Sunteți pe pagina 1din 3

Análise Crítica: SÃO PAULO , CIDADE MUNDIAL

IG UNICAMP
Professor: Vicente

Nome: Danilo Ross de A. França Ra:16690 Curso: 22 música

Ao analisarmos hoje o caótico funcionamento da cidade de São Paulo, marcado


por fortes contradições sociais e irresponsável trato para com o ambiente é nítida
uma metropolização em exponencial favorecendo o comércio . No entanto existem
várias SP´s dentro de São Paulo, formando diversas psicosferas, temporalidades e
divisões de trabalhos e funções.
Me utilizo da visão do sociólogo Brasileiro Professor Darcy Ribeiro no Livro “o
Povo Brasileiro” para analisar os meandros da gênese de São Paulo. É uma análise
que não pode ser feita desconsiderando o processo de formação do Brasil e do
mundo: São Paulo se moldou como um centro financeiro do terceiro mundo, com
inúmeros “espaços alienados” que servem de celeiro fértil de repasse para
empresas estrangeiras manterem sua hegemonia a distância. (ISNARD)
A ''criação'' ou melhor, a formalização de São Paulo se deu em 1554
configurando uma das primeiras cidades em solo tupiniquim, foi uma colonização
caótica reflexo do que aconteceu em todo o Brasil. Uma colônia de exploração, cujo
objetivo foi se metropolizando de três aspectos iniciais: no plano ''adaptativo'' que
concerne os meios tecnológicos europeus empregados nesse núcleo colonial; no
''associativo'' que dita os modos de organização social e econômica substituindo as
organizações anteriormente existentes das sociedades indígenas igualitárias os
subjulgando e posteriormente escravizando-os em função do capital financeiro de
produção; no plano ''ideológico'' comunicação , a crença , artes, autoimagem: a
lingua portuguesa que se estabeleceu junto com a religiosidade cristã no derradeiro
processo de catequização dos povos originários e mais tarde o tráfico de negros
escravizados plasmando todas essas culturas numa autoimagem homogeneamente
europeia. ( RIBEIRO).
A partir desses elementos podemos decupar a lógica da organização do
território paulistano. O ecossistema foi se transformando em geosistema com a
edificação de uma ''segunda natureza'' onde o europeu cravou sua psicosfera e
obrigou que todos respondessem de acordo com sua mente.
Como o enfoque da disciplina está pautada na globalização, cabe restringir essa
análise a momentos fundamentais na formação da cidade.Cada período histórico é
marcado pela inovação da tecnologia de produção: logo no início, o escoamento da
produção de café do vale do Ribeira até o porto de Santos era enviada para as
grandes embarcações lusitanas. A cidade foi se entretecendo pela divisão dos
espaços com suas respectivas funções.
Com a crescente urbanização acometida pelas revoluções industriais, São Paulo
no Século XX subdividi-se em zonas . A massiva industrialização da era Vargas foi
um divisor de águas para a cidade. O centro onde ficam as maiores marcas da
historia; suas rugosidades (SANTOS) . A estação da Luz nos moldes Inglês, o
teatro municipal: o centro histórico com os antigos apartamentos. Na década de
1970 o grande centro financeiro foi organizado na avenida Paulista. Atualmente ele
migrou para o Jardins, Faria Lima e Vila Olímpia. A força de trabalho foi sendo
realocada para as chamadas ''cidades dormentes'' e periferias como por exemplo as
cidades metropolitanas e a zona leste. Os mecanismos de transporte, como metro e
ônibus que hoje se vêm ineficazes diante da demanda populacional, foram
pensados para o escoamento dessa força de trabalho do centro para a periferia e
para as cidades metropolitanas.
Na zona norte o aeroporto internacional de cumbica, Horto florestal. A cidade abriga
pessoas de varias partes do mundo, na formação havendo bairros étnicos.
A cidade, que há um século já configura uma das maiores cidades do mundo, é
um centro financeiro que abriga as sedes representantes das transnacionais
estrangeiras .