Sunteți pe pagina 1din 13

Instalação Arch (BIOS e UEFI)

Instalação feita para os dois modos de BIOS e UEFI , as partes específicas para
cada modo serão comentadas nos tópicos.

-CONFIGURANDO O TECLADO:
# loadkeys br-abnt2 //para subir essas configurações de teclado

// É necessário subir esse comando é usado mais a frente quando for logar em root.

-CONFIGURAÇÕES DA INTERNET:
# ifconfig -a //verifica as configurações de internet

Para conexão cabeada

# systemctl start dhcpcd // Habilita o dhcpcd para Conexão cabeada.

# ping -c3 google.com ou # ping www.google.com.br //testando conexão

Para wifi

# wifi-menu // Para conexão wifi. Irá aparecer a lista de redes disponíveis, basta escolher uma e
conectar. Para fazer o teste de conexão é o mesmo usado acima.

# ping -c3 google.com ou # ping www.google.com.br

VERIFICANDO SE O MODO UEFI ESTÁ ATIVO

# efivar -l

-PARTICIONAMENTO DO DISCO :

# fdisk -l ou # lsblk
//vai listar os dispositivos e verificar qual HD será usado para a instalação do sistema

# gdisk /dev/sda //disk para GPT, caso seu particionamento for MBR e já estiver com outro sistema
instalado para um dualboot, perderá o sistema na troca de formato de partições, para que isso não
ocorra poderá usar o fdisk que não será tratado nesse tutorial e os procedimento podem ser um
pouco diferentes. Lembrando que você tem que usar o comando referente ao seu dispositivo...
poderia ser "sda1","sdb" ou "sbc"..

# h //com "h" você lista os comandos para o particionamento do disco

// h (lista todos os comandos, n (cria partição), w (escreve e salva), d (exclui partição).

# n //para criar uma partição.


CRIANDO PARTIÇÃO BOOT

Partition number (coloca numeração default nas partições): Enter para aceitar ou digite os
números das partições conforme desejar.
First sector: Enter para pular.
Last sector (adiciona um tamanho para a partição): +1G - com esse comando estou definindo
1GB para a partição boot.
Hex code: selecione o tipo da partição. Para cada partição teremos um Hex Code. Digite o code:
EF00 (código EF00 para sistemas de partição EFI, se fosse BIOS-based o código seria EF02).

# n //para uma nova partição

CRIANDO PARTIÇÃO SWAP

Aqui está a tabela de referência a preferência para tamanhos de partição Linux


swap da Redhat:

Quantidade de RAM no espaço do sistema de swap Recomendado. Recomendado espaço


de troca se permitindo hibernação.
--------- ---------- ---------
2 GB de RAM ou menos 2 vezes a 3 vezes a quantidade de RAM
2GB a 8GB de RAM igual à quantidade de RAM a 2 vezes a quantidade de RAM
8GB a 64GB de RAM, 0,5 a 1,5 vezes a quantidade de RAM
64GB de RAM ou mais de 4 GB de espaço de troca Sem espaço extra necessário

Partition number :: Enter para aceitar.


First sector :: Enter para pular.
Last sector: +16G :: com esse comando, estou definindo 16 GB para a partição SWAP.
Hex code :: selecione o tipo da partição. Digite o code: 8200

# n //para uma nova partição

CRIANDO PARTIÇÃO ROOT (/)

Partition number :: Enter para aceitar.


First sector :: Enter para pular.
Last sector: +15G :: com esse comando, estou definindo 15 GB para partição root.
Hex code :: selecione o tipo da partição. Digite o code: 8300

# n // nova partição

CRIANDO PARTIÇÃO HOME (/home)

Partition number :: Enter para aceitar.


First sector :: Enter para pular.
Last sector: +50G :: com esse comando, estou definindo 50 GB para partição root.
Hex code :: selecione o tipo da partição. Digite o code: 8302
OPCIONAL : CRIANDO PARTIÇÃO VAR (/Var) (10 Gigas são mais que suficiente)

Partition number :: Enter para aceitar.


First sector :: Enter para pular.
Last sector: +10G :: com esse comando, estou definindo 10 GB para partição var.
Hex code :: selecione o tipo da partição. Digite o code: 8300

# p // para printar as partições criadas

# w // para salvar

# y // para confirmar

# fdisk -l // para ver como ficou os particionamentos

Ficamos assim:

/dev/sda1 = partição boot


/dev/sda2 = partição SWAP
/dev/sda3 = partição root
/dev/sda4 = partição home
/dev/sda5 = partição var

-FORMATAÇÃO / MONTAGEM

FORMATANDO PARTIÇÕES

Formatando boot:

# mkfs.fat -F32 /dev/sda1


//Nota do ArchWiki sobre : Se você receber a mensagem de aviso : os clusters não é suficiente para
um 32 bit FAT !, reduzir o tamanho do cluster com mkfs.fat -s2 -F32 ... ou -s1 ; caso contrário, a
partição pode ser ilegível pelo UEFI .

Formatando SWAP :

# mkswap /dev/sda2
# swapon /dev/sda2

Formatando root e home:

# mkfs.ext4 /dev/sda3
# mkfs.ext4 /dev/sda4 //formatando partições em ext4
# mkfs.ext4 /dev/sda5

MONTANDO PARTIÇÕES

Montando partição root em /mnt:

# mount /dev/sda3 /mnt

Criando diretório var, home e boot:

# mkdir /mnt/var
# mkdir /mnt/home
# mkdir /mnt/boot

Montando partição home e boot:

# mount /dev/sda1 /mnt/boot


# mount /dev/sda4 /mnt/home
# mount /dev/sda5 /mnt/var

-Configurando O nosso mirrorlist repositório Arch

-Antes de iniciar o processo de instalação vamos selecionar o espelho mais


próximo para que você obtenha a melhor velocidade durante o download de pacotes.

# cp /etc/pacman.d/mirrorlist /etc/pacman.d/mirrorlist.backup

-Agora, em vez de atravessar a lista com nano e tentando rolar para baixo um
milhão de espelhos, vamos fazer algo diferente. Execute a seguinte linha sed
para remover o comentário cada espelho:

# sed -i 's/^#Server/Server/' /etc/pacman.d/mirrorlist.backup

-Este comando irá executar uma verificação para os 6 melhores espelhos que você
tem a melhor ligação e deixá-los descomentada ao comentar o resto:

# rankmirrors -n 6 /etc/pacman.d/mirrorlist.backup > /etc/pacman.d/mirrorlist

isso pode demorar de 5 até 20 minutos.

-INSTALANDO SISTEMA BASE

//Instalando o sistema dentro de mnt, esse procedimento pode demorar um pouco dependendo da
conexão com a internet.

# pacstrap /mnt base base-devel


Depois de concluído, gerar o fstab (arquivo de gerenciamento):

# genfstab -U -p /mnt >> /mnt/etc/fstab

// Para ver como ficou digitar:

# cat /mnt/etc/fstab

verificar para ver se há uma entrada no fstab para troca uma vez que estamos
aqui. se houver, deve ser algo como:

/dev/sda2 none swap defaults 0 0


ou
UUID=longo-random-id-louco none swap defaults 0 0

Com isso a base do sistema está instalado, falta configurar..

-CONFIGURANDO SISTEMA.

# arch-chroot /mnt //Logando como root dentro de mnt para a devida configuração.

TECLADO

//Se quiser listar todos os modelos de teclado:


# ls /usr/share/kbd/keymanps/x86_64 (ou i386 para 32bits)/querty

# loadkeys br-abnt2 //configurando teclado para br-abnt2.

LINGUAGEM

//abrir arquivo locale.gen com o nano

# nano /etc/locale.gen //após entrar, descomentar pt_BR.UTF-8 UTF-8 e pt_BR ISO-8859-1

Salve com Ctrl-O e Ctrl-x para sair.

Definindo idioma padrão.


# locale-gen
# echo LANG=pt_BR.UTF-8 > /etc/locale.conf
# export LANG=pt_BR.UTF-8

TEMPO
Configurando zona de tempo

//Pesquisando seu local


# cd /usr/share/zoneinfo/America
# ls

//Definindo local.
# ln -s /usr/share/zoneinfo/America/Seu_local /etc/localtime

//Relógio do hardware
# hwclock --systohc --utc

NOME DO COMPUTADOR

# echo gustavo-pc > /etc/hostname

COLOCANDO SENHA

# passwd //Digite a senha desejada e depois confirme.

HABILITANDO O MULTILIB:
//Permitindo repositórios da comunidade Arch AUR e o multilib.
Se você estiver executando um sistema de 64 bits, então você precisa habilitar o
repositório multilib. Abra o arquivo pacman.conf usando nano:

# nano /etc/pacman.conf

Desça até onde está o multilib e remova os # de:

#[multilib]
#Include = /etc/pacman.d/mirrorlist

e ao final do arquivo adicionar 3 linhas :

[archlinuxfr]
SigLevel = Never
Server = http://repo.archlinux.fr/$arch

Agora saia com Ctrl+x, Sim e Enter, e atualize o sistema:

# pacman -Syu

CRIAR USUÁRIO

# useradd -m -g users -G adm,lp,wheel,storage,power,audio,video -s /bin/bash gustavo //criando


usuário
# passwd gustavo //criar senha para Usuário.

CONFIGURAR SUDOERS
Agora temos que editar o arquivo sudoers para dar a este usuário os poderes sudo
muito necessários. Não abrir este arquivo com um editor regular; ele deve ser
editado com o comando visudo.

# EDITOR=nano visudo
desça até encontrar %wheel ALL=(ALL) ALL ou ctrl+w para pesquisar e digite %wheel
descomentar %wheel ALL=(ALL) ALL
na linha de baixo escrever : Defaults rootpw

Ficando assim:
%wheel ALL=(ALL) ALL
Defaults rootpw

Assim vamos fazer sudoers exigem digitando a senha de root.

Ctrl+o para salvar e Ctrl+x para fechar.

BASH-COMPLETION
Por último, vamos instalar o bash-completion que torna mais fácil com auto-
complete de comandos e nomes de pacotes.

# pacman -S bash-completion

-Instalando O bootloader

Agora, para realmente fazer a nossa instalação de inicialização sem um drive


USB.

BIOS

Instalando o GRUB, baixe com:

# pacman -S grub

E instale:

# grub-install ––target=i386-pc ––recheck /dev/sda # sem números, apenas


"/dev/sda".

Caso esteja em dualboot ou queira instalar mais sistemas, instalar o os-prober:

# pacman -S os-prober

Finalize com :

# grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg
UEFI

Primeiro, precisamos verificar novamente para ver se nossas variáveis EFI já


foram montadas ou não.

# mount -t efivarfs efivarfs /sys/firmware/efi/efivars

Se isso diz já montado simplesmente ignorar e continuar a seguir este guia.

Como estamos fazendo uma instalação UEFI de archlinux vamos usar Gummiboot como
o nosso gerenciador de boot, que agora foi incorporado bootctl / systemd-boot.

# bootctl install

Em seguida, precisamos PARTUUID da partição /root, a fim de adicioná-lo à nossa


configuração do bootloader.

Para fazer isso, digitando:

# blkid -s PARTUUID -o value /dev/sda3

Escreva o ID de baixo que aparece, você vai ter que digitá-lo na próxima parte.

Agora você precisará criar manualmente um arquivo de configuração para adicionar


uma entrada para o Arch Linux com o gerente gummiboot:

# nano /boot/loader/entries/arch.conf

Vai abrir um arquivo vazio, digite o seguinte, certifique-se sdaX é sua partição
root (o meu é sda3):

title Arch Linux


linux /vmlinuz-linux
initrd /initramfs-linux.img
options root=PARTUUID=códigoID-quevoce-copiou rw

Ctrl+o para salvar e Ctrl+x para fechar.

Caso esteja em dualboot ou queira instalar mais sistemas, instalar o os-prober:

# pacman -S os-prober

PROCESSADOR INTEL

fabricantes de processadores lançaM atualizações de estabilidade e segurança


para o microcódigo do processador. Enquanto microcódigo pode ser atualizado
através do BIOS, o kernel do Linux também é capaz de aplicar essas atualizações
durante a inicialização. Essas atualizações forneceM correções de bugs que podem
ser cruciais para a estabilidade do seu sistema. Sem essas atualizações, você
podem experimentar falhas ou paradas inesperadas do sistema que podem ser
difíceis de encontrar.

Os usuários de CPUs pertencentes às famílias de processadores Intel Haswell e


Broadwell em particular, devem instalar essas atualizações de microcódigo para
garantir a estabilidade do sistema. Mas todos os usuários da Intel deve instalar
as atualizações como uma questão de disciplina.

Para processadores AMD as atualizações de microcódigo estão disponíveis em


linux-firmware, que é instalado como parte do sistema de base. Nenhuma ação
adicional é necessária para os usuários da AMD.

# pacman -S intel-ucode

UEFI

para UEFI teremos que atualizar nosso gummiboot adicionando outra linha initrd para intel-ucode
da seguinte forma:
title Arch Linux
linux /vmlinuz-linux
initrd /intel-ucode.img
initrd /initramfs-linux.img
options root=PARTUUID=códigoID-quevoce-copiou rw

REPOSITÓRIO AUR

# pacman -Sy yaourt

DRIVERS GRÁFICOS:
Eu suponho que você sabe qual GPU você está usando. Arch wiki tem feito um
grande trabalho para documentar quais drivers você precisa instalar para o seu
hardware.
Eu tenho uma GeForce 635M:

# pacman -S bumblebee mesa-libgl mesa xf86-video-intel nvidia lib32-virtualgl lib32-nvidia-utils


lib32-mesa-libgl libva-vdpau-driver

# gpasswd -a gustavo bumblebee

# systemctl enable bumblebeed.service


# systemctl enable nvidia-persistenced.service

ou

# pacman -S mesa xf86-video-vesa [para VM]

PACOTE DIALOG E WIRELESS_TOOLS PARA WIFI

# pacman -S wireless_tools wpa_supplicant dialog


# pacman -S reflector rsync mlocate
# pacman -S virtualbox-guest-utils [só para VM, claro.]

Agora você deve ser capaz de reiniciar em seu sistema sem pendrive!
Digite os seguintes comandos e, em seguida, remova o pendrive:

# exit
# umount -R /mnt
# reboot
PRIMEIRO BOOT

HABILITANDO INTERNET

Agora que já reinicializado, vamos começar pela nossa internet para permanecer nela e instalar uma
interface
primeiro vamos ver o que os adaptadores de rede estavam trabalhando com via

# ip link

o meu foi listado como


enp3s0
assim, para habilitá-lo através systemctl

# systemctl enable dhcpcd@enp3s0.service

ou

# wifi -menu

INSTALANDO X SERVER DISPLAY MANAGER

# pacman -S xorg-server xorg-server-utils xorg-xinit xorg-twm xorg-xclock xterm

MONITOR DE BATERIA DE NOTEBOOK

# pacman -S acpi acpid


# systemctl enable acpid.service

SOM :

# pacman -S alsa-lib alsa-utils alsa-tools alsa-oss

GERENCIADORES TOUCHPAD , MOUSE E TECLADO:

# pacman -S xf86-input-synaptics xf86-input-mouse xf86-input-keyboard

AMBIENTES GRÁFICOS
O arch Linux se da bem com qualquer ambiente gráfico que você queira usar, vou deixar aqui
algumas sugestões:

MATE:

# pacman -S mate mate-panel mate-extra yelp mate-themes-extra network-manager-applet


Escolha o gerenciador de login (gdm, lxdm, kdm..)

# pacman -S lightdm lightdm-gtk-greeter && systemctl enable lightdm.service

Xfce 4:

# pacman -S xfce4 xfce4-goodies

Escolha o gerenciador de login (gdm, lxdm, kdm..)

# pacman -S lightdm lightdm-gtk-greeter && systemctl enable lightdm.service

Gnome 3:

$ sudo pacman -S gnome gnome-extra


$ sudo pacman -S gdm
$ sudo systemctl enable gdm.service
$ sudo pacman -S gnome-tweak-tool
$ yaourt -S gnome-software

KDE:

# pacman -S plasma
# pacman -S dolphin ark kwrite konsole kdegraphics-okular spectacle gwenview skanlite vlc
# systemctl enable NetworkManager
# systemctl enable sddm

WIFI-AUTO :
Para o wifi inicializar com o sistema (procedimento para quem não quer utilizar o NetworkManager
citado abaixo).

# cd /etc/netctl (para entrar no diretório)

# ls (para ver o conteúdo do diretório)

No conteúdo haverá um arquivo de perfil como “wlp3s0-NomeWifi”, esse arquivo é gerado quando
você se conecta a uma rede pelo # wifi-menu

Para habilitar o wifi se conecte automaticamente com sua rede ao iniciar o sistema, usar:

# netctl enable wlp3s0-NomeWifi

Para desabilitar :

# netctl disable wlp3s0-NomeWifi


INSTALE O NETWORKMANAGER: (Ambiente Gnome e KDE já instalam por padrão).

dhcpcd e networkmanager não podem estar habilitados juntos

# pacman -S networkmanager
# pacman -S network-manager-applet wireless-regdb gnome-keyring dhclient crda (Pacotes que
foram necessários para funcionar corretamente no Xfce)

Depois de instalar:
# systemctl disable dhcpcd
# systemctl enable NetworkManager.service
# systemctl start NetworkManager.service

Após isso, reinicie:

# Reboot

Para Gnome e KDE apenas faça :


# systemctl enable NetworkManager.service
# systemctl start NetworkManager.service

Com isso já aparecerá o ícone do wi-fi para se conectar.

TECLADO:
caso ache mais prático configurar o teclado pelo terminal do que pela interface gráfica :

# nano /etc/X11/xorg.conf.d/01-keyboard-layout.conf (comando para criar o arquivo)

iremos escrever nesse arquivo:

Section “InputClass”
Identifier “Keyboard Defaults”
MatchIsKeyboard “yes”
Option “XkbLayout” “br”
EndSection

Ctrl+O para salva e Ctrl+x para fechar.

(OPCIONAIS)
PACOTES BÁSICOS:

# pacman -S firefox firefox-i18n-pt-br flashplayer unrar unzip p7zip gparted flashplugin ntfs-3g
gimp

EXTRAS
# pacman -S chromium vlc libreoffice-fresh-pt-BR
# yaourt -S pamac
Fonts : # pacman -S artwiz-fonts dina-font terminus-font ttf-bitstream-vera ttf-dejavu ttf-freefont
ttf-inconsolata ttf-liberation ttf-linux-libertine ttf-mph-2b-damase xorg-fonts-type1
Impressora HP
Antes de começar o processo precisamos dar acesso ao nosso usuário:
# gpasswd -a seu-usuario lp
# gpasswd -a seu-usuario scanner

Pronto, agora o usuário está habilitado a utilizar tanto a impressora quanto o Scanner. Feito isso
precisaremos instalar o cups e os drivers para que o Arch possa reconhecer a sua HP:

# pacman -S cups hplip simple-scan python-pillow net-snmp sane system-config-printer


# systemctl enable org.cups.cupsd.service
# systemctl daemon-reload
# systemctl start org.cups.cupsd.service

O cups é o gerenciador de impressões, hplip são os driver da HP, simple-scan é a inteface gráfica
para scannear (pode ser substituído por xsane) ele não é totalmente necessário, já que a imagem do
scanner pode ser obtida através de linhas de comando:

$ hp-scan

Porém caso opte em não instalar o simple-scan o sane deve ser instalado em seu lugar. O python-
pillow é uma dependência necessária para que o sane consiga trabalhar.

Agora que todos os programas necessários foram instalados nós precisamos editar um arquivo
(utilizei o gedit, mas você pode utilizar outro editor de texto que preferir):

# gedit /etc/sane.d/dll.conf

Neste arquivo você encontrará hpaio com um “#”, basta remover o “#” e salvar o arquivo. Caso não
possua a linha #hpaio, basta acrescentar “hpaio” (sem aspas) numa linha sozinha e salvar o arquivo.

Para usuários da Bumblebee

Para rodar o bumblebee usar optirun %command% ou primusrun %command% nas opções de
inicialização do programa ou pelo terminal.

Nota : O optirun funciona já quando o bumblebee é instalado. Para o funcionamento do primurun,


foi necessário instalar as bibliotecas: primus lib32-primus optiprime.

para desligar a sincronização vertical usar vblank_mode=0 primusrun %command%

fonte para o tutorial : http://gloriouseggroll.tv/arch-linux-efi-install-guide/


http://https://wiki.archlinux.org/
https://www.vivaolinux.com.br/

Feito por: Gustavo Bezerra


Telegram : @gustbs