Sunteți pe pagina 1din 2

1- O que é capital cultural? Como o capital cultural é transmitido?

Quais das suas partes


são mais relevantes? De que forma interage no desempenho escolar?
R – O capital cultural para Bourdier é um conhecimento que atua nas relações sociais,
podendo essa atuação ter como fim a locomoção social e legitimação, por exemplo.
Ele se transmite através do núcleo familiar, estando diretamente relacionado com a
camada social que a família habita. Suas partes mais importantes são o capital cultural
incorporado, o capital cultural objetivado e o capital cultural institucionalizado. Ele
interage de maneira imperativa no desempenho escolar, pois está ligado com o
sucesso e fracasso dos alunos uma vez que o conteúdo passado acaba requerendo um
pré conhecimento para ser assimilado como a escola propõe.

2- Explique por que para Bourdier, a escola reproduz e legitima as desigualdades


sociais.
R– A escola pode ser vista como uma reprodutora e legitimadora das
desigualdades socais por aspectos contidos fora e dentro dela, que atuando junto, a
permite atuar dessa maneira. Assim, um dos principais motivos seria que as famílias
das quais as crianças pertencem habitam diferentes classes socais, fazendo com que as
crianças cheguem até a escola com perspectivas, realidades, conhecimentos, vivências
e interesses distintos. Aliado a isso, o plano educacional/pedagógico que a escola se
propõe a passar, mesmo que tendo um intuito neutro, acaba por reproduzir um tipo
de conhecimento que nem todas as crianças e jovens vão si plenamente adequar ou
até mesmo interessar, devido a aquilo não ter participação em seu plano familiar e de
vida.
Dessa maneira, um grande número de crianças, aquelas que não são da
mesma origem que o tipo de conhecimento é passado, acabam sendo reprovadas ou
tem um desenho abaixo que o padrão, levando-as a não terem um sucesso social, uma
vez que o conhecimento ali passado é ingresso a outras camadas sociais.
Outro ponto a considerar seria também a autoridade do código pedagógico,
contento a premissa de ser neutro e eficiente, porém, não percebendo a percepção
individual desse código por parte dos alunos.

3- Explique de que forma os diferentes grupos sociais tendem a se relacionar com a


escola e com a escolarização dos filhos
R- A escola e a escolarização dos filhos é tido pelas famílias como uma forma de
investimento, uma vez que é através desses que pode haver uma ascensão social. As
famílias então, por habitarem diferentes camadas sociais e terem experiências e
realidades diferentes acabam lidando de maneira distinta com a escola. Os de camada
popular, por terem um baixo número do conhecimento legitimado pela escola e
consequentemente uma chance menor de sucesso, acabam investindo menos no
aprendizado dos filhos, acarretando no que Bourdier chama de “liberalismo”, em que
as oportunidades mais proveitosas e em curto prazo são as mais escolhidas. Os títulos
escolares por demandarem um nível alto de investimento acabam não indo parar na
mão desses indivíduos, se concentrando em horizontes mais pertos e voos mais
baixos.
Os de classe média, por sua vez, são os que mais investem na escola e
escolarização de seus filhos, contanto com três qualidades para isso: asceticismo,
malthusianismo e boa vontade cultural.
O asceticismo pode ser visto como um sacrifício econômico realizado por essas
pessoas, por terem condição de juntaram recursos consideráveis, investem na
escolarização dos filhos, seja com cursos de diversos tipos ou uma escola mais cara. Se
ilustra também nem uma rigorosidade e dedicação aos estudos, por partes dos jovens,
pois conseguem chegar a onde querem. O malthusianismo age de forma a ter um
controle de membros da família, algo que muitas vezes não ocorre nas camadas
populares, e isso está ligado diretamente com uma eficiência econômica e retorno no
que é investido, pois com um número maior de filhos os pais teriam que dividir mais o
capital econômico, não conseguindo aplicar tanto em todos os filhos, assim não tendo
retorno também. Por último, a boa vontade cultural atua na disposição de se adquirir
um conhecimento e ingressar em uma cultura a qual não são membros, isso se
relaciona diretamente com o conhecimento escolar e a obtenção de títulos escolares,
participando também em eventos e compra de livros. Ponto importante a se ressaltar
é que esse último aspecto depende de qual nível da classe média a família pertence,
lidando diferentemente com a quantidade de capital cultural e econômico que cada
uma contém.
A elite, segundo Bourdier, lida com a escolarização dos filhos e com a escola de
uma maneira mais descompromissada, devido principalmente a baixa chance de
fracasso, por já serem detentoras de grande capital cultural e econômico, e por já
estarem no topo das camadas sociais. Ela obteria assim, por meio da escola uma
legitimação do que ela já tem o domínio e sucesso na sociedade.

4- Explique o que é capital social par Bourdier


R- Capital social para Bourdier pode ser tido como um conjunto de contatos e
ambientes que um individuo ou grupo pode ter que lhe permite alavancar em outros
setores da vida, obtendo assim sucesso na sociedade. O Capital Social atua também
como conhecimento de pessoas e reconhecimento por parte dela, algo que permite e
legitima o individuo.

5- Explique o sentindo da expressão “excluídos do interior”


R- A expressão excluídos do interior refere-se ao estudantes que são marginalizados
pelo sistema educacional que opera na estrutura escolar. O termo usa a expressão “do
interior” pois esse alunos são deslegitimados pela proposta escolar e assim colocados
em turmas inferiores, ou seja, que não respondem bem aos requisitos que os
conteúdos passados a eles. Isso se dá através de processos históricos ocorridos na
instituição escolar, que numa tentativa fracassada de abarcar mais alunos acaba por
segrega-los de maneira ainda mais forte, pois, além de nega-los como detentores ou
capacitados de adquirir aquele conhecimento, ainda os deixam anexados a estrutura,
boicotando seu horizonte de vida, não permitindo nem que se visualizem como não
participantes daquele ambiente e construam novas propostas para si.