Sunteți pe pagina 1din 4

21

mundo das injustiças sociais, é manter uma postura conservadora. Perigosamente


conservadora, por contribuir com a manutenção do status quo.xxxvii

Ideologia tem duas concepções: a neutra e a crítica. De acordo com a primeira, ideologia
é uma visão de mundo compartilhada por determinado grupo; é, nesse caso, sinônimo de
ideário. Na concepção crítica, de fundo marxista, ideologia é a estratégia utilizada pelos
intelectuais a serviço de uma classe para representar falsamente a realidade em benefício
dessa classe. Para propagar a ideologia dominante e manter o sistema mediante o
consenso da população, o Estado contaria com aparelhos ideológicos, quais sejam,
instituições como a família, a religião, a escola, o sistema legal, a cultura e a
comunicação. xxxviii

Propagandaxxxix ou doutrinação é uma forma de comunicação que busca influenciar o


comportamento dos destinatários em direção a determinada causa ou ideologia. A
modificação comportamental, por sua vez, consiste em um estágio mais avançado da
doutrinação, pois utilizada técnicas empiricamente demonstradas para aumentar ou
diminuir a frequência de um comportamento. Há controvérsia a respeito da possibilidade
xl
de uma diferenciação essencial entre educação propaganda ou doutrinação. Porém,
considerando a educação no sentido clássico de “formação integral do ser humano”, é
possível realizar uma série de distinções entre educação e doutrinação ou propaganda,
como será detalhado no quadro a seguir.xli

Doutrinação e propaganda Educação


Unilateral: Diferentes ou opostos pontos Multifacetada: As questões são
de vista são ignorados, deturpados, examinadas a partir de muitos pontos de
subrepresentados ou denegridos. vista; os lados opostos são
equitativamente representados.
Usa generalizações, declarações Usa qualificadores: as declarações são
“totalizantes” e despreza referências e apoiadas em referências e dados
dados específicos. específicos.
Omissão seletiva: Dados cuidadosamente Equilibrado: Apresenta as amostras de
selecionados – e mesmo distorcidos – para uma ampla gama de dados disponíveis
apresentar apenas o melhor ou o pior caso sobre o assunto. Linguagem usada para
revelar.
22

possível. A linguagem é usada para


esconder.
Uso enganador das estatísticas. Referências estatísticas qualificadas com
respeito ao tamanho, duração, critérios,
controles, fonte e subsídios.
Aglomeração: ignora distinções e Discriminação: Assinala as diferenças e
diferenças sutis. Tenta reunir elementos distinções sutis. Use analogias com
superficialmente semelhantes. Raciocina cuidado, apontando diferenças e casos de
por analogia. inaplicabilidade.
Falso dilema (ou/ou): apenas duas Alternativas: Há muitas maneiras de
soluções para o problema ou duas resolver um problema ou visualizar uma
maneiras de ver a questão - o “caminho questão.
certo” (o caminho do orador ou do
escritor) e o “caminho errado” (qualquer
outra forma).
Apelos a autoridade: declarações Apelos à razão: Declarações de
selecionadas de autoridades utilizados autoridades e partes envolvidas utilizados
para encerrar uma discussão. Abordagem para estimular o pensamento e a
“Só o especialista sabe”. discussão. “Especialistas raramente
concordam”.
Apelos ao consenso ou “efeito arrastão”: Apelos aos fatos: fatos selecionados a
“Se todo mundo está fazendo isso, então partir de ampla base de dados. Aspectos
devem estar certos”. lógicos, éticos, estéticos e psicoespirituais
considerados.
Apelos às emoções: Usa palavras e Apelos à capacidade das pessoas para
imagens com fortes conotações respostas fundamentadas e atenciosas:
emocionais. usa explicações e palavras
emocionalmente neutras.
Rotulagem: usa rótulos e linguagem Evita rótulos e linguagem depreciativa:
depreciativa para descrever os defensores aborda o argumento, e não as pessoas que
de pontos de vista opostos. apoiam um ponto de vista específico.
23

Promove atitudes de ataque e/ou de defesa Promove atitudes de abertura e de


com o objetivo de vender uma atitude ou pesquisa. O objetivo é descobrir.
produto.
Ignora os pressupostos e os vieses Explora os pressupostos e os vieses
embutidos. embutidos.
O uso da linguagem promove a falta de O uso da linguagem promove maior
consciência. consciência.
Pode levar à pobreza de espírito e à Pode levar à compreensão e à visão mais
intolerância. abrangente.
Estudos citados escondem os conflitos de Estudos citados revelam os conflitos de
interesse das fontes de financiamento. interesse das fontes de financiamento.
As estatísticas sempre são apresentadas As estatísticas são apresentadas para
para mostrar o máximo de dano do mostrar vários aspectos do problema, nem
problema e mínimo de danos da solução. sempre a partir de uma abordagem
maximalista ou minimalista.

Socialização é o processo de absorção e disseminação das normas culturais de um


determinado grupo social. Em outros termos, é o modo como a cultura é transmitida a
uma pessoa e retransmitida por essa mesma pessoa; também é conhecida como educação
informal. Os agentes de socialização consistem nas pessoas e instituições que auxiliam
na integração do indivíduo na sociedade. Esses agentes podem ser:

a) primários: são as pessoas naturalmente mais próximas do indivíduo, ou seja, os


familiares e amigos;

b) secundários: são as instituições sociais nas quais o indivíduo é inserido, como


escola, igreja e local de trabalho.xlii

Pedagogia é a ciência da educação. Em sentido estrito, diz respeito apenas à educação


das crianças e jovens (pedagogia vem do grego paidós, que significa criança).xliii Em
xliv
sentido amplo, tem por objeto qualquer espécie de educação. Didática é o campo da
pedagogia que tem por objeto os modos de realização do ensino. Concepções pedagógicas
(ou concepções educacionais) são as diversas teorias que buscam fundamentar o saber
pedagógico. São reconhecidas as seguintes concepções: xlv
24

a) Concepção tradicional: o aluno é considerado receptor passivo de informações


preestabelecidas pelo sistema ou instituição educacional, que deve
criteriosamente selecionar e preparar os conteúdos a serem transmitidos às novas
gerações. A avaliação da aprendizagem baseia-se na capacidade de reprodução
fiel das informações ensinadas. A relação professor-aluno é marcada por forte
hierarquização e autoritarismo;

b) Concepção comportamentalista ou behaviorista (tecnicismo): o conhecimento é


externo ao indivíduo e deve ser por ele descoberto como resultado direto de sua
experiência. Cabe à Educação o papel de estabelecer um roteiro de ações
rigorosamente controlado, que conduza o aluno a atingir objetivos de ensino pré-
determinados. A transmissão dos conteúdos deve levar ao desenvolvimento de
habilidades e competências;

c) Concepção humanista: privilegia os aspectos da personalidade do sujeito que


aprende. Corresponde ao “ensino centrado no aluno”. O conhecimento, para essa
concepção, existe no âmbito da percepção individual e não se reconhece
objetividade nos fatos. A aprendizagem se constrói por meio da ressignificação
das experiências pessoais. O aluno é o autor de seu processo de aprendizagem e
deve realizar suas potencialidades. A educação assume um caráter mais amplo, e
organiza-se no sentido da formação total do homem e não apenas do estudante;

d) Concepção cognitivista: entendem o ser humano como um sistema aberto, ou seja,


consideram sua capacidade de processar novas informações, integrando-as a seu
repertório individual, reconstruindo-as de forma única e subjetiva continuamente
ao longo da vida, em direção à constante autossuperação, e incorporando
estruturas mentais cada vez mais complexas. Nessa abordagem, o professor é
entendido como mediador entre o aluno e o conhecimento. Cabe a ele
problematizar os conteúdos de ensino, criando condições favoráveis à
aprendizagem, e desafiar os alunos para que cheguem às soluções por meio de um
processo investigativo;

e) Concepção sociocultural: No Brasil, Paulo Freire é o representante mais


significativo da abordagem sociocultural. Nessa perspectiva, o ser humano não