Sunteți pe pagina 1din 196

Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 1

DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO


TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ

Ano IX , Número 165 Disponibilização: segunda-feira, 2 de setembro de 2019 Publicação: terça-feira, 3 de setembro de 2019

Tribunal Regional Eleitoral do Piauí

Des. Francisco Antônio Paes Landim Filho


Presidente

Des. Pedro de Alcântara da Silva Macedo


Vice-Presidente e Corregedor Regional Eleitoral

Dr. Daniel Santos Rocha Sobral


Juiz Federal

Raimundo Holland Moura de Queiroz


Juiz de Direito - substituto

Dr. Astrogildo Mendes de Assunção Filho


Jurista

Dr. Antônio Soares dos Santos


Juiz de Direito

Dr. Thiago Mendes de Almeida Férrer


Jurista

Dr. Patrício Noé da Fonseca


Procurador Regional Eleitoral

Dr. Geraldo Sebastião Almeida Mota Filho


Diretor-Geral

Gabinete da Presidência

Serviço de Imprensa e Comunicação Social

Fone: (86) 2107-9807


djepub@tre-pi.jus.br

Sumário
TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL ..................................................................................................................................................................3
Atos da Presidência ...................................................................................................................................................................................3
Atas ....................................................................................................................................................................................................3
Secretaria Judiciária ...................................................................................................................................................................................4
Documentos Eletrônicos Publicados pelo PJe ....................................................................................................................................5
CORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL ......................................................................................................................................................6
PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL ......................................................................................................................................................6
ZONAS ELEITORAIS .........................................................................................................................................................................................6
2ª Zona Eleitoral .........................................................................................................................................................................................6
Sentenças ..........................................................................................................................................................................................6
3ª Zona Eleitoral .........................................................................................................................................................................................7
Editais ................................................................................................................................................................................................7
5ª Zona Eleitoral .......................................................................................................................................................................................17
Editais ..............................................................................................................................................................................................17
Aviso de Intimação ...........................................................................................................................................................................21
7ª Zona Eleitoral .......................................................................................................................................................................................24
Editais ..............................................................................................................................................................................................24
8ª Zona Eleitoral .......................................................................................................................................................................................26
Editais ..............................................................................................................................................................................................27
13ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................28

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 2

Sentenças ........................................................................................................................................................................................28
Aviso de Intimação ...........................................................................................................................................................................55
18ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................81
Editais ..............................................................................................................................................................................................81
20ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................84
Editais ..............................................................................................................................................................................................84
21ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................85
Editais ..............................................................................................................................................................................................86
30ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................89
Editais ..............................................................................................................................................................................................89
31ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................93
Editais ..............................................................................................................................................................................................93
34ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................94
Editais ..............................................................................................................................................................................................94
35ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................97
Editais ..............................................................................................................................................................................................97
37ª Zona Eleitoral .....................................................................................................................................................................................99
Editais ..............................................................................................................................................................................................99
Sentenças ......................................................................................................................................................................................101
40ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................105
Editais ............................................................................................................................................................................................106
41ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................111
Sentenças ......................................................................................................................................................................................111
43ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................114
Editais ............................................................................................................................................................................................114
46ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................116
Editais ............................................................................................................................................................................................116
52ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................118
Aviso de Intimação .........................................................................................................................................................................118
56ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................120
Editais ............................................................................................................................................................................................120
57ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................122
Aviso de Intimação .........................................................................................................................................................................122
59ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................123
Editais ............................................................................................................................................................................................124
Portarias .........................................................................................................................................................................................132
62ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................132
Editais ............................................................................................................................................................................................132
Aviso de Intimação .........................................................................................................................................................................132
63ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................135
Editais ............................................................................................................................................................................................136
67ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................136
Editais ............................................................................................................................................................................................136
68ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................138
Editais ............................................................................................................................................................................................138
69ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................143
Editais ............................................................................................................................................................................................143
71ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................147
Editais ............................................................................................................................................................................................147
81ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................149
Editais ............................................................................................................................................................................................149
83ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................153
Editais ............................................................................................................................................................................................153
90ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................154
Editais ............................................................................................................................................................................................154
92ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................155
Editais ............................................................................................................................................................................................155
94ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................156
Editais ............................................................................................................................................................................................156
97ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................176
Editais ............................................................................................................................................................................................176
Sentenças ......................................................................................................................................................................................189
98ª Zona Eleitoral ...................................................................................................................................................................................190
Editais ............................................................................................................................................................................................191
OUTROS ........................................................................................................................................................................................................196

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 3

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL

Atos da Presidência

Atas

ATA DE DISTRIBUIÇÃO

ATA DE DISTRIBUIÇÃO – PJE


____________________________________________________________________________________________________________
Trigéssima Sexta Ata de Distribuição Ordinária, realizada no período de 26 de agosto de 2019 a 30 de agosto de 2019, presidida pelo Exmo.
Sr. Des. FRANCISCO ANTÔNIO PAES LANDIM FILHO, Presidente.

AÇÃO PENAL ELEITORAL 0600479-70.2019.6.18.0000(1)


Origem: Teresina
Relator: Relatoria Juiz de Direito 1
Autor: MINISTERIO PUBLICO DA UNIAO
Representante : Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí
Réu: JOAO DA CRUZ ROSAL DA LUZ
Advogado: GUSTAVO LAGE FORTES
Advogado: CLAUDIO RICELLY DE JESUS SOUSA
Advogado: JENIFER RAMOS DOURADO
Advogado: JACYLENNE COELHO BEZERRA FORTES
Advogado: ADAUTO FORTES JUNIOR
Advogado: JONATAS FALCAO BARRETO
Fiscal da lei: MINISTERIO PUBLICO DA UNIAO
Representante : Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí

PROCESSO ADMINISTRATIVO 0600480-55.2019.6.18.0000(2)


Origem: Teresina
Relator: Relatoria Presidência
Interessado: MAX PAULO SOARES DE ALCANTARA
Requerente: SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS
Fiscal da lei: MINISTERIO PUBLICO DA UNIAO
Representante : Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí

PROCESSO ADMINISTRATIVO 0600481-40.2019.6.18.0000(3)


Origem: Teresina
Relator: Relatoria Presidência
Interessado: MARIA ZILNAR COUTINHO LEAL
Interessado: ELVANICE PEREIRA DE SOUSA
Interessado: CARLOS HAMILTON BEZERRA LIMA
Requerente: SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS
Fiscal da lei: MINISTERIO PUBLICO DA UNIAO
Representante : Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 4

PROCESSO ADMINISTRATIVO 0600482-25.2019.6.18.0000(4)


Origem: Teresina
Relator: Relatoria Presidência
Interessado: KILDARY LOUCHARD DE OLIVEIRA COSTA
Requerente: SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS
Fiscal da lei: MINISTERIO PUBLICO DA UNIAO
Representante : Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí

PROCESSO ADMINISTRATIVO 0600483-10.2019.6.18.0000(5)


Origem: Teresina
Relator: Relatoria Presidência
Interessado: CARMEN MARIA PAIVA FERRAZ SOARES
Requerente: SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS
Fiscal da lei: MINISTERIO PUBLICO DA UNIAO
Representante : Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí

PROCESSO ADMINISTRATIVO 0600484-92.2019.6.18.0000(6)


Origem: Teresina
Relator: Relatoria Presidência
Interessado: NOE PACHECO DE CARVALHO
Interessado: RAIMUNDO JOSE DE MACAU FURTADO
Requerente: SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS
Fiscal da lei: MINISTERIO PUBLICO DA UNIAO
Representante : Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí

QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO

Relatoria Juiz de Direito 1: 1


Relatoria Presidência: 5
LISTA DE PROCESSOS POR ADVOGADO

ADAUTO FORTES JUNIOR: (1);


CLAUDIO RICELLY DE JESUS SOUSA: (1);
GUSTAVO LAGE FORTES: (1);
JACYLENNE COELHO BEZERRA FORTES: (1);
JENIFER RAMOS DOURADO: (1);
JONATAS FALCAO BARRETO: (1);
Procuradoria Regional Eleitoral do Piauí: (1);(2);(3);(4);(5);(6);

Secretaria Judiciária do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, em Teresina, 02 de setembro de 2019.


Desembargador FRANCISCO ANTÔNIO PAES LANDIM FILHO
Presidente do TRE-PI

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 5

Secretaria Judiciária

Documentos Eletrônicos Publicados pelo PJe

Processo 0600447-65.2019.6.18.0000

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ


GABINETE DO JUIZ MEMBRO DA CORTE
PRESTAÇÃO DE CONTAS (11531) 0600447-65.2019.6.18.0000
INTERESSADO: DIRETÓRIO REGIONAL DO PARTIDO DA REPUBLICA PR DO PIAUÍ, FÁBIO HENRIQUE MENDONÇA XAVIER DE OLIVEIRA, MARIA
DA CONCEIÇÃO MENDONÇA XAVIER DE OLIVEIRA
Relator: THIAGO MENDES DE ALMEIDA FÉRRER

DESPACHO

Vistos, etc.
Em face da informação constante da certidão do ID 1927870, determino que a Secretaria Judiciária providencie o arquivamento do
feito com as cautelas de praxe.

Teresina/PI, 17 de julho de 2019.

THIAGO MENDES DE ALMEIDA FÉRRER


Juiz Relator

Processo 0601306-18.2018.6.18.0000

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUI


SECRETARIA JUDICIÁRIA
[Prestação de Contas - De Candidato, Cargo - Deputado Federal]
RECORRENTE: ELEICAO 2018 ANTONIO REINALDO FERNANDES DA SILVA DEPUTADO FEDERAL REQUERENTE: ANTONIO REINALDO FERNANDES
DA SILVA

EDITAL DE NOTIFICAÇÃO

O DESEMBARGADOR PEDRO DE ALCÂNTARA DA SILVA MACEDO, Relator do Processo de Prestação de Contas nº 060601306-
18.2018.6.18.0000,
FAZ SABER aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, que, fica NOTIFICADO o Sr. ANTÔNIO REINALDO FERNANDES DA
SILVA, Requerente, nos autos do processo em epígrafe, para que constitua advogado a fim de representá-lo no presente feito, sob pena de
julgamento das contas como não prestadas, e atenda as diligências apostas no citado parecer da Unidade Técnica, com fulcro no art. 256, II, do
Código de Processo Civil, c/c arts. 48, §7º, e 101, §4º, da Resolução TSE n. 23.553/2017. Fica o presente Edital pelo prazo de 20(vinte) dias,
observado os requisitos aplicáveis ao caso, na forma do art. 257 do CPC. Dado e passado na Secretaria Judiciária do Tribunal Regional Eleitoral
do Piauí, aos dois dias do mês de setembro do ano de dois mil e dezenove.
JOÃO JOSÉ RODRIGUES ALVES, Secretário Judiciário - TRE/PI

Processo 0601306-18.2018.6.18.0000

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUI


SECRETARIA JUDICIÁRIA
[Prestação de Contas - De Candidato, Cargo - Deputado Federal]

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 6

RECORRENTE: ELEICAO 2018 ANTONIO REINALDO FERNANDES DA SILVA DEPUTADO FEDERAL REQUERENTE: ANTONIO REINALDO FERNANDES
DA SILVA

EDITAL DE NOTIFICAÇÃO

O DESEMBARGADOR PEDRO DE ALCÂNTARA DA SILVA MACEDO, Relator do Processo de Prestação de Contas nº 060601306-
18.2018.6.18.0000,
FAZ SABER aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, que, fica NOTIFICADO o Sr. ANTÔNIO REINALDO FERNANDES DA
SILVA, Requerente, nos autos do processo em epígrafe, para que constitua advogado a fim de representá-lo no presente feito, sob pena de
julgamento das contas como não prestadas, e atenda as diligências apostas no citado parecer da Unidade Técnica, com fulcro no art. 256, II, do
Código de Processo Civil, c/c arts. 48, §7º, e 101, §4º, da Resolução TSE n. 23.553/2017. Fica o presente Edital pelo prazo de 20(vinte) dias,
observado os requisitos aplicáveis ao caso, na forma do art. 257 do CPC. Dado e passado na Secretaria Judiciária do Tribunal Regional Eleitoral
do Piauí, aos dois dias do mês de setembro do ano de dois mil e dezenove.
JOÃO JOSÉ RODRIGUES ALVES, Secretário Judiciário - TRE/PI

CORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

ZONAS ELEITORAIS

2ª Zona Eleitoral

Sentenças

RESUMOS DE SENTENÇAS

Referência: Processo nº 21-38.2015.6.18.0002


Diretório Municipal do Partido Comunista do Brasil de Teresina/PI
Advogados: Helbert Maciel, OAB/PI Nº 1387
Igor Moura Maciel, OAB/PI Nº 8397

Diante do exposto, julgo, em harmonia com o Parecer do Promotor da 2ª Zona Eleitoral/PI, e, nos termos da Lei nº 9.096/97 e da Resolução
TSE nº 23.546/2017, aprovadas com ressalvas as presentes contas. Publique-se. Registre-se. Intime-se. Teresina/PI, 02 de setembro de 2019.
ALMIR ABIB TAJRA FILHO. Juiz da 2ª Zona Eleitoral/PI.

Referência: Processo nº 52-87.2017.6.18.0002


Diretório Municipal do Partido Humanista da Solidariedade de Teresina/PI
Advogado: André Luiz Feitosa Quixadá, OAB/PI Nº 7417

Diante do exposto, julgo, em harmonia com o Parecer do Promotor da 2ª Zona Eleitoral/PI, e, nos termos da Lei nº 9.096/97 e da Resolução
TSE nº 23.546/2017, aprovadas com ressalvas as presentes contas. Publique-se. Registre-se. Intime-se. Teresina/PI, 02 de setembro de 2019.
ALMIR ABIB TAJRA FILHO. Juiz da 2ª Zona Eleitoral/PI.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 7

Referência: Processo nº 31-82.2015.6.18.0002


Diretório Municipal do Partido do Movimento Democrático Brasileiro de Teresina/PI
Advogado: Valdílio Souza Falcão Filho, OAB/PI Nº 3789

Diante do exposto, julgo, em harmonia com o Parecer do Promotor da 2ª Zona Eleitoral/PI, e, nos termos da Lei nº 9.096/97 e da Resolução
TSE nº 23.546/2017, aprovadas com ressalvas as presentes contas. Publique-se. Registre-se. Intime-se. Teresina/PI, 02 de setembro de 2019.
ALMIR ABIB TAJRA FILHO. Juiz da 2ª Zona Eleitoral/PI.

Referência: Processo nº 24-90.2015.6.18.0002


Diretório Municipal do Partido Socialista Brasileiro de Teresina/PI
Advogados: Willian Guimarães Santos de Carvalho, OAB/PI Nº 2644
Emmanuel Fonsêca de Souza, OAB/PI Nº 4555

Diante do exposto, julgo, em harmonia com o Parecer do Promotor da 2ª Zona Eleitoral/PI, e, nos termos da Lei nº 9.096/97 e da Resolução
TSE nº 23.546/2017, aprovadas com ressalvas as presentes contas. Publique-se. Registre-se. Intime-se. Teresina/PI, 02 de setembro de 2019.
ALMIR ABIB TAJRA FILHO. Juiz da 2ª Zona Eleitoral/PI.

Referência: Processo nº 17-64.2016.6.18.0002


Diretório Municipal do Partido do Movimento Democrático Brasileiro de Teresina/PI
Advogado: Willian Guimarães Santos de Carvalho, OAB/PI Nº 2644
Emmanuel Fonsêca de Souza, OAB/PI Nº 4555

Diante do exposto, julgo, em harmonia com o Parecer do Promotor da 2ª Zona Eleitoral/PI, e, nos termos da Lei nº 9.096/97 e da Resolução
TSE nº 23.546/2017, aprovadas com ressalvas as presentes contas. Publique-se. Registre-se. Intime-se. Teresina/PI, 02 de setembro de 2019.
ALMIR ABIB TAJRA FILHO. Juiz da 2ª Zona Eleitoral/PI.

Referência: Processo nº 76-18.2017.6.18.0002


Diretório Municipal do Partido Solidariedade de Teresina/PI
Advogado: Daniel Leonardo de Lima Viana, OAB/PI Nº 12.306
Aderson Barbosa Ribeiro Sá Filho, OAB/PI 12.963
Fernando Galvão Neto, OAB/PI Nº 15.941

Diante do exposto, julgo, em harmonia com o Parecer do Promotor da 2ª Zona Eleitoral/PI, e, nos termos da Lei nº 9.096/97 e da Resolução
TSE nº 23.546/2017, aprovadas com ressalvas as presentes contas. Publique-se. Registre-se. Intime-se. Teresina/PI, 02 de setembro de 2019.
ALMIR ABIB TAJRA FILHO. Juiz da 2ª Zona Eleitoral/PI.

3ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL N.º 25/2019 PUBLICAÇÃO DE LOTE RAE

O Excelentíssimo Senhor Marcelo Mesquita Silva, Juiz Eleitoral da 3ª Zona do Piauí, no uso de suas atribuições, por título e nomeação legais
etc.

FAZ SABER a todos quantos o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, principalmente aos partidos políticos com registro nesta 3ª
Zona de Parnaíba-PI, que foram emitidos os títulos eleitorais acerca de ALISTAMENTOS, TRANSFERÊNCIAS, REVISÕES e SEGUNDAS VIAS dos
eleitores constantes do Lote 0006/2019, conforme lista anexa, que ficará disponível em Cartório para conhecimento dos interessados, os
quais, por força do disposto no art. 18, § 5º da Resolução 21.538 do TSE, têm 10 (dez) dias para recorrer.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 8

E para que chegue ao conhecimento de todos e, no futuro, ninguém possa alegar ignorância, determinou o MM. Juiz Eleitoral a expedição do
presente Edital, que será afixado no local de costume e publicado no Diário de Justiça Eletrônico. Dado e passado nesta cidade de Parnaíba-PI,
sede desta 3ª Zona Eleitoral do Piauí, aos trinta dias do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove (30/08/2019). Eu, ________________,
Tadeu Nunes Lages, Chefe de Cartório da 3ª ZE/PI, em exercício, o digitei.

Marcelo Mesquita Silva


Juiz Eleitoral da 3ª Zona/PI

ANEXO – EDITAL Nº 25/2019 – 3ª ZONA


Origem: CA 201 Zona: 003 Municipio: 11533 - PARNAÍBA
Data de Processamento: 05/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADAILTON DE JESUS OLIVEIRA DE SOUZA 020198001503 REVISÃO 1538 347 20/08/2019 0006/2019
ADELINO FERNANDES DA SILVA FILHO 018852821139 TRANSFERÊNCIA 1678 345 09/08/2019 0006/2019
ADILIANA ARAUJO NUNES 032843001538 REVISÃO 1481 227 28/08/2019 0006/2019
ADRIANO PEREIRA 023597091570 REVISÃO 1686 351 07/08/2019 0006/2019
AIRTON JOSE BACELAR DE MIRANDA 019925101570 REVISÃO 1333 163 26/08/2019 0006/2019
ALEX CARVALHO DA SILVA 042614751597 SEGUNDA VIA 1449 248 13/08/2019 0006/2019
ALEXANDRE BRITO NASCIMENTO 040597131503 SEGUNDA VIA 1279 201 28/08/2019 0006/2019
ALICE DA SILVA MARIN 083460170191 SEGUNDA VIA 1040 29 13/08/2019 0006/2019
ALICE MIKAELLE ARAUJO SOUSA 045984631589 ALISTAMENTO 1678 345 23/08/2019 0006/2019
ALYSSON DE ARAUJO SOUZA 045985021520 ALISTAMENTO 1686 351 30/08/2019 0006/2019
AMAURY JASON DO ESPIRITO SANTO NETO 006490721570 REVISÃO 1015 4 28/08/2019 0006/2019
ANA CARLA PEREIRA DE SOUSA 021726801597 REVISÃO 1627 361 20/08/2019 0006/2019
ANA CAROLINA RODRIGUES DE SOUZA 045983621538 ALISTAMENTO 1686 351 05/08/2019 0006/2019
ANA KAROLINE DA ROCHA OLIVEIRA 045984671503 ALISTAMENTO 1570 370 26/08/2019 0006/2019
ANA LETICIA DE ANDRADE SANTOS CARVALHO 043494241520 TRANSFERÊNCIA 1686 351 22/08/2019 0006/2019
ANA LUCIA CARDOSO DOURADO 045984311503 ALISTAMENTO 1449 353 16/08/2019 0006/2019
ANA MARIA DOS SANTOS 023232521589 TRANSFERÊNCIA 1562 375 27/08/2019 0006/2019
ANA PAULA DOS SANTOS SOUSA 018992481503 REVISÃO 1660 358 29/08/2019 0006/2019
ANDRESSA DA SILVA SOUSA 041932951511 REVISÃO 1350 37 30/08/2019 0006/2019
ANIELE DO NASCIMENTO SILVA 045984261538 ALISTAMENTO 1384 363 16/08/2019 0006/2019
ANNA ELEN SILVA GOMES 045984661520 ALISTAMENTO 1481 348 26/08/2019 0006/2019
ANNA VICTORIA OLIVEIRA 045984371597 ALISTAMENTO 1155 352 19/08/2019 0006/2019
ANTONIA DE FATIMA SOUZA DA SILVA 025247491520 TRANSFERÊNCIA 1678 345 29/08/2019 0006/2019
ANTONIA DOURADO DA SILVA SOUZA 008899161597 REVISÃO 1023 12 28/08/2019 0006/2019
ANTONIA MARIA VITORIA COSTA PERES 045983671546 ALISTAMENTO 1449 353 06/08/2019 0006/2019
ANTONIA ROSIMAR SILVA FREIRE 006492111589 REVISÃO 1287 113 08/08/2019 0006/2019
ANTONIO CARLOS DE SOUZA PORTELA 003995571171 TRANSFERÊNCIA 1449 353 12/08/2019 0006/2019
ANTONIO CARLOS DOS SANTOS PEREIRA 064187221155 TRANSFERÊNCIA 1155 352 19/08/2019 0006/2019
ANTONIO DE PAULO ALVES DE ARAUJO 053834390795 REVISÃO 1678 345 30/08/2019 0006/2019
ANTONIO ELIAS SIQUEIRA ALENCAR 008378130744 TRANSFERÊNCIA 1333 368 29/08/2019 0006/2019
ANTONIO FRANCISCO DOS SANTOS COSTA 045984901554 ALISTAMENTO 1481 348 28/08/2019 0006/2019
ANTONIO JOSE GOMES DOS SANTOS 003884541163 TRANSFERÊNCIA 1449 353 08/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 9

ANTONIO JOSINO DE SAMPAIO MONTEIRO 003781071503 TRANSFERÊNCIA 1481 348 22/08/2019 0006/2019
ANTONIO MARCOS DA ROCHA DOS SANTOS 045983871597 ALISTAMENTO 1686 351 08/08/2019 0006/2019
ANTONIO MENDES LIMA 026225371597 REVISÃO 1678 345 13/08/2019 0006/2019
ANTONIO RICARDO DE SALES FERREIRA 045984981503 ALISTAMENTO 1686 351 30/08/2019 0006/2019
ANTONIO SERGIO MOREIRA DE SOUSA 023322561503 TRANSFERÊNCIA 1678 345 08/08/2019 0006/2019
ANTONIO VINICIUS DA ROCHA DOS SANTOS 045984051503 ALISTAMENTO 1686 351 12/08/2019 0006/2019
ARADIR ALVES DE SOUSA 037572541570 REVISÃO 1384 239 26/08/2019 0006/2019
AURIZETE SOUSA SEIXAS 028913831538 TRANSFERÊNCIA 1490 367 12/08/2019 0006/2019
BERNARDO CLARAVAL DUARTE SILVA 034070251171 TRANSFERÊNCIA 1449 353 12/08/2019 0006/2019
BHRENDA LOIOLA FERREIRA 024083302054 TRANSFERÊNCIA 1678 345 05/08/2019 0006/2019
BIANCA PEREIRA DE AMORIM 045985011546 ALISTAMENTO 1686 351 30/08/2019 0006/2019
BRUNO ARAGAO FONTENELE 045984321589 ALISTAMENTO 1678 345 16/08/2019 0006/2019
BRUNO DA SILVA ALBUQUERQUE 045984301511 ALISTAMENTO 1678 345 16/08/2019 0006/2019
CARLA CRISTINA SOUSA DO NASCIMENTO 024304841503 REVISÃO 1422 362 09/08/2019 0006/2019
CARLOS ANDRÉ DE SOUZA CARVALHO 040591461589 REVISÃO 1457 354 30/08/2019 0006/2019
CASSANDRA SILVA E SILVA 045984481546 ALISTAMENTO 1686 351 21/08/2019 0006/2019
CAYO STTEFFANYO SALES VERAS 045984291589 ALISTAMENTO 1686 351 16/08/2019 0006/2019
CECILIA MARIA GALENO OLIVEIRA 035935181597 TRANSFERÊNCIA 1627 361 06/08/2019 0006/2019
CHEILA MARIA SILVA NONATO 023235501503 REVISÃO 1481 348 07/08/2019 0006/2019
CLARICE RODRIGUES DE AGUIAR 023168111503 TRANSFERÊNCIA 1368 364 21/08/2019 0006/2019
CLAUDIO SANTOS RUFINO 024294861511 REVISÃO 1082 359 20/08/2019 0006/2019
CLEANE SILVA CONCEIÇÃO 045983891554 ALISTAMENTO 1040 346 08/08/2019 0006/2019
CLEITON DA SILVA SANTOS 040976871546 REVISÃO 1481 348 08/08/2019 0006/2019
CLEUDES DE OLIVEIRA GRAÇA 003169951520 REVISÃO 1457 354 26/08/2019 0006/2019
CLEUDOMAR CARVALHO CORREIA 051005440710 TRANSFERÊNCIA 1600 350 19/08/2019 0006/2019
COSMA LIMA DOS SANTOS 022016661503 TRANSFERÊNCIA 1538 347 30/08/2019 0006/2019
COSMO WENDELL ARCENIO 045983771511 ALISTAMENTO 1651 344 07/08/2019 0006/2019
CREUSA MARIA DA COSTA 008090991589 REVISÃO 1015 5 07/08/2019 0006/2019
CRISLENE CAVALCANTE DA SILVA 065146471163 TRANSFERÊNCIA 1449 353 20/08/2019 0006/2019
CRISTIANE BRANDAO VERAS DOS SANTOS 027938411570 REVISÃO 1376 177 05/08/2019 0006/2019
DAIANA DE OLIVEIRA SANTOS 037574701511 REVISÃO 1457 354 28/08/2019 0006/2019
DANIELE RÊGO COSTA CHAVES 021894231503 TRANSFERÊNCIA 1082 359 20/08/2019 0006/2019
DANILO SOUSA DOS SANTOS 045984551570 ALISTAMENTO 1627 361 22/08/2019 0006/2019
DAVID BRENO SOUZA SOARES 041929891562 SEGUNDA VIA 1155 75 08/08/2019 0006/2019
DAVID PAIVA DA SILVA 045984511546 ALISTAMENTO 1619 376 21/08/2019 0006/2019
DAVID SILVA LIMA 045984771589 ALISTAMENTO 1082 359 27/08/2019 0006/2019
DAYANE OLIVEIRA DA SILVA 040585861570 TRANSFERÊNCIA 1678 345 05/08/2019 0006/2019
DÉBORA SILVA DE ARAUJO 067108071155 TRANSFERÊNCIA 1090 356 12/08/2019 0006/2019
DEBORAH CHRISTINE MELO SOUZA 023469510701 TRANSFERÊNCIA 1686 351 23/08/2019 0006/2019
DENISE VICTORIA MARTINS DA SILVA 045983781503 ALISTAMENTO 1457 354 07/08/2019 0006/2019
DEUZIMEIRE RODRIGUES DA COSTA 045984061597 ALISTAMENTO 1449 353 12/08/2019 0006/2019
DIANA FERNANDES DE SOUSA OLIVEIRA 022260031104 TRANSFERÊNCIA 1678 345 09/08/2019 0006/2019
DIEGO FRANÇA DA SILVA 040589711546 REVISÃO 1139 174 06/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 10

DIVANILSON JOSE DUARTE SILVA 024854091139 TRANSFERÊNCIA 1627 361 12/08/2019 0006/2019
DJALMA SOUZA FILHO 045984881538 ALISTAMENTO 1449 353 28/08/2019 0006/2019
DORA MARIA SILVA DE MESQUITA 022369871520 REVISÃO 1473 283 29/08/2019 0006/2019
DOUGLAS SANTOS DE ALMEIDA 041937281570 REVISÃO 1120 234 30/08/2019 0006/2019
EDILEUZA FRANCA COSTA 017669731317 TRANSFERÊNCIA 1457 354 26/08/2019 0006/2019
EDILSON MACIEL RUBIM 008933311562 REVISÃO 1678 345 16/08/2019 0006/2019
EDINA GOMES FERREIRA CAVALCANTI 124345890310 TRANSFERÊNCIA 1651 344 21/08/2019 0006/2019
EDIO DE NAZARE CONCEICAO 027217151198 TRANSFERÊNCIA 1686 351 28/08/2019 0006/2019
EDIVALDO DA SILVA SANTOS 026848531384 TRANSFERÊNCIA 1686 351 15/08/2019 0006/2019
ELICARLA CARDOSO DE SOUZA 045984191503 ALISTAMENTO 1511 349 15/08/2019 0006/2019
ELTON JUNIO MORAES SILVA 043152441597 TRANSFERÊNCIA 1449 353 06/08/2019 0006/2019
EMILLY RAISSA ALVES RIBEIRO 045983941511 ALISTAMENTO 1449 353 09/08/2019 0006/2019
ERIKA DE VASCONCELOS SANTOS 045984361503 ALISTAMENTO 1686 351 19/08/2019 0006/2019
ERINA ARAUJO DA SILVA 045984941589 ALISTAMENTO 1678 345 29/08/2019 0006/2019
ESTEFANI FLAVIA SOUSA DA SILVA 045981081562 SEGUNDA VIA 1686 351 28/08/2019 0006/2019
EVERTON SILVA RODRIGUES 045983731597 ALISTAMENTO 1651 344 07/08/2019 0006/2019
FABIANA LIMA COSTA 029069301503 TRANSFERÊNCIA 1449 353 06/08/2019 0006/2019
FABIANA NASCIMENTO PORTELA 018196922062 TRANSFERÊNCIA 1678 345 09/08/2019 0006/2019
FELICIANA FERREIRA VERAS 015030761589 TRANSFERÊNCIA 1449 353 28/08/2019 0006/2019
FELLIPE FRANCISCO MARTINS DO NASCIMENTO 045985041597 ALISTAMENTO 1341 371 30/08/2019 0006/2019
FILIPE DOS SANTOS FERREIRA 045983981546 ALISTAMENTO 1090 356 09/08/2019 0006/2019
FILIPE RODRIGUES CAVALCANTE 064271541147 TRANSFERÊNCIA 1163 315 20/08/2019 0006/2019
FRANCIANE DOS SANTOS NASCIMENTO 045983821589 ALISTAMENTO 1597 377 08/08/2019 0006/2019
FRANCISCA ALVES PEREIRA 009738780795 REVISÃO 1678 345 30/08/2019 0006/2019
FRANCISCA BRAZ DE SOUSA 006492601562 TRANSFERÊNCIA 1678 345 27/08/2019 0006/2019
FRANCISCA DAS CHAGAS BARROS FONTENELE 020191941546 REVISÃO 1651 154 08/08/2019 0006/2019
FRANCISCA DAS CHAGAS DA COSTA SOUZA 024300761546 REVISÃO 1406 267 22/08/2019 0006/2019
FRANCISCA DE SALES PINTO BRITO 006495771503 REVISÃO 1449 353 23/08/2019 0006/2019
FRANCISCA FERREIRA VERAS 045984851597 ALISTAMENTO 1449 353 28/08/2019 0006/2019
FRANCISCA MARIA CORDEIRO DO NASCIMENTO 022366941562 REVISÃO 1651 344 27/08/2019 0006/2019
FRANCISCA SILVA ROCHA 015121961589 REVISÃO 1155 352 30/08/2019 0006/2019
FRANCISCA TATIANNE NASCIMENTO DE SOUSA 063270711040 TRANSFERÊNCIA 1155 352 27/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS DA SILVA 045983741570 ALISTAMENTO 1333 368 07/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS DA SILVA TELES 023422610302 TRANSFERÊNCIA 1082 359 05/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS DE SOUSA LOPES 036397291562 TRANSFERÊNCIA 1163 315 26/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS LOPES MESQUITA 018975081597 SEGUNDA VIA 1082 145 08/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS PAIVA 048682631120 SEGUNDA VIA 1139 174 28/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS ZACARIAS ONORATO 060227530728 SEGUNDA VIA 1430 280 06/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DE ASSIS ARAUJO LIMA 026026461554 REVISÃO 1171 82 30/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DE ASSIS RODRIGUES SOUZA 029516181589 SEGUNDA VIA 1082 34 15/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DOS SANTOS DA CONCEICAO 045983921554 ALISTAMENTO 1481 348 08/08/2019 0006/2019
FRANCISCO DOUGLAS JUNIO DE SOUZA RIBEIRO 045983861503 ALISTAMENTO 1694 366 08/08/2019 0006/2019
FRANCISCO EMANUEL CUNHA DE BRITO 041535671570 TRANSFERÊNCIA 1457 354 29/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 11

FRANCISCO KLEILSON SANTOS DO NASCIMENTO 045984241570 ALISTAMENTO 1449 353 16/08/2019 0006/2019
FRANCISCO WANDERSON DOS SANTOS COSTA 045984001503 ALISTAMENTO 1368 364 09/08/2019 0006/2019
FRANCISCO XAVIER DE BRITO 015132081503 REVISÃO 1449 353 23/08/2019 0006/2019
GABRIEL BARBOSA DE OLIVEIRA 045984231597 ALISTAMENTO 1651 344 15/08/2019 0006/2019
GABRIEL VIEIRA GONÇALVES 045983761538 ALISTAMENTO 1651 344 07/08/2019 0006/2019
GEISA DE SOUZA FERREIRA 041928081538 REVISÃO 1430 266 20/08/2019 0006/2019
GEOVANE CIPRIANO 045984281503 ALISTAMENTO 1686 351 16/08/2019 0006/2019
GESSILENE DOS SANTOS GRAÇA 045984571538 ALISTAMENTO 1457 354 22/08/2019 0006/2019
GILBERTO DO NASCIMENTO 029084191597 REVISÃO 1252 106 26/08/2019 0006/2019
GILCLEIA MARIA BARROS ASSUNÇÃO 040972381503 REVISÃO 1449 353 16/08/2019 0006/2019
GILSON XAVIER COSTA 045983961589 ALISTAMENTO 1490 367 09/08/2019 0006/2019
GIOVANNI MARTINS DOS SANTOS 020450291503 TRANSFERÊNCIA 1678 345 28/08/2019 0006/2019
GIZELDA MARIA VERAS DE ARAUJO 017691261554 REVISÃO 1651 344 20/08/2019 0006/2019
GLEIDSON CARDOZO BRITO 045984381570 ALISTAMENTO 1678 345 19/08/2019 0006/2019
GONZAGA PEREIRA DE SOUSA 068675281139 REVISÃO 1279 109 28/08/2019 0006/2019
GRAZIELY MENDES CORDEIRO 043146581597 REVISÃO 1040 346 22/08/2019 0006/2019
GUILHERME DA SILVA LINS 045984541597 ALISTAMENTO 1449 353 22/08/2019 0006/2019
HELDER DE ABREU SOARES FILHO 045983901597 ALISTAMENTO 1295 365 08/08/2019 0006/2019
HELENA ALVES DA SILVA DE SOUZA 037259501546 REVISÃO 1538 347 20/08/2019 0006/2019
HELIA CRISTINA MOURA RODRIGUES VILAR 042643281171 TRANSFERÊNCIA 1600 350 16/08/2019 0006/2019
HEMILI FREITAS DE ARAUJO VIEIRA 045984131511 ALISTAMENTO 1678 345 13/08/2019 0006/2019
IAN OLIVEIRA DE SOUSA 045984831520 ALISTAMENTO 1562 375 28/08/2019 0006/2019
IGOR FERNANDO ROSA BORGES 064987420868 TRANSFERÊNCIA 1449 353 28/08/2019 0006/2019
ILDEFONSO CERQUEIRA DE CASTRO 045984521520 ALISTAMENTO 1040 346 22/08/2019 0006/2019
INGRID PORTELA DE SOUZA 043301401511 TRANSFERÊNCIA 1082 359 09/08/2019 0006/2019
IRACIANA ALVES DE SOUZA 083382840744 TRANSFERÊNCIA 1082 359 20/08/2019 0006/2019
IRAN DE SOUZA OLIVEIRA JUNIOR 045984111554 ALISTAMENTO 1651 344 12/08/2019 0006/2019
IRIS MARIA MENDES CAETANO 045983931538 ALISTAMENTO 1457 354 09/08/2019 0006/2019
ISADORA MARIA FERNANDES OLIVEIRA 045983991520 ALISTAMENTO 1678 345 09/08/2019 0006/2019
ISMAEL DE SOUZA SILVA 045983971562 ALISTAMENTO 1651 344 09/08/2019 0006/2019
IVA SALES MAGALHAES 045984021562 ALISTAMENTO 1678 345 09/08/2019 0006/2019
IVANILDO DA ROCHA BEZERRA 021718881511 REVISÃO 1198 206 06/08/2019 0006/2019
IVERARDO AGUIAR GABRIEL 029132581546 SEGUNDA VIA 1082 359 06/08/2019 0006/2019
IVONETE ALVES PEREIRA GUIMARAES 008139381554 TRANSFERÊNCIA 1457 354 28/08/2019 0006/2019
IZABELITHA FERREIRA MACIEL 034188271546 TRANSFERÊNCIA 1368 364 23/08/2019 0006/2019
JACINTA MARIA DE SOUZA 019097281309 REVISÃO 1260 216 28/08/2019 0006/2019
JAILENE DE SOUSA PEREIRA 045984651546 ALISTAMENTO 1627 361 26/08/2019 0006/2019
JAILSON BEZERRA MESQUITA 039719090701 TRANSFERÊNCIA 1201 357 27/08/2019 0006/2019
JANAYCA COSTA DA SILVA 035372651562 SEGUNDA VIA 1228 272 05/08/2019 0006/2019
JANNEIZIDIA CARVALHO BEZERRA DOS SANTOS 042516441570 TRANSFERÊNCIA 1082 359 08/08/2019 0006/2019
JARDEL BRUNO DAMASCENO DE ALMEIDA 027929921520 TRANSFERÊNCIA 1651 344 16/08/2019 0006/2019
JEAN DO NASCIMENTO SILVA 045984431538 ALISTAMENTO 1686 351 20/08/2019 0006/2019
JEFFERSON DA SILVA BARBOSA 036345541570 TRANSFERÊNCIA 1678 345 23/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 12

JESMANY BRITO SILVA 045984931503 ALISTAMENTO 1562 375 29/08/2019 0006/2019


JESSIANE ALMEIDA PEREIRA 045984071570 ALISTAMENTO 1449 353 12/08/2019 0006/2019
JESSICA MARIA NUNES DE LIMA 045984171546 ALISTAMENTO 1384 363 13/08/2019 0006/2019
JESSICA ROCHA NASCIMENTO 045984341546 ALISTAMENTO 1562 375 16/08/2019 0006/2019
JHONATAS GOMES DO NASCIMENTO 045984121538 ALISTAMENTO 1678 345 12/08/2019 0006/2019
JOAO BATISTA DE SOUZA 016599012020 REVISÃO 1015 196 06/08/2019 0006/2019
JOAO BATISTA RAMOS FILHO 023227781589 REVISÃO 1112 132 23/08/2019 0006/2019
JOAO EMILIO GALVAO COSTA 016159391309 TRANSFERÊNCIA 1457 354 12/08/2019 0006/2019
JOAO JOSE PESSOA 045984701503 ALISTAMENTO 1678 345 26/08/2019 0006/2019
JOÃO MARIA MECEJANO DA SILVA FILHO 068687161180 TRANSFERÊNCIA 1449 353 09/08/2019 0006/2019
JOAO PAULO DA PENHA FRANCEZ 045984211520 ALISTAMENTO 1040 346 15/08/2019 0006/2019
JOAO PEDRO PEREIRA CARDOZO 045984101570 ALISTAMENTO 1562 375 12/08/2019 0006/2019
JOAO VIRGILIO DA SILVA NASCIMENTO 045984331562 ALISTAMENTO 1481 348 16/08/2019 0006/2019
JOAO VITOR ALMEIDA DOS SANTOS 045984951562 ALISTAMENTO 1678 345 30/08/2019 0006/2019
JOAO VITOR DA ROCHA DE OLIVEIRA 045984681597 ALISTAMENTO 1678 345 26/08/2019 0006/2019
JOCELIA MARIA DOS SANTOS 007077541589 REVISÃO 1112 198 19/08/2019 0006/2019
JOCELIO DE SOUZA 035183571589 TRANSFERÊNCIA 1481 348 29/08/2019 0006/2019
JOELMA NASCIMENTO VALE SILVA 029780591546 TRANSFERÊNCIA 1678 345 23/08/2019 0006/2019
JONATHAN CUNHA DA COSTA 041530151520 REVISÃO 1155 352 08/08/2019 0006/2019
JONES PASSOS DO NASCIMENTO 045984351520 ALISTAMENTO 1449 353 19/08/2019 0006/2019
JORDANNE FERREIRA E SILVA FILHO 045983841546 ALISTAMENTO 1678 345 08/08/2019 0006/2019
JORGE DE OLIVEIRA 334134770132 TRANSFERÊNCIA 1155 352 28/08/2019 0006/2019
JOSÉ CARDOSO DE ARAUJO NETO 032479111554 TRANSFERÊNCIA 1686 351 19/08/2019 0006/2019
JOSE DE ANCHIETA DE ASSIS 006002861520 SEGUNDA VIA 1260 200 09/08/2019 0006/2019
JOSE DE RIBAMAR MAGALHAES DE OLIVEIRA 051726950450 TRANSFERÊNCIA 1678 345 08/08/2019 0006/2019
JOSE EDNALDO MARTINS DA SILVA 027603471546 REVISÃO 1449 353 28/08/2019 0006/2019
JOSE FABRICIO COSTA BRITO 045984531503 ALISTAMENTO 1481 348 22/08/2019 0006/2019
JOSÉ GLEISON RAMOS DA COSTA 045983721503 ALISTAMENTO 1686 351 06/08/2019 0006/2019
JOSE JORGE DA CRUZ 141454510124 TRANSFERÊNCIA 1589 373 22/08/2019 0006/2019
JOSE LAERCIO BRITO CARNEIRO 029624301546 TRANSFERÊNCIA 1678 345 27/08/2019 0006/2019
JOSE MATHEUS SANTOS SILVA 045984091538 ALISTAMENTO 1201 357 12/08/2019 0006/2019
JOSE RIBAMAR DOS SANTOS MENEZES 061630161104 TRANSFERÊNCIA 1449 353 21/08/2019 0006/2019
JULIA GABRIELY DE SOUZA RIBEIRO 045983851520 ALISTAMENTO 1694 366 08/08/2019 0006/2019
JULIANA COSTA ALENCAR 045983641503 ALISTAMENTO 1449 353 06/08/2019 0006/2019
JULIANA RODRIGUES MACHADO 035274681597 TRANSFERÊNCIA 1155 352 07/08/2019 0006/2019
JULIANO GLAYDSON FONTENELE DE CARVALHO 028933951589 TRANSFERÊNCIA 1082 359 27/08/2019 0006/2019
JULIZA SIQUEIRA TORRES 027218011554 REVISÃO 1678 345 27/08/2019 0006/2019
KAILANE ALMEIDA MAGALHAES 045984641562 ALISTAMENTO 1449 353 23/08/2019 0006/2019
KAMILA RAYANE SILVA FERREIRA 039023721597 TRANSFERÊNCIA 1627 361 12/08/2019 0006/2019
KARLA MARIA LIMA DE SOUSA 045984161562 ALISTAMENTO 1384 363 13/08/2019 0006/2019
KAWAN DE SOUSA DA COSTA 045983681520 ALISTAMENTO 1651 344 06/08/2019 0006/2019
LAIANE DOS SANTOS ALVES 076813881163 TRANSFERÊNCIA 1627 361 07/08/2019 0006/2019
LARA VITÓRIA PINHEIRO SAVOLDI 042149921546 TRANSFERÊNCIA 1295 365 23/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 13

LARISSA DE SOUSA COSTA 043277021503 TRANSFERÊNCIA 1678 345 27/08/2019 0006/2019


LARISSA MEURY SILVA DE SOUSA 045984691570 ALISTAMENTO 1481 348 26/08/2019 0006/2019
LEONARDO DE SOUSA COSTA 045984621503 ALISTAMENTO 1678 345 23/08/2019 0006/2019
LETICIA ALVES DA SILVA 064827151015 TRANSFERÊNCIA 1481 348 15/08/2019 0006/2019
LEWRY SOUZA FREIRE 045983581554 ALISTAMENTO 1449 353 05/08/2019 0006/2019
LUAN NAYRTON E SILVA SALES 045984251554 ALISTAMENTO 1570 370 16/08/2019 0006/2019
LUANA COSTA SILVA 077872651171 TRANSFERÊNCIA 1627 361 12/08/2019 0006/2019
LUANA SARA BRITO OLIVEIRA 045984471562 ALISTAMENTO 1155 352 21/08/2019 0006/2019
LUCAS DOS REIS TITO 064699221163 TRANSFERÊNCIA 1341 371 05/08/2019 0006/2019
LUCAS GOMES DOS SANTOS 045983651589 ALISTAMENTO 1449 353 06/08/2019 0006/2019
LUCIA CYBELLE SILVA FRANÇA GALVAO 043141401546 REVISÃO 1333 121 13/08/2019 0006/2019
LÚCIA DA SILVA BARROS 042615591538 TRANSFERÊNCIA 1619 376 19/08/2019 0006/2019
LUCIDALVA BRANDAO DA COSTA CASTRO 029720511066 TRANSFERÊNCIA 1619 376 13/08/2019 0006/2019
LUCIMARA TORRES FONTENELE 045984721570 ALISTAMENTO 1600 350 27/08/2019 0006/2019
LUIS PORTELA PIRES 045525831589 REVISÃO 1023 320 08/08/2019 0006/2019
LUIS VINICIUS NASCIMENTO COSTA 045983881570 ALISTAMENTO 1686 351 08/08/2019 0006/2019
LUIS WESLLEY MENDES DA SILVA 045984821546 ALISTAMENTO 1481 348 28/08/2019 0006/2019
LUIZ EDUARDO GOMES FERREIRA 043170111503 TRANSFERÊNCIA 1651 344 21/08/2019 0006/2019
LUIZ FLAVIO DA CRUZ FERREIRA 045984561554 ALISTAMENTO 1198 369 22/08/2019 0006/2019
LUIZ RÉGIS MAIA CASTELO BRANCO 044235891554 TRANSFERÊNCIA 1198 369 13/08/2019 0006/2019
MANOEL APOLIANO DE BRITO 027938431538 REVISÃO 1562 375 26/08/2019 0006/2019
MANOEL JOHNATAS SILVA DOS SANTOS 045983791589 ALISTAMENTO 1201 357 07/08/2019 0006/2019
MARCELA DE ARRUDA BITENCOURT 026946291570 TRANSFERÊNCIA 1040 346 21/08/2019 0006/2019
MARCELA GOMES DE ARAUJO 029269501546 REVISÃO 1481 348 19/08/2019 0006/2019
MARCELO DA CRUZ SILVA 014076462020 TRANSFERÊNCIA 1457 354 28/08/2019 0006/2019
MARCELO DE ARRUDA BITTENCOURT 030558401198 TRANSFERÊNCIA 1082 359 05/08/2019 0006/2019
MARCELO DOS SANTOS SILVA 038954471589 REVISÃO 1449 256 05/08/2019 0006/2019
MARCELO DOURADO DE OLIVEIRA 026225841503 SEGUNDA VIA 1279 201 28/08/2019 0006/2019
MARCELO MOTA DOS SANTOS 026946301503 SEGUNDA VIA 1066 197 05/08/2019 0006/2019
MARCIO DA SILVA BRITO 045983631511 ALISTAMENTO 1449 353 05/08/2019 0006/2019
MARCOS ANTONIO ALENCAR MIRANDA 008889271597 REVISÃO 1171 70 27/08/2019 0006/2019
MARCOS ANTONIO LIRA RIBEIRO 026039961562 SEGUNDA VIA 1392 191 09/08/2019 0006/2019
MARCOS AURELIO ARAUJO E FONTENELE 071997710574 REVISÃO 1295 226 29/08/2019 0006/2019
MARCUS AURELIO CASTRO SOUZA 022437390787 TRANSFERÊNCIA 1686 351 23/08/2019 0006/2019
MARIA ALICE PEREIRA DA SILVA 045984841503 ALISTAMENTO 1449 353 28/08/2019 0006/2019
MARIA ANTONIA DA SILVA SANTOS 029667141538 REVISÃO 1139 64 12/08/2019 0006/2019
MARIA CLARA SIQUEIRA TORRES BORGES 045984731554 ALISTAMENTO 1678 345 27/08/2019 0006/2019
MARIA CLAUDIA MONTEIRO SOUZA 026033951503 REVISÃO 1104 156 26/08/2019 0006/2019
MARIA DA CONCEICAO DOS SANTOS 030773061570 TRANSFERÊNCIA 1651 344 05/08/2019 0006/2019
MARIA DA CONCEIÇÃO LOPES-BANDELLO 139424080337 TRANSFERÊNCIA 1040 346 08/08/2019 0006/2019
MARIA DA CONCEICAO OLIVEIRA DA PAZ 017697251554 TRANSFERÊNCIA 1678 345 20/08/2019 0006/2019
MARIA DA CONCEICAO SOUSA DOS SANTOS FERREIRA 023207931503 REVISÃO 1449 233 28/08/2019 0006/2019
MARIA DA GRACA MARTINS MENEZES 059034620191 TRANSFERÊNCIA 1678 345 27/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 14

MARIA DAS DORES NASCIMENTO FERREIRA 022378131589 TRANSFERÊNCIA 1457 354 22/08/2019 0006/2019
MARIA DAS GRACAS AMARO SOUSA 019289251112 TRANSFERÊNCIA 1686 351 21/08/2019 0006/2019
MARIA DAS GRAÇAS DE LIMA VIEIRA 045983711520 ALISTAMENTO 1333 368 06/08/2019 0006/2019
MARIA DAS GRAÇAS SARAIVA DE ARAUJO 044539901589 REVISÃO 1406 293 22/08/2019 0006/2019
MARIA DE FATIMA DOS SANTOS VIEIRA 069093130701 TRANSFERÊNCIA 1449 353 06/08/2019 0006/2019
MARIA DE FATIMA OLIVEIRA DOS SANTOS 024304851597 SEGUNDA VIA 1406 293 22/08/2019 0006/2019
MARIA DE JESUS FRANÇA DE ARAUJO 037147271570 TRANSFERÊNCIA 1384 363 12/08/2019 0006/2019
MARIA DO SOCORRO CONCEICAO GALENO 020186901589 REVISÃO 1139 64 28/08/2019 0006/2019
MARIA DO SOCORRO DE SOUSA PEREIRA 030658461120 REVISÃO 1627 361 26/08/2019 0006/2019
MARIA DO SOCORRO DE SOUZA VERAS 005432861538 SEGUNDA VIA 1295 245 08/08/2019 0006/2019
MARIA DO SOCORRO MAGALHAES PINHEIRO 008879021589 REVISÃO 1236 102 26/08/2019 0006/2019
MARIA DO SOCORRO MEDEIROS SILVA 015253281570 REVISÃO 1155 77 06/08/2019 0006/2019
MARIA DO SOCORRO OLIVEIRA CRUZ 014801702011 REVISÃO 1589 373 19/08/2019 0006/2019
MARIA DOS MILAGRES DE ARAUJO PEREIRA 023595441520 REVISÃO 1104 183 06/08/2019 0006/2019
MARIA DOS NAVEGANTES NASCIMENTO DA SILVA 032475201597 REVISÃO 1481 348 16/08/2019 0006/2019
MARIA DOS REMEDIOS DE SEIXAS DA SILVA 020452591546 REVISÃO 1376 247 20/08/2019 0006/2019
MARIA ERLANE DA SILVA E SILVA 043376941503 REVISÃO 1406 243 27/08/2019 0006/2019
MARIA ESMERALDA DE ANDRADE 043189430710 TRANSFERÊNCIA 1686 351 23/08/2019 0006/2019
MARIA HELENA VIEIRA ALVES 024816831139 TRANSFERÊNCIA 1562 375 29/08/2019 0006/2019
MARIA INES DE SOUSA SANTOS 045985061554 ALISTAMENTO 1155 352 30/08/2019 0006/2019
MARIA LUCINEIDE DE SOUSA COSTA 022758911570 TRANSFERÊNCIA 1651 344 13/08/2019 0006/2019
MARIA LUCINEIDE VIEIRA TELES 023433050310 TRANSFERÊNCIA 1082 359 05/08/2019 0006/2019
MARIA LUCIVANIA DOURADO DOS REIS 045984961546 ALISTAMENTO 1600 350 30/08/2019 0006/2019
MARIA LUIZA SOUSA DO NASCIMENTO 045983951503 ALISTAMENTO 1422 362 09/08/2019 0006/2019
MARIA MIRANGILA RODRIGUES DA COSTA 045983661562 ALISTAMENTO 1449 353 06/08/2019 0006/2019
MARIA STEFANE NASCIMENTO CRUZ 045983911570 ALISTAMENTO 1201 357 08/08/2019 0006/2019
MARIA VERÔNICA RIOS VÉRAS 006775001546 REVISÃO 1023 12 06/08/2019 0006/2019
MARIA ZILDA DE SOUSA MARTINS SILVA 026276041562 TRANSFERÊNCIA 1082 359 28/08/2019 0006/2019
MARINETE FERREIRA PESSOA DE SOUSA 023517941180 TRANSFERÊNCIA 1040 346 07/08/2019 0006/2019
MATEUS ANDERSON LACERDA DE AGUIAR 045984501562 ALISTAMENTO 1155 352 21/08/2019 0006/2019
MATEUS DE OLIVEIRA SANTOS 042419471562 REVISÃO 1457 354 08/08/2019 0006/2019
MATHEUS HENRIQUE DE SOUZA FONTENELE 045983611554 ALISTAMENTO 1155 352 05/08/2019 0006/2019
MATHEUS PEREIRA MONTEIRO 045984741538 ALISTAMENTO 1449 353 27/08/2019 0006/2019
MAURI CESAR ARAUJO DA SILVA 045984861570 ALISTAMENTO 1449 353 28/08/2019 0006/2019
MAYARA CARNEIRO NASCIMENTO 038955371570 REVISÃO 1660 358 15/08/2019 0006/2019
MAYCKELLY RIBEIRO DIAS 045983701546 ALISTAMENTO 1562 375 06/08/2019 0006/2019
MAYLA ROBERTA DE BRITO TORRES E TORRES 036204551520 REVISÃO 1198 162 16/08/2019 0006/2019
MHÉLANY SILVA ROCHA 078743371104 TRANSFERÊNCIA 1651 344 29/08/2019 0006/2019
MICHELLE OLIVEIRA DE SOUSA 057785180701 REVISÃO 1678 345 07/08/2019 0006/2019
MIKAELE ALVES AQUINO 077799581155 TRANSFERÊNCIA 1449 353 29/08/2019 0006/2019
MONALISA PONTES XAVIER 055201360795 TRANSFERÊNCIA 1651 344 06/08/2019 0006/2019
NATALIA PEREIRA RODRIGUES 045984461589 ALISTAMENTO 1678 345 20/08/2019 0006/2019
NEUTON PEREIRA DA SILVA 023168071520 TRANSFERÊNCIA 1368 364 21/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 15

NORMA SHEILLA OLIVEIRA MELO 008201951511 REVISÃO 1066 26 06/08/2019 0006/2019


ODILON DA COSTA SILVA NETO 045984751511 ALISTAMENTO 1155 352 27/08/2019 0006/2019
OSMANILDE DIAS SANTOS 057437791139 TRANSFERÊNCIA 1678 345 22/08/2019 0006/2019
PABLO CARDOSO VERAS 045984201546 ALISTAMENTO 1449 353 15/08/2019 0006/2019
PAULIANE CRISTINA SILVA VIEIRA 045984801589 ALISTAMENTO 1155 352 27/08/2019 0006/2019
PAULO HENRIQUE OLIVEIRA DOS SANTOS 045984911538 ALISTAMENTO 1449 353 29/08/2019 0006/2019
PAULO HENRIQUE SOUZA LOPES 045984401597 ALISTAMENTO 1686 351 19/08/2019 0006/2019
PEDRO DA SILVA FONTENELE 207176480159 SEGUNDA VIA 1112 242 12/08/2019 0006/2019
PEDRO HENRIQUE DO CARMO SANTOS 045985001562 ALISTAMENTO 1155 352 30/08/2019 0006/2019
PEDRO HENRIQUE SANTOS UCHOA 075118911120 TRANSFERÊNCIA 1457 354 07/08/2019 0006/2019
POLIANA ALVES MORAES DO NASCIMENTO 043151261546 SEGUNDA VIA 1155 72 30/08/2019 0006/2019
PRISCILA DE SOUZA SILVA 045985051570 ALISTAMENTO 1651 344 30/08/2019 0006/2019
RAFAEL RODRIGUES DOS SANTOS 045984441511 ALISTAMENTO 1155 352 20/08/2019 0006/2019
RAFAELA CARVALHO DE ALMEIDA 045984601538 ALISTAMENTO 1678 345 23/08/2019 0006/2019
RAI DA SILVA SABINO 045984991597 ALISTAMENTO 1643 378 30/08/2019 0006/2019
RAIMUNDA DE SOUSA TRAJANO 022371151503 REVISÃO 1562 332 06/08/2019 0006/2019
RAIMUNDA NASCIMENTO 041574261058 TRANSFERÊNCIA 1686 351 22/08/2019 0006/2019
RAIMUNDA NONATA OLIVEIRA PINHO 020778711562 TRANSFERÊNCIA 1155 352 12/08/2019 0006/2019
RAIMUNDO COELHO RIBEIRO NETO 076411310710 TRANSFERÊNCIA 1651 344 09/08/2019 0006/2019
RAIMUNDO NONATO DOS SANTOS SILVA 023603171589 REVISÃO 1082 359 06/08/2019 0006/2019
RAIMUNDO NONATO FIRMINO DE SOUZA 006951791511 TRANSFERÊNCIA 1686 351 15/08/2019 0006/2019
RAIMUNDO NONATO RODRIGUES DA COSTA 029825371570 REVISÃO 1449 353 12/08/2019 0006/2019
RAIMUNDO NONATO SOBRINHO SOUZA 025246931538 TRANSFERÊNCIA 1163 315 30/08/2019 0006/2019
RAIMUNDO NONATO TELES DOS SANTOS FILHIO 045983811503 ALISTAMENTO 1538 347 08/08/2019 0006/2019
RAISSA DE LIMA MACHADO 045984081554 ALISTAMENTO 1457 354 12/08/2019 0006/2019
RAIZZA PINHEIRO LUZ 037753931520 TRANSFERÊNCIA 1457 354 26/08/2019 0006/2019
RAMON VICTOR SANTOS COSTA 045984761503 ALISTAMENTO 1686 351 27/08/2019 0006/2019
RANISSON OLIVEIRA DE LIMA 045984781562 ALISTAMENTO 1082 359 27/08/2019 0006/2019
RAQUEL MARIA DE JESUS SOUZA 026427861597 TRANSFERÊNCIA 1678 345 28/08/2019 0006/2019
RAQUEL VITORIA SILVA MENDES 045984791546 ALISTAMENTO 1040 346 27/08/2019 0006/2019
REBECA VITORIA DE SOUSA ARAUJO 045984421554 ALISTAMENTO 1627 361 20/08/2019 0006/2019
REGINALDO QUEIROZ RODRIGUES 045983691503 ALISTAMENTO 1457 354 06/08/2019 0006/2019
REJANE ALVES FILGUEIRAS 038561621104 REVISÃO 1449 233 06/08/2019 0006/2019
RHAMON ASAFE DA SILVA COSTA 044972381554 TRANSFERÊNCIA 1678 345 06/08/2019 0006/2019
RICARDO SCHIAVOTO AGUILLERA 273561300183 TRANSFERÊNCIA 1651 344 26/08/2019 0006/2019
ROBERTA LARISSA DA SILVA CARVALHO AMORIM 045984491520 ALISTAMENTO 1678 345 21/08/2019 0006/2019
ROGERIO DA COSTA ARAUJO 027932951589 TRANSFERÊNCIA 1627 361 06/08/2019 0006/2019
ROGERIO DE SOUSA NASCIMENTO 007742472097 REVISÃO 1163 79 19/08/2019 0006/2019
ROGERIO HENRIQUE PIRES BARBOSA 019655741562 TRANSFERÊNCIA 1678 345 27/08/2019 0006/2019
ROSA APARECIDA VIEIRA DE SOUZA 072051941198 TRANSFERÊNCIA 1678 345 30/08/2019 0006/2019
ROSANGELA MARIA MENDES DE ARAUJO 008182241589 REVISÃO 1171 83 13/08/2019 0006/2019
ROSIRENE DA SILVA 065759641180 TRANSFERÊNCIA 1201 357 27/08/2019 0006/2019
SABRINA KARLA SOUZA DE ALMEIDA 045984611511 ALISTAMENTO 1651 344 23/08/2019 0006/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 16

SABRINA OLIVEIRA SANTOS 045984031546 ALISTAMENTO 1651 344 12/08/2019 0006/2019


SABRYNA NASCIMENTO DE QUEIROZ 045984151589 ALISTAMENTO 1651 344 13/08/2019 0006/2019
SAMUEL BRUNO NASCIMENTO DA SILVA 045984141503 ALISTAMENTO 1449 353 13/08/2019 0006/2019
SANDY AMARO DA SILVA 045983831562 ALISTAMENTO 1481 348 08/08/2019 0006/2019
SANDY GABRIELLE DOS SANTOS PASSOS 077798031112 TRANSFERÊNCIA 1449 353 23/08/2019 0006/2019
SEBASTIAO DOS SANTOS LIMA 027640571546 TRANSFERÊNCIA 1686 351 21/08/2019 0006/2019
SILVIO DE MORAES GUIMARAES 002571231546 TRANSFERÊNCIA 1457 354 28/08/2019 0006/2019
SIMONE APARECIDA VIEIRA 401754700175 TRANSFERÊNCIA 1201 357 27/08/2019 0006/2019
SIMONE DO NASCIMENTO MARREIROS 029168901520 REVISÃO 1260 216 26/08/2019 0006/2019
STEPHANY LAIS DOS SANTOS VIEIRA FERNANDES 045984181520 ALISTAMENTO 1678 345 13/08/2019 0006/2019
TALYSSON DE ARAUJO SOUZA 045985031503 ALISTAMENTO 1686 351 30/08/2019 0006/2019
TALYTA NATHANA DA COSTA VERAS MENDES 040297171597 TRANSFERÊNCIA 1449 353 26/08/2019 0006/2019
TAMIRES DE SOUSA CARNEIRO 045984011589 ALISTAMENTO 1686 351 09/08/2019 0006/2019
TAMIRES OLIVEIRA ALVES MATOS 138163080310 TRANSFERÊNCIA 1155 352 26/08/2019 0006/2019
TERESA DO NASCIMENTO ALCANTARA 003173331503 REVISÃO 1228 96 28/08/2019 0006/2019
TEREZA MARIA MENDES 045984811562 ALISTAMENTO 1481 348 28/08/2019 0006/2019
THAIS TANÍZIA AZEVEDO DE ARAÚJO LOPES 039353371503 REVISÃO 1104 46 05/08/2019 0006/2019
THALITA TAMIRES DE SOUZA NOGUEIRA PENIDO 037267531511 REVISÃO 1600 350 05/08/2019 0006/2019
THALYSON DO NASCIMENTO DA SILVA 045984451503 ALISTAMENTO 1090 356 20/08/2019 0006/2019
THALYTA GOMES DE ARAUJO 045983601570 ALISTAMENTO 1449 353 05/08/2019 0006/2019
THATYANA GOMES DE ARAUJO LIA 045983591538 ALISTAMENTO 1449 353 05/08/2019 0006/2019
THIAGO MENDES VALE 045984921511 ALISTAMENTO 1562 375 29/08/2019 0006/2019
TIAGO RODRIGUES ASSUNCAO 029459251570 REVISÃO 1449 353 16/08/2019 0006/2019
TILIANE MIRANDA DOS SANTOS 045984971520 ALISTAMENTO 1449 353 30/08/2019 0006/2019
VALCER ALVES DE CERQUEIRA 045984891511 ALISTAMENTO 1686 351 28/08/2019 0006/2019
VALÉRIA FERREIRA DOS SANTOS 039949451112 REVISÃO 1678 345 08/08/2019 0006/2019
VALMIRO DE SOUZA BIZERRA 045984711597 ALISTAMENTO 1163 315 26/08/2019 0006/2019
VANESSA DE SOUZA LIMA 045984591503 ALISTAMENTO 1686 351 23/08/2019 0006/2019
VAULEIDE ARAGÃO PEREIRA FURTADO 264068110141 TRANSFERÊNCIA 1678 345 06/08/2019 0006/2019
VICTOR AFONSO SILVA NONATO 045983751554 ALISTAMENTO 1481 348 07/08/2019 0006/2019
VICTOR GABRIEL DOS SANTOS LIMA 045984411570 ALISTAMENTO 1481 348 20/08/2019 0006/2019
VIVIAN OLIVEIRA DA SILVA 045984871554 ALISTAMENTO 1562 375 28/08/2019 0006/2019
VIVIANE SANTOS DE SOUZA 034207361589 REVISÃO 1694 366 08/08/2019 0006/2019
WAGNER GONDIM CAVALCANTI 003657591503 TRANSFERÊNCIA 1651 344 21/08/2019 0006/2019
WALISSON ALOISIO SOUSA DOS SANTOS 045984391554 ALISTAMENTO 1651 344 19/08/2019 0006/2019
YANDRA POMA DE HAYALA RODRIGUES TEIXEIRA 043045761163 REVISÃO 1295 317 20/08/2019 0006/2019
YASMIN DUTRA DA SILVA 045984581511 ALISTAMENTO 1449 353 23/08/2019 0006/2019
YSLANO DE ARAUJO FREITAS 045984221503 ALISTAMENTO 1449 353 15/08/2019 0006/2019
YUJI ANDRÉ IHARA 043366011554 SEGUNDA VIA 1040 28 15/08/2019 0006/2019
ZILDA DELFINA DE BRITO OLIVEIRA 042874021554 REVISÃO 1279 201 30/08/2019 0006/2019
Total de documentos impressos : 373

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 17

5ª Zona Eleitoral

Editais
n 44 e 45/2019

EDITAL N.º 44/2019


(COM PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS)

O Dr. MARCOS ANTÔNIO MOURA MENDES, Juiz Eleitoral da 5ª ZE/PI, a qual abrange os Municípios de: Oeiras, Santa Rosa do Piauí e São
João da Varjota, no uso de suas atribuições legais…

FAZ SABER aos partidos políticos e a quem mais possa interessar que, em cumprimento ao que dispõem os artigos 45, §§6º; 52, § 2º, 57, caput
e § 2º e 77, II, todos do Código Eleitoral e, ainda os artigos 17, §§ 1º e 2º e 18, §§ 5º e 6º, da Resolução TSE n.º 21.538/2003, a partir desta
data passam a fluir o prazo de 10 (dez) dias, a partir da data de publicação deste Edital, para impugnação dos alistamentos, revisões,
transferências e segundas vias eleitorais, requeridas no período de 05/08/2019 a 30/08/2019 referente ao LOTE Nº 12/2019, conforme rol
anexo. E para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o MM Juiz Eleitoral que expedisse o presente Edital, afixando-se-lhe no
Cartório Eleitoral, no lugar de costume, e publicando-se no Diário da Justiça Eletrônico do TRE-PI. Dado e passado nesta cidade de Oeiras,
Estado do Piauí, aos trinta dias do mês de agosto de dois mil e dezenove (30/08/2019). Eu, _____________ Maria Gomes dos Santos Neta,
Chefe de Cartório da 5ª Zona Eleitoral, o digitei e subscrevi.

Oeiras-PI, 30 de agosto de 2019.

Marcos Antonio Moura Mendes


Juiz Eleitoral da 5ª Zona

ANEXO EDITAL Nº 45/2019


Origem: CA 205 Zona: 005 Municipio: 10464 - SANTA ROSA DO PIAUÍ
Data de Processamento: 05/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADÃO DAYVSON NUNES DOS SANTOS 046166101562 ALISTAMENTO 1040 80 08/08/2019 0012/2019
ADELIANE CANUTO DA COSTA 045397391520 TRANSFERÊNCIA 1040 171 06/08/2019 0012/2019
ANA PAULA ARAGÃO DE SOUSA 036731141554 REVISÃO 1040 80 23/08/2019 0012/2019
BIANCA MADEIRA SANTOS 046166221503 ALISTAMENTO 1058 78 16/08/2019 0012/2019
CARLOS AUGUSTO DA SILVA LUSTOSA 046166381562 ALISTAMENTO 1040 79 27/08/2019 0012/2019
DHONYS VIEIRA DE SOUSA SEPULVIDA 043247741511 REVISÃO 1040 81 30/08/2019 0012/2019
FABIO SOARES DE MIRANDA 027494351570 TRANSFERÊNCIA 1040 171 16/08/2019 0012/2019
FLÁVIA NASCIMENTO SANTOS 046166091520 ALISTAMENTO 1120 207 08/08/2019 0012/2019
FRANCIANO RODRIGUES DA SILVA 034253011570 TRANSFERÊNCIA 1112 348 14/08/2019 0012/2019
FRANCISCO FABIANO LEAL DE BRITO 028645301589 TRANSFERÊNCIA 1040 79 08/08/2019 0012/2019
GERALDO SOARES BARBOSA 043249011597 REVISÃO 1163 293 30/08/2019 0012/2019
GERSON DOS SANTOS COSTA 046166121520 ALISTAMENTO 1120 207 09/08/2019 0012/2019
GIRLENE DOS SANTOS NASCIMENTO 046166111546 ALISTAMENTO 1120 207 09/08/2019 0012/2019
IÔHANA SANTOS RODRIGUES 046166011570 ALISTAMENTO 1040 161 06/08/2019 0012/2019
KARLA LORENA SIQUEIRA CARVALHO 038910181570 TRANSFERÊNCIA 1058 128 23/08/2019 0012/2019
LEONARDO GONÇALVES PEREIRA 046166241562 ALISTAMENTO 1040 206 19/08/2019 0012/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 18

LUIZ RAIONES GONÇALVES PEREIRA 046166421546 ALISTAMENTO 1040 81 29/08/2019 0012/2019


MANOEL MESSIAS VIEIRA DE SEPULVIDA 043247711570 REVISÃO 1040 80 30/08/2019 0012/2019
MARIA DA CRUZ DO NASCIMENTO SOUSA 033766181554 REVISÃO 1058 83 22/08/2019 0012/2019
MARIA FRUTUOSO DE SOUSA CARMO 010218631570 REVISÃO 1040 81 29/08/2019 0012/2019
PATRICIA DE SOUSA LIMA 046166391546 ALISTAMENTO 1040 80 27/08/2019 0012/2019
PAULIANA ALVES DA ANUNCIACAO 034290271538 REVISÃO 1040 171 27/08/2019 0012/2019
PAULO TARCISIO QUENTAL 094623150558 TRANSFERÊNCIA 1040 80 08/08/2019 0012/2019
SAMIA PEDRA PEREIRA DA SILVA 046166081546 ALISTAMENTO 1040 206 08/08/2019 0012/2019
STEFANE ALVES CASTELO BRANCO 036548351597 REVISÃO 1058 173 16/08/2019 0012/2019
WESLEY DE SOUSA FÉ 040094581589 TRANSFERÊNCIA 1040 161 12/08/2019 0012/2019

Origem: CA 205 Zona: 005 Municipio: 11398 - OEIRAS


Data de Processamento: 05/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADENILTON LACERDA DE MELO 046166251546 ALISTAMENTO 1082 349 20/08/2019 0012/2019
AILTON BRUNO DA SILVA 326801230159 REVISÃO 1449 331 16/08/2019 0012/2019
ANA CAROLINA DE SOUSA NASCIMENTO 046166281597 ALISTAMENTO 1163 50 20/08/2019 0012/2019
ANDERSON FERNANDO DA SILVA NASCIMENTO 043249141503 REVISÃO 1350 324 21/08/2019 0012/2019
ANDREIA PEREIRA FERREIRA 043191491554 TRANSFERÊNCIA 1309 77 12/08/2019 0012/2019
ANDRESSA RAVENY DE SOUSA VIEIRA 046166031538 ALISTAMENTO 1210 52 07/08/2019 0012/2019
ANTONIA MOREIRA DOS SANTOS 007376951520 REVISÃO 1252 69 21/08/2019 0012/2019
ANTONIO DA SILVA 007942501589 TRANSFERÊNCIA 1333 328 14/08/2019 0012/2019
ANTONIO DOS SANTOS COSTA 017994241511 REVISÃO 1830 320 20/08/2019 0012/2019
ANTONIO LUIS COSTA SÁ 046166261520 ALISTAMENTO 1821 310 20/08/2019 0012/2019
ANTONIO PEREIRA DE ARAUJO 032257451570 TRANSFERÊNCIA 1333 328 29/08/2019 0012/2019
AYNAR BRAZ DANTAS 044685891503 TRANSFERÊNCIA 1651 254 12/08/2019 0012/2019
BENEDITA MOREIRA DA SILVA 005313241546 TRANSFERÊNCIA 1163 51 13/08/2019 0012/2019
BRUNO GOMES DE SOUSA 046166161554 ALISTAMENTO 1686 251 13/08/2019 0012/2019
CLARISSA MARIA DE MORAES SOUSA 030665081562 TRANSFERÊNCIA 1082 349 16/08/2019 0012/2019
CLAUDIANA COSTA E SOUSA 025822201597 TRANSFERÊNCIA 1031 152 27/08/2019 0012/2019
CLAUSSON SANTOS FRANÇA 046166191503 ALISTAMENTO 1147 126 13/08/2019 0012/2019
CLEIDIANE ADRIANO SILVA PEREIRA 038786991503 TRANSFERÊNCIA 1236 55 29/08/2019 0012/2019
CLEONICE MARIA BARBOSA BEZERRA 044074021562 TRANSFERÊNCIA 1082 349 30/08/2019 0012/2019
DAIANA LEANDRO FRANÇA 044932361570 REVISÃO 1180 48 06/08/2019 0012/2019
DANILA PEREIRA DA SILVA 046166361503 ALISTAMENTO 1236 56 27/08/2019 0012/2019
DENILSON PEREIRA DA SILVA 046166171538 ALISTAMENTO 1686 251 13/08/2019 0012/2019
DOMINGOS DE SOUSA LOPES 046166301503 ALISTAMENTO 1163 51 21/08/2019 0012/2019
EDIANA BARROS DE SOUSA BORGES 022661431538 REVISÃO 1066 15 08/08/2019 0012/2019
EDIVAN GUEDES ARAUJO 023853681597 REVISÃO 1031 179 27/08/2019 0012/2019
EDMUNDO MANUEL ADRIANO 028649011503 TRANSFERÊNCIA 1244 57 06/08/2019 0012/2019
EDVAN DO NASCIMENTO LIMA 026593011570 TRANSFERÊNCIA 1082 349 09/08/2019 0012/2019
ELIECI LOURENCO DA SILVA 008952641570 REVISÃO 1511 220 20/08/2019 0012/2019
ELIMÁRIA FERREIRA DE CARVALHO 044073381503 REVISÃO 1457 217 29/08/2019 0012/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 19

ELIVA MARIA ALVES DE SOUSA 046166321570 ALISTAMENTO 1554 224 23/08/2019 0012/2019
EMILY GOMES SILVA 046166131503 ALISTAMENTO 1350 324 09/08/2019 0012/2019
FERNANDO DE JESUS BACELAR DA SILVA 028780271520 TRANSFERÊNCIA 1082 349 16/08/2019 0012/2019
FRANCILENE FERREIRA DE ASSIS SILVA 032259391554 REVISÃO 1449 214 23/08/2019 0012/2019
FRANCIMARA ALVES DE ARAUJO COSTA 035356621562 REVISÃO 1759 268 27/08/2019 0012/2019
FRANCISCA AURICÉIA DA SILVA ARAUJO 046166401589 ALISTAMENTO 1430 176 28/08/2019 0012/2019
FRANCISCA MARCIA FERREIRA DA SILVA 034250511546 REVISÃO 1368 264 27/08/2019 0012/2019
FRANCISCA MARIA DO NASCIMENTO 025904181538 TRANSFERÊNCIA 1082 349 09/08/2019 0012/2019
FRANCISCO BORGES DOS SANTOS 372356050124 TRANSFERÊNCIA 1457 217 13/08/2019 0012/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS DE SOUSA SANTOS 006137091511 REVISÃO 1643 255 30/08/2019 0012/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS LOPES 022659291538 REVISÃO 1333 328 21/08/2019 0012/2019
FRANCISCO EDUARDO DE SALES FIGUEIREDO 046166001597 ALISTAMENTO 1074 350 06/08/2019 0012/2019
FRANCISCO HENRIQUE REMIGIO DE SOUSA FRANÇA 046166071562 ALISTAMENTO 1724 267 08/08/2019 0012/2019
FRANCISCO MATHEUS DA SILVA SOUSA 046166431520 ALISTAMENTO 1430 155 29/08/2019 0012/2019
GABRIEL ACRICIO MOURA SOUSA 046166141597 ALISTAMENTO 1031 125 13/08/2019 0012/2019
GEOVANA MARIA DA SILVA 323687820124 TRANSFERÊNCIA 1333 328 27/08/2019 0012/2019
GERSON DOS SANTOS BARROS 018294002062 REVISÃO 1406 216 14/08/2019 0012/2019
HANDERSON PINHEIRO DE MOURA 028789741511 TRANSFERÊNCIA 1147 17 13/08/2019 0012/2019
ICARO YAN DE LOPES LEMOS 046166441503 ALISTAMENTO 1074 350 30/08/2019 0012/2019
IRANILDO FERREIRA DE SOUSA GONÇALVES 046166291570 ALISTAMENTO 1724 267 20/08/2019 0012/2019
ISAIAS BORGES DE LIMA 033778521538 TRANSFERÊNCIA 1023 351 06/08/2019 0012/2019
ISLANDIA DOS SANTOS ROCHA 044679681589 REVISÃO 1490 334 13/08/2019 0012/2019
ITALO WANDERLEY DA SILVA NUNES 042269881511 TRANSFERÊNCIA 1309 76 28/08/2019 0012/2019
IURI DE REIS FEITOSA 025618801562 TRANSFERÊNCIA 1074 350 16/08/2019 0012/2019
IVAN DOS SANTOS ARAUJO 063854451171 TRANSFERÊNCIA 1252 69 13/08/2019 0012/2019
JACIARA DE SOUSA SANTOS 044917101546 TRANSFERÊNCIA 1856 329 29/08/2019 0012/2019
JAÍNE DE SOUSA RIBEIRO 044930671546 REVISÃO 1619 259 14/08/2019 0012/2019
JANILSON PEREIRA DE SOUSA 019383711511 REVISÃO 1406 157 30/08/2019 0012/2019
JOAO FERREIRA DE SOUSA 086134380183 REVISÃO 1023 243 22/08/2019 0012/2019
JOCIVALDO DE OLIVEIRA LIMA 033769651562 REVISÃO 1457 217 27/08/2019 0012/2019
JORGE DA SILVA OLIVEIRA 273716270116 TRANSFERÊNCIA 1856 329 14/08/2019 0012/2019
JOSE FRANCISCO SILVA FONTES 046166211511 ALISTAMENTO 1449 331 16/08/2019 0012/2019
JOSE FRANCISCO SOARES 034288081520 TRANSFERÊNCIA 1414 124 26/08/2019 0012/2019
JOSE MODESTO ALVES 030665761503 REVISÃO 1449 158 06/08/2019 0012/2019
JOSE RAYNAN LEAL DE LIMA 046166051503 ALISTAMENTO 1449 331 07/08/2019 0012/2019
JUAN DE MENESES VELOSO 031138421503 SEGUNDA VIA 1171 54 27/08/2019 0012/2019
JUÇARA JORÂNIA NASCIMENTO SILVA 046166351511 ALISTAMENTO 1333 328 27/08/2019 0012/2019
JULIO CESAR DE MENESES 027496961511 TRANSFERÊNCIA 1074 350 07/08/2019 0012/2019
JUNIELSON DO ESPIRITO SANTO 041899401570 TRANSFERÊNCIA 1333 328 23/08/2019 0012/2019
LAISA GABRIELLA PEREIRA SILVA 046165961570 ALISTAMENTO 1430 155 05/08/2019 0012/2019
LAURIANE CARLOS VIANA DA SILVA 044080931503 REVISÃO 1449 214 23/08/2019 0012/2019
LAURISSANDRA DAS CHAGAS SILVA 021526751538 TRANSFERÊNCIA 1228 122 14/08/2019 0012/2019
LAYSA MARIA DA COSTA MARTINS 046166021554 ALISTAMENTO 1341 344 06/08/2019 0012/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 20

LAZARO MUSSAEL MAURIZ MARQUES 029630281520 REVISÃO 1333 328 22/08/2019 0012/2019
LEONARDO DA COSTA MARTINS 046166271503 ALISTAMENTO 1341 344 20/08/2019 0012/2019
LEONARDO FERREIRA CAMPOS 031780391538 TRANSFERÊNCIA 1031 44 12/08/2019 0012/2019
LORRANE CRISTINE DE OLIVEIRA DAMASCENA 066452081023 TRANSFERÊNCIA 1074 350 26/08/2019 0012/2019
LUANNA FERNANDA DA SILVA BATISTA 041050111589 TRANSFERÊNCIA 1031 20 07/08/2019 0012/2019
LUCAS FERREIRA DE CARVALHO 046166151570 ALISTAMENTO 1724 267 13/08/2019 0012/2019
LUCIANO DE SOUSA 411135200116 TRANSFERÊNCIA 1155 346 27/08/2019 0012/2019
LUCILÉIA BEZERRA HOLANDA MARTINS 032678051538 TRANSFERÊNCIA 1082 349 30/08/2019 0012/2019
LUIZ RODRIGUES PEREIRA FILHO 026601661546 TRANSFERÊNCIA 1350 324 23/08/2019 0012/2019
MANOEL ANTÔNIO RIBEIRO 020104201201 TRANSFERÊNCIA 1333 328 07/08/2019 0012/2019
MANOEL GOMES SOBRINHO 015755391589 REVISÃO 1686 251 13/08/2019 0012/2019
MARCILENE DE OLIVEIRA NEVES 035352181538 REVISÃO 1074 350 28/08/2019 0012/2019
MARCIO FAUSTINO DE QUEIROZ 046166331554 ALISTAMENTO 1813 309 23/08/2019 0012/2019
MARIA ANADI DOS SANTOS SOUSA GOMES 026852931546 REVISÃO 1686 251 13/08/2019 0012/2019
MARIA APARECIDA GOMES DOS ANJOS 037779791562 REVISÃO 1163 51 30/08/2019 0012/2019
MARIA DA PAZ DE SOUSA 005464031503 TRANSFERÊNCIA 1856 329 07/08/2019 0012/2019
MARIA DE LOURDES SOUSA 037774591503 TRANSFERÊNCIA 1856 329 07/08/2019 0012/2019
MARIA DO CARMO DE JESUS LOPES 007548941503 REVISÃO 1074 29 09/08/2019 0012/2019
MARIA DO SOCORRO PEREIRA BENICIO 001102981520 REVISÃO 1295 73 21/08/2019 0012/2019
MARIA DOS PASSOS PAULA MARTINS 033788101538 TRANSFERÊNCIA 1031 21 08/08/2019 0012/2019
MARIA EDUARDA DE JESUS ALVES 046165981538 ALISTAMENTO 1155 346 05/08/2019 0012/2019
MARIA IRANI SILVESTRE DOS SANTOS 004547801520 REVISÃO 1333 328 13/08/2019 0012/2019
MARIA JOSE DO NASCIMENTO GUIMARAES SANTOS 329718000124 TRANSFERÊNCIA 1457 217 14/08/2019 0012/2019
MARIA JOSELMA FERREIRA DA SILVA 044684391589 REVISÃO 1236 55 30/08/2019 0012/2019
MARIA NETA ALVES DA SILVA 007942721597 REVISÃO 1325 332 14/08/2019 0012/2019
MARINALVA FERREIRA DA SILVA 022320861759 TRANSFERÊNCIA 1341 344 19/08/2019 0012/2019
MÁRIO DE SOUSA CHAVES 039989801511 TRANSFERÊNCIA 1333 328 30/08/2019 0012/2019
MARLENE AQUINO DO NASCIMENTO 042278601503 TRANSFERÊNCIA 1651 254 23/08/2019 0012/2019
MARLON MOREIRA DA COSTA 037207081538 REVISÃO 1252 70 13/08/2019 0012/2019
MATEUS DA SILVA 046166061589 ALISTAMENTO 1082 349 07/08/2019 0012/2019
MATHEUS MAURIZ RAMOS 046166341538 ALISTAMENTO 1155 346 26/08/2019 0012/2019
NERISVAN FERREIRA DA COSTA SILVA 046166231589 ALISTAMENTO 1449 331 16/08/2019 0012/2019
OLIMPIA OHANA SOUSA ALVES PAULO 046166311597 ALISTAMENTO 1350 324 22/08/2019 0012/2019
PAULA INGRIDE FERNANDA COSTA DE SOUSA 046165831554 REVISÃO 1074 350 20/08/2019 0012/2019
PAULO HENRIQUE RODRIGUES DOS SANTOS 022657671538 REVISÃO 1490 334 14/08/2019 0012/2019
PAULO RENATO RUFINO DE LIMA 026601051520 REVISÃO 1082 26 12/08/2019 0012/2019
PEDRO ARTHUR PEREIRA DA SILVA 046166451597 ALISTAMENTO 1163 49 30/08/2019 0012/2019
RAFAEL LEONARDO DE LIMA 046165971554 ALISTAMENTO 1449 331 05/08/2019 0012/2019
RAFAELLA RODRIGUES VIEIRA 046166201538 ALISTAMENTO 1350 324 13/08/2019 0012/2019
RAIANE MENDES E SILVA CRUZ 040097931554 TRANSFERÊNCIA 1660 253 30/08/2019 0012/2019
RAIMUNDO RODRIGUES DE SOUSA 014366772003 TRANSFERÊNCIA 1163 49 20/08/2019 0012/2019
RENAN DA PAIXÃO RODRIGUES 039983481503 TRANSFERÊNCIA 1163 51 14/08/2019 0012/2019
RENATO DOS SANTOS MARTINS 027539601511 TRANSFERÊNCIA 1074 350 28/08/2019 0012/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 21

RIKELME DOS SANTOS RIBEIRO 046166041511 ALISTAMENTO 1341 344 07/08/2019 0012/2019
RITA PEREIRA RIBEIRO 007582731503 REVISÃO 1333 328 19/08/2019 0012/2019
ROBERTO FERNANDO RODRIGUES DA SILVA 046166371589 ALISTAMENTO 1449 331 27/08/2019 0012/2019
SARAH MACYRAJARA DOS SANTOS 046166411562 ALISTAMENTO 1333 328 28/08/2019 0012/2019
SEBASTIÃO FRANCISCO DE SOUSA 041975211597 TRANSFERÊNCIA 1236 56 09/08/2019 0012/2019
TERESA MARIA DO NASCIMENTO LIMA 044079461503 TRANSFERÊNCIA 1082 349 09/08/2019 0012/2019
VALDEMIR RODRIGUES PEREIRA 025520871538 TRANSFERÊNCIA 1236 55 16/08/2019 0012/2019
VALDENILSON PEREIRA DA SILVA 044688051597 REVISÃO 1686 251 13/08/2019 0012/2019
WELBER BATISTA SOUSA 038424571562 SEGUNDA VIA 1490 168 20/08/2019 0012/2019
WILLIAMES BARROS SANTOS 042669881503 TRANSFERÊNCIA 1074 350 07/08/2019 0012/2019
YURE BARROS SANTOS 044075971597 TRANSFERÊNCIA 1074 350 07/08/2019 0012/2019

Origem: CA 205 Zona: 005 Municipio: 12025 - SÃO JOÃO DA VARJOTA


Data de Processamento: 05/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
DANILO DANTAS DA SILVA 040627241511 REVISÃO 1040 166 19/08/2019 0012/2019
FABRICIA LUSTOSA DE LIMA 040624051562 REVISÃO 1040 166 20/08/2019 0012/2019
MARIA DE FATIMA DE SOUSA 041056121546 SEGUNDA VIA 1112 230 09/08/2019 0012/2019
NATANIEL DA SILVA OLIVEIRA 046166181511 ALISTAMENTO 1120 231 13/08/2019 0012/2019
SAMILLE KAUANE SOUSA LEITE 046165991511 ALISTAMENTO 1015 147 05/08/2019 0012/2019
SIMONI SILVANI DE LIMA SOUSA 046162281538 REVISÃO 1015 178 29/08/2019 0012/2019

__________________________________________________________________________________________
EDITAL N.º 45/2019

O Dr. MARCOS ANTÔNIO DE MOURA MENDES, Juiz Eleitoral da 5ª ZE/PI, a qual abrange os Municípios de: Oeiras, Santa Rosa do Piauí e São
João da Varjota, no uso de suas atribuições legais…

FAZ SABER aos partidos políticos e a quem mais possa interessar ou deste tiver conhecimento, que possa
interessar ou deste tiver conhecimento, que a Diretório/Comissão Provisória do Partido Popular Socialista – PPS do município de Santa Rosa
do Piauí/PI, através de seu presidente, apresentou nesse Cartório da 5ª Zona Eleitoral a Prestação de Contas referente ao exercício de 2014,
composta pelas peças que se encontram no referido Cartório, dentre as quais os Balanços Patrimoniais e a Demonstração do Resultado do
Exercício, que se encontram anexo a este edital.

Os autos da prestação de contas permanecerá em Cartório pelo prazo de 15 (quinze) dias, durante os quais
qualquer interessado poderá examiná-los e obter cópias, nos termos do art. 29, da RES. TSE nº 23.464/15.e, após esse prazo, o Ministério
Público ou qualquer Partido Político terá o prazo de 05 (cinco) dias para impugnar a prestação de contas apresentada, bem como relatar fatos,
indicar provas e pedir abertura de investigação para apuração de qualquer ato que viole as prescrições legais ou estatutárias a que, em matéria
financeira, os partidos e seus filiados estejam sujeitos.
Dado e passado no município de Oeiras/PI, sede da 5ª Zona Eleitoral, aos trinta dias do mês de agosto do ano dois
mil e dezenove (30/08/2019). Eu, ___________ (Maria Gomes dos Santos Neta), Chefe do Cartório desta 5ª Zona Eleitoral, preparei e digitei o
presente edital que é subscrito pelo MM. Juiz Eleitoral.
Oeiras-PI, 30 de agosto de 2019.

Marcos Antônio Moura Mendes


Juiz Eleitoral da 5ª Zona

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 22

Aviso de Intimação

AVISO DE INTIMAÇÃO

PRESTAÇÃO DE CONTAS DAS ELEIÇÕES 2018


PROCESSO Nº: 53-92.2019.6.18.0005 PROTOCOLO Nº 7.174/2019
ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVA À ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS NA
CAMPANHA ELEITORAL DE 2018.
PRESTADOR : DIREÇÃO MUNICIPAL/COMISSÃO PROVISÓRIA - PT - OEIRAS
CNPJ: 01.300.281/0001-60 Nº CONTROLE: P13000411398PI0676095
DATA ENTREGA: 03/06/2019 às 11:06:04 DATA GERAÇÃO: 31/07/2019 às 12:36:12
TIPO: FINAL
ADVOGADOS: EDUARDO RODRIGUES DE SOUSA CARMO BATISTA - OAB/PI Nº 7.444;
FLEYMAN FLAB FLORENCIO FONTE - OAB/PI Nº 11.084;
FIDELMAN FAO FLORENCIO FONTES - OAB/PI Nº 10.962;
MARIA ELIETE DE SOUSA OLIVEIRA - OAB/PI Nº 10.436;
BRUNA EMANUELA MORAIS DA SILVA - OAB/PI Nº 17.704.

FINALIDADE: Intimar o prestador do Parecer Técnico Conclusivo transcrito abaixo, para querendo, apresentar manifestação no prazo de 3(três)
dias.

PARECER TÉCNICO CONCLUSIVO

Submete-se à apreciação superior o relatório dos exames efetuados sobre a prestação de contas em epígrafe, abrangendo a
arrecadação e aplicação de recursos utilizados na campanha relativas às eleições de 2018, à luz das regras estabelecidas pela Lei n.º 9.504, de
30 de setembro de 1997, e pela Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Do exame, após realizada requisição de informações, necessárias à obtenção de esclarecimentos e/ou ao saneamento de falhas, foi
constatado o que segue:

1. FORMALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

1.1. Prestação de contas parcial

Houve omissão quanto à entrega de prestação de contas parcial (art. 50, II e § 4°, da Resolução TSE nº 23.553/2017 - 9 a
13/09/2018). (1.1.2)

Diligenciado o Partido apresentou justificativa, conforme fls. 31/36.

1.1.2. Prestação de contas final

Prestação de contas entregue fora do prazo fixado pelo art. 52, caput e § 1º, da Resolução TSE nº 23.553/2017. (1.1.3).

Diligenciado o Partido apresentou justificativa, conforme fls. 31/36.

1.2. Peças integrantes:

Não foram apresentadas as seguintes peças obrigatórias que devem integrar a prestação de contas (art. 56 da Resolução TSE nº

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 23

23.553/2017):

Consultando o sistema de Prestação de Contas Eleitorais SPCE WEB Extrato Bancário, verificou-se que não existem contas bancarias
abertas pelo partido sem extratos eletrônicos encaminhado pelas instituições financeiras para o prestador de contas. Por essa razão
inconsistência não impediu o exame das contas.

1.3. Publicidade.

Publicado Edital, fls. 20/21, decorreu o prazo sem impugnação.

2. QUALIFICAÇÃO DO PRESTADOR DE CONTAS


2.1. As informações abaixo relacionadas constantes da prestação de contas, quanto aos dirigentes partidários, divergem daquelas
registradas na Justiça Eleitoral (art. 56, I, a, da Resolução TSE n° 23.553/2017):

PRESTAÇÃO DE CONTAS SGIP

FUNÇÃO NOME DO PERÍODO GESTÃO NOME DO PERÍODO GESTÃO


REPRESENTANTE REPRESENTANTE

Tesoureiro MARINES RIBEIRO DOS 01/01/2018 - - -


SANTOS COSTA - 31/12/2018
251.399.161-34

Presidente GILMAR RODRIGUES 01/01/2018 - GILMAR RODRIGUES 23/06/2017 -


FONTES - 017.496.633-41 31/12/2018 FONTES - 017.496.633-41 03/09/2018

Diligenciado o Partido apresentou justificativa, conforme fls. 31/36.

6. OMISSÃO DE RECEITAS E GASTOS ELEITORAIS (ART. 56 DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017) (6).

6.14. Foram identificadas as seguintes omissões relativas às despesas constantes da prestação de contas em exame e aquelas constantes
da base de dados da Justiça Eleitoral, obtidas mediante circularização e/ou informações voluntárias de campanha e/ou confronto com notas
fiscais eletrônicas de gastos eleitorais, revelando indícios de omissão de gastos eleitorais, infringindo o que dispõe o art. 56, I, g, da Resolução
TSE n. 23.553/2017:
DADOS OMITIDOS NA PRESTAÇÃO DE CONTAS
DATA CPF/CNPJ FORNECEDOR N º DA NOTA VALOR (R$)¹ %² FONTE DA
FISCAL OU INFORMAÇÃO
RECIBO

30/10/2018 09.488.317/0001-93 3436 100,00 NFE


¹ Valor total das despesas registradas
² Representatividade das despesas em relação ao valor total

Diligenciado o Partido apresentou justificativa e a Nota fiscal, conforme fls. 31/36.

8. EXAME DE REGULARIDADE DE DESPESAS REALIZADAS COM RECURSOS DO FUNDO ESPECIAL DE FINANCIAMENTO DE CAMPANHA
(ART. 56, II, C, DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017)

8.5. Foi identificado o recebimento de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha em desacordo com os critérios de

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 24

distribuição apresentados ao Tribunal Superior Eleitoral.

Diligenciado o Partido apresentou justificativa, conforme fls. 31/36.

3. ANÁLISE DA MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA (ART. 56, DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017) (10).

A prestação de contas foi apresentada sem movimentação financeira, circunstância não confirmada, por extratos bancários, uma vez
que não foi realizada a abertura das contas bancárias. Trata-se de uma irregularidade geradora de ressalvas, que, salvo melhor juízo, não
enseja a desaprovação das contas, visto que se trata de eleições gerais, concentrada em níveis federal e estadual e com participação direta e
efetiva dos partidos nacionais e estaduais.

4. Ao final, considerando o resultado da análise técnica empreendida, manifesta-se esta analista:


a) pela APROVAÇÃO COM RESSALVAS das presentes contas;
b) pelo encaminhamento dos autos ao Ministério Público Eleitoral para manifestação segundo dispõe o art. 76, da Resolução TSE n°
23.553/2017.

É o Parecer. À consideração superior.

Oeiras/PI, 28 de agosto de 2019.

Maia Gomes dos Santos Neta


Chefe de Cartório da 5ª ZE/PI

7ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 25/2019

O DOUTOR MUCCIO MIGUEL MEIRA Juiz Eleitoral da 07ª Zona Eleitoral de Campo Maior – PI, na forma de Lei etc.

FAZ SABER, a quantos o presente Edital virem ou dele tiverem conhecimento, TORNA PÚBLICO em especial aos Representantes dos Partidos
Políticos sediados na Jurisdição desta 07ª Zona Eleitoral, que a partir desta data fica publicada a RELAÇÃO DE TÍTULOS DEFERIDOS, anexa, dos
eleitores que requerem, no período de 16 a 30 de agosto de 2019, para os Municípios de CAMPO MAIOR, SIGEFREDO PACHÊCO e JATOBÁ DO
PIAUÍ/PI, ALISTAMENTO, TRANSFERÊNCIA, REVISÃO e 2ª VIAS DE TÍTULOS DE ELEITORAIS, com prazo de 10 (dez) dias para qualquer
impugnação, com exceção da segunda via cujo prazo é de 05 (cinco) dias, tudo em conformidade com o art. 17,§1°, da Resolução TSE Nº
25.538/2003, c/c o art. 57 da Lei 4.737/1965 (Código Eleitoral), e Resolução TSE Nº 20.132/98.
E, para que não alegue ignorância, mandou expedir o presente Edital de publicação, que será afixado neste Cartório Eleitoral, no lugar público
de costume, bem como no Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI. Dado e passado nesta Comarca de Campo Maior, Estado do Piauí, sede da
07ª Zona Eleitoral, no lugar público de costume, bem como no Diário de Justiça Eletrônio do TRE/PI. Dado e passado nesta Comarca de Campo
Maior, Estado do Piauí, sede da 07ª Zona Eleitoral, aos 30 (trinta) dias do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove. Eu ______ Catarina
Eletice Pinho Gomes, Chefe de Cartório, digitei o presente Edital, que vai subscrito pelo MM Juiz.

Muccio Miguel Meira


Juiz Eleitoral da 07ª Zona

Origem: CA 202 Zona: 007 Municipio: 10430 - CAMPO MAIOR


Data de Processamento: 16/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 25

ANA PAULA DOS SANTOS SILVA 038091551503 REVISÃO 1686 240 30/08/2019 0024/2019
ANTONIO YTTALO RIBEIRO FRANCO MACÊDO 045938721554 ALISTAMENTO 1120 17 22/08/2019 0024/2019
CARLOS ALBERTO SOARES VANDERLEI 045938781546 ALISTAMENTO 1171 30 26/08/2019 0024/2019
DAVI ALVES VIEIRA 026087711554 REVISÃO 1171 30 30/08/2019 0024/2019
FLÁVIA NICOLLY DE OLIVEIRA SILVA 045938651520 ALISTAMENTO 1635 236 20/08/2019 0024/2019
FRANCISCA KEILANE DE JESUS ROCHA 045938681570 ALISTAMENTO 1198 35 20/08/2019 0024/2019
FRANCISCA VITÓRIA FERREIRA DA SILVA 045938791520 ALISTAMENTO 1694 242 27/08/2019 0024/2019
FRANCISCO HELIO DE SOUSA ARAUJO 044284131562 TRANSFERÊNCIA 1651 209 29/08/2019 0024/2019
FRANCISCO INACIO DO VALE 002463991570 REVISÃO 1155 163 30/08/2019 0024/2019
FRANCISCO MARLON IBIAPINA PAZ 000205431554 REVISÃO 1112 15 21/08/2019 0024/2019
JAIANA MARCOLINO DE CARVALHO 042522461538 REVISÃO 1490 144 16/08/2019 0024/2019
JEFFERSON DE SOUSA MAXIMINO 045938701597 ALISTAMENTO 1600 187 20/08/2019 0024/2019
JOÃO VICTOR LIMA SILVA CARNEIRO 042983111589 REVISÃO 1198 34 26/08/2019 0024/2019
JOSE ALBERTO LEITE OLIVEIRA 019564581597 SEGUNDA VIA 1201 38 19/08/2019 0024/2019
KARIZA EVELLIN VASCONCELOS BARBOSA 042040281503 REVISÃO 1325 63 28/08/2019 0024/2019
KARLA ALAYANE COSTA ARAUJO DE ALENCAR 026643381538 TRANSFERÊNCIA 1686 240 22/08/2019 0024/2019
MARIA DE DEUS PAZ SILVA 007198521538 REVISÃO 1325 124 21/08/2019 0024/2019
MARIA DE FATIMA ROCHA DE OLIVEIRA 026541901546 REVISÃO 1112 125 23/08/2019 0024/2019
MARIA DE LOURDES LOPES DOS SANTOS 000079321546 REVISÃO 1155 163 16/08/2019 0024/2019
MARIA EDILEUZA BARBOSA DO NASCIMENTO 006593891554 REVISÃO 1619 234 27/08/2019 0024/2019
MARIA FRANCISCA BORGES DO NASCIMENTO 015528621562 REVISÃO 1120 20 20/08/2019 0024/2019
MARIA KASSYELLEN SOUSA DA SILVA 045938711570 ALISTAMENTO 1562 235 21/08/2019 0024/2019
MARIA LUZIA ALVES DE JESUS 029704611589 REVISÃO 1171 123 30/08/2019 0024/2019
MIGUEL RODRIGUES DO NASCIMENTO 421537680108 REVISÃO 1600 187 23/08/2019 0024/2019
NATHALIA IRENE SAMPAIO 042524301503 REVISÃO 1368 223 21/08/2019 0024/2019
NAYARA LIMA DE SOUSA 045938761589 ALISTAMENTO 1686 240 23/08/2019 0024/2019
NAYRA LIMA DE SOUSA 045938771562 ALISTAMENTO 1686 240 23/08/2019 0024/2019
PAULO AFONSO DE OLIVEIRA PAES 026328461511 TRANSFERÊNCIA 1384 74 26/08/2019 0024/2019
RODOLFO FERREIRA DE SOUSA 035417351589 REVISÃO 1511 137 16/08/2019 0024/2019
SANDRA DO NASCIMENTO GOMES 218944320124 TRANSFERÊNCIA 1686 240 30/08/2019 0024/2019
SEBASTIÃO SILVA MELO 045938801562 ALISTAMENTO 1635 236 30/08/2019 0024/2019

Origem: CA 202 Zona: 007 Municipio: 12394 - JATOBÁ DO PIAUÍ


Data de Processamento: 16/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADINAMAR DO SOCORRO PUREZA DA COSTA 018063621341 TRANSFERÊNCIA 1104 179 26/08/2019 0024/2019
ANTONIO FRANCISCO PEREIRA DA SILVA 003990241597 REVISÃO 1180 243 16/08/2019 0024/2019
CECILIA DA CONCEICAO EULALIO 021339671589 REVISÃO 1180 243 28/08/2019 0024/2019
DAIANE RAQUEL ALVES DO NASCIMENTO 039204901511 SEGUNDA VIA 1082 139 26/08/2019 0024/2019
DEUSIMAR DE SOUSA VIEIRA OLIVEIRA 007226881589 TRANSFERÊNCIA 1180 243 16/08/2019 0024/2019
EDNA MORAIS VIEIRA 031794011570 REVISÃO 1163 212 26/08/2019 0024/2019
FRANCISCO FERREIRA RODRIGUES 028120411589 REVISÃO 1040 165 26/08/2019 0024/2019
FRANCISCO GOMES DA COSTA 045938641546 ALISTAMENTO 1171 227 20/08/2019 0024/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 26

FRANCISCO JOSE DE SOUSA 020365311546 TRANSFERÊNCIA 1180 221 16/08/2019 0024/2019


FRANCISCO PEREIRA DE ABREU 007142271570 TRANSFERÊNCIA 1015 160 28/08/2019 0024/2019
FRANCISCO SEVERO DE ARAUJO FILHO 021379051503 TRANSFERÊNCIA 1180 243 27/08/2019 0024/2019
FRANCISCO WÁLLISSON DOS SANTOS OLIVEIRA 045938631562 ALISTAMENTO 1163 212 16/08/2019 0024/2019
JOÃO PAULO DA SILVA 042037461589 TRANSFERÊNCIA 1163 212 28/08/2019 0024/2019
LEONARDO DA SILVA GOMES 042039741562 TRANSFERÊNCIA 1171 227 16/08/2019 0024/2019
LUZIANA DA SILVA FARIAS 039084851503 TRANSFERÊNCIA 1015 160 30/08/2019 0024/2019
MARCIO ROGERIO DA SILVA 044897391317 TRANSFERÊNCIA 1180 243 22/08/2019 0024/2019
MARIA GABRIELLE DI ANGELE OLIVEIRA FROTA 042524001589 REVISÃO 1155 210 21/08/2019 0024/2019
MARIA GABRIELLE SANTOS DE SOUSA 045938731538 ALISTAMENTO 1120 200 22/08/2019 0024/2019
MÔNICA SUÉLEN DE OLIVEIRA 045938751503 ALISTAMENTO 1074 176 23/08/2019 0024/2019
NATANIEL DE SOUSA SILVA 045938621589 ALISTAMENTO 1180 243 16/08/2019 0024/2019
NICOLE DA SILVA BARROS 045938741511 ALISTAMENTO 1015 160 23/08/2019 0024/2019
ORESTES BORGES DE OLIVEIRA GOMES 026545561503 REVISÃO 1147 207 22/08/2019 0024/2019
RAIMUNDA RODRIGUES DA SILVA 028178521511 TRANSFERÊNCIA 1171 227 16/08/2019 0024/2019
RAIMUNDO NONATO DA SILVA 026727991546 TRANSFERÊNCIA 1147 239 26/08/2019 0024/2019
VANDERLUCIA LIMA VIEIRA 042526141503 TRANSFERÊNCIA 1180 243 30/08/2019 0024/2019

Origem: CA 202 Zona: 007 Municipio: 10545 - SIGEFREDO PACHECO


Data de Processamento: 16/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALESSANDRA DOS SANTOS CARVALHO 045938601511 ALISTAMENTO 1031 136 16/08/2019 0024/2019
ALESSANDRO PEREIRA DE CARVALHO 045938611503 ALISTAMENTO 1031 152 16/08/2019 0024/2019
ANTONIO CELSON VIEIRA DA SILVA 300162750183 TRANSFERÊNCIA 1120 230 20/08/2019 0024/2019
CARMEM SOLANGE PEREIRA DA SILVA 321840010116 TRANSFERÊNCIA 1120 230 23/08/2019 0024/2019
CLEUDIA RAMILLY OLIVEIRA DA SILVA 045938671597 ALISTAMENTO 1120 230 20/08/2019 0024/2019
DANIEL SOUSA SANTOS 040187651597 REVISÃO 1147 193 28/08/2019 0024/2019
DANIELLY ALVES MONTEIRO 040657511554 TRANSFERÊNCIA 1120 230 20/08/2019 0024/2019
FRANCISCA DAS CHAGAS SILVA FERREIRA 043051011546 TRANSFERÊNCIA 1040 231 27/08/2019 0024/2019
FRANCISCO BARROSO DE OLIVEIRA 039861991066 REVISÃO 1023 158 29/08/2019 0024/2019
FRANCISCO NAELSON MATOS DA SILVA 041175411570 TRANSFERÊNCIA 1201 241 20/08/2019 0024/2019
JOAO DA CRUZ CARVALHO 007199981589 REVISÃO 1112 166 29/08/2019 0024/2019
JOSÉ DE RIBAMAR MARTINS 009221901554 TRANSFERÊNCIA 1201 241 27/08/2019 0024/2019
JUAREZ CARDOSO LOPES 021195181082 TRANSFERÊNCIA 1201 241 16/08/2019 0024/2019
LARISSA ADRIANO DA SILVA 045938691554 ALISTAMENTO 1120 230 20/08/2019 0024/2019
MANOEL ALBINO DE SOUSA 032070891562 TRANSFERÊNCIA 1058 201 26/08/2019 0024/2019
MARIA LUCIMAR TORRES OLIVEIRA 004461451520 TRANSFERÊNCIA 1120 230 26/08/2019 0024/2019
THAÍS OLIVEIRA DE SOUSA 045938661503 ALISTAMENTO 1120 230 20/08/2019 0024/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 27

8ª Zona Eleitoral

Editais

EDITAL Nº. 030/2019.

PUBLICAÇÃO COM PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS, DOS PEDIDOS DE INSCRIÇÕES, TRANSFERÊNCIAS, REVISÕES E SEGUNDAS VIAS, NO PERÍODO DE
16/08/2019 a 30/08/2019.

O Excelentíssimo Senhor Juiz Eleitoral desta 8ª Zona da cidade de Amarante, Estado do Piauí, Doutor NETANIAS BATISTA DE MOURA, no uso
de suas atribuições legais, etc...

F A Z S A B E R a todos quantos o presente edital virem, especialmente aos Delegados de Partidos Políticos, a relação anexa, contendo os
pedidos de INSCRIÇÕES, TRANSFERÊNCIAS, REVISÕES E SEGUNDAS VIAS, requeridos nesta 8ª Zona no período acima referido, e deferidas,
podendo os mesmos propor RECURSO no prazo de 10 (dez) dias nos termos do Art. 7º, §1º da Lei n.º 6.996/82, a contar da data da
publicação. E, para que chegue ao conhecimento de todos e não possam alegar ignorância, o MM. Juiz Eleitoral desta 8ª Zona, mandou
expedir o presente edital, que será afixado no lugar de costume do Cartório Eleitoral e publicado na forma da lei. Dado e passado nesta cidade
e Comarca de Amarante, Estado do Piauí, Sede da Oitava Zona, aos dois dias do mês de setembro do ano de dois mil e dezenove(02/09/2019).
Eu, ________________, Datiana Sara Lago Damasceno, Chefe do Cartório Eleitoral da 8ª Zona, subscrevo.

Dr. NETANIAS BATISTA DE MOURA


Juiz Eleitoral da 8ª Zona

Justiça Eleitoral - 8ª Zona/PI


ELO - Cadastro Eleitoral
Relação de Títulos Impressos para Afixação
Origem: ZE 8 Zona: 008 Municipio: 10090 - AMARANTE
Data de Processamento: 16/08/2019 a 30/08/2019

Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote


ANA AMELIA DOS SANTOS VELOSO 025040971597 REVISÃO 1015 1 30/08/2019 0015/2019
ANA LUCIA DE QUEIROZ BRITO 003892441511 REVISÃO 1090 121 20/08/2019 0015/2019
CARLOS DE ARAUJO COSTA 034444261520 REVISÃO 1473 125 16/08/2019 0015/2019
EDSON BARBOSA DA SILVA 077993851139 TRANSFERÊNCIA 1015 127 19/08/2019 0015/2019
ERIK RENNAN DA COSTA MIRANDA 046285891503 ALISTAMENTO 1090 132 16/08/2019 0015/2019
ERNANDO DOS SANTOS SILVA 042891961554 REVISÃO 1376 110 27/08/2019 0015/2019
ERONILDO DOS SANTOS SOUSA 037032621538 REVISÃO 1465 119 21/08/2019 0015/2019
FABRICIO BALBINO DA SILVA 023299972054 TRANSFERÊNCIA 1473 125 23/08/2019 0015/2019
FELIPE DOS SANTOS VELOSO 046285981597 ALISTAMENTO 1015 127 30/08/2019 0015/2019
FELIPE RAMOS DA SILVA 045900141503 TRANSFERÊNCIA 1112 87 23/08/2019 0015/2019
FRANCILIA REINALDO FERREIRA 040173231023 TRANSFERÊNCIA 1015 127 28/08/2019 0015/2019
FRANCISCO DA SILVA SALLES 424567530191 TRANSFERÊNCIA 1058 81 16/08/2019 0015/2019
FRANCISCO SEVERINO DOS SANTOS 007048572020 TRANSFERÊNCIA 1023 123 29/08/2019 0015/2019
GISLENE BEATRIZ SANTOS SILVA 046285971503 ALISTAMENTO 1465 119 30/08/2019 0015/2019
GLEYCIANE DA SILVA SOUSA 046285931589 ALISTAMENTO 1058 7 26/08/2019 0015/2019
ÍTALO DE SOUSA MATOS 046285961520 ALISTAMENTO 1422 126 30/08/2019 0015/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 28

JOÃO EMANUEL BARRÊTO BATISTA 046285901538 ALISTAMENTO 1104 99 16/08/2019 0015/2019


JOEL FERNANDES NASCIMENTO 306795910141 TRANSFERÊNCIA 1465 119 16/08/2019 0015/2019
JONATHA EMANUEL ARAUJO DUARTE 046285921503 ALISTAMENTO 1090 132 22/08/2019 0015/2019
JOSELINA AVELINO DE SOUSA 018425411503 REVISÃO 1376 110 20/08/2019 0015/2019
LUCAS RODRIGUES DOS SANTOS 046285911511 ALISTAMENTO 1171 80 19/08/2019 0015/2019
MARCOS ANTONIO DE SOUSA RIBEIRO 031769261589 REVISÃO 1015 2 29/08/2019 0015/2019
MARIA BARBOSA DA SILVA 032335311180 TRANSFERÊNCIA 1015 127 19/08/2019 0015/2019
MARIA DO CARMO FERNANDES DA SILVA 039208651562 REVISÃO 1341 40 29/08/2019 0015/2019
MARIA DO CARMO MIRANDA NASCIMENTO 306795700116 TRANSFERÊNCIA 1465 119 23/08/2019 0015/2019
MARIA HILDA DA SILVA 022732861511 REVISÃO 1058 6 28/08/2019 0015/2019
MAYARA CRISTIELLE VILARINHO MIRANDA 046285941562 ALISTAMENTO 1210 27 28/08/2019 0015/2019
MAYRA REJANE SOARES DA COSTA 006137421139 TRANSFERÊNCIA 1058 6 21/08/2019 0015/2019
OCIANIRA LOPES ALENCAR BARBOSA LIMA 004989661503 TRANSFERÊNCIA 1422 126 29/08/2019 0015/2019
RÔMULO MENDES VIEIRA DA SILVA 046285951546 ALISTAMENTO 1163 23 28/08/2019 0015/2019
VERA LUCIA DOS SANTOS CAIRES 022412161562 REVISÃO 1473 125 16/08/2019 0015/2019

Total de documentos impressos : 31

13ª Zona Eleitoral

Sentenças

SENTENÇAS

AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL – AIJE


AUTOS: 554-27.2016.6.18.0013
PROCEDÊNCIA: SÃO RAIMUNDO NONATO
INVESTIGANTES: Coligação “FORÇA DO POVO” (PDT/DEM/PTC/PSB/PSD e PT do B)
AVELAR DE CASTRO FERREIRA

INVESTIGADOS: CARMELITA DE CASTRO SILVA


LUIS ALBERTO COSTA MACEDO
HÉLIO ISAIAS DA SILVA
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA
RIAN MARCOS ALVES DA SILVA
NUNES DE JESUS SANTOS
JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA
LAERCIO DIAS DE CARVALHO
PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS
KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES
ARENALDO RIBEIRO FERNANDES
MARTINHO AFONSO RIBEIRO

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 29

SENTENÇA

Vistos etc.
Trata-se de Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE proposta pela Coligação “FORÇA DO POVO” (PDT/DEM/PTC/PSB/PSD e PT do B) e
AVELAR DE CASTRO FERREIRA em face de CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO ISAIAS DA SILVA,
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA,
LAERCIO DIAS DE CARVALHO, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS, KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES, ARENALDO RIBEIRO
FERNANDES e MARTINHO AFONSO RIBEIRO, todos qualificados nos autos, pela suposta prática de abuso do poder político e econômico c/c
representação por captação ilícita de sufrágio e conduta vedada, concernente ao Pleito Eleitoral de 2016, no Município de São Raimundo
Nonato, em que se pretende a cassação dos registros ou diplomas dos candidatos investigados, além da declaração de inelegibilidade e
aplicação de multa a todos os demandados, pelos fatos supostamente ilícitos narrados na inicial (fls. 02/41).
Narram os investigantes na inicial, em resumo, que os investigados teriam tido êxito nas eleições realizadas em 02 de outubro de 2016, mas
que a vitória teria sido fruto de compra de votos e abuso do poder econômico e político. Alegam que a estratégia principal dos investigados
teria sido o oferecimento de diversas benesses a eleitores que se encontravam em grave situação decorrente da estiagem, como poços
tubulares, reformas, barragens etc. Referem que teria havido violação da igualdade entre os candidatos concorrentes, ferindo a lisura do
pleito.
Segundo os investigantes, os abusos e compra de votos teriam ocorrido por meio de atuação coordenada da primeira investigada, CARMELITA
DE CASTRO SILVA, então candidata a Prefeita Municipal de São Raimundo Nonato, dos vereadores da sua coligação, que lhe davam suporte
político, e do Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, esposo da primeira investigada. Relatam que a Secretaria
de Defesa Civil teria sido utilizada indevidamente para atender a solicitações da primeira investigada, funcionando a máquina do Estado como
meio de captação ilícita de sufrágio e desequilíbrio das eleições.
Em breve síntese, relatam os investigantes, como condutas supostamente ilícitas: 01) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade
CACHOEIRINHA, entre os dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Israel Ribeira da Costa; 02) abertura de POÇO TUBULAR na
Localidade CACIMBAS, entre os dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Carlos Omar Carneiro Deusdará; 03) abertura de POÇO
TUBULAR na Localidade LAGOA DOS VEADOS, na propriedade do Sr. Rafael Lopes Negreiros; 04) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade
SERRA NOVA, entre os dias 06 e 07 de setembro, em área do Assentamento Lago da Baixa e Nascimento, além da promessa de construção de
ADUTORA e de BEBEDOURO para animais; 05) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CALANGO/QUEIXADA, na propriedade do Sr. Cláudio
Teófilo Marques; 06) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade VEREDA, para o Sr. Delano Paes dos Santos; 07) entrega de POSTE para
instalação de rede elétrica do poço, CANOS de PVC e TIJOLOS, na Localidade SERRA NOVA; 08) equipamento de POÇO na Localidade LAGOA
DOS BOIS, na propriedade do Sr. Milton Aparecido Dias de Castro, pela empresa Hydromax; 09) doação de CAIXAS D’ÁGUA com logomarca do
DNOCS, na Localidade LAGOA DOS BOIS, às pessoas de Valdenor Magalhães de Castro e esposa, Zita, Carlos Ferreira de Castro e Milton de
Castro; 10) abertura de POÇO TUBULAR, pela empresa Hydromax, na Localidade LAGOA DA PEDRA II, que entretanto não chegou a encontrar
água; 11) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS; 12) reparação de BARRAGEM na Localidade PEDRO DO
MOCÓ; 13) construção de BARRAGEM na Localidade FECHADÃO; 14) abertura de POÇO na Localidade LAGOA DE FORA, em frente à casa do Sr.
Berilo de Negreiros Paes, por meio da Secretaria de Defesa Civil do Estado; 15) promessa de distribuição de 55 (cinquenta e cinco) residências
com instalação de BOMBA, CAIXAS D’ÁGUA e 1.500m de CANOS PVC, na Localidade GARRINCHO, seguida de abertura de valas na região; 16)
implantação de REDE DE ÁGUA na Localidade PATOS; 17) construção de BARRAGEM na Localidade RETIRO, com máquina da Secretaria de
Defesa Civil; 18) reparo na BARRAGEM da Localidade SERRA DOS GRINGOS, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 19) limpeza da LAGOA na
Localidade LAGOA COMPRIDA, com utilização de trator de esteira da Secretaria da Defesa Civil; 20) construção de calçamento na Localidade
SÃO VITOR, pela empresa Umbuzeiro Ltda., contratada pela Secretaria de Defesa Civil; 21) distribuição de ÁGUA por meio de CARRO PIPA, pela
Secretaria de Defesa Civil; 22) serviço de LIMPEZA na Localidade LAGOA DO NASCIMENTO, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 23)
contratação com DISPENSA DE LICITAÇÃO, pela Secretaria de Defesa Civil do Estado, da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME, em
22 de setembro de 2016, para implantação de abastecimento de água na localidade PÉ DO MORRO/VISTOSA, pela quantia de R$ 875.113,34
(oitocentos e setenta e cinco mil, cento e treze reais e trinta e quatro centavos), e da empresa WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA, em 02 de
setembro de 2016, para recuperação de 08 (oito) barragens de terra nos Municípios de Bonfim, São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio, pelo
valor de R$ 3.054.529,15 (três milhões, cinquenta e quatro mil, quinhentos e vinte e nove reais e quinze centavos); 24) contratação da
Construtora Olho D’água, em 22 de setembro de 2019, para implantar sistema de ABASTECIMENTO DE ÁGUA na Localidade Pé do Morro, para
a qual já havia sido contratada a empresa TECNOPOÇOS LTDA; 25) distribuição de CESTAS BÁSICAS e FILTROS.
Alegam os investigantes, ainda, que nenhuma das obras realizadas fora precedida de convênio com a Administração Municipal, sem
informação sobre projeto básico, técnico, procedimento licitatório, cronograma etc.
Consideram os investigantes que teria havido um “esquema ilícito” entre os investigados, utilizando-se do auxílio da Secretaria de Defesa Civil
com o fim de promover politicamente a então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato/PI, CARMELITA CASTRO, e os candidatos a
Vereador que a apoiavam, haja vista que o Secretário de Defesa Civil do Estado, HÉLIO ISAIAS, seria esposo da referida candidata. Segundo os
investigantes, o Secretário de Defesa Civil, HÉLIO ISAIAS, atuaria através de MARTINHO AFONSO (“Lobinho”), em favor da candidatura da
Prefeita CARMELITA CASTRO e respectivo Vice, LUIZ ALBERTO, que seriam apoiados nesses atos pelos então candidatos e/ou vereadores
IRMÃO RIAN, NUNES DE JESUS, EUMADEUS, LAÉRCIO DIAS, JOSÉ RONALDO, PAULO JEOVANE e ARENADO RIBEIRO.
Afirmam que teria havido abuso do poder econômico por parte dos investigados, afetando o equilíbrio na disputa eleitoral, tendo em vista o
número de famílias beneficiadas e o valor das obras, bens e serviços ofertados aos eleitores. Da mesma forma, aduzem que teria havido abuso
do poder político, tendo em vista a interferência indevida e injustificada da Secretaria Estadual de Defesa Civil, comandada pelo esposo da
candidata CARMELITA CASTRO em favor da sua campanha eleitoral. Alegam, ainda, que teria havido captação ilícita de sufrágio, nos termos do
art. 41-A da Lei n. 9.504/97, e prática de condutas vedadas, nos termos do art. 73, I, III e IV, da mesma lei eleitoral. Destacam não ser

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 30

necessária a demonstração da potencialidade lesiva dos atos, mas apenas de sua gravidade, nos termos do art. 22, XVI, da Lei Complementar
n. 64/90, com as inovações introduzidas pela Lei Complementar n. 135/2010.
Ao final, pedem a procedência da ação para cassar os registros ou diplomas dos candidatos investigados, além da declaração de inelegibilidade
e aplicação de multa a todos, determinado a posse dos segundos colocados nas eleições de 2016.
Para embasar duas alegações, os investigantes apresentaram documentos, fotos e arquivos de áudio e vídeo (fls. 42/152).
Despacho inicial proferido em 12 de janeiro de 2017, determinando a notificação dos investigados (fls. 160).
Notificações pessoais dos investigados às fls. 161/187, 211/213, 241/242 e 339/341.
PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS apresentou defesa escrita às fls. 190/203, alegando, em síntese, que as gravações que acompanharam a
inicial seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante
AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da
Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, afirma que sequer
teria estado no local indicado onde teria sido construída uma barragem, bem como, alega que não existiria barragem na Localidade
FECHADÃO. Refere que os barreiros foram construídos pela Secretaria de Defesa Civil fora do período eleitoral. Aduz não ter intermediado o
conserto de uma CAIXA D’ÁGUA na localidade LAGOA DO MEIO. Pugnou pelo desentranhamento dos vídeos e gravações e pela improcedência
dos pedidos formulados pelos investigantes.
NUNES DE JESUS SOUSA apresentou defesa às fls. 216/238, afirmando, em resumo, que as gravações que acompanharam a inicial seriam
prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, afirma que os vídeos apresentados não
seriam capazes de demonstrar prática de ilicitude por parte do investigado nas localidades LAGOA DOS BOIS e SÃO VITOR, não tendo havido
benesses em troca de voto. Refere que os responsáveis pelas gravações teriam realizado perguntas afirmativas, tentando induzir os moradores
a erro, pelo que não haveria prova de ilicitude praticada pelo investigado nas localidades LAGOA DA PEDRA I e II, LAGOINHA DOS MACÁRIOS e
PEDRA DO MOCÓ. Aduz não ter atuado ou interferido em construção de barragem na localidade RETIRO. Refere que não se conseguiu
estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou pelo desentranhamento dos
vídeos e gravações e pela improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES e ARENALDO RIBEIRO FERNANDES apresentaram defesa às fls. 245/258. Afirmaram, em suma, que
as gravações que acompanharam a inicial seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam
correligionários do investigante AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-
se como funcionários da Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No
mérito, afirmam que não teria havido construção de poço a cargo dos investigados na localidade SERRA NOVA, sendo que os investigantes não
teriam sequer logrado êxito em provar a construção de poço na localidade LAGOA DA BAIXA. De outro lado, afirmam que não há prova de uso
eleitoreiro da obra de limpeza de barreiro na localidade NASCIMENTO. Referem que não se conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas
pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pediram o desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos
pedidos formulados pelos investigantes.
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA apresentou defesa às fls. 268/283. Em suma, afirmou que as gravações que acompanharam a inicial seriam
prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Quanto ao mérito, aduz que não teve qualquer
participação nas obras realizadas nas localidades CALANGO/QUEIXADA e SERRA NOVA. Ademais, refere que os moradores entrevistados em
nenhum momento associam a obra de reparo de barragem realizada na Localidade SERRA DOS GRINGOS ao investigado. Refere que não se
conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou pelo desentranhamento
dos vídeos e gravações e pela improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIZ ALBERTO COSTA MACEDO apresentaram defesa às fls. 289/334. Em resumo, afirmaram que as gravações
que acompanharam a inicial seriam prova ilícita. Alegam que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam
correligionários do investigante AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-
se como funcionários da Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No
que toca ao mérito, afirmam que seria infundada a alegação de responsabilidade dos investigados pela construção de poço tubular nas
localidades CACHOEIRINHA, CACIMBAS e LAGOA DOS VEADOS. Ademais, referem que os investigantes não conseguiram demonstrar ter havido
promessa construção de poço e suposta adutora pelos investigados na Localidade SERRA NOVA. Alegam que as próprias gravações indicam
que a primeira investigada sequer esteve presente antes ou depois da abertura do poço na Localidade CALANGO/QUEIXADA. No que se refere
à Localidade VEREDA, afirmam que se verifica má-fé dos investigantes, pois o próprio morador entrevistado teria afirmado (DELANO) teria
afirmado que nem o Vereador LAÉRCIO nem a CARMELITA teriam contribuído para a perfuração do poço. Quanto à Localidade SERRA NOVA,
alegam que os moradores entrevistados relataram que não houve sequer pedido de voto pela Prefeita eleita. Aduzem, também, que os vídeos
gravados ilicitamente não seriam capazes de comprovar a alegação de que os investigados teriam equipado um poço na Localidade LAGOA
DOS BOIS, sendo que o fato se teria dado por requerimento da Associação de Moradores da região ao DNOCS. Destacam a fragilidade das
provas referentes aos fatos sobre a Localidade LAGOA DA PEDRA, pois o poço seria fruto do trabalho dos moradores da região. Referem que
os investigantes também não teriam conseguido comprovar a atuação dos investigados nas obras relativas às localidades LAGOINHA DOS
MACÁRIOS e PEDRA DO MOCÓ. Alegam que não existe barragem na Localidade FECHADÃO e que, em nenhum momento, os entrevistados
citam os nomes dos investigados CARMELITA e BETO MACÊDO, sendo que as obras em barreiros foram promovidas pela Secretaria de Defesa
Civil fora do período eleitoral. Quanto à Localidade LAGOA DE FORA, destacam que, em nenhum momento, os entrevistados teriam feito
referência aos investigados, sendo o poço perfurado pelas próprias famílias da região. No que tange às localidades GARRINCHO e PATOS,

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 31

dizem os investigados não haver prova robusta dos fatos supostamente ilícitos. Quanto aos fatos relativos à Localidade RETIRO, referem que
seriam insuficientes as provas de que a construção de barragem pela Secretaria de Defesa Civil teria sido realizada por promessa de um dos
Vereadores da coligação dos investigados. Destacam que, quanto à SERRA DOS GRINGOS, teria havido falsidade dos entrevistadores, que se
identificaram como funcionários da Defesa Civil. De outro lado, quanto à Localidade LAGOA COMPRIDA, as gravações nada provariam contra
os investigados. Afirmam que, quanto à obra da Defesa Civil na Localidade SÃO VITOR, as gravações indicariam que não houve ilicitude por
parte dos investigados. No que se refere à Localidade NASCIMENTO e à Comunidade VISTOSA, as gravações em nenhum momento
comprovariam uso eleitoreiro de obra pública. De outra parte, quanto à Localidade PÉ DO MORRO, referem que a prova documental acostada
indicaria não haver qualquer irregularidade. Alegam não haver nos autos prova robusta e suficiente das ilegalidades relatadas na ação eleitoral.
Referem que não se conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Ao final,
pedem o desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
LAERCIO DIAS DE CARVALHO apresentou defesa escrita às fls. 344/361. Afirmou, em suma, que as gravações que acompanharam a inicial
seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, aduz que, quanto às supostas
ilegalidades na Localidade VEREDA, o próprio morador DELANO PAES DOS SANTOS afirma que nem o Vereador investigado nem a candidata
CARMELITA teriam contribuído para a perfuração do poço em referência. De outra parte, quanto à Localidade SERRA NOVA, não constaria nos
autos prova de que o investigado teria entregue poste para instalação de rede elétrica, bem como canos de PVC e tijolos. Alega que não se
conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Ao final, pediu o
desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
JOSÉ RONALDO DEODATO SIQUEIRA apresentou defesa às fls. 366/381. Alegou o investigado, em preliminar, que as gravações que
acompanharam a inicial seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do
investigante AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como
funcionários da Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Adentrando
no mérito, refere não ser verdadeira a afirmação de que o investigado teria atuado prometendo a perfuração de poço tubular aos moradores
da Localidade LAGOA DE FORA, que depois fora efetivada pela Secretaria de Defesa Civil do Estado. Aduz que o referido poço fora realizado
pela Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado do Piauí, por solicitação da Associação de Desenvolvimento Comunitário dos Pequenos
Produtores Rurais da Lagoa de Fora, dentro da legalidade. Entende que não se conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela
Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou pelo desentranhamento dos vídeos e gravações e pela improcedência dos
pedidos formulados pelos investigantes.
RIAN MARCOS ALVES DA SILVA apresentou defesa às fls. 394/413. Afirmou, preliminarmente, que as gravações que acompanharam a inicial
seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, alega que o poço referente à
Localidade CACHOEIRINHA fora construído pela Secretaria das Cidades e não pela Secretaria de Defesa Civil, sendo fruto de uma reivindicação
dos moradores encaminhada à Deputada Federal Rejane Dias, bem antes do período eleitoral, sendo que o investigado não estivera naquela
localidade antes ou depois da perfuração do poço. Alega que, quanto ao poço da Localidade CACIMBAS, fora o mesmo perfurado com recursos
do próprio morador (Carlos Omar Carneiro Deusdará), assim como o poço da Localidade LAGOA DOS VEADOS, que teria sido perfurado pelos
próprios moradores, sem ingerência política. Entende que não foi comprovada ligação entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil
e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou, ao final, pelo desentranhamento dos vídeos e gravações e pela improcedência dos pedidos formulados
pelos investigantes.
HÉLIO ISAIAS DA SILVA apresentou defesa às fls. 431/481 afirmando, em preliminar, que as gravações que acompanharam a inicial seriam
prova ilícita. Nesse sentido, alega que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante
AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da
Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Ainda em preliminar, alega a
falta de identificação das pessoas que estão sendo gravadas que estariam sendo manipuladas pelos entrevistadores. Quanto ao mérito, alega
que, para tentar minimizar os efeitos da estiagem, nos anos de 2015 e 2016, foi decretado Estado de Emergência pelo Governo do Estado do
Piauí, não somente em São Raimundo Nonato/PI, mas em vários outros municípios, 152 em 2015 e 117 em 2016 (Decretos n. 16.052/2015,
16.366/2015 e 16.674/2016). Aduz que as obras realizadas, não somente pela Secretaria de Defesa Civil, mas também pela Secretaria de
Desenvolvimento Rural e Secretaria das Cidades, durante o período de estiagem, tinham como objetivo o cumprimento de dever legal, não
tendo sido utilizada a máquina pública em favor de candidatura. Destacou a fragilidade e ilicitude das provas dos fatos relacionados às
localidades CACHOEIRINHA, CACIMBAS e LAGOA DOS VEADOS. Quanto aos fatos relativos à Localidade SERRA NOVA, alega que das gravações
realizadas não se extrai a existência de promessa de poço ou de adutora partindo da Prefeita eleita, CARMELITA CASTRO, ou de seu Vice, BETO
MACEDO, ou de qualquer benesse realizada pela Secretaria de Defesa Civil. Aduz não haver prova de vínculo dos fatos relacionados às
localidades CALANGO/QUEIXADA, VEREDA e SERRA NOVA com a Secretaria de Defesa Civil. Da mesma forma, alega que a afirmada
distribuição de caixas d’água aos moradores da Localidade LAGOA DOS BOIS poderia ter relação com o DNOCS, mas não com a Secretaria
comandada pelo investigado. Quanto ao poço perfurado na Localidade LAGOA DA PEDRA, afirma que a degravação indica ser fruto do trabalho
dos moradores da região. No que se refere às localidades LAGOINHA DOS MACÁRIOS e PEDRA DO MOCÓ, refere que a construção do poço
teria sido fruto da junção de recursos dos próprios moradores, antes do período eleitoral, sendo que a obra na Localidade PEDRA DO MOCÓ
teria sido realizada pela empresa SMA Construtora Ltda, contratada mediante processo licitatório realizado pela Secretaria de Defesa Civil, que
se iniciou em 2015. Do mesmo modo, alega que a obra realizada na Localidade FECHADÃO consistiria em barreiros, realizada pela empresa
CMA Engenharia e Serviços Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil, através de processo licitatório, no ano de 2015. Aduz que não
houve atuação da Secretaria de Defesa Civil nas localidades LAGOA DE FORA, GARRINCHO e PATOS. No que se refere à obra na Localidade
RETIRO, alega que fora realizada pela empresa SMA Construtora Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil, através de processo de

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 32

dispensa de licitação, no ano de 2015. Ademais, quanto as obras nas localidades SERRA DOS GRINGOS e LAGOA COMPRIDA, afirma que teriam
sido realizadas pela empresa CMA Engenharia e Serviços Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil, através de processo de dispensa de
licitação, com base em decreto de emergência. Quanto à Localidade SÃO VITOR, afirma que não prospera a alegação de que a obra teria
objeto alheio à finalidade da Secretaria de Defesa Civil, tendo a Procuradoria Geral do Estado emitido parecer favorável no processo de
contratação da empresa responsável (Umbuzeiro Ltda). Afirma que a obra realizada na Localidade NASCIMENTO teria sido realizada pela
empresa CMA Engenharia Ltda, objeto do contrato já referido, assim como, a obra realizada na Comunidade VISTOSA fora de responsabilidade
da empresa SMA Construtora Ltda. Quanto à Localidade PÉ DO MORRO, alega que as empresas WELSON LEAL DUARTE E CIA e CONSTRUTORA
OLHO D´ÁGUA LTDA teriam sido contratadas pela Secretaria de Defesa Civil, através de processos administrativos com parecer favorável da
Procuradoria Geral do Estado, para obras não somente em São Raimundo Nonato, mas em vários outros municípios. Refere que a empresa
CONSTRUTORA OLHO D´ÁGUA LTDA fora contratada para “implantação de sistema de abastecimento de água na localidade Pé do
Morro/Vistosa”, enquanto a empresa TECNOPOÇOS teria sido contratada ainda em 2015, para “perfuração e instalação de 03 (três) poços
tubulares em localidades no Município de São Raimundo Nonato”. Alega não ter havido captação ilícita de sufrágio, nem prática de conduta
vedada. Refere que as provas produzidas pelos investigantes não seriam robustas, mas apenas baseadas em conjecturas e presunções.
Entende que não foi comprovada ligação entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pediu o
desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
MARTINHO AFONSO RIBEIRO apresentou sua defesa às fls. 485/519, alegando, em preliminar, que as gravações que acompanharam a inicial
seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Ademais, alega que as gravações seriam
imprestáveis por falta de identificação dos interlocutores. No mérito, alega que, para tentar minimizar os efeitos da estiagem, nos anos de
2015 e 2016, foi decretado Estado de Emergência pelo Governo do Estado do Piauí, não somente em São Raimundo Nonato/PI, mas em vários
outros municípios, 152 em 2015 e 117 em 2016 (Decretos n. 16.052/2015, 16.366/2015 e 16.674/2016). Aduz que as obras realizadas, não
somente pela Secretaria de Defesa Civil, mas também pela Secretaria de Desenvolvimento Rural e Secretaria das Cidades, durante o período
de estiagem. Afirma que não trabalha na Secretaria de Defesa Civil, tendo estado à frente da Comissão Municipal de Defesa Civil e foi
Secretário Municipal de Agricultura no período de 01/2013 e 03/2015, sendo responsável pela distribuição de água no Município, pelo que é
conhecido em toda a região. Quanto aos fatos relacionados à Localidade LAGOA DOS BOIS, refere que os investigados tentam vincular o
investigado e a Secretaria de Defesa Civil, mas não é possível vislumbrar qualquer participação do investigado. Afirma que não houve troca de
benesses por voto, pois o morador entrevistado (GILSON) teria afirmado que o poço perfurado na localidade seria fruto do trabalho dos
moradores daquela região. Destaca que não haveria relação da atuação do DNOCS com a atuação do investigado ou da Secretaria de Defesa
Civil. Aduz que não ter havido sua atuação nas localidades GARRINCHO e PATOS, não tendo o investigado relação com a Secretaria de Defesa
Civil. Quanto à obra na Localidade RETIRO, afirma que fora realizada pela empresa SMA Construtora Ltda, contratada através de processo de
dispensa de licitação, no ano de 2015, fora do período eleitoral. Com relação às obras nas localidades SERRA DOS GRINGOS e LAGOA
COMPRIDA, aduz que teriam sido realizadas pela empresa CMA Engenharia e Serviços Ltda, contratada através de processo de dispensa de
licitação, com base em decreto de emergência. Refere que a obra realizada na Localidade NASCIMENTO também teria sido realizada pela
empresa CMA Engenharia Ltda, assim como, a obra realizada na Comunidade VISTOSA fora de responsabilidade da empresa SMA Construtora
Ltda, muito embora não haja sequer indícios de provas nos autos. Quanto à Localidade PÉ DO MORRO, alega que as empresas WELSON LEAL
DUARTE E CIA e CONSTRUTORA OLHO D´ÁGUA LTDA teriam sido contratadas pela Secretaria de Defesa Civil, através de processos
administrativos com parecer favorável da Procuradoria Geral do Estado, para obras não somente em São Raimundo Nonato, mas em vários
outros municípios. Refere que a empresa CONSTRUTORA OLHO D´ÁGUA LTDA fora contratada para “implantação de sistema de abastecimento
de água na localidade Pé do Morro/Vistosa”, enquanto a empresa TECNOPOÇOS teria sido contratada ainda em 2015, para “perfuração e
instalação de 03 (três) poços tubulares em localidades no Município de São Raimundo Nonato”. Nega ter utilizado carro pipa da Defesa Civil
para finalidade eleitoral. Alega não haver prova de captação ilícita de sufrágio. Refere que as provas produzidas pelos investigantes não seriam
robustas, mas apenas baseadas em conjecturas e presunções. Entende que não foi comprovada ligação entre as obras realizadas pela
Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pediu o acolhimento da preliminar para desentranhamento dos vídeos e gravações. Ao
final, pugnou pela improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
Em 22 de fevereiro de 2017, deferidas diligências propostas pelos investigantes, foi determinada a realização de exame pericial na prova
audiovisual juntada aos autos, pela Polícia Federal, no prazo de 30 (trinta) dias, designando-se audiência de instrução (fls. 935v).
Na mesma data, procedeu-se ao apensamento a este feito dos autos da Ação de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME n. 1-
43.2017.6.18.0013, proposta pelos investigantes/impugnantes em face dos investigados/impugnado que lograram êxito no pleito e assumiram
cargo eletivo, por ser relativa aos mesmos fatos, para tramitação conjunta (fls. 936).
Expedição de ofícios à Secretaria de Defesa Civil do Piauí e ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí às fls. 952 e 953, requisitando informações
e documentos, para cumprimento das diligências determinadas.
Os investigantes manifestaram-se contrários à realização do exame pericial, considerando a diligência meramente protelatória (fls. 959/961).
Resposta do Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí apresentada por ofício, às fls. 974/975, encaminhando documentos (fls. 976/1602).
A partir de requerimento dos dois primeiros investigados (fls. 1604/1606), em 03 de abril de 2017, foi determinada a suspensão da audiência
de instrução, para aguardo da realização da perícia no material audiovisual (fls. 1608).
Ofício de requisição de perícia encaminhado à Superintendência Regional da Polícia Federal no Piauí em 06 de abril de 2017 (fls. 1617).
Resposta do Tribunal de Contas do Estado do Piauí apresentada por ofício, às fls. 1620, encaminhando documentos (fls. 1621/1639).
Após requerimento da parte investigante (fls. 1641/1663), manifestação dos investigados (1676/1685 e 1692) e do Ministério Público Eleitoral
(fls. 1697/1700), em 28 de junho de 2017, foi reconsiderada pelo Juízo Eleitoral a decisão anterior de sobrestamento da instrução e designada

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 33

audiência visando à colheita de prova oral (fls. 1702/1703).


Audiência de instrução realizada em 10 de julho de 2017, ocasião em que foram ouvidas as testemunhas RAIMUNDO NONATO DA COSTA
FRANÇA, NILTON ARAÚJO CANDIM NETO, AREOLINO RIBEIRO DEUSDARÁ e JOÃO APARECIDO DE SOUSA, indicadas pelos investigantes, bem
como, as testemunhas MILTON APARECIDO DIAS DE CASTRO, RAIMUNDO FERNANDES CASTRO, IVANALDO SANTOS SILVA, LUIZ FERREIRA DOS
SANTOS NETO, FÁBIO DE SOUSA BARBOSA, BERILO DE NEGREIROS PAES e CLEONICE RIBEIRO DA SILVA, sendo dispensadas as demais. As
partes pugnaram pelo aguardo do resultado da perícia, antes do requerimento de diligências, o que foi deferido pelo magistrado, que também
determinou a expedição de ofício à Polícia Federal requisitando informações sobre o resultado dos trabalhos periciais (fls. 1740/1745).
Juntados documentos apresentados em audiência (fls. 1748/1758).
Às fls. 1775, consta ofício da autoridade policial federal, informando sobre a carência de peritos na área demandada e sobre volume
acumulado de requisições da Justiça Eleitoral, pelo que o caso teria sido encaminhado ao Serviço de Perícias em Audiovisual e Eletrônicos
(SEPAEL) da Polícia Federal em Brasília/DF.
Por ofício (fls. 1782), a autoridade policial federal encaminhou Informação Técnica, em que o Perito Criminal Federal solicita providências
necessárias ao exame pericial, dentre elas, a indicação dos trechos suspeitos de adulteração. Observou o perito que o material encaminhado é
composto de 85 (oitenta e cinco) arquivos de vídeo, 163 (cento e sessenta e três) arquivos de imagem, dois arquivos tipo PDF e um arquivo
executável, conforme tabela que apresentou, sendo necessária a especificação dos pontos impugnados para celeridade da perícia (fls.
1783/1799).
Em despacho proferido em 23 de novembro de 2017, determinou-se o atendimento à solicitação da Polícia Federal, tanto por parte dos
investigantes quanto dos investigados. Aos investigados, determinou-se a indicação dos trechos de interesse nas gravações encaminhadas e o
apontamento de alegadas edições com vista a impugnar o material audiovisual (fls. 1801).
No que se refere à indicação dos trechos a serem objeto de perícia, os investigados não atenderam ao determinado, ratificando a necessidade
da perícia (fls. 1806/1807, 1815/1816).
A parte investigante manifestou-se às fls. 1819/1824, pugnando novamente pela reconsideração da decisão que determinou a realização da
perícia.
Em despacho proferido em 07 de dezembro de 2017, determinou-se o encaminhamento à Polícia Federal de cópia das peças produzidas pelas
partes, para informar se seriam suficientes à realização da perícia (fls. 1826).
Solicitaram-se informações sobre o exame pericial em 21 de junho de 2018 (fls. 1832).
Em petição de 18 de julho de 2018, a parte investigante renova o pedido de reconsideração do despacho que determinou os exames periciais
(fls. 1835/1839).
Determinou-se a intimação dos investigados para esclarecerem a real necessidade da perícia pretendida e o encaminhamento dos autos ao
Ministério Público Eleitoral, para manifestar-se sobre a imprescindibilidade dos exames periciais (fls. 1841).
Às fls. 1846/1847, consta Informação Técnica do Instituto Nacional de Criminalística – DITEC, estabelecendo o prazo de 06 (seis) meses para
conclusão dos trabalhos periciais.
Às fls. 1852/1863, os investigados ratificaram a necessidade da perícia solicitada.
Tendo vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela reconsideração da decisão de fls. 1608, revogando-se a decisão que
determinou a realização de perícia técnica pela Polícia Federal (fls. 1871/1876).
Em decisão datada de 28 de setembro de 2018, determinou-se o seguimento do feito independentemente da conclusão dos exames pericias
(fls. 1878/1884).
A parte investigante apresentou requerimento de diligências às fls. 1896/1897.
Houve pedido de diligências pelos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIZ ALBERTO COSTA MACEDO (fls. 1900), além de HÉLIO
ISAIAS DA SILVA (fls. 1903).
O Ministério Público Eleitoral não teve diligências, mas requereu o deferimento das diligências pretendidas pelas partes (fls. 1927/1929).
O Departamento de Polícia Federal encaminhou o resultado da perícia requisitada, que foi juntado aos autos em todo o procedimento (fls.
1934/1999), constando o laudo relativo aos vídeos analisados às fls. 1990/1992 e o laudo referente às imagens examinadas às fls. 1994/1997.
Em despacho proferido às fls. 2001, foram deferidas as diligências requeridas pelas partes, determinando-se a expedição de ofício à
Secretaria de Defesa Civil do Estado do Piauí, ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí, ao DNOCS, ao BANCO DO BRASIL, à CAIXA ECONÔMICA
FEDERAL e ao BANCO BRADESCO, bem como, a notificação da testemunha LUIZ FERREIRA DOS SANTOS, para prestar informações e apresentar
documentos.
As partes pediram cópia do laudo pericial (fls. 2009 e 2011).
A parte investigada pediu o desentranhamento dos vídeos e respectivas degravações, considerando ilícita a prova produzida (fls. 2020/2021).
A parte investigante destacou parte do laudo pericial em que de registra não ter sido encontrados indícios de edição nos vídeos questionados à
perícia, pugnando pelo prosseguimento do feito (fls. 2024).
O membro do Ministério Público designado para atuar no feito apresentou manifestação declarando sua suspeição por motivo de foro íntimo,
requerendo o encaminhamento dos autos ao seu substituto legal (fls. 2028).

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 34

Ofício do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS encartado às fls. 2040, encaminhando documentos (fls. 2042/2049).
Oficiou-se à Procuradoria Regional Eleitoral e à Corregedoria Regional Eleitoral, comunicando a ausência de representante do Ministério
Público e solicitando a adoção das providências necessárias (fls. 2057 e 2059).
Diligências cumpridas às fls. 2066/2066, 2073 e 2093, conforme certidão de fls. 2096.
Certidão sobre designação de membro do Ministério Público para atuar junto a esta 13ª Zona Eleitoral às fls. 2111.
Alegações finais dos investigantes às fls. 2127/2161, ratificando os termos da inicial e requerendo a procedência da AIJE e da AIME.
Alegações finais dos investigados às fls. 2164/2238, arguindo, em síntese: a) a ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações, pelo que
pede o desentranhamento; b) a extinção do feito por decadência do direito de ação, tendo em vista a ausência de citação de litisconsorte
passivo necessário, nos termos do art. 487, II, do CPC; c) a extinção do feito em face de ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, pelo seu falecimento,
nos termos do art. 485, IX, do CPC; d) a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes, por não ter sido configurado abuso político
ou econômico, captação ilegal de sufrágio ou conduta vedada; e) o encaminhamento de cópia dos autos ao Ministério Público, para apuração
de eventual crime de falso testemunho e falsidade ideológica supostamente praticados pelas testemunhas RAIMUNDO NONATO DA COSTA
FRANÇA e THIAGO CASTRO.
Em suas alegações finais, o Ministério Público Eleitoral, conquanto tenha considerado o feito como de natureza persecutória penal, tendo em
vista a oferta de vantagens a eleitores para fim de obtenção de voto, o que ensejaria tipificação nos termos do art. 299 do Código Eleitoral,
aduziu ter sido comprovada a atuação de todos os investigados em abuso de poder político e econômico, assim como em captação ilícita de
sufrágio (fls. 2247/2252).
Vieram-me os autos conclusos.
Breve relato.
Decido.
FUNDAMENTAÇÃO:
Registre-se, de início, que somente agora foi possível proferir sentença neste feito, tendo em conta a quantidade de fatos, documentos e
mídias a serem analisados nestes autos.
Com efeito, muito embora a celeridade seja norte fundamental na condução das ações eleitorais, sob pena de prejuízo à própria eficácia da
decisão judicial que eventualmente reconheça a perda de mandato eletivo, não se pode perder de vista que a busca do correto julgamento,
corolário do valor maior da justiça, não prescinde da detida análise dos elementos probatórios carreados aos autos. No presente caso, deve-se
considerar o elevado volume de documentos físicos e digitais, que não permitiu sua pronta verificação nos estreitos limites temporais
estabelecidos para a espécie, pelo que se mostrou necessário dedicar mais tempo à análise do caso para proferir decisão.
DAS QUESTÕES PRÉVIAS:
Antes de adentrar no mérito das imputações deduzidas na inicial, necessário verificar se estão presentes os requisitos necessários à
constituição e desenvolvimento regular da relação jurídica processual, naquilo que a doutrina chama de pressupostos processuais de
existência e validade (art. 485, IV, CPC). Ademais, também importa considerar e existência das condições da ação, isto é, verificar se a causa
proposta comporta análise de seu mérito, por serem legítimas as partes e por haver interesse processual, sob pena de extinção do processo,
nos termos do art. 485, VI, do CPC. Nesse sentido é que se fala em questões preliminares, as quais demandam resolução prévia pelo
magistrado, sendo sua superação condição de possibilidade do próprio julgamento do mérito das questões principais.
De outro lado, há questões prévias que não necessariamente impedem a análise e decisão sobre o mérito da causa, mas que exercem forte
influência no destino da questão principal, direcionando a sua solução em um ou outro sentido. Assim, também reclamam resolução em
momento anterior ao mérito, tendo em vista o impacto no acolhimento ou não da pretensão deduzida na inicial. Tais questões são
denominadas na doutrina de prejudiciais.
No caso em análise, de forma geral, houve levantamento pelos investigados de três questões prévias, a serem resolvidas antes da solução do
mérito. Em síntese, alegaram os investigados: a) a ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações; b) a decadência do direito de ação, por
ausência de citação de litisconsorte passivo necessário; c) o falecimento do investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, pelo que seria
necessário extinguir-se o feito em seu desfavor, nos termos do art. 485, IX, do CPC. Para melhor observância da lógica jurídica, passa-se à
análise das questões prévias, em ordem inversa à que foram arguidas.
De início, deve-se destacar que merece acolhimento o pedido de extinção do feito em face do investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES.
Por certo, a pretensão deduzida na inicial tem natureza personalíssima, sendo afeta à interferência em direito de cidadania do requerido, não
se mostrando possível transmitir a condição de demandado aos sucessores. Note-se que se busca com a presente ação a cassação do diploma
outorgado ao investigado, além da cominação de inelegibilidade, por supostos ilícitos eleitorais, o que somente poderia ser suportado pelo
próprio titular. Dessa forma, sendo público e notório o falecimento do investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, conforme documentos
acostados às fls. 2239/2242, deve-se reconhecer a extinção de qualquer pretensão de efeitos eleitorais em seu desfavor, extinguindo-se a
demanda quanto à sua pessoa, na forma do art. do art. 485, IX, do CPC.
Por outro lado, considero que não deve prosperar o requerimento de extinção do feito por decadência do direito de ação, tendo em vista a
ausência de citação de suposto litisconsorte passivo necessário, nos termos do art. 487, II, do CPC. Argumentam os investigados que a inicial
faz referência a supostos ilícitos envolvendo o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS, mas os investigantes não incluíram
no polo passivo da demanda o seu representante legal, que seria litisconsorte passivo necessário, nos termos da lei eleitoral, que determina a
imposição da inelegibilidade a todos “quantos hajam contribuído para a prática do ilícito (art. 22, XIV, da Lei Complementar n. 64/90).

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 35

Entendem os investigados que, em havendo imputação de uso de órgão público federal, mas não tendo sido incluído o Diretor-Geral do
DNOCS no polo passivo da AIJE, como litisconsorte passivo necessário, teria havido decadência do direito de ação, devendo o processo ser
extinto. Entretanto, no presente caso, a narrativa fática lançada na inicial como causa de pedir remota tornava desnecessária a inclusão no
polo passivo da demanda do responsável pelo órgão federal acima referido, eis que a ele não se imputou prática de ilícito eleitoral.
Com efeito, não há dúvida de que a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral é no sentido da necessidade de citação de todos os que
hajam contribuído para o ilícito eleitoral, em caso de prática abusiva, ao lado dos candidatos beneficiados, sob pena de decadência, o que se
deve aplicar inclusive no caso de Ação de Investigação Judicial Eleitoral, mormente a partir das eleições de 2016, nos termos do decidido no
Mandado de Segurança nº 37082 – TSE, em que se registrou a alteração do entendimento daquela Corte superior. Veja-se a ementa do
referido julgado:
ELEIÇÕES 2012. PREFEITO. AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL. CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO. ABUSO DO PODER POLÍTICO E
ECONÔMICO. LITISCONSÓRCIO PASSIVO NECESSÁRIO. CANDIDATO BENEFICIADO. RESPONSÁVEL. AGENTE PÚBLICO.
JURISPRUDÊNCIA. ALTERAÇÃO. SEGURANÇA JURÍDICA.
1. Até as Eleições de 2014, a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral se firmou no sentido de não ser necessária a formação de
litisconsórcio passivo necessário entre o candidato beneficiado e o responsável pela prática do abuso do poder político. Esse entendimento, a
teor do que já decidido para as representações que versam sobre condutas vedadas, merece ser reformado para os pleitos seguintes.
2. A revisão da jurisprudência consolidada do Tribunal Superior Eleitoral deve ser prospectiva, não podendo atingir pleitos passados, por força
do princípio da segurança jurídica e da incidência do art. 16 da Constituição Federal.
3. Firma-se o entendimento, a ser aplicado a partir das Eleições de 2016, no sentido da obrigatoriedade do litisconsórcio passivo nas ações de
investigação judicial eleitoral que apontem a prática de abuso do poder político, as quais devem ser propostas contra os candidatos
beneficiados e também contra os agentes públicos envolvidos nos fatos ou nas omissões a serem apurados.
4. Tendo sido as provas dos autos devidamente analisadas pela Corte Regional, não há omissão ou contradição no acórdão recorrido, mas
apenas decisão em sentido contrário à pretensão recursal. Violação ao art. 275 afastada.
5. A condenação por captação ilícita de sufrágio (Lei nº 9.504/97, art. 41-A) exige a demonstração da participação ou anuência do candidato,
que não pode ser presumida. Recurso provido neste ponto.
6. O provimento do recurso especial para afastar a prática de captação ilícita de sufrágio não impede que os fatos sejam analisados sob o
ângulo do abuso de poder, em face do benefício auferido, o qual ficou configurado na hipótese dos autos em razão do uso da máquina
administrativa municipal, mediante a crescente concessão de gratificações no decorrer do ano eleitoral, com pedido de votos.
7. A sanção de inelegibilidade tem natureza personalíssima, razão pela qual incide somente perante quem efetivamente praticou a conduta.
Recurso provido neste ponto para afastar a inelegibilidade imposta ao candidato beneficiado, sem prejuízo da manutenção da cassação do seu
diploma.
Ação cautelar e mandado de segurança julgados improcedentes, como consequência do julgamento do recurso especial.
(Mandado de Segurança nº 37082, Acórdão, Relator(a) Min. João Otávio De Noronha, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Volume ,
Tomo 170, Data 02/09/2016, Página 73/74)

Todavia, deve-se considerar que o entendimento jurisprudencial firmado não se aplica ao presente caso, para impor a obrigatoriedade do
litisconsórcio, pois não se narraram fatos ilícitos praticados no âmbito do Departamento Nacional de Obras de Combate às Secas – DNOCS. Em
verdade, referiram-se os investigantes à suposta doação, por parte de investigados, de caixas d’água que continham logomarca e inscrições do
DNOCS, o que, segundo a inicial, denotaria sua obtenção através de alguma das secretarias estaduais. Observe-se, portanto, que nenhum
ilícito fora atribuído ao referido órgão público federal, mas apenas se destacaram as inscrições e logomarca contidas nas caixas d’água.
Portanto, não se afigura justificável a exigência de inclusão no polo passivo da presente demanda de pessoa que não fora apontada como
responsável pela prática de ilícito eleitoral. Como se sabe a análise dos pressupostos de constituição e desenvolvimento válido da relação
jurídica processual deve se dar a partir do suporte fático contido na petição inicial, tendo em conta a teoria da asserção. Nesse contexto,
quanto à adoção da teoria da asserção para verificar a pertinência subjetiva da demanda, veja-se o seguinte julgado:
DIREITO ELEITORAL E PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. ELEIÇÕES 2016. AIJE. ABUSO DO PODER ECONÔMICO.
LITISCONSÓRCIO. TEORIA DA ASSERÇÃO. NULIDADE PROCESSUAL NÃO VERIFICADA. AUSÊNCIA DE PROVA ROBUSTA. RECURSO PROVIDO.
1. Recurso especial eleitoral contra acórdão do TRE/MG que, reformando sentença em AIJE por abuso do poder econômico, condenou o ex-
Prefeito do Município de Pedra Bonita/MG à pena de inelegibilidade por oito anos e o Prefeito e Vice-Prefeito eleitos em 2016 à cassação dos
respectivos diplomas, convocando novas eleições.
I HIPÓTESE
2. Hipótese de realização de festa durante o período eleitoral em fazenda de propriedade do então prefeito, com oferecimento de churrasco e
bebidas para grande número de pessoas, supostamente em comemoração de aniversário de motorista da prefeitura.
3. O acórdão concluiu que a festa teria sido desvirtuada em benefício dos candidatos, com base no seguinte conjunto fático-probatório: (i)
vários convidados trajavam roupas na cor azul e o local estava enfeitado com bandeirolas da cor azul, que eram as cores de campanha dos
candidatos; (ii) havia grande número de pessoas no local da festa (de 500 a 1000 pessoas); (iii) o aniversariante não tinha condições financeiras
de custear evento de tal magnitude.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 36

4. De acordo com o acórdão, o grande número de pessoas e a pequena diferença de votos evidenciariam a potencialidade lesiva da conduta
para configurar abuso do poder econômico. Por outro lado, o acórdão afastou a configuração de conduta vedada e de captação ilícita de
sufrágio, por não ter havido qualquer pedido de voto.
II DECADÊNCIA
5. Preliminarmente, discute-se se o aniversariante de churrasco promovido durante o período de campanha eleitoral no município deve ser
litisconsorte necessário na ação e se a falta de sua integração à lide acarreta a decadência.
6. É no momento da propositura da ação, com base na descrição fática apresentada pelo autor do processo, que se verifica a regularidade
quanto aos aspectos subjetivos da demanda, por força da teoria da asserção.
7. No caso, o litisconsórcio foi regularmente observado pelo autor da ação ao incluir no polo passivo tanto aquele a quem imputou a
responsabilidade pelo abuso do poder econômico como os candidatos beneficiados.
8. Posterior conclusão sobre a necessidade de participação de terceiro que não foi incluído como réu na demanda não implica decadência.
9. Sinalização, em obiter dictum, da necessidade de rever, para as Eleições 2018, a atual jurisprudência em relação à obrigatoriedade de
formação de litisconsórcio passivo entre os responsáveis pela prática do ato e os candidatos beneficiados nas AIJEs por abuso de poder.
III MÉRITO
10. No mérito, não há, no acórdão regional, comprovação da gravidade das condutas reputadas ilegais para a configuração do abuso do poder
econômico. A utilização de camisetas e de bandeirinhas nas cores da campanha dos candidatos e a quantidade de pessoas no evento não são
aptas a comprometer a legitimidade do pleito e a paridade de armas, em um contexto em que não houve qualquer pedido de voto nem a
presença dos candidatos.
11. Diante da gravidade das sanções impostas em AIJE por abuso de poder, exige-se prova robusta e inconteste para que haja condenação.
Precedentes.
IV CONCLUSÃO
12. Recurso especial eleitoral provido.
(Recurso Especial Eleitoral nº 50120, Acórdão, Relator(a) Min. Admar Gonzaga, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Data
26/06/2019, Página 25)

Assim, deve-se considerar que, nos termos da demanda proposta, não havia necessidade de citação do representante do DNOCS, pois ao
referido órgão não se atribuiu prática de qualquer ilícito. Note-se que possível irregularidade no âmbito do DNOCS é tese exposta nas defesas,
para justificar o entendimento da necessidade de litisconsórcio, mas não consta da inicial. Assim, tenho que deve ser afastada a preliminar de
decadência, tendo em conta que o litisconsórcio não se mostrava necessário quando da distribuição da inicial. Ademais, o eventual
acolhimento dessa tese de defesa sequer levaria à extinção total do feito, mas apenas ao impedimento da análise dos fatos relativos
estritamente à doação de caixas d’água, seguindo-se a demanda, normalmente, quanto aos demais fatos ilícitos narrados na inicial. De toda
sorte, conclui-se que não há como acolher o argumento de decadência da ação.
Do mesmo modo, considero que também não é possível acolher a alegação de ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações que
acompanharam a inicial, não sendo adequado o desentranhamento pretendido pela defesa dos investigados. De fato, a alegação da parte
demandada de que as gravações apresentadas pelos investigantes não poderiam ser utilizadas como prova válida pois constituiriam elementos
probatórios ilícitos não merece amparo. Note-se que fundamenta sua pretensão de defesa no argumento de que as pessoas entrevistadas não
tinham consciência de que estavam sendo gravadas, bem como, na afirmação de que os entrevistadores teriam praticado ato ilegal ao se
apresentarem como funcionários da Secretaria de Defesa Civil do Estado. Ainda, afirmam que gravações teriam sido realizadas em local
estritamente particular, impedindo a sua utilização como meio de prova, nos termos da jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral.
Entretanto, não obstante as alegações da defesa, é forçoso reconhecer que a jurisprudência pátria tem afastado a alegação de ilicitude da
prova decorrente de gravação de um dos interlocutores realizada mesmo com o desconhecimento dos demais. Note-se que, não somente o
Supremo Tribunal Federal tem admitido o uso de gravações ambientais por um dos interlocutores, inclusive para fins penais, mas também o
Tribunal Superior Eleitoral passou a admitir como válido esse meio de prova, como se passa a expor.
É certo que o processo contemporâneo tem por fio condutor não a estrita legalidade e a regularidade de fórmulas processuais, mas sim
preocupa-se, em primeiro plano, com a busca da justa e efetiva decisão, em ambiente dialógico e regrado pela conduta ética e pela
moralidade. Ademais, como tornou expresso no novo diploma processual civil, todos os que atuam no processo devem cooperar para a
construção dessa decisão justa e efetiva, em tempo razoável (art. 6º, NCPC). Como não poderia deixar de ser, somente se pode pensar em
decisão justa se os fatos tomados em consideração para o ato decisório forem verdadeiros. Daí a relevante preocupação com as provas a
produzir no processo, pois são elas os instrumentos de revelação da possível veracidade dos fatos narrados pelas partes em suas
manifestações.
Instrumento ético que é, o processo não admite a utilização de prova ilícita. Não há que se pretender fazer cumprir a lei por meios ilegais ou
mesmo imorais, o que conduziria a um paradoxo inaceitável. Nesse sentido, é que a Constituição Federal registra a inadmissão, no processo,
de provas obtidas por meios ilícitos (art. 5º, LVI). Somente pautando sua conduta na legalidade é que o agente público se encontra legitimado
a fazer cumprir as previsões legais e constitucionais, verificando a eventual necessidade de aplicar sanção a quem viola os comandos
normativos do sistema jurídico. Assim, o devido processo legal também pressupõe, ao lado da possibilidade de todos os meios legais e
moralmente legítimos para demonstrar a veracidade de suas alegações, a vedação ao uso de meios ilícitos. De mais a mais, não somente a

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 37

prova obtida por meio ilícito deve ser banida do processo, como também todas aquelas dela decorrentes, na vedação à derivação ilegítima
conhecida na doutrina como “teoria dos frutos da árvore envenenada” ou, na sua equivalente em língua inglesa, fuits of the poisonous tree.
Sobre o ponto, vejam-se as palavras de Fredie Didier Jr., Paula Sarno Braga e Rafael Alexandria Oliveira, em seu livro Curso de direito
processual civil: teoria da prova, direito probatório, ações probatórias, decisão, precedente, coisa julgada e antecipação dos efeitos da tutela,
11ª ed., Salvador: Jus Podivm, 2016:
A doutrina e os tribunais também não aceitam as chamadas provas ilícitas por derivação, que são aquelas em si mesmas lícitas, mas produzidas
a partir de outra ilicitamente obtida: documento encontrado após invasão de domicílio, interceptação telefônica autorizada pelo juiz com base
em documento falso etc. A teoria dos frutos da árvore envenenada prega que o vício da planta se transmite a todos os seus frutos (tem origem
na jurisprudência americana).
No caso dos autos, todavia, apesar dos argumentos da defesa, não se pode concordar com a alegação de ilicitude da prova. Como acima já
registrado, o Supremo Tribunal Federal vem há muito, em reiterados julgados, reconhecendo como válida a gravação ambiental realizada por
um dos interlocutores, inclusive para utilização em processo criminal, ainda que com o desconhecimento dos demais envolvidos no diálogo,
não se podendo alegar sequer violação à privacidade. Nesse sentido, veja-se a ementa do seguinte julgado:
QUESTÃO DE ORDEM. INQUÉRITO INSTAURADO A PARTIR DE CARTA DENÚNCIA E DE DEGRAVAÇÃO DE FITA MAGNÉTICA. GRAVAÇÃO
AMBIENTAL. CONVERSAS NÃO PROTEGIDAS POR SIGILO LEGAL. AUSÊNCIA DE ILICITUDE. INDÍCIOS DE PARTICIPAÇÃO DE AGENTE DETENTOR
DE PRERROGATIVA DE FORO. COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. QUESTÃO DE ORDEM RESOLVIDA, POR MAIORIA,
PARA DETERMINAR O PROSSEGUIMENTO DAS INVESTIGAÇÕES NO STF . 1. É lícita a prova obtida mediante a gravação ambiental, por um dos
interlocutores, de conversa não protegida por sigilo legal. Hipótese não acobertada pela garantia do sigilo das comunicações telefônicas (inciso
XII do art. 5º da Constituição Federal). 2. Se qualquer dos interlocutores pode, em depoimento pessoal ou como testemunha, revelar o
conteúdo de sua conversa, não há como reconhecer a ilicitude da prova decorrente da gravação ambiental. 3. A presença de indícios de
participação de agente titular de prerrogativa de foro em crimes contra a Administração Pública confere ao STF o poder-dever de supervisionar
o inquérito. 4. Questão de ordem resolvida no sentido da fixação da competência do Supremo Tribunal Federal para supervisionar as
investigações e da rejeição da proposta de trancamento do inquérito por alegada ilicitude da gravação ambiental que motivou a abertura
desse procedimento investigatório.
(Inq-QO 2116, Relator(a): Min. MARCO AURÉLIO, Relator(a) p/ Acórdão: Min. AYRES BRITTO, publicado em 29/02/2012, Tribunal Pleno)

Na mesma senda, vem seguindo o Tribunal Superior Eleitoral, admitindo, como regra, a utilização de prova dessa natureza, inclusive para
instruir processos que podem conduzir à cassação de mandato eletivo. Veja-se, como exemplo, a ementa do seguinte julgado:
LEIÇÕES 2016. RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL. VEREADOR. ART. 41-A DA LEI N° 9.504/97. ART.
22 DA LC N° 64/90. PRELIMINAR. GRAVAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA POR UM DOS INTERLOCUTORES SEM AUTORIZAÇÃO JUDICIAL. LICITUDE
DA PROVA. CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO. OFERTA DE BENESSES EM TROCA DE VOTO. CONFIGURAÇÃO. ABUSO DE PODER POLÍTICO OU DE
AUTORIDADE. NÃO CARACTERIZADO. AUSÊNCIA DE GRAVIDADE. RECURSO ESPECIAL A QUE SE DÁ PARCIAL PROVIMENTO.
1. A jurisprudência que vem sendo aplicada por este Tribunal Superior, nos feitos cíveis-eleitorais relativos a eleições anteriores a 2016, é no
sentido da ilicitude da prova obtida mediante gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento dos demais e
desacompanhada de autorização judicial, considerando-se lícita a prova somente nas hipóteses em que captada em ambiente público ou
desprovida de qualquer controle de acesso.
2. Não obstante esse posicionamento jurisprudencial, mantido mormente em deferência ao princípio da segurança jurídica, entendimentos
divergentes já foram, por vezes, suscitados desde julgamentos referentes ao pleito de 2012, amadurecendo a compreensão acerca da licitude
da gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento dos demais e sem autorização judicial.
3. À luz dessas sinalizações sobre a licitude da gravação ambiental neste Tribunal e da inexistência de decisão sobre o tema em processos
relativos às eleições de 2016, além da necessidade de harmonizar o entendimento desta Corte com a compreensão do STF firmada no RE n°
583.937/RJ (Tema 237), é admissível a evolução jurisprudencial desta Corte Superior, para as eleições de 2016 e seguintes, a fim de
reconhecer, como regra, a licitude da gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento do outro e sem
autorização judicial, sem que isso acarrete prejuízo à segurança jurídica.
4. A despeito da repercussão geral reconhecida pelo STF no RE n° 1.040.515 (Tema 979) acerca da matéria relativa à (i)licitude da gravação
ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento dos demais nesta seara eleitoral, as decisões deste Tribunal Superior sobre
a temática não ficam obstadas, dada a celeridade cogente aos feitos eleitorais.
5. Admite-se, para os feitos referentes às Eleições 2016 e seguintes, que sejam examinadas as circunstâncias do caso concreto para haurir a
licitude da gravação ambiental. Ou seja, a gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o consentimento dos demais e sem
autorização judicial, em ambiente público ou privado, é, em regra, lícita, ficando as excepcionalidades, capazes de ensejar a invalidade do
conteúdo gravado, submetidas à apreciação do julgador no caso concreto, de modo a ampliar os meios de apuração de ilícitos eleitorais que
afetam a lisura e a legitimidade das eleições.
6. No caso, analisando o teor da conversa transcrita e o contexto em que capturado o áudio, a gravação ambiental afigura-se lícita, visto que
os recorrentes protagonizaram o diálogo, direcionando-o para oferta espontânea de benesses à eleitora, de modo que restou descaracterizada
a situação de flagrante preparado.
7. O ilícito descrito no art. 41-A da Lei nº 9.504/97 se consubstancia com a oferta, a doação, a promessa ou a entrega de benefícios de
qualquer natureza, pelo candidato, ao eleitor, em troca de voto, que, comprovado por meio de acervo probatório robusto, acarreta a
cominação de sanção pecuniária e a cassação do registro ou do diploma.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 38

8. Acertada a decisão regional, visto que, a partir do teor da conversa anteriormente transcrito, objeto da gravação ambiental, depreende-se
ter havido espontânea oferta de benesses, pelos recorrentes, à eleitora Juscilaine Bairros de Souza e seus familiares - oferecimento da quantia
de R$ 500,00 (quinhentos reais), facilitação do uso dos serviços médicos da Unidade de Saúde Moisés Dias, oferta de gasolina e de veículos
para transportar, no dia das eleições, os parentes que moram em outro município e promessa de emprego para o marido da eleitora -,
vinculada ao especial fim de obter votos para o então candidato Gilberto Massaneiro, que participou ativamente da conduta.
9. O art. 22, XVI, da LC n° 64/90, com a redação conferida pela LC n° 135/2010, erigiu a gravidade como elemento caracterizador do ato
abusivo, a qual deve ser apurada no caso concreto. A despeito da inexistência de parâmetros objetivos, a aferição da presença desse elemento
normativo é balizada pela vulneração dos bens jurídicos tutelados pela norma, quais sejam, a normalidade e legitimidade das eleições, que
possuem guarida constitucional no art. 14, § 9°, da Lei Maior.
10. Consoante jurisprudência deste Tribunal Superior, o abuso do poder político ou de autoridade insculpido no art. 22, caput, da LC n° 64/90,
caracteriza-se quando o agente público, valendo-se de sua condição funcional e em manifesto desvio de finalidade, compromete a igualdade e
a legitimidade da disputa eleitoral em benefício de candidatura própria ou de terceiros (RO n° 172365/DF, Rel. Min. Admar Gonzaga, DJe de
27.2.2018; RO n° 466997/PR, Rel. Gilmar Mendes, DJe de 3.10.2016; REspe n° 33230/RJ, Rel. Min. João Otávio de Noronha, DJe de 31.3.2016).
11. Na hipótese dos autos, em que pese a moldura fática evidencie o uso desvirtuado da instituição pública, as circunstâncias não se afiguram
suficientemente graves para macular a legitimidade e a isonomia do pleito, porquanto os fatos comprovados no acórdão cingem-se à eleitora
específica e à ocasião única, o que, embora aptos a caracterizar captação ilícita de sufrágio, mostram-se inábeis para atrair a gravidade
necessária à configuração do ato abusivo.
12. Recurso especial parcialmente provido apenas para afastar a configuração do abuso do poder político em relação a ambos os recorrentes,
mantendo-se a condenação de Gilberto Massaneiro pela prática de captação ilícita de sufrágio. Julgo prejudicado o pedido de concessão de
efeito suspensivo ao recurso especial.
Decisão:
O Tribunal, por maioria, deu parcial provimento ao recurso especial, apenas para afastar a configuração do abuso do poder político em relação
a ambos os recorrentes, mantida a condenação de Gilberto Massaneiro pela prática de captação ilícita de sufrágio, e julgou prejudicado o
pedido de concessão de efeito suspensivo ao recurso especial, nos termos do voto do Relator. Votaram com o Relator os Ministros Luís
Roberto Barroso, Jorge Mussi e Rosa Weber (Presidente). Vencidos o Ministro Og Fernandes, que negou provimento ao recurso especial, e os
Ministros Tarcisio Vieira de Carvalho Neto e Sérgio Banhos, que lhe deram provimento integral.
(Recurso Especial Eleitoral nº 40898, Acórdão, Relator(a) Min. Edson Fachin, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 150, Data
06/08/2019, Página 71/72)

Assim, com base no entendimento jurisprudencial dominante, as provas oriundas das gravações que acompanham a inicial devem ser
admitidas como válidas no processo, como regra geral, não se justificando sua exclusão a priori. Eventual invalidade das gravações para
comprovar a ocorrência dos ilícitos eleitorais apontados deve ser verificada caso a caso, ou seja, a partir da análise de cada um dos vídeos, não
cabendo o desentranhamento requerido. Note-se que a verificação de possível “induzimento” dos “entrevistadores” às respostas das pessoas
entrevistadas, como querem fazer crer os investigados, somente se pode aferir a partir da admissão do meio utilizado, isto é, em um segundo
momento de análise, tendo em conta o conteúdo dos diálogos travados. De outro lado, o acobertamento da identidade e da motivação dos
“entrevistadores”, ainda que questionável, por si só, não macula em absoluto as declarações das pessoas ouvidas, que podem sim relatar fatos
reais, aferível quanto à verossimilhança a partir da fluidez natural e da espontaneidade das narrativas.
Dessa forma, tenho que o pedido de desentranhamento do conteúdo dos vídeos deve ser indeferido. Note-se que, por solicitação dos
investigados, houve exame pericial das gravações pelos peritos do Departamento de Polícia Federal, não tendo sido “encontrados indícios de
edições nos vídeos”, conforme consta no Laudo de Perícia Criminal Federal de fls. 1990/1992.
DO MÉRITO:
Superadas as questões prévias, passa-se à análise do mérito da ação.
A presente demanda, tratando-se de Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE, encontra fundamento legal no art. 22 da Lei Complementar
n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades), tendo por fim a apuração de uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou de autoridade, com o
fim de favorecer candidato ou partido político. Visa, portanto, à preservação da licitude político-eleitoral, combatendo ações que possam
acarretar injustificada desigualdade na disputa pelo voto dos eleitores. Nesse sentido, veja-se o caput do dispositivo legal supracitado:

Art. 22. Qualquer partido político, coligação, candidato ou Ministério Público Eleitoral poderá representar à Justiça Eleitoral, diretamente ao
Corregedor-Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, indícios e circunstâncias e pedir abertura de investigação judicial para
apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade, ou utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político, obedecido o seguinte rito:

É justamente a normalidade da disputa eleitoral que a Ação de Investigação Judicial Eleitoral busca tutelar, apurando eventuais práticas
abusivas que desviem indevidamente o voto do eleitorado, ora cerceando a plena liberdade esperada da cidadania, no exercício do sufrágio,
ora aproveitando-se de posições de poder econômico ou político para promoção de determinado candidato, em prejuízo da igualdade de
oportunidade no curso do pleito. Através dessa demanda, os investigantes buscam restaurar eventuais desvios político-eleitorais e penalizar os

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 39

responsáveis pelos abusos, seja com a cominação de inelegibilidade, seja com a cassação de registro ou diploma, com impacto direto no
próprio exercício do mandato eletivo.
Sobre o bem jurídico tutelado através da Ação de Investigação Judicial Eleitoral - AIJE, vejam-se as palavras de Rodrigo López Zílio, em seu livro
Direito Eleitoral, 5ª ed., Porto Alegre: Verbo Jurídico, 2016, p. 546:
A AIJE visa proteger a normalidade e legitimidade do pleito, na forma prevista pelo art. 14, § 9º, da CF. Por conseguinte, para a procedência da
AIJE é necessária a incidência de uma das hipóteses de cabimento (abuso do poder econômico, abuso do poder de autoridade ou político,
utilização indevida de veículos ou meios de comunicação social e transgressão de valores pecuniários), além da prova de que o ato abusivo
rompeu o bem jurídico tutelado, ou seja, teve potencialidade de influência na lisura do pleito (ou, na dicção legal do art. 22, XVI, da LC n.
64/90, a prova da “gravidade das circunstâncias do ato abusivo).

No presente caso, além da demanda investigativa de prática de abuso de poder político e econômico, os investigados apresentaram pedidos
de reconhecimento de captação ilícita de sufrágio, nos termos do art. 41-A da Lei das Eleições (Lei n. 9.504/97), e de prática de conduta
vedada a agente público, nos termos do art. 73, I, III e IV, do referido diploma normativo. Dessa forma, em razão da cumulação de ações, os
fatos elencados na inicial serão analisados a partir da possibilidade de enquadramento jurídico em quaisquer das hipóteses normativas
levantadas pelos investigantes.
De outro lado, deve-se destacar que os investigantes, em 09 de janeiro de 2017, também manejaram Ação de Impugnação de Mandato
Eletivo - AIME, mas apenas em face dos investigados nestes autos que lograram êxito nas eleições municipais de 2016, onde pretendem a
cassação dos mandatos eletivos e a cominação de inelegibilidade aos investigados/impugnados, com base nos mesmos fatos narrados na
inicial desta AIJE. Conforme já registrado no relatório acima, houve o apensamento a este feito dos autos da referida Ação de Impugnação de
Mandato Eletivo – AIME n. 1-43.2017.6.18.0013, conduzindo à instrução conjunta dos feitos. Considerando que, muito embora se trate de
ações eleitorais distintas, são ambas baseadas nos mesmos fatos, haja vista ser a inicial da AIME tão somente uma reprodução adaptada da
que fora apresentada na AIJE, serão todos os fatos analisados nestes autos, mormente em face dos atuais efeitos conferidos à procedência da
AIJE, nos termos das alterações promovidas pela Lei Complementar 135/2010.
DOS FATOS ARTICULADOS E DAS PROVAS PRODUZIDAS:
Da análise do conteúdo dos autos, entendo que assiste parcial razão à parte investigante e ao Ministério Público Eleitoral quando pretendem o
reconhecimento da prática de ilícitos no âmbito do pleito eleitoral de 2016. Com efeito, do conjunto dos autos, pode-se observar a existência
de suficientes elementos probatórios que indicam a ocorrência de condutas ilícitas potencialmente violadoras do equilíbrio da disputa
eleitoral, conduzindo à necessária responsabilização dos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO
ISAIAS DA SILVA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE
SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO, conforme se passará a expor.
Por outro lado, considero que, apesar dos indícios de ilicitude, não se produziu prova suficiente à responsabilização dos investigados
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS e KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES por conduta irregular no
âmbito da campanha eleitoral em tela. Considere-se, ainda, que o feito deve ser extinto em face de ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, tendo
em vista o seu falecimento, conforme acima já registrado.
De modo geral, relatam os investigantes que os investigados teriam obtido vitória eleitoral como fruto de compra de votos e abuso do poder
econômico e político, especialmente, com o oferecimento de benesses a eleitores, para facilitação de acesso a água, a exemplo de poços
tubulares, reformas em barragens, caixas d’água, etc, o que teria violado a igualdade entre os candidatos e ferido a lisura do pleito. Ademais,
alegam que teria havido uma atuação coordenada entre a primeira investigada, então candidata a Prefeita Municipal de São Raimundo
Nonato/PI, em conjunto com vereadores de sua coligação, e o Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, esposo da
primeira investigada, para utilização da máquina do Estado visando atender pedidos dar referida candidata, destinados a seus eleitores.
Os fatos relatados na inicial foram agrupados em 25 (vinte e cinco) itens, conforme consta no relatório desta decisão, visando facilitar a análise
de sua procedência. Trata-se, como referido, de alegadas promessas e concessão de benesses a eleitores de diversas localidades do Município
de São Raimundo Nonato/PI, no curso do pleito eleitoral de 2016. Como meio de prova, foram juntados vários vídeos gravados nas referidas
localidades, onde os “entrevistadores” colhiam informações de diversos populares sobre os referidos benefícios recebidos nas localidades,
principalmente, relativos a perfuração e equipamento de poços tubulares, doações de caixas d’água, reforma, limpeza e construção de
barragens, dentre outros, vinculados à amenização da situação de seca típica da região. Ademais, além dos vídeos, foram apresentas
fotografias, bem como, procedeu-se à colheita de depoimentos em audiência de instrução, sendo também juntados diversos documentos,
mormente por ocasião das defesas e das diligências realizadas.
Analisando os elementos probatórios dos autos, todavia, observa-se que apenas parte dos fatos narrados na inicial restaram efetivamente
comprovados, no que se refere à atuação de candidatos ou de outras pessoas, em seu favor, para concessão ou intermediação de oferta de
benefícios para comunidades, no curso do processo eleitoral de 2016. A conjugação dos depoimentos colhidos em juízo com as gravações
ambientais realizadas e os documentos juntados aos autos leva à necessária convicção de que, pelo menos em parte, procede a pretensão dos
investigantes, eis que comprovada a prática de ilícios eleitorais.
É certo que os depoimentos prestados em juízo pelos responsáveis pelas gravações ambientais devem ser analisados com a necessária cautela,
como de costume no âmbito de processos dessa natureza. Observe-se que a pessoa de RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA fora ouvido
apenas como informante do juízo, tendo em conta seu possível interesse no desfecho do presente processo. Ademais, a testemunha NILTON
ARAÚJO CANDIM NETO, mesmo que compromissada, deve ter seu depoimento observado com o necessário cuidado, pois também atuou
diretamente na colheita do material probatório plasmado em vídeo, ensejando a suspeita de que tenha interesse, no mínimo, em confirmar
suas hipóteses de prática ilícita. Todavia, apesar das necessárias reservas, os referidos depoimentos não podem ser descartados em absoluto,

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 40

devendo ser lidos à luz dos demais elementos probatórios existentes. Assim, servem as testemunhas acima como fonte de elementos
indiciários, a serem confirmados ou não a partir da consideração de todo o acervo probatório. Note-se que, no âmbito do processo penal, o
sistema legal admite inclusive a utilização das palavras de coautor de ilícito, desde que vinculadas e indicativas de outras provas que
corroborem a versão.
Assim, os depoimentos acima referidos não serão tomados de forma isolada, mas segundo a coerência que evidenciem e a consideração do
conteúdo efetivo das gravações levadas a efeito pelos depoentes. Muito embora haja questionamento por parte dos investigados quanto à
validade das gravações ambientais, sob a alegação de que as pessoas entrevistadas teriam sido induzidas a proferir inverdades, o certo é que,
da observância do conteúdo gravado verifica-se em muitos diálogos a confirmação de interferência de políticos, inclusive de candidatos, para a
concessão de benefícios às comunidades, em plena época de campanha eleitoral. Dos referidos diálogos, inclusive, pode-se extrair narrativas
espontâneas sobre atuações ou promessas de investigados para a obtenção de benefícios para determinada pessoa ou a comunidade. Ainda
que os entrevistadores tenham ocultado sua identidade, por ocasião dos diálogos gravados, não resta em absoluto prejudicada a seriedade das
palavras das pessoas entrevistadas, que se deve verificar caso a caso. Aliás, quando da resposta ao quesito sobre a eventual consciência dos
entrevistados que estavam sendo gravados, os peritos do Departamento de Polícia Federal registram não haver sinais dessa ciência, tendo em
conta o “comportamento espontâneo” das pessoas entrevistadas (fls. 1992). Portanto, muitos dos diálogos mostram narrativas espontâneas,
que não podem ser desconsideradas, a priori, conforme abaixo exposto.
Quanto aos fatos envolvendo o investigado RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, consta na inicial a abertura de um poço tubular, na Localidade
CACHOEIRINHA, entre os 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Israel Ribeira da Costa, bem como, de outro poço tubular, na Localidade
CACIMBAS, na propriedade do Sr. Carlos Omar Carneiro Deusdará, e ainda de mais um poço tubular na Localidade LAGOA DOS VEADOS, na
propriedade do Sr. Rafael Lopes Negreiros (itens 01, 02 e 03). O conteúdo dos autos evidencia que, de fato, o investigado atuou na obtenção
dos referidos poços tubulares, no período eleitoral.
Note-se que, além dos depoimentos de RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e NILTON ARAÚJO CANDIM NETO, há registro de vídeo,
referente à Localidade CACHOEIRINHA, em que um homem, identificando-se como Israel, confirma a atuação de RIAN no referido poço,
acrescentando que RIAN também teria sido responsável pela abertura de outro poço no BAIXÃO. De outro lado, a testemunha JOÃO
APARECIDO DE SOUSA, Agente Comunitário de Saúde, afirmou que teria chegado a história de que Vereador RIAN e a Prefeita CARMELITA
iriam abrir o poço, confirmando, ainda, ter visto RIAN na montagem do poço, além do irmão do mesmo, chamado “CACAU”, na inauguração.
Israel, segundo relatou a testemunha JOÃO APARECIDO DE SOUSA, teria trabalhado para o Vereador RIAN. Considere-se, ainda, que a
testemunha IVANALDO SANTOS SILVA, ouvido como informante, negou a atuação de RIAN, afirmando que teria acompanhado a perfuração a
pedido da Deputada Rejane Dias. Todavia, a própria defesa confirma a intermediação política, tendo em conta que o ofício constante às fls.
415, solicitando a abertura do poço, é subscrito pelo próprio Vereador RIAN MARCOS ALVES DA SILVA. Muito embora o citado ofício seja
datado de 02 de maio de 2016, a construção do poço somente ocorreu no curso da campanha para eleição municipal, sendo inegável o
potencial de sua exploração político-eleitoral.
No que se refere aos fatos relativos à Localidade CACIMBAS, há registro em vídeo de um entrevistado confirmando a atuação do Irmão RIAN
na obtenção do poço. Registre-se, ainda, o depoimento da testemunha AREOLINDO RIBEIRO DEUSDARÁ, afirmando que o poço fora aberto na
propriedade de seu irmão, Manoel Ribeiro Deusdará, o qual seria lavrador e não teria condições de arcar com a construção do poço. Afirmou a
testemunha AREOLINO RIBEIRO DEUSDARÁ que RIAN estava no local de vez em quando, inclusive na inauguração do poço, quando soltaram
foguetes. Há, portanto, uma coerência lógica nas narrativas, indicando a intermediação atuação do investigado no processo de obtenção do
poço. A apresentação do recibo de fls. 422, formalizando um suposto pagamento, por si só, não tem o condão de afastar a conclusão de
atuação do investigado na construção do poço, mormente pelo registro audiovisual, pelo depoimento da testemunha AREOLINO RIBEIRO
DEUSDARÁ, quanto à hipossuficiência econômica de seu irmão, e no que se refere à inauguração com participação do investigado. Assim, resta
evidente o aproveitamento político-eleitoral da abertura do referido poço tubular.
Quanto ao poço tubular na Localidade LAGOA DOS VEADOS, observa-se nas gravações apresentadas um vídeo em que um homem que se
identifica como Rafael Lopes de Negreiros confirma que o Irmão RIAN teria feito compromisso com famílias, acrescentando que se desse água
seria para todos (tios, tias, primos...). Ademais, outro entrevistado (Nivaldo), também confirmou a presença do Irmão RIAN, sendo que outra
entrevistada (Ivanilde de Negreiros) também se refere ao RIAN e a seu “sobrinho” conhecido como “CACÁ”. De outro lado, muito embora a
testemunha LUIZ FERREIRA DOS SANTOS NETO tenha alegado ser o responsável pelo pagamento do poço, juntamente com seu sogro, houve
contradições em seu depoimento que o fragilizam, especialmente quanto ao modo de adimplemento do valor do poço. Note-se que, embora
haja um recibo de pagamento de R$ 3.000,00 para a perfuração de um poço na Localidade Lagoa dos Veados datado de 28 de setembro de
2016 (fls. 424), em nome de Paulo Antônio de Freitas, a supracitada testemunha apresentou dois cheques suspostamente usados para o
pagamento, nos valores de R$ 1.000,00 e R$ 500,00, mas datados de 10/10/2016 e 06/12/2016 (fls. 2068/2069). Desse modo, o depoimento
da testemunha supracitada não exclui a atuação política do investigado em face do poço em referência.
O investigado NUNES DE JESUS SANTOS, segundo o relatado nos autos, teria atuado nos fatos relativos ao equipamento de um poço na
Localidade LAGOA DOS BOIS, na abertura de poços na Localidade LAGOA DA PEDRA II e na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS, na
reparação de barragem na Localidade PEDRA DO MOCÓ e construção de barragem na Localidade RETIRO, assim como na construção de
calçamento na Localidade SÃO VITOR, correspondendo aos itens 08, 10, 11, 12, 17 e 20, acima referidos.
Quanto ao poço perfurado na Localidade LAGOA DOS BOIS, na propriedade do Sr. Milton Aparecido Dias de Castro, não há comprovação de
que tenha sido promovido pelo investigado NUNES DE JESUS SANTOS. O próprio MILTON APARECIDO DIAS DE CASTRO, ouvido em juízo como
testemunha, afirmou que não fora o investigado o responsável pelo poço, sendo que a própria testemunha pagou para a perfuração, ainda em
2015. Afirmou ainda a testemunha que as caixas d’água teriam sido recebidas através da associação local. Entretanto, dos vídeos constantes
nos autos, observa-se que alguns entrevistados afirmam que houve promessa de abertura do poço por NUNES e por CARMELITA, que não
chegou a ser concretizada, sendo que uma das entrevistadas afirmou ter recebido uma caixa d’água do NUNES (degravação às fls. 90).
Com relação ao poço tubular perfurado, na Localidade LAGOA DA PEDRA II, observa-se pelo teor dos vídeos, que os entrevistados não

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 41

souberam afirma se o NUNES teria efetivamente contribuído para a perfuração do poço. Entretanto, um dos entrevistados afirmou que o
NUNES teria prometido equipar o poço, se desse água, o que não ocorreu.
No que se refere ao poço tubular na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS, nota-se que não restou devidamente comprovada a atuação do
investigado NUNES DE JESUS SANTOS. Com efeito, a testemunha RAIMUNDO FERNANDES CASTRO, ouvida em juízo, negou que o poço tenha
sido objeto de promessa político-eleitoral, afirmando que ele mesmo fora o responsável pelo pagamento da empresa. Os vídeos apresentados
com a inicial também são insuficientes à sustentação da tese dos investigantes no específico ponto, devendo-se observar que os entrevistados
não confirmaram que o poço fora perfurado pelo investigado. Da mesma forma, mostra-se insuficiente a prova colhida nos autos da
participação do investigado nos fatos relativos à reparação da barragem na Localidade PEDRA DO MOCÓ. Com efeito, não houve produção de
prova que corroborasse as alegações nesse sentido, sendo as gravações em vídeo não conclusivas quanto à atuação do investigado nessa
questão. Ademais, quanto à construção de calçamento na Localidade SÃO VITOR, as provas são insuficientes para afirmar a participação do
investigado NUNES DE JESUS SANTOS. Observe-se que, em um dos vídeos apresentados, um dos homens entrevistados, à pergunta do
entrevistador, confirmou que o NUNES teria andado por lá, o que, por si só, não configura atuação ilícita, já que não se esclareceu as
circunstâncias desse comparecimento ao local da obra.
Lado outro, considera-se comprovada a atuação do investigado na exploração político-eleitoral da construção de barragem na Localidade
RETIRO, com máquinas da Secretaria de Defesa Civil. Com efeito, corroborando os depoimentos das testemunhas indicadas pelos
investigantes, observa-se na gravação em vídeo contida nos autos as palavras da entrevistada Letícia dos Santos Marques quanto à atuação do
investigado na obra da barragem. Referiu ainda a entrevistada que o NUNES teria ido ao local com a CARMELITA, mas bem antes da eleição,
para apresentá-la como candidata. Do mesmo modo, outro entrevistado afirmou que “o negócio” teria sido com o NUNES e o HÉLIO ISAIAS,
sendo que o responsável pela máquina seria o “LOBIM”. Observa-se, portanto, clara atuação do investigado NUNES DE JESUS SANTOS na
exploração político-eleitoral de obra pública, devendo ser reconhecida como ilícito eleitoral.
Quanto ao investigado LAERCIO DIAS DE CARVALHO, consta na peça de ingresso a sua atuação nas localidades SERRA NOVA e VEREDA, para
perfuração de poços tubulares e entrega de equipamentos, como poste, canos de pvc e tijolos, conforme itens 04, 06 e 07. No que se refere à
Localidade SERRA NOVA, observa-se das gravações que um dos entrevistados informa que LAÉRCIO teria sido responsável por levar canos,
tijolos e poste. Outro homem entrevistado, na mesma oportunidade, também confirma que o LAÉRCIO teria levado os tijolos, os quais foram
filmados no local. De outo lado, quanto ao poço na Localidade VEREDA, consta das gravações informação de que o investigado teria prometido
ajudar na abertura, ainda que, posteriormente, não tenha cumprido com a promessa. Um dos entrevistados, que seria Delano Paes dos Santos,
afirma que LAÉRCIO tinha feito o compromisso de dar uma ajuda na perfuração do poço, que seria público, mas não cumpriu com a promessa.
Referiu ainda o entrevistado que fora LAÉRCIO quem teria trazido a máquina para a cidade e ainda teria sido seu “avalista” junto à empresa de
perfuração. Nota-se, portanto, dos autos, que o investigado teria agido, no curso da campanha eleitoral de 2016, para levar benefícios a
eleitores, violando as regras eleitorais.
Atribuíram os investigantes a JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA atuação na abertura de poço na Localidade LAGOA DE FORA, em frente à
casa do Sr. Berilo de Negreiros Paes, por meio da Secretaria de Defesa Civil do Estado (item 14). Nos autos, muito embora não se tenha
comprovação da origem dos recursos para a perfuração do poço, não há dúvida de que houve atuação do investigado, intermediando a
concessão do benefício à comunidade em pleno período eleitoral. Note-se que, nas gravações em vídeo, mais de um entrevistado confirma a
atuação de RONALDO na obtenção do poço para a comunidade. Não se pode desconsiderar que a testemunha BERILO DE NEGREIROS PAES,
quando ouvido em juízo, muito embora tenha afirmado que o poço fora objeto de uma solicitação da Associação local e não obtido em troca
de votos, confirmou que houve a intermediação de RONALDO, que orientou a fazer o documento, encaminhado há mais de dois anos. Afirmou
ainda BERILO DE NEGREIOS que RONALDO, além de ter falado com o responsável pela marcação do poço (Joaquim Teles), também foi quem
noticiou que o poço iria sair. Observe-se, portanto, que mesmo não se comprovado a origem dos recursos que financiaram a perfuração do
poço, o fato é que houve a atuação do investigado. Ademais, é evidente a exploração político-eleitoral da abertura desse poço naquela
comunidade, tendo-se em conta que, se o requerimento da comunidade, através de sua associação dera-se em novembro de 2013 (fls.
383/391), o poço fora aberto somente no curso da campanha eleitoral de 2016. Assim, conclui-se pela prática de ilícito eleitoral por parte do
investigado.
Como acima registrado, alegam os investigados que todos os supostos ilícitos eleitorais narrados na inicial teriam por fim o favorecimento da
campanha eleitoral da então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato, CARMELITA DE CASTRO SILVA. Na visão dos investigantes, seria a
eleição da primeira investigada o objetivo principal de todos os investigados, como demonstraria o diagrama de fls. 21. Referem os
investigantes, nesse sentido, que a atuação de todos os investigados teria sido coordenada com o fim de, utilizando-se da máquina do Estado,
principalmente através da Secretaria de Defesa Civil, angariar votos dos eleitores com a concessão de benefícios no período eleitoral,
especialmente para a conquista do cargo majoritário municipal. Todavia, a vinculação política dos vereadores investigados à candidata a
Prefeita não dispensa a análise individual dos fatos narrados na petição inicial, para verificação da sua procedência quanto à atuação da
primeira investigada. Não se pode meramente transplantar a responsabilidade aferida de um investigado para outro, sendo imprescindível
conferir atentamente os eventuais liames entre suas condutas, de modo a permitir uma segura conclusão quanto à participação de cada um
nos ilícitos eleitorais relatados.
Analisando o conteúdo dos autos, observa-se que há elementos probatórios suficientes para a conclusão da prática de ilícito eleitoral pela
primeira investigada, especialmente no que se refere ao abuso do poder econômico e político em benefício de sua campanha eleitoral, no ano
de 2016. De fato, as gravações de vídeo apresentadas com a inicial confirmam que houve concessão de benefícios a comunidades de São
Raimundo Nonato, no curso do período eleitoral, vinculando-se essas benesses à figura da então candidata a Prefeita, CARMELITA DE CASTRO
SILVA, geralmente, em conjunto com algum dos candidatos a vereador que a apoiavam.
Note-se que, quanto ao fato envolvendo a abertura de um poço tubular na Localidade SERRA NOVA, entre os dias 06 e 07 de setembro de
2016 (item 04), há o registro em vídeo de moradores da região confirmando que a então candidata CARMELITA DE CASTRO teria prometido e
cumprido a promessa de abertura do citado poço (fotografia às fls. 64/65). Observa-se que, às perguntas do entrevistador, o morador
entrevistado confirma que a então candidata teria prometido e construído o poço, bem como prometido uma adutora, se ganhasse a eleição.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 42

Por elucidativo, nos termos da degravação de fls. 144, vejam-se as palavras de um morador entrevistado: “Falou que naquele momento não,
mas se ela ganhasse ela botaria um adutor, mas que antes não, só cumpria com esse dever aqui do poço e ela cumpriu”. Clara, portanto, a
relação da perfuração do poço para a comunidade à campanha eleitoral da primeira investigada. A gravidade dos fatos é evidente, tendo em
conta que o poço fora aberto e equipado durante o período de campanha eleitoral, sendo assimilado pelos moradores da localidade como um
benefício recebido diretamente da candidata investigada.
De forma similar ao que aconteceu na Localidade SERRA NOVA, também na Localidade VEREDAS (item 06) houve a tentativa de beneficiar a
comunidade com um poço tubular, no curso das eleições de 2016, a partir de atuação de LAÉRCIO e da candidata CARMELITA. Considere-se
que, não obstante o Sr. Delano Paes dos Santos alegue que acabou pagando pelo poço, o mesmo relata que inicialmente houve uma promessa
de ajuda por parte de LAÉRCIO. Ademais, uma moradora entrevistada associa a perfuração do poço à pessoa da investigada, conforme se
observa no vídeo degravado às fls. 110, em que a mesma afirma: “Foi a Carmelita”. Nota-se, portanto, que mesmo não tendo sido
concretizada a promessa do poço na Localidade VEREDAS, houve o intento inicial de concessão da benesse por parte dos investigados em
pleno período eleitoral, revelando um modo de proceder. No mesmo sentido, também os fatos relativos à Localidade LAGOA DOS BOIS (item
08) estão associados à primeira investigada, ainda que não se tenha efetivado a perfuração. Observe-se que um dos entrevistados, no vídeo
degravado às fls. 92, quando perguntado sobre a promessa do poço, respondeu: “Quem prometeu foi a Carmelita”.
Alegam os investigantes, ainda, que teria havido promessa de distribuição de água para 55 residências na Localidade GARRINCHO, tendo
havido a instalação de bomba, caixas d’água e 1.500 metros de canos pvc, além da abertura de valas na região (item 15). Um dos moradores
entrevistados (vídeo com nome de Nataniel Santos de Jesus), perguntado, confirmou que teria ido para a região uma máquina
retroescavadeira de propriedade de LOBIM, acrescentando que houve comentário de que seria da Defesa Civil, sem, entretanto, mostrar
segurança. Outro entrevistado (vídeo identificado como Genivaldo de Jesus) afirmou que “ela falou que, “se votasse nela”, prometia “trazer
uns canos, caixa d’água fazer “uma adutorinha aí”. Afirmou, ainda, que a máquina retroescavadeira teria vindo através do HÉLIO ISAIAS, e
que o responsável por ela seria LOBIM, bem como, que teria sido colocada a encanação e a caixa d’água, tendo a obra sido iniciada em
setembro e terminando já “perto da política”. Um outro morador entrevistado (vídeo identificado como José Raimundo) acrescentou que o
poço teria sido aberto pela Prefeitura, na gestão do Padre Herculano, sendo que agora somente teriam colocado a caixa, e que os canos teriam
sido obtidos através de ANITA, presidente da associação que fora candidata a vereadora e que seria “do lado do HÉLIO ISAIAS”.
Ainda sobre a Localidade GARRINCHO, outro homem entrevistado (vídeo identificado como José Rodrigues) confirmou que o responsável por
levar os canos para a localidade teria sido LOBIM que também teria levado uma máquina retroescavadeira. Um outro entrevistado (vídeo
identificado como Mauri), apesar de relacionar a obra à associação local, afirmou que a responsável pela referida associação, ANITA, seria do
mesmo partido da então candidata que ganhou, CARMELITA. Referiu, ainda, o mesmo entrevistado, ter ouvido falar que os responsáveis por
essa água seriam o HÉLIO ISAIAS e a CARMELITA. Referiu, também, que os canos teriam sido providenciados pela pessoa de HÉLIO ISAIAS.
Ainda outro morador entrevistado (vídeo identificado como Maximo) afirmou saber que os canos teriam sido obtidos através de HÉLIO ISAIAS.
Indagado se a esposa do mesmo HÉLIO ISAIAS teria ido ao local e feito algum compromisso político, o entrevistado respondeu que não, que
mandou só a máquina, dizendo que era da Defesa Civil. Acrescentou, também, o mesmo morador entrevistado, que o responsável pela
máquina da Defesa Civil era LOBIM, sendo que a responsável pelo material era ANITA. Registre-se, por oportuno, que a testemunha arrolada
pelos investigados, CLEONICE RIBEIRO DA SILVA, alegou ter visto LOBIM “encanando umas coisas de água”, acrescentando que os canos teriam
ficado na casa de Maria, presidente da Associação de Moradores. Observa-se, assim, do teor das entrevistas, um liame entre o fornecimento
dos canos e da máquina retroescavadeira com a imagem da candidata e primeira investigada, seja através do vínculo familiar com o então
Secretário de Defesa Civil, seja da própria associação, que fora comandada por pessoa vinculada a seu partido político.
De outro lado, no que toca à implantação de rede de água na Localidade PATOS (item 16), corrobora os depoimentos das testemunhas
indicadas pelos investigantes as palavras de trabalhador entrevistado (vídeo denominado Funcionário Hilário Patos) em que o mesmo confirma
que o empreiteiro Hilário, responsável pela obra, teria comparecido ao local com a candidata CARMELITA, acrescentando que houve uma
reunião para colocar “essa água aí”.
No mesmo sentido, observa-se evidenciada a exploração política da construção de barragem na Localidade RETIRO, com máquina da
Secretaria de Defesa Civil (item 17), em favor da candidata CARMELITA. De fato, como acima já referido, em gravação em vídeo (denominado
Barragem Retiro (3) Letícia e Antônio), a entrevistada Letícia dos Santos Marques referiu que NUNES teria comparecido com a CARMELITA,
bem antes da eleição, ocasião em que a mesma fora apresentada como candidata. Depreende-se, do teor da gravação em vídeo, que a
entrevistada confirma o aproveitamento eleitoral da obra em favor do NUNES e da candidata CARMELITA, conforme degravação de fls. 122. A
mesma entrevistada confirma ainda que a máquina utilizada na obra da barragem seria do LOBIM, mas estaria a serviço da Defesa Civil.
Conforme acima registrado, evidenciou-se a exploração político-eleitoral de obra pública em tela, tanto em benefício de NUNES quanto da
investigada CARMELITA, tendo-se em conta, inclusive, a época em que fora promovida.
Da mesma forma, há elementos probatórios indicativos da exploração político-eleitoral pela primeira investigada, CARMELITA DE CASTRO
SILVA, no que se refere à obra pública de implantação de sistema de abastecimento de água na Localidade Pé do Morro (item 24). Com efeito,
além dos depoimentos das testemunhas indicadas pelos investigantes, há registro em vídeo de pessoas entrevistadas naquela localidade,
informando sobre a promessa da então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato da perfuração de poço e de instalação de
abastecimento de água, que restaram efetivados no curso da campanha eleitoral. Por elucidativo, destaca-se a entrevista com morador (vídeo
identificado como Romário de França Magalhães), que se disse responsável por ter cavado buracos e feito “variantes” para o sistema de água,
em que o mesmo se refere a uma reunião em que “ela” teria dito que iria por água em todas as casas que, se votasse nela, poderia saber que
iria fazer poço. Outro morador entrevistado (vídeo identificado como Joaquim Ribeiro de Carvalho “SEU QUINDO”) confirma que a então
candidata CARMELITA teria prometido fazer o poço, e que o referido poço já teria sido aberto.
Importante notar, ainda, que a empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME, responsável pela implantação do sistema de abastecimento
de água, fora contratada pela Secretaria de Defesa Civil com dispensa de licitação, em pleno período eleitoral, pela quantia de R$ 875.113,34
(oitocentos e setenta e cinco mil, cento e treze reais e trinta e quatro centavos). Destacam os investigantes que a referida empresa seria de
propriedade de Dércio Castro Macedo, o qual seria primo da primeira investigada CARMELITA DE CASTRO e do vice-Prefeito, fato que não foi

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 43

sequer negado diretamente nas defesas. Como destacaram os investigantes, há sérias evidências de desvio de finalidade e aproveitamento
político-eleitoral da obra pública em favor da campanha da primeira investigada.
Neste ponto, vale analisar a responsabilidade do investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA, então Secretário de Defesa Civil do Estado, esposo da
primeira investigada. Em sua defesa, alega que a CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME fora contratada para implantação de sistema de
abastecimento de água na localidade Pé do Morro/Vistosa, no Município de São Raimundo Nonato, que se encontrava em estado emergencial
pela seca, mediante procedimento administrativo que teria seguido regular tramitação, inclusive com parecer da Procuradoria Geral do Estado
(fls. 469/471). Todavia, como destacam os investigados em suas alegações finais (fls. 2158/2160), o parecer do Procurador Geral do Estado
fora no sentido de não se encontrar satisfatoriamente demonstrados elementos justificadores da dispensa de licitação (Procedimento de
Dispensa de Licitação n. 021/2016). Com efeito, observa-se às fls. 1282/1372, cópia dos autos da dispensa de licitação em tela (Processo
Administrativo n. 0757/2016 – Dispensa de Licitação n. 021/2016), sendo possível identificar manifestação contrária à contratação direta
pretendida emitida pelo Procurador-Geral do Estado, Plínio Clêrton Filho, em 14 de setembro de 2016, onde o mesmo converte a análise do
Parecer PGE/PLC 1357/2016 em diligência, devolvendo os autos à Secretaria Estadual de Defesa Civil para que o órgão justificasse/certificasse
de maneira pormenorizada a necessidade de contratação direta em atenção às exigências do art. 24, IV, da Lei de Licitações e Contratos (fls.
1335). Registrou naquela manifestação, o Procurador-Geral do Estado, que os autos não apresentavam elementos comprobatórios da urgência
de atendimento de situação que possa ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros
bens públicos ou privados. Nas palavras do Procurador-Geral do Estado: “Dizer simplesmente que há estiagem na região, ou que esse evento
persiste ali há vários anos, é afirmação que não se reveste da concretude necessária à demonstração da emergência preconizada pela exceção
legal”.
Após a manifestação contrária do Procurador-Geral do Estado (fls. 1335), de 14 de setembro de 2016, consta apresentação de Justificativa
Complementar por membros da Comissão Permanente de Licitação da SEDEC/PI, datada de 20 de setembro de 2016 (fls. 1335/1341), seguida
imediatamente de ratificação e homologação da dispensa de licitação pelo Secretário de Defesa Civil, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, na mesma data
de 20 de setembro de 2016 (fls. 1346), sem registro visível nos autos de que o processo tenha retornado à análise prévia da Procuradoria-Geral
do Estado. A contratação da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA dera-se em 22 de setembro de 2016, conforme termo de contrato
de fls. 1283/1299, seguida de expedição de Ordem de Serviço naquela mesma data. Dessa análise, pode-se extrair séria evidência que não se
observaram todos os procedimentos necessários para a contratação de urgência, vez que não se observa formal referendo do Procurador-
Geral do Estado. Some-se à indicada irregularidade no procedimento da dispensa de licitação, o fato de ser contratada a empresa e autorizado
o início das obras em pleno período eleitoral, em Município no qual a esposa do então Secretário HÉLIO ISAIAS concorria ao cargo majoritário.
Acrescente-se, ainda, a informação do vínculo de parentesco do proprietário da empresa contratada, Décio de Castro Macedo, com a primeira
e segundo investigados, CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIZ ALBERTO COSTA MACEDO, fato não diretamente negado nas defesas. Ademais,
deve-se registrar o vídeo em que um morador entrevistado (vídeo identificado como Raimundo Nonato de Sousa) confirma o comparecimento
ao local do investigado HÉLIO ISAIAS, em conjunto com LOBIM e ARENALDO, o que tende a afastar mais o caráter impessoal da contratação. O
mesmo morador entrevistado confirma que a empresa responsável pela “variante” seria de DÉRCIO MACEDO. Da conjugação dos fatos
evidenciados nos autos, conclui-se não haver dúvidas do aproveitamento eleitoral de obra pública em favor dos investigados, com potencial de
influência no pleito.
Ainda quanto à atuação do investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA, importa referir à construção de calçamento na Localidade SÃO VITOR, pela
empresa Umbuzeiro Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil (item 20). Na inicial investigativa, alega-se que a obra não teria qualquer
relação com as finalidades da Secretaria de Defesa Civil, não estando pautada por critérios técnicos ou legais, tratando-se de atuação política
para promoção da candidatura da primeira investigada. Consideram os investigantes que teria havido notícia jornalística sobre a contratação,
destacando-se o valor contratado, que seria supostamente superior ao pago pelo Estado, bem como a empresa que seria contratada.
Apontaram os investigantes que o proprietário da empresa CONSTRUTORA UMBUZEIRO LTDA, E uclides de Castro, seria parente da primeira
investigada. Afirmam que o vínculo familiar também se evidenciaria em face de o pai do proprietário da referida empresa ser primo do
segundo investigado. Em suas alegações finais, os investigados alegam que a contratação dera-se de forma regular, através de procedimento
licitatório com parecer favorável da Procuradoria-Geral do Estado, pelo que não se poderia comprovar nexo de causalidade entre a obra e o
pleito eleitoral de 2016. Importante notar, todavia, que na sua defesa inicial e nas suas alegações finais, quanto ao ponto, os investigados não
negam o vínculo de parentesco com o proprietário da empresa contratada.
Ademais, embora aleguem correção do processo de contratação e realização da obra na Localidade SÃO VITOR, não há nos autos
demonstração dessa regularidade. Considere-se que a contratação em questão fora formalizada através do Processo Administrativo n.
01064/2015 (Tomada de Preço n. 001/2016), cuja cópia encontra-se às fls. 806/858, sendo o contrato, no valor de R$ 641.551,42 (seiscentos e
quarenta e um mil, quinhentos e cinquenta e um reais e quarenta e dois centavos), assinado pelas partes em 20 de julho de 2016 (fls.
807/829), com Ordem de Serviço subscrita por HÉLIO ISAIAS DA SILVA, Secretário de Defesa Civil, em 21 de julho de 2016 (fls. 830). Todavia,
não se observa o cumprimento das condições impostas no Despacho do Procurador-Chefe da Procuradoria de Licitações e Contratos para a
realização da licitação. Com efeito, observa-se que a aprovação do parecer fora condicionada a realização de correções indicadas no despacho
de fls. 839/840. Além de correções técnicas, destacou o Procurador-Chefe a necessidade de apresentar ato que autorizasse a intervenção do
Estado em área de titularidade do Município, o que não consta ter sido suprido. Nas palavras do Procurador-Geral: “Por se tratar de bens de
titularidade municipal, de uso comum do povo, deve-se juntar aos autos ato que autorize a intervenção do Estado em tais bens, como um
convênio entre Estado e Município”. O despacho da Procuradoria-Geral referenda a tese dos investigantes de que houve uso eleitoreiro da
obra pública, pois inegável que a pavimentação de área de responsabilidade municipal distancia-se das atuações normais da Secretaria de
Defesa Civil. A ausência de convênio com o Município, para a obra que seria de responsabilidade do ente municipal, aliada à época da
contratação e realização da obra, isto é, período de efervescência da disputa político-eleitoral, e somada ao vínculo ao alegado vínculo de
parentesco entre o titular da empresa contratada e os dois primeiros investigados, são elementos suficientes para afastar dúvida de que houve
aproveitamento da ação do Estado para colheita de dividendos eleitorais. Note-se que a execução de obra pública, ainda que não haja pedido
expresso de votos, tem impacto significativo na avaliação dos candidatos pelos eleitores.
Importante notar, no caso, o fato de a Secretaria de Defesa Civil do Estado ter realizado processo de licitação para a contratação da obra de

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 44

pavimentação supracitada, que se afasta de suas finalidades normais, desconsiderando o despacho da Procuradoria-Geral que indicou a
necessidade de ato que legitimasse a intervenção em área da municipalidade, como convênio com o Município, ao passo que não procedeu a
licitações para contratação de obras de combate à seca, como a relacionada à CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA, acima citada, cuja
dispensa de licitação dera-se em pleno período eleitoral. Por certo, o problema da estiagem é permanente na região, sendo plenamente
possível prever a eventual necessidade de obras que venham a amenizar seus efeitos.
Nesse ponto, vale destacar que os investigados também se referiram à contratação da empresa WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA, em 02 de
setembro de 2016, para recuperação de 08 (oito) barragens de terra nos Municípios de Bonfim, São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio, pelo
valor de R$ 3.054.529,15 (três milhões, cinquenta e quatro mil, quinhentos e vinte e nove reais e quinze centavos), o que ocorreu com
dispensa de licitação. Registre-se que, de forma semelhante ao que ocorreu na contratação da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA, o
processo de dispensa de licitação (Processo Administrativo n. 0870/2016 – Dispensa de Licitação n. 017/2016) houve manifestação contrária
da Procuradoria-Geral do Estado. De fato, nos autos do procedimento em tela, cuja cópia repousa às fls. 668/736, observa-se que o contrato
fora assinado em 02 de setembro de 2016 (fls. 669/685), com Ordem de Serviço assinada pelo Secretário Estadual de Defesa Civil HÉLIO ISAIAS
DA SILVA na mesma data (fls. 686), mesmo após parecer do Procurador-Chefe da Procuradoria de Licitações e Contratos, Fernando do
Nascimento Rocha, de 24 de agosto de 2016, que entendeu não estar demonstrado que a obra afastaria de imediato os efeitos danosos da
estiagem, determinando o retorno dos autos para complementação da justificativa e requerendo que, após essa etapa, voltassem os autos
àquela PGE para conclusão da análise. Nas palavras do Procurador-Chefe: “não aponta a justificativa concretamente porque não se pode
aguardar o tempo necessário à licitação, especificamente quanto à necessidade a ser atendida”, acrescentando, ainda, que “deve-se
demonstrar concretamente como a obra afastará de imediato os efeitos danosos da estiagem, que não possam sê-lo sem risco de maiores
prejuízos com a realização da licitação (considerando os prazos de publicidade e de realização da fase competitiva, já que os projetos se
encontram elaborados), considerando a previsão do próximo período chuvoso – já que a obra em si não proverá água (fls. 723).
É certo que não restou comprovado nos autos vínculo entre os investigados e a empresa contratada, WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA.
Entretanto, o momento da contratação, em pleno período de campanha para eleição municipal, permitiu a realização de obras públicas que,
como restou demonstrado nos autos, acabaram por se vincular à pessoa do investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA com possibilidade concreta de
colheita dos dividendos político-eleitorais em favor dos investigados. Como acima já registrado, em várias oportunidades, as obras realizadas
foram reportadas por moradores entrevistados como sendo obtidas através do Secretário de Defesa Civil HÉLIO ISAIAS. Veja-se, nesse sentido,
como exemplo da vinculação pessoal das obras ao investigado HÉLIO ISAIAS, o que já anteriormente exposto quanto às pessoas entrevistadas
na Localidade GARRINCHO (item 15), ao que referido sobre a construção da barragem pelos moradores da Localidade RETIRO (item 17).
Considere-se que também resta evidenciada a atuação do investigado MARTINHO AFONSO RIBEIRO, o “LOBIM”, várias vezes citado por
moradores das localidades, com atuação em obras da Secretaria de Defesa Civil que foram utilizadas para exploração político-eleitoral.
Observe-se, nesse sentido, o que se referiu anteriormente aos fatos narrados pelos moradores entrevistados na Localidade GARRINCHO (item
15), na Localidade RETIRO (item 17) e na Localidade Pé do Morro (item 24), sendo que, nesta última, há informação de que o investigado
MARTINHO AFONSO RIBEIRO, conhecido como “LOBIM” estava acompanhado do investigado HÉLIO ISAIAS. Acrescente-se, ainda, que
moradores entrevistados sobre a obra de reparo em uma barragem na da Localidade SERRA DOS GRINGOS (item 18) também confirmaram a
presença de “LOBIM” em obra da Defesa Civil, conforme trechos degravados às fls. 136 e 140.
Tenha-se, ainda, que não se comprovou nos autos a atuação direta do investigado LUIS ALBERTO COSTA MACEDO nos atos de exploração
político-eleitoral das obras realizadas nas localidades de São Raimundo Nonato/PI. Todavia, há elementos indicativos de sua ciência, em face
das referências à sua pessoa por alguns entrevistados. Ademais, em sendo considerado violadas as normas que buscam estabelecer o
necessário equilíbrio eleitoral, com comprometimento do mandato eletivo obtido pela primeira investigada, ocupante do cargo de Prefeita
Municipal, tem-se por obrigatoriamente comprometido o cargo de Vice-Prefeito ocupado pelo segundo investigado, em face da indivisibilidade
da chapa eleitoral vitoriosa ao arrepio da legislação pátria.
Lado outro, quanto aos demais investigados, considerou-se que os indícios coletados não foram suficientes à conclusão de suas
responsabilidades pelos ilícitos. De fato, houve alguma referência ao nome dos investigados quando das gravações, mas de modo não
conclusivo no que se refere à efetiva atuação no ilícito eleitoral, ainda que possam ter sido por ele beneficiados.
Quanto ao investigado EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, observa-se que o seu nome fora citado em face das gravações realizadas sobre os fatos
enumerados nos itens 04, 05, 07, 18 e 19. Todavia, das referências não se extrai efetiva atuação do investigado na promessa ou concessão de
benefícios aos eleitores das comunidades. Note-se que, quanto aos fatos relativos à Localidade SERRA NOVA, há relato, nas gravações, apenas
de que o mesmo participara de uma reunião com a primeira investigada (itens 04 e 07). De outro lado, quanto à suposta abertura de POÇO
TUBULAR na Localidade CALANGO/QUEIXADA, na propriedade do Sr. Cláudio Teófilo Marques (item 05), observa-se pouca informação sobre a
atuação do investigado. Ademais, quanto aos fatos relativos ao reparo em barragem na da Localidade SERRA DOS GRINGOS e limpeza de lagoa
na Localidade LAGOA COMPRIDA (itens 18 e 19), há negativa dos entrevistados quanto à presença ou atuação do investigado. Assim, considera-
se que os indícios levantados pelos investigantes não foram confirmados em desfavor de EUMADEUS PEREIRA FERREIRA.
Do mesmo modo, quanto ao investigado PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS, os fatos não restaram devidamente confirmados como narrados
na inicial. Com efeito, a suposta atuação do investigado na construção de uma barragem na Localidade FECHADÃO (item 13) não resta
comprovada pelo conteúdo dos autos. Note-se que, nos diálogos gravados, o entrevistador cita o nome do investigado, sendo que a
confirmação do entrevistado não se mostra segura. Ademais, a testemunha FÁBIO DE SOUSA BARBOSA, quando ouvida em juízo, negou a
atuação do investigado na construção de barragem na localidade. Do mesmo modo, no que se refere à contratação da Construtora Olho
D’água, para implantar sistema abastecimento de água na Localidade PÉ DO MORRO, há apenas uma referência ao investigado, por um dos
entrevistados, que alega ter telefonado para o mesmo quando uma caixa d’água quebrou (item 24). Assim, há de se concluir como frágeis os
elementos indiciários em desfavor do investigado.
Deve-se registrar, ainda, que quanto à investigada KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES, as supostas ilegalidades eleitorais são narradas,
em especial, pela testemunha NILTON ARAÚJO CANDIM NETO. Todavia, não encontraram as declarações da testemunha reforço em outros

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 45

elementos probatórios, inexistindo declarações de pessoas entrevistadas sobre tais fatos supostamente ilícitos. Desse modo, também não
pode ser acolhida a pretensão dos investigantes em seu desfavor.
DO DIREITO:
Restando comprovados, em parte, os fatos materiais narrados na inicial, conforme acima exposto, no caso, a concessão de benesses a
eleitores e exploração político-eleitoral de obra pública, passa-se a analisar as suas consequências jurídicas. Como acima registrado, os
investigantes afirmam enxergar nas condutas questionadas três ilícitos eleitorais: abuso do poder político e econômico, captação ilícita de
sufrágio e conduta vedada a agente público.
Abuso do poder político e econômico:
Em sendo comprovada a utilização real de obras ou recursos de origem pública para viabilizar a campanha eleitoral, pode sim haver
configuração de abuso de poder econômico, mormente quando demonstrada a potencialidade lesiva da conduta. Não se nega, por certo, que
é bastante comum, nas relações humanas, o exercício de poder, seja político, econômico ou mesmo pessoal. Todavia, no que se refere à lisura
das eleições, o que a legislação pátria tenta impedir é o exagero na utilização desse potencial de ordem econômica ou política que desequilibre
significativamente a disputa legítima entre os candidatos e acabe por desfigurar a própria noção de democracia.
Em sociedades como a nossa, nas quais as desigualdades de ordem econômica, cultural e educacional são ainda muito elevadas, deve haver
um esforço coletivo para a sedimentação dos princípios da cidadania, a começar pela liberdade de exercício do sufrágio. Não há dúvida de que
a situação de maior fragilidade econômica, infelizmente ainda típica nas regiões assoladas pela seca, abre espaço propício ao exercício
arbitrário dos poderes econômicos, especialmente com promessas ou concessões de benefícios às pessoas mais carentes, com o fim de
determinar sua inclinação política. O próprio estado de necessidade econômica e carência de recursos essenciais à sobrevivência humana
digna, como a água potável, leva a divisar um campo propício ao cultivo de práticas políticas condenáveis, a exemplo do clientelismo, da
captação ilícita de sufrágio e da promoção de candidatos a partir de seu potencial de conceder benefícios imediatos aos eleitores. Se, por um
lado, é lícito o uso de recursos econômicos em campanha eleitoral, por outro, o abuso do poder econômico é combatido pelo sistema jurídico
como prática violadora da ética política.
Sobre o abuso de poder econômico nas eleições, vejam-se as palavras de ADRIANO SOARES DA COSTA, em seu livro Instituições de Direito
Eleitoral, 9ª ed. – Belo Horizonte: Fórum, 2013, pág. 260:

Já o abuso do poder econômico consiste na vantagem dada a uma coletividade de eleitores, indeterminada ou determinável, beneficiando-os
pessoalmente ou não, com a finalidade de obter-lhes o voto. Para que a atuação do candidato, ou alguém em seu benefício, seja considerada
abusiva, necessário eu haja probabilidade de influenciar no resultado do pleito, ou seja, que haja relação de causalidade entre o ato praticado
e a percussão no resultado das eleições. Desse modo, o conceito de abuso de poder, econômico ou político, é relacional: apenas há abuso
juridicamente relevante se, concretamente, trouxer possibilidade de modificar o resultado da eleição. Assim, apenas no contexto do caso
concreto poderá ser observada a existência de abuso relevante para incoar a sanção de inelegibilidade.

De fato, tem-se como prática abusiva a exploração exagerada do potencial econômico do candidato ou do grupo político a que pertence, com
potencialidade de acarretar distorções no pleito eleitoral, e tendência ao desvirtuamento da vontade do eleitorado e ao comprometimento da
legitimidade que se espera do resultado das urnas. Sobre o abuso do poder econômico nas eleições, ferindo a isonomia que deve ser mantida
entre os candidatos, vejam-se também, por pertinente, as palavras de EMERSON GARCIA, em seu livro Abuso de Poder nas Eleições – Meios de
Coibição, Lumen Juris, 2ª edição, 2004, pág. 40:

A imperativa observância do limite de gastos informado à Justiça Eleitoral tem por objetivo minorar os abusos na prática de atos que busquem
transmitir, ao colégio eleitoral, a ideologia e os projetos dos participantes do procedimento eletivo, destinado ao estabelecimento de um liame
de identificação para com aquele. A consecução dos fins almejados, no entanto, deve ser alcançada com o emprego dos meios disponibilizados
pelo ordenamento jurídico (v.g.: propaganda eleitoral regular), sendo defeso o emprego de recursos em atividades ilícitas ou mesmo naquelas
aparentemente lícitas, mas que visem, de forma indireta e em detrimento da indispensável isonomia, auferir o apoio do eleitorado (v.g.:
realização de doações, ainda que sem solicitação de voto, no período que antecede o pleito). Afigura-se inaplicável, nesta seara, a conhecida
máxima de Maquiavel de que 'os fins justificam os meios'.

Deve-se observar, ainda, que a caracterização de abuso de poder econômico por vezes não se dá com a simples subsunção de regra legal
específica ao fato analisado, eis que se trata de conceito jurídico indeterminado, demandando do intérprete, diante do caso concreto, o cotejo
do sistema jurídico eleitoral como um todo, suas normas-regra e seus princípios. A própria doutrina não costuma apontar com exatidão o que
se entende por tais atos de abuso, trazendo em geral exemplos para nortear o aplicador da lei. Nesse sentido, observe-se o que diz MARCOS
RAMAYANA, no seu livro Direito Eleitoral – 4ª ed. – Rio de Janeiro: Impetus, 2005, pág. 298:

Dificilmente a doutrina define o que seja abuso do poder econômico ou político, adotando-se certos parâmetros que servem de bússola para o
intérprete na constatação, cumprindo ao legislador definir situações fáticas caracterizadoras do abuso, tais como: corrupção eleitoral (art. 299
do Código Eleitoral); mapismo (art. 315 do Código Eleitoral); gastos eleitorais não-contabilizados durante o período de propaganda eleitoral;
utilização de bens públicos para a reeleição ou para fomentar a campanha de parente o cônjuge etc.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 46

No mesmo sentido, discorrendo sobre as hipóteses de cabimento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, Rodrigo López Zílio, no livro acima
já referido (p. 540/541), destaca a indeterminação dos conceitos de abuso de poder político, seja econômico, político ou de autoridade, que
devem ser aferidos caso a caso, não se podendo falar em taxatividade. Vejam-se suas palavras:
São hipóteses de cabimento da AIJE, a prática de abuso do poder econômico, abuso do poder de autoridade (ou político), utilização indevida
de veículos ou meios de comunicação social e a transgressão de valores pecuniários.
O abuso de poder é conceituado como qualquer ato, doloso ou culposo, de inobservância das regras de legalidade, com consequências
jurídicas negativas na esfera do direito. O que a lei proscreve e taxa de ilícito é o abuso de poder; ou seja, é a utilização excessiva – seja
quantitativa ou qualitativamente – do poder, já que, consagrado o Estado Democrático de Direito, possível o uso de parcela do poder, desde
que observado o fim público e não obtida vantagem ilícita.
O abuso de poder econômico, o abuso de poder político, o abuso de poder de autoridade, a utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social e a transgressão de valores pecuniários se caracterizam como conceitos jurídicos indeterminados que, necessariamente,
passam a existir no mundo jurídico após o fenômeno da recepção fática. Portanto, para a caracterização de tais abusos, na esfera eleitoral,
prescinde-se do fenômeno da taxatividade.

No presente caso, ademais, observa-se que os atos de abuso de poder econômico foram praticados em conjunto com o abuso de poder
político e de autoridade, pois restou demonstrada a utilização de obras, máquinas e serviços públicos para fomentar a campanha eleitoral de
candidatos investigados. Considere-se que o direcionamento das ações do Estado para beneficiar a população de uma ou outra localidade, a
depender da conveniência ou interesse político-eleitoral fere sobremaneira a impessoalidade que deve nortear a conduta dos agentes públicos
e permite a colheita de frutos eleitorais de forma ilícita pelos detentores do poder.
É inegável que uma boa administração da coisa pública gera, naturalmente, dividendos políticos ao bom gestor, que pode usufruir do
reconhecimento do eleitorado e, eventualmente, pleitear com maiores possibilidades de sucesso uma nova eleição, destacando as ações
realizadas e os resultados obtidos em benefício da coletividade que o credenciariam a merecer o voto pedido. Outra situação, absolutamente
diferente, é a realização de obra pública ou a concessão de benefícios a uma determinada comunidade em pleno período eleitoral, como
estratégia de campanha em favor de determinado candidato, o que configura claro abuso do poder político e de autoridade. Note-se que se
verifica nos autos a exploração político-eleitoral de obras de natureza pública realizadas em favor de comunidades afetadas pela estiagem, seja
a perfuração de poços tubulares, realização de projetos de irrigação e construção e/ou reforma de reservatórios. A intermediação política das
benesses conferidas à comunidade, como fartamente observado nos autos desta ação eleitoral, retira o caráter impessoal da ação
governamental, vinculando, no âmbito do senso-comum da população beneficiada, o benefício recebido à pessoa do gestor público e do
candidato por ele apoiado. Em suma, utiliza-se a máquina estatal para concessão de benefícios, no curso de pleito eleitoral, com o intermédio
de candidatos e pessoas a eles vinculadas, conduzindo ao recebimento de dividendos eleitorais ilegítimos.
Tão prejudicial à legitimidade democrática é a utilização da estrutura do Estado para fomentar campanha eleitoral que a legislação estabelece
diversas condutas vedadas aos agentes público, haja vista o disposto no art. 73 da Lei das Eleições, com o fim de não macular o equilíbrio do
pleito. A mesma conduta vedada ao agente público pode, se observada de outro ângulo, configurar abuso de poder político ou de autoridade,
muitas vezes entrelaçada com abuso de poder econômico, com o agravante de utilizar-se recursos de origem pública para favorecer
candidatura. Tais condutas abusivas, como se sabe, são seriamente combatidas pelo sistema jurídico, ensejando sanções de inelegibilidade e,
no âmbito da AIJE, cassação do registro ou do diploma. Sobre os efeitos da prática de condutas abusivas para as pessoas por elas condenadas
no âmbito de Ação de Investigação Judicial Eleitoral, observem-se as palavras de José Jairo Gomes, em seu livro Direito Eleitoral, 12ª ed. – São
Paulo: Atlas, 2016, p. 656:

No plano dos efeitos, a natureza, a forma, a finalidade e a extensão do ‘abuso’ cometido podem render ensejo a diferentes respostas
sancionatórias do ordenamento positivo. No presente contexto, acarreta a inelegibilidade do agente ou beneficiário, bem como a cassação de
seu registro ou diploma. É que a ofensa malfere o processo eleitoral, no todo ou em parte, dela resultando o comprometimento de sua
normalidade ou legitimidade. Aqui, o bem jurídico protegido é a higidez das eleições.

Note-se que a Constituição Federal de 1988, ao tratar dos Direitos Políticos, reconhece os efeitos nocivos das práticas abusivas para a
normalidade e legitimidade das eleições, determinando que lei complementar estabelecesse os casos de inelegibilidade em face dessas
ocorrências. Veja-se o teor do § 9º do art. 14 da Carta Maior:

§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidade administrativa,
a moralidade para exercício de mandato considerada vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições contra a
influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta.

Na linha do supracitado dispositivo constitucional, vem a Lei Complementar n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades) estabelecer, além de diversos
casos de inelegibilidade, o rito a ser seguido na Ação de Investigação Judicial Eleitoral para apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder
econômico ou de autoridade, favorecendo candidato ou partido político. Interessante notar que, com as alterações inseridas no inciso XIV do
art. 22 da Lei das Inelegibilidades pela Lei Complementar n. 135/2010, a procedência da representação, mesmo após proclamado o resultado
do pleito, acarreta não somente a cominação de inelegibilidade ao candidato beneficiado e a todos que tenha contribuído para o ilícito, mas

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 47

também a cassação do registro ou do diploma de quem fora eleito valendo-se da prática abusiva. Ademais, a presunção legal de prejuízo à
normalidade do pleito é tão severa que não exige, para a cassação do registro ou do diploma a prova de potencialidade de influência do fato
no resultado da eleição, bastando apenas a consideração da gravidade das circunstâncias. Vejam-se o caput e os incisos XIV e XVI do
dispositivo legal supracitado:

Art. 22. Qualquer partido político, coligação, candidato ou Ministério Público Eleitoral poderá representar à Justiça Eleitoral, diretamente ao
Corregedor-Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, indícios e circunstâncias e pedir abertura de investigação judicial para
apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade, ou utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político, obedecido o seguinte rito: (...)

XIV – julgada procedente a representação, ainda que após a proclamação dos eleitos, o Tribunal declarará a inelegibilidade do representado e
de quantos hajam contribuído para a prática do ato, cominando-lhes sanção de inelegibilidade para as eleições a se realizarem nos 8 (oito)
anos subsequentes à eleição em que se verificou, além da cassação do registro ou diploma do candidato diretamente beneficiado pela
interferência do poder econômico ou pelo desvio ou abuso do poder de autoridade ou dos meios de comunicação, determinando a remessa
dos autos ao Ministério Público Eleitoral, para instauração de processo disciplinar, se for o caso, e de ação penal, ordenando quaisquer outras
providências que a espécie comportar; (...)

XVI – para a configuração do ato abusivo, não será considerada a potencialidade de o fato alterar o resultado da eleição, mas apenas a
gravidade das circunstâncias que o caracterizam.

No curso da instrução do presente feito, considero que restou devidamente comprovado o abuso do poder econômico e do político por parte
dos candidatos investigados, em conjunto com outras pessoas, o que conduz à aplicação da pena de cassação dos diplomas dos candidatos
eleitos que tenha sido beneficiados, assim como a aplicação da pena de inelegibilidade, pelo período de 08 (oito) anos aos que tenham
participação direta ou indireta consciente na prática dos ilícitos eleitorais. Com efeito, conforme acima analisado por ocasião da referência aos
fatos imputados aos investigados, nota-se que houve, no curso da campanha eleitoral o fornecimento de benesses a várias comunidades do
Município de São Raimundo Nonato/PI, como regra, relativas a suprir de fornecimento de água aquelas localidades que sofriam os efeitos da
seca. Os fatos são graves, tendo em conta o período eleitoral em que ocorreram e a vinculação das obras e serviços colocados à disposição dos
moradores das localidades aos políticos que disputavam o pleito municipal.
Sobre a necessidade de análise da gravidade da conduta para a procedência de ação eleitoral que visa a apurar abuso de poder, veja-se o
seguinte julgado:

AGRAVOS REGIMENTAIS. AGRAVOS. RECURSOS ESPECIAIS. ELEIÇÕES 2016. PREFEITO. VICE. VEREADORES NÃO ELEITOS. AÇÃO DE
INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL (AIJE). ART. 22 DA LC 64/90. ABUSO DE PODER ECONÔMICO. COMPRA DE APOIO POLÍTICO.
CONFIGURAÇÃO. DESPROVIMENTO.
1. No decisum monocrático, mantiveram-se sentença e acórdão do TRE/PR por meio dos quais se assentou abuso de poder econômico por
compra de apoio político em favor do PDT nos pleitos majoritário e proporcional de Rancho Alegre/PR em 2016, cassando-se os diplomas da
Prefeita e do Vice-Prefeito e os registros de cinco candidatos ao cargo de vereador não eleitos, declarando-se, ainda, inelegíveis os agravantes,
exceto a chefe do Executivo (por falta de provas de sua participação ou anuência).
2. Não há falar em litisconsórcio passivo necessário relativamente a todos os que se candidataram pelo PDT, mas apenas entre os que
praticaram o ilícito e seus beneficiários. O TRE/PR, de modo claro, assentou a total ausência de benefício ou de ato comissivo dos demais
postulantes e consignou, a título exemplificativo, que um deles sequer disputou o pleito porque teve seu registro indeferido. Concluir de forma
diversa esbarra no óbice da Súmula 24/TSE.
3. Inexistiu julgamento extra petita pelo TRE/PR. O decreto condenatório foi mantido com supedâneo em inúmeras condutas atribuídas aos
agravantes, demonstradas mediante vasto conjunto probatório, e não na oferta de R$ 3.000,00 a uma das candidatas.
4. A teor da jurisprudência desta Corte, afigura-se lícita a gravação ambiental realizada em local público - no caso, reunião entre alguns dos
agravantes em posto de combustível.
5. É viável reconhecer o abuso de poder econômico na hipótese de oferecimento de vantagens materiais a candidatos em troca de apoio
político a quem os aliciou. Precedentes.
6. Na espécie, o Vice-Prefeito eleito, com a ciência e o apoio do então Presidente da Comissão Provisória do PDT, realizou inúmeros
pagamentos e ofereceu vantagens aos demais agravantes em troca de filiação de pessoas a fim de fortalecer suas candidaturas, viciando a
normalidade e a legitimidade do pleito.
7. O conjunto probatório é robusto e revela o alcance e a gravidade da conduta. O TRE/PR assentou que "as gravações [...] havidas na loja de
conveniência do posto de gasolina, na qual estava presente a maioria dos [agravantes], é clara quanto à ocorrência do oferecimento de valores
em dinheiro para garantir o apoio político dos recorrentes", além do que "testemunhas, informantes e depoimentos pessoais colhidos em juízo
corroboraram com as alegações de que Valter Aleixo [...] possuía uma grande quantia em dinheiro, a qual seria utilizada para comprar o apoio
político".

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 48

8. Concluir de modo diverso demandaria reexame de fatos e provas, inviável em sede extraordinária (Súmula 24/TSE).
9. Evidenciada conduta que comprometa a disputa eleitoral e a isonomia entre os candidatos, impõe-se cassar os registros ou diplomas de
todos os beneficiários, cabendo ao órgão julgador definir a atuação de cada um deles no ilícito apenas para fim de inelegibilidade, que possui
natureza personalíssima. Precedentes.
10. Agravos regimentais desprovidos.
Decisão:
O Tribunal, por unanimidade, negou provimento aos agravos regimentais interpostos por Alexandre Marcon e outros e por Darlene do Prado
Moreira, nos termos do voto do Relator. Votaram com o Relator os Ministros Og Fernandes, Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, Sérgio Banhos,
Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Rosa Weber (Presidente).
(Recurso Especial Eleitoral nº 19260, Acórdão, Relator(a) Min. Jorge Mussi, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Data 27/06/2019)

Os fatos verificados no curso da instrução demonstram a real gravidade das circunstâncias, mormente tendo em vista que fora utilizada a
máquina pública estatal, com elevado poder econômico, para realizar benefícios em favor da população carente de várias comunidades
interioranas do Município de São Raimundo Nonato, sendo que as obras e serviços acabavam sendo vinculados às pessoas dos candidatos
investigados. Note-se, ademais, como acima já referido, que a própria urgência justificadora de contratação de empresas com dispensa de
licitação pela Secretaria de Defesa Civil, naquele período eleitoral, fora colocada em xeque pela Procuradoria-Geral do Estado. Há sérios
indícios, portanto, de que a urgência na contratação levava em conta o próprio período eleitoral, não se podendo desconsiderar que a
primeira investigada, então candidata a Prefeita, é esposa do então Secretário de Defesa Civil do Estado. De mais a mais, a realização, em
pleno período eleitoral, de obra desvinculada da finalidade da referida Secretaria de Estado, como a construção de calçamento na Localidade
SÃO VITOR, sem busca de qualquer convênio com o Município, corrobora sobremaneira a conclusão de que o intuito era mesmo obter
créditos eleitorais.
Dessa forma, tendo em conta a gravidade da prática ilícita imputada aos investigados, incluindo sua potencialidade de influência na definição
do pleito, impera reconhecer a procedência parcial dos pedidos da inicial, tanto para decretar a cassação dos diplomas conferidos aos
investigados, quanto para impor sanção de inelegibilidade.
Da captação ilícita de sufrágio:
A captação ilícita de sufrágio, como se sabe, configura-se em sua modalidade mais comum com a oferta de vantagens econômicas a eleitores
em troca de seus votos, o que levaria à incidência em conduta vedada pelo art. 41-A, da Lei n. 9.504/97, implicando as seguintes sanções: a)
cassação do registro ou do diploma; e b) aplicação de multa.
De outra parte, para a configuração da captação ilícita de sufrágio, a fazer incidir o art. 41-A da Lei n. 9.504/97, não se exige potencialidade
lesiva ao pleito eleitoral. A comentada “compra de votos” ou “corrupção eleitoral” é de tamanha gravidade, ferindo profundamente os
princípios básicos da cidadania e da dignidade política do eleitor que basta a prova de um único ato para conduzir à desqualificação do
candidato infrator ao exercício do mandato político. Sobre o tema, vejam-se as palavras de JOSÉ JAIRO GOMES, em seu livro acima já referido,
pág. 731:

Bem juridicamente tutelado - cumpre ressaltar que o bem jurídico que se visa salvaguardar é a liberdade do eleitor de votar conforme os
ditames de sua própria consciência. É a liberdade de formar sua vontade de votar livremente, escolhendo quem bem entender para o governo.
Logo, não é necessário que o evento afete ou comprometa a normalidade ou a legitimidade das eleições, porquanto uma só ocorrência já e
bastante para configurar o ilícito em exame, sendo desnecessária a presença do fator potencialidade lesiva. É nesse sentido o remansoso
entendimento jurisprudencial:

Diferenciando os conceitos de captação ilícita de sufrágio do abuso de poder econômico, quanto ao direcionamento da vantagem indevida e a
potencialidade lesiva da conduta, vejam-se as palavras de ADRIANO SOARES DA COSTA, em seu livro Instituições de Direito Eleitoral, 9ª ed. –
Belo Horizonte : Fórum, 2013, pág. 250:

A distinção entre captação ilícita de sufrágio e o abuso de poder econômico consiste justamente na percussão dos fatos ilícitos: no primeiro
caso, há uma negociação direta com o eleitor, pela qual o candidato, ou mesmo alguém com a sua anuência, ofereça alguma vantagem
pessoal em troca do voto; no segundo caso, são outorgadas vantagens pessoais, mas para um universo indeterminado de beneficiários, que
necessitam gerar para configurar a ilicitude, a potencialidade de influenciar o resultado do pleito, ou, na linguagem da LC nº 135, deverá ser
observada a “gravidade das circunstâncias” (art. 22, inc. XVI, da LC nº 64/90).

No presente caso, ainda que tenha havido prova de concessão de benefícios a eleitores, em pleno período eleitoral, configurando claro abuso
de poder econômico e político, entendo não restou devidamente comprovada a captação ilícita de sufrágio. De fato, o conteúdo dos autos
evidencia a realização de obras e fornecimento de benesses de caráter coletivo, ainda que tendente a obter o apoio político das comunidades.
Não se comprovou, efetivamente, a comercialização do voto, com entrega de benefícios de caráter pessoal ao eleitor, mas a realização de
obras de benefício coletivo, aptas, entretanto, a angariar a inclinação político-eleitoral das comunidades beneficiadas.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 49

Não há efetiva comprovação da chamada “compra de voto” pelos candidatos investigados. Os fatos investigados e apurados no curso desta
Ação de Investigação Judicial Eleitoral afastam-se, portanto, da qualificação de captação ilícita de sufrágio, amoldando-se com maior
propriedade ao abuso de poder político e de autoridade, além de conduta vedada.
Da prática de conduta vedada:
Considere-se que o sistema jurídico pátrio, ao admitir a reeleição para cargo do Poder Executivo (art. 14, § 5º, da CF), tolera alguma natural
situação de vantagem daquele que já se encontra administrando a coisa pública, pois este, diante do mandato que lhe fora outorgado
anteriormente pelo povo, tem a oportunidade de confirmar com uma boa administração as suas credenciais para permanecer no exercício do
Poder político por mais um período. Por outro lado, para evitar abusos de poder, não permite a lei que o administrador, principalmente no ano
eleitoral, realize atos extraordinários destinados tão somente a angariar a simpatia popular e perpetuar-se à frente da Administração Pública.
Ademais, a mesma vedação ao ocupante de cargo eletivo da prática de atos na Administração que visem a captação de sufrágio é extensiva a
qualquer outro agente público, servidor ou não, conforme a letra do caput do art. 73 da Lei das Eleições. A finalidade das vedações legais é
garantir a igualdade de oportunidade dos candidatos na disputa pelos votos, pois não há qualquer dúvida sobre o poder exercido por aqueles
que estão investidos como agentes do Estado, dispondo não somente da autoridade inerente a seus cargos, mas também da faculdade de
direcionar os recursos estatais, materiais e humanos, para uma ou outra finalidade que pode, com efeito, ter sério impacto nos destinos de um
pleito eleitoral.
Na presente demanda, como acima registrado, os investigantes alegam que teria havido violação por parte dos investigados das regras
impeditivas de condutas de agentes públicos. Em resumo, alegam que os investigados teriam incidido nas práticas proibidas nos termos dos
incisos I, III e IV do art. 73 da Lei das Eleições (Lei n. 9.504/97). Vejam-se os termos legais:
Art. 73. São proibidas aos agentes públicos, servidores ou não, as seguintes condutas tendentes a afetar a igualdade de oportunidades entre
candidatos nos pleitos eleitorais:
I - ceder ou usar, em benefício de candidato, partido político ou coligação, bens móveis ou imóveis pertencentes à administração direta ou
indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios, ressalvada a realização de convenção partidária;
(...)
III - ceder servidor público ou empregado da administração direta ou indireta federal, estadual ou municipal do Poder Executivo, ou usar de
seus serviços, para comitês de campanha eleitoral de candidato, partido político ou coligação, durante o horário de expediente normal, salvo
se o servidor ou empregado estiver licenciado;
IV - fazer ou permitir uso promocional em favor de candidato, partido político ou coligação, de distribuição gratuita de bens e serviços de
caráter social custeados ou subvencionados pelo Poder Público;

Sobre a caracterização da prática de conduta vedada a agente público, vejam-se as palavras de JOSÉ JAIRO GOMES, em seu livro acima já
referido, pág. 739:

Tem-se salientado a unicidade do conceito de abuso de poder, conquanto sua concretização possa dar-se a partir de diferentes situações
ocorridas na realidade fenomênica, apresentado, ainda, diversidade de efeitos na esfera jurídica. Conforme lição clássica, trata-se de mau uso
de poder – ou de direito subjetivo – detido pelo agente, que desborda do que é comum e da normalidade.
Caracteriza-se o abuso de poder político pela exploração da máquina administrativa ou de recursos estatais em proveito de candidatura, ainda
que aparentemente haja benefício à população. Distingue-se do abuso do poder econômico, porquanto neste se encontra ausente a atuação
de agente estatal.
Entre as inumeráveis situações que podem denotar uso abusivo de poder político ou de autoridade, o legislador destacou algumas em virtude
de suas relevâncias e reconhecida gravidade no processo eleitoral, interditando-as expressamente. São as denominadas condutas vedadas,
cujo rol encontra-se nos artigos 73 a 78 da Lei nº 9.504/97. Trata-se de numerus clausus, não se admitindo acréscimo no elenco legal.
Sobretudo em razão de seu caráter sancionatório, as regras em apreço não podem ser interpretadas extensiva ou ampliativamente, de modo a
abarcar situações não normatizadas.

No caso em análise, considero comprovada a prática de conduta vedada pelo investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA, então Secretário de Defesa
Civil do Estado do Piauí, tendo em conta que permitiu a utilização, em benefício de candidatos a cargos eletivos, no curso do pleito eleitoral de
2016, de bens móveis e serviços custeados pelo poder público, a exemplo das obras em barragens e de implantação de sistema de distribuição
de água acima referidos. Como restou evidenciado no curso da instrução deste feito, há evidência de que ações levadas a efeito pela Secretaria
de Defesa Civil do Estado foram direcionadas a promover a candidatura da primeira investigada, incidindo a conduta do agente público
responsável na prática de condutas vedadas nos incisos I e IV do art. 73 da Lei das Eleições, atraindo para si as sanções legais, dentre elas, a
aplicação de multa, no valor de cinco a cem mil UFIR, conforme impõe o § 4º do mesmo dispositivo.
De outro lado, a aplicação das penalidades deve também incidir em face de todos aqueles que, de algum modo, contribuíram para a prática de
conduta vedada, sejam ou não agentes públicos ou candidatos. Ademais, deve a penalidade prevista em lei ser graduada para cada um dos
responsáveis levando-se em conta a adequada proporcionalidade da contribuição para os atos ilícitos, que tendem a afetar a igualdade de
oportunidades entre candidatos a cargos eletivos.
Sobre a proporcionalidade na fixação do valor da multa aplicável aos agentes públicos e aos beneficiários das condutas vedadas, observem-se

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 50

as palavras de Rodrigo López Zílio, no livro acima já referido (p. 588/589):


Após certa oscilação sobre os requisitos necessários para a procedência da representação por conduta vedada – ora entendendo que basta a
ocorrência dos atos proibidos (Recurso Especial Eleitoral nº 27.737 – Rel. Min. José Delgado – j. 04.12.2007), ora exigindo prova da
potencialidade lesiva (Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 25.075 – Rel. Min. Cezar Peluso – j. 27.11.2007) –, o TSE atualmente
tem preconizado que a tão-só ocorrência do fato lesivo importa a procedência do pedido, com a aplicação da multa, sendo que o princípio da
proporcionalidade incide no momento da fixação da pena (ou seja, a imposição da cassação do registro ou do diploma depende da gravidade
dos fatos). Conforme sinaliza a Corte Superior, “a adoção do princípio da proporcionalidade, tendo em conta a gravidade da conduta,
demonstra-se mais adequada para a gradação e fixação das penalidades previstas nas hipóteses de condutas vedadas. Caracterizada a conduta
vedada, a multa do § 4º do art. 73 das Lei das Eleições é de aplicação impositiva, não havendo falar em princípio da insignificância” (Agravo
Regimental no Agravo de Instrumento nº 11.488 – Rel. Min. Arnaldo Versiani – j. 22.10.2009).

No caso em análise, tenho que a maior responsabilidade pelas condutas vedadas cabe ao terceiro investigado, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, então
Secretário de Defesa Civil do Estado, que detinha o poder de determinação das ações implementadas pela máquina estatal e que acabaram
serem utilizadas para alavancagem política de pessoas a ele vinculadas. Assim, tendo em conta a amplitude e gravidade dos atos praticados,
incluindo o valor das obras realizadas no período eleitoral, considero que deve ser fixada em face do referido investigado multa no valor de
50.000 (cinquenta mil) UFIR, a ser convertida para real, observando a última cotação.
De outro lado, para os demais, investigados, CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA,
NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO, entendo que
deve ser fixada multa de 5.000 (cinco mil) UFIR, também com conversão para moeda corrente.
DISPOSITIVO:
Pelo exposto, com base no fundamento nos dispositivos acima citados, especialmente, no inciso XIV do art. 22 da Lei Complementar n. 64/90
(Lei das Inelegibilidades) e no art. 73 da Lei das Eleições, julgo parcialmente procedentes os pedidos contidos na presente Ação de Investigação
Judicial Eleitoral – AIJE, reconhecendo a prática de atos de abuso de poder econômico e político e de conduta vedada pelos investigados
CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS
SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO e, em consequência:
1 – Casso os diplomas expedidos em favor de CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA,
NUNES DE JESUS SANTOS e LAERCIO DIAS DE CARVALHO, e decreto a perda dos mandatos eletivos que lhe foram outorgados nas eleições
para, respectivamente, Prefeito, Vice-Prefeito e Vereador de São Raimundo Nonato, no ano de 2016;
2 – Declaro inelegíveis os investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, RIAN MARCOS
ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO
RIBEIRO, pelo período de 08 (oito) anos (art. 22, XIV, da Lei Complementar n. 64/90);
3 – Declaro nulos os votos conferidos aos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, no pleito eleitoral de
2016, convocando eleição suplementar para os cargos de Prefeito e Vice-Prefeito do Município de São Raimundo Nonato/PI, apenas para
completar o período do mandato em curso (art. 224, §§ 3º e 4º do Código Eleitoral);
4 – Declaro que os votos conferidos aos investigados eleitos para cargos de Vereador RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS
SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO e JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA, permanecem válidos apenas para a agremiação partidária
específica, como votos de legenda;
5 – Aplico ao investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA multa de 50.000 (cinquenta mil) UFIR, a ser convertida para real, observando a última
cotação;
6 – Aplico aos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS
SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO multa individual de 5.000
(cinco mil) UFIR, a ser convertida para real, observando a última cotação.
Por outro lado, considerando a insuficiência probatória, julgo improcedentes os pedidos formulados na inicial desta Ação de Investigação
Judicial Eleitoral – AIJE em face dos investigados EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS e KATIUSCIA DE
OLIVEIRA RIBEIRO MORAES.
Declaro extinto o feito, sem análise do mérito, quanto ao investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, nos termos do art. 485, IX, do CPC,
pelo seu falecimento.
Determino, ainda, a adoção das seguintes providências pelo Cartório Eleitoral:
Tendo em vista a indicação da possível ocorrência de crime tipificado no art. 299 do Código Eleitoral ou de eventual crime conexo tipificado na
Lei n. 8.666/93, determino o encaminhamento de cópia da inicial, das defesas, das alegações finais, desta sentença e dos procedimentos
licitatórios em referência ao Ministério Público Eleitoral, para adoção das providências que entender necessárias (art. 40 do CPP).
Oficie-se ao Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, comunicando o teor desta decisão e solicitando expedição de resolução que venha a definir
calendário eleitoral para a eleição suplementar supracitada para Prefeito e Vice-Prefeito de São Raimundo Nonato/PI.
Expeça-se ofício ao Presidente da Câmara Municipal de São Raimundo Nonato/PI para, dando cumprimento à presente decisão, assumir a
chefia do Poder Executivo Municipal até a conclusão da eleição suplementar supracitada, bem como, para que proceda à posse dos suplentes
dos vereadores RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO e JOSÉ RONALDO DEODATO DE

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 51

SIQUEIRA, que tiveram seus diplomas e mandatos cassados.


Sem custas e sem honorários.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Com o trânsito em julgado, cumprida a decisão, arquivem-se os autos.
São Raimundo Nonato/PI, 01 de setembro de 2019.

MÁRIO SOARES DE ALENCAR


JUIZ ELEITORAL

AÇÃO DE IMPUGNAÇÃO DE MANDATO ELETIVO – AIME


AUTOS: 1-43.2017.6.18.0013
PROCEDÊNCIA: SÃO RAIMUNDO NONATO
IMPUGNANTES: Coligação “FORÇA DO POVO” (PDT/DEM/PTC/PSB/PSD e PT do B)
AVELAR DE CASTRO FERREIRA

IMPUGNADOS: CARMELITA DE CASTRO SILVA


LUIS ALBERTO COSTA MACEDO
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA
RIAN MARCOS ALVES DA SILVA
NUNES DE JESUS SANTOS
LAERCIO DIAS DE CARVALHO
PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS
KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES

SENTENÇA

Vistos etc.
Trata-se de Ação de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME proposta pela Coligação “FORÇA DO POVO” (PDT/DEM/PTC/PSB/PSD e PT do B)
e AVELAR DE CASTRO FERREIRA em desfavor de CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, EUMADEUS PEREIRA
FERREIRA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS e
KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES, todos qualificados nos autos, pela suposta prática de abuso do poder político e poder econômico,
além de captação ilícita de sufrágio, concernente ao Pleito Eleitoral de 2016, no Município de São Raimundo Nonato/PI, em que se pretende a
cassação dos mandatos eletivos dos impugnados e a declaração de inelegibilidade, pelos fatos supostamente ilícitos narrados na inicial (fls.
02/35).
Narram os impugnantes na inicial, em resumo, que os impugnados teriam tido êxito nas eleições realizadas em 02 de outubro de 2016, mas
que tal vitória fora fruto de compra de votos e abuso do poder econômico e político. Alegam que a estratégia principal dos impugnados fora o
oferecimento de diversas benesses a eleitores que se encontravam em grave situação decorrente da estiagem, como poços tubulares,
reformas, barragens etc. Referem que teria havido violação da igualdade entre os candidatos concorrentes, ferindo a lisura do pleito.
Segundo os impugnantes, os abusos e compra de votos teriam ocorrido por meio de atuação coordenada da primeira impugnada, CARMELITA
DE CASTRO SILVA, então candidata a Prefeita Municipal de São Raimundo Nonato, dos vereadores da sua coligação, que lhe davam suporte
político, e do Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, esposo da primeira impugnada. Relatam que a Secretaria
de Defesa Civil do Estado teria sido utilizada indevidamente para atender a solicitações da primeira impugnada, funcionando a máquina estatal
como meio de captação ilícita de sufrágio e desequilíbrio das eleições.
Em, relatam os impugnantes, como condutas supostamente ilícitas: 01) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CACHOEIRINHA, entre os
dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Israel Ribeira da Costa; 02) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CACIMBAS, entre os
dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Carlos Omar Carneiro Deusdará; 03) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade LAGOA DOS
VEADOS, na propriedade do Sr. Rafael Lopes Negreiros; 04) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade SERRA NOVA, entre os dias 06 e 07 de
setembro, em área do Assentamento Lago da Baixa e Nascimento, além da promessa de construção de ADUTORA e de BEBEDOURO para
animais; 05) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CALANGO/QUEIXADA, na propriedade do Sr. Cláudio Teófilo Marques; 06) abertura de
POÇO TUBULAR na Localidade VEREDA, para o Sr. Delano Paes dos Santos; 07) entrega de POSTE para instalação de rede elétrica do poço,

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 52

CANOS de PVC e TIJOLOS, na Localidade SERRA NOVA; 08) equipamento de POÇO na Localidade LAGOA DOS BOIS, na propriedade do Sr.
Milton Aparecido Dias de Castro, pela empresa Hydromax; 09) doação de CAIXAS D’ÁGUA com logomarca do DNOCS, na Localidade LAGOA
DOS BOIS, às pessoas de Valdenor Magalhães de Castro e esposa, Zita, Carlos Ferreira de Castro e Milton de Castro; 10) abertura de POÇO
TUBULAR, pela empresa Hydromax, na Localidade LAGOA DA PEDRA II, que entretanto não chegou a encontrar água; 11) abertura de POÇO
TUBULAR na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS; 12) reparação de BARRAGEM na Localidade PEDRA DO MOCÓ; 13) construção de
BARRAGEM na Localidade FECHADÃO; 14) abertura de POÇO na Localidade LAGOA DE FORA, em frente à casa do Sr. Berilo de Negreiros Paes,
por meio da Secretaria de Defesa Civil do Estado; 15) promessa de distribuição de 55 (cinquenta e cinco) residências com instalação de
BOMBA, CAIXAS D’ÁGUA e 1.500m de CANOS PVC, na Localidade GARRINCHO, seguida de abertura de valas na região; 16) implantação de
REDE DE ÁGUA na Localidade PATOS; 17) construção de BARRAGEM na Localidade RETIRO, com máquina da Secretaria de Defesa Civil; 18)
reparo na BARRAGEM da Localidade SERRA DOS GRINGOS, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 19) limpeza da LAGOA na Localidade LAGOA
COMPRIDA, com utilização de trator de esteira da Secretaria da Defesa Civil; 20) construção de calçamento na Localidade SÃO VITOR, pela
empresa Umbuzeiro Ltda., contratada pela Secretaria de Defesa Civil; 21) distribuição de ÁGUA por meio de CARRO PIPA, pela Secretaria de
Defesa Civil; 22) serviço de LIMPEZA na Localidade LAGOA DO NASCIMENTO, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 23) contratação com
DISPENSA DE LICITAÇÃO, pela Secretaria de Defesa Civil do Estado, da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME, em 22 de setembro
de 2016, para implantação de abastecimento de água na localidade PÉ DO MORRO/VISTOSA, pela quantia de R$ 875.113,34 (oitocentos e
setenta e cinco mil, cento e treze reais e trinta e quatro centavos), e da empresa WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA, em 02 de setembro de
2016, para recuperação de 08 (oito) barragens de terra nos Municípios de Bonfim, São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio, pelo valor de R$
3.054.529,15 (três milhões, cinquenta e quatro mil, quinhentos e vinte e nove reais e quinze centavos); 24) contratação da Construtora Olho
D’água, em 22 de setembro de 2019, para implantar sistema de ABASTECIMENTO DE ÁGUA na Localidade PÉ DO MORRO, para a qual já havia
sido contratada a empresa TECNOPOÇOS LTDA; 25) distribuição de CESTAS BÁSICAS e FILTROS.
Alegam os impugnantes, ainda, que nenhuma das obras realizadas fora precedida de convênio com a Administração Municipal, sem
informação sobre projeto básico, técnico, procedimento licitatório, cronograma etc.
Consideram os investigantes que teria havido um “esquema ilícito” entre os investigados, utilizando-se do auxílio da Secretaria de Defesa Civil
com o fim de promover politicamente a então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato/PI, CARMELITA CASTRO, e os candidatos a
Vereador que a apoiavam, haja vista que o Secretário de Defesa Civil do Estado, HÉLIO ISAIAS, seria esposo da referida candidata. Segundo os
investigantes, o Secretário de Defesa Civil, HÉLIO ISAIAS, atuaria através de MARTINHO AFONSO (“Lobinho”), em favor da candidatura da
Prefeita CARMELITA CASTRO e respectivo Vice, LUIZ ALBERTO, que seriam apoiados nesses atos pelos então candidatos e/ou vereadores
IRMÃO RIAN, NUNES DE JESUS, EUMADEUS, LAÉRCIO DIAS, JOSÉ RONALDO, PAULO JEOVANE e ARENADO RIBEIRO.
Afirmam que teria havido abuso do poder econômico por parte dos investigados, afetando o equilíbrio na disputa eleitoral, tendo em vista o
número de famílias beneficiadas e o valor das obras, bens e serviços ofertados aos eleitores. Da mesma forma, aduzem que teria havido abuso
do poder político, tendo em vista a interferência indevida e injustificada da Secretaria Estadual de Defesa Civil, comandada pelo esposo da
candidata CARMELITA CASTRO em favor da sua campanha eleitoral. Alegam, ainda, que teria havido captação ilícita de sufrágio, nos termos do
art. 41-A da Lei n. 9.504/97. Destacam não ser necessária a demonstração da potencialidade lesiva dos atos, mas apenas de sua gravidade, nos
termos do art. 22, XVI, da Lei Complementar n. 64/90, com as inovações introduzidas pela Lei Complementar n. 135/2010.
Ao final, pedem a procedência da ação para cassar os mandatos eletivos dos impugnados, além da declaração de inelegibilidade.
Para embasar duas alegações, os investigantes apresentaram documentos, fotos e arquivos de áudio e vídeo (fls. 36/155).
Em despacho proferido em 20 de fevereiro de 2017, determinou-se o apensamento do presente feito aos autos da AIJE n. 554-
27.2016.8.18.0013, para tramitação conjunta, tendo em conta a identidade dos fatos que fundamentam a impugnação dos mandatos (fls.
652).
Após notificações e apresentação de defesas, foi realizada audiência de instrução, em 10 de julho de 2017, de forma conjunta para esta Ação
de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME e para a Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE acima referida (fls. 1437/1442).
Em decisão datada de 28 de setembro de 2018, determinou-se o seguimento do feito independentemente da conclusão dos exames pericias
anteriormente determinados (fls. 1547/1553).
O Departamento de Polícia Federal encaminhou o resultado da perícia requisitada, que foi juntado aos autos (fls. 1591/1654).
Às fls. 1656, foram deferidas as diligências requeridas pelas partes.
O membro do Ministério Público designado para atuar no feito apresentou manifestação declarando sua suspeição por motivo de foro íntimo,
requerendo o encaminhamento dos autos ao seu substituto legal (fls. 1681), sendo designada Promotora Eleitoral às fls. 1761.
Alegações finais dos impugnantes às fls. 1772/1806, ratificando os termos da inicial e requerendo a procedência da AIJE e da AIME.
Alegações finais dos impugnados às fls. 1809/1882, arguindo, em síntese: a) a ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações, pelo que
pede o desentranhamento; b) a litispendência com relação à AIJE, requerendo a extinção do feito sem resolução do mérito, nos termos do art.
485, V, do CPC; c) a improcedência dos pedidos formulados pelos impugnantes, por não ter sido configurado abuso político ou econômico nem
captação ilegal de sufrágio; d) o encaminhamento de cópia dos autos ao Ministério Público, para apuração de eventual crime de falso
testemunho e falsidade ideológica supostamente praticados pelas testemunhas RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO.
Alegações finais do Ministério Público às fls. 1888/1893.
Vieram-me os autos conclusos.
Breve relato.
Decido.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 53

FUNDAMENTAÇÃO:
Registre-se, de início, que somente agora foi possível proferir sentença neste feito, na mesma data em que foi julgada a Ação de Investigação
Judicial Eleitoral – AIJE sobre os mesmos fatos, tendo em conta a quantidade de fatos, documentos e mídias a serem analisados.
Com efeito, muito embora a celeridade seja norte fundamental na condução dos feitos eleitorais, sob pena de prejuízo à própria eficácia da
decisão judicial que eventualmente reconheça a perda de mandato eletivo, não se pode perder de vista que a busca do correto julgamento,
corolário do valor maior da justiça, não prescinde da detida análise dos elementos probatórios carreados aos autos. No presente caso, deve-se
considerar o elevado volume de documentos físicos e digitais, que não permitiu sua pronta verificação nos estreitos limites temporais
estabelecidos para a espécie, pelo que se mostrou necessário dedicar mais tempo à análise do caso para proferir decisão.
DAS QUESTÕES PRÉVIAS:
Antes de adentrar no mérito das imputações deduzidas na inicial, necessário verificar se estão presentes os requisitos necessários à
constituição e desenvolvimento regular da relação jurídica processual, naquilo que a doutrina chama de pressupostos processuais de
existência e validade (art. 485, IV, CPC). Ademais, também importa considerar e existência das condições da ação, isto é, verificar se a causa
proposta comporta análise de seu mérito, por serem legítimas as partes e por haver interesse processual, sob pena de extinção do processo,
nos termos do art. 485, VI, do CPC. Nesse sentido é que se fala em questões preliminares, as quais demandam resolução prévia pelo
magistrado, sendo sua superação condição de possibilidade do próprio julgamento do mérito das questões principais.
De outro lado, há questões prévias que não necessariamente impedem a análise e decisão sobre o mérito da causa, mas que exercem forte
influência no destino da questão principal, direcionando a sua solução em um ou outro sentido. Assim, também reclamam resolução em
momento anterior ao mérito, tendo em vista o impacto no acolhimento ou não da pretensão deduzida na inicial. Tais questões são
denominadas na doutrina de prejudiciais.
No presente caso, os impugnantes deduziram duas questões prévias, a serem resolvidas antes da solução do mérito, quais sejam: a) a ilicitude
da prova registrada em vídeos e gravações; b) a litispendência em relação à Ação de Investigação Judicial Eleitoral - AIJE, requerendo a
extinção deste feito, sem resolução do mérito, nos termos do art. 485, V, do CPC.
Da análise dos autos, considero que existe razão à parte impugnada ao pedir a extinção desta demanda, sem exame do mérito, por dizer
respeito aos mesmos fatos já articulados quando do manejo da Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE N. 554-27.2016.6.18.0013, eis que
não se mostra viável nova análise do mesmo suporte fático e de suas consequências jurídicas para possível conclusão diversa da que se chegou
quando do julgamento da AIJE, que teve objeto bem mais amplo, contendo toda a pretensão deduzida posteriormente no âmbito da AIME, eis
que pedido não somente a cominação de inelegibilidade, mas também a cassação dos diplomas conferidos aos candidatos eleitos, levando ao
mesmo resultado prático pretendido com o ajuizamento desta demanda constitucional.
Como se sabe, a Ação de Impugnação de Mandato Eletivo - AIME, fundada nos §§ 10 e 11 do art. 14 da Constituição Federal, tem por fim a
desconstituição do mandato ilegitimamente obtido nas urnas, mediante abuso do poder econômico, corrupção ou fraude, que podem
acarretar injustificada desigualdade na disputa pelo voto dos eleitores. Logo, objetiva restabelecer a licitude e o equilíbrio do pleito eleitoral
que tenha sido violado pelas referidas práticas, as quais têm a capacidade de distorcer a vontade dos cidadãos e macular a representação
político-eleitoral. Considere-se que, nos termos da Constituição Federal, a ação de impugnação de mandato eletivo deve ser proposta no prazo
de 15 (quinze) dias, contados a partir da diplomação dos eleitos. Nesse sentido, veja-se o texto do art. 14, § 10 da CF/88:

Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei,
mediante:
(...)
§ 10. O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias contados da diplomação, instruída a ação com
provas de abuso do poder econômico, corrupção ou fraude.

Por certo, Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo são instrumentos processuais distintos, com
fundamentos jurídicos diversos, ainda que ambas tenham como norte maior a determinação constitucional de legitimidade, licitude e
equilíbrio nos pleitos eleitorais, contra práticas abusivas. Sempre foi comum, aliás, o ajuizamento de AIME com base nos mesmos fatos
deduzidos em AIJE, eis que a redação original do inciso XIV do art. 22 da Lei Complementar n. 64/90 não previa com penalidade a cassação de
diploma outorgado a candidato eleito. Assim, mostrava-se necessário o ingresso em juízo com Ação de Impugnação de Mandato Eletivo, para
afastar o demandado do cargo obtido nas urnas de forma ilícita, a exemplo do que se alega nestes autos.
A Constituição Federal de 1988, ao tratar dos Direitos Políticos, reconhece os efeitos nocivos das práticas abusivas para a normalidade e
legitimidade das eleições, determinando que lei complementar estabelecesse os casos de inelegibilidade em face dessas ocorrências. Nesse
sentido, veja-se o teor do § 9º do art. 14 da Carta Maior:

§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidade administrativa,
a moralidade para exercício de mandato considerada vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições contra a
influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta.

Na linha do supracitado dispositivo constitucional, veio a Lei Complementar n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades) estabelecer, além de diversos

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 54

casos de inelegibilidade, o rito a ser seguido na Ação de Investigação Judicial Eleitoral para apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder
econômico ou de autoridade, favorecendo candidato ou partido político. Dentre as sanções aplicáveis aos agentes demandados no curso de
AIJE, todavia, não constava a cassação do diploma que lhe fora conferido, o que reduzia o efeito prático da ação dessa natureza que fosse
julgada após a diplomação dos eleitos.
Todavia, com as alterações inseridas no inciso XIV do art. 22 da Lei das Inelegibilidades pela Lei Complementar n. 135/2010, a procedência da
Ação de Investigação Judicial Eleitoral - AIJE, mesmo após proclamado o resultado do pleito, acarreta não somente a cominação de
inelegibilidade ao candidato beneficiado e a todos que tenha contribuído para o ilícito, mas também a cassação do registro ou do diploma de
quem fora eleito por meio da alegada prática abusiva. Vejam-se o caput e o inciso XIV do referido dispositivo legal:

Art. 22. Qualquer partido político, coligação, candidato ou Ministério Público Eleitoral poderá representar à Justiça Eleitoral, diretamente ao
Corregedor-Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, indícios e circunstâncias e pedir abertura de investigação judicial para
apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade, ou utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político, obedecido o seguinte rito: (...)

XIV – julgada procedente a representação, ainda que após a proclamação dos eleitos, o Tribunal declarará a inelegibilidade do representado e
de quantos hajam contribuído para a prática do ato, cominando-lhes sanção de inelegibilidade para as eleições a se realizarem nos 8 (oito)
anos subsequentes à eleição em que se verificou, além da cassação do registro ou diploma do candidato diretamente beneficiado pela
interferência do poder econômico ou pelo desvio ou abuso do poder de autoridade ou dos meios de comunicação, determinando a remessa
dos autos ao Ministério Público Eleitoral, para instauração de processo disciplinar, se for o caso, e de ação penal, ordenando quaisquer outras
providências que a espécie comportar; (...)

Observa-se, portanto, que o ajuizamento da presente Ação de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME n. 1-43.2017.6.18.0013, mostrou-se
absolutamente desnecessária para obter a pretensão de ordem prática deduzida pelos impugnantes, eis que a Ação de Investigação Judicial
Eleitoral – AIJE a que se encontra apensada já continha todo o potencial necessário a produzir os efeitos pretendidos. Repita-se, trata-se de
fórmulas processuais diversas, entretanto, o conteúdo de uma (AIJE) engloba a pretensão deduzida na outra (AIME) de forma que a primeira
mostra-se muito mais ampla em seus efeitos práticos. Conforme dito, houve o apensamento deste feito aos autos da referida AIJE, levando à
instrução conjunta dos processos. Entretanto, muito embora se trate de ações eleitorais distintas, ambas são baseadas nos mesmos fatos
qualificados como ilícitos, haja vista ser a inicial da presente AIME tão-somente uma reprodução adaptada da petição inicial que fora
apresentada originalmente na AIJE. Dessa forma, todos os fatos deduzidos na inicial da desta Ação de Impugnação de Mandato Eletivo foram
analisados, nesta mesma data, quando do julgamento da AIJE.
Como acima registrado, após as alterações promovidas pela Lei Complementar 135/2010, os efeitos práticos da procedência da AIJE, no que se
refere ao afastamento do cargo de que fora eleito, iguala-se, por via indireta, ao requerido em sede de AIME. Note-se que, a cassação de
diploma conduz, em verdade, à própria cassação do mandato eletivo que se pretendida com o julgamento da AIME. Assim, ainda que não se
desconheça que se trata de instrumentos processuais distintos, a identidade dos elementos fáticos, impõe reconhecer que toda a pretensão
deduzida no âmbito da presente AIME já se encontra contida na AIJE anteriormente ajuizada, não sendo possível obter nenhum resultado
prático diverso. Nova análise dos fatos no contexto da AIME levaria ao mero manejo de uma fórmula processual vazia, eis que todo o
conteúdo material já fora apreciado no âmbito da AIJE.
Ainda que não seja majoritária, considera-se que se aplica ao caso a doutrina de JOSÉ JAIRO GOMES, em seu livro Direito Eleitoral, 12ª ed. –
São Paulo: Atlas, 2016, pág. 675:

Por óbvio, pode haver litispendência entre ações eleitorais.


Entre AIJE e AIME também poderá haver litispendência, se forem idênticos os fatos postos na causa de pedir. É que o provimento jurisdicional
na AIJE é mais amplo, compreendendo o da AIME. Deveras, enquanto na AIJE pode-se constituir a inelegibilidade, cassar o pedido de registro
ou o diploma do réu, na AIME só é possível cassar mandato (que, na prática, possui o mesmo efeito da cassação de diploma).
No entanto, posto que idênticos os fatos, não haverá coisa julgada se na AIJE apenas for imposta inelegibilidade e na AIME se pleitear a
cassação de mandato. Está claro que a diversidade de pedidos afasta a coisa julgada.

Com base no entendimento doutrinário supracitado, considero que se encontra prejudicada a análise da pretensão deduzida nesta Ação de
Impugnação de Mandato Eletivo, eis que os fatos apontados como ilícitos já foram devidamente analisados na Ação de Investigação Judicial
Eleitoral supracitada, a cujos autos este feito se encontra apensado. Assim, entendo que deve este processo sem extinto sem exame do
mérito, por perda do objeto, pois todo o seu conteúdo já fora analisado no âmbito da AIJE.
DISPOSITIVO:
Pelo exposto, acolho a preliminar levantada pelos impugnantes e, com fundamento no art. 485, IV, do Código de Processo Civil, declaro extinto
o presente processo, sem exame do mérito.
Sem custas e sem honorários.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 55

Com o trânsito em julgado, proceda-se à baixa na distribuição, mantendo-se, todavia, os presentes autos em apenso aos autos da AIJE N. 554-
27.2016.6.18.0013.
São Raimundo Nonato/PI, 1º de setembro de 2019.

MÁRIO SOARES DE ALENCAR


JUIZ ELEITORAL

Aviso de Intimação

AVISO DE INTIMAÇÃO

PROCESSO Nº 554-27.2016.6.18.0013 (Ação de Investigação Judicial Eleitoral)


INVESTIGANTES: COLIGAÇÃO "FORÇA DO POVO", por sua representante Ana Galdina Dias Guerra Ferreira e AVELAR DE CASTRO FERREIRA.
Advogado: RAIMUNDO DE ARAUJO SILVA JUNIOR OAB/PI: 5061
Advogado: José Adailton Araújo Landim Neto OAB/PI: 13.752
INVESTIGADOS: CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HELIO ISAIAS DA SILVA E OUTROS.
Advogado: ANDREIA DE ARAUJO SILVA OAB/PI: 3621
Advogado: LUANA PAES DE ALMEIDA CASTRO OAB/PI: 13665
FINALIDADE: INTIMAR, para os devidos fins, as partes, através de seus advogados, acerca da sentença, a seguir transcrita, prolatada nos autos
do processo em epígrafe:
" Vistos etc.
Trata-se de Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE proposta pela Coligação “FORÇA DO POVO” (PDT/DEM/PTC/PSB/PSD e PT do B) e
AVELAR DE CASTRO FERREIRA em face de CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO ISAIAS DA SILVA,
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA,
LAERCIO DIAS DE CARVALHO, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS, KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES, ARENALDO RIBEIRO
FERNANDES e MARTINHO AFONSO RIBEIRO, todos qualificados nos autos, pela suposta prática de abuso do poder político e econômico c/c
representação por captação ilícita de sufrágio e conduta vedada, concernente ao Pleito Eleitoral de 2016, no Município de São Raimundo
Nonato, em que se pretende a cassação dos registros ou diplomas dos candidatos investigados, além da declaração de inelegibilidade e
aplicação de multa a todos os demandados, pelos fatos supostamente ilícitos narrados na inicial (fls. 02/41).
Narram os investigantes na inicial, em resumo, que os investigados teriam tido êxito nas eleições realizadas em 02 de outubro de 2016, mas
que a vitória teria sido fruto de compra de votos e abuso do poder econômico e político. Alegam que a estratégia principal dos investigados
teria sido o oferecimento de diversas benesses a eleitores que se encontravam em grave situação decorrente da estiagem, como poços
tubulares, reformas, barragens etc. Referem que teria havido violação da igualdade entre os candidatos concorrentes, ferindo a lisura do
pleito.
Segundo os investigantes, os abusos e compra de votos teriam ocorrido por meio de atuação coordenada da primeira investigada, CARMELITA
DE CASTRO SILVA, então candidata a Prefeita Municipal de São Raimundo Nonato, dos vereadores da sua coligação, que lhe davam suporte
político, e do Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, esposo da primeira investigada. Relatam que a Secretaria
de Defesa Civil teria sido utilizada indevidamente para atender a solicitações da primeira investigada, funcionando a máquina do Estado como
meio de captação ilícita de sufrágio e desequilíbrio das eleições.
Em breve síntese, relatam os investigantes, como condutas supostamente ilícitas: 01) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade
CACHOEIRINHA, entre os dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Israel Ribeira da Costa; 02) abertura de POÇO TUBULAR na
Localidade CACIMBAS, entre os dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Carlos Omar Carneiro Deusdará; 03) abertura de POÇO
TUBULAR na Localidade LAGOA DOS VEADOS, na propriedade do Sr. Rafael Lopes Negreiros; 04) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade
SERRA NOVA, entre os dias 06 e 07 de setembro, em área do Assentamento Lago da Baixa e Nascimento, além da promessa de construção de
ADUTORA e de BEBEDOURO para animais; 05) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CALANGO/QUEIXADA, na propriedade do Sr. Cláudio
Teófilo Marques; 06) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade VEREDA, para o Sr. Delano Paes dos Santos; 07) entrega de POSTE para
instalação de rede elétrica do poço, CANOS de PVC e TIJOLOS, na Localidade SERRA NOVA; 08) equipamento de POÇO na Localidade LAGOA
DOS BOIS, na propriedade do Sr. Milton Aparecido Dias de Castro, pela empresa Hydromax; 09) doação de CAIXAS D’ÁGUA com logomarca do
DNOCS, na Localidade LAGOA DOS BOIS, às pessoas de Valdenor Magalhães de Castro e esposa, Zita, Carlos Ferreira de Castro e Milton de
Castro; 10) abertura de POÇO TUBULAR, pela empresa Hydromax, na Localidade LAGOA DA PEDRA II, que entretanto não chegou a encontrar
água; 11) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS; 12) reparação de BARRAGEM na Localidade PEDRO DO
MOCÓ; 13) construção de BARRAGEM na Localidade FECHADÃO; 14) abertura de POÇO na Localidade LAGOA DE FORA, em frente à casa do Sr.
Berilo de Negreiros Paes, por meio da Secretaria de Defesa Civil do Estado; 15) promessa de distribuição de 55 (cinquenta e cinco) residências
com instalação de BOMBA, CAIXAS D’ÁGUA e 1.500m de CANOS PVC, na Localidade GARRINCHO, seguida de abertura de valas na região; 16)

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 56

implantação de REDE DE ÁGUA na Localidade PATOS; 17) construção de BARRAGEM na Localidade RETIRO, com máquina da Secretaria de
Defesa Civil; 18) reparo na BARRAGEM da Localidade SERRA DOS GRINGOS, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 19) limpeza da LAGOA na
Localidade LAGOA COMPRIDA, com utilização de trator de esteira da Secretaria da Defesa Civil; 20) construção de calçamento na Localidade
SÃO VITOR, pela empresa Umbuzeiro Ltda., contratada pela Secretaria de Defesa Civil; 21) distribuição de ÁGUA por meio de CARRO PIPA, pela
Secretaria de Defesa Civil; 22) serviço de LIMPEZA na Localidade LAGOA DO NASCIMENTO, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 23)
contratação com DISPENSA DE LICITAÇÃO, pela Secretaria de Defesa Civil do Estado, da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME, em
22 de setembro de 2016, para implantação de abastecimento de água na localidade PÉ DO MORRO/VISTOSA, pela quantia de R$ 875.113,34
(oitocentos e setenta e cinco mil, cento e treze reais e trinta e quatro centavos), e da empresa WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA, em 02 de
setembro de 2016, para recuperação de 08 (oito) barragens de terra nos Municípios de Bonfim, São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio, pelo
valor de R$ 3.054.529,15 (três milhões, cinquenta e quatro mil, quinhentos e vinte e nove reais e quinze centavos); 24) contratação da
Construtora Olho D’água, em 22 de setembro de 2019, para implantar sistema de ABASTECIMENTO DE ÁGUA na Localidade Pé do Morro, para
a qual já havia sido contratada a empresa TECNOPOÇOS LTDA; 25) distribuição de CESTAS BÁSICAS e FILTROS.
Alegam os investigantes, ainda, que nenhuma das obras realizadas fora precedida de convênio com a Administração Municipal, sem
informação sobre projeto básico, técnico, procedimento licitatório, cronograma etc.
Consideram os investigantes que teria havido um “esquema ilícito” entre os investigados, utilizando-se do auxílio da Secretaria de Defesa Civil
com o fim de promover politicamente a então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato/PI, CARMELITA CASTRO, e os candidatos a
Vereador que a apoiavam, haja vista que o Secretário de Defesa Civil do Estado, HÉLIO ISAIAS, seria esposo da referida candidata. Segundo os
investigantes, o Secretário de Defesa Civil, HÉLIO ISAIAS, atuaria através de MARTINHO AFONSO (“Lobinho”), em favor da candidatura da
Prefeita CARMELITA CASTRO e respectivo Vice, LUIZ ALBERTO, que seriam apoiados nesses atos pelos então candidatos e/ou vereadores
IRMÃO RIAN, NUNES DE JESUS, EUMADEUS, LAÉRCIO DIAS, JOSÉ RONALDO, PAULO JEOVANE e ARENADO RIBEIRO.
Afirmam que teria havido abuso do poder econômico por parte dos investigados, afetando o equilíbrio na disputa eleitoral, tendo em vista o
número de famílias beneficiadas e o valor das obras, bens e serviços ofertados aos eleitores. Da mesma forma, aduzem que teria havido abuso
do poder político, tendo em vista a interferência indevida e injustificada da Secretaria Estadual de Defesa Civil, comandada pelo esposo da
candidata CARMELITA CASTRO em favor da sua campanha eleitoral. Alegam, ainda, que teria havido captação ilícita de sufrágio, nos termos do
art. 41-A da Lei n. 9.504/97, e prática de condutas vedadas, nos termos do art. 73, I, III e IV, da mesma lei eleitoral. Destacam não ser
necessária a demonstração da potencialidade lesiva dos atos, mas apenas de sua gravidade, nos termos do art. 22, XVI, da Lei Complementar
n. 64/90, com as inovações introduzidas pela Lei Complementar n. 135/2010.
Ao final, pedem a procedência da ação para cassar os registros ou diplomas dos candidatos investigados, além da declaração de inelegibilidade
e aplicação de multa a todos, determinado a posse dos segundos colocados nas eleições de 2016.
Para embasar duas alegações, os investigantes apresentaram documentos, fotos e arquivos de áudio e vídeo (fls. 42/152).
Despacho inicial proferido em 12 de janeiro de 2017, determinando a notificação dos investigados (fls. 160).
Notificações pessoais dos investigados às fls. 161/187, 211/213, 241/242 e 339/341.
PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS apresentou defesa escrita às fls. 190/203, alegando, em síntese, que as gravações que acompanharam a
inicial seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante
AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da
Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, afirma que sequer
teria estado no local indicado onde teria sido construída uma barragem, bem como, alega que não existiria barragem na Localidade
FECHADÃO. Refere que os barreiros foram construídos pela Secretaria de Defesa Civil fora do período eleitoral. Aduz não ter intermediado o
conserto de uma CAIXA D’ÁGUA na localidade LAGOA DO MEIO. Pugnou pelo desentranhamento dos vídeos e gravações e pela improcedência
dos pedidos formulados pelos investigantes.
NUNES DE JESUS SOUSA apresentou defesa às fls. 216/238, afirmando, em resumo, que as gravações que acompanharam a inicial seriam
prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, afirma que os vídeos apresentados não
seriam capazes de demonstrar prática de ilicitude por parte do investigado nas localidades LAGOA DOS BOIS e SÃO VITOR, não tendo havido
benesses em troca de voto. Refere que os responsáveis pelas gravações teriam realizado perguntas afirmativas, tentando induzir os moradores
a erro, pelo que não haveria prova de ilicitude praticada pelo investigado nas localidades LAGOA DA PEDRA I e II, LAGOINHA DOS MACÁRIOS e
PEDRA DO MOCÓ. Aduz não ter atuado ou interferido em construção de barragem na localidade RETIRO. Refere que não se conseguiu
estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou pelo desentranhamento dos
vídeos e gravações e pela improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES e ARENALDO RIBEIRO FERNANDES apresentaram defesa às fls. 245/258. Afirmaram, em suma, que
as gravações que acompanharam a inicial seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam
correligionários do investigante AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-
se como funcionários da Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No
mérito, afirmam que não teria havido construção de poço a cargo dos investigados na localidade SERRA NOVA, sendo que os investigantes não
teriam sequer logrado êxito em provar a construção de poço na localidade LAGOA DA BAIXA. De outro lado, afirmam que não há prova de uso
eleitoreiro da obra de limpeza de barreiro na localidade NASCIMENTO. Referem que não se conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas
pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pediram o desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos
pedidos formulados pelos investigantes.
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA apresentou defesa às fls. 268/283. Em suma, afirmou que as gravações que acompanharam a inicial seriam

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 57

prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Quanto ao mérito, aduz que não teve qualquer
participação nas obras realizadas nas localidades CALANGO/QUEIXADA e SERRA NOVA. Ademais, refere que os moradores entrevistados em
nenhum momento associam a obra de reparo de barragem realizada na Localidade SERRA DOS GRINGOS ao investigado. Refere que não se
conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou pelo desentranhamento
dos vídeos e gravações e pela improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIZ ALBERTO COSTA MACEDO apresentaram defesa às fls. 289/334. Em resumo, afirmaram que as gravações
que acompanharam a inicial seriam prova ilícita. Alegam que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam
correligionários do investigante AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-
se como funcionários da Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No
que toca ao mérito, afirmam que seria infundada a alegação de responsabilidade dos investigados pela construção de poço tubular nas
localidades CACHOEIRINHA, CACIMBAS e LAGOA DOS VEADOS. Ademais, referem que os investigantes não conseguiram demonstrar ter havido
promessa construção de poço e suposta adutora pelos investigados na Localidade SERRA NOVA. Alegam que as próprias gravações indicam
que a primeira investigada sequer esteve presente antes ou depois da abertura do poço na Localidade CALANGO/QUEIXADA. No que se refere
à Localidade VEREDA, afirmam que se verifica má-fé dos investigantes, pois o próprio morador entrevistado teria afirmado (DELANO) teria
afirmado que nem o Vereador LAÉRCIO nem a CARMELITA teriam contribuído para a perfuração do poço. Quanto à Localidade SERRA NOVA,
alegam que os moradores entrevistados relataram que não houve sequer pedido de voto pela Prefeita eleita. Aduzem, também, que os vídeos
gravados ilicitamente não seriam capazes de comprovar a alegação de que os investigados teriam equipado um poço na Localidade LAGOA
DOS BOIS, sendo que o fato se teria dado por requerimento da Associação de Moradores da região ao DNOCS. Destacam a fragilidade das
provas referentes aos fatos sobre a Localidade LAGOA DA PEDRA, pois o poço seria fruto do trabalho dos moradores da região. Referem que
os investigantes também não teriam conseguido comprovar a atuação dos investigados nas obras relativas às localidades LAGOINHA DOS
MACÁRIOS e PEDRA DO MOCÓ. Alegam que não existe barragem na Localidade FECHADÃO e que, em nenhum momento, os entrevistados
citam os nomes dos investigados CARMELITA e BETO MACÊDO, sendo que as obras em barreiros foram promovidas pela Secretaria de Defesa
Civil fora do período eleitoral. Quanto à Localidade LAGOA DE FORA, destacam que, em nenhum momento, os entrevistados teriam feito
referência aos investigados, sendo o poço perfurado pelas próprias famílias da região. No que tange às localidades GARRINCHO e PATOS,
dizem os investigados não haver prova robusta dos fatos supostamente ilícitos. Quanto aos fatos relativos à Localidade RETIRO, referem que
seriam insuficientes as provas de que a construção de barragem pela Secretaria de Defesa Civil teria sido realizada por promessa de um dos
Vereadores da coligação dos investigados. Destacam que, quanto à SERRA DOS GRINGOS, teria havido falsidade dos entrevistadores, que se
identificaram como funcionários da Defesa Civil. De outro lado, quanto à Localidade LAGOA COMPRIDA, as gravações nada provariam contra
os investigados. Afirmam que, quanto à obra da Defesa Civil na Localidade SÃO VITOR, as gravações indicariam que não houve ilicitude por
parte dos investigados. No que se refere à Localidade NASCIMENTO e à Comunidade VISTOSA, as gravações em nenhum momento
comprovariam uso eleitoreiro de obra pública. De outra parte, quanto à Localidade PÉ DO MORRO, referem que a prova documental acostada
indicaria não haver qualquer irregularidade. Alegam não haver nos autos prova robusta e suficiente das ilegalidades relatadas na ação eleitoral.
Referem que não se conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Ao final,
pedem o desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
LAERCIO DIAS DE CARVALHO apresentou defesa escrita às fls. 344/361. Afirmou, em suma, que as gravações que acompanharam a inicial
seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, aduz que, quanto às supostas
ilegalidades na Localidade VEREDA, o próprio morador DELANO PAES DOS SANTOS afirma que nem o Vereador investigado nem a candidata
CARMELITA teriam contribuído para a perfuração do poço em referência. De outra parte, quanto à Localidade SERRA NOVA, não constaria nos
autos prova de que o investigado teria entregue poste para instalação de rede elétrica, bem como canos de PVC e tijolos. Alega que não se
conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Ao final, pediu o
desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
JOSÉ RONALDO DEODATO SIQUEIRA apresentou defesa às fls. 366/381. Alegou o investigado, em preliminar, que as gravações que
acompanharam a inicial seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do
investigante AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como
funcionários da Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Adentrando
no mérito, refere não ser verdadeira a afirmação de que o investigado teria atuado prometendo a perfuração de poço tubular aos moradores
da Localidade LAGOA DE FORA, que depois fora efetivada pela Secretaria de Defesa Civil do Estado. Aduz que o referido poço fora realizado
pela Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado do Piauí, por solicitação da Associação de Desenvolvimento Comunitário dos Pequenos
Produtores Rurais da Lagoa de Fora, dentro da legalidade. Entende que não se conseguiu estabelecer elo entre as obras realizadas pela
Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou pelo desentranhamento dos vídeos e gravações e pela improcedência dos
pedidos formulados pelos investigantes.
RIAN MARCOS ALVES DA SILVA apresentou defesa às fls. 394/413. Afirmou, preliminarmente, que as gravações que acompanharam a inicial
seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. No mérito, alega que o poço referente à
Localidade CACHOEIRINHA fora construído pela Secretaria das Cidades e não pela Secretaria de Defesa Civil, sendo fruto de uma reivindicação
dos moradores encaminhada à Deputada Federal Rejane Dias, bem antes do período eleitoral, sendo que o investigado não estivera naquela
localidade antes ou depois da perfuração do poço. Alega que, quanto ao poço da Localidade CACIMBAS, fora o mesmo perfurado com recursos
do próprio morador (Carlos Omar Carneiro Deusdará), assim como o poço da Localidade LAGOA DOS VEADOS, que teria sido perfurado pelos

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 58

próprios moradores, sem ingerência política. Entende que não foi comprovada ligação entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil
e o pleito eleitoral de 2016. Pugnou, ao final, pelo desentranhamento dos vídeos e gravações e pela improcedência dos pedidos formulados
pelos investigantes.
HÉLIO ISAIAS DA SILVA apresentou defesa às fls. 431/481 afirmando, em preliminar, que as gravações que acompanharam a inicial seriam
prova ilícita. Nesse sentido, alega que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante
AVELAR DE CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da
Secretaria da Defesa Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Ainda em preliminar, alega a
falta de identificação das pessoas que estão sendo gravadas que estariam sendo manipuladas pelos entrevistadores. Quanto ao mérito, alega
que, para tentar minimizar os efeitos da estiagem, nos anos de 2015 e 2016, foi decretado Estado de Emergência pelo Governo do Estado do
Piauí, não somente em São Raimundo Nonato/PI, mas em vários outros municípios, 152 em 2015 e 117 em 2016 (Decretos n. 16.052/2015,
16.366/2015 e 16.674/2016). Aduz que as obras realizadas, não somente pela Secretaria de Defesa Civil, mas também pela Secretaria de
Desenvolvimento Rural e Secretaria das Cidades, durante o período de estiagem, tinham como objetivo o cumprimento de dever legal, não
tendo sido utilizada a máquina pública em favor de candidatura. Destacou a fragilidade e ilicitude das provas dos fatos relacionados às
localidades CACHOEIRINHA, CACIMBAS e LAGOA DOS VEADOS. Quanto aos fatos relativos à Localidade SERRA NOVA, alega que das gravações
realizadas não se extrai a existência de promessa de poço ou de adutora partindo da Prefeita eleita, CARMELITA CASTRO, ou de seu Vice, BETO
MACEDO, ou de qualquer benesse realizada pela Secretaria de Defesa Civil. Aduz não haver prova de vínculo dos fatos relacionados às
localidades CALANGO/QUEIXADA, VEREDA e SERRA NOVA com a Secretaria de Defesa Civil. Da mesma forma, alega que a afirmada
distribuição de caixas d’água aos moradores da Localidade LAGOA DOS BOIS poderia ter relação com o DNOCS, mas não com a Secretaria
comandada pelo investigado. Quanto ao poço perfurado na Localidade LAGOA DA PEDRA, afirma que a degravação indica ser fruto do trabalho
dos moradores da região. No que se refere às localidades LAGOINHA DOS MACÁRIOS e PEDRA DO MOCÓ, refere que a construção do poço
teria sido fruto da junção de recursos dos próprios moradores, antes do período eleitoral, sendo que a obra na Localidade PEDRA DO MOCÓ
teria sido realizada pela empresa SMA Construtora Ltda, contratada mediante processo licitatório realizado pela Secretaria de Defesa Civil, que
se iniciou em 2015. Do mesmo modo, alega que a obra realizada na Localidade FECHADÃO consistiria em barreiros, realizada pela empresa
CMA Engenharia e Serviços Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil, através de processo licitatório, no ano de 2015. Aduz que não
houve atuação da Secretaria de Defesa Civil nas localidades LAGOA DE FORA, GARRINCHO e PATOS. No que se refere à obra na Localidade
RETIRO, alega que fora realizada pela empresa SMA Construtora Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil, através de processo de
dispensa de licitação, no ano de 2015. Ademais, quanto as obras nas localidades SERRA DOS GRINGOS e LAGOA COMPRIDA, afirma que teriam
sido realizadas pela empresa CMA Engenharia e Serviços Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil, através de processo de dispensa de
licitação, com base em decreto de emergência. Quanto à Localidade SÃO VITOR, afirma que não prospera a alegação de que a obra teria
objeto alheio à finalidade da Secretaria de Defesa Civil, tendo a Procuradoria Geral do Estado emitido parecer favorável no processo de
contratação da empresa responsável (Umbuzeiro Ltda). Afirma que a obra realizada na Localidade NASCIMENTO teria sido realizada pela
empresa CMA Engenharia Ltda, objeto do contrato já referido, assim como, a obra realizada na Comunidade VISTOSA fora de responsabilidade
da empresa SMA Construtora Ltda. Quanto à Localidade PÉ DO MORRO, alega que as empresas WELSON LEAL DUARTE E CIA e CONSTRUTORA
OLHO D´ÁGUA LTDA teriam sido contratadas pela Secretaria de Defesa Civil, através de processos administrativos com parecer favorável da
Procuradoria Geral do Estado, para obras não somente em São Raimundo Nonato, mas em vários outros municípios. Refere que a empresa
CONSTRUTORA OLHO D´ÁGUA LTDA fora contratada para “implantação de sistema de abastecimento de água na localidade Pé do
Morro/Vistosa”, enquanto a empresa TECNOPOÇOS teria sido contratada ainda em 2015, para “perfuração e instalação de 03 (três) poços
tubulares em localidades no Município de São Raimundo Nonato”. Alega não ter havido captação ilícita de sufrágio, nem prática de conduta
vedada. Refere que as provas produzidas pelos investigantes não seriam robustas, mas apenas baseadas em conjecturas e presunções.
Entende que não foi comprovada ligação entre as obras realizadas pela Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pediu o
desentranhamento dos vídeos e gravações e a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
MARTINHO AFONSO RIBEIRO apresentou sua defesa às fls. 485/519, alegando, em preliminar, que as gravações que acompanharam a inicial
seriam prova ilícita. Refere que RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO seriam correligionários do investigante AVELAR DE
CASTRO FERREIRA, e teriam realizado visita à Zona Rural de São Raimundo Nonato, identificando-se como funcionários da Secretaria da Defesa
Civil do Piauí, fazendo gravações ilícitas em vídeo, induzindo o eleitorado a falar inverdades. Ademais, alega que as gravações seriam
imprestáveis por falta de identificação dos interlocutores. No mérito, alega que, para tentar minimizar os efeitos da estiagem, nos anos de
2015 e 2016, foi decretado Estado de Emergência pelo Governo do Estado do Piauí, não somente em São Raimundo Nonato/PI, mas em vários
outros municípios, 152 em 2015 e 117 em 2016 (Decretos n. 16.052/2015, 16.366/2015 e 16.674/2016). Aduz que as obras realizadas, não
somente pela Secretaria de Defesa Civil, mas também pela Secretaria de Desenvolvimento Rural e Secretaria das Cidades, durante o período
de estiagem. Afirma que não trabalha na Secretaria de Defesa Civil, tendo estado à frente da Comissão Municipal de Defesa Civil e foi
Secretário Municipal de Agricultura no período de 01/2013 e 03/2015, sendo responsável pela distribuição de água no Município, pelo que é
conhecido em toda a região. Quanto aos fatos relacionados à Localidade LAGOA DOS BOIS, refere que os investigados tentam vincular o
investigado e a Secretaria de Defesa Civil, mas não é possível vislumbrar qualquer participação do investigado. Afirma que não houve troca de
benesses por voto, pois o morador entrevistado (GILSON) teria afirmado que o poço perfurado na localidade seria fruto do trabalho dos
moradores daquela região. Destaca que não haveria relação da atuação do DNOCS com a atuação do investigado ou da Secretaria de Defesa
Civil. Aduz que não ter havido sua atuação nas localidades GARRINCHO e PATOS, não tendo o investigado relação com a Secretaria de Defesa
Civil. Quanto à obra na Localidade RETIRO, afirma que fora realizada pela empresa SMA Construtora Ltda, contratada através de processo de
dispensa de licitação, no ano de 2015, fora do período eleitoral. Com relação às obras nas localidades SERRA DOS GRINGOS e LAGOA
COMPRIDA, aduz que teriam sido realizadas pela empresa CMA Engenharia e Serviços Ltda, contratada através de processo de dispensa de
licitação, com base em decreto de emergência. Refere que a obra realizada na Localidade NASCIMENTO também teria sido realizada pela
empresa CMA Engenharia Ltda, assim como, a obra realizada na Comunidade VISTOSA fora de responsabilidade da empresa SMA Construtora
Ltda, muito embora não haja sequer indícios de provas nos autos. Quanto à Localidade PÉ DO MORRO, alega que as empresas WELSON LEAL
DUARTE E CIA e CONSTRUTORA OLHO D´ÁGUA LTDA teriam sido contratadas pela Secretaria de Defesa Civil, através de processos
administrativos com parecer favorável da Procuradoria Geral do Estado, para obras não somente em São Raimundo Nonato, mas em vários

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 59

outros municípios. Refere que a empresa CONSTRUTORA OLHO D´ÁGUA LTDA fora contratada para “implantação de sistema de abastecimento
de água na localidade Pé do Morro/Vistosa”, enquanto a empresa TECNOPOÇOS teria sido contratada ainda em 2015, para “perfuração e
instalação de 03 (três) poços tubulares em localidades no Município de São Raimundo Nonato”. Nega ter utilizado carro pipa da Defesa Civil
para finalidade eleitoral. Alega não haver prova de captação ilícita de sufrágio. Refere que as provas produzidas pelos investigantes não seriam
robustas, mas apenas baseadas em conjecturas e presunções. Entende que não foi comprovada ligação entre as obras realizadas pela
Secretaria de Defesa Civil e o pleito eleitoral de 2016. Pediu o acolhimento da preliminar para desentranhamento dos vídeos e gravações. Ao
final, pugnou pela improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes.
Em 22 de fevereiro de 2017, deferidas diligências propostas pelos investigantes, foi determinada a realização de exame pericial na prova
audiovisual juntada aos autos, pela Polícia Federal, no prazo de 30 (trinta) dias, designando-se audiência de instrução (fls. 935v).
Na mesma data, procedeu-se ao apensamento a este feito dos autos da Ação de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME n. 1-
43.2017.6.18.0013, proposta pelos investigantes/impugnantes em face dos investigados/impugnado que lograram êxito no pleito e assumiram
cargo eletivo, por ser relativa aos mesmos fatos, para tramitação conjunta (fls. 936).
Expedição de ofícios à Secretaria de Defesa Civil do Piauí e ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí às fls. 952 e 953, requisitando informações
e documentos, para cumprimento das diligências determinadas.
Os investigantes manifestaram-se contrários à realização do exame pericial, considerando a diligência meramente protelatória (fls. 959/961).
Resposta do Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí apresentada por ofício, às fls. 974/975, encaminhando documentos (fls. 976/1602).
A partir de requerimento dos dois primeiros investigados (fls. 1604/1606), em 03 de abril de 2017, foi determinada a suspensão da audiência
de instrução, para aguardo da realização da perícia no material audiovisual (fls. 1608).
Ofício de requisição de perícia encaminhado à Superintendência Regional da Polícia Federal no Piauí em 06 de abril de 2017 (fls. 1617).
Resposta do Tribunal de Contas do Estado do Piauí apresentada por ofício, às fls. 1620, encaminhando documentos (fls. 1621/1639).
Após requerimento da parte investigante (fls. 1641/1663), manifestação dos investigados (1676/1685 e 1692) e do Ministério Público Eleitoral
(fls. 1697/1700), em 28 de junho de 2017, foi reconsiderada pelo Juízo Eleitoral a decisão anterior de sobrestamento da instrução e designada
audiência visando à colheita de prova oral (fls. 1702/1703).
Audiência de instrução realizada em 10 de julho de 2017, ocasião em que foram ouvidas as testemunhas RAIMUNDO NONATO DA COSTA
FRANÇA, NILTON ARAÚJO CANDIM NETO, AREOLINO RIBEIRO DEUSDARÁ e JOÃO APARECIDO DE SOUSA, indicadas pelos investigantes, bem
como, as testemunhas MILTON APARECIDO DIAS DE CASTRO, RAIMUNDO FERNANDES CASTRO, IVANALDO SANTOS SILVA, LUIZ FERREIRA DOS
SANTOS NETO, FÁBIO DE SOUSA BARBOSA, BERILO DE NEGREIROS PAES e CLEONICE RIBEIRO DA SILVA, sendo dispensadas as demais. As
partes pugnaram pelo aguardo do resultado da perícia, antes do requerimento de diligências, o que foi deferido pelo magistrado, que também
determinou a expedição de ofício à Polícia Federal requisitando informações sobre o resultado dos trabalhos periciais (fls. 1740/1745).
Juntados documentos apresentados em audiência (fls. 1748/1758).
Às fls. 1775, consta ofício da autoridade policial federal, informando sobre a carência de peritos na área demandada e sobre volume
acumulado de requisições da Justiça Eleitoral, pelo que o caso teria sido encaminhado ao Serviço de Perícias em Audiovisual e Eletrônicos
(SEPAEL) da Polícia Federal em Brasília/DF.
Por ofício (fls. 1782), a autoridade policial federal encaminhou Informação Técnica, em que o Perito Criminal Federal solicita providências
necessárias ao exame pericial, dentre elas, a indicação dos trechos suspeitos de adulteração. Observou o perito que o material encaminhado é
composto de 85 (oitenta e cinco) arquivos de vídeo, 163 (cento e sessenta e três) arquivos de imagem, dois arquivos tipo PDF e um arquivo
executável, conforme tabela que apresentou, sendo necessária a especificação dos pontos impugnados para celeridade da perícia (fls.
1783/1799).
Em despacho proferido em 23 de novembro de 2017, determinou-se o atendimento à solicitação da Polícia Federal, tanto por parte dos
investigantes quanto dos investigados. Aos investigados, determinou-se a indicação dos trechos de interesse nas gravações encaminhadas e o
apontamento de alegadas edições com vista a impugnar o material audiovisual (fls. 1801).
No que se refere à indicação dos trechos a serem objeto de perícia, os investigados não atenderam ao determinado, ratificando a necessidade
da perícia (fls. 1806/1807, 1815/1816).
A parte investigante manifestou-se às fls. 1819/1824, pugnando novamente pela reconsideração da decisão que determinou a realização da
perícia.
Em despacho proferido em 07 de dezembro de 2017, determinou-se o encaminhamento à Polícia Federal de cópia das peças produzidas pelas
partes, para informar se seriam suficientes à realização da perícia (fls. 1826).
Solicitaram-se informações sobre o exame pericial em 21 de junho de 2018 (fls. 1832).
Em petição de 18 de julho de 2018, a parte investigante renova o pedido de reconsideração do despacho que determinou os exames periciais
(fls. 1835/1839).
Determinou-se a intimação dos investigados para esclarecerem a real necessidade da perícia pretendida e o encaminhamento dos autos ao
Ministério Público Eleitoral, para manifestar-se sobre a imprescindibilidade dos exames periciais (fls. 1841).
Às fls. 1846/1847, consta Informação Técnica do Instituto Nacional de Criminalística – DITEC, estabelecendo o prazo de 06 (seis) meses para
conclusão dos trabalhos periciais.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 60

Às fls. 1852/1863, os investigados ratificaram a necessidade da perícia solicitada.


Tendo vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela reconsideração da decisão de fls. 1608, revogando-se a decisão que
determinou a realização de perícia técnica pela Polícia Federal (fls. 1871/1876).
Em decisão datada de 28 de setembro de 2018, determinou-se o seguimento do feito independentemente da conclusão dos exames pericias
(fls. 1878/1884).
A parte investigante apresentou requerimento de diligências às fls. 1896/1897.
Houve pedido de diligências pelos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIZ ALBERTO COSTA MACEDO (fls. 1900), além de HÉLIO
ISAIAS DA SILVA (fls. 1903).
O Ministério Público Eleitoral não teve diligências, mas requereu o deferimento das diligências pretendidas pelas partes (fls. 1927/1929).
O Departamento de Polícia Federal encaminhou o resultado da perícia requisitada, que foi juntado aos autos em todo o procedimento (fls.
1934/1999), constando o laudo relativo aos vídeos analisados às fls. 1990/1992 e o laudo referente às imagens examinadas às fls. 1994/1997.
Em despacho proferido às fls. 2001, foram deferidas as diligências requeridas pelas partes, determinando-se a expedição de ofício à
Secretaria de Defesa Civil do Estado do Piauí, ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí, ao DNOCS, ao BANCO DO BRASIL, à CAIXA ECONÔMICA
FEDERAL e ao BANCO BRADESCO, bem como, a notificação da testemunha LUIZ FERREIRA DOS SANTOS, para prestar informações e apresentar
documentos.
As partes pediram cópia do laudo pericial (fls. 2009 e 2011).
A parte investigada pediu o desentranhamento dos vídeos e respectivas degravações, considerando ilícita a prova produzida (fls. 2020/2021).
A parte investigante destacou parte do laudo pericial em que de registra não ter sido encontrados indícios de edição nos vídeos questionados à
perícia, pugnando pelo prosseguimento do feito (fls. 2024).
O membro do Ministério Público designado para atuar no feito apresentou manifestação declarando sua suspeição por motivo de foro íntimo,
requerendo o encaminhamento dos autos ao seu substituto legal (fls. 2028).
Ofício do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS encartado às fls. 2040, encaminhando documentos (fls. 2042/2049).
Oficiou-se à Procuradoria Regional Eleitoral e à Corregedoria Regional Eleitoral, comunicando a ausência de representante do Ministério
Público e solicitando a adoção das providências necessárias (fls. 2057 e 2059).
Diligências cumpridas às fls. 2066/2066, 2073 e 2093, conforme certidão de fls. 2096.
Certidão sobre designação de membro do Ministério Público para atuar junto a esta 13ª Zona Eleitoral às fls. 2111.
Alegações finais dos investigantes às fls. 2127/2161, ratificando os termos da inicial e requerendo a procedência da AIJE e da AIME.
Alegações finais dos investigados às fls. 2164/2238, arguindo, em síntese: a) a ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações, pelo que
pede o desentranhamento; b) a extinção do feito por decadência do direito de ação, tendo em vista a ausência de citação de litisconsorte
passivo necessário, nos termos do art. 487, II, do CPC; c) a extinção do feito em face de ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, pelo seu falecimento,
nos termos do art. 485, IX, do CPC; d) a improcedência dos pedidos formulados pelos investigantes, por não ter sido configurado abuso político
ou econômico, captação ilegal de sufrágio ou conduta vedada; e) o encaminhamento de cópia dos autos ao Ministério Público, para apuração
de eventual crime de falso testemunho e falsidade ideológica supostamente praticados pelas testemunhas RAIMUNDO NONATO DA COSTA
FRANÇA e THIAGO CASTRO.
Em suas alegações finais, o Ministério Público Eleitoral, conquanto tenha considerado o feito como de natureza persecutória penal, tendo em
vista a oferta de vantagens a eleitores para fim de obtenção de voto, o que ensejaria tipificação nos termos do art. 299 do Código Eleitoral,
aduziu ter sido comprovada a atuação de todos os investigados em abuso de poder político e econômico, assim como em captação ilícita de
sufrágio (fls. 2247/2252).
Vieram-me os autos conclusos.
Breve relato.
Decido.
FUNDAMENTAÇÃO:
Registre-se, de início, que somente agora foi possível proferir sentença neste feito, tendo em conta a quantidade de fatos, documentos e
mídias a serem analisados nestes autos.
Com efeito, muito embora a celeridade seja norte fundamental na condução das ações eleitorais, sob pena de prejuízo à própria eficácia da
decisão judicial que eventualmente reconheça a perda de mandato eletivo, não se pode perder de vista que a busca do correto julgamento,
corolário do valor maior da justiça, não prescinde da detida análise dos elementos probatórios carreados aos autos. No presente caso, deve-se
considerar o elevado volume de documentos físicos e digitais, que não permitiu sua pronta verificação nos estreitos limites temporais
estabelecidos para a espécie, pelo que se mostrou necessário dedicar mais tempo à análise do caso para proferir decisão.
DAS QUESTÕES PRÉVIAS:
Antes de adentrar no mérito das imputações deduzidas na inicial, necessário verificar se estão presentes os requisitos necessários à
constituição e desenvolvimento regular da relação jurídica processual, naquilo que a doutrina chama de pressupostos processuais de

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 61

existência e validade (art. 485, IV, CPC). Ademais, também importa considerar e existência das condições da ação, isto é, verificar se a causa
proposta comporta análise de seu mérito, por serem legítimas as partes e por haver interesse processual, sob pena de extinção do processo,
nos termos do art. 485, VI, do CPC. Nesse sentido é que se fala em questões preliminares, as quais demandam resolução prévia pelo
magistrado, sendo sua superação condição de possibilidade do próprio julgamento do mérito das questões principais.
De outro lado, há questões prévias que não necessariamente impedem a análise e decisão sobre o mérito da causa, mas que exercem forte
influência no destino da questão principal, direcionando a sua solução em um ou outro sentido. Assim, também reclamam resolução em
momento anterior ao mérito, tendo em vista o impacto no acolhimento ou não da pretensão deduzida na inicial. Tais questões são
denominadas na doutrina de prejudiciais.
No caso em análise, de forma geral, houve levantamento pelos investigados de três questões prévias, a serem resolvidas antes da solução do
mérito. Em síntese, alegaram os investigados: a) a ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações; b) a decadência do direito de ação, por
ausência de citação de litisconsorte passivo necessário; c) o falecimento do investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, pelo que seria
necessário extinguir-se o feito em seu desfavor, nos termos do art. 485, IX, do CPC. Para melhor observância da lógica jurídica, passa-se à
análise das questões prévias, em ordem inversa à que foram arguidas.
De início, deve-se destacar que merece acolhimento o pedido de extinção do feito em face do investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES.
Por certo, a pretensão deduzida na inicial tem natureza personalíssima, sendo afeta à interferência em direito de cidadania do requerido, não
se mostrando possível transmitir a condição de demandado aos sucessores. Note-se que se busca com a presente ação a cassação do diploma
outorgado ao investigado, além da cominação de inelegibilidade, por supostos ilícitos eleitorais, o que somente poderia ser suportado pelo
próprio titular. Dessa forma, sendo público e notório o falecimento do investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, conforme documentos
acostados às fls. 2239/2242, deve-se reconhecer a extinção de qualquer pretensão de efeitos eleitorais em seu desfavor, extinguindo-se a
demanda quanto à sua pessoa, na forma do art. do art. 485, IX, do CPC.
Por outro lado, considero que não deve prosperar o requerimento de extinção do feito por decadência do direito de ação, tendo em vista a
ausência de citação de suposto litisconsorte passivo necessário, nos termos do art. 487, II, do CPC. Argumentam os investigados que a inicial
faz referência a supostos ilícitos envolvendo o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS, mas os investigantes não incluíram
no polo passivo da demanda o seu representante legal, que seria litisconsorte passivo necessário, nos termos da lei eleitoral, que determina a
imposição da inelegibilidade a todos “quantos hajam contribuído para a prática do ilícito (art. 22, XIV, da Lei Complementar n. 64/90).
Entendem os investigados que, em havendo imputação de uso de órgão público federal, mas não tendo sido incluído o Diretor-Geral do
DNOCS no polo passivo da AIJE, como litisconsorte passivo necessário, teria havido decadência do direito de ação, devendo o processo ser
extinto. Entretanto, no presente caso, a narrativa fática lançada na inicial como causa de pedir remota tornava desnecessária a inclusão no
polo passivo da demanda do responsável pelo órgão federal acima referido, eis que a ele não se imputou prática de ilícito eleitoral.
Com efeito, não há dúvida de que a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral é no sentido da necessidade de citação de todos os que
hajam contribuído para o ilícito eleitoral, em caso de prática abusiva, ao lado dos candidatos beneficiados, sob pena de decadência, o que se
deve aplicar inclusive no caso de Ação de Investigação Judicial Eleitoral, mormente a partir das eleições de 2016, nos termos do decidido no
Mandado de Segurança nº 37082 – TSE, em que se registrou a alteração do entendimento daquela Corte superior. Veja-se a ementa do
referido julgado:
ELEIÇÕES 2012. PREFEITO. AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL. CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO. ABUSO DO PODER POLÍTICO E
ECONÔMICO. LITISCONSÓRCIO PASSIVO NECESSÁRIO. CANDIDATO BENEFICIADO. RESPONSÁVEL. AGENTE PÚBLICO.
JURISPRUDÊNCIA. ALTERAÇÃO. SEGURANÇA JURÍDICA.
1. Até as Eleições de 2014, a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral se firmou no sentido de não ser necessária a formação de
litisconsórcio passivo necessário entre o candidato beneficiado e o responsável pela prática do abuso do poder político. Esse entendimento, a
teor do que já decidido para as representações que versam sobre condutas vedadas, merece ser reformado para os pleitos seguintes.
2. A revisão da jurisprudência consolidada do Tribunal Superior Eleitoral deve ser prospectiva, não podendo atingir pleitos passados, por força
do princípio da segurança jurídica e da incidência do art. 16 da Constituição Federal.
3. Firma-se o entendimento, a ser aplicado a partir das Eleições de 2016, no sentido da obrigatoriedade do litisconsórcio passivo nas ações de
investigação judicial eleitoral que apontem a prática de abuso do poder político, as quais devem ser propostas contra os candidatos
beneficiados e também contra os agentes públicos envolvidos nos fatos ou nas omissões a serem apurados.
4. Tendo sido as provas dos autos devidamente analisadas pela Corte Regional, não há omissão ou contradição no acórdão recorrido, mas
apenas decisão em sentido contrário à pretensão recursal. Violação ao art. 275 afastada.
5. A condenação por captação ilícita de sufrágio (Lei nº 9.504/97, art. 41-A) exige a demonstração da participação ou anuência do candidato,
que não pode ser presumida. Recurso provido neste ponto.
6. O provimento do recurso especial para afastar a prática de captação ilícita de sufrágio não impede que os fatos sejam analisados sob o
ângulo do abuso de poder, em face do benefício auferido, o qual ficou configurado na hipótese dos autos em razão do uso da máquina
administrativa municipal, mediante a crescente concessão de gratificações no decorrer do ano eleitoral, com pedido de votos.
7. A sanção de inelegibilidade tem natureza personalíssima, razão pela qual incide somente perante quem efetivamente praticou a conduta.
Recurso provido neste ponto para afastar a inelegibilidade imposta ao candidato beneficiado, sem prejuízo da manutenção da cassação do seu
diploma.
Ação cautelar e mandado de segurança julgados improcedentes, como consequência do julgamento do recurso especial.
(Mandado de Segurança nº 37082, Acórdão, Relator(a) Min. João Otávio De Noronha, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Volume ,

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 62

Tomo 170, Data 02/09/2016, Página 73/74)

Todavia, deve-se considerar que o entendimento jurisprudencial firmado não se aplica ao presente caso, para impor a obrigatoriedade do
litisconsórcio, pois não se narraram fatos ilícitos praticados no âmbito do Departamento Nacional de Obras de Combate às Secas – DNOCS. Em
verdade, referiram-se os investigantes à suposta doação, por parte de investigados, de caixas d’água que continham logomarca e inscrições do
DNOCS, o que, segundo a inicial, denotaria sua obtenção através de alguma das secretarias estaduais. Observe-se, portanto, que nenhum
ilícito fora atribuído ao referido órgão público federal, mas apenas se destacaram as inscrições e logomarca contidas nas caixas d’água.
Portanto, não se afigura justificável a exigência de inclusão no polo passivo da presente demanda de pessoa que não fora apontada como
responsável pela prática de ilícito eleitoral. Como se sabe a análise dos pressupostos de constituição e desenvolvimento válido da relação
jurídica processual deve se dar a partir do suporte fático contido na petição inicial, tendo em conta a teoria da asserção. Nesse contexto,
quanto à adoção da teoria da asserção para verificar a pertinência subjetiva da demanda, veja-se o seguinte julgado:
DIREITO ELEITORAL E PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. ELEIÇÕES 2016. AIJE. ABUSO DO PODER ECONÔMICO.
LITISCONSÓRCIO. TEORIA DA ASSERÇÃO. NULIDADE PROCESSUAL NÃO VERIFICADA. AUSÊNCIA DE PROVA ROBUSTA. RECURSO PROVIDO.
1. Recurso especial eleitoral contra acórdão do TRE/MG que, reformando sentença em AIJE por abuso do poder econômico, condenou o ex-
Prefeito do Município de Pedra Bonita/MG à pena de inelegibilidade por oito anos e o Prefeito e Vice-Prefeito eleitos em 2016 à cassação dos
respectivos diplomas, convocando novas eleições.
I HIPÓTESE
2. Hipótese de realização de festa durante o período eleitoral em fazenda de propriedade do então prefeito, com oferecimento de churrasco e
bebidas para grande número de pessoas, supostamente em comemoração de aniversário de motorista da prefeitura.
3. O acórdão concluiu que a festa teria sido desvirtuada em benefício dos candidatos, com base no seguinte conjunto fático-probatório: (i)
vários convidados trajavam roupas na cor azul e o local estava enfeitado com bandeirolas da cor azul, que eram as cores de campanha dos
candidatos; (ii) havia grande número de pessoas no local da festa (de 500 a 1000 pessoas); (iii) o aniversariante não tinha condições financeiras
de custear evento de tal magnitude.
4. De acordo com o acórdão, o grande número de pessoas e a pequena diferença de votos evidenciariam a potencialidade lesiva da conduta
para configurar abuso do poder econômico. Por outro lado, o acórdão afastou a configuração de conduta vedada e de captação ilícita de
sufrágio, por não ter havido qualquer pedido de voto.
II DECADÊNCIA
5. Preliminarmente, discute-se se o aniversariante de churrasco promovido durante o período de campanha eleitoral no município deve ser
litisconsorte necessário na ação e se a falta de sua integração à lide acarreta a decadência.
6. É no momento da propositura da ação, com base na descrição fática apresentada pelo autor do processo, que se verifica a regularidade
quanto aos aspectos subjetivos da demanda, por força da teoria da asserção.
7. No caso, o litisconsórcio foi regularmente observado pelo autor da ação ao incluir no polo passivo tanto aquele a quem imputou a
responsabilidade pelo abuso do poder econômico como os candidatos beneficiados.
8. Posterior conclusão sobre a necessidade de participação de terceiro que não foi incluído como réu na demanda não implica decadência.
9. Sinalização, em obiter dictum, da necessidade de rever, para as Eleições 2018, a atual jurisprudência em relação à obrigatoriedade de
formação de litisconsórcio passivo entre os responsáveis pela prática do ato e os candidatos beneficiados nas AIJEs por abuso de poder.
III MÉRITO
10. No mérito, não há, no acórdão regional, comprovação da gravidade das condutas reputadas ilegais para a configuração do abuso do poder
econômico. A utilização de camisetas e de bandeirinhas nas cores da campanha dos candidatos e a quantidade de pessoas no evento não são
aptas a comprometer a legitimidade do pleito e a paridade de armas, em um contexto em que não houve qualquer pedido de voto nem a
presença dos candidatos.
11. Diante da gravidade das sanções impostas em AIJE por abuso de poder, exige-se prova robusta e inconteste para que haja condenação.
Precedentes.
IV CONCLUSÃO
12. Recurso especial eleitoral provido.
(Recurso Especial Eleitoral nº 50120, Acórdão, Relator(a) Min. Admar Gonzaga, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Data
26/06/2019, Página 25)

Assim, deve-se considerar que, nos termos da demanda proposta, não havia necessidade de citação do representante do DNOCS, pois ao
referido órgão não se atribuiu prática de qualquer ilícito. Note-se que possível irregularidade no âmbito do DNOCS é tese exposta nas defesas,
para justificar o entendimento da necessidade de litisconsórcio, mas não consta da inicial. Assim, tenho que deve ser afastada a preliminar de
decadência, tendo em conta que o litisconsórcio não se mostrava necessário quando da distribuição da inicial. Ademais, o eventual
acolhimento dessa tese de defesa sequer levaria à extinção total do feito, mas apenas ao impedimento da análise dos fatos relativos
estritamente à doação de caixas d’água, seguindo-se a demanda, normalmente, quanto aos demais fatos ilícitos narrados na inicial. De toda

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 63

sorte, conclui-se que não há como acolher o argumento de decadência da ação.


Do mesmo modo, considero que também não é possível acolher a alegação de ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações que
acompanharam a inicial, não sendo adequado o desentranhamento pretendido pela defesa dos investigados. De fato, a alegação da parte
demandada de que as gravações apresentadas pelos investigantes não poderiam ser utilizadas como prova válida pois constituiriam elementos
probatórios ilícitos não merece amparo. Note-se que fundamenta sua pretensão de defesa no argumento de que as pessoas entrevistadas não
tinham consciência de que estavam sendo gravadas, bem como, na afirmação de que os entrevistadores teriam praticado ato ilegal ao se
apresentarem como funcionários da Secretaria de Defesa Civil do Estado. Ainda, afirmam que gravações teriam sido realizadas em local
estritamente particular, impedindo a sua utilização como meio de prova, nos termos da jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral.
Entretanto, não obstante as alegações da defesa, é forçoso reconhecer que a jurisprudência pátria tem afastado a alegação de ilicitude da
prova decorrente de gravação de um dos interlocutores realizada mesmo com o desconhecimento dos demais. Note-se que, não somente o
Supremo Tribunal Federal tem admitido o uso de gravações ambientais por um dos interlocutores, inclusive para fins penais, mas também o
Tribunal Superior Eleitoral passou a admitir como válido esse meio de prova, como se passa a expor.
É certo que o processo contemporâneo tem por fio condutor não a estrita legalidade e a regularidade de fórmulas processuais, mas sim
preocupa-se, em primeiro plano, com a busca da justa e efetiva decisão, em ambiente dialógico e regrado pela conduta ética e pela
moralidade. Ademais, como tornou expresso no novo diploma processual civil, todos os que atuam no processo devem cooperar para a
construção dessa decisão justa e efetiva, em tempo razoável (art. 6º, NCPC). Como não poderia deixar de ser, somente se pode pensar em
decisão justa se os fatos tomados em consideração para o ato decisório forem verdadeiros. Daí a relevante preocupação com as provas a
produzir no processo, pois são elas os instrumentos de revelação da possível veracidade dos fatos narrados pelas partes em suas
manifestações.
Instrumento ético que é, o processo não admite a utilização de prova ilícita. Não há que se pretender fazer cumprir a lei por meios ilegais ou
mesmo imorais, o que conduziria a um paradoxo inaceitável. Nesse sentido, é que a Constituição Federal registra a inadmissão, no processo,
de provas obtidas por meios ilícitos (art. 5º, LVI). Somente pautando sua conduta na legalidade é que o agente público se encontra legitimado
a fazer cumprir as previsões legais e constitucionais, verificando a eventual necessidade de aplicar sanção a quem viola os comandos
normativos do sistema jurídico. Assim, o devido processo legal também pressupõe, ao lado da possibilidade de todos os meios legais e
moralmente legítimos para demonstrar a veracidade de suas alegações, a vedação ao uso de meios ilícitos. De mais a mais, não somente a
prova obtida por meio ilícito deve ser banida do processo, como também todas aquelas dela decorrentes, na vedação à derivação ilegítima
conhecida na doutrina como “teoria dos frutos da árvore envenenada” ou, na sua equivalente em língua inglesa, fuits of the poisonous tree.
Sobre o ponto, vejam-se as palavras de Fredie Didier Jr., Paula Sarno Braga e Rafael Alexandria Oliveira, em seu livro Curso de direito
processual civil: teoria da prova, direito probatório, ações probatórias, decisão, precedente, coisa julgada e antecipação dos efeitos da tutela,
11ª ed., Salvador: Jus Podivm, 2016:
A doutrina e os tribunais também não aceitam as chamadas provas ilícitas por derivação, que são aquelas em si mesmas lícitas, mas produzidas
a partir de outra ilicitamente obtida: documento encontrado após invasão de domicílio, interceptação telefônica autorizada pelo juiz com base
em documento falso etc. A teoria dos frutos da árvore envenenada prega que o vício da planta se transmite a todos os seus frutos (tem origem
na jurisprudência americana).
No caso dos autos, todavia, apesar dos argumentos da defesa, não se pode concordar com a alegação de ilicitude da prova. Como acima já
registrado, o Supremo Tribunal Federal vem há muito, em reiterados julgados, reconhecendo como válida a gravação ambiental realizada por
um dos interlocutores, inclusive para utilização em processo criminal, ainda que com o desconhecimento dos demais envolvidos no diálogo,
não se podendo alegar sequer violação à privacidade. Nesse sentido, veja-se a ementa do seguinte julgado:
QUESTÃO DE ORDEM. INQUÉRITO INSTAURADO A PARTIR DE CARTA DENÚNCIA E DE DEGRAVAÇÃO DE FITA MAGNÉTICA. GRAVAÇÃO
AMBIENTAL. CONVERSAS NÃO PROTEGIDAS POR SIGILO LEGAL. AUSÊNCIA DE ILICITUDE. INDÍCIOS DE PARTICIPAÇÃO DE AGENTE DETENTOR
DE PRERROGATIVA DE FORO. COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. QUESTÃO DE ORDEM RESOLVIDA, POR MAIORIA,
PARA DETERMINAR O PROSSEGUIMENTO DAS INVESTIGAÇÕES NO STF . 1. É lícita a prova obtida mediante a gravação ambiental, por um dos
interlocutores, de conversa não protegida por sigilo legal. Hipótese não acobertada pela garantia do sigilo das comunicações telefônicas (inciso
XII do art. 5º da Constituição Federal). 2. Se qualquer dos interlocutores pode, em depoimento pessoal ou como testemunha, revelar o
conteúdo de sua conversa, não há como reconhecer a ilicitude da prova decorrente da gravação ambiental. 3. A presença de indícios de
participação de agente titular de prerrogativa de foro em crimes contra a Administração Pública confere ao STF o poder-dever de supervisionar
o inquérito. 4. Questão de ordem resolvida no sentido da fixação da competência do Supremo Tribunal Federal para supervisionar as
investigações e da rejeição da proposta de trancamento do inquérito por alegada ilicitude da gravação ambiental que motivou a abertura
desse procedimento investigatório.
(Inq-QO 2116, Relator(a): Min. MARCO AURÉLIO, Relator(a) p/ Acórdão: Min. AYRES BRITTO, publicado em 29/02/2012, Tribunal Pleno)

Na mesma senda, vem seguindo o Tribunal Superior Eleitoral, admitindo, como regra, a utilização de prova dessa natureza, inclusive para
instruir processos que podem conduzir à cassação de mandato eletivo. Veja-se, como exemplo, a ementa do seguinte julgado:
LEIÇÕES 2016. RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL. VEREADOR. ART. 41-A DA LEI N° 9.504/97. ART.
22 DA LC N° 64/90. PRELIMINAR. GRAVAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA POR UM DOS INTERLOCUTORES SEM AUTORIZAÇÃO JUDICIAL. LICITUDE
DA PROVA. CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO. OFERTA DE BENESSES EM TROCA DE VOTO. CONFIGURAÇÃO. ABUSO DE PODER POLÍTICO OU DE
AUTORIDADE. NÃO CARACTERIZADO. AUSÊNCIA DE GRAVIDADE. RECURSO ESPECIAL A QUE SE DÁ PARCIAL PROVIMENTO.
1. A jurisprudência que vem sendo aplicada por este Tribunal Superior, nos feitos cíveis-eleitorais relativos a eleições anteriores a 2016, é no
sentido da ilicitude da prova obtida mediante gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento dos demais e

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 64

desacompanhada de autorização judicial, considerando-se lícita a prova somente nas hipóteses em que captada em ambiente público ou
desprovida de qualquer controle de acesso.
2. Não obstante esse posicionamento jurisprudencial, mantido mormente em deferência ao princípio da segurança jurídica, entendimentos
divergentes já foram, por vezes, suscitados desde julgamentos referentes ao pleito de 2012, amadurecendo a compreensão acerca da licitude
da gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento dos demais e sem autorização judicial.
3. À luz dessas sinalizações sobre a licitude da gravação ambiental neste Tribunal e da inexistência de decisão sobre o tema em processos
relativos às eleições de 2016, além da necessidade de harmonizar o entendimento desta Corte com a compreensão do STF firmada no RE n°
583.937/RJ (Tema 237), é admissível a evolução jurisprudencial desta Corte Superior, para as eleições de 2016 e seguintes, a fim de
reconhecer, como regra, a licitude da gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento do outro e sem
autorização judicial, sem que isso acarrete prejuízo à segurança jurídica.
4. A despeito da repercussão geral reconhecida pelo STF no RE n° 1.040.515 (Tema 979) acerca da matéria relativa à (i)licitude da gravação
ambiental realizada por um dos interlocutores sem o conhecimento dos demais nesta seara eleitoral, as decisões deste Tribunal Superior sobre
a temática não ficam obstadas, dada a celeridade cogente aos feitos eleitorais.
5. Admite-se, para os feitos referentes às Eleições 2016 e seguintes, que sejam examinadas as circunstâncias do caso concreto para haurir a
licitude da gravação ambiental. Ou seja, a gravação ambiental realizada por um dos interlocutores sem o consentimento dos demais e sem
autorização judicial, em ambiente público ou privado, é, em regra, lícita, ficando as excepcionalidades, capazes de ensejar a invalidade do
conteúdo gravado, submetidas à apreciação do julgador no caso concreto, de modo a ampliar os meios de apuração de ilícitos eleitorais que
afetam a lisura e a legitimidade das eleições.
6. No caso, analisando o teor da conversa transcrita e o contexto em que capturado o áudio, a gravação ambiental afigura-se lícita, visto que
os recorrentes protagonizaram o diálogo, direcionando-o para oferta espontânea de benesses à eleitora, de modo que restou descaracterizada
a situação de flagrante preparado.
7. O ilícito descrito no art. 41-A da Lei nº 9.504/97 se consubstancia com a oferta, a doação, a promessa ou a entrega de benefícios de
qualquer natureza, pelo candidato, ao eleitor, em troca de voto, que, comprovado por meio de acervo probatório robusto, acarreta a
cominação de sanção pecuniária e a cassação do registro ou do diploma.
8. Acertada a decisão regional, visto que, a partir do teor da conversa anteriormente transcrito, objeto da gravação ambiental, depreende-se
ter havido espontânea oferta de benesses, pelos recorrentes, à eleitora Juscilaine Bairros de Souza e seus familiares - oferecimento da quantia
de R$ 500,00 (quinhentos reais), facilitação do uso dos serviços médicos da Unidade de Saúde Moisés Dias, oferta de gasolina e de veículos
para transportar, no dia das eleições, os parentes que moram em outro município e promessa de emprego para o marido da eleitora -,
vinculada ao especial fim de obter votos para o então candidato Gilberto Massaneiro, que participou ativamente da conduta.
9. O art. 22, XVI, da LC n° 64/90, com a redação conferida pela LC n° 135/2010, erigiu a gravidade como elemento caracterizador do ato
abusivo, a qual deve ser apurada no caso concreto. A despeito da inexistência de parâmetros objetivos, a aferição da presença desse elemento
normativo é balizada pela vulneração dos bens jurídicos tutelados pela norma, quais sejam, a normalidade e legitimidade das eleições, que
possuem guarida constitucional no art. 14, § 9°, da Lei Maior.
10. Consoante jurisprudência deste Tribunal Superior, o abuso do poder político ou de autoridade insculpido no art. 22, caput, da LC n° 64/90,
caracteriza-se quando o agente público, valendo-se de sua condição funcional e em manifesto desvio de finalidade, compromete a igualdade e
a legitimidade da disputa eleitoral em benefício de candidatura própria ou de terceiros (RO n° 172365/DF, Rel. Min. Admar Gonzaga, DJe de
27.2.2018; RO n° 466997/PR, Rel. Gilmar Mendes, DJe de 3.10.2016; REspe n° 33230/RJ, Rel. Min. João Otávio de Noronha, DJe de 31.3.2016).
11. Na hipótese dos autos, em que pese a moldura fática evidencie o uso desvirtuado da instituição pública, as circunstâncias não se afiguram
suficientemente graves para macular a legitimidade e a isonomia do pleito, porquanto os fatos comprovados no acórdão cingem-se à eleitora
específica e à ocasião única, o que, embora aptos a caracterizar captação ilícita de sufrágio, mostram-se inábeis para atrair a gravidade
necessária à configuração do ato abusivo.
12. Recurso especial parcialmente provido apenas para afastar a configuração do abuso do poder político em relação a ambos os recorrentes,
mantendo-se a condenação de Gilberto Massaneiro pela prática de captação ilícita de sufrágio. Julgo prejudicado o pedido de concessão de
efeito suspensivo ao recurso especial.
Decisão:
O Tribunal, por maioria, deu parcial provimento ao recurso especial, apenas para afastar a configuração do abuso do poder político em relação
a ambos os recorrentes, mantida a condenação de Gilberto Massaneiro pela prática de captação ilícita de sufrágio, e julgou prejudicado o
pedido de concessão de efeito suspensivo ao recurso especial, nos termos do voto do Relator. Votaram com o Relator os Ministros Luís
Roberto Barroso, Jorge Mussi e Rosa Weber (Presidente). Vencidos o Ministro Og Fernandes, que negou provimento ao recurso especial, e os
Ministros Tarcisio Vieira de Carvalho Neto e Sérgio Banhos, que lhe deram provimento integral.
(Recurso Especial Eleitoral nº 40898, Acórdão, Relator(a) Min. Edson Fachin, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 150, Data
06/08/2019, Página 71/72)

Assim, com base no entendimento jurisprudencial dominante, as provas oriundas das gravações que acompanham a inicial devem ser
admitidas como válidas no processo, como regra geral, não se justificando sua exclusão a priori. Eventual invalidade das gravações para
comprovar a ocorrência dos ilícitos eleitorais apontados deve ser verificada caso a caso, ou seja, a partir da análise de cada um dos vídeos, não
cabendo o desentranhamento requerido. Note-se que a verificação de possível “induzimento” dos “entrevistadores” às respostas das pessoas

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 65

entrevistadas, como querem fazer crer os investigados, somente se pode aferir a partir da admissão do meio utilizado, isto é, em um segundo
momento de análise, tendo em conta o conteúdo dos diálogos travados. De outro lado, o acobertamento da identidade e da motivação dos
“entrevistadores”, ainda que questionável, por si só, não macula em absoluto as declarações das pessoas ouvidas, que podem sim relatar fatos
reais, aferível quanto à verossimilhança a partir da fluidez natural e da espontaneidade das narrativas.
Dessa forma, tenho que o pedido de desentranhamento do conteúdo dos vídeos deve ser indeferido. Note-se que, por solicitação dos
investigados, houve exame pericial das gravações pelos peritos do Departamento de Polícia Federal, não tendo sido “encontrados indícios de
edições nos vídeos”, conforme consta no Laudo de Perícia Criminal Federal de fls. 1990/1992.
DO MÉRITO:
Superadas as questões prévias, passa-se à análise do mérito da ação.
A presente demanda, tratando-se de Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE, encontra fundamento legal no art. 22 da Lei Complementar
n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades), tendo por fim a apuração de uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou de autoridade, com o
fim de favorecer candidato ou partido político. Visa, portanto, à preservação da licitude político-eleitoral, combatendo ações que possam
acarretar injustificada desigualdade na disputa pelo voto dos eleitores. Nesse sentido, veja-se o caput do dispositivo legal supracitado:

Art. 22. Qualquer partido político, coligação, candidato ou Ministério Público Eleitoral poderá representar à Justiça Eleitoral, diretamente ao
Corregedor-Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, indícios e circunstâncias e pedir abertura de investigação judicial para
apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade, ou utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político, obedecido o seguinte rito:

É justamente a normalidade da disputa eleitoral que a Ação de Investigação Judicial Eleitoral busca tutelar, apurando eventuais práticas
abusivas que desviem indevidamente o voto do eleitorado, ora cerceando a plena liberdade esperada da cidadania, no exercício do sufrágio,
ora aproveitando-se de posições de poder econômico ou político para promoção de determinado candidato, em prejuízo da igualdade de
oportunidade no curso do pleito. Através dessa demanda, os investigantes buscam restaurar eventuais desvios político-eleitorais e penalizar os
responsáveis pelos abusos, seja com a cominação de inelegibilidade, seja com a cassação de registro ou diploma, com impacto direto no
próprio exercício do mandato eletivo.
Sobre o bem jurídico tutelado através da Ação de Investigação Judicial Eleitoral - AIJE, vejam-se as palavras de Rodrigo López Zílio, em seu livro
Direito Eleitoral, 5ª ed., Porto Alegre: Verbo Jurídico, 2016, p. 546:
A AIJE visa proteger a normalidade e legitimidade do pleito, na forma prevista pelo art. 14, § 9º, da CF. Por conseguinte, para a procedência da
AIJE é necessária a incidência de uma das hipóteses de cabimento (abuso do poder econômico, abuso do poder de autoridade ou político,
utilização indevida de veículos ou meios de comunicação social e transgressão de valores pecuniários), além da prova de que o ato abusivo
rompeu o bem jurídico tutelado, ou seja, teve potencialidade de influência na lisura do pleito (ou, na dicção legal do art. 22, XVI, da LC n.
64/90, a prova da “gravidade das circunstâncias do ato abusivo).

No presente caso, além da demanda investigativa de prática de abuso de poder político e econômico, os investigados apresentaram pedidos
de reconhecimento de captação ilícita de sufrágio, nos termos do art. 41-A da Lei das Eleições (Lei n. 9.504/97), e de prática de conduta
vedada a agente público, nos termos do art. 73, I, III e IV, do referido diploma normativo. Dessa forma, em razão da cumulação de ações, os
fatos elencados na inicial serão analisados a partir da possibilidade de enquadramento jurídico em quaisquer das hipóteses normativas
levantadas pelos investigantes.
De outro lado, deve-se destacar que os investigantes, em 09 de janeiro de 2017, também manejaram Ação de Impugnação de Mandato
Eletivo - AIME, mas apenas em face dos investigados nestes autos que lograram êxito nas eleições municipais de 2016, onde pretendem a
cassação dos mandatos eletivos e a cominação de inelegibilidade aos investigados/impugnados, com base nos mesmos fatos narrados na
inicial desta AIJE. Conforme já registrado no relatório acima, houve o apensamento a este feito dos autos da referida Ação de Impugnação de
Mandato Eletivo – AIME n. 1-43.2017.6.18.0013, conduzindo à instrução conjunta dos feitos. Considerando que, muito embora se trate de
ações eleitorais distintas, são ambas baseadas nos mesmos fatos, haja vista ser a inicial da AIME tão somente uma reprodução adaptada da
que fora apresentada na AIJE, serão todos os fatos analisados nestes autos, mormente em face dos atuais efeitos conferidos à procedência da
AIJE, nos termos das alterações promovidas pela Lei Complementar 135/2010.
DOS FATOS ARTICULADOS E DAS PROVAS PRODUZIDAS:
Da análise do conteúdo dos autos, entendo que assiste parcial razão à parte investigante e ao Ministério Público Eleitoral quando pretendem o
reconhecimento da prática de ilícitos no âmbito do pleito eleitoral de 2016. Com efeito, do conjunto dos autos, pode-se observar a existência
de suficientes elementos probatórios que indicam a ocorrência de condutas ilícitas potencialmente violadoras do equilíbrio da disputa
eleitoral, conduzindo à necessária responsabilização dos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO
ISAIAS DA SILVA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE
SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO, conforme se passará a expor.
Por outro lado, considero que, apesar dos indícios de ilicitude, não se produziu prova suficiente à responsabilização dos investigados
EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS e KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES por conduta irregular no
âmbito da campanha eleitoral em tela. Considere-se, ainda, que o feito deve ser extinto em face de ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, tendo
em vista o seu falecimento, conforme acima já registrado.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 66

De modo geral, relatam os investigantes que os investigados teriam obtido vitória eleitoral como fruto de compra de votos e abuso do poder
econômico e político, especialmente, com o oferecimento de benesses a eleitores, para facilitação de acesso a água, a exemplo de poços
tubulares, reformas em barragens, caixas d’água, etc, o que teria violado a igualdade entre os candidatos e ferido a lisura do pleito. Ademais,
alegam que teria havido uma atuação coordenada entre a primeira investigada, então candidata a Prefeita Municipal de São Raimundo
Nonato/PI, em conjunto com vereadores de sua coligação, e o Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, esposo da
primeira investigada, para utilização da máquina do Estado visando atender pedidos dar referida candidata, destinados a seus eleitores.
Os fatos relatados na inicial foram agrupados em 25 (vinte e cinco) itens, conforme consta no relatório desta decisão, visando facilitar a análise
de sua procedência. Trata-se, como referido, de alegadas promessas e concessão de benesses a eleitores de diversas localidades do Município
de São Raimundo Nonato/PI, no curso do pleito eleitoral de 2016. Como meio de prova, foram juntados vários vídeos gravados nas referidas
localidades, onde os “entrevistadores” colhiam informações de diversos populares sobre os referidos benefícios recebidos nas localidades,
principalmente, relativos a perfuração e equipamento de poços tubulares, doações de caixas d’água, reforma, limpeza e construção de
barragens, dentre outros, vinculados à amenização da situação de seca típica da região. Ademais, além dos vídeos, foram apresentas
fotografias, bem como, procedeu-se à colheita de depoimentos em audiência de instrução, sendo também juntados diversos documentos,
mormente por ocasião das defesas e das diligências realizadas.
Analisando os elementos probatórios dos autos, todavia, observa-se que apenas parte dos fatos narrados na inicial restaram efetivamente
comprovados, no que se refere à atuação de candidatos ou de outras pessoas, em seu favor, para concessão ou intermediação de oferta de
benefícios para comunidades, no curso do processo eleitoral de 2016. A conjugação dos depoimentos colhidos em juízo com as gravações
ambientais realizadas e os documentos juntados aos autos leva à necessária convicção de que, pelo menos em parte, procede a pretensão dos
investigantes, eis que comprovada a prática de ilícios eleitorais.
É certo que os depoimentos prestados em juízo pelos responsáveis pelas gravações ambientais devem ser analisados com a necessária cautela,
como de costume no âmbito de processos dessa natureza. Observe-se que a pessoa de RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA fora ouvido
apenas como informante do juízo, tendo em conta seu possível interesse no desfecho do presente processo. Ademais, a testemunha NILTON
ARAÚJO CANDIM NETO, mesmo que compromissada, deve ter seu depoimento observado com o necessário cuidado, pois também atuou
diretamente na colheita do material probatório plasmado em vídeo, ensejando a suspeita de que tenha interesse, no mínimo, em confirmar
suas hipóteses de prática ilícita. Todavia, apesar das necessárias reservas, os referidos depoimentos não podem ser descartados em absoluto,
devendo ser lidos à luz dos demais elementos probatórios existentes. Assim, servem as testemunhas acima como fonte de elementos
indiciários, a serem confirmados ou não a partir da consideração de todo o acervo probatório. Note-se que, no âmbito do processo penal, o
sistema legal admite inclusive a utilização das palavras de coautor de ilícito, desde que vinculadas e indicativas de outras provas que
corroborem a versão.
Assim, os depoimentos acima referidos não serão tomados de forma isolada, mas segundo a coerência que evidenciem e a consideração do
conteúdo efetivo das gravações levadas a efeito pelos depoentes. Muito embora haja questionamento por parte dos investigados quanto à
validade das gravações ambientais, sob a alegação de que as pessoas entrevistadas teriam sido induzidas a proferir inverdades, o certo é que,
da observância do conteúdo gravado verifica-se em muitos diálogos a confirmação de interferência de políticos, inclusive de candidatos, para a
concessão de benefícios às comunidades, em plena época de campanha eleitoral. Dos referidos diálogos, inclusive, pode-se extrair narrativas
espontâneas sobre atuações ou promessas de investigados para a obtenção de benefícios para determinada pessoa ou a comunidade. Ainda
que os entrevistadores tenham ocultado sua identidade, por ocasião dos diálogos gravados, não resta em absoluto prejudicada a seriedade das
palavras das pessoas entrevistadas, que se deve verificar caso a caso. Aliás, quando da resposta ao quesito sobre a eventual consciência dos
entrevistados que estavam sendo gravados, os peritos do Departamento de Polícia Federal registram não haver sinais dessa ciência, tendo em
conta o “comportamento espontâneo” das pessoas entrevistadas (fls. 1992). Portanto, muitos dos diálogos mostram narrativas espontâneas,
que não podem ser desconsideradas, a priori, conforme abaixo exposto.
Quanto aos fatos envolvendo o investigado RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, consta na inicial a abertura de um poço tubular, na Localidade
CACHOEIRINHA, entre os 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Israel Ribeira da Costa, bem como, de outro poço tubular, na Localidade
CACIMBAS, na propriedade do Sr. Carlos Omar Carneiro Deusdará, e ainda de mais um poço tubular na Localidade LAGOA DOS VEADOS, na
propriedade do Sr. Rafael Lopes Negreiros (itens 01, 02 e 03). O conteúdo dos autos evidencia que, de fato, o investigado atuou na obtenção
dos referidos poços tubulares, no período eleitoral.
Note-se que, além dos depoimentos de RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e NILTON ARAÚJO CANDIM NETO, há registro de vídeo,
referente à Localidade CACHOEIRINHA, em que um homem, identificando-se como Israel, confirma a atuação de RIAN no referido poço,
acrescentando que RIAN também teria sido responsável pela abertura de outro poço no BAIXÃO. De outro lado, a testemunha JOÃO
APARECIDO DE SOUSA, Agente Comunitário de Saúde, afirmou que teria chegado a história de que Vereador RIAN e a Prefeita CARMELITA
iriam abrir o poço, confirmando, ainda, ter visto RIAN na montagem do poço, além do irmão do mesmo, chamado “CACAU”, na inauguração.
Israel, segundo relatou a testemunha JOÃO APARECIDO DE SOUSA, teria trabalhado para o Vereador RIAN. Considere-se, ainda, que a
testemunha IVANALDO SANTOS SILVA, ouvido como informante, negou a atuação de RIAN, afirmando que teria acompanhado a perfuração a
pedido da Deputada Rejane Dias. Todavia, a própria defesa confirma a intermediação política, tendo em conta que o ofício constante às fls.
415, solicitando a abertura do poço, é subscrito pelo próprio Vereador RIAN MARCOS ALVES DA SILVA. Muito embora o citado ofício seja
datado de 02 de maio de 2016, a construção do poço somente ocorreu no curso da campanha para eleição municipal, sendo inegável o
potencial de sua exploração político-eleitoral.
No que se refere aos fatos relativos à Localidade CACIMBAS, há registro em vídeo de um entrevistado confirmando a atuação do Irmão RIAN
na obtenção do poço. Registre-se, ainda, o depoimento da testemunha AREOLINDO RIBEIRO DEUSDARÁ, afirmando que o poço fora aberto na
propriedade de seu irmão, Manoel Ribeiro Deusdará, o qual seria lavrador e não teria condições de arcar com a construção do poço. Afirmou a
testemunha AREOLINO RIBEIRO DEUSDARÁ que RIAN estava no local de vez em quando, inclusive na inauguração do poço, quando soltaram
foguetes. Há, portanto, uma coerência lógica nas narrativas, indicando a intermediação atuação do investigado no processo de obtenção do
poço. A apresentação do recibo de fls. 422, formalizando um suposto pagamento, por si só, não tem o condão de afastar a conclusão de

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 67

atuação do investigado na construção do poço, mormente pelo registro audiovisual, pelo depoimento da testemunha AREOLINO RIBEIRO
DEUSDARÁ, quanto à hipossuficiência econômica de seu irmão, e no que se refere à inauguração com participação do investigado. Assim, resta
evidente o aproveitamento político-eleitoral da abertura do referido poço tubular.
Quanto ao poço tubular na Localidade LAGOA DOS VEADOS, observa-se nas gravações apresentadas um vídeo em que um homem que se
identifica como Rafael Lopes de Negreiros confirma que o Irmão RIAN teria feito compromisso com famílias, acrescentando que se desse água
seria para todos (tios, tias, primos...). Ademais, outro entrevistado (Nivaldo), também confirmou a presença do Irmão RIAN, sendo que outra
entrevistada (Ivanilde de Negreiros) também se refere ao RIAN e a seu “sobrinho” conhecido como “CACÁ”. De outro lado, muito embora a
testemunha LUIZ FERREIRA DOS SANTOS NETO tenha alegado ser o responsável pelo pagamento do poço, juntamente com seu sogro, houve
contradições em seu depoimento que o fragilizam, especialmente quanto ao modo de adimplemento do valor do poço. Note-se que, embora
haja um recibo de pagamento de R$ 3.000,00 para a perfuração de um poço na Localidade Lagoa dos Veados datado de 28 de setembro de
2016 (fls. 424), em nome de Paulo Antônio de Freitas, a supracitada testemunha apresentou dois cheques suspostamente usados para o
pagamento, nos valores de R$ 1.000,00 e R$ 500,00, mas datados de 10/10/2016 e 06/12/2016 (fls. 2068/2069). Desse modo, o depoimento
da testemunha supracitada não exclui a atuação política do investigado em face do poço em referência.
O investigado NUNES DE JESUS SANTOS, segundo o relatado nos autos, teria atuado nos fatos relativos ao equipamento de um poço na
Localidade LAGOA DOS BOIS, na abertura de poços na Localidade LAGOA DA PEDRA II e na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS, na
reparação de barragem na Localidade PEDRA DO MOCÓ e construção de barragem na Localidade RETIRO, assim como na construção de
calçamento na Localidade SÃO VITOR, correspondendo aos itens 08, 10, 11, 12, 17 e 20, acima referidos.
Quanto ao poço perfurado na Localidade LAGOA DOS BOIS, na propriedade do Sr. Milton Aparecido Dias de Castro, não há comprovação de
que tenha sido promovido pelo investigado NUNES DE JESUS SANTOS. O próprio MILTON APARECIDO DIAS DE CASTRO, ouvido em juízo como
testemunha, afirmou que não fora o investigado o responsável pelo poço, sendo que a própria testemunha pagou para a perfuração, ainda em
2015. Afirmou ainda a testemunha que as caixas d’água teriam sido recebidas através da associação local. Entretanto, dos vídeos constantes
nos autos, observa-se que alguns entrevistados afirmam que houve promessa de abertura do poço por NUNES e por CARMELITA, que não
chegou a ser concretizada, sendo que uma das entrevistadas afirmou ter recebido uma caixa d’água do NUNES (degravação às fls. 90).
Com relação ao poço tubular perfurado, na Localidade LAGOA DA PEDRA II, observa-se pelo teor dos vídeos, que os entrevistados não
souberam afirma se o NUNES teria efetivamente contribuído para a perfuração do poço. Entretanto, um dos entrevistados afirmou que o
NUNES teria prometido equipar o poço, se desse água, o que não ocorreu.
No que se refere ao poço tubular na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS, nota-se que não restou devidamente comprovada a atuação do
investigado NUNES DE JESUS SANTOS. Com efeito, a testemunha RAIMUNDO FERNANDES CASTRO, ouvida em juízo, negou que o poço tenha
sido objeto de promessa político-eleitoral, afirmando que ele mesmo fora o responsável pelo pagamento da empresa. Os vídeos apresentados
com a inicial também são insuficientes à sustentação da tese dos investigantes no específico ponto, devendo-se observar que os entrevistados
não confirmaram que o poço fora perfurado pelo investigado. Da mesma forma, mostra-se insuficiente a prova colhida nos autos da
participação do investigado nos fatos relativos à reparação da barragem na Localidade PEDRA DO MOCÓ. Com efeito, não houve produção de
prova que corroborasse as alegações nesse sentido, sendo as gravações em vídeo não conclusivas quanto à atuação do investigado nessa
questão. Ademais, quanto à construção de calçamento na Localidade SÃO VITOR, as provas são insuficientes para afirmar a participação do
investigado NUNES DE JESUS SANTOS. Observe-se que, em um dos vídeos apresentados, um dos homens entrevistados, à pergunta do
entrevistador, confirmou que o NUNES teria andado por lá, o que, por si só, não configura atuação ilícita, já que não se esclareceu as
circunstâncias desse comparecimento ao local da obra.
Lado outro, considera-se comprovada a atuação do investigado na exploração político-eleitoral da construção de barragem na Localidade
RETIRO, com máquinas da Secretaria de Defesa Civil. Com efeito, corroborando os depoimentos das testemunhas indicadas pelos
investigantes, observa-se na gravação em vídeo contida nos autos as palavras da entrevistada Letícia dos Santos Marques quanto à atuação do
investigado na obra da barragem. Referiu ainda a entrevistada que o NUNES teria ido ao local com a CARMELITA, mas bem antes da eleição,
para apresentá-la como candidata. Do mesmo modo, outro entrevistado afirmou que “o negócio” teria sido com o NUNES e o HÉLIO ISAIAS,
sendo que o responsável pela máquina seria o “LOBIM”. Observa-se, portanto, clara atuação do investigado NUNES DE JESUS SANTOS na
exploração político-eleitoral de obra pública, devendo ser reconhecida como ilícito eleitoral.
Quanto ao investigado LAERCIO DIAS DE CARVALHO, consta na peça de ingresso a sua atuação nas localidades SERRA NOVA e VEREDA, para
perfuração de poços tubulares e entrega de equipamentos, como poste, canos de pvc e tijolos, conforme itens 04, 06 e 07. No que se refere à
Localidade SERRA NOVA, observa-se das gravações que um dos entrevistados informa que LAÉRCIO teria sido responsável por levar canos,
tijolos e poste. Outro homem entrevistado, na mesma oportunidade, também confirma que o LAÉRCIO teria levado os tijolos, os quais foram
filmados no local. De outo lado, quanto ao poço na Localidade VEREDA, consta das gravações informação de que o investigado teria prometido
ajudar na abertura, ainda que, posteriormente, não tenha cumprido com a promessa. Um dos entrevistados, que seria Delano Paes dos Santos,
afirma que LAÉRCIO tinha feito o compromisso de dar uma ajuda na perfuração do poço, que seria público, mas não cumpriu com a promessa.
Referiu ainda o entrevistado que fora LAÉRCIO quem teria trazido a máquina para a cidade e ainda teria sido seu “avalista” junto à empresa de
perfuração. Nota-se, portanto, dos autos, que o investigado teria agido, no curso da campanha eleitoral de 2016, para levar benefícios a
eleitores, violando as regras eleitorais.
Atribuíram os investigantes a JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA atuação na abertura de poço na Localidade LAGOA DE FORA, em frente à
casa do Sr. Berilo de Negreiros Paes, por meio da Secretaria de Defesa Civil do Estado (item 14). Nos autos, muito embora não se tenha
comprovação da origem dos recursos para a perfuração do poço, não há dúvida de que houve atuação do investigado, intermediando a
concessão do benefício à comunidade em pleno período eleitoral. Note-se que, nas gravações em vídeo, mais de um entrevistado confirma a
atuação de RONALDO na obtenção do poço para a comunidade. Não se pode desconsiderar que a testemunha BERILO DE NEGREIROS PAES,
quando ouvido em juízo, muito embora tenha afirmado que o poço fora objeto de uma solicitação da Associação local e não obtido em troca
de votos, confirmou que houve a intermediação de RONALDO, que orientou a fazer o documento, encaminhado há mais de dois anos. Afirmou

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 68

ainda BERILO DE NEGREIOS que RONALDO, além de ter falado com o responsável pela marcação do poço (Joaquim Teles), também foi quem
noticiou que o poço iria sair. Observe-se, portanto, que mesmo não se comprovado a origem dos recursos que financiaram a perfuração do
poço, o fato é que houve a atuação do investigado. Ademais, é evidente a exploração político-eleitoral da abertura desse poço naquela
comunidade, tendo-se em conta que, se o requerimento da comunidade, através de sua associação dera-se em novembro de 2013 (fls.
383/391), o poço fora aberto somente no curso da campanha eleitoral de 2016. Assim, conclui-se pela prática de ilícito eleitoral por parte do
investigado.
Como acima registrado, alegam os investigados que todos os supostos ilícitos eleitorais narrados na inicial teriam por fim o favorecimento da
campanha eleitoral da então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato, CARMELITA DE CASTRO SILVA. Na visão dos investigantes, seria a
eleição da primeira investigada o objetivo principal de todos os investigados, como demonstraria o diagrama de fls. 21. Referem os
investigantes, nesse sentido, que a atuação de todos os investigados teria sido coordenada com o fim de, utilizando-se da máquina do Estado,
principalmente através da Secretaria de Defesa Civil, angariar votos dos eleitores com a concessão de benefícios no período eleitoral,
especialmente para a conquista do cargo majoritário municipal. Todavia, a vinculação política dos vereadores investigados à candidata a
Prefeita não dispensa a análise individual dos fatos narrados na petição inicial, para verificação da sua procedência quanto à atuação da
primeira investigada. Não se pode meramente transplantar a responsabilidade aferida de um investigado para outro, sendo imprescindível
conferir atentamente os eventuais liames entre suas condutas, de modo a permitir uma segura conclusão quanto à participação de cada um
nos ilícitos eleitorais relatados.
Analisando o conteúdo dos autos, observa-se que há elementos probatórios suficientes para a conclusão da prática de ilícito eleitoral pela
primeira investigada, especialmente no que se refere ao abuso do poder econômico e político em benefício de sua campanha eleitoral, no ano
de 2016. De fato, as gravações de vídeo apresentadas com a inicial confirmam que houve concessão de benefícios a comunidades de São
Raimundo Nonato, no curso do período eleitoral, vinculando-se essas benesses à figura da então candidata a Prefeita, CARMELITA DE CASTRO
SILVA, geralmente, em conjunto com algum dos candidatos a vereador que a apoiavam.
Note-se que, quanto ao fato envolvendo a abertura de um poço tubular na Localidade SERRA NOVA, entre os dias 06 e 07 de setembro de
2016 (item 04), há o registro em vídeo de moradores da região confirmando que a então candidata CARMELITA DE CASTRO teria prometido e
cumprido a promessa de abertura do citado poço (fotografia às fls. 64/65). Observa-se que, às perguntas do entrevistador, o morador
entrevistado confirma que a então candidata teria prometido e construído o poço, bem como prometido uma adutora, se ganhasse a eleição.
Por elucidativo, nos termos da degravação de fls. 144, vejam-se as palavras de um morador entrevistado: “Falou que naquele momento não,
mas se ela ganhasse ela botaria um adutor, mas que antes não, só cumpria com esse dever aqui do poço e ela cumpriu”. Clara, portanto, a
relação da perfuração do poço para a comunidade à campanha eleitoral da primeira investigada. A gravidade dos fatos é evidente, tendo em
conta que o poço fora aberto e equipado durante o período de campanha eleitoral, sendo assimilado pelos moradores da localidade como um
benefício recebido diretamente da candidata investigada.
De forma similar ao que aconteceu na Localidade SERRA NOVA, também na Localidade VEREDAS (item 06) houve a tentativa de beneficiar a
comunidade com um poço tubular, no curso das eleições de 2016, a partir de atuação de LAÉRCIO e da candidata CARMELITA. Considere-se
que, não obstante o Sr. Delano Paes dos Santos alegue que acabou pagando pelo poço, o mesmo relata que inicialmente houve uma promessa
de ajuda por parte de LAÉRCIO. Ademais, uma moradora entrevistada associa a perfuração do poço à pessoa da investigada, conforme se
observa no vídeo degravado às fls. 110, em que a mesma afirma: “Foi a Carmelita”. Nota-se, portanto, que mesmo não tendo sido
concretizada a promessa do poço na Localidade VEREDAS, houve o intento inicial de concessão da benesse por parte dos investigados em
pleno período eleitoral, revelando um modo de proceder. No mesmo sentido, também os fatos relativos à Localidade LAGOA DOS BOIS (item
08) estão associados à primeira investigada, ainda que não se tenha efetivado a perfuração. Observe-se que um dos entrevistados, no vídeo
degravado às fls. 92, quando perguntado sobre a promessa do poço, respondeu: “Quem prometeu foi a Carmelita”.
Alegam os investigantes, ainda, que teria havido promessa de distribuição de água para 55 residências na Localidade GARRINCHO, tendo
havido a instalação de bomba, caixas d’água e 1.500 metros de canos pvc, além da abertura de valas na região (item 15). Um dos moradores
entrevistados (vídeo com nome de Nataniel Santos de Jesus), perguntado, confirmou que teria ido para a região uma máquina
retroescavadeira de propriedade de LOBIM, acrescentando que houve comentário de que seria da Defesa Civil, sem, entretanto, mostrar
segurança. Outro entrevistado (vídeo identificado como Genivaldo de Jesus) afirmou que “ela falou que, “se votasse nela”, prometia “trazer
uns canos, caixa d’água fazer “uma adutorinha aí”. Afirmou, ainda, que a máquina retroescavadeira teria vindo através do HÉLIO ISAIAS, e
que o responsável por ela seria LOBIM, bem como, que teria sido colocada a encanação e a caixa d’água, tendo a obra sido iniciada em
setembro e terminando já “perto da política”. Um outro morador entrevistado (vídeo identificado como José Raimundo) acrescentou que o
poço teria sido aberto pela Prefeitura, na gestão do Padre Herculano, sendo que agora somente teriam colocado a caixa, e que os canos teriam
sido obtidos através de ANITA, presidente da associação que fora candidata a vereadora e que seria “do lado do HÉLIO ISAIAS”.
Ainda sobre a Localidade GARRINCHO, outro homem entrevistado (vídeo identificado como José Rodrigues) confirmou que o responsável por
levar os canos para a localidade teria sido LOBIM que também teria levado uma máquina retroescavadeira. Um outro entrevistado (vídeo
identificado como Mauri), apesar de relacionar a obra à associação local, afirmou que a responsável pela referida associação, ANITA, seria do
mesmo partido da então candidata que ganhou, CARMELITA. Referiu, ainda, o mesmo entrevistado, ter ouvido falar que os responsáveis por
essa água seriam o HÉLIO ISAIAS e a CARMELITA. Referiu, também, que os canos teriam sido providenciados pela pessoa de HÉLIO ISAIAS.
Ainda outro morador entrevistado (vídeo identificado como Maximo) afirmou saber que os canos teriam sido obtidos através de HÉLIO ISAIAS.
Indagado se a esposa do mesmo HÉLIO ISAIAS teria ido ao local e feito algum compromisso político, o entrevistado respondeu que não, que
mandou só a máquina, dizendo que era da Defesa Civil. Acrescentou, também, o mesmo morador entrevistado, que o responsável pela
máquina da Defesa Civil era LOBIM, sendo que a responsável pelo material era ANITA. Registre-se, por oportuno, que a testemunha arrolada
pelos investigados, CLEONICE RIBEIRO DA SILVA, alegou ter visto LOBIM “encanando umas coisas de água”, acrescentando que os canos teriam
ficado na casa de Maria, presidente da Associação de Moradores. Observa-se, assim, do teor das entrevistas, um liame entre o fornecimento
dos canos e da máquina retroescavadeira com a imagem da candidata e primeira investigada, seja através do vínculo familiar com o então
Secretário de Defesa Civil, seja da própria associação, que fora comandada por pessoa vinculada a seu partido político.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 69

De outro lado, no que toca à implantação de rede de água na Localidade PATOS (item 16), corrobora os depoimentos das testemunhas
indicadas pelos investigantes as palavras de trabalhador entrevistado (vídeo denominado Funcionário Hilário Patos) em que o mesmo confirma
que o empreiteiro Hilário, responsável pela obra, teria comparecido ao local com a candidata CARMELITA, acrescentando que houve uma
reunião para colocar “essa água aí”.
No mesmo sentido, observa-se evidenciada a exploração política da construção de barragem na Localidade RETIRO, com máquina da
Secretaria de Defesa Civil (item 17), em favor da candidata CARMELITA. De fato, como acima já referido, em gravação em vídeo (denominado
Barragem Retiro (3) Letícia e Antônio), a entrevistada Letícia dos Santos Marques referiu que NUNES teria comparecido com a CARMELITA,
bem antes da eleição, ocasião em que a mesma fora apresentada como candidata. Depreende-se, do teor da gravação em vídeo, que a
entrevistada confirma o aproveitamento eleitoral da obra em favor do NUNES e da candidata CARMELITA, conforme degravação de fls. 122. A
mesma entrevistada confirma ainda que a máquina utilizada na obra da barragem seria do LOBIM, mas estaria a serviço da Defesa Civil.
Conforme acima registrado, evidenciou-se a exploração político-eleitoral de obra pública em tela, tanto em benefício de NUNES quanto da
investigada CARMELITA, tendo-se em conta, inclusive, a época em que fora promovida.
Da mesma forma, há elementos probatórios indicativos da exploração político-eleitoral pela primeira investigada, CARMELITA DE CASTRO
SILVA, no que se refere à obra pública de implantação de sistema de abastecimento de água na Localidade Pé do Morro (item 24). Com efeito,
além dos depoimentos das testemunhas indicadas pelos investigantes, há registro em vídeo de pessoas entrevistadas naquela localidade,
informando sobre a promessa da então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato da perfuração de poço e de instalação de
abastecimento de água, que restaram efetivados no curso da campanha eleitoral. Por elucidativo, destaca-se a entrevista com morador (vídeo
identificado como Romário de França Magalhães), que se disse responsável por ter cavado buracos e feito “variantes” para o sistema de água,
em que o mesmo se refere a uma reunião em que “ela” teria dito que iria por água em todas as casas que, se votasse nela, poderia saber que
iria fazer poço. Outro morador entrevistado (vídeo identificado como Joaquim Ribeiro de Carvalho “SEU QUINDO”) confirma que a então
candidata CARMELITA teria prometido fazer o poço, e que o referido poço já teria sido aberto.
Importante notar, ainda, que a empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME, responsável pela implantação do sistema de abastecimento
de água, fora contratada pela Secretaria de Defesa Civil com dispensa de licitação, em pleno período eleitoral, pela quantia de R$ 875.113,34
(oitocentos e setenta e cinco mil, cento e treze reais e trinta e quatro centavos). Destacam os investigantes que a referida empresa seria de
propriedade de Dércio Castro Macedo, o qual seria primo da primeira investigada CARMELITA DE CASTRO e do vice-Prefeito, fato que não foi
sequer negado diretamente nas defesas. Como destacaram os investigantes, há sérias evidências de desvio de finalidade e aproveitamento
político-eleitoral da obra pública em favor da campanha da primeira investigada.
Neste ponto, vale analisar a responsabilidade do investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA, então Secretário de Defesa Civil do Estado, esposo da
primeira investigada. Em sua defesa, alega que a CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME fora contratada para implantação de sistema de
abastecimento de água na localidade Pé do Morro/Vistosa, no Município de São Raimundo Nonato, que se encontrava em estado emergencial
pela seca, mediante procedimento administrativo que teria seguido regular tramitação, inclusive com parecer da Procuradoria Geral do Estado
(fls. 469/471). Todavia, como destacam os investigados em suas alegações finais (fls. 2158/2160), o parecer do Procurador Geral do Estado
fora no sentido de não se encontrar satisfatoriamente demonstrados elementos justificadores da dispensa de licitação (Procedimento de
Dispensa de Licitação n. 021/2016). Com efeito, observa-se às fls. 1282/1372, cópia dos autos da dispensa de licitação em tela (Processo
Administrativo n. 0757/2016 – Dispensa de Licitação n. 021/2016), sendo possível identificar manifestação contrária à contratação direta
pretendida emitida pelo Procurador-Geral do Estado, Plínio Clêrton Filho, em 14 de setembro de 2016, onde o mesmo converte a análise do
Parecer PGE/PLC 1357/2016 em diligência, devolvendo os autos à Secretaria Estadual de Defesa Civil para que o órgão justificasse/certificasse
de maneira pormenorizada a necessidade de contratação direta em atenção às exigências do art. 24, IV, da Lei de Licitações e Contratos (fls.
1335). Registrou naquela manifestação, o Procurador-Geral do Estado, que os autos não apresentavam elementos comprobatórios da urgência
de atendimento de situação que possa ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros
bens públicos ou privados. Nas palavras do Procurador-Geral do Estado: “Dizer simplesmente que há estiagem na região, ou que esse evento
persiste ali há vários anos, é afirmação que não se reveste da concretude necessária à demonstração da emergência preconizada pela exceção
legal”.
Após a manifestação contrária do Procurador-Geral do Estado (fls. 1335), de 14 de setembro de 2016, consta apresentação de Justificativa
Complementar por membros da Comissão Permanente de Licitação da SEDEC/PI, datada de 20 de setembro de 2016 (fls. 1335/1341), seguida
imediatamente de ratificação e homologação da dispensa de licitação pelo Secretário de Defesa Civil, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, na mesma data
de 20 de setembro de 2016 (fls. 1346), sem registro visível nos autos de que o processo tenha retornado à análise prévia da Procuradoria-Geral
do Estado. A contratação da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA dera-se em 22 de setembro de 2016, conforme termo de contrato
de fls. 1283/1299, seguida de expedição de Ordem de Serviço naquela mesma data. Dessa análise, pode-se extrair séria evidência que não se
observaram todos os procedimentos necessários para a contratação de urgência, vez que não se observa formal referendo do Procurador-
Geral do Estado. Some-se à indicada irregularidade no procedimento da dispensa de licitação, o fato de ser contratada a empresa e autorizado
o início das obras em pleno período eleitoral, em Município no qual a esposa do então Secretário HÉLIO ISAIAS concorria ao cargo majoritário.
Acrescente-se, ainda, a informação do vínculo de parentesco do proprietário da empresa contratada, Décio de Castro Macedo, com a primeira
e segundo investigados, CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIZ ALBERTO COSTA MACEDO, fato não diretamente negado nas defesas. Ademais,
deve-se registrar o vídeo em que um morador entrevistado (vídeo identificado como Raimundo Nonato de Sousa) confirma o comparecimento
ao local do investigado HÉLIO ISAIAS, em conjunto com LOBIM e ARENALDO, o que tende a afastar mais o caráter impessoal da contratação. O
mesmo morador entrevistado confirma que a empresa responsável pela “variante” seria de DÉRCIO MACEDO. Da conjugação dos fatos
evidenciados nos autos, conclui-se não haver dúvidas do aproveitamento eleitoral de obra pública em favor dos investigados, com potencial de
influência no pleito.
Ainda quanto à atuação do investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA, importa referir à construção de calçamento na Localidade SÃO VITOR, pela
empresa Umbuzeiro Ltda, contratada pela Secretaria de Defesa Civil (item 20). Na inicial investigativa, alega-se que a obra não teria qualquer
relação com as finalidades da Secretaria de Defesa Civil, não estando pautada por critérios técnicos ou legais, tratando-se de atuação política

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 70

para promoção da candidatura da primeira investigada. Consideram os investigantes que teria havido notícia jornalística sobre a contratação,
destacando-se o valor contratado, que seria supostamente superior ao pago pelo Estado, bem como a empresa que seria contratada.
Apontaram os investigantes que o proprietário da empresa CONSTRUTORA UMBUZEIRO LTDA, E uclides de Castro, seria parente da primeira
investigada. Afirmam que o vínculo familiar também se evidenciaria em face de o pai do proprietário da referida empresa ser primo do
segundo investigado. Em suas alegações finais, os investigados alegam que a contratação dera-se de forma regular, através de procedimento
licitatório com parecer favorável da Procuradoria-Geral do Estado, pelo que não se poderia comprovar nexo de causalidade entre a obra e o
pleito eleitoral de 2016. Importante notar, todavia, que na sua defesa inicial e nas suas alegações finais, quanto ao ponto, os investigados não
negam o vínculo de parentesco com o proprietário da empresa contratada.
Ademais, embora aleguem correção do processo de contratação e realização da obra na Localidade SÃO VITOR, não há nos autos
demonstração dessa regularidade. Considere-se que a contratação em questão fora formalizada através do Processo Administrativo n.
01064/2015 (Tomada de Preço n. 001/2016), cuja cópia encontra-se às fls. 806/858, sendo o contrato, no valor de R$ 641.551,42 (seiscentos e
quarenta e um mil, quinhentos e cinquenta e um reais e quarenta e dois centavos), assinado pelas partes em 20 de julho de 2016 (fls.
807/829), com Ordem de Serviço subscrita por HÉLIO ISAIAS DA SILVA, Secretário de Defesa Civil, em 21 de julho de 2016 (fls. 830). Todavia,
não se observa o cumprimento das condições impostas no Despacho do Procurador-Chefe da Procuradoria de Licitações e Contratos para a
realização da licitação. Com efeito, observa-se que a aprovação do parecer fora condicionada a realização de correções indicadas no despacho
de fls. 839/840. Além de correções técnicas, destacou o Procurador-Chefe a necessidade de apresentar ato que autorizasse a intervenção do
Estado em área de titularidade do Município, o que não consta ter sido suprido. Nas palavras do Procurador-Geral: “Por se tratar de bens de
titularidade municipal, de uso comum do povo, deve-se juntar aos autos ato que autorize a intervenção do Estado em tais bens, como um
convênio entre Estado e Município”. O despacho da Procuradoria-Geral referenda a tese dos investigantes de que houve uso eleitoreiro da
obra pública, pois inegável que a pavimentação de área de responsabilidade municipal distancia-se das atuações normais da Secretaria de
Defesa Civil. A ausência de convênio com o Município, para a obra que seria de responsabilidade do ente municipal, aliada à época da
contratação e realização da obra, isto é, período de efervescência da disputa político-eleitoral, e somada ao vínculo ao alegado vínculo de
parentesco entre o titular da empresa contratada e os dois primeiros investigados, são elementos suficientes para afastar dúvida de que houve
aproveitamento da ação do Estado para colheita de dividendos eleitorais. Note-se que a execução de obra pública, ainda que não haja pedido
expresso de votos, tem impacto significativo na avaliação dos candidatos pelos eleitores.
Importante notar, no caso, o fato de a Secretaria de Defesa Civil do Estado ter realizado processo de licitação para a contratação da obra de
pavimentação supracitada, que se afasta de suas finalidades normais, desconsiderando o despacho da Procuradoria-Geral que indicou a
necessidade de ato que legitimasse a intervenção em área da municipalidade, como convênio com o Município, ao passo que não procedeu a
licitações para contratação de obras de combate à seca, como a relacionada à CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA, acima citada, cuja
dispensa de licitação dera-se em pleno período eleitoral. Por certo, o problema da estiagem é permanente na região, sendo plenamente
possível prever a eventual necessidade de obras que venham a amenizar seus efeitos.
Nesse ponto, vale destacar que os investigados também se referiram à contratação da empresa WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA, em 02 de
setembro de 2016, para recuperação de 08 (oito) barragens de terra nos Municípios de Bonfim, São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio, pelo
valor de R$ 3.054.529,15 (três milhões, cinquenta e quatro mil, quinhentos e vinte e nove reais e quinze centavos), o que ocorreu com
dispensa de licitação. Registre-se que, de forma semelhante ao que ocorreu na contratação da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA, o
processo de dispensa de licitação (Processo Administrativo n. 0870/2016 – Dispensa de Licitação n. 017/2016) houve manifestação contrária
da Procuradoria-Geral do Estado. De fato, nos autos do procedimento em tela, cuja cópia repousa às fls. 668/736, observa-se que o contrato
fora assinado em 02 de setembro de 2016 (fls. 669/685), com Ordem de Serviço assinada pelo Secretário Estadual de Defesa Civil HÉLIO ISAIAS
DA SILVA na mesma data (fls. 686), mesmo após parecer do Procurador-Chefe da Procuradoria de Licitações e Contratos, Fernando do
Nascimento Rocha, de 24 de agosto de 2016, que entendeu não estar demonstrado que a obra afastaria de imediato os efeitos danosos da
estiagem, determinando o retorno dos autos para complementação da justificativa e requerendo que, após essa etapa, voltassem os autos
àquela PGE para conclusão da análise. Nas palavras do Procurador-Chefe: “não aponta a justificativa concretamente porque não se pode
aguardar o tempo necessário à licitação, especificamente quanto à necessidade a ser atendida”, acrescentando, ainda, que “deve-se
demonstrar concretamente como a obra afastará de imediato os efeitos danosos da estiagem, que não possam sê-lo sem risco de maiores
prejuízos com a realização da licitação (considerando os prazos de publicidade e de realização da fase competitiva, já que os projetos se
encontram elaborados), considerando a previsão do próximo período chuvoso – já que a obra em si não proverá água (fls. 723).
É certo que não restou comprovado nos autos vínculo entre os investigados e a empresa contratada, WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA.
Entretanto, o momento da contratação, em pleno período de campanha para eleição municipal, permitiu a realização de obras públicas que,
como restou demonstrado nos autos, acabaram por se vincular à pessoa do investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA com possibilidade concreta de
colheita dos dividendos político-eleitorais em favor dos investigados. Como acima já registrado, em várias oportunidades, as obras realizadas
foram reportadas por moradores entrevistados como sendo obtidas através do Secretário de Defesa Civil HÉLIO ISAIAS. Veja-se, nesse sentido,
como exemplo da vinculação pessoal das obras ao investigado HÉLIO ISAIAS, o que já anteriormente exposto quanto às pessoas entrevistadas
na Localidade GARRINCHO (item 15), ao que referido sobre a construção da barragem pelos moradores da Localidade RETIRO (item 17).
Considere-se que também resta evidenciada a atuação do investigado MARTINHO AFONSO RIBEIRO, o “LOBIM”, várias vezes citado por
moradores das localidades, com atuação em obras da Secretaria de Defesa Civil que foram utilizadas para exploração político-eleitoral.
Observe-se, nesse sentido, o que se referiu anteriormente aos fatos narrados pelos moradores entrevistados na Localidade GARRINCHO (item
15), na Localidade RETIRO (item 17) e na Localidade Pé do Morro (item 24), sendo que, nesta última, há informação de que o investigado
MARTINHO AFONSO RIBEIRO, conhecido como “LOBIM” estava acompanhado do investigado HÉLIO ISAIAS. Acrescente-se, ainda, que
moradores entrevistados sobre a obra de reparo em uma barragem na da Localidade SERRA DOS GRINGOS (item 18) também confirmaram a
presença de “LOBIM” em obra da Defesa Civil, conforme trechos degravados às fls. 136 e 140.
Tenha-se, ainda, que não se comprovou nos autos a atuação direta do investigado LUIS ALBERTO COSTA MACEDO nos atos de exploração
político-eleitoral das obras realizadas nas localidades de São Raimundo Nonato/PI. Todavia, há elementos indicativos de sua ciência, em face

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 71

das referências à sua pessoa por alguns entrevistados. Ademais, em sendo considerado violadas as normas que buscam estabelecer o
necessário equilíbrio eleitoral, com comprometimento do mandato eletivo obtido pela primeira investigada, ocupante do cargo de Prefeita
Municipal, tem-se por obrigatoriamente comprometido o cargo de Vice-Prefeito ocupado pelo segundo investigado, em face da indivisibilidade
da chapa eleitoral vitoriosa ao arrepio da legislação pátria.
Lado outro, quanto aos demais investigados, considerou-se que os indícios coletados não foram suficientes à conclusão de suas
responsabilidades pelos ilícitos. De fato, houve alguma referência ao nome dos investigados quando das gravações, mas de modo não
conclusivo no que se refere à efetiva atuação no ilícito eleitoral, ainda que possam ter sido por ele beneficiados.
Quanto ao investigado EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, observa-se que o seu nome fora citado em face das gravações realizadas sobre os fatos
enumerados nos itens 04, 05, 07, 18 e 19. Todavia, das referências não se extrai efetiva atuação do investigado na promessa ou concessão de
benefícios aos eleitores das comunidades. Note-se que, quanto aos fatos relativos à Localidade SERRA NOVA, há relato, nas gravações, apenas
de que o mesmo participara de uma reunião com a primeira investigada (itens 04 e 07). De outro lado, quanto à suposta abertura de POÇO
TUBULAR na Localidade CALANGO/QUEIXADA, na propriedade do Sr. Cláudio Teófilo Marques (item 05), observa-se pouca informação sobre a
atuação do investigado. Ademais, quanto aos fatos relativos ao reparo em barragem na da Localidade SERRA DOS GRINGOS e limpeza de lagoa
na Localidade LAGOA COMPRIDA (itens 18 e 19), há negativa dos entrevistados quanto à presença ou atuação do investigado. Assim, considera-
se que os indícios levantados pelos investigantes não foram confirmados em desfavor de EUMADEUS PEREIRA FERREIRA.
Do mesmo modo, quanto ao investigado PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS, os fatos não restaram devidamente confirmados como narrados
na inicial. Com efeito, a suposta atuação do investigado na construção de uma barragem na Localidade FECHADÃO (item 13) não resta
comprovada pelo conteúdo dos autos. Note-se que, nos diálogos gravados, o entrevistador cita o nome do investigado, sendo que a
confirmação do entrevistado não se mostra segura. Ademais, a testemunha FÁBIO DE SOUSA BARBOSA, quando ouvida em juízo, negou a
atuação do investigado na construção de barragem na localidade. Do mesmo modo, no que se refere à contratação da Construtora Olho
D’água, para implantar sistema abastecimento de água na Localidade PÉ DO MORRO, há apenas uma referência ao investigado, por um dos
entrevistados, que alega ter telefonado para o mesmo quando uma caixa d’água quebrou (item 24). Assim, há de se concluir como frágeis os
elementos indiciários em desfavor do investigado.
Deve-se registrar, ainda, que quanto à investigada KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES, as supostas ilegalidades eleitorais são narradas,
em especial, pela testemunha NILTON ARAÚJO CANDIM NETO. Todavia, não encontraram as declarações da testemunha reforço em outros
elementos probatórios, inexistindo declarações de pessoas entrevistadas sobre tais fatos supostamente ilícitos. Desse modo, também não
pode ser acolhida a pretensão dos investigantes em seu desfavor.
DO DIREITO:
Restando comprovados, em parte, os fatos materiais narrados na inicial, conforme acima exposto, no caso, a concessão de benesses a
eleitores e exploração político-eleitoral de obra pública, passa-se a analisar as suas consequências jurídicas. Como acima registrado, os
investigantes afirmam enxergar nas condutas questionadas três ilícitos eleitorais: abuso do poder político e econômico, captação ilícita de
sufrágio e conduta vedada a agente público.
Abuso do poder político e econômico:
Em sendo comprovada a utilização real de obras ou recursos de origem pública para viabilizar a campanha eleitoral, pode sim haver
configuração de abuso de poder econômico, mormente quando demonstrada a potencialidade lesiva da conduta. Não se nega, por certo, que
é bastante comum, nas relações humanas, o exercício de poder, seja político, econômico ou mesmo pessoal. Todavia, no que se refere à lisura
das eleições, o que a legislação pátria tenta impedir é o exagero na utilização desse potencial de ordem econômica ou política que desequilibre
significativamente a disputa legítima entre os candidatos e acabe por desfigurar a própria noção de democracia.
Em sociedades como a nossa, nas quais as desigualdades de ordem econômica, cultural e educacional são ainda muito elevadas, deve haver
um esforço coletivo para a sedimentação dos princípios da cidadania, a começar pela liberdade de exercício do sufrágio. Não há dúvida de que
a situação de maior fragilidade econômica, infelizmente ainda típica nas regiões assoladas pela seca, abre espaço propício ao exercício
arbitrário dos poderes econômicos, especialmente com promessas ou concessões de benefícios às pessoas mais carentes, com o fim de
determinar sua inclinação política. O próprio estado de necessidade econômica e carência de recursos essenciais à sobrevivência humana
digna, como a água potável, leva a divisar um campo propício ao cultivo de práticas políticas condenáveis, a exemplo do clientelismo, da
captação ilícita de sufrágio e da promoção de candidatos a partir de seu potencial de conceder benefícios imediatos aos eleitores. Se, por um
lado, é lícito o uso de recursos econômicos em campanha eleitoral, por outro, o abuso do poder econômico é combatido pelo sistema jurídico
como prática violadora da ética política.
Sobre o abuso de poder econômico nas eleições, vejam-se as palavras de ADRIANO SOARES DA COSTA, em seu livro Instituições de Direito
Eleitoral, 9ª ed. – Belo Horizonte: Fórum, 2013, pág. 260:

Já o abuso do poder econômico consiste na vantagem dada a uma coletividade de eleitores, indeterminada ou determinável, beneficiando-os
pessoalmente ou não, com a finalidade de obter-lhes o voto. Para que a atuação do candidato, ou alguém em seu benefício, seja considerada
abusiva, necessário eu haja probabilidade de influenciar no resultado do pleito, ou seja, que haja relação de causalidade entre o ato praticado
e a percussão no resultado das eleições. Desse modo, o conceito de abuso de poder, econômico ou político, é relacional: apenas há abuso
juridicamente relevante se, concretamente, trouxer possibilidade de modificar o resultado da eleição. Assim, apenas no contexto do caso
concreto poderá ser observada a existência de abuso relevante para incoar a sanção de inelegibilidade.

De fato, tem-se como prática abusiva a exploração exagerada do potencial econômico do candidato ou do grupo político a que pertence, com

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 72

potencialidade de acarretar distorções no pleito eleitoral, e tendência ao desvirtuamento da vontade do eleitorado e ao comprometimento da
legitimidade que se espera do resultado das urnas. Sobre o abuso do poder econômico nas eleições, ferindo a isonomia que deve ser mantida
entre os candidatos, vejam-se também, por pertinente, as palavras de EMERSON GARCIA, em seu livro Abuso de Poder nas Eleições – Meios de
Coibição, Lumen Juris, 2ª edição, 2004, pág. 40:

A imperativa observância do limite de gastos informado à Justiça Eleitoral tem por objetivo minorar os abusos na prática de atos que busquem
transmitir, ao colégio eleitoral, a ideologia e os projetos dos participantes do procedimento eletivo, destinado ao estabelecimento de um liame
de identificação para com aquele. A consecução dos fins almejados, no entanto, deve ser alcançada com o emprego dos meios disponibilizados
pelo ordenamento jurídico (v.g.: propaganda eleitoral regular), sendo defeso o emprego de recursos em atividades ilícitas ou mesmo naquelas
aparentemente lícitas, mas que visem, de forma indireta e em detrimento da indispensável isonomia, auferir o apoio do eleitorado (v.g.:
realização de doações, ainda que sem solicitação de voto, no período que antecede o pleito). Afigura-se inaplicável, nesta seara, a conhecida
máxima de Maquiavel de que 'os fins justificam os meios'.

Deve-se observar, ainda, que a caracterização de abuso de poder econômico por vezes não se dá com a simples subsunção de regra legal
específica ao fato analisado, eis que se trata de conceito jurídico indeterminado, demandando do intérprete, diante do caso concreto, o cotejo
do sistema jurídico eleitoral como um todo, suas normas-regra e seus princípios. A própria doutrina não costuma apontar com exatidão o que
se entende por tais atos de abuso, trazendo em geral exemplos para nortear o aplicador da lei. Nesse sentido, observe-se o que diz MARCOS
RAMAYANA, no seu livro Direito Eleitoral – 4ª ed. – Rio de Janeiro: Impetus, 2005, pág. 298:

Dificilmente a doutrina define o que seja abuso do poder econômico ou político, adotando-se certos parâmetros que servem de bússola para o
intérprete na constatação, cumprindo ao legislador definir situações fáticas caracterizadoras do abuso, tais como: corrupção eleitoral (art. 299
do Código Eleitoral); mapismo (art. 315 do Código Eleitoral); gastos eleitorais não-contabilizados durante o período de propaganda eleitoral;
utilização de bens públicos para a reeleição ou para fomentar a campanha de parente o cônjuge etc.

No mesmo sentido, discorrendo sobre as hipóteses de cabimento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, Rodrigo López Zílio, no livro acima
já referido (p. 540/541), destaca a indeterminação dos conceitos de abuso de poder político, seja econômico, político ou de autoridade, que
devem ser aferidos caso a caso, não se podendo falar em taxatividade. Vejam-se suas palavras:
São hipóteses de cabimento da AIJE, a prática de abuso do poder econômico, abuso do poder de autoridade (ou político), utilização indevida
de veículos ou meios de comunicação social e a transgressão de valores pecuniários.
O abuso de poder é conceituado como qualquer ato, doloso ou culposo, de inobservância das regras de legalidade, com consequências
jurídicas negativas na esfera do direito. O que a lei proscreve e taxa de ilícito é o abuso de poder; ou seja, é a utilização excessiva – seja
quantitativa ou qualitativamente – do poder, já que, consagrado o Estado Democrático de Direito, possível o uso de parcela do poder, desde
que observado o fim público e não obtida vantagem ilícita.
O abuso de poder econômico, o abuso de poder político, o abuso de poder de autoridade, a utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social e a transgressão de valores pecuniários se caracterizam como conceitos jurídicos indeterminados que, necessariamente,
passam a existir no mundo jurídico após o fenômeno da recepção fática. Portanto, para a caracterização de tais abusos, na esfera eleitoral,
prescinde-se do fenômeno da taxatividade.

No presente caso, ademais, observa-se que os atos de abuso de poder econômico foram praticados em conjunto com o abuso de poder
político e de autoridade, pois restou demonstrada a utilização de obras, máquinas e serviços públicos para fomentar a campanha eleitoral de
candidatos investigados. Considere-se que o direcionamento das ações do Estado para beneficiar a população de uma ou outra localidade, a
depender da conveniência ou interesse político-eleitoral fere sobremaneira a impessoalidade que deve nortear a conduta dos agentes públicos
e permite a colheita de frutos eleitorais de forma ilícita pelos detentores do poder.
É inegável que uma boa administração da coisa pública gera, naturalmente, dividendos políticos ao bom gestor, que pode usufruir do
reconhecimento do eleitorado e, eventualmente, pleitear com maiores possibilidades de sucesso uma nova eleição, destacando as ações
realizadas e os resultados obtidos em benefício da coletividade que o credenciariam a merecer o voto pedido. Outra situação, absolutamente
diferente, é a realização de obra pública ou a concessão de benefícios a uma determinada comunidade em pleno período eleitoral, como
estratégia de campanha em favor de determinado candidato, o que configura claro abuso do poder político e de autoridade. Note-se que se
verifica nos autos a exploração político-eleitoral de obras de natureza pública realizadas em favor de comunidades afetadas pela estiagem, seja
a perfuração de poços tubulares, realização de projetos de irrigação e construção e/ou reforma de reservatórios. A intermediação política das
benesses conferidas à comunidade, como fartamente observado nos autos desta ação eleitoral, retira o caráter impessoal da ação
governamental, vinculando, no âmbito do senso-comum da população beneficiada, o benefício recebido à pessoa do gestor público e do
candidato por ele apoiado. Em suma, utiliza-se a máquina estatal para concessão de benefícios, no curso de pleito eleitoral, com o intermédio
de candidatos e pessoas a eles vinculadas, conduzindo ao recebimento de dividendos eleitorais ilegítimos.
Tão prejudicial à legitimidade democrática é a utilização da estrutura do Estado para fomentar campanha eleitoral que a legislação estabelece
diversas condutas vedadas aos agentes público, haja vista o disposto no art. 73 da Lei das Eleições, com o fim de não macular o equilíbrio do
pleito. A mesma conduta vedada ao agente público pode, se observada de outro ângulo, configurar abuso de poder político ou de autoridade,

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 73

muitas vezes entrelaçada com abuso de poder econômico, com o agravante de utilizar-se recursos de origem pública para favorecer
candidatura. Tais condutas abusivas, como se sabe, são seriamente combatidas pelo sistema jurídico, ensejando sanções de inelegibilidade e,
no âmbito da AIJE, cassação do registro ou do diploma. Sobre os efeitos da prática de condutas abusivas para as pessoas por elas condenadas
no âmbito de Ação de Investigação Judicial Eleitoral, observem-se as palavras de José Jairo Gomes, em seu livro Direito Eleitoral, 12ª ed. – São
Paulo: Atlas, 2016, p. 656:
No plano dos efeitos, a natureza, a forma, a finalidade e a extensão do ‘abuso’ cometido podem render ensejo a diferentes respostas
sancionatórias do ordenamento positivo. No presente contexto, acarreta a inelegibilidade do agente ou beneficiário, bem como a cassação de
seu registro ou diploma. É que a ofensa malfere o processo eleitoral, no todo ou em parte, dela resultando o comprometimento de sua
normalidade ou legitimidade. Aqui, o bem jurídico protegido é a higidez das eleições.

Note-se que a Constituição Federal de 1988, ao tratar dos Direitos Políticos, reconhece os efeitos nocivos das práticas abusivas para a
normalidade e legitimidade das eleições, determinando que lei complementar estabelecesse os casos de inelegibilidade em face dessas
ocorrências. Veja-se o teor do § 9º do art. 14 da Carta Maior:

§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidade administrativa,
a moralidade para exercício de mandato considerada vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições contra a
influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta.

Na linha do supracitado dispositivo constitucional, vem a Lei Complementar n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades) estabelecer, além de diversos
casos de inelegibilidade, o rito a ser seguido na Ação de Investigação Judicial Eleitoral para apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder
econômico ou de autoridade, favorecendo candidato ou partido político. Interessante notar que, com as alterações inseridas no inciso XIV do
art. 22 da Lei das Inelegibilidades pela Lei Complementar n. 135/2010, a procedência da representação, mesmo após proclamado o resultado
do pleito, acarreta não somente a cominação de inelegibilidade ao candidato beneficiado e a todos que tenha contribuído para o ilícito, mas
também a cassação do registro ou do diploma de quem fora eleito valendo-se da prática abusiva. Ademais, a presunção legal de prejuízo à
normalidade do pleito é tão severa que não exige, para a cassação do registro ou do diploma a prova de potencialidade de influência do fato
no resultado da eleição, bastando apenas a consideração da gravidade das circunstâncias. Vejam-se o caput e os incisos XIV e XVI do
dispositivo legal supracitado:

Art. 22. Qualquer partido político, coligação, candidato ou Ministério Público Eleitoral poderá representar à Justiça Eleitoral, diretamente ao
Corregedor-Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, indícios e circunstâncias e pedir abertura de investigação judicial para
apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade, ou utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político, obedecido o seguinte rito: (...)

XIV – julgada procedente a representação, ainda que após a proclamação dos eleitos, o Tribunal declarará a inelegibilidade do representado e
de quantos hajam contribuído para a prática do ato, cominando-lhes sanção de inelegibilidade para as eleições a se realizarem nos 8 (oito)
anos subsequentes à eleição em que se verificou, além da cassação do registro ou diploma do candidato diretamente beneficiado pela
interferência do poder econômico ou pelo desvio ou abuso do poder de autoridade ou dos meios de comunicação, determinando a remessa
dos autos ao Ministério Público Eleitoral, para instauração de processo disciplinar, se for o caso, e de ação penal, ordenando quaisquer outras
providências que a espécie comportar; (...)

XVI – para a configuração do ato abusivo, não será considerada a potencialidade de o fato alterar o resultado da eleição, mas apenas a
gravidade das circunstâncias que o caracterizam.

No curso da instrução do presente feito, considero que restou devidamente comprovado o abuso do poder econômico e do político por parte
dos candidatos investigados, em conjunto com outras pessoas, o que conduz à aplicação da pena de cassação dos diplomas dos candidatos
eleitos que tenha sido beneficiados, assim como a aplicação da pena de inelegibilidade, pelo período de 08 (oito) anos aos que tenham
participação direta ou indireta consciente na prática dos ilícitos eleitorais. Com efeito, conforme acima analisado por ocasião da referência aos
fatos imputados aos investigados, nota-se que houve, no curso da campanha eleitoral o fornecimento de benesses a várias comunidades do
Município de São Raimundo Nonato/PI, como regra, relativas a suprir de fornecimento de água aquelas localidades que sofriam os efeitos da
seca. Os fatos são graves, tendo em conta o período eleitoral em que ocorreram e a vinculação das obras e serviços colocados à disposição dos
moradores das localidades aos políticos que disputavam o pleito municipal.
Sobre a necessidade de análise da gravidade da conduta para a procedência de ação eleitoral que visa a apurar abuso de poder, veja-se o
seguinte julgado:

AGRAVOS REGIMENTAIS. AGRAVOS. RECURSOS ESPECIAIS. ELEIÇÕES 2016. PREFEITO. VICE. VEREADORES NÃO ELEITOS. AÇÃO DE
INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL (AIJE). ART. 22 DA LC 64/90. ABUSO DE PODER ECONÔMICO. COMPRA DE APOIO POLÍTICO.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 74

CONFIGURAÇÃO. DESPROVIMENTO.
1. No decisum monocrático, mantiveram-se sentença e acórdão do TRE/PR por meio dos quais se assentou abuso de poder econômico por
compra de apoio político em favor do PDT nos pleitos majoritário e proporcional de Rancho Alegre/PR em 2016, cassando-se os diplomas da
Prefeita e do Vice-Prefeito e os registros de cinco candidatos ao cargo de vereador não eleitos, declarando-se, ainda, inelegíveis os agravantes,
exceto a chefe do Executivo (por falta de provas de sua participação ou anuência).
2. Não há falar em litisconsórcio passivo necessário relativamente a todos os que se candidataram pelo PDT, mas apenas entre os que
praticaram o ilícito e seus beneficiários. O TRE/PR, de modo claro, assentou a total ausência de benefício ou de ato comissivo dos demais
postulantes e consignou, a título exemplificativo, que um deles sequer disputou o pleito porque teve seu registro indeferido. Concluir de forma
diversa esbarra no óbice da Súmula 24/TSE.
3. Inexistiu julgamento extra petita pelo TRE/PR. O decreto condenatório foi mantido com supedâneo em inúmeras condutas atribuídas aos
agravantes, demonstradas mediante vasto conjunto probatório, e não na oferta de R$ 3.000,00 a uma das candidatas.
4. A teor da jurisprudência desta Corte, afigura-se lícita a gravação ambiental realizada em local público - no caso, reunião entre alguns dos
agravantes em posto de combustível.
5. É viável reconhecer o abuso de poder econômico na hipótese de oferecimento de vantagens materiais a candidatos em troca de apoio
político a quem os aliciou. Precedentes.
6. Na espécie, o Vice-Prefeito eleito, com a ciência e o apoio do então Presidente da Comissão Provisória do PDT, realizou inúmeros
pagamentos e ofereceu vantagens aos demais agravantes em troca de filiação de pessoas a fim de fortalecer suas candidaturas, viciando a
normalidade e a legitimidade do pleito.
7. O conjunto probatório é robusto e revela o alcance e a gravidade da conduta. O TRE/PR assentou que "as gravações [...] havidas na loja de
conveniência do posto de gasolina, na qual estava presente a maioria dos [agravantes], é clara quanto à ocorrência do oferecimento de valores
em dinheiro para garantir o apoio político dos recorrentes", além do que "testemunhas, informantes e depoimentos pessoais colhidos em juízo
corroboraram com as alegações de que Valter Aleixo [...] possuía uma grande quantia em dinheiro, a qual seria utilizada para comprar o apoio
político".
8. Concluir de modo diverso demandaria reexame de fatos e provas, inviável em sede extraordinária (Súmula 24/TSE).
9. Evidenciada conduta que comprometa a disputa eleitoral e a isonomia entre os candidatos, impõe-se cassar os registros ou diplomas de
todos os beneficiários, cabendo ao órgão julgador definir a atuação de cada um deles no ilícito apenas para fim de inelegibilidade, que possui
natureza personalíssima. Precedentes.
10. Agravos regimentais desprovidos.
Decisão:
O Tribunal, por unanimidade, negou provimento aos agravos regimentais interpostos por Alexandre Marcon e outros e por Darlene do Prado
Moreira, nos termos do voto do Relator. Votaram com o Relator os Ministros Og Fernandes, Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, Sérgio Banhos,
Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Rosa Weber (Presidente).
(Recurso Especial Eleitoral nº 19260, Acórdão, Relator(a) Min. Jorge Mussi, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Data 27/06/2019)

Os fatos verificados no curso da instrução demonstram a real gravidade das circunstâncias, mormente tendo em vista que fora utilizada a
máquina pública estatal, com elevado poder econômico, para realizar benefícios em favor da população carente de várias comunidades
interioranas do Município de São Raimundo Nonato, sendo que as obras e serviços acabavam sendo vinculados às pessoas dos candidatos
investigados. Note-se, ademais, como acima já referido, que a própria urgência justificadora de contratação de empresas com dispensa de
licitação pela Secretaria de Defesa Civil, naquele período eleitoral, fora colocada em xeque pela Procuradoria-Geral do Estado. Há sérios
indícios, portanto, de que a urgência na contratação levava em conta o próprio período eleitoral, não se podendo desconsiderar que a
primeira investigada, então candidata a Prefeita, é esposa do então Secretário de Defesa Civil do Estado. De mais a mais, a realização, em
pleno período eleitoral, de obra desvinculada da finalidade da referida Secretaria de Estado, como a construção de calçamento na Localidade
SÃO VITOR, sem busca de qualquer convênio com o Município, corrobora sobremaneira a conclusão de que o intuito era mesmo obter
créditos eleitorais.
Dessa forma, tendo em conta a gravidade da prática ilícita imputada aos investigados, incluindo sua potencialidade de influência na definição
do pleito, impera reconhecer a procedência parcial dos pedidos da inicial, tanto para decretar a cassação dos diplomas conferidos aos
investigados, quanto para impor sanção de inelegibilidade.
Da captação ilícita de sufrágio:
A captação ilícita de sufrágio, como se sabe, configura-se em sua modalidade mais comum com a oferta de vantagens econômicas a eleitores
em troca de seus votos, o que levaria à incidência em conduta vedada pelo art. 41-A, da Lei n. 9.504/97, implicando as seguintes sanções: a)
cassação do registro ou do diploma; e b) aplicação de multa.
De outra parte, para a configuração da captação ilícita de sufrágio, a fazer incidir o art. 41-A da Lei n. 9.504/97, não se exige potencialidade
lesiva ao pleito eleitoral. A comentada “compra de votos” ou “corrupção eleitoral” é de tamanha gravidade, ferindo profundamente os
princípios básicos da cidadania e da dignidade política do eleitor que basta a prova de um único ato para conduzir à desqualificação do
candidato infrator ao exercício do mandato político. Sobre o tema, vejam-se as palavras de JOSÉ JAIRO GOMES, em seu livro acima já referido,

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 75

pág. 731:
Bem juridicamente tutelado - cumpre ressaltar que o bem jurídico que se visa salvaguardar é a liberdade do eleitor de votar conforme os
ditames de sua própria consciência. É a liberdade de formar sua vontade de votar livremente, escolhendo quem bem entender para o governo.
Logo, não é necessário que o evento afete ou comprometa a normalidade ou a legitimidade das eleições, porquanto uma só ocorrência já e
bastante para configurar o ilícito em exame, sendo desnecessária a presença do fator potencialidade lesiva. É nesse sentido o remansoso
entendimento jurisprudencial:

Diferenciando os conceitos de captação ilícita de sufrágio do abuso de poder econômico, quanto ao direcionamento da vantagem indevida e a
potencialidade lesiva da conduta, vejam-se as palavras de ADRIANO SOARES DA COSTA, em seu livro Instituições de Direito Eleitoral, 9ª ed. –
Belo Horizonte : Fórum, 2013, pág. 250:

A distinção entre captação ilícita de sufrágio e o abuso de poder econômico consiste justamente na percussão dos fatos ilícitos: no primeiro
caso, há uma negociação direta com o eleitor, pela qual o candidato, ou mesmo alguém com a sua anuência, ofereça alguma vantagem
pessoal em troca do voto; no segundo caso, são outorgadas vantagens pessoais, mas para um universo indeterminado de beneficiários, que
necessitam gerar para configurar a ilicitude, a potencialidade de influenciar o resultado do pleito, ou, na linguagem da LC nº 135, deverá ser
observada a “gravidade das circunstâncias” (art. 22, inc. XVI, da LC nº 64/90).

No presente caso, ainda que tenha havido prova de concessão de benefícios a eleitores, em pleno período eleitoral, configurando claro abuso
de poder econômico e político, entendo não restou devidamente comprovada a captação ilícita de sufrágio. De fato, o conteúdo dos autos
evidencia a realização de obras e fornecimento de benesses de caráter coletivo, ainda que tendente a obter o apoio político das comunidades.
Não se comprovou, efetivamente, a comercialização do voto, com entrega de benefícios de caráter pessoal ao eleitor, mas a realização de
obras de benefício coletivo, aptas, entretanto, a angariar a inclinação político-eleitoral das comunidades beneficiadas.
Não há efetiva comprovação da chamada “compra de voto” pelos candidatos investigados. Os fatos investigados e apurados no curso desta
Ação de Investigação Judicial Eleitoral afastam-se, portanto, da qualificação de captação ilícita de sufrágio, amoldando-se com maior
propriedade ao abuso de poder político e de autoridade, além de conduta vedada.
Da prática de conduta vedada:
Considere-se que o sistema jurídico pátrio, ao admitir a reeleição para cargo do Poder Executivo (art. 14, § 5º, da CF), tolera alguma natural
situação de vantagem daquele que já se encontra administrando a coisa pública, pois este, diante do mandato que lhe fora outorgado
anteriormente pelo povo, tem a oportunidade de confirmar com uma boa administração as suas credenciais para permanecer no exercício do
Poder político por mais um período. Por outro lado, para evitar abusos de poder, não permite a lei que o administrador, principalmente no ano
eleitoral, realize atos extraordinários destinados tão somente a angariar a simpatia popular e perpetuar-se à frente da Administração Pública.
Ademais, a mesma vedação ao ocupante de cargo eletivo da prática de atos na Administração que visem a captação de sufrágio é extensiva a
qualquer outro agente público, servidor ou não, conforme a letra do caput do art. 73 da Lei das Eleições. A finalidade das vedações legais é
garantir a igualdade de oportunidade dos candidatos na disputa pelos votos, pois não há qualquer dúvida sobre o poder exercido por aqueles
que estão investidos como agentes do Estado, dispondo não somente da autoridade inerente a seus cargos, mas também da faculdade de
direcionar os recursos estatais, materiais e humanos, para uma ou outra finalidade que pode, com efeito, ter sério impacto nos destinos de um
pleito eleitoral.
Na presente demanda, como acima registrado, os investigantes alegam que teria havido violação por parte dos investigados das regras
impeditivas de condutas de agentes públicos. Em resumo, alegam que os investigados teriam incidido nas práticas proibidas nos termos dos
incisos I, III e IV do art. 73 da Lei das Eleições (Lei n. 9.504/97). Vejam-se os termos legais:
Art. 73. São proibidas aos agentes públicos, servidores ou não, as seguintes condutas tendentes a afetar a igualdade de oportunidades entre
candidatos nos pleitos eleitorais:
I - ceder ou usar, em benefício de candidato, partido político ou coligação, bens móveis ou imóveis pertencentes à administração direta ou
indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios, ressalvada a realização de convenção partidária;
(...)
III - ceder servidor público ou empregado da administração direta ou indireta federal, estadual ou municipal do Poder Executivo, ou usar de
seus serviços, para comitês de campanha eleitoral de candidato, partido político ou coligação, durante o horário de expediente normal, salvo
se o servidor ou empregado estiver licenciado;
IV - fazer ou permitir uso promocional em favor de candidato, partido político ou coligação, de distribuição gratuita de bens e serviços de
caráter social custeados ou subvencionados pelo Poder Público;

Sobre a caracterização da prática de conduta vedada a agente público, vejam-se as palavras de JOSÉ JAIRO GOMES, em seu livro acima já
referido, pág. 739:

Tem-se salientado a unicidade do conceito de abuso de poder, conquanto sua concretização possa dar-se a partir de diferentes situações

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 76

ocorridas na realidade fenomênica, apresentado, ainda, diversidade de efeitos na esfera jurídica. Conforme lição clássica, trata-se de mau uso
de poder – ou de direito subjetivo – detido pelo agente, que desborda do que é comum e da normalidade.
Caracteriza-se o abuso de poder político pela exploração da máquina administrativa ou de recursos estatais em proveito de candidatura, ainda
que aparentemente haja benefício à população. Distingue-se do abuso do poder econômico, porquanto neste se encontra ausente a atuação
de agente estatal.
Entre as inumeráveis situações que podem denotar uso abusivo de poder político ou de autoridade, o legislador destacou algumas em virtude
de suas relevâncias e reconhecida gravidade no processo eleitoral, interditando-as expressamente. São as denominadas condutas vedadas,
cujo rol encontra-se nos artigos 73 a 78 da Lei nº 9.504/97. Trata-se de numerus clausus, não se admitindo acréscimo no elenco legal.
Sobretudo em razão de seu caráter sancionatório, as regras em apreço não podem ser interpretadas extensiva ou ampliativamente, de modo a
abarcar situações não normatizadas.

No caso em análise, considero comprovada a prática de conduta vedada pelo investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA, então Secretário de Defesa
Civil do Estado do Piauí, tendo em conta que permitiu a utilização, em benefício de candidatos a cargos eletivos, no curso do pleito eleitoral de
2016, de bens móveis e serviços custeados pelo poder público, a exemplo das obras em barragens e de implantação de sistema de distribuição
de água acima referidos. Como restou evidenciado no curso da instrução deste feito, há evidência de que ações levadas a efeito pela Secretaria
de Defesa Civil do Estado foram direcionadas a promover a candidatura da primeira investigada, incidindo a conduta do agente público
responsável na prática de condutas vedadas nos incisos I e IV do art. 73 da Lei das Eleições, atraindo para si as sanções legais, dentre elas, a
aplicação de multa, no valor de cinco a cem mil UFIR, conforme impõe o § 4º do mesmo dispositivo.
De outro lado, a aplicação das penalidades deve também incidir em face de todos aqueles que, de algum modo, contribuíram para a prática de
conduta vedada, sejam ou não agentes públicos ou candidatos. Ademais, deve a penalidade prevista em lei ser graduada para cada um dos
responsáveis levando-se em conta a adequada proporcionalidade da contribuição para os atos ilícitos, que tendem a afetar a igualdade de
oportunidades entre candidatos a cargos eletivos.
Sobre a proporcionalidade na fixação do valor da multa aplicável aos agentes públicos e aos beneficiários das condutas vedadas, observem-se
as palavras de Rodrigo López Zílio, no livro acima já referido (p. 588/589):
Após certa oscilação sobre os requisitos necessários para a procedência da representação por conduta vedada – ora entendendo que basta a
ocorrência dos atos proibidos (Recurso Especial Eleitoral nº 27.737 – Rel. Min. José Delgado – j. 04.12.2007), ora exigindo prova da
potencialidade lesiva (Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 25.075 – Rel. Min. Cezar Peluso – j. 27.11.2007) –, o TSE atualmente
tem preconizado que a tão-só ocorrência do fato lesivo importa a procedência do pedido, com a aplicação da multa, sendo que o princípio da
proporcionalidade incide no momento da fixação da pena (ou seja, a imposição da cassação do registro ou do diploma depende da gravidade
dos fatos). Conforme sinaliza a Corte Superior, “a adoção do princípio da proporcionalidade, tendo em conta a gravidade da conduta,
demonstra-se mais adequada para a gradação e fixação das penalidades previstas nas hipóteses de condutas vedadas. Caracterizada a conduta
vedada, a multa do § 4º do art. 73 das Lei das Eleições é de aplicação impositiva, não havendo falar em princípio da insignificância” (Agravo
Regimental no Agravo de Instrumento nº 11.488 – Rel. Min. Arnaldo Versiani – j. 22.10.2009).

No caso em análise, tenho que a maior responsabilidade pelas condutas vedadas cabe ao terceiro investigado, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, então
Secretário de Defesa Civil do Estado, que detinha o poder de determinação das ações implementadas pela máquina estatal e que acabaram
serem utilizadas para alavancagem política de pessoas a ele vinculadas. Assim, tendo em conta a amplitude e gravidade dos atos praticados,
incluindo o valor das obras realizadas no período eleitoral, considero que deve ser fixada em face do referido investigado multa no valor de
50.000 (cinquenta mil) UFIR, a ser convertida para real, observando a última cotação.
De outro lado, para os demais, investigados, CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA,
NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO, entendo que
deve ser fixada multa de 5.000 (cinco mil) UFIR, também com conversão para moeda corrente.
DISPOSITIVO:
Pelo exposto, com base no fundamento nos dispositivos acima citados, especialmente, no inciso XIV do art. 22 da Lei Complementar n. 64/90
(Lei das Inelegibilidades) e no art. 73 da Lei das Eleições, julgo parcialmente procedentes os pedidos contidos na presente Ação de Investigação
Judicial Eleitoral – AIJE, reconhecendo a prática de atos de abuso de poder econômico e político e de conduta vedada pelos investigados
CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS
SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO e, em consequência:
1 – Casso os diplomas expedidos em favor de CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA,
NUNES DE JESUS SANTOS e LAERCIO DIAS DE CARVALHO, e decreto a perda dos mandatos eletivos que lhe foram outorgados nas eleições
para, respectivamente, Prefeito, Vice-Prefeito e Vereador de São Raimundo Nonato, no ano de 2016;
2 – Declaro inelegíveis os investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, RIAN MARCOS
ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO
RIBEIRO, pelo período de 08 (oito) anos (art. 22, XIV, da Lei Complementar n. 64/90);
3 – Declaro nulos os votos conferidos aos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA e LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, no pleito eleitoral de
2016, convocando eleição suplementar para os cargos de Prefeito e Vice-Prefeito do Município de São Raimundo Nonato/PI, apenas para
completar o período do mandato em curso (art. 224, §§ 3º e 4º do Código Eleitoral);

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 77

4 – Declaro que os votos conferidos aos investigados eleitos para cargos de Vereador RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS
SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO e JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA, permanecem válidos apenas para a agremiação partidária
específica, como votos de legenda;
5 – Aplico ao investigado HÉLIO ISAIAS DA SILVA multa de 50.000 (cinquenta mil) UFIR, a ser convertida para real, observando a última
cotação;
6 – Aplico aos investigados CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS
SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, JOSÉ RONALDO DEODATO DE SIQUEIRA e MARTINHO AFONSO RIBEIRO multa individual de 5.000
(cinco mil) UFIR, a ser convertida para real, observando a última cotação.
Por outro lado, considerando a insuficiência probatória, julgo improcedentes os pedidos formulados na inicial desta Ação de Investigação
Judicial Eleitoral – AIJE em face dos investigados EUMADEUS PEREIRA FERREIRA, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS e KATIUSCIA DE
OLIVEIRA RIBEIRO MORAES.
Declaro extinto o feito, sem análise do mérito, quanto ao investigado ARENALDO RIBEIRO FERNANDES, nos termos do art. 485, IX, do CPC,
pelo seu falecimento.
Determino, ainda, a adoção das seguintes providências pelo Cartório Eleitoral:
Tendo em vista a indicação da possível ocorrência de crime tipificado no art. 299 do Código Eleitoral ou de eventual crime conexo tipificado na
Lei n. 8.666/93, determino o encaminhamento de cópia da inicial, das defesas, das alegações finais, desta sentença e dos procedimentos
licitatórios em referência ao Ministério Público Eleitoral, para adoção das providências que entender necessárias (art. 40 do CPP).
Oficie-se ao Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, comunicando o teor desta decisão e solicitando expedição de resolução que venha a definir
calendário eleitoral para a eleição suplementar supracitada para Prefeito e Vice-Prefeito de São Raimundo Nonato/PI.
Expeça-se ofício ao Presidente da Câmara Municipal de São Raimundo Nonato/PI para, dando cumprimento à presente decisão, assumir a
chefia do Poder Executivo Municipal até a conclusão da eleição suplementar supracitada, bem como, para que proceda à posse dos suplentes
dos vereadores RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO e JOSÉ RONALDO DEODATO DE
SIQUEIRA, que tiveram seus diplomas e mandatos cassados.
Sem custas e sem honorários.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Com o trânsito em julgado, cumprida a decisão, arquivem-se os autos.
São Raimundo Nonato/PI, 01 de setembro de 2019.

MÁRIO SOARES DE ALENCAR


JUIZ ELEITORAL "

AVISO DE INTIMAÇÃO
PROCESSO Nº 1-43.2017.6.18.0013 (Ação de Impugnação de Mandato Eletivo)
IMPUGNANTES: SIGILOSO.
Advogado: RAIMUNDO DE ARAUJO SILVA JUNIOR OAB/PI: 5061
Advogado: José Adailton Araújo Landim Neto OAB/PI: 13.752
IMPUGNADOS: SIGILOSO
Advogado: ANDREIA DE ARAUJO SILVA OAB/PI: 3621
Advogado: LUANA PAES DE ALMEIDA CASTRO OAB/PI: 13665
FINALIDADE: INTIMAR, para os devidos fins, as partes, através de seus advogados, acerca da sentença, a seguir transcrita, prolatada nos autos
do processo em epígrafe:
" Vistos etc.
Trata-se de Ação de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME proposta pela Coligação “FORÇA DO POVO” (PDT/DEM/PTC/PSB/PSD e PT do B)
e AVELAR DE CASTRO FERREIRA em desfavor de CARMELITA DE CASTRO SILVA, LUIS ALBERTO COSTA MACEDO, EUMADEUS PEREIRA
FERREIRA, RIAN MARCOS ALVES DA SILVA, NUNES DE JESUS SANTOS, LAERCIO DIAS DE CARVALHO, PAULO JEOVANE DE SOUSA SANTOS e
KATIUSCIA DE OLIVEIRA RIBEIRO MORAES, todos qualificados nos autos, pela suposta prática de abuso do poder político e poder econômico,
além de captação ilícita de sufrágio, concernente ao Pleito Eleitoral de 2016, no Município de São Raimundo Nonato/PI, em que se pretende a
cassação dos mandatos eletivos dos impugnados e a declaração de inelegibilidade, pelos fatos supostamente ilícitos narrados na inicial (fls.
02/35).
Narram os impugnantes na inicial, em resumo, que os impugnados teriam tido êxito nas eleições realizadas em 02 de outubro de 2016, mas
que tal vitória fora fruto de compra de votos e abuso do poder econômico e político. Alegam que a estratégia principal dos impugnados fora o

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 78

oferecimento de diversas benesses a eleitores que se encontravam em grave situação decorrente da estiagem, como poços tubulares,
reformas, barragens etc. Referem que teria havido violação da igualdade entre os candidatos concorrentes, ferindo a lisura do pleito.
Segundo os impugnantes, os abusos e compra de votos teriam ocorrido por meio de atuação coordenada da primeira impugnada, CARMELITA
DE CASTRO SILVA, então candidata a Prefeita Municipal de São Raimundo Nonato, dos vereadores da sua coligação, que lhe davam suporte
político, e do Secretário de Defesa Civil do Estado do Piauí, HÉLIO ISAIAS DA SILVA, esposo da primeira impugnada. Relatam que a Secretaria
de Defesa Civil do Estado teria sido utilizada indevidamente para atender a solicitações da primeira impugnada, funcionando a máquina estatal
como meio de captação ilícita de sufrágio e desequilíbrio das eleições.
Em, relatam os impugnantes, como condutas supostamente ilícitas: 01) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CACHOEIRINHA, entre os
dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Israel Ribeira da Costa; 02) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CACIMBAS, entre os
dias 06 e 07 de setembro, na propriedade do Sr. Carlos Omar Carneiro Deusdará; 03) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade LAGOA DOS
VEADOS, na propriedade do Sr. Rafael Lopes Negreiros; 04) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade SERRA NOVA, entre os dias 06 e 07 de
setembro, em área do Assentamento Lago da Baixa e Nascimento, além da promessa de construção de ADUTORA e de BEBEDOURO para
animais; 05) abertura de POÇO TUBULAR na Localidade CALANGO/QUEIXADA, na propriedade do Sr. Cláudio Teófilo Marques; 06) abertura de
POÇO TUBULAR na Localidade VEREDA, para o Sr. Delano Paes dos Santos; 07) entrega de POSTE para instalação de rede elétrica do poço,
CANOS de PVC e TIJOLOS, na Localidade SERRA NOVA; 08) equipamento de POÇO na Localidade LAGOA DOS BOIS, na propriedade do Sr.
Milton Aparecido Dias de Castro, pela empresa Hydromax; 09) doação de CAIXAS D’ÁGUA com logomarca do DNOCS, na Localidade LAGOA
DOS BOIS, às pessoas de Valdenor Magalhães de Castro e esposa, Zita, Carlos Ferreira de Castro e Milton de Castro; 10) abertura de POÇO
TUBULAR, pela empresa Hydromax, na Localidade LAGOA DA PEDRA II, que entretanto não chegou a encontrar água; 11) abertura de POÇO
TUBULAR na Localidade LAGOINHA DOS MACÁRIOS; 12) reparação de BARRAGEM na Localidade PEDRA DO MOCÓ; 13) construção de
BARRAGEM na Localidade FECHADÃO; 14) abertura de POÇO na Localidade LAGOA DE FORA, em frente à casa do Sr. Berilo de Negreiros Paes,
por meio da Secretaria de Defesa Civil do Estado; 15) promessa de distribuição de 55 (cinquenta e cinco) residências com instalação de
BOMBA, CAIXAS D’ÁGUA e 1.500m de CANOS PVC, na Localidade GARRINCHO, seguida de abertura de valas na região; 16) implantação de
REDE DE ÁGUA na Localidade PATOS; 17) construção de BARRAGEM na Localidade RETIRO, com máquina da Secretaria de Defesa Civil; 18)
reparo na BARRAGEM da Localidade SERRA DOS GRINGOS, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 19) limpeza da LAGOA na Localidade LAGOA
COMPRIDA, com utilização de trator de esteira da Secretaria da Defesa Civil; 20) construção de calçamento na Localidade SÃO VITOR, pela
empresa Umbuzeiro Ltda., contratada pela Secretaria de Defesa Civil; 21) distribuição de ÁGUA por meio de CARRO PIPA, pela Secretaria de
Defesa Civil; 22) serviço de LIMPEZA na Localidade LAGOA DO NASCIMENTO, por meio da Secretaria de Defesa Civil; 23) contratação com
DISPENSA DE LICITAÇÃO, pela Secretaria de Defesa Civil do Estado, da empresa CONSTRUTORA OLHO D’ÁGUA LTDA-ME, em 22 de setembro
de 2016, para implantação de abastecimento de água na localidade PÉ DO MORRO/VISTOSA, pela quantia de R$ 875.113,34 (oitocentos e
setenta e cinco mil, cento e treze reais e trinta e quatro centavos), e da empresa WELSON LEAL DUARTE E CIA LTDA, em 02 de setembro de
2016, para recuperação de 08 (oito) barragens de terra nos Municípios de Bonfim, São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio, pelo valor de R$
3.054.529,15 (três milhões, cinquenta e quatro mil, quinhentos e vinte e nove reais e quinze centavos); 24) contratação da Construtora Olho
D’água, em 22 de setembro de 2019, para implantar sistema de ABASTECIMENTO DE ÁGUA na Localidade PÉ DO MORRO, para a qual já havia
sido contratada a empresa TECNOPOÇOS LTDA; 25) distribuição de CESTAS BÁSICAS e FILTROS.
Alegam os impugnantes, ainda, que nenhuma das obras realizadas fora precedida de convênio com a Administração Municipal, sem
informação sobre projeto básico, técnico, procedimento licitatório, cronograma etc.
Consideram os investigantes que teria havido um “esquema ilícito” entre os investigados, utilizando-se do auxílio da Secretaria de Defesa Civil
com o fim de promover politicamente a então candidata a Prefeita de São Raimundo Nonato/PI, CARMELITA CASTRO, e os candidatos a
Vereador que a apoiavam, haja vista que o Secretário de Defesa Civil do Estado, HÉLIO ISAIAS, seria esposo da referida candidata. Segundo os
investigantes, o Secretário de Defesa Civil, HÉLIO ISAIAS, atuaria através de MARTINHO AFONSO (“Lobinho”), em favor da candidatura da
Prefeita CARMELITA CASTRO e respectivo Vice, LUIZ ALBERTO, que seriam apoiados nesses atos pelos então candidatos e/ou vereadores
IRMÃO RIAN, NUNES DE JESUS, EUMADEUS, LAÉRCIO DIAS, JOSÉ RONALDO, PAULO JEOVANE e ARENADO RIBEIRO.
Afirmam que teria havido abuso do poder econômico por parte dos investigados, afetando o equilíbrio na disputa eleitoral, tendo em vista o
número de famílias beneficiadas e o valor das obras, bens e serviços ofertados aos eleitores. Da mesma forma, aduzem que teria havido abuso
do poder político, tendo em vista a interferência indevida e injustificada da Secretaria Estadual de Defesa Civil, comandada pelo esposo da
candidata CARMELITA CASTRO em favor da sua campanha eleitoral. Alegam, ainda, que teria havido captação ilícita de sufrágio, nos termos do
art. 41-A da Lei n. 9.504/97. Destacam não ser necessária a demonstração da potencialidade lesiva dos atos, mas apenas de sua gravidade, nos
termos do art. 22, XVI, da Lei Complementar n. 64/90, com as inovações introduzidas pela Lei Complementar n. 135/2010.
Ao final, pedem a procedência da ação para cassar os mandatos eletivos dos impugnados, além da declaração de inelegibilidade.
Para embasar duas alegações, os investigantes apresentaram documentos, fotos e arquivos de áudio e vídeo (fls. 36/155).
Em despacho proferido em 20 de fevereiro de 2017, determinou-se o apensamento do presente feito aos autos da AIJE n. 554-
27.2016.8.18.0013, para tramitação conjunta, tendo em conta a identidade dos fatos que fundamentam a impugnação dos mandatos (fls.
652).
Após notificações e apresentação de defesas, foi realizada audiência de instrução, em 10 de julho de 2017, de forma conjunta para esta Ação
de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME e para a Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE acima referida (fls. 1437/1442).
Em decisão datada de 28 de setembro de 2018, determinou-se o seguimento do feito independentemente da conclusão dos exames pericias
anteriormente determinados (fls. 1547/1553).
O Departamento de Polícia Federal encaminhou o resultado da perícia requisitada, que foi juntado aos autos (fls. 1591/1654).
Às fls. 1656, foram deferidas as diligências requeridas pelas partes.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 79

O membro do Ministério Público designado para atuar no feito apresentou manifestação declarando sua suspeição por motivo de foro íntimo,
requerendo o encaminhamento dos autos ao seu substituto legal (fls. 1681), sendo designada Promotora Eleitoral às fls. 1761.
Alegações finais dos impugnantes às fls. 1772/1806, ratificando os termos da inicial e requerendo a procedência da AIJE e da AIME.
Alegações finais dos impugnados às fls. 1809/1882, arguindo, em síntese: a) a ilicitude da prova registrada em vídeos e gravações, pelo que
pede o desentranhamento; b) a litispendência com relação à AIJE, requerendo a extinção do feito sem resolução do mérito, nos termos do art.
485, V, do CPC; c) a improcedência dos pedidos formulados pelos impugnantes, por não ter sido configurado abuso político ou econômico nem
captação ilegal de sufrágio; d) o encaminhamento de cópia dos autos ao Ministério Público, para apuração de eventual crime de falso
testemunho e falsidade ideológica supostamente praticados pelas testemunhas RAIMUNDO NONATO DA COSTA FRANÇA e THIAGO CASTRO.
Alegações finais do Ministério Público às fls. 1888/1893.
Vieram-me os autos conclusos.
Breve relato.
Decido.
FUNDAMENTAÇÃO:
Registre-se, de início, que somente agora foi possível proferir sentença neste feito, na mesma data em que foi julgada a Ação de Investigação
Judicial Eleitoral – AIJE sobre os mesmos fatos, tendo em conta a quantidade de fatos, documentos e mídias a serem analisados.
Com efeito, muito embora a celeridade seja norte fundamental na condução dos feitos eleitorais, sob pena de prejuízo à própria eficácia da
decisão judicial que eventualmente reconheça a perda de mandato eletivo, não se pode perder de vista que a busca do correto julgamento,
corolário do valor maior da justiça, não prescinde da detida análise dos elementos probatórios carreados aos autos. No presente caso, deve-se
considerar o elevado volume de documentos físicos e digitais, que não permitiu sua pronta verificação nos estreitos limites temporais
estabelecidos para a espécie, pelo que se mostrou necessário dedicar mais tempo à análise do caso para proferir decisão.
DAS QUESTÕES PRÉVIAS:
Antes de adentrar no mérito das imputações deduzidas na inicial, necessário verificar se estão presentes os requisitos necessários à
constituição e desenvolvimento regular da relação jurídica processual, naquilo que a doutrina chama de pressupostos processuais de
existência e validade (art. 485, IV, CPC). Ademais, também importa considerar e existência das condições da ação, isto é, verificar se a causa
proposta comporta análise de seu mérito, por serem legítimas as partes e por haver interesse processual, sob pena de extinção do processo,
nos termos do art. 485, VI, do CPC. Nesse sentido é que se fala em questões preliminares, as quais demandam resolução prévia pelo
magistrado, sendo sua superação condição de possibilidade do próprio julgamento do mérito das questões principais.
De outro lado, há questões prévias que não necessariamente impedem a análise e decisão sobre o mérito da causa, mas que exercem forte
influência no destino da questão principal, direcionando a sua solução em um ou outro sentido. Assim, também reclamam resolução em
momento anterior ao mérito, tendo em vista o impacto no acolhimento ou não da pretensão deduzida na inicial. Tais questões são
denominadas na doutrina de prejudiciais.
No presente caso, os impugnantes deduziram duas questões prévias, a serem resolvidas antes da solução do mérito, quais sejam: a) a ilicitude
da prova registrada em vídeos e gravações; b) a litispendência em relação à Ação de Investigação Judicial Eleitoral - AIJE, requerendo a
extinção deste feito, sem resolução do mérito, nos termos do art. 485, V, do CPC.
Da análise dos autos, considero que existe razão à parte impugnada ao pedir a extinção desta demanda, sem exame do mérito, por dizer
respeito aos mesmos fatos já articulados quando do manejo da Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE N. 554-27.2016.6.18.0013, eis que
não se mostra viável nova análise do mesmo suporte fático e de suas consequências jurídicas para possível conclusão diversa da que se chegou
quando do julgamento da AIJE, que teve objeto bem mais amplo, contendo toda a pretensão deduzida posteriormente no âmbito da AIME, eis
que pedido não somente a cominação de inelegibilidade, mas também a cassação dos diplomas conferidos aos candidatos eleitos, levando ao
mesmo resultado prático pretendido com o ajuizamento desta demanda constitucional.
Como se sabe, a Ação de Impugnação de Mandato Eletivo - AIME, fundada nos §§ 10 e 11 do art. 14 da Constituição Federal, tem por fim a
desconstituição do mandato ilegitimamente obtido nas urnas, mediante abuso do poder econômico, corrupção ou fraude, que podem
acarretar injustificada desigualdade na disputa pelo voto dos eleitores. Logo, objetiva restabelecer a licitude e o equilíbrio do pleito eleitoral
que tenha sido violado pelas referidas práticas, as quais têm a capacidade de distorcer a vontade dos cidadãos e macular a representação
político-eleitoral. Considere-se que, nos termos da Constituição Federal, a ação de impugnação de mandato eletivo deve ser proposta no prazo
de 15 (quinze) dias, contados a partir da diplomação dos eleitos. Nesse sentido, veja-se o texto do art. 14, § 10 da CF/88:
Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei,
mediante:
(...)
§ 10. O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias contados da diplomação, instruída a ação com
provas de abuso do poder econômico, corrupção ou fraude.
Por certo, Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo são instrumentos processuais distintos, com
fundamentos jurídicos diversos, ainda que ambas tenham como norte maior a determinação constitucional de legitimidade, licitude e
equilíbrio nos pleitos eleitorais, contra práticas abusivas. Sempre foi comum, aliás, o ajuizamento de AIME com base nos mesmos fatos
deduzidos em AIJE, eis que a redação original do inciso XIV do art. 22 da Lei Complementar n. 64/90 não previa com penalidade a cassação de

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 80

diploma outorgado a candidato eleito. Assim, mostrava-se necessário o ingresso em juízo com Ação de Impugnação de Mandato Eletivo, para
afastar o demandado do cargo obtido nas urnas de forma ilícita, a exemplo do que se alega nestes autos.
A Constituição Federal de 1988, ao tratar dos Direitos Políticos, reconhece os efeitos nocivos das práticas abusivas para a normalidade e
legitimidade das eleições, determinando que lei complementar estabelecesse os casos de inelegibilidade em face dessas ocorrências. Nesse
sentido, veja-se o teor do § 9º do art. 14 da Carta Maior:

§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidade administrativa,
a moralidade para exercício de mandato considerada vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições contra a
influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta.

Na linha do supracitado dispositivo constitucional, veio a Lei Complementar n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades) estabelecer, além de diversos
casos de inelegibilidade, o rito a ser seguido na Ação de Investigação Judicial Eleitoral para apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder
econômico ou de autoridade, favorecendo candidato ou partido político. Dentre as sanções aplicáveis aos agentes demandados no curso de
AIJE, todavia, não constava a cassação do diploma que lhe fora conferido, o que reduzia o efeito prático da ação dessa natureza que fosse
julgada após a diplomação dos eleitos.
Todavia, com as alterações inseridas no inciso XIV do art. 22 da Lei das Inelegibilidades pela Lei Complementar n. 135/2010, a procedência da
Ação de Investigação Judicial Eleitoral - AIJE, mesmo após proclamado o resultado do pleito, acarreta não somente a cominação de
inelegibilidade ao candidato beneficiado e a todos que tenha contribuído para o ilícito, mas também a cassação do registro ou do diploma de
quem fora eleito por meio da alegada prática abusiva. Vejam-se o caput e o inciso XIV do referido dispositivo legal:

Art. 22. Qualquer partido político, coligação, candidato ou Ministério Público Eleitoral poderá representar à Justiça Eleitoral, diretamente ao
Corregedor-Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, indícios e circunstâncias e pedir abertura de investigação judicial para
apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade, ou utilização indevida de veículos ou meios de
comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político, obedecido o seguinte rito: (...)

XIV – julgada procedente a representação, ainda que após a proclamação dos eleitos, o Tribunal declarará a inelegibilidade do representado e
de quantos hajam contribuído para a prática do ato, cominando-lhes sanção de inelegibilidade para as eleições a se realizarem nos 8 (oito)
anos subsequentes à eleição em que se verificou, além da cassação do registro ou diploma do candidato diretamente beneficiado pela
interferência do poder econômico ou pelo desvio ou abuso do poder de autoridade ou dos meios de comunicação, determinando a remessa
dos autos ao Ministério Público Eleitoral, para instauração de processo disciplinar, se for o caso, e de ação penal, ordenando quaisquer outras
providências que a espécie comportar; (...)

Observa-se, portanto, que o ajuizamento da presente Ação de Impugnação de Mandato Eletivo – AIME n. 1-43.2017.6.18.0013, mostrou-se
absolutamente desnecessária para obter a pretensão de ordem prática deduzida pelos impugnantes, eis que a Ação de Investigação Judicial
Eleitoral – AIJE a que se encontra apensada já continha todo o potencial necessário a produzir os efeitos pretendidos. Repita-se, trata-se de
fórmulas processuais diversas, entretanto, o conteúdo de uma (AIJE) engloba a pretensão deduzida na outra (AIME) de forma que a primeira
mostra-se muito mais ampla em seus efeitos práticos. Conforme dito, houve o apensamento deste feito aos autos da referida AIJE, levando à
instrução conjunta dos processos. Entretanto, muito embora se trate de ações eleitorais distintas, ambas são baseadas nos mesmos fatos
qualificados como ilícitos, haja vista ser a inicial da presente AIME tão-somente uma reprodução adaptada da petição inicial que fora
apresentada originalmente na AIJE. Dessa forma, todos os fatos deduzidos na inicial da desta Ação de Impugnação de Mandato Eletivo foram
analisados, nesta mesma data, quando do julgamento da AIJE.
Como acima registrado, após as alterações promovidas pela Lei Complementar 135/2010, os efeitos práticos da procedência da AIJE, no que se
refere ao afastamento do cargo de que fora eleito, iguala-se, por via indireta, ao requerido em sede de AIME. Note-se que, a cassação de
diploma conduz, em verdade, à própria cassação do mandato eletivo que se pretendida com o julgamento da AIME. Assim, ainda que não se
desconheça que se trata de instrumentos processuais distintos, a identidade dos elementos fáticos, impõe reconhecer que toda a pretensão
deduzida no âmbito da presente AIME já se encontra contida na AIJE anteriormente ajuizada, não sendo possível obter nenhum resultado
prático diverso. Nova análise dos fatos no contexto da AIME levaria ao mero manejo de uma fórmula processual vazia, eis que todo o
conteúdo material já fora apreciado no âmbito da AIJE.
Ainda que não seja majoritária, considera-se que se aplica ao caso a doutrina de JOSÉ JAIRO GOMES, em seu livro Direito Eleitoral, 12ª ed. –
São Paulo: Atlas, 2016, pág. 675:

Por óbvio, pode haver litispendência entre ações eleitorais.


Entre AIJE e AIME também poderá haver litispendência, se forem idênticos os fatos postos na causa de pedir. É que o provimento jurisdicional
na AIJE é mais amplo, compreendendo o da AIME. Deveras, enquanto na AIJE pode-se constituir a inelegibilidade, cassar o pedido de registro
ou o diploma do réu, na AIME só é possível cassar mandato (que, na prática, possui o mesmo efeito da cassação de diploma).
No entanto, posto que idênticos os fatos, não haverá coisa julgada se na AIJE apenas for imposta inelegibilidade e na AIME se pleitear a

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 81

cassação de mandato. Está claro que a diversidade de pedidos afasta a coisa julgada.

Com base no entendimento doutrinário supracitado, considero que se encontra prejudicada a análise da pretensão deduzida nesta Ação de
Impugnação de Mandato Eletivo, eis que os fatos apontados como ilícitos já foram devidamente analisados na Ação de Investigação Judicial
Eleitoral supracitada, a cujos autos este feito se encontra apensado. Assim, entendo que deve este processo sem extinto sem exame do
mérito, por perda do objeto, pois todo o seu conteúdo já fora analisado no âmbito da AIJE.
DISPOSITIVO:
Pelo exposto, acolho a preliminar levantada pelos impugnantes e, com fundamento no art. 485, IV, do Código de Processo Civil, declaro extinto
o presente processo, sem exame do mérito.
Sem custas e sem honorários.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Com o trânsito em julgado, proceda-se à baixa na distribuição, mantendo-se, todavia, os presentes autos em apenso aos autos da AIJE N. 554-
27.2016.6.18.0013.
São Raimundo Nonato/PI, 1º de setembro de 2019.

MÁRIO SOARES DE ALENCAR


JUIZ ELEITORAL "

18ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL N.º 030/2019

O DR. JUSCELINO NORBERTO DA SILVA NETO, JUIZ ELEITORAL DA 18ª ZONA DE VALENÇA DO PIAUÍ, ESTADO DO PIAUÍ, NA FORMA DA LEI,
TORNA PÚBLICO, a todos quantos o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos partidos políticos, a relação dos
REQUERIMENTOS DE ALISTAMENTO ELEITORAL – RAEs – TRANSFERÊNCIA, REVISÃO e SEGUNDA VIA processados nesta 18.ª Zona Eleitoral,
integrada pelos municípios de VALENÇA DO PIAUÍ e NOVO ORIENTE DO PIAUÍ, correspondentes ao Lote nº 016/2019 (16/08/2019 a
30/08/2019) que foram, por decisão deste Juízo, deferidos, podendo os interessados oferecer recurso ao Tribunal Regional Eleitoral do Piauí –
TRE/PI, no prazo de 10 (dez) dias, em cumprimento ao disposto nos arts. 45, § 6.º, 52, § 2.º; 57, caput e § 2º, do Código Eleitoral; art. 7.º, §
2.º, da Lei n.º 6.996/82; e nos arts. 17, §§ 1.º e 2.º, e 18, §§ 5.º e 6.º, da Resolução TSE n.º 21.538/2003, a fim de que passem a fluir os prazos
neles fixados. E para que chegue ao conhecimento de todos, e, no futuro, ninguém possa alegar ignorância, determinou o MM. Juiz Eleitoral a
expedição do presente Edital, que será publicado no Diário da Justiça Eletrônico do TRE/PI e afixado no local de costume, na forma da lei. Dado
e passado nesta cidade e Comarca de Valença do Piauí – PI, sede desta 18ª Zona Eleitoral, aos trinta dias do mês de agosto do ano de dois mil e
dezenove. Eu, Conceição de Maria Gomes Leal, Chefe de Cartório, o subscrevi.

Juscelino Norberto da Silva Neto


Juiz Eleitoral da 18ª Zona

Origem: CA 206 Zona: 018 Municipio: 11371 - NOVO ORIENTE DO PIAUÍ


Data de Processamento: 16/08/2019 a 31/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADONILDO SEBASTIÃO DA SILVA 006097091503 TRANSFERÊNCIA 1090 160 19/08/2019 0016/2019
AILTON JOSÉ DE SOUSA 045254471589 ALISTAMENTO 1104 157 26/08/2019 0016/2019
AMADEU SOARES DA SILVA NETO 045254611538 ALISTAMENTO 1015 38 29/08/2019 0016/2019
ANTÔNIO CARLOS DE OLIVEIRA 039385511554 TRANSFERÊNCIA 1040 158 26/08/2019 0016/2019
CARLOS HENRIQUE DA SILVA SOUSA 019067721503 REVISÃO 1139 93 23/08/2019 0016/2019
CICERO DE SOUSA MARTINS NETO 045254641589 ALISTAMENTO 1015 38 29/08/2019 0016/2019
DOURIVAL DIAS DE SOUSA 019128021597 REVISÃO 1139 93 26/08/2019 0016/2019
EDUARDO ALVES DOS REIS 045254631503 ALISTAMENTO 1015 38 29/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 82

FELIPE BARBOSA LIMA 045254351546 ALISTAMENTO 1015 38 23/08/2019 0016/2019


FERNANDO JOSÉ DE SOUSA 045254461503 ALISTAMENTO 1104 157 26/08/2019 0016/2019
FRANCISCO DA SILVA SALES 044564951538 REVISÃO 1015 39 28/08/2019 0016/2019
FRANCISCO PEREIRA DE SOUSA 014101132003 TRANSFERÊNCIA 1015 38 19/08/2019 0016/2019
FRANCISCO RODRIGUES DA SILVA 042379511520 TRANSFERÊNCIA 1104 157 29/08/2019 0016/2019
GEORLAN FRANCISCO DA SILVA 036161661570 REVISÃO 1058 45 27/08/2019 0016/2019
GEOVANA DA COSTA NOGUEIRA SOARES 045254731570 ALISTAMENTO 1074 149 30/08/2019 0016/2019
GUILHERME ANTONIO DOS SANTOS 045254431554 ALISTAMENTO 1058 46 26/08/2019 0016/2019
IANDRA VIEIRA DOS SANTOS 045254671520 ALISTAMENTO 1015 38 29/08/2019 0016/2019
ISAMARA CARVALHO DOS SANTOS 045254621511 ALISTAMENTO 1082 163 29/08/2019 0016/2019
JOÃO HENRIQUE DA SILVA SANTOS 045254491546 ALISTAMENTO 1015 38 26/08/2019 0016/2019
JOSÉ AUGUSTO ROMÃO DO MONTE 033814311570 REVISÃO 1074 88 28/08/2019 0016/2019
JOYCE BARBOSA GOMES 045254181546 ALISTAMENTO 1074 149 19/08/2019 0016/2019
KALYLCA ESTHELY ALVES DANTAS 045254661546 ALISTAMENTO 1015 38 29/08/2019 0016/2019
KAUAN PEREIRA VITAL 045254541503 ALISTAMENTO 1074 149 28/08/2019 0016/2019
KLEITON DE SOUSA DIAS 045254451511 ALISTAMENTO 1040 158 26/08/2019 0016/2019
LUCAS MOURA SANTOS 045254361520 ALISTAMENTO 1015 38 23/08/2019 0016/2019
MAISA BEZERRA DA SILVA BORGES 045254381597 ALISTAMENTO 1139 161 23/08/2019 0016/2019
MARIA TERESA PEREIRA REGO GOMES 037586101562 TRANSFERÊNCIA 1015 38 26/08/2019 0016/2019
MARY ALVES DE CARVALHO 023308871570 REVISÃO 1139 93 26/08/2019 0016/2019
NAYRA GONÇALVES DE JESUS 045254601554 ALISTAMENTO 1058 46 29/08/2019 0016/2019
OSMIR RAIMUNDO DA SILVA 026167791546 REVISÃO 1104 91 26/08/2019 0016/2019
RAIMUNDO PEREIRA DE SOUSA 018109911589 TRANSFERÊNCIA 1040 158 26/08/2019 0016/2019
SABRINA MORAES FERNANDES 045254251570 ALISTAMENTO 1082 163 20/08/2019 0016/2019
SAMARA AVELINO OLIVEIRA 045254371503 ALISTAMENTO 1058 45 23/08/2019 0016/2019
SAMARA MARIA DA CONCEIÇÃO 045254561570 ALISTAMENTO 1015 38 28/08/2019 0016/2019
SAMIRA CAMPÊLO DE SOUSA 045254521546 ALISTAMENTO 1058 45 27/08/2019 0016/2019
VALDECIR RIBEIRO DOS SANTOS 022675741546 REVISÃO 1074 149 22/08/2019 0016/2019
VINICIUS DE SOUSA BORGES 045254651562 ALISTAMENTO 1139 161 29/08/2019 0016/2019

Origem: CA 206 Zona: 018 Municipio: 12254 - VALENÇA DO PIAUÍ


Data de Processamento: 16/08/2019 a 31/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADRIEL DE MIRANDA MARTINS 038786471589 TRANSFERÊNCIA 1066 153 19/08/2019 0016/2019
ANA CLARA CAVALCANTE BRITO 045254211546 ALISTAMENTO 1295 154 19/08/2019 0016/2019
ANA KAROLINA JESUS DE SOUSA 045254281511 ALISTAMENTO 1074 146 20/08/2019 0016/2019
ANA TERESA DA SILVA PAZ 045254221520 ALISTAMENTO 1244 144 19/08/2019 0016/2019
ANNA LAYS NUNES DOS SANTOS 045254231503 ALISTAMENTO 1244 144 19/08/2019 0016/2019
ANTONIO EDILSON NORONHA DANTAS 028768521538 TRANSFERÊNCIA 1260 145 27/08/2019 0016/2019
ANTÔNIO MARIANO DO NASCIMENTO FILHO 026162221597 REVISÃO 1040 83 28/08/2019 0016/2019
AYRTON LEVY ALVES DA SILVA 045254391570 ALISTAMENTO 1260 145 23/08/2019 0016/2019
BRUNA LEAL DE SOUSA 045254691597 ALISTAMENTO 1244 144 29/08/2019 0016/2019
CASTANIEL SOARES DA SILVA 371194270108 TRANSFERÊNCIA 1058 67 19/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 83

CLENI RODRIGUES DA ROSA 082035230477 TRANSFERÊNCIA 1260 145 29/08/2019 0016/2019


DANIEL RODRIGUES DA SILVA 045254341562 ALISTAMENTO 1198 148 22/08/2019 0016/2019
DANIELA PEREIRA DE OLIVEIRA 040752421597 REVISÃO 1023 56 28/08/2019 0016/2019
DANIELLE DE SOUSA LINO 045254241597 ALISTAMENTO 1074 146 20/08/2019 0016/2019
ÉLEN REJANE MENDES COSTA 040748361570 REVISÃO 1015 52 19/08/2019 0016/2019
EMANUEL QUARESMA DE OLIVEIRA 045254701520 ALISTAMENTO 1074 146 29/08/2019 0016/2019
EMILY MAELE DOS ANJOS PAZ 045254511562 ALISTAMENTO 1074 146 26/08/2019 0016/2019
EMMANUELLY YASMYM DA CONCEIÇÃO 045254571554 ALISTAMENTO 1074 146 28/08/2019 0016/2019
FRANCISCA MARA ROSA DA SILVA OLIVEIRA RODRIGUES 038787421538 REVISÃO 1201 101 28/08/2019 0016/2019
FRANCISCO EDIVALDO SOUSA GOMES 043420081570 REVISÃO 1015 52 16/08/2019 0016/2019
FRANCISCO GABRIEL DE SOUSA PINTO 045254421570 ALISTAMENTO 1058 65 23/08/2019 0016/2019
GEFERSON DUARTE DA SILVA 045254161589 ALISTAMENTO 1260 145 16/08/2019 0016/2019
GLEICYANNE MAYARA DA SILVA 045254721597 ALISTAMENTO 1260 145 30/08/2019 0016/2019
GUILHERME SOUSA LUSTOSA 045254591511 ALISTAMENTO 1058 121 28/08/2019 0016/2019
HELLEN VITORIA SOUSA SANTOS 045254711503 ALISTAMENTO 1074 146 30/08/2019 0016/2019
INGRID DE MOURA SILVA 045254271538 ALISTAMENTO 1066 153 20/08/2019 0016/2019
IVANILDO DE SOUSA 027441881511 TRANSFERÊNCIA 1058 66 16/08/2019 0016/2019
JOELMA MARTINS DA SILVA 035019001503 TRANSFERÊNCIA 1260 145 21/08/2019 0016/2019
JONAS COSTA MARTINS 045254321503 ALISTAMENTO 1058 121 20/08/2019 0016/2019
JOSIANE MARTINS DA SILVA 033821781503 TRANSFERÊNCIA 1260 145 20/08/2019 0016/2019
KASSIARA LEAL SILVA SANTANA ARAÚJO 045254681503 ALISTAMENTO 1244 144 29/08/2019 0016/2019
KAUANE EFIGÊNIA 045254311511 ALISTAMENTO 1058 68 20/08/2019 0016/2019
LOURANA VANESSA HIPÓLITO DE SOUSA 045254411597 ALISTAMENTO 1058 121 23/08/2019 0016/2019
LOURIVAL RODRIGUES SOARES 002119271570 REVISÃO 1244 144 27/08/2019 0016/2019
LUAN PEREIRA DOS SANTOS 045254171562 ALISTAMENTO 1260 145 19/08/2019 0016/2019
MARCOS ANTONIO ALVES FERREIRA 045254441538 ALISTAMENTO 1058 66 26/08/2019 0016/2019
MARCOS EDUARDO MORAES SOUSA 045254201562 ALISTAMENTO 1210 156 19/08/2019 0016/2019
MARCUS VINICIUS ALVES DE OLIVEIRA 045254481562 ALISTAMENTO 1066 153 26/08/2019 0016/2019
MARIA BENEDITA DA CONCEIÇÃO BERNABÉ SILVA 000959871511 REVISÃO 1295 154 23/08/2019 0016/2019
MARIA DE JESUS DA SILVA 006878281589 REVISÃO 1244 144 16/08/2019 0016/2019
MARIA DO CARMO LIMA DO NASCIMENTO 045254581538 ALISTAMENTO 1058 68 28/08/2019 0016/2019
MARIA SALVANIA DE JESUS SOUSA 001555151546 TRANSFERÊNCIA 1260 145 22/08/2019 0016/2019
MARIA VITÓRIA FERREIRA DO NASCIMENTO 045254191520 ALISTAMENTO 1260 145 19/08/2019 0016/2019
MARTALENE DA SILVA PIMENTEL 045254151503 REVISÃO 1058 121 23/08/2019 0016/2019
MARTIM TOMÁS GONÇALVES 018029411589 REVISÃO 1260 141 29/08/2019 0016/2019
MATEUS IAGO OLIVEIRA ABREU 045254261554 ALISTAMENTO 1015 151 20/08/2019 0016/2019
MAYARA GOMES ROCHA 045254531520 ALISTAMENTO 1023 56 27/08/2019 0016/2019
RAYSSA NIKELLY DA ANUNCIAÇÃO SILVA 045254501589 ALISTAMENTO 1244 144 26/08/2019 0016/2019
REGIVAM BATISTA DE SOUSA 019013911546 REVISÃO 1244 144 29/08/2019 0016/2019
RENAN SOUSA DOS SANTOS 045254331589 ALISTAMENTO 1244 144 21/08/2019 0016/2019
SAMUEL RODRIGUES NUNES 045254291503 ALISTAMENTO 1260 145 20/08/2019 0016/2019
THAMYRES COSTA MARTINS DE MIRANDA 040752791589 REVISÃO 1066 153 19/08/2019 0016/2019
VICTOR MARIANO SARAIVA NEVES DE OLIVEIRA 045254551597 ALISTAMENTO 1058 67 28/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 84

YRLA VANESSA SOARES DOS SANTOS 045254401503 ALISTAMENTO 1260 145 23/08/2019 0016/2019
Total de documentos impressos : 91

20ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 21/2019

ALISTAMENTOS, TRANSFERÊNCIAS, REVISÕES E SEGUNDAS VIAS

O Excelentíssimo Senhor Dr. MAURICIO MACHADO QUEIROZ RIBEIRO, Juiz Eleitoral desta 20ª Zona em São João do Piauí, Estado do Piauí, no
uso de suas atribuições legais etc.

TORNA PÚBLICO a todos quantos o presente EDITAL virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos eleitores, aos representantes
dos partidos Políticos e ao Ministério Público Eleitoral, em lista anexa, a RELAÇÃO DE ELEITORES E AS RESPECTIVAS OPERAÇÕES efetivadas e
deferidas no âmbito desta 20ª Zona Eleitoral, referentes ao LOTE RAE Nº 11/2019, ficando facultado a qualquer interessado manifestar-se
sobre o eleitor(a) constante na dita relação no prazo de 10 (dez) dias, contados a partir da data de publicação do presente Edital, observando-
se, o prazo e os legítimos constantes dos arts. 17. § 1º. e 18 § 5º, da Resolução nº 21.538/2003, bem como o art. 7º, § 1º da lei nº 6.996/82.
E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, mandou o Excelentíssimo Senhor Juiz Eleitoral que expedisse
o presente Edital, que será publicado no Diário da Justiça Eletrônico do TRE – PI e afixada cópia no local público de costume. Dado e passado
nesta Cidade e Comarca de São João do Piauí, Estado do Piauí, trinta dias do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove. Eu, Fabrício Dias de
Nobreza, _________________, Servidor requisitado desta 20ª Zona, preparei, conferi e digitei o presente Edital.

MAURICIO MACHADO QUEIROZ RIBEIRO


Juiz Eleitoral da 20ª ZE/PI

Origem: CA 208 Zona: 020 Município: 12386 - JOÃO COSTA Lote: 0011/2019 Ordem: DIGITAÇÃO
Seq. Operação Inscrição Nascimento Requerim. Nome do eleitor Situação
1 SEGUNDA VIA 041746571503 15/07/1996 15/08/2019 FABÍOLA RODRIGUES DA COSTA
2 TRANSFERÊNCIA 007135531503 04/06/1955 16/08/2019 RAIMUNDO GOMES DA SILVA
3 TRANSFERÊNCIA 031416341597 21/10/1985 16/08/2019 AÉCIO CARVALHO GOMES
12 ALISTAMENTO 045795381503 25/05/2002 20/08/2019 VITORIA DO NASCIMENTO ALVES
13 REVISÃO 009578271570 22/01/1965 20/08/2019 ANASTACIA PEREIRA DIAS
14 TRANSFERÊNCIA 045523241503 30/11/2001 20/08/2019 ELLEN GOMES CAVALCANTE
15 REVISÃO 031423711503 28/01/1985 20/08/2019 FABIANA GOMES DOS SANTOS
16 REVISÃO 042696291511 17/10/1978 20/08/2019 ELIANO DA SILVA BARBOSA
17 ALISTAMENTO 045795391589 17/04/2003 20/08/2019 GILDAN LIMA DA COSTA
20 ALISTAMENTO 045795421589 21/02/2003 21/08/2019 LUCIDIO TEIXEIRA DA SILVA FILHO
25 ALISTAMENTO 045795451520 29/09/2002 22/08/2019 NATANIEL GOMES DA COSTA
26 TRANSFERÊNCIA 041743591589 13/01/1996 22/08/2019 MICHAEL TAVARES DIAS
27 TRANSFERÊNCIA 041743591589 13/01/1996 22/08/2019 MICHAEL TAVARES DIAS
28 ALISTAMENTO 045795461503 23/03/2003 22/08/2019 RENATO LOPES DE SOUSA
29 ALISTAMENTO 045795471597 28/06/2003 22/08/2019 ANA PAULA DE SOUSA SANTOS
31 TRANSFERÊNCIA 034166561546 06/12/1987 23/08/2019 JOAQUIM DA PAZ NETO
32 TRANSFERÊNCIA 024766971562 17/08/1980 23/08/2019 JULIANA LOPES DE ARAUJO
34 REVISÃO 005186161511 03/05/1967 26/08/2019 MARIA NILDA RODRIGUES DA SILVA
35 TRANSFERÊNCIA 017135501589 24/06/1968 26/08/2019 JOANA DA SILVA SANTOS

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 85

41 TRANSFERÊNCIA 040282501538 05/10/1993 27/08/2019 STEPHANY ROCHA E SOUSA


44 TRANSFERÊNCIA 004667401597 20/03/1953 29/08/2019 LUCIA LOPES MAGALHAES
45 REVISÃO 024754791503 09/09/1979 29/08/2019 MARIA LOPES
46 TRANSFERÊNCIA 025889641589 07/10/1979 29/08/2019 JONAS TAVARES DA PAIXAO
47 TRANSFERÊNCIA 300516580141 11/04/1979 29/08/2019 EDNEIDE SILVA DA PAIXÃO
48 REVISÃO 034659251503 29/07/1986 29/08/2019 DANILO RODRIGUES SACHT
49 REVISÃO 036121671538 23/07/1988 29/08/2019 EDMILSON RODRIGUES DOS SANTOS
50 TRANSFERÊNCIA 041745101589 08/06/1995 29/08/2019 LARISSA MARIA DA CONCEIÇÃO
53 ALISTAMENTO 045795521554 29/11/2002 30/08/2019 TARCISIO LOPES DOS SANTOS
54 ALISTAMENTO 045795531538 01/09/2002 30/08/2019 MARCOS VINICIUS PEREIRA DA CONCEICAO
Origem: CA 208 Zona: 020 Município: 11991 - SÃO JOÃO DO PIAUÍ Lote: 0011/2019 Ordem: DIGITAÇÃO
Seq. Operação Inscrição Nascimento Requerim. Nome do eleitor Situação
4 ALISTAMENTO 045795361538 14/11/2000 16/08/2019 LUIZA TERESINHA COÊLHO
5 TRANSFERÊNCIA 028145981546 02/07/1983 16/08/2019 JOAQUIM LUIS BARBOSA FILHO
6 TRANSFERÊNCIA 031072981546 23/07/1984 16/08/2019 THÁLES AMORIM BARBOSA
7 REVISÃO 025887871546 06/07/1971 16/08/2019 JOSE DE ASSIS ROCHA COSTA
8 TRANSFERÊNCIA 040907681562 28/01/1994 16/08/2019 JOSÉ ILTON DA COSTA PEREIRA
9 ALISTAMENTO 045795371511 10/01/2003 19/08/2019 ALEF CORDEIRO DA SILVA
10 TRANSFERÊNCIA 003806761562 25/02/1960 19/08/2019 ALEXANDRE PEREIRA DOS SANTOS
11 TRANSFERÊNCIA 040014151503 08/03/1993 19/08/2019 EULANIA SOARES DE OLIVEIRA COSTA
18 ALISTAMENTO 045795401511 18/05/2003 21/08/2019 FRANCISLANDYA DA SILVA RIBEIRO
19 ALISTAMENTO 045795411503 03/08/2003 21/08/2019 FABRICIO DE JESUS GOMES
21 TRANSFERÊNCIA 358543710116 17/10/1983 21/08/2019 MARINA DA SILVA SOUZA
22 TRANSFERÊNCIA 045314021503 16/10/2001 21/08/2019 RAYLAND FRANCISCO RIBEIRO DA SILVA
23 ALISTAMENTO 045795431562 04/01/2003 21/08/2019 MARCOS VINICIUS VIEIRA SANTOS
24 ALISTAMENTO 045795441546 04/01/2003 21/08/2019 MARCOS AURELIO VIEIRA SANTOS
30 ALISTAMENTO 045795481570 25/12/1980 23/08/2019 FABIO SANTOS SILVA
33 TRANSFERÊNCIA 037753601562 30/04/1990 26/08/2019 JACQUELINE DE SOUSA
36 TRANSFERÊNCIA 006030501554 12/09/1956 26/08/2019 MILTON RODRIGUES DA COSTA
37 TRANSFERÊNCIA 005195211570 09/03/1962 26/08/2019 EVA RODRIGUES DA COSTA
38 ALISTAMENTO 045795491554 11/03/1993 27/08/2019 DANILO DIAS DE SOUSA
39 REVISÃO 043836361546 17/04/1997 27/08/2019 TAIS MARIA DA CONCEIÇAO RODRIGUES
40 ALISTAMENTO 045795501597 15/12/2002 27/08/2019 MARCUS JAMES RODRIGUES DA SILVA
42 ALISTAMENTO 045795511570 22/04/2001 28/08/2019 ADRIANA LOPES
43 TRANSFERÊNCIA 043838771546 16/07/1999 28/08/2019 TAMIRES NUNES FERREIRA
51 REVISÃO 031427741503 11/01/1984 29/08/2019 ERIVAN DE SOUSA GOMES
52 TRANSFERÊNCIA 043784721503 22/08/1998 30/08/2019 MIKELLE AMORIM SOUSA

Total de documentos digitados : 54

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 86

21ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 039/2019

O Dr. STEFAN OLIVEIRA LADISLAU, Juiz Eleitoral da 21ª Zona Eleitoral do Estado do Piauí, no uso de suas atribuições legais, etc…

TORNA PÚBLICA a todos quantos o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos eleitores, aos representantes dos
Partidos Políticos e ao Ministério Público Eleitoral, a RELAÇÃO DE ELEITORES E AS RESPECTIVAS OPERAÇÕES deferidas no âmbito desta 21ª
Zona Eleitoral, referentes ao LOTE RAE nº 017/2019, que compreende o período de 19/08/2019 a 30/08/2019, constante nas listas anexas,
facultado a qualquer interessado se manifestar e apresentar impugnações acerca das respectivas inscrições eleitorais dentro dos prazos legais
a seguir:

ALISTAMENTOS (deferidos): prazo de 10 (dez) dias (art. 17, §1º da Resolução TSE nº 21.538/2003);

TRANSFERÊNCIAS (deferidas): prazo de 10 (dez) dias (art. 18, §5º da Resolução TSE nº 21.538/2003);

2ª VIAS (deferidas): prazo de 05 (cinco) dias (art. 52, §2º do Código Eleitoral).

E, para que ninguém possa alegar ignorância, é passado o presente Edital que será publicado no Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI e
afixado no mural do respectivo Cartório Eleitoral, como de costume. Dado e passado nesta cidade de Piracuruca, Estado do Piauí, aos três dias
do mês de setembro de dois mil e dezenove (03/09/2019). Eu, ___________________, (Almir Medeiros de Melo Neto), Chefe do Cartório
Eleitoral da 21ª Zona, preparei, conferi e digitei o presente Edital.

Stefan Oliveira Ladislau


Juiz Eleitoral da 21ª ZE/PI

ANEXO
EDITAL 039/2019

Origem: ZE 21 Zona: 021 Municipio: 10529 - SÃO JOSÉ DO DIVINO


Data de Processamento: 19/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
FRANCISCO GOMES DA SILVA NETO 045932391554 ALISTAMENTO 1023 135 29/08/2019 0017/2019
GRACIELY GOMES LUZ 045932191503 ALISTAMENTO 1104 123 22/08/2019 0017/2019
JOSÉ ELMIRO MAGALHÃES 013113380701 TRANSFERÊNCIA 1104 123 21/08/2019 0017/2019
MARGARIDA MARIA DA CONCEIÇÃO 021761661538 REVISÃO 1104 60 30/08/2019 0017/2019
MARIA LUZIA FONTENELE DOS SANTOS 026814741597 REVISÃO 1015 52 21/08/2019 0017/2019
RONALDO DA SILVA POLICARPO 045932381570 ALISTAMENTO 1104 123 29/08/2019 0017/2019

Origem: ZE 21 Zona: 021 Municipio: 11657 - PIRACURUCA


Data de Processamento: 19/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
AIRON ALVES FERREIRA 086270150701 TRANSFERÊNCIA 1341 129 23/08/2019 0017/2019
ANA PAULA CERQUEIRA DE MORAIS 045932401597 ALISTAMENTO 1341 129 29/08/2019 0017/2019
ANTONIA RODRIGUES DE BRITO 027092881570 REVISÃO 1040 10 27/08/2019 0017/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 87

ANTONIO DIÊGO MORAIS 032249501503 TRANSFERÊNCIA 1287 67 26/08/2019 0017/2019


ANTONIO JAILSON GOMES MELO 034870061570 TRANSFERÊNCIA 1040 127 30/08/2019 0017/2019
ANTONIO ROBERTO RODRIGUES SILVA 037738721503 TRANSFERÊNCIA 1465 128 21/08/2019 0017/2019
BRENO ALVES CERQUEIRA 045932131511 ALISTAMENTO 1015 126 20/08/2019 0017/2019
CRISTINA DO NASCIMENTO FRANCO 031894891554 REVISÃO 1058 97 20/08/2019 0017/2019
DENILSON DE SOUSA SILVA 045932351520 ALISTAMENTO 1481 130 28/08/2019 0017/2019
DINAEL SILVA GOMES FIRMINO 043695331570 REVISÃO 1074 59 28/08/2019 0017/2019
DOMINGOS DO NASCIMENTO GALVÃO 039980081511 TRANSFERÊNCIA 1058 131 26/08/2019 0017/2019
EDILSON DA SILVA FONTENELE 045932271511 ALISTAMENTO 1473 120 27/08/2019 0017/2019
EDMILSON ARAUJO 038675301074 REVISÃO 1023 134 23/08/2019 0017/2019
ELIZETE DO AMARANTE ROMEIRO 089646910663 TRANSFERÊNCIA 1040 127 28/08/2019 0017/2019
ERICA MAGALHÃES DO VALE 045932241570 ALISTAMENTO 1074 23 23/08/2019 0017/2019
ERISVALDO SILVA RODRIGUES 045932181520 ALISTAMENTO 1341 129 22/08/2019 0017/2019
FRANCISCO ALVES DOS SANTOS 024794691546 TRANSFERÊNCIA 1147 72 21/08/2019 0017/2019
FRANCISCO DE ASSIS DIAS 035394751570 REVISÃO 1481 106 28/08/2019 0017/2019
GENIVALDO GOMES LIMA 015388751511 TRANSFERÊNCIA 1023 134 26/08/2019 0017/2019
IRISDALVA TORRES DE ARAUJO SALES 021764471562 REVISÃO 1040 76 23/08/2019 0017/2019
JANIELE DA CONCEIÇÃO FONTENELE 039981631503 REVISÃO 1341 129 30/08/2019 0017/2019
JHONNATA DO NASCIMENTO BRITO 045932081554 ALISTAMENTO 1481 130 19/08/2019 0017/2019
JORDÂNIA CRISTINA OLIVEIRA LUSTOSA DA SILVA 038665701503 TRANSFERÊNCIA 1058 131 23/08/2019 0017/2019
JOSÉ PAULO DA SILVA CARVALHO 037476711589 TRANSFERÊNCIA 1058 131 21/08/2019 0017/2019
LARISSA KAWANY SILVA MARIANO 045932071570 ALISTAMENTO 1058 131 19/08/2019 0017/2019
LEONARDO COELHO DA SILVA 038660891503 REVISÃO 1031 8 20/08/2019 0017/2019
LUIZ BREVE DA SILVA BRITO 037891671570 REVISÃO 1040 127 21/08/2019 0017/2019
MANUEL ALVES DE SOUSA 031893341511 REVISÃO 1341 99 21/08/2019 0017/2019
MARCOS HENRIQUE SOUSA DA SILVA 045932341546 ALISTAMENTO 1481 130 28/08/2019 0017/2019
MARIA ANTÔNIA JACOB DE ALMEIDA 035587251538 REVISÃO 1180 100 29/08/2019 0017/2019
MARIA DO CARMO CARVALHO SILVA 041646611546 REVISÃO 1058 131 21/08/2019 0017/2019
MARIA DO SOCORRO ALVES DE SOUSA 035391411538 REVISÃO 1040 61 23/08/2019 0017/2019
MARIA DOS REMÉDIOS FREIRE DE SOUSA 039344791570 REVISÃO 1139 35 22/08/2019 0017/2019
MARIA ELÁDIMA CARDOSO SOUSA 028515821503 TRANSFERÊNCIA 1058 131 28/08/2019 0017/2019
MARIA JACIARA DA SILVA TORRES 045932111554 ALISTAMENTO 1040 127 20/08/2019 0017/2019
MARIANA LOPES FERNANDES 045932261538 ALISTAMENTO 1180 48 27/08/2019 0017/2019
MILENA RODRIGUES DE ALCANTARA 020633891503 TRANSFERÊNCIA 1058 131 28/08/2019 0017/2019
MISLAYNE GINO FONTENELE 045932061597 ALISTAMENTO 1473 120 19/08/2019 0017/2019
PATRICIANA PEREIRA CASTRO 045450811511 REVISÃO 1015 126 26/08/2019 0017/2019
PAULO GABRIEL DE SOUSA BRITO 045932501562 ALISTAMENTO 1058 131 30/08/2019 0017/2019
RAIMUNDO NONATO ALVES DE ARAUJO 014112922020 TRANSFERÊNCIA 1481 130 20/08/2019 0017/2019
ROLDÃO DE MELO GOMES 008230941538 TRANSFERÊNCIA 1058 131 29/08/2019 0017/2019
SARA RODRIGUES SAMPAIO 032334541503 TRANSFERÊNCIA 1040 127 22/08/2019 0017/2019
SILVANETE GOMES DE ARAÚJO 045932251554 ALISTAMENTO 1465 128 26/08/2019 0017/2019
TERESA CRISTINA FONTENELE DE FREITAS 042579881503 REVISÃO 1031 6 23/08/2019 0017/2019
VALDELIA GOMES VERAS 036185621503 TRANSFERÊNCIA 1341 129 21/08/2019 0017/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 88

VALDEMIRO DA SILVA 023323031554 REVISÃO 1490 110 30/08/2019 0017/2019


VANDERLEI RODRIGUES DE BRITO 045932121538 ALISTAMENTO 1058 131 20/08/2019 0017/2019

Origem: ZE 21 Zona: 021 Municipio: 12009 - SÃO JOÃO DA FRONTEIRA


Data de Processamento: 19/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALINE DE ARAUJO SOUSA 045932211520 ALISTAMENTO 1023 133 23/08/2019 0017/2019
ANDRÉ DE OLIVEIRA BRITO 045932221503 ALISTAMENTO 1023 133 23/08/2019 0017/2019
ANGELICA DE SOUSA ARAUJO 039651940701 TRANSFERÊNCIA 1023 133 30/08/2019 0017/2019
ANTONIO DA SILVA ARAUJO 045932161562 ALISTAMENTO 1023 133 22/08/2019 0017/2019
CHARLES DA SILVA RIBEIRO 037439311562 REVISÃO 1015 29 23/08/2019 0017/2019
CHRISTYANA ALVES DE SOUSA 043698121538 REVISÃO 1023 112 26/08/2019 0017/2019
CLAUDIO JUNIOR PEREIRA DA SILVA 045932481546 ALISTAMENTO 1015 29 30/08/2019 0017/2019
CRISLANE CHAVES PESSOA 045449361589 REVISÃO 1058 89 21/08/2019 0017/2019
EDILENE SOARES FERNANDES 040448111589 REVISÃO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
GABRIELA DA SILVA AGUIAR 045932281503 ALISTAMENTO 1023 133 27/08/2019 0017/2019
GABRIELLY GOMES DA SILVA MORAIS 045932291589 ALISTAMENTO 1023 133 27/08/2019 0017/2019
HÉVILLA MÁRIAH XIMNEDES DA SILVA 045932461589 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
ITAMARA FAUSTO DA CUNHA FIALHO 068864910744 TRANSFERÊNCIA 1023 133 28/08/2019 0017/2019
JAQUELANE BORGES MENDONÇA 045932321589 ALISTAMENTO 1023 133 28/08/2019 0017/2019
JOCILENE MENDES DE OLIVEIRA 044858611520 REVISÃO 1066 98 28/08/2019 0017/2019
JONAS BRITO DE MESQUITA 039342091538 TRANSFERÊNCIA 1023 133 30/08/2019 0017/2019
JOSÉ LUAN DA SILVA MENESES 045932411570 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
JOSÉ ROBERTO SILVA MELO 039009851589 REVISÃO 1023 112 30/08/2019 0017/2019
JOSIEL FERNANDES DA SILVA 045932431538 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
JULIANA FERREIRA DE LIMA 045932301511 ALISTAMENTO 1023 133 28/08/2019 0017/2019
KARLEANE DA CONCEIÇÃO RODRIGUES 045932361503 ALISTAMENTO 1023 133 28/08/2019 0017/2019
LEONARDO GOMES DE SOUSA 045932141503 ALISTAMENTO 1040 74 21/08/2019 0017/2019
LEÔNGUE SILFAN NASCIMENTO DA SILVA 045932421554 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
LUANA SOUSA SILVA 072766200744 TRANSFERÊNCIA 1015 29 30/08/2019 0017/2019
LUARA PESSOA ARAÚJO 043130661562 REVISÃO 1023 119 26/08/2019 0017/2019
MANOEL CARDOSO DA SILVA NETO 045932471562 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
MARCELINO LIMA BRITO 045932101570 ALISTAMENTO 1040 74 20/08/2019 0017/2019
MARIA DAS DORES FERREIRA DE SOUSA 028410931597 TRANSFERÊNCIA 1023 133 29/08/2019 0017/2019
MARIA DOS REMEDIOS DA SILVA 036488581554 TRANSFERÊNCIA 1023 133 30/08/2019 0017/2019
MARIA EDILEUSA RODRIGUES DA SILVA 031895491520 TRANSFERÊNCIA 1023 133 27/08/2019 0017/2019
MARIA JAINARA SOUSA LIMA 045932171546 ALISTAMENTO 1023 133 22/08/2019 0017/2019
MARTA MARIA DOS SANTOS FONTENELE 045932331562 ALISTAMENTO 1023 133 28/08/2019 0017/2019
MAYTAN SILVA SOUZA 045193051538 TRANSFERÊNCIA 1023 133 30/08/2019 0017/2019
MIRELLA KAILANY DA SILVA MARÇAL 045932151589 ALISTAMENTO 1031 88 21/08/2019 0017/2019
PATRÍCIA CARDOSO DA SILVA 403074560183 TRANSFERÊNCIA 1023 133 30/08/2019 0017/2019
PAULO PEREIRA DE SOUZA 036954591546 TRANSFERÊNCIA 1023 133 30/08/2019 0017/2019
PEDRO HENRIQUE VIEIRA GOMES 045932201546 ALISTAMENTO 1031 88 23/08/2019 0017/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 89

RAYLTON JÚNIOR GONÇALVES DA SILVA 045932091538 ALISTAMENTO 1023 133 20/08/2019 0017/2019
RIQUELY GOMES DE MOURA 045932371597 ALISTAMENTO 1023 133 29/08/2019 0017/2019
RODRIGO FERREIRA LIMA 045932311503 ALISTAMENTO 1023 133 28/08/2019 0017/2019
RONNY SILVA LOPES 045932231597 ALISTAMENTO 1023 133 23/08/2019 0017/2019
STEFANY MENDES DA SILVA 045932451503 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
TAILSON SILVA SOUZA 045932491520 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
VALDIRENE DE SOUZA ARAÚJO 081756270752 TRANSFERÊNCIA 1023 133 30/08/2019 0017/2019
VINÍCIOS DE JESUS OLIVEIRA 045932441511 ALISTAMENTO 1023 133 30/08/2019 0017/2019
VIRGÍLIO DE OLIVEIRA BRITO NETO 043130691503 REVISÃO 1040 74 26/08/2019 0017/2019

30ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL N.º 10/2019

O MM. Juiz Eleitoral desta 30ª Zona de São Pedro do Piauí-PI, Dr. Francisco das Chagas Ferreira, no uso de suas atribuições legais, etc.

FAZ-SE SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele tiverem ciência, que perante este Juízo e Cartório Eleitoral, foram requeridos os
pedidos de INSCRIÇÃO, TRANSFERÊNCIA, REVISÃO E SEGUNDA VIA (Lote 07/2019) relativos aos eleitores elencados na relação em anexo,
para os municípios de São Pedro do Piauí, Agricolândia, São Gonçalo do Piauí e Santo Antônio dos Milagres, devendo os interessados
oferecerem as impugnações que julgarem necessárias, NO PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS, nos termos dos arts. 17, § 1º, 18, § 5º, da Res.-TSE n.º
21.538, de 14.10.2003.
E para que chegue ao conhecimento de todos e não possam no futuro alegar ignorância, mandou o MM. Juiz que expedisse o presente edital,
o qual será afixado no local de costume. Dado e passado nesta cidade de São Pedro do Piauí, Estado do Piauí, ao(s) 30 (trinta) dias do mês de
agosto do ano de dois mil e dezenove (2019).

Dr. Francisco das Chagas Ferreira


Juiz Eleitoral da 30ª Zona

ANEXO EDITAL Nº 10/2019


Origem: ZE 30 Zona: 030 Municipio: 10014 - AGRICOLÂNDIA
Data de Processamento: 01/06/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA CLEIDY DE LIMA 046376541520 ALISTAMENTO 1031 7 23/08/2019 0007/2019
ANGELITA LIMA DE OLIVEIRA 057221411031 TRANSFERÊNCIA 1031 33 19/07/2019 0007/2019
ANTÔNIO FRANCISCO MORAIS DA SILVA 046376671546 ALISTAMENTO 1031 33 30/08/2019 0007/2019
ANTONIO LISBOA ARAUJO 035760121554 TRANSFERÊNCIA 1082 49 11/06/2019 0007/2019
ANTONIO MARCOS SALES DE OLIVEIRA 028087461511 TRANSFERÊNCIA 1031 76 13/08/2019 0007/2019
AUGUSTA MARIA LEAL DE SENA 005721542070 TRANSFERÊNCIA 1090 65 23/08/2019 0007/2019
CARLOS ALEXANDRE SOUSA LIMA 045038881503 TRANSFERÊNCIA 1074 75 14/08/2019 0007/2019
CARLOS HENRIQUE BATISTA DOS SANTOS 046376071503 ALISTAMENTO 1066 74 13/08/2019 0007/2019
EDUARDO MENDES DE SOUSA 017096531570 REVISÃO 1023 4 26/08/2019 0007/2019
ELILDES DE JESUS CONCEIÇÃO 069916261180 TRANSFERÊNCIA 1031 1 31/07/2019 0007/2019
EMILLY GIOVANA LIMA DE ALENCAR 046376371520 ALISTAMENTO 1031 6 20/08/2019 0007/2019
FABICLÉIA PEREIRA DE OLIVEIRA SILVA 041309911503 REVISÃO 1031 35 16/08/2019 0007/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 90

FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES DE OLIVEIRA 043745601511 REVISÃO 1066 74 26/08/2019 0007/2019
GUSTAVO REIS LIMA DOS SANTOS 042183071538 SEGUNDA VIA 1031 35 19/08/2019 0007/2019
JOELSON CARDOSO SOARES 046376081597 ALISTAMENTO 1031 1 13/08/2019 0007/2019
JOSIMAR SILVA ALVES 025925251538 TRANSFERÊNCIA 1031 1 24/06/2019 0007/2019
KAIO TEIXEIRA DE ARAÚJO 038569871562 TRANSFERÊNCIA 1031 38 22/07/2019 0007/2019
KLESON WARLLY ALVES DA SILVA 029755391554 TRANSFERÊNCIA 1074 75 14/08/2019 0007/2019
MARIA NATALY DO NASCIMENTO CRUZ 042948661554 TRANSFERÊNCIA 1031 38 17/07/2019 0007/2019
MARIA OZITA DO NASCIMENTO 027176581546 TRANSFERÊNCIA 1082 49 29/08/2019 0007/2019
MAURICÉLIA MENDES PEREIRA 041309301589 TRANSFERÊNCIA 1082 49 27/08/2019 0007/2019
PATRICIA PEREIRA DOS SANTOS 034438591597 TRANSFERÊNCIA 1031 7 26/08/2019 0007/2019
RITA EDUVIRGENS 018451851538 TRANSFERÊNCIA 1082 49 29/08/2019 0007/2019
ROSIMAR DA SILVA LIMA 021397711562 TRANSFERÊNCIA 1031 76 12/07/2019 0007/2019
SAMARA DE SENA ROSA 036348871520 SEGUNDA VIA 1031 6 27/08/2019 0007/2019
VANESSA DA SILVA SOUSA 044734881538 TRANSFERÊNCIA 1031 6 08/07/2019 0007/2019
WINNEY NATHALLEY DE SANTANA 045432161538 TRANSFERÊNCIA 1082 49 18/06/2019 0007/2019

Origem: ZE 30 Zona: 030 Municipio: 11959 - SÃO GONÇALO DO PIAUÍ


Data de Processamento: 01/06/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALEX PIRES DE ASSUNÇÃO 046376321511 ALISTAMENTO 1023 110 19/08/2019 0007/2019
ANDRESSA CARDOSO FERREIRA 046376481589 ALISTAMENTO 1066 108 21/08/2019 0007/2019
ANTONIO MARCELO DE CARVALHO 046376121570 ALISTAMENTO 1058 116 14/08/2019 0007/2019
CAMILA MOREIRA MOTA 046376131554 ALISTAMENTO 1066 108 14/08/2019 0007/2019
CARLOS NATHAN SOUSA SOARES 016512271589 REVISÃO 1023 110 20/08/2019 0007/2019
CELSO DA SILVA LIMA 046376451538 ALISTAMENTO 1040 122 21/08/2019 0007/2019
DOMINGAS MARIA DA CONCEIÇÃO 018419691503 TRANSFERÊNCIA 1066 108 19/08/2019 0007/2019
ELANY NUNES LIMA 046376471503 ALISTAMENTO 1040 122 21/08/2019 0007/2019
EMANUEL PEREIRA GOMES 046376441554 ALISTAMENTO 1023 110 21/08/2019 0007/2019
ERIK PEREIRA DA SILVA 046376271554 ALISTAMENTO 1066 108 16/08/2019 0007/2019
FRANCINALDO DA CONCEIÇÃO SANTOS 212183610132 REVISÃO 1058 100 21/08/2019 0007/2019
FRANCISCO DIAS DO NASCIMENTO FILHO 046376141538 ALISTAMENTO 1023 110 14/08/2019 0007/2019
FRANCISCO DUCLERC MODESTO SIMEÃO 038567080833 REVISÃO 1015 109 16/08/2019 0007/2019
ISAQUE SILVA SANTOS 046376391597 ALISTAMENTO 1058 116 21/08/2019 0007/2019
JOEL ALVES CARDOSO 022408401511 TRANSFERÊNCIA 1058 116 02/07/2019 0007/2019
JOSÉ MAURÍCIO ALVES PEREIRA 046376401520 ALISTAMENTO 1066 108 21/08/2019 0007/2019
LUCAS PEREIRA DE GOÍS 041113731503 REVISÃO 1015 90 19/08/2019 0007/2019
MARIA DAS MERCEDES DIAS DO NASCIMENTO 046376111597 ALISTAMENTO 1023 110 14/08/2019 0007/2019
MARIA LAURA SOARES NUNES 046376171589 ALISTAMENTO 1066 108 15/08/2019 0007/2019
MATHEUS DA SILVA SOARES DE ALENCAR 046376301554 ALISTAMENTO 1023 110 16/08/2019 0007/2019
PATRICIA DAIANE DE JESUS LIMA 041979641589 REVISÃO 1023 95 16/08/2019 0007/2019
PEDRO SILVA DE GOES 037125501589 TRANSFERÊNCIA 1058 116 08/07/2019 0007/2019
RAIARA TAMARA PEREIRA SANTOS 046376191546 ALISTAMENTO 1058 116 15/08/2019 0007/2019
RAIMUNDO NONATO DA SILVA 014538262011 TRANSFERÊNCIA 1066 108 21/08/2019 0007/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 91

SUSANA FERREIRA ALENCAR 016823371503 TRANSFERÊNCIA 1066 108 16/08/2019 0007/2019


TERTULIANO RAMOS GOES NOLETO 031125751112 TRANSFERÊNCIA 1066 108 25/07/2019 0007/2019

Origem: ZE 30 Zona: 030 Municipio: 12092 - SÃO PEDRO DO PIAUÍ


Data de Processamento: 01/06/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA PAULA MENDES DE OLIVEIRA 423942550175 TRANSFERÊNCIA 1040 20 14/08/2019 0007/2019
ANDERSON DANIEL DE SOUSA RODRIGUES 046376591538 ALISTAMENTO 1201 53 27/08/2019 0007/2019
ANDRÉ ALVES DA SILVA 046376611554 ALISTAMENTO 1040 20 27/08/2019 0007/2019
ANTONIA BRENDA DA CONCEIÇÃO 046376411503 ALISTAMENTO 1155 114 21/08/2019 0007/2019
ANTONIA CELMA PEREIRA DA SILVA SOARES 034284221520 TRANSFERÊNCIA 1015 11 27/08/2019 0007/2019
ANTONIA JULIELEM DA SILVA FERREIRA 046376631511 ALISTAMENTO 1031 111 29/08/2019 0007/2019
ANTONIO DA CRUZ OLIVEIRA DA SILVA 046376381503 ALISTAMENTO 1066 24 21/08/2019 0007/2019
ANTONIO SAMUEL LEAL 046376151511 ALISTAMENTO 1201 53 15/08/2019 0007/2019
ARIOSVALDO ALVES DE SOUSA 017038531570 TRANSFERÊNCIA 1031 111 11/07/2019 0007/2019
AUGUSTO PEREIRA DE CARVALHO 039122731554 TRANSFERÊNCIA 1058 73 27/06/2019 0007/2019
BARTOLOMEU FERNANDES DA SILVA 021366691511 TRANSFERÊNCIA 1066 25 02/07/2019 0007/2019
BEATRIZ PEREIRA DOS SANTOS 046376251597 ALISTAMENTO 1066 25 16/08/2019 0007/2019
BENTO JOSÉ DA SILVA FILHO 038829281520 REVISÃO 1201 53 16/08/2019 0007/2019
CARLOS EDUARDO DA SILVA ANDRADE 046376361546 ALISTAMENTO 1058 73 20/08/2019 0007/2019
CHARLES HENRIQUE DA COSTA SANTOS 046376601570 ALISTAMENTO 1040 20 27/08/2019 0007/2019
CLEISSON GOMES MARINHO 042184581546 REVISÃO 1040 20 15/08/2019 0007/2019
CLENILDA LILIAN BATISTA 022444551562 TRANSFERÊNCIA 1074 34 02/08/2019 0007/2019
CRISTIANE ALVES DE LIMA 046376571570 ALISTAMENTO 1066 24 26/08/2019 0007/2019
DAVI DE ABREU E SILVA 046376211562 ALISTAMENTO 1112 30 15/08/2019 0007/2019
DAWVISON DE BRITO RODRIGUES 037204631570 TRANSFERÊNCIA 1155 114 22/08/2019 0007/2019
DELCY MARIA DOS SANTOS BATISTA 000749781589 TRANSFERÊNCIA 1074 27 02/08/2019 0007/2019
EDUARDO WALLAN BATISTA MOURA 041030631503 TRANSFERÊNCIA 1074 27 16/08/2019 0007/2019
FELIPE SOUSA E SILVA 040036631546 TRANSFERÊNCIA 1040 20 13/08/2019 0007/2019
FRANCINALDO DE SOUSA SILVA 035461111503 TRANSFERÊNCIA 1112 57 16/08/2019 0007/2019
FRANCISCO BERNARDO DA SILVA 032805901503 SEGUNDA VIA 1040 17 26/08/2019 0007/2019
FRANCISCO REIS GOMES DE ARAUJO 017106001511 REVISÃO 1155 56 21/08/2019 0007/2019
FRANCIVALDO GOMES DA SILVA 046376561597 ALISTAMENTO 1066 25 26/08/2019 0007/2019
GABRIEL CAMPELO DA SILVA 046376501503 ALISTAMENTO 1139 66 22/08/2019 0007/2019
GABRIEL DE SOUSA ABREU 046376221546 ALISTAMENTO 1112 30 15/08/2019 0007/2019
GABRIELA DE SOUSA LEAL 066340071015 TRANSFERÊNCIA 1040 20 26/08/2019 0007/2019
GEOVANA BEATRIZ PEREIRA DA SILVA 046376651589 ALISTAMENTO 1040 20 29/08/2019 0007/2019
GÉSSICA PASTORA VIANA ALVES DA SILVA 046376681520 ALISTAMENTO 1066 25 30/08/2019 0007/2019
GLAYCIANE CAMPELO DE SOUSA SILVA 038438931538 TRANSFERÊNCIA 1155 114 22/08/2019 0007/2019
GUILHERME WALLAN BATISTA MOURA 041023801538 TRANSFERÊNCIA 1074 34 11/06/2019 0007/2019
HERNANIO ALVES DE ALENCAR 044118411546 TRANSFERÊNCIA 1074 27 01/08/2019 0007/2019
IARLA SOFIA SOARES DE ALENCAR 046376161503 ALISTAMENTO 1074 26 15/08/2019 0007/2019
ILZA CINARA DA CUNHA QUEIROZ 029386521171 TRANSFERÊNCIA 1031 111 19/08/2019 0007/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 92

JAMILA DA SILVA BATISTA 046376281538 ALISTAMENTO 1066 25 16/08/2019 0007/2019


JAMILY BEATRIZ MENDES BARBOSA 046376291511 ALISTAMENTO 1090 120 16/08/2019 0007/2019
JANAINA GOMES DO NASCIMENTO 046376511589 ALISTAMENTO 1155 114 22/08/2019 0007/2019
JOÃO EDUARDO DA COSTA FERREIRA 046376641503 ALISTAMENTO 1031 111 29/08/2019 0007/2019
JOÃO LUCAS BATISTA DE MELO 046376311538 ALISTAMENTO 1074 26 16/08/2019 0007/2019
JOSEANE DE SOUSA LIMA 041308331562 REVISÃO 1074 34 16/08/2019 0007/2019
KAYLANE PEREIRA DA SILVA 046376241503 ALISTAMENTO 1066 24 16/08/2019 0007/2019
LÁYSLA MIKAELY DO NASCIMENTO PEREIRA 046376521562 ALISTAMENTO 1155 114 22/08/2019 0007/2019
LEVY VELOSO BARBOSA DE CARVALHO 046376341589 ALISTAMENTO 1031 111 19/08/2019 0007/2019
LUIS CARLEUSO SOUSA ALENCAR 046376581554 ALISTAMENTO 1112 31 26/08/2019 0007/2019
LUIS FRANCISCO BARBOSA CAVALCANTE 023899121538 TRANSFERÊNCIA 1031 111 05/08/2019 0007/2019
LUIZ EDUARDO DE SALES ALENCAR 046376461511 ALISTAMENTO 1031 111 21/08/2019 0007/2019
LUIZA MARIA FERNANDES DA SILVA 046376261570 ALISTAMENTO 1066 24 16/08/2019 0007/2019
MAGDIEL ELIABE RODRIGUES FREITAS 046376331503 ALISTAMENTO 1031 111 19/08/2019 0007/2019
MAIZA ALVES DE ALENCAR 046376621538 ALISTAMENTO 1163 68 28/08/2019 0007/2019
MANOEL BATISTA DA SILVA 033559931074 TRANSFERÊNCIA 1155 114 09/07/2019 0007/2019
MANOEL DE JESUS ALENCAR SOBRINHO 046376421597 ALISTAMENTO 1155 114 21/08/2019 0007/2019
MARIA DA CRUZ MOURA 017027501503 REVISÃO 1031 39 14/08/2019 0007/2019
MARIA DA CRUZ SILVA ALVES 019144381554 TRANSFERÊNCIA 1201 53 28/08/2019 0007/2019
MARIA PEREIRA DA SILVA 019127221570 TRANSFERÊNCIA 1058 73 26/07/2019 0007/2019
MARIA YASMIN BARBOSA CARVALHO DE SOUSA 046376431570 ALISTAMENTO 1155 114 21/08/2019 0007/2019
MATHEUS BEZERRA DOS SANTOS 038739611554 TRANSFERÊNCIA 1031 111 20/08/2019 0007/2019
OSVALDO ALVES DOS SANTOS 003975311520 TRANSFERÊNCIA 1163 68 20/08/2019 0007/2019
PEDRO AUGUSTO DOS SANTOS COSTA 046376091570 ALISTAMENTO 1031 111 14/08/2019 0007/2019
RAIMUNDO JOSÉ MOURA PEREIRA 000539791511 TRANSFERÊNCIA 1074 27 11/06/2019 0007/2019
RAIMUNDO LUIS DA SILVA BATISTA 017045701538 REVISÃO 1066 25 27/08/2019 0007/2019
RENATA MIRANDA MACHADO 372512900191 TRANSFERÊNCIA 1201 53 25/07/2019 0007/2019
RIQUELMI HENRIQUE DE SOUSA 046376551503 ALISTAMENTO 1155 114 23/08/2019 0007/2019
RODRIGO FONTELLES ALVES DA SILVA 043744201562 TRANSFERÊNCIA 1040 20 27/08/2019 0007/2019
SILMARA PEREIRA DOS ANJOS 413242210183 TRANSFERÊNCIA 1074 34 23/08/2019 0007/2019
TÂMARA KAELY PEREIRA DA SILVA 046376351562 ALISTAMENTO 1023 121 20/08/2019 0007/2019
TATIANE DA SILVA CUNHA 041189821554 TRANSFERÊNCIA 1031 111 24/06/2019 0007/2019
TATIELE PEREIRA DE SOUSA 046376661562 ALISTAMENTO 1040 20 29/08/2019 0007/2019
VALÉRIA DA CRUZ DE OLIVEIRA 046376231520 ALISTAMENTO 1066 25 16/08/2019 0007/2019
VANESSA MARIA ARAUJO DO NASCIMENTO 046376531546 ALISTAMENTO 1040 20 23/08/2019 0007/2019
VITÓRIA TEÓFILO SANTANA 046376101503 ALISTAMENTO 1031 111 14/08/2019 0007/2019
WEMERSON PEREIRA BARBOSA 046376181562 ALISTAMENTO 1031 111 15/08/2019 0007/2019
YOLANDA ALVES RODRIGUES 179014600299 TRANSFERÊNCIA 1031 111 26/06/2019 0007/2019
Origem: ZE 30 Zona: 030 Municipio: 12653 - SANTO ANTÔNIO DOS MILAGRES
Data de Processamento: 01/06/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
BRUNA BEZERRA DE SOUSA 040665551503 TRANSFERÊNCIA 1040 112 10/06/2019 0007/2019
DOMINGAS GOMES VILANOVA 027665141538 TRANSFERÊNCIA 1040 112 16/07/2019 0007/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 93

ELIZAMARA DIAS PEREIRA 046376201589 ALISTAMENTO 1066 119 15/08/2019 0007/2019


ERLÂNI DA SILVA CARVALHO 043517461538 TRANSFERÊNCIA 1040 112 10/06/2019 0007/2019
FELIPE DE SOUSA SANTOS 041797971538 TRANSFERÊNCIA 1023 115 16/07/2019 0007/2019
FRANCISCO DE ASSIS SOARES DOS SANTOS 043354451597 TRANSFERÊNCIA 1040 112 04/06/2019 0007/2019
JERLIANE MARIA DE ARAUJO OLIVEIRA 046376691503 ALISTAMENTO 1066 119 30/08/2019 0007/2019
JÚLIO CÉSAR DE CARVALHO DANTAS 034447121511 TRANSFERÊNCIA 1023 115 28/06/2019 0007/2019
LUCIANE MARIA DE ARAUJO 033310921503 REVISÃO 1066 86 21/08/2019 0007/2019
MARCIA BARBOSA GOMES DANTAS 435857120167 TRANSFERÊNCIA 1023 115 28/06/2019 0007/2019
MARLENE PEREIRA DE ARAUJO 043559431538 REVISÃO 1066 86 14/08/2019 0007/2019
RAFAEL ABREU DOS SANTOS 042719421597 TRANSFERÊNCIA 1066 119 30/08/2019 0007/2019

31ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 032/2019

COM PRAZO DE 10 DIAS

O JUIZ ELEITORAL DESTA 31ª ZONA DE PALMEIRAIS/PI, DR. KELSON CARVALHO LOPES DA SILVA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, Eu
Eudnaide Aguiar Castro, no uso das atribuições legais, DE ORDEM...

TORNO PÚBLICO a lista de eleitores abaixo discriminados que solicitaram suas inscrições, transferências, revisões e pedidos
de 2ª via, bem assim de outras alterações da situação do eleitor, relativa ao município de Palmeirais – PI agrupados no LOTE 11/2019 para
fins de impugnação das referidas operações, observando-se os prazos do Código Eleitoral, art. 45, § 6º, 52, § 2º, 57 caput e § 2º, 77, II e Lei
6996/82, art.7º, § 1º, a serem contados a partir da data desta publicação. Para dar publicidade ao feito e para que no futuro ninguém alegue
ignorância, mandou o MM Juiz Eleitoral desta 31ª Zona publicar este edital que segue assinado e conferido. Dado e passado nesta cidade e
Zona Eleitoral de Palmeirais, Estado do Piauí, no dia trinta do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove (30/08/2019). Eu,
_______________,Chefe de Cartório da 31ª Zona Eleitoral, digitei.

Eudnaide Aguiar Castro


Chefe de Cartório

Justiça Eleitoral - 31ª Zona/PI


ELO - Cadastro Eleitoral
Relação de Títulos Impressos para Afixação
Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALBERLILIA BARROS DE OLIVEIRA 022154391562 REVISÃO 1104 18 29/08/2019 0011/2019
ALESSANDRA NOGUEIRA DA SILVEIRA 046050791554 ALISTAMENTO 1031 56 29/08/2019 0011/2019
ANDERSON ANDREW SOUSA DA SILVA 046050781570 ALISTAMENTO 1015 52 29/08/2019 0011/2019
DEUSANIRA MARIA DA CONCEICAO 032522561589 TRANSFERÊNCIA 1015 52 27/08/2019 0011/2019
DIOCLÉCIO RIBEIRO DE SOUSA 003957621546 REVISÃO 1015 41 23/08/2019 0011/2019
EDINALDO PEREIRA DE SOUSA 027647821503 TRANSFERÊNCIA 1015 52 19/08/2019 0011/2019
ELISABETH TORRES NUNES 020292371163 REVISÃO 1260 63 16/08/2019 0011/2019
FABIANA RESENDE FERREIRA 043562251562 TRANSFERÊNCIA 1015 52 16/08/2019 0011/2019
FRANCISCA DE FÁTIMA RIBEIRO DE SOUSA 041808661554 REVISÃO 1031 56 30/08/2019 0011/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 94

FRANCISCA NEVES DE OLIVEIRA SOUSA 005095911538 SEGUNDA VIA 1112 20 28/08/2019 0011/2019
FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA 067317761163 TRANSFERÊNCIA 1023 2 28/08/2019 0011/2019
JOÃO MARCELO DE SOUSA ALMEIDA 046050751520 ALISTAMENTO 1015 52 23/08/2019 0011/2019
JOSE GUIDO DE AMORIM 005506971120 TRANSFERÊNCIA 1120 62 28/08/2019 0011/2019
JOSE LUIS OLIVEIRA NUNES PEREIRA 048337181180 TRANSFERÊNCIA 1120 62 19/08/2019 0011/2019
KAYQUE DOMINGOS FERREIRA DE ALMEIDA 046050741546 ALISTAMENTO 1252 44 21/08/2019 0011/2019
LAILSON VIEIRA DA SILVA 042055101554 SEGUNDA VIA 1120 22 27/08/2019 0011/2019
LEONARDO DA SILVA BARBOSA 041362801520 REVISÃO 1228 37 19/08/2019 0011/2019
LUCAS RYAN ARAÚJO DA SILVA 046050801597 ALISTAMENTO 1058 50 30/08/2019 0011/2019
LUIZ FILIPE RODRIGUES SOUSA 046050771597 ALISTAMENTO 1040 28 27/08/2019 0011/2019
LUSIVAN DA COSTA E SILVA 036886801570 TRANSFERÊNCIA 1015 52 21/08/2019 0011/2019
MARIA DA CONCEIÇÃO ANDRADE SILVA 044202911511 REVISÃO 1066 12 27/08/2019 0011/2019
MARIA DE LOURDES VIANA 041147531570 REVISÃO 1244 43 16/08/2019 0011/2019
NIVYANNE MARIA DE SOUSA 046050731562 ALISTAMENTO 1040 8 19/08/2019 0011/2019
RAIMUNDO CLEMENTINO DA SILVA 008671331589 TRANSFERÊNCIA 1015 52 27/08/2019 0011/2019
RENATHA MOREIRA FEITOSA 038798431538 SEGUNDA VIA 1023 2 16/08/2019 0011/2019
SAMANDA CRISTINA DE SOUSA 044695191554 TRANSFERÊNCIA 1120 62 29/08/2019 0011/2019
SANARIA DA CRUZ FRANCIELE PEREIRA DA SILVA 046050721589 ALISTAMENTO 1031 56 16/08/2019 0011/2019
TAUÃ BARROS BARBOSA 046050761503 ALISTAMENTO 1058 50 27/08/2019 0011/2019
Total de documentos impressos : 28

34ª Zona Eleitoral

Editais
Edital nº 33/2019

O Doutor Alexandre Alberto Teodoro da Silva, Juiz Eleitoral em substituição da 34ª Zona Eleitoral, Circunscrição do Piauí, com sede nesta
cidade de Castelo do Piauí, por nomeação legal etc.,

TORNA PÚBLICO a todos quantos o presente edital virem ou dele tiverem ciência, ao eleitorado e demais interessados, sobretudo ao
Ministério Público Eleitoral e aos partidos políticos, na forma da lei e para os fins estabelecidos no art.17, da Resolução nº21.538, de
14/10/2003, as inscrições, transferências, revisões e 2ª vias, requeridas e no período de 19/08/2019 a 30/08/2019 (Lote nº 14/2019), para os
municípios de: CASTELO DO PIAUÍ, BURITI DOS MONTES e JUAZEIRO DO PIAUÍ-PI, conforme relação anexa.

Pelo presente, ficam os interessados cientes de que, no prazo de dez (10) dias, a contar da afixação do presente EDITAL, no local de costume
deste Cartório, poderá ser apresentada impugnação perante este Juízo Eleitoral contra as decisões constantes das relações acima
mencionadas.

E para que chegue ao conhecimento de todos os interessados, a fim de que fiquem cientes e não venham alegar ignorância, determinou o
Excelentíssimo Senhor Juiz Eleitoral fosse afixado o presente edital, com prazo de dez (10) dias, no local de costume deste Fórum. Dado e
passado nesta cidade de Castelo do Piauí, Comarca de mesmo nome, sede da 34ª Zona Eleitoral, aos dois dias do mês de setembro do ano dois
mil e dezenove (02/09/2019). Eu____________(Samara de Sousa Barros Soares), Assistente I Cartório Eleitoral da 34ª ZE/PI, preparei e
conferi o presente edital, que é subscrito pelo Juiz Eleitoral em substituição, Dr. Alexandre Alberto Teodoro da Silva.

Alexandre Alberto Teodoro da Silva


Juiz Eleitoral em substituição 34ª ZE/PI

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 95

Origem: ZE 34 Zona: 034 Municipio: 10103 - BURITI DOS MONTES


Data de Processamento: 19/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANTONIO FRANCISCO DA SILVA GOMES 046347711520 ALISTAMENTO 1147 98 28/08/2019 0014/2019
CISLIANE VIEIRA BARROS 067244870744 REVISÃO 1074 28 23/08/2019 0014/2019
EDVAN DE SOUSA BEZERRA 046347591538 ALISTAMENTO 1015 180 20/08/2019 0014/2019
FRANCISCA JESSICA MARQUES BEZERRA 037724381503 TRANSFERÊNCIA 1163 119 26/08/2019 0014/2019
FRANCISCA PATRICIA CEZAR DA SILVA 046347851520 ALISTAMENTO 1015 180 30/08/2019 0014/2019
FRANCISCO DA SILVA DE SOUSA 032396301597 TRANSFERÊNCIA 1163 119 26/08/2019 0014/2019
FRANCISCO FERNANDO DA SILVA 046347541520 ALISTAMENTO 1120 85 19/08/2019 0014/2019
ILDELANIA GOMES DA CRUZ 046347651589 ALISTAMENTO 1147 98 23/08/2019 0014/2019
JOSE EVANDRO CEZAR BEZERRA 023271211538 TRANSFERÊNCIA 1015 180 20/08/2019 0014/2019
JOSE FRANCISCO VIEIRA DA SILVA 032877501511 REVISÃO 1104 83 19/08/2019 0014/2019
LUIZ ANTONIO SOARES DA SILVA 046347671546 ALISTAMENTO 1139 97 23/08/2019 0014/2019
MARA LUANA DE SOUSA BEZERRA 429324650116 TRANSFERÊNCIA 1015 180 20/08/2019 0014/2019
MARCÍLIO TEIXEIRA DE MACEDO 046347581554 ALISTAMENTO 1112 84 20/08/2019 0014/2019
MARIA CLAUDINO DA SILVA 000449001589 REVISÃO 1139 97 30/08/2019 0014/2019
MARIA NILSA GALDINO SOARES 046347571570 ALISTAMENTO 1201 154 20/08/2019 0014/2019
MARIA ZELIA DE SOUSA LEITE 017248101589 TRANSFERÊNCIA 1015 180 20/08/2019 0014/2019
MICAELLE PERES DE OLIVEIRA 041251961520 REVISÃO 1163 119 26/08/2019 0014/2019
RONALDA NONATA DA SILVA 046347551503 ALISTAMENTO 1104 83 19/08/2019 0014/2019
VALTEMBERGUE SOARES 046347681520 ALISTAMENTO 1112 84 23/08/2019 0014/2019
WALKERLANE SOARES 046347661562 ALISTAMENTO 1082 81 23/08/2019 0014/2019
Origem: ZE 34 Zona: 034 Municipio: 10510 - CASTELO DO PIAUÍ
Data de Processamento: 19/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADAILTON MARQUES ARAUJO SOARES 038601881554 TRANSFERÊNCIA 1252 7 29/08/2019 0014/2019
ALAN KALIL CARDOSO SILVA 043414221520 REVISÃO 1643 171 30/08/2019 0014/2019
ALEXSANDRO MACEDO DE SOUSA 046347811503 ALISTAMENTO 1643 171 30/08/2019 0014/2019
AMANDA SINARA OLIVEIRA PESSOA 044269811511 REVISÃO 1023 4 30/08/2019 0014/2019
ANA CAROLINE SANTOS TORRES 046347801511 ALISTAMENTO 1058 5 30/08/2019 0014/2019
ANA RODRIGUES SOARES 027316391546 REVISÃO 1511 140 28/08/2019 0014/2019
ANTONIA GLAUCIA DE SOUSA FRANÇA 036856481570 REVISÃO 1350 121 20/08/2019 0014/2019
ANTONIA SILVANIA DA SILVA PEREIRA 024318401503 REVISÃO 1287 175 30/08/2019 0014/2019
ANTONIO BESERRA DOS SANTOS 007712991554 TRANSFERÊNCIA 1252 6 28/08/2019 0014/2019
ANTONIO DE PINHO PEREIRA 007908160744 TRANSFERÊNCIA 1058 13 21/08/2019 0014/2019
ANTONIO JONAS VIEIRA PAIVA 046347891554 ALISTAMENTO 1350 121 30/08/2019 0014/2019
ANTONIO RAYLAN LIMA 046347721503 ALISTAMENTO 1040 11 28/08/2019 0014/2019
BRUNA BEATRIZ DA SILVA SANTOS 046347641503 ALISTAMENTO 1082 23 23/08/2019 0014/2019
CAMILA VITORIA PEREIRA AMORIM 046347701546 ALISTAMENTO 1627 165 26/08/2019 0014/2019
CÍCERO MATEUS FELIZ 046347531546 ALISTAMENTO 1252 6 19/08/2019 0014/2019
ERIKA BRUNA DA SILVA 046347631511 ALISTAMENTO 1368 104 22/08/2019 0014/2019
FRANCISCA DO CARMO DOS SANTOS 026748941503 REVISÃO 1252 6 26/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 96

FRANCISCO ERNANDES DE SOUSA CAMPELO 035142631546 TRANSFERÊNCIA 1023 4 28/08/2019 0014/2019


FRANCISCO ESTEVO VIEIRA CARDOSO 038261011546 REVISÃO 1252 7 26/08/2019 0014/2019
FRANCISCO OLIVEIRA DE PINHO DA SILVA 046347771511 ALISTAMENTO 1040 60 28/08/2019 0014/2019
FRANCISCO WELTON GALDINO 037724161597 TRANSFERÊNCIA 1023 4 22/08/2019 0014/2019
ILANNEUDO MOREIRA DA SILVA 385442170132 TRANSFERÊNCIA 1333 151 27/08/2019 0014/2019
IOLANDA GOMES DA SILVA 034691991554 REVISÃO 1635 174 20/08/2019 0014/2019
JORGE MARQUES DA SILVA 046347821589 ALISTAMENTO 1260 74 30/08/2019 0014/2019
JOSÉ TASSIO ARAUJO SAMPAIO 046347831562 ALISTAMENTO 1287 175 30/08/2019 0014/2019
JOSE WELLINGTON ALVES DA SILVA 045841821597 REVISÃO 1317 93 20/08/2019 0014/2019
JURACI VIEIRA SANTIAGO 031602981538 REVISÃO 1350 121 21/08/2019 0014/2019
LARISSA PEREIRA DA SILVA 044271231597 REVISÃO 1155 34 26/08/2019 0014/2019
LAYZA SOARES DE OLIVEIRA 046347761538 ALISTAMENTO 1600 162 28/08/2019 0014/2019
Origem: ZE 34 Zona: 034 Municipio: 10510 - CASTELO DO PIAUÍ
Data de Processamento: 19/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
MANOEL CICERO FERNANDES RODRIGUES 015330161589 REVISÃO 1058 13 30/08/2019 0014/2019
MARIA DO DESTERRO DA SILVA LIMA 046347791589 ALISTAMENTO 1287 175 30/08/2019 0014/2019
MARIA DO DESTERRO EVARISTO ABREU 041830271503 TRANSFERÊNCIA 1074 150 23/08/2019 0014/2019
MARIA VIANA DE ARAUJO 032884951589 REVISÃO 1260 8 20/08/2019 0014/2019
MARIA VICKLANE ALVES DA SILVA 046347561597 ALISTAMENTO 1252 7 19/08/2019 0014/2019
MARINA OLIVEIRA DA SILVA 043862691511 REVISÃO 1627 165 30/08/2019 0014/2019
MAURICIO SILVERIA DA CONCEIÇÃO 045068991520 REVISÃO 1473 131 26/08/2019 0014/2019
PÂMELLA RAYSSA SOARES LIMA 046347601570 ALISTAMENTO 1260 9 20/08/2019 0014/2019
RAIMUNDO ALVES PEREIRA JUNIOR 046347841546 ALISTAMENTO 1643 171 30/08/2019 0014/2019
ROSIMEYRE INGRID DOS SANTOS ALVES 046347611554 ALISTAMENTO 1635 174 21/08/2019 0014/2019
SIVALDO DA SILVA 017254421562 REVISÃO 1260 74 22/08/2019 0014/2019
TAIZ CLAUDINO DA SILVA 040885471503 REVISÃO 1341 94 30/08/2019 0014/2019
VITORIA ANA DE JESUS 017292191503 REVISÃO 1228 43 26/08/2019 0014/2019
WEMERSON RICARDO BANDEIRA DE SOUSA 046347781503 ALISTAMENTO 1643 171 30/08/2019 0014/2019
WILLY TELES DA SILVA 046347621538 ALISTAMENTO 1287 175 21/08/2019 0014/2019
Origem: ZE 34 Zona: 034 Municipio: 12416 - JUAZEIRO DO PIAUÍ
Data de Processamento: 19/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA MARCIA RODRIGUES DOS SANTOS 041104001554 TRANSFERÊNCIA 1058 37 30/08/2019 0014/2019
ANA MARIA DOS SANTOS PEREIRA 046347881570 ALISTAMENTO 1163 179 30/08/2019 0014/2019
ANTONIO FLÁVIO DE SOUSA ABREU 046347731597 ALISTAMENTO 1040 36 28/08/2019 0014/2019
ANTONIO FRANCISCO ALVES PIMENTEL 037412731562 TRANSFERÊNCIA 1040 36 30/08/2019 0014/2019
ANTONIO FRANCISCO DE OLIVEIRA 002086891511 TRANSFERÊNCIA 1066 181 27/08/2019 0014/2019
ANTONIO WAGNER PERES DOS SANTOS 046347871597 ALISTAMENTO 1090 103 30/08/2019 0014/2019
CLAUDENY BARBOZA DE SOUZA 046347861503 ALISTAMENTO 1023 62 30/08/2019 0014/2019
DOMINGOS JOSÉ DA SILVA PEREIRA 036197211511 REVISÃO 1058 37 30/08/2019 0014/2019
FRANCISCO JOSE OLIVEIRA GOMES 025860751554 REVISÃO 1104 124 22/08/2019 0014/2019
FRANCISCO ORION ABREU SILVA 031695931503 REVISÃO 1040 35 29/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 97

JOÃO ANDRÉ DA SILVA 002023551554 TRANSFERÊNCIA 1163 179 30/08/2019 0014/2019


JOSÉ OLIMPIO MÉLO NONATO 036420101570 TRANSFERÊNCIA 1171 155 22/08/2019 0014/2019
LILIAN DÁVILA SOARES LOPES 046347691503 ALISTAMENTO 1066 181 26/08/2019 0014/2019
MARCOS GABRIEL GOMES DOS SANTOS 046347751554 ALISTAMENTO 1066 181 28/08/2019 0014/2019
MARIA DA LUZ FERREIRA OLIVEIRA 038922821570 REVISÃO 1104 124 22/08/2019 0014/2019
MARIA MARQUES DE OLIVEIRA 002086671503 TRANSFERÊNCIA 1066 181 27/08/2019 0014/2019
MARIA SIMONE DE OLIVEIRA GOMES UCHÔA 032177391597 REVISÃO 1066 40 21/08/2019 0014/2019
MAURÍCIO ALVES BALBINO 046347741570 ALISTAMENTO 1163 179 28/08/2019 0014/2019
RAIMUNDO SOARES GALVAO 032074071570 REVISÃO 1104 124 22/08/2019 0014/2019
SEBASTIÃO ALVES PIMENTEL 038260891511 REVISÃO 1040 36 28/08/2019 0014/2019
TERESINHA PEREIRA DA SILVA 009889921520 TRANSFERÊNCIA 1163 179 30/08/2019 0014/2019
Total de documentos impressos : 85

35ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL N. 019/2019

VICTOR EDUARDO AMANCIO BRAZ DE OLIVEIRA, Chefe de Cartório da 35ª Zona do Estado do Piauí, devidamente autorizado.

FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que foram emitidos os títulos eleitorais acerca de
ALISTAMENTOS, TRANSFERÊNCIAS, REVISÕES e SEGUNDAS VIAS dos eleitores constantes no Lote 009/2019 em anexo, relativos aos
municípios de Gilbués, São Gonçalo do Gurgueia, Barreiras do Piauí,Santa Filomena e Monte Alegre do Piauí para fins de
impugnação/recurso contra o deferimento das aludidas operações, no prazo de 10 (dez) dias, contados a partir da data de publicação do
presente Edital, observando-se os legitimados constantes dos arts. 17, § 1º, e 18, § 5º, da Res.-TSE n. 21.538/2003, c/c o art. 7º, § 1º, da Lei
n. 6.996/82.061
E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, mandou o MM. Juiz Eleitoral, em exercício que fosse
expedido o presente Edital, que será publicado no Diário Eletrônico da Justiça Eleitoral e afixada cópia no local público de costume.

Expedido nesta cidade de Gilbués, Estado do Piauí, sede da 35ª Zona Eleitoral, aos 30 dias do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove
(30.08.2019). Eu, _______________, João Costa Neto, Servidor Requisitado da 35ª Zona Eleitoral, de ordem, o digitei e subscrevi.

VICTOR EDUARDO AMANCIO BRAZ DE OLIVEIRA


Chefe de Cartório da 35ª Zona

Origem: ZE 35 Zona: 035 Municipio: 10251 - BARREIRAS DO PIAUÍ


Data de Processamento: 26/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALLISSON DE SOUSA FREITAS 045950311589 ALISTAMENTO 1023 52 27/08/2019 0009/2019
CARLOS ALBERTO DA SILVA GOMES 045950521503 ALISTAMENTO 1040 162 29/08/2019 0009/2019
JOELDA RODRIGUES GOMES 045950681570 ALISTAMENTO 1040 162 30/08/2019 0009/2019
JOSEPH SMYTH RIBEIRO DA SILVA 045950611503 ALISTAMENTO 1031 79 29/08/2019 0009/2019
KAWANNA FERREIRA REIS 045950651520 ALISTAMENTO 1023 52 29/08/2019 0009/2019
LIDIA VIEIRA RIOS 035004631503 REVISÃO 1031 53 27/08/2019 0009/2019
NALANDA PEREIRA DA SILVA 045950291562 ALISTAMENTO 1031 79 27/08/2019 0009/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 98

Origem: ZE 35 Zona: 035 Municipio: 10871 - GILBUÉS


Data de Processamento: 26/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
EDUARDA CUSTÓDIO RIBEIRO TAVEIRA 045950511520 ALISTAMENTO 1031 152 28/08/2019 0009/2019
EMERSON SILVA LUDUVICO 045950361597 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
FLAVIO VIEIRA CUSTODIO 045950531597 ALISTAMENTO 1040 78 29/08/2019 0009/2019
GABRIELA PAES LANDIM DE CARVALHO 044973411511 REVISÃO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
GENILSON COSMO DA SILVA 045950431511 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
ITALMENIA MOREIRA ALVES 045950411554 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
JAILSON BATISTA TAVARES 045950371570 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
JOÃO HENRIQUE PAES LANDIM DE CARVALHO 045950321562 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
JOÃO LUIZ ALVES TAVARES 045950351503 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
LUCINEIDE ALVES TAVARES 045950401570 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
ROBSON LUDOVICO TAVARES JUNIOR 045950341520 ALISTAMENTO 1082 58 27/08/2019 0009/2019
WANDERSON BARREIRA BARROS 045950381554 ALISTAMENTO 1171 159 27/08/2019 0009/2019

Origem: ZE 35 Zona: 035 Municipio: 11312 - MONTE ALEGRE DO PIAUÍ


Data de Processamento: 26/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA BEATRIZ VOGADO DE ALMEIDA 045950471546 ALISTAMENTO 1228 165 28/08/2019 0009/2019
ANDRESSA PEREIRA FERNANDES 045950671597 ALISTAMENTO 1112 158 30/08/2019 0009/2019
BEATRIZ RAMOS DA ROCHA 045950551554 ALISTAMENTO 1074 124 29/08/2019 0009/2019
BRENO RODRIGUES CAETANO 045950571511 ALISTAMENTO 1147 136 29/08/2019 0009/2019
BRUNO ALVES DOS SANTOS 045950581503 ALISTAMENTO 1147 137 29/08/2019 0009/2019
CARLOS DANIEL MENDES LIMA 045950391538 ALISTAMENTO 1074 124 27/08/2019 0009/2019
DANILO GOMES DA SILVA 045950661503 ALISTAMENTO 1147 136 30/08/2019 0009/2019
DENILSON DA ROCHA LIMA 045950561538 ALISTAMENTO 1074 124 29/08/2019 0009/2019
DOMINGAS ISNAIDE DA ROCHA LIMA 045950701597 ALISTAMENTO 1074 124 30/08/2019 0009/2019
DOMINGAS PEREIRA RODRIGUES 025099611520 TRANSFERÊNCIA 1031 116 30/08/2019 0009/2019
DOUGLAS DOS SANTOS DELFIM DE MACEDO 045950621589 ALISTAMENTO 1147 136 29/08/2019 0009/2019
ELZIMAR BORGES DA SILVA 022198301503 TRANSFERÊNCIA 1147 136 29/08/2019 0009/2019
EMANUELA DA SILVA NASCIMENTO 045950441503 ALISTAMENTO 1163 141 27/08/2019 0009/2019
FABIANA MARTINHO PEREIRA 045950481520 ALISTAMENTO 1228 165 28/08/2019 0009/2019
GELDENITA MARIA DE JESUS 036260451023 TRANSFERÊNCIA 1155 153 27/08/2019 0009/2019
JOÃO LUIS DO NASCIMENTO CARVALHO 045950631562 ALISTAMENTO 1015 110 29/08/2019 0009/2019
JONATAS ALECRIM DOS REIS 045950491503 ALISTAMENTO 1201 163 28/08/2019 0009/2019
JOSE GARCIA PEREIRA ALVES 003734412020 TRANSFERÊNCIA 1147 136 29/08/2019 0009/2019
JOSÉ WILSON DOS SANTOS DELFIM 023375252062 TRANSFERÊNCIA 1147 137 29/08/2019 0009/2019
JOSINEIDE COSTA 045950301503 ALISTAMENTO 1090 129 27/08/2019 0009/2019
JUCEMERY PEREIRA DE SOUSA DO NASCIMENTO 020714701503 REVISÃO 1147 136 27/08/2019 0009/2019
KAROENE BORGES DE JESUS 045950691554 ALISTAMENTO 1082 125 30/08/2019 0009/2019
LEIDIANA PEREIRA DE SOUSA 012164972062 TRANSFERÊNCIA 1147 137 29/08/2019 0009/2019
LUCAS DA ROCHA SILVA 045950461562 ALISTAMENTO 1074 124 28/08/2019 0009/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 99

LUCAS DA SILVA CARVALHO 041388572771 TRANSFERÊNCIA 1112 158 30/08/2019 0009/2019


LUZINETE DA SILVA CARVALHO 044083231589 REVISÃO 1210 166 30/08/2019 0009/2019
MARCOS LUSTOSA DA SILVA 045950421538 ALISTAMENTO 1171 142 27/08/2019 0009/2019
POLIANA BARROS DA SILVA 045950601511 ALISTAMENTO 1147 137 29/08/2019 0009/2019
SABRYNA DA SILVA NASCIMENTO 045950451589 ALISTAMENTO 1163 141 27/08/2019
SARA DE SOUSA RIBEIRO 045950541570 ALISTAMENTO 1074 124 29/08/2019 0009/2019
TAINÁ LIMA SILVA 045950591589 ALISTAMENTO 1147 136 29/08/2019 0009/2019
TIAGO CARVALHO RODRIGUES 045950711570 ALISTAMENTO 1210 166 30/08/2019 0009/2019
VICTOR MANOEL BATISTA DANTAS 045950641546 ALISTAMENTO 1147 137 29/08/2019 0009/2019
WELBSON CARVALHO RODRIGUES 045950721554 ALISTAMENTO 1210 166 30/08/2019 0009/2019

Origem: ZE 35 Zona: 035 Municipio: 12610 - SÃO GONÇALO DO GURGUÉIA


Data de Processamento: 26/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
LIA NAIANE REIS DE SOUZA 045950501546 ALISTAMENTO 1058 69 28/08/2019 0009/2019
Total de documentos impressos : 54

37ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 30/2019 (37ªZE Simplício Mendes/PI)

De ordem do Doutor Daniel Gonçalves Gondim, Juiz Eleitoral da 37ª Zona/PI de Simplício Mendes/PI, no uso de suas atribuições legais etc.

FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos eleitores, aos
representantes dos Partidos Políticos e ao Ministério Público Eleitoral, em lista anexa, a RELAÇÃO DE ELEITORES E AS RESPECTIVAS
OPERAÇÕES efetivadas e deferidas no âmbito desta 37ª Zona Eleitoral, referentes aos LOTES RAE Nº 0029/2019 (ZE 37) e Nº 0030/2019 (CA
207), que compreende o período de 15/08/2019 a 30/08/2019, ficando facultado a qualquer interessado se manifestar, nos prazos fixados
nos artigos 17, § 1º e 18, § 5º, da Resolução TSE nº 21.538/2003 e no art. 52, § 2º do Código Eleitoral, contados a partir data da publicação
deste.

E, para que chegue ao conhecimento de todos e, no futuro, ninguém possa alegar ignorância, é expedido este Edital, que
será publicado no Diário da Justiça Eletrônico do TRE/PI e afixada cópia neste Cartório Eleitoral, no local de costume. Dado e passado na
cidade de Simplício Mendes, Estado do Piauí, sede da 37ª Zona Eleitoral, aos trinta dias do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove
(30/08/2019). Eu, __________Francisca Aparecida Leite, Chefe de Cartório, digitei e subscrevo o presente Edital.

Francisca Aparecida Leite


Chefe de Cartório Eleitoral da 37ª Zona/PI

ANEXO DO EDTIAL Nº 30/2019 ( 37ª ZE- Simplício Mendes/PI)


LOTE 0029/2019 (ZE37)
Justiça Eleitoral - 37ª Zona/PI
ELO - Cadastro Eleitoral
Relação de Títulos Impressos para Afixação
Origem: ZE 37 Zona: 037 Municipio: 12173 - SOCORRO DO PIAUÍ
Data de Processamento: 15/08/2019 a 30/08/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 100

Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote


ANNE BEATRIZ PEREIRA DE SOUSA 045805081538 ALISTAMENTO 1015 143 30/08/2019 0029/2019
BRENO CHRISTIAN BATISTA DA SILVA 045804981520 ALISTAMENTO 1015 143 27/08/2019 0029/2019
ELISVÂNIA ALVES DO NASCIMENTO 045805071554 ALISTAMENTO 1015 143 30/08/2019 0029/2019
ERMILTON PEREIRA DA COSTA 040176151503 TRANSFERÊNCIA 1015 143 28/08/2019 0029/2019
ISLLA SANTANA SILVA 044999311538 TRANSFERÊNCIA 1015 143 27/08/2019 0029/2019
JACKSON DA PACIENÇA SILVA 410632560124 TRANSFERÊNCIA 1066 130 30/08/2019 0029/2019
JUCIANE ANDRADE DE SOUSA 044493521554 TRANSFERÊNCIA 1112 132 21/08/2019 0029/2019
LUSILENE BORGES DE CARVALHO 313962840175 TRANSFERÊNCIA 1015 143 26/08/2019 0029/2019
MAÍSA MENDES DA SILVA 045805091511 ALISTAMENTO 1015 143 30/08/2019 0029/2019
MARQUIEL BORGES GONÇALVES 045805111538 ALISTAMENTO 1015 143 30/08/2019 0029/2019
NATHÁLIA SOUSA OLIVEIRA 045805061570 ALISTAMENTO 1015 143 30/08/2019 0029/2019
PABLIO BORGES GONÇALVES 045805041503 ALISTAMENTO 1023 144 30/08/2019 0029/2019
SAMÁIRA LOPES DOS SANTOS 045805051597 ALISTAMENTO 1015 143 30/08/2019 0029/2019
STFON SANTOS CORREIA GOMES 105530190507 REVISÃO 1015 116 29/08/2019 0029/2019
TAUANA PEREIRA BARBOSA 045805011562 ALISTAMENTO 1015 143 28/08/2019 0029/2019
Total de documentos impressos : 15

LOTE 0030/2019 (CA 207)


Justiça Eleitoral - 37ª Zona/PI
ELO - Cadastro Eleitoral
Relação de Títulos Impressos para Afixação
Origem: CA 207 Zona: 037 Municipio: 10626 - BELA VISTA DO PIAUÍ
Data de Processamento: 15/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANTONIO NERY SANTIAGO 045804901570 ALISTAMENTO 1015 142 16/08/2019 0030/2019
JOÃO LYVINGSTON DE BRITO MOTA 045805101554 ALISTAMENTO 1015 142 30/08/2019 0030/2019
JOSUÉ RODRIGUES DE OLIVEIRA 040283741570 TRANSFERÊNCIA 1082 141 19/08/2019 0030/2019
MARIA LORENA DE JESUS REIS 045804911554 ALISTAMENTO 1082 141 16/08/2019 0030/2019
Origem: CA 207 Zona: 037 Municipio: 12157 - SIMPLÍCIO MENDES
Data de Processamento: 15/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALBA NÚCIA SILVA LEAL 063795730868 TRANSFERÊNCIA 1228 102 27/08/2019 0030/2019
ANA ISABEL DA SILVA 045805021546 ALISTAMENTO 1031 87 29/08/2019 0030/2019
ANA KAROLINY BARBOSA DA SILVA 045805001589 ALISTAMENTO 1058 139 28/08/2019 0030/2019
ANDRÉ PAULO VIEIRA SOARES 045803321538 REVISÃO 1104 55 28/08/2019 0030/2019
ANTÔNIA HOLANDA DA PAIXÃO 020669111597 TRANSFERÊNCIA 1058 139 29/08/2019 0030/2019
CRISLENE RODRIGUES DE CARVALHO 044020571503 REVISÃO 1104 54 19/08/2019 0030/2019
DANIELA MARIA SILVA DOS SANTOS 025236542070 TRANSFERÊNCIA 1155 150 28/08/2019 0030/2019
DANIELLI DE CASTRO CARVALHO 028786191503 TRANSFERÊNCIA 1058 139 23/08/2019 0030/2019
DANILA VITÓRIA OLIVEIRA MACHADO 045804951589 ALISTAMENTO 1031 87 26/08/2019 0030/2019
ELAINI SILVA RODRIGUES 042444601589 REVISÃO 1031 87 26/08/2019 0030/2019
ERALDO DE ALMEIDA SA 062410920809 TRANSFERÊNCIA 1015 111 26/08/2019 0030/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 101

ERICA OLIVEIRA CARDOSO 045804961562 ALISTAMENTO 1031 39 26/08/2019 0030/2019


FLORISBELA MARIA ROSA DA CONCEIÇÃO 004969741503 REVISÃO 1015 111 21/08/2019 0030/2019
FRANCILENE DE CARVALHO AMORIM 045805031520 ALISTAMENTO 1112 92 29/08/2019 0030/2019
FRANCISCA CLAUDENI PEREIRA DO CARMO 030798581520 REVISÃO 1015 91 19/08/2019 0030/2019
FRANCISCO KLEBER SALES DE SANTIAGO 017594651503 TRANSFERÊNCIA 1058 139 23/08/2019 0030/2019
GRACIÉLIA DA SILVA RODRIGUES 031738181546 TRANSFERÊNCIA 1058 139 26/08/2019 0030/2019
ITALO JOAQUIM DA SILVA RIBEIRO 438514410167 TRANSFERÊNCIA 1031 39 30/08/2019 0030/2019
JOÃO PAULO DE HOLANDA 044664971546 TRANSFERÊNCIA 1058 139 29/08/2019 0030/2019
JOSE CARLOS DA SILVA 134182880108 TRANSFERÊNCIA 1031 87 16/08/2019 0030/2019
JOSÉ VALDEILSON GONÇALVES LUZ 036901191597 REVISÃO 1058 45 23/08/2019 0030/2019
JOSIVALDO DA COSTA SOUSA 036242821597 REVISÃO 1163 69 26/08/2019 0030/2019
LAYZZA GIOVANNA DA SILVA E SILVA 045804971546 ALISTAMENTO 1147 110 27/08/2019 0030/2019
LUIS CARLOS DA SILVA MENDES 045804941503 ALISTAMENTO 1112 92 23/08/2019 0030/2019
LUSIVALTO VIEIRA DE CARVALHO 031185801503 SEGUNDA VIA 1015 91 16/08/2019 0030/2019
MANOEL FRANCISCO PEREIRA GOMES 045804931511 ALISTAMENTO 1058 139 21/08/2019 0030/2019
MARIA APARECIDA ABREU DO ESPIRITO SANTO 079945740701 TRANSFERÊNCIA 1058 139 26/08/2019 0030/2019
MARIA ARTENISIA DE SOUSA REIS 045804991503 ALISTAMENTO 1058 139 27/08/2019 0030/2019
MARIA DA CONCEIÇÃO MIRANDA 031183241570 SEGUNDA VIA 1058 112 26/08/2019 0030/2019
MARIA DOS REMÉDIOS DE HOLANDA 040902791503 TRANSFERÊNCIA 1058 139 29/08/2019 0030/2019
MARIA FRANCISCA DA CONCEIÇÃO 027006081554 TRANSFERÊNCIA 1228 102 16/08/2019 0030/2019
MATEUS RIBEIRO DE CARVALHO FILHO 042890841554 TRANSFERÊNCIA 1171 140 27/08/2019 0030/2019
NILTON JOSE MONTEIRO 023813991570 TRANSFERÊNCIA 1228 102 16/08/2019 0030/2019
PAULO HENRIQUE MENDES DA SILVA 021660801589 SEGUNDA VIA 1031 87 27/08/2019 0030/2019
PAULO JOSÉ DE HOLANDA 038040311503 TRANSFERÊNCIA 1058 139 29/08/2019 0030/2019
RAIMUNDO DE SOUSA CINOBILINO 004969981570 TRANSFERÊNCIA 1015 91 21/08/2019 0030/2019
RICARDO RODRIGUES COSTA 045804921538 ALISTAMENTO 1031 39 19/08/2019 0030/2019
ROMULO MELO RODRIGUES 036243331570 REVISÃO 1058 46 27/08/2019 0030/2019
SAMARA HEVELLYN COSTA RODRIGUES 447152460175 TRANSFERÊNCIA 1058 139 26/08/2019 0030/2019
Total de documentos impressos : 43

Sentenças

Prestação de Contas n. 23-92.2018.6.18.0037

Assunto: Prestação de Contas Anuais – Exercício 2016


Prestador: Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) de Simplício Mendes/PI
Advogado: Fabilson Araújo dos Santos – OAB/PI Nº 16.120

SENTENÇA
Trata-se de Declaração de Ausência de Movimentação de Recursos referente ao Exercício financeiro de 2016
apresentada, neste Juízo Eleitoral, pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) de Simplício Mendes/PI.
A documentação apresentada foi objeto de exame pelo Cartório Eleitoral da 37ª Zona/PI, conforme emissão de Parecer
Técnico Conclusivo, fls. 20/20v, manifestando-se pela aprovação das contas, com ressalvas.
Com vista dos autos, a representante do Ministério Público Eleitoral opinou pela aprovação das respectivas contas
apresentadas, com ressalvas (fl. 23).

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 102

É o breve relatório. Decido.

Compulsando os autos, verifico que a presente prestação de contas foi apresentada de forma intempestiva, fora do prazo
estabelecido no artigo 28, caput, da Resolução de regência (Res. TSE n.23.464/2015), irregularidade que não compromete a confiabilidade das
contas.
Verifico, ainda, que o representante do partido foi devidamente intimado para constituir defensor no feito em questão,
juntando-se procuração (fls. 13).
Publicado edital, transcorreu o prazo sem nenhuma impugnação à declaração em análise, conforme certificação acostada
aos autos (fls. 16).
Por conseguinte, acolho as manifestações técnicas e ministerial e determino o imediato arquivamento da declaração
apresentada, considerando, para todos os efeitos, prestadas e aprovadas com ressalvas as respectivas contas.
Com o trânsito em julgado, certifique-se, proceda-se ao devido registro no Sistema de Informações de Contas – SICO.
Após, arquivem-se estes autos com as cautelas de praxe.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Cumpra-se.
Simplício Mendes/PI, 02 de setembro de 2019.

DANIEL GONÇALVES GONDIM


Juiz Eleitoral da 37ª ZE/PI

Prestação de Contas n. 3-67.2019.6.18.0037


Assunto: Prestação de Contas Anuais – Exercício 2016
Prestador: Partido Trabalhista do Brasil (PT do B) de Simplício Mendes/PI
Advogado: Claudí Pinheiro de Araújo – OAB/PI Nº 264-B

SENTENÇA
Trata-se de Declaração de Ausência de Movimentação de Recursos referente ao Exercício financeiro de 2016
apresentada, neste Juízo Eleitoral, pelo Partido Trabalhista do Brasil (PT do B) de Simplício Mendes/PI.
A documentação apresentada foi objeto de exame pelo Cartório Eleitoral da 37ª Zona/PI, conforme emissão de Parecer
Técnico Conclusivo, fls. 17/17v, manifestando-se pela aprovação das contas, com ressalvas.
Com vista dos autos, a representante do Ministério Público Eleitoral opinou pela aprovação das respectivas contas
apresentadas, com ressalvas (fl. 20).

É o breve relatório. Decido.

Compulsando os autos, verifico que a presente prestação de contas foi apresentada de forma intempestiva, fora do prazo
estabelecido no artigo 28, caput, da Resolução de regência (Res. TSE n.23.464/2015), irregularidade que não compromete a confiabilidade das
contas.
Verifico, ainda, que o representante do partido foi devidamente intimado para constituir defensor no feito em questão,
juntando-se procuração (fls. 11).
Publicado edital, transcorreu o prazo sem nenhuma impugnação à declaração em análise, conforme certificação acostada
aos autos (fls. 13).
Por conseguinte, acolho as manifestações técnicas e ministerial e determino o imediato arquivamento da declaração
apresentada, considerando, para todos os efeitos, prestadas e aprovadas com ressalvas as respectivas contas.
Com o trânsito em julgado, certifique-se, proceda-se ao devido registro no Sistema de Informações de Contas – SICO.
Após, arquivem-se estes autos com as cautelas de praxe.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Cumpra-se.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 103

Simplício Mendes/PI, 02 de setembro de 2019.

DANIEL GONÇALVES GONDIM


Juiz Eleitoral da 37ª ZE/PI

Prestação de Contas n. 22-10.2018.6.18.0037


Assunto: Prestação de Contas Anuais – Exercício 2016
Prestador: Partido Republicano Brasileiro (PRB) De Simplício Mendes/PI
Advogado: Fabilson Araújo dos Santos – OAB/PI Nº 16 120

SENTENÇA

Trata-se de Declaração de Ausência de Movimentação de Recursos referente ao Exercício financeiro de 2016


apresentada, neste Juízo Eleitoral, pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB) De Simplício Mendes/PI.
A documentação apresentada foi objeto de exame pelo Cartório Eleitoral da 37ª Zona/PI, conforme emissão de Parecer
Técnico Conclusivo, fls. 18/18v, manifestando-se pela aprovação das contas, com ressalvas.
Com vista dos autos, a representante do Ministério Público Eleitoral opinou pela aprovação das respectivas contas
apresentadas, com ressalvas (fl. 21).

É o breve relatório. Decido.

Compulsando os autos, verifico que a presente prestação de contas foi apresentada de forma intempestiva, fora do prazo
estabelecido no artigo 28, caput, da Resolução de regência (Res. TSE n.23.464/2015), irregularidade que não compromete a confiabilidade das
contas.
Verifico, ainda, que o representante do partido foi devidamente intimado para constituir defensor no feito em questão,
juntando-se procuração (fls. 13).
Publicado edital, transcorreu o prazo sem nenhuma impugnação à declaração em análise, conforme certificação acostada
aos autos (fls. 11).
Por conseguinte, acolho as manifestações técnicas e ministerial e determino o imediato arquivamento da declaração
apresentada, considerando, para todos os efeitos, prestadas e aprovadas com ressalvas as respectivas contas.
Com o trânsito em julgado, certifique-se, proceda-se ao devido registro no Sistema de Informações de Contas – SICO.
Após, arquivem-se estes autos com as cautelas de praxe.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Cumpra-se.
Simplício Mendes/PI, 02 de setembro de 2019.

DANIEL GONÇALVES GONDIM


Juiz Eleitoral da 37ª ZE/PI

Prestação de Contas n. 4-52.2019.6.18.0037


Assunto: Prestação de Contas Anuais – Exercício 2016
Prestador: Partido Pátria Livre (PPL) de Simplício Mendes/PI
Advogado: Claudí Pinheiro de Araújo – OAB/PI Nº 264-B

SENTENÇA
Trata-se de Declaração de Ausência de Movimentação de Recursos referente ao Exercício financeiro de 2016

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 104

apresentada, neste Juízo Eleitoral, pelo Partido Pátria Livre (PPL) de Simplício Mendes/PI.
A documentação apresentada foi objeto de exame pelo Cartório Eleitoral da 37ª Zona/PI, conforme emissão de Parecer
Técnico Conclusivo, fls. 16/16v, manifestando-se pela aprovação das contas, com ressalvas.
Com vista dos autos, a representante do Ministério Público Eleitoral opinou pela aprovação das respectivas contas
apresentadas, com ressalvas (fl. 19).

É o breve relatório. Decido.

Compulsando os autos, verifico que a presente prestação de contas foi apresentada de forma intempestiva, fora do prazo
estabelecido no artigo 28, caput, da Resolução de regência (Res. TSE n.23.464/2015), irregularidade que não compromete a confiabilidade das
contas.
Verifico, ainda, que o representante do partido foi devidamente intimado para constituir defensor no feito em questão,
juntando-se procuração (fls. 11).
Publicado edital, transcorreu o prazo sem nenhuma impugnação à declaração em análise, conforme certificação acostada
aos autos (fls. 14).
Por conseguinte, acolho as manifestações técnicas e ministerial e determino o imediato arquivamento da declaração
apresentada, considerando, para todos os efeitos, prestadas e aprovadas com ressalvas as respectivas contas.
Com o trânsito em julgado, certifique-se, proceda-se ao devido registro no Sistema de Informações de Contas – SICO.
Após, arquivem-se estes autos com as cautelas de praxe.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Cumpra-se.
Simplício Mendes/PI, 02 de setembro de 2019.

DANIEL GONÇALVES GONDIM


Juiz Eleitoral da 37ª ZE/PI

Prestação de Contas n. 21-25.2018.6.18.0037


Assunto: Prestação de Contas Anuais – Exercício 2016
Prestador: Partido da Mulher Brasileira (PMB) de Simplício Mendes/PI
Advogado: Ricardo Leal Moura Fé – OAB/PI Nº 11.428

SENTENÇA
Trata-se de Declaração de Ausência de Movimentação de Recursos referente ao Exercício financeiro de 2016
apresentada, neste Juízo Eleitoral, pelo Partido da Mulher Brasileira (PMB) de Simplício Mendes/PI.
A documentação apresentada foi objeto de exame pelo Cartório Eleitoral da 37ª Zona/PI, conforme emissão de Parecer
Técnico Conclusivo, fls. 18/18v, manifestando-se pela aprovação das contas, com ressalvas.
Com vista dos autos, a representante do Ministério Público Eleitoral opinou pela aprovação das respectivas contas
apresentadas, com ressalvas (fl. 21).

É o breve relatório. Decido.

Compulsando os autos, verifico que a presente prestação de contas foi apresentada de forma intempestiva, fora do prazo
estabelecido no artigo 28, caput, da Resolução de regência (Res. TSE n.23.464/2015), irregularidade que não compromete a confiabilidade das
contas.
Verifico, ainda, que o representante do partido foi devidamente intimado para constituir defensor no feito em questão,
juntando-se procuração (fls. 16).
Publicado edital, transcorreu o prazo sem nenhuma impugnação à declaração em análise, conforme certificação acostada
aos autos (fls. 11).

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 105

Por conseguinte, acolho as manifestações técnicas e ministerial e determino o imediato arquivamento da declaração
apresentada, considerando, para todos os efeitos, prestadas e aprovadas com ressalvas as respectivas contas.
Com o trânsito em julgado, certifique-se, proceda-se ao devido registro no Sistema de Informações de Contas – SICO.
Após, arquivem-se estes autos com as cautelas de praxe.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Cumpra-se.
Simplício Mendes/PI, 02 de setembro de 2019.

DANIEL GONÇALVES GONDIM


Juiz Eleitoral da 37ª ZE/PI

Prestação de Contas n. 12-63.2018.6.18.0037


Assunto: Prestação de Contas Anuais – Exercício 2015
Prestador: Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) de Simplício Mendes/PI
Advogado: Fabilson Araújo dos Santos – OAB/PI 16.120

SENTENÇA
Trata-se de Declaração de Ausência de Movimentação de Recursos referente ao Exercício financeiro de 2015
apresentada, neste Juízo Eleitoral, pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) de Simplício Mendes/PI.
A documentação apresentada foi objeto de exame pelo Cartório Eleitoral da 37ª Zona/PI, conforme emissão de Parecer
Técnico Conclusivo, fls. 21/21v, manifestando-se pela aprovação das contas.
Com vista dos autos, a representante do Ministério Público Eleitoral opinou pela aprovação das respectivas contas
apresentadas (fl. 24).

É o breve relatório. Decido.

Compulsando os autos, verifico que a presente prestação de contas foi apresentada de forma tempestiva, no prazo
estabelecido no artigo 28, caput, da Resolução de regência (Res. TSE n.23.432/2014).
Verifico, ainda, que o representante do partido foi devidamente intimado para constituir defensor no feito em questão,
juntando-se procuração (fls. 14).
Publicado edital, transcorreu o prazo sem nenhuma impugnação à declaração em análise, conforme certificação acostada
aos autos (fls. 19).
Por conseguinte, acolho as manifestações técnicas e ministerial e determino o imediato arquivamento da declaração
apresentada, considerando, para todos os efeitos, prestadas e aprovadas as respectivas contas.
Com o trânsito em julgado, certifique-se, proceda-se ao devido registro no Sistema de Informações de Contas – SICO.
Após, arquivem-se estes autos com as cautelas de praxe.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Cumpra-se.
Simplício Mendes/PI, 02 de setembro de 2019.

DANIEL GONÇALVES GONDIM


Juiz Eleitoral da 37ª ZE/PI

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 106

40ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL N. 29/2019 (PUBLICAÇÃO DE LISTAGEM DE OPERAÇÕES EFETUADAS NO SISTEMA ELO 3 LOTE 14/2019)

LOTE 14/2019)
De ordem do Juízo,

TORNA-SE PÚBLICA, em cumprimento ao disposto nos arts. 17, § 1º, e 18, § 5º, da Res. - TSE n. 21.538/2003, bem assim no art. 7º, § 1º, da Lei
n. 6.996/1982, relação de operações de alistamento eleitoral, transferência de domicílio, segunda via de título e revisão de dados cadastrais
efetuadas no Sistema ELO 3 a pedido de eleitores constantes do lote 14/2019 (relatório anexo), envolvendo os municípios integrantes desta
40ª Zona.

E para que chegue ao conhecimento dos interessados, o presente edital será publicado no DJe e afixada cópia no local de costume.

Expedido nesta cidade de Fronteiras/PI, Comarca de mesmo nome, sede da 40ª Zona Eleitoral, aos dois dias do mês de setembro do ano de
dois mil e dezenove (02.09.2019).

SÉRGIO PORTELA DA COSTA


Chefe do Cartório

ANEXO AO EDITAL N. 29/2019 DA 40ª ZONA ELEITORAL


Origem: ZE 40 Zona: 040 Município: 10022 - ALEGRETE DO PIAUÍ
Data de Processamento: 14/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADALGISA LEAL DA SILVA 028518071511 TRANSFERÊNCIA 1015 96 16/08/2019 0014/2019
ALEJANDRO EMANOEL DE ALENCAR CARVALHO 045916611562 ALISTAMENTO 1015 96 15/08/2019 0014/2019
ALFREDO MARCILIO DA SILVA 002330401570 REVISÃO 1015 87 29/08/2019 0014/2019
CIZINHA MARIA DE ARAUJO ROCHA 030982551538 REVISÃO 1015 41 21/08/2019 0014/2019
EMANUELE APARECIDA CORADIN 045916591546 ALISTAMENTO 1040 116 15/08/2019 0014/2019
ESMERALDA ERASMA DA SILVA 045917481554 ALISTAMENTO 1015 96 28/08/2019 0014/2019
FÁBIO NASCIMENTO ARAÚJO 045916801520 ALISTAMENTO 1040 116 21/08/2019 0014/2019
FABRICIO GOMES DO NASCIMENTO 045917461597 ALISTAMENTO 1058 126 28/08/2019 0014/2019
JOÃO ROBERTO DE SOUSA 036784620710 TRANSFERÊNCIA 1015 96 27/08/2019 0014/2019
JOSÉ CARLOS DELFINO SILVA 045917341554 ALISTAMENTO 1040 116 27/08/2019 0014/2019
JOSE CARLOS GOMES DA COSTA 045917471570 ALISTAMENTO 1058 126 28/08/2019 0014/2019
JOSÉ WELLINGTON DA SILVA 043262881503 REVISÃO 1040 70 15/08/2019 0014/2019
JOSUE LEAL DE SOUSA 030984271503 REVISÃO 1015 43 22/08/2019 0014/2019
MARIA ELIETE LEAL RAMOS RODRIGUES 004273061503 REVISÃO 1058 74 28/08/2019 0014/2019
ROBSON DE CARVALHO SOUSA 045917371503 ALISTAMENTO 1015 96 27/08/2019 0014/2019
RUAN DELFINO DE SOUSA 045917381589 ALISTAMENTO 1015 96 27/08/2019 0014/2019
VALKESSIA LEAL RODRIGUES 045916741589 ALISTAMENTO 1040 116 20/08/2019 0014/2019
VANDA MARIA DE OLIVEIRA 017536101538 REVISÃO 1015 44 21/08/2019 0014/2019
WELLINGTON PEREIRA COSTA 045917351538 ALISTAMENTO 1040 116 27/08/2019 0014/2019
WERDE DELFINO DA SILVA 045917361511 ALISTAMENTO 1040 116 27/08/2019 0014/2019
YARITSSA DA SILVA SOUSA 045916581562 ALISTAMENTO 1040 116 15/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 107

Origem: ZE 40 Zona: 040 Município: 10146 - CALDEIRÃO GRANDE DO PIAUÍ


Data de Processamento: 14/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADARLEI ADALBERTO ALENCAR 045917251562 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
AIRTON DE CARVALHO COSTA 041845831589 REVISÃO 1023 22 26/08/2019 0014/2019
ALAN IZAIAS DA SILVA 045917601546 ALISTAMENTO 1023 128 30/08/2019 0014/2019
ALANE ANDRESSA DE SOUSA 045917261546 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
ALDENIR JOAQUIM MARTINS 017528261570 TRANSFERÊNCIA 1090 118 29/08/2019 0014/2019
ALESSANDRA MARIA DA CONCEIÇÃO 045916701554 ALISTAMENTO 1120 120 20/08/2019 0014/2019
ANA CAROLINE DE SOUSA 045916661570 ALISTAMENTO 1090 118 19/08/2019 0014/2019
ANA KAROLAYNE FERREIRA SILVA 045917311503 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
ANA LIVIA ALENCAR SANTIAGO 045917611520 ALISTAMENTO 1023 128 30/08/2019 0014/2019
ANÁLIA YNGRID ANDRADE SANTOS 045917581520 ALISTAMENTO 1090 118 30/08/2019 0014/2019
ANTONIO DANIEL DA SILVA 045917171554 ALISTAMENTO 1112 125 27/08/2019 0014/2019
ANTONIO ISMAEL DE OLIVEIRA 002757191520 REVISÃO 1090 26 26/08/2019 0014/2019
ANTONIO SETUVAL DE ALMEIDA 032568931520 TRANSFERÊNCIA 1090 118 21/08/2019 0014/2019
CARLOS ALEXANDRE RODRIGUES 045916891562 ALISTAMENTO 1090 118 23/08/2019 0014/2019
CÍCERO DÁRIO SOUSA SILVA 045916791597 ALISTAMENTO 1090 118 21/08/2019 0014/2019
CLEONICE ELIZETE DE JESUS 045917191511 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
DAVID WILLIAN DELFINO DE CARVALHO 045916771520 ALISTAMENTO 1090 118 21/08/2019 0014/2019
EDILENE JOSEFA DINIZ 045917101589 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
ERILENE ELIZANGELA DA SILVA 045917161570 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
ESDRAS ISAC SILVA 045917571546 ALISTAMENTO 1023 22 30/08/2019 0014/2019
FABIANA FRANCISCA DE ANDRADE 045917501570 ALISTAMENTO 1023 22 29/08/2019 0014/2019
FABIO JUNHOR DE SOUSA 077693150795 REVISÃO 1090 82 23/08/2019 0014/2019
FILIPE ANDRADE SANTIAGO 045917511554 ALISTAMENTO 1023 22 29/08/2019 0014/2019
FRANCISCA LUANA PEREIRA DA SILVA 045917301520 ALISTAMENTO 1112 125 27/08/2019 0014/2019
FRANCISCO DE SOUSA SANTIAGO 044592551589 TRANSFERÊNCIA 1023 22 15/08/2019 0014/2019
FRANCISCO GABRIEL DE SOUSA 026610361511 REVISÃO 1023 72 30/08/2019 0014/2019
FRANCISCO GILVAN DE SOUSA 045916711538 ALISTAMENTO 1120 120 20/08/2019 0014/2019
FRANCISCO JOÃO BRAZ FILHO 045916871503 ALISTAMENTO 1090 118 23/08/2019 0014/2019
FRANCISCO VINICIUS DE SOUSA ANDRADE 045917141503 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
GALBEM HENRIQUE DE ARAÚJO 045916831570 ALISTAMENTO 1090 118 22/08/2019 0014/2019
GERLÂNDIA TERESA DA SILVA 045917181538 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
GILMAR ARAÚJO MARCOS 039530311503 REVISÃO 1090 82 30/08/2019 0014/2019
HELEN DE SOUSA FIALHO 045917421562 ALISTAMENTO 1023 22 28/08/2019 0014/2019
IANA GLICIA DE SOUSA ALENCAR 045916681538 ALISTAMENTO 1090 118 20/08/2019 0014/2019
ISIDORIO FERREIRA PAIVA 045917411589 ALISTAMENTO 1023 22 28/08/2019 0014/2019
ISRAEL ANDRADE DE SOUZA 122923120507 TRANSFERÊNCIA 1023 22 29/08/2019 0014/2019
JACINTA MARIA FIALHO 030989601546 TRANSFERÊNCIA 1090 118 29/08/2019 0014/2019
JAIANE MISCILENE DE ARAÚJO 045917321597 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
JAMILLY DE SOUSA SILVA 045916691511 ALISTAMENTO 1090 118 20/08/2019 0014/2019
JEFFERSON DE JESUS CARVALHO 045916781503 ALISTAMENTO 1090 118 21/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 108

JERFERSON FERREIRA DA SILVA 045917121546 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019


JOÃO VICTOR GONÇALVES DE ALENCAR SILVA 045917651554 ALISTAMENTO 1090 118 30/08/2019 0014/2019
JOÃO VICTOR SANTOS CASTRO 044044901597 SEGUNDA VIA 1090 25 30/08/2019 0014/2019
JONAS ALENCAR SILVA 045917081562 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
JOSE DE SOUSA NETO 045917431546 ALISTAMENTO 1112 125 28/08/2019 0014/2019
JOSÉ HAMILTON DA SILVA LEAL 045917631597 ALISTAMENTO 1090 118 30/08/2019 0014/2019
JOSEFA ELVINA DA SILVA 001352291562 TRANSFERÊNCIA 1090 118 21/08/2019 0014/2019
JUSCIEL DA SILVA 042441671562 TRANSFERÊNCIA 1112 125 29/08/2019 0014/2019
KELTON EVANGELISTA SILVA 045917281503 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
LENÁRIA LUZINETE DE JESUS 045917131520 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
LEONARDO DIAS DE OLIVEIRA 045917071589 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
LEONARDO RIBEIRO DE SOUSA 045917591503 ALISTAMENTO 1090 118 30/08/2019 0014/2019
LOURIVAL MIRANDA SANTIAGO JUNIOR 045917551589 ALISTAMENTO 1090 118 30/08/2019 0014/2019
LUCIENE MARIA DA SILVA 045917111562 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
LUDIMILA APARECIDA DA SILVA 045917521538 ALISTAMENTO 1023 22 29/08/2019 0014/2019
LUISA SABRYNA SILVA 045917231503 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
MACIEL DA SILVA GREGÓRIO 045917211538 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
MAILSOM MISAEL DOS SANTOS 045917641570 ALISTAMENTO 1090 118 30/08/2019 0014/2019
MANOEL ANTONIO DE OLIVEIRA 018157542283 REVISÃO 1023 72 28/08/2019 0014/2019
MARCELO JOSÉ PAIVA DE CARVALHO FILHO 045916951503 ALISTAMENTO 1090 118 26/08/2019 0014/2019
MARCOS ALAN RIBEIRO LOPES 045917331570 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
MARCOS FELIPE CARVALHO LIMA 045917091546 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
MARCOS WILLIAN CARVALHO SILVA 045917391562 ALISTAMENTO 1112 125 28/08/2019 0014/2019
MARIA ALINE DE SOUSA PAIVA 045917621503 ALISTAMENTO 1023 128 30/08/2019 0014/2019
MARIA DAS GRAÇAS DA SILVA 045916671554 ALISTAMENTO 1090 118 19/08/2019 0014/2019
MARIA ELISSANDRA RILLEY ARAUJO 045917691589 ALISTAMENTO 1023 128 30/08/2019 0014/2019
MARIA GABRIELA DA SILVA GREGÓRIO 045917241589 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
MARIA GABRIELA DAS CHAGAS SANTIAGO 045917291597 ALISTAMENTO 1112 125 27/08/2019 0014/2019
MARIA GERALDA ARAGÃO DO NASCIMENTO 023129440817 TRANSFERÊNCIA 1090 118 16/08/2019 0014/2019
MARIA JAQUELINA DE JESUS ALMEIDA 036274551503 TRANSFERÊNCIA 1090 118 21/08/2019 0014/2019
MARIA LUIZA GOMES COSTA 045917441520 ALISTAMENTO 1090 118 28/08/2019 0014/2019
MARIA MARGARIDA DE JESUS 045917451503 ALISTAMENTO 1120 120 28/08/2019 0014/2019
MATHEUS DE SOUSA BARBOSA 045917561562 ALISTAMENTO 1090 118 30/08/2019 0014/2019
NIVALDO FRANCISCO DO NASCIMENTO 023034230884 TRANSFERÊNCIA 1090 118 16/08/2019 0014/2019
NOEL FRANCISCO DOMINGOS 045916811503 ALISTAMENTO 1023 22 21/08/2019 0014/2019
OLIVANDA JOSEFA DE JESUS FERREIRA 025369911511 REVISÃO 1090 118 22/08/2019 0014/2019
REGIANE ANTONIA RIBEIRO 045917061503 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
RICARDO JOSÉ GONÇALVES DA SILVA 045917531511 ALISTAMENTO 1023 22 29/08/2019 0014/2019
ROBERLÃNDIO JOÃO DA SILVA 045917271520 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019
ROBSON ALVES DA COSTA 045916941520 ALISTAMENTO 1090 118 26/08/2019 0014/2019
RUAN RAIMUNDO RIBEIRO DA SILVA 045917201554 ALISTAMENTO 1090 118 27/08/2019 0014/2019
SANDRA MARIA DA SILVA 032570981589 REVISÃO 1090 52 28/08/2019 0014/2019
SIMONE FRANCISCA DE SOUSA 040234621520 REVISÃO 1090 82 23/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 109

TAIZA DE OLIVEIRA ANDRADE 045917221511 ALISTAMENTO 1023 22 27/08/2019 0014/2019


VALDEIR FERNANDO DA SILVA 002738251520 REVISÃO 1090 52 27/08/2019 0014/2019
WAGNER EDIMAR DE SOUSA SILVA 045916881589 ALISTAMENTO 1090 118 23/08/2019 0014/2019
WENDEL MORAIS DINIZ 045916921562 ALISTAMENTO 1090 118 26/08/2019 0014/2019
Origem: ZE 40 Zona: 040 Município: 10855 - FRONTEIRAS
Data de Processamento: 14/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ABINADABE JOSÉ NETO 042387981511 REVISÃO 1120 63 15/08/2019 0014/2019
ANTONIO CARLOS DE SOUSA 045916971570 ALISTAMENTO 1040 115 26/08/2019 0014/2019
ANTONIO DIONE DE SOUSA 045916981554 ALISTAMENTO 1040 115 26/08/2019 0014/2019
ANTONIO EUDIM DE LIMA 028204331562 SEGUNDA VIA 1066 17 29/08/2019 0014/2019
ANTONIO LAÍLSON LOPES DE SOUSA 045917051511 ALISTAMENTO 1040 115 26/08/2019 0014/2019
ANTONIO LIMA DE BRITO 045916991538 ALISTAMENTO 1040 115 26/08/2019 0014/2019
ANTONIO LUIS DOS SANTOS 017540191546 TRANSFERÊNCIA 1066 94 23/08/2019 0014/2019
CAMILO JOSE DOS SANTOS 002344901546 REVISÃO 1031 9 22/08/2019 0014/2019
CLAUDIA MARINES DOS SANTOS 041314251554 REVISÃO 1058 13 27/08/2019 0014/2019
CRISTINA RAFAELA DE SOUSA OLIVEIRA 036943521554 REVISÃO 1040 81 20/08/2019 0014/2019
FLÁVIA MARIA DE MORAIS 040151611511 TRANSFERÊNCIA 1040 115 26/08/2019 0014/2019
FRANCISCA JOAQUINA DA CONCEIÇÃO 007481881589 REVISÃO 1066 20 20/08/2019 0014/2019
FRANCISCA MARIA DE SOUSA 034844591570 REVISÃO 1040 73 23/08/2019 0014/2019
FRANCISCA MARINALVA PEREIRA 017546311511 REVISÃO 1058 14 20/08/2019 0014/2019
FRANCISCA PAULA DA SILVA 031928081503 TRANSFERÊNCIA 1040 115 26/08/2019 0014/2019
FRANCISCO ERIVELTO SILVA LOPES 032996611562 SEGUNDA VIA 1198 93 20/08/2019 0014/2019
GEOVANIA VILANE DA SILVA 045917541503 ALISTAMENTO 1015 1 29/08/2019 0014/2019
JOAO JOAQUIM MARTINS 004516991503 REVISÃO 1023 6 15/08/2019 0014/2019
JOÃO VICTOR ALVES DA SILVA 045916961597 ALISTAMENTO 1040 115 26/08/2019 0014/2019
JOÉLSON MANOEL DA SILVA 042781841511 REVISÃO 1023 114 27/08/2019 0014/2019
JOSE BRASILINO RIBEIRO SOUSA 030989311503 REVISÃO 1040 77 29/08/2019 0014/2019
JOSE FRANCISCO GOMES 028516911554 REVISÃO 1066 20 30/08/2019 0014/2019
KLÉSIO FRANCIVALDO DOS SANTOS SOUSA 045917151597 ALISTAMENTO 1023 114 27/08/2019 0014/2019
LAURIANA MAURA DE JESUS 043266621520 TRANSFERÊNCIA 1066 94 23/08/2019 0014/2019
LIDUINO FRANCISCO DA CRUZ DOS SANTOS 040765870736 TRANSFERÊNCIA 1040 115 20/08/2019 0014/2019
LUCILENE JUDITE DE ARAÚJO 024074111503 REVISÃO 1163 92 22/08/2019 0014/2019
LUIZA BEATRIZ DE JESUS MOTA 045916761546 ALISTAMENTO 1015 1 20/08/2019 0014/2019
MARIA ADRIANA PEREIRA DOS SANTOS SOUSA 022257701554 REVISÃO 1040 12 21/08/2019 0014/2019
MARIA BETANHA GOMES 082374460752 TRANSFERÊNCIA 1201 117 30/08/2019 0014/2019
MARIA DAS DORES DE SOUSA 041311171554 TRANSFERÊNCIA 1198 122 29/08/2019 0014/2019
MARIA FILHA DE JESUS SOUSA 002727721520 REVISÃO 1198 93 30/08/2019 0014/2019
MARIA FRANCISCA DE ARAÚJO 039246321597 TRANSFERÊNCIA 1023 114 22/08/2019 0014/2019
MARIA SELMA DA SILVA SANTOS 054181630710 TRANSFERÊNCIA 1040 115 20/08/2019 0014/2019
MARIA VITÓRIA FIGUEIREDO DA CRUZ 045916751562 ALISTAMENTO 1015 1 20/08/2019 0014/2019
MARINA DE SOUSA MACEDO LIMA 035947861511 REVISÃO 1040 100 22/08/2019 0014/2019
PEDRO RAILE DA SILVA 045916901503 ALISTAMENTO 1040 115 23/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 110

RAFAEL VICTOR DA SILVA 045917681503 ALISTAMENTO 1040 115 30/08/2019 0014/2019


RAVENA DE OLIVEIRA LEAL 045917491538 ALISTAMENTO 1066 94 28/08/2019 0014/2019
RIAN JOSEFRAN DOS SANTOS 045916851538 ALISTAMENTO 1040 115 22/08/2019 0014/2019
ROSINEIDE MARIA DE OLIVEIRA 045916601589 ALISTAMENTO 1040 115 15/08/2019 0014/2019
SEBASTIANA ABIGAIL ALMEIDA SANTOS 044593191589 REVISÃO 1066 94 23/08/2019 0014/2019
SUYANNE TOMAZ LEÃO 045916621546 ALISTAMENTO 1040 115 15/08/2019 0014/2019
SUZANA DE OLIVEIRA SILVA 045916841554 ALISTAMENTO 1015 2 22/08/2019 0014/2019
Origem: ZE 40 Zona: 040 Município: 12050 - SÃO JULIÃO
Data de Processamento: 14/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALEX DE LIMA RODRIGUES 045916651597 ALISTAMENTO 1180 123 19/08/2019 0014/2019
ANA JULIA RODRIGUES DE SOUZA 045916641503 ALISTAMENTO 1155 121 19/08/2019 0014/2019
ANDRE DA SILVA CARVALHO 124785320388 SEGUNDA VIA 1031 32 30/08/2019 0014/2019
ANTONIA NEOMIZA DE BRITO 009733091546 TRANSFERÊNCIA 1155 121 26/08/2019 0014/2019
ANTONIO GENIVAN DA ROCHA 043919981570 TRANSFERÊNCIA 1155 121 19/08/2019 0014/2019
ANTÔNIO ROSALVO BEZERRA NETO 039531311570 TRANSFERÊNCIA 1066 37 30/08/2019 0014/2019
CICERO BATISTA DE OLIVEIRA 090083930787 TRANSFERÊNCIA 1120 124 28/08/2019 0014/2019
CICERO SALOMÃO DE BRITO 021619571538 TRANSFERÊNCIA 1155 121 22/08/2019 0014/2019
DANILA MARIA DE SOUSA SILVA 045916631520 ALISTAMENTO 1147 113 16/08/2019 0014/2019
DHENIANENK DA PAIXÃO PEREIRA DE CARVALHO 035949871520 TRANSFERÊNCIA 1066 37 26/08/2019 0014/2019
DIOGENES MATHEUS SILVA PEREIRA 036367481562 REVISÃO 1031 83 30/08/2019 0014/2019
EDIANA DA ROCHA CARVALHO 025370171503 TRANSFERÊNCIA 1066 37 16/08/2019 0014/2019
EDIVALDO DE BRITO SOUSA 036275261538 REVISÃO 1155 50 29/08/2019 0014/2019
ELISETE MARIA DA SILVA 030735491511 TRANSFERÊNCIA 1120 124 30/08/2019 0014/2019
ELISIO EUDORIO DA COSTA 015899641503 REVISÃO 1031 83 29/08/2019 0014/2019
ÉRICA EDINALDA DE BRITO CARVALHO 039532681520 TRANSFERÊNCIA 1066 37 20/08/2019 0014/2019
ÉRICA RIBEIRO DE SOUSA 041314471562 TRANSFERÊNCIA 1066 37 26/08/2019 0014/2019
ESPEDITO SOARES PEREIRA 017533331538 TRANSFERÊNCIA 1120 124 21/08/2019 0014/2019
FERNANDO FAGNER DA SILVA PEREIRA 040937881570 TRANSFERÊNCIA 1066 37 16/08/2019 0014/2019
FRANCIDALVA FERNANE DENIZ DOS SANTOS 042387941597 TRANSFERÊNCIA 1120 124 20/08/2019 0014/2019
FRANCIDALVA MARIA DE BRITO 032484161503 REVISÃO 1180 76 19/08/2019 0014/2019
FRANCIEL MARCOS DA SILVA 043790511589 TRANSFERÊNCIA 1066 37 19/08/2019 0014/2019
FRANCISCA EVILANIA DE SOUSA COSTA 045917661538 ALISTAMENTO 1147 113 30/08/2019 0014/2019
FRANCISCA TERESA DE JESUS SILVA 028657971570 TRANSFERÊNCIA 1155 121 19/08/2019 0014/2019
FRANCISCO ANTONIO DA SILVA JUNIOR 043550431562 TRANSFERÊNCIA 1120 124 21/08/2019 0014/2019
FRANCISCO DÊNIS DE BRITO 042841161503 TRANSFERÊNCIA 1155 121 22/08/2019 0014/2019
FRANCISCO LAIRTON DA COSTA 045916731503 ALISTAMENTO 1066 37 20/08/2019 0014/2019
FRANCISCO LUCIANO FERNANDO DE SOUSA 045917031554 ALISTAMENTO 1155 121 26/08/2019 0014/2019
INÊS PEREIRA DA SILVA 004279891511 TRANSFERÊNCIA 1120 124 30/08/2019 0014/2019
ISMAEL MENDES DE ABREU 017519571180 TRANSFERÊNCIA 1147 113 29/08/2019 0014/2019
JACIRENE DE SOUSA MARTINS 051609481376 TRANSFERÊNCIA 1120 124 29/08/2019 0014/2019
JACKSON DA ROCHA BRITO 045916861511 ALISTAMENTO 1155 121 23/08/2019 0014/2019
JÉSSICA DE ARAÚJO OLIVEIRA 042837251511 TRANSFERÊNCIA 1066 37 26/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 111

JOAQUIM GILCIMAR FILHO 024672391546 REVISÃO 1147 49 29/08/2019 0014/2019


JOSÉ CARLOS DE SOUSA COSTA 045917671511 ALISTAMENTO 1147 113 30/08/2019 0014/2019
JOSE PRAXEDES DA SILVA 017538021554 REVISÃO 1066 37 26/08/2019 0014/2019
JOSE RICARDO SOBRINHO 019543581511 TRANSFERÊNCIA 1066 37 29/08/2019 0014/2019
JOSINETA JOANA DE BRITO LIMA 043262841589 REVISÃO 1040 91 30/08/2019 0014/2019
JOYCIENE MÁRCIA DE CARVALHO 045917001503 ALISTAMENTO 1147 113 26/08/2019 0014/2019
JURIMAR JOAQUIM RODRIGUES 016470261554 REVISÃO 1120 54 15/08/2019 0014/2019
KAUANA DE JESUS ROCHA 045916721511 ALISTAMENTO 1147 113 20/08/2019 0014/2019
KAYKY DA SILVA BRITO 045917041538 ALISTAMENTO 1180 123 26/08/2019 0014/2019
LEONITE MARIA DA SILVA 045073461554 REVISÃO 1147 49 28/08/2019 0014/2019
LUCAS CARLOS DA SILVA 043790401520 REVISÃO 1120 47 22/08/2019 0014/2019
MARCUS ANTONIO DA SILVA 038833611511 TRANSFERÊNCIA 1120 124 30/08/2019 0014/2019
MARGARIDA MARIA DA SILVA 378134570141 TRANSFERÊNCIA 1180 123 19/08/2019 0014/2019
MARIA CLARA FRANCISCA DE LIMA 045916911589 ALISTAMENTO 1120 124 23/08/2019 0014/2019
MARIA DA PENHA RODRIGUES DE SOUZA 075475540752 REVISÃO 1031 83 26/08/2019 0014/2019
MARIA ELIANE RODRIGUES DE SOUZA 076207430795 REVISÃO 1031 83 21/08/2019 0014/2019
MARIA LETICIA DE ARAUJO SILVA 045448371503 TRANSFERÊNCIA 1066 37 26/08/2019 0014/2019
MARIA LUCINETE DA SILVA PEREIRA 017534731597 TRANSFERÊNCIA 1120 124 21/08/2019 0014/2019
MARIANA MARIA EVANGELISTA 045917011597 ALISTAMENTO 1066 37 26/08/2019 0014/2019
OLEGARIA MARIA DA COSTA 004258491554 TRANSFERÊNCIA 1147 113 28/08/2019 0014/2019
PATRYCK PEREIRA PAIVA 045917021570 ALISTAMENTO 1147 113 26/08/2019 0014/2019
RAFAEL FRANCISCO DA SILVA 045447471503 REVISÃO 1120 54 26/08/2019 0014/2019
RENATO DA SILVA PEREIRA 025829201538 REVISÃO 1058 35 29/08/2019 0014/2019
RONILDO DO NASCIMENTO SOUSA 045915051597 SEGUNDA VIA 1147 113 26/08/2019 0014/2019
RONIVALDO DE SOUSA SILVA 032996191554 TRANSFERÊNCIA 1120 124 29/08/2019 0014/2019
RUBENS FRANCISCO DE BRITO 025369331546 REVISÃO 1180 76 19/08/2019 0014/2019
SEBASTIANA RODRIGUES DE SOUZA 046009190710 TRANSFERÊNCIA 1147 113 21/08/2019 0014/2019
VALDINEIDE CRISTINA DA ROCHA SILVA 030868321570 TRANSFERÊNCIA 1147 113 16/08/2019 0014/2019
VANDERLEIA DOS SANTOS BRITO 060680541376 TRANSFERÊNCIA 1058 127 29/08/2019 0014/2019
VITOR MANOEL CARVALHO PEREIRA 045916821597 ALISTAMENTO 1147 113 21/08/2019 0014/2019
WANDERGLEYSON DE OLIVEIRA COSTA 040934001546 TRANSFERÊNCIA 1147 113 28/08/2019 0014/2019
Total de documentos impressos: 215

41ª Zona Eleitoral

Sentenças

AVISO DE INTIMAÇÃO-JUÍZO DA 41 ZONA ELEITORAL

Processo n º: 37-30.2019.6.18.0041
Protocolo nº: 9.671/2019
Prot. nº 9.671/2019 Classe: Petição
Assunto: Regularização de contas não prestadas. Eleições 2016.
Interessado: José Marques de Sousa Costa, Candidato a Vereador

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 112

Advogado: Francisco Rodrigues Santos, OAB/PI nº 15458


Município: Esperantina
Finalidade: intimar da sentença abaixo transcrita
Decisão

Vistos, etc.
Tratam os autos de petição de regularização de contas não prestadas de candidato a vereador nas Eleições Municipais de 2016.
Às fls. 85 foi publicado edital no Diário de Justiça Eletrônico com os dados do processo e nome do interessado, não havendo impugnação.
Às fls. 88, manifestou-se o analista de contas pugnando pela regularização das contas apresentadas. No mesmo sentido, parecer Ministério
Público Eleitoral às fls. 90.
Vieram os autos conclusos.
É o relatório, decido.
A Resolução TSE nº 23.463/2015 faculta aos candidatos que tiveram suas contas julgadas como não prestadas relativas às Eleições 2016 a
possibilidade de apresentação de petição para sanar tal irregularidade. Para tanto, o requerimento de regularização deve preencher certos
requisitos, a seguir descritos:
Art. 73. A decisão que julgar as contas eleitorais como não prestadas acarreta:
...
§ 2º O requerimento de regularização:
I - pode ser apresentado:
a) pelo candidato interessado, para efeito da regularização de sua situação cadastral;
b) pelo órgão partidário cujo direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário esteja suspenso ou pelo hierarquicamente superior;
II - deve ser autuado na classe Petição, consignando-se os nomes dos responsáveis, e distribuído por prevenção ao Juiz ou relator que conduziu
o processo de prestação de contas a que ele se refere;
III - deve ser instruído com todos os dados e documentos previstos no art. 48 utilizando-se, em relação aos dados, o Sistema de que trata o art.
49;
IV - não deve ser recebido com efeito suspensivo;
V - deve observar o rito previsto nesta resolução para o processamento da prestação de contas, no que couber, para verificação de eventual
existência de recursos de fontes vedadas, de origem não identificada e da ausência de comprovação ou irregularidade na aplicação de recursos
oriundos do Fundo Partidário.

Consoante se depreende dos autos, o requerimento foi instruído com todos os dados e documentos previstos no Art.73, § 2º, da resolução
TSE nº 23.463/2015, disciplina normativa sob a qual devem ser examinadas estas contas, conforme parecer do analista de contas às fls. 88.Foi
observado também, quando possível, o rito de processamento previsto para as prestações de contas (Res. TSE nº 23.463/2015, Art. 73, § 2º,
V).
Ademais, não há incursão no mérito das contas apresentadas em processo desta natureza, sob pena de ofensa ao postulado constitucional
da coisa julgada, limitando-se o juízo à análise formal da documentação apresentada e no que couber, a verificação de eventual existência
de recursos de fontes vedadas, de origem não identificada e da ausência de comprovação ou irregularidade na aplicação de recursos
oriundos do Fundo Partidário.
Diante do exposto, decido pelo DEFERIMENTO do pedido de regularização das contas do candidato a vereador JOSÉ MARQUES DE SOUSA
COSTAS, e DETERMINO a retirada da restrição estipulada na parte final do Art. 73, I, da Res. TSE nº 23.463/2015, decorrente de sentença
prolatada nos autos do Proc. Nº 408-96.2016.6.18.0041.Outrossim, ressalto que os efeitos da referida restrição perdurarão até o dia
31/12/2020, término da legislatura referente às Eleições 2016.
Publique-se. Registre-se, inclusive no Cadastro Eleitoral (ELO). Intimem-se.
Após o trânsito em julgado, arquive-se.
Sem Custas.
Esperantina-PI, 30 de agosto de 2019.

Arilton Rosal Falcão Júnior


Juiz da 41ª Zona Eleitoral

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 113

Processo nº 34-75.2019.6.18.0041

Prot. Nº 8.613/2019
Filiação Partidária - Duplicidade de Filiação
Interessado: Esperança Maria Moreira (inscrição nº 028217771520)
Interessado: PV (Órgão Municipal de Esperantina).
Interessado: PL (Órgão Municipal de Esperantina).

SENTENÇA

Vistos, etc.
Trata-se de informação do Chefe do Cartório Eleitoral a respeito da duplicidade de filiação partidária de ESPERANÇA MARIA MOREIRA,
inscrição nº 028217771520, em relação ao PARTIDO VERDE (PV) e ao PARTIDO LIBERAL (PL), conforme Relatório de Filiados Sub Judice
extraído do Sistema ELO-6.
Foi regularmente publicado edital em Cartório e no Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI (DJE nº 121/2019, de 02/07/2019) dando ciência aos
interessados.
O eleitor foi notificado pessoalmente (fls. 11). Os representantes dos partidos políticos envolvidos também foram notificados pessoalmente,
conforme fls. 08/09. Transcorreu o prazo sem apresentação de defesa pelos interessados.
Às fls. 13, manifestou-se o Parquet pela declaração de nulidade de ambas as filiações partidárias.
É o relatório.
No caso em tela, consta para o eleitor dupla filiação partidária realizada na mesma data ao PARTIDO VERDE (PV) e ao PARTIDO LIBERAL (PL),
ambos de Esperantina/PI. A regulamentação de tal matéria estar prevista na Lei nº 9.096/95.
Art. 22. O cancelamento imediato da filiação partidária verifica-se nos casos de:
...
V - Filiação a outro partido, desde que a pessoa comunique o fato ao juiz da respectiva Zona Eleitoral.
Parágrafo único. Havendo coexistência de filiações partidárias, prevalecerá a mais recente, devendo a Justiça Eleitoral determinar o
cancelamento das demais.
Ora, pelas informações constantes dos autos não é possível verificar qual a filiação partidária mais recente. Ademais, constatada a duplicidade
de filiação partidária com a devida notificação do eleitor e dos partidos políticos e não tendo havido qualquer manifestação dos mesmos com
a finalidade de comprovar a inexistência de uma das filiações ou de regular desfiliação, outra medida não deve ser tomada, senão o
cancelamento de ambas as filiações partidárias.
Ante o exposto, com base no Art.22, p.u, da Lei nº 9.096/95 c/c e Art.22, § 4º, da Res. TSE nº 23.596/2019, determino o cancelamento das
filiações partidárias de ESPERANÇA MARIA MOREIRA, inscrição nº 028217771520, aos partidos PL e PV.
Adote o Cartório Eleitoral as medidas administrativas necessárias.
Publique-se. Intimem-se.
Ciência ao Ministério Público.
Sem Custas.
Esperantina (PI), 30 de agosto de 2019.

Arilton Rosal Falcão Júnior


Juiz Eleitoral da 41ª Zona

Processo nº 31-23.2019.6.18.0041
Prot. Nº 8.604/2019
Filiação Partidária - Duplicidade de Filiação
Interessado: Jayme Moreira Sampaio (inscrição nº 039316461570)
Interessado: PV (Órgão Municipal de Esperantina).

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 114

Interessado: PL (Órgão Municipal de Esperantina).

SENTENÇA

Vistos, etc.
Trata-se de informação do Chefe do Cartório Eleitoral a respeito da duplicidade de filiação partidária de JAYME MOREIRA SAMPAIO, inscrição
nº 039316461570, em relação ao PARTIDO VERDE (PV) e ao PARTIDO LIBERAL (PL), conforme Relatório de Filiados Sub Judice extraído do
Sistema ELO-6.
Foi regularmente publicado edital em Cartório e no Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI (DJE nº 121/2019, de 02/07/2019) dando ciência aos
interessados.
O eleitor foi notificado pessoalmente (fls. 09). Os representantes dos partidos políticos envolvidos também foram notificados pessoalmente,
conforme fls. 08/09. Transcorreu o prazo sem apresentação de defesa pelos interessados.
Às fls. 12, manifestou-se o Parquet pela declaração de nulidade de ambas as filiações partidárias.
É o relatório.
No caso em tela, consta para o eleitor dupla filiação partidária realizada na mesma data ao PARTIDO VERDE (PV) e ao PARTIDO LIBERAL (PL),
ambos de Esperantina/PI. A regulamentação de tal matéria estar prevista na Lei nº 9.096/95.
Art. 22. O cancelamento imediato da filiação partidária verifica-se nos casos de:
...
V - Filiação a outro partido, desde que a pessoa comunique o fato ao juiz da respectiva Zona Eleitoral.
Parágrafo único. Havendo coexistência de filiações partidárias, prevalecerá a mais recente, devendo a Justiça Eleitoral determinar o
cancelamento das demais.
Ora, pelas informações constantes dos autos não é possível verificar qual a filiação partidária mais recente. Ademais, constatada a duplicidade
de filiação partidária com a devida notificação do eleitor e dos partidos políticos e não tendo havido qualquer manifestação dos mesmos com
a finalidade de comprovar a inexistência de uma das filiações ou de regular desfiliação, outra medida não deve ser tomada, senão o
cancelamento de ambas as filiações partidárias.
Ante o exposto, com base no Art.22, p.u, da Lei nº 9.096/95 c/c e Art.22, § 4º, da Res. TSE nº 23.596/2019, determino o cancelamento das
filiações partidárias de JAYME MOREIRA SAMPAIO, inscrição nº 039316461570, aos partidos PL e PV.
Adote o Cartório Eleitoral as medidas administrativas necessárias.
Publique-se. Intimem-se.
Ciência ao Ministério Público.
Sem Custas.
Esperantina (PI), 30 de agosto de 2019.

Arilton Rosal Falcão Júnior


Juiz Eleitoral da 41ª Zona

43ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL N. 035/2019

O Dr. Alberto Franklin de Alencar Milfont, Juiz Eleitoral da 43ª Zona do Estado do Piauí, no uso de suas atribuições legais, em especial, o art.
17, § 1º e art. 18, §§ 4º e 5º, da Resolução n. 21.538/2003 do Tribunal Superior Eleitoral, e ainda o art. 258, do Código Eleitoral, etc.

FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que foram emitidos os títulos eleitorais acerca de
ALISTAMENTOS, TRANSFERÊNCIAS, REVISÕES e SEGUNDAS VIAS dos eleitores constantes do Lote 016/2019 em anexo, relativo ao município
de Regeneração, para fins de impugnação/recurso contra o deferimento das aludidas operações, no prazo de 10 (dez) dias, contados a partir
da data de publicação do presente Edital, observando-se os legitimados constantes dos arts. 17, § 1º, e 18, § 5º, da Res.-TSE n. 21.538/2003,

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 115

c/c o art. 7º, § 1º, da Lei n. 6.996/82.

E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, mandou a MMº Juiz Eleitoral que fosse expedido o presente
Edital, que será publicado no Diário Eletrônico da Justiça Eleitoral e afixada cópia no local público de costume.

Expedido nesta cidade de Regeneração, Estado do Piauí, sede da 43ª Zona Eleitoral, aos trinta dias do mês de agosto do ano de dois mil e
dezenove (30.08.2019). Eu, _______________, Leila de Araújo, Chefe de Cartório, da 43ª Zona Eleitoral, digitei e subscrevi.

Alberto Franklin de Alencar Milfont


Juiz Eleitoral – 43ª ZE

ANEXO AO EDITAL 035/2019

Origem: ZE 43 Zona: 043 Municipio: 11754 - REGENERAÇÃO


Data de Processamento: 16/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA ZERES MUNIZ DE BRITO 046014261589 ALISTAMENTO 1040 96 22/08/2019 0016/2019
ANTONIA MODESTO ARAUJO DO NASCIMENTO 000063951597 REVISÃO 1015 78 20/08/2019 0016/2019
BENEDITO PEREIRA LEAL 024835491589 TRANSFERÊNCIA 1031 90 16/08/2019 0016/2019
CLAUDEANO ALVES GOMES 020871871520 TRANSFERÊNCIA 1066 92 22/08/2019 0016/2019
DARQUIANE DE SOUSA NUNES 046014241511 ALISTAMENTO 1031 90 22/08/2019 0016/2019
ELANE OLIVEIRA DA SILVA 046014271562 ALISTAMENTO 1260 91 26/08/2019 0016/2019
FRANCISCA JAINE PEREIRA DO NASCIMENTO 046014191554 ALISTAMENTO 1090 97 16/08/2019 0016/2019
FRANCISCA MARIA LIMA SANTOS 032124521503 TRANSFERÊNCIA 1058 95 19/08/2019 0016/2019
FRANCISCO MAICON DE SOUSA 046014231538 ALISTAMENTO 1074 94 21/08/2019 0016/2019
FRANCISCO PEREIRA DA SILVA 026296421503 REVISÃO 1260 91 29/08/2019 0016/2019
FRANCISCO PEREIRA DA SILVA JUNIOR 046014331503 ALISTAMENTO 1120 98 30/08/2019 0016/2019
ITAMAR FRANCO MENDES NUNES 040565241562 REVISÃO 1074 18 29/08/2019 0016/2019
JAILSON DOS SANTOS SOUSA 210300180230 TRANSFERÊNCIA 1090 97 22/08/2019 0016/2019
JANIELE ALVES DA SILVA 411194830167 REVISÃO 1090 21 20/08/2019 0016/2019
JARDSON CAMILO CRUZ MOURA 046014221554 ALISTAMENTO 1040 96 20/08/2019 0016/2019
KAILANY KELLE DA SILVA AZEVÊDO BARBOSA 046013611503 SEGUNDA VIA 1058 89 23/08/2019 0016/2019
LUIS JOSÉ PEREIRA DOS SANTOS 046014321520 ALISTAMENTO 1260 91 30/08/2019 0016/2019
MANOEL MESSIAS DOS SANTOS 000230461546 REVISÃO 1040 8 26/08/2019 0016/2019
MARCIO XIMENES CAVALCANTE 023742091570 TRANSFERÊNCIA 1074 94 22/08/2019 0016/2019
MARCOS DAVI NASCIMENTO NEIVA 046014251503 ALISTAMENTO 1260 91 22/08/2019 0016/2019
MÔNICA CRISTINA COSTA OLIVEIRA 046014281546 ALISTAMENTO 1260 91 26/08/2019 0016/2019
PAULO VINICIUS DA CUNHA REIS 046014301562 ALISTAMENTO 1058 95 29/08/2019 0016/2019
RAIMUNDO FERREIRA DA SILVA 046014291520 ALISTAMENTO 1260 91 26/08/2019 0016/2019
RAIMUNDO NONATO MARQUES DE SOUSA 024193981546 REVISÃO 1090 79 20/08/2019 0016/2019
SEBASTIÃO ALVES DOS SANTOS NETO 046014311546 ALISTAMENTO 1260 91 30/08/2019 0016/2019
TAIRINE OLIVEIRA DE SOUSA 038778381562 TRANSFERÊNCIA 1031 90 22/08/2019 0016/2019
VITOR RAFAEL NASCIMENTO BEZERRA 046014211570 ALISTAMENTO 1074 94 20/08/2019 0016/2019
VITÓRIA KAROLINY BARBOSA DA SILVA 046014201597 ALISTAMENTO 1260 91 19/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 116

46ª Zona Eleitoral

Editais

EDITAL Nº 059/2019 46ª ZONA ELEITORAL

(PUBLICAÇÃO DE LOTE(S) DE TÍTULOS ELEITORAIS)

De ordem do Excelentíssimo Senhor Doutor MARCUS ANTÔNIO SOUSA E SILVA, Juiz da 46ª Zona Eleitoral, Estado do Piauí, no uso de suas
atribuições legais, etc...
FAZ SABER, a todos quantos o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos partidos políticos, da relação anexa dos
requerimentos de alistamentos, transferências, revisões e segundas vias eleitorais, dos eleitores pertencentes aos municípios de Guadalupe/PI
e Marcos Parente/PI, processados nesta 46.ª Zona Eleitoral, correspondente ao LOTE 015/2019; em cumprimento ao disposto nos arts. 45, §
6.º, 52, § 2.º; 57, caput e § 2.º, do Código Eleitoral; art. 7.º, § 2.º, da Lei n.º 6.996/82; e nos arts. 17, §§ 1.º e 2.º, e 18, §§ 5.º e 6.º, da
Resolução TSE n.º 21.538/2003, a fim de que passem a fluir o prazo nele fixado. E para que chegue ao conhecimento de todos, e, para que no
futuro, ninguém possa alegar ignorância, mandou o MM. Juiz expedir o presente Edital que será afixado nos locais de costumes deste Juízo. Os
interessados terão prazo de 10(dez) dias para os requerimentos de alistamentos e transferências e de 05(cinco) dias para as revisões e
segundas vias de títulos eleitorais. DADO e passado nesta cidade e Comarca de Guadalupe(PI), sede da 46.ª Zona Eleitoral, aos 02 (dois) dias do
mês de setembro do ano de dois mil e dezenove (02/09/2019). Eu____________(Antônio Jorge dos Santos Filho), Chefe de Cartório, digitei e
preparei o presente Edital.
Guadalupe, 02 de setembro de 2019.

MARCUS ANTÔNIO SOUSA E SILVA


Juiz Eleitoral/46ª Zona

Origem: ZE 46 Zona: 046 Municipio: 10898 - GUADALUPE


Data de Processamento: 15/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote

ADRIANA DE SOUSA 030872481503 REVISÃO 1090 63 28/08/2019 0015/2019


ALESSANDRA SILVA NOLÊTO 035344221597 SEGUNDA VIA 1074 33 29/08/2019 0015/2019
ALMIRA NOLÊTO 030873741562 REVISÃO 1090 15 16/08/2019 0015/2019
ANDRÉ DOS SANTOS SOUSA 045886401570 ALISTAMENTO 1074 61 16/08/2019 0015/2019
CARLOS EDUARDO OLIVEIRA FREITAS 045886551554 ALISTAMENTO 1074 61 29/08/2019 0015/2019
DARLLYSON DÁRIO DA SILVA VELOSO 045886381554 ALISTAMENTO 1090 63 15/08/2019 0015/2019
DIOGO COSTA SILVA 045886431511 ALISTAMENTO 1082 62 20/08/2019 0015/2019
EDNA MARIA ROCHA DO BOMFIM AQUINO 033066431546 REVISÃO 1066 8 29/08/2019 0015/2019
FRANCISCO JÚNIOR ALVES LOPES 038180941546 REVISÃO 1112 35 21/08/2019 0015/2019
JONAS LOPES DE MORAES FILHO 007997091341 TRANSFERÊNCIA 1120 44 29/08/2019 0015/2019
JOSÉ CARLOS MATOS RAMOS 045886481520 ALISTAMENTO 1082 62 22/08/2019 0015/2019
JULIANA OLIVEIRA CARDOSO 045886641546 ALISTAMENTO 1074 61 30/08/2019 0015/2019
MANOEL MESSIAS MONTEIRO DA SILVA 034176291520 TRANSFERÊNCIA 1074 61 30/08/2019 0015/2019
MARIA DO AMPARO ROCHA BOMFIM 006114331546 REVISÃO 1066 7 30/08/2019 0015/2019
MARIA FERNANDA DA SILVA SANTOS 045886461562 ALISTAMENTO 1082 62 21/08/2019 0015/2019
MAYLLA PEREIRA DA SILVA 045886601511 ALISTAMENTO 1074 61 30/08/2019 0015/2019
PAULO VITOR SAMPAIO DE SOUSA 045886611503 ALISTAMENTO 1090 63 30/08/2019 0015/2019
POLIANE CAETANO DOS SANTOS 045886561538 ALISTAMENTO 1082 62 29/08/2019 0015/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 117

RENILSON DA CONCEIÇÃO ROCHA 045886621589 ALISTAMENTO 1082 62 30/08/2019 0015/2019


SELMA PEREIRA DE SA 032133721538 REVISÃO 1074 61 15/08/2019 0015/2019
SEVERINO LIMA NETO 038502531546 TRANSFERÊNCIA 1015 39 19/08/2019 0015/2019
SHAIANY ALVES DOS SANTOS 045886591589 ALISTAMENTO 1058 36 30/08/2019 0015/2019
VALDEANE AZEVÊDO DE SOUSA 065289361163 TRANSFERÊNCIA 1120 44 30/08/2019 0015/2019
WILIANY ALMEIDA SANTOS SOUSA 045886631562 ALISTAMENTO 1074 61 30/08/2019 0015/2019

Origem: ZE 46 Zona: 046 Municipio: 11193 - MARCOS PARENTE


Data de Processamento: 15/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote

ABINAABY ALMEIDA DE CARVALHO 045886581503 ALISTAMENTO 1023 51 30/08/2019 0015/2019


ALANY RODRIGUES DA SILVA 035756271562 TRANSFERÊNCIA 1040 59 21/08/2019 0015/2019
ALONSO MOTA REIS 010188021597 TRANSFERÊNCIA 1040 59 28/08/2019 0015/2019
AMANDA DA SILVA ARAUJO 045886571511 ALISTAMENTO 1082 47 29/08/2019 0015/2019
BENILDE VAQUEIRO MOTA 026554361546 TRANSFERÊNCIA 1082 47 30/08/2019 0015/2019
CAIO PEREIRA COSTA 045886531597 ALISTAMENTO 1023 51 28/08/2019 0015/2019
CAMILA FERREIRA DE MORAIS 045886521503 ALISTAMENTO 1023 51 27/08/2019 0015/2019
DEUSELÂNDIA DIAS COSTA 016885671589 REVISÃO 1023 48 27/08/2019 0015/2019
DOMINGAS DOS ANJOS MESSIAS 045886501546 ALISTAMENTO 1082 47 27/08/2019 0015/2019
EDILBERTO SOUSA OLIVEIRA 014936042062 TRANSFERÊNCIA 1040 59 20/08/2019 0015/2019
EVELIN NIELE MUNIZ DA SILVA 045886371570 ALISTAMENTO 1023 51 15/08/2019 0015/2019
FRANCINILDO FERREIRA DOS SANTOS 045886541570 ALISTAMENTO 1090 55 28/08/2019 0015/2019
FRANCISCA PAULA FERREIRA BATISTA 042887881570 SEGUNDA VIA 1023 50 27/08/2019 0015/2019
GERALDO PEREIRA DA SILVA 016683511503 TRANSFERÊNCIA 1040 59 28/08/2019 0015/2019
IVAN ALVES DOS SANTOS 026552001503 SEGUNDA VIA 1058 60 27/08/2019 0015/2019
IVAN PEREIRA DO ESPIRITO SANTO 045886491503 ALISTAMENTO 1082 47 22/08/2019 0015/2019
JANES DE SOUSA SANTOS 026549551570 REVISÃO 1040 59 29/08/2019 0015/2019
JULIANE PEREIRA DE SOUSA BARBOZA 045886411554 ALISTAMENTO 1023 51 20/08/2019 0015/2019
KAIRO JOSÉ DA SILVA COSTA 045886441503 ALISTAMENTO 1082 47 21/08/2019 0015/2019
LUAN NUNES DOS ANJOS 045886421538 ALISTAMENTO 1082 47 20/08/2019 0015/2019
MARCOS PAULO BATISTA BONFIM 045886391538 ALISTAMENTO 1082 47 15/08/2019 0015/2019
MARIA JOSE RIBEIRO DA CRUZ 367068750132 REVISÃO 1040 59 27/08/2019 0015/2019
MARIA VITÓRIA NUNES BARBOSA 045886451589 ALISTAMENTO 1082 47 21/08/2019 0015/2019
MELQUEZEDEQUE DE LIMA BARROS 043746701554 REVISÃO 1040 59 20/08/2019 0015/2019
NAELSON BORGES MIRANDA 045886511520 ALISTAMENTO 1040 59 27/08/2019 0015/2019
ROMÉRIO CARDOSO GONÇALVES 088162770701 TRANSFERÊNCIA 1082 47 27/08/2019 0015/2019
VICTOR EMANUEL NUNES MESSIAS 045886471546 ALISTAMENTO 1023 51 22/08/2019 0015/2019

Total de documentos impressos : 51

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 118

52ª Zona Eleitoral

Aviso de Intimação

AVISO DE INTIMAÇÃO

Origem: 52ª Zona Eleitoral Integrada Pelos Municípios de Água Branca, Hugo Napoleão, Lagoinha do Piauí e Olho D'Água do Piauí. Estado Do
Piauí.
Processo n°. 47-41.2019.6.18.0052-52ªZE
Recurso/Impugnação de Alistamento Eleitoral
Procedência: Lagoinha do Piauí/PI
Recorrente: Partido da Mobilização Nacional - PMN
Advogado(a): Dr. Daniel dos Santos Fortes (OAB/PI nº 9784) e José Alves de Andrade Filho (OAB/PI nº 10613)
Recorrido(a): Kelly Alves Alencar
Advogado(a): Dr. Horácio Lopes Mousinho Neiva (OAB/PI 11969)

FINALIDADE: Intimar a recorrida acerca do despacho proferido às fls. 74 dos autos em epígrafe.

Vistos etc…
Intime-se a recorrida para manifestação, no prazo de 5 (cinco) dias, acerca do seu real nome, como requer o Representante do Ministério
Público Eleitoral às fls. 72v.
Após o prazo estabelecido, com ou sem manifestação, dê-se vistas dos autos ao Parquet para manifestação em 10 (dez) dias, voltando-me
conclusos em seguida.
Cumpra-se.
Água Branca, 13/08/2018.

Edvaldo de Sousa Rebouças Neto


Juiz Eleitoral da 52ª Zona/PI

AVISO DE INTIMAÇÃO

Origem: 52ª Zona Eleitoral Integrada Pelos Municípios de Água Branca, Hugo Napoleão, Lagoinha do Piauí e Olho D'Água do Piauí. Estado Do
Piauí.
Processo n°. 1-52.2019.6.18.0052-52ªZE
Petição
Procedência: Lagoinha do Piauí/PI
Peticionante: Partido dos Trabalhadores - PT
Advogado(a): Dra. Noêmia Daniele Lima Nunes (OAB/PI nº 10613)

FINALIDADE: Intimar a peticionante acerca da sentença proferida nos autos em epígrafe.


SENTENÇA

Vistos.
Trata-se o presente processo de Requerimento de Regularização referente à Prestação de Contas Anual – Exercício Financeiro 2017.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 119

O processo de Prestação de Contas – Exercício Financeiro 2017 (processo nº 71-06.2018.6.18.0052) foi encerrado com o julgamento pela não
prestação das contas, com trânsito em julgado da sentença em 27/03/2019.
Após a publicação do Edital a que alude o art. 59 da Resolução 23.464/2015, não foram apresentadas impugnações por parte dos legitimados,
conforme certidão de fls. 16.
Às fls. 11/14, foram juntados aos autos extratos bancários e demonstrativo de distribuição de recursos do Fundo Partidário por parte do
Diretório Regional, demonstrando que a referida direção municipal não recebeu tampouco distribuiu recursos desta natureza.
Informação do Chefe de Cartório às fls. 17/18 dá conta de que a análise das contas demonstra não haver movimentação financeira ou bens
estimáveis em dinheiro de qualquer natureza no período de 01/01/2017 a 31/12/2017 pela agremiação municipal.
O Ministério Público Eleitoral opina pela regularização da situação de inadimplência.
É o relatório. Decido

Inicialmente, é importante ressaltar que uma vez julgadas as contas como não prestadas, estas não serão objeto de novo julgamento servindo
sua apresentação apenas para suspender as consequências previstas no §2º do Art. 48 da Resolução 23.464/2015.
No caso, este Juízo mantém a sentença a quo, transitada em julgado em 27/03/2019, que declarou não prestadas as contas do Diretório
Municipal/Comissão Provisória do Partido dos Trabalhadores - PT de Lagoinha do Piauí/PI referentes ao exercício financeiro de 2017,
porquanto a contabilidade fora tida como não prestada nos autos do processo nº 71-06.2018.6.18.0052.
Verifica-se que, malgrado o partido tenha apresentado as contas neste momento, não atendeu à notificação na oportunidade devida, dando
ensejo ao julgamento das mesmas como não prestadas nos autos do processo sobredito, com as consequentes penalidades da legislação
aplicável.
Art. 48. A falta de prestação de contas implica a proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, enquanto não for
regularizada a situação do partido político.
§ 1º Julgadas não prestadas as contas do órgão nacional do partido, o TSE deve disponibilizar o processo ao MPE para fins do previsto no art.
28, inciso III, da Lei nº 9.096/1995.
§ 2º O órgão partidário, de qualquer esfera, que tiver as suas contas julgadas como não prestadas fica obrigado a devolver integralmente
todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados, bem como terá suspenso o registro
ou a anotação, no caso de órgão de direção estadual ou municipal.

Portanto, para suspender os efeitos do art. 48 da Resolução TSE nº 23.464/2015, a agremiação partidária peticionou este requerimento de
regularização, com base no art. 59 da mencionada resolução, senão vejamos:
Art. 59. Transitada em julgado a decisão que julgar as contas como não prestadas, os órgãos partidários podem requerer a regularização da
situação de inadimplência para suspender as consequências previstas no caput e no § 2º do art. 48.
§ 1º O requerimento de regularização:
I - pode ser apresentado pelo próprio órgão partidário, cujos direitos estão suspensos, ou pelo hierarquicamente superior;
II - deve ser autuado na classe Petição, consignando-se os nomes dos responsáveis, e distribuído por prevenção ao juiz ou relator que conduziu
o processo de prestação de contas a que ele se refere;
III - deve ser instruído com todos os dados e documentos previstos no art. 29;
IV - não deve ser recebido com efeito suspensivo;
V - deve observar o rito previsto nesta resolução para o processamento da prestação de contas, no que couber.
§ 2º Caso constatada impropriedade ou irregularidade na aplicação dos recursos do Fundo Partidário ou no recebimento dos recursos de que
tratam os arts. 12 e 13, o órgão partidário e os seus responsáveis devem ser notificados para fins de devolução ao Erário, se já não houver sido
demonstrada a sua realização.
§ 3º Recolhidos os valores mencionados no § 2º, o Tribunal deve julgar o requerimento apresentado, aplicando ao órgão partidário e aos seus
responsáveis, quando for o caso, as sanções previstas nos arts. 47 e 49.
§ 4º A situação de inadimplência do órgão partidário e dos seus dirigentes somente deve ser levantada após o efetivo recolhimento dos
valores devidos e o cumprimento das sanções impostas na decisão prevista no § 3º.

Ante o exposto, tendo em vista que o requerimento de regularização foi apresentado com todos os documentos exigidos e em consonância
com o parecer ministerial, determino a regularização da situação do Diretório Municipal/Comissão Provisória do Partido dos Trabalhadores -
PT de Lagoinha do Piauí/PI, nos termos do art. 59 da Resolução TSE Nº 23.464/2015.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 120

Transitado em julgado, registre-se a presente sentença no SICO – Sistema de Informação de Contas.


Após, arquive-se com as cautelas de praxe.

Água Branca, 07 de agosto de 2019.

Edvaldo de Sousa Rebouças Neto


Juiz Eleitoral da 52a Zona/PI

56ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 018/2019 56ª ZE/PI (PRAZO 10 DIAS)

O Excelentíssimo Juiz Eleitoral da 56ª Zona, Dr. Clayton Rodrigues de Moura Silva, com jurisdição nos municípios de Simões, Caridade do Piauí
e Curral Novo do Piauí, Estado do Piauí, no uso de suas atribuições legais, etc...

FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, aos eleitores e demais interessados, sobretudo ao
Ministério Público Eleitoral e aos partidos políticos, na forma da lei e para fins estabelecidos no art. 17, da Resolução TSE nº 21.538/03, de
14/10/2003, que os títulos eleitorais contidos na operação de REVISÃO, TRANSFERÊNCIA, ALISTAMENTO E SEGUNDA VIA referente ao Lote
nº 007/2019 (relação anexa), que compreende o período de 16/08/2019 A 30/08/2019 para os municípios de Simões, Caridade do Piauí e
Curral Novo do Piauí, foram deferidos pelo MM. Juiz Eleitoral, facultado a qualquer interessado se manifestar e apresentar impugnações
acerca das respectivas inscrições eleitorais dentro dos prazos legais a seguir:

ALISTAMENTOS (deferidos): prazo de 10 (dez) dias (art. 17, §1º da Resolução TSE nº 21.538/2003);
TRANSFERÊNCIAS (deferidas): prazo de 10 (dez) dias (art. 18, §5º da Resolução TSE nº 21.538/2003);
TRANSFERÊNCIAS (indeferidas): prazo de 05 (cinco) dias (art. 18, §5º da Resolução TSE nº 21.538/2003);
2ª VIAS (deferidas): prazo de 05 (cinco) dias (art. 52, §2º do Código Eleitoral).

E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa no futuro alegar ignorância, determinou o MM. Juiz Eleitoral a
expedição do presente edital, que será publicado no Diário da Justiça Eletrônico, bem como no lugar de costume deste Cartório Eleitoral. Dado
e passado nesta cidade de Simões(PI), Estado do Piauí, sede da 56ª Zona Eleitoral, aos trinta dias do mês de agosto do ano de dois mil e
dezenove (30.08.2019). Eu, _____, Juliano Alexandre de Melo Simões, Chefe do Cartório da 56ª Zona Eleitoral, preparei e conferi o presente
edital, o qual é subscrito pelo MM Juiz desta Zona Eleitoral.

Clayton Rodrigues de Moura Silva


Juiz Eleitoral da 56ª ZE

RELAÇÃO ANEXA – EDITAL 018/2019

Origem: ZE 56 Zona: 056 Município: 12165 - CARIDADE DO PIAUÍ Lote: 0007/2019 Ordem: OPERAÇÃO Digitação: 16/08/2019 a 30/08/2019
Seq. Operação Inscrição Nascimento Requerim. Nome do eleitor Situação
34 ALISTAMENTO 046003601562 20/10/2002 27/08/2019 ALDAIR DE CARVALHO SILVA DIGITADO
41 ALISTAMENTO 046003651570 13/06/2003 28/08/2019 ANDERSON DOS REIS ARAUJO DIGITADO
29 ALISTAMENTO 046003571562 25/01/2003 27/08/2019 APARECIDO FRANCISCO PEREIRA DO NASCIMENTO DIGITADO
17 ALISTAMENTO 046003501597 03/01/2003 22/08/2019 CARLOS CHARLES DE ARAÚJO SILVA DIGITADO
35 ALISTAMENTO 046003611546 13/10/2002 27/08/2019 CLEIDEVAN RODRIGUES DE CARVALHO DIGITADO
47 ALISTAMENTO 046003691503 05/07/2003 30/08/2019 DANILO CARDOSO CRUZ DIGITADO

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 121

27 ALISTAMENTO 046003561589 22/07/2003 27/08/2019 JUAN DE SOUSA CARVALHO DIGITADO


44 ALISTAMENTO 046003671538 08/06/2002 29/08/2019 MAÍRA MARIA DA SILVA DIGITADO
39 ALISTAMENTO 046003641597 13/04/2003 28/08/2019 MARIA EDUARDA DA COSTA SILVA DIGITADO
30 ALISTAMENTO 046003581546 01/02/2003 27/08/2019 NATALY AMANDA SILVA SÉRIO DIGITADO
31 ALISTAMENTO 046003591520 18/12/2002 27/08/2019 SAMIRES DA SILVA SANTOS DIGITADO
2 ALISTAMENTO 046003421589 12/09/2002 16/08/2019 TIAGO RAIMUNDO DE CARVALHO DIGITADO
32 TRANSFERÊNCIA 044598741520 06/04/2000 27/08/2019 FRANCISCO BRUNO DE SOUSA SILVA DIGITADO
10 TRANSFERÊNCIA 010384341503 25/06/1961 21/08/2019 FRANCISCO NARCISO DIAS DIGITADO
4 TRANSFERÊNCIA 036940331503 10/02/1990 16/08/2019 GRACIEL EVANGELISTA DE LIMA DIGITADO
43 TRANSFERÊNCIA 161965520507 09/01/2001 29/08/2019 JEFFÉRSON BRENDO DA SILVA DIAS DIGITADO
40 TRANSFERÊNCIA 045513621570 13/10/2001 28/08/2019 LEIDIANE RODRIGUES DE CARVALHO DIGITADO
1 TRANSFERÊNCIA 106394350558 20/01/1970 16/08/2019 MARIA DA PAZ FEITOSA E SILVA DIGITADO
45 TRANSFERÊNCIA 258859050191 01/10/1974 29/08/2019 ROSÁLIA DA SILVA DIGITADO
33 REVISÃO 040223551589 16/04/1994 27/08/2019 ÉDNA MARIA SÉRIO RODRIGUES DIGITADO
23 REVISÃO 026287031503 11/12/1980 26/08/2019 FRANCISCA DE SOUZA SANTOS DIGITADO
28 REVISÃO 002927501503 24/08/1959 27/08/2019 FRANCISCO MANOEL DE SOUSA FILHO DIGITADO
15 REVISÃO 078862600141 05/07/1953 22/08/2019 JOSÉ MIGUEL DA SILVA DIGITADO

Origem: ZE 56 Zona: 056 Município: 12181 - CURRAL NOVO DO PIAUÍ Lote: 0007/2019 Ordem: OPERAÇÃO Digitação: 16/08/2019 a
30/08/2019
Seq. Operação Inscrição Nascimento Requerim. Nome do eleitor Situação
37 ALISTAMENTO 046003631503 23/02/2003 28/08/2019 ADÃO JOSÉ DO NASCIMENTO DIGITADO
14 ALISTAMENTO 046003481570 18/10/2002 22/08/2019 DANIELA DO BONFIM MACEDO DIGITADO
42 ALISTAMENTO 046003661554 15/07/2003 29/08/2019 DIALEX MACÊDO LOPES DIGITADO
52 ALISTAMENTO 046003701538 28/03/2001 30/08/2019 GEREMIAS FEITOSA PAZ DIGITADO
25 ALISTAMENTO 046003551503 09/08/2003 26/08/2019 GILVAN FEITOSA PAZ DIGITADO
22 ALISTAMENTO 046003531538 10/01/2003 26/08/2019 GUSTAVO SANTOS ALMEIDA DIGITADO
24 ALISTAMENTO 046003541511 24/07/2002 26/08/2019 JAMILLY FEITOSA PAZ DIGITADO
16 ALISTAMENTO 046003491554 13/11/2002 22/08/2019 JOSÉ HIAGO DOS SANTOS DIGITADO
12 ALISTAMENTO 046003461503 22/10/1999 22/08/2019 MATIAS DE SOUSA SILVA DIGITADO
36 ALISTAMENTO 046003621520 11/09/2002 28/08/2019 MICHAEL DOUGLAS DE CARVALHO SILVA DIGITADO
7 ALISTAMENTO 046003441546 20/06/2003 19/08/2019 SAMYRA VITÓRIA BORGES MELO DIGITADO
13 ALISTAMENTO 046003471597 04/04/2003 22/08/2019 TIAGO MACEDO DE CARVALHO DIGITADO
53 TRANSFERÊNCIA 020254041503 02/10/1974 30/08/2019 IVANILDA DA CONCEIÇÃO SILVA DIGITADO
20 TRANSFERÊNCIA 062867440809 25/09/1973 23/08/2019 JOSE CARLINHO DOS SANTOS DIGITADO
50 TRANSFERÊNCIA 045985900817 11/03/1973 30/08/2019 JOSÉ COSTA DA PAZ DIGITADO
26 TRANSFERÊNCIA 023195951597 01/10/1979 27/08/2019 MARCIEL DO NASCIMENTO CARVALHO DIGITADO
49 TRANSFERÊNCIA 021440501562 13/09/1974 30/08/2019 MARIA APARECIDA NUNES FEITOSA PAZ DIGITADO
21 TRANSFERÊNCIA 039472311503 14/11/1992 23/08/2019 SIMAEL DE SOUSA LIMA DIGITADO
38 REVISÃO 045883561546 27/06/2003 28/08/2019 ANA PAULA DE SOUSA MACEDO DIGITADO
51 REVISÃO 038825401562 10/12/1991 30/08/2019 FRANCILEIDE JOSEFA DE CARVALHO DIGITADO
9 SEGUNDA VIA 044798641546 13/06/2000 21/08/2019 ANTÔNIA FERNANDES MORAIS DIGITADO

Origem: ZE 56 Zona: 056 Município: 12130 - SIMÕES Lote: 0007/2019 Ordem: OPERAÇÃO Digitação: 16/08/2019 a 30/08/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 122

Seq. Operação Inscrição Nascimento Requerim. Nome do eleitor Situação


19 ALISTAMENTO 046003521554 12/06/2003 23/08/2019 GLEISIANE MARIA DA SILVA DIGITADO
46 ALISTAMENTO 046003681511 27/03/2003 30/08/2019 MARIA APARECIDA BARROS FÉLIX DIGITADO
8 ALISTAMENTO 046003451520 24/06/2002 19/08/2019 PÂMELLA INGRYD TORRES DA SILVA DIGITADO
18 ALISTAMENTO 046003511570 24/03/2003 23/08/2019 SARA BEZERRA SILVA DIGITADO
6 ALISTAMENTO 046003431562 18/05/2003 19/08/2019 VANDEILSON SILVA LOPES DIGITADO
11 TRANSFERÊNCIA 021446311589 03/09/1978 21/08/2019 ADAO DA COSTA E SILVA DIGITADO
48 TRANSFERÊNCIA 030810421562 28/12/1960 30/08/2019 MARIA LINDECI DE CARVALHO BATISTA DIGITADO
5 TRANSFERÊNCIA 034005521589 29/04/1988 19/08/2019 MARLY MARIA DE SOUSA DIGITADO
3 REVISÃO 042562831503 22/01/1996 16/08/2019 FRANSUEL JOSÉ DE CARVALHO SILVA DIGITADO
Total de documentos digitados : 53
RAEs Digitados : 53

57ª Zona Eleitoral

Aviso de Intimação

AVISO DE INTIMAÇÃO

PRESTAÇÃO DE CONTAS N.º 5-74.2018.6.18.0057


ORIGEM: ITAINÓPOLIS-PI (57ª ZONA ELEITORAL - ITAINÓPOLIS)
ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS - DE EXERCÍCIO FINANCEIRO - DIREITO ELEITORAL - PARTIDOS POLÍTICOS - ÓRGÃO DE DIREÇÃO
PARTIDÁRIA - PARTIDO POLÍTICO - ÓRGÃO DE DIREÇÃO MUNICIPAL - PRESTAÇÃO DE CONTAS - DE EXERCÍCIO FINANCEIRO - 2018 - PEDIDO DE
APROVAÇÃO DE CONTAS
JUÍZA: MARIANA MARINHO MACHADO
REQUERENTE: PARTIDO DEMOCRÁTICO TRABALHISTA - PDT, Diretório Municipal de Itainópolis-PI
Advogado: Claudí Pinheiro de Araújo (OAB 264-B/PI)
REQUERENTE: MATIAS LOPES MOREIRA, Presidente do PDT de Itainópolis-PI
REQUERENTE: MARIA GICELDA DA COSTA, Tesoureira do PDT de Itainópolis-PI

OBJETO: Intimar os Requerentes para que, no prazo de 30 (trinta) dias, aprestem os esclarecimentos e os documentos requeridos no Relatório
para Expedição de Diligências em anexo, em conformidade com o item 3 do despacho de fl. 46 dos autos, a seguir transcrito:

“DESPACHO
Vistos.
...omissis…
3. Decorrido o prazo, com ou sem impugnação, dê-se continuidade ao exame das contas (art. 34, § 4º, II, Res. TSE. n. 23.546/2017),
promovendo-se, de ofício, as diligências mencionadas no art. 35, § 3º, da Resolução TSE n. 23.546/2017, salvo quanto ao requerimento de
informações protegidas por sigilo fiscal, que devem ser submetidas a apreciação por este juízo. As diligências devem ser respondidas no prazo
de 30 (trinta) dias, quando dirigidas ao partido, e 10 (dez) dias, nos demais casos.
...omissis…
Itainópolis (PI), 03 de julho de 2.019.
MARIANA MARINHO MACHADO
Juíza Eleitoral
Aos trinta dias do mês de agosto de dois mil e dezenove, no Cartório da 57ª Zona Eleitoral do Piauí, sediado em Itainópolis-PI, eu, Bel. Eldro

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 123

César Gonçalves Moura Reis, Chefe de Cartório, expendi o presente Aviso de Intimação.

PROCESSO Nº 5-74.2019.6.18.0057
OBJETO: Prestação de Contas Anual Exercício 2018
PARTIDO: Partido Democrático Trabalhista – PDT
MUNICÍPIO: Itainópolis/PI

RELATÓRIO PARA EXPEDIÇÃO DE DILIGÊNCIAS


Trata-se da prestação de contas anual do PARTIDO DEMOCRÁTICO TRABALHISTA – PDT, do município de Itainópolis/PI, relativa ao exercício de
2018, à qual se apresenta relatório elencando as diligências necessárias ao adequado exame das contas partidárias:
1. PEÇAS OBRIGATÓRIAS AUSENTES
Não foram apresentadas as seguintes peças e documentos, exigidas pelo art. 29 da Resolução TSE n. 23.546/2017:
a) Comprovante de remessa à Receita Federal do Brasil da escrituração contábil digital (art. 29, I, Res. TSE nº 23.546/2017);
b) Parecer da Comissão Executiva ou do Conselho Fiscal do Partido, se houver, sobre as respectivas contas (art. 29, II, Res. TSE n.
23.546/2017);
c) Extratos bancários relativos aos meses de abril a dezembro de 2018 (art. 29, V, Res. TSE nº 23.546/2017);
d) Demonstrativo de Fluxos de Caixa (art. 29, XVIII, Res. TSE n. 23.546/2017);
e) Parecer do Conselho Fiscal ou órgão competente do instituto ou fundação mantida pelo partido político (art. 29, XIX, Res. TSE n.
23.546/2017);
f) Certidão de Regularidade do Conselho Regional de Contabilidade do profissional de contabilidade habilitado (art. 29, XXI Res. TSE nº
23.546/2017).
O partido deve apresentar todos os documentos acima elencados ou justificar a impossibilidade de o fazer.
2. NÃO INDICAÇÃO DO NÚMERO DE FAC-SÍMILE PARA RECEBIMENTO DE INTIMAÇÕES
A procuração juntada aos autos pelo partido Requerente não indica o número de fac-símile através do qual poderá receber intimações da
Justiça Eleitoral que não puderem ser publicadas no DJe, contrariando o disposto no art. 29, XX, da Resolução TSE n. 23.564/2017.
O partido deve indicar o número de fac-símile para recebimento de intimações.
3. AUSÊNCIA DE REGISTRO DE SERVIÇOS CONTÁBEIS E ADVOCATÍCIOS E DA ORIGEM DOS RECURSOS QUE OS CUSTEOU
O partido não registrou em suas contas nem serviços contábeis e nem serviços advocatícios, apesar de haver procuração nos autos datada de
30/03/2018 (fl.31) e de os demonstrativos estarem firmados por suposto contabilista.
O partido deve:
a) justificar a ausência de registro de serviços contábeis e advocatícios nos demonstrativos apresentados;
b) esclarecer a natureza desses serviços: ser foram doados pelos respetivos prestadores ou se foram pagos pelo partido;
c) em relação aos serviços doados, apresentar os recibos eleitorais, os instrumentos de prestação de serviços e a demonstração da
avaliação dos serviços, conforme art. 9º, III e IV, e art. 11, I e § 7º, da Resolução TSE n. 23.546/2017;
d) em relação aos serviços pagos, apresentar documento fiscal idôneo, sem emendas ou rasuras, devendo dele constar a data de
emissão, a descrição detalhada, o valor da operação e a identificação do emitente e do destinatário ou dos contraentes pelo nome ou razão
social, CPF ou CNPJ e endereço, conforme art. 18 da Resolução TSE n. 23.564/2017;
e) esclarecer a origem dos recursos utilizados para custear os serviços pagos;
Do exposto, requer-se seja determinada a intimação do partido para que, no prazo de 30 (trinta), preste os esclarecimentos solicitados e
apresente os documentos requeridos, nos termos o art. 35, § 3º, inciso I, da Resolução TSE nº 23.546/2017.
Itainópolis (PI), 30 de agosto de 2019.

Bel. Eldro César Gonçalves Moura Reis


Chefe de Cartório na 57ª Zona Eleitoral do Piauí

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 124

59ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 018/2019

O Exmo. Sr. SANDRO FRANCISCO RODRIGUES, Juiz desta 59ª Zona Eleitoral do Estado do Piauí, no uso de suas atribuições legais, e
na forma do art. 45 § 6 da Lei 4.737/65(Código Eleitoral), combinado com o art. 17, § 1º e 18, § 5º, da Resolução TSE nº 21.538/2003, faz
saber a todos quantos o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos senhores Requerentes, Presidentes e
Delegados de Diretórios de Partidos Políticos dos municípios de Cristino Castro, Alvorada do Gurguéia, Palmeira do Piauí e Santa Luz/PI, que
foram realizadas e deferidas as operações de alistamento, transferência e revisão de dados dos eleitores que constam da relação anexa, no
período de 01 a 30 de Agosto de 2019(Lote nº 016/2019). Qualquer interessado poderá manifestar-se ou contestar em 05(cinco) dias após o
encerramento do prazo de 10(dez) dias de publicação deste Edital.
E, para que ninguém possa alegar ignorância, o presente Edital terá cópia afixada no local de costume e será publicado no Diário da
Justiça Eletrônico. Expedido neste município de Cristino Castro, estado do Piauí, sede da 59ª Zona Eleitoral, em 30 de Agosto de 2019.
Eu,________________, Edinaldo Moreira Nunes, Chefe de Cartório em Exercicio, digitei e subscrevi.

SANDRO FRANCISCO RODRIGUES


Juiz Eleitoral da 59ªZE/PI

Origem: ZE 59 Zona: 059 Municipio: 12084 - ALVORADA DO GURGUÉIA


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADELSON DA ROCHA LIMA 012634192003 TRANSFERÊNCIA 1015 101 29/08/2019 0016/2019
ADRIANO SOUZA SILVA 045746661546 ALISTAMENTO 1031 78 28/08/2019 0016/2019
AFONSO RIBEIRO DE MIRANDA NETO 042931451520 REVISÃO 1015 101 27/08/2019 0016/2019
ALCILENE DE SOUSA OLIVEIRA 045746001511 ALISTAMENTO 1015 101 20/08/2019 0016/2019
ALEXANDRA BARBOSA LIMA 044623881570 REVISÃO 1015 77 22/08/2019 0016/2019
ALLINE VIEIRA DE SOUSA 045746381597 ALISTAMENTO 1031 78 23/08/2019 0016/2019
AMILTON PEREIRA DA SILVA 045204541538 TRANSFERÊNCIA 1015 101 29/08/2019 0016/2019
ANA FERNANDA DE SOUSA ALENCAR 045746301538 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
ANA PAULA MARQUES DE MIRANDA 036824721503 REVISÃO 1015 101 26/08/2019 0016/2019
ANDRA NEIDE BARBOSA DA SILVA 043201400876 TRANSFERÊNCIA 1015 101 23/08/2019 0016/2019
ANDRE LUIZ DA SILVA MATIAS 035667631503 REVISÃO 1015 69 22/08/2019 0016/2019
ANDRESSA OLIVEIRA DE SOUSA 045745991546 ALISTAMENTO 1015 101 20/08/2019 0016/2019
ARNALDO DE SOUSA 030995321597 TRANSFERÊNCIA 1015 101 09/08/2019 0016/2019
BENTA SILVA SOBRINHO 038939072704 TRANSFERÊNCIA 1015 101 22/08/2019 0016/2019
CAIO ALEXANDRE LOPES MARTINS 045746581538 ALISTAMENTO 1031 78 28/08/2019 0016/2019
CARLOS ALBERTO SILVA 032712821503 TRANSFERÊNCIA 1015 101 30/08/2019 0016/2019
CARLOS DANIEL RIBEIRO CASTRO 045745871503 ALISTAMENTO 1015 101 19/08/2019 0016/2019
CIDICLEY SARAIVA BARROS 045746721597 ALISTAMENTO 1015 101 28/08/2019 0016/2019
CLEONIZIO PEREIRA DA SILVA 009391851511 TRANSFERÊNCIA 1015 101 19/08/2019 0016/2019
CRISLA RODRIGUES MACIEL 045746611538 ALISTAMENTO 1031 78 28/08/2019 0016/2019
DAYVID DA SILVA FRANÇA 045746621511 ALISTAMENTO 1031 78 28/08/2019 0016/2019
DELZUITE PEREIRA DA SILVA 001491741511 TRANSFERÊNCIA 1015 101 19/08/2019 0016/2019
DENILSON DA SILVA MOURA 036814591589 REVISÃO 1015 69 01/08/2019 0016/2019
DENILSON LIMA DA SILVA 045745561503 ALISTAMENTO 1058 108 08/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 125

DOMINGAS NUNES PEREIRA 045746561570 ALISTAMENTO 1066 100 28/08/2019 0016/2019


DULCINETE BENVINDO RODRIGUES 045746691597 ALISTAMENTO 1015 101 28/08/2019 0016/2019
EDIELLYKA DE SOUSA SANTOS 045745701562 ALISTAMENTO 1015 101 13/08/2019 0016/2019
EDILENE FERREIRA DE MESQUITA CARVALHO 045746141511 ALISTAMENTO 1015 101 21/08/2019 0016/2019
ÉDINA RODRIGUES MACIEL 045746591511 ALISTAMENTO 1031 78 28/08/2019 0016/2019
EDUARDO RODRIGUES FEITOSA 045746331589 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
ELIANO RODRIGUES DE SOUSA 040964351538 REVISÃO 1015 73 19/08/2019 0016/2019
ELIZABETY MOREIRA DE SOUSA 045746431554 ALISTAMENTO 1015 101 26/08/2019 0016/2019
ELIZANGELA SOARES DOS SANTOS 041839171503 TRANSFERÊNCIA 1015 101 27/08/2019 0016/2019
ELVIS SOARES DA SILVA 039301191520 REVISÃO 1015 45 19/08/2019 0016/2019
ÉRICA SOARES DOS SANTOS 045747111538 ALISTAMENTO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
ERISVALDO MANOEL DA SILVA 033211661538 REVISÃO 1023 14 07/08/2019 0016/2019
EULÁLIA DE SALES SANTOS 045746081570 ALISTAMENTO 1015 101 21/08/2019 0016/2019
EVANDRO TELES DA SILVA 045747041503 ALISTAMENTO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
FABIANA PEREIRA DA SILVA 037736761503 REVISÃO 1015 69 22/08/2019 0016/2019
FELIPE EVANGELISTA CAVALCANTE 043194721597 TRANSFERÊNCIA 1031 78 30/08/2019 0016/2019
FELIPE FÉLIX DIAS DOS SANTOS 045746551597 ALISTAMENTO 1031 78 28/08/2019 0016/2019
FRANCILENE DE OLIVEIRA PEREIRA 045747031520 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
FRANCISCO DE ASSIS CARVALHO DOS SANTOS 041023111503 TRANSFERÊNCIA 1031 78 29/08/2019 0016/2019
FRANCISCO DE ASSIS DA SILVA MOURA 045746441538 ALISTAMENTO 1015 101 26/08/2019 0016/2019
FRANCISCO EMANUEL BEZERRA DIOGENES 045746541503 ALISTAMENTO 1015 101 28/08/2019 0016/2019
FRANCISCO VITOR DE SOUZA FAUSTINO 045746711503 ALISTAMENTO 1015 101 28/08/2019 0016/2019
GABRIEL SANTANA DE SOUSA SANTOS 045746221520 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
GEOVANIA SOARES DA SILVA 045746601554 ALISTAMENTO 1031 78 28/08/2019 0016/2019
GILDEONE BALDUINO DOS SANTOS 045746751538 ALISTAMENTO 1031 78 29/08/2019 0016/2019
GILMAR BALDUINO DOS SANTOS 045746771503 ALISTAMENTO 1031 78 29/08/2019 0016/2019
GLEIDSON ALVES PEREIRA TEODORO 045745731503 ALISTAMENTO 1015 101 13/08/2019 0016/2019
GUSTAVO DE OLIVEIRA SOUSA 045747141589 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
HELLEN CRISTINA RIBEIRO FREITAS 045746461503 ALISTAMENTO 1031 78 27/08/2019 0016/2019
HÊMYLLY DE SOUSA BRITO 045745711546 ALISTAMENTO 1015 101 13/08/2019 0016/2019
HERIKA ARAÚJO DE OLIVEIRA 045745981562 ALISTAMENTO 1015 101 20/08/2019 0016/2019
HILDA MOREIRA DA SILVA SANTOS 002647421570 TRANSFERÊNCIA 1015 101 22/08/2019 0016/2019
ÍDÁLIA DA SILVA VIEIRA 045746931511 ALISTAMENTO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
IGUANO DA SILVA MATOS 045747151562 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
IRENILDE SANTOS RODRIGUES 023175741554 REVISÃO 1023 75 12/08/2019 0016/2019
IRISMAR DE SOUSA RICARDO 045746241597 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
ISABELA OLIVEIRA DOS SANTOS 045745971589 ALISTAMENTO 1015 101 20/08/2019 0016/2019
ISMAEL PEREIRA DA COSTA 037737921597 REVISÃO 1031 78 29/08/2019 0016/2019
JACKELINE FLORENTINO DA SILVA 045746571554 ALISTAMENTO 1066 100 28/08/2019 0016/2019
JAIDE SILVA BENVINDO 045746941503 ALISTAMENTO 1066 100 30/08/2019 0016/2019
JAMILE MARTINS DA SILVA 045745851546 ALISTAMENTO 1015 101 19/08/2019 0016/2019
JAMILTON DIAS FEITOSA 033210321520 REVISÃO 1031 78 19/08/2019 0016/2019
JAQUELINE SOARES DA SILVA 045747061570 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 126

JAYME DE SOUSA SILVA 045746451511 ALISTAMENTO 1015 101 27/08/2019 0016/2019


JESSÉ DA SILVA LOPES 045746091554 ALISTAMENTO 1015 101 21/08/2019 0016/2019
JÉSSICA BEATRIZ MARQUES DE MIRANDA 045747021546 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
JOAO CESARIO DOS SANTOS 001652451511 REVISÃO 1023 14 02/08/2019 0016/2019
JOAO PAULO DA SILVA SANTOS 033377731511 TRANSFERÊNCIA 1015 101 26/08/2019 0016/2019
JONAS MAURIZ BRITO 045745501511 ALISTAMENTO 1015 101 02/08/2019 0016/2019
JONAS SALVADOR ALVES DA COSTA 045745571597 ALISTAMENTO 1015 101 08/08/2019 0016/2019
JOSE MARCOS DE BRITO 018371962054 TRANSFERÊNCIA 1015 101 30/08/2019 0016/2019
JOSELI FLORENTINO DA SILVA 044622621570 REVISÃO 1066 50 30/08/2019 0016/2019
JOSILAN CAVALCANTE SILVA 045746471589 ALISTAMENTO 1015 101 27/08/2019 0016/2019
JUCIARA DOS SANTOS SILVA 044159141554 REVISÃO 1015 45 02/08/2019 0016/2019
KAÉBERTH DIAS COSTA 045746211546 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
KAÉSIO RIBEIRO RAMOS 045746271538 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
KAIO ARAÚJO DIAS 045746341562 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
KAIO OLIVEIRA SOUSA 041839371546 REVISÃO 1031 18 22/08/2019 0016/2019
KALLEY FEITOSA DA SILVA 045746861597 ALISTAMENTO 1015 101 29/08/2019 0016/2019
KALYANNE ROCHA ARAÚJO 045746701520 ALISTAMENTO 1015 101 28/08/2019 0016/2019
KÁSSIO RIBEIRO RAMOS 045746281511 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
KEUROLAYNE ROSÁRIA OLIVEIRA SILVA 045746791562 ALISTAMENTO 1015 101 29/08/2019 0016/2019
KÉVISON ARAÚJO COSTA 045746351546 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
KEVYLEN FERREIRA FEITOSA 045745861520 ALISTAMENTO 1015 101 19/08/2019 0016/2019
LARISSA DE SOUSA REIS 045746151503 ALISTAMENTO 1023 110 21/08/2019 0016/2019
LEILANE ROSENO BARROS DA SILVA 039994771554 TRANSFERÊNCIA 1015 101 28/08/2019 0016/2019
LUCIA PAES DA SILVA 030067362771 TRANSFERÊNCIA 1015 101 22/08/2019 0016/2019
LUCINETE MARTINS VERAS 045745511503 ALISTAMENTO 1015 101 02/08/2019 0016/2019
LUIZ FERNANDO SOARES DA SILVA 045747001589 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
LUZIMAR DE JESUS DE SOUSA 021404591538 REVISÃO 1031 78 29/08/2019 0016/2019
MACIEL PEREIRA DE ARAUJO 028509771538 TRANSFERÊNCIA 1015 101 27/08/2019 0016/2019
MACIEL PEREIRA DE ARAÚJO JÚNIOR 045746131538 ALISTAMENTO 1015 101 21/08/2019 0016/2019
MARCIO REIS BATISTA DE FIGUEIREDO 023149231503 TRANSFERÊNCIA 1015 101 30/08/2019 0016/2019
MARCOS ANTÔNIO PEREIRA OLIVEIRA 045745521589 ALISTAMENTO 1015 101 02/08/2019 0016/2019
MARCOS SOUSA OLIVEIRA 041839751570 REVISÃO 1015 73 30/08/2019 0016/2019
MARIA DA GUIA FERREIRA DE SILVA 039302101554 REVISÃO 1015 101 27/08/2019 0016/2019
MARIA DA GUIA PIMENTEL DE LIMA 026079701546 TRANSFERÊNCIA 1058 108 23/08/2019 0016/2019
MARIA ERONITA DE SOUSA 015154592097 REVISÃO 1015 69 22/08/2019 0016/2019
MARIA HELENA SANTOS RODRIGUES 064526601171 TRANSFERÊNCIA 1015 101 21/08/2019 0016/2019
MARIA LUCIA DA CONCEICAO 005727061554 REVISÃO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
MARIA RITA RODRIGUES MATIAS 045745491589 ALISTAMENTO 1015 101 02/08/2019 0016/2019
MARIA SALVADOURA FLORENTINA CAVALCANTE 009299782054 REVISÃO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
MARINALVA MOREIRA DA SILVA 060095731031 TRANSFERÊNCIA 1015 101 29/08/2019 0016/2019
MARINEIDE ALVES PEREIRA 033806881589 REVISÃO 1015 101 29/08/2019 0016/2019
MYCHAEL SALES RODRIGUES 045746101597 ALISTAMENTO 1015 101 21/08/2019 0016/2019
NAIRA MOREIRA DA SILVA 045745841562 ALISTAMENTO 1015 101 19/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 127

PAMYLLA THAWANY DE SOUSA DIAS 067616611058 TRANSFERÊNCIA 1015 101 29/08/2019 0016/2019
PATRICIA TELES FEITOSA 022745312097 TRANSFERÊNCIA 1031 78 22/08/2019 0016/2019
RAIMUNDA DA CONCEICAO TELES 033212971503 REVISÃO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
RAIMUNDO DOURADO RIBEIRO NETO 027078591503 REVISÃO 1015 101 22/08/2019 0016/2019
RAIMUNDO NONATO ASSIS DA COSTA 030991451554 REVISÃO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
RAQUEL GOMES MIRANDA SANTOS 045746651562 ALISTAMENTO 1015 101 28/08/2019 0016/2019
REGINALDO RODRIGUES BRITO 015855452070 REVISÃO 1031 78 01/08/2019 0016/2019
RIQUELME DOS SANTOS NOGUEIRA 045745551520 ALISTAMENTO 1015 101 08/08/2019 0016/2019
RIQUELMY MATIAS SOARES 045746311511 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
ROBERTA COSTA DE MENESES 045746981520 ALISTAMENTO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
ROBERTA DA SILVA SANTOS 045746881554 ALISTAMENTO 1015 101 29/08/2019 0016/2019
RÔMULO DA COSTA SANTOS 045746321503 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
RUTEMBERG SOARES DA SILVA 045747011562 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
RUTH SANTOS BAIAO 027078441520 TRANSFERÊNCIA 1015 101 01/08/2019 0016/2019
SALATIEL FEITOSA DE SOUSA 045745721520 ALISTAMENTO 1015 101 13/08/2019 0016/2019
SAMUEL CESÁRIO DE SOUSA 045746951589 ALISTAMENTO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
SEBASTIANA ADALTIDES AMORIM 139187470523 TRANSFERÊNCIA 1031 78 30/08/2019 0016/2019
SÉRGIO FERREIRA ABREU 044949911503 REVISÃO 1015 77 19/08/2019 0016/2019
SHARLLENE KELLEN CARVALHO DA SILVA 045747051597 ALISTAMENTO 1031 78 30/08/2019 0016/2019
SILVIA HELENA ALVES MADEIROS 032950850736 REVISÃO 1015 101 20/08/2019 0016/2019
SIMONE GOMES LEAL 039301641589 TRANSFERÊNCIA 1015 101 27/08/2019 0016/2019
SOLEANE DE SOUSA PINTO 027080351589 REVISÃO 1015 101 27/08/2019 0016/2019
SUMAIER MADEIROS MARTINS DA SILVA 045745931554 ALISTAMENTO 1015 101 20/08/2019 0016/2019
TATIELLY DE SOUSA SILVA 045746481562 ALISTAMENTO 1015 101 27/08/2019 0016/2019
THAISMARA SOUSA ALENCAR 045746361520 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
THIAGO GOMES MIRANDA VÉRAS 045746641589 ALISTAMENTO 1015 101 28/08/2019 0016/2019
VALTER PEREIRA DA SILVA 005731411503 REVISÃO 1031 18 28/08/2019 0016/2019
VANESSA OLIVEIRA LINO 045746971546 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
VINICÍUS STEPHEM DE SOUSA RODRIGUES 045746871570 ALISTAMENTO 1015 101 29/08/2019 0016/2019
WADRA DA SILVA MATOS 045747081538 ALISTAMENTO 1015 101 30/08/2019 0016/2019
WAGNER OLIVEIRA DA SILVA 031015531503 REVISÃO 1015 101 29/08/2019 0016/2019
WANDERSON RAMOS OLIVEIRA 045746251570 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
WEVERSON SOUZA DE MIRANDA 045746291503 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
WEVILEY OLIVEIRA DE MIRANDA 045746231503 ALISTAMENTO 1015 101 23/08/2019 0016/2019
WILK VIEIRA DE SOUSA 045746401503 ALISTAMENTO 1031 78 23/08/2019 0016/2019
WILLIAN RODRIGUES MACIEL 045746961562 ALISTAMENTO 1066 100 30/08/2019 0016/2019
Origem: ZE 59 Zona: 059 Municipio: 10618 - CRISTINO CASTRO
Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADRIEL DOS SANTOS 045745531562 ALISTAMENTO 1066 103 02/08/2019 0016/2019
ALBERTO OLIVEIRA DE CARVALHO 024809551511 TRANSFERÊNCIA 1066 103 28/08/2019 0016/2019
ANA CAROLINA AQUINO DIAS DE ASSIS 045746731570 ALISTAMENTO 1031 97 29/08/2019 0016/2019
ANTONIO CELSO MIRANDA DA ROCHA 005722581562 REVISÃO 1066 9 13/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 128

ARILANA MAIA LIMA 077737790728 TRANSFERÊNCIA 1066 103 01/08/2019 0016/2019


ARIOLINO SILVA 018331571520 SEGUNDA VIA 1104 35 14/08/2019 0016/2019
BEATRIZ PEREIRA DA SILVA 045746831546 ALISTAMENTO 1031 97 29/08/2019 0016/2019
BENTO MACEDO DA SILVA 030992641589 SEGUNDA VIA 1040 8 28/08/2019 0016/2019
DAYHAN NAYLLER SANTOS FEITOSA 045746111570 ALISTAMENTO 1139 107 21/08/2019 0016/2019
DHEYMISON ROCHA DA SILVA 045745821503 ALISTAMENTO 1023 95 16/08/2019 0016/2019
ELIESE PEREIRA SILVA JÚNIOR 045746201562 ALISTAMENTO 1031 97 22/08/2019 0016/2019
FABÍOLA DA SILVA DOS SANTOS 045745591554 ALISTAMENTO 1015 109 08/08/2019 0016/2019
FELIPE FERREIRA DA SILVA 045747071554 ALISTAMENTO 1074 96 30/08/2019 0016/2019
FELIS RAIMUNDO DA ROCHA NETO 035074851503 TRANSFERÊNCIA 1066 103 08/08/2019 0016/2019
FRANCISCO CLEONES DE SÁ MATOS 027455061589 TRANSFERÊNCIA 1040 91 16/08/2019 0016/2019
HEDILMISIO JOSE DOS SANTOS 017918011546 REVISÃO 1058 98 26/08/2019 0016/2019
HESIODO DE SOUSA BENVINDO NETO 027074971589 SEGUNDA VIA 1066 81 30/08/2019 0016/2019
IRENE DE SOUSA BARROS 018966452046 REVISÃO 1058 2 12/08/2019 0016/2019
ISABELLA CRISTINA PEREIRA SANTOS 045746071597 ALISTAMENTO 1031 97 20/08/2019 0016/2019
JOAN HONORIO DE BRITO 035074411589 REVISÃO 1031 34 15/08/2019 0016/2019
JOÃO EMILIO BENVINDO DE SOUSA 019398412070 TRANSFERÊNCIA 1066 103 14/08/2019 0016/2019
JOÃO VICTOR DE SOUSA FERREIRA 045746061503 ALISTAMENTO 1139 107 20/08/2019 0016/2019
JOSE PEREIRA 006175241546 REVISÃO 1066 103 12/08/2019 0016/2019
JOSÉLIA DA CONCEIÇÃO SILVA OLIVEIRA 056676351120 TRANSFERÊNCIA 1066 103 23/08/2019 0016/2019
JUAREZ JOSÉ ALVES DA SILVA 030913891562 TRANSFERÊNCIA 1066 103 29/08/2019 0016/2019
KAUÃ DA CRUZ SANTOS 045745671562 ALISTAMENTO 1066 103 12/08/2019 0016/2019
KLEBER SOUSA GOMES 045745681546 ALISTAMENTO 1112 105 13/08/2019 0016/2019
LEONARDO SILVA DE JESUS 045746671520 ALISTAMENTO 1066 103 28/08/2019 0016/2019
LIZANDRA MENDES DE SÁ RODRIGUES 045745451554 ALISTAMENTO 1066 103 01/08/2019 0016/2019
LUCIMARA DOS SANTOS VIEIRA 033229261805 TRANSFERÊNCIA 1031 97 13/08/2019 0016/2019
LUZINETE PEREIRA DA TRINDADE DOS ANJOS 127574520523 TRANSFERÊNCIA 1023 95 08/08/2019 0016/2019
LUZINETE SOARES MENDES 040238821520 TRANSFERÊNCIA 1066 103 22/08/2019 0016/2019
MAIK GABRIEL MARQUES MATOS 045745891570 ALISTAMENTO 1066 103 19/08/2019 0016/2019
MARIA ADELINA VENANÇA DA SILVA CARDOSO 126913960108 REVISÃO 1112 16 07/08/2019 0016/2019
MARIA DO BONFIM ALVES DA CRUZ 054922791082 TRANSFERÊNCIA 1112 105 12/08/2019 0016/2019
MARIA DOS SANTOS VENANCIO 017900511546 REVISÃO 1120 72 20/08/2019 0016/2019
MARIA LUISA BARBOSA BATISTA 042355391570 REVISÃO 1023 32 27/08/2019 0016/2019
MARIA SALVADORA SOARES DE OLIVEIRA 001675201562 REVISÃO 1040 8 20/08/2019 0016/2019
MARIA VITÓRIA DIAS BARRETO 045745791503 ALISTAMENTO 1066 103 15/08/2019 0016/2019
MARLENE ROCHA HONORIO 021920921538 TRANSFERÊNCIA 1058 98 14/08/2019 0016/2019
MIKAEL DA SILVA SOUZA 045745831589 ALISTAMENTO 1058 98 16/08/2019 0016/2019
NATALY GUARINO DE PAIVA REZENDE 022926892054 TRANSFERÊNCIA 1066 103 27/08/2019 0016/2019
NELLUANE GOMES SOUSA 045747121511 ALISTAMENTO 1031 97 30/08/2019 0016/2019
PAULO AFONSO OLIVEIRA DE CARVALHO 022641311597 TRANSFERÊNCIA 1066 103 23/08/2019 0016/2019
PEDRO SEBASTIAO DE SOUSA OLIVEIRA 016423621538 TRANSFERÊNCIA 1023 95 14/08/2019 0016/2019
POLIANA SANTOS ROCHA 045745541546 ALISTAMENTO 1066 103 02/08/2019 0016/2019
RAÍSSA DIAS BENVINDO 044156731511 REVISÃO 1040 8 09/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 129

RANILSON DANTAS RIBEIRO 030996071546 REVISÃO 1066 103 21/08/2019 0016/2019


SABRINA LAVINA DA SILVA 045746121554 ALISTAMENTO 1040 91 21/08/2019 0016/2019
SALVADOR DOS SANTOS 007693881554 TRANSFERÊNCIA 1058 98 14/08/2019 0016/2019
SALVADOR SOARES DE ANDRADE 019603651570 TRANSFERÊNCIA 1058 98 14/08/2019 0016/2019
SAMARA DO NASCIMENTO NERIS 055369411031 TRANSFERÊNCIA 1023 95 02/08/2019 0016/2019
SORAIA DO NASCIMENTO NERIS 060924951007 TRANSFERÊNCIA 1023 95 02/08/2019 0016/2019
TAUANE BRITO DE FARIAS 038994571570 REVISÃO 1066 9 21/08/2019 0016/2019
VANDA CARNEIRO DE SOUZA 030992341562 TRANSFERÊNCIA 1023 95 12/08/2019 0016/2019
VILMA KELLY NUNES LEITE 027074001554 TRANSFERÊNCIA 1058 98 07/08/2019 0016/2019
VITOR HUGO SOARES DA SILVA 045745581570 ALISTAMENTO 1023 95 08/08/2019 0016/2019
WANNY SOARES DA SILVA 042929851570 REVISÃO 1066 74 14/08/2019 0016/2019
WASHINGTON SOARES DA SILVA 044156081511 REVISÃO 1066 74 14/08/2019 0016/2019
WENDY SOARES DA SILVA 040237971546 REVISÃO 1066 28 14/08/2019 0016/2019
WILLIAM HONÓRIO GUIMARÃES 045745661589 ALISTAMENTO 1031 97 12/08/2019 0016/2019
WILLY FAUSTINO SOARES DE CARVALHO 045745761554 ALISTAMENTO 1066 103 14/08/2019 0016/2019
ZILDA DE ARAÚJO SOARES 035669781503 REVISÃO 1031 34 07/08/2019 0016/2019.

Origem: ZE 59 Zona: 059 Municipio: 11479 - PALMEIRA DO PIAUÍ


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADRIEL RIBEIRO DA SILVA 045746391570 ALISTAMENTO 1074 86 23/08/2019 0016/2019
ALESSANDRO MENDES SANTOS 037218071570 REVISÃO 1023 93 26/08/2019 0016/2019
ALEX DOS SANTOS OLIVEIRA 045746491546 ALISTAMENTO 1023 93 27/08/2019 0016/2019
ALEXANDRE DOS SANTOS MOURA 045747131503 ALISTAMENTO 1023 93 30/08/2019 0016/2019
ALEXANDRE SOARES DOS SANTOS 045746501589 ALISTAMENTO 1023 93 27/08/2019 0016/2019
ALISON FERREIRA LEAL 045745961503 ALISTAMENTO 1066 26 20/08/2019 0016/2019
ANDRESSA PEREIRA FONSECA 045746851503 ALISTAMENTO 1015 94 29/08/2019 0016/2019
ANTONIO CARLOS DOS SANTOS SILVA 036490301007 TRANSFERÊNCIA 1023 93 27/08/2019 0016/2019
BEATRIZ DOS SANTOS FARIAS 045746161589 ALISTAMENTO 1066 38 21/08/2019 0016/2019
CARLOS LEAL BASTOS FILHO 045746181546 ALISTAMENTO 1015 94 21/08/2019 0016/2019
CECÍLIA DIAS SOARES 045746521546 ALISTAMENTO 1015 94 27/08/2019 0016/2019
CILMÁRIA PEQUENO DE ALMEIDA 017908411589 TRANSFERÊNCIA 1015 94 22/08/2019 0016/2019
CRISLANE AMORIM DA SILVA 044157371511 REVISÃO 1023 21 16/08/2019 0016/2019
DALLILA LOPES DA SILVA 045745941538 ALISTAMENTO 1066 26 20/08/2019 0016/2019
DELVAIR GOMES ROMAO 002762401546 REVISÃO 1074 24 28/08/2019 0016/2019
EDNALVA DA SILVA BRITO 035667691597 TRANSFERÊNCIA 1023 93 30/08/2019 0016/2019
ELDINEIDE OLIVEIRA DOS SANTOS 005732991597 TRANSFERÊNCIA 1015 94 12/08/2019 0016/2019
EMERSON AMORIM DA SILVA 045745801538 ALISTAMENTO 1023 93 16/08/2019 0016/2019
EVERTON DA SILVA SOUSA 045746511562 ALISTAMENTO 1023 93 27/08/2019 0016/2019
FERNANDA SANTOS DE ARAÚJO 045203591589 REVISÃO 1074 86 15/08/2019 0016/2019
FRANCIANE AMORIM DA SILVA 045745811511 ALISTAMENTO 1023 93 16/08/2019 0016/2019
FRANCIELE SOUSA OLIVEIRA 044157251589 TRANSFERÊNCIA 1023 93 30/08/2019 0016/2019
GABRIEL PEREIRA DA SILVA 045746011503 ALISTAMENTO 1015 94 20/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 130

GERALDO JOSE LEAL 005086432046 TRANSFERÊNCIA 1015 94 26/08/2019 0016/2019


JACIARA GOMES DE MATOS 044946571503 REVISÃO 1066 26 20/08/2019 0016/2019
JEDIDE MARIA DE MACEDO 002767481511 REVISÃO 1023 93 28/08/2019 0016/2019
JESUS GOMES DOS SANTOS 045746991503 ALISTAMENTO 1023 93 30/08/2019 0016/2019
JOSE ASSIS SOUSA SANTOS 002758631562 REVISÃO 1023 93 26/08/2019 0016/2019
JOSÉ EDIO RIBEIRO DOS SANTOS 042353971511 REVISÃO 1015 71 13/08/2019 0016/2019
JOSÉ FILHO MENDES DOS SANTOS 039300891570 REVISÃO 1023 93 26/08/2019 0016/2019
JOSE NETO DE OLIVEIRA 009683451538 TRANSFERÊNCIA 1023 93 16/08/2019 0016/2019
KATARINA DA SILVA PESSOA 044620901503 REVISÃO 1066 38 29/08/2019 0016/2019
KAUANE SILVA PEREIRA 045746041546 ALISTAMENTO 1015 94 20/08/2019 0016/2019
KESLEY OLIVEIRA FERREIRA 045745951511 ALISTAMENTO 1066 26 20/08/2019 0016/2019
KILDERY OLIVEIRA SANTOS 045747101554 ALISTAMENTO 1023 93 30/08/2019 0016/2019
LARICI MENDES PEREIRA 045746901570 ALISTAMENTO 1015 94 29/08/2019 0016/2019
LIÉDSON MENDES PERERIA 045746921538 ALISTAMENTO 1023 93 29/08/2019 0016/2019
LUCAS PEREIRA SANTOS 045746811589 ALISTAMENTO 1023 93 29/08/2019 0016/2019
LUIS LOPES BATISTA 023157051546 REVISÃO 1015 94 21/08/2019 0016/2019
LUZIANA ALVES BEZERRA 041047921538 TRANSFERÊNCIA 1015 94 15/08/2019 0016/2019
MARCOS VINÍCIUS SANTOS 045745621554 ALISTAMENTO 1015 94 09/08/2019 0016/2019
MARIA DE JESUS OLIVEIRA MENDES 016225371562 REVISÃO 1023 93 26/08/2019 0016/2019
MARIA EDUARDA LOPES LEMOS 045745611570 ALISTAMENTO 1015 94 09/08/2019 0016/2019
MARIA ERALENA LOPES BATISTA 002761241562 REVISÃO 1015 94 21/08/2019 0016/2019
PEDRO FONSÊCA DE CASTRO FILHO 041840431570 REVISÃO 1015 94 21/08/2019 0016/2019
RAIMUNDA FONSECA DA SILVA 001156761546 REVISÃO 1023 93 28/08/2019 0016/2019
RAQUEL DA SILVA PINHEIRO 045746171562 ALISTAMENTO 1015 94 21/08/2019 0016/2019
RÊNIA ARAÚJO BRITO 045745771538 ALISTAMENTO 1023 93 15/08/2019 0016/2019
SABRINA MATOS DE SOUSA 045745781511 ALISTAMENTO 1015 94 15/08/2019 0016/2019
SAMILTON FERREIRA MENDES 045746531520 ALISTAMENTO 1015 94 27/08/2019 0016/2019
SAMUEL SILVA DOS PASSOS 043851321503 REVISÃO 1066 38 29/08/2019 0016/2019
SEBASTIÃO PEREIRA RIBEIRO 041378251538 REVISÃO 1023 93 21/08/2019 0016/2019
SEBASTIAO PINTO LEAL 018331311597 REVISÃO 1074 86 23/08/2019 0016/2019
SOLANGE LEMOS ALMEIDA 045745601597 ALISTAMENTO 1015 94 09/08/2019 0016/2019
SUELLEN SILVA ALENCAR 068659491007 TRANSFERÊNCIA 1015 94 20/08/2019 0016/2019
TAILENE MENDES PEREIRA 045745901503 ALISTAMENTO 1015 94 20/08/2019 0016/2019
TAMIRES LEITE DA SILVA 044621851503 REVISÃO 1023 93 26/08/2019 0016/2019
TAMIRIS SANTOS 042352521554 REVISÃO 1023 23 28/08/2019 0016/2019
TATIANE SILVA DE CASTRO 045745911597 ALISTAMENTO 1015 94 20/08/2019 0016/2019
TELMA RIBEIRO DOS SANTOS 045746371503 ALISTAMENTO 1023 93 23/08/2019 0016/2019
UEMERSON DA SILVA LEAL 045745881597 ALISTAMENTO 1066 26 19/08/2019 0016/2019
VALDINER VIANA TELES 027075621511 REVISÃO 1023 22 23/08/2019 0016/2019
WELTON SANTOS AMORIM 045746801503 ALISTAMENTO 1023 93 29/08/2019 0016/2019
WESLLY DARLAN SANTOS PEREIRA 037205171503 TRANSFERÊNCIA 1023 93 02/08/2019 0016/2019
YURE DE OLIVEIRA PESSOA 045746761511 ALISTAMENTO 1066 26 29/08/2019 0016/2019
ZIQUIEL SILVA DOS PASSOS 044623861503 REVISÃO 1066 38 29/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 131

Origem: ZE 59 Zona: 059 Municipio: 11851 - SANTA LUZ


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA BEATRIZ PRUDÊNCIO FERREIRA 045746911554 ALISTAMENTO 1023 102 29/08/2019 0016/2019
ANDERSON PINTO DA SILVA 045745741597 ALISTAMENTO 1066 92 14/08/2019 0016/2019
ANTONIO NASCIMENTO NUNES 018129232046 TRANSFERÊNCIA 1015 88 19/08/2019 0016/2019
CLAUDSON DA CONCEIÇÃO ROCHA 045745651503 ALISTAMENTO 1023 102 12/08/2019 0016/2019
DIEGO ROCHA FERNANDES 045745691520 ALISTAMENTO 1023 102 13/08/2019 0016/2019
ED VAGNER ARAUJO 279961980175 TRANSFERÊNCIA 1015 88 28/08/2019 0016/2019
EDUARDA PINHEIRO BARBOSA 045746841520 ALISTAMENTO 1015 88 29/08/2019 0016/2019
ELIVELTON HENRIQUE DOS SANTOS 040965671589 TRANSFERÊNCIA 1082 99 07/08/2019 0016/2019
ELLEN GONÇALVES FERNANDES 045746021589 ALISTAMENTO 1015 88 20/08/2019 0016/2019
EMÍLIO PRUDÊNCIO DA SILVA 045746821562 ALISTAMENTO 1090 106 29/08/2019 0016/2019
FABIO CORDOLINO DA COSTA 031845611546 TRANSFERÊNCIA 1023 102 09/08/2019 0016/2019
FABÍOLA DIAS SOBRINHO 045745481503 ALISTAMENTO 1015 88 02/08/2019 0016/2019
FRANCILENE PEREIRA LIMA 031104551503 TRANSFERÊNCIA 1023 102 26/08/2019 0016/2019
GEÂNIA MATIAS CAVALCANTE MAIA 038277171546 TRANSFERÊNCIA 1015 88 14/08/2019 0016/2019
GEISLANI DE OLIVEIRA RODRIGUES 045745461538 ALISTAMENTO 1015 88 02/08/2019 0016/2019
GLÉDSON FERNANDES LIMA 045745441570 ALISTAMENTO 1015 88 01/08/2019 0016/2019
GUILHERME CAMPOS MENDES 045746681503 ALISTAMENTO 1015 88 28/08/2019 0016/2019
GUSTAVO DA SILVA PEREIRA 045746031562 ALISTAMENTO 1015 88 20/08/2019 0016/2019
HELOÍSA PEREIRA ALVES 045745431597 ALISTAMENTO 1015 88 01/08/2019 0016/2019
IVANILDE VIEIRA NUNES 013899122003 TRANSFERÊNCIA 1015 88 19/08/2019 0016/2019
JARDEL FERNANDES DE SOUSA 036271771520 SEGUNDA VIA 1066 70 07/08/2019 0016/2019
JONATHAN FERNANDES DE LACERDA IRENE 325696990132 REVISÃO 1015 53 19/08/2019 0016/2019
KLEIDIANE PEREIRA DE OLIVEIRA 037216481511 REVISÃO 1015 76 20/08/2019 0016/2019
LARISSA DE OLIVEIRA RODRIGUES 045745471511 ALISTAMENTO 1015 88 02/08/2019 0016/2019
MAICON DA COSTA SANTOS 045745641511 ALISTAMENTO 1023 102 09/08/2019 0016/2019
MAILSON PEREIRA SOARES 045746631503 ALISTAMENTO 1066 92 28/08/2019 0016/2019
MARIA DAS GRACAS MOURA AUGUSTO 004063592070 TRANSFERÊNCIA 1031 83 28/08/2019 0016/2019
MARIA DAS MERCES SANTOS 001195661520 REVISÃO 1023 56 21/08/2019 0016/2019
MARIA DE LOURDES BEZERRA DA SILVA 036045851031 TRANSFERÊNCIA 1015 88 01/08/2019 0016/2019
MARIA DO SOCORRO MOURA CAMPOS 018063392003 TRANSFERÊNCIA 1015 88 28/08/2019 0016/2019
MIQUEIAS DE SOUSA CASTRO 044946961511 TRANSFERÊNCIA 1023 102 09/08/2019 0016/2019
NELI DA COSTA SANTOS 045745631538 ALISTAMENTO 1023 102 09/08/2019 0016/2019
PEDRO SOARES DA PAZ FILHO 037217431570 REVISÃO 1015 55 12/08/2019 0016/2019
RAFAEL LIMA FERREIRA 045746421570 ALISTAMENTO 1023 102 26/08/2019 0016/2019
REBECA MATIAS DA SILVA 044500381562 TRANSFERÊNCIA 1015 88 01/08/2019 0016/2019
REBEKA BARBOSA COSTA DE CARVALHO 045746741554 ALISTAMENTO 1015 88 29/08/2019 0016/2019
REGINAL PEREIRA DIAS FILHO 042518901538 TRANSFERÊNCIA 1015 88 01/08/2019 0016/2019
SALVADOR LIMA DE SOUSA 031842781503 REVISÃO 1015 55 01/08/2019 0016/2019
SHELDA LIMA FERNANDES 045746411597 ALISTAMENTO 1023 102 26/08/2019 0016/2019
THOMAS ALEXANDRE SILVA SANTOS 045745751570 ALISTAMENTO 1066 92 14/08/2019 0016/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 132

VÍTOR GONÇALVES DE SOUSA 045746051520 ALISTAMENTO 1015 88 20/08/2019 0016/2019

Portarias

Portaria n° 010/2019

O Excelntíssimo Senhor Dr. Sandro Francisco Rodrigues, Juiz Eleitoral da 59ª Zona Eleitoral, Município de Cristino Castro, Estado do Piauí.

Resolve:
Art. 01 – DESIGNAR o Sr. ALAIR ROCHA CRISPINHO, Oficial do Tribuna de Justiça do Estado do Piauí – TJPI, Sr. NELMI RIBEIRO DOS
SANTOS, oficial de justiça do Tribunal de Justiça do Piauí – TJPI e o Sr. EDINALDO MOREIRA NUNES – servidor público municipal requisitado –
FC01, para os encargos de Oficial de Justiça Ad Hoc, durante o mês de Agosto de 2019, sob o compromisso, para cumprir citações,
intimaçãoes, diligências, notificações, mandados de busca e apreensão e outros mandados nos processos em tramitação no Cartório desta 59
Zona Eleitoral de Cristino Castro.

Art. 02 – Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, com efeitos retroativos a 01 de Setembro de 2019.

Notifique-se o ilustre representante do Ministério Público.


Publique-se, registre-se. Cumpra-se.
Cristino Castro/PI, 02 de Setembro de 2019.

Dr. Sandro Francisco Rodrigues


Juiz Eleitoral da 59ª ZE/PI

62ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL n° 46/19

De ordem da Exmº Sr. Dr. LEONARDO LÚCIO FREIRE TRIGUEIRO, Juiz desta 62ª Zona Eleitoral, na forma da lei etc,

FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos Srs. Delegados de Partidos
Políticos regularmente inscritos no âmbito dos municípios de Dom Expedito Lopes, Geminiano, Santa Cruz do Piauí, Santana do Piauí,
Sussuapara e Wall Ferraz que os eleitores constantes das anexas relações, que fica fazendo parte integrante e inseparável deste Edital,
requereram inscrição - originaria e/ou por transferência - 2ª via e revisão eleitoral, no período compreendido entre os dias 14/08/2019 a
30/08/2019, para os municípios em referência, tendo sido deferidos seus respectivos requerimentos.

Assim, nos termos dos artigos 17, § 1º e 18, § 5º, ambos da RS/TSE nº 21.538, de 14.10.2003, ficam notificados os interessados atrás
referidos a recorrerem, querendo, da decisão de deferimento dos citados requerimentos, dentro do prazo de 10 (dez) dias, contados da
publicação deste edital.

E para que chegue ao conhecimento de todos e no futuro ninguém possa alegar ignorância, mandou o MM. Juiz Eleitoral publicar o presente
EDITAL – com o prazo de (10) dez dias – que será afixado no local de costume desta 62ª Zona Eleitoral e na sede do Posto de Atendimento ao
Eleitor em Santa Cruz do Piauí. Dado e passado no Cartório Eleitoral desta 62ª Zona, nesta cidade de Picos (PI), aos dois dias do mês de
setembro do ano de dois mil e dezenove (02.09.2019). Eu, ______________________________ Daniela Martins Duarte, Analista Judiciário -
Chefe de Cartório da 62ª Zona Eleitoral – o digitei e subscrevi.
Daniela Martins Duarte
Chefe de Cartório da 62ª Zona Eleitoral

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 133

Aviso de Intimação

62ª ZONA ELEITORAL

PRESTAÇÃO DE CONTAS PARTIDÁRIAS EXERCÍCIO DE 2018


PROCESSO Nº 00035-94.2019.6.18.0062
JUIZ: LEONARDO LUCIO FREIRE TRIGUEIRO
INTERESSADO: MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO MDB DIRETÓRIO MUNICIPAL DE DOM EXPEDITO LOPES
PRESIDENTE: RAMON COSTA LIMA
FINALIDADE: PUBLICAR E INTIMAR AS PARTES DA MANIFESTAÇÃO TÉCNICA ABAIXO:

MANIFESTAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE CONTAS PARTIDÁRIAS

Consoante o disposto no Art. 45, IV da Resolução TSE nº 23.546/2017, apresento a Manifestação Técnica dos exames efetuados
sobre a Declaração de Ausência de Movimentação Financeira apresentada pelo Partido acima mencionado, protocolada neste Juízo Eleitoral,
em 22/08/2019, portanto, fora do prazo legal.

O Partido apresentou a Prestação de Contas na modalidade AUSÊNCIA DE MOVIMENTAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS OU


ESTIMÁVEIS EM DINHEIRO, conforme o disposto no art. 45 e incisos da Resolução TSE nº 23.546/17.

Em atendimento ao disposto no inciso I do art. 45 da citada resolução, foi publicado edital na sede desta 62ª Zona Eleitoral e no
Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI em 27/08/2019.

Não foi apresentada impugnação à presente prestação de contas, conforme consta da certidão de fl. 10.

Em consulta ao sistema SPCA Extrato Bancário, verificou-se a inexistência lançamentos nas contas bancárias em nome da
agremiação partidária, o que comprova, a princípio, a não movimentação de recursos financeiros no exercício.

Consultando o SPCA Requisição de Recibos Anuais, verificou-se que não houve a solicitação de emissão de recibos de doação no
exercício ora examinado.

Em consulta aos demonstrativos constantes das prestações de contas apresentadas à Justiça Eleitoral pelos diretórios nacional e
estadual, verificou-se que o partido acima nominado não recebeu recursos do Fundo Partidário no exercício financeiro de 2018.

Verificou-se, também, que o órgão municipal do partido não recebeu repasse de "outros recursos", financeiros ou estimáveis em
dinheiro, provenientes dos órgãos nacional ou estadual.

Assim, opinamos pela aprovação da presente prestação de contas, com ressalva, em vista do descumprimento do prazo do artigo
28 da Resolução TSE n° 23.546/17, conforme dispõe o art. 46, II da citada resolução.

A consideração de Vossa Excelência

Picos, 02 de setembro de 2019.

Antonio Flávio C. Costa


Técnico Judiciário da 62ªZE

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 134

62ª ZONA ELEITORAL


PRESTAÇÃO DE CONTAS PARTIDÁRIAS EXERCÍCIO DE 2018
PROCESSO Nº 00050-63.2019.6.18.0062
JUIZ: LEONARDO LUCIO FREIRE TRIGUEIRO
INTERESSADO: PARTIDO TRABALHISTA BRASILEIRO PTB DIRETÓRIO MUNICIPAL DE SANTANA DO PIAUÍ
PRESIDENTE: AURINO FRANCISCO RODRIGUES
FINALIDADE: PUBLICAR E INTIMAR AS PARTES DA MANIFESTAÇÃO TÉCNICA ABAIXO:

MANIFESTAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE CONTAS PARTIDÁRIAS

Consoante o disposto no Art. 45, IV da Resolução TSE nº 23.546/2017, apresento a Manifestação Técnica dos exames efetuados
sobre a Declaração de Ausência de Movimentação Financeira apresentada pelo Partido acima mencionado, protocolada neste Juízo Eleitoral,
em 23/08/2019, portanto, fora do prazo legal.

O Partido apresentou a Prestação de Contas na modalidade AUSÊNCIA DE MOVIMENTAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS OU


ESTIMÁVEIS EM DINHEIRO, conforme o disposto no art. 45 e incisos da Resolução TSE nº 23.546/17.

Em atendimento ao disposto no inciso I do art. 45 da citada resolução, foi publicado edital na sede desta 62ª Zona Eleitoral e no
Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI em 27/08/2019.

Não foi apresentada impugnação à presente prestação de contas, conforme consta da certidão de fl. 12.

Em consulta ao sistema SPCA Extrato Bancário, verificou-se a inexistência lançamentos nas contas bancárias em nome da
agremiação partidária, o que comprova, a princípio, a não movimentação de recursos financeiros no exercício.

Consultando o SPCA Requisição de Recibos Anuais, verificou-se que não houve a solicitação de emissão de recibos de doação no
exercício ora examinado.

Em consulta aos demonstrativos constantes das prestações de contas apresentadas à Justiça Eleitoral pelos diretórios nacional e
estadual, verificou-se que o partido acima nominado não recebeu recursos do Fundo Partidário no exercício financeiro de 2018.

Verificou-se, também, que o órgão municipal do partido não recebeu repasse de "outros recursos", financeiros ou estimáveis em
dinheiro, provenientes dos órgãos nacional ou estadual.

Assim, opinamos pela aprovação da presente prestação de contas, com ressalva, em vista do descumprimento do prazo do artigo
28 da Resolução TSE n° 23.546/17, conforme dispõe o art. 46, II da citada resolução.

A consideração de Vossa Excelência

Picos, 02 de setembro de 2019.

Antonio Flávio C. Costa


Técnico Judiciário da 62ªZE

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 135

62ª ZONA ELEITORAL


PRESTAÇÃO DE CONTAS PARTIDÁRIAS EXERCÍCIO DE 2018
PROCESSO Nº 00055-85.2019.6.18.0062
JUIZ: LEONARDO LUCIO FREIRE TRIGUEIRO
INTERESSADO: PARTIDO TRABALHISTA BRASILEIRO PTB DIRETÓRIO MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DO PIAUÍ
PRESIDENTE: JURANDIR MARTINS DOS SANTOS FILHO
FINALIDADE: PUBLICAR E INTIMAR AS PARTES DA MANIFESTAÇÃO TÉCNICA ABAIXO:

MANIFESTAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE CONTAS PARTIDÁRIAS

Consoante o disposto no Art. 45, IV da Resolução TSE nº 23.546/2017, apresento a Manifestação Técnica dos exames efetuados
sobre a Declaração de Ausência de Movimentação Financeira apresentada pelo Partido acima mencionado, protocolada neste Juízo Eleitoral,
em 07/08/2019, portanto, fora do prazo legal.

O Partido apresentou a Prestação de Contas na modalidade AUSÊNCIA DE MOVIMENTAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS OU


ESTIMÁVEIS EM DINHEIRO, conforme o disposto no art. 45 e incisos da Resolução TSE nº 23.546/17.

Em atendimento ao disposto no inciso I do art. 45 da citada resolução, foi publicado edital na sede desta 62ª Zona Eleitoral e no
Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI em 27/08/2019.

Não foi apresentada impugnação à presente prestação de contas, conforme consta da certidão de fl. 13.

Em consulta ao sistema SPCA Extrato Bancário, verificou-se a inexistência lançamentos nas contas bancárias em nome da
agremiação partidária, o que comprova, a princípio, a não movimentação de recursos financeiros no exercício.

Consultando o SPCA Requisição de Recibos Anuais, verificou-se que não houve a solicitação de emissão de recibos de doação no
exercício ora examinado.

Em consulta aos demonstrativos constantes das prestações de contas apresentadas à Justiça Eleitoral pelos diretórios nacional e
estadual, verificou-se que o partido acima nominado não recebeu recursos do Fundo Partidário no exercício financeiro de 2018.

Verificou-se, também, que o órgão municipal do partido não recebeu repasse de "outros recursos", financeiros ou estimáveis em
dinheiro, provenientes dos órgãos nacional ou estadual.

Assim, opinamos pela aprovação da presente prestação de contas, com ressalva, em vista do descumprimento do prazo do artigo
28 da Resolução TSE n° 23.546/17, conforme dispõe o art. 46, II da citada resolução.

A consideração de Vossa Excelência

Picos, 02 de setembro de 2019.

Antonio Flávio C. Costa


Técnico Judiciário da 62ªZE

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 136

63ª Zona Eleitoral

Editais
Edital n.º 0014/2019

EDITAL Nº 014/2019 – 63ª ZE/PI

O JUIZ DA 63ª ZONA ELEITORAL DA CIRCUNSCRIÇÃO DO PIAUÍ, DR. SEBASTIÃO FIRMINO LIMA FILHO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES
LEGAIS ETC,

FAZ SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele tiverem conhecimento, especialmente aos partidos políticos, que se
encontra disponível no Cartório da 63ª Zona Eleitoral, a relação contendo os pedidos de ALISTAMENTO, REVISÃO, TRANSFERÊNCIA e
SEGUNDA VIA, requeridos nesta 63ª Zona, durante o período de 26/08 a 30/08/2019, referente ao lote 18/2019, podendo os interessados
propor em recurso no prazo de 10 (dez) dias, contados a partir da data de publicação do presente Edital, nos termos do art.17º, § 1º, da
Resolução TSE nº 21.538/2003. E para que chegue ao conhecimento de todos, determinou o Meritíssimo Juiz desta 63ª Zona Eleitoral expedir
o presente Edital, que será afixado no lugar de costume e publicado na forma da Lei. Dado e passado nesta Cidade de Teresina, Capital do
Estado do Piauí, aos dois e seis dias do mês de setembro do ano de dois mil e dezenove. Eu,___________Tânia Maria de Carvalho Torres,
Técnico Judiciário, digitei o presente edital, que vai subscrito pelo Exmo. Sr. Juiz da 63ª Zona Eleitoral.

Teresina (PI), 02 de setembro de 2019.

DR. SEBASTIÃO FIRMINO LIMA FILHO


Juiz da 63.ª Zona Eleitoral

67ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 186/2019

[COM PRAZO DE 10(DEZ) DIAS]

De ordem do Excelentíssimo Senhor Juiz Eleitoral da 67ª ZE/PI da Cidade de Manoel Emídio – Piauí, Drº Denis Deangelis Brito Varela, em
cumprimento ao que dispõem os artigos 45, § 6º; art. 52, § 2º; art. 57, caput e § 2º, e art. 77, II, todos do Código Eleitoral e ainda, os artigos
17, §§ 1º e 2º; art. 18, §§ 5º e 6º, da Resolução nº 21.538/2003.
FAÇO SABER, aos partidos políticos, a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem e a quem mais interessar possa
que, a partir desta data, passam a fluir os prazos legais para impugnação das inscrições dos Municípios de Manoel Emídio, Colônia do
Gurguéia, Eliseu Martins, Bertolínia e Sebastião Leal requeridas entre 28/08/2019 a 30/08/2019, Lote nº 0014/2019, constantes nos relatórios
anexos, conforme prazos a seguir:
ALISTAMENTOS (deferidos): prazo 10 (dez) dias – art. 17, § 1º da Resolução nº 21.538/2003;
TRANSFERÊNCIAS (deferidas): prazo 10 (dez) dias – art. 17, § 5º da Resolução nº 21.538/2003;
REVISÕES E 2ª VIAS (deferidas): prazo 05 (cinco) dias – art. 52, § 2º do Código Eleitoral.
E, para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa no futuro alegar ignorância, mandou o MM. Juiz Eleitoral, expedir o presente
Edital, que será publicado no mural do Cartório Eleitoral e no Diário da Justiça Eletrônico.
Dado e passado nesta Cidade e Zona de Manoel Emídio, Sede da Sexagésima Sétima Zona Eleitoral, nos trinta dias do mês de agosto de dois
mil e dezenove (30/08/2019), Eu, Samuel Oliveira, Chefe de Cartório desta 67ª Zona, o digitei e subscrevi.

Manoel Emídio. 30 de agosto de 2019.


SAMUEL OLIVEIRA
CHEFE DO CARTÓRIO DA 67ª ZE/PI

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 137

ANEXO EDITAL 186/2019


Relação de Títulos Impressos para Afixação

Origem: ZE 67 Zona: 067 Municipio: 10200 - COLÔNIA DO GURGUÉIA

Data de Processamento: 28/08/2019 a 30/08/2019

Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote


ANTONIO JOSE GONCALVES DE SOUSA 027757031503 REVISÃO 1031 47 29/08/2019 0014/2019
CARLINDO ALVES BENVINDO 020796351589 TRANSFERÊNCIA 1040 56 29/08/2019 0014/2019
CARLOS KAUÃ CARVALHO LIMA 046196581570 ALISTAMENTO 1031 47 30/08/2019 0014/2019
CLEBSON DA CONCEIÇÃO RODRIGUES 041774671511 TRANSFERÊNCIA 1031 50 29/08/2019 0014/2019
DANYEL ASSIS DOS SANTOS 046196421503 ALISTAMENTO 1040 55 29/08/2019 0014/2019
DAVID LOPES FERREIRA 031012971538 REVISÃO 1040 53 30/08/2019 0014/2019
EMANOEL DE MOURA CARVALHO 046196511503 ALISTAMENTO 1031 47 29/08/2019 0014/2019
GEDSON RODRIGUES MATOS 036328881503 TRANSFERÊNCIA 1040 56 30/08/2019 0014/2019
GILMAR SOUSA RODRIGUES 046196481503 ALISTAMENTO 1031 50 29/08/2019 0014/2019
GILMARA SOUSA RODRIGUES 046196461538 ALISTAMENTO 1031 46 29/08/2019 0014/2019
JOÃO WALAS DOS SANTOS MOURA 046196541546 ALISTAMENTO 1031 50 30/08/2019 0014/2019
LUZIMAR OLIVEIRA DO NASCIMENTO 051005890310 TRANSFERÊNCIA 1040 55 30/08/2019 0014/2019
LUZIMARIA PEREIRA DA SILVA 108183570523 TRANSFERÊNCIA 1040 55 30/08/2019 0014/2019
MARCOS DOS SANTOS FREITAS 046196471511 ALISTAMENTO 1031 47 29/08/2019 0014/2019
MARIANA COSTA DE SOUSA 060571101015 TRANSFERÊNCIA 1031 46 30/08/2019 0014/2019
MARISVÂNIA FERREIRA DE SOUZA 044428151546 REVISÃO 1040 52 30/08/2019 0014/2019
NERIANE DA SILVA CAMPOS 046414681511 ALISTAMENTO 1040 56 30/08/2019 0014/2019
NILMA RODRIGUES DE SA 018311002089 TRANSFERÊNCIA 1040 55 30/08/2019 0014/2019
ORLEANY PEREIRA DOS SANTOS 044428581589 REVISÃO 1040 54 30/08/2019 0014/2019
PETERSON DIAS BATISTA 039533211520 REVISÃO 1023 42 30/08/2019 0014/2019
REGINALDO SOARES DE ABREU 046414701538 ALISTAMENTO 1040 56 30/08/2019 0014/2019
VINICIUS SOARES CARVALHO DE SOUSA 046196501511 ALISTAMENTO 1031 46 29/08/2019 0014/2019

Origem: ZE 67 Zona: 067 Municipio: 10332 – BERTOLÍNIA


Data de Processamento: 28/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ERIVELTON RODRIGUES DE SOUSA 040652801570 SEGUNDA VIA 1058 90 30/08/2019 0014/2019
HERCIANE BARBOSA RODRIGUES DO VALE 046196571597 ALISTAMENTO 1031 83 30/08/2019 0014/2019
LORRANE KELY MENEZES DE SOUSA 046196531562 ALISTAMENTO 1066 92 30/08/2019 0014/2019
MAIKON DE ARAUJO FEITOSA 046196561503 ALISTAMENTO 1023 102 30/08/2019 0014/2019
MAIKON DOUGLAS DE SOUSA SANTOS 046196551520 ALISTAMENTO 1023 102 30/08/2019 0014/2019
MARINELIA RODRIGUES DA SIVA 023827411562 TRANSFERÊNCIA 1023 102 30/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 138

Origem: ZE 67 Zona: 067 Municipio: 10715 - ELISEU MARTINS

Data de Processamento: 28/08/2019 a 30/08/2019


Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANILTON MACHADO DA SILVA 046196451554 ALISTAMENTO 1104 38 29/08/2019 0014/2019
JONILSON PEREIRA DOS SANTOS 037431501511 REVISÃO 1015 22 29/08/2019 0014/2019
VALDIRENE FREITAS DE MACEDO 020896642062 REVISÃO 1031 30 29/08/2019 0014/2019

Origem: ZE 67 Zona: 067 Municipio: 11177 - MANOEL EMÍDIO


Data de Processamento: 28/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
DELZUITE MARIA DA CONCEICÃO 016446171589 REVISÃO 1082 14 29/08/2019 0014/2019
ELISMARIA LUCENA MESSIAS 046196411520 ALISTAMENTO 1074 12 29/08/2019 0014/2019
FELIPE PEREIRA BARROS 042146771511 TRANSFERÊNCIA 1040 19 29/08/2019 0014/2019
HENRIQUE FRANCISCO DE SOUSA 046414691503 ALISTAMENTO 1120 99 30/08/2019 0014/2019
LEONARDO ARAUJO DA SILVA 046196491589 ALISTAMENTO 1120 99 29/08/2019 0014/2019
MARIANA RODRIGUES DE SOUSA 046196521589 ALISTAMENTO 1040 19 30/08/2019 0014/2019
RAY WANDERSON DE SOUSA COSTA 046414671538 ALISTAMENTO 1040 19 30/08/2019 0014/2019
RAYANNY KEULLY DOS SANTOS SILVA 046196371546 ALISTAMENTO 1082 14 29/08/2019 0014/2019
RAYLA GUEDES DO NASCIMENTO 046196381520 ALISTAMENTO 1031 6 29/08/2019 0014/2019

Origem: ZE 67 Zona: 067 Municipio: 12068 - SEBASTIÃO LEAL


Data de Processamento: 28/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADELINA MIRIAN ARAUJO REIS 046196441570 ALISTAMENTO 1023 101 29/08/2019 0014/2019
EDUARDO JOSÉ DA SILVA 046414661554 ALISTAMENTO 1023 101 30/08/2019 0014/2019
GENIVANIA DE ARAUJO DA SILVA 031678211511 TRANSFERÊNCIA 1040 68 30/08/2019 0014/2019
LÁZARO SARAIVA DE LIMA 046196391503 ALISTAMENTO 1023 101 29/08/2019 0014/2019
MARCOS VINICIUS PEREIRA VELOSO 046196401546 ALISTAMENTO 1066 70 29/08/2019 0014/2019
PAULO DALTO NETO 017030851040 REVISÃO 1023 101 30/08/2019 0014/2019
SONIA JUCOSKI DALTO 031804941520 REVISÃO 1023 101 30/08/2019 0014/2019
WILSON NETO VELOSO DE SOUSA 046196431597 ALISTAMENTO 1066 70 29/08/2019 0014/2019

Total de documentos impressos : 48

68ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL DE NOTIFICAÇÃO Nº 016/2019

De Ordem do MM. Juiz Dr. Marcos Augusto Cavalcanti Dias, Juiz Eleitoral desta 68ª Zona de Padre Marcos Estado do Piauí, nos termos dos
artigos 17, 18 e 19 da Resolução TSE nº 21.538/2003, etc.,
FAZ SABER a quem interessa possa ou deste tiver conhecimento, especialmente os eleitores, os representantes dos partidos

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 139

políticos e o Ministério Público, que segue anexo relatório de alistamentos, transferências, revisões e segundas vias realizados no mês de
AGOSTO de 01 a 30/08/2019, lote 010/2019, da 68ª Zona Eleitoral de Padre Marcos-PI, ficando facultado a qualquer delegado de partido
político, recorrer sobre eleitor(a) constante na dita relação no prazo de 10 (dez) dias (§1º do art. 17 da Res. TSE nº 21.538/2003).

E, para que ninguém possa alegar ignorância, foi expedido o presente Edital que será publicado e afixado no mural do Cartório Eleitoral da 68ª
Zona. Dado e passado nesta cidade de Padre Marcos, Estado do Piauí, sede da 68ª Zona Eleitoral, aos dois dias do mês de setembro de dois mil
e dezenove (02/09/2019). Eu____________ Josean Santos Almeida, Assistente FC I, desta 68ª Zona, preparei, conferi e digitei o presente
Edital.

Padre Marcos (PI), 02 de setembro de 2019

Josean Santos Almeida


Assistente FC I da 68ª ZE
Matrícula TRE nº 703587

Origem: ZE 68 Zona: 068 Municipio: 10367 - MARCOLÂNDIA


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANNA CAROLYNA DE CARVALHO NEGÃO 045847411503 ALISTAMENTO 1031 39 16/08/2019 0010/2019
ANTONIO BEZERRA DA SILVA 023003900817 TRANSFERÊNCIA 1090 73 28/08/2019 0010/2019
CRISLANE RAMOS DA SILVA 045847271546 ALISTAMENTO 1015 21 07/08/2019 0010/2019
EGIVALDO HELENO DE SOUZA 032666251503 SEGUNDA VIA 1023 34 09/08/2019 0010/2019
ISADORA DE BRITO RODRIGUES 045847161597 ALISTAMENTO 1031 43 01/08/2019 0010/2019
IZADORA DE SOUZA VIANA 045847251589 ALISTAMENTO 1015 23 07/08/2019 0010/2019
JOÃO VICTOR DE LIMA SANTOS 045847171570 ALISTAMENTO 1082 78 01/08/2019 0010/2019
JOSÉ LOPES DE SOUSA 016461401511 TRANSFERÊNCIA 1066 58 27/08/2019 0010/2019
JULIO CÉZAR DA SILVA 045126161503 REVISÃO 1090 74 22/08/2019 0010/2019
LAILA KEILA DA COSTA 024355171589 TRANSFERÊNCIA 1023 25 09/08/2019 0010/2019
LARISSA KAILANE LOPES SILVA 045847181554 ALISTAMENTO 1082 78 01/08/2019 0010/2019
LÍGIA MARIA DE JESUS 045847281520 ALISTAMENTO 1015 22 07/08/2019 0010/2019
MAGNA ADELAIDE SILVA BRITO 045847151503 ALISTAMENTO 1031 39 01/08/2019 0010/2019
MARIA AURICELIA SILVA PAULO COSTA 021166521589 REVISÃO 1023 25 13/08/2019 0010/2019
MARIA CLECIA PEREIRA DE SOUZA 058011310850 TRANSFERÊNCIA 1023 25 08/08/2019 0010/2019
MARIA DIVANI DA PURIFICACAO COSTA 044861580833 REVISÃO 1082 64 27/08/2019 0010/2019
MARIA ERASMA NASCIMENTO 001351051520 REVISÃO 1015 20 09/08/2019 0010/2019
MARIA GRAZIELA RODRIGUES GUALBERTO 045847601562 ALISTAMENTO 1082 78 28/08/2019 0010/2019
MILKA EMANOELA COSTA ARAUJO 045847581546 ALISTAMENTO 1023 34 27/08/2019 0010/2019
PEDRO LUCAS DE SOUSA DINIZ 045847191538 ALISTAMENTO 1015 90 01/08/2019 0010/2019
RAFAEL JOSÉ DA SILVA 045847241503 ALISTAMENTO 1015 22 07/08/2019 0010/2019
RENATO CESAR DO NASCIMENTO 045847571562 ALISTAMENTO 1031 39 27/08/2019 0010/2019
SAYMON EMANUEL DE CARVALHO SOUZA 045847201570 ALISTAMENTO 1031 76 01/08/2019 0010/2019
TAWANY RODRIGUES GOMES 045847261562 ALISTAMENTO 1015 90 07/08/2019 0010/2019

Origem: ZE 68 Zona: 068 Municipio: 11436 - PADRE MARCOS


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 140

Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote


ANA FLAVIA CONCEIÇÃO SOUSA MACEDO 041777431538 REVISÃO 1040 10 23/08/2019 0010/2019
ANA PAULA SOUSA SILVA 045847451520 ALISTAMENTO 1066 77 20/08/2019 0010/2019
AURISVALDO LUIS ARAUJO DOS SANTOS 021264011554 TRANSFERÊNCIA 1031 7 30/08/2019 0010/2019
CALEBE DA SILVA OLIVEIRA 038764091511 TRANSFERÊNCIA 1015 2 16/08/2019 0010/2019
CAMILLY HELEN DE SOUSA DIAS 045847321503 ALISTAMENTO 1031 8 09/08/2019 0010/2019
CÍNTIA RAQUEL DE SOUSA 045847461503 ALISTAMENTO 1066 77 20/08/2019 0010/2019
DÉBORA AMANDA DA SILVA DE BARROS 045847391589 ALISTAMENTO 1058 12 14/08/2019 0010/2019
DOMINGAS DALVINA DO NASCIMENTO 043652501562 REVISÃO 1066 55 21/08/2019 0010/2019
DOMINGOS JOÃO RIBEIRO 001988141503 REVISÃO 1058 12 09/08/2019 0010/2019
EDIMÍCIO LAPA DE MACEDO 001949131562 REVISÃO 1015 2 01/08/2019 0010/2019
EDNILSON EUFRÁSIO DE CARVALHO 045847421589 ALISTAMENTO 1074 75 19/08/2019 0010/2019
ELISVALDO EMIDIO DE SOUSA 016472401538 SEGUNDA VIA 1066 42 19/08/2019 0010/2019
ERINALDO RAFAEL DE BRITO 016462051503 TRANSFERÊNCIA 1066 77 20/08/2019 0010/2019
FRANCEILDO FRANCISCO LEAL 045847231511 ALISTAMENTO 1031 7 07/08/2019 0010/2019
FRANCILENA MARIA DE CARVALHO 038357731597 TRANSFERÊNCIA 1058 11 13/08/2019 0010/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS GOMES SILVA 045847561589 ALISTAMENTO 1066 77 27/08/2019 0010/2019
GIRLENE MARIA DA SILVA 045847471597 ALISTAMENTO 1090 81 21/08/2019 0010/2019
IRIA MARIA DE CARVALHO MOURA ALENCAR 018326091392 TRANSFERÊNCIA 1031 52 30/08/2019 0010/2019
JOAO RAIMUNDO ALENCAR 018298291309 TRANSFERÊNCIA 1031 8 30/08/2019 0010/2019
JOSÉ FRANCISCO DA SILVA 041241071503 REVISÃO 1066 77 27/08/2019 0010/2019
JUCICLEIDE MARIA DA SILVA 031967811570 REVISÃO 1031 52 23/08/2019 0010/2019
KALINNE CARVALHO COUTINHO 045847401511 ALISTAMENTO 1031 6 15/08/2019 0010/2019
KATHYANNE LEAL SOUSA 039138641503 TRANSFERÊNCIA 1023 5 20/08/2019 0010/2019
LEONEL DIAS LEAL 079620650850 REVISÃO 1040 32 29/08/2019 0010/2019
LUIZ RAIMUNDO DOS SANTOS SOUSA 038356331538 REVISÃO 1066 55 02/08/2019 0010/2019
MARCIANO JOSE DA SILVA 031967601546 REVISÃO 1040 3 23/08/2019 0010/2019
MARCIANO MANOEL DA SILVA 027753271511 SEGUNDA VIA 1058 33 20/08/2019 0010/2019
MARIANA ROSIMEIRE DA SILVA 040169601503 REVISÃO 1066 55 07/08/2019 0010/2019
MAYCON DO NASCIMENTO OLIVEIRA 040935701511 TRANSFERÊNCIA 1066 77 20/08/2019 0010/2019
PRYSCILA RAQUEL DO NASCIMENTO SILVA 045847491554 ALISTAMENTO 1066 77 22/08/2019 0010/2019
RAIMUNDO NONATO CARVALHO DE ARAUJO 003190701562 REVISÃO 1040 9 15/08/2019 0010/2019
REGINA REJANE DE MACEDO CARVALHO 041242131503 REVISÃO 1058 33 15/08/2019 0010/2019
RENON LUIZ DE MACEDO SOUSA 034953261546 REVISÃO 1023 37 23/08/2019 0010/2019
TAMIRIS MARIA DA SILVA 045847371511 ALISTAMENTO 1040 3 13/08/2019 0010/2019
VALÉRIA MARILENE DE ALENCAR 037693061597 REVISÃO 1015 2 13/08/2019 0010/2019

Origem: ZE 68 Zona: 068 Municipio: 12335 - BELÉM DO PIAUÍ


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA CRISTINA DE SOUSA DA SILVA 045847781597 ALISTAMENTO 1031 69 28/08/2019 0010/2019
CLAUDILENE DE SOUSA 045847711511 ALISTAMENTO 1023 79 28/08/2019 0010/2019
CRISLEY JANNY DIAS SOUSA 045847521554 ALISTAMENTO 1058 48 23/08/2019 0010/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 141

DANIEL HAMILTON DE CARVALHO LEAL 045847511570 ALISTAMENTO 1023 79 23/08/2019 0010/2019


DANIEL PEDRO DE ARAUJO 042474701511 TRANSFERÊNCIA 1040 50 09/08/2019 0010/2019
EDUARDA DA SILVA MARQUES 045847651570 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
ELENICE MARIA RIBEIRO MACEDO 001929311538 TRANSFERÊNCIA 1015 82 19/08/2019 0010/2019
FRANCICLEIDE CONCEIÇÃO ARAÚJO 045847681511 ALISTAMENTO 1015 82 28/08/2019 0010/2019
FRANCISCA DAS CHAGAS DA SILVA SANTOS 045847721503 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
FRANCISCO ANTÔNIO DA COSTA RIBEIRO 045847341570 ALISTAMENTO 1015 82 12/08/2019 0010/2019
FRANCISCO APARECIDO GOMES PEREIRA 023838651554 TRANSFERÊNCIA 1031 69 29/08/2019 0010/2019
FRANCISCO DE ASSIS DA COSTA RIBEIRO 045847351554 ALISTAMENTO 1015 82 12/08/2019 0010/2019
FRANCISLÉIA DE SOUSA SILVA 045847821570 ALISTAMENTO 1023 79 30/08/2019 0010/2019
GEOVANY DOS SANTOS CARVALHO 045847691503 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
JAISLANY MARIA DE CARVALHO 045847771503 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
JOÃO ALFREDO MACÊDO COSTA 045847761520 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
JOSE RODRIGUES DA SILVA 016454101538 REVISÃO 1058 48 16/08/2019 0010/2019
JUSCELINO JULIO DA SILVA 030839391546 TRANSFERÊNCIA 1023 79 12/08/2019 0010/2019
KEURY MACÊDO RIBEIRO 045847591520 ALISTAMENTO 1015 82 27/08/2019 0010/2019
LETÍCIA MARIA DE OLIVEIRA 045847631503 ALISTAMENTO 1023 79 28/08/2019 0010/2019
LUCIVALDO DE SOUSA SANTOS 045847641597 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
MARCIA QUEILA DOS SANTOS CARVALHO 160398320507 TRANSFERÊNCIA 1023 79 01/08/2019 0010/2019
MARIA DAS MERCÊS DE CARVALHO 045847791570 ALISTAMENTO 1015 82 28/08/2019 0010/2019
MAYELLA REIS SANTOS 045847731589 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
NYCOLLE SHELDA MACEDO RIBEIRO 045847741562 ALISTAMENTO 1015 82 28/08/2019 0010/2019
RAFAEL ARAÚJO MOURA 045847611546 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
RAFAEL MARIANO GRANJA 045847801503 ALISTAMENTO 1023 79 29/08/2019 0010/2019
RAILAN RAIMUNDO DE SOUSA 045847531538 ALISTAMENTO 1058 48 23/08/2019 0010/2019
RAISLARA DE ARAÚJO RIBEIRO 045847661554 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
RAISLÚCIO DE CARVALHO LEAL 045847621520 ALISTAMENTO 1015 82 28/08/2019 0010/2019
RAISSA MOANA DE CARVALHO RIBEIRO 045847831554 ALISTAMENTO 1023 79 30/08/2019 0010/2019
RUTHÁCIO DE ALMEIDA CAMPOS 045847701538 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0010/2019
VALDERI VALDECI DE CARVALHO 045847381503 ALISTAMENTO 1015 82 14/08/2019 0010/2019
XAYANNE SHARLA MACEDO RIBEIRO 045847751546 ALISTAMENTO 1015 82 28/08/2019 0010/2019
YASMIN DE CARVALHO LEAL 045847331597 ALISTAMENTO 1023 79 09/08/2019 0010/2019

Origem: ZE 68 Zona: 068 Municipio: 12378 - FRANCISCO MACEDO


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
CONSTANÇA ANTONIA DINIZ SILVA 027526941317 REVISÃO 1031 53 05/08/2019 0010/2019
EDNA LUIZA DA SILVA 045566841546 REVISÃO 1031 91 29/08/2019 0010/2019
FRANCISCA PAULA DE SOUSA 032668431503 TRANSFERÊNCIA 1082 70 20/08/2019 0010/2019
JOSÉ AILTON DA SILVA 030721221597 TRANSFERÊNCIA 1104 84 29/08/2019 0010/2019
JOVENILDA ROCHA DE OLIVEIRA 441671690116 REVISÃO 1066 86 28/08/2019 0010/2019
LUIZ OTAVIO DE SOUSA 002827491520 REVISÃO 1015 14 22/08/2019 0010/2019
MAIARA DE SOUSA SANTOS 045847811597 ALISTAMENTO 1058 71 30/08/2019 0010/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 142

STHEFANNY DE CARVALHO LIMA 045847361538 ALISTAMENTO 1031 91 12/08/2019 0010/2019

Origem: ZE 68 Zona: 068 Municipio: 12548 - VILA NOVA DO PIAUÍ


Data de Processamento: 01/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADJANIRA DA SILVA LEAL 045847541511 ALISTAMENTO 1031 80 27/08/2019 0010/2019
ANA BEATRIZ DA SILVA SANTOS 045847211554 ALISTAMENTO 1015 87 02/08/2019 0010/2019
APOLÔNIO ILÁRIO LEAL 022058721597 REVISÃO 1015 28 30/08/2019 0010/2019
DANIEL ARAUJO LEAL 034952921562 REVISÃO 1040 54 30/08/2019 0010/2019
DANILO VALENTIN LEAL 045847221538 ALISTAMENTO 1015 87 05/08/2019 0010/2019
DEUSDETE ANTONIO DE OLIVEIRA 040058601732 REVISÃO 1040 68 06/08/2019 0010/2019
FRANCISCO EVERALDO DE SOUSA 009730421570 TRANSFERÊNCIA 1031 80 15/08/2019 0010/2019
GEYSYANE PEREIRA DA SILVA 034226731570 REVISÃO 1040 89 01/08/2019 0010/2019
GILBERTA JOSEFA DO NASCIMENTO 034950701520 REVISÃO 1031 80 14/08/2019 0010/2019
JANAINA RODRIGUES DE SOUSA 045847431562 ALISTAMENTO 1040 89 20/08/2019 0010/2019
JOSÉ DANIEL DA SILVA 001283481503 TRANSFERÊNCIA 1040 89 20/08/2019 0010/2019
JOSÉ JUVANI DE LIMA 015575331503 REVISÃO 1031 30 01/08/2019 0010/2019
JOSUÉ DOS SANTOS SILVA 043791761503 TRANSFERÊNCIA 1040 89 12/08/2019 0010/2019
LEIDIANE DA LUZ LEAL 045847141520 ALISTAMENTO 1015 87 01/08/2019 0010/2019
LUCIENE FARIAS DOS SANTOS 037693831520 REVISÃO 1040 68 30/08/2019 0010/2019
LUCIENE RITA DA CONCEIÇÃO 037016411554 TRANSFERÊNCIA 1040 89 14/08/2019 0010/2019
LUIS ANTONIO DE SOUSA 002354991538 TRANSFERÊNCIA 1031 80 01/08/2019 0010/2019
LUIZ ROCHA DIAS 027768971503 TRANSFERÊNCIA 1040 89 29/08/2019 0010/2019
MARIA CLEUNICE DE JESUS SOUSA 016473401503 TRANSFERÊNCIA 1040 89 02/08/2019 0010/2019
MARIA CRISTINA DE CARVALHO LIMA 045847441546 ALISTAMENTO 1040 89 20/08/2019 0010/2019
MARIA RAIMUNDA DA SILVA SOUSA 028486661589 TRANSFERÊNCIA 1031 80 01/08/2019 0010/2019
MARIA ZENILDA DE JESUS LEAL 001244031554 REVISÃO 1015 29 08/08/2019 0010/2019
MAURISA BARBOSA LIMA 045847311520 ALISTAMENTO 1040 89 08/08/2019 0010/2019
MIKAEL LEAL SILVA 045847551503 ALISTAMENTO 1015 87 27/08/2019 0010/2019
OSMANA ANACLETA LEAL 028205941546 TRANSFERÊNCIA 1015 87 23/08/2019 0010/2019
PAULO HENRIQUE SILVA 045847481570 ALISTAMENTO 1040 89 22/08/2019 0010/2019
RAIMUNDA ANTONIA DA SILVA 002830891520 TRANSFERÊNCIA 1031 80 01/08/2019 0010/2019
ROSA MARIA BATISTA 028486571597 REVISÃO 1015 27 05/08/2019 0010/2019
SILVANO VIRGILIO BEZERRA DA SILVA 025992941554 TRANSFERÊNCIA 1040 89 15/08/2019 0010/2019
VALDETE VALDIR LEAL 040893871511 TRANSFERÊNCIA 1015 87 08/08/2019 0010/2019
VALDIR MANOEL LEAL 009512401538 REVISÃO 1015 28 08/08/2019 0010/2019
VANEIDE VITALINA DE CARVALHO 034952911589 TRANSFERÊNCIA 1040 89 21/08/2019 0010/2019
WILDEBRANDO LIMA SOUSA 045847291503 ALISTAMENTO 1015 87 08/08/2019 0010/2019
WILDEMBERG LIMA SOUSA 045847301546 ALISTAMENTO 1015 87 08/08/2019 0010/2019
Total de documentos impressos : 136

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 143

69ª Zona Eleitoral

Editais
n 18 e 19/2019

EDITAL N.º 18/2019


(PRAZO 10 DIAS)

O Excelentíssimo Senhor Doutor Filipe Bacelar Aguiar Carvalho, MM. Juiz Eleitoral da 69ª Zona, no uso de suas atribuições e na forma da Lei
etc.

FAZ SABER a quem interessar possa, especialmente aos fiscais, delegados e representantes de partidos políticos ou coligações
partidárias do município de Capitão Gervásio Oliveira/PI, Nova Santa Rita/PI, Pedro Laurentino/PI, Lagoa do Barro do Piauí/PI e Campo Alegre
do Fidalgo/PI, além de demais interessados, que os eleitores constantes da relação em anexo, mediante apuração em processo administrativo
Nº 41-80.2019.6.18.0069, terão os seus TÍTULOS ELEITORAIS CANCELADOS POR MOTIVO DE FALECIMENTO.

E para que ninguém possa alegar ignorância, mandou o MMº. Juiz Eleitoral que fosse expedido o presente Edital, com prazo de 10
(DEZ) dias, para ciência dos interessados e 05 (CINCO) dias, para contestar, nos termos do artigo 77, inciso II, do Código Eleitoral, o qual será
afixado no local de costume e publicado no Diário da Justiça Eletrônico. Dado e passado nesta cidade de São João do Piauí, Estado do Piauí, aos
trinta dias do mês de agosto de dois mil e dezenove (30/08/2019). Eu, __________________(Marília Fernanda Rodrigues dos Santos Castro),
Assistente I da 69ª ZE, o digitei e subscrevi.
São João do Piauí, 30 de agosto de 2019.

Filipe Bacelar Aguiar Carvalho


Juiz Eleitoral 69ª ZE

Anexo Edital nº 18/2019.


Lista de eleitores falecidos:
Eleitor Inscrição

Francisca da Silva Costa 0015 2720 1570

Adriano Costa da Silva 0095 4209 1546

Alcimar Rodrigues de Sousa 0361 1745 1554

Ananias Catarino da Silva 0095 6777 1511

Avelina Ribeiro da Silva 0012 6404 1546

Baldoino Ribeiro Antunes 0171 3065 1546

Barnabe Leite dos Santos 0242 4651 1546

Clara de Souza Muniz 0171 4758 1511

Flora Maria de Jesus Araújo 0095 7561 1589

Florencio Carvalho Mendes 0012 3108 1511

Idemar Rodrigues Alencar 0237 6900 1597

Joana Maria de Jesus 0095 4686 1538

José de Oliveira Filho 0014 4413 1511

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 144

José Maria Antonio da Costa 0000 3414 1520

Jovita Auta da Conceição 0095 6259 1511

Otacílio Lino de Sousa 0314 2732 1546

Pedro José da Silva 0310 5055 1570

Pedro Luiz da Costa 0455 1936 1562

Sílvia Amorim de Sousa 0095 3773 1520

Teresinha Ribeiro Martins 0012 5909 1511

Valdemar Pereira dos Santos 0238 4102 1589

Cipriano Germano da Costa 0095 5944 1520

Eva Maria de Sousa 0171 3334 1538

Francisco Amaro de Alencar 0204 8856 1546

Manoel José Ribeiro 0207 5583 1503

Anísia de Sousa Coelho 0095 6562 1503

Jaconias Elpídio Coelho 0012 3170 1570

Josefa Maria da Silva 0060 2932 1597

Edilson Ribeiro da Silva 0361 2179 1570

Adilson Barbosa de Oliveira 0361 1797 1589

Eloi Hermenegildo Ribeiro 0005 1648 1511

Adão Luiz Ribeiro 0095 2849 1503

Marina Gomes da Silva 0012 2736 1503

Edilia Maria da Silva 0013 0986 1520

José Francisco da Silva Coelho 0073 7301 1554

Aldair Ambrosio da Silva 00430 2287 1511

EDITAL Nº 019/2019

EDITAL DE PUBLICAÇÃO DE DECISÃO EM REQUERIMENTOS DE ALISTAMENTOS E TRANSFERÊNCIAS ELEITORAIS, BEM COMO DE REVISÃO E
REGULARIZAÇÃO DE INSCRIÇÃO CANCELADA

O Dr. Filipe Bacelar Aguiar Carvalho, Juiz Eleitoral desta 69ª Zona/PI, no uso de suas atribuições legais, em especial, ao art.17, § 1º e art. 18, §§
4º e 5º, da Resolução nº 21.538/2003, do Tribunal Superior e Eleitoral, e ainda o art. 258, do Código Eleitoral, etc.

FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, em especial aos eleitores constantes no relatório
do Lote RAE 014/2019, anexo, que ficam fazendo parte integrante deste, bem como aos Delegados de Partidos Políticos do município de
Campo Alegre do Fidalgo, Capitão Gervásio Oliveira, Lagoa do Barro do Piauí, Nova Santa Rita e Pedro Laurentino, os nomes daqueles que em
Requerimentos de Alistamento Eleitoral – RAE(s) foram por decisão deste Juízo, deferidos, podendo os Delegados de Partidos Políticos, no
prazo de 10 (dez) dias, oferecerem recurso para o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí do Alistamento e da Transferência e, no prazo de 03
(três) dias, da Regularização de Inscrição Cancelada em Revisão.

Faz saber, também, que a partir da publicação deste Edital, passará a correr o prazo legal para interposição de recurso. E para que

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 145

chegue ao conhecimento de quem interessar mandei expedir o presente Edital que será afixado no mural do Cartório Eleitoral e publicado no
DJE do TRE-PI.

Dado e passado nesta cidade de São João do Piauí, Estado do Piauí, sede da 69ª Zona Eleitoral, aos trinta do mês de agosto do ano de
dois mil e dezenove (30.08.2019). Eu, (Allyson Lyel Ribeiro Vasconcelos), Chefe de Cartório da 69ª ZE, o digitei e subscrevi.

Filipe Bacelar Aguiar Carvalho


Juiz Eleitoral – 69ª ZE

ANEXO AO EDITAL 19/2019

Origem: CA 208 Zona: 069 Municipio: 10340 - LAGOA DO BARRO DO PIAUÍ


Data de Processamento: 01/01/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
DEBORA GILBERTA DA SILVA 046074451570 ALISTAMENTO 1015 131 21/08/2019 0014/2019
DISNEY RIBEIRO CLEMENTINO 046074601503 ALISTAMENTO 1082 95 26/08/2019 0014/2019
FRANCIELLY ESTEPHANNY DOS SANTOS 046074471538 ALISTAMENTO 1015 131 21/08/2019 0014/2019
HENRIQUE DOS SANTOS 031073871554 REVISÃO 1082 95 28/08/2019 0014/2019
JOSIMAR RIBEIRO GOMES 033736241538 REVISÃO 1082 95 28/08/2019 0014/2019

Origem: CA 208 Zona: 069 Municipio: 10707 - CAPITÃO GERVÁSIO OLIVEIRA


Data de Processamento: 01/01/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
IZAEL RIBEIRO DE SOUSA 017147661520 TRANSFERÊNCIA 1023 132 23/08/2019 0014/2019
REGINALDO PETRONILIO DE OLIVEIRA 022065701597 REVISÃO 1015 26 26/08/2019 0014/2019
SINEIDE SANTOS BARROS 046074671589 ALISTAMENTO 1023 132 28/08/2019 0014/2019
TANIA OLIVEIRA SOUSA 046074561520 ALISTAMENTO 1023 132 22/08/2019 0014/2019
VALDIR PEREIRA DE CASTRO 019759511570 REVISÃO 1023 31 26/08/2019 0014/2019

Origem: CA 208 Zona: 069 Municipio: 10960 - NOVA SANTA RITA


Data de Processamento: 01/01/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ARISTIDES JEREMIAS DE FRANÇA RODRIGUES 046379701538 ALISTAMENTO 1082 123 29/08/2019 0014/2019
ARLEY JOSE DO MONTE 046379831554 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
CAMILA GOMES RIBEIRO 046074411546 ALISTAMENTO 1023 129 20/08/2019 0014/2019
CINTHIA SOARES DE SOUSA 046074401562 ALISTAMENTO 1023 129 20/08/2019 0014/2019
CLAUDINEI IDELFONSO DOS SANTOS FEITOSA 354801870124 TRANSFERÊNCIA 1074 122 28/08/2019 0014/2019
CLECIODOS SANTOS 046379811597 ALISTAMENTO 1090 124 30/08/2019 0014/2019
EDMILSON DE JESUS SANTOS 046074641538 ALISTAMENTO 1104 125 27/08/2019 0014/2019
ELIANA RIBEIRO DA SILVA 044829641570 TRANSFERÊNCIA 1090 124 30/08/2019 0014/2019
ELISVALDO DO CARMO SOUSA ALENCAR 046379661554 ALISTAMENTO 1058 120 28/08/2019 0014/2019
ELIZABETE IRACI DE SOUSA 026661651597 TRANSFERÊNCIA 1023 129 21/08/2019 0014/2019
ELIZETE APARECIDA DE ALENCAR 046379651570 ALISTAMENTO 1058 120 28/08/2019 0014/2019
ENDIO DE SOUSA SILVA 044775251538 REVISÃO 1023 129 29/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 146

FLAVIO SANTIAGO OLIVEIRA 046379681511 ALISTAMENTO 1090 124 29/08/2019 0014/2019


FRANCINALVA DE FRANÇA SOUSA 041745931503 REVISÃO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
FRANCISCO ANTONIO RODRIGUES 038074101597 TRANSFERÊNCIA 1058 120 27/08/2019 0014/2019
GABRIELA ALVES DE SOUSA 046074541562 ALISTAMENTO 1023 129 22/08/2019 0014/2019
GISELMA DA CONCEICAO PEREIRA 046074631554 ALISTAMENTO 1058 120 27/08/2019 0014/2019
GUILHERME DE SOUSA SILVA 046379751546 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
HERNANDE LOPES VILA NOVA 046074521503 ALISTAMENTO 1082 123 22/08/2019 0014/2019
JAIME RODRIGUES DE SOUSA 041744541538 REVISÃO 1058 120 30/08/2019 0014/2019
JOAO VITOR DE JESUS 046379821570 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
JOSE SALU JUNIOR 046379801503 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
JOSE ZEFERINO SOARES DE SOUSA 046379691503 ALISTAMENTO 1023 129 29/08/2019 0014/2019
JOSIMARIA GOMES COELHO 044771331597 REVISÃO 1023 129 20/08/2019 0014/2019
JULIO CESAR RIBEIRO DOS SANTOS 046379711511 ALISTAMENTO 1023 129 29/08/2019 0014/2019
JUSCELINO ALMINO MONTEIRO 046074551546 ALISTAMENTO 1082 123 22/08/2019 0014/2019
KELI DE JESUS SANTOS 046074651511 ALISTAMENTO 1104 125 27/08/2019 0014/2019
KEYSON RODRIGUES DE SOUSA 046074611597 ALISTAMENTO 1023 129 27/08/2019 0014/2019
KLEITON DE SOUSA 046074661503 ALISTAMENTO 1074 122 27/08/2019 0014/2019
KLIVIA ESTEFANE DE SOUSA AMORIM 046379671538 ALISTAMENTO 1023 129 29/08/2019 0014/2019
LARA ISABEL PEREIRA DA SILVA 046074531589 ALISTAMENTO 1023 129 22/08/2019 0014/2019
LEANDRO DE SOUSA MATA 046379851511 ALISTAMENTO 1090 124 30/08/2019 0014/2019
LEONARDO DE SOUSA MATA 046379841538 ALISTAMENTO 1090 124 30/08/2019 0014/2019
LUCIANA BARBOSA DE SOUSA 046379781597 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
LUCILENE RIBEIRO 046379881562 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
MARCOS ANTONIO DE SOUSA 046379771503 ALISTAMENTO 1082 123 30/08/2019 0014/2019
MATEUS DE SOUSA SOARES 046379791570 ALISTAMENTO 1082 123 30/08/2019 0014/2019
MISAEL FEITOSA SANTOS 046074621570 ALISTAMENTO 1104 125 27/08/2019 0014/2019
OTAVIO RODRIGUES FRANCA 046074511511 ALISTAMENTO 1082 123 22/08/2019 0014/2019
RAILANE ALVES DE SOUSA 046074491503 ALISTAMENTO 1023 129 22/08/2019 0014/2019
RAIMUNDA VALERIA ALVES DE SOUSA 046074501538 ALISTAMENTO 1082 123 22/08/2019 0014/2019
ROBSON RIBEIRO SOARES 046379741562 ALISTAMENTO 1090 124 30/08/2019 0014/2019
VALERIA REIS DE MIRANDA 046074481511 ALISTAMENTO 1082 123 22/08/2019 0014/2019
VITÓRIA DA CONCEIÇÃO TEIXEIRA 046379761520 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019
VITÓRIA LARISSE DA SILVA 046379731589 ALISTAMENTO 1023 129 30/08/2019 0014/2019

Origem: CA 208 Zona: 069 Municipio: 12351 - CAMPO ALEGRE DO FIDALGO


Data de Processamento: 01/01/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
CLEBERSON RIBEIRO DE ALENCAR 046379871589 ALISTAMENTO 1023 51 30/08/2019 0014/2019
CRISTINA DOS SANTOS 031422161503 REVISÃO 1023 48 21/08/2019 0014/2019
ELISETE ELIESITA DE ARAUJO 032340261554 TRANSFERÊNCIA 1074 59 20/08/2019 0014/2019
EMERSON VICENTE SILVA 046379641597 ALISTAMENTO 1120 65 28/08/2019 0014/2019
FRANCISCO ALDIR DE MELO SOUZA 023725651660 TRANSFERÊNCIA 1120 65 26/08/2019 0014/2019
JEFFERSON SOARES SOUSA 046379861503 ALISTAMENTO 1112 64 30/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 147

LAELSON LOPES 046074571503 ALISTAMENTO 1120 65 22/08/2019 0014/2019


LUIZ FERNANDO RIBEIRO RODRIGUES 046074581597 ALISTAMENTO 1031 61 23/08/2019 0014/2019
MARIA ADALGISA COSTA DA SILVA 046379891546 ALISTAMENTO 1104 62 30/08/2019 0014/2019
MARIA APARECIDA FEITOSA VIANA 224797070175 TRANSFERÊNCIA 1023 51 29/08/2019 0014/2019
OSVALDO TIAGO OLERIANO 007528531511 TRANSFERÊNCIA 1112 64 23/08/2019 0014/2019
VALDINEIA DE SOUSA RODRIGUES 046074431503 ALISTAMENTO 1031 61 20/08/2019 0014/2019

Origem: CA 208 Zona: 069 Municipio: 12491 - PEDRO LAURENTINO


Data de Processamento: 01/01/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALZIRENE RODRIGUES DA SILVA SANTOS 001313651570 REVISÃO 1015 68 30/08/2019 0014/2019
DIEGO LEITE DE SOUSA BRUNO 046379721503 ALISTAMENTO 1015 128 29/08/2019 0014/2019
EMIKAELY OLIVEIRA FERREIRA 046074591570 ALISTAMENTO 1015 128 26/08/2019 0014/2019
HERNANDES CARVALHO COSTA 032336631520 TRANSFERÊNCIA 1015 128 28/08/2019 0014/2019
JACSON LOPES DE SOUSA 026177131570 TRANSFERÊNCIA 1104 130 29/08/2019 0014/2019
JAILSON DA SILVA 410881270191 TRANSFERÊNCIA 1015 128 26/08/2019 0014/2019
LUDMILA LORRANY RIBEIRO DAS NEVES 046074421520 ALISTAMENTO 1104 130 20/08/2019 0014/2019
MARIA DA SAUDE COELHO DE SOUSA 046074441597 ALISTAMENTO 1074 76 21/08/2019 0014/2019
TAÍSA VIEIRA BARBOSA 039219661562 TRANSFERÊNCIA 1015 128 28/08/2019 0014/2019

Total de documentos impressos : 76

71ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL N.º 45/2019

PUBLICAÇÃO COM PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS

O Dr. ERMANO CHAVES PORTELA MARTINS, Juiz Eleitoral desta 71ª Zona de Capitão de Campos-PI, no uso de suas atribuições legais.
TORNA PÚBLICO a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, especialmente aos Delegados de Partidos Políticos,
os pedidos de inscrições, transferências, revisões e segundas vias, constantes da relação anexa, dos eleitores relativos aos municípios de
Boqueirão do Piauí, Capitão de Campos e Cocal de Telha que compõem a 71ª Zona Eleitoral/PI, referentes ao lote nº 13/2019, requeridos no
período de 20/08/2019 a 30/08/2019 e deferidos, podendo os mesmos propor recurso no prazo de 10 (dez) dias, nos termos dos arts.17, § 1º
e 18, § 5º, da Res. nº. 21.538/2003, bem como do Art. 7º, §1º da Lei n.º 6.996/82, a contar da data da publicação. E, para que chegue ao
conhecimento de todos e não possam alegar ignorância, determinou o MM. Juiz Eleitoral desta 71ª Zona, expedir o presente edital, publicado
na forma da lei. Dado e passado nesta cidade e Comarca de Capitão de Campos, Estado do Piauí, aos dois dias de setembro de dois mil e
dezenove (02/09/2019). Eu, _______, José Roberto de Sousa Brito, Chefe de Cartório da 71ª Zona Eleitoral, digitei.

Dr. ERMANO CHAVES PORTELA MARTINS


Juiz Eleitoral da 71ª Zona-PI

Justiça Eleitoral - 71ª Zona/PI


ELO - Cadastro Eleitoral
Relação de Títulos Impressos para Afixação
Origem: ZE 71 Zona: 071 Município: 10472 - CAPITÃO DE CAMPOS
Data de Processamento: 20/08/2019 a 30/08/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 148

Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote


ANA CLARA RODRIGUES SILVA 046282501554 ALISTAMENTO 1066 99 21/08/2019 0014/2019
ANAEL LUCAS MENDES DA SILVA 046282671503 ALISTAMENTO 1040 89 28/08/2019 0014/2019
BRUNO LUIZ DA SILVA 038097831546 REVISÃO 1090 4 30/08/2019 0014/2019
CAIO MARTINS PINTO 076868050728 TRANSFERÊNCIA 1031 81 28/08/2019 0014/2019
CAMILA SOARES DA SILVA 046282531503 ALISTAMENTO 1015 1 22/08/2019 0014/2019
ELIABE OLIVEIRA SOUSA 046282711589 ALISTAMENTO 1082 105 30/08/2019 0014/2019
EVANI SENA DE OLIVEIRA 022470851597 TRANSFERÊNCIA 1104 11 21/08/2019 0014/2019
FRANCISCA CELMA DA SILVA GOMES 046282581503 ALISTAMENTO 1066 99 26/08/2019 0014/2019
FRANCISCO EDSON DA SILVA 046282691562 ALISTAMENTO 1015 1 29/08/2019 0014/2019
FRANCISCO JOSÉ GOMES DE CARVALHO 046282621597 ALISTAMENTO 1171 87 27/08/2019 0014/2019
JORGE PEREIRA GOMES 027745591570 REVISÃO 1147 24 29/08/2019 0014/2019
JOSE LUIS DE SOUSA 015195001570 REVISÃO 1147 24 27/08/2019 0014/2019
MARIA DOS REMEDIOS NELSA DA CRUZ 016562431570 REVISÃO 1155 25 27/08/2019 0014/2019
PEDRO ANDERSON DA SILVA CARVALHO 046282651538 ALISTAMENTO 1147 79 27/08/2019 0014/2019
Origem: ZE 71 Zona: 071 Município: 12149 - BOQUEIRÃO DO PIAUÍ
Data de Processamento: 20/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADRIANO FERREIRA DE OLIVEIRA 039348441503 REVISÃO 1120 49 21/08/2019 0014/2019
ANA CLARA ALVES ANDRADE 042979971589 REVISÃO 1074 72 26/08/2019 0014/2019
ANDRÉIA RODRIGUES DA SILVA 046282681589 ALISTAMENTO 1074 96 29/08/2019 0014/2019
ANTONIO ALERRANDRO DE SALES 046282641554 ALISTAMENTO 1082 104 27/08/2019 0014/2019
ANTONIO CARLOS DE SOUSA ARAUJO 046282601520 ALISTAMENTO 1015 39 27/08/2019 0014/2019
ANTÔNIO CLEYTON VASCONCELOS SOUSA 046282591597 ALISTAMENTO 1015 38 27/08/2019 0014/2019
ANTONIO FRANCISCO DA SILVA COSTA 029755231597 REVISÃO 1031 41 30/08/2019 0014/2019
ANTONIO WALYSON SILVA 046282481538 ALISTAMENTO 1090 78 21/08/2019 0014/2019
EDIMAR DO NASCIMENTO PEREIRA 037079001503 REVISÃO 1031 101 22/08/2019 0014/2019
ELIANE CARDOSO DE MELO 016232502003 TRANSFERÊNCIA 1074 96 29/08/2019 0014/2019
ELIAS CARVALHO LOPES NASCIMENTO SILVA 046282611503 ALISTAMENTO 1120 107 27/08/2019 0014/2019
ERIC DE ALMEIDA PEREIRA 046282541589 ALISTAMENTO 1082 104 22/08/2019 0014/2019
ERIVALDO NAZARENO DE SOUSA NASCIMENTO 046282701503 ALISTAMENTO 1031 101 30/08/2019 0014/2019
FRANCISCA DAS CHAGAS RODRIGUES DA SILVA 038416291589 TRANSFERÊNCIA 1031 101 22/08/2019 0014/2019
HELLEN LUINI DE SOUSA SILVA 046282491511 ALISTAMENTO 1147 106 21/08/2019 0014/2019
JOEL PEREIRA 028125091562 REVISÃO 1074 93 26/08/2019 0014/2019
JOSANTO DA ROCHA OLIVEIRA 042016561589 REVISÃO 1023 73 21/08/2019 0014/2019
JOSE LIRA DE FREITAS 125477060167 TRANSFERÊNCIA 1082 104 27/08/2019 0014/2019
KEZIANNY DE SOUSA SILVA 046282661511 ALISTAMENTO 1082 104 27/08/2019 0014/2019
LETICIA DE PAULA 046282471554 ALISTAMENTO 1090 78 21/08/2019 0014/2019
LUCAS MIKAEL SALES DO NASCIMENTO 046282521511 ALISTAMENTO 1031 101 22/08/2019 0014/2019
LUIZ GONZAGA LOPES 020638371503 REVISÃO 1120 66 22/08/2019 0014/2019
MARIA CELESTE SANTOS DE FREITAS 125537440116 TRANSFERÊNCIA 1082 104 27/08/2019 0014/2019
MARIA CRISTIANE PEREIRA AMERICA 028123601538 REVISÃO 1147 75 30/08/2019 0014/2019
MARIA VITORIA SOARES 004909181562 REVISÃO 1031 41 30/08/2019 0014/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 149

OSMAR JOSE PEREIRA 015519721546 REVISÃO 1074 93 26/08/2019 0014/2019


REGINA SELMA ARAGAO MASCARENHAS 019460811538 REVISÃO 1147 106 30/08/2019 0014/2019
RIQUELME ARAUJO DE ALMEIDA 046282551562 ALISTAMENTO 1074 96 22/08/2019 0014/2019
WESLLEY ALVES DA SILVA 046282511538 ALISTAMENTO 1023 102 21/08/2019 0014/2019
Origem: ZE 71 Zona: 071 Município: 12360 - COCAL DE TELHA
Data de Processamento: 20/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
DANIEL CEZÁRIO DA SILVA 046282561546 ALISTAMENTO 1090 103 26/08/2019 0014/2019
DAVI DEYBSOM DA SILVA 042978671503 REVISÃO 1058 71 30/08/2019 0014/2019
IVONETE FERREIRA BORGES 023565851538 SEGUNDA VIA 1023 58 20/08/2019 0014/2019
JACO JONAS DA SILVA 040835481503 REVISÃO 1040 94 30/08/2019 0014/2019
JOÃO FERREIRA BORGES 046282461570 ALISTAMENTO 1058 95 20/08/2019 0014/2019
LEILIANE ALVES MENDES 038098781546 SEGUNDA VIA 1058 62 27/08/2019 0014/2019
LUCIANO CEZÁRIO 046282571520 ALISTAMENTO 1090 103 26/08/2019 0014/2019
Total de documentos impressos : 50

81ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 020/2019 DEFERIMENTO DE RAE

De ordem do Exmo. Juiz Eleitoral da 81ª zona, Dr. Antonio Genival Pereira de Sousa, no uso de suas atribuições legais, etc.

FAZ SABER a todos quanto o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, principalmente aos partidos políticos com registro nesta 81ª
Zona, que no período de 09/08/2019 a 30/08/2019 – LOTE 008/2019, foram deferidas 127 (cento e vinte e sete) operações eleitorais,
conforme lista em anexa, que ficará disponível em Cartório para conhecimento dos interessados, os quais, por força do disposto no art. 18, §
5º da Resolução 21.538 do TSE, têm 10 (dez) dias para recorrer.

E, para que ninguém possa alegar ignorância no futuro, mandou o MM. Juiz Eleitoral da 81ª Zona Eleitoral expedir o presente edital que será
afixado no lugar de costume, bem como no diário oficial de Justiça.

Dado e passado nesta cidade e Comarca de Campinas do Piauí, Estado do Piauí, aos trinta dias do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove
(30/08/2019). De ordem do MM. Juiz da 81ª zona eu, _________, Ana Cristina Barros de LIma, Chefe do cartório desta 81ª ZE, o digitei e
subscrevi.

Ana Cristina Barros de Lima


Chefe de Cartório da 81ª ZE

EDITAL N.º 020/2019 - ANEXO - LOTE 008/2019

Origem: ZE 81 Zona: 081 Municipio: 10413 - CAMPINAS DO PIAUÍ


Data de Processamento: 09/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA PAULA XAVIER DOS PASSOS 021106751546 TRANSFERÊNCIA 1023 55 29/08/2019 0008/2019
ANTONIO NETO DE SOUSA 033480661546 REVISÃO 1074 12 14/08/2019 0008/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 150

BÁRBARA NIKELLY BORGES JUSCELINO 046383631589 ALISTAMENTO 1058 10 21/08/2019 0008/2019


CARLOS EDUARDO DA CONCEIÇÃO BISPO 046383701503 ALISTAMENTO 1023 55 28/08/2019 0008/2019
CICERO ANATALIO DA SILVA 024486781570 TRANSFERÊNCIA 1023 55 12/08/2019 0008/2019
DANIEL LEAL DE MOURA 046383251554 ALISTAMENTO 1112 58 12/08/2019 0008/2019
DAVID RODRIGUES DE SOUSA 005333051597 TRANSFERÊNCIA 1031 41 27/08/2019 0008/2019
DELZUITA RAIMUNDA XAVIER 203558840175 TRANSFERÊNCIA 1023 55 29/08/2019 0008/2019
DENILSON PEREIRA DOS SANTOS 046383241570 ALISTAMENTO 1031 41 12/08/2019 0008/2019
DIEGO RODRIGUES DE SOUSA 046383301511 ALISTAMENTO 1155 40 14/08/2019 0008/2019
EDUARDO DA SILVA XAVIER 046383741538 ALISTAMENTO 1031 41 29/08/2019 0008/2019
ELIAS RAIMUNDO HERMINIO 021990791546 TRANSFERÊNCIA 1031 41 21/08/2019 0008/2019
ENOI DE MORAIS SOUSA 005333651520 TRANSFERÊNCIA 1031 41 27/08/2019 0008/2019
ERIVAN DA CONCEIÇÃO SANTANA 030763821570 TRANSFERÊNCIA 1090 53 29/08/2019 0008/2019
FABIO JUNIOR BARBOSA 039119691562 TRANSFERÊNCIA 1074 59 27/08/2019 0008/2019
FRANCINALDO DA SILVA 038031351538 REVISÃO 1023 3 30/08/2019 0008/2019
FRANCINEIA DA CONCEIÇÃO PEREIRA 046383551570 ALISTAMENTO 1104 32 19/08/2019 0008/2019
FRANCINETO CARVALHO SILVA 046383541597 ALISTAMENTO 1090 53 19/08/2019 0008/2019
GERILSON DE SOUSA PEREIRA 032694211503 TRANSFERÊNCIA 1023 55 29/08/2019 0008/2019
GINÁRIA MARIA DA SILVA GONÇALVES DE MOURA 037749331511 TRANSFERÊNCIA 1031 41 19/08/2019 0008/2019
GIZELDA BORGES DA SILVA 024486761503 TRANSFERÊNCIA 1031 41 20/08/2019 0008/2019
HUERLEY BORGES CAVALCANTE 027243631503 REVISÃO 1023 55 28/08/2019 0008/2019
ISMAEL VILA NOVA DE SOUSA 016941531554 TRANSFERÊNCIA 1163 42 20/08/2019 0008/2019
IVONEIDE MENDES DE LIMA 033477691589 TRANSFERÊNCIA 1147 60 21/08/2019 0008/2019
JACI COSTA 074055950400 TRANSFERÊNCIA 1031 41 26/08/2019 0008/2019
JACIRA DE SOUSA FARIAS MORAIS 015661152062 TRANSFERÊNCIA 1074 59 26/08/2019 0008/2019
JOSÉ ARIMATÉIAS DE ALMEIDA XAVIER 020692921570 TRANSFERÊNCIA 1074 59 21/08/2019 0008/2019
JOSE NILSON BORGES DE SOUSA 021661631546 TRANSFERÊNCIA 1163 42 12/08/2019 0008/2019
JOSÉ RICARDO PINHEIRO DA SILVA 031961371511 TRANSFERÊNCIA 1031 41 19/08/2019 0008/2019
KEURILANE DE CARVALHO 046383261538 ALISTAMENTO 1023 55 12/08/2019 0008/2019
LAIANE MARIA DA SILVA 035776361562 REVISÃO 1090 53 19/08/2019 0008/2019
LIANDRO DE SOUSA 044302011503 REVISÃO 1015 1 12/08/2019 0008/2019
LUCAS GABRIEL DE SOUSA 046383271511 ALISTAMENTO 1120 34 12/08/2019 0008/2019
LUCIVÂNIA DA CONCEIÇÃO SOUSA 046383571538 ALISTAMENTO 1155 40 20/08/2019 0008/2019
LUIZ ARMANDO DA SILVA 003475601538 REVISÃO 1040 5 22/08/2019 0008/2019
LUSIMÁ DA SILVA REIS 021294041562 TRANSFERÊNCIA 1120 34 29/08/2019 0008/2019
MARIA BETANIA CAMILA SALVIANA 016953991511 TRANSFERÊNCIA 1074 59 21/08/2019 0008/2019
MARIA DA GLÓRIA DE ALMEIDA 002945421589 TRANSFERÊNCIA 1074 59 29/08/2019 0008/2019
MARIA DO SOCORRO SOUSA 009960661503 REVISÃO 1074 59 20/08/2019 0008/2019
MARIA FERNANDA LACERDA CARVALHO 045562851570 TRANSFERÊNCIA 1023 55 26/08/2019 0008/2019
MICAELA DA CONCEIÇÃO SOUSA 046383811562 ALISTAMENTO 1112 58 30/08/2019 0008/2019
NEIDE MARIA MENDES ALVES 273815510124 TRANSFERÊNCIA 1023 55 14/08/2019 0008/2019
NEYVA RODRIGUES DA SILVA 046383531503 ALISTAMENTO 1023 55 16/08/2019 0008/2019
RAILLANY MARIA SANTANA 046383281503 ALISTAMENTO 1031 41 13/08/2019 0008/2019
RAILMA DA SILVA DOS SANTOS 046383711597 ALISTAMENTO 1090 53 29/08/2019 0008/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 151

RAQUEL RODRIGUES DE SOUSA 046383791546 ALISTAMENTO 1023 55 30/08/2019 0008/2019


ROSÁLIA MARIA VIEIRA NUNES 042146101503 REVISÃO 1031 41 13/08/2019 0008/2019
ROSANGELA VIEIRA DE CARVALHO 043441201538 REVISÃO 1031 41 13/08/2019 0008/2019
SAMUEL CARVALHO COSTA 046383561554 ALISTAMENTO 1031 41 20/08/2019 0008/2019
TATILA SAMARA ALVES DE MORAIS SOUSA 033477191511 REVISÃO 1040 5 21/08/2019 0008/2019
VALDECI MARIA DA SILVA 016926481503 REVISÃO 1090 53 13/08/2019 0008/2019
VALMIR GUILHERME BORGES FERREIRA 046383621503 ALISTAMENTO 1031 41 21/08/2019 0008/2019
Total de documentos impressos : 52

Origem: ZE 81 Zona: 081 Municipio: 12637 - FLORESTA DO PIAUÍ


Data de Processamento: 09/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADEMIR LIMA DOS SANTOS 046383591503 ALISTAMENTO 1023 51 21/08/2019 0008/2019
ANTÔNIO PEREIRA LEITE 016930321503 REVISÃO 1023 37 27/08/2019 0008/2019
CARLOS EDUARDO DA SILVA FERREIRA 046383821546 ALISTAMENTO 1023 51 30/08/2019 0008/2019
CAROLINA DA CONCEIÇÃO SOUSA 046383291589 ALISTAMENTO 1023 51 13/08/2019 0008/2019
FAGNER BARBOSA CAMPOS 031993381597 REVISÃO 1023 51 26/08/2019 0008/2019
FLAVIO DE DEUS MOURA 020694311589 REVISÃO 1023 37 19/08/2019 0008/2019
FRANCISCO DAS CHAGAS SILVA JUNIOR 046383661520 ALISTAMENTO 1023 51 27/08/2019 0008/2019
GABRIEL DE LIMA CARVALHO 046383351520 ALISTAMENTO 1023 51 14/08/2019 0008/2019
JÉSSICA DA SILVA CARVALHO 046383771589 ALISTAMENTO 1023 51 30/08/2019 0008/2019
JOÃO CARLOS DE CARVALHO MARTINS 046383761503 ALISTAMENTO 1023 51 30/08/2019 0008/2019
JOSÉ ANTONIO DA SILVA LIMA 043868111589 SEGUNDA VIA 1040 47 23/08/2019 0008/2019
JOSE CARLOS DA SILVA LEITE 033276951511 TRANSFERÊNCIA 1023 51 28/08/2019 0008/2019
LOURIMAR DA SILVA LEITE 037507371503 TRANSFERÊNCIA 1023 51 28/08/2019 0008/2019
LOURIVAL PEREIRA LEITE 027759021546 TRANSFERÊNCIA 1023 51 28/08/2019 0008/2019
LUISA MARIA PEREIRA 001486241511 REVISÃO 1058 24 19/08/2019 0008/2019
MANOEL VERISSIMO DA SILVA 027245431589 REVISÃO 1023 27 16/08/2019 0008/2019
MARIANA LIMA PEREIRA DA SILVA 046383361503 ALISTAMENTO 1023 51 14/08/2019 0008/2019
MARINA DA CONCEIÇÃO PEREIRA 046383581511 ALISTAMENTO 1023 51 20/08/2019 0008/2019
NAYTHIARA RAIANNE SOUSA BATISTA 046383831520 ALISTAMENTO 1023 51 30/08/2019 0008/2019
REGINALDO JUNIOR PEREIRA DA CONCEIÇÃO 042777681520 TRANSFERÊNCIA 1023 51 27/08/2019 0008/2019
TELMA DE JESUS LIMA PEREIRA 027725761562 REVISÃO 1058 50 13/08/2019 0008/2019
TERESA ALBERTINA DA SILVA 030767281589 REVISÃO 1023 27 28/08/2019 0008/2019
WILDEFRAN DE SOUSA CARVALHO 046383691570 ALISTAMENTO 1023 51 28/08/2019 0008/2019
Total de documentos impressos : 23

Origem: ZE 81 Zona: 081 Municipio: 11894 - SANTO INÁCIO DO PIAUÍ


Data de Processamento: 09/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADLARDO DE SOUSA BELESA 046383501562 ALISTAMENTO 1120 61 16/08/2019 0008/2019
AGOSTINHO TAVEIRA DA SILVA 052110251074 TRANSFERÊNCIA 1023 46 30/08/2019 0008/2019
ANA PAULA ALVES LUZ 046383721570 ALISTAMENTO 1112 56 29/08/2019 0008/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 152

ANA PAULA DE SOUSA LINO 046383411570 ALISTAMENTO 1015 45 15/08/2019 0008/2019


ANDERSON DO NASCIMENTO RAMOS 046383451503 ALISTAMENTO 1015 45 15/08/2019 0008/2019
CARLOS ROBERTO DE ASSIS 038635641503 REVISÃO 1031 19 12/08/2019 0008/2019
DÉBORA FERREIRA 034768381465 TRANSFERÊNCIA 1023 46 20/08/2019 0008/2019
EDUARDO DE ANDRADE LEAL 046383391554 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
EMANUELA AVELINA RODRIGUES 046383311503 ALISTAMENTO 1112 56 14/08/2019 0008/2019
ERIGELSON NOBRE DE SOUSA 046383511546 ALISTAMENTO 1112 56 16/08/2019 0008/2019
EVANILTON SOUSA DE OLIVEIRA 046383491520 ALISTAMENTO 1015 45 16/08/2019 0008/2019
FÁBIO RODRIGUES DA SILVA 046383641562 ALISTAMENTO 1112 56 26/08/2019 0008/2019
FAUBERVAL ANTONIO DA CUNHA 026662711503 REVISÃO 1031 17 23/08/2019 0008/2019
FLÁVIA SOBRINHO BATISTA 046383611511 ALISTAMENTO 1112 56 21/08/2019 0008/2019
FRANCISCA MARIA DE SOUSA LUSTOSA MOURA SANTOS 041013031546 TRANSFERÊNCIA 1082 29 26/08/2019 0008/2019
GILDEMAR LUÍS DA SILVA 095250400191 TRANSFERÊNCIA 1112 56 23/08/2019 0008/2019
GUILHERME RIBEIRO FRAMILHOS FARIAS 046383321589 ALISTAMENTO 1112 56 14/08/2019 0008/2019
GUSTAVO DE ARAÚJO PEREIRA 046383231597 ALISTAMENTO 1112 56 12/08/2019 0008/2019
HELTON DE OLIVEIRA DA SILVA SALES 046383371597 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
HUVANDERSON LIMA DE MOURA 046383381570 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
INÁCIO DE AGUIAR MONTEIRO FIGUEIREDO 038246061562 TRANSFERÊNCIA 1082 29 26/08/2019 0008/2019
IVANI FERREIRA DA SILVA 026662551589 TRANSFERÊNCIA 1015 45 28/08/2019 0008/2019
JAFERSON RODRIGUES DE FARIAS 046383431538 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
JEFERSON CAYLAN DE SOUSA MARTINS 046383461589 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
JOAQUINA MARIA BORGES 005387271520 TRANSFERÊNCIA 1112 56 30/08/2019 0008/2019
JOSÉ EMANOEL DE SOUSA MOURA 046383731554 ALISTAMENTO 1112 56 29/08/2019 0008/2019
KAILANY CAMILY LIMA SANTOS 046383221503 ALISTAMENTO 1112 56 09/08/2019 0008/2019
KAMILLA DA SILVA 046383521520 ALISTAMENTO 1112 56 16/08/2019 0008/2019
KAYKY RWAN VELOZO LOPES 046383401597 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
KLEBER FEITOSA SANTOS 046383421554 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
LEANDRO RAMOS DA SILVA 041569991570 TRANSFERÊNCIA 1112 56 12/08/2019 0008/2019
LEONARDO RODRIGUES NOGUEIRA 020696391562 TRANSFERÊNCIA 1015 45 20/08/2019 0008/2019
MANOEL JOSÉ DA SILVA 046383441511 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
MÁRCIA DOS SANTOS SILVA 046383781562 ALISTAMENTO 1139 31 30/08/2019 0008/2019
MARIA CRISTINA CASTRO DOS SANTOS TAVEIRA 020650821058 TRANSFERÊNCIA 1023 46 30/08/2019 0008/2019
MARIA DE JESUS DA COSTA 025939791538 REVISÃO 1147 38 15/08/2019 0008/2019
MARIA DO SOCORRO RODRIGUES DE SOUSA 094698850167 TRANSFERÊNCIA 1112 56 23/08/2019 0008/2019
MARIA GABRIELA ALVES DA SILVA 409299390116 TRANSFERÊNCIA 1112 56 12/08/2019 0008/2019
MARIA RAIMUNDA ALVES DE SOUSA 018090411597 TRANSFERÊNCIA 1112 56 29/08/2019 0008/2019
MARIA RODRIGUES VIEIRA 007705211520 REVISÃO 1082 29 23/08/2019 0008/2019
MATHEUS MOURA FÉ MONTANHA 046383671503 ALISTAMENTO 1112 56 28/08/2019 0008/2019
NATALY DE SOUSA PEREIRA LEAL 046383801589 ALISTAMENTO 1112 56 30/08/2019 0008/2019
NISVALDO DE SOUSA SANTANA 040538091554 REVISÃO 1112 56 22/08/2019 0008/2019
PAULO MARCOS ANDRADE DOS SANTOS 046383681597 ALISTAMENTO 1015 45 28/08/2019 0008/2019
RAFAEL RODRIGUES DA SILVA 046383471562 ALISTAMENTO 1112 56 15/08/2019 0008/2019
REINALDO DE SOUSA ROCHA 046383651546 ALISTAMENTO 1015 45 26/08/2019 0008/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 153

SILVANEI REIS DE OLIVEIRA 028910091554 TRANSFERÊNCIA 1112 56 30/08/2019 0008/2019


VANDA PEREIRA DA SILVA 039460031570 REVISÃO 1147 43 22/08/2019 0008/2019
VANEILSON CARVALHO MARTINS DA ROCHA 046383481546 ALISTAMENTO 1112 56 16/08/2019 0008/2019
WALLACE DE PAULA PEREIRA 046383751511 ALISTAMENTO 1112 56 29/08/2019 0008/2019
WILSON BARBOSA DA SILVA 046383331562 ALISTAMENTO 1112 56 14/08/2019 0008/2019
XAYANE DE QUADRA DA COSTA 046383341546 ALISTAMENTO 1112 56 14/08/2019 0008/2019
Total de documentos impressos : 52

Total de documentos impressos : 127

83ª Zona Eleitoral

Editais
EDITAL Nº 004/2019

(COM PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS)


O Excelentíssimo Senhor Juiz Eleitoral da 83ª Zona da Cidade de Paes Landim – Piauí, Leon Eduardo
Rodrigues Sousa, em cumprimento ao que dispõem os artigos 45, §§ 6; 52, § 2º; 57, caput e § 2º; e 77, II, todos do Código Eleitoral, e ainda, os
artigos 17, §§ 1º e 2º; 18, §§ 5º e 6º, da Resolução nº 21.538/2003.

FAZ SABER, aos partidos políticos e a quem mais interessar possa que, a partir desta data, passam a
fluir os prazos legais para impugnação das inscrições, revisões, transferências e 2ª vias, do Município de Paes Landim - Piauí, requeridas entre
30/07/2019 a 30/08/2019, Lote nº 005/2019, constantes nos relatórios anexos, conforme prazos a seguir:

ALISTAMENTOS (deferidos): prazo 10 (dez) dias – art. 17, § 1º da Resolução nº 21.538/2003;

TRANSFERÊNCIAS (deferidos): prazo 10 (dez) dias – art. 17, § 5º da Resolução nº 21.538/2003;

REVISÕES E 2ª VIAS (deferidos): prazo 05 (cinco) dias – art. 52, § 2º do Código Eleitoral.

E, para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa no futuro alegar ignorância,
mandou o MM. Juiz Eleitoral, expedir o presente Edital, que será publicado no mural do Cartório Eleitoral e no Diário da Justiça Eletrônico.

Dado e passado nesta Cidade e Comarca de Paes Landim - Piauí, Sede da Octogésima Terceira Zona
Eleitoral, ao trigésimo dia do mês de agosto do ano de dois mil e dezenove (30/08/2019). EU___________________Guilherme Soares Campos
Nogueira, Chefe do Cartório Eleitoral desta 83ª Zona em Exercício, o digitei e subscrevi.

Leon Eduardo Rodrigues Sousa


Juiz Eleitoral da 83ª Zona

Origem: ZE 83 Zona: 083 Municipio: 11452 - PAES LANDIM


Data de Processamento: 30/07/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
AURELIO GOMES CARVALHO 038635741570 TRANSFERÊNCIA 1040 19 08/08/2019 0005/2019
DANIELA BORGES DE LIMA 046248501511 ALISTAMENTO 1066 13 07/08/2019 0005/2019
DOMINGAS CLECIA DOS SANTOS 026178811589 REVISÃO 1015 3 08/08/2019 0005/2019
DOUGLAS ALVES TELES 040360222798 TRANSFERÊNCIA 1015 17 26/08/2019 0005/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 154

ELIANE DOS SANTOS SILVA 036573091546 REVISÃO 1015 2 12/08/2019 0005/2019


ELIZEU PLÁCIDO DO NASCIMENTO 046248541546 ALISTAMENTO 1015 1 23/08/2019 0005/2019
FRANCIMAR DE CARVALHO TELES 038237501546 TRANSFERÊNCIA 1074 14 12/08/2019 0005/2019
FRANCISCO AILTON LIMA DE CARVALHO SOUSA 046248511503 ALISTAMENTO 1066 13 07/08/2019 0005/2019
FRANCISCO AURELIANO DA SILVA 045586351570 REVISÃO 1040 19 26/08/2019 0005/2019
GENIVALDO PEREIRA 042257521520 REVISÃO 1015 4 31/07/2019 0005/2019
ISADORA MARQUES LACERDA 045785891597 ALISTAMENTO 1040 19 02/08/2019 0005/2019
ITALO DANIEL VIEIRA DE ARAUJO 035031391554 REVISÃO 1015 2 14/08/2019 0005/2019
JHULIVAN JHAMES GOMES BATISTA 044120811589 REVISÃO 1015 1 15/08/2019 0005/2019
JOSÉ ALVES DA ROCHA 037555571503 TRANSFERÊNCIA 1015 17 12/08/2019 0005/2019
KARLLA VICTÓRIA BARBOSA DE CARVALHO 045785941554 ALISTAMENTO 1040 19 06/08/2019 0005/2019
LEONARDO ALMEIDA E SILVA 045785921597 ALISTAMENTO 1074 14 06/08/2019 0005/2019
LEONARDO DA SILVA CRUZ 046248551520 ALISTAMENTO 1040 19 28/08/2019 0005/2019
LUIS AUGUSTO DOS SANTOS 046248531562 ALISTAMENTO 1040 19 08/08/2019 0005/2019
MARCIEL DE ARAUJO BARBOSA 042890631520 REVISÃO 1074 14 12/08/2019 0005/2019
MARCIEL PEREIRA DE SOUSA 045785911503 ALISTAMENTO 1058 12 05/08/2019 0005/2019
MARCOS GONÇALVES DA SILVA 046248561503 ALISTAMENTO 1040 19 28/08/2019 0005/2019
MATEUS LIMA DE MORAES 046248521589 ALISTAMENTO 1040 19 07/08/2019 0005/2019
MICHELLE MORAES DE SOUSA 023986131511 TRANSFERÊNCIA 1040 19 28/08/2019 0005/2019
PANTA ESTEVAO DO NASCIMENTO 001155751503 REVISÃO 1040 6 05/08/2019 0005/2019
RONIEL ARAÚJO DA ROCHA 045785901520 ALISTAMENTO 1040 19 05/08/2019 0005/2019
SILVÂNIA ALVES DA SILVA 042511301554 TRANSFERÊNCIA 1015 17 12/08/2019 0005/2019
SORAIA MARQUES TELES 041371121570 REVISÃO 1015 5 16/08/2019 0005/2019
Total de documentos impressos : 27

90ª Zona Eleitoral

Editais

EDITAL Nº 21/2019

REVISÕES, ALISTAMENTOS, TRANSFERÊNCIAS E SEGUNDAS VIAS

De ordem do Doutor Rafael Mendes Palludo, Juiz Eleitoral desta 90ª Zona Eleitoral em Simplício Mendes, Estado do Piauí, no uso de suas
atribuições legais, etc.

FAÇO SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que foram emitidos os títulos eleitorais,
referentes a operações de REVISÃO, ALISTAMENTO, TRANSFERÊNCIA e SEGUNDA VIA, dos eleitores constantes da relação anexa (Lote nº
14/2019), relativos aos municípios de Conceição do Canindé/PI e São Francisco de Assis do Piauí/PI, que compõem esta 90ª Zona Eleitoral –
PI, para fins de impugnação/recurso contra o deferimento de tais expedições, a partir da data de publicação do presente edital, observando-
se os prazos e os legitimados constantes dos arts. 17, §1º, e 18, §5º, da Resolução nº 21.538/2003, bem como o art. 7º, §1º da lei nº
6.996/82.
E, para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, mandou o Excelentíssimo Senhor Juiz
Eleitoral que expedisse o presente edital, que será publicado no Diário da Justiça Eletrônico do TRE – PI e afixada cópia no local público de
costume. Dado e passado nesta cidade de Simplício Mendes, Estado do Piauí, aos dois dias do mês de setembro do ano de dois mil e
dezenove. Eu, Larissa Suellen Fernandes da Silva, Chefe de Cartório, digitei e subscrevo o presente Edital.

LARISSA SUELLEN FERNANDES DA SILVA


Chefe de Cartório da 90ª ZE/PI

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 155

ANEXO
LOTE 14/2019
Origem: ZE 90 Zona: 090 Municipio: 10553 - CONCEIÇÃO DO CANINDÉ
Data de Processamento: 16/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANTÔNIO DA SILVA VITOR 002948901570 TRANSFERÊNCIA 1066 83 26/08/2019 0014/2019
CARLOS MANOEL DE ANDRADE FERREIRA 045620981597 ALISTAMENTO 1031 84 30/08/2019 0014/2019
ERIK VITORIO SANTOS DE CARVALHO 045620921503 ALISTAMENTO 1066 83 21/08/2019 0014/2019
FABRÍCIO DA SILVA COSTA 045620931589 ALISTAMENTO 1074 52 21/08/2019 0014/2019
FELIPE SOUSA DE CARVALHO 045620991570 ALISTAMENTO 1082 86 30/08/2019 0014/2019
FLÁVIO SEPULVIDA DE PAULO 045620961520 ALISTAMENTO 1066 83 28/08/2019 0014/2019
FRANCISCA HERCILIA DA CONCEIÇÃO 032143681503 REVISÃO 1031 43 22/08/2019 0014/2019
GERSON SÉRIO VITOR 038316031503 TRANSFERÊNCIA 1066 83 26/08/2019 0014/2019
IRIS BEATRIZ TELES DE SOUSA DA COSTA 045620971503 ALISTAMENTO 1031 84 29/08/2019 0014/2019
JAIRES JOSE DE SOUSA 038193341554 REVISÃO 1031 40 28/08/2019 0014/2019
LINDINALVA ROCHA DO CARMO 028489871503 TRANSFERÊNCIA 1066 83 26/08/2019 0014/2019
MARCIO PEREIRA DA COSTA 022956541597 REVISÃO 1031 44 27/08/2019 0014/2019
MARIA DAS GRACAS DE SOUSA SILVA 000785211503 REVISÃO 1082 55 30/08/2019 0014/2019
MARIA DE JESUS SÉRIO VITOR 002926161546 TRANSFERÊNCIA 1066 83 26/08/2019 0014/2019
ROMÁRIO SANTOS DE CARVALHO 034984621538 REVISÃO 1066 48 19/08/2019 0014/2019
SÁVIO DA COSTA SILVA 045620951546 ALISTAMENTO 1031 84 26/08/2019 0014/2019
SELMA REGINA PEREIRA DOS SANTOS 025837791562 REVISÃO 1066 48 27/08/2019 0014/2019
THIAGO COELHO FERREIRA 045620911511 ALISTAMENTO 1066 83 19/08/2019 0014/2019
VALERIA MACIEL OLIVEIRA SOUSA 036438291546 TRANSFERÊNCIA 1066 83 26/08/2019 0014/2019
VITORIA LUIZA DE SÁ SANTOS 045620941562 ALISTAMENTO 1074 52 23/08/2019 0014/2019
Total de documentos impressos : 20

92ª Zona Eleitoral

Editais

EDITAL N.º 020/2019 TÍTULOS EMITIDOS

EDITAL DE PUBLICAÇÃO COM PRAZO DE DEZ (10) DIAS

O Dr. JORGE CLEY MARTINS VIEIRA, Juiz Eleitoral desta 92ª. Zona, no uso de suas atribuições legais, etc.

FAZ SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, que foram emitidos os títulos eleitorais, lote RAE 014/2019,
relativo aos eleitores desta 92ª Zona (em anexo), pelo que ficam os interessados notificados de que poderão impugnar, querendo, no prazo de
dez (10) dias, a contar da data de publicação deste, o deferimento dos pedidos de alistamento, transferência, revisão e segunda via,
concernentes aos ditos eleitores, tudo de acordo com a Resolução/TSE n.º 21.538 de 14 de outubro de 2003.

E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, mandou, o MM. Juiz Eleitoral publicar o presente edital, que
será afixado no átrio do Cartório Eleitoral desta 92ª Zona Eleitoral e publicado no Diário de Justiça Eletrônico do TRE/PI.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 156

Dado e passado nesta cidade e Comarca de Aroazes, Estado do Piauí, Cartório da 92ª Zona Eleitoral, aos dois dias do mês de setembro do ano
dois mil e dezenove (02/09/2019). Eu, ____________Valnice Isidório Veloso Cortez, Chefe de Cartório Eleitoral, o digitei.

Jorge Cley Martins Vieira


Juiz Eleitoral da 92ª ZE/PI

ANEXO AO EDITAL Nº 020/2019


Origem: ZE 92 Zona: 092 Municipio: 10170 – AROAZES Data de Processamento: 01/08/2019 a 31/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ANA LÚCIA NASCIMENTO DA SILVA 044865281570 TRANSFERÊNCIA 1082 29 28/08/2019 0014/2019
ANTONIA RIBEIRO DE SOUSA 026491021589 TRANSFERÊNCIA 1040 35 28/08/2019 0014/2019
ANTONIO SOARES DE LIMA 023980951589 TRANSFERÊNCIA 1031 15 23/08/2019 0014/2019
ANTONIZETE VIANA DOS SANTOS 036470451570 TRANSFERÊNCIA 1031 13 29/08/2019 0014/2019
BENEDITO MORAES DE SOUSA 020765461503 SEGUNDA VIA 1031 15 21/08/2019 0014/2019
ELIZABETH SOUSA DOS SANTOS 045920581538 ALISTAMENTO 1023 36 29/08/2019 0014/2019
FIRME BEZERRA DA SILVA 008198471503 REVISÃO 1031 14 28/08/2019 0014/2019
LUCAS EMANUEL DE SOUSA SILVA 045920551597 ALISTAMENTO 1058 34 16/08/2019 0014/2019
LUCELIA RODRIGUES DOS SANTOS LIMA 023304411538 TRANSFERÊNCIA 1031 14 23/08/2019 0014/2019
MARIA DA CRUZ LIMA MACHADO 379104880116 TRANSFERÊNCIA 1023 36 28/08/2019 0014/2019
MARIA DALVA VIEIRA DE MOURA 006784911570 REVISÃO 1112 4 28/08/2019 0014/2019
MARLA MAYARA GOMES PEREIRA 045920571554 ALISTAMENTO 1090 12 21/08/2019 0014/2019
PAULO THIAGO DA SILVA ALVES 043427121503 REVISÃO 1082 29 26/08/2019 0014/2019
RAIMUNDO EUFRASIO DA SILVA NETO 006099541589 REVISÃO 1112 4 21/08/2019 0014/2019
STHEPHANY GABRIELY ALVES SOARES 045920561570 ALISTAMENTO 1040 35 19/08/2019 0014/2019
THIAGO DA COSTA ASSIS 044431061562 TRANSFERÊNCIA 1090 12 29/08/2019 0014/2019
WELLIO MARCOLINO DA COSTA 042381421589 TRANSFERÊNCIA 1082 29 29/08/2019 0014/2019

94ª Zona Eleitoral

Editais

n 16 e 18/2019

EDITAL N.º 16/2019


(COM PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS)

O Dr. José Osvaldo de Sousa, Juiz Eleitoral da 94ª ZE/PI, a qual abrange os Municípios de: Cajazeiras do Piauí, Colônia do Piauí, São Francisco
do Piauí e São Miguel do Fidalgo, no uso de suas atribuições legais ...

FAZ SABER aos partidos políticos e a quem mais possa interessar que, em cumprimento ao que dispõem os artigos 45, §§6º; 52, § 2º, 57, caput
e § 2º e 77, II, todos do Código Eleitoral e, ainda os artigos 17, §§ 1º e 2º e 18, §§ 5º e 6º, da Resolução TSE n.º 21.538/2003, a partir desta
data passam a fluir o prazo de 10 (dez) dias, a partir da data de publicação deste Edital, para impugnação dos alistamentos, revisões,
transferências e segundas vias eleitorais, requeridas no período de 08/08/2019 a 30/08/2019 referente ao LOTE Nº 0011/2019, conforme rol
anexo. E para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o MM. Juiz Eleitoral que expedisse o presente Edital, afixando-se-lhe no

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 157

Cartório Eleitoral, no lugar de costume, e publicando-se no Diário da Justiça Eletrônico do TRE-PI. Dado e passado nesta cidade de Oeiras,
Estado do Piauí, aos trinta dias do mês de agosto de dois mil e dezenove (30/08/2019). Eu,__________ Maria Izabel de Melo Vieira Reis, Chefe
de Cartório da 94ª ZE, o digitei e subscrevi.

José Osvaldo de Sousa


Juiz Eleitoral da 94ª ZE

Origem: CA 205 Zona: 094 Municipio: 10227 - COLÔNIA DO PIAUÍ


Data de Processamento: 08/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ALDENORA VIEIRA DE SA SOUSA 018000521554 TRANSFERÊNCIA 1023 65 30/08/2019 0011/2019
ALESSANDRO EDGAR DA SILVA 045784451503 ALISTAMENTO 1031 67 26/08/2019 0011/2019
ANTONIO RAIMUNDO DE SOUSA 028647611503 TRANSFERÊNCIA 1023 65 30/08/2019 0011/2019
DALILA BORGES DA SILVA MENDES 041447631589 REVISÃO 1023 63 12/08/2019 0011/2019
EDMAR GONÇALVES DE MACÊDO 045784401503 ALISTAMENTO 1074 75 23/08/2019 0011/2019
FRANCINEIDE DE SOUSA NASCIMENTO LIMA 033778121546 REVISÃO 1040 69 27/08/2019 0011/2019
ISAIANNY VITORIA DE SOUSA CRUZ 045784231503 ALISTAMENTO 1031 67 16/08/2019 0011/2019
JACKELINY DE SOUSA DOS SANTOS 045784161570 ALISTAMENTO 1040 69 09/08/2019 0011/2019
JOSÉ JAILSON RODRIGUES DA SILVA 044074111554 TRANSFERÊNCIA 1120 83 19/08/2019 0011/2019
JOSE NILDO DA SILVA PASSOS 035353701589 REVISÃO 1155 87 13/08/2019 0011/2019
KAUAN ALVES DE SOUSA 045784311503 ALISTAMENTO 1120 83 19/08/2019 0011/2019
KAUAN FELIPE DO NASCIMENTO FERREIRA SILVA 045784241589 ALISTAMENTO 1031 66 16/08/2019 0011/2019
LAYSA KAILANNE PACHÊCO GOMES PINHO 045784201554 ALISTAMENTO 1023 65 13/08/2019 0011/2019
LORRAYNNE DE SOUSA BRITO 045784151597 ALISTAMENTO 1074 74 09/08/2019 0011/2019
MARCIANA DE BARROS CAVALCANTE 038910321520 REVISÃO 1040 69 28/08/2019 0011/2019
MARIA DE FÁTIMA SILVA DA CONCEIÇÃO 045784221511 ALISTAMENTO 1031 66 14/08/2019 0011/2019
MAYRAN ALMEIDA HERCULANO 045784171554 ALISTAMENTO 1023 65 09/08/2019 0011/2019
PRISCILIA DAYANE DA SILVA FERREIRA 038911991503 TRANSFERÊNCIA 1015 62 29/08/2019 0011/2019
RAYLON DAVID DE CARVALHO PEREIRA 045784301520 ALISTAMENTO 1074 75 19/08/2019 0011/2019
TEODORO JOSÉ DE ABREU 007280531503 REVISÃO 1147 85 22/08/2019 0011/2019

Origem: CA 205 Zona: 094 Municipio: 11932 - SÃO FRANCISCO DO PIAUÍ


Data de Processamento: 08/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
ADALBERTO PEREIRA DA SILVA 026594411520 REVISÃO 1015 96 26/08/2019 0011/2019
ALEX FERREIRA SANTOS 045784461597 ALISTAMENTO 1104 142 27/08/2019 0011/2019
ANTONIO CARLOS PEREIRA DE SOUSA 041053691597 REVISÃO 1074 112 19/08/2019 0011/2019
ANTONIO FERREIRA CABRAL 045784111562 ALISTAMENTO 1090 116 09/08/2019 0011/2019
CLAUDIA LUCIA MARTINS DAMASCENO 281401450141 TRANSFERÊNCIA 1090 116 26/08/2019 0011/2019
CLEIDIMAR SOARES DE SOUSA 026596741511 TRANSFERÊNCIA 1040 106 21/08/2019 0011/2019
EXPEDITO EUGENIO 017994501503 TRANSFERÊNCIA 1023 101 28/08/2019 0011/2019
FABRÍCIO PEREIRA DA SILVA 045784431546 ALISTAMENTO 1163 124 26/08/2019 0011/2019
FRANCISCA DE FATIMA DOMINGOS 424410260159 TRANSFERÊNCIA 1023 101 28/08/2019 0011/2019
FRANCISCA REIS RODRIGUES DE SOUSA 037212491546 REVISÃO 1112 119 29/08/2019 0011/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019 Página 158

GEOVANIA MARTINS DE OLIVEIRA 045784341554 ALISTAMENTO 1015 97 21/08/2019 0011/2019


GIOVANNA RAMALHO XAVIER 045784101589 ALISTAMENTO 1015 97 09/08/2019 0011/2019
GUILHERME ANTONIO DE SOUSA SANTOS 045784211538 ALISTAMENTO 1163 124 14/08/2019 0011/2019
IVONAIRA DE SOUSA TELES 040101641597 TRANSFERÊNCIA 1180 127 14/08/2019 0011/2019
JANETE DOS SANTOS VITÓRIO 098906120574 TRANSFERÊNCIA 1015 97 23/08/2019 0011/2019
JANUARIO DE SOUSA SILVA 033766721503 TRANSFERÊNCIA 1163 124 14/08/2019 0011/2019
JAQUELINE FERREIRA BRITO E SILVA 025393271589 TRANSFERÊNCIA 1074 113 23/08/2019 0011/2019
JOAO BATISTA FERREIRA TAVARES 032255641503 TRANSFERÊNCIA 1040 107 30/08/2019 0011/2019
JODEMILSON PEREIRA DA SILVA 015453711554 TRANSFERÊNCIA 1015 97 23/08/2019 0011/2019
JOIONÁRIA FERREIRA DA SILVA 045784421562 ALISTAMENTO 1163 124 26/08/2019 0011/2019
JOSÉ FRANCISCO DA SILVA CARVALHO 045784601546 ALISTAMENTO 1104 142 29/08/2019 0011/2019
LINDALVA DE CARVALHO SANTOS 005291261570 TRANSFERÊNCIA 1082 114 09/08/2019 0011/2019
LUIS ALVES DE SOUSA 005244971589 TRANSFERÊNCIA 1015 97 23/08/2019 0011/2019
MANOEL DA LUZ CAMINHA FILHO 032259141503 TRANSFERÊNCIA 1015 97 27/08/2019 0011/2019
MARCELO LIMA SOUSA 045784411589 ALISTAMENTO 1074 113 23/08/2019 0011/2019
MARIA ALELUIA MIRANDA DO NASCIMENTO ROCHA 024034781597 TRANSFERÊNCIA 1147 122 16/08/2019 0011/2019
MARTINHO TAVARES DE SOUSA NETO 024927261503 TRANSFERÊNCIA 1074 113 23/08/2019 0011/2019
RAYANI DA SILVA SANTOS 045784291597 ALISTAMENTO 1074 113 19/08/2019 0011/2019
RENATA DE SOUSA OLIVEIRA 040623161554 TRANSFERÊNCIA 1040 106 30/08/2019 0011/2019
RITA DE CÁSSIA COSTA 023845891597 TRANSFERÊNCIA 1112 119 19/08/2019 0011/2019
RIVALDO FERREIRA DA LUZ 045784491538 ALISTAMENTO 1090 116 27/08/2019 0011/2019
SANDRO LUCIANO MOREIRA SANTOS E GOMES 018902701570 TRANSFERÊNCIA 1015 97 21/08/2019 0011/2019
SOLIVAN CASTRO SOUSA ALVES 020248031325 TRANSFERÊNCIA 1015 97 23/08/2019 0011/2019
TAMIRES DE MOURA SILVA 045784121546 ALISTAMENTO 1015 97 09/08/2019 0011/2019
THAYNARIA DE SOUSA OLIVEIRA 045784331570 ALISTAMENTO 1015 97 21/08/2019 0011/2019
WANDERSON ALVES DO NASCIMENTO 025238972038 TRANSFERÊNCIA 1147 122 29/08/2019 0011/2019

Origem: CA 205 Zona: 094 Municipio: 12343 - CAJAZEIRAS DO PIAUÍ


Data de Processamento: 08/08/2019 a 30/08/2019
Nome Inscrição Operação Local Seção Digitação Lote
AILA DA SILVA PEREIRA 045784381589 ALISTAMENTO 1155 59 23/08/2019 0011/2019
CINTIA DE FATIMA SOUSA 034247371589 TRANSFERÊNCIA 1155 59 20/08/2019 0011/2019
EDUARDO SILVA DE SOUSA 045784551589 ALISTAMENTO 1023 46 28/08/2019 0011/2019
FRANCISCA MARIA ARAUJO MOURA 034127771511 TRANSFERÊNCIA 1023 45 29/08/2019 0011/2019
FRANCISCO BRUNO SOARES DA SILVA 030661801538 REVISÃO 1023 45 28/08/2019 0011/2019
JOEL DA CONCEIÇÃO LOUREIRO 043022971597 TRANSFERÊNCIA 1023 45 23/08/2019 0011/2019
JULIANA PEREIRA DA SILVA 043251091597 TRANSFERÊNCIA 1112 55 20/08/2019 0011/2019
LEOMAR BORGES DA SILVA ARAUJO 045784591503 ALISTAMENTO 1023 46 28/08/2019 0011/2019
LEONILTON NASCIMENTO FELIX DE SOUSA 045784251562 ALISTAMENTO 1104 54 16/08/2019 0011/2019
LUIS ALVES DA SILVA 045784581520 ALISTAMENTO 1112 55 28/08/2019 0011/2019
MARCOS VINICIUS SOARES DE SOUZA 045784081562 ALISTAMENTO 1112 55 08/08/2019 0011/2019
MARIA DA CONCEIÇÃO PEREIRA LIMA 017996701589 REVISÃO 1031 47 12/08/2019 0011/2019
MARIA RAIMUNDA PEREIRA DE SOUSA 007780081570 REVISÃO 1090 53 14/08/2019 0011/2019

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-
estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-pi.jus.br
Ano2019, Número 165 Teresina, terça-feira, 3 de setembro de 2019