Sunteți pe pagina 1din 40

SEGREGAÇÃO ADEQUADA DOS

RESÍDUOS SÓLIDOS NO SERVIÇO DE


SAÚDE

WALDNER GOMES
Esp. Ambiental
ASSISTENTE ADMINISTRATIVO/ MEMBRO CCIH
Em 1878 Louis Pasteur “teoria dos
MICRORGANISMO germes”

Bactéria

Fungos

Protozoários

Vírus

Algas
SUPORTE LEGAL
 Política Nacional de Meio Ambiente – PNMA 6.938/81

Resolução da Diretoria Colegiada - RDC 306/2004


ANVISA

 Conselho Nacional de Meio Ambiental CONAMA 358/2005

 Norma Administrativas SUDEMA- NA -119


ABRANGÊNCIA DO SERVIÇO DE SAÚDE?
ABRANGÊNCIA
ABRANGÊNCIA

Acupuntura
veterinária

Acupuntura
Serviço de tatuagem
Os EPI’s e objetos utilizados por pacientes,
enfermeiros e médicos, são suscetíveis a
contaminação microbiana.
SEGREGAÇÃO

Consiste na separação dos resíduos no momento e local


de sua geração, de acordo com as características físicas,
químicas, biológicas, o seu estado físico e os riscos
envolvidos.
Os geradores precisam de estrutura identificada e
treinamento para contemplar de forma correta a próxima
etapa de recolhimento e coleta interna.
A RDC 306/2004 DA ANVISA CLASSIFICA OS RESÍDUOS
DOS SERVIÇO DE SAÚDE COMO:

GRUPO A: (A1, A2, A3, A4, A5) RESÍDUOS


INFECTANTES CARGA MICROBIANA;
GRUPO B: QUÍMICOS;
GRUPO C: REJEITOS RADIOATIVOS;
GRUPO D: COMUM;
GRUPO E: PERFUROCORTATES.
RESÍDUOS DO GRUPO A
 Nãopodem ser reciclados nem reutilizados de
maneira alguma;
 Devem ser acondicionados em sacos
identificáveis branco ou vermelhos;
 Ter
o símbolo de resíduos infectante nas lixeiras e
nos sacos conforme a NBR7500
NORMA NORMA
NBR NBR
7500 7500

NORMA NORMA
NBR NBR
7500 7500
GRUPO A1
Culturas e estoques de microrganismos resíduos de
fabricação de produtos biológicos, exceto os
hemoderivados; meios de cultura e instrumentais
utilizados para transferência, inoculação ou mistura de
culturas; resíduos de labo ratórios de manipulação
genética. Estes resíduos nã o podem deixar a unidade
geradora sem tratamento pré vio.
GRUPO A1
 Com suspeita ou certeza de contaminação biológica por agentes,
microrganismos com relevância epidemiológica e risco de
disseminação ou causador de doença emergente que se torne
epidemiologicamente importante ou cujo mecanismo de
transmissão seja desconhecido.
GRUPO A2

Carcaças, peças anatômicas, vísceras e outros resíduos


provenien tes de animais submetidos a processos de
experime ntação com inoculação de microorganismos,
bem como suas forrações, e os cadáver es de animais
suspeitos de serem portadores de micr organismos de
relevância epidemiológica e com risco de disseminação,
que foram submetidos ou não a estudo
anatomopatológico ou confirmação diagn óstica.
GRUPO A3
Peças anatômicas (membros) do ser humano; produto de
fecundação sem sinais vitais, com peso menor que 500
gramas ou estatura menor que 25 centímetros ou idade
gestacional menor que 20 semanas, que não tenham
valor científico ou legal e não tenha havido requisição
pelo paciente ou familiares.
GRUPO A4
Kits
de linhas arteriais, endovenosas e dialisadores,
quando descartados. Filtros de ar e gases aspirados de
área contaminada; membrana filtrante de equipamento
médico hospitalar e de pesquisa, entre outros similares.
GRUPO A5
Órgãos, tecidos, fluidos orgânicos, materiais
perfurocortantes ou escarificantes e demais materiais
resultantes da atenção à saúde de indivíduos ou animais,
com suspeita ou certeza de contaminação com príons.
GRUPO B
Resíduos contento substância químicas que dependendo
de suas características de inflamabilidade, toxidade,
corrosividadem e reatividade podem apresentar a saúde
pública e ao meio ambiente, por exemplo:

Medicamentos vencidos
Antimicrobianos
Remédios hormonais
 Saneantes
 Desinfetantes
 Entre outros
GRUPO B REVELADORES
EFLUENTES DE ANÁLISES LABORATORIAL
NORMA NORMA
NBR NBR
7500 7500

NORMA NORMA
NBR NBR
7500 7500
GRUPO C:

O Grupo C é representado pelo símbolo internacional de


presença de radiação ionizante (trifólio de cor magenta)
em rótulos de fundo amarelo e contornos pretos, acrescido
da expressão REJEITO RADIOATIVO.
NORMA NORMA
NBR NBR
7500 7500

NORMA NORMA
NBR NBR
7500 7500
GRUPO C: QUARENTENA
DECAIMENTO DE RADIAÇÃO
GRUPO D:
Para os resíduos do Grupo D, destinados à reciclagem ou
reutilização, a identificação deve ser feita nos recipientes
e nos abrigos de guarda de recipientes, usando código
de cores e suas correspondentes nomeações, baseadas
na Resolução CONAMA nº. 275/2001, e símbolos de tipo
de material reciclável :
CONAMA CONAMA
275/2001 275/2001

CONAMA
CONAMA 275/2001
275/2001
GRUPO D - RESÍDUO ORGÂNICO
GRUPO D:
DIRETRIZES

A RDC 306 2004 DA ANVISA


CAPITULO V inciso 4.1.4 diz que:
As rotinas e os processos de higienização em vigor
no serviço, definidos pela Comissão de Controle
de Infecção Hospitalar CCIH ou por setor
específico.
SEGREGAÇÃO DO GRUPO A

RESÍDUOS INFECTANTE
DO SERVIÇO DE
SAÚDE:

 SACOS BRANCOS E
VERMELHOS
IDENTIFICADOS;

 LIXEIRAS
IDENTIFICADAS
GRUPO A1, A3, A5
 PeçaAnatômica / Produto de
Fecundação;
 Bolsas
transfusionais contendo
sangue ou hemocomponentes;
 Sobras
de amostras de laboratório
contendo sangue ou líquidos
corpóreos;
 Suspeita
ou certeza de
contaminação de príons
SEGREGAÇÃO ADEQUADA DOS RESÍDUOS
INFECTANTE
GRUPO E
SEGREGAÇÃO DO GRUPO E HGM

URGÊNCIA HGM MATERNIDADE HGM


U.T.I. HGM
“A sorte favorece o espírito preparado”
Louis Pasteur