Sunteți pe pagina 1din 2

Faculdade FATESP

Curso: Bacharelado em Enfermagem


Disciplina: FISIOLOGIA HUMANA
Profa.: Keyla Christianne
Nome: ______________________________________

Homeostase: equilíbrio interno

O corpo humano é composto de vários sistemas e órgãos, cada um deles, consistindo de milhões de
células. Estas células necessitam de condições relativamente estáveis para funcionar efetivamente e
contribuir para a sobrevivência do corpo como um todo. A manutenção de condições estáveis para
suas células é uma função essencial do corpo humano, a qual os fisiologistas chamam de homeostase.

A homeostase (homeo = igual; stasis = ficar parado) é uma condição na qual o meio interno do
corpo permanece dentro de certos limites fisiológicos. O meio interno refere-se ao fluido entre as
células, chamado de líquido intersticial (intercelular), sistema linfático.

Um organismo é dito em homeostase quando seu meio interno contém:


 A concentração apropriada de substâncias químicas,
 Mantém a temperatura e a
 Pressão adequadas.

Quando a homeostase é perturbada, pode resultar a doença. Se os fluidos corporais não


forem trazidos de volta à homeostase, pode ocorrer a morte.
Nas grandes altitudes (Andes, Alpes, Pireneus, Himalaia), o oxigênio do ar atmosférico está mais
rarefeito. A atividade respiratória dessas pessoas nesses lugares torna-se insuficiente dentro do ritmo
normal. Para compensar essa dificuldade, o organismo lança mão de um meio homeostático: intensificação
do ritmo respiratório e depois, lentamente, maior produção de hemácias, que são logo lançadas na
circulação sanguínea. Com uma taxa de hemácias maior, o indivíduo consegue reter eficientemente nos
pulmões, o pouco O² que o ar lhe oferece.

Estresse e Homeostase

A homeostase pode ser perturbada pelo estresse, que é qualquer estímulo que cria um
desequilíbrio no meio interno.

 O estresse pode originar-se no meio externo na forma de estímulos tais como o calor, o frio ou
falta de oxigênio.
 Ou o estresse pode originar-se dentro do corpo na forma de estímulos como pressão sanguínea
alta, tumores ou pensamentos desagradáveis.
 A maioria dos estresses é leve e rotineira.
 O estresse extremo pode ser causado por envenenamento, superexposição a temperaturas
extremas e intervenções cirúrgicas.

Felizmente, o corpo apresenta muitos mecanismos de regulação (homeostática) que podem


trazer o meio interno de volta ao equilíbrio. Cada estrutura corporal, do nível celular ao sistêmico,
tenta manter o meio interno dentro dos limites fisiológicos normais. Os
mecanismos homeostáticos do corpo estão sob o controle dos sistemas nervoso e endócrino.
 O sistema nervoso regula a homeostase pela detecção dos desequilíbrios do corpo, e pelo
envio de mensagens (impulsos nervosos) aos órgãos apropriados para combater o estresse.
 O sistema endócrino é um grupo de glândulas que secretam mensageiros químicos, chamados
de hormônios, na corrente sanguínea.
Enquanto os impulsos nervosos coordenam a homeostase rapidamente, os
hormônios atuam de forma mais lenta.

Homeostase: O Poder de Curar


A habilidade do corpo em manter a homeostase dá-lhe um tremendo poder de cura e uma
notável resistência ao abuso. Mas, para a maioria das pessoas, boa saúde durante a vida não acontece por
acaso. Dois fatores importantes para este equilíbrio denominado saúde são o meio ambiente e o próprio
comportamento do indivíduo. Sua homeostase é afetada pelo ar que você respira, pela comida que você
come e também pelos seus pensamentos.
A maneira que você vive pode ajudar ou interferir com a habilidade de seu corpo em manter
a homeostase e recuperar-se dos inevitáveis estresses que a vida coloca em seu caminho.
Consideremos o estresse imposto por um simples resfriado. Você está favorecendo seus processos
naturais de cura quando você se cuida.
Bastante repouso e ingestão de líquidos permitem que o sistema imunológico realize seu trabalho.
O resfriado faz seu curso e você logo estará de pé novamente. Se, em vez de se cuidar, você continuar
fumando dois maços de cigarro ao dia, não se alimentar adequadamente e passar diversas noites acordado
estudando para um exame de anatomia e fisiologia, você interferirá com a habilidade do sistema
imunológico em rejeitar microrganismos invasores e trazer o corpo de volta à homeostase e à boa
saúde. Outras infecções tomarão vantagem de seu estado enfraquecido, e logo o resfriado terá se
transformado em uma bronquite ou pneumonia.
A homeostase ocorre em todo o organismo. Seguem alguns exemplos:

a) No sistema circulatório: aqui podemos observá-la desde seu início, ainda nos processos de
contração e relaxamento alternados do coração, onde o sangue é enviado a todo o corpo,
chegando até aos capilares, onde, por fim, ocorrem as trocas. Nessa etapa, os nutrientes e oxigênio
são transferidos ao líquido intersticial, e, por meio deste, são transferidos os resíduos celulares
para o sangue. Então, as células, absorvem esses nutrientes e oxigênio e depositam seus resíduos
nesse líquido.

b) Na manutenção do nível de glicose no sangue: é por este equilíbrio que o cérebro e todo o corpo
são mantidos. Pois quando a glicose está abaixo do nível, isso pode causar danos, como
inconsciência ou até mesmo a morte. Já o contrário – muita glicose no sangue – pode prejudicar
os vasos sanguíneos e provocar grande perda de água pela urina.

Curiosidades

Um corpo em homeostase tem uma grande capacidade de se regenerar. Pois um organismo em


equilíbrio garante boa saúde. Dois fatores, entre vários outros, que interferem nesse equilíbrio são:
comportamento e ambiente. A genética também, porém, pode ser influenciada pelos fatores já citados.

Levar um estilo de vida que contribua com a saúde, evitando uso de substâncias nocivas ao
organismo (ex.: álcool, cigarro, drogas), cultivando bons hábitos alimentares, atividade física e até a sua
forma de enxergar a vida, pode contribuir muito para uma ótima saúde e bem-estar.