Sunteți pe pagina 1din 2

ÚLTIMAS REVISTA TV DINHEIRO ESTILO ECONOMIA NEGÓCIOS TECNOLOGIA FINANÇAS SU

ECONOMIA

Governo publica MP com ações de


socorro às empresas aéreas por
causa da covid-19

Passageiros e funcionários circulam vestindo máscaras contra o novo coronavírus (Covid-19) no


Aeroporto Internacional Tom Jobim- Rio Galeão (Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Estadão Conteúdo

19/03/20 - 07h56 - Atualizado em 19/03/20 - 09h23


O Diário O cial da União (DOU) desta quinta-feira, 19, publica a Medida Provisória
925/2020, que dispõe sobre ações emergenciais para a aviação civil brasileira em razão da
pandemia da covid-19. Na quarta-feira, 18, durante anúncio no Palácio do Planalto, o
ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse que as medidas de socorro ao setor
aéreo são necessárias para preservar os voos no País e as operações das empresas do
segmento.

As medidas para aliviar o caixa das empresas durante a crise previstas na MP incluem
prazo estendido para reembolso das passagens e a postergação do pagamento das
outorgas dos aeroportos concedidos.

+ Déficit primário deve ir para a casa de R$ 200 bilhões em 2020, diz Mansueto
+ Campanha de vacinação contra gripe terá drive thru para idosos no Rio

Sobre as outorgas, a MP estabelece que, “nos contratos de concessão de aeroportos


rmados pelo governo federal, as contribuições xas e as variáveis com vencimento no
ano de 2020 poderão ser pagas até o dia 18 de dezembro de 2020”.

Quanto aos reembolsos, o prazo para ressarcimento do valor relativo à compra de


passagens aéreas será de 12 meses.

“Os consumidores carão isentos das penalidades contratuais, por meio da aceitação de
crédito para utilização no prazo de doze meses, contado da data do voo contratado”, diz a
MP. “O disposto neste artigo aplica-se aos contratos de transporte aéreo rmados até 31
de dezembro de 2020”, acrescenta.

Além da ajuda editada na MP, o governo ainda estuda outras ações voltadas para o setor,
que devem ser anunciadas em fases, conforme informou na quarta-feira o Ministério da
Infraestrutura. O pacote de socorro ainda prevê prorrogação do vencimento do
pagamento das tarifas de navegação aérea, o que deve ser feito por decreto, e o
lançamento de linhas de crédito especí cas para o setor.

O setor aéreo está entre os mais afetados pela crise diante do avanço do novo
coronavírus no País. Na quarta-feira, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear)
informou que as suas associadas já registram, em média, queda de 50% na demanda por
voos domésticos nesta segunda quinzena de março ante igual período de 2019. Nas
viagens internacionais, a redução é de 85%.

Diante da situação, o setor tinha expectativa de que o governo também anunciasse desde
já medidas de adiamento de pagamento de impostos, como o PIS/Co ns – o que está em
estudo nos ministérios da Infraestrutura e da Economia.