Sunteți pe pagina 1din 39

NORMA

BRASILEIRA

ABNT NBR

15575-2

Quarta edição

19.02.2013

Válida a partir de

19.07.2013

Edificações habitacionais — Desempenho Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais

Residential buildings — Performance

es en a u ngs — er oo ance Part Part 2: 2: Requireemmmeennts Requirements
es
en a
u
ngs —
er oo
ance
Part Part 2: 2: Requireemmmeennts Requirements for for structural structural systems systems

ICS 91.040.01

ISBN 978-85-07-

04045-3

ABNT NBR 15575-2:2013

ABNT NBR 15575-2:2013 © ABNT 2013 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro

© ABNT 2013 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por escrito da ABNT.

ABNT Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar 20031-901 - Rio de Janeiro - RJ Tel.: + 55 21 3974-2300 Fax: + 55 21 3974-2346 abnt@abnt.org.br www.abnt.org.br

ii

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-2:2013

Sumário

Prefácio Introdução Escopo Referências normativas

1

2

3

4

5

6

7

7.1

7.2

Página

vi

viii

1

1

Termos e definições 3

Requisitos do usuário 4

4

4

4

4

Avaliação de desempenho

Incumbências dos intervenientes

Segurança estrutural

Requisitos gerais para a edificação habitacional

s gerais para a edificaçççãooo hhhabitaaaccional s dde ppprrrojettto – Deforrmações ou estados ddde fissura
s
gerais para a edificaçççãooo hhhabitaaaccional
s
dde ppprrrojettto
Deforrmações ou estados ddde fissura do sistema estr
Estados-limites de serviço
Immmpaccctoos de corpo mole e corpo duro
e
nííveeiiis de desempenho para ressistência a impactos d
e
nníveeeis de desempenho para resistência a impactos d
a
cooontttraaa iincêndio
a
ao uuuso eee oopperação
nho térmico
térmico
nho acústico
acústico

Requisito Estabilidadeee Estabilidade eee e reeessistência resistência do do ssistema sistema estrutural estrutural e e d demais elementos

com função ão estrutuurall estrutural

5

5

5

6

6

6

7

8

9

9

9

13

14

14

14

14

14

15

15

15

15

15

15

15

15

16

16

16

16

16

Critério – Estadooo-liimmiite Estado-limite úúltimo último

Métodos de de avvvalliaaçãooo avaliação

Premissas de projeto

Nível de deeseemmmpenho desempenho

Requisito – Deformações ou estados de fissura do sistema estrutural

Critério – Estados-limites de serviço

Método de e avaliação avaliação

Nível de desempenho desempenho

Requisito – Impactos de corpo mole e corpo duro

Critérios e níveis de desempenho para resistência a impactos de corpo mole

Critérios e níveis de desempenho para resistência a impactos de corpo duro

Segurança contra incêndio

Segurança ao uso e operação

Estanqueidade idade

Desempenho

Desempenho

Desempenho lumínico

Durabilidade e manutenibilidade

Requisito – Durabilidade do sistema estrutural

Critério – Vida útil de projeto do sistema estrutural

Método de avaliação

Premissas de projeto

Nível de desempenho

Requisito – Manutenção do sistema estrutural

Critério – Manual de uso, operação e manutenção do sistema estrutural

Método de avaliação

Nível de desempenho

Saúde, higiene e qualidade do ar

Funcionalidade e acessibilidade

7.2.1

7.2.2

7.2.3

7.2.4

7.3

7.3.1

7.3.2

7.3.3

7.4

7.4.1

7.4.2

8

9

10

11

12

13

14

14.1

14.1.1

14.1.2

14.1.3

14.1.4

14.2

14.2.1

14.2.2

14.2.3

15

16

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

iii

ABNT NBR 15575-2:2013

17 Conforto tátil e antropodinâmico

16

18 Adequação ambiental

16

Anexos Anexo A (normativo) Modelagem matemática do comportamento conjunto para a resistência mínima de projeto

17

A.1

Princípio

17

A.2

Diretrizes

17

A.3 Aparelhagem 17

A.4

Preparação dos corpos de prova 17

A.5 Procedimento Expressão dos dos resultados resultados 18 A.6 18 A.6.1 Resistência de projeto no
A.5
Procedimento
Expressão dos dos resultados resultados
18
A.6
18
A.6.1
Resistência de projeto no estado-limite último (ELU)
de projeto nooo eeessstadoo-limite último (((ELU))
18
A.6.2
Casos particulares iculares
19
A.6.3
Comprovação
ão
19
A.6.4 Validade
19
A.6.5
Estatísticas
Relatório de e ensaio ensaio
19
A.7
19
Anexo B (normativo) Modelagem odelllagem matemática matemática ddo do cooomportameento comportamento conjunto conjunto p para
21
B.1
21
B.2
as deformações ções de de serviço serviço
Princípio
Diretrizes
21
B.3
Aparelhagem
mm
21
B.4
Preparação dos dos ccorpos corpos de de prova prova
21
B.5
Procedimento nto
22
B.6
Expressão dos dos resultados reeesuuulttaaddos
22
B.6.1
Resistência de de servvviçoo serviço
22
B.6.2
Casos particulares iculares
22
B.6.3
Comprovação
ão
23
B.6.4 Validade 23
B.6.5
Estatísticas
23
B.7 Relatório de ensaio
Anexo C (normativo) Ensaio de impacto de corpo mole
23
24
C.1
Princípio
24
C.2
Diretrizes
24

C.3 Aparelhagem 24

C.4

Preparação dos corpos de prova 24

C.5

Procedimento

24

C.6

Expressão dos resultados 25

C.7

Relatório de ensaio

25

Anexo D (informativo) Níveis de desempenho

26

D.1 Generalidades 26

iv

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-2:2013

D.2 D.3 Impacto de corpo mole Impacto de corpo duro 26 30 Figuras Figura A.1
D.2
D.3
Impacto de corpo mole
Impacto de corpo duro
26
30
Figuras
Figura A.1 – Gráfico carga × deslocamento para determinação de R ud e R Sd por meio de
ensaios
Figura B.1 – Gráfico carga × deslocamento para determinação de R ud e R sd por meio
de ensaios
17
21
Tabelas
Tabela 1 – Deslocamentos-limites mentos-limites para para cargas carrgggaaasss permanentes peeerrmmmaaanentes e e cargas cargas acidentais acid em geral
7
Tabela 2 – Flechas máximas máximas para para vigas vviggaaasss e e lajes lajes (cargas (cargaass gravitacionais gravitacionais permanentes per e
acidentais) s) 8
Tabela 3 – Critérios e níveis de desempenho para elementos estruturais localizados na
e
níveiis dddeee desssempenho paara elemenntos estrutturais l
fachada da da edificação, edddificccaaaçãooo, em emm exteriores exteri res acessíveis acessíveiss ao ao público público – – Im Impacto de corpo mole
na face externa, ou seja, de fora para dentro
xternaaa, ou sejjja, de fora para
dentro
10
Tabela 4 – Critérios e níveis de desempenho para elementos estruturais localizados
e
nívveeis de desempenho paara elemenntos estruturaais lll
no interior da edificação e na fachada – Impacto de corpo mole aplicado na face
r
dda edificação e na fachaddda – Impacto de corpo mole
interna, ou seja, de dentro para fora
u
sejjja, de dentro para fora
11
Tabela 5 – Critérios e níveis de desempenho para impacto de corpo mole em pisos
e
níveis de desempenho paraaa impacto de corpo mole
12
Tabela 6 – Critérios e níveis de desempenho para impacto de corpo duro na face externa
e
níveis de desempenho parrra iiimmpacto de corpo duro
de elementos nntooss estruturais eestrrruutturais localizados localizados na na fachada ffachada da da edificação edificação e nas faces externas
acessíveis is ao ao público pppúblico
13
Tabela 7 – Critérios e níveis de desempenho para elementos estruturais localizados
e
nívveeisss de desempenho para ellementos estruturais l
no interior r da da edificação edddififificccação e e na na fachada fachada
13
Tabela 8 – Critérios e níveis de desempenho para impacto de corpo duro em pisos
e
níveeeis dddee ddesempenho pppara impacto de corpo ddduuuro
14
Tabela C.1 – Massa de de corpo corpoo mole, moooleee,, altura aaaltura e ee energia eneeergia do do impacto impacto
24
Tabela D.1 – Critérios os e e níveis níveis de deee desempenho dessemmmpppeeenho para para elementos elementoosss estruturais estruturais localizados
na fachada da da da edificação, edificação, em em exteriores exteriores acessíveis acesssííveis ao ao público público – – Impacto de corpo

mole na face externa, ou seja, de fora para dentro 26 Tabela D.2 – Critérios e níveis de desempenho para elementos estruturais localizados no interior da edificação e na fachada – Impacto de corpo mole aplicado na face interna, ou seja, de dentro para fora 28

Tabela D.3 – Critérios e níveis de desempenho para impacto de corpo mole em pisos

29

Tabela D.4 – Critérios e níveis de desempenho para impacto de corpo duro na face externa de elementos estruturais localizados na fachada da edificação e nas faces externas

30

acessíveis ao público Tabela D.5 – Critérios e níveis de desempenho para elementos estruturais localizados no interior da edificação e na fachada Tabela D.6 – Critérios e níveis de desempenho para impacto de corpo duro em pisos

31

31

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

v

ABNT NBR 15575-2:2013

Prefácio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas

Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos

de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras da Diretiva ABNT, Parte 2.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) chama atenção para a possibilidade de que

alguns dos elementos deste documento podem ser objeto de direito de patente. A ABNT não deve ser considerada responsável pela identificação de quaisquer direitos de patentes.

s gerais; s paaara os sisstemas de pisos; s pparrra ooos sistemas de vedações verticais
s
gerais;
s
paaara os sisstemas de pisos;
s
pparrra ooos sistemas de vedações verticais internas e extern
s
parra osss sssistemas de coberturaas;
s
para ooos ssisstteemmmas hidrossssannnitárriios.
ua ão de todos os se m
a cadeia
rodutiva en

A

pela Comissão de Estudo studo de de DDDeessseeemmmpenho Desempenho de de Edddificaçõees Edificações (CEE--02:136.01). (CE-02:136.01). O Projeto circulou

ABNT NBR 15575-2 -2 foi foi elaborada elaboraddaa no no Comitê Comitê Brasileiro Brasileirro de de Construção Construção Civil (ABNT/CB-02),

em Consulta Nacional conforme conforme Edital EEddiiital nnnº 07, 07, de de 16.07.2012 16.07.2012 a a 13.09.2012, 13.09.200112, com com o número de Projeto

ABNT NBR 15575-2.

Esta Norma, sob o título ulo gerrraaal geral EEEdificações Edificações habitacionais habitacionais Desempenho”,, Desempenho”, teeem tem previsão de conter

as seguintes partes:

— Parte 1: Requisitos gerais;

— Parte 2: Requisitos s para para os os sistemas sistemas estruturaisss; estruturais;

— Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos;

— Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas – SVVIE;

— Parte 5: Requisitos para os sistemas de coberturas;

— Parte 6: Requisitos para os sistemas hidrossanitários.

Esta parte da ABNT 15575 15575 entra entra eeem em viiggoorrr vigor 150 150 dias dias após após sua sua puuubbbliicação. publicação. D Devido à repercussão

que esta parte da ABNT T NBR NBR 15575 15575 terá teráá sobre sobree as aaasss atividades atividadddeees do ddooo setor ssetor da da construção constru civil, bem como

necessidade de adequação de todos os segmentos tos desta d cadeia produtiva, envolvendo projetistas, fabricantes, laboratórios, construtores e governo.

à

Esta quarta edição cancela e substitui a edição anterior (ABNT NBR 15575-2:2012), a qual foi tecnicamente revisada.

O Escopo desta Norma Brasileira em inglês é o seguinte:

Scope

This part of ABNT NBR 15575 provides the requirements and performance criteria that are applied to structural systems of residential buildings.

This part of ABNT NBR 15575 does not apply to:

works already completed;

vi

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-2:2013

construction in progress on the date of exigibility of this Standard;

projects filed in the competent organs of the date of exigibility of this Standard;

renovations and repair works;

retrofit of buildings;

temporary buildings.

This part of ABNT NBR 15575 is used as a procedure for performance evaluation of constructive systems.

The requirements provided in this part of ABNT NBR 15575 (Clauses 4 to 17) are supplemented

by the requirements provided provided in in ABNT ABNT NBRRR NBR 11155575-1 15575-1 to to ABNT ABNT NBR NBR 15575-6. 15575-6.

15575-1 to to ABNT ABNT NBR NBR 15575-6. 15575-6. This part of ABNT NBR NBR 1557

This part of ABNT NBR NBR 1557775 15575 ppprrrooovides provides criteria criteria for for thermal, thermal, aacoustic, acoustic, lu luminous and fire safety

performance, that shall all be be meet met innndddiiivvviduuuaally individually and and alonne alone bby by the the coonflicting conflicting naaature nature itse itself of the measurements

criteria, e.g., acoustic c perfooormmmaaannnce performance (window (window closedd) closed) versus versus ventilationnn ventilation perrrform performance (open window).

Requirements applicable abllle onnllly only fooor for buildings buildings up up to to five five oors floors wwill will be be specified specified in in th their respective Clauses.

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

vii

ABNT NBR 15575-2:2013

Introdução

A abordagem desta Norma explora conceitos que muitas vezes não são considerados em Normas

prescritivas específicas, por exemplo, a durabilidade dos sistemas, a manutenabilidade da edificação

e o conforto tátil e antropodinâmico dos usuários.

A inter-relação entre Normas de desempenho e Normas prescritivas deve possibilitar o atendimento

aos requisitos do usuário, com soluções tecnicamente adequadas e economicamente viáveis.

Todas as disposições contidas nesta Norma aplicam–se aos sistemas que compõem edificações habitacionais, projetados, construídos, operados e submetidos a intervenções de manutenção que atendam às instruções específicas do respectivo manual de uso, operação e manutenção.

o finnnannnccciiiameeentooo de imóveis e possibilitando adequaçõõões RR 1555575 trattta dos requisit s ppparaa os
o
finnnannnccciiiameeentooo de imóveis e possibilitando adequaçõõões
RR
1555575 trattta dos requisit s ppparaa os sistemmas estruturais ap
as as
soliicitações solicitações
caracterísssticas características
de de
acordo acordo
com com
s
de rrruína por esgotamento da capacidade de resist
a
formaaaçãããoo dddeee fissuras, a magnittude das deformaçõesss e a
m
prejudicccar ooosss nnníveis dde deseeempenho previstos ppaaara a e

a as

Requisitos e critérios particularmente articularmente apliccáávvveis aplicáveis a a determinado determinado sistema sistema são são trata tratados separadamente

em cada parte desta Norma. orma.

Objetivamente, esta Norma rma visaaa visa aaalaaavvvancccar alavancar tecnicameente tecnicamente a a qualidade qualidade requerida requerida e e a oferta de moradias,

ao estabelecer regras para paraa avaliação aaavvvaaalliaçççããão do do desempenho desempenho de de imóveis iveis habitacionais, hhabittacio auxiliando nas

análises que definem o financiamento de imóveis e possibilitando adequações nos procedimentos

de execução, uso e manutenção nuteççããão dddosss dos imóveis. imóveis.

Esta parte da ABNT NBR 15575 trata dos requisitos para os sistemas estruturais aplicáveis a edificações

habitacionais com relação ão ao ao desempenho desempenho estrutural, estrutural, analisado analisado do do ponto ponto de de vista vista dos estados-limites

último e de serviço pelo o méttodo método semiprobabilísticcooo semiprobabilístico de de projeto projeto estrutural. estrutural.

Norma

prescrições das

ABNT NBR 8681, ABNT T NNNBBBR NBR 612220 6120 e e ABNT ABNT NBR NBR 6123, 6123, ssimulando simulando através através de de m modelos matemáticos

Esta

considera ra

e

ou por instabilidade do equilíbrio. eqqquilíííbrrrio.

físicos as situações de ruína por esgotamento da capacidade de resistência dos materiais

O

da estrutura, limitando a formação de fissuras, a magnitude das deformações e a ocorrência de falhas

estado-limite de serviço viço tttem tem cccooomo como premissa premissa assegurar assegurar a a durabilidade durabilidade qqquuuandddo quando da utilização normal

localizadas que possam prejudicar os níveis de desempenho previstos para a estrutura e os demais

elementos e componentes ntes que que cooonstituuueemmm constituem a a edificação, edificação, incluindo incluindo aaasss as instalaç instalações hidrossanitárias

e

demais sistemas prediais. diais.

Outros aspectos do desempenho adequados à sua inserção no meio habitacional, tais como segurança contra incêndio, segurança no uso e operação, estanqueidade, conforto térmico, conforto acústico,

conforto lumínico, saúde, higiene e qualidade do ar, funcionalidade e acessibilidade, conforto tátil

e antropodinâmico e adequação ambiental, são tratados mais propriamente na ABNT NBR 15575-1.

Requisitos aplicáveis somente para edificações de até cinco pavimentos são especificados em suas respectivas seções.

viii

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

NORMA BRASILEIRA

ABNT NBR 15575-2:2013

Edificações habitacionais — Desempenho Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais

1

Escopo

1.1

Esta parte da ABNT NBR 15575 estabelece os requisitos e critérios de desempenho que se

aplicam somente ao sistema estrutural da edificação habitacional.

NOTA Para os casos em que os sistemas de vedações verticais também tenham função estrutural, demais exigências específicas são apresentadas na ABNT NBR 15575-4

1.2 Esta parte da ABNT ABNT NBR NBR 15575 15575 não não sseee se aplica aaaplliiica a: a:

isórias. d til ã l
isórias.
d
til
ã
l

— obras já concluídas; das;

— obras em andamento mento nnaaa na dddaaatta data da da entrada entrada em em vvigor vigor desta desta Norma;; Norma;

— projetos protocolados lados nnnooos nos óóórgãããos órgãos competentes competentes até até a a data data da da entrada entrada emm em v vigor desta Norma;

— obras de reformas; as;

retrofit de edifícios; os;

— edificações provisórias.

1.3

nho de sistemas construtivos. stttrutiivoos.

Esta parte da ABNT ABNT NBR NBR 15575 15575 é é utilizada utilizada como como um um procedimento procedimento de de avaliação a do desempe-

1.4

tados pelos requisitos s estabelecidos estaaabeeeleeeccidos nas nas ABNT ABNT NBR NBR 15575-1 1115575-1 a a ABNT ABNT NBR NNNBR 15575-6. 1115

Os requisitos estabelecidos stabbbeleecccidddos nesta nesta parte parte da da ABNT ABNT NBR NBR 15575 15575 (Seções (S ções 4 444 a 17) são complemen-

1.5

lumínico e de segurança ança ao ao fogooo, fogo, qqquue que dddeeevvvem devem ser ser atendidos atendidos indivviidddual individual e e isol isoladamente pela própria

Esta parte da ABNT BNT NBRRR NBR 1555555777555 15575 estabeelece estabelece cccritérios critérios relativos relativos ao ao dddeesemp desempenho térmico, acústico,

natureza conflitante dos dos critérios critérios de de mmediçõões, medições, pppor por exempplo, exemplo, dddeesempenho desempenho ac acústico (janela fechada) versus desempenho de ventilação (janela aberta). b

1.6 Requisitos aplicáveis somente para edificações de até cinco pavimentos são especificados

em suas respectivas seções.

2 Referências normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas).

ABNT NBR 5629, Execução de tirantes ancorados no terreno

ABNT NBR 5674, Manutenção de edificações – Requisitos para o sistema de gestão de manutenção

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

1

ABNT NBR 15575-2:2013

ABNT NBR 6118, Projeto de estruturas de concreto – Procedimento

ABNT NBR 6120, Cargas para o cálculo de estruturas de edificações

ABNT NBR 6122, Projeto e execução de fundações

ABNT NBR 6123, Forças devidas ao vento em edificações

ABNT NBR 7190, Projeto de estruturas de madeira

ABNT NBR 8681, Ações e segurança nas estruturas – Procedimento

ABNT NBR 8800, Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios

eto e execuçãooo dddee eeesstruturraass de concreto pré-moldado abbbilidaadde ddde encostas s para elabboração e
eto e execuçãooo dddee eeesstruturraass de concreto pré-moldado
abbbilidaadde ddde encostas
s para elabboração e apresentaação dos conteúdos

ABNT NBR 9062, Projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado

ABNT NBR 11675, Divisórias ivisóriasss leevvveees leves innnternas internas moduuladdas moduladas Verificação Verificação dda da resis resistência a impactos – Métodos de ensaio

ABNT NBR 11682, Estabilidade de encostas

ABNT NBR 13532, Elaboração boraão de de projetos projetos de de edificações edifificações – Arquitetura Arquitetura

ABNT NBR 14037, Diretrizes iretrizes para paara elaboração elaborão de de manuais man ais de de uso, us , operação operação e manutenção das

edificações – Requisitos para elaboração e apresentação dos conteúdos

ABNT NBR 14718, Guarda-corpos arda--corpos para para edificação edificão

ABNT NBR 14762, Dimensionamento mensioonnnammmento de de estruturas estruturas de dee aço aço constituídas constituídas por por perfis perfiformados a frio

ABNT NBR 15575-1, Edificações dificaçõõõess habitacionais hhaaabbitacionais Desempenho Deeseempenho Parte Parte 1: 1: Requisitos Reeequis gerais

ABNT NBR 15575-3, Edificações dificações habitacionais habbbitaccionaaaiiisss Desempenho Desempenho Paartttee Parte 3: 3: Requisi Requisitos para os sistemas de pisos

ABNT NBR 15575-4, Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas – SVVIE

ABNT NBR 15575-5, Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 5: Requisitos para os sistemas de coberturas

ABNT NBR 15575-6, Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 6: Requisitos para os sistemas hidrossanitários

ABNT NBR 15961, Alvenaria estrutural – Blocos de concreto

ABNT NBR 15812, Alvenaria estrutural Blocos cerâmicos

2

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-2:2013

3 Termos e definições

Para os efeitos desta parte da ABNT NBR 15575, aplicam-se os termos e definições das ABNT NBR 15575-1 e ABNT NBR 8681, e os seguintes.

3.1

integridade estrutural capacidade da estrutura de evitar seu colapso progressivo na ocorrência de danos localizados

3.2

ruína característica do estado-limite último, por ruptura ou por perda de estabilidade ou por deformação excessiva

ou por perda de estabilidade ou por deformação excessiva 3.3 falha ocorrência que prejudica dica a

3.3

falha ocorrência que prejudica dica a a utilização utilizzaçççãããooo do do sistema ssistemma ou ou do do elemento, elemento, resultando resultando em e desempenho inferior ao requerido

3.4

falha da estrutura ocorrência que compromete prrrommmeeettte o o estado estado de de utilização utilizaçããão do do sistema sisteemaa ou ou elemento. elemennnto. Essa ocorrência pode

resultar de fissuras ou u deslocamentos ddeslocamentos acima acima de de limites liimitttes aceitáveis, aceitáveis, avarias avarias no no sistema s ou no elemento

estrutural ou nas interfaces rfacces com com outros outros sistemas sistemas ou ou elementoss elementos

3.5

deformação

variação da distância entre entrrre pontos ponnnttos de de um um corpo corpo submetido submetido a a uma uma determinada determinada tensão, te com modificação

de sua forma e volume me ppprimmitivos primitivos

3.6

deslocamento

afastamento entre a posiçãooo posição deeeffoorrmmmadaa deformada e e o o eixo eixo oooriginnal original de de uma uma barra barra (ou (ou pppllano plano original de uma placa)

submetida a uma carga rga estáticcca estática ooouuu ou dddinnnâmicaa dinâmica

3.7

flecha afastamento máximo entre a posição deformada e a posição primitiva de uma barra ou de uma placa submetida à flexão

3.8

fissura de componente estrutural seccionamento na superfície ou em toda a seção transversal de um componente, com abertura capilar, provocado por tensões normais ou tangenciais. As fissuras podem ser classificadas como ativas (variação da abertura em função de movimentações higrotérmicas ou outras) ou passivas (abertura constante)

3.9

estado inaceitável de fissura ocorrência de fissura isolada ou de fissuras múltiplas, ativas ou passivas, que repercutam em não atendimento a qualquer um dos critérios desta Norma

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

3

ABNT NBR 15575-2:2013

3.10

trinca expressão coloquial qualitativa aplicável a fissuras conforme 3.7

3.11

mossa vestígio de pancada ou pressão

3.12

estado-limite último

estado crítico em que o SVVIE não mais atende aos critérios de desempenho relativos à segurança, ou seja, é o momento a partir do qual ocorre rebaixamento perigoso dos níveis de segurança, com risco de colapso ou ruína do SVVIE. A ruína pode ser caracterizada pela ruptura, pela perda

de estabilidade, por deformações ou fissuras excessivas

ç 1. 1. 1.
ç
1.
1.
1.

3.13

estado-limite de serviço iço

estado de solicitação do do SVVIE SVVVVIEEE a aaa partir paaartir do do qual qual começam começam a a ser ser prejudicadas prejudicad a funcionalidade,

a utilização e/ou a durabilidade bilidaddde do dddooo sistema, sisttemaa, configurando-se, configurando-se, em em geral, ggeral, pela pelaaa presença preeesen de deslocamentos

acima de limites preestabelecidos, tabeelecidddos,,, apaaarecimento aparecimento de de fissuras fissuras ee e outras outras falhas falhas

4

Requisitos do usáário usuário

Ver ABNT NBR 15575-1.

5

Incumbências dos dos intervenientes intervenientes

Ver ABNT NBR 15575-1.

6

Avaliação de desempenho esempeennhhhooo

Ver ABNT NBR 15575-1.

7 Segurança estrutural

7.1 Requisitos gerais para a edificação habitacional

Atender, durante a vida útil de projeto, sob as diversas condições de exposição (ação do peso próprio, sobrecargas de utilização, atuações do vento e outros), aos seguintes requisitos gerais:

a)

b)

c)

4

não ruir ou perder a estabilidade de qualquer de suas partes;

prover segurança aos usuários sob ação de impactos, choques, vibrações e outras solicitações decorrentes da utilização normal da edificação, previsíveis na época do projeto;

não provocar sensação de insegurança aos usuários pelas deformações de quaisquer elementos da edificação, permitindo-se tal requisito atendido caso as deformações se mantenham dentro dos limites estabelecidos nesta Norma;

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-2:2013

d) não repercutir em estados inaceitáveis de fissura de vedação e acabamentos;

e) não prejudicar a manobra normal de partes móveis, como portas e janelas, nem prejudicar o funcionamento normal das instalações em face das deformações dos elementos estruturais;

f) atender às disposições das ABNT NBR 5629, ABNT NBR 11682 e ABNT NBR 6122 relativas às interações com o solo e com o entorno da edificação.

De acordo com a ABNT NBR 8681, os estados-limites de uma estrutura estabelecem as condições a partir das quais a estrutura apresenta desempenho inadequado às finalidades da construção.

O manual do proprietário deve conter as informações relativas às sobrecargas limitantes no uso das edificações.

7.2

com função estrutural tural

Requisito – Estabilidade Estabilidade e e ressissstttêêência resistência do do sistema sistema estrutural estrutural e e demais elementos

l especccífificccooo de segurança cconntra a ruína, consssiderand probabbbiliidddaaade de ocorrência, ou seja,
l especccífificccooo de segurança cconntra a ruína, consssiderand
probabbbiliidddaaade de ocorrência, ou seja, aqquelas quuue ssse re
uuraa seeu pesso próprio e os esssforrrços externos que sobre ele
tado-limite último
ões applicáááveeeis das normas que aboordam a estabilidade e
consideradas consideradas
nos nos
projetos projetos
as as
cargas cargas

Apresentar um nível específico de segurança contra a ruína, considerando-se as combinações

de carga de maior probabilidade de ocorrência, ou seja, aquelas que se referem ao estado-limite

último.

Elementos com função çãão ddee de vedaação vedação (paredes (paredes e e divisórias divisórias não não estruturais) estruturais) devem ter capacidade

de transmitir à estrutura seu peso próprio e os esforços externos que sobre eles diretamente venham

atuar, decorrentes de e sua sua utilização. utilização.

7.2.1

Critério – Estado-limite último

Atender às disposições aplicáveis das normas que abordam a estabilidade e a segurança estrutural

para todos os componentes nnenntttesss estruturais estruturais da da edificação edificação haabitacional, habitacional, incl incluindo-se indo-se as obras geotécnicas.

e

e

ser

acidentais

(sobrecargas de utilização), izaçããão), dddeevido devido ao ao vento vento e e a a deffformações deformações impo impostas taas ((vvva (variação de temperatura

Devem

necessariamente ariaaameeente

pe permanentes,

umidade, recalques s das das fuuundddaçõõões), fundações), cconforme conforme AAABNT ABNT NBR NBR 8681, 8681, ABNT ABNT NNNBBBR NBR 6120, ABNT NBR 6122

ABNT NBR 6123.

NOTA 1

por secagem, onde aplicável, plicável, caso caso os os materiaais materiais apresentem apresentem íníndices índices de de retração retração li livre em corpos de prova de laboratório inferiores a 0,06 %.

Para efeitos s do do estado-limite estado-limitete último, últimimmo,o,o, podem podododememem ser ser desprezadas desprp ezeze adadadas as as solicitações solicit devido à retração

NOTA 2 Para efeitos do estado-limite último, podem ser desprezadas as solicitações devido à va- riação de temperatura, caso sejam empregados materiais com coeficientes de dilatação térmica linear 10 5 /°C; para comprimentos em planta inferiores a 30 m, levar em consideração somente para valores acima de 2 × 10 5 /°C.

NOTA 3 Para efeitos do estado-limite último, podem ser desprezadas as solicitações devido à variação da umidade relativa do ar, caso sejam empregados materiais que, no aumento da umidade relativa de 50 % para 100 %, estabilizam-se com expansão não superior a 0,1 %; da mesma forma, o efeito da variação da umidade pode ser desprezado para estruturas cujos componentes foram protegidos com sistemas de impermeabilização que atendam aos requisitos desta Norma.

7.2.2 Métodos de avaliação

Análise do projeto conforme 7.2.2.1 ou 7.2.2.2.

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

5

ABNT NBR 15575-2:2013

7.2.2.1 Cálculos

A análise do projeto dos componentes estruturais da edificação habitacional deve ser feita

com base nas seguintes Normas, quando aplicáveis: ABNT NBR 6118, ABNT NBR 6120, ABNTNBR6122, ABNTNBR6123,ABNTNBR7190,ABNTNBR8681,ABNTNBR8800,ABNTNBR9062, ABNT NBR 15961, ABNT NBR 15812.

As condições de desempenho devem ser comprovadas analiticamente, demonstrando o atendimento

ao estado-limite último, devendo as ações respeitarem as Normas vigentes e as considerações estabelecidas em projeto.

Para casas térreas e sobrados, cuja altura total não ultrapasse 6,0 m (desde o respaldo da fundação

de cota mais baixa até a laje ou forro do segundo pavimento), não há necessidade de atendimento

às dimensões mínimas dos componentes estruturais estabelecidas nas Normas de projeto

(ABNT NBR 6118, AAABBBNT NBR 7190, ABNT NBR 8800 2.2.
(ABNT NBR 6118, AAABBBNT NBR 7190, ABNT NBR 8800
2.2.

estrutural específicas (ABNT NBR 6118, ABNT NBR 7190, ABNT NBR 8800, ABNT NBR 9062,

ABNT NBR 15961 e ABNT BNT NBR NBR 14766222)), 14762), reeesguarrddada resguardada a a demoonstração demonstração da da segura segurança e a estabilidade

pelos ensaios previstos s nesta nesta NNNoorrmmmaaa Norma (7.22.2.2 (7.2.2.2 e e 7.4), 7.4), bem bem como como atendidos atendidos o os demais requisitos

de

desempenho estabelecidos elecidoss neesssttta nesta Norma. Noorma.

Na inexistência de Norma ma BBBraaasssiiilleiraaa Brasileira de deee projeto projeto estrutural estrutural espeecífifica específica para para o o tipo tipo de de estrutura analisado,

pode ser aceito o atendimento imennntooo aosss aos reeespectivos respectivos Eurocóódigos, Eurocódigos, emm em sua sua última última veersããão versão, ou a demonstração

da estabilidade e da ssegguuranççça segurança estrutural estrutural através através de de lculoss, cálculos, modelos modelos e e ensaios, respeitado

o

estabelecido em 7.2.2.2.

7.2.2.2 Ensaios

Quando a modelagem matemática matemática do do comportamento comportamento conjunto conjunto dos dos materiais m teriais e componentes que

constituem o sistema, ou oou dos dos sistemas siiissttemas que que constituem constituemm a a estrutura, estrutura, não não for for conhecida conh e consolidada

por experimentação, ou u não ãão existir eeexistir Norma Norma Brasileira, Brasileira, permite-se, permite-se, para para os os efeitos efeitos desta Norma, desde

que aplicado a edificações õões hhhabitacionais habitacionais de de até até cinco cinco pavimentos, pavimentos, estabele estabelecer uma resistência

mínima de projeto através ravééés dddee de ensaios ensaios destrutivos destrutivos e e do do traçado traçado do do corresss correspondente diagrama

carga × deslocamento, confooormmmeee conforme inndicado indicado no no Anexo Anexo AAA. A.

7.2.3

Premissas de projeto projeto

O

em sua ausência, com base base nos nos Eurocódigos Eurocódigos ou ou em em ensaios ensaios conforme conforme 7 7.2.2.2. 2 2 2

projeto deve apresentar tar a a justificativa justificativa dos ddos fundamentos funndddaaameeentos técnicos técniiicoos com coom base base em em Normas N Brasileiras ou,

7.2.4 Nível de desempenho

O atendimento dos requisitos estabelecidos corresponde ao nível de desempenho mínimo (M).

7.3 Requisito – Deformações ou estados de fissura do sistema estrutural

Não ocasionar deslocamentos ou fissuras excessivas aos elementos de construção vinculados ao sistema estrutural, levando-se em consideração as ações permanentes e de utilização, nem impedir o livre funcionamento de elementos e componentes da edificação, como portas e janelas, nem repercutir no funcionamento das instalações.

NOTA Com o atendimento a este requisito, a probabilidade de ocorrência de danos inaceitáveis tende a ser mínima.

6

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

7.3.1 Critério – Estados-limites de serviço

ABNT NBR 15575-2:2013

Sob a ação de cargas gravitacionais, de temperatura, de vento (ABNT NBR 6123), recalques diferenciais das fundações (ABNT NBR 6122) ou quaisquer outras solicitações passíveis de atuarem sobre a construção, conforme ABNT NBR 8681, os componentes estruturais não podem apresentar:

— deslocamentos maiores que os estabelecidos nas Normas de projeto estrutural (ABNT NBR 6118, ABNT NBR 7190, ABNT NBR 8800, ABNT NBR 9062, ABNT NBR 15961 e ABNT NBR 14762) ou, na falta de Norma Brasileira específica, utilizar as Tabelas 1 ou 2;

— fissuras com aberturas maiores que os limites indicados nas ABNT NBR 6118 e ABNT NBR 9062, ou outra norma específica para o método construtivo adotado ou abertura superior a 0,6 mm em qualquer situação.

NOTA A Tabela 1 apresenta apresenta limitações limitações ddeee de dededesempenho desempenho genérricas genéricas e
NOTA
A Tabela 1 apresenta apresenta limitações limitações ddeee de dededesempenho desempenho genérricas genéricas e e abrangente abrangentes, objetivando preservar
os elementos estruturais ais através através de de ummmaaa uma momomodededelagem modelagem detalhadada.a detalhada. A A Tabela Tabela 2 2 inclui inclui as as e expectativas com relação
a deformações dependentes dentes do do teemempopopo. tempo.
Tabela 1 – Deslocamentos-limites cameeentttooosss-limmmitess para para cargas cargas permanentes permanentes e e cccargggas cargas a acidentais em geral
Razão da limitação o
Elllemememento
Elemento
Deslocamentott liiimite
Deslocamentolimite
Tipopp
Tipo de deslocamento
Pilares, paredes,
PiP lares, paredes,
Visual/insegurança
vigas, vvigaas, lajes lllajes
Deslocamento Desloca final incluindo
a
a
L/250 ou H/300
L///250 ou H/3000
psicológica
(componentes (componentes
fluência fluência (carga total)
visíveis) visíveis)
Caixilhos, Caixilhos,
instalações, instalala açaçações,
vedações vevevedações e e
L/800 L/800
Destacamentos,
fissuras em vedações s
ou acabamentos,
acabamentos acaaba amentos
Parcela Parcela da flecha ocorrida
rígidos rírírígigigidooos (pisos, (pisos,
após após a a iin instalação da carga
forros forrrrososos eeetc.) etc.)
cococ correspondente rressspo ao elemento
falhas na operação de
caixilhos e instalações s
e
emm em análi análise (parede, piso etc.)
Divisórias Divivivisósósóririasasas leves, levee es,
acabamentos acabammmentototoss
L/600 L/600
flexíveis flexíveis (pisos, (pisssososos,
forros forros etc.) etc.)

Paredes e/ou

 

acabamentos

L/500 ou H/500 a

rígidos

Paredes e

 

acabamentos

L/400 ou H/400 a

flexíveis

Distorção horizontal ou vertical provocada por variações de temperatura ou ação do vento, distorção angular devida ao recalque de fundações (deslocamentos totais)

Destacamentos e fissuras em vedações

H

- é a altura do elemento estrutural.

L

- é o vão teórico do elemento estrutural.

a Para qualquer tipo de solicitação, o deslocamento horizontal máximo no topo do edifício deve ser limitado a H total /500 ou 3 cm, respeitando-se o menor dos dois limites.

Não podem ser aceitas falhas, a menos aquelas que estejam dentro dos limites previstos nas normas prescritivas

específicas.

NOTA.

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

7

ABNT NBR 15575-2:2013

Tabela 2 – Flechas máximas para vigas e lajes (cargas gravitacionais permanentes e acidentais)

Flecha imediata a Flecha final (total) c Parcela de carga permanente sobre vigas e lajes
Flecha imediata a
Flecha final (total) c
Parcela de carga permanente sobre
vigas e lajes
S
S
S gk + 0,7 S qk
S gk + 0,7 S qk
gk
qk
Paredes
monolíticas, em
alvenaria ou
painéis unidos ou
rejuntados com
material rígido
Com aberturas b
L/1 000
L/2 800
L/800
L/400
Sem aberturas
L/750
L/2 100
L/600
L/340
Paredes em painéis
com juntas flexíveis,
divisórias leves,
gesso acartonado
Com aberturas b
L/1 050
L/1 700
L/730
L/330
Sem Sem aberturas aberturas
LLL/850 L/850
L/1 L/1 400 400
L/600 L/600
L/300
Constituídos e/
Constituídooso
eee//
ou revestidos com
ou revesstidododosss commm
L/700
L/700
LLL//1 500
L/1 500
L//530
L/530
L/320
material materiiial rígido rígígígido
Pisos
Constituídos e/
Connsn tiiitututuíddos e/
ou ou revvvesesestidoos revestidos com ccom
L/750 L/750
LLL/1 L/1 200 200
L//520 L/520
L/280
materrir material aal flexívvel flexível
Constituídos Consnsnstituíddos e/ e/
ou ou revevevestidos revestidos com com
L/600 L/600
LLL/1 L/1 700 700
L//480 L/480
L/300
material mamamateriiial rígido rígiddo
Forros
Forros Forros falsos falsos e/ e/
ou ouu revevevestidos revestidos com com
L/560 L/560
L/1 L/1 6600 600
L//450 L/450
L/260
material maaterirr aala flexível flexível
Laje de cobertura impermeabilizada, ermeabbbillizizizadaa a,
com inclinação i ≥ 2 %
L/850 L/850
L/1 L/1 400 400
L//600 L/600
L/320
Vigas calha com inclinação i ≥ 2 %
clinação i ≥ 22 %%%
L/750
L/750
L/300
L é o vão teórico.
a Para vigas e lajes em balanço, são permitidos deslocamentos correspondentes a 1,5 vez os respectivos valores
balanço, são permititidos dedeeslocamentos cococorresesespopopondndndentes a 1,5 vez
indicados.

b No caso do emprego de dispositivos e detalhes construtivos que absorvam as tensões concentradas no contorno das aberturas das portas e janelas, as paredes podem ser consideradas “sem aberturas”.

c Para a verificação dos deslocamentos na flecha final, reduzir a rigidez dos elementos analisados pela metade.

7.3.2 Método de avaliação

Atendimento aos valores das Normas Brasileiras específicas ou das Tabelas 1 ou 2. Caso estes valores não sejam atendidos, proceder à análise do projeto, atendendo ao estabelecido em 7.3.2.1 ou 7.3.2.2.

7.3.2.1

Cálculos

A análise do projeto dos componentes estruturais da edificação habitacional deve ser feita com base

nas ABNT NBR 6118, ABNT NBR 6120, ABNT NBR 6123, ABNT NBR 7190, ABNT NBR 8681, ABNT NBR 8800, ABNT NBR 9062, ABNT NBR 15961 e ABNT NBR 14762, em função do tipo

de estrutura. Devem ser consideradas as cargas permanentes acidentais devidas ao vento

e

a deformações específicas, conforme ABNT NBR 8681.

8

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-2:2013

Nos casos mais gerais, na análise das deformações podem ser consideradas somente as ações permanentes e acidentais (sobrecargas) características, tomando-se para Ψ g o valor 1,0 e para Ψ q

o valor 0,7.

S d = S gk + 0,7 S qk

Na avaliação dos deslocamentos, cujos limites são apresentados nas Normas Brasileiras de projeto estrutural ou na Tabela 1, devem ser levadas em consideração as deformações imediatas e as diferidas no tempo.

Para o caso de estruturas de concreto ou argamassa armada, de compósitos reforçados com fibras ou materiais semelhantes, devem ser levados em consideração os efeitos de diminuição da rigidez com a ocorrência da fissura.

7.3.2.2

Ensaios

da da verificação verifificaççãããooo deste deste requisito requisito as as estruturas esttrrruuuturas
da
da
verificação
verifificaççãããooo
deste
deste
requisito
requisito
as
as
estruturas
esttrrruuuturas
, respeitado o descritoo em 7.2.2.1.

Quando a modelagem em matemática matemática do dddooo comportamento commporrtamento conjunto conjunto dos dos materiais mat e componentes

que constituem o sistema, ema, ou ou dooos dos sssiiissstttemaaas sistemas que que coonstttituem constituem a a estrutura, estrutura, não não for for c conhecida e consolidada

por experimentação, ou ou não não existir exxiissttiir norma noorma técnica, cnica, permite-se, permite-se, para para os os efeitos effeitos desta d Norma, desde que

aplicado a edifícios habitacionais habitaaaciooonnnaaais de ddde até aaacinco cinco pavimentos, pavimentos, estabelecer estabeleceeer uma ummma modelagem m matemática

do comportamento connjuuunntttooo conjunto ppparaa para as as deformações deformações de de serviço serviço através através de d ensaios destrutivos

e

Os elementos estruturais turais devem devem ser ser ensaiadoss ensaiados nas nas condiççções condições de de solicitaç solicitação a que se pretende

do traçado do correspondente espppondddente diagrama diagrama carga carga × × deslocamento, deslocammento, conforme conforme innnd indicado no Anexo B.

submetê-los na edificação, caçãão, traçando traçando o o gráfico: gráfico: carga carggga × × deslocaamento, deslocamento, conforme conform indicado no Anexo B,

de forma a serem caracterizados aracterizados em em cada cada ensaio ensaaaio pelo pppelo deslocamento deslocamento que que primeiro pri estabelecer uma falha.

7.3.3

Nível de desempenho emppenho

O atendimento dos requisitos eqqquiissiitooos estabelecidos estabelecidos corresponde corresponde ao ao nível nível de de desempe desempenho mínimo (M).

7.4

Requisito – Impactos mpaaactttoooss de de corpo corpo mole mole e e cccorrrpo corpo duro duro

dispensadas

Não sofrer ruptura ou ou instaabiliidddaaadddee instabilidade sob sob as as energias energias de de impaccto impacto indddiicada indicadas nas Tabelas 3 a 5.

São

as ABNT NBR 6118, 8, ABNT ABNT NBR NBR 7190, 7190, AAABBBNNNT ABNT NBR NBR 8800, 8800, AABBNNNT ABNT NBR NBR 906 9062, ABNT NBR 15961

e

projetadas conforme

ABNT NBR 14762, respeitado o descrito em 7.2.2.1.

NOTA 1 A resistência aos impactos de corpo mole e duro, que podem ser produzidos durante a utilização da edificação habitacional, traduz-se na resistência à energia de impacto a ser aplicada em componentes estruturais responsáveis pela segurança da edificação.

NOTA 2

No que se refere ao estado-limite de serviço e à resistência superficial, os impactos são menos

rigorosos.

7.4.1 Critérios e níveis de desempenho para resistência a impactos de corpo mole

Sob ação de impactos de corpo mole, os componentes da estrutura:

a) não podem sofrer ruptura ou instabilidade sob as energias de impacto estabelecidas nas Tabelas 3 a 5, sendo tolerada a ocorrência de fissuras, escamações, delaminações

e

outros danos em impactos de segurança, respeitados os limites para deformações instantâneas

e

residuais dos componentes;

b) não podem causar danos a outros componentes acoplados aos componentes sob ensaio.

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

9

ABNT NBR 15575-2:2013

As limitações de deslocamentos instantâneos (d h ou d v ) e residuais (d hr ou d vr ), sendo que h refere-se ao deslocamento horizontal e v refere-se ao deslocamento vertical, para o nível mínimo, são apresentadas nas Tabelas 3 a 5. Considerando a possibilidade de melhoria da qualidade da edificação, são recomendados os valores constantes no Anexo D para os níveis de desempenho intermediário (I) e superior (S).

Tabela 3 – Critérios e níveis de desempenho para elementos estruturais localizados na fachada da edificação, em exteriores acessíveis ao público – Impacto de corpo mole na face externa, ou seja, de fora para dentro

Energia de impacto de Critério de desempenho mínimo – M corpo mole J Não ocorrência
Energia de
impacto de
Critério de desempenho mínimo – M
corpo mole
J
Não ocorrência ocorrência de dddee ruína rrruuuína ee e traspppaassamento traspassamento
960
Permitidas falhas superficiais, como mossas, fissuras, lascamentos,
itidas faaalhaasss supperficiais, como mmossas, fissuras, laascame
destacamentos cameeentttooosss e e dddesaaagregações desagregações
Não ocorrrrêêênnciaaa ocorrência dee de ruína ruína e e traspasssammento traspassamento
720
Permitidas itttidas falhas falhass superficiais, superficiais, commo como mossas, mossas, fififissuras, fissuras, lascame lascamentos,
destacamentos e desagregações
cammeentos e desagregações
Não ocorrência ocorrência de de ruína ruína e e traspassamento traspassamento
480
Permitidas falhas superficiais, como mossas, fissuras, lascamentos,
iiitidas falhasss superficiais, como mossas, fissuras, lascame
destacamentos ccammmennntos e e desagregações desagregações
Não ocorrrrênnnccciaaa ocorrência de de ruína ruína e e traspassameento traspassamento
360
Permitidas itidas falhas falhhaaass superficiais, superficiais, comooo como mossas, mossas, fissuras, fissuras, lascaame lascamentos,
destacamentos camentoos e eee dddeeesssagreegações desagregações
Não ocorrência ocorrência de de falhhas falhas
Limitação do deslocamento horizontal:
240
d h ≤ h/250 e d hr ≤ h/1 250 para pilares, sendo h a altura do pilar
d h ≤ L/200 e d hr ≤ L/1 000 para vigas, sendo L o vão teórico da viga
180
Não ocorrência de falhas
120
Não ocorrência de falhas

10

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-2:2013

Tabela 4 – Critérios e níveis de desempenho para elementos estruturais localizados no interior da edificação e na fachada – Impacto de corpo mole aplicado na face interna, ou seja, de dentro para fora

Energia de impacto Elemento de corpo Critério de desempenho mínimo – M mole J Não
Energia de
impacto
Elemento
de corpo
Critério de desempenho mínimo – M
mole
J
Não ocorrência de ruína e traspassamento
480
Permitidas falhas superficiais, como mossas, fissuras,
lascamentos, destacamentos e desagregações
ascamen os,
es aaccaaa
en os e
esagregaç e
Não NNNãããooo ocorrêência ocorrência de de ruína ruína e e traspassamento traspaaassamento
240
240
Permitidas PPPermmmitidas falhas falhas suuperficiais, superficiais, como como mossas, mmmossas, fissuras,
Elementos
lascamentos, laaascaamentos, destacamentos destacamentos e e desagregações desagggregggaçõe
estruturais
situados na
180
18000
NNNão Não ocorrência ocorrência de de falhas falhas
fachada
Não Não ocorrência ocorrência de deee falhas falhas
Limitação Limitação do do deslocamento deeeslocccamento hoorizontal: horizontal:
120
120
d
≤ h/250 e
h/250 e
d
d
h/1 h/1 250 250 para para pilares, pilares, sen sendo h a altura do pilar
d h h
hr ≤
hrrr
d
d h h ≤
L/200 L/200 e e
d
d
≤ L/1 000 para vigas, sendo L o vão teórico
L/1 000 para vigas, send
hr hr
da da viga viga
Não Não ocorrência ocorrência de de ruííínna ruína e e traspassamento traspassamento
360
3600
Permitidas Permitidas falhas falhas superficiais, superficiais, como como mossaaas, mossas, fissuras,
lascamentos, laaasssccameentos, ddestaaacamentos destacamentos e e desagregações deesagreeegggaçõe
Não Não oocorrêênnncccia ocorrência de de ruína ruína eee e trrasssppassamento traspassamento
240
240
Elementos
Permitidas falhas superficiais, como mossas, fissuras,
lascamentos, destacamentos e desagregações
estruturais
situados no
180
Não ocorrência de falhas
interior da
edificação
Não ocorrência de falhas
Limitação do deslocamento horizontal:
120
d h ≤ h/250 e d hr ≤ h/1 250 para pilares, sendo h a altura do
pilar.
d h ≤ L/200 e d hr ≤ L/1 000 para vigas, sendo L o vão teórico
da viga.

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

11

ABNT NBR 15575-2:2013

Tabela 5 – Critérios e níveis de desempenho para impacto de corpo mole em pisos

Energia de impacto de Critério de desempenho mínimo – M corpo mole J Não ocorrência
Energia de
impacto de
Critério de desempenho mínimo – M
corpo mole
J
Não ocorrência de ruína e traspassamento
960
Permitidas: falhas superficiais, como mossas, fissuras, lascamentos,
destacamentos e desagregações
Não ocorrência de ruína e traspassamento
720
Permitidas: falhas superficiais, como mossas, fissuras, lascamentos,
destacamentos e desagregações
Não ocorrência ocorrência de de ruuínnnaa ruína eee e traspassamento traspassamento
480
Permitidas: mitidas: falhaass falhas sssuuuperficiiais, superficiais, commmo como mossas, mossas, fissssuras, fissuras, lascam lascamentos,
destacamentos tacamenttosss ee e ddesagregaçõesss desagregações
360
Não ocorrrrênccciia ocorrência de de faaalhas falhas
Não occorrrrêêênciaa ocorrência deee de falhas falhas
240
Limitação itaaçãoo de de deslocamento deslocamento vertical vertical
d
≤≤ L///300; dd
≤ L/300; d vr ≤ L/900
≤ L/900
v
v
vr
120
Não ocorrência ocorrência de de falhas falhas
7.4.1.1
Método de avaliação vallliaçção – – Verificações Verificações
As
verificações da resistência stttênnciaa e e o o deslocamento deslocamento dos dos elementos elementos estruturais estruturais deve devem ser feitos por meio
de
ensaios de impacto de de cooorppo corpo mole, mole, realizados realizados em em laboratório laboratório ou ou em em protótip protótipo ou obra, devendo
o corpo de prova representar esenntaar fififieeelmente fielmente as as condições condições executivas executivas da da obra, obra, incluss inclusive tipos de apoio e
vinculações, conforme métoodo método dddeee de ensaio ensaio indicado indicado no no Annexo Anexo C, C, para para pisosss, pisos, ou ou ccco conforme o método de
ensaio indicado na ABNT NT NBRRR NBR 11667775, 11675, paara para paredesss. paredes.
7.4.1.2
Componentes s específicooos específicos

Para cada situação ou localização localização dos dos elementtoos elementos deve-se deve-se coonsiderar, considerar, quando