Sunteți pe pagina 1din 4

A cruz de Cristo – Lucas 23.

32-43

A festa da páscoa havia chegado, e Jesus Cristo sabendo que havia chegado a sua hora,
decisivamente rumou para cidade Jerusalém. Ele já havia alertado os seus discípulos que seria
entregue nas mãos dos homens para ser preso, crucificado e morto. Ao chegar em Jerusalém,
a multidão o recebe, o aplaude, e com folhas de palmeiras o saudavam com Hosanas ao que
estava vindo em nome do Senhor.
A cidade de Jerusalém estava agitada, apinhada de gente, e Jesus ordena seus discípulos para
prepararem um local para ele especial para celebrarem com eles a páscoa. Jesus sabia o que
estava acontecendo, era a grande hora traçada na eternidade. E ali no cenáculo, Jesus como
que ministra a sua aula da saudade, mostrando para os seus discípulos que os havia amado, e
os havia amado até o fim. Ali mesmo Jesus se cinge com uma toalha, pega uma bacia e lava os
pés dos discípulos. Ali mesmo, Judas Iscariotes, movido pela ganância, dominado por Satanás,
toma a decisão por dinheiro de entregar Jesus Cristo aos sumos sacerdotes.
Ali Jesus ministra os discípulos dizendo que iria para o Pai, mas enviaria o outro Consolador,
não os deixariam órfãos. Jesus então fala da Casa do Pai, que havia preparado para eles um
lugar, que Ele voltaria para eles, para que onde estivesse todos pudessem estar tambpem para
ver e desfrutar da glória que sempre tivera com o Pai.
Jesus ora pelos seus discípulos, intercede por eles, agradece ao Pai, porque nenhum deles
pereceria, exceto o filho da perdição. Então, Jesus institui a ceia, pega o pão, dá graças, parte e
diz: “Este pão é o meu corpo que é partido por vós, tomai e comei, fazei isso em memória de
mim. Depois tomou o cálice e disse: “tomai e bebei dele todos, este é o cálice da nova aliança,
e tendo cantado um hino, diz a Escritura que Jesus naquela noite fatídica da quinta-feira sai do
cenáculo, lá do monte Sião, atravessa o vale do Cedrom, mergulha nas fraldas dos Montes das
Oliveiras, no jardim do Getsêmani (prensa de azeite), onde ele costuma orar com seus
discípulos, e diz a bíblia que ao chegar ali ele diz a Pedro, Tiago e João: “ venham comigo”. E
para esses três ele admite: “ A minha alma está profundamente triste até a morte, ficai e vigiai
comigo. Jesus caminha um pouco adiante, prostrado sobre o seu rosto começa a orar, em
hebreus diz que ele orava com forte clamor e lágrimas, e a sua oração tinha um propósito
específico: “Pai, se possível passe de mim este cálice”.
Ele se volta para os discípulos e eles estão dormindo, e Jesus acorda Pedro que prometera ir
com ele pra prisão e se preciso pra morte, e pergunta: Pedro, porventura não pudestes vigiar
nem uma hora? Vigiai e orai para que não entreis em tentação, o espírito tá pronto mas a
carne é fraca. E Jesus voltou e prostrou-se de novo com seu rosto em terra e clamou
novamente: “Pai se possível passe de mim este cálice, seja feita contudo a sua vontade.” E
volta para os seus discípulos e eles estão dormindo e diz a bíblia que Jesus volta com mais
intensidade, seu suor começa a se transformar em gotas de sangue. Ele clama: se não é
possível passar de mim esse cálice sem que eu beba, faça-se a tua vontade. Diz a Escritura que
um anjo vem para confortá-lo, e ele se levanta daquela oração fortalecido, pronto pra
enfrentar aquele grande drama da redenção. Ele que se dispôs a beber sozinho aquele cálice
da ira, que era a ira de Deus contra o meu pecado, o seu pecado. E ali no Getsêmani, Jesus não
é preso, ele se entrega. Ele disse: “Eu estive tantas vezes entre vocês, vocês nunca me
prenderam, porque não havia chegado a minha hora, agora chegou a minha hora.
Jesus é manietado, preso, e naquela noite levado para o Sinédrio, e numa reunião ilegal,
porque o Sinédrio não poderia julgar um preso à noite (era norma do Sinédrio), e além de
reunir-se ilegalmente, contrataram testemunhas falsas para acusarem Jesus. Ali zombam dele,
cospem, esbofeteiam e na calada da noite constroem uma acusação mentirosa contra Jesus,
acusando-o de blasfêmia. Jesus ficou preso ali naquela noite.
Quando amanheceu o dia, o Sinédrio se reúne de novo, sabendo que não poderiam prosperar
com acusação religiosa contra Jesus diante de Pilatos, reúnem-se para traçar nova forma de
acusação, e o acusam de rebelião contra César. Então pela manhã levam Jesus a Pilatos e
fazem essas duas acusações.
Pilatos percebe de imediato que a motivação dos sumos sacerdotes era inveja e que Jesus não
era culpado dos crimes de que é acusado, e ele tenta se livrar daquela situação e descobrindo
que Jesus era da jurisdição da Galiléia e sabendo que Herodes que era quem comandava a
Galiléia estava em Jerusalém, remete Jesus a Herodes.
Herodes zomba de Jesus, espera um milagre de Jesus, e Jesus não abre a boca. Herodes
devolve Jesus pra Pilatos,
Pilatos querendo se livrar de Jesus, querendo também agradar os Judeus, disse que iria açoitá-
lo e depois livrá-lo, mas as autoridades judaicas diziam “crucifica-o”. Pilatos propôs outra
alternativa – É costume soltar um prisioneiro, quem quereis que eu solte, o rei dos judeus ou
Barrabás (deveria ser o criminoso mais perigoso da época)? E eles disseram, solta Barrabás e
crucifique Jesus! Pilatos então, pede uma bacia, lava as mãos e diz: estou livre do sangue deste
inocente e o entregou para ser crucificado.
Jesus caminha pelas ruas de Jerusalém, pelas ruas estreitas, sob os gritos da multidão, sendo
açoitado, escarnecido, já com seu corpo surrado e sangrando, não suportando as caibras, o
peso maldito do lenho, os soldados forçam um Simão Cirineu para levar aquele lenho, até que
chegam no topo do Calvário e ali crucificam Jesus.
Ao lado de Jesus, dois salteadores. Um a direita, outro à esquerda. E ali estavam três retratos.
A cruz do centro, a cruz da direita e a cruz da esquerda.
Essas três cruzes representam a verdade de que Jesus é aquele que divide os homens em
apenas dois grupos: não ricos e pobres, não ateus e religiosos, mas os que estão salvos e os
perdidos, os que se arrependem e os que permanecem impenitentes. O que na última hora
tem um encontro com Cristo e são salvos, e aqueles que permanecem endurecidos e perecem
eternamente.
OLHE PARA A CRUZ DO CENTRO – A cruz da salvação
Ali estava pregado o Criado do universo, aquele que mediu os céus a palmos, mediu as águas
na concha da sua mão, pesou a terra com balança de precisão, espalhou as estrelas no
firmamento, Rei da Glória, Senhor dos Senhores – Ele estava na cruz do centro para julgar a
humanidade, estava lá, não por ser o maior pecador, mas porque assumiu o nosso lugar.
Deus lançou sobre ele a iniquidade de todos nós. Foi feito pecado por nós. Foi feito maldição
por nós. Até o sol se escondeu e houve trevas ao meio-dia. Ali o Pai precisou desampara-lo,
porque ele foi feito pecado e Deus é santo. Ele estava na cruz do centro porque naquela cruz
estava você e eu. Então Deus traspassou o seu filho, e agradou ao Pai moê-lo e ele foi feito
pecado por nós e ele carrega no seu corpo , naquele madeiro os nossos pecados.
A cruz do centro revela pra nós, o amor insondável, indescritível, incomensurável de Deus.
Porque Deus é capaz de amar eternamente, sacrificialmente, perseverantemente os objetos
da sua ira. Nada descreve com tanta eloquência, com tanta beleza e profundidade o amor de
Deus que a cruz de Jesus Cristo. Jesus foi pra cruz, não porque Judas o traiu por ganância, não
porque os judeus o entregaram por inveja, não porque Pilatos o sentenciou por covardia, Jesus
foi pra cruz porque o Pai o entregou por amor. Ele não poupou o seu Filho, antes por todos nós
o entregou.
Quando Abraão a mais de 2 mil anos quando vai para o Moriá, havia um cordeiro substituto
pro seu filho, 2 mil anos depois, o Filho de Deus sobe a montanha do Golgota, não havia um
cordeiro substituto para o Filho de Deus, porque o Filho de Deus era o cordeiro de Deus que
tira o pecado do mundo. O Pai o entregou por amor a você e a mim. João 3.16
Deus prova o Seu amor por você, pelo fato de Cristo ter morrido por você, sendo nós
pecadores. Ele estava na cruz do centro, porque ali não era apenas o palco do amor de Deus
mas da justiça de Deus. Revelando o quanto Deus odeia o pecado, revelando o quanto o
pecado é um insulto a Deus, uma violação da Sua justiça. E Deus não encontra nenhuma outra
maneira leve pra tratar do nosso pecado a não ser punir no seu próprio filho o nosso pecado.
Aquela cruz era o palco onde a justiça de Deus e o amor se unem e a paz e a justiça se beijam.
Jesus está na cruz do centro porque ele voluntariamente se entregou. Porque o bom pastor dá
a vida pelas suas ovelhas.
OLHE AGORA PARA A CRUZ DA ESQUERDA
Jesus foi crucificado ás 9h da manhã, e lendo os evangelistas relatando a cena, diz que logo
que ele foi crucificado, o povo passava ali e soldados/sacerdotes/pessoas zombavam,
escarneciam, diziam: salvou os outros e a si mesmo não pode salvar. Se és o escolhido de
Deus, salva-te a ti mesmo, desça dessa cruz”, Desça da cruz e creremos em ti.
Mateus diz que também os dois ladrões zombavam de Jesus. Salva-te- a ti mesmo e a nós.
Não sabemos quanto tempo durou essa zombaria, mas houve um momento em que aquilo foi
interrompido quando Jesus transforma aquele palco de horror em um púlpito para sua
pregação. Lá da cruz brada: Pai, perdoa-lhes...
Apesar de ser um pecador condenado a morte esse homem rejeita Jesus na hora da morte –
v39
Não há nada mais perigoso do que manter-se endurecido ao Evangelho.
Esse homem estava perto de Jesus, mas perdeu sua única oportunidade. Podia ver Jesus,
escutar Jesus, estava debaixo das mesmas circunstancias, situação, condição daquele que
estava do outro lado. E apesar de tão perto de Jesus e tão perto da morte, ele não se humilha,
mantém se rebelde e endurecido.
Ele clama mas não se quebranta – v39 é um apelo. Não se humilha, não se arrepende. Quantas
pessoas chegam no momento final da vida, e ainda assim se mantém rebeldes. Ele queria ser
salvo, não da condenação eterna mas das consequências imediatas do seu erro. Não queria
perdão, mas alivio da sua dor.
Quantas pessoas querem ser salvas do seu jeito. Sem a cruz.
Se Jesus se poupasse estaríamos perdidos. Se ele descesse da cruz, nós desceríamos ao
inferno. A ÚNICA MANEIRA DE VOCÊ SER SALVO É PELO SACRIFÍCIO DE CRISTO. Não há outro
meio. Você não pode ser salvo por mérito. E esse homem chega ao final da vida e perece
eternamente. Mesmo condenado não se arrepende.
A CRUZ DA DIREITA
Mateus chama de ladrão, Lucas chama de malfeitor. Também era um transgressor da lei.
Perturbava a sociedade. Um dia foi apanhado, julgado, condenado.
No dia que Jesus estava no pretório, conhecendo o que poderia ocorrer deve ter pensado:
“quem será que vai ser solto?” Quem sabe seja eu. Mas logo ouviu que Barrabás foi escolhido
e ali morre a única esperança. Ele sabe que vai ser morto. Ele é crucificado.
Ele blasfema de Jesus, mas ao ouvir o brado de Jesus: Pai perdoa-lhes...essa palavra penetra-
lhe o coração. E ele percebe que não está diante de um criminoso, mas diante de um inocente,
que é rei, o Salvador e algo dentro dele mudou – Ele reconheceu o seu erro!
Esse homem representa todos aqueles que culpados, pecadores, que merece o juízo de Deus,
que estão condenados à morte, ainda tem uma chance de serem salvos.
1 – Esse homem revela temor a Deus – v40: A primeira coisa que acontece a uma pessoa salva,
ela tem temor. Enquanto você achar que o pecado é coisa simples você não pode ser salvo. O
temor te faz reconhecer: “ eu mereço ser condenado”, o inferno, a ira de Deus...eu não posso
me livrar a mim mesmo...eu sou pecador. Em breve você estará diante do tribunal de Deus, do
reto juiz que julgará vivos e mortos. Você não terá escapatória se você não se arrepender, crer
e entregar sua vida a Jesus. Sua religião não te salva, seus méritos, status, sua família...SÓ
JESUS!
2 – Entende que o julgamento é justo – v 40-41): Ele sabe que está colhendo o que plantou.
Enquanto você achar que seus pecados são inocentes e que você é bom que merece o favor de
Deus e ir pro céu, não há esperança pra você.
3 – Reconhece que Jesus é inocente – v41 – Entende que Jesus estava ali não pelos seus
pecados, mas pelos nossos.
4 – Ele reconhece que Jesus é o rei da glória v42 –
Esse homem aproveita a última oportunidade e é salvo!
Conclusão
a) A salvação não pode ser pelas obras – se fosse, este homem jamais seria salvo. Não
importa como você viveu até hoje – Reconheça Cristo -
b) A salvação oferecida por Jesus é imediata v43 – Não há purgatório/nem
reencarnações. Você pode sair daqui hoje salvo.
c) Salvação é uma qualidade gloriosa de convivência com Jesus – Desfrutar de Cristo.
Estar com ele pra sempre.
TEMOS DUAS ESCOLHAS – Dois destinos – duas eternidades – JESUS TE DÁ HOJE ESSA
OPORTUNIDAD