Sunteți pe pagina 1din 9

Referências

ATLAS nacional do Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: IBGE, CENSO DEMOGRÁFICO 2010. Características ge-
2000. 262 p. rais da população, religião e pessoas com deficiência.
Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Acompanha 1 CD-ROM.
ATLAS nacional do Brasil Milton Santos. Rio de Janeiro: Disponível em: <ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Cen-
IBGE, 2010. 307 p. so_Demografico_2010/Caracteristicas_Gerais_Reli-
giao_Deficiencia/caracteristicas_religiao_deficiencia.
BAENINGER, R.; CUNHA, J. M. P. da. Migração, pdf>. Acesso em: mar. 2013.
dinâmica regional e projeções populacionais. São Paulo
em Perspectiva, São Paulo: Fundação Sistema Estadual de EVOLUÇÃO da divisão territorial do Brasil 1872-2010.
Análise de Dados - Seade, v. 10, n. 2, p. 102-109, abr./jun. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. 261 p. (Documentos para
1996. Disponível em: <http://www.seade.gov.br/produ- disseminação. Memória institucional, 17). Acompanha 1
tos/spp/v10n02/v10n02_13.pdf>. Acesso em: mar. 2013. CD-ROM. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/
home/geociencias/geografia/default_evolucao.shtm>.
BASE cartográfica vetorial contínua do Brasil ao milioné- Acesso em: mar. 2013.
simo - BCIM. Ver. 3. Rio de Janeiro: IBGE, [2010]. Dis-
ponível em: <ftp://geoftp.ibge.gov.br/mapeamento_siste- HAJNAL, J. Age at marriage and proportions marrying.
matico/base_continua_ao_milionesimo/2_bcim_v3.zip>. Population Studies, Londres: Taylor & Francis, v. 7, n. 2,
Acesso em: fev. 2013. p.111-136, nov. 1953. Disponível em: <http://faculty.wa-
shington.edu/samclark/soc433/Syllabus/Readings/4/1/
CASTELLO BRANCO, M. L. G. Áreas de concentração de Hajnal-J_1953_Age-Marriage-Proportion-Marrying.
população. Trabalho apresentado na mesa-redonda “Áreas pdf>. Acesso em: mar. 2013.
de concentração de população: regiões metropolitanas,
cidades médias, cidades gêmeas, cidades de fronteiras”, INDICADORES sociais municipais: uma análise dos
no II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de resultados do universo do censo demográfico 2010. Rio
Informações Sociais, Econômicas e Territoriais, Rio de de Janeiro: IBGE, 2011. 151 p. Acompanha 1 CD- ROM.
Janeiro, 2006. (Estudos e pesquisas. Informação demográfica e socioeco-
nômica, n. 28). Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/
CENSO DEMOGRÁFICO 2010. Características da home/estatistica/populacao/censo2010/indicadores_so-
população e dos domicílios: resultados do universo. Rio ciais_municipais/indicadores_sociais_municipais.pdf>.
de Janeiro: IBGE, 2011. Acompanha 1 CD-ROM. Dis- Acesso em: fev. 2013.
ponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/
populacao/censo2010/caracteristicas_da_populacao/ MALHA municipal digital do Brasil: situação em 1991 e
resultados_do_universo.pdf>. Acesso em: mar. 2013. 1994. Rio de Janeiro: IBGE, 1996. 1 CD-ROM.
Atlas do Censo Demográfico 2010
148 IBGE Referências

MALHA municipal digital do Brasil: situação em 2000 OLIVEIRA,A.T. R. de; ERVATTI, L. R.; O’NEILL, REGIÕES de influência das cidades 2007. Rio de
e 2010. Rio de Janeiro: IBGE, [2012]. Disponível em: M. M. V. C. O panorama dos deslocamentos popu- Janeiro: IBGE, 2008. 201 p.Acompanha 1 CD- ROM.
<ftp://geoftp.ibge.gov.br/malhas_digitais/> . Acesso lacionais no Brasil: PNADs e Censos Demográficos. Disponível em: <ftp://geoftp.ibge.gov.br/regioes_
em: fev. 2013. In: OLIVEIRA, L. A. P. de; OLIVEIRA, A. T. R. de. de_influencia_das_cidades/>. Acesso em: ago. 2011.
(Org.). Reflexões sobre os deslocamentos populacionais no
MAPA da série Brasil-geográfico: sistema de projeção Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. p. 28-49. (Estudo WORLD population prospects: the 2010 revision.
policônica: escala 1:5 000 000. Rio de Janeiro: IBGE, e análises. Informação demográfica e socioeconômica, New York: United Nations, Dept. of Economic and
1997. 1 CD-ROM. 1). Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/ Social Affairs, 2011. Disponível em: <http://esa.
estatistica/populacao/reflexoes_deslocamentos/des- un.org/unpd/wpp/Excel-Data/population.htm>.
MAPA da série Brasil-geográfico: sistema de projeção locamentos.pdf>. Acesso em: fev. 2013. Acesso em: jun. 2012.
policônica: escala 1:5 000 000. Rio de Janeiro: IBGE,
1997. 1 CD-ROM. PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE WORLD urbanization prospects: the 2011 revision.
DOMICÍLIOS 2004. Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, v. New York: United Nations, Dept. of Economic
MAPA de biomas do Brasil: primeira aproximação. 25, 2005. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/ and Social Affairs, 2011. Disponível em: <http://
Rio de Janeiro: IBGE, 2004. 1 mapa, color. Escala 1:5 home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/ esa.un.org/unpd/wup/CD-ROM/Urban-Rural-
000 000. Projeção policônica. pnad2004/brasilpnad2004.pd>.Acesso em: mar. 2013. -Population.htm>. Acesso em: jun. 2012.
Glossário

abastecimento de água por outra forma Abastecimento em desordenada e densa, e carentes, em sua maioria, de serviços
que o domicílio é servido por água proveniente de poço ou públicos essenciais. A identificação e a delimitação desses
nascente localizado fora do terreno ou da propriedade em que setores especiais são realizadas por ocasião da preparação
está construído, ou localizado na aldeia ou fora da aldeia, em da base operacional geográfica do Censo Demográfico.
terras indígenas; ou água transportada por carro-pipa, de chuva, Este conceito, utilizado pela primeira vez no Censo De-
armazenada em cisterna, caixa de cimento, galões, tanques de mográfico 1991, possui certo grau de generalização, de
material plástico etc.; água de rio, açude, lago, igarapé; ou outra forma a abarcar a diversidade de assentamentos irregulares
forma de abastecimento diferente das demais descritas. existentes no País, conhecidos como: favela, invasão, grota,
baixada, comunidade, vila, ressaca, mocambo, palafita, entre
abastecimento de água por poço ou nascente na pro- outros. Para o Censo Demográfico 2010, apesar de o con-
priedade Abastecimento em que o domicílio é servido ceito de aglomerado subnormal ter permanecido o mes-
por água de poço ou nascente localizado no terreno ou mo de Censos Demográficos anteriores, o IBGE adotou
na propriedade em que está construído. inovações metodológicas e operacionais com o objetivo
de atualizar e aprimorar a identificação dos aglomerados.
abastecimento de água por rede geral de distribuição
Abastecimento em que o domicílio, ou o terreno, ou a Amazônia Legal Criada pela Lei no 5.173, de 27.10.1966,
propriedade em que se localiza, está ligado à rede geral de a região atualmente está compreendida pela totalidade
abastecimento de água. dos Estados de Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima,
Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, além de parte do
adequação de moradia Ver domicílio adequado Maranhão (a oeste do meridiano de 44ºW). A região en-
globa uma superfície de aproximadamente 5 217 423 km²,
aglomeração urbana Processo de metropolização, resul- correspondente a cerca de 61% do território brasileiro, e
tante da expansão de uma cidade central, que dá origem a foi instituída com o objetivo de definir a delimitação ge-
uma estrutura espacial característica, cujo traço dominante é ográfica da região política captadora de incentivos fiscais
a alta especialização do uso do solo urbano. Neste particular, com vistas à promoção de seu desenvolvimento regional.
destaca-se a suburbanização de municípios contíguos, através
da formação de núcleos dormitórios e núcleos industriais, bacia hidrográfica Região compreendida entre divisores
estruturação espacial que pode comportar um distanciamento de água, na qual toda água ali precipitada escoa por um
considerável entre o local de residência e o local de trabalho. único exutório ou, mais simplesmente, conjunto de terras
drenadas por um rio principal e seus afluentes.
aglomerado subnormal Conjunto constituído por um
mínimo de 51 unidades habitacionais, ocupando ou ten- bens duráveis Bens existentes no domicílio particular
do ocupado, até período recente, terreno de propriedade permanente: rádio; geladeira; televisão; automóvel (de pas-
alheia (pública ou particular), dispostas, em geral, de forma sageiros ou utilitário, exclusive caminhões ou camionetas
Atlas do Censo Demográfico 2010
150 IBGE Glossário

de carga) usado para locomoção dos membros do distrito Unidade administrativa de um município. do o mesmo é cedido por empregador (particular
domicilio, mesmo quando destinados principalmente Sua criação, desmembramento ou fusão depende de ou público) de qualquer um dos moradores, ainda
ao trabalho; microcomputador; freezer; máquina de lei municipal, que deve observar a continuidade ter- que mediante uma taxa de ocupação ou conserva-
lavar roupa; aspirador de pó; e telefone. ritorial e os requisitos previstos em lei complementar ção (condomínio, gás, luz etc.) Inclui-se, também,
estadual. Os distritos podem ser subdivididos em uni- o domicílio cujo aluguel é pago diretamente pelo
bioma Amplo conjunto de ecossistemas terrestres dades administrativas denominadas subdistritos, regiões empregador de um dos moradores do domicílio.
caracterizados por tipos fisionômicos semelhantes de administrativas, zonas ou outra denominação específica.
vegetação com diferentes tipos climáticos. A localidade onde está sediada a autoridade distrital, domicílio coletivo Instituição ou estabelecimento
excluídos os distritos das sedes municipais, tem a cate- onde a relação entre as pessoas que nele se encontram,
Bolsa Família Programa social destinado às famílias em goria de vila. Observa-se que nem todas as vilas criadas moradoras ou não, na data de referência, é restrita a
situação de pobreza com rendimento familiar per capita até pelas legislações municipais possuem ocupação urbana. normas de subordinação administrativa. Os domicílios
um determinado valor mensal, que associa à transferência Na ocorrência desses casos, tais vilas não foram isoladas coletivos classificam-se em duas espécies: com morador
do benefício financeiro o acesso aos direitos sociais básicos em setores urbanos no Censo Demográfico 2010. e sem morador. São exemplos: asilos, orfanatos, con-
- saúde, alimentação, educação e assistência social. O bolsa ventos e similares; hotéis, motéis, campings, pensões e
família unificou todos os benefícios sociais (bolsa escola, Distrito Federal Unidade autônoma onde tem sede similares; alojamentos, de trabalhadores ou estudantes,
bolsa alimentação, cartão alimentação e o auxílio gás) do o Governo Federal com seus poderes executivo, legis- república de estudantes (instituição); penitenciária,
governo federal num único programa. lativo e judiciário. O Distrito Federal tem as mesmas presídio ou casa de detenção; e outros (quartéis, postos
competências legislativas reservadas aos estados e militares, hospitais e clínicas com internação) etc.
colar metropolitano Área formada pelos municípios municípios, e é regido por lei orgânica, sendo vedada
do entorno das regiões metropolitanas atingidos pelo sua divisão em municípios. Brasília é a capital federal. domicílio de situação rural Ver em situação do
processo de metropolização, integrando o planeja- domicílio
mento, a organização e a execução de funções públicas divisão político-administrativa do Brasil Com-
de interesse comum. preende a União, o Distrito Federal, os Estados e os domicílio de situação urbana Ver em situação do
Municípios, todos autônomos nos termos da Cons- domicílio
cor ou raça Característica declarada pelas pessoas tituição Federal do Brasil.
com base nas seguintes opções: branca; preta; amarela domicílio de uso ocasional Domicílio particular
(para a pessoa que se declarou de origem oriental: divisão regional Tarefa de caráter científico e, desse permanente que, na data de referência, serve ocasio-
japonesa, chinesa, coreana etc.); parda; ou indígena modo, sujeita às mudanças ocorridas no campo teóri- nalmente de moradia, ou seja, é usado para descanso
(para a pessoa que se declarou indígena ou índia). co-metodológico da Geografia, que afetam o próprio de fins de semana, férias, ou outro fim, mesmo que
conceito de região. As revisões periódicas dos diver- seus ocupantes ocasionais estejam presentes nessa data.
crescimento demográfico Incremento médio anual sos modelos de divisão regional adotados pelo IBGE
da população residente devido ao crescimento vege- são estabelecidas com base em diferentes abordagens domicílio particular Domicílio construído para
tativo ou à migração líquida, em determinado espaço conceituais, visando traduzir, ainda que de maneira servir exclusivamente à habitação e que, na data da
geográfico, no período considerado. sintética, a diversidade natural, cultural, econômica, pesquisa, serve de moradia a uma ou mais pessoas, cujo
social e política coexistente no Território Nacional. relacionamento é ditado por laços de parentesco, de
crescimento vegetativo Diferença entre o número dependência doméstica ou por normas de convivência.
de pessoas que nascem (natalidade) e o número de domicílio Local estruturalmente separado e inde-
pessoas que morrem (mortalidade). pendente que se destina a servir de habitação a uma domicílio particular permanente Domicílio cons-
ou mais pessoas, ou que está sendo utilizado como tal. truído a fim de servir exclusivamente para habitação
data de referência Data fixada para a investigação e que, na data de referência, tem a finalidade de servir
das características dos domicílios e das pessoas neles domicílio adequado Domicílio particular permanente de moradia a uma ou mais pessoas.
residentes. Corresponde à noite de 31 de julho para ligado à rede geral de abastecimento de água; com esgo-
1o de agosto de 2010.As pessoas nascidas a partir desta tamento sanitário do banheiro ou ligado à rede geral de domicílio particular permanente fechado Domi-
data não estão incluídas no Censo Demográfico 2010. esgoto ou pluvial ou à fossa séptica; com lixo coletado por cílio particular permanente que está ocupado na data
serviço de limpeza ou colocado em caçamba de serviço de referência, porém onde não é possível realizar a
densidade demográfica Medida do grau de con- de limpeza; e com até dois moradores por dormitório. entrevista no momento da visita do recenseador por-
centração de uma população no território, dada pela que seus moradores estão temporariamente ausentes.
quociente entre o volume total de população da área domicílio alugado Condição de ocupação do do- Para a tabulação dos resultados, esses domicílios são
e sua extensão territorial (hab/km2). micílio particular permanente quando o aluguel do considerados como ocupados sem entrevista realizada.
mesmo é pago por um ou mais de seus moradores.
deslocamento pendular Movimento de pessoas que se Considera-se, também, como alugado o domicílio em domicílio particular permanente ocupado Domicí-
deslocam, diariamente, para outros municípios e retor- que o empregador (de qualquer um dos moradores) lio particular permanente que, na data de referência, está
nam aos seus domicílios a fim de trabalhar e/ou estudar. pagar, como parte integrante do salário, uma parcela ocupado por moradores e no qual é realizada a entrevista.
em dinheiro para o pagamento do aluguel.
destino do lixo Ver lixo coletado por serviço de limpe- domicílio próprio já quitado ou em aquisição
za (coleta direta), lixo colocado em caçamba de serviço domicílio cedido por empregador Condição de Condição de ocupação do domicílio particular per-
de limpeza (coleta indireta), lixo com outro destino ocupação do domicílio particular permanente quan- manente quando o mesmo é propriedade, total ou
Atlas do Censo Demográfico 2010
Glossário IBGE 151

parcial, de um ou mais moradores, estando o mesmo pela Lei no 6.634, de 2 de maio de 1979, que altera o se considerava indígena , de acordo com as tradições,
integralmente pago (já quitado) ou ainda não inte- Decreto-Lei no 1.135, de 3 de dezembro de 1970. costumes, cultura, antepassados etc.
gralmente pago (em aquisição).
fecundidade Número médio de filhos que uma lixo coletado por serviço de limpeza (coleta
domicílio vago Domicílio particular permanente mulher teria até o final de sua idade reprodutiva (15 direta) Classificação do destinado dado ao lixo do
que não tem morador na data de referência, mesmo a 49 anos de idade) domicílio particular permanente quando coletado di-
que, posteriormente, durante o período da coleta, retamente por serviço de empresa pública ou privada.
tenha sido ocupado. São exemplos: imóveis à venda, Grandes Regiões Divisão regional oficial do Brasil,
imóveis para alugar etc., sem moradores nessa data. estabelecida pelo IBGE em 1969, constituída por cin- lixo colocado em caçamba de serviço de limpeza
co macrorregiões: Região Norte, Região Nordeste, (coleta indireta) Classificação do destinado dado
emprego informal Emprego sem carteira de tra- Região Sudeste, Região Sul e Região Centro-Oeste. ao lixo do domicílio particular permanente quando
balho assinada. depositado em caçamba, tanque ou depósito, fora do
grau de urbanização Porcentagem da população da domicílio, para depois ser coletado por serviço de
esgotamento sanitário por fossa séptica Escoadou- área urbana de um lugar em relação à sua população total. empresa pública ou privada.
ro do banheiro ou sanitário de uso dos moradores
do domicílio particular permanente quando a cana- idade Idade calculada por meio da pesquisa do mês e lixo com outro destino Classificação do destinado
lização está ligada a uma fossa séptica. Nesse caso, a do ano de nascimento. Para as pessoas que não sabiam dado ao lixo do domicílio particular permanente
matéria é esgotada para uma fossa próxima, onde passa o mês e o ano de nascimento, foi investigada a idade, quando queimado ou enterrado no terreno ou pro-
por um processo de tratamento ou decantação, sendo na data de referência, em anos completos, ou em me- priedade onde se localiza o domicílio, jogado em
ou não a parte líquida conduzida em seguida para ses completos, para as crianças com menos de 1 ano. terreno baldio, logradouro, rio, lago ou mar, com
um desaguadouro geral da área, região ou município. destino diferente dos descritos anteriormente.
idade média ao casar Idade calculada para as pessoas
esgotamento sanitário por outro tipo Escoadouro do de 15 anos ou mais de idade, com base na técnica malha municipal Conjunto de linhas que represen-
banheiro ou sanitário de uso dos moradores do domi- Singulate Mean Age at Marriage ¨C SMAM. tam os limites oficiais dos municípios.
cílio particular permanente quando ligado a uma fossa
rústica (fossa negra, poço, buraco, etc.) ou diretamente idade média da fecundidade Idade média em que mar territorial Extensão do mar que compreende,
a uma vala a céu aberto, rio, lago ou mar, ou outra as mulheres têm filhos. tal como definido pela Convenção das Nações Uni-
forma de escoadouro diferente das demais descritas. das sobre o Direito do Mar e pela Lei no 8.617, de
idade mediana Indicador que distingue a população 04.01.1993, uma faixa de 12 milhas marítimas (ou 22,2
esgotamento sanitário por rede geral de esgoto ou mundial em duas partes de igual tamanho, isto é, aque- km) de largura, medidas a partir do litoral continental
pluvial Escoadouro do banheiro ou sanitário de uso les países que apresentam o índice acima da mediana ou insular brasileiro, ou a partir de linhas de base retas
dos moradores do domicílio particular permanente mundial e aqueles que apresentam o índice abaixo da (nos locais onde a costa apresenta recortes profundos
quando a canalização das águas servidas e dos dejetos mediana mundial. Nesta publicação, a mediana mundial e reentrâncias, ou em que existe uma franja de ilhas
está ligada a um sistema de coleta que os conduz a considerada para este efeito é igual a 29,2 anos. ao longo da costa, na sua proximidade imediata). A
um desaguadouro geral da área, região ou município, soberania plena do País estende-se ao mar territorial,
mesmo que o sistema não disponha de estação de imigração Movimento de entrada de pessoas em um ao espaço aéreo sobrejacente, bem como ao seu leito e
tratamento da matéria esgotada. determinado país ou região. Contrariamente, emigra- subsolo. O mar territorial constitui bem da União, de
ção é o movimento de saída de pessoas de um deter- acordo com a Constituição Federal do Brasil.
estabelecimento Edificação utilizada para fins não minado país ou região. Ver também saldo migratório.
domiciliares, como, por exemplo: escolas, prédios mês de referência Mês fixado para a investigação das
comerciais, etc. índice de envelhecimento Relação existente entre características de trabalho e rendimento. Corresponde
o número de idosos e o de jovens, isto é, relação ao mês de julho de 2010.
estado Unidade de maior hierarquia na organização entre a população de 65 anos ou mais de idade e a
político-administrativa brasileira, que se divide em população de 0 a 14 anos de idade. mesorregião geográfica Área individualizada, em
municípios. Os estados podem incorporar-se entre uma Unidade da Federação, que apresenta formas
si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem índice de Gini Medida do grau de concentração de de organização do espaço geográfico definidas pelas
a outros, ou formarem novos estados ou territórios uma distribuição, cujo valor varia de 0 (zero), a per- seguintes dimensões: o processo social, como deter-
federais, mediante aprovação da população diretamen- feita igualdade, até 1 (um), a desigualdade máxima). minante, o quadro natural, como condicionante, e a
te interessada, através de plebiscito, e do Congresso Nesse caso, valores mais próximos de zero indicam rede de comunicação e de lugares, como elemento de
Nacional, por lei complementar. Organizam-se e que os municípios de determinada região possuem articulação espacial. Estas três dimensões possibilitam
regem-se pelas constituições e leis que adotarem, ob- populações semelhantes, enquanto valores próximos que o espaço delimitado como mesorregião tenha uma
servados os princípios estabelecidos na Constituição de 1 se referem a regiões onde as populações estão identidade regional, que é uma realidade construída
Federal do Brasil. mais concentradas em alguns municípios. ao longo do tempo pela sociedade que aí se formou.

faixa de fronteira Faixa interna de 150 km de largura, indígena Pessoa residente ou não em terras indígenas, microrregião geográfica Área definida como parte
paralela à linha divisória terrestre do território nacional. que se declarou como tal, assim como pessoa residente da mesorregião que apresenta especificidades, quanto
É considerada área de segurança nacional e está regulada em terras indígenas que não se declarou indígena, mas à organização do espaço, o que não significa unifor-
Atlas do Censo Demográfico 2010
152 IBGE Glossário

midade de atributos, nem confere à microrregião onde está sediada a prefeitura municipal tem a cate- população natural Pessoas nascidas no município
autossuficiência e tampouco o caráter de ser única, goria de cidade. que residem.
devido a sua articulação a espaços maiores, quer me-
sorregiões, quer Unidades da Federação, ou mesmo a nacionalidade Referência ao país de nascimento população ocupada Pessoas com trabalho durante
totalidade nacional. Essas especificidades referem-se a de uma pessoa. toda ou parte da semana de referência, ainda que
estruturas de produção diferenciadas - agropecuária, afastadas por motivo de férias, licença, falta, greve etc.
industrial, extrativa mineral ou pesca - as quais podem naturalidade Referência ao estado de nascimento
resultar da presença de elementos do quadro natural de uma pessoa. população portadora de deficiência Pessoas porta-
ou de relações sociais e econômicas particulares. doras de deficiência mental ou física, total ou parcial,
nível de ocupação Percentual de pessoas ocupadas em variando o grau e o tipo da deficiência.
migração Forma de mobilidade espacial entre uma relação ao total de pessoas com 10 anos ou mais de idade.
unidade geográfica e outra, envolvendo mudança população relativa Relação entre o número total
permanente de residência. PEA Ver população economicamente ativa de habitantes de uma determinada área (população
absoluta) e sua extensão territorial. Ver também den-
migração rural - urbana Movimento da população pessoa alfabetizada Pessoa de 5 anos ou mais de sidade demográfica.
de uma área rural para uma área urbana. idade capaz de ler e escrever um bilhete simples no
idioma que conhece. população residente População constituída pelos
migrante Ver migração moradores do domicílio na data de referência.
pessoa analfabeta Pessoa de 5 anos ou mais de idade
morador Pessoa que tem o domicílio como local que aprendeu a ler e escrever, mas que esqueceu devido população rural Ver em situação do domicílio
habitual de residência e nele se encontra na data de a ter passado por um processo de alfabetização que não
referência, ou que, embora ausente na data de refe- se consolidou, e a que apenas assina o próprio nome. população urbana Ver em situação do domicílio
rência, tem o domicílio como residência habitual,
desde que essa ausência não seja superior a 12 meses PIA Ver população em idade ativa povoado Tipo de aglomerado rural sem caráter
em relação àquela data, em decorrência dos seguin- privado ou empresarial, ou seja, não vinculado a
tes motivos: viagens (a passeio, a serviço, a negócio, pirâmide etária Representação gráfica da distribuição um único proprietário do solo (empresa agrícola,
de estudos etc.); internação em estabelecimento de da população de um país por sexo e faixas de idade. indústria, usina etc.), cujos moradores exercem ati-
ensino ou hospedagem em outro domicílio, pen- vidades econômicas, quer primárias (extrativismos
sionato, república de estudantes, visando facilitar população absoluta Número total de habitantes de vegetal, animal e mineral e atividades agropecuárias),
a frequência à escola durante o ano letivo; deten- uma determinada área. terciárias (equipamentos e serviços) ou secundárias
ção sem sentença definitiva declarada; internação (industriais, em geral), no próprio aglomerado ou
temporária em hospital ou estabelecimento similar; população adulta Pessoas com 25 anos ou mais de fora dele. O povoado é caracterizado pela existência
e embarque a serviço (militares, petroleiros). In- idade. de um número mínimo de serviços ou equipamentos
dependentemente do período de afastamento do para atender aos moradores do próprio aglomerado
domicílio de origem, a pessoa é considerada como população desocupada Pessoas sem trabalho na ou de áreas rurais próximas.
moradora no local onde se encontra na data de semana de referência, mas que tomaram alguma pro-
referência em decorrência das seguintes situações: vidência efetiva na procura de trabalho no período razão criança/mulher Razão entre a população
internada permanentemente em sanatório, asilo, de referência de 30 dias. total de 0 a 4 anos de idade e a população de mulheres
convento ou estabelecimento similar; moradora de 15 a 44 anos de idade.
de pensionato e que não tem outro local habitual população economicamente ativa Pessoas em idade
de residência; condenada com sentença definitiva ativa (10 anos ou mais de idade) que estão trabalhando razão de dependência de idosos Razão entre a
declarada; ou migrante para outras regiões em busca ou em busca de trabalho. Compreende o potencial de população considerada idosa (65 anos ou mais de
de trabalho, tendo lá fixado residência. mão de obra com que pode contar o setor produtivo. idade) e a população em idade potencialmente ativa
(15 a 64 anos de idade).
município Unidade autônoma de menor hierarquia população em idade ativa Pessoas com 10 anos ou
dentro da organização político-administrativa do mais de idade. razão de dependência total Razão entre a popula-
Brasil. Sua criação, incorporação, fusão ou desmem- ção considerada inativa (0 a 14 anos e 65 anos ou mais
bramento depende de leis estaduais, que devem ob- população não economicamente ativa Pessoas não de idade) e a população em idade potencialmente
servar o período determinado por lei complementar classificadas como ocupadas nem como desocupadas ativa (15 a 64 anos de idade).
federal e a necessidade de consulta prévia, mediante na semana de referência.
plebiscito, às populações envolvidas, após divulgação razão de óbitos da população total Razão entre o
dos estudos de viabilidade municipal, apresentados população não natural Pessoas nascidas em outro número de óbitos e a população total, calculada por
e publicados na forma da lei. Os municípios são município ou país estrangeiro. 1 000 habitantes.
regidos por leis orgânicas, observados os princípios
estabelecidos na Constituição Federal do Brasil, e população não ocupada Pessoas desocupadas duran- razão de óbitos por gênero Razão entre o número
na constituição do estado onde se situam, e podem te toda ou parte da semana de referência ou aquelas de óbitos e a população total, calculada, separadamen-
criar, organizar e suprimir distritos. A localidade não economicamente ativas. te por sexo, por 1 000 habitantes.
Atlas do Censo Demográfico 2010
Glossário IBGE 153

razão de óbitos por menores de 1 ano Razão RIDE Ver região integrada de desenvolvimento escrever, mas esqueceu, e a que apenas assina o próprio
entre o número de óbitos de menores de 1 ano de nome é, também, considerada analfabeta.
idade e a população total dessa faixa etária, calculada RM Ver região metropolitana
por 1 000 habitantes. taxa de crescimento demográfico Incremento mé-
saldo migratório Diferença entre o número de dio anual da população residente devido ao crescimen-
razão de óbitos por situação de domicílio Razão entradas e saídas de pessoas por migração, interna to vegetativo ou à migração líquida, em determinado
entre o número de óbitos e a população total, calcula- ou internacional, para um determinado país ou espaço geográfico, no período considerado. Representa
da, separadamente para os domicílios rurais e urbanos. região, num dado período de tempo. O saldo mi- a velocidade de crescimento da população entre dois
gratório também pode ser calculado pela diferença momentos de tempo. As estimativas de crescimento
razão de sexo Razão entre o número de homens entre o acréscimo populacional e o saldo natural. da população são realizadas pelo método geométrico.
e o número de mulheres em uma população, expressa Ver também imigração.
pela relação: (homens/mulheres)*100, onde a razão taxa de crescimento geométrico Ver taxa média
>100 significa um número maior de homens e a semana de referência Semana fixada para a inves- geométrica de crescimento da população.
razão <100 significa um número maior de mulheres. tigação das características de trabalho e rendimento.
Corresponde ao período de 25 a 31 de julho de 2010. taxa de dependência Peso da população considerada
região metropolitana Conjunto de municípios com inativa (0 a 14 anos e 65 anos ou mais de idade) em relação
a finalidade de executar funções públicas que, por sua Semiárido Área geográfica, também conhecida à população potencialmente ativa (15 a 64 anos de idade).
natureza, exige cooperação entre os mesmos para a como Sertão, na qual as chuvas são bastante irregu-
solução de problemas comuns, como os serviços de lares e o solo é raso. Essas características acarretam taxa de mortalidade Ver razão de óbitos da po-
saneamento básico e de transporte coletivo, o que longos períodos de seca. Cobrindo cerca de 8% pulação total
legitima, em termos político-institucionais, sua exis- do território brasileiro e com área de quase 900
tência, além de permitir uma atuação mais integrada mil km², o Semiárido abrange os Estados do Piauí, taxa de mortalidade por gênero Ver razão de
do poder público no atendimento às necessidades da Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, óbitos por gênero
população ali residente, identificada com o recorte Alagoas, Sergipe, Bahia e norte de Minas Gerais.
territorial institucionalizado. No caso das regiões Apesar de a região ser considerada a mais úmida taxa de mortalidade por situação de domicílio Ver
metropolitanas, cabe ressaltar que o próprio limite do mundo, as chuvas são bastante irregulares. Há razão de óbitos por situação de domicílio
político-administrativo dos municípios que a com- curtos períodos de muita chuva, enquanto há longos
põem baliza seu espaço institucional. períodos de muita seca. taxa de urbanização Percentual da população resi-
dente em área urbana em relação à população total.
região integrada de desenvolvimento Conjunto setor censitário Unidade de controle cadastral for-
de municípios cuja origem baseia-se no princípio mada por área contínua, integralmente contida em área taxa média geométrica de crescimento da popu-
de cooperação entre os diferentes níveis de governo: urbana ou rural, cuja dimensão, número de domicílios lação Incremento médio da população em deter-
federal, estadual e municipal. Diferentemente das e de estabelecimentos permitem ao Recenseador minado período de tempo.
regiões metropolitanas, as regiões integradas de de- cumprir suas atividades em um prazo determinado,
senvolvimento podem ser compostas por municípios respeitando o cronograma de atividades. O setor cen- terras indígenas Terras criadas pelo poder público,
de Unidades da Federação diferentes. sitário é a área de trabalho do Recenseador. tradicionalmente ocupadas pelos índios e por eles
habitadas em caráter permanente, utilizadas para suas
religião Característica declarada pelas pessoas, iden- situação do domicílio Classificação da localização atividades produtivas e imprescindíveis à preservação
tificando seita, culto ou ramo da religião professada, do domicílio em urbana ou rural, definida por lei dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar
com base nas opções: Católica Apostólica Romana, municipal vigente na data de referência. A situação e às necessidades da sua reprodução física e cultural,
Católica Ortodoxa, Católica Brasileira, Anglicana, urbana abrange as áreas correspondentes às cidades segundo seus usos, costumes e tradições.
Episcopal, Luterana, Batista, Assembléia de Deus, (sedes municipais), às vilas (sedes distritais) ou às áreas
Igreja Universal do Reino de Deus, Congregação urbanas isoladas. A situação rural abrange toda a área unidades da federação Conjunto dos Estados e
Cristã do Brasil, Adventista, Kardecista, Xintoísta, situada fora desses limites. Este critério é, também, Distrito Federal.
Testemunha de Jeová, Candomblé, Umbanda, Budista, utilizado na classificação da população urbana e rural.
Israelita, Maometana (ou Islamita), Esotérica etc. urbanização Processo em que a população das
taxa de atividade Percentual da população econo- cidades aumenta proporcionalmente mais que a
rendimento mensal habitual Soma do rendimento micamente ativa em relação à população de 10 anos população do campo, isto é, quando o crescimento
mensal de trabalho com o proveniente de outras fontes. ou mais de idade. urbano é superior ao crescimento rural.

rendimento mediano mensal Valor do rendimento taxa de analfabetismo Porcentagem de pessoas vila Localidade onde está sediada a autoridade
mensal que ocupa o ponto central na série ordenada analfabetas de um grupo etário em relação ao total distrital, excluídos os distritos das sedes municipais.
dos valores de rendimento. de pessoas do mesmo grupo etário. É considerada Observa-se que nem todas as vilas criadas pelas le-
analfabeta a pessoa de 5 anos ou mais de idade que gislações municipais possuem ocupação urbana. Na
rendimento nominal mensal Ver rendimento declara não saber ler ou escrever um bilhete simples ocorrência desses casos, tais vilas não foram isoladas
mensal habitual no idioma que conhece. Aquela que aprendeu a ler e em setores urbanos no Censo Demográfico 2010.
Equipe técnica

Diretoria de Geociências Rogério Botelho de Mattos


Sergio Vinícius Alves Barros (estagiário)
Coordenação de Geografia
Claudio Stenner Elaboração do glossário
Vera Maria d’Ávila Cavalcanti Bezerra
Coordenação e planejamento da publicação
André Polly Assumpção (coordenação geral) Colaboradores
Camilla Silva Motta dos Santos (coordenação geral) Coordenação de Geografia
Cláudio Stenner Adma Hamam de Figueiredo
Marco Antonio de Carvalho Oliveira (coordenação geral) Ana Maria Fernandes da Costa

Geoprocessamento Ethel Guedes Vieites


José Carlos Louzada Morelli
Coordenação geral
Marco Antônio Teixeira Brito
José Carlos Louzada Morelli
Maria Amélia Vilanova Neta
Tratamento de imagens Paulo Wagner Teixeira Marques
André Polly Assumpção Paulo Jorge de Barros Malta
Cláudio Stenner Ronaldo Cerqueira Carvalho
Layout dos mapas e cartogramas Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais
Cléber de Azevedo Fernandes Hellen Cano
Planejamento e geoprocessamento dos mapas e cartogramas Maurício Gonçalves e Silva
Amanda Estela Guerra
Diretoria de Pesquisas
André Polly Assumpção
Camilla Silva Motta dos Santos Assessoria temática
Celso Guilherme de Souza Silva (estagiário) Coordenação de População e Indicadores Sociais
Cláudio Stenner Antonio Tadeu Ribeiro de Oliveira
Cléber de Azevedo Fernandes Bianca Leal Neves
Cristiane Moreira Rodrigues Fernando Roberto Pires de Carvalho e Albuquerque
Daléa Soares Antunes Gabriel Mendes Borges
Emílio Reguera Rua Marden Barbosa de Campos
Geovanna Vera Cruz Porto Batista (estagiária)
Ivete Oliveira Rodrigues Projeto Editorial
Jorge Kleber Teixeira Silva
Centro de Documentação e Disseminação de Informações
José Carlos Louzada Morelli
Coordenação de Produção
Marcele Borges dos santos (estagiária)
Marise Maria Ferreira
Marcelo Paiva da Motta
Marco Antonio de Carvalho Oliveira Gerência de Editoração
Marcus Vinicius Siqueira de Oliveira (estagiário) Estruturação textual, tabular e de gráficos
Maria Helena Palmer de Lima Beth Fontoura
Maria Mônica Vieira Caetano O’Neill Katia Vaz Cavalcanti
Rodrigo de Anchieta Bento (estagiário) Leonardo Martins
Atlas do Censo Demográfico 2010
156 IBGE Equipe técnica

Diagramação tabular e de gráficos Gerência de Documentação Fotografias da capa e aberturas:


Aline Carneiro Damacena Pesquisa e normalização bibliográfica Brasil e o mundo
Beth Fontoura Ana Raquel Gomes da Silva AgenciaBrasil101012 MCA006 | © 2012 Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Leonardo Martins Carla de Castro Palmieri (estagiária)
Luiz Carlos Chagas Teixeira Divisão territorial do Brasil
Elizabeth de Carvalho Faria
ABr150113 WDO8622 | © 2013 Wilson Dias/Agência Brasil
Copidesque e revisão Lioara Mandoju
Anna Maria dos Santos Maria Beatriz Machado Santos Soares (estagiária) Características demográficas
Cristina R. C. de Carvalho Maria da Penha Ribeiro Uchoa 19042010-190410RA0122 | © 2010 Renato Araujo /Agência Brasil
Kátia Domingos Vieira Maria Socorro da Silva Araújo Distribuição espacial da população
Diagramação textual Padronização de glossários Cidade de Unaí - vista aérea | © 2005 VIunaI/utilizado sob licença
Luiz Carlos Chagas Teixeira Ana Raquel Gomes da Silva Creative Commons

Programação visual da publicação Elaboração de quartas capas Fluxos da população no território


Aline Carneiro Damacena Ana Raquel Gomes da Silva AgenciaBrasil050712MCA2574 | © 2012 Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Helena Maria Mattos Pontes Urbanização
Gerência de Gráfica
Leonardo Martins rmpinho/Morguefile
Impressão e acabamento
Luiz Carlos Chagas Teixeira
Maria Alice da Silva Neves Nabuco Condições de habitação
Pesquisa iconográfica e tratamento de imagens AgenciaBrasil170812 JFC1826 | © 2012 Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Aline Carneiro Damacena
Gráfica Digital
Perfil socioeconômico da população
Helena Maria Mattos Pontes Impressão
830MC4373 | © 2009 Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Leonardo Martins Ednalva Maia do Monte
Diversidade cultural
Tratamento de arquivos e mapas
AgenciaBrasil221012PZB 4390 | © 2012 Fabio Rodrigues Pozzebom/
Evilmerodac Domingos da Silva
Agência Brasil
Produção de multimídia
LGonzaga
Márcia do Rosário Brauns
Marisa Sigolo
Mônica Pimentel Cinelli Ribeiro
Roberto Cavararo