Sunteți pe pagina 1din 9

Universidade de Brasília

Ligas de Titânio para Aplicação Aeroespacial

Alunos: Ana Carolina Magalhães Vieira 13/0042676;


Larissa Wanzeller Lemos - 15/0134975;
Thainá Araruna da Rocha - 13/0134791;
Thiago José Santos Gonçalves - 14/0163948
Professora: Paola Ferreira Barbosa

Brasília – DF

2018
Resumo
O titânio foi Identificado como um novo elemento metálico por Gregor, na
Inglaterra, em 1791. Sua produção era muito difícil devido à forte tendência a reagir
com oxigênio e nitrogênio. Somente em meados do século 20 (1938 a 1940) foi
desenvolvido processo comercial de obtenção de titânio e somente na segunda
metade do século 20 começou a ser utilizado como liga industrial e em projetos.

O metal era apenas uma curiosidade de laboratório até 1946, quando Kroll
demonstrou que poderia ser produzido comercialmente pela redução do tetracloreto de
titânio com magnésio. E o processo ainda é bastante usado nos dias atuais. O
tetracloreto é obtido pela ação do cloro e carbono sobre a ilmenita. O tricloreto de ferro
é removido por destilação. Em seguida, ocorre a redução com magnésio:

2TiFeO 3 + 7Cl 2 + 6C → 2TiCl 4 + 2FeCl 3 + 6CO.

TiCl 4 + 2Mg → 2MgCl 2 + Ti.

Figura 1: Ilmenita, mineral que possui titânio em sua composição. Foto: Bramthestocker /
Shutterstock.com

Figura 2: Titânio
O Titânio é um membro do grupo dos metais de transição. Esses metais
possuem importantes características físico-químicas, incluindo baixa densidade
(massa específica da ordem de 4,5 g/cm3), boa resistência mecânica à tração (entre
200 e 1370 Mpa), excelente resistência à corrosão, relativa abundância na natureza (é
o nono metal mais abundante) geralmente sob a forma de minerais oxidados e possui
alotropia (diferentes tipos de estrutura cristalina em diferentes temperaturas).
O átomo de titânio possui um diâmetro mediano se for comparado ao de outros
elementos, e é relativamente leve, resultando em um átomo com uma densidade
baixa. Essa densidade relativamente baixa, quando combinada com alta resistência,
resulta em um metal bastante útil. O seu diâmetro atômico é um indicativo favorável à
formação de ligas.
O titânio e suas ligas vêm se destacando comercial e industrialmente devido a
suas excelentes propriedades. As principais aplicações destas ligas são nas indústrias
aeroespacial, e biomédica, em ambientes extremamente corrosivos e para a produção
de equipamentos industriais avançados utilizados para a geração de energia e
transporte.

Introdução

Anteriormente, engenheiros teriam que escolher entre utilizar metais que teriam
resistência, mas são pesados (como o aço e ligas de níquel), e os metais que são
leves, porém apresentam baixa resistência (como o alumínio e magnésio). O Titânio
oferece menor densidade que o aço, maior resistência que o alumínio e magnésio em
todas as temperaturas e possui resistência à deformação e fraturas que são
propriedades importantes e requeridas para motores a jato e fuselagem de aviões. Em
adição a essas qualidades físicas e mecânicas, as ligas de titânio apresentam
resistência a corrosão e erosão de uma vasta gama de substâncias
O Titânio puro possui baixa resistência. O metal se torna muito mais útil
quando sua resistência é aumentada pela adição de outros elementos formando ligas.
Assim, a liga metálica pode ser preparada de modo a adquirir as propriedades que se
quer que o metal possua, para determinada aplicação. Essas características irão
depender de vários fatores, tais como: os elementos que formam a liga, a proporção
em que cada um deles é misturado, a estrutura cristalina, o tamanho e a arrumação
dos cristais e os tratamentos que a liga venha a sofrer.

Discussão

O titânio possui duas estruturas cristalinas (alotropia). Uma das fases,


denominada fase α, apresenta estrutura hexagonal compacta e é estável à
temperatura ambiente, enquanto a segunda fase, conhecida por fase β, é cúbica de
corpo centrado e é estável em temperaturas superiores a 882°C.
Figura3: Células unitárias das formas alotrópicas do titânio.

Elementos que compõem as ligas:

Assim como ocorre para os aços, alguns elementos de liga podem ser
adicionados ao material metálico com o intuito de favorecer a formação de uma das
fases. No caso do titânio, os elementos alumínio (Al), gálio(Ga) e estanho (Sn) têm
caráter alfagênio, isto é, favorecem a estabilidade da fase α. Já o vanádio (V), nióbio
(Nb) e tálio (TI) são betagênios, atuando na redução da temperatura de transformação
alotrópica, o que favorece a formação de fase β em temperaturas mais baixas do que
882°C.
Desse modo, a adição de elementos de liga ao titânio e a realização de
tratamentos térmicos nestas ligas permite a obtenção de diversas microestruturas e
propriedades, permitindo a obtenção de três classes de ligas de titânio: Ligas alpha
(α), Ligas alpha-beta (α+β), Ligas beta (β). Conforme a presença das fases α e β na
microestrutura, as ligas são classificadas em cinco tipos: α, próximo de α, α + β,
próximo de β e β.

Figura 4: Fases das ligas e elementos que as estabilizam.


Normalmente deseja-se a fase α quando se necessita de resistência à fluência
e a fase β para aplicações em que são necessárias boa resistência mecânica e à
fadiga. Já a liga α+β, mais popular dentre as ligas de titânio, combina as melhores
características de ambas as fases. A figura abaixo nos mostra algumas ligas
comerciais de titânio, bem como uma comparação entre algumas de suas
propriedades.

Figura 5: Percentual das fases α e β nas propriedades de ligas de Ti. Fonte: FROES, 2015.

A excelente resistência a altas temperaturas da liga alpha é a característica


mais importante deste grupo. O elemento predominante para se ligar ao titânio nessa
categoria é o alumínio. O alumínio possui uma substancial solubilidade em titânio e
fortalece a fase alpha.

Transformação de fase:
As temperaturas nas quais a fase alpha e beta podem existir são determinadas
pelos tipos de ligantes associados ao titânio. Baseado na influência dessas adições,
podemos saber qual resultará na estrutura alpha ou beta em uma transformação de
fase.

Figura 6: Influência da temperatura na estrutura cristalográfica.


Relação cristalográfica:
{110} β // (0002) α
<111> β // <1120> α

Figura 7: Estrutura hexagonal e cúbica.

A fase β pode transformar para 12 variantes hexagonais com diferentes orientações.


A Transformação de fases pode ocorre por:
• Difusão (quando o resfriamento é lento)
• Mecanismo Martensítico (resfriamento rápido com pouca mobilidade atômica).
-Martensita α’ hexagonal: massiva ou em ripas em ligas muito diluídas ou
Acicular em ligas mais carregadas de elementos.
-Martensita α’’ ortorrômbica.

Propriedades:
- Na fabricação: pode ser forjado ou trabalhado por técnicas convencionais.
 Apresenta boas propriedades de fundição.
 Metalurgia do pó.
 Boa soldabilidade.
 Usinabilidade muito difícil, requer técnicas especiais de usinagem.
- Densidade: metal de baixa densidade (ρAl < ρTi < ρFe) cerca de 60% da densidade
do ferro.
 Limite de resistência equivalente ao de aços
 Pode ser usado em temperaturas entre 540°C e 600 °C.
- Resistência à corrosão:
 O Titânio é muito resistente à corrosão. Sua resistência à corrosão é
melhor que a do aço inoxidável na maioria dos ambientes.
 Boa resistência mecânica à tração (entre 200 e 1370 Mpa).
- Disponibilidade: relativa abundância na natureza. É nono mental mais abundante.
Aplicações:
As três principais razões para aplicações são:
 Alta resistência mecânica e baixa densidade: Motor a jato, armação do avião,
componentes tubulares, válvulas de pressão, transporte automotivo, presilhas,
equipamentos esportivos, construção civil, ligas com memória de forma.
 Alta resistência a corrosão: indústria química e petroquímica, tubulações
marinhos, reatores, trocador de calor, estação nuclear, relógios, computadores,
sistemas ópticos;
 Bio compatibilidade: implantes cirúrgicos.

Figura 8: Exemplos de aplicações das ligas de titânio.

Pelo gráfico abaixo podemos ver onde as ligas de titânio são mais utilizadas na
indústria. A Maior parte é direcionada para a indústria aeroespacial.
Gráfico 1: Utilização das ligas de titânio nas diversas indústrias.

As primeiras aplicações de titânio foram na substituição de peças de aço das


lâminas e discos do motor J-57 por Ti-6Al-4V (baixa densidade e excelente resistência
a corrosão), feitas por Pratt e Whitney. Essa troca reduziu aproximadamente 95kg por
motor ou 945kg por bombardeiro B-52, melhorando drasticamente o potencial da
aeronave. Isso representou o primeiro uso significante de titânio na indústria
aeroespacial.
Com o aumento da demanda de titânio devido as suas qualidades, as
aplicações aeroespaciais compreendem cerca de 70% do total de remessas de titânio.
Mesmo que seja esperado que o uso industrial de titânio aumente conforme os anos, é
previsto que o mercado aeroespacial se mantenha como sendo a principal aplicação
por muitos anos.

Figura 9: Avião F22.

Na figura acima o F22 é um avião de caça com 36% do peso feito de Ti. A garantia de
demanda de Ti é de no mínimo 10 anos, na área militar.

Conclusão
O consumo mundial de produtos de Ti e ligas de titânio foi de
aproximadamente 56.000 toneladas no ano de 2000, sendo que 29.000 toneladas foi
consumida principalmente como Fe-Ti, em aços e outras ligas. A partir desse dado
podemos concluir que as excelentes propriedades mecânicas, alta resistência a
corrosão e a temperaturas altas em serviço, faz do titânio uma material para
aplicações críticas ficando ao lado das superligas. Mas o alto custo do processamento
do metal ainda limita seu uso. O custo da extração até obtenção do Ti metálico e o
custo para processamento do material até o produto final são altos. Embora seja um
investimento alto, as ligas de titânio são bastante viáveis pelas propriedades que
possuem Além do mais, as técnicas e estudos empregados nessa tecnologia são
bastante recentes, no futuro poderemos ver otimizações quanto à sua obtenção e
utilização, fazendo com que o titânio se torne bastante promissor não só na indústria
aeroespacial, mas também na indústria biomédica, energética e de transporte.

Referências

BORGES, Simone P. Taguchi. Ligas de titânio: classificação, propriedades e


aplicações práticas. Disponível em: <http://bizuando.com/material-
apoio/miq/Aula_4_Ti.pdf>. Acesso em 06 maio de 2018.
EAGLE ALLOYS. As ligas de metais desempenham um papel crucial na indústria
aeroespacial e indústrias militares. Disponível em:
<https://www.eaglealloys.com/pt/metal-alloys-play-a-crucial-role-in-the-aerospace-and-
military-industries/> Acesso em 06 maio de 2018.
FERNANDES, Viviane Kettermann; MARTENDAL, Caroline Pereira. Titânio e suas
ligas. Disponível em: <http://engenheirodemateriais.com.br/2016/01/27/titanio-e-suas-
ligas/> Acesso em 06 maio de 2018.
FROES, F.H. Titanium: physical metallurgy, processing, and applications. ASM
International (2015).
INFOMET. Propriedades e Aplicações do Titânio. Disponível em:
<http://www.infomet.com.br/site/metais-e-ligas-conteudo-ler.php?codAssunto=93>
Acesso em 06 maio de 2018.
TSCHIPTSCHIN, André Paulo. Titânio e suas ligas. Disponível em:
<http://pmt.usp.br/pmt3402/material/ligas_Ti.pdf> Acesso em 06 maio de 2018.