Sunteți pe pagina 1din 8

A Essência Do Discipulado Devemos dizer "sim" a Cristo e "não" ao eu.

Isto significa
"Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a pôr Jesus acima do eu. É mais do que dizer "não" a
si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e alguma coisa ou atividade pecaminosa. É dizer "não" à
siga-me" (Lucas 9:23). minha própria vontade. O cristão precisa desistir do seu
C. G. ‘’Colly’’ Caldwell ego, gratificação e aspiração. Paulo disse, "Rogo-vos,
Tudo o que tem valor tem seus desafios e pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus que
responsabilidades. Jesus apresentou este grande desafio apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo,
a qualquer homem que deseja (thelei, deseja) vir após santo e agradável a Deus, que é o vosso culto
(erchesthai opis, tempo presente do infinitivo, seguir racional. E não vos conformeis com este século,
continuamente, ou buscá-lo). Seguir após Jesus requer o mas transformai-vos pela renovação da vossa
desejo de seguir. Não somos coagidos. Os discípulos de mente, para que experimenteis qual seja a boa,
Cristo são voluntários. agradável e perfeita vontade de Deus" (Romanos
Ir após Jesus envolve um compromisso a afastar-se de 12:1-2).
toda ligação psicológica com o mundo e um Tomar a Cruz
reconhecimento das implicações, padrões e condições Segundo, o discípulo de Cristo precisa tomar sua cruz.
para submeter-se a Cristo e ser contado entre aqueles Jesus literalmente tomou sua cruz e carregou-a ao
que estão em plena relação com ele (veja também Lucas Gólgota. Isso foi o que ele fez por nós. Isso foi seu
14:27). Aqui, Jesus articula três conceitos básicos propósito ao vir aqui. Que faremos por ele? Nosso
envolvidos em vir após ele. Ninguém será aceito se propósito pela vida será concentrado nele? Desejamos
recusar estas estipulações. sacrificarmo-nos por ele? Desejamos aceitar uma vida
Negar-se a si mesmo cheia de cruzes, centrada em Cristo e crucificados com
Primeiro, o discípulo de Cristo precisa negar-se a si ele (Romanos 6:6)? Se for assim, não serei eu mais quem
mesmo. O seguidor de Cristo adota uma nova vive, "mas Cristo é que vive em mim, e a vida que
identidade. Ele põe-se totalmente à disposição de Jesus. eu agora vivo na carne, vivo por fé no filho de
Ele abandona e rejeita o eu como o objeto da vida e da Deus que me amou e deu a si mesmo por
ação. Ele não continua mais com os modos de pensar mim" (Gálatas 2:20; veja também 5:24; 6:14)?
que elevam modelos egoístas e hipócritas de Tomamos figurativamente nossas cruzes quando nos
comportamento. Ele denuncia a confiança em si como a comprometemos a sacrificar tudo pelo nosso Senhor e
fonte da proteção e do cuidado providencial. "... não fazer disso nosso propósito para toda a vida. A discussão
cabe ao homem determinar o seu caminho, nem aqui não é sobre o sofrimento comum do homem. É
ao que caminha o dirigir os seus sobre o compromisso e sacrifício por Cristo e sua causa.
passos"(Jeremias 10:23; veja Provérbios 14:12). Com Observe, novamente, a responsabilidade contínua.
Paulo, poderíamos dizer, "Sim, deveras considero Temos que fazer isto diariamente. Isto não é sacrifício
tudo como perda, por causa da sublimidade do momentâneo.
conhecimento de Cristo Jesus meu Senhor ... Seguir a Cristo
para ganhar a Cristo e ser achado nele, não E terceiro, Jesus disse, segue-me. Aqui ele não estava
tendo justiça própria" (Filipenses 3:8-11). chamando literalmente pessoas para viajar pelas
A negação de si mesmo é repudiar, afastar-se da sua poeirentas estradas da Galiléia com ele. Alguns fariam
própria independência em favor de submissão a outro.
isso, mas nem de todos isso foi exigido. O sentido é que Você é um Verdadeiro Discípulo de
todos deveriam imitá-lo, obedecê-lo e servi-lo. Jesus?
Novamente, o verbo implica em busca contínua. Pedro Dennis Allan
disse que Jesus nos deixou como exemplo que A palavra "discípulo" aparece centenas de vezes no Novo
deveríamos "seguir seus passos" (1 Pedro 2:21). Sua Testamento, onde é usada para descrever os seguidores
autoridade está implícita no mandamento. Ele é o guia, o de Jesus com muito mais frequência do que "cristão" ou
rei. A concordância com este encargo está "crente". Um discípulo é uma "pessoa que segue os
necessariamente de acordo com os dois anteriores. ensinamentos de um mestre" (Dicionário da Bíblia
Seguir a Cristo implica desistir do eu e iniciar o rumo Almeida). Visto que o mestre dos cristãos é o próprio
próprio, um rumo de sacrifício, para a vida toda. Jesus, o verdadeiro discípulo aprende e segue a vontade
Estamos dispostos a isso? Desafie-se com o grande do Filho de Deus. Mas, será que todos que se dizem
desafio que Jesus pôs diante de nós todos. cristãos são verdadeiros discípulos do Senhor? Ao invés
de olhar para outros e criticar hipócritas, vamos
examinar as nossas próprias atitudes e ações para ver se
nós realmente somos discípulos de Jesus.
Como Jesus Define o Discípulo
Três dos relatos do evangelho incluem as palavras
desafiadoras do Cristo: "Se alguém quer vir após
mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua
cruz e siga-me" (Lucas 9:23; veja Mateus 16:24;
Marcos 8:34). Encontramos aqui três elementos
essenciais do verdadeiro discipulado, que apresentam
desafios enormes: Negar a si mesmo. Enquanto o
mundo e muitas religiões começam com o egoísmo do
homem, Jesus exige a autonegação. As igrejas dos
homens convidam as pessoas a realizar seus sonhos de
riqueza, felicidade sentimental e posições de honra, mas
a mensagem do Senhor é outra. Ele pede que a pessoa
negue os seus próprios desejos para fazer a vontade
dele. Tomar a sua própria cruz. Jesus veio para
oferecer a vida, mas o caminho para a vida passa pelo
vale da morte. Não somente a morte do Cristo, mas a
nossa também. Paulo disse: "Estou crucificado com
Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas
Cristo vive em mim" (Gálatas 2:19-20). Seguir a
Jesus. Várias religiões e filosofias exigem sacrifício e
autonegação. Algumas ensinam "preceitos e doutrinas
dos homens" e "rigor ascético" que proíbem coisas que
Jesus não proíbe (Colossenses 2:20-23). O benefício não
vem de autonegação em si, ou simplesmente de tomar No primeiro século, os apóstolos guiavam as igrejas por
qualquer cruz. Jesus Cristo é o único caminho que leva à instrução inspirada e pelo exemplo de imitação de Jesus
vida eterna (Atos 4:12). (1 Coríntios 11:1). Eles iniciaram a prática de escolher
Neste estudo, vamos considerar algumas aplicações presbíteros (também chamados "bispos" e "pastores"-
práticas destes princípios. veja Atos 20:17,28; 1 Pedro 5:1-3; Efésios 4:11) em cada
Seguir a Jesus, Não aos Homens: Lealdade igreja (Atos 14:23; Tito 1:5). Poucos homens
A relação de discípulo e mestre tem sido explorada por demonstram as qualificações exigidas por Deus para
homens em muitos movimentos religiosos. O raciocínio exercer a função de presbítero ou pastor (veja 1 Timóteo
é relativamente simples. Tirando alguns versículos do 3:1-7; Tito 1:5-9). Estes homens têm a responsabilidade
contexto e torcendo um pouquinho o sentido de outros, é de cuidar e presidir ou liderar a igreja (1 Timóteo 3:5;
fácil ensinar aos adeptos a necessidade de submissão 5:17). São os guias que velam pelas almas das ovelhas
quase absoluta aos homens. Considere esta (Hebreus 13:17). Ignora as limitações na liderança
abordagem: "O discípulo não está acima do seu dos pastores. Mesmo nas igrejas que têm bispos
mestre.... Basta ao discípulo ser como o seu qualificados, estes são limitados na maneira de guiar ou
mestre...." (Mateus 10:24-25). Alguns homens na liderar a igreja. Não têm autoridade absoluta, arbitrária
igreja são chamados "mestres" (Atos 13:1; Efésios 4:11; ou despótica. Eles não ditam regras; pelo contrário,
Hebreus 5:12; Tiago 3:1). João teve discípulos (João mostram um exemplo de como seguir as regras do
1:35). Devemos obedecer aos nossos guias (ou líderes, Supremo Pastor (1 Pedro 5:1-4). Confunde o papel de
NVI) e ser submissos a eles (Hebreus 13:17). Utilizando evangelistas. Evangelistas são homens que pregam a
tais versículos, torna-se fácil obrigar os mais novos na fé boa nova (o evangelho). A autoridade deles é limitada ao
a seguir quase que cegamente a liderança de homens trabalho de ensinar, corrigir e exortar pela palavra. As
supostamente espirituais. Vários movimentos religiosos cartas de Paulo aos evangelistas Timóteo e Tito
se baseiam em sistemas de discipulado nos quais cada apresentam um modelo de homens que vivem vidas
"discípulo" é guiado por um "mestre" ou "discipulador", exemplares e pregam fielmente a palavra pura de Jesus
numa pirâmide ou hierarquia de autoridade humana. (1 Timóteo 4:12-16; 2 Timóteo 4:1-5). Nada sugere uma
Há vários problemas com este tipo de posição de superioridade sobre os irmãos.
discipulado: Investe autoridade excessiva em Homens que querem "melhorar" o plano de Deus e
homens. A palavra traduzida "mestre" quer dizer, na dominar sobre outros procurarão apoio nas Escrituras,
maioria das vezes, "professor". A ênfase está no pervertendo o sentido da palavra do Senhor. Todos os
ensinamento da palavra, não na autoridade de uma cristãos devem lembrar que temos um só Mestre, e que
pessoa sobre outras. Quando se trata de uma relação que todos nós somos irmãos (Mateus 23:8).
envolve autoridade, as palavras de Jesus são claras e Assumir Compromisso com Jesus: Conversão
estabelecem a regra que precisamos aplicar hoje: "Vós, Ser discípulo de Jesus exige um compromisso sério com
porém, não sereis chamados mestres [rabis, ele. Em Mateus 28:18-20, Jesus destaca dois aspectos
NVI], porque um só é vosso Mestre, e vós todos deste compromisso: Batismo para entrar em
sois irmãos"(Mateus 23:8). Esquece as comunhão com Deus (veja também Atos 22:16;
qualificações dadas por Deus para os Gálatas 3:27; Romanos 6:3-7). Obediência absoluta
líderes. Num sentido limitado, Deus deu aos ensinamentos de Jesus. Muitas pessoas se dizem
responsabilidade de liderança a alguns homens na igreja. seguidores de Jesus sem dar os primeiros passos de
obediência à palavra dele. Para sermos discípulos autoridade para mudar a lei, fazendo o que não fora
verdadeiros, temos de apresentar os nossos corpos como autorizado anteriormente (Hebreus 7:11-14). Mas o
sacrifícios a ele, sendo transformados e renovados pela discípulo humilde jamais ousaria mudar a lei ou
palavra do Senhor (Romanos 12:1-2). ultrapassar o ensinamento de Jesus (2 João 9).
Imitar o Caráter do Cristo: Proceder Buscar a Unidade que Jesus Pede: Cooperação
Uma vez que reconhecemos Jesus como o nosso Mestre, Jesus quer a unidade dos seus discípulos (João 17:20-
devemos aprender das palavras e do exemplo dele. Um 23). Esta cooperação não vem por estruturas e regras
dos propósitos da vinda dele à terra é apresentado em 1 humanas, e sim por amor a Deus. Homens podem forçar
Pedro 2:21-22- "...Cristo sofreu em vosso lugar, uma conformidade superficial por regras e sistemas de
deixando-vos exemplo para seguirdes os seus organização e controle. Deus trabalha de outra forma.
passos, o qual não cometeu pecado...." Ele confia na sua própria palavra para criar a unidade
Como discípulos do perfeito Mestre, devemos nos que ele quer (1 Coríntios 1:10). Se cada discípulo
esforçar para desenvolver o caráter dele, tornando- continua se aproximando do Senhor, naturalmente
nos "coparticipantes da natureza divina" (2 estará se unindo cada vez mais aos outros discípulos
Pedro 1:4). Assim procuraremos pensar como Jesus verdadeiros. Cristãos se reunindo em congregações
pensa, e agir como ele agiria. Que desafio! locais edificam e encorajam um ao outro (Efésios 4:16;
Respeitar a Autoridade do Mestre: Obediência Hebreus 10:23-25). Divisão vem quando pessoas seguem
O entendimento da relação do discípulo com o Mestre diversas revelações (Isaías 19:2-3), ou seguem líderes
naturalmente criará em nós um respeito profundo pela humanos e não o próprio Senhor (1 Coríntios 1:11-13).
vontade do Senhor. Enquanto outros defendem muitas Cristo morreu por nós. Somos batizados em Cristo. Ele é
práticas erradas, dizendo que Deus não as proibiu, o o nosso Mestre e o foco das nossas vidas!
discípulo fiel examina com mais cuidado e percebe que a Produzir Fruto: Perseverança e Crescimento
Bíblia não é um livro de proibição e, sim, de permissão. O discípulo de Jesus produz fruto (João 15:8). Pelo fato
Ao invés de tentar justificar a sua própria vontade, o que aceita a palavra de bom e reto coração, e desenvolve
seguidor de Jesus se limita às coisas que Deus permite, a sua fé com perseverança, ele se torna frutífero (Lucas
as coisas autorizadas nas Escrituras. Ele percebe, pelo 8:15). O discípulo produz fruto pelas boas obras que faz
estudo da palavra, que não devemos ultrapassar o que (Tito 3:14; Efésios 2:10). Produzimos fruto quando
Deus revelou, pois tal abordagem aumenta a arrogância obedecemos ao nosso Senhor (Lucas 6:46), progredindo
ao invés de demonstrar a humildade de servos do Senhor com perseverança (Hebreus 12:1).
(1 Coríntios 4:6). Pessoas egoístas seguirão a sua própria Sejamos Discípulos de Jesus!
sabedoria e dirão que têm liberdade para tratar a Bíblia Reconhecendo o amor de Jesus para conosco, livremo-
como uma mensagem "dinâmica" que se adapta à nos dos sistemas de domínio inventados por homens que
circunstância atual (Provérbios 14:12; Jeremias 10:23; 1 querem liderar seus próprios discípulos. Porém, esta
Samuel 13:12). Mas as pessoas espirituais mostrarão liberdade não nos deixa sem responsabilidade de servir.
respeito maior para com Deus, sabendo que ele é O verdadeiro discípulo de Jesus fará sempre a vontade
perfeito e perfeitamente capaz de revelar sua vontade do Bom Mestre!
aos homens "uma vez para sempre" (Judas 3) para
os habilitar "para toda boa obra" (2 Timóteo 3:16-
17). O servo fiel entende que o Mestre Jesus recebeu +++
O homem que está crucificado tem os olhos
voltados para uma só direção... Ele não pode Quem pode ser um discípulo?
olhar para trás. O homem crucificado está Gary Fisher
olhando apenas uma direção, que é a direção de Seguir a Jesus é um desafio difícil e exigente. Só uns
Deus, de Cristo e do Espírito Santo.... O homem poucos querem fazer o esforço para serem
na cruz não tem mais planos para si ... Mas verdadeiramente discípulos de Cristo.
alguém fez planos para eles, e quando eles o Os homens frequentemente amenizam as exigências
do discipulado. Num esforço desorientado para
pregaram naquela cruz, todos os seus planos
atrair mais seguidores ou para acalmar suas
desapareceram. Quando você se dispõe a morrer próprias consciências, pregadores e mestres
na cruz, você diz adeus - você não vai voltar! – frequentemente fazem com que o discipulado pareça
A. W. Tozer relativamente indolor. Não é. Jesus mesmo sempre
advertiu francamente os futuros seguidores do custo
do discipulado. Ele nunca tentou fazer discípulos
enganando-os quanto ao que deles se esperava. Em
Lucas 14:25-35, Jesus fala aos supostos seguidores.
Ele fala não só das exigências especiais para os
seguidores mas também encoraja-os a avaliar o
custo antes que se comprometam. Ele sugere que
seria loucura começar a construção de uma torre só
para ter de desistir no meio, por falta de dinheiro. E
talvez seria ainda mais louco declarar guerra e ter de
pedir a paz antes da batalha, por estar com menos
soldados. Assim, também, Jesus está dizendo: um
homem tem que avaliar o custo antes de se tornar
um discípulo de Jesus. As exigências que Jesus faz
são: 1. Amar a Deus acima da família ou de si
mesmo; 2. Carregar a sua própria cruz; 3. Seguir a
Jesus; 4. Deixar todas as próprias posses. Em
poucas palavras, Jesus quer homens que o seguirão
a todo custo. Nenhuma pessoa, nenhuma posse,
nenhuma consideração de conveniência pessoal,
conforto ou vida devem interferir no serviço de
alguém a Jesus. É duro seguir a Jesus, mas vale a
pena. Você é, realmente, seu discípulo?
bíblico conforme o nosso esforço. Se o nosso estudo for
Verdade para o discípulo verdadeiro – indisciplinado e de qualquer jeito, então o nosso
conhecimento será desigual e espasmódico. A busca
W. Frank Walton
consistente do discípulo pela verdade é força para levar a
“Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido
vida da maneira certa.
nele: Se vós permanecerdes na minha palavra,
Verdade
sois verdadeiramente meus discípulos; e
A verdade é a “manifestação radiante da realidade”.
conhecereis a verdade, e a verdade vos
Jesus nos enfrenta com a realidade completa de Deus e
libertará” (João 8:31-32).
do homem. A verdade sobre o pecado e sobre a salvação
Jesus, cuja onisciência penetrante poderia ler os
é encontrada no livro único de Deus, a Bíblia. "A tua
corações dos homens, sabia que muitos daqueles judeus
palavra é a verdade" (João 17:17). Esta verdade
que estavam presentes tinham apenas uma profissão
impressionante enfrentará a nós todos no dia do
rasa de fé. Ele está atrás de algo mais profundo, para
julgamento (João 12:48). O “amor da verdade” é
tornar-nos seus discípulos verdadeiros. No nosso texto,
essencial para ser salvo (2 Tessalonicenses 2:10).
Jesus lida com três dos conceitos mais profundos
O “pleno conhecimento da verdade" plantado no
conhecidos ao homem: conhecimento, verdade e
coração humano e obedecido na fé nos levará ao trono de
liberdade.
Deus, onde há felicidade para todo o sempre (1 Timóteo
Conhecimento
2:4).
Jesus disse que podemos saber algumas coisas. Alguns
Liberdade
agem como se a única coisa que soubessem com certeza
Jesus alega que ele,e somente ele, pode nos libertar dos
fosse que não sabem nada com certeza. Não temos que
nossos pecados: “se, pois, o Filho vos libertar,
passar pela vida numa neblina agnóstica. Como criaturas
verdadeiramente sereis livres” (João 8:36).
racionais, com vontade própria, feitas na imagem de
Quantas almas angustiadas lutam com a culpa, com
Deus, temos a capacidade humana única de buscar o
racionalizações cheias de desculpas próprias e com o
autoconhecimento e uma consciência interna. Somos
desespero? Dizem “Não posso evitar...? É assim que eu
mantidas pela doação do nosso Criador com uma mente
sou...acho que nunca vou mudar”? Não, esta não é a fala
que pode pensar, raciocinar e escolher entre o certo e o
apropriada de um verdadeiro discípulo de Jesus.
errado. É melhor saber poucas coisas que são certas do
Podemos segui-lo todos os dias e nos tornar melhores de
que muitas coisas que não são. Em Jesus “todos os
todas as maneiras. Com Jesus, o Grande Libertador da
tesouros da sabedoria e do conhecimento estão
Humanidade, não somos seres humanos completos, mas
ocultos” (Colossenses 2:3).
estamos nos tornando completos.
Jesus apela às nossas mentes, não meramente às nossas
“O discípulo não está acima do seu mestre; todo
emoções, para conhecer a verdade divina. A nossa mente
aquele, porém, que for bem instruído será como
é um campo fértil. Podemos cultivar nas nossas mentes o
o seu mestre” (Lucas 6:40). O objetivo da verdade é
conhecimento e o amor de Deus (o Pai e o Filho), e sua
continuamente tornar-nos discípulos verdadeiros
verdade salvadora (Marcos 12:30; João 14:15; 2 Pedro
(aprendizes para toda a vida) de Jesus cada dia em
3:18, 1 Timóteo 2:4). O foco e a cultivação de tal
pensamento, palavra e ação.
conhecimento melhorará as nossas mentes e formará o
nosso destino. Tiraremos proveito do nosso estudo
Procuram-se: Discípulos Verdadeiros Não adequados ao reino de Deus. Estas são palavras
Allen Dvorak sóbrias, mas nos informam claramente que Jesus não
"Seguir-te-ei para onde quer que fores." Essas está apenas procurando quem quer que decida, numa
foram as palavras de alguém que veio a Jesus e garantiu veneta, ser batizado. Ele não está procurando os
ser seu discípulo (Lucas 9:57). Antes de aceitar sua talentosos, os influentes ou os ricos. Ele está buscando
oferta, Jesus informou-o de que o custo do discipulado indivíduos absolutamente comprometidos a servi-lo.
seria alto. Ele observou que as raposas e as aves têm Somos nós adequados para sermos discípulos de Jesus?
lares, mas o Filho do Homem não tinha nem lugar para
repousar sua cabeça! Aqueles que queriam ser discípulos
de Jesus partilhariam suas privações (Lucas 9:58).
Nem todos têm o adequado empenho para serem
discípulos de Jesus, para pagar o alto preço do
discipulado. Na mesma ocasião, Jesus desafiou outro a
segui-lo. O homem pediu permissão para enterrar seu
pai, mais provavelmente um pedido para protelar a saída
de sua família. A resposta de Jesus, "Deixa aos
mortos o sepultar os seus próprios
mortos" (Lucas 9:59-60), pode parecer insensibilidade,
mas seu ponto era que o discipulado precisa ocupar o
primeiro lugar em nossos corações. Jesus não estava
proibindo o cuidado legítimo com a família (veja Efésios
5:22-25; 6:1-4), mas salientando que nenhuma outra
responsabilidade pode impedir o discipulado.
Ainda um outro garantiu ser um discípulo, mas desejava
permissão para dizer adeus a sua família, primeiro.
Conquanto não fosse um desejo de protelar do mesmo
modo, sua atitude evidentemente era muito semelhante
à do homem que pediu permissão para sepultar seu pai.
Jesus respondeu à sua atitude antes que ao seu pedido
real. "Ninguém que, tendo posto a mão ao arado,
olha para trás é apto para o reino de
Deus" (Lucas 9:61-62). Uma vez que temos começado a
servir Jesus, para segui-lo a onde ele nos leva, não há
retorno. Precisamos voltar nossas costas ao mundo e
fixar nossos olhos em Jesus (veja Hebreus 12:1-2). Os
hesitantes, os descomprometidos, os vacilantes não
podem ser discípulos de Jesus. Não são dignos de ser
súditos no reino de Deus.
O Discipulado: Bênçãos e Sacrifícios com Deus. Jesus escolheu, ao invés disso, mostrar que
Allen Dvorak nem todos que foram convidados a aproveitarem estas
Que bênção tremenda é fazer parte do reino de Deus! bênçãos as valorizavam. Na sua parábola, o Senhor
Esta foi a observação de alguém que comeu com Jesus e contou de alguns que foram convidados a um grande
ouviu seus ensinamentos. Certamente esta afirmação é jantar, no entanto, quando a mesa estava servida, os
verdadeira no que se refere a discípulos, contudo, após a convidados mandaram avisar que não iriam à refeição,
exclamação, Jesus achou por bem acrescentar algumas dando desculpas bastante ridículas e que demonstravam
outras considerações sobre o discipulado. a pouca estima que tinham pelo convite!
A ocasião era um jantar na casa de um fariseu (Lucas Jesus ainda fez mais observações sobre o discipulado,
14:1-24). Enquanto Jesus observava os outros talvez ao deixar este jantar mais tarde ou em outra
convidados escolherem lugares em volta da mesa, ele ocasião, (Lucas 14:25-33). Até mesmo entre aqueles que
contou uma parábola que reprovava a preocupação deles sabem apreciar o valor das bênçãos espirituais em Cristo
com honra e status. Nesta, o Senhor ensinou que os (isto é, aqueles que querem ir a este jantar espiritual),
convidados não deviam escolher de propósito os nem todos estão dispostos a fazer os sacrifícios
melhores lugares, pois, agindo assim, poderiam perder o necessários para ser discípulos. Alguns não colocam
lugar para outro convidado que o anfitrião estimasse Deus antes das suas famílias (Lucas 14:26) ou antes dos
mais. seus próprios desejos (Lucas 14:27). Jesus afirmou que
O ambiente do jantar pode ter ficado um pouco tenso tais pessoas não podem ser seus discípulos, pois o
após a parábola. Na verdade, Jesus já havia curado um discipulado é uma proposta de tudo ou nada; não há
homem quando estava chegando nesta ceia de sábado, discípulos “mais ou menos”. Que bênção tremenda!
um ato que certamente havia escandalizado alguns dos
advogados e fariseus presentes. Como se as coisas já não
estivessem desconfortáveis o suficiente, Jesus contou
esta parábola e depois aconselhou seu anfitrião a
convidar os pobres, mutilados, aleijados e cegos aos
próximos jantares porque estes não poderiam retribuir
com convites recíprocos, mas, embora sem recompensa
humana, o anfitrião seria abençoado por Deus (Lucas
14:12- 14)!
Talvez sendo inspirado por este pensamento ou talvez
simplesmente para quebrar o silêncio estranho que pode
ter ficado no jantar, alguém exclamou que seria bem-
aventurado todo aquele que comesse pão no reino do
céu. Comer pão no reino provavelmente é uma maneira
figurativa de se referir às bênçãos espirituais que agora
estão disponíveis em Cristo Jesus.
Jesus respondeu a este comentário com outra parábola,
mas o propósito da segunda história não era o de
enfatizar as bênçãos que se juntam a um relacionamento