes PDH (Plesiochronous Digital
Hierarchy), SDH (Synchronous Digital Hierarchy) e WDM (Wavelength Division
Multiplexing) Sistemas de Telecomunicações Guiados - ISCTE - Acetatos 2 16