Sunteți pe pagina 1din 34

CENA 1 - APARTAMENTO DE LEON/QUARTO - INT - DIA

Continuação do capítulo anterior. Jerri abraça Leon


fortemente. Leon tenta se livrar do abraço.

LEON
Jerri... Você tá me enforcando!

JERRI
(solta Leon)
Opa, desculpa. É que quando eu fico
feliz, me empolgo mesmo!

LEON
Percebi!

JERRI
E você tirou um notão, olha só!

LEON
(lendo o jornal)
É... É verdade! O meu nome tá aqui!
(grita) Queria ver a cara da
Valentina agora! Eu passei! (bate no
próprio peito) Eu passei!

JERRI
Isso tem que ser comemorado. E eu
vou providenciar a festança!

LEON
Como?

JERRI
Não se preocupe com nada.
Eu cuido de tudo. (levanta da cama)
Me empresta uma roupa sua?

LEON
Tá, pode pegar.

Jerri abre o guarda roupa e começa a mexer nas roupas. Leon


comemora silenciosamente.

CORTA PARA

CENA 2 - CASA DE LAYLA/QTO DE MICHAEL - INT - DIA

Michael está deitado na cama, visivelmente aborrecido. Layla


está junto a ele.
2.

LAYLA
Michael, já faz um mês desde aquele
acidente e você ainda não começou a
fisioterapia! Você não quer ficar
manco o resto da vida, quer?

MICHAEL
Não tenho a menor vontade de fazer
aqueles exercícios chatos.

LAYLA
Ultimamente você não tem tido
vontade de nada... Não quis mais ver
Valentina!

MICHAEL
É melhor assim. Não ver a Valentina
me ajuda a esquecer.

LAYLA
Mas me explica uma coisa que eu não
entendi. O que faz você acreditar
que Valentina não possa se apaixonar
por você?

MICHAEL
Eu sempre a vejo em companhia de
outro homem. É um homem mais velho.
Já o vi saindo do prédio dela,
depois o vi no hospital, quando ela
disse que não ia mais sair comigo.
Não acredito que ele seja apenas um
amiguinho. Era carinhoso demais para
ser amigo.

CORTA PARA

CENA 3 - FLAT DE VALENTINA/SALA - INT - DIA

Valentina abre a porta. Herman entra e a cumprimenta com dois


beijos no rosto.

HERMAN
Como você está, Valentina?

VALENTINA
Bem, estou bem... Trabalhando muito,
mas nada que me mate de cansaço.
Fico muito feliz quando vejo aqueles
bichinhos se recuperando, os donos
felizes...
3.

HERMAN
Eu... Vim ver Angie. Ela está bem?

VALENTINA
Sim, está ótima! Fica a vontade, eu
vou trazê-la pra ver você.

Valentina sai e Herman caminha pela sala, observando as


fotografias. Pára diante da foto que ele tinha dado a
Valentina e olha para ela demoradamente.

HERMAN
Que saudade desse tempo...

Valentina volta para a sala com Lucille e Valentina.

VALENTINA
Herman, aqui está a nossa garota!
Tava furaconizando o quarto. (sorri)

HERMAN
E você, Lucille, como está?

LUCILLE
Muito bem, obrigada! (sorri) Acho
que eu estava adivinhando que você
ia vir! Preparei bolo de queijo.

HERMAN
Sério? É o meu bolo favorito!

LUCILLE
(sorrindo)
Muito bem. Vou pegar bolo e chá para
nós.

Lucille sai, sendo seguida por Angela. Valentina senta-se em


um dos sofás. Herman senta ao lado dela e segura sua mão.

HERMAN
Eu estava vendo as fotos... Você não
aparece em quase nenhuma. Por quê?

VALENTINA
Quase sempre eu sou a fotógrafa...
(ri)

HERMAN
Eu gostaria de levar uma foto sua,
para colocar no lugar da foto que eu
te dei. Se importa?
4.

VALENTINA
Não, não... O único problema é
procurar a foto, mas assim que eu
encontrar, eu dou sim.

Lucille volta com uma bandeja com quatro fatias de bolo, um


bule de chá e quatro xícaras, que coloca na mesa de centro.

VALENTINA
Já vou avisando que os bolos da
Lucille são os melhores do mundo!
Não sei como ela não se casou até
hoje, porque potencial para agarrar
um homem pelo estômago ela tem!

HERMAN
Eu acho que você está subestimando
Lucille. Uma mulher bonita como ela
não atrai um homem só pelos dotes
culinários.

LUCILLE
(olha para Herman, sorrindo)
Acho que não mereco tantos
elogios...

HERMAN
Mas por que não casou?

LUCILLE
Na verdade, nunca pensei em me
casar. (olha para Valentina) Quer
dizer... Ah, deixa pra lá.

VALENTINA
É, vamos mudar de assunto!

HERMAN
(comendo)
Este é o melhor bolo de queijo que
já comi na minha vida!

LUCILLE
Obrigada! (sorri)

A campainha toca. Valentina vai atender e encontra Amanda e


Darren.

VALENTINA
Oi, meninas.

DARREN
Você tá muito ocupada, Valentina?
5.

VALENTINA
Bom, eu tô com uma visita, mas...

AMANDA
Ah, tudo bem, a gente volta outra
hora!

VALENTINA
Não, não! A gente pode conversar lá
no meu quarto...

As garotas entram.

VALENTINA
Herman, vou me ausentar um pouquinho
para falar com as meninas aqui, tá?

HERMAN
Tudo bem, Valentina. Eu fico aqui
com Lucille e Angela.

Valentina entra, seguida por Amanda e Darren.

CORTA PARA

CENA 4 - QUARTO DE VALENTINA - INT - DIA

As garotas entram no quarto. Valentina senta em um pufe.


Amanda e Darren sentam em pufes próximos.

AMANDA
Valentina, a gente veio falar com
você sobre o Michael. É que vocês
eram tão amigos e de repente, depois
do acidente... Acabou!

VALENTINA
Eu também não entendi. Mas naquele
dia em que eu fui vê-lo no hospital,
percebi que ele não estava nem um
pouco interessado na minha amizade.
Não pude fazer nada. Se eu não sou
querida, eu me afasto e ponto final.

DARREN
Mas o Michael precisa de você! Ele é
daquele jeito, durão, fechado, mas
no fundo, no fundo, ele quer manter
a amizade com você.
6.

AMANDA
O acidente deixou ele com um
problema na perna esquerda. Era pra
ele fazer fisioterapia, mas ele se
recusa a fazer qualquer coisa. A
gente pensou que você podia ir lá em
casa, falar com ele, convencê-lo a
se tratar.

VALENTINA
Vocês acham que eu tenho realmente o
poder de convencer alguém a mudar de
atitude? Durante toda a minha vida
eu tentei fazer meu irmão gêmeo
mudar, e nada deu certo. Como eu
poderia mudar o irmão de vocês?

DARREN
É incrível como você e o Michael são
iguais... Um é tão orgulhoso como o
outro! Se vocês deixassem essa
besteira de lado, ficaria mais
fácil.

AMANDA
Você devia pelo menos fazer um
teste. Se não funcionar, a gente não
te amola mais.

VALENTINA
(depois de um tempo pensando)
Ok, vocês venceram. Hoje à noite eu
vou ver o Michael.

DARREN
Muito obrigada, Valentina! (beija o
rosto de Valentina)

VALENTINA
(levantando)
Bem, então vamos para a sala, fazer
um lanche com Herman e Lucille.

Amanda e Darren levantam e saem junto com Valentina.

CORTA PARA

CENA 5 - SÍTIO DE ALICE E MARCELO/COZINHA - INT - DIA

Alice e Marcelo tomam café. Ambos estão em silêncio, mas


Alice sorri durante a refeição.
7.

MARCELO
Você está tão feliz hoje! O que
aconteceu?

ALICE
Nada... É que eu tive uma boa noite.
Até sonhei!

MARCELO
Oh, que bom!

ALICE
Sonhei com Leon. Ele estava tão bem,
tão feliz!

Marcelo sorri para Alice.

CORTA PARA

CENA 6 - CASA DE LILA/COZINHA - INT - DIA

Lila abre a geladeira, tira uma garrafa de água e enche um


copo que está sobre o balcão. Abre uma gaveta do armário, de
onde tira uma cartela de comprimidos. Tira um deles, e faz
menção de levá-lo à boca, com a mão trêmula. Ouve a voz de
Giulia, a chamando e deixa o comprimido cair no chão.

GIULIA
(off)
Lila! Você tá aí?

LILA
(assustada)
Tá... A porta tá aberta! (tempo)
Entra!

Lila joga a cartela de comprimidos dentro da gaveta aberta e


bebe a água rapidamente. Giulia entra.

GIULIA
Oi! Eu ia te chamar pra sair... Você
tá bem?

LILA
(hesitante)
Estou... Sim, estou ótima! (sorri
falsamente)
8.

GIULIA
Você tá tremendo... (dá passos
lentos em direção a ela) Tem certeza
de que tá... (pára de caminhar) Opa,
acho que pisei em alguma coisa.
(abaixa-se e pega o comprimido) Você
ia tomar isso aqui? (mostra o
comprimido a Lila)

LILA
É remédio pra dor de cabeça.

GIULIA
(joga o comprimido no lixo)
Não é melhor tomar um chá, em vez de
comprimido? Tem que tomar cuidado
com o bebê...

LILA
Não, isso não vai fazer mal!

GIULIA
É melhor evitar problemas. Olha
só... você tá pálida! Vai se deitar,
vai... Eu preparo um chazinho pra
você dormir.

Lila permanece parada, na frente da gaveta onde estão os


comprimidos abortivos.

GIULIA
O que foi? Eu prometo que não vou
mexer em nada. Pode ir tranqüila. Só
vou colocar a água pra ferver e
depois vamos conversar, tá?

LILA
Tá bom...

Lila sai devagar. Ao se ver sozinha, Giulia abre a gaveta e


encontra a cartela de comprimidos.

GIULIA
Meu Deus... Isso aqui provoca
aborto! É melhor tirar isso daqui.

Giulia guarda a cartela no bolso e coloca água para ferver.

CORTA PARA

CENA 7 - VIDEOCLIPE

Imagens de São Paulo. O clipe termina mostrando o bar


Sacripantas, à noite.
9.

CORTA PARA

CENA 8 - BAR SACRIPANTAS - INT - NOITE

Giulia está sentada em uma das mesas, com Meire.

GIULIA
Olha só o que eu encontrei na gaveta
da cozinha dela, (tira a cartela de
comprimidos do bolso e põe sobre a
mesa)

MEIRE
Está faltando um aqui.

GIULIA
É, quando eu cheguei lá ela ia tomar
um remédio, disse que era pra dor de
cabeça... Mas era esse remédio aqui!
Se eu não tivesse chegado na hora,
ela teria abortado, com certeza.

MEIRE
Pobrezinha... Ela não tem ninguém
que possa ajudá-la? Um parente, o
pai do bebê?

GIULIA
Ninguém. Aí eu pensei em falar com
você porque... Bem, você conhece
muita gente. Poderia me ajudar a
achar a família da Lila, algum
amigo.

MEIRE
Isso é difícil. A gente não sabe
nada sobre essa menina.

GIULIA
Mas pode descobrir. A gente pode
grudar na Lila, sem ela perceber, é
claro. Assim a gente desenrola
alguma pista.

MEIRE
Você quer mesmo ajudá-la, não é?
10.

GIULIA
Eu nunca tive tanta vontade de
ajudar alguém como tenho agora. É
inexplicável.

MEIRE
Todo mundo tem uma missão nessa
vida, minha querida. Ajudar essa
criatura pode ser a sua.

Meire segura as mãos de Giulia. Ambas sorriem.

CORTA PARA

CENA 9 -

Tomada de Recife à noite. Música: Miedo - Lenine e Julieta


Venegas.

CORTA PARA

CENA 10 - APARTAMENTO DE LEON/SALA - INT - NOITE

Leon está comendo sozinho, vendo televisão. Jerri entra


repentinamente, assustando Leon que quase derruba o prato.

JERRI
O que você tá fazendo assim? Eu não
disse que a gente ia comemorar sua
aprovação no concurso?

LEON
Foi. Disse isso de manhã, pegou uma
roupa minha emprestada e sumiu.

JERRI
Eu estava acertando os detalhes para
a sua festa, oras! Falei com um
conhecido meu, o Dario, e a gente
vai lá pro espetinho dele, comer e
beber de graça! Demorei que só pra
achar ele e depois pra convencer a
deixar a gente comer sem pagar...

LEON
A gente podia muito bem ir pra lá
pagando. Não precisava...
11.

JERRI
Não começa não, hein Leon? Precisa,
precisa e precisa! Além disso o
velhinho tá me devendo uma montanha
de favores. Vamos nós quatro: eu,
tu, Mileninha e a minha musa, rainha
e adorada.

LEON
Tá legal. Eu vou lá chamar as duas.
(se encaminha para a porta)

JERRI
(puxando Leon)
Não! Deixa que eu vou. O dono da
festa é você, mas eu sou o
organizador. (para si próprio) Vai
que elas estão com cliente lá
dentro... (sai)

CORTA PARA

CENA 11 - VIDEOCLIPE

Imagens noturnas de Londres, teminando na casa de Layla.


Música: You are what you is - Frank Zappa.

CORTA PARA

CENA 12 - CASA DE LAYLA/QTO DE MICHAEL - INT - NOITE

Michael está sentado na cama, lendo uma revista.


Aparentemente, ele não está muito interessado no conteúdo da
revista, pois seus olhos mudam de foco constantemente. Layla
entra no quarto.

LAYLA
Filho, tem visita pra você.

MICHAEL
É a fisioterapeuta de novo? Eu já
disse que...

LAYLA
Nada de fisioterapeuta! É Valentina
que veio te ver.

MICHAEL
Ah. Diga a ela que sinto muito, mas
não estou em condições para receber
visitas hoje.
12.

LAYLA
Mas Michael, meu filho, já faz tanto
tempo que vocês não se vêem! E ela
veio, tão preocupada...

MICHAEL
O que eu posso fazer, mãe? Me
desculpe, mas eu não quero vê-la.

LAYLA
Tem certeza?

MICHAEL
Tenho.

LAYLA
Está bem, eu vou dizer a ela.

Layla sai. Michael não retoma a leitura, mas fica olhando


para a porta entreaberta.

CORTA PARA

CENA 13 - CASA DE LAYLA/SALA - INT - NOITE

Valentina espera sentada no sofá, ao lado de Johann. Layla


desce as escadas, desanimada.

LAYLA
Minha querida, desculpe mas Michael
disse que não quer vê-la.

VALENTINA
Tudo bem. (levanta-se)

LAYLA
Não quer tomar um café?

VALENTINA
Não, obrigada. Se me dão licença...
Eu vou lá em cima falar com ele.

LAYLA
À vontade!

Valentina sobe as escadas, decidida.

JOHANN
Atitude e persistência estão aí!

CORTA PARA
13.

CENA 14 - CASA DE LAYLA/QTO DE MICHAEL - INT - NOITE

Michael continua sentado na cama, com a revista no colo,


olhando para a porta entreaberta. Valentina pára na porta e é
possível ver uma parte de seu corpo através da porta
entreaberta.

VALENTINA
Michael, sou eu.

MICHAEL
Eu sei.

VALENTINA
Posso entrar?

MICHAEL
Valentina, eu disse à minha mãe
que...

VALENTINA
Sim, eu sei! Você não quer me ver.
Mas eu quero falar com você e não
sairei daqui enquanto não fizer
isso.

MICHAEL
Por favor, Valentina, eu não quero
que você perca tempo comigo!

VALENTINA
Por que você está tão chateado? Se
for por causa do que aconteceu no
dia do acidente, eu já expliquei!
Tive um plantão no hospital!

MICHAEL
Eu entendi, mas...

Valentina abre a porta e entra antes que Michael possa


terminar a frase.

VALENTINA
Vamos parar com isso, vamos.

Valentina senta-se no chão, perto da cama.

MICHAEL
(dando-se por vencido)
Está bem, vamos.
14.

VALENTINA
Eu poderia perguntar por que você
tem me evitado durante todo esse
mês, mas não vou fazer isso. Também
não vou perguntar porque você
atravessou a rua correndo como um
louco naquela noite, nada disso. Eu
vim aqui só pra ver você e...
conversar banalidades! Amigos fazem
isso, não é? E nós somos amigos.

MICHAEL
É, nós somos...

VALENTINA
Suas irmãs me disseram que você ia
começar sessões de fisioterapia.

MICHAEL
Na verdade não tenho a menor vontade
de fazer esses exercícios chatos.
Minha perna esquerda ficou com
seqüelas do acidente, mas dá pra
andar bem com uma bengala.

VALENTINA
Ai, não... Bengala não combina com
você. Daqui uns dez anos, quem
sabe... (ri)

Michael também ri.

VALENTINA
Oba, estou fazendo progressos! Já
consegui fazer você sorrir. Agora só
falta você aceitar fazer logo essa
fisioterapia e todos ficam felizes.

MICHAEL
Mas...

VALENTINA
Eu sei! As sessões são chatas. Mas
não se preocupe com isso não. Se for
necessário, eu venho pra cá e fico
com você. Se for necessário, até
conto piada. Não que eu seja muito
boa nisso, mas pelo menos da minha
cara você vai rir...
15.

MICHAEL
(rindo)
Mas você não é engraçada.

VALENTINA
Tá rindo do quê, então? (começa a
rir junto)

MICHAEL
Não é, mas agora está.

Os dois continuam rindo descontroladamente. Layla aparece na


porta.

LAYLA
Dá pra me contarem essa piada? Eu
quero rir também!

VALENTINA
Convenci seu filho a começar a
fisioterapia!

LAYLA
Finalmente! Filha, você conseguiu em
cinco minutos o que eu não consegui
em cinco semanas.

VALENTINA
Então prepare-se para me ver todos
os dias por aqui. Me comprometi a
acompanhá-lo.

LAYLA
Muito bem! Vou descer e avisar o seu
pai.

MICHAEL
Espera um pouco, mãe! Avisa lá
embaixo que hoje temos companhia pro
jantar. Valentina fica.

VALENTINA
Mas eu não avisei a...

MICHAEL
Pegue o telefone e avise, oras. Faço
questão de você jantando com a gente
hoje.

VALENTINA
Bom, já que é assim... Muito
obrigada! Vou telefonar para Lucille
agora.
16.

Valentina pega o telefone e sai. Layla sai com ela.

CORTA PARA

CENA 15 - ESPETINHO DO DÁRIO - EXT - NOITE

Há uma grande quantidade de pessoas na área onde se localiza


o espetinho (uma carrocinha cercada de mesas, cadeiras e um
potente equipamento de som). Um ônibus pára na frente do
local. Dele descem Ana Paula, Jerri, Leon e Milena. Leon olha
para o local, num misto de curiosidade e admiração.

ANA PAULA
Ô Erasmo! Você não tem grana? Então
por que trouxe a gente para esse
pardieiro em vez de levar pra um
lugar mais legal tipo... Uma
pizzaria?

JERRI
Querida... Eu gosto das coisas
simples da vida. Gosto do calor
humano! Tem lugar mais calor humano
do que esse aqui?

ANA PAULA
Mas se chover, estamos ferrados.

MILENA
(olha para o céu)
Vai chover não, Aninha. O céu tá tão
lindo! (tempo, suspira) Adoro noites
de lua cheia.

LEON
Onde é que fica a entrada?

JERRI
Que entrada?

LEON
A entrada do bar, oras.

JERRI
Ah, amiguinho! Primeiro, isso aqui
não é um bar, é um espetinho.
Segundo, não tem entrada nem saída.

LEON
E qual é a diferença entre bar e
espetinho?
17.

JERRI
Não sei. Mas que existe diferença,
ah, isso existe!

LEON
Tá, tá... Mas eu não tô vendo
nenhuma mesa desocupada.

JERRI
Deve ter alguma lá do outro lado.
Vamos.

Jerri vai na frente, os outros o seguem. Um homem gordo e mal


vestido, aparentando ser o dono do estabelecimento, indica
uma mesa com quatro cadeiras num canto. Eles se sentam e
começam a conversar. O som, extremamente alto, impede que se
ouça o que dizem. Instantes depois, Jerri se levanta, vai até
a carrocinha, fala com o dono, que pega uma lata de cerveja e
três de refrigerante, junto com quatro copos descartáveis e
entrega a Jerri, que volta à sua mesa tentando não derrubar
as quatro latas. Quando Jerri começa a colocar as bebidas
sobre a mesa com a ajuda das meninas, a música muda para um
tema brega romântico. Vários casais levantam e começam a
dançar. Jerri começa a balançar os braços conforme o ritmo da
música. Leon bate com os dedos na mesa. Ana Paula e Milena
apenas movem o corpo lentamente, de um lado para o outro.
Leon e Milena trocam olhares e sorrisos tímidos. Jerri enche
o seu copo de cerveja e o ergue a altura de sua cabeça.

JERRI
Eu quero propor um brinde! Ao nosso
querido Leon, por sua vitória. A
primeira de muitas!

Milena, Leon e Ana Paula acompanham Jerri no brinde. Ana


Paula sorri, como se tivesse acabado de perceber o clima
entre Leon e Milena. A música termina, e a ela segue-se outra
canção romântica. Os quatro se calam e continuam bebendo, até
que as latas secam.

LEON
Tô cansado de ficar aqui sentado.
(levanta)

MILENA
Eu também. (levanta, um pouco
hesitante) Vamos... Vamos dar uma
volta?

LEON
Vamos.
18.

Os dois saem juntos. Jerri e Ana Paula ficam sozinhos.

JERRI
Vou pegar mais bebida. Quer alguma
coisa?

ANA PAULA
(séria)
Tô com fome. Dá pra trazer algo de
comer por favor?

JERRI
Com certeza. Volto em um minuto.

Jerri se afasta. Ana Paula acompanha um grupo de rapazes


bonitos que passam perto dela e sorri, com um leve desânimo.

ANA PAULA
Enquanto isso, só a lontra daquele
camelô olha pra mim. Ai, ai...

CORTA PARA

CENA 16 - PRAÇA PRÓX. AO ESPETINHO - EXT - NOITE

Leon e Milena estão a certa distância do espetinho, mas ainda


dá para ouvir nitidamente a música. Os dois estão em pé,
perto de uma frondosa árvore. Milena toca o tronco da árvore.

MILENA
No quintal da minha casa tinha uma
árvore dessa aqui.

LEON
Você deve ter muita saudade, não é?

MILENA
Penso no papai todos os dias. Rezo
pra ele ficar bem... Às vezes eu
tenho vontade de voltar pra
Toritama, principalmente quando nada
parece dar certo. Mas é um
sacrifício que eu faço pra ver minha
vida melhorar. Um dia trago meu
velhinho pra morar aqui em Recife.
(sorri)

LEON
E você subia em árvore?

MILENA
Claro, sempre! Já caí tanto! (ri)
Você não?
19.

LEON
Não, minha mãe morria de medo que eu
caísse e me quebrasse todo.

MILENA
A minha mãe também. Mas como é que
eu ia aprender se não caísse? Foi de
tanto quebrar braço e perna que eu
aprendi muita coisa nessa vida.

LEON
É, você tem razão.

MILENA
Falando nisso, agora me deu vontade
de subir nessa árvore aí. E cantar
com os pássaros.

LEON
Acho que aí não tem pássaro nenhum
pra cantar com você...

Milena tira os sapatos de salto e começa a subir na árvore,


sob o olhar admirado de Leon.

LEON
Como você consegue fazer isso tão
facilmente?

MILENA
(subindo)
São quinze anos de prática!

No meio do caminho, Milena escorrega em algo, não consegue se


segurar e cai. Leon, rápido, a segura nos braços. Começa a
tocar Outros sonhos - Chico Buarque.

LEON
Essa foi por pouco.

MILENA
Valeu.

Os dois não falam mais nada. Seus rostos se tornam mais


próximos, até que se beijam longamente. Depois, Leon a coloca
no chão. Os dois sorriem, tímidos.

Longe dali, Ana Paula vê a cena e começa a rir e a pular.

CORTA PARA
20.

CENA 17 - ESPETINHO DO DÁRIO - EXT - NOITE

Jerri se aproxima de Ana Paula, que está distraída vendo Leon


e Milena juntos na praça.

JERRI
Do que você tanto ri?

ANA PAULA
Você não tá vendo? Olha lá os
pombinhos, que fofo.

JERRI
(sorri)
Ah, eu já sabia que mais cedo ou
mais cedo isso ia acabar
acontecendo! (tempo) E você?

ANA PAULA
E eu o quê?

JERRI
Não está a fim de se apaixonar?
Talvez o homem da sua vida esteja
aqui, por perto.

ANA PAULA
O que você quer dizer com isso? Tá
querendo ficar comigo?

JERRI
Se quiser...

ANA PAULA
Obrigada, não.

Ana Paula se afasta, deixando Jerri sozinho, com cara de


bobo.

JERRI
Ela gosta de se fazer de difícil.
(sorri)

ANA PAULA
(para si mesma)
Algo me diz que não devo confiar
nesse Erasmo. Ele é a cara do outro
lá, só que bem vestido!

CORTA PARA
21.

CENA 18 - VIDEOCLIPE

Imagens de Recife e Salvador, ao som de Eterna Busca - Seu


Jorge.

CORTA PARA

CENA 19 - BAR EM SALVADOR - INT - NOITE

Pietra e Leandro estão se beijando. Depois, Leandro tira uma


caixinha do bolso e entrega a Pietra.

PIETRA
Que é isso, Lê?

LEANDRO
(sorrindo)
Abre.

Pietra abre a caixa e fica sem reação ao ver duas alianças de


prata. Os dois passam alguns instantes em silêncio.

PIETRA
Você... Tá querendo me pedir em
casamento ou o quê?

LEANDRO
São anéis de compromisso. Comprei
pra comemorar nosso primeiro mês
juntos.

PIETRA
Mas é...

LEANDRO
É que eu não tô de brincadeira. Eu
nunca dei anel de compromisso pra
nenhuma garota. Aliás, eu nunca
passei mais de um mês com nenhuma.
Você é a primeira.

PIETRA
(sorrindo)
Puxa, não imaginei que fosse tão
importante pra você. São lindas...

Leandro tira um dos anéis da caixa e pega a mão direita de


Pietra, na qual coloca o anel. Em seguida, ela faz o mesmo.
Eles se beijam novamente.

LEANDRO
É uma pena que eu não possa ficar
mais com você. Tenho que acordar
cedo amanhã.
22.

PIETRA
Puxa... Eu tava contando que ia
passar a noite toda com você hoje.
(acaricia o rosto dele)

LEANDRO
A gente pode continuar a comemoração
outro dia. (dá um selinho)

PIETRA
Olha que eu vou cobrar, hein?

LEANDRO
Essa é uma cobrança que eu vou ter
prazer em pagar. Agora tenho que ir
mesmo, senão o chefe vai me dar
milhões de broncas por dormir em
serviço.

PIETRA
Tá certo... Vamos pedir a conta e
depois eu vou pra casa também.

LEANDRO
Quer que eu te leve?

PIETRA
Não precisa! Eu vou de táxi mesmo.
(sorri)

Leandro devolve o sorriso. Ele chama o garçom, que chega


rapidamente.

CORTA PARA

CENA 20 - ESPETINHO DO DÁRIO - EXT - NOITE

O clima no lugar continua animado. Vários casais dançam na


grande área do espetinho. Entre eles, Milena e Leon estão
abraçados, dançando fora do ritmo da música que toca (é outro
brega).

LEON
(sorrindo)
Acho que a gente tá dançando
errado...

MILENA
Não sei dançar e também não gosto
muito dessa música...
23.

LEON
(pára de dançar e começa a rir)
Parece que o... é... o Erasmo tá bem
animadinho ali no canto.

As atenções do casal se voltam para Jerri, que está dançando


com outra moça vestida com roupas berrantes, com os cabelos
maltratados tingidos de loiro platinado. Jerri, aparentemente
bêbado, beija a garota.

MILENA
Puxa... Eu achei que seu primo ia
ficar com a Aninha! Pelo menos cara
de interessado ele tinha.

LEON
Eu também achei. Mas as aparências
enganam, né?

Leon beija o rosto de Milena.

Corta para outro canto do espetinho. Ana Paula está sozinha,


sentada, com um espetinho de frango em uma mão e uma lata de
Smirnoff Ice na outra. Ela bebe um pouco e depois coloca a
lata sobre a mesa.

ANA PAULA
(aborrecida)
Ora droga... Todo mundo consegue
ficar com alguém! Todo mundo! E eu
aqui, linda, cheirosa, cheia de amor
pra dar, ninguém quer. (tempo) Tá
bom, Aninha, o primo do Leon que
parece com o camelô quis. E você não
quis. (tempo) Ah, deixa pra lá. Hoje
não é meu dia mesmo.

Ana Paula continua comendo e bebendo.

CORTA PARA

CENA 21 - RUA EM SALVADOR - EXT - DIA

Pietra caminha apressada pela rua, em direção à parada de


táxi. Um grupo de três meninas vem logo atrás dela,
rapidamente.

DIDI
(grita)
Ei, Pietra!

PIETRA
(vira-se)
Oi?
24.

DIDI
Sou eu, Didi! Tá lembrada? A gente
se conheceu na sua festa de boas
vindas.

PIETRA
Ah, sim, eu lembro! Tudo bem?

DIDI
Tudo! Tem algo pra fazer agora?

PIETRA
Eu tava voltando pra casa.

DIDI
A gente tá indo pra uma rave... Quer
ir junto?

PIETRA
Ai, sei não viu... Não tô muito no
clima pra rave.

DIDI
Vem com a gente, vai! Você vai se
contagiar num instante.

PIETRA
Tá, tá bom, eu vou com vocês. Mas eu
não vou me demorar muito.

Pietra se junta ao grupo de meninas, que vai andando e some


ao dobrar a esquina.

CORTA PARA

CENA 22 - BOATE - INT - NOITE

O lugar está tomado por pessoas, que são envolvidas pelas


luzes multicoloridas e a névoa densa de gelo seco. As garotas
que acompanham Pietra começam a dançar, contagiadas pela
batida da música. Pietra demora um pouco, mas logo começa a
dançar também e a se aproximar do centro da pista de dança.

Corte rápido para mostrar vários casais se beijando em um


canto mais reservado do local.

Corte rápido voltando para a pista de dança. Várias pessoas


formam um círculo, e Pietra está no meio, dançando
freneticamente e atraindo as atenções de cada vez mais
pessoas. Entre elas, uma moça ruiva, muito bonita, olha
fixamente para Pietra e sorri. Pietra percebe e sorri de
volta.
25.

CORTA PARA

CENA 23 - BOATE/MEZANINO - INT - NOITE

Pietra bebe uma dose de tequila enquanto olha a pista de


dança. Anahí, a garota ruiva se aproxima dela.

ANAHÍ
Você dança muito bem.

PIETRA
(vira-se para a garota)
Oh, brigada!

ANAHÍ
Queria muito saber dançar assim como
você.

PIETRA
Não tem segredo não. (sorri) É só
deixar a música levar você. Quando
menos perceber... Já foi!

ANAHÍ
Meu nome é Anahí. E o seu?

PIETRA
Pietra. (estende a mão para Anahí)

ANAHÍ
(aperta a mão de Pietra)
Sozinha?

PIETRA
É! A minha companha sumiu.

ANAHÍ
Então considere-se com companhia
nova a partir de já.

Ambas se olham nos olhos e sorriem.

Corte rápido para mostrar duas silhuetas femininas projetadas


em uma parede. As silhuetas se aproximam lentamente, ao som
de Kool thing - Sonic Youth.

CORTE RÁPIDO PARA

CENA 24 - VIDEOCLIPE

Imagens da noite e o nascer do sol em Salvador, ao som da


mesma música da cena anterior.

CORTA PARA
26.

CENA 25 - CASA DE FERNANDO - QTO DE PIETRA - INT - DIA

Pietra está deitada na cama, com a mesma roupa da noite


anterior. Os raios de sol entram pela janela e batem
diretamente no rosto de Pietra, que começa a se mover na
cama, incomodada com a luz. Gabriel entra.

GABRIEL
Ei... Tá acordada, prima?

PIETRA
(acordando)
Oi...

GABRIEL
Você chegou muito tarde?

PIETRA
Cheguei foi muito cedo. Quase agora.

GABRIEL
(aproxima-se da cama)
Meu Deus... Nunca vi uma
concentração de olheiras dessa
categoria na minha vida! E olhe que
eu tenho experiência em passar
noites e noites acordado! (tempo) A
festa foi boa, né?

PIETRA
(desanimada)
Ah, festa...

Pietra coloca uma das mãos no bolso, aparentemente sem saber


o que está fazendo. Tira dele um papel roxo, no qual está
escrito o telefone e o e-mail de Anahí. Olha rapidamente o
papel e faz uma cara de desgosto.

PIETRA
Faz um favor? Joga esse papel fora.
(dá o papel para Gabriel)

GABRIEL
(lê ligeiramente o conteúdo do
papel)
Anahí? Quem é?
27.

PIETRA
(irritada)
Não faz perguntas! Só se desfaz
disso aí. Joga no lixo, queima,
desintegra, faz qualquer negócio. Eu
só não quero mais ver essa porcaria
quando acordar. Bom dia pra você.

Pietra vira de lado, numa tentativa de dormir.

GABRIEL
Pra você também! (olhando o papel)
Anahí...

Gabriel sai do quarto e fecha a porta, fazendo o menor


barulho possível.

CORTA PARA

CENA 26 - VIDEOCLIPE

Imagens de Recife, ao som de Sedona sunrise - Aerosmith.

CORTA PARA

CENA 27 - AP DE ANA PAULA E MILENA/COZINHA - INT - DIA

Ana Paula está junto ao fogão, mexendo uma panela de


brigadeiro. Milena está sentada à mesa, com o olhar perdido.
Ana Paula olha para ela, achando engraçado.

ANA PAULA
O amor é lindo!

MILENA
(como se tivesse acabado de
acordar)
Hein? Onde?

ANA PAULA
Eu disse que o amor é lindo!

MILENA
Nossa, você tá tão romântica hoje!

ANA PAULA
Eu não! Você é que tá desde ontem
suspirando e com esse sorriso bocó
estampado na cara. (tempo) Mas você
tem motivo pra isso. E que motivo,
viu? Pense num motivo!
28.

MILENA
Fazia tempo que eu não ficava feliz
assim... Mas eu não quero me iludir
não. Vai ver foi só uma ficada, e
depois ele vai querer morgar.

ANA PAULA
Ele não tava com cara de quem queria
ficar num dia e morgar no outro. Mas
pensando bem, nenhum homem fica com
uma garota dando na cara que só quer
curtir. Pelo menos nenhum que eu
conheça.

CORTA PARA

CENA 28 - APARTAMENTO DE LEON/CORREDOR - INT - DIA

Jerri está sentado no chão, esperando Leon sair do banheiro.

JERRI
Ô Leon! É pra hoje! Tá certo que tu
é o dono da casa, mas também não
precisa passar um ano tomando banho,
né? (tempo) Cê tá tomando banho, né?

LEON
(grita)
Já vou, já vou!

Instantes depois, Leon sai do banheiro, vestindo calça jeans,


mas sem camisa. Ele está visivelmente feliz.

LEON
Desculpa aí, mas eu...

JERRI
Não quero saber o que você estava
fazendo! Não quero ouvir nenhuma
podridão a essa hora da manhã.

LEON
Eu não ia dizer nada não... Só que
eu demoro muito pra tomar banho,
fazer a barba, e...

JERRI
Tá, tá, eu entendi. (tempo) Você é
um cara muito limpinho, eu é que
tenho mente poluída... Mas me conta
aí, que tal a Mileninha?
29.

LEON
Como assim?

JERRI
Vocês ficaram. Então, como foi?

LEON
Foi... Foi... Não sei como eu te
explico mas...

JERRI
É só dizer se ela beija bem e
pronto! Os outros detalhes ficam por
sua conta.

LEON
É que...

JERRI
Vamos facilitar as coisas. Pegue a
última menina com quem você ficou e
coloque ela do lado da Milena. Ela é
melhor ou pior?

LEON
Acho que não vai dar pra fazer isso
não.

JERRI
Por quê? A outra é tão ruim assim?

LEON
Não, é que... não tem outra.

JERRI
Hã? Repete que eu não entendi.

LEON
Eu disse que não dá pra fazer
comparação porque não existe nenhuma
mulher antes da Milena.

JERRI
Nos últimos três meses, né? Porque é
impossível que um cara como você
não...

LEON
Nos últimos 24 anos.

JERRI
E quantos anos você tem? Cinqüenta?
30.

LEON
Jerri, não insiste!

JERRI
(grita)
Mas não pode! Não pode! Um homem da
sua idade não pode ter perdido o BV
ontem! Não pode! Isso é contra a lei
da natureza! Homens de 24 anos
transam! E tem filhos, tá ligado?

LEON
Tô, mas o que eu vou fazer? Mentir?

JERRI
(anda de um lado para o outro,
com as mãos na cabeça)
Oh, céus! O mundo está virado! Perdi
minha carrocinha, perdi minha casa e
agora moro com um sujeito que é
virgem! Onde vamos parar?

LEON
Não precisa fazer esse escândalo
todo.

JERRI
Não sou eu o podre. Você é que é
limpinho demais pra ser desse
planeta! (entra no banheiro)

LEON
Engraçado... A Valentina dizia a
mesma coisa.

CORTA PARA

CENA 29 - CASA DE LAYLA/QTO DE MICHAEL - INT - DIA

Michael está em companhia da fisioterapeuta e de Valentina,


que assiste a sessão, interessada. Às vezes, Michael olha
para Valentina e sorri. Ela retribui o sorriso. No fim da
sessão, Darren entra, saltitante, com um envelope na mão.

DARREN
Pessoal, tenho novidades!

MICHAEL
Pela sua cara, são boas novidades.

DARREN
Ótimas! Já tenho data marcada para
viajar.
31.

VALENTINA
Sério? Que bom! Vai quando?

DARREN
O curso de cultura brasileira começa
daqui a cinco semanas. Vou pra
Salvador faltando duas semanas, pra
ir conhecendo o lugar e a família
com a qual vou conviver.

VALENTINA
Fico muito feliz por você, Darren.
Salvador é um lugar lindo. Só fui
uma vez pra lá, mas é ótimo.

DARREN
E como foi o primeiro dia de
fisioterapia, Michael?

MICHAEL
Cansativo!

VALENTINA
Mas o sacrifício vai valer a pena!
Logo, logo a sua perna vai ficar
novinha em folha. Vai dar até pra
apostar corrida.

MICHAEL
Isso é um desafio?

VALENTINA
(sorri)
Depois a gente vê se é ou não é.
(pisca para Michael)

CORTA PARA

CENA 30 - CASA DE FERNANDO/SALA - INT - DIA

Gabriel e Pietra jogam dominó. Pietra não parece prestar


muita atenção no jogo. Bárbara entra com um envelope na mão e
senta no chão, ao lado de Gabriel.

BÁRBARA
(olhando o jogo de Gabriel)
Mas que joguinho, hein filho?

GABRIEL
Não tá tão ruim assim.
32.

BÁRBARA
Tenho novidades para vocês dois!
(tira um retrato do envelope e põe
sobre a mesa) Olhem só.

PIETRA
(olhando para o retrato)
Quem é? Alguma parente desconhecida?

BÁRBARA
Não. Mas logo, logo vai se tornar da
família. O nome dela é Darren
Osterberg e é da Inglaterra. Vai
passar seis meses aqui com a gente,
estudando.

GABRIEL
(sem tirar os olhos da foto)
É? Puxa vida... Que legal. Quando é
que ela chega?

BÁRBARA
Daqui umas duas semanas. Portanto
vão se preparando para recebê-la da
melhor forma possível, sim?

GABRIEL
(sorrindo)
Pode deixar, mãe! Ela vai se sentir
super em casa.

BÁRBARA
(levanta)
Bom, era só isso que eu queria
dizer. Agora podem continuar
jogando. E Pietra, o jogo do
Gabriel tá uma coisa horrorosa!

GABRIEL
Mãe!

Bárbara sai correndo e rindo.

PIETRA
Gostou da garota, né?

GABRIEL
É bonita que só... (olha as pedras
de seu jogo e balança negativamente
a cabeça) Toco.
33.

PIETRA
(olha para a única pedra na sua
mão e a coloca no jogo, sem
muito entusiasmo)
Bati.

GABRIEL
Puxa... Quando você batia costumava
fazer uma festa tão grande! Que
bicho te mordeu?

PIETRA
Nada não, eu só não tô no espírito
pra fazer festinha.

GABRIEL
Brigou com o Leandro?

PIETRA
Não, tá tudo bem. Ele até me deu um
anel de compromisso. (mostra o anel
na mão direita)

GABRIEL
Então por que essa tristeza toda?

PIETRA
Acho que não mereço isso aqui. (tira
o anel e o deixa sobre a mesa, no
meio das peças de dominó)

GABRIEL
Agora vai... E por que você acha que
não merece? Tantas garotas dariam
qualquer coisa pra ter um cara que
quer compromisso sério! E você é uma
menina tão legal, inteligente,
sincera...

PIETRA
Eu sou é uma mentirosa, isso é o que
eu sou. Sou a pessoa mais falsa do
mundo! (seus olhos se enchem de
lágrimas)

GABRIEL
Pelo amor de Deus, dá pra me
explicar o que tá acontecendo? Não
dá pra te ajudar desse jeito?
34.

PIETRA
(levanta)
Faz um favor? Não me pergunta mais
nada. E se o Leandro aparecer, pega
esse anel aí e devolve pra ele.
Talvez outra garota seja mais
merecedora do que eu. (sai correndo)

GABRIEL
(corre atrás dela)
Ei, espera aí! Me conta...

PIETRA
(grita)
Eu quero ficar sozinha!

Gabriel pára ao pé da escada, olhando para o anel.

********** FIM DO CAPÍTULO 19 **********

Interese conexe