Sunteți pe pagina 1din 2

DIREITO CIVIL IV - CCJ0015

Título
Caso Concreto 5

Descrição
Caso Concreto

Jonas, proprietário de terreno adquirido de Lauro por meio de escritura de compra e


venda registrada em 2016, propõe ação reivindicatória em face de Geraldo, no mesmo
ano, alegando que este ocupa o imóvel injustamente. Geraldo, em contestação, alega que,
em 2014, comprou e pagou o preço do imóvel a Estevão, procurador em causa própria
constituído por Lauro, obtendo deste um recibo de aquisição do bem, além do que tem
conduta consentânea com a função social da propriedade. Pergunta-se:
A- O atual proprietário é Jonas, pois sua escritura foi devidamente registrada em cartório. Art.
1.245. Transfere-se entre vivos a propriedade mediante o registro do título translativo no
Registro de Imóveis.
a) Quem é o atual proprietário do bem e sob qual fundamento?

b) Está correta a ação proposta por Jonas? Esclareça.


B- Sim, pois o direito de reaver a coisa é uma das principais características do direito de propriedade.
c) Na hipótese, poderia Jonas ingressar com ação de reintegração de posse? Justifique.
C- Não, pois se trata de propriedade ao invés de posse
d) O que é função social da propriedade? Há previsão no direito brasileiro?

Questão objetiva

(DPE SE 2012) Com relação ao direito de propriedade, direito real por meio do qual o
proprietário tem a faculdade de usar, gozar e dispor da coisa e o direito de reavê-la do
poder de quem injustamente a possua ou detenha, assinale a opção correta.

a. A lei admite a intervenção na propriedade, por meio da desapropriação, sempre que


o agente público entendê-la conveniente e necessária aos interesses da administração
pública, tendo, nesse caso, o proprietário direito a justa indenização.

b. Presume-se, até que se prove o contrário, que as construções ou plantações


existentes na propriedade sejam feitas pelo proprietário e às suas expensas. Entretanto,
aquele que semeia, planta ou edifica em terreno alheio, ainda que tenha procedido de boa-
fé, perde, em proveito do proprietário, as sementes, plantas e construções.

c. Caso o invasor de solo alheio esteja de boa-fé e a área invadida exceda a vigésima
parte do solo invadido, o invasor poderá adquirir a propriedade da parte invadida, mas
deverá responder por perdas e danos, abrangendo os limites dos danos tanto o valor que a
invasão acrescer à construção quanto o da área perdida e o da desvalorização da área
remanescente.

d. Uma das formas de aquisição da propriedade de bens móveis ocorre por intermédio
da usucapião: segundo o Código Civil brasileiro em vigor, aquele que possuir, de boa-fé,
coisa alheia móvel como sua, de forma justa, pacífica, contínua e inconteste, durante
cinco anos ininterruptos, adquirir-lhe-á a propriedade.

e. A propriedade do solo abrange também a do espaço aéreo e subsolo


correspondentes, incluindo-se as jazidas, minas e demais recursos minerais, bem como os
potenciais de energia hidráulica, mas não os monumentos arqueológicos, os rios e lagos
fronteiriços e os que banham mais de uma unidade federativa.

CASO CONCRETO

D- É um conceito intrínseco à própria propriedade privada. Não basta a titularidade, o


proprietário deve estar sensibilizado para com o dever social imposto pela própria
Constituição. Função Social seria uma obrigação de quem realmente se considera cidadão. Art 186
da CF/88 – A f unção social é cumprida quando a propriedade rural atende, simultaneamente,
segundo critérios e graus de exigência estabelecidos em lei, aos seguintes requisitos: I -
Aproveitamento racional e adequado; II - Utilização adequada dos recursos naturais disponíveis e
preservação do meio ambiente; III - Observância das disposições que regulam as relações de
trabalho; IV - Exploração que favoreça o bem-estar dos proprietários e dos trabalhadores