Sunteți pe pagina 1din 12

Libertação

Pastor Alexandre Barbosa


INTRODUÇÃO

Assim que escrevo este livro minha alma se regozija pelas muitas
pessoas que têm sido tocadas, curadas e libertas pelo Senhor Jesus
nestes últimos dias. Não apenas por este motivo, mas também pelas
muitas e muitas pessoas preciosas que serão tocadas e curadas nos
próximos cultos. Na verdade, eu estou bem certo que, à medida que
você lê este livro, o Espírito Santo também te tocará de uma forma
especial. O que estou me referindo não é apenas a obra que o Senhor
Jesus tem sempre realizado na história desde Seu ministério e Sua
obra de redenção. Estou apresentando algo além. Estou me referindo
ao avivamento que o Senhor tem derramado nestes dias sobre nossas
vidas, nosso ministério e sobre muitas vidas preciosas que estão a
cada dia mais sendo abençoadas por Ele.
De forma geral, nossa convicção não está fundamentada apenas na
comprovação dos fatos em si, mas sim neste mover que sentimos e
que nos leva a perceber que o Senhor tem feito uma obra especial
em nosso meio. A cura e a libertação são ações do Santo Espírito de
Deus e não estão limitadas a organizações humanas.
Então, assim que você abre o coração para o Espírito Santo, ainda
que em seu lar, num ônibus, metrô, trem, numa sala de espera, no
seu escritório ou até mesmo em um hospital, você poderá ser tocado,
curado e liberto pelo poder miraculoso do Senhor Jesus, através do
Espírito Santo.
Nas próximas páginas, trataremos de assuntos concernentes à cura,
libertação e, principalmente, a este mover do Espírito Santo, o qual
tem realizado em nós uma obra significativa, para a glória de Deus.
Minha oração se estende a você agora mesmo, para que Ele te
alcance neste exato momento, e que te ajude a compreender não
somente estas poucas páginas, mas quão grande amor nos tem
concedido o Pai. Saiba que neste exato momento, o Espírito Santo
está intercedendo por você, pela sua cura e libertação, para que você
também possa ser um canal de bênção na potente mão de Deus e
possa glorificar Seu Santo Nome. Creia. Tudo é possível para Ele!

Capítulo 1
Libertando-se do medo

Indo para o trabalho, dia de quarta-feira, final do mês de fevereiro,


dentro de um metrô, eu ouço a voz do Espírito Santo trazer uma
mensagem ao meu coração. Muitas vezes foi assim, como pretendo
descrever mais adiante algumas destas experiências, mas desta vez
a mensagem veio concentrada de um teor de seriedade e urgência.
Meus olhos ficaram arregalados, minhas pernas bambearam, senti
como que um “frio na barriga”. Fechei os olhos novamente e lá
estava novamente o Espírito Santo me encorajando a viver uma
experiência inédita. “Vamos lá! Você conseguirá!” – Ele completou.
Naquele período de minha vida, minha filha Sarah acabara de nascer
e eu ainda estava me adaptando às mudanças que um pai de
primeiro filho enfrenta, motivado em lutar pela independência
financeira, por realizar sonhos e por ter uma vida social
“politicamente correta”. Na realidade eu tentava ser um exemplo
para muitos que buscam estes mesmos ideais. Então, mais que
nunca, aquela mensagem do Espírito Santo havia me deixado pra lá
de atônito. Fiquei literalmente sem ação. “Assim que chegar em seu
trabalho, você pedirá demissão” – foi o que ouvi claramente naquele
instante.
É obvio que, ainda que por um momento, eu ponderei. “Mas Senhor...
o que acontecerá depois?”. Por alguns minutos eu refleti sobre o
assunto e, mesmo diante da presente dificuldade, não resisti. “Sim,
Senhor. Assim eu farei” – respondi.
Não havia nada de errado com meu trabalho. A empresa era
comprometida com o sucesso profissional, o ambiente era agradável
e eu aprendia a cada dia. Mas havia sim, dentro de mim, um enorme
problema de caráter espiritual. Nunca havia conseguido, até ali, me
imaginar vivendo uma vida totalmente dependente de Deus. Desde a
minha adolescência eu lutava, com todas as minhas forças, contra o
desemprego e contra a dificuldade financeira. Em muitas de minhas
orações eu pedia ao Senhor que isto nunca acontecesse comigo. Era
algo inaceitável. Mas, ao ouvir a voz do Espírito Santo, algo mudou
em mim. O calor de Sua presença foi inconfundível. Meu coração
estava disponível para Ele. Foi uma batalha interior que, sem sombra
de dúvida, ninguém dos que estavam presentes naquele vagão
poderia sequer imaginar. Senti uma batalha travada no mundo
espiritual. Mas aquela batalha entre o meu “eu” e o chamado do
Senhor foi vencida por Ele, através do Espírito Santo. “Sim, Senhor.
Assim eu farei”.
Sem eu perceber, naquele mesmo instante, estava recebendo uma
tremenda libertação! Uma libertação do meu medo, das minhas
prioridades, do meu egoísmo, da minha falta de fé e da minha
timidez. Toda esta libertação estava acontecendo em minha vida em
um simples chamado do Espírito Santo, quando eu disse “sim”. É
claro que não é tão fácil agir por fé, mas é somente assim que
entendemos o trabalhar de Deus, o milagre e a libertação divina.
Talvez você não tenha que abrir mão de seu trabalho a exemplo do
que aconteceu comigo. Mas, para você alcançar uma libertação da
parte de Deus, você terá que renunciar algo. Você certamente terá
que se confrontar com o seu maior medo e ficar na plena
dependência de Deus. Talvez você terá que renunciar um
relacionamento ilícito, um comportamento indevido, um vício, um
mau hábito, uma falsa aparência, uma fé fingida, a desobediência ou
algo que ainda te aprisiona. Esta renuncia começa em sua mente,
quando você entende que precisa de uma mudança, aceita esta
realidade e deseja uma libertação. O próximo passo é obedecer ao
comando do Espírito Santo. Você se encontrará frente a frente com
seu maior medo. A sensação é indescritível. Mas na sua obediência ao
Senhor, ao comando do Espírito Santo, você vencerá a batalha. Você
sentirá uma sensação de bem estar como jamais sentiu. A libertação
traz uma profunda paz interior!
Depois disto, você se encontrará na plena dependência de Deus e o
Espírito Santo passará a ser a seu maior aliado durante esta
experiência. Você amadurecerá e então entenderá que a maior
vontade de Deus é de mostrar a você o Seu imensurável amor.

O fator “obediência”
De forma geral, este tipo de libertação está intimamente ligado a
“obedecer a voz do Senhor Jesus”, através do Santo Espírito. É um ato
de fé. Lembre-se: a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus
(Romanos 10.17). Quando damos ouvido à palavra de Deus (aqui
representada por um comando do Espírito Santo), estamos
manifestando a fé. Pense nisto. Conhecer a verdade que liberta é
conhecer a Sua vontade. A vontade de Deus é de nos libertar,
principalmente com o objetivo de nos conduzir ao conhecimento de
Seu poder e crescimento de nossa fé. Ele deseja te libertar de
qualquer algo que está te aprisionando e, para isto, você precisa
ouvir e obedecer à Sua voz.
Não é por um ato de merecimento, tampouco uma barganha. É um
ato de amor e de respeito. Deus deseja nos mostrar o quanto nos
ama, ainda que muitas vezes, involuntariamente, desprezamos o Seu
imensurável amor. Neste exato momento, enquanto você está lendo
estas linhas, o Espírito Santo poderá te tocar. Acredito até mesmo
que você poderá ouvi-lo claramente e senti-lo, pois, assim que
escrevo estas linhas, sinto Sua inconfundível presença. Não tenha
medo. Simplesmente ao ouvir Sua voz, não endureça seu coração.
Você poderá começar fazendo silêncio até que possa ouvi-lo. Ele te
revelará a Sua vontade e a Sua presença. Ore comigo assim:

“Espírito Santo, eu estou disponível para ti. Eu creio que Jesus é o


Filho de Deus. Revele-me a Sua vontade e me ajude a compreendê-la
e a realizá-la, em Nome de Jesus. Eu preciso de uma libertação (diga
a Ele sua necessidade). Amém”.

Se você fez esta oração com sinceridade, por mais simples que
pareça, não duvide nem cultive a ansiedade. Simplesmente descanse
e espere o agir de Deus. Neste exato momento, algo estará
certamente acontecendo no mundo espiritual em seu favor.
No próximo capítulo, trataremos de um assunto particular sobre o
mover espiritual de Deus na cura e libertação. Peça a ajuda do
Espírito Santo e procure meditar a cada capítulo lido. Isto te ajudará a
entender melhor o trabalhar especial que o Senhor Jesus tem contigo
desde o momento em que Ele te guiou a ler este simples livro. Deus
seja louvado!

Capítulo 2
Libertando-se da impaciência

“...e a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a


experiência a esperança e a esperança não traz confusão porquanto o
amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito
Santo que nos foi dado.” Romanos 5.3-5

Um dos maiores obstáculos que um cristão pode encontrar para


alcançar o crescimento espiritual chama-se “impaciência”. Ela é
conseqüência de uma vida que ainda não adquiriu ou que se
esqueceu da experiência com Deus e que, desta forma, encontra
dificuldades em alcançar vitórias. Muitas pessoas preciosas têm
desistido de seus sonhos simplesmente porque não possuem
paciência suficiente para aguardar o momento certo de agir. A
paciência é uma dádiva divina que todo vitorioso precisa possuir (e
geralmente possuem).
A falta de paciência gera muitos transtornos, principalmente por
confrontar os princípios da fé eficaz, a fé que leva todo cristão ao
conhecimento de Deus. Por outro lado, aquele que obtém a paciência
geralmente já adquiriu experiência com Deus e isto implica em
resultados satisfatórios.
Buscar e encontrar a paciência são ações que certamente nos
promovem. Além disso, é uma necessidade de todo ser humano,
principalmente nos dias difíceis que vivemos, e é algo que sempre
nos traz paz. Somente quando experimentamos a paciência e sua
excelência, temos paz com Deus, mesmo em meio a tribulações.
Caro leitor, a pessoa impaciente precisa de uma libertação. Este
problema era sempre evidente em minha vida, mesmo sendo um
cristão regenerado. Todas as vezes que eu me deparava com os
problemas da vida, uma ansiedade incontrolável me dominava. Na
verdade, eu perdi inúmeras batalhas espirituais simplesmente porque
não possuía a paciência. Quando a possuímos, Deus sempre nos
revela o momento certo de agir. De fato, eu fui castigado pela minha
impaciência durante muito tempo, até o dia precioso em que fui
liberto pelo maravilhoso poder de Deus, através do Espírito Santo.
Vou descrever uma experiência que tive num momento muito
importante de meu ministério e que certamente exemplificará este
assunto de forma prática:
Eu e minha esposa estávamos por iniciar a primeira igreja de nosso
ministério, depois de muita renúncia, de muita oração e não poucas
dificuldades. No meio do projeto, nos encontramos diante de uma
grande adversidade (pelo menos foi muito grande para nós). Na
realidade, Deus estava nos moldando pois o que eu precisava mesmo
era de ser liberto de minha impaciência.
Como a situação ficou muito complicada e não conseguia ver saídas,
uma frustração começou a se apoderar de mim e estive quase por
desistir do projeto.
Quando eu estava prestes a desistir, implorei pelo auxílio de nosso
Deus em oração. Algumas horas depois, O Senhor colocou uma
pessoa em meu caminho. Sem fazer qualquer pergunta, somente ouvi
atentamente o que ele dizia a respeito de seu sucesso. Ele
mencionou: “o segredo de meu sucesso profissional é que possuo
extrema paciência. Sei esperar o momento certo de agir”. Sem ele
saber, naquele exato momento, Deus estava tratando comigo. Eu
havia pedido ajuda divina e a resposta foi imediata e clara: paciência!
A partir daquele momento eu recebi uma libertação incrível.
A paciência é uma dádiva de Deus e nós precisamos obtê-la.
Etimologicamente, paciência significa “virtude que consiste em
suportar sofrimento, com resignação”, ou seja, sem murmurações. No
famoso Salmo 40, o salmista declara que esperou com paciência no
Senhor, e o resultado foi positivo. Isto é um ato do Espírito Santo que
sempre nos traz paz e nos capacita para a vitória.

Capítulo 3
Libertando-se do cansaço

“E ele foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou


debaixo de um zimbro: e pediu em seu ânimo a morte, e disse: Já
basta, ó Senhor: toma agora a minha vida, pois não sou melhor do
que meus pais.” I Reis 19.4.

O cansaço é algo violento. É evidente que não estou me referindo ao


cansaço físico ou mental. Estou me referindo a um cansaço muito
mais profundo: o cansaço da alma. Podemos referi-lo como sendo o
momento em que toda a nossa força e motivação simplesmente
desaparecem e que nos tornamos vulneráveis aos ataques do nosso
adversário. Neste momento pensamos que não vamos conseguir
vencê-lo. Aí vem o cansaço profundo e com ele o fracasso. No texto
das Escrituras acima citado podemos observar este cansaço sobre o
servo de Deus, o profeta Elias, logo após uma série de
acontecimentos importantes em sua caminhada. Ele literalmente se
CANSOU ao ponto de desejar não mais viver.
Todos nós passamos por períodos em nossas vidas onde o desânimo
bate à porta e então nos sentimos cansados. Ele quase sempre
aparece um passo antes de desistirmos de lutar.
Na minha caminhada eu tive muita destas experiências . Passei a
codificar este sentimento de cansaço sempre que estava prestes a
desistir de meus sonhos e objetivos. Um crescente número de
pessoas considera isto um sentimento normal. Acreditam até mesmo
que ele faz parte de nossas vidas, principalmente por não haver no
mundo recursos suficientes para vencê-lo. Porém, a luz da Palavra de
Deus, existe um recurso para todos os que crêem. Em Mateus 11.28 e
29, JESUS disse: “Vinde a mim, todos os que estais CANSADOS e
oprimidos, e eu vos aliviarei.” “Tomai sobre vós o meu jugo, e
aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e
encontrareis descanso para as vossas almas.”
No momento em que meus olhos foram abertos para este recurso de
Deus, através de Jesus Cristo, recebi libertação plena sobre o
cansaço. Hoje tenho certeza que o cansaço não mais me vencerá,
haja vista que estou debaixo das potentes mãos do Senhor.
O cansaço é violento. Todos nós precisamos ser libertos dele. Esta
libertação só depende de uma atitude de fé, quando vamos de
encontro com o Senhor Jesus e passamos a viver segundo os Seus
ensinamentos. Acredite! No momento em que eu fui liberto deste mal
que vence tantas pessoas em todo o mundo, minha alma encontrou
perfeita paz em Jesus.
Creio firmemente que agora mesmo esta paz poderá te alcançar,
independente do lugar onde você se encontre ou da situação que
você esteja enfrentando. Jesus quer e pode aliviar você neste exato
momento. Não desista. Em nome de Jesus, faça comigo esta oração:

Senhor Jesus, creio em Tua Palavra. Creio que o Senhor tem poder
para me libertar de todo o cansaço. Neste momento eu te peço, toma
minha vida em Tuas mãos, me liberte e me ensine. Amém.

Eu acredito que, se você fez esta oração com fé, um alívio já se


apoderou de você. Não tente vencer, sozinho(a), todas as situações
da sua vida. Precisamos de Jesus e também uns dos outros. Quando o
Senhor Jesus não é o Senhor de sua vida, algo mais passa a ocupar o
lugar que só pertence a Ele em seu coração. Mas quando Ele é o seu
Senhor, você sempre receberá alivio. Deus seja louvado!

Capítulo 4
Libertando-se da dúvida

“E sucedeu que, ouvindo Elias (a voz de Deus), envolveu o seu rosto


na sua capa, e saiu para fora, e pôs-se à entrada da caverna: e eis
que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias?” I Reis 19.13

Podemos observar nas Escrituras Sagradas pelo menos vinte formas


de Deus falar ao homem. Ele pode, por exemplo, falar através de um
anjo (Mateus 1.20), de um profeta (Deuteronômio 18:18) ou de uma
situação (Gênesis 24.12-26). Deus pode falar ao homem através de
Seu Espírito (Atos 8.29) ou através de Sua Palavra. De fato, são
muitas as formas de Deus faz uso para falar conosco. Na ocasião da
passagem bíblica acima citada, Deus fala com o profeta Elias com voz
audível, uma voz mansa e delicada.
Nos dias atuais, um dos maiores desafios dos cristãos é “ouvir o que
Deus tem a falar” e, assim, obedecer-Lhe sem duvidar em seus
corações. É obvio que uma das formas mais comuns de não errarmos
é quando nós observamos e guardamos a Santa Palavra de Deus. Mas
há um determinado momento no qual precisamos crescer no
conhecimento deste Deus tão grande e que faz uso de diversas
formas para falar conosco.
Ainda que nós buscássemos na Palavra os recursos necessários para
entendermos a vontade de Deus, de nada valeria se não
compreendêssemos e obedecêssemos a sua devida revelação nestes
momentos especiais.
Esta dificuldade de entender a vontade de Deus para nós é capaz de
gerar em nossos corações um dos maiores perigos: a dúvida.
Entendo, à luz da Palavra de Deus, que a dúvida vai totalmente
contra os princípios da fé. Aquele que duvida é semelhante à onda do
mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte
(Tiago 1.6). A dúvida é algo que persegue todos os cristãos e que,
infelizmente, pega muitos que estão desprevenidos, sem a menor
piedade. Toda vez que estamos na dúvida, estamos urgentemente
precisando de uma libertação!
O profeta Elias, no texto citado, só encontrou a paz naquela situação
que passava quando ouviu a voz audível de Deus e, assim, ao dar
ouvidos a Deus, ele foi imediatamente liberto de toda dúvida.
Quando estava começando meu ministério tive que reconhecer, com
muita humildade, que as minhas dúvidas eram o maior obstáculo que
enfrentei. Eu glorifico a Deus por ter me libertado das minhas muitas
dúvidas, principalmente as concernentes ao ministério, pois, de outra
forma, muitas pessoas não teriam sido beneficiadas, inclusive você
que está lendo estas simples linhas.
Não importa a forma que Deus fará uso para falar contigo e libertá-lo
também de qualquer dúvida que tem se tornado uma barreira em seu
caminho. O importante é você entender que a dúvida é cruel e que
você precisa se livrar dela o quanto antes. A dúvida te faz mal.
Busque em Deus hoje mesmo o auxílio para se livrar de suas dúvidas.
Quando você ouvir a voz de Deus e for liberto de suas dúvidas,
certamente estará com o caminho livre para vencer!
Capítulo 5
Libertando-se do pecado

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo


pois justificados gratuitamente pela graça que há em Cristo Jesus”.
Romanos 3.23-24

O pecado é a mais triste realidade presente em nosso mundo. Ele é a


arma que o inimigo de nossas vidas utiliza para nos desarmar e nos
destruir. Todo ser humano que vive na prática do pecado é escravo
do pecado pois ele representa uma culpa, uma falta ou uma
transgressão das leis divinas que estabelecem a vida (Deuteronômio
11.26-28). No texto bíblico acima, Paulo declara por revelação divina
que “todos pecaram”. No capítulo 5, versículo 12 ele também declara
que por um homem (Adão) entrou o pecado no mundo. Desde então o
pecado tem sido a pior realidade da humanidade.
Partindo deste pressuposto, podemos chegar a algumas conclusões:
primeiramente, o pecado existe. Atualmente, a estratégia mais
utilizada pelo inimigo é a tentativa interminável de ofuscar a
realidade do pecado. Ele se camufla por trás de várias religiões com o
objetivo de nos tornar inconscientes desta realidade. Segundo
algumas destas religiões, como as Ciências Cristãs ou os Raelianos, o
pecado não existe. Eles afirmam que o pecado é uma ilusão, ao
contrário da Bíblia Sagrada, a qual afirma que todos pecaram. Em 1
Jo1.8, a Bíblia relata que, se dissermos que não temos pecado,
enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.
O pecado sempre trouxe e sempre traz graves conseqüências para
nós. Primeiro, através dele, o primeiro homem perdeu o direito da
vida eterna, o direito de dominar sobre a terra e o direito de ter um
corpo incorruptível como podemos analisar nos primeiros capítulos do
livro de Gênesis. Foram perdas significativas para a humanidade. A
Bíblia nos relata que o salário do pecado é a morte (Romanos 6.23a).
Leitor(a), todos nós carecemos de uma libertação do estado do
pecado. Foi exatamente por este motivo que o Filho de Deus, o
Senhor Jesus, deu a vida por resgate de nós. Cristo morreu por nossos
pecados (1Coríntios 15.3). O homem só pode receber perdão dos
pecados e a purificação através de Jesus. Todo ser humano
permanece no pecado e fica destituído da glória de Deus até o dia em
que recebe Cristo. “Somos justificados gratuitamente pela Sua graça,
pela redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3.24).
Biblicamente, esta redenção faz alusão ao pagamente pela libertação
de um escravo. Jesus já pagou este preço pelo nosso resgate! A partir
do momento que recebermos Cristo, confessando a Ele nossos
pecados, podemos obter redenção pelo Seu sacrifício expiatório na
cruz do calvário, por intermédio de Seu sangue precioso, o qual Ele
derramou por nós.
Nossos pecados são perdoados em Cristo. Esta é, de fato, uma
primeira libertação que todo homem precisa. Mas ainda, mesmo após
receber o perdão dos pecados através de Cristo, nós precisamos de
uma purificação diária, a qual só é possível se andarmos com Cristo.
Em 1 João 1.7, o texto segue: “Mas, se andarmos na luz, como Ele na
luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus
Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. Mesmo tendo os
pecados perdoados em Cristo, nós precisamos ainda de purificação. A
natureza do pecado só será totalmente destruída quando nos
revestirmos de corpos incorruptíveis (1Coríntios 15.52-54).
O pecado é uma trágica realidade que só pode ser vencida pela
poderosa realidade da redenção que há em Cristo Jesus. O salário do
pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por
Cisto Jesus nosso Senhor.
Caro leitor, faça comigo mais esta oração: “Senhor Jesus, creio em
Seu sacrifício na cruz do Calvário, preciso de libertação pelo Seu
precioso Sangue. Confesso que sou pecador e preciso de Seu perdão.
Liberte-me (confesse a Ele sua falta). Cubra-me com Seu precioso
Sangue. Amem.
Amigo(a), se você fez esta oração com fé, acredite que Jesus tem
poder para te perdoar. Receba perdão agora mesmo! Creio
firmemente que uma libertação já se apoderou de ti. Receba esta Paz
de Cristo em seu coração!

Capítulo 6
Libertando-se da ansiedade

“A ansiedade no coração deixa o homem abatido, mas uma boa


palavra o alegra.” Provérbios 12.25

A ansiedade é um sentimento que pode nos aprisionar. Ela,


diretamente, não é um distúrbio, mas pode aflorar em nós uma
quantidade de reações e de outros sentimentos contrários à fé e à
atitude cristã adequada. Quando estamos ansiosos, normalmente
começamos a agir de forma avessa a que nos ensina a Palavra de
Deus.
A ansiedade nos traz certo grau de angústia ao nosso estado
emocional e vem sempre acompanhada de alterações somáticas. A
angústia geralmente nos impede de louvar e adorar, porém quando
clamamos com sinceridade, o Senhor nos liberta.
“O justo é libertado da angústia” – Provérbios 11.8a.

Na verdade, a pessoa que está angustiada precisa de socorro, que só


pode encontrar nos braços de Deus:

“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na


angústia” - Salmos 46.1

Observando este versículo, lembro de certo dia quando um pastor


amigo meu estava dirigindo um culto, porém, sua angústia era
perceptível naquela ocasião. De fato, ele estava angustiado por causa
de uma dívida que deveria pagar no dia seguinte, porém, até aquele
momento, não havia conseguido o dinheiro. No decorrer daquele
culto, um garoto pediu uma oportunidade para ler um versículo da
Palavra de Deus. O pastor, por sua vez, cedeu ao garoto a
oportunidade, o qual calmamente abriu a Bíblia no Salmo 46 e leu o
primeiro verso. Após a leitura, o Espírito Santo se apoderou do
garoto! Ele começou a falar insistentemente a seguinte frase: “Deus é
socorro bem presente na angústia”. À medida que ele foi repetindo
esta frase, os irmãos presentes no culto começaram a glorificar a
Deus e a presença do Espírito Santo foi notória a todos. O garoto
estendeu o dedo indicador para o lugar onde o pastor estava
assentado e começou a dizer com mais autoridade ainda aquela
frase. O pastor naquele momento recebeu uma libertação incrível.
Suas lágrimas jogaram por terra toda a angústia e o Espírito Santo
tomou o lugar de toda ansiedade naquele momento. No culto do
próximo dia, havia poucas pessoas na igreja, porém o pastor
percebeu a presença de um visitante que entrou para ouvir a
mensagem da Palavra de Deus. Terminado o culto, aquele rapaz
pediu uma oração por imposição de mãos, entregou nas mãos do
pastor um envelope e saiu tranquilamente. Quando o pastor abriu o
envelope, havia mais dinheiro ali do que ele precisava! Glória a Deus!
Em expressão de surpresa e alegria, meu amigo pastor levantou
aquele envelope e exclamou: “DEUS, tu és verdadeiramente
SOCORRO bem presente na ANGÚSTIA!”
Amado(a), a pessoa que cultiva ansiedade incontrolável precisa de
libertação. No livro de Provérbios, capítulo 12 e versículo 25, a Bíblia
nos diz que uma BOA palavra nos alegra. Sabemos que Deus é o
único que pode nos libertar da ansiedade, principalmente quando
procuramos recursos através de ouvir ou ler a Palavra de Deus. Na
ocasião do meu amigo pastor, a Palavra de Deus o libertou daquela
angústia e ansiedade que o estava impedindo de adorar ao Senhor.
No seu caso, creio que estas palavras já estão te alegrando pois são
palavras de vida. Abra o seu coração. Deus é SOCORRO bem presente
em sua vida. Repita esta expressão. Cultive a boa Palavra de Deus.
Ainda que a angústia está tentando te dominar, glorifique ao Senhor e
creia em Sua Palavra. Diga que Ele é o Seu Socorro, Sua Fortaleza, o
Seu Deus e Pai, Seu amigo, Seu salvador... Ele vai te salvar de
qualquer angústia ou ansiedade.
No início de nosso ministério, eu e minha amada esposa sempre
chegávamos cedo para preparar o templo para o culto. Ela varria o
chão e eu arrumava as cadeiras. Ela perfumava a igreja e eu,
geralmente, preparava os hinos e a mensagem. Estava tudo
preparado. Mas, quando chegava a hora de começar o culto, não
havia ninguém. Então começávamos a orar. Depois começávamos
juntos a louvar, mas nem sinal de pessoas. Isto se estendeu por
alguns dias e logo percebi que, em todo culto, eu estava
desenvolvendo um sentimento de ansiedade incontrolável. Este
sentimento começou a aflorar em mim outros tipos de sentimentos,
tais como, angústia, medo da possível frustração, nervosismo, falta
de fé, fraqueza e desgaste. Quando percebi, já estava completamente
precisando de uma libertação. Na verdade, se o Amado Espírito Santo
não tivesse me libertado daquele sentimento, você certamente não
estaria lendo este livro! Foram momentos muito difíceis. Senti-me
perdido, esquecido, triste e apavorado. Comecei a questionar muitas
coisas mas, foi só quando reconheci que aquela ansiedade estava me
consumindo e que não conseguiria vencê-la com minhas próprias
forças, que recebi socorro divino. À medida que comecei a orar, fui
livre daquele sentimento e recebi gradativamente o gozo da presença
maravilhosa do Espírito Santo. Cada vez que me levantava para
começar o culto após a oração, podia contemplar novas pessoas que
começaram a vir a cada dia de culto e era notório que elas estavam
também sendo tocadas pelo Senhor durante a oração.
Creio que, de igual forma, Deus quer te mostrar uma experiência
nova. Não diga a Ele que você já orou ou jejuou e que quer a
libertação e a vitória, mas diga a Ele que você quer ser tocado pelo
Espírito Santo e ser livre da ansiedade. Peça ao Espírito Santo que
domine seu coração agora mesmo! Tenho certeza que você sentirá o
imensurável amor de Deus e que a graça salvadora de Nosso Senhor
Jesus Cristo vai se apoderar de você e que você será o próximo a
exclamar com alegria: “Deus, Tu és meu refúgio e minha fortaleza,
socorro bem presente na angústia”.