Sunteți pe pagina 1din 29

REVISÃO

arte paleocristã, bizantina, românica e gótica


Professora: Dra. Nathália Maria Montenegro Diniz
ARTE
PRIMITIVO CRISTÃO (não define um estilo)
refere-se a qualquer obra de arte produzida
pelos ou para os cristãos no período anterior à
separação da Igreja Ortodoxa -
aproximadamente os primeiros cinco séculos
de nossa era.

BIZANTINA
designa não apenas a arte do Império Romano
do Oriente, mas também um estilo com
características específicas.
PRECEDENTES

Os conceitos clássicos como as ORDENS


não eram mais observados
!
A maioria dos detalhes clássicos tornaram-
se mais brutos
!
Novo estilo surgindo gradualmente
A ARTE PALEOCRISTÃ FOI O
CONJUNTO DE MANIFESTAÇÕES
ARTÍSTICAS DOS PRIMEIROS
CRISTÃOS, QUE DECORRERAM
APROXIMADAMENTE ENTRE OS
SÉCULOS II E V DA ERA CRISTÃ.
!

CORRESPONDE AO PERÍODO DE
EXPANSÃO DO CRISTIANISMO.
Arte paleocristã

• ARTE NAS CATACUMBAS


• Pinturas nos tetos e paredes, de temática
exclusivamente religiosa.
• As figuras pautavam-se pela falta de
rigor anatômico e pela ausência de
naturalismo
• as cenas possuíam pouca variação
cromática, com uso predominante do
vermelho e do verde e, raramente, do
azul.
CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX
Professora: Dra. Nathália Maria Montenegro Diniz
catacumbas dos Santos Pedro e
Marcelino, Roma, séc. IV d.C.
Nova Catacumba(Via Latina, Roma , séc. IV)

Fase de transição do período clássico para o medieval, em que se desenvolvem os


valores da cristandade, em convívio com a arte pagã dos templos e edificações
romanas.
Arte paleocristã
• Frequentemente,
os motivos
tradicionais –
cupidos, as
estações e animais
– misturavam-se a
temas cristãos. O
Bom Pastor,
tomado da arte
pagã, era cercado
pelo rebanho
tocando uma
! flauta.
Cena Pastoral(Pintura sobre reboco; 50 x 91 cm; Catacumba
de Domitilla, Roma. Séc. III) CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX
Professora: Dra. Nathália Maria Montenegro Diniz
O cristianismo nasce em um mundo em que a religião, o
império e o patriotismo estavam estreitamente ligados.
!
Templos eram construídos para adoração
!
A cidade era dominada pelos símbolos da adoração a César
O teatro era uma cerimônia dionisíaca, os jogos tinham valor
de oferecer sacrifício aos deuses.
!
Cada oficial do Exército era ligado aos deuses por juramentos;
cada funcionário imperial era uma espécie de sacerdote.
!
Um cristão teria de ficar necessariamente excluído da vida
pública...
ARTE BIZANTINA (SÉC. VI - XV) - ARTE
CRISTÃO DO IMPÉRIO ROMANO DO
ORIENTE E SUA ZONA DE INFLUÊNCIA,
POSTERIORMENTE IMPÉRIO BIZANTINO.
!

FUNDE ELEMENTOS PALEOCRISTÃOS,


ALEXANDRINOS E DA ÁSIA MENOS EM
OBRAS EXCLUSIVAMENTE RELIGIOSAS
!
Ênfase sobre a tradição e a necessidade de respeitar certos
modos permitidos de representar o Cristo ou a Virgem tornaram
difícil aos artistas bizantinos desenvolverem seus dotes pessoais.
!
Mas esse conservantismo desenvolveu-se apenas gradualmente e
é um erro imaginar que os artistas do período não tinham
qualquer amplitude criativa.
!
Foram eles, de fato, que transformaram as simples ilustrações da
arte cristã primitiva em grandes ciclos de grandes e solenes
imagens que dominam o interior das igrejas bizantinas.
ÍCONE
!
Pintura em painel
representando
personagens e temas
religiosos.
!
Formas e cores
rigorosamente
imaginativos, irreais e
imutáveis por séculos
ARTE OCIDENTAL EM FASE DE
ASSIMILAÇÃO.
(SÉC. VI-XI)
!

NÃO VIRAM, O SURGIMENTO DE


QUALQUER ESTILO
ARTE MEDIEVAL OCIDENTAL
O modo como o santo
está envolto em sua toga,
à melhor maneira
clássica, a forma como
sua cabeça está
modelada em muitas
tonalidades de luz e cor,
convence-nos de que o
artista medieval se
empenhou de corpo e
alma para dar uma versão
acurada e meritória de
um modelo venerado.
o artista desta deve ter almejado
uma interpretação diferente do
anterior. Talvez não quisesse
representar o evangelista como
qualquer dos antigos homens de
saber, sereno e meditativo,
tranquilamente sentado em seu
gabinete. Para ele. S. Mateus era
um homem inspirado, passando a
escrito o Verbo de Deus.
O artista conseguiu transmitir algo
de seu próprio sentimento de
reverência e excitação a essa figura
de um homem escrevendo.
!
Não foi mera inépcia ou
ignorância que o fez desenhar o
santo com grandes olhos
esbugalhados e mãos enormes. Ele
quis dar-lhe essa expressão de
tensa concentração.
Em quadros como esses, vemos o surgimento de um
NOVO ESTILO MEDIEVAL que possibilitou à arte
fazer algo que nem a antiga arte oriental nem a
clássica tinham feito:
!
- os egípcios tinham desenhado
preponderantemente o que sabiam existir
- os gregos o que viam;
- na Idade Média, o artista aprendeu a expressar
também na sua obra o que sentia.
Devemos compreender
como eram grandes as
possibilidades que se
abriam diante dos
artistas.