Sunteți pe pagina 1din 68

Ano 16 - n° 62 - Julho / Agosto / Setembro - 2019

Revista de Jovens e Adultos da Convenção Batista Fluminense

Aprendendo a
Evangelizar
com Jesus Pr. Nilson Gomes Godoy
LIÇÕES
SUMÁRIO 12 LIÇÃO 1 – EU, UM EVANGELISTA!

LIÇÃO 2 – EU IREI POR ONDE


16
02
1o CONGRESSO DE CASAIS O SENHOR MANDAR
PARA PASTORES E ESPOSAS
LIÇÃO 3 – EU EVANGELIZO
20 PORQUE AMO

LIÇÃO 4 – A MENSAGEM NUMA

03
PRIMEIRAS PALAVRAS
PR. AMILTON VARGAS 24 LÍNGUA QUE POSSA SER ENTENDIDA
LIÇÃO 5 – EVANGELIZAR É
28 APRESENTAR JESUS

06 MISSÕES ESTADUAIS 32
LIÇÃO 6 – EVANGELIZAR É
EXPLICAR A BÍBLIA

LIÇÃO 7 – EVANGELIZAR É
36 CONVIDAR À FÉ EM JESUS

07
PALAVRA DO REDATOR
PR. MARCOS ZUMPICHIATTE
MIRANDA LIÇÃO 8 – EVANGELIZAR É
40 PROMOVER A NOVA VIDA

LIÇÃO 9 – EVANGELIZAR É
44 RAÇÃO

09 CAPACITAÇÃO
PROMOVER VERDADEIRA ADO
PARA ESCOLA BÍCLICA
LIÇÃO 10 – EVANGELIZAR É
48 TRAVAR RELACIONAMENTOS

LIÇÃO 11 – EVANGELIZAR É

10 DE LÍDERES
CAPACITAÇÃO
52 FAZER MAIS EVANGELISTAS

LIÇÃO 12 – EVANGELIZAR É
SUPERAR OS EMPECILHOS
56
11 APRESENTAÇÃO
PR. NILSON GOMES GODOY
60
LIÇÃO 13 – EVANGELIZE!
DEUS RECOMPENSA!
PRIMEIRAS PALAVRAS

A EVANGELIZAÇÃO COMO
MINHA MISSÃO...
Sempre que pensamos na impor-
tância da evangelização, precisamos
relembrar alguns exemplos de Jesus
e, do mesmo modo que Ele agiu diante
de pessoas perdidas, precisamos tam-
bém agir. Quando olhamos para a vida
do Senhor Jesus Cristo, percebemos
que Ele colocava as pessoas acima
das coisas, atitude esta que precisa
ser repetida por cada cristão onde quer
que se encontre: casa, trabalho, escola,
lazer, na vizinhança ou na Igreja. Em
todo lugar precisamos dar atenção às
pessoas, especialmente aos que estão
perdidos e que talvez nem sabem disso.
As pessoas precisam saber que Je-
sus as ama e deseja dar a elas salva- Recentemente estive naquela re-
ção, amor, paz e uma vida nova, mar- gião, na Primeira Igreja Batista em
cada por sua presença, além de uma Amontado, fundada pela iniciativa do
nobre missão: ser evangelista! Os pri- bisavô de minha esposa, e entrevistei
meiros discípulos de Jesus entenderam uma lúcida irmã chamada Anita sobre
isso. Você entende? esses fatos. Ela tem quase um século
Há muita gente perecendo sem co- de abençoada existência, mas continua
nhecer a Cristo como Senhor, Salvador com muita inteligência e lucidez. Ela
e Mestre. Por isso, trago à memória um me relatou que seus parentes, naquela
fato ocorrido em Barra do Itabapoana, época, precisaram fugir e se esconder
cidade do interior do Estado do Rio de na mata, tendo filhos na selva, como
Janeiro. Lá, em época de perseguição, se fossem animais, pois a perseguição
o missionário Salomão Ginsburg per- era impiedosa, e durou até que o prin-
sistiu pregando enquanto os inimigos cipal perseguidor abriu o coração para
do evangelho atiravam em sua direção, Deus. Depois de atirar e tentar matar o
querendo matá-lo. Alguns irmãos da- Missionário Salomão Ginsburg e errar
quela região foram espancados até a os tiros, mesmo com toda a fama de
morte, por não desistirem de evangeli- ser bom atirador, abriu o coração para
zar. Pagaram um alto preço para cum- Deus ao ouvir o hino “Deixa a luz do
prir a missão. céu entrar”. A partir de então, a per-

3
seguição cessou e, à semelhança do tracapa dele. Jesus nos ensinou, pelo
Apóstolo Paulo, ele passou a pregar o exemplo, que sua vida foi dirigida pela
evangelho, sendo instrumento podero- vontade de Deus. Ele aceitou e cumpriu
so nas mãos de Deus, para a expansão sua missão.
do Reino naquele lugar. Hoje, Deus quer resgatar e salvar
Deus o chama hoje para ser um pessoas da morte eterna, para que to-
evangelista. Você está sendo comissio- dos possam ser salvos e, para isso Ele
nado e enviado aos seus amigos, vizi- conta com você para testemunhar de
nhos, colegas de estudo ou trabalho e Jesus entre os seus!
a seus familiares. Ele deseja que você Pense consigo mesmo: Imagine se
seja uma testemunha viva do poder de você tivesse um vizinho com câncer e
Jesus para transformar vidas. Ele quer você tivesse o segredo da cura e não o
que você fale e demonstre aquilo que ajudasse. Como você consideraria essa
Ele fez por você. E o poder de Deus, omissão? Seria algo normal ou crimi-
visível em sua vida, trará as pessoas noso? Esconder essa informação seria
com quem você se relaciona para perto algo terrível e criminoso! Você concorda
de Jesus. Deus espera que você saia que um cristão que não fala de Jesus e
da inércia e creia que pode comparti- das Boas Novas da salvação aos outros
lhar do seu amor. Faça a sua parte e o está na mesma situação?
Espírito Santo fará o restante. Esse é o
Você pode orar comigo com devo-
desafio! Você o aceita?
ção sincera?
Disse Jesus: “A missão é grande”
Senhor, eu quero aprender com
(Mt 9.37); a missão é arriscada: “Eu os
Jesus. Ajuda-me a imitá-lo, em ouvir
estou enviando como ovelhas entre lo-
as pessoas, ter o coração voltado para
bos. Portanto, sejam astutos como as
ensinar, pregar e cuidar... Dá-me a co-
serpentes e sem malícia como as pom-
ragem e a disponibilidade de ir ao en-
bas” (Mt 10.16); os missionários são
contro dos que precisam de salvação.
poucos: “Os trabalhadores são poucos”
Dá-me entendimento de que a respon-
(Mt 9.37b), entretanto, a Palavra de
sabilidade é minha e não de outros.
Deus diz que a missão se completará
Que eu não tente fugir dessa responsa-
com sucesso: “Ao nome de Jesus se
bilidade. Ajuda-me a fazer a diferença
dobre todo joelho, nos céus, na terra e
e usa a minha vida para o Teu louvor
debaixo da terra, e toda língua confesse
e Tua glória. Esta é a minha oração,
que Jesus Cristo é o Senhor, para a gló-
em nome do Rei dos reis, Senhor dos
ria de Deus Pai.” (Fp 2.10-11).
senhores, Príncipe da paz, Único e Su-
Quando Jesus tinha 12 anos de ida- ficiente Salvador Eterno. No poderoso
de, já estava envolvido com essa mis- nome de Jesus, que é sobre todo o
são: “Convém cuidar dos negócios de nome, eu oro, Amém!
meu Pai” (Lc 2.49) e, 20 anos depois,
Ele estava morrendo por essa mis-
são. Jesus disse: “Está consumado!”
(Jo 19.30). Essas declarações são
Pr. Amilton Vargas
Diretor Executivo da Convenção Batista
como prefácio e conclusão de um livro Fluminense e Pastor Interino da
mais que especial, é como capa e con- PIB Universitária do Brasil

4
PALAVRA DO REDATOR
EBF – AMIGOS DE JESUS

“Assim também não é


vontade de vosso Pai, que
estás nos céus, que um
destes pequeninos se perca”.
(Mt 18.14)

É com alegria que o Depar- nhança, em Nova Iorque (EUA),


tamento de Educação Religiosa, resolveu fazer algo por aqueles pe-
em parceria com o Departamento queninos, então criou uma escola
de Missões da Convenção Batista bíblica diária. Na realização dessa
Fluminense, está disponibilizando primeira EBF houve cooperação da
o material para uma Escola Bíblica Igreja Batista de Epiphany, da qual
de Férias (EBF) com o tema “Ami- a irmã Elisa era membro. Neste
gos de Jesus”. Este é um sonho ano, foram alcançadas 57 crianças.
que se torna realidade: oferecer às Nos anos seguintes, 1899 e 1900,
Igrejas, gratuitamente, uma EBF, foi novamente realizada a EBF diá-
através de download, tendo acesso ria com grande sucesso. A primeira
a todo o material. EBF realizada no Brasil foi no Co-
“A Escola Bíblica de Férias légio Américo Batista de Vitória –
(EBF) surgiu para atender as crian- ES. Na primeira quinzena de 1924,
ças que, no período de férias es- coordenada pelo Dr. Reno”.
colares, ficam abandonadas pelos O objetivo da EBF “Amigos de
pais a mercê do aprendizado no- Jesus” é apresentar Jesus como o
civo e pecaminoso das ruas. Em nosso melhor amigo e trabalhar na
julho de 1898, a irmã Elisa Hawes, mente e coração dos líderes a im-
preocupada com as crianças que portância da evangelização e disci-
andavam pelas ruas de sua vizi- pulado das crianças que participam

7
da Escola Bíblica de Férias (EBF). crente está pronto a recitar: “Ide...
Esta é a maior estratégia de evan- pregai o evangelho a toda cria-
gelização infantil. tura” (Mc 16.15). Mas a maioria
“Lionel Hunt, num livro publicado se esquece de que a criança é
pela Moody Press, registrou uma também criatura de Deus e está
pesquisa que demonstra qual a me- incluída nessa ordem, juntamen-
lhor idade para a evangelização e a te com os adolescentes, jovens,
conversão: adultos e idosos. Jesus chamou as
crianças para estarem juntos dEle:
Antes dos 4 anos – 1% “Deixai vir a mim os pequeninos”
Dos 4 aos 14 anos – 85 % (Mc 10.14, ARA).
Dos 14 aos 30 anos – 10 % Portanto, aproveite esta opor-
tunidade de alcançar as crianças
Após 30 anos – 4% da sua Igreja e vizinhança com
O fato é que as crianças são este material. Para fazer o down-
importantes para Deus. Elas têm load, entre em contato com o
uma alma imortal e uma vida inteira Departamento de Educação Re-
pela frente. Elas ouvem e atendem ligiosa da CBF pelos telefones:
à mensagem do Evangelho mais (21) 2620-1515 ou (21) 99600-6109
prontamente do que qualquer outro ou pelo e-mail: educacaoreligiosa
grupo de pessoas”1. @batistafluminense.org.br
George Barna, em seu livro
“Transformando seu filho num cam-
peão”, afirma que se uma pessoa
não receber a Cristo como Seu Se-

nhor e Salvador antes dos 15 anos,
suas chances de se converter mais
adiante é de apenas 6%.2
O maior desafio para o povo de
Deus nos próximos anos é investir
exatamente no alcance das crian-
ças para o Senhor Jesus, a chama-
da JANELA 4 X 14 – A janela da Pr. Marcos Zumpichiatte Miranda
faixa etária. As crianças foram in- Coordenador de Educação Religiosa
cluídas na Grande Comissão. Todo Redator da Revista

1 - SITE: www.apec.com.br 

2 - SITE: www.apec.com.br 
8
APRESENTAÇÃO
Evangelizar é pregar o evange-
lho, anunciar as boas novas. Deve-
mos evangelizar o perdido onde ele
QUEM ESCREVEU
se encontra e não esperar que ele
saia das trevas e venha para buscar
jesus por iniciativa própria, embo-
ra isso possa acontecer. Devemos
evangelizar estando na presença
do Todo Poderoso e sendo dirigido
pelo Seu poder e graça, pois não
se cumpre qualquer tarefa espiritual
com o poder do homem. É o próprio
Deus quem concebeu salvar a hu-
manidade e nos comissionar como
seus representantes nesta tarefa de
divulgação da boa notícia, desde
que capacitados pelo Espírito Santo.
Temos na Bíblia muitos ensi-
nos, inclusive exemplos de Jesus
sobre a evangelização, mas nos
ateremos em destacar algumas li-
ções do Seu encontro evangelísti- Nilson Gomes Godoy é pas-
co com a mulher samaritana e os
tor da Segunda Igreja Batista de
seus compatriotas. O texto de João
4.1-42 deverá ser lido várias vezes Nova Friburgo, região Serrana do
e examinado à luz do tema propos- Rio de Janeiro. É casado com Lilia
to em cada lição. Ao valorizarmos a Matilde Freichos Godoy, com quem
Bíblia, os relacionamentos, a fé, o tem seis filhos, sendo que três de-
amor, a simplicidade, a nova vida e les o são também por serem noras
a adoração a Jesus, estaremos im- e genro. Além disso, tem uma neta.
pactando e evangelizando o mundo É pastor há 35 anos, formado em
como Ele o fez. Teologia pelo Seminário Teológico
Sugiro que, para um real apren- Batista do Sul do Brasil, cujo cur-
dizado, não apenas estudemos so foi convalidado pela Faculdade
com os nossos irmãos, mas exer- Batista do Rio de Janeiro. Cursou 9
citemos, a cada semana, os de- períodos de Administração de em-
safios do exemplo de Jesus. Que presas pela Universidade Federal
aprendamos a evangelizar, evange- Fluminense e é Pós Graduando em
lizando como Ele. Jesus é o nosso Gestão de Conflitos pela Faculdade
exemplo (Jo 13.15)! Batista do Paraná.

11
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 1
Texto Básico: João 4.1-42

EU, UM EVANGELISTA!

Quando a Bíblia fala sobre o Ao ler, na Sinagoga de Naza-


“evangelho”, que é um termo pre- ré, um trecho do livro do profeta
sente somente no Novo Testamen- Isaías que dizia: “​O Espírito do Se-
to, ela está se referindo às “boas nhor está sobre mim, pelo que me
novas de Deus”. Essa boa notícia ungiu para evangelizar os pobres;
começou a ser anunciada como enviou-me para proclamar liber-
promessa de Deus desde o Éden, tação aos cativos e restauração
conhecido como o protoevangelho da vista aos cegos, para pôr em
(Gn 3.15), e perpassou através de liberdade os oprimidos, ​e apre-
todo o Velho Testamento, demons- goar o ano aceitável do Senhor”,
trando o interesse de Deus em que Jesus concluiu: “Hoje, se cumpriu
o homem restaurasse a felicidade a Escritura que acabais de ouvir”
do relacionamento com Ele, ape- (Lc 4.18-21).
sar de ser pecador. Evangelizar é O apóstolo Paulo também es-
o ato de comunicar aos homens as creveu aos romanos: “o evangelho é
boas novas de Deus e o primeiro o poder de Deus para a salvação de
passo na evangelização é dado todo aquele que crê, primeiro do ju-
pelo próprio Deus, que amou o deu e também do grego” (Rm 1.16).
mundo, prometendo e enviando
Ao ser alcançada pela boa
Jesus, revelando o seu intento e
notícia de salvação da alma, de
seu poder de salvar. Aliás, Jesus é
transformação de vida, de perdão
a “boa notícia” que o homem pre-
de pecados, de adoção como fi-
cisa urgentemente ouvir.

12
lho de Deus, de alegria incontida, a A ordem de Jesus, inclusive,
pessoa passa a falar naturalmente nos incita a orar, pedindo a Deus
sobre as suas experiências com por mais ceifeiros nesta seara,
esse Cristo Salvador, e isso é evan- cientes de que ela é maior do que
gelização. Quando a mulher sama- o número de pessoas disponíveis
ritana chegou à cidade, disse, em (Mt 9.37-38). E, especialmente, in-
outras palavras: “Um homem, que clui também a dependência do re-
creio ser o Messias, me disse algo vestimento do Espírito Santo de
que fez sentido em minha vida. Va- Deus (At 1.8). Só podemos evan-
mos ver?” (Jo 4.29) gelizar, com o poder do próprio
A história do texto em foco acon- Deus.
teceu há cerca de 20 séculos, e, é O Apóstolo Paulo considerava
claro, se passa num contexto bem ter “valor a sua vida somente se,
diferente do nosso. Mas, como tudo em obediência ao chamado, tes-
o que Jesus ensina, reflete a rea- temunhasse da graça de Deus”
lidade do homem ao longo da his- (At 20.24). Aos Coríntios, ele es-
tória e traz lições importantíssimas creveu que, mesmo pregando o
sobre o evangelismo. Queremos evangelho de livre vontade, en-
aprender com Jesus como transmi- tendia que lhe havia sido imposta
tir essa boa notícia. esta obrigação. E asseverou: “Ai de
mim se não pregar o evangelho!”
1 - A ORDEM PARA EVANGELIZAR (1Co 9.16-17). Evangelizar é bonito,
mas exige o preço da obediência e
Evangelização não deve ser da renúncia de nossa própria vida.
fruto do acaso ou do gosto de al-
guém. Evangelização deve ser 2 - O EXEMPLO DE JESUS NA
resultado de obediência à ordem EVANGELIZAÇÃO
clara que nos é dada por Deus.
Jesus disse aos discípulos: “le- Jesus é mestre também na
vantai os vossos olhos e vede...” evangelização. O texto de João 4.4
(Jo 4.35b). Também disse: “Assim registra que Jesus “tinha que pas-
como o Pai me enviou, eu também sar por Samaria”. Embora muitos
vos envio” (Jo 20.21). Após a res- passassem por outro caminho por
surreição, Jesus apareceu aos dis- razões sociais, raciais, geográficas
cípulos e deixou uma ordem para e religiosas até, Jesus percebeu
todos nós: “Toda a autoridade me o dever, a responsabilidade, e fez
foi dada... ​Ide, portanto, fazei dis- isso por amor aos samaritanos e
cípulos de todas as nações, bati- para nos ensinar.
zando-os...; ​ ensinando-os... E eis Esse encontro com a mulher
que estou convosco todos os dias samaritana nos dá alguns marcos,
até à consumação dos séculos” alguns padrões, algumas diretrizes
(Mt 28.18-20). para aquilo que pode e deve acon-

13
tecer em nosso programa de evan- boa notícia de Deus, mostrando o
gelização, que, de forma mais deta- seu propósito de “buscar e salvar
lhada, pretendemos estudar neste o que estava perdido” (Lc 19.10).
trimestre. Assim fez ao encontrar-se com
Para resumir, nesse encontro um rico, coletor de impostos, con-
com a mulher e depois com os seus vidando-o para segui-Lo. Na oca-
patrícios samaritanos, Jesus, ao di- sião, disse que havia vindo “chamar
zer “Uma comida tenho para comer” justamente pecadores ao arrepen-
(Jo 4.34), estava deixando claro dimento” (Lc 5.29-32). Assim foi
que o propósito de vida que alcan- também com um homem que que-
ça outras vidas, determina as suas ria vê-Lo e Jesus o encontrou em
prioridades, acima do que nos pos- uma árvore e propôs ir à sua casa,
sa ser até urgente. Ao dizer: “não onde disse: “Hoje veio salvação a
dizeis que há ainda quatro meses esta casa” (Lc 19.1-10). Da mes-
para a ceifa...” (Jo 4.35), mostrava ma forma, as multidões famintas de
que o propósito de agradar a Deus, pão também recebiam orientações
abençoando vidas com a salvação, para a salvação, sendo advertidas
não deve ser deixado para depois, assim: “Trabalhai, não pela comida
pois há gente precisando ser salva que perece, mas pela que subsiste
agora. E quando pede água a uma para a vida eterna, a qual o Filho do
samaritana e ouve: “como sendo tu Homem vos dará” (Jo 6.27).
judeu, pede água a mim que sou O Evangelista Mateus disse as-
samaritana?” (Jo 4.9), está ensi- sim sobre o Filho de Deus, nosso
nando que o foco em salvar alguém, exemplo: “Percorria Jesus toda a
vence as possíveis objeções. Jesus Galileia, ensinando nas sinagogas,
se apresentou como um homem pregando o evangelho do reino e
que sente cansaço, sede e fome. Às curando toda sorte de doenças e en-
vezes, somos tentados a parecer fermidades entre o povo” (Mt 4.23).
“sobrenaturais” ao transmitirmos o
recado simples de Deus.
3 - O EXEMPLO DOS DISCÍPULOS
Além desse encontro com os DE JESUS NA EVANGELIZAÇÃO
samaritanos, temos muitos outros
exemplos de Jesus. O evangelista É muito interessante o fato de
Marcos registra, por exemplo: “Ora, encontrarmos na mulher samaritana
depois que João foi entregue, veio tanto o retrato de pecadores e caren-
Jesus para a Galileia pregando o tes que somos, quanto o exemplo de
evangelho de Deus e dizendo: O evangelistas que devemos ser. Após
tempo está cumprido, e é chegado ser alcançada pelo evangelho, mes-
o Reino de Deus. Arrependei-vos, e mo sem muito preparo, a mulher tor-
crede no evangelho” (Mc 1.14-15). nou-se mensageira da boa notícia
O seu modo de vida foi aproveitar que havia chegado à Samaria. Da
cada oportunidade para pregar a mesma forma, aqueles discípulos,

14
aprendizes de Jesus, tornaram-se cisam ouvir; para que ouçam, Deus
anunciadores, evangelistas, instru- enviou a você e a mim. Veja essas
mentos de Deus. Eles que, como verdades em Romanos 10.13-15.
nós, ouviram a ordem: “Ide por todo Sugiro que você estabeleça um
o mundo e pregai o evangelho a marco de propósito, diga e viva:
toda criatura” (Mc 16.15), ao serem Morri para mim mesmo, para que
revestidos do poder do Espírito Cristo viva em mim e as pessoas
Santo, tornaram-se testemunhas vivam ao vê-Lo assim. Sugiro ain-
tanto em Jerusalém, como em toda da que, à luz dos ensinos de Jesus,
a Judéia e Samaria e até os confins você reformule os seus projetos,
da terra” (At 1.8). Lucas registrou levante os olhos e “veja os campos
que “os que andavam dispersos iam brancos para a colheita”. Estabeleça
por toda a parte, anunciando a pala- o alvo de obedecer a Jesus, falando
vra” (At 8.4). dEle, como Ele próprio o fez e como
os seus discípulos também o fizeram.
Em certa ocasião, Pedro e João,
advertidos de que deveriam deixar A exemplo do que aconteceu
de falar de Jesus, retrucaram: “pois com Isaías, que após ficar estar-
recido pelas suas limitações e pelo
nós não podemos deixar de falar
pecado do povo e ser purificado,
das coisas que vimos e ouvimos” ouçamos o desafio de Deus que
(At 4.20). O apóstolo Paulo, um diz: “A quem enviarei, e quem há de
grande exemplo de dedicação e de ir por nós?” e respondamos indivi-
estratégia evangelística, disse que dualmente: “Eis-me aqui, envia-me
jamais teria deixado de anunciar o a mim” (Is 6.8).
que fosse proveitoso, e que o fazia
Vamos aprender a evangelizar?
publicamente e de casa em casa Aprenda a evangelizar evangelizan-
(At 20.20). Ao aconselhar ao seu do e ouvindo os ensinos de Jesus.
discípulo Timóteo, advertiu: “prega
a palavra, insta, a tempo e fora de Oração – Pai, ajuda-nos a le-
vantarmos os nossos olhos e em-
tempo, corrige, repreende, exorta
penharmos nossas vidas no alcan-
com toda a longanimidade e doutri-
ce de outras vidas para Jesus.
na” (2Tm 4.2).

PARA PENSAR E AGIR: Segunda: Lucas 4.18-21


MARCO DE PROPÓSITO Terça: Mateus 28.18-20
Deus não quer que alguém se Quarta: Mateus 9.37-38; Atos 1.8
Leitura Diária

perca na nossa família, na nossa ci- Quinta: 1Coríntios 9.16-17


dade e em todo o mundo. Para que Sexta: Marcos 16.15; Atos 8.4
sejam salvos, precisam invocar ao Sábado: João 20.21; 2Timóteo 4.2
Senhor; para que invoquem, é preci-
Domingo: Romanos 10.13-15
so que creiam; para que creiam, pre-

15
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 2
Textos Básicos: João 4.1-5; 35-40

EU IREI POR ONDE


O SENHOR MANDAR

Em nossa história eclesiástica que alguém o procure, o ache e,


adquirimos alguns hábitos, o que muitas vezes, até o ajude a acei-
é compatível com o jeito humano tar sua condição de perdido e o
de ser. Um deles foi o de confinar incentive a sair dela. Jesus disse
o programa de evangelização ao que veio “buscar o que estava
templo, especialmente através da perdido” (Lc 19.10) e somos seus
pregação apresentada no púlpito, auxiliares na divulgação dessa
o que é incompatível com o jeito boa notícia.
cristão de ser, à luz das Sagradas Se assim o desejasse, Deus
Escrituras. A ordem expressa de poderia trazer os pecadores ao en-
Jesus é “Ir por todo o mundo...” contro dos evangelistas para que
(Mc 16.15). ouvissem e fossem salvos. Mas,
1 - INDO AO ENCONTRO DOS além de dar liberdade ao homem
para decidir ouvir, crer e invocar o
PERDIDOS Seu nome, Ele concede liberdade
Deus determina que o lugar da ao seu discípulo de decidir obede-
evangelização é onde está o per- cer à ordem de evangelizar. E não
dido. Quem está perdido precisa convém a ambos a desobediência.

16
Recentemente aconteceu um Muitos gostam de sair em via-
desastre na barragem de Brumadi- gens missionárias para pregar a
nho, MG, infelizmente! Todo esforço desconhecidos (o que é urgente
empreendido, com participação in- que se faça), mas nada ou pou-
ternacional, inclusive, foi no sentido co falam aos que são compa-
de procurar incansavelmente quem nheiros de trabalho, vizinhos e
estivesse precisando, onde quer que familiares, como sugere Paulo
estivesse. Presenciei noticiários de (2Tm 4.2). A Bíblia diz que Felipe
socorristas se arrastando na lama, foi enviado por um anjo do Se-
literalmente, em busca de perdidos. nhor ao deserto por causa de um
único homem que precisava ouvir
2 - É NECESSÁRIO PASSAR EM (At 8.26-40). Mas Felipe já estava
CADA LUGAR falando em Samaria e continuou,
depois da missão no deserto, pre-
O texto diz que Jesus deixou a gando em várias aldeias. Soube
Judéia, indo em direção à Galileia. que o grande missiólogo Oswald
Ele, propositadamente, quis passar Smith teria dito: “A luz que ilumina
por Samaria. longe, é a que também ilumina mui-
Foi Jesus quem disse que a nos- to bem por perto”.
sa missão é aqui, ali e nos confins No Pentecostes, evento consi-
da terra (At 1.8). Dependendo da derado inaugural da Igreja, pes-
posição geográfica do discípulo, soas de várias nacionalidades que
“os confins” pode ser no oriente, estavam em Jerusalém ouviram a
ou pode ser onde estamos. Alguém pregação de Pedro, foram impacta-
disse que, se formos pelo mundo das pelo poder de Deus, se conver-
todo, depois de termos percorrido teram e certamente voltaram com a
todo o caminho, o lugar mais distan- oportunidade de serem missioná-
te ainda vai chegar. Os “confins da rias em cada uma de suas cidades.
terra” será sempre o lugar que está Certamente elas tiveram a oportu-
nas nossas costas, atrás de nós. nidade de se tornarem evangelistas
Nessa caminhada pelo mundo (At 2.8-11,41).
não basta “entrar na cidade”. Tan- Os samaritanos concluíram: “Ele
to que os discípulos o fizeram para é o Salvador do mundo” (Jo 4.42).
comprar comida, sem qualquer re- A Bíblia registra o desejo de Deus
sultado aparente. É preciso deixar de que as nações sejam alcança-
a cidade e “entrar” em nossa agen- das pela sua “boa notícia”. Pau-
da evangelizadora. É preciso es- lo registra que Deus “deseja que
tar em cada lugar com o senso da todos os homens sejam salvos e
missão dada por Deus para anun- cheguem ao pleno conhecimento
ciar a boa notícia de que Deus vai da verdade” (1Tm 2.4); Pedro, por
ao encontro de cada pessoa, dan- sua vez, diz que Deus “é longâni-
do-lhe esperança.

17
mo para convosco, não querendo visão do Reino, depois de Salomão
que nenhum pereça, senão que (1Rs 12.20), Samaria passou a ser
todos cheguem ao arrependimen- a capital do Reino do Norte. Devido
to” (2Pe 3.9). Ao ensinar sobre os a muitos pecados, especialmente o
últimos dias, Jesus fala: “é neces- da idolatria, a Assíria conquistou Is-
sário que primeiro o evangelho rael, deportando muitos e trazendo
seja pregado a todas as nações” povos de outras nações para habita-
(Mc 13.10), talvez para que se rem ali (2Rs 17.23-24). Isso fez com
cumpra a profecia do salmista: que os samaritanos praticassem um
“Todas as nações que fizeste vi- inadmissível sincretismo religioso e
rão, prostrar-se-ão diante de ti, admitissem um padrão ético detes-
Senhor, e glorificarão o teu nome” tado pelos judeus.
(Sl 86.9). Como não podemos es- Samaria representa bem a ex-
tar em todos os lugares ao mesmo tensão do nosso compromisso
tempo, para cumprir o propósito e evangelizador. Pessoas de todas as
ordem de Deus, devo ir onde for matizes religiosas, de todas as cul-
possível e enviar representantes turas, com os mais diversos mode-
aos outros lugares, como fez a Igre- los éticos, de todos os lugares, alvos
ja em Antioquia (At 13.1-3). dos mais variados preconceitos, se
Existe uma corrente teológica constituem no nosso alvo evangeli-
que prega o universalismo, ou seja, zador. Muitas vezes vivemos como
que todas as pessoas serão salvas, se Jesus fosse a esperança apenas
porque o “Cordeiro tirou o pecado para quem ainda tem um pouco de
do mundo”. Falam isso baseados esperança em si mesmo. Mas Ele
em João 1.29. Mas a morte que veio para quem se reconhece doen-
ele gera, ainda existe sim. Verdade te e precisa de sua cura.
é que Deus não faz “distinção en- Os samaritanos receberam a
tre judeu e grego, uma vez que o mensagem, entenderam e saíram
mesmo é o Senhor de todos, rico à procura de Jesus que estava fora
para com todos os que o invocam. da cidade (Jo 4.39-42). Isso mostra
E todo o que invocar o Seu nome que é possível tirar as pessoas de
será salvo” (Rm 10.12-13). Logo, suas casas, de sua cidade, de seu
a mensagem que todos precisam comodismo, desde que alguém vá
ouvir é: “arrependei-vos e crede na buscá-las e tenha uma estratégia,
boa notícia de Deus” (Mc 1.15). que é o testemunho vivo de um re-
lacionamento com Cristo.
3 - PRECISO IR ATÉ SAMARIA?
4 - O EXEMPLO DE JESUS
O conflito entre judeus e sama-
ritanos se dava, especialmente, Jesus decidiu ir da Judéia para
porque estes misturavam o judaís- a Galileia. Três caminhos eram
mo com outras crenças. Com a di- possíveis, os quais variavam entre

18
120 e 150 Km de viagem. Para os denou: “Por onde forem, preguem
padrões de estradas e meios de esta mensagem: o Reino dos céus
transporte de hoje, nem parece ser está próximo” (Mt 10.7), o que esta-
tão longe. Mas imaginem esse per- mos esperando?
curso enfrentando as montanhas Deus sempre coloca perto de
do centro da Palestina e as hostili- nós aqueles que precisam ir mais
dades impostas pelos samaritanos. longe na sua fé. Para isso, eles pre-
Antes mesmo de ir ao encontro cisam ouvir o que Cristo nos tem
dos samaritanos, Jesus desceu do feito. Comece em sua casa e, sem
céu ao encontro de todos os ho- se deter, vá onde houver perdidos.
mens. Paulo escreveu aos Filipen- Creia e viva a seguinte verdade:
ses que Ele aniquilou-se, tornan- Meus pés não podem achar des-
do-se homem e servo dos homens. canso se o coração de Jesus ain-
E arrematou o Apóstolo: “Que haja da está incansavelmente atrás de
em vós o mesmo sentimento que perdidos, cansados e oprimidos.
houve em Cristo Jesus” (Fp 2.5). Minha boca precisa falar em todos
O missionário de Deus, o enviado os lugares, já que desses lugares
dos céus, iniciou o trabalho que de- virão línguas que confessarão a Je-
vemos continuar, visando que “todo sus Cristo como Senhor. Além dis-
joelho e toda língua” o reconheçam so, os recursos que Deus colocou
como Senhor. Será cantado no céu: em minhas mãos são exatamente
“Ele é digno... porque comprou com aqueles que Ele precisa para que
o seu sangue para Deus homens o evangelho chegue em todo lugar.
de toda tribo, língua, povo e nação”
Oração – Senhor Deus, envia-
(Ap 5.9) e nós somos os mensagei-
-me para longe ou perto, mas que
ros a toda essa gente.
eu esteja sempre perto do Teu que-
Jesus disse que “Deus amou rer. Volta os meus olhos para onde
o mundo de tal maneira que deu houver perdidos.
o Seu Filho Unigênito... para que
o mundo fosse salvo por Ele”
(Jo 3.16-17). Não podemos deixar
de anunciar isso!
Segunda: Marcos 16.15
PARA PENSAR E AGIR: MARCO Terça: Atos 2.8-11; 41
GEOGRÁFICO Quarta: Marcos 13.10; Salmos 86.9
Leitura Diária

Se o Filho de Deus, nosso mo- Quinta: Mateus 15.21-28


delo, ​“percorria todas as cidades Sexta: Mateus 9.35; Apocalipse 5.9
e povoados, ensinando nas sina- Sábado: João 3.16-17
gogas, pregando o evangelho do
Domingo: 2Pedro 3.9
reino...” (Mt 9.35) e além disso or-

19
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 3
Texto Básico: João 4.6-9

EU EVANGELIZO PORQUE AMO

A história da humanidade é o amor que lhe acolha, que lhe


marcada por guerras em busca perdoe as faltas, que lhe console
de conquista de terras, riquezas o coração e que traga esperança
e poder. Impérios nasceram, cres- para o pós-morte. E quem tem
ceram e morreram sem trazer essa resposta de amor? Somente
respostas para as maiores inquie- Deus, pois Ele é amor (1Jo 4.8).
tações do homem, mesmo que Deus demonstrou os Seus atri-
este tenha experimentado algum butos de santidade, poder, justiça,
progresso na ciência, no trans- dentre outros, destacando-se o
porte, na produção de alimentos, Seu grande amor. E o fez de vá-
na conquista do espaço, na arte rias formas, mas especialmente
e em outras áreas. Mas a maior através da promessa e do envio
necessidade do homem sempre de Jesus, o Seu Filho único, “​para
foi responder as inquietações da nos libertar do império das trevas
alma que quer reencontrar-se com e nos transportar para o reino do

20
Filho do seu amor, ​no qual temos do pela carne, mas pelo Espírito
a redenção, a remissão dos peca- (Gl 5.22,23). Para amar de verdade
dos” (Cl 1.13,14). “Deus demonstra será preciso, então, tratar o nosso
seu amor por nós: Cristo morreu em coração com o remédio: “enchei-
nosso favor quando ainda éramos -vos do Espírito” (Ef 5.18).
pecadores” (Rm 5.8). A presença Amar é preparar o nosso cora-
de Jesus no mundo e diante daque- ção para tratar o outro, não segun-
la mulher samaritana, era uma de- do os nossos conceitos e visão. Se
monstração extraordinária do amor no poço de Jacó, olhassem com os
que precisamos e devemos repartir. olhos humanos apenas veriam uma
Para ser cristão é indispensável samaritana, uma mulher, uma pes-
amar, inclusive porque esse é o re- soa difícil de relacionamento e cheia
sumo de toda a lei de Deus: amar a de desvios religiosos. Mas viram-na,
Deus sobre todas as coisas e amar com os olhos do amor de Jesus.
ao próximo como a nós mesmos
Deixemos o “GPS do amor” nos
(Mt 22.34-40). Paulo escreveu que
direcionar ao caminho de Samaria,
acima da fé e da esperança, “o
ao encontro dos “cansados e opri-
mais importante é o amor” (1Co
13.13); “Nós amamos porque ele midos”, na direção da defesa dos
nos amou primeiro” (1Jo 4.19). Sem marginalizados, aos que abando-
dúvidas, a evangelização é uma for- naram a fé. A mulher de Samaria
ma de demonstrar o amor a Deus representa os presos aos vícios, os
e ao próximo. Se o Evangelho é a dominados por hábitos sexuais que
mensagem de um Deus que ama, não os fazem felizes, os desem-
como pregá-la sem viver o amor? pregados, os famosos que choram
pelo vazio da alma, os endividados,
os ricos empobrecidos pelo amor
1 - AMAR É TRATAR O NOSSO ao dinheiro, os escravos da jogati-
CORAÇÃO E SUPERAR na, os órfãos de pais vivos e tantos
PRECONCEITOS outros. Avaliemos nosso desempe-
nho evangelizador através do amor
Amar não é algo natural do ho-
que dedicamos a todos os que ain-
mem, tanto que a própria mulher e
da não têm a esperança e a alegria
até os discípulos de Jesus ficaram
admirados de que o Mestre estives- que temos.
se ali conversando com uma mulher Com amor, seremos amigos,
(Jo 4.9,27). O Apóstolo Paulo dis- mansos, pacientes, demonstrando
se que amor é “fruto do Espírito” e interesse real pela pessoa. Com
acrescenta que, se alguém quiser amor, falaremos verdades profun-
alegria, paz, longo ânimo, bondade, das, mas sem ofender, evitando bri-
benignidade, mansidão e domínio gas e “discussões inúteis” (Tt 3.9;
próprio, não poderá agir domina- 2Tm 2.16,23).

21
2 - AMAR É TRATAR A FERIDA 3 - O EXEMPLO DE JESUS
Jesus propositadamente orde- “Nisto conhecemos o que é
nou que a mulher chamasse o mari- o amor: Jesus Cristo deu a sua
do. Como médico que é, Jesus não vida por nós, e devemos dar a
poderia deixar aquela mulher ir em- nossa vida por nossos irmãos”
bora sem receber a compreensão (1Jo 3.16). Jesus é o exemplo per-
e o amor que precisava, em virtude feito de alguém que ama evangeli-
da vida que levava. É verdade que zando (comunicando as boas notí-
teremos sempre limitações para cias de Deus) e evangeliza amando.
tratar os problemas físicos, emo- Jesus estava apenas evangelizan-
cionais, morais e espirituais dos ou- do uma pessoa que, para espanto
tros, mas é possível sermos usados da época, era uma mulher. Jesus
por Deus para nos identificarmos gastou tempo e arriscou-se, por
com a pessoa e os seus desafios. amor a uma pessoa marginalizada.
E ao fazê-lo com amor, não o fare- Diz o texto que “Jesus tinha a
mos para desnudar suas carências necessidade de passar por Sama-
apenas, mas para provisionar a so- ria” (Jo 4.4). Por que Ele precisaria
lução que vem de Deus. passar por uma região montanhosa,
evitada pelos judeus, com riscos, se-
Amar é compreender as cir-
não pelo seu desejo de amar, servir
cunstâncias em que a pessoa pre- e salvar? Amar é sentir a necessida-
cisa de nós. É acreditar na possi- de de amar, independentemente do
bilidade de que qualquer pessoa outro. Amar é provocar a “neces-
pode ser resgatada com o amor do sidade de passar por Samaria” e
próprio Deus. Algumas chagas pu- ajudar com paixão e sem preconcei-
rulentas parecem incuráveis, mas tos. Uma mulher de “vida fácil”, que
Paulo escreveu aos Romanos que trocava de marido várias vezes, era
quem nos deu o Filho, por amor, alvo do amor de Jesus. Às vezes,
está pronto a dar-nos “também to- associamos amor à necessidade da
das as coisas” (Rm 8.32). pessoa que precisa ser amada. Mas
A sociedade está doente e com com Jesus aprendemos que quem
ela a família, a religiosidade, os re- ama, é quem decide amar.
lacionamentos, a alma. Portanto, Além disso, Jesus precisava
evangelizar é apresentar “o médi- passar por Samaria para desfazer
co amoroso” que veio justamente intrigas racistas; apaziguar diferen-
para curar os doentes. Evangelizar ças religiosas; ensinar que, apesar
é apresentar a boa notícia do Deus de sermos também carentes, pode-
de amor que oferece aos sedentos mos nos tornar instrumentos seus
uma “fonte de água que jorra para a na evangelização dos patrícios.
vida eterna” (Jo 4.14). Basta amar!

22
A Bíblia registra várias vezes mos amor pelas pessoas, contri-
que Jesus é descrito como al- buiremos para que elas se interes-
guém que “teve compaixão” ou sem pela mensagem de amor que
que foi procurado com a expres- pregamos. “Amados, amemos uns
são: “Tenha compaixão de mim”. aos outros, pois o amor procede de
Jesus teve compaixão da multidão Deus. Aquele que ama é nascido de
(Mt 14.14, Mt 9.35-36, Mt 15.32); Deus e conhece a Deus. Quem não
ouviu o clamor por compaixão ama não conhece a Deus, porque
da mulher cananeia pela sua fi- Deus é amor” (1Jo 4.7-8).
lha (Mt 15.22); do pai que clama- Alguns acham que evangelizar é
va pelo filho (Mc 9.22); do cego estudar e transmitir com sabedoria
(Mc 10.47); dos dez leprosos a defesa do cristianismo. Embora a
(Lc 17.13). A compaixão de Jesus apologética cristã tenha o seu va-
era algo com que os carentes po- lor, precisamos viver o cristianismo
diam contar. E ao exercitar o amor, para impactar alguém e o amor é
Ele providenciava contato, impor- a base do ensino de Cristo. Disse
tância às pessoas, salvação da Jesus: “Nisto conhecerão todos que
alma, recomendação para fugir sois meus discípulos: se tiverdes
do pecado. Nele se manifestava amor uns aos outros” (Jo 13.35).
a verdade do salmista: “O Senhor
Quem ama não retém o presen-
é compassivo e misericordioso,
te que Deus já deu ao mundo, e
mui paciente e cheio de amor”
está em nossas mãos a tarefa de
(Sl 103.8).
divulgá-Lo. Quem amor tem, não
A um Jesus que ama, nem os retém o amor que de Deus vem,
inimigos querem deixar fora da ci- antes o reparte, como aos cris-
dade. Os samaritanos se tornaram tãos convém. Amar é repartir o
hospitaleiros para com esse Judeu melhor e Jesus é o nosso melhor.
que ama: “Rogaram que Ele ficas-
Oração – Deus de amor, ensina-
se”(At 18.20). Amor gera amor.
-me a amar com o amor de Jesus!
Como você e eu estamos precisan-
do desse exemplo de Jesus!

PARA PENSAR E AGIR: Segunda: 1João 4.7-8,19


MARCO SENTIMENTAL Terça: Mateus 22.34-40

Sem obedecer à ordem divina, Quarta: Efésios 5.18; Gálatas 5.22-23


Leitura Diária

amando ao Seu Reino e Palavra, Quinta: Tito 2.1-15


não evangelizamos. Por outro lado, Sexta: 1João 3.10-18
dificilmente ganharemos alguém Sábado: Mateus 9.35-36; 15.32
para Jesus se não o ganharmos Domingo: João 13.35
para nós primeiro. Se demonstrar-

23
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 4
Texto Básico: João 4.6-15

A MENSAGEM NUMA LÍNGUA


QUE POSSA SER ENTENDIDA

A mensagem da boa notícia de ser usada. Sabe-se que Deus usa


Deus para o homem tem uma sim- formas simples, vidas simples, pa-
plicidade sem igual, de modo que lavras simples para que o mundo
até as crianças podem compreen- conheça as Suas verdades. Je-
dê-la e aceitá-la. Mas esta men- sus começou falando de poço, de
sagem tem, por outro lado, uma água, de sede, para enfim falar so-
profundidade extraordinária. Tanto bre o Messias.
que ela não pode ser compreen-
dida a partir da intelectualidade e 1 - A MENSAGEM DE DEUS NA
sabedoria dos homens. O ponto
crucial está no fato de que o Espí-
LÍNGUA DOS HOMENS
rito de Deus é quem “convence o Corremos o risco de falar de
homem do pecado, da justiça e do forma que ninguém entenda,
juízo” (Jo 16.8). Disso depreende- especialmente quando usamos
-se a verdade de que, tanto o que expressões figurativas que são
anuncia, quanto o que precisa e comuns apenas entre os que já
ouve a mensagem, devem se per- conhecem a proposta de Deus. O
mitir serem dirigidos pelo Espírito Apóstolo Paulo, escrevendo aos
Santo de Deus. Coríntios, falou sobre o cuidado
Um dos grandes desafios nes- em selecionar o conteúdo, mas
sa transmissão da mensagem pro- também as palavras para o enten-
funda e simples é a linguagem a dimento dos ouvintes: “O homem

24
natural não aceita as coisas do Es- que ela se encontra, para respon-
pírito... por isso, eu precisei falar der às suas inquietações. Corre-
com vocês como se fala a crianças” mos o risco de tentar responder a
(1Co 2.14; 3.1). perguntas que não foram feitas e
Além da necessária esco- a oferecer boas notícias sobre as-
lha das palavras simples, há de suntos que as pessoas julgam não
se destacar a existência de um precisar.
“grande ruído” na comunicação do A mulher tinha barreiras sociais:
Evangelho, que é a teimosia do ho- “como sendo tu judeu, me pede
mem em filtrar o que ouve e quer, água a mim, que sou samaritana?”
segundo a sua utilidade imediata, (Jo 4.9); Ela tinha informações reli-
ou até mesmo desejando o bani- giosas: “Eu sei que o Messias vem...
mento das experiências religio- e vai nos anunciar estas coisas”
sas. Jesus falava em “água viva” e (Jo 4.25); Era influenciada pela tra-
a mulher entendia água do poço. dição religiosa: “Nossos pais adora-
Quando a evangelização se reduz ram neste monte” (Jo 4.20); Tinha
ao pragmatismo ou secularismo, até limitações no conhecimento:
à promessas de ajuda para não “Se conhecesses o dom de Deus...”
precisar “tirar mais água”, não ficar (Jo 4.10). E sendo Deus, Jesus sa-
doente, ganhar dinheiro, ou qual- bia de tudo, e ainda assim a ouviu
quer coisa do gênero, deixa de ser pacientemente.
a mensagem de Deus ao homem Como saberemos as necessi-
perdido. Se para falarmos em lin- dades das pessoas, sem ouvi-las?
guagem inteligível para o homem, Como precisamos saber ouvir!
tivermos de fugir da mensagem de
Deus, de nada adianta. Paulo disse 3 - A LINGUAGEM DO SERVIÇO
que há a possibilidade de se “pre-
gar outro evangelho, que nem é Água é assunto urgente para
outro evangelho, senão perversão” o homem, pois seu corpo é cons-
(Gl 1.6-7). Disso devemos fugir! tituído por cerca de 70% desse
elemento. Propor ajudar alguém
2 - A IMPORTÂNCIA DE SABER OUVIR que precisa transportar muita água
para casa, em potes que, diante da
Jesus não fez um discurso, mas necessidade, são pequenos, mas
travou um diálogo com a mulher. certamente pesados, é algo ex-
Seria bom observar quantas vezes traordinário.
se repete, no capítulo 4 de João, Jesus usou a poderosa lingua-
a expressão “disse Jesus” e “disse gem do atendimento às necessida-
a mulher”. Há uma grande impor- des, porque todos entendem esse
tância em se aproveitar do conhe- palavreado do serviço, da ação so-
cimento da pessoa, do estado em cial: “​Percorria Jesus toda a Galileia,

25
ensinando nas sinagogas, pregan- Paulo escreveu: “se eu falasse
do o evangelho do reino e curando a língua dos anjos e dos homens
toda sorte de doenças e enfermida- e não tivesse amor, nada seria”
des entre o povo” (Mt 4.23). (1Co 13.1). Como pregar a boa no-
Gary Chapman escreveu que o tícia do amor e ser entendido por
amor pode ser demonstrado atra- alguém que está com sede, com
vés de cinco linguagens, as quais fome, com ansiedades sobre o seu
seriam: “o tempo, o serviço, as pa- trabalho e relacionamentos? Preci-
lavras, os presentes e o toque”. Na samos, acima de tudo, servir!
evangelização, muitas outras lin-
guagens, além da palavra, precisam 4 - O EXEMPLO DE JESUS
ser usadas. Muito valem os gestos,
Imaginem começar uma evan-
a atenção, o dar algo, o tempo ofe-
gelização à beira de um poço à
recido e, como Jesus também fez,
margem da estrada, quando o sol
a disposição em ajudar, abençoar.
marcava que já era quase meio-dia
Francisco de Assis dizia que era
e o corpo reclamava a necessida-
para “pregar o evangelho em todo o
de de comida e água. Jesus usou a
tempo e se necessário fosse, deve-
linguagem oral, mas mostrou mui-
ríamos usar palavras”.
tas figuras imaginárias. Sua men-
Que ninguém confunda ação sagem quase que podia ser “vista”,
social com evangelização, mas elas reconhecida pela ouvinte. Come-
podem ser mutuamente comple- çando por água e poço, Jesus trou-
mentares. Ficamos preocupados xe a palavra simples e certeira, na
com o que vamos falar ou como va- hora certa àquela mulher, porque
mos convencer, mas o que deve se a evangelização é algo individual,
tornar a nossa maior preocupação pessoal, mesmo que proclamada a
é o que vamos ser e fazer, pois o um auditório. Talvez tenha sido por
convencimento é ação do Espírito isso que Jesus, que tudo sabe, pro-
Santo, embora não possamos tam- videnciou um encontro reservado,
bém deixar de falar “daquilo que te- longe dos discípulos dele e longe
mos visto e ouvido” (At 4.20). da cidade dela.
O evangelho é entendido em De forma parecida com o que
qualquer língua, em qualquer cultu- aconteceu com Nicodemos, em
ra, em qualquer tempo, justamente João 3 e em outros textos joaninos,
porque está acima da linguística Jesus fez uma afirmação que não
e da retórica. Jesus disse que Ele foi compreendida de pronto, antes
mesmo veio para “servir e dar a interpretada literalmente de forma
sua vida para resgatar a muitos” incorreta. Ele ampliou a afirmação,
(Mc 10.45), e que nós, como discí- que novamente não foi compreen-
pulos, “não estamos acima do Mes- dida. Vemos que Jesus, ao invés
tre” (Mt 10.24). de dar a fórmula pronta, nos leva

26
à reflexão para chegarmos a uma pontos ou versículos que possamos
conclusão por nós mesmos. decorar e retransmitir. Evangelizar
A Bíblia usa a água para ilustrar é convidar a pessoa para começar
a Palavra de Deus e o próprio Espí- a conhecer algo que nunca com-
rito de Deus (Jo 7.37-39; Ef 5.26). preenderemos por inteiro. Mas à
Longe de Deus e de Sua Palavra, medida que nos aproximamos de
o homem vive num “deserto” e em Cristo, Ele entra em nossa vida e
angústias muito maiores do que a nos completa com a linguagem da
de ir ao poço tirar água e levar para Sua Graça e bondade. Jesus entrou
casa. Quando fala em água viva, na cidade e o que a mulher havia
Jesus está mesmo querendo ensi- entendido e falado foi ampliado pelo
nar sobre a satisfação da alma. relacionamento com Ele.
Jesus usa a linguagem mais O próprio Jesus disse que “a
humana possível, para tornar a lin- vida eterna é conhecer a Deus
guagem de Deus compreendida. A e a Jesus, o Seu Filho enviado”
estratégia de Jesus é, a partir das (Jo 17.3). Então, nada podemos
coisas mensuráveis como herança, inventar: O que entregamos é o
rede no mar, morte, vida, semente, mesmo que recebemos: “Que Cris-
caminhos, água e porta, trazer ao to morreu pelos nossos pecados”
nosso alcance a dimensão intangí- (1Co 15.3).
vel, transcendental e eterna da ver- Sendo Deus, Jesus comunicou
dade divina. Ele torna a verdade tão com poder, na língua dos homens,
explicada e simples, que o homem, as coisas do plano de Deus. Sendo
que muitas vezes gosta de compli- homens e, por fraqueza, corremos
car as coisas, estranha. o risco de falar, na suposta língua
de Deus, as coisas do plano dos
PARA PENSAR E AGIR: homens.
MARCO COMUNICATIVO Oração – Senhor, Dono da mi-
nha língua, doma-a para que eu
Como comunicar sem se preo-
fale somente o que leve as pessoas
cupar se a pessoa está entenden-
a entenderem o Teu chamado.
do? A dúvida pode até surgir, pois
ela faz parte do aprendizado: “Tu
não tens com que tirar a água e Segunda: 1Coríntios 13.1
o poço é fundo” (Jo 4.11); ou “És
Terça: João 3.1-11
tu maior que nosso pai Jacó?”
(Jo 4.12). Mas o importante é des- Quarta: 1Coríntios 2.14; 3.1
Leitura Diária

pertar o interesse e a curiosidade, Quinta: João 17.3


e deixar a pessoa com vontade de Sexta: 1Coríntios 15.3
saber o desfecho. Sábado: João 16.1-15
Por outro lado, a mensagem do Domingo: Gálatas 1.6-12
Evangelho não se resume a alguns

27
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 5
Textos Básicos: João 4.1-13; 25,26; 41,42

EVANGELIZAR É
APRESENTAR JESUS

Precisamos evangelizar em Sinagoga de Nazaré. O texto dizia


todo o lugar, porque isso é de- que o Espírito de Deus havia pro-
monstração de amor a Deus e ao videnciado liberdade aos cativos,
próximo. Ao fazê-lo, devemos usar pregação sobre o favor de Deus,
uma linguagem que todos possam visão aos cegos, solução para os
compreender até mesmo sem
oprimidos. Ao terminar de ler esta
palavras. Mas, afinal, o que é o
Evangelho? Em que consiste esta profecia alvissareira, Jesus dis-
boa notícia de Deus? O que não se, em outras palavras: “Eu sou
podemos deixar de falar quando o cumprimento desta profecia;
comunicamos o Evangelho? Eu sou esta boa notícia de Deus”
Sem dúvidas, Jesus é o próprio (Lc 4.21). A mulher samaritana
Evangelho. Jesus proferiu a leitura não sabia que Jesus havia vindo e
de um texto do profeta Isaías na precisava ouvir.

28
nenhum outro nome, dado entre os
1 - QUEM É JESUS? homens, pelo qual importa que se-
A mulher samaritana alimenta- jamos salvos”. Jesus conhece toda
va em seu coração a esperança do a história humana, com toda a sua
cumprimento da promessa da vinda dor. Diante da fragilidade das pes-
do Messias. Messias significa o “Un- soas, que carregam pesos físicos e
gido”, enviado de Deus para “salvar morais, Ele mesmo é a esperança.
o povo”, como registraram os profe- Jesus é quem pode saber sobre as
tas Isaías e Daniel, por exemplo (Is crises, propor soluções, despertar
62.11 e Dn 9.25). Esta mulher, es- interesse, salvar vidas. Jesus é a
perando uma mudança de vida, re- fonte de graça e exemplo.
conhecia ser verdade e, certamen-
te urgente, que o Messias viesse. 2 - EVANGELIZAR É APRESENTAR
Quando André falou sobre Jesus A PESSOA DE JESUS
para Pedro pela primeira vez, disse:
“Achamos o Messias” (Jo 1.41). O evangelismo não se resu-
me em dizer “que Deus tem um
Jesus é o cumprimento desta plano para a sua vida”, embo-
promessa: “Eu o Sou, Eu o que falo ra isso seja verdade para todos.
contigo, sou o Messias” (Jo 4.26). Evangelizar não é focar no resul-
Jesus é um ser pessoal, que se re- tado, no “número de batismos”
laciona com qualquer pessoa que (Jo 4.1), mas dizer quem é Jesus,
queira. É o Filho de Deus, mas tam- como fez o Apóstolo Paulo: “Porque
bém é homem. Naquele encontro à decidi nada saber entre vós, senão
beira do poço cavado por Jacó, Je- a Jesus Cristo e este crucificado”
sus, o que havia “criado” Jacó, mos- (1Co 2.2). Num encontro entre Fili-
trou sua humanidade que o leva pe e um viajante, encontro marcado
a ter sede e fome. Mas, mostrou por um anjo no deserto, depois da
também sua divindade, através de leitura de um texto bíblico, regis-
sua compaixão e onisciência. João trou-se: “Então Filipe, abrindo a sua
disse que quem recebesse a Jesus boca, e começando nesta Escritura,
também se tornaria “Filho de Deus” lhe anunciou a Jesus” (At 8.35).
(Jo 1.12). Apesar de ser quem Ele Pode-se começar falando de
é, Jesus se fez filho do homem para história religiosa (Jacó, José); de
que, apesar de ser quem eu sou, símbolos religiosos (poço, monte);
Ele me faça filho de Deus. de doutrina de adoração (lugar, for-
A Bíblia diz que a salvação do ho- ma). Pode-se falar de necessidades
mem só pode vir por Jesus. Em Atos pessoais (água, marido, utensílio
4.12 temos o registro da seguinte para tirar água, transporte); mas a
palavra de Pedro sobre Jesus: “​E evangelização precisa chegar ao
não há salvação em nenhum outro; ponto indispensável: a pessoa de
porque abaixo do céu não existe Jesus. Muitos ficam na periferia:

29
na água, milagre, doutrina e costu-
mes, mas não chegam a comunicar 3 - O EXEMPLO DE JESUS
o plano enviado de Deus para o O que Jesus disse ou demons-
homem. Foi o próprio Jesus quem trou sobre si mesmo? Que Ele é
disse que o amor de Deus foi de tal humano, que é o “dom” (presente)
maneira, que O levou a enviar o seu de Deus, é o que pode dar “água
único Filho. Quem nisso crê, livra- viva” que salta para a vida eterna,
-se do merecido inferno e recebe a que conhece todas as coisas, que
dádiva do céu (Jo 3.16). nEle precisamos crer, que é Filho
Alguns chamam de evangelismo do “Pai”, que Ele é o Prometido de
o que na realidade é um proselitis- Deus que já chegou, que a razão
mo, porque procuram convencer de Sua vida é agradar a Deus e
pessoas a deixarem “seus montes” fazer a Sua obra, e ainda, que Ele
e suas Igrejas e ingressarem em nos envia a colher os frutos que es-
outra. Outros acham que teriam tão sendo trabalhados.
cumprido o seu dever evangeliza- A conversa de Jesus não foi
dor ao comunicarem um convite ou para explicar o relacionamento en-
até um versículo ou folheto, mas tre judeus e samaritanos, nem foi
sem terem eles mesmos realmente somente uma tentativa de resolver
sido impactados. Vale a pena res- o problema social, tampouco foi
saltar que evangelizar também é uma discussão histórica sobre per-
viver como Jesus. Aceitar o Evan- sonagens, como o importante Jacó,
gelho é aceitar o Reino de Cristo e por exemplo. Ele foi direto ao pon-
o Seu governo em nossas vidas e to: a questão não é social ou racial,
isso, por si só, é uma pregação con- a questão é de sede da alma e Eu
vincente. “Ele tem dito o que tenho posso resolver: “aquele que beber
feito” (Jo 4.39). da água que eu lhe der nunca terá
Não é errado desejar que nos- sede” (Jo 4.14). A mulher tentou
sa Igreja abençoe pessoas e as desviar o assunto várias vezes e
desafiem para um relacionamento Jesus não perdeu o foco. Ouviu so-
de aprendizagem, adoração, co- bre raça, história, poço e geografia.
munhão e serviço. Até porque faz Mas Jesus queria falar de Jesus. É
parte do “Reino de Deus” uma Igre- verdade que para falar da necessi-
ja operosa. Mas evangelizar é mais dade da alma, Ele começa falando
do que isso. de água, como que entrando no
A mulher mais improvável aos mundo da pessoa, para que a pes-
nossos olhos tinha também expec- soa possa entrar em seu mundo.
tativas do cumprimento de profecias Jesus tinha certeza de quem Ele
bíblicas e dos ensinos do Messias. era. Em muitos outros textos Jesus
Essas pessoas precisam conhecer diz sobre si mesmo: “Eu sou antes
a pessoa de Jesus. de Abraão” (Jo 8.58), no caso, avô

30
do tal Jacó do poço; Ele é o Filho A solução para o mundo não é
unigênito de Deus (Jo 3.18); havia água, alimento, marido, monte san-
sido enviado para declarar as boas to, economia, governos, igualdade,
novas do Reino de Deus (Lc 4.43); prosperidade, ecologia e denomi-
Eu e o Pai somos um (Jo 10.30); e nações, mesmo que haja necessi-
Eu sou o único caminho para Deus dade de cada uma dessas coisas. A
(Jo 14.6). solução é Jesus, o Messias, e nEle
precisamos crer enquanto há tem-
po. Paulo registrou: “Se você con-
PARA PENSAR E AGIR: fessar com a sua boca que Jesus é
MARCO SALVADOR Senhor e crer em seu coração que
O tamanho da ofensa do ho- Deus o ressuscitou dentre os mor-
mem contra Deus não permite que tos, será salvo” (Rm 10.9).
o próprio homem faça a reparação Jesus é o Evangelho que se
da dignidade do ofendido. Foi ne- deve pregar. Quando Ele vive em
cessário que o próprio Deus des- nós, tornamo-nos a boa notícia
cesse em forma de homem para que o mundo precisa ouvir, pois a
pagar pela dívida da humanidade: essência do Evangelho é o Jesus
“Pois o salário do pecado é a mor- que vive em nós e é a esperança
te, mas o dom gratuito de Deus é a para todos. Eu sou o que sou, por
vida eterna em Cristo Jesus, nosso causa da minha natureza de aco-
Senhor” (Rm 6.23). Paulo escreveu modação ao pecado. Mas eu posso
aos Efésios: “Em Cristo temos a re- ser semelhante ao que Cristo é, por
denção pelo seu sangue, a reden- causa da Sua natureza de transfor-
ção dos nossos delitos, segundo as mação e santidade.
riquezas da sua graça” e que Deus Oração – Pai de nosso Senhor
propôs “fazer convergir em Cristo e Salvador Jesus Cristo, ajuda-me
todas as coisas, tanto as que es- a ser semelhante a Jesus e a apre-
tão nos céus como as que estão na sentá-Lo ao mundo para que o co-
terra” (Ef 1.7,10). Esse é um marco nheçam.
Cristocêntrico!
Ao escrever sobre a doutrina
das últimas coisas, João registra as Segunda: João 1.40-46
seguintes palavras de Jesus: “Eu,
Terça: Atos 4.12
a quem tiver sede, darei de graça
da fonte da água da vida” (Ap 21.6). Quarta: Isaías 62.10-12
Leitura Diária

Por isso, precisamos ouvir e divul- Quinta: João 1.9-18


gar o seu convite: “Se alguém tem Sexta: Romanos 10.9-13
sede, venha a mim e beba. E rios Sábado: João 14.1-14
de água viva correrão do coração Domingo: Efésios 1.5-12
de quem crê em mim” (Jo 7.37-38).

31
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 6
Texto Básico: João 4.1-42

EVANGELIZAR É
EXPLICAR A BÍBLIA

A salvação da alma não é uma


invenção humana. Ela tem uma 1 - A BÍBLIA CITADA NESSE TEXTO
história que se iniciou no próprio
No período em que ocorreu
Deus, o qual providenciou também
o seu registro. A Bíblia é o registro essa conversa de Jesus com a
do propósito de Deus em salvar, é mulher samaritana, havia apenas
o anúncio do Seu projeto, do meio os registros do Antigo Testamen-
que providenciou, do modo como to e, é claro, com reduzidíssima
salvou pessoas que julgaríamos quantidade de cópias. Mas, além
improváveis de serem salvas e de da tradição oral, o evangelista
como Ele está convidando a todos João, Jesus e a mulher samarita-
à aceitação de Sua proposta sal- na citaram textos e histórias da Bí-
vífica. É preciso estudar a Bíblia blia nesta conversa evangelística,
para compreender e crer naquilo que precisam ser relembrados:
que Deus está fazendo por nós. - “Sicar, junto a herdade que
Jesus ordenou o exame das Jacó tinha dado a José” (Jo 4.5) –
Escrituras, pois nelas teríamos a João cita este dado histórico que
vida eterna (Jo 5.39). O Apósto- está registrado em Josué 24.32.
lo Paulo escreveu que “a fé vem Siquém ou Sicar era o lugar onde
pelo ouvir a palavra de Deus” José foi procurar os seus irmãos
(Rm 10.17). que tomavam conta das ovelhas,

32
conforme ordem do seu pai, re- forme Deuteronômio 32.6 e Isaías
gistrado em Gênesis 37.14. Talvez 64.8. Deus diz que antes de Jeru-
para relembrar isso, tenha recebido salém, o local de adoração era Siló,
esta doação. mas por causa do pecado, Deus o
- “Judeus não se comunicam com destruiu como destruiria Jerusalém
os samaritanos” (Jo 4.9) – Um dos também (Jr 7.12-14).
motivos para esta rivalidade está re- - “A salvação vem dos judeus”
gistrado em 2Reis 17.24, onde temos (Jo 4.22) – O salmista afirma que
a informação de que o Rei da Assíria “a salvação vem de Sião” (Sl 14.7).
(que havia invadido o Reino do Nor- Também em Miquéias 5.2 lemos
te, cuja capital era Samaria) trouxe sobre a origem daquele que “há de
pessoas de várias nações para ha- reinar”: “sairá de Belém, de Judá”.
bitar ali, tendo levado os de Samaria - “Deus é Espírito” (Jo 4.24) –
para outras terras. O episódio teve a Vários textos falam sobre o Espírito
permissão de Deus em virtude dos de Deus, tais como Juízes 3.9-10;
pecados cometidos pelos reis e pelo 6.33-34 e Miquéias 3.8.
povo do Reino do Norte. - “O Messias vem” (Jo 4.25) – O
- “Jacó deu o poço e ele bebeu Antigo Testamento está repleto de
com os seus filhos e seu gado” profecias sobre a vinda e a vida do
(Jo 4.12) – Estudiosos afirmam que Messias. Moisés, Davi, Isaías, Da-
o poço está no terreno comprado niel e Zacarias talvez tenham sido
por Jacó, segundo o relato de Gê- os que mais falaram sobre essa
nesis 33.18-20. vinda, dentre os quais destacamos
algumas referências: Gênesis 3.15,
- “Água viva” (Jo 4.14) – Pare- Deuteronômio 18.18-19, Salmos 2,
ce que há uma conexão entre esta Isaías 9.1-7, Daniel 7.13-14 e Zaca-
expressão: “água viva” com o texto rias 6.12-13.
de João 7.37-39 e de Ezequiel 47.
O povo de Israel ensinava em
Este último fala de água que brota
casa e conversava sobre os epi-
do templo.
sódios bíblicos, fazendo com que
- “Nossos pais adoraram nesse cada conversa, mesmo à beira de
monte e vós dizeis que é em Jeru- um poço, ficasse impregnada de
salém” (Jo 4.20) – Moisés havia or- transmissão do recado de Deus.
denado que quando chegassem à Quando transmitimos os oráculos
terra de Canaã, algumas tribos su- de Deus, estamos evangelizando.
biriam ao Monte Gerizim, próximo Pedro adverte: “​ Se alguém fala,
dali, para pronunciar bênçãos sobre fale de acordo com os oráculos de
Israel (Dt 27.12) e isso foi cumpri- Deus” (1Pe 4.11). Não há como
do integralmente (Js 8.33-35). Além evangelizar sem usar a Bíblia com
disso, Jesus tirou a atenção da ex- profundidade. Por outro lado, ler a
pressão “pais” ou “antepassados” Bíblia é uma viagem que nos leva a
e a colocou no “Pai” de todos, con- conhecer plenamente o seu Autor.

33
de Lucas 4.17-21. Já vimos como
2 - JESUS É A PALAVRA DE DEUS Jesus usou as Escrituras nesse
Jesus é a encarnação da reve- encontro evangelizador com a mu-
lação de Deus ao homem. A Pa- lher samaritana. Esta era a sua for-
lavra se compreende em Cristo, ma de abordar as pessoas. Jesus
anunciado no Antigo Testamento disse que, se os ouvintes cressem
e confirmado pela sua vida, sua nas palavras de Moisés, certamen-
mensagem e seus atos registrados te creriam nEle, porque Moisés es-
no Novo Testamento. João chega creveu a respeito dEle (Jo 5.46-47).
a dizer que Jesus é a própria pala- Vejamos alguns outros textos:
vra, o “logos” (Jo 1.1). Isso era en- - Em Mateus 12.1-8, quando os
tendido pelos gentios, alvo do texto fariseus questionavam a Jesus e
de João, como “agente da criação aos seus discípulos, Jesus citou e
e modo de comunicação de Deus reinterpretou uma ação de Davi e
com os homens”. Jesus é Deus e dos Sacerdotes (1Sm 21.6);
a revelação de Deus. Um dos dis- - Em Mateus 19.18, Jesus orde-
cípulos de Jesus questionou sobre na a um jovem que observe os man-
o conhecimento do Pai, ao que Je- damentos descritos em Êxodo 20;
sus respondeu: “Você não me co-
nhece, Filipe, mesmo depois de eu - Em Mateus 27.46, no registro
ter estado com vocês durante tan- dos momentos finais de Jesus na
to tempo? Quem me vê, vê o Pai. cruz, Ele citou Salmos 22.1;
Como você pode dizer: ‘Mostra-nos - Em Mateus 4.1-11, Jesus ven-
o Pai’”? (Jo 14.9). ce a tentação citando vários textos:
Sendo Jesus o centro de todas “Nem só de Pão viverá o homem,
as coisas, inclusive das Escrituras, mas de toda a palavra que sai da
e sendo o Evangelho a apresenta- boca de Deus” (Dt 8.3); “Não ten-
ção do Jesus Salvador, é natural tarás o SENHOR, teu Deus, como
e urgente que na evangelização a o tentaste em Massá” (Dt 6.16); e
apresentação das Escrituras e de “Ao Senhor, teu Deus, temerás, a
Jesus sejam umbilicalmente rela- ele servirás, e, pelo seu nome, jura-
cionados. rás” (Dt 6.13).
Acerca de Estevão e Apolo,
registra-se que eram homens “po-
3 - O EXEMPLO DE JESUS EM derosos nas Escrituras” (At 6.10;
RELAÇÃO À BÍBLIA 18.24). Ou seja, tinham domínio no
Jesus conhecia muito bem o manuseio e explicação da Palavra.
Antigo Testamento e se anunciou O mesmo se poderia dizer sobre
como o cumprimento do texto de Jesus, nosso exemplo como evan-
Isaías 61.1-3, conforme registro gelizador.

34
o Senhor nos fez saber” e “ven-
4 - A BÍBLIA NA EVANGELIZAÇÃO do-o, divulgaram o que lhes tinha
Mesmo precisando ser evan- sido dito a respeito deste menino”
gelizada, a mulher samaritana co- (Lc 2.15,17). Deus nos tem feito sa-
nhecia a parte reconhecida pelos ber o seu projeto pelo qual enviou
samaritanos nos escritos de Moi- o Salvador, o Messias, ao mundo.
sés. Não é novidade para ninguém E Ele nos tem comissionado para
que até o Diabo conhece as Escri- divulgarmos o Seu plano. Faz-se
turas. Quem anuncia precisa “ma- mister, portanto, que procuremos
nejar bem a palavra de Deus como ter intimidade com as Escrituras re-
obreiro aprovado” (2Tm 2.15), para veladas por Deus.
ajudar pessoas a interpretarem Se há algo que deve ser um
adequadamente o que Deus quer. marco em nosso programa evan-
Filipe foi enviado a um etíope que gelístico, é o ardor em ler e viver a
lia as Escrituras e não a entendia. Palavra de Deus. Ler a Bíblia diaria-
Ele decidiu começar pelo livro de mente é uma dieta imprescindível
Isaías, que estava sendo lido e,
para a alma que quer crescer na fé
a partir desse, anunciou a Jesus
e levar outros ao crescimento. De-
através de muitos outros textos
core partes das Escrituras, como
(At 8.35).
o fez Jesus. Sigamos o exemplo
Para ser salva, a pessoa precisa também de Esdras: “Porque Es-
crer e invocar a Jesus, depois de ou- dras tinha disposto o coração para
vir a Palavra de Deus. Para se ouvir, buscar a Lei do SENHOR, e para
naturalmente, é preciso que alguém a cumprir, e para ensinar em Israel
pregue. Paulo concluiu: “a fé vem os seus estatutos e os seus juízos”
pelo ouvir a palavra” (Rm 10.14-17). (Ed 7.10).
Quando o carcereiro perguntou o
que precisaria fazer para ser salvo, Oração – Deus das Escrituras,
ouviu como resposta a necessidade Tua é a palavra que promove a fé
de crer e “lhe pregaram a palavra que salva. Ajuda-me a manuseá-la
de Deus” (At 16.30-32). Escreven- e transmiti-la com fidelidade e amor.
do aos Coríntios, Paulo disse que
havia entregado a eles exatamente
o que havia recebido, “conforme as Segunda: Atos 8.29-38
Escrituras” (1Co 15.3-6). Terça: Josué 8.33-35
Quarta: João 7.37-39
PARA PENSAR E AGIR:
Leitura Diária

Quinta: João 5.39; Esdras 7.10


MARCO BÍBLICO Sexta: 1Pedro 4.11
Os pastores que receberam dos Sábado: Lucas 4.17-21
anjos a notícia do nascimento de Domingo: Romanos 10.17
Jesus disseram: “Vamos ver o que

35
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 7
Texto Básico: João 4.21,39-42

EVANGELIZAR É CONVIDAR
À FÉ EM JESUS

Entregar um folheto, falar sobre 1 - É PRECISO CRER QUE O


algum texto ou episódio bíblico,
testemunhar da experiência pes-
HOMEM ESTÁ PERDIDO
soal com Jesus, podem ser ações Para falar da fé que salva pre-
importantíssimas da etapa evan- cisamos também falar da perdição
gelizadora. Mas a evangelização e da impossibilidade do homem
completa-se com o convite, que de salvar-se. A mulher ouvia aten-
é feito em nome do próprio Espí- tamente sobre a “fonte de água
rito de Deus, para que se creia na viva” como uma introdução ao fato
mensagem apresentada. Como a de que ela mesma estava seden-
fé não é apenas uma compreen- ta em seu deserto espiritual. Ela
são mental, um assentimento ou certamente entendeu isso quando
uma concordância, o que se espe- Jesus tocou na questão dos seus
ra como resposta de fé? Fé é mais relacionamentos: “Chama o teu
do que possamos compreender marido” (Jo 4.16). A mulher creu
e, por isso, depende da ação do e levou muitos a crerem nEle pelo
Espírito de Deus em nós. Fé inclui seu testemunho: “Ele disse tudo
revisão de conceitos, disposição quanto tenho feito” (Jo 4.39). Para
para mudança de vida e renúncia compreender a graça, na qual de-
da própria vida, certos de que não vemos crer, será preciso entender
podemos salvá-la sozinhos. A fé a justiça de Deus que não aprova
salvadora exige entrega incondi- o meu pecado.
cional da vida ao plano de salva- A sociedade moderna tem pre-
ção em Jesus. gado e vivido a “fé no trabalho”, no

36
“esforço individual” e na própria fé.
Para muitos, ter fé significa ter de- 2 - É PRECISO CRER QUE O
terminação para lutar. Esse tipo de MESSIAS VEIO
“fé” implica em trazer para o nos- Se para muitos hoje a fé em Je-
so controle aquilo que almejamos. sus ainda é uma “loucura”, imagine
Mas dentro do conceito bíblico, isso para aquela mulher que esperava
pode ser justamente falta de fé, pois um Messias com forças políticas,
incredulidade é ser auto-suficiente, inclusive! Como um homem com
desprezando a Deus. Crer, no sen- sede poderia ser um enviado de
tido bíblico, é justamente ter a cer- Deus? Pior, Ele veio a ser cruci-
teza de que não podemos ser sal- ficado e morto. Está escrito que o
vos por nós mesmos, mas sim, pela Jesus crucificado de nossa prega-
graça e bondade de Deus, através ção é “escândalo para os judeus e
de Jesus. loucura para os gentios” (1Co 1.23).
No contexto atual de seculariza- Mas Jesus disse: “Eu sou. Eu o que
ção e individualismo, a falsa evan- falo contigo” (Jo 4.26). Isso exigia fé.
gelização tem sido um convite à O docetismo era uma heresia
aceitação de padrões de vida muitas que pregava que “Jesus era Deus
vezes baseados em bens e no que- que se emprestou de uma forma hu-
rer e poder do próprio homem. Mas mana”. Ele não era humano, mas ti-
fé é um convite para o homem esva- nha aparência humana. Logo, a sua
ziar-se de si mesmo, deixar de lado crucificação foi uma encenação. O
o “seu balde, corda ou cântaro”, as docetismo moderno prega que Je-
suas convicções e tradições e arre- sus ressuscitou só no espírito e não
pender-se por “tudo quanto tem fei- em carne. João já havia escrito que
to”. O Apóstolo Paulo resumiu: “Por- “O Verbo se fez carne e habitou en-
que todos pecaram...” (Rm 3.23). tre nós” (Jo 1.14). A mulher estava
A própria expressão de fé já diante do Messias 100% homem,
enunciada várias vezes pelo evan- que ficava cansado, com fome, com
gelista em capítulos anteriores, de- sede e “que não podia tirar água do
monstra que a conversão implica poço”. Além disso, Jesus disse que
em mudança de vida. Ao contrário “Deus é Espírito” (Jo 4.24) e sendo
daquilo que o mundo tem feito, é Ele “um com o Pai” (Jo 10.30), era
preciso receber Jesus (Jo 1.11,12), 100% Deus. Que desafio é crer no
nascer de novo (Jo 3.3) e sair das Filho de Deus! E a mulher creu.
trevas e vir para a luz (Jo 3.20,21). Uma das interpretações para a
Para “escavar” a fonte de água verdade “A salvação vem dos ju-
viva que é Jesus, é preciso “golpear deus”, está justamente no fato de
o barro” que vive dentro de nós, as que Jesus, o Messias, foi prometido
impurezas que impedem o fluir des- e descendeu dos judeus. Jesus veio
sa água. como resposta do amor de Deus ao

37
mundo perdido e como resposta Não podemos confinar Deus a um
única para a salvação do homem: lugar geográfico, como um monte,
“Porque sem derramamento de nem enquadrá-Lo em nossa siste-
sangue não há remissão de peca- matização teológica. Deus é muito
dos” (Hb 9.22). Jesus não é ape- maior que nós e age como quer.
nas um “profeta”, mas, resumindo o Mas percebemos em Sua Palavra
texto de Hebreus 1.1-8, é também que, exercendo a Sua soberania,
Criador, Sustentador, Palavra de Deus resolveu amar e valorizar o
Deus, é quem purifica dos pecados ser humano, dando-lhe o direito de
(Sacerdote), digno de adoração, retribuir com convicção o seu amor
Rei, Eterno e Primogênito. e chamado. O apóstolo Paulo, por
exemplo, fala em suas cartas e, es-
3 - É PRECISO CRER QUE HÁ pecialmente aos Coríntios, sobre
ESPERANÇA PARA TODOS os chamados de Deus: Deus nos
chama para “sermos de Jesus”,
Jesus, embora estivesse con- ou seja, para a salvação (Rm 1.6;
versando com uma mulher, estava 1Co 1.9); Chama para a santifica-
ensinando o que era verdade para ção (Rm 1.7, 1Co 1.2); para a co-
todo o mundo. Os princípios ceri- munhão (1Co 1.9,10); a liberdade
moniais e provinciais do Judaísmo (Gl 5.13); para a paz (1Co 7.15 b);
eram diferentes da fé sem fronteiras para o serviço (Rm 1.1); além de
pregada por Jesus. Jesus convida- outros chamados. Fala-se muito do
va a mulher, não para uma ação, chamado para a salvação e pouco
em “um lugar” e de certa forma, sobre os outros chamados de Deus.
mas a convidava a crer. Deus convida, fica ofendido e triste
Jesus a convida dizendo “crê- se o homem não atende, mas, em
-me”, porque a mulher tinha o di- Sua Soberania, respeita o direito do
reito de não crer. Aliás, o texto homem escolher em cada um des-
diz que da cidade muitos creram ses convites.
(Jo 4.41). Não foram todos, porque Todos somos chamados com
a evangelização precisa esperar a insistência. Jesus e a mulher sa-
manifestação de decisão, aceitação maritana pregaram em Samaria
e fé. Esta fé vem pela convicção e, como não foram todos os que
pessoal, pelo contato com Cristo e creram, Deus não desistiu. Enviou
com Sua Palavra (Jo 4.42). É cla- outros pregadores posteriormente
ro que esse livre arbítrio engloba o para pregar a pessoas que, muito
direito de decidir e a consequência provavelmente, haviam sido con-
das decisões. temporâneas dessa visita de Je-
Discute-se, há séculos, se Deus sus e não haviam aproveitado a
convida para a salvação ou se Deus oportunidade para crer (At 8.5-25).
salva por sua decisão unilateral. Ou seja, a salvação de todos de-

38
pende 100% do Deus que ama, “Quem crê em mim, ainda que es-
paga, chama e aceita. Mas tam- teja morto, viverá” (Jo 11.25,26).
bém depende 100% do homem que
ouve, arrepende-se e crê. PARA PENSAR E AGIR:
MARCO DE FÉ
4 - O EXEMPLO DE JESUS EM
“Sem fé é impossível agradar a
DESAFIAR A FÉ Deus” (Hb 11.6). João escreveu que
Enquanto muitos discutem se os sinais foram registrados para
a salvação é dos pobres, se é das que houvesse fé (Jo 20.31). Mas
pessoas a quem Deus chama ex- em Samaria houve fé sem registros
clusivamente; se pode ser perdi- de milagres, apenas com as pala-
da, se é adquirida de uma vez ou vras e o relacionamento com Jesus.
por processo, Jesus desafia com Crer é andar dirigido pelo Espírito e
clareza: “creia em mim, mulher” não pelos sentimentos e experiên-
(Jo 4.21). Depois dela e devido ao cias dos outros. Por isso, para crer
seu testemunho, muitos creram. precisamos ouvir e responder posi-
Não temos registro de batismo dos tivamente ao “vinde e vede um ho-
convertidos, apesar de o capítulo mem que disse tudo quanto tenho
começar falando que os discípulos feito” (Jo 4.29).
de Jesus batizavam na Judéia, mais Evangelizar é propor a fé em Je-
que o próprio João Batista. Embo- sus – “Porque pela graça sois sal-
ra Ele mesmo tenha sido batizado vos, mediante a fé” (Ef 2.8).
(Mt 3.15-16), ordenado o batismo Parafraseando o provérbio: “Um
(Mt 28.19) e apoiado os discípulos homem, para ser realizado, precisa
nesta tarefa (Jo 3.22), Jesus convi- crer no Filho, viver um livro: a Bíblia
dava primeiro para a fé e não ape- e comer da “árvore da vida”.
nas à “adesão” ao grupo. Oração – Senhor, aumenta-me
Jesus destaca a indispensabi- a fé e dê fé a quem evangelizarmos.
lidade da fé para a salvação: “​Em
verdade, em verdade vos digo:
quem ouve a minha palavra e crê
naquele que me enviou tem a vida Segunda: Romanos 10.5-13
eterna” (Jo 5.24). Jesus valorizou
Terça: Mateus 9.2-8
a fé e desafiou para que cres-
sem. A Jairo, disse: “Crê somente” Quarta: Hebreus 11.1-6
Leitura Diária

(Mc 5.36); “ Vendo a fé dos homens Quinta: João 11.21-27


que levaram o paralítico, disse: ... Sexta: João 20.24-31
Perdoados são os teus pecados” Sábado: Efésios 2.1-10
(Mt 9.2); Para Marta, por ocasião Domingo: João 1.11-12
da ressurreição de Lázaro, disse:

39
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 8
Textos Básicos: João 4.16 e Efésios 4.22-24

EVANGELIZAR É PROMOVER
A NOVA VIDA

Evangelizar é também um ceu uma guinada tal em sua vida


esforço para que a pessoa evan- que ela passou a ser referência e
gelizada, em Cristo, receba o po- autoridade em questões de fé.
der de tornar-se uma nova cria- Evangelizar é abordar corajo-
tura (2Co 5.17) e viva, não mais samente a questão da moral e dos
ela, mas Cristo viva nela pela fé equívocos religiosos, sem nunca
(Gl 2.20). Evangelizar é ofere- ter o propósito de denegrir, dimi-
cer à pessoa a oportunidade de nuir e escorraçar. Toda a ação de
voltar para a sua comunidade de Jesus e, por conseguinte, do seu
forma diferente. Como aconteceu programa evangelizador, recupera
com a mulher samaritana que, a dignidade da pessoa perdida ao
antes de encontrar Jesus naque- pecar. Ele faz com que ela “nasça
le poço, provavelmente fosse alvo de novo” (Jo 3.3).
de comentários e, por isso, não Paulo revela em 2Coríntios
buscasse água no mesmo horário 4.1,4,6 e 16: “Embora o entendi-
que as outras mulheres. Depois de mento dos incrédulos esteja cego
encontrar o Filho de Deus, aconte- para não verem a luz, ...rejeitamos

40
as coisas ocultas, que são ver- em Jesus, como o livramento do in-
gonhosas... e​ não desanimamos; ferno. O céu começa aqui e agora
pelo contrário, mesmo que o nosso para nós, mesmo que continuem as
homem exterior se corrompa, con- incompreensões. O nosso velho ho-
tudo, o nosso homem interior se mem já foi crucificado com Cristo...
renova de dia em dia... para que não podemos mais ser escravos do
das trevas brilhe a luz”. pecado (Rm 6.5-7).
A força e a vitória vêm da fon-
1 -“DA FRAQUEZA TIRAM FORÇAS” te que jorra dentro de nós por
A expressão “da fraqueza tira- termos bebido do Espírito Santo
ram forças” é um dos elogios do (1Co 12.13). É como água brotando
autor da carta aos Hebreus aos milagrosamente da pedra!
personagens da lista que denomi-
namos “galeria da fé” (Hb 11.34). 2 - NOVA VIDA, NOVA MENTALIDADE!
Contudo, nos versículos anteriores Quando Paulo fala da mudança,
o autor relaciona alguns desses quer dizer que evangelizar não é
heróis: “Raabe, a meretriz, Gideão, simplesmente estimular a adoção
Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Sa- de novos hábitos exteriores, como
muel...” Só a graça de Deus para ir adorar num determinado mon-
permitir que esses fracos perso- te ou em outro. Mas é pregar que
nagens arranjassem forças. Fracos podemos ter uma transformação, a
em questões como idolatria, imora-
começar de nossa mente. Assim, o
lidade, prostituição, assassinato e
corpo inteiro acompanhará a pres-
nepotismo. Quanta fraqueza! Só o
tação de um culto racional “para
cristianismo, com o favor de Deus,
que experimentemos a boa, per-
possibilita que pessoas como você
feita e agradável vontade de Deus”
e eu, como a mulher samaritana,
(Rm 12.1-2). Isso contraria a razão
como os próprios discípulos, pes-
humana.
soas improváveis aos olhos huma-
nos, tornem-se vencedoras. O Filho de Deus, aquele que
desceu do céu e por meio de quem
Jesus não nos salva para que
foram criadas todas as coisas
sejamos alienados. Ele deseja que
voltemos à cidade e, no meio da- (Jo 1.3), tem poder para tirar uma mu-
queles que nos conhecem e já se lher cabisbaixa e humilhada, da con-
relacionaram conosco, sejamos dição de carente e levá-la à posição
pessoas melhores, dirigidas por de ajudante. Para isso, pediu-lhe um
Deus e seu propósito, impacta- favor honesto antes mesmo da sua
das pelo relacionamento com Ele. transformação: “dá-me de beber”.
Tampouco, somos salvos para ex- Jesus espera que pessoas in-
perimentarmos somente depois da sossas como você e eu, que viviam
morte os efeitos benéficos da fé nas trevas do pecado, sejam reves-

41
tidas da responsabilidade de “sal- como por espelho, a glória do Se-
garem e iluminarem” esse mundo nhor, somos transformados, de gló-
perdido (Mt 5.13,14). Que programa ria em glória, na sua própria ima-
no mundo promove tamanha inclu- gem, como pelo Senhor, o Espírito”
são social? Quem, além de Cristo, (2Co 3.2,18).
pode promover essa mudança de
dentro para fora? É como se um 3 - O EXEMPLO DE JESUS EM
poço seco jorrasse água viva.
VALORIZAR OS DESPREZADOS
Evangelizar não é transformar
samaritanos em judeus ou vice-ver- O próprio Jesus decidiu vir de
sa, pois os dois têm seus defeitos. uma “terra aviltada” (Is 9.1-2). Na-
Evangelizar é lembrar o propósito zaré era desprezada, mas de lá
de Deus de tornar-nos “semelhan- veio o Salvador. Um dos discípulos
tes a Jesus” (Rm 8.29). Evangelizar de Jesus quando ouviu sobre Ele,
não é ensinar a tradição religiosa, perguntou: “Pode vir alguma coisa
mas “ensinar todas as coisas boa de Nazaré?” (Jo 1.45,46). Deus
que Jesus nos tem mandado” é especialista em fazer do nada
(Mt 28.20). O Evangelho é a boa no- algo “muito bom”, tão somente pela
tícia que muda em nossa mente e Sua palavra (Gn 1.31).
coração os conceitos em relação a A admiração dos discípulos em
Deus. Assim compreendendo quem relação à conversa de Jesus, tal-
Ele é (espírito e verdade), muda-se vez os levassem a pensar: Poderia
o molde de quem devemos ser e vir alguma coisa boa de Samaria e
daquilo que devemos fazer. Pau- ainda de uma mulher? Jesus que-
lo disse isso, em outro momento: bra barreiras: a social, como a di-
“Quanto à antiga maneira de viver, ferença entre homem e mulher; a
dispam-se do velho homem que se barreira racial entre judeus e sama-
corrompe e renovem a maneira de ritanos; e a religiosa, dizendo que
pensar, pois fomos criados para “nem aqui, nem lá” deveriam adorar
sermos semelhantes a Deus em ao Pai. Paulo escreveu que “todos
santidade” (Ef 4.22-24). os que são filhos de Deus, são um
Evangelizar é levar a pessoa em Cristo, não havendo judeu nem
para a “oficina de Deus”. Por isso grego, escravo ou liberto, homem
posso dizer que estamos perma- ou mulher” (Gl 3.26,28).
nentemente em obra, desde que Ninguém há que tenha valoriza-
pedimos a Deus, pela fé, que co- do tanto as mulheres como Cristo.
locasse em nós o molde de Cris- Dizem que no tempo dele chegava-
to. Paulo asseverou: “Vós sois a -se a discutir se mulher tinha ou não
carta... conhecida e lida por todos alma. Um judeu, por exemplo, não
os homens... E ​ todos nós, com o podia conversar com mulheres em
rosto desvendado, contemplando, locais públicos, nem com a espo-

42
sa, devido ao baixíssimo valor que Da mesma forma, nossa sociedade
atribuíam às mulheres. Um rabino poderia ser representada por gente
não deveria ensinar nada a mulhe- derrotada, escravizada pelo peca-
res, sendo preferível rasgar a lei do do, dominada pelos preconceitos,
que tentar ensiná-las. Tanto que até “ossos secos”. Isso nos torna, “por
os discípulos “ficaram admirados”. natureza, merecedores da ira de
Embora tendo dito que a salvação Deus. Mas Deus é rico em graça e
vem dos judeus, Jesus não seguiu nos dá vida, juntamente com Cristo”
as regras esdrúxulas do judaísmo, (Ef 2.3-5).
inclusive no quesito de tratamento Esse “reviver” além de significar
às mulheres. um novo fôlego espiritual, também
Ninguém há que tenha valori- é uma mudança social. A “água
zado tanto aos samaritanos como viva”, que brota pela intervenção
Cristo. Foi à Samaria, elogiou sa- de Jesus em nós, inunda aos ho-
maritanos nas parábolas, destacou mens que nos cercam, influencia
que um samaritano voltou para a cidade e marca a nossa histó-
agradecer pela cura (Lc 17.11-19), ria. Se confessarmos silentes a
e conversou com uma samaritana. Jesus quem somos e crermos no
Certa vez, querendo diminuí-Lo e Seu poder, Ele demonstra para to-
menosprezá-Lo, chamaram-no de dos em quem Ele nos transforma,
pela Sua graça. Isto acontece “não
“Samaritano” (Jo 8.48). Mas Ele
por obras de justiça praticadas por
veio por causa de toda essa gen-
nós, mas segundo sua misericór-
te desprezada: “Veio buscar e sal-
dia, que nos salvou, mediante o
var a todo o que estava perdido”
lavar regenerador e renovador do
(Lc 19.10). Espírito Santo” (Tt 3.5).
Quem daria oportunidades a Você está cansado dessa socie-
pessoas como Zaqueu, Maria Ma- dade? Evangelize!
dalena, o endemoniado gadareno,
Pedro, a mulher prostituta, Tomé, Oração – Pai Santo, santifica-
você e eu? Somente Jesus! -me e envia a Tua palavra purifica-
dora sobre esta sociedade.
PARA PENSAR E AGIR:
MARCO SOCIAL Segunda: 2Coríntios 5.14-17
Terça: Gálatas 2.16-20
Deus levou o Profeta Ezequiel
“pelo Espírito” a um vale onde ele Quarta: Romanos 6.1-11
Leitura Diária

viu apenas “ossos secos”, repre- Quinta: Romanos 6.12-23


sentando Israel que se sentia derro- Sexta: Mateus 5.13-16
tado. Deus prometeu restaurar-lhes Sábado: Romanos 12.1-2
a vida e a dignidade, como que “ti-
Domingo: Efésios 4.17-24
rando-os da sepultura” (Ez 37.1-14).

43
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 9
Texto Básico: João 4.19-24

EVANGELIZAR É PROMOVER
VERDADEIRA ADORAÇÃO

O encontro de Jesus com a foi levada para Jerusalém. Lá,


mulher samaritana foi evangeliza- construíram posteriormente um
dor, como é peculiar ao Filho de majestoso templo, no reinado de
Deus. Mas o assunto que propor- Salomão, o qual foi destruído por
cionalmente tomou a maior par- Nabucodonozor II, rei da Babilô-
te da conversa foi a adoração a nia. No tempo da sua reconstru-
Deus. O seu lugar, forma, história ção, coordenada por Zorobabel
da adoração, como Deus a quer, (Ed 1.1-4, 2.1), os samaritanos
quem deve adorar e até foi falado foram preteridos e ergueram, en-
sobre a expectativa de que o Mes- tão, um templo em Gerizim.
sias ensine sobre a adoração. No momento daquela conver-
Os samaritanos reconheciam sa entre Jesus e a samaritana,
o Pentateuco apenas, e lá, Moi- o templo que havia sido erguido
sés havia escolhido o Monte Ebal em Gerizim completava cerca de
e o Monte Gerizim para proferi- 150 anos que estava destruído e
rem “bênçãos e maldições” sobre o segundo templo de Jerusalém,
Israel, quando entrassem na ter- em reformas por iniciativa de He-
ra de Canaã. O foco era lembrar rodes, seria destruído no máximo
da obediência aos estatutos do em 40 anos.
Senhor e esses locais estavam Ainda bem que Deus não ha-
logo na chegada à terra, logo bita em templos feitos por mãos
após o rio Jordão. Os judeus, humanas (At 17.24) e nós somos
por outro lado, haviam deixado a o templo onde Ele quer habitar
arca do Senhor em Siló, de onde (1Co 3.16). Por isso, ao falar de

44
adoração, não faz sentido restringi-la dadeiro adorador reconhece que
a montes, templos e locais, pois eles nada é, nada tem, a não ser o que
passam. Adoração é coisa da alma. de Deus está em nós. O Pai procura
Ao evangelizarmos, devemos quem assim entende e vive.
deixar claro que Deus tem interes- Adorar a Deus é, inclusive, rea-
se em habitar na pessoa, através lizar qualquer atividade que aten-
do Seu Espírito, e torná-la um ado- da aos propósitos estabelecidos
rador. Além disso, como evangeli- pelo próprio Deus, cujo resumo é
zar é falar da bondade de Deus em que amemos a Ele acima de tudo
salvar, isso nada mais é que adora- e ao próximo como amamos a nós
ção verdadeira. Evangelizar é uma (Mt 22.37-39). Jesus pediu água, for-
forma de adorar a Deus e adorar é necê-la, por exemplo, seria um ato
uma forma de tornar o propósito de de adoração. Se a mulher estava ti-
Deus conhecido. Nós somos o povo rando água para servir a alguém, es-
escolhido para “anunciarmos as vir- tava praticando a adoração a Deus.
tudes daquele que nos chamou das Se os discípulos estavam compran-
trevas para a Sua maravilhosa luz” do comida para atender a vontade
(1Pe 2.9). de Deus de alimentar alguém, tam-
bém estavam cultuando. Jesus ser-
1 - A ADORAÇÃO PRESSUPÕE viu aos samaritanos, honrando-os,
permanecendo no meio de quem
ENTREGA, OBEDIÊNCIA antes era inimigo. Isso para realizar
Adorar é oferecer algo a Deus. o propósito de Deus. Assim fazendo,
Em uma religião cerimonialista, à prestava-lhe verdadeira adoração.
qual judeus e samaritanos esta- Quão bonita foi a adoração a
vam acostumados, deve-se ofere- Deus prestada pela mulher, ao
cer “coisas” como: animais, grãos anunciar na cidade a sua experiên-
e óleos. Isso poderia variar, depen- cia com Jesus! Ela deixou o cântaro
dendo do local e dos sacerdotes para adorar dessa forma. Aprovei-
habilitados. Mas Jesus é portador tando as palavras do ensino de Je-
da mensagem de que Deus está in- sus, “ceifar e colher” vidas é um ato
teressado em que a pessoa oferte de adoração a Deus. Sem dúvidas,
o seu coração, manifestado através obedecer é adorar a Deus e obede-
da obediência. Isso pode ser feito, cer é melhor do que oferecer culto,
não de qualquer maneira, mas em sacrificar (1Sm 15.22).
qualquer lugar.
Como culto, Deus só quer que en- 2 - A ADORAÇÃO PRESSUPÕE
treguemos o que Lhe pertence: Tudo.
Logo, por nós mesmos, nem temos
SANTIDADE
adoração para entregar a Deus, pois Quando Jesus tocou no as-
entregamos o que já é dEle. O ver- sunto do seu pecado e dos seus

45
relacionamentos, a mulher apa- ria um “sacrilégio” estarem juntos
rentemente quis refugiar-se no na adoração. Sem aprovar o sec-
assunto da adoração. Quem sabe tarismo e as divisões, Jesus tomou
quisesse dizer: “tenho pecado, mas partido em favor do conhecimento.
adoro a Deus neste monte”. Caim Houve uma demonstração da von-
também quis esconder o seu sen- tade de Deus ao mundo e isso foi
timento pecaminoso atrás de uma revelado aos judeus primeiramente.
adoração (Gn 4.2-5). Isso não é O conhecimento disso possibilita a
incomum hoje! Temos tendência a adoração. Jesus validou o Antigo
sacralizar coisas, formas, tradição Testamento e, por conseguinte, os
e lugares, mas Jesus quer que as escritos do Novo Testamento que
pessoas sejam santas. O homem estavam surgindo. Precisamos co-
deve ser mais santo do que o lugar nhecer a Deus e aprofundar-nos no
e a essência mais santa do que a relacionamento com Ele, para agra-
forma. Isso é adorar em espírito e dá-Lo e exaltá-Lo.
em verdade!
Assim como é impossível crer
Ao adorar a Deus em sua ora- em Deus sem saber o que Ele diz
ção modelo, Jesus desejou que (Rm 10.17), assim também é im-
o “nome do Pai fosse santificado” possível adorar a um Deus que
(Mt 6.9). Isso, antes de qualquer quer obediência sem conhecer a
outro pedido. “Deus é espírito”,
Sua vontade. Depois de dizer que
disse Jesus, e é santo, o que exi-
adoravam o que sabiam, Jesus
ge adoradores que se santifiquem
disse que os discípulos ainda não
(Lv 11.44; 1Pe 1.15,16). Se que-
conheciam “o que o alimentava”:
remos adorá-Lo, isso deverá ser
“a vontade de Deus” (Jo 4.34). Je-
também em espírito, em verdade e
testemunhando da ação de Cristo sus tinha autoridade para ensinar.
em sua vida. Trazendo à memória A própria mulher samaritana re-
os erros e buscando mudar as nos- conheceu que esse seria um dos
sas vidas. É impossível satisfazer atributos do Messias quando dis-
a Deus só com os lábios (Mt 15.8; se: “quando Ele vier nos ensinará”
Is 29.13), mesmo que seja com lin- (Jo 4.25). Adoramos a Deus que
das músicas. tem toda autoridade, quando ensi-
namos “todas as coisas que Ele nos
tem ordenado” (Mt 28.19-20).
3 - A ADORAÇÃO PRESSUPÕE
O centro da adoração não é um
CONHECIMENTO monte, mas a pessoa de Jesus, o
Os judeus e os samaritanos Messias. Todos os símbolos usados
achavam que a adoração verda- no Antigo Testamento têm valor,
deira era aquela que fizessem em pois apontam para Cristo, mas não
locais separados como povos. Se- podem tomar o lugar dEle. Agora,

46
o Messias estava presente ali. Para
um judeu, dizer que nem Jerusalém
PARA PENSAR E AGIR:
e nem o templo eram importantes, MARCO CULTUAL
mas as pessoas, era algo pertur- Evangelizar é ajudar alguém a
bador. Essas questões continuam descobrir a razão última da vida e
sendo cruciais para os judeus ainda “deixar o cântaro” da busca prioritá-
hoje. Mas Jesus disse que o foco é ria dos seus interesses e tradições,
a quem adoramos: “O Pai”; como O entregando-se exclusivamente a
adoramos: “em espírito e em verda- Deus, amando-O e servindo-O.
de”; e quem O adora: “Verdadeiros Isso é deixar de ser “amante de si
adoradores”. mesmo” (2Tm 3.2) e ser amante
de Deus. Evangelizar é desafiar a
4 - O EXEMPLO DE JESUS NO pessoa a se tornar o adorador que
ENSINO DA ADORAÇÃO Deus procura e não apenas um re-
petidor de doutrinas e tradições.
Jesus revela que Ele participa
da adoração ao Pai: “Nós adora- O Apóstolo Pedro disse que nós
mos” (Jo 4.22). Isso reforça a Sua fomos eleitos para proclamarmos
autoridade para ensinar sobre o as virtudes de Deus (1Pe 2.9). Deus
assunto, cujo resumo nesse texto está à procura de verdadeiros ado-
inclui: 1) Com respeito ao tempo: “a radores. Por ter sido encontrado um
hora vem e já chegou” – Não deixe dia por Ele, quero proclamar que
para depois; 2) Não restrinja a ado- vale a pena ser um adorador.
ração ao local – “pois não é aqui, Oração – Deus, exaltado seja
nem ali”; 3) Existem falsos adorado- o Teu nome através da minha vida
res e Deus está procurando os ver- e das vidas que comprastes com o
dadeiros; 4) A adoração é o relacio- Sangue de Jesus, às quais busca-
namento entre o espírito do homem
rei ensinar a adoração verdadeira
com o Espírito de Deus. Entre Deus
pela fé.
Pai e seus filhos; 5) Fazer a vontade
de Deus é mais importante do que
a própria sobrevivência, do que a
própria comida.
Segunda: João 17.1-8
Várias vezes Jesus repetiu a ex-
Terça: 1Coríntios 3.16-17
pressão: “Graças te dou”, dirigindo-
-se ao Pai (Mt 11.25, 15.36, 26.27, Quarta: 1Samuel 15.22-29
Leitura Diária

Mc 8.6, 14.23, Lc 10.21, 22.17; Quinta: Mateus 15.1-10


Jo 6.11, 11.41). Jesus também Sexta: Lucas 10.16-24
glorificou ao Pai: “Eu te glorifiquei” Sábado: 2Timóteo 3.1-7
(Jo 17.4). Aprendamos e ensine- Domingo: 1Pedro 2.1-12
mos a adorar como Jesus!

47
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 10
Texto Básico: João 4.1-42

EVANGELIZAR É TRAVAR
RELACIONAMENTOS
Travar relacionamentos se casa” (At 5.42) e Jesus tenha cha-
constitui numa necessidade bási- mado doze discípulos para formar
ca do ser humano, não importa a um Pequeno Grupo (Lc 6.12-19).
época ou local. Foi o próprio Deus Por outro lado, travar relaciona-
quem avaliou que não era boa a mentos é uma arte a ser aprendi-
solidão do homem e providenciou da. No caso do encontro deste tex-
uma companhia. O isolamento do to, a mulher respondeu com certa
homem, especialmente o moder- dureza e recriminação, quando
no, mesmo em meio a uma mul- Jesus lhe pediu água. Mesmo
tidão, se constitui num desafio considerando a rivalidade entre
epidêmico. Muito além das consi- judeus e samaritanos, os orien-
derações necessárias e relativas à tais, geralmente, eram sensíveis a
saúde, falamos aqui em relaciona- um pedido de água, portanto, era
mento para cumprir o propósito de de se esperar que a súplica fos-
Deus quanto à evangelização. se atendida de pronto (Jó 22.7 e
O cerne da ordem evangeliza- Pv 25.21). Se não fosse a habilida-
dora, dada por Jesus aos discípu- de e o amor genuíno, além do sen-
los, inclui o travar relacionamentos. so de missão do Messias, estaria
Isso porque não é possível ensinar armado o cenário para o encer-
a guardar todas as coisas que ramento da conversa ali mesmo.
Jesus nos mandou (Mt 28.20) em Mas, por trás da mulher endureci-
um encontro de poucos minutos, da pela vida, estava alguém que
muito menos em sermões para precisava de apoio, compreensão
uma multidão. Talvez por isso, a e amor. Se o homem tem, muitas
Igreja tenha optado por “ensinar to- vezes, dificuldade de tolerar a si
dos os dias no templo e de casa em mesmo, quanto mais a travar re-

48
lacionamentos. Mas o Mestre Jesus Evangelizar é imprimir dia-a-dia
tem mais uma aula. Aprendamos! a vida de Cristo, que está em
nós, naqueles de que por nosso
intermédio receberam a verdade
1 - RELACIONAMENTO É DOAÇÃO da nova vida. Paulo disse a Timó-
DE SI MESMO teo: “E o que de minha parte ouvis-
Baseados numa visão utilita- te através de muitas testemunhas,
rista, algumas pessoas sempre isso mesmo transmite a homens
fiéis e também idôneos para instruir
querem saber o quanto elas ou a
a outros” (2Tm 2.2).
Igreja teriam de lucro em um rela-
cionamento para considerá-lo viá-
vel. Mas, quem evangeliza precisa 2 - O EXEMPLO DE JESUS AO
saber “ganhar”, doando a si mes- RELACIONAR-SE
mo. Essa é a sua missão! Doar a Vejamos algumas característi-
si mesmo implica em doar tempo, cas desse encontro em Sicar, como
recursos, “ombro amigo”, sem fazer Jesus era relacional:
economia ou reclamar do “investi- Decisão – Encontros fortuitos1
mento”. A doação evangelizado- podem até gerar frutos, mas, nor-
ra é uma entrega da própria vida malmente, um relacionamento é
para gerar vidas. resultado de determinação. O texto
Jesus estava de passagem diz que Jesus decidiu passar por
por aquele lugar e não precisaria Samaria e decidiu ficar ali dois dias;
passar dentro da cidade, mas de- Diálogo – Amar é interessar-se
cidiu tabular a conversa mais lon- pelas pessoas e isso exige que se
ga registrada pelos evangelistas, “empreste os ouvidos” e o ombro,
e ainda ficar dois dias ensinando procurando saber sobre os seus
naquele lugar. problemas, dúvidas e inquietações.
Nesse diálogo, a mulher revelou os
Uma evangelização feita com o seus pecados e Jesus revelou a
tempo que porventura sobre, e com sua compaixão;
relacionamentos restritos ao gosto,
Respeito – Mesmo revelando
está carente da característica mais
que sabia de tudo, Jesus nada dis-
marcante da vida do cristão, que é se sobre as maneiras que a mulher
não viver e nem morrer para si mes- perdera os maridos. Teria sido por
mo, mas para o Senhor (Rm 14.7). morte ou pela desventura do divór-
Fazer discípulos é caminhar junto cio? Por que o marido de agora não
em todo o processo evangelizador, era dela? Ela era amante? Ele não
até a maturidade do outro, quando a queria? Dizer a verdade com res-
ele for capaz de multiplicar essa peito não significa expor desneces-
ação na vida de outras pessoas. sariamente a pessoa;
1 - Que acontece ao acaso, sem previsão nem planejamento; acidental

49
Sinceridade – Jesus disse que Transparência – Um relaciona-
os samaritanos adoravam sem co- mento sadio não tem medo de en-
nhecimento. A mulher também teve volver outras pessoas. Disse Jesus:
a oportunidade de expressar uma “vai e chama o teu marido” (v.16).
verdade sobre Jesus: “Como sen- Na maioria das oportunidades em
do tu, judeu, pede a mim que sou um discipulado significativo, o trata-
mulher samaritana?” (v.9) E, além mento deve ser individualizado. Mas
disso: “Tu não tens como tirar água devemos ter muito cuidado para não
do poço” (v.11). Cada um disse o pensarmos que outras pessoas não
que pensava sobre o outro, since- possam participar. Jesus queria rela-
ramente; cionar-se com a mulher, sua família
Dignidade – Jesus valorizou a e comunidade. Ele demonstrou isso
vontade dela: “tu lhe pedirias e Ele quando mandou chamar o marido e
te daria”, em outras palavras: “você ela teve a liberdade de chamar a co-
deseja pedir?” Em outro momento, munidade inteira.
ao invés de rotulá-la pela situação Empatia – Empatia é mais que
marital no mínimo constrangedora, a capacidade de ver as coisas do
Jesus viu o lado bom daquela re- ponto de vista do outro. É sentir,
velação. Em outras palavras, dis- compreendendo os sentimentos do
se: “Você está falando a verdade”, outro. Ao mostrar seus poderes de
parabéns! Aproveito para ressaltar Messias, Jesus revelou a realidade
que mesmo as pessoas considera- da mulher, mas nunca com a inten-
das indignas precisam receber um ção de condenar, destruir, denegrir
tratamento digno em nossos rela- ou diminuir. Ele o fez para dizer que,
cionamentos. Expomos desneces- apesar dessa realidade que não
sariamente as feridas dos outros, aprovava, continuava a conversar
quando nós mesmos precisamos com ela e a amava.
de tratamento; Altruísmo – É visível em Jesus
Mutualidade – Outra marca foi o devotamento para abençoar o ou-
a construção conjunta do relacio- tro.
namento. O fato de Ele ter pedido Sinceridade – Com mentiras o
“dá-me de beber”, oportunizou o relacionamento fica inconsistente.
pedido dela “dá-me desta água”. “Não tenho marido” (v.17), disse
O criador das águas pediu água ela, e Jesus confirmou essa infor-
para uma mulher que Ele também mação. Ao falar sobre Jesus, ela
havia criado. Pediu um favor para testemunhou: “Disse tudo quanto
oferecer uma vida. Jesus “aumen- tenho feito” (v.39).
tou” a mulher, mostrando-se não Confiança – Jesus conquistou
superior a ela, mas também carente a confiança no decorrer da conver-
de um favor. Existem pessoas que sa. A certa altura, convidou a mu-
são especialistas em nos animar. lher a crer (Jo 4.21). Não somen-

50
te ela, mas “muitos creram nEle” ram. Dois dos discípulos, ofendidos
(Jo 4.39). Um relacionamento sem com aquela reação inospitaleira,
acusação e sem discriminação im- perguntaram: “Senhor, queres que
plantou confiança no coração da- mandemos descer fogo do céu para
quelas pessoas. os consumir?” – Justamente como
Continuidade – Jesus se sente corremos o risco de desejar que
responsável em manter o relacio- aconteça em alguns relacionamen-
namento. O passo seguinte à con- tos. Mas Jesus respondeu: “Vós
versão daquelas pessoas foi querer não sabeis de que espírito sois.
ouvir mais das Suas palavras: “Eles O Filho do homem não veio para
rogaram que Jesus ficasse com destruir vidas, mas para salvá-las”
eles” (v.40). O relacionamento não (Lc 9.51-56). Ou seja, veio aben-
foi interrompido abruptamente. çoar – Justamente como devemos
desejar que aconteça em todos os
Bom senso – Imaginem se Je-
nossos relacionamentos.
sus tivesse dito tudo o que disse,
mas em ordem diferente das fra- Fomos enviados para espalhar
ses relatadas. Por exemplo, se não a boa notícia de salvação de vidas.
começasse falando de suas pró- Isso exige que relevemos muitas ati-
prias limitações (sede), mas come- tudes das pessoas com as quais nos
çasse falando da situação marital relacionamos. De olho no propósito
dela, talvez tivesse desperdiçado a maior, devemos aprender com Je-
oportunidade. sus a travarmos relacionamentos,
caminhando intencionalmente em
Quanta sabedoria precisamos
direção às pessoas, para que elas
adquirir com Jesus! Ainda bem que
recebam a oportunidade, o exemplo
Ele prometeu que estaria conosco
e o incentivo de caminharem firme-
sempre nesta tarefa de fazer dis-
mente em direção a Jesus.
cípulos e que o Espírito Santo nos
ensinaria todas as coisas, lembran- Oração – Senhor, ajuda-me a
do-nos o que o próprio Jesus nos travar, intencionalmente, relaciona-
disse (Mt 28.20 e Jo 14.26). mentos evangelizadores.

PARA PENSAR E AGIR:


MARCO RELACIONAL Segunda: Mateus 28.18-20
Terça: Lucas 6.12-19
O Evangelista Lucas registra
que em outra ocasião, Jesus de- Quarta: Romanos 14.1-13
Leitura Diária

cidiu passar pela mesma rota de Quinta: Lucas 9.46-56


Samaria e precisava ficar hospeda- Sexta: 2Timóteo 2.1-14
do em alguma cidade por ali. Mas Sábado: 2Timóteo 2.15-22
como tinha aspecto de judeu e via-
Domingo: Atos 2.42-47; 5.42
java para Jerusalém, não o recebe-

51
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 11
Texto Básico: João 4.1-42

EVANGELIZAR É FAZER MAIS


EVANGELISTAS

Evangelizar é levar o ouvinte cântaro e foi à cidade buscar seus


a aprender, crer e ensinar a outro compatriotas, para que também
o que aprendeu de Cristo. Neste ouvissem a Jesus.
processo, todos e todas as etapas Evangelizar é a vocação na-
são dirigidas pelo Espírito Santo tural do salvo. O Apóstolo Paulo
de Deus. Evangelizar é investir escreveu aos efésios sobre o dom
para que pessoas sejam impac- de evangelista, dado por Jesus a
tadas pelo relacionamento com alguns (Ef 4.11). Porém, o termo
o Messias e passem a impactar ali identifica aquele que, de forma
a outros. Faz parte do processo
itinerante, vai de cidade em cida-
evangelizador tanto ouvir a Pala-
de para confirmar as Igrejas e es-
vra e crer, como também passar
tabelecer líderes. Mais ou menos
a anunciar, com “pés formosos”
como é o trabalho do missionário
(Is 52.7), como enviados de Deus
(Rm 10.13-17). Então, ninguém que conhecemos hoje. Mas o “ide”
está alcançado pela totalidade da não deixa dúvida de que Jesus
boa notícia de Deus até que, dei- está comissionando a todos para
xando-se guiar pelo Espírito, en- semear o Evangelho.
tenda que a boa notícia pertence Acima da capacidade do en-
a todos. Ao ouvir e entender a Pa- tendimento do homem natural,
lavra de Cristo, a mulher deixou o o homem espiritual sabe que a

52
salvação depende 100% de Deus, carente de coisas básicas; uma
que a providenciou pela graça, mulher que acabara de revelar ca-
e 100% do ouvinte da Palavra de rência moral, uma vez que já havia
Deus, pois ele precisa crer e se se envolvido com vários maridos.
arrepender. Mas, por outro lado, Era também carente de tempo de
também depende 100% do evan- convivência entre os cristãos, pois
gelista, pois, enquanto o pecador acabara de se converter e nem ha-
não crer e não aprender o que Je- via sido batizada. Mas ela podia e
sus ensinou, o evangelista não terá devia evangelizar, pois havia crido
terminado o trabalho para o qual foi e experimentado Jesus. Tornou-se
comissionado. autoridade por falar de suas expe-
riências com Ele.
Na linguagem de Paulo a Timó-
teo esta verdade pode ser assim A mulher deixou tudo, inclusive
resumida: “E o que de minha parte o cântaro. Podia tê-lo levado com
ouviste, através de muitas testemu- a água necessária, mas, quem
nhas, isso mesmo transmite a ho- sabe, para andar mais depressa,
mens fiéis e também idôneos para deixou o cântaro. Certa vez Jesus
instruir a outros” (2Tm 2.2). disse: “Deixa aos mortos o sepultar
os seus próprios mortos. Tu, po-
rém, vai e prega o reino de Deus”
1 - UMA EVANGELISTA RECÉM (Lc 9.60). Disso aprendemos que
CONVERTIDA cumprir a missão implica em deixar
Jesus fez um apelo aos discípu- até mesmo o necessário, o lógico
e o urgente para priorizar o man-
los para que fossem evangelistas,
dado de Deus. Essa mulher não
argumentando que já estava “na
tentou repetir, na cidade, a prega-
hora da colheita”, mas nem preci-
ção que ouvira, mas falou sobre o
sou pedir isso à mulher samaritana.
Cristo que a impactou. Convidou
Uma vez tendo reconhecido que
para que vissem a Jesus: “vinde e
Jesus era profeta, ouvido sobre a vede!”, ou seja, julguem por vocês
adoração e reconhecido nEle “o mesmos. Na sua simplicidade não
Cristo”, ela se tornou uma anuncia- se colocou como docente, mas os
dora, antes mesmo do batismo ou orientou a verificar a veracidade da
de qualquer preparo específico. mensagem.
Tendemos a restringir o servi-
ço de evangelista às pessoas com 2 - EXEMPLOS DO JESUS
maior tempo de conversão. Mas MULTIPLICADOR DE
Jesus transformou em missionária
uma mulher sem condição social
EVANGELISTAS
favorável; uma samaritana sem Além de dar o exemplo, Jesus
compreensão religiosa cabal; uma ordena, por sua autoridade, que
pessoa que ia ao poço, pois era seus discípulos tenham como meta

53
o “fazer discípulos de todas as na- Ser discípulo de Jesus, portanto, é
ções”, e que o batismo e o ensino frutificar. Ele mesmo disse: “Nisto
façam parte dessa tarefa. Ele pro- é glorificado meu Pai, em que deis
meteu que não nos deixaria sozi- muito fruto; e assim vos tornareis
nhos, mas seria o nosso compa- meus discípulos” (Jo 15.8). Em obe-
nheiro sempre (Mt 28.18-20). diência, uns deixam tudo e vão “aos
Ao encarregar os discípulos confins da terra”, enquanto outros
dessa nobre tarefa, Jesus disse permanecem em sua cidade, como
que somos “o sal da terra e a luz aquela mulher; mas todos somos
do mundo” e que essa luz não pode igualmente testemunhas de que “o
ficar escondida, mas em lugar es- Messias chegou” e faz diferença em
tratégico para iluminar a todos. Ele nossas vidas. Jesus testemunhou à
arrematou: “Assim brilhe também a beira do poço para a mulher, a qual
vossa luz diante dos homens, para ouviu e testemunhou na cidade. Em
que vejam as vossas boas obras e seguida, os samaritanos passaram
glorifiquem a vosso Pai que está a testemunhar também.
nos céus” (Mt 5.14-16).
Destacando apenas alguns 3 - ATITUDES DO JESUS
exemplos da ação de Jesus, vere-
mos que Ele chama e transforma
EVANGELISTA NESTE TEXTO
os mais improváveis para serem O alvo de todo discípulo é ser
Seus mensageiros, tais como: Pe- como o seu Mestre (Lc 6.40). Enu-
dro, que O havia negado, tornou- meraremos algumas ações de Je-
-se um pregador para multidões sus neste texto, relembrando a nos-
(At 2.14-36); a ex-endemoniada Ma- sa necessidade de imitá-Lo:
dalena tornou-se a primeira pessoa – Jesus evangelizava e batizava
a testemunhar a Sua ressurreição
através dos seus discípulos, além
(Jo 20.16); o ex-endemoniado Ga-
de comissioná-los para continua-
dareno virou um pregador “em dez
rem a tarefa;
cidades” (Lc 8.39); um leproso que
acabara de ser curado foi tão pro- – O texto ensina que o nosso
fícuo pregador, que Jesus já nem Jesus, exemplo de evangelista, já
podia entrar na aldeia (Mc 1.44-45). havia estado na Galileia, mas resol-
Temos exemplos também no Anti- veu ir lá “outra vez”, mostrando que,
go Testamento, como é o caso do mesmo que tenhamos feito uma ta-
fugitivo Jonas que tornou-se o pre- refa, pode ser necessário repeti-la;
gador de maior sucesso, em termos – Jesus planejou passar por Sa-
de resultados imediatos (Jn 3.5). maria. Além de ter sido uma decisão
A expectativa de Deus é que haja difícil pelas questões geográficas e
uma sequência ininterrupta nesta sociais, mostrou que a evangeliza-
corrente de ouvir, crer e divulgar. ção ali foi fruto de planejamento;

54
– Jesus não media esforços, a
PARA PENSAR E AGIR:
ponto de se cansar e se sujeitar a
desgastes físicos. O Filho de Deus MARCO MULTIPLICATIVO
trabalhava. Dizia que o “Pai trabalha Nem todos os samaritanos acei-
até agora e Ele também” (Jo 5.17); taram a mensagem pregada pelo
– Jesus falava com todos (Jo 4.9 grande evangelista Jesus. Isso é
e 42) e se comunicava de modo que natural. Então, seria necessário que
todos entendiam. ali ficassem outros evangelistas,
dentre os quais, a mulher tornou-se
– Jesus demonstrou conheci- um deles. Mais tarde, Felipe esteve
mento bíblico, citando que a “sal- pregando em Samaria (At 8). Jesus
vação vem dos judeus” (Sl 14.7 disse que “Jerusalém, toda Judéia
e Mq 5.2); e Samaria, juntamente com todo o
– Jesus evangelizava, treinando mundo” devem ser alvo permanen-
a pessoa para evangelizar a outros. te da evangelização e que Ele es-
Disse à mulher: “vai e chama o teu taria conosco sempre na realização
marido” (Jo 4.16); dessa tarefa.
– Jesus não se envolve em Ser cristão é viver o que se
partidarismos. Diz a verdade, mas aprende de Cristo e ensinar o
também critica quando necessá- que se vive em Cristo. Aprende-
rio: “Nem aqui nem lá”, disse Ele. mos que a boa notícia da salvação
chegou até aqui pela insistência
Os dois lados estão precisando en-
e visão de homens que obedece-
tender;
ram a Cristo, sendo evangelistas e
– Jesus disse que antes do ho- treinando outros para continuarem
mem adorar a Deus, é Deus quem esse trabalho de expansão do Rei-
os procura; no. Deus está esperando que conti-
– Também disse e demons- nuemos essa multiplicação!
trou que a sua prioridade é fazer a Oração – Senhor Jesus, ensina-
vontade de Deus; -nos a semear e colher, segundo a
– Jesus Demonstrou senso de Sua visão!
urgência, conclamando os seus dis-
cípulos a já iniciarem a “colheita”; Segunda: Marcos 1.40-45
– E os desafiou: “levantai os vos- Terça: Romanos 10.13-17
sos olhos” (Jo 4.35); Quarta: Efésios 4.7-16
– Jesus está sempre disponível.
Leitura Diária

Quinta: Marcos 5.1-20


Ele estava de viagem, mas ficou ali Sexta: João 15.1-15
dois dias;
Sábado: João 20.11-18
– Por fim, Jesus está certo da
Domingo: João 5.5-17
recompensa de Deus (Jo 4.36).

55
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 12
Texto Básico: João 4.1-42

EVANGELIZAR É SUPERAR
OS EMPECILHOS

A evangelização não é um desafiados à superação dos mes-


processo natural como a respira- mos pelo Poder de Deus.
ção, por exemplo. Quando “nasce-
mos de novo”, deveria ser natural
atuarmos em todas as áreas diri-
1 - O QUE PODE IMPEDIR A
gidos pelo Espírito de Deus, inclu- EVANGELIZAÇÃO?
sive na obediência ao “ide”. Mas, - Disputas sobre quem bati-
empecilhos são criados, muitos za mais (Jesus ou João), ou so-
por nós mesmos, que precisam bre quem seja o maior (Jesus ou
ser vencidos com fé e com a Pala- Jacó), ou ainda sobre locais de
vra de Deus. encontro (Gerizim ou Jerusalém).
É verdade que existem Todas as vezes que nos dividimos,
muitos outros empecilhos para a enfraquecemos;
evangelização, mas alistaremos - Falta de prioridade. Muitos
nesta lição aqueles que, mesmo
há que se restringem à lutas, até
que de modo indireto, detectamos
justas, como alimentação e água,
no texto em foco. Nós o faremos
e não veem oportunidades para o
sem obedecer à ordem dos fatos
narrados, nem de possíveis im- evangelismo. Outros são impedi-
portâncias e nem ainda tentando dos por prioridades que se mos-
refutar cada um. Nossa expectati- tram menos necessárias do que
va é de que, enxergando-nos em realmente são;
alguns desses empecilhos, não - Exigência de preparo pré-
nos acomodemos, mas sejamos vio. Como é importante o treina-

56
mento! Mas ele deve acontecer – Restrição geográfica. Jesus
desde o momento em que nos dis- saiu da Judéia e foi para a Galileia
ponibilizamos para evangelizar. Há outra vez. Estamos falando de longas
o perigo da profissionalização do distâncias percorridas sem os ágeis
evangelismo, ou seja, a delegação meios de transportes de hoje. Nosso
dessa tarefa somente a pessoas desafio é ir aos confins da terra;
pagas para fazê-la; – Preconceitos. Como os pré-
– Procrastinação. É um perigo -conceitos concebidos em função
quando não percebemos o risco da história, cultura, gosto, expe-
iminente para o perdido. Jesus sen- riências e outros motivos podem
tia urgência! No mundo natural há atrapalhar! Somos tentados a evi-
tempo para semear e colher, mas tar pessoas de certa raça ou es-
no mundo espiritual sempre é tem- tereótipo, de certos ambientes ou
po de semear e sempre será tempo de condições sociais diferentes.
de colher; Pode causar até estranheza falar
com pessoas do sexo oposto e de
– Falta de compaixão pelos
caráter duvidoso. Mas, em geral, o
perdidos. Como precisamos amar preconceito a ser vencido é maior
a Deus e também ao próximo que em quem prega o evangelho do
precisa ouvir esta boa notícia que que em quem ouve. Os judeus ex-
nos foi delegada!; clusivistas não se teriam permitido
– Melindres quanto a colher entrar numa cidade samaritana, e
onde outro plantou. Não gostamos muito menos para comprar alimen-
de perder pessoas que começamos tos. Para alguns comentaristas,
a evangelizar para outro evange- comprar comida de samaritanos
lista. Achamos que aqueles que equivalia a comprar carne de porco
fazem isso são “pescadores de para o judeu;
aquários”. É claro que Jesus está – Falta de mobilização de no-
ordenando que se vá ao “campo vos evangelistas. Torna-se um
que já está branco”, esperando a empecilho deixar de enviar pessoas
colheita, e não apenas pegar o que para continuar a obra;
já começou a ser colhido; – Falta de receptividade dos
– Carnalidade. Deus é Espírito ouvintes. Jesus foi mal recebido
e as coisas que lhe concernem de- e mal interpretado por aquela mu-
vem ser feitas de modo espiritual; lher. Mas insistiu em ser bênção
– Decisão de passar pela rota na vida dela. Pregamos, não para
mais fácil. Mesmo que Samaria recebermos afago, mas para lutar
seja um local de pessoas com cora- contra o mal;
ções duros, difíceis de evangelizar, – Necessidade de holofotes.
precisamos sentir necessidade de Jesus falou sem plateia, com uma
passar também por lá; mulher desprezada. Algumas pes-

57
soas só evangelizam quando po- – Falta de visão da missão. Je-
dem prestar relatórios ou receber sus recebeu uma missão dada pelo
homenagens; Pai e a compartilhou. Somos convo-
– Medo da vida velha. Tem cados a fazer o mesmo;
pessoas imobilizadas quanto ao – Visão equivocada do Mes-
evangelismo, devido ao que eram sias. Os samaritanos esperavam
antes de receber Jesus. Têm um novo Moisés (Dt 18.15). Muitos
vergonha de que sejam lembradas pregadores ainda têm uma com-
de quem eram; preensão errada do Messias;
– O não reconhecimento da – Superficialidade da prega-
legitimidade do pregador. A sa- ção. Muitos programas que deve-
maritana não tinha credenciais riam ser evangelizadores atendem
humanas, mas foi uma excelente apenas a interesses carnais ou
pregadora por ter sido enviada pelo temporais. Contentam-se em ofe-
próprio Jesus; recer aquilo que o ouvinte quer
– Falta de conhecimento. O receber;
texto fala que a ouvinte não conhe-
– Achar que salvar pessoas é
cia o “dom de Deus, nem a Jesus”.
compromisso de Deus somente.
Ela tinha uma visão equivocada do
Messias, pois os pecadores não O Deus, em Sua soberania, ordenou
conhecem mesmo. Triste realidade a fé assim como ordenou a santi-
é encontrar pregadores que tam- dade, a pregação, o exame das Es-
bém não conhecem o Messias; crituras, o amor incondicional e a
adoração. Ele espera que o homem
– Limitações físicas. Embora
faça tudo isso. Mas respeita, mes-
devamos cuidar do corpo, alguns
mo que triste, quando escolhemos
estão tão cansados e sedentos que
negligenciar;
não encontram forças para evan-
gelizar. Ainda bem que também se – Falta de oração. Parece que
pode “sentar à beira do poço” en- o texto não registra uma oração,
quanto evangeliza; mas Jesus insinua que, se a mu-
– Indisposição para repetir. lher soubesse, pediria dEle algo
Foi necessário “ir à Galiléia outra mais que água. Ela pediu água
vez”. Além disso, mesmo depois da líquida e Jesus a atendeu dando
passagem de Jesus, a evangeliza- água espiritual;
ção ali precisava continuar e os dis- – Falta de fé de que qualquer
cípulos voltaram à Samaria; pessoa pode mudar. Qualquer
– Prevalência da vontade do pessoa pode se arrepender e crer
homem. Muitas vezes haverá con- em Jesus. A samaritana, o carcerei-
flito entre o que queremos e o que ro, Paulo e o cobrador de impostos
Deus planejou para nós; são exemplos disso;

58
– Medo de melindrar. Medo bulação, fome, nudez, perseguição
de dizer as verdades que o ouvinte e perigo podem tentar separar-nos
precisa ouvir. A mensagem do Rei- do amor de Cristo. Mas Ele venceu
no de Deus exige arrependimento a morte e está intercedendo por
e isso requer confronto com o erro. nós lá no céu. Por isso, “em todas
É preciso amar, mas também cora- essas coisas somos mais do que
gem para convidar à mudança. vencedores...” (Rm 8.33-39). Foi
num contexto de uma ordem evan-
gelizadora que Jesus disse ter toda
2 - JESUS VENCEU OS autoridade e prometeu a Sua com-
OBSTÁCULOS panhia e o Seu poder.
A própria narração dos fatos dei- Como o maior dos obstáculos
xa claro como Jesus não se limitava para a evangelização normalmen-
por causa dos obstáculos. Quanto te é a oposição a Deus, devido ao
às limitações físicas, além da fome pecado que está dentro de nós,
e sede, Ele suportou até mesmo a devemos resistir, como disse o
morte por amor a todos nós. Quan- autor aos Hebreus, “até que san-
ta dor! Quanto sofrimento! gremos”, se for o caso (Hb 12.4).
Aliás, a morte é o último dos Não nos acomodemos às nossas
inimigos e o maior dos obstáculos fragilidades carnais.
(1Co 15.26), mas Jesus venceu a O que seria de nossas vidas
morte! Venceu também a má inter- se os evangelistas do passado se
pretação da lei, a discriminação, a deixassem sucumbir pelos empeci-
inveja dos líderes religiosos e a falta lhos?
de recursos financeiros, como por Oração – Deus de todo o poder,
exemplo, para alimentar a multidão. não permita que nos esqueçamos
Até os discípulos ficaram admira- de que a força necessária já foi pro-
dos de que Jesus estivesse falando videnciada pelo Senhor. Faça de
com uma mulher. nós pessoas vitoriosas na tarefa de
espalhar o Evangelho.
PARA PENSAR E AGIR:
MARCO DE SUPERAÇÃO
Segunda: Romanos 8.33-39
Não podemos permitir que pre-
Terça: Hebreus 12.1-8
valeçam os marcos impeditivos em
nossa evangelização, mas sim, os Quarta: Tiago 1.9-18
Leitura Diária

marcos de superação. Os obstácu- Quinta: Mateus 10.16-25


los realmente existem. Como esta- Sexta: 1Pedro 4.12-19
mos numa guerra, o inimigo vai au- Sábado: Marcos 13.5-13
mentando suas artimanhas. Paulo Domingo: 1Coríntios 9.16-27
escreveu que desafios como a tri-

59
DATA DO ESTUDO

LIÇÃO 13
Textos Básicos: João 4.1-42

EVANGELIZE!
DEUS RECOMPENSA!

Quando a Bíblia aborda a ral procura. Enquanto tudo o que


questão da recompensa, parece há na terra produz uma satisfação
atender a duas grandes expecta- temporária, Jesus está propondo
tivas: a da natureza humana, que algo permanente, com foco no
busca vantagens, compensações Reino de Deus.
e proveito em tudo o que faz; e da
Isso não quer dizer que as re-
natureza do próprio Deus, que é
amoroso e galardoador. Ele de- compensas de Deus não nos al-
seja abençoar o homem, mesmo cancem desde agora, conforme
que este nada mereça ou que descrito no verso 36: “O ceifeiro
tenha cumprido apenas a sua recebe desde já a recompensa e
obrigação. A diferença entre as entesoura o seu fruto para a vida
duas expectativas é que, mesmo eterna”. Jesus mesmo garantiu
Deus abençoando agora, o tipo que, o que deixarmos por causa
de recompensa que Ele fala e dá, dEle e do Evangelho, será recom-
pouco ou nada tem a ver com a pensado “no presente e muito mais
recompensa que o homem natu- na vida eterna” (Mc 10.29-30).

60
Isso nos leva a perguntar: que Como Ele mesmo diz: “E eis que
tipos de prêmios Deus tem? O tex- venho sem demora, e comigo está
to fala que uma das ações de Deus o galardão que tenho para retribuir
em nosso favor é o “Dom de Deus”, a cada um segundo as suas obras”
a graça, o presente. Tudo indica que (Ap 22.12).
Jesus está falando de Si mesmo Quem seriam os premiados ou
como oferta de Deus. Essa ideia é agraciados com esse trabalho de
a mesma de João 3.16. Jesus é O evangelização?
presente dado pelo amor de Deus.
Paulo argumentou em forma de
uma indagação: “Aquele que não 1 - RECOMPENSAS PARA O
negou o seu Filho... como não nos EVANGELISTA
dará também com Ele todas as coi- O primeiro a ser abençoado é
sas?” (Rm 8.32). Jesus é, ao mes- o próprio evangelista. A colheita
mo tempo, bênção e fonte de toda de almas era tão importante que
bênção e faz jorrar em nós o que suplantava qualquer outra neces-
Ele planeja. sidade de Jesus (“uma comida te-
O texto fala em mais duas re- nho”). Deus providencia satisfação
compensas, pelo menos. Uma é a para a alma e razão para a vida.
alegria disponibilizada ao semea- Isso é melhor que o alimento, in-
dor e ao ceifeiro (v.36). Destaca-se clusive. Nossa maior necessidade
o fato da alegria alcançar o semea- é achar a recompensa de Deus
dor, independentemente da colhei- (fazendo a vontade dEle e reali-
ta. Essa satisfação da alma é um zando a Sua obra). Ele tem um
assunto estranho ao homem natu- propósito para as nossas vidas.
ral, mas Jesus diz que o servo bom Alcançá-lo é um prêmio.
e fiel entrará nesse gozo do Senhor Vemos no texto que o propósito
(Mt 25.21). Outra recompensa é de Deus para nós inclui o “semear
aquilo que se “ajunta para a vida e colher vidas”. É verdade que cum-
eterna”. Enquanto a recompen- prir essa tarefa (realizar a obra) não
sa natural pelo nosso pecado é a significa que veremos a sua con-
morte, o presente de Deus é a vida clusão, mas teremos a certeza de
eterna (Rm 6.23). estar fazendo o que nos concerne
Embora o assunto galardão neste tempo. Falando sobre ser-
seja ainda um desafio para a com- vir aos homens, o Apóstolo Pau-
preensão humana, como quase lo deixa um critério que se aplica
tudo do mundo espiritual, o fato é também neste caso: “Tudo quanto
que “é necessário que aquele que fizerdes, fazei-o de todo o coração,
se aproxima de Deus, creia que como para o Senhor e não para ho-
Ele existe e que se torna galardoa- mens, ​cientes de que recebereis do
dor dos que o buscam” (Hb 11.6). Senhor a recompensa da herança.

61
A Cristo, o Senhor, é que estais ser- viva do Messias. Foi por isso que
vindo” (Cl 3.23-24). Jesus disse, em outras palavras:
É um privilégio evangelizar, pois “se você conhecesse o presente
além do cumprimento da vontade de Deus, e se você me conheces-
de Deus, isso possibilita que o ho- se, você pediria para receber uma
mem não se perca. Ele é a “seara grande recompensa e sairia dessa
que precisa ser colhida”. Isso tor- sequidão, desse deserto”. Quan-
na “formosos os pés” daquele que do a mulher aceitou deixar de ser
anuncia (Rm 10.13-15). uma versão piorada de si mesma
- arrogante, cheia de si, que contes-
tou as palavras de Jesus - tornou-
2 - RECOMPENSA PARA O -se parecida com o próprio Cristo:
EVANGELIZADO vestida de glória, crível, instrumen-
Se quem prega é abençoado to de Deus, adoradora de verdade.
pela boa notícia de Deus, imagine- Que recompensa!
mos aquele que crê e tem a vida
transformada pelo poder desse 3 - RECOMPENSA PARA A
Evangelho (Rm 1.16)! Como en- SOCIEDADE
tendemos estarem correlacionadas
essas recompensas, podemos afir- Toda a sociedade é também im-
mar que, além de receber uma vida pactada pela ação evangelizadora.
eterna, a pessoa é alistada no rol de Cada segmento dela pode receber
adoradores que Deus procura. Pela os benefícios de uma vida regene-
fé podemos receber esse presente! rada na família, no trabalho ou na
Ao confrontar o pecador, em re- vizinhança. Aquele que antes era
lação ao seu pecado e tudo quan- embaraço e em quem se via so-
to tem feito, Jesus espera que haja mente trevas, agora resplandece
arrependimento e fé, fazendo gerar como “luz”.
dentro dele “uma fonte que jorra para Se estamos falando de benefí-
a vida eterna”. Essa transformação cio para todos pela transformação
é, no fundo, uma grande valoriza- daquele que crê, ressalta-se que
ção do homem. Porque antes estava a sociedade também é impacta-
perdido e culpado, mas agora pas- da pela boa colheita. A sociedade
sou a ter o próprio Messias jorrando passa a ter um referencial, a par-
bênçãos dentro do seu coração. tir da ação evangelizadora, para
Uma mulher saiu da cidade, cer- saber o que vale a pena e afastar
tamente cabisbaixa, não somente da imprestabilidade. A verdade, a
devido ao peso do cântaro, mas aceitação por parte de Deus como
também do pecado e da opressão. adoradores verdadeiros, a evidên-
Porém, voltou uma nova mulher, fa- cia de uma vida transbordante e a
lante com os homens, testemunha possibilidade de hospedar a Jesus

62
são algumas das recompensas de do com a “lei da semeadura”. Além
uma sociedade impactada pela disso, no mundo natural dista-se
evangelização. “quatro meses” entre semeadura
Temos percebido que qualquer e colheita. No mundo espiritual, a
mudança significativa na socieda- colheita pode ser imediata. Isso é
de, longe de ser um programa esta- mais uma recompensa no Reino
belecido pelo governo humano, só de Deus, pois sempre será a “hora
acontece a partir da ação de Cristo. da colheita”.
Ele faz jorrar, de dentro para fora, Como evangelizados, fomos
aquilo que dura para a vida eterna. recompensados com a vida eter-
na que nasce em Jesus e “jorra”
4 - O MODO DE JESUS dentro de nós; Como evangelistas,
podemos colher em todo o tempo,
Embora Jesus tenha pagado mesmo onde outro semeou, e nis-
sozinho o preço da vida eterna, Ele so nos alegramos; Como socieda-
reparte com todos a recompensa de, precisamos do reavivamento
desse investimento. Jesus convidou que ocorre quando hospedamos
a mulher, ao seu marido, aos discí- Jesus, cremos nEle e experimen-
pulos e, por extensão, a todos nós, tamos a beleza do Seu agir entre
a levantarmos os nossos olhos e nós. Não apenas por dois dias,
enxergarmos o modo divino de re- mas para sempre.
compensar. Essa recompensa não
está limitada ao nosso tempo e não Oração – Oh, Deus galardoa-
é submissa apenas ao mundo na- dor! Que tenhamos alegria em en-
tural, mas será sempre de acordo xergar os campos “brancos para a
com a vontade de Deus. ceifa”, trabalhando para que cada
pessoa receba a recompensa da
Além disso, ao dizer que Deus vida eterna. Que aprendamos com
procura adoradores, Jesus, sendo Jesus a evangelizar!
o próprio Deus, estava procurando
naquela cidade e também nos dis-
cípulos e nos ouvintes de Sua pala-
vra hoje, pessoas para a adoração,
salvação, evangelização, transfor- Segunda: Marcos 10.24-31
mação, relacionamento e recom-
Terça: Mateus 25.14-30
pensa. Que Ele ache a todos nós!
Quarta: Hebreus 11.4-6
Leitura Diária

PARA PENSAR E AGIR: Quinta: Apocalipse 22.6-14

MARCO COMPENSATÓRIO Sexta: Colossenses 3.23-24


Sábado: João 3.14-21
Colher o que não se plantou
Domingo: Romanos 8.28-39
ilustra a graça de Deus contrastan-

63
Currículo
2019
Primeiro Trimestre Revista da Convenção Batista Fluminense
Ano 16 - n° 62 - Julho / Agosto / Setembro - 2019
VERDADES INEGOCIÁVEIS
(Doutrinas Batistas) Diretor Executivo: Pr. Dr. Amilton Ribeiro Vargas

Pr. Hudson Galdino


Diretoria da Convenção Batista Fluminense:
Presidente: Pr. Vanderlei Batista Marins

Segundo Trimestre Primeira Vice-Presidente: Profª. Esmeralda Oliveira Augusto


Segundo Vice-Presidente: Pr. Ronem Rodrigues do Amaral
Terceiro Vice-Presidente: Pr. Eber Silva
CICLO DE VIDA
Primeiro Secretário: Pr. Felipe Silva de Oliveira
MULTIPLICADORA
Segundo Secretário: Pr. Juvenal Gomes da Silva
Pr. Marcelo Farias Terceiro Secretário: Pr. Luciano Cozendey dos Santos
Quarto Secretário: Pr. Ceza Alencar Rodrigues

Terceiro Trimestre Diretor de Educação Religiosa:


Pr. Marcos Zumpichiatte Miranda
APRENDENDO A EVANGELIZAR
COM JESUS Redator: Pr. Marcos Zumpichiatte Miranda
Pr. Nilson Gomes Godoy Revisão Bíblico Doutrinária: Pr. Jailton Barreto Rangel
Pr. Elias Muniz dos Santos

Quarto Trimestre
Pr. Pedro Salvador de Azevedo
Pr. Oswaldo Luiz Gomes Jacob

MOTIVAÇÕES CRISTÃS Revisão e copidesque: Edilene Oliveira


(Estudo em 1 e 2 Pedro)
Produção Editorial, Diagramação e Impressão:
Pr. Samuel Mury de Aquino
Print Master Editora (22) 3021-3091

Distribuição:
Seja Mordomo Print Master Editora

Algumas Igrejas poderão estar recebendo mais


Convenção Batista Fluminense
revistas que o número de jovens e adultos
matriculados na EBD ou em outro grupo de Rua Visconde de Morais, 231 - lngá - Niterói - RJ
estudo bíblico. Por favor, avise a Convenção CEP 24210-145
se for este o seu caso. Queremos investir seu Tel.: (21) 2620-1515
dízimo também em outros projetos.
E-mail: contato@batistafluminense.org.br

Acesse nosso site:

www.batistafluminense.org.br