Sunteți pe pagina 1din 71

ABNT NBR 14565

- Procedimento Básico para


Elaboração de Projetos de
Cabeamento de
Telecomunicações para
Rede Interna Estruturada -
Projetos e Documentações
ABNT NBR 14565

ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico para Elaboração de


Projetos de Cabeamento de Telecomunicações para Rede
Interna Estruturado.

Válida à partir de 31 de agosto de 2000.

Baseada nas normas americanas ANSI/EIA/TIA568-A de 1995 e


ANSI/EIA/TIA606 de 1993.

“Primeira Norma brasileira sobre cabeamento


estruturado”
ABNT NBR 14565
Objetivo

• Estabelecer os critérios mínimos para elaboração de


projetos de rede interna estruturada de telecomunicações
em edificações de uso comercial, independente do seu
porte.

• Sendo aplicada a edifícios e conjunto de edifícios situados


dentro de um mesmo terreno.
ABNT NBR 14565
Definições

• Área de Trabalho (ATR)


• Área útil de escritório
• Armário de Telecomunicações (AT)
• Cabeamento Centralizado
• Cabeamento estruturado
• Cabo de interligação externa
• Cabo de interligação interna
• Cabo primário de primeiro nível
• Cabo primário de segundo nível
• Cabo secundário
ABNT NBR 14565
Categorias dos Cabos
• A NBR 14565 foi baseada na ANSI\TIA\EIA 568-A de 1995 e
não abrangeu as especificações que criaram a categoria 5e,
porém como se trata de estabelecer os requisitos mínimos,
então a categoria 5e e as futuras 6 e 7 podem ser utilizadas
pois são especificações técnicas superiores .
Categorias de Cabos UTP

Categoria Freqüência limite


3 16 MHz
4 20 MHz
5 100MHz
5e 100MHz*
6 250 MHz*
7 600MHz*
* Não padronizadas na ABNT NBR 14565
ABNT NBR 14565
Definições

• Distribuidor intermediário (DI)


• Distribuidor secundário (DS
• Distribuidor geral de telecomunicações (DGT
• Ponto de Consolidação de cabos (PCC)
• Ponto de terminação de rede (PTR)
• Sala de entrada de telecomunicações (SET)
• Sala de Equipamentos (SEQ)
ABNT NBR 14565
Elementos do Cabeamento Estruturado
PT
PT
PT
PCC AT
AT PT
PT

AT AT

AT AT

SEQ SET SET


SEQ
ABNT NBR 14565
Pontos de telecomunicações Identificação
PT XX XXX

Contagem seqüencial dos pontos de telecomunicações


Identificação do pavimento

Quantidade de Cabos
Tipo do cabo : primário(P), secundário(S) ou intermediário (I)
Meios reconhecidos : UTP (U), STP (S) ou Fibra óptica (FoMM, FoSM
Quantidade de pares(P) ou fibras(Fo)

XX x C W Y XX

XX a YY XXX a XXX

Identificação seqüencial do ponto ou par


Identificação do pavimento de destino
Identificação do pavimento de origem ( opcional)
ABNT NBR 14565
Exemplos
1) Cabeamento Secundário
6xCSU4P___
05 001 a 006

São 6 cabos UTP de 4 pares , no cabeamento secundário do 5° andar


que estão ligados aos pontos PT 05 001 a PT 05 006

2) Cabeamento Primário
1xCPU50P___
TE 05 001 a 050
CL 50m

É um cabo UTP de 50 pares do cabeamento primário, que parte do térreo ao 5º


pavimento
, com o comprimento do lance (CL) de 50m.
Observamos que o termo UTP significa par trançado não blindado,
sendo assim o cabo de 50 pares é um cabo tipo CI de telefonia, .

3) Cabo de Interligação Interno


1xCIU50P___
05 001 a 050
CL 50m

É um cabo UTP de 50 pares que liga o PTR ao DGT que está no 5º pavimento,
com o comprimento do lance (CL) de 50m.
ABNT NBR 14565

4) Cabeamento Primário com fibra


Exemplo
1xCPFoMM4Fo___
05 001 a 004
CL 50m
É um cabo de fibra óptica , multimodo,
com 4 vias do cabeamento primário,
que vai ao 5º pavimento, com o comprimento do lance (CL) de 50m.

5) Cabo de Interligação Externo


1xCIFoGMM12Fo___
TE 001 a 012
CL 250m
É um cabo de fibra óptica geleado, multímodo,
com 12 vias do cabeamento de interligação externo,
que liga o DGT ao DI localizado no térreo do outro prédio,
com o comprimento do lance (CL) de 250m.
ABNT NBR 14565
Materiais Utilizados
Cordões de Conexão: são utilizados para fazer a conexão
dos terminais da rede secundária com os da primária e
equipamentos ativos, dentro dos AT e nas ATR ligar os
equipamentos às tomadas de telecomunicações.
Duo Fiber Zip Cord

Duo Fiber

Cordões Cabos Metálicos e


Ópticos
ABNT NBR 14565
Tomadas de Telecomunicações
• São os elementos usados para estabelecer o acesso dos
equipamentos aos terminais do cliente, nos pontos de
telecomunicações.
• Quando utilizamos cabos metálicos, as tomadas utilizadas
são as de 8 vias / 8 contatos, que são compatíveis com os
conectores modulares de 8 vias / 8 contatos (este é
comumente chamado de RJ-45 macho).
• No caso de cabos ópticos temos os conectores ópticos
conhecidos por ST e SC.

SC e ST
Conector GigaLan (RJ-45)
ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão

• São responsáveis pelo estabelecimento de conexões


eficientes, seguras e perfeitas, do ponto de vista elétrico,
mecânico e óptico e atender aos critérios para transmissão
de informação na velocidade para qual está dimensionada.

• Em geral eles são utilizados nos armários de


telecomunicações, salas de equipamentos e pontos de
consolidação de cabos.
ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão

• Painel de conexão com 24 tomadas modulares de 8 vias


(são conhecidos como patch panels), já o patch panel soho
possui capacidade para suportar 12 tomadas

patch panels

patch panels soho


ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão

• Blocos de conexão de 8 e 10 pares (normalmente conhecidos


por blocos de engate rápido)
ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão

• Blocos de conexão 110 IDC.


ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão
Os blocos podem ser montados em painéis de madeira tratada,
em bastidores metálicos ou ainda diretos na parede.
São utilizados para estabelecer conexão entre os seguintes
elementos:

• rede primária e rede secundária;


• equipamentos ativos e rede primária;
• rede primária e rede de interligação;
• tomada de telecomunicação e rede secundária;
• conectar um PTC ou PCC;
• equipamentos ativos e redes secundária;
• entre PTR e rede primária;
ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão

• Caixas de montagem de superfície com capacidade para 6


posições (adaptadores ST/SC, conectores ou adaptadores F)
ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão

• Painéis de conexão óptica (normalmente conhecidos por DIO)


ABNT NBR 14565
Cabos
• O cabo é o meio de transmissão responsável pela
transferência da informação de um ponto para outro e pode
ser tanto metálico como óptico.
• A sua escolha depende de topologias, aplicações,
interferências eletromagnéticas, distâncias e desempenho.

Exemplos de Cabos Cat 6, Cat 5e e


Fibra Óptica Indoor/Outdoor e Cabo Geleado
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
Um projeto de cabeamento estruturado é elaborado de acordo
com a seguinte seqüencia básica:

• Projeto de cabeamento interno secundário (rede interna


secundária);

• Projeto de cabeamento interno primário (rede interna primária);

• Projeto de cabeamento de interligação (sistema campus);

• Detalhes construtivos;

• Simbologia e notas.
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
Devem fazer parte do projeto desenhos específicos, com:

• Planta e corte esquemático das tubulações de entrada,


primárias, secundárias e cabos primários e secundários;

• Identificação dos cabos primários e secundários,


conforme simbologia;

• Identificação do comprimento dos lances de cabos


primários, no corte esquemático;

• Tipos de dispositivos de conexão utilizados;


ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Devem fazer parte do projeto desenhos específicos, como:

• Localização das caixas intermediárias;

• Detalhes dos armários de telecomunicações, da sala de


equipamentos, ponto de terminação de rede e do ponto de
telecomunicação e outros elementos que devem ser
especificados no projeto de caminhos e espaços de
telecomunicações.
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Projeto de rede interna secundária:


Elementos constitutivos
• Blocos de conexão (bloco 110 IDC, por exemplo)

• Painéis de conexão (patch panel)

• Cabos

• Tomadas de telecomunicações

• Cordões de conexão (patch cable, adapter cable, etc.)


ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
Características:
•Topologia estrela cujo centro é o armário de telecomunicação;
•Pode haver equipamentos ativos na mesma rede;
• Os adaptadores, deverão ser externos aos pontos de
telecomunicações (baluns, pino Y, transceivers, etc.);
•A rede secundária deve ter um único ponto de consolidação de
cabos, localizado entre o armário de telecomunicações e o ponto
de telecomunicações;
•Não é admitida nenhuma emenda no cabo, pois isso pode
provocar sérias alterações nas características elétricas do cabo
(impedância, next, atenuação).
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Para cada área de trabalho de 10 m², devem ser previstos no


mínimo dois pontos de telecomunicações. Os dois pontos de
telecomunicações devem ser assim configurados:

• Um ponto de telecomunicações deve ser suportado por um


cabo UTP 100 ohms 4 pares categoria 3 ou superior;
• O segundo ponto de telecomunicações deve ser suportado
por no mínimo um dos seguintes meios secundários:
• cabo UTP de quatro pares, 100 ohms de categoria 3,
ou superior;
• cabo STP ou FTP de quatro pares, 100 ohms;
• cabo de fibra óptica, 2 fibras, 62.5 / 125 µm.
• cabo de fibra óptica, com duas fibras, 50/125µm
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Trecho de rede interna com os principais elementos:


ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Informações necessárias no projeto:


• identificação dos cabos alimentadores;
• identificação do pavimento do prédio em que se
encontra;
• As etiquetas de identificação das tomadas devem ter os
seguintes caracteres:
PTXX YYY
XX - – representa o pavimento
YYY - contagem seqüencial do ponto
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

• As representações gráficas no projeto são as seguintes:

A) B)
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Nos cabos secundários:

• identificação do tipo de cabo usado;

• identificação dos pontos de telecomunicações no cabo;

• identificação do pavimento do prédio em que


se encontra instalado;

• identificação seqüencial do cabo.


ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Em projeto, as informações referentes aos cabos são mostradas


da seguinte forma:
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
• Projeto da rede interna primária:

Definição

Entende-se por rede interna primária a que tem como


função ligar o distribuidor geral de telecomunicações da
sala de equipamento com os armários de
telecomunicações dos pavimentos.
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
Elementos constitutivos:
• dispositivo de conexões (blocos, patch panels ou
painéis);
• cabos e barra de aterramento;
• sumário dos pontos de telecomunicações em cada
pavimento;
• interconexão entre os armários de telecomunicações
nos diversos pavimentos de edificação;
• identificação dos cabos;
• comprimento de lance dos cabos (CL).
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
• Características:

• flexibilidade em relação aos serviços a serem


suportados;

• vida útil que se espera da rede;

• dimensões do local;

• população usuária.
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
• Elementos constitutivos de uma rede interna primária
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
Distâncias admissíveis

•As distâncias máximas admissíveis para a rede primária


dependem do uso a que se destina.

•A figura e a tabela mostram as distâncias máximas


admitidas para transmitir voz em cabo UTP ou dados em
cabos ópticos.

•As distâncias estabelecidas na tabela admitem ainda um


acréscimo de 20 m de cabo destinado ao uso de fio jumper
e cordão de conexão.
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
Distâncias admissíveis

FO monomodo 3000 500 2500


FO multimodo 2000 500 1500
UTP 800 500 300
Tipos de cabo Trecho A Trecho B Trecho C
Comprimento máximos admitido para a rede primária (m)
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

• Desenvolvimento de um projeto:

Ao desenvolver-se um projeto, a ABNT pretende estabelecer a


correta forma de aplicação dos conceitos de rede primária e
rede secundária, com todos os seus elementos constitutivos.
ABNT NBR 14565
Desenvolvimento do Projeto

• Dentro do detalhamento, que o projeto proporciona,


salientamos estes pontos :
– Localização da SEQ, do DGT e dos AT

– Planta contendo todos os pavimentos, indicando a


distribuição dos PT

– Determinação do caminho a ser seguido pelos cabos


da rede secundária

– Definição da prumada da rede primária

– Planta indicando a localização do PTR e sua


interligação com DGT e AT

– Planta de situação ou de implantação


ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações
Identificação de cabos alimentadores
2x CPU25P___
TE 05 001 a 050

C P U T E 0 5 0 0 1 - 0 2 5

C P U T E 0 5 0 2 6 - 0 5 0

.
1xCPFoMM4Fo___
TE 05 001 a 004

C P Fo MM T E 0 5 0 0 1 - 0 0 4

6x CPU4P___
TE 05 001 a 006

C P U T E A 0 5 0 0 1
ABNT NBR 14565
Projeto de caminhos, espaços e rede interna
estruturada de telecomunicações

Definição dos cabos alimentadores

Dimensionamento dos cabos

Contagem dos cabos


ABNT NBR 14565
Definição dos Cabos Alimentadores
• Os alimentadores da edificação serão definidos pelas
operadoras, conforme a demanda do usuário (CATV,
telefonia, LP, ISP)

• Nos sistemas campus (SC) recomenda-se a utilização de


cabos ópticos dielétricos

• Utilizar cabos metálicos UTP a partir da categoria 3

• Atender a demanda dos serviços de voz com cabos


metálicos e os outros serviços de alta velocidade com
cabos ópticos

• A escolha dos cabos alimentadores será de acordo com a


necessidade de comunicação de cada usuário e da
determinação dos diversos serviços ou facilidades
desejadas
ABNT NBR 14565
Dimensionamento dos Cabos

• A capacidade do cabo é definida dividindo-se a quantidade


de pontos acumulados no AT pelo fator 0,7.

• Tanto para os serviços de voz quanto para outros serviços

• Devemos aproximar para o múltiplo superior mais próximo.

• Exemplo

Se no AT01 tivermos 150 pontos acumulados então


150/0,7=214,29, para atender com cabos de 25 pares
214/25=8,56 então utilizaríamos 9 cabos totalizando 225
pontos.
ABNT NBR 14565
Dimensionamento dos Cabos

• Então o projetista deverá somar toda a previsão de pontos


para serviços de voz, dados e outros, por andar.
• Esta informação deverá constar no diagrama unifilar no
canto inferior direito de cada andar
• Com esta informação deverá realizar o cálculo da
quantidade ideal com o fator 0,7.

A B C D

A é a previsão de demanda do serviço de voz


B é a quantidade ideal de pares para atender a demanda de voz
C é a previsão de demanda para outros serviços
D é a quantidade ideal para atender a demanda de outros serviços
ABNT NBR 14565
Dimensionamento dos Cabos

Exemplo:

Se no AT01 tivermos 150 pontos acumulados, onde


sabemos que a previsão é de 50 pontos de voz
e 100 de dados, teremos:

50 72 100 143

Sendo assim poderíamos utilizar 3 cabos de 25


pares para voz e 6 para dados.
ABNT NBR 14565
Contagem dos Cabos

• A contagem cresce do cabo mais afastado para o


mais próximo, indo na direção do DGT, por exemplo,
o cabo que vai para o AT02 recebe a contagem de 1 a
25 o do AT01 de 26 a 50

AT2 – 1 a 25
AT1- 26 a 50
DGT
ABNT NBR 14565
Diagrama Unifilar

• O diagrama unifilar
consiste em
apresentar
esquematicamente
os meios físicos e
os cabos que
partem do DGT ou
da SEQ e atingem
os AT em cada
pavimento.
• Devem ser
representados
também todos os
cabos que partem
dos AT até os ATR.
ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão
• A quantidade de blocos ou painéis de conexão depende da
quantidade de cabos previstos para serem terminados,
considerando rede primária e secundária.
A quantidade de blocos é definida pela fórmula

QB=(NxC)/CB
QB é a quantidade de blocos
N é a quantidade de cabos que terminam
C é a capacidade do cabo utilizado
CB é a capacidade do bloco utilizado
- Dispositivos de conexão

Tipo Quantidade de pares/portas


Bloco de conexão 8 10 25 50 100 300 900 -
Painel de conexão 12 16 24 32 48 64 96
ABNT NBR 14565
Dispositivos de Conexão

• Exemplo

Temos num AT 100 cabos UTP de 4 pares e vamos utilizar


blocos de conexão de 50 pares, então:

QB=(100x4)/50= 8 blocos
ABNT NBR 14565
Armário de Telecomunicações

10mm2

DIO

CONDUTOR DE
VINCULAÇÀO
ABNT NBR 14565
Sala de Equipamentos
ABNT NBR 14565
Sala de Entrada de Telecomunicações
ABNT NBR 14565
Proteção Elétrica

• A sala de entrada de telecomunicações, a sala de


equipamentos e o armário de telecomunicações devem conter
uma barra de vinculação de cobre revestido de estanho, com
dimensões de seção transversal 6mm x 50mm e tendo
comprimento de acordo com a necessidade de vinculação.
ABNT NBR 14565
Proteção Elétrica
• Barra de vinculação é uma barra de cobre estanhado em sua
superfície, com 6 mm de espessura e 50 mm de largura, sendo
a largura proporcional a quantidade de vinculações
necessárias.

• Condutor de vinculação são condutores de cobre com capa


isolante e seção reta de no mínimo 10 mm2 . São utilizados
para ligar
ABNT NBR 14565
Proteção Elétrica

• A SET, a SEQ e os AT devem conter uma barra de


vinculação.

• O PTR na SET deverá ter a sua barra de vinculação ligada


a barra do sistema de aterramento geral do prédio ou a um
aterramento exclusivo, através de uma cordoalha de 25
mm2 .

• As barras de vinculação devem estar o mais próximo


possível dos pontos de conexão, de modo a minimizar as
distâncias. Todas as barras de vinculação devem estar
interligadas entre si com cordoalhas de 10 mm2.
ABNT NBR 14565
Proteção Elétrica

• Quando necessitarmos interligar prédios com sistemas de


aterramento distintos, é recomendado a utilização de fibra
ópticas.

• Caso a interligação seja feita com cabos metálicos, deve


ser projetado um sistema de proteção adequado, com
dispositivos de proteção contra sobretensão e
sobrecorrente, a fim de assegurar a integridade total dos
equipamentos e pessoas contra surtos elétricos.
ABNT NBR 14565
Proteção Elétrica

• No caso de sistemas blindados, que utilizam os cabos


ScTP, FTP e STP devemos observar as seguintes
considerações:

– Cabos com blindagem devem ter sua terminações


vinculadas às barras de vinculação e nos condutores de
vinculação nas estações de trabalho.

– Todos os condutores de vinculação das estações de


trabalho devem ser conectados à barra de vinculação
do AT através de um conector tipo TMA.
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada

– A administração de uma rede interna estruturada


(sistema de cabeamento estruturado) compreende toda
a documentação, incluindo todas as etiquetas, placas
de identificação, planta dos pavimentos, cortes
esquemáticos dos caminhos e espaços das redes
primária e secundária, tabela e detalhes construtivos
inscritos no projeto e memorial descritivo de rede
interna.
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada

Essa norma da ABNT se aplica a prédios comerciais situados em


um mesmo terreno, envolvidos os seguintes itens:

a) ponto de telecomunicações nas áreas de trabalho;

b) armários de telecomunicações, salas de equipamentos e sala


de entrada de telecomunicações;

c) meios de transmissão utilizados entre essas terminações;


ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada

d) caminhos entre as terminações que contenham os meios


de transmissão;

e) espaço onde as terminações estão executadas;

f) componentes e meios utilizados para o aterramento e


vinculação de terra aplicados a telecomunicações.
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada
Simbologia
• CVxxx Condutor de Vinculação
• CAxxx Cabo de Aterramento
• CSYxxx Cabo Secundário
• CPYxxx Cabo Primário
• CFoxxx Cabo de fibra óptica
• CCxxx Cabo de Cobre
• BVxxx Barra de Vinculação
• BATxxx Barra de Aterramento de Telecomunicações
• BAP Barra de Aterramento Principal
• BCPxxx Bloco ou Painel de Conexão cruzada Principal
• BCIxxx Bloco ou painel de Conexão cruzada Intermediária
• BCSxxx Bloco de Conexão cruzada do cabeamento Secundário
• BICxxx Bloco ou painel de Interconexão
• PPxxx Porta ou Painel de Conexão
• PTxxx Ponto de Telecomunicação
• PCCxxx Ponto de Consolidação de Cabos
• PTRxxx Ponto de Terminação de Rede
• PTCxxx Ponto de Transição de Cabos
• Exxx Emenda (mecânica, torção ou fusão)
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada
Identificações dos Componentes
• CCPxxx Caminho para Cabeamento Primário
• CCSxxx Caminho para Cabeamento Secundário
• SETxxx Sala de Entrada de Telecomunicações
• SEQxxx Sala de Equipamentos
• CSxxx Caixa de Saída
• ATxxx Armário de Telecomunicações
• CESxxx Caixa de Entrada Subterrânea
• CSxxx Caixa Subterrânea
• CPSxxx Caixa de Passagem Subterrânea
• CCCxxx Caixa de Consolidação de Cabos
• CPxxx Caixa de Passagem
• CTCxxx Caixa de Transição de Cabos
• CTxxx Caixa de Tomada
• EAxxx Entrada de Antena
• ATRxxx Área de Trabalho
• Pxxx Prédio
• Axxx Andar ou pavimento
• PCxxx Ponto de Consolidação
• Cxxx Caminho em conduto, eletroduto ou canaleta
• CBxxx Caminho em Bandeja de cabos ou eletrocalha aberta
• TExxx Tubulação de Entrada
• TIxxx Tubulação de Interligação
• PExxx Poço de Elevação
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada
Exemplos
Placa de sinalização instalada na porta de um armário de telecomunicações no sexto andar do
prédio 2:

Exemplo: AT 001 – A6 – P2

O cabo secundário de 4 pares U T P, ligado no ponto de telecomunicações n.º 002, localizado no


5º andar de um único edifício, proveniente da porta 002 do primeiro painel ou do 1º bloco de
conexões no armário de telecomunicações n.º 1, deve receber duas identificações, sendo um na
extremidade da área de trabalho a que ela chega e outra no painel de conexões a que está
ligado.

Exemplo: AT R 002 na etiqueta do painel ou bloco de conexões e


PT 05002 na área de trabalho

N ota: Q uando o cabeamento estiver presente em um único edifício, não há necessidade de citar
a codificação para prédio, que está subentendida.

U ma indicação em planta da terceira bandeja do 4.º andar para um armário de telecomunicações


no próprio andar:

Exemplo: C B3 –SEQ 4
AT4

U ma indicação em planta de cabos secundários, saindo do armário para a tomada de


telecomunicação no 2.º andar:

Exemplo: (4 x C SU 4P)

02 05 a 08
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada
Identificação das terminações
Administração da Rede Interna Estruturada
codificação de cores para terminações

TIPO DE COR DE COMENTÁRIOS


TERMINAÇÃO IDENTIFICAÇÃO
Esta identificação é feita por meio de etiquetas
Cabo de entrada de
Laranja nos blocos de terminação no PTR, na sala de
telecomunicações
entrada de telecomunicações
Conexão à rede Etiquetas na sala de equipamentos ou armário
pública de Verde de telecomunicações
telecomunicações
Equipamentos Etiquetas em painéis ou blocos de conexão de
(PABX, ativos acesso interconectados aos equipamentos
Púrpura
instalados em
bastidores, etc.)
Rede primária Branca Etiquetas em painéis ou blocos de conexão
Etiquetas em painéis e blocos de conexão
Rede primária 2º
Cinza intermediário e no painel de conexão à rede
nível
secundária
Etiquetas em painéis e blocos de conexão e nas
Rede secundária Azul outras terminações, tomada e ponto de
consolidação de cabos
Rede interna Terminação de saída e entrada dos prédios de
cabeamento primário Marrom um campus
(campus)
Miscelâneas e Circuitos auxiliares, circuitos-ponte em redes de
Amarela
circuitos especiais barramento, etc.
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada
Tabelas de Arquivo
• Todas as terminações realizadas devem estar
dispostas em tabelas que mostrem o local de origem, porta,
comprimento do meio de transmissão utilizado, n.º
seqüencial do componente de terminação, área de trabalho,
prédio, pavimento.

• Todos os meios de transmissão devem estar


dispostos em tabelas de arquivos com dados referentes a
tipos de cabos, diâmetro dos condutores, n.º de pares local
e portas de terminações de origem e destino, pares não
utilizados, pares danificados, aplicações em emendas no
percurso, pontos de consolidação de cabos utilizados.
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada

• Todos os caminhos devem estar dispostos em tabelas


que identifiquem a origem e o destino, tipo de caminho,
material, comprimento, n.º de curvas, caixa de passagem
de distribuição, ocupação atual e ocupação máxima.

• Todos os espaços devem constar em tabelas com as


respectivas terminações utilizadas, nº de pares,
equipamentos constantes da sala, localização física no
pavimento, prédio e campus.

• Todos os componentes ligados ao aterramento ou à


vinculação devem constar de uma tabela, com valores de
resistência à terra, n.º de barras e cordoalha de vinculação,
posição física do eletrodo de aterramento e n.º de origem e
destino dos cabos e barras de cobre.
ABNT NBR 14565
Administração da Rede Interna Estruturada
Memorial descritivo de projeto de rede interna estruturada
de Telecomunicações

1. Dados Básicos
1.1. Nome da edificação
1.2. Endereço
1.3. Proprietário
1.4. Construtor
1.5. Previsão do início e término da obra
1.6. Observações
2. Informações estatísticas
2.1. Tipo de edificação (comercial/industrial) mono ou multiusuário.
2.2. Número de pavimentos
2.3. Número de loja/salas.
2.4. Área útil da edificação
2.5. Número total de pontos previstos para voz e dados para a edificação.
ABNT NBR 14565

3. Informações especiais
3.1. Há previsão de instalação de CPCT? Sim ( ) Não ( )
3.2. Número de troncos
3.3. Números de ramais externos
3.4. Número de ramais internos
3.5. Há previsão de instalação de serviços especiais de imagem ou de automação
(circuito interno de vídeo, TV a cabo, controles ambientais (ar condicionado e
ventilação), controle de acesso, controle de iluminação, sensores de fumaça,
sistema de segurança, sonorização)? Sim ( ) Não ( )
3.6. Observações

4. Responsável pelo projeto


4.1. Nome do responsável
4.2. Título profissional
4.3. Número de registro na entidade de classe
4.4. Endereço completo
4.5. E-mail
4.6. Nome da empresa ( quando não for autônomo)
4.7. Assinatura
Local e data
Legenda do Projeto
175

Proprietário :
10 Construtor : 10
5 Desenhista: Escala :
Edifício:
10
Responsável pelo
projeto Data :
Endereço :
Nome: 10
CREA:
35
Título Profissional: Projeto:
Título principal: 10

Assinatura e Folha:
telefone :
Subtítulo: 10

55 90 30
Descrição

•Proprietário/construtor: nome do proprietário ou do construtor


•Edifício: nome do edifício
•Endereço: endereço completo da obra
•Projeto: número do projeto
•Folha: articulação das pranchas do projeto
•Título principal: título do projeto (projeto de rede Interna
Estruturada em telecomunicações)
•Subtítulo: indicação dos desenhos contidos na prancha
(Planta do Térreo, Detalhes, simbologia, Cabeamento, Infra-
estrutura).