Sunteți pe pagina 1din 2

Formação dos Estados Nacionais: Espanhol, Frances, Português e Inglês.

Os Estados Nacionais Moderno tem sua formação através de fatos ocorridos


na baixa idade média (sec. XI-XIV), logo isto acontece por:

 Plano econômico – crescimento das atividades comerciais (os burgos).


 Plano social – surgi uma nova classe social que passou a acumular
capitais em função do comércio, burguesia comercial.
 Plano político – gradativamente, a burguesia foi se tornando um grupo
social influente.
 Plano cultural – novas maneiras de interpretar o mundo, realizado a
parti de pensadores, filósofos e artistas.

Assim, ocorre a centralização do poder político em torno dos Reis (monarcas)


da Europa Ocidental, em função das necessidades e dos projetos dos próprios
monarcas e burgueses que desejavam maior proteção e estimulo às suas
atividades comerciais.

De forma geral, os interesses dos nobres não eram os mesmos dos


comerciantes, tanto que, a Europa ocidental vivenciou a substituição do poder
descentralizado feudal pelo centralismo monárquico.

Nesta dinâmica “o Sacro Império Romano e o Papado cessam de exercer


sua função unificadora, em nome do qual, a parti do ano 1000, aspiraram
à dominação universal, um sobre os corpos, outro sobre as almas”
(Gaetano Mosca).

Já em uma ideia da historia das mentalidades, a ação de Joana d’ Arc na


invasão de Orleans (1429), os homens seguem um general que representa
uma unidade territorial (França), unidade das forças armadas, unidade de
soberania e unidade de governo (Carlos VII), desta forma, a Guerra dos Cem
Anos (1337 – 1453) tem um efeito importantíssimo em algumas monarquias
centralizadas tais como:

 França – após o conflito aconteceu o fortalecimento da consciência


nacional desencadeado pela figura de Joana d’ Arc.
A luta terminou com a expulsão dos ingleses em 1453, pela dinastia
dos Valios, desde 1328. – com o termino da guerra, o Estado Frances
estava materialmente desgastado, mas o enfraquecimento da nobreza
e o fortalecimento do exercito permitiu o reforço do poder monárquico.
 Inglaterra – findando o confronto de 116 anos (Guerra dos Cem
Anos), os ingleses mergulharam em um novo conflito, desta vez,
interno, a Guerra das Duas Rosas (1455 – 1485), em suma foi um
embate pelo trono (coroa), entre York (Rosa Branca) e Lancaster
(Rosa Vermelha), fazendo Henrique Tudor destronar Ricardo III, da
casa de York, e ser reconhecido pelo parlamento como Henrique VII,
que ao longo da sua dinastia completou-se a centralização monárquica
na Inglaterra.
 Espanha -