Sunteți pe pagina 1din 91

RECURSOS HÍDRICOS E

QUALIDADE DAS ÁGUAS

Profa. Patrícia Mesquita


DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA
O CICLO HIDROLÓGICO
USOS DA ÁGUA PELO HOMEM
QUALIDADE DAS ÁGUAS

- Solvente Universal IMPUREZAS


=>
- Capacidade de transportar partículas QUALIDADE

A qualidade da água é resultante de:


- fenômenos naturais
- interferência do homem => AÇÃO ANTROPOGÊNICA
QUALIDADE DAS ÁGUAS

- Uso e a ocupação do solo na bacia hidrográfica


definem a qualidade natural ou existente da água.

- Em contrapartida, a qualidade desejável para uma


determinada água é função do seu uso previsto.

- Estudo da qualidade da água é fundamental para:


- caracterizar as consequências de uma atividade
poluidora
- estabelecer os meios para que se satisfaça
determinado uso da água
QUALIDADE DAS ÁGUAS
BRASILEIRAS

Fonte: ANA - Agência Nacional de Águas (2009)


USOS DA ÁGUA
Abastecimento humano
• doméstico
• comercial
público

Abastecimento industrial
• matéria prima
• processo industrial
• afastamento de resíduos
DISTRIBUIÇÃO DO CONSUMO DE
ÁGUA NO BRASIL
USOS DOMÉSTICOS DA ÁGUA
NO BRASIL
USOS DE ÁGUA NA INDÚSTRIA
BRASILEIRA

Fonte: ANA, 2002


USOS DE ÁGUA NA INDÚSTRIA
USO E QUALIDADE
ESTIMATIVA DE CONSUMO
INDUSTRIAL
Para abastecimento industrial, o consumo é normalmente
estimado pelo produto do consumo específico, geralmente
expresso em m3/ton ou m3/m3 de produto, pela
quantidade produzida na unidade de tempo, geralmente
expressa em ton/mês e ton/d ou m3/mês e m3/d.

Ex (para ser feito em casa): Estime o consumo mensal de


água para a produção de um produto de seu interesse
(gasolina, vinho, papel e celulose, leite...).
Dica: consulte os dados de produção no site da empresa e
os dados de consumo específico nas tabelas do site da
ANA ou em bibliografia indicada.
POLUIÇÃO DAS ÁGUAS
A Lei 6.938, de 31/08/1981 (Política Nacional de Meio Ambiente)
dá a seguinte conceituação.
Poluição: a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades
que direta ou indiretamente:
a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem estar da população;
b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;
c) afetem desfavoravelmente a biota;
d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente;
e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais
estabelecidos;
Outra conceituação, menos formal, de poluição das águas é: a
adição de substâncias ou de formas de energia que, direta ou
indiretamente, alterem a natureza do corpo d`água de uma
maneira tal que prejudique os legítimos usos que deles são
feitos.
Formas em que os poluentes atingem um corpo d`água

 Poluição Pontual
Os poluentes atingem o corpo d`água de forma concentrada no
espaço.

 Poluição Difusa
Os poluentes adentram o corpo d`água distribuídos ao longo
de parte de sua extensão.
Principais parâmetros de qualidade das águas residuárias

Alguns conceitos

 Águas residuárias – todo tipo de água servida.


Ex: água servida de origem doméstica ou industrial

 Esgoto – todo tipo de água servida drenada para uma


canalização de esgotamento.
Ex: esgoto doméstico, esgoto sanitário, esgoto industrial, esgoto
pluvial

 Esgoto sanitário – é constituído de águas servidas:


doméstica, águas de infiltração, parcela de águas servidas de
origem industrial e contribuição pluvial parasitária.
DISPOSIÇÃO DE EFLUENTES
QUALIDADE DE RECURSOS
HÍDRICOS
DEPLEÇÃO DE OXIGÊNIO
ORGÂNICOS REFRATÁRIOS
(SURFACTANTES, FENÓIS,
PESTICIDAS)
EUTROFIZAÇÃO, CIANOTOXINAS
METAIS PESADOS
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
SÓLIDOS

ODOR
TURBIDEZ

CARACT.
FÍSICAS DE
ÁGUAS
RESIDUÁRIAS

COR TEMPERATURA
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• SÓLIDOS
Importância (Engenharia)
– Materiais suspensos são sítios de adsorção
para agentes químicos e biológicos.
– Oferecem proteção aos microrganismos no
processo de desinfecção com cloro.
– Comprometimento de tubulações e
equipamentos.
– Monitoramento do desempenho de vários
processos (controle).
– Medição da qualidade do afluente e do
efluente.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• SÓLIDOS
– Classificação por:
• Características químicas
• Distribuição de tamanho
– Pelas características físicas: SUSPENSOS (SS),
COLOIDAIS ou DISSOLVIDOS (SD)
– Pelas características químicas: ORGÂNICOS ou
INORGÂNICOS (VOLÁTEIS ou FIXOS)
– Pela sedimentabilidade: sólidos suspensos
SEDIMENTÁVEIS ou sólidos suspensos NÃO
SEDIMENTÁVEIS.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• SÓLIDOS
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• TURBIDEZ

– Medida da interferência à passagem de luz (grau


de atenuação que um feixe de luz sofre ao atravessar a água).
Esta atenuação ocorre pela absorção e espalhamento da luz
causada pelos sólidos em suspensão (areia, argila, algas,
detritos, agente emulsificantes, etc.)
– Particularmente importante quando o tratamento de efluente se
dá por radiação UV (a luz UV precisa penetrar no efluente para
matar efetivamente microrganismos patogênicos e a turbidez
reduz a eficácia de irradiação.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS

• TURBIDEZ

– Principais fontes: erosão dos solos, assoreamento, atividades


de mineração, lançamento de esgotos e de efluentes
industriais
– Consequências importantes: maior demanda de produtos
químicos (ex: coagulantes) utilizados nas estações de
tratamento de águas, aumentando os custos de tratamento.
Afeta a preservação dos organismos aquáticos, o uso industrial
e as atividades de recreação.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• COR
– Sólidos dissolvidos responsáveis pela
coloração.
– Não representa risco direto à saúde, mas
consumidores podem questionar a sua
confiabilidade, e buscar águas de maior risco.
– A cloração da água contendo a matéria
orgânica dissolvida responsável pela cor pode
gerar produtos potencialmente cancerígenos
– Origem industrial: pode ou não apresentar
toxicidade
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• ODOR
– Sólidos em suspensão, sólidos dissolvidos, gases
dissolvidos que promovem uma sensação olfativa.
– Origem: matéria orgânica em decomposição,
microrganismos (ex: algas), gases dissolvidos (ex:
gás sulfídrico H2S), despejos domésticos, despejos
industriais. (OBS: sensibilidade do olfato humano ao H2S)
– Não representa risco à saúde, mas consumidores
podem questionar a sua confiabilidade, e buscar
águas de maior risco. Representa a maior causa
de reclamações dos consumidores.
– Valores especialmente elevados podem indicar a
presença de substâncias potencialmente perigosas
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• TEMPERATURA

– Medição do estado de energia

– Águas de torres de resfriamento,


despejos industriais,
transferência de calor por radiação,
condução e convecção
(atmosfera e solo)
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE
ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• TEMPERATURA

– Importância:
• Elevações da temperatura aumentam a taxa das
reações físicas, químicas e biológicas
• Elevações da temperatura diminuem a
solubilidade dos gases
• Elevações da temperatura aumentam a taxa de
transferência de gases (o que pode gerar mau
cheiro, no caso da liberação de gases com
odores desagradáveis)
• Interferência direta na eficiência de plantas de
tratamento (especialmente tratamento biológico)
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
ORGÂNICOS E
NUTRIENTES

CLORETOS
ALCALINIDADE

CARACT.
QUÍMICAS
DE
ÁGUAS
RESIDUÁR
IAS
METAIS pH

ACIDEZ
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• ORGÂNICOS

– “Em águas residuárias de média carga, cerca


de 75% dos sólidos suspensos e 40% dos
sólidos filtráveis possuem natureza orgânica”.
(Metcalf & Eddy).
– Proteínas
– Lipídeos (óleos e graxas)
– Carboidratos
– Detergentes
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS

• ORGÂNICOS
Proteínas:
• contêm C,H,O,S,P,N.
• maior fonte (juntamente à
uréia) de N em águas
residuárias =>
decomposição do N por
microrganismos
• maior parte do material
biosólido
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• ORGÂNICOS
– Lipídios (gorduras, óleos e graxas, ceras, etc)
• São uma coleção heterogênea de substâncias
bioquímicas, em geral, solúveis em solventes
orgânicos (éter, etanol, acetona), porém pouco
solúveis em água.
• Gorduras são compostos estáveis e não se
decompõem facilmente.
• Elevada quantidade de graxas pode reduzir
severamente a eficiência de filtros, válvulas e
leitos de areia. A graxa se adere às paredes dos
tanques de sedimentação, onde se decompõe e
se adiciona à escuma. Quando descartada com o
efluente, afeta os processos biológicos das águas
superficiais e a estética
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• ORGÂNICOS
– Carboidratos (amido,celulose, açúcares, fibras de
madeira, etc)
• Alguns são solúveis, outros insolúveis
• Organismos inferiores (ex. Bactérias) usam
carboidratos para sintetizar gorduras e
proteínas, bem como para obter energia. Sem
o oxigênio, os produtos finais da composição
de carboidratos são ácidos orgânicos,
álcoois e gases que incluem CO2 e HS.
• Grandes quantidades de ácidos orgânicos
comprometem a capacidade tampão do
efluente, abaixando o pH e comprometendo a
atividade biológica.
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS

• ORGÂNICOS
– Detergentes (surfactantes)
• São levemente solúveis em água
• Provocam espumas
• Podem reduzir a “captura” de oxigênio em
processos biológicos
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• METAIS
– Cd, Cu, Zn, Hg, etc...
– Geralmente tóxicos
– Fonte de problemas
para processos de
tratamento (tratamento
biológico)
– Bioacumulação
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• pH
– Potencial hidrogeniônico. Representa a
concentração de íons hidrogênio H+ (em escala
antilogarítmica), dando uma indicação sobre a
condição de acidez, neutralidade ou
alcalinidade da água.
– A faixa de pH é de 0 a 14.
– Origem antropogênica:
• despejos domésticos:
oxidação da matéria orgânica
• despejos industriais
(ex: lavagem ácida de tanques)
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• pH
– Importância:
• Afeta reações químicas e biológicas
• pH baixo: potencial de corrosividade e
agressividade nas tubulações e
equipamentos
• pH elevado: possibilidade de
incrustações
• valores de pH afastados da neutralidade:
podem afetar a vida aquática (ex: peixes)
e os microrganismos responsáveis pelo
tratamento biológico dos efluentes
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• CLORETOS

– Constituinte inorgânico predominante em águas


residuárias.
– Em determinadas concentrações imprime um
sabor salgado à água => caracterização de
águas de efluentes tratados usados para
irrigação
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• NUTRIENTES

– Mais importantes: N e P
– Outros: C, S, Ca, Fe, K, Mn, Co, B =>
essenciais para o crescimento e reprodução de
plantas e animais (inclusive para
microrganismos do tratamento biológico)
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• NUTRIENTES

– Nitrogênio (N):
• ocorre de várias formas (N2, nitritos, nitratos,
nitrogênio amoniacal).
• Participa de várias reações bioquímicas.
• Principais fontes: águas residuárias municipais,
fertilizantes, algumas espécies de bactérias e
algas que capta N2 atmosférico.
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• NUTRIENTES
– Fósforo (P):
• Em excesso =>
multiplicação
de algas e
eutrofização
• Principais
fontes: águas
residuárias
municipais,
detergentes
(fosfatos),
fertilizantes
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
BACTÉRIAS

VÍRUS
PROTOZOÁRIOS

CARACT.
BIOLÓGIC
AS DE
ÁGUAS
RESIDUÁR
IAS
HELMINTOS ALGAS
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• BACTÉRIAS
– Fundamentais para o processo de tratamento
biológico de efluentes (degradação de matéria
orgânica, especialmente)
– Necessidade de controle:
• crescimento excessivo de algumas espécies (por
exemplo, organismos filamentosos) pode reduzir
a eficiência do tratamento.
• Patógenos podem transmitir doenças (se
descartados em cursos d'água que serão
recaptados, por exemplo)
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• BACTÉRIAS (Sphaerotilus natans)
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• VIRUS

– Limitação de métodos de identificação de vírus,


por serem imprevisíveis em morfologia e
comportamento.
– Extremamente pequenos (17 nm a 300 nm):
não são facilmente barrados por filtração
padrão.
– Para viverem e reproduzirem, necessitam de
um hospedeiro.
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• ALGAS
– Papel importante em lagoas de estabilização:
• Em lagoas aeróbias e facultativas => fornecimento
de O2 (fotossíntese) para decomposição microbiana
de matéria orgânica.
– Crescimento difícil de controlar (diferentemente dos
aeradores)
– Crescimento exagerado de algas => aumenta a
concentração de sólidos suspensos no efluente
– À noite ou em dias escuros => pode ocorrer depleção
de O2.
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• PROTOZOÁRIOS
– Essencial para tratamento biológico por lodos
ativados.
– Majoritariamente removidos por sedimentação
após o tratamento por lodos ativados.
– Os cistos formados em condições ambientais
adversas dificultam a desativação por
desinfecção.
– Filtração é o meio mais efetivo para sua
remoção.
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
HELMINTOS (vermes)
– Demanda aeróbia
– Habitam lama e lodo orgânicos.
– Indicadores frequentes de contaminação por
esgoto e poluição.
– Alguns são capazes de metabolizar matéria
orgânica sólida que outros microrganismos não
conseguem degradar.
– Alimentam-se de depósitos de lodo => ajudam
a minimizar os orgânicos no efluente.
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• ORGANISMOS INDICADORES
– A maioria dos patógenos crescem e multiplicam
rapidamente no corpo humano e não
sobrevivem muito tempo na natureza.
– Teste para uma única espécie para determinar
a segurança biológica da água e do efluente =>
indicador: coliformes => alerta para a possível
presença de contaminação por esgoto e para a
possibilidade de presença de microrganismos
patogênicos.
CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS
DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
• COLIFORMES TERMOTOLERANTES

– Os coliformes termotolerantes ocorrem no trato


intestinal de animais de sangue quente e são
indicadores de poluição por esgotos
domésticos.
– Elas não são patogênicas, mas sua presença
em grande número indica a possibilidade da
existência de microrganismos patogênicos que
são responsáveis pela transmissão de doenças
de veiculação hídrica (ex: desinteria bacilar,
febre tifóide, cólera)
PARÂMETROS: DBO
• DBO
– Processos biológicos de tratamento utilizam a
decomposição microbiana da matéria orgânica =>
Consumo de oxigênio dissolvido (OD) pelos
microrganismos => DBO: Demanda Bioquímica de
Oxigênio
– DBO: oxidação bioquímica
da matéria orgânica
(realizada inteiramente
por microrganismos)
(Von Sperling, 2005)
PARÂMETROS: DBO

• DBO

– Testes que determinam


quanto de OD
decompositores aeróbios
usam para degradar a
matéria orgânica do
efluente, a 20oC, num
período de incubação de 5
dias (DBO5,20).
PARÂMETROS: DQO

• DQO
– DQO: Demanda Química
de Oxigênio
– DQO: consumo de oxigênio
pela oxidação química da
matéria orgânica por meio
de um forte oxidante
(dicromato de potássio:
K2Cr2O7) em solução ácida
(APHA,1992)
PARÂMETROS: DQO

• DQO
– Vantagens do teste da DQO:
• pouco tempo para realização (2-3 h);
• metodologia analítica mais simples;
• indicação do oxigênio requerido para estabilizar a matéria
orgânica.
– Limitações:
• oxidação tanto da fração biodegradável quanto da fração
inerte da matéria orgânica (superestimativa do oxigênio a ser
consumido no tratamento biológico);
• carência de informações sobre o consumo da matéria
orgânica com o tempo;
• constituintes inorgânicos reduzidos podem ser oxidados e
interferir no resultado.
Tipos de Tratamento de Efluentes
Hídricos Industriais

Fonte: Freire, R.S et al. (2000)


Parte das informações contidas nos slides desta
apresentação são provenientes de:

– Material didático do Programa de Pós


Graduação em Engenharia Ambiental da UFOP
(de autoria dos Professores Sérgio Aquino e
Jorge Adílio);
– Agência Nacional de Águas (ANA)