Sunteți pe pagina 1din 10

Ponto dos Concursos

www.pontodosc onc urs os.com.br

Atenção.

O conteúdo deste curso é de uso exclusivo do aluno matriculado, cujo

nome e CPF constam do texto apresentado, sendo vedada, por


quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,

divulgação e distribuição.

É vedado, também, o fornecimento de informações cadastrais

inexatas ou incompletas – nome, endereço, CPF, e-mail - no ato da

matrícula.

O descumprimento dessas vedações implicará o imediato

cancelamento da matrícula, sem prévio aviso e sem devolução de

valores pagos - sem prejuízo da responsabilização civil e criminal do


infrator.

Em razão da presença da marca d’ água, identificadora do nome e

CPF do aluno matriculado, em todas as páginas deste material,

recomenda-se a sua impressão no modo econômico da impressora.


DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

Dire
D ire ito A
Addm
m in is tra tiv o e m e x e rc íc io s p
paa ra P o líc ia F
Fee d
dee ra l
(Aula nº 1 – 18/05/10)

Prezado(a) aluno(a),

Fico feliz de você ter escolhido participar das minhas


aulas!
Tenha certeza de que farei uma abordagem bem ampla da matéria,
partindo
das questões de concursos anteriores organizados pelo CESPE.

Durante os comentários dos enunciados, farei referência a outras questões,


inclusive de bancas diferentes.

O objetivo é oferecer para você a quantidade necessária de informações para


aideal assimilação dos pontos do programa.

Caso aconteça de não entender alguma explicação, lembre-se que estarei


àsua disposição no fórum disponibilizado pelo sit .
e
Algumas matérias são bem teóricas, envolvendo também análise
de
jurisprudência, como ocorre com os temas princípios, administração pública
epoderes administrativos. Já outras, como a Lei 8.112/90, exige capacidade
de
fixação por parte do aluno, pois as bancas exploram a letra da
lei.
A partir do segundo encontro, iniciarei as aulas apresentando
algumas
assertivas para testar seu conhecimento relativamente às matérias
anteriores.
Você deverá julgá-las em CERTO ou ERRADO.

Por isso, peço que no intervalo de uma semana que divide uma aula da
você esgote a matéria e suas eventuais dúvidas por meio do
outra
fórum.
Confie no seu potencial e pule de cabeça nessa
aula.
Desejo-lhe um excelente aprendiz
ado!

Armando Mercadante

www.pontodosconcursos.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

QUES TÕES
TÕE S COMENTADAS NES TA AULA

1. (SEJUS/ES/2009/CESPE) O Estado constitui a nação politicamente organizada, enquanto a


administração pública corresponde à atividade que estabelece objetivos do Estado, conduzindo
politicamente os negócios públicos.

2. (SEJUS/ES/2009/CESPE) A vontade do Estado é manifestada por meio dos Poderes


Executivo, Legislativo e Judiciário, os quais, no exercício da atividade administrativa, devem
obediência às normas constitucionais próprias da administração pública.

3. (TJ/PI/JUIZ/2007/CESPE) O poder regulador insere-se no conceito formal de administração


pública.

4. (AGU/PROCURADOR/2007/CESPE) No direito brasileiro, os órgãos são conceituados como


unidades de atuação integrantes da estrutura da administração direta e da estrutura da
administração indireta e possuem personalidade jurídica própria.

5. (BACEN/PROCURADOR/CESPE/2009) Segundo a teoria da imputação, os atos lícitos


praticados pelos seus agentes são imputados à pessoa jurídica à qual eles pertencem, mas os
atos ilícitos são imputados aos agentes públicos.

6. (BACEN/PROCURADOR/2009/CESPE) Os órgãos públicos da administração direta,


autárquica e fundacional são criados por lei, não podendo ser extintos por meio de decreto do
chefe do Poder Executivo.

7. (BACEN/PROCURADOR/2009/CESPE) Por não possuírem personalidade jurídica, os


órgãos não podem figurar no pólo ativo da ação do mandado de segurança.

8. (MPE/AM/2007/PROMOTOR/CESPE) Explícita ou implicitamente, os princípios do direito


administrativo que informam a atividade da administração pública devem ser extraídos da CF.

9. (MIN. PÚBLICO DO TCU/2004/CESPE) O princípio da legalidade pode ser afastado ante o


princípio da supremacia do interesse público, especialmente nas hipóteses de exercício de
poder de polícia.

10. (PGE/PE/PROCURADOR/2009/CESPE) De acordo com o princípio da impessoalidade, é


possível reconhecer a validade de atos praticados por funcionário público irregularmente
investido no cargo ou função, sob o fundamento de que tais atos configuram atuação do órgão
e não do agente público.

11. (CGEPB/AUDITOR/2008/CESPE) Na realização de ato administrativo, o agente público


não precisa observar o princípio da moralidade administrativa para condutas entre órgãos da
administração direta e da indireta.

12. (CESPE/AFPS) Contraria o princípio constitucional de publicidade da administração pública


o fato de um fiscal de contribuições previdenciárias autuar empresa exclusivamente porque o
proprietário é seu desafeto.

13. (MPE/AM/2007/PROMOTOR/CESPE) Os princípios que regem a atividade da


administração pública e que estão expressamente previstos na CF são os princípios da
legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade.

14. (SEFAZ/AC/AUDITOR/2009/CESPE) As expressões serviço público centralizado e serviço


público descentralizado equivalem a administração pública direta e administração pública
indireta, respectivamente.

15. (PGE/PE/PROCURADOR/2009/CESPE) A autarquia configura pessoa jurídica de direito


público, criada por lei, com capacidade de autoadministração, sujeita ao princípio da

www.pontodosconcursos.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

especialização, o qual a impede de exercer atividades diversas daquelas para as quais foi
constituída.

16. (CESPE/PROCURADOR INSS/1998) Os bens do INSS são impenhoráveis. Os débitos


deste ente público, definidos em sentença judicial, são pagos exclusivamente por meio de
precatórios.

17. (BACEN/Procurador/2009/CESPE) Não colide materialmente com a CF a determinação de


que sejam previamente aprovadas, pelo Poder Legislativo, as indicações dos presidentes das
entidades da administração pública indireta.

18. (STJ/ANALISTA/2008/CESPE) Entre as prerrogativas processuais impostas em favor das


autarquias públicas federais está a intimação pessoal de seus procuradores federais de todos
os atos do processo.

19. (PGE/PE/PROCURADOR/2009/CESPE) A fundação instituída pelo Estado com


personalidade jurídica de direito privado se sujeita inteiramente a esse ramo do direito.

20. (PGE/PE/PROCURADOR/2009) As empresas públicas e as sociedades de economia mista


são criadas e extintas mediante autorização legal, têm personalidade jurídica de direito privado,
possuem a mesma forma de organização ou estruturação e, ambas, desempenham atividade
de natureza econômica.

21. (PGE/PB/PROMOTOR/2008/CESPE) Constitui elemento diferenciador entre sociedade de


economia mista e empresa pública o(a)
a) regime jurídico de pessoal.
b) composição do capital.
c) patrimônio.
d) natureza da atividade.
e) forma de sujeição ao controle estatal.

22. (TRF1/JUIZ/2009/CESPE) O prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em


exercício é de trinta dias, contados da data da posse.

23. (BACEN/PROCURADOR/2009/CESPE) Se um indivíduo tomar posse em cargo público


federal, mas não entrar em exercício no prazo legal, será tornado sem efeito o ato de posse.

24. (TRF1/JUIZ/2009/CESPE) Readaptação é a investidura do servidor em cargo de


atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua
capacidade física ou mental, verificada em inspeção médica.

G aa b a ri
rittoo : 1) F, 2) V, 3) F, 4) F, 5) F, 6) V, 7) F, 8) V, 9) F, 10) V, 11) F, 12) F, 13) F, 14) F, 15) V, 16) F, 17) V, 18) V,
19) F, 20) F, 21) B, 22) F, 23) F, 24) V

www.pontodosconcursos.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

EEss ta ddoo , G o v e rno


rn o e Ad
A dmm in is tra ç ããoo P ú bblic
inis lic a
conceitos, elementos, poderes e organização,
natureza, fins e princípios

1. (SEJUS/ES/2009/CESPE) O Estado constitui a nação


organizada, enquanto a administração pública corresponde à atividade
politicamente
que
estabelece objetivos do Estado, conduzindo politicamente os
negócios
públicos.

Temas abordados: conceito e elementos do Estado; diferença entre Estado, Governo e Administração
Pública; formação física e político-administrativa do Estado brasileiro; natureza jurídica d o Estado
brasileiro e dos entes federados.
Gabarito: Errada

Comentários:

O CESPE, nessa questão, testou o conhecimento dos candidatos


relativamente
aos conceitos de Estado , Governo e Administração Pública .

Para analisar o enunciado proposto vamos dividi-lo em duas partes.

Primeiramente, analisaremos a frase: O Estado constitui a nação



politicamente organizada ”.

O conceito de Estado está perfeito, não havendo erro na primeira parte


da
questão.

O nosso Estado, que é o que interessa para a prova, recebe o nome de


República Federativa do Brasil , que é uma nação politicamente
organizada .

De acordo com o Código Civil, os Estados são pessoas jurídicas de direito


público externo . Muito cuidado com esse detalhe na prova, pois
existem pessoas tambémjurídicas de direito interno (que abaixo eu mostrarei
público
quais são) . Veja que a diferença nas expressões está apenas na últim a
palavra. Nada de leitura rápida no dia da prova! Neste dia os detalhes farão
adiferença. Por favor, atenção!!!

Cuidado também para não confundir a Estado (Brasil, Uruguai...) com Estado-
membro (Minas Gerais, Rio de Janeiro...).

O Estado brasileiro, que é pessoa jurídica de direito público é


externo, por pessoas jurídicas de direito público interno
composto : União ,
Estados , Distrito Federal e Municípios , todos autônomos nos termos da
Constituição Federal.

É comum os candidatos confundirem União com o Estado brasileiro. Não faça


isso! A União, pessoa jurídica de direito público interno , integra o Estado
brasileiro, pessoa jurídica de direito externo .
público

www.pontodosconcursos.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

Atenção para a seguinte pegadinha de concurso: mesmo quando a União


representa o Estado brasileiro no plano internacional ela permanece
sendo
pessoa jurídica de direito interno . Não haverá mudança da sua
público jurídica!
natureza

Enquanto a República Federativa do Brasil (Estado brasileiro)


possui
soberania , nos termos do art. 1º da CF, os entes federados (União, Estados,
DF e Municípios) possuem autonomia política . Veja bem que União, da
mesma forma que as demais pessoas políticas, não possui soberania!

A autonomia política dos entes federados lhes confere capacidade para


criar
sua Constituição ou Lei Orgânica ( auto-organização ); para organizar seu
governo e para eleger seus governantes ( autogoverno ); e para organizar seus
próprios serviços ( autoadministração ).

Portanto, até aqui vimos que a República Federativa do Brasil é um Estado


por constituir-se uma nação politicamente organizada. Possui
personalidade jurídica de direito público externo e soberania. É composta
pela União, pelos Estados, pelo Distrito Federal e pelos Municípios, todos
pessoas jurídicas de direito público interno e autônomos na forma da CF.

Agora, chamo a sua atenção para a formação da República Federativa


do
Brasil. Você sabia que há diferença entre a formação física e a
formação
político-administrativa do Estado
brasileiro?
Já pensou em comprar uma passagem de avião para a União? Sem
chances,
não é?! Isso porque a União não possui existência física, mas apenas
político-administrativa .

O art. 1º da CF traz a formação física do Estado brasileiro: A Repúblic


Federativa
“ do Brasil, formada pela união indissolúvel dos aEstados e
Municípios e do Distrito Federal , constitui-se em Estado Democrático de
Direito e tem como fundamentos ”. Observe que a União não é citada nesse
artigo, justamente por não fazer parte da formação física do Estado
brasileiro.
Este é composto fisicamente pelos Estados , Municípios e Distrito Federal .

Já no art. 18 da CF consta a formação político-administrativa do Estado


brasileiro: “ A organização político-administrativa da República Federativa
do a
Brasil compreende União , os Estados , o Distrito Federal e os Municípios ,
todos autônomos, nos termos desta Constituição” .

Então, por favor, quero sua atenção quanto a essa diferença na prova.

Até aqui tudo certo? Se ainda estiver com dúvidas retorne na matéria e faç
auma nova leitura.

Para fechar essa primeira parte, só mais uma informação bem


simples
relativamente aos Estados: seus elementos são povo , território e governo
soberano .

www.pontodosconcursos.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

A partir desse ponto, vamos analisar a segunda parte da questão ora


comentada “enquanto a administração pública corresponde à atividade
: estabelece objetivos do Estado, conduzindo politicamente os
que
negócios públicos ”.

Assertiva errada! Sabe por quê? Porque esse conceito é de Governo .

Enquanto o Estado é nação politicamente organizada, Governo traça as


o
metas e as diretrizes do Estado por meio dos seus agentes políticos
(Presidentes, Governadores, Senadores e etc.).

Só que o CESPE pode cobrar o conceito de Governo e aqui entraremos numa


matéria mais abstrata, cuja compreensão fica um pouco dificultada.
Então
preciso da sua dedicação para entender essa parte. Lembre-se que concurso
éfeito de detalhes!

A doutrina apresenta três sentidos para a expressão Governo: formal , material


e operacional .

a) Sentido formal: conjunto de Poderes e de órgãos constitucionais.

b) Sentido material: conjunto de funções estatais básicas.

c)Sentido operacional: condução política dos negócios públic os.

Eu passo a seguinte dica para meus alunos: em sentido formal pense


em
“quem faz” (Poderes e órgãos) e no sentido material pense na “matéria
feita”,
no que “será feito” (as funções estatais). Já o sentido operacional é
dinâmico,
pois é a realização das operações
públicas.
Portanto, até agora já vimos as definições de Estado e de Governo,
faltando
tratar da Administração
Pública.
Pois bem, se o Governo traça os planos do Estado, eu pergunto: quem é que
vai executar esses planos? Creio que já saiba a Administração
resposta: .
Pública

O Estado, como nação politicamente organizada, tem seus planos e


metas traçados pelo Governo, cuja execução ficará a cargo dos agentes
públicos que integram a Administração Pública.

Quanto aos sentidos da expressão Administração Pública, vamos estudá-los


quando eu comentar a questão n° 3.

Portanto, a assertiva analisada está errada, pois em sua segunda parte


atribuiu
à Administração Pública a definição de
Governo.

www.pontodosconcursos.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

2. (SEJUS/ES/2009/CESPE) A vontade do Estado é manifestada por meio dos


Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, os quais, no exercício da
administrativa, devem obediência às normas constitucionais próprias
atividade
da
administração
pública.
Temas abordados: tripartição de Poderes; funções típicas e atípicas dos Poderes e teoria de
Montesquieu; aplicação das normas constitucionais administrativas aos três Poderes.
Gabarito: Correta

Comentários:

Da mesma forma que fizemos com a questão anterior, vamos dividir essa
em
duas partes.

Analisaremos em primeiro lugar o trecho: A vontade do Estado é



manifestada por meio dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário ”.

Creio que em relação a essa frase nenhuma dúvida quanto ao fato dela
estar
correta . De fato, a vontade do Estado é manifestada por meio de seus Poderes
Legislativo , Executivo e Judiciário , que de acordo com o art. 2º da CF são
independentes e harmônicos entre si .

O Brasil adota a clássica tripartição dos Poderes conc ebida por Montesquieu,
até hoje adotada nos Es tados de Direito, que prevê uma divisão
constitucional
de tarefas entre Executivo (função administrativa) , Legislativo (função
legislativa)
eles: e Judiciário (função judicial) . Essas funções precipuamente
atribuídas a cada Poder são chamadas de funções típicas .

Quanto a essa teoria é interessante destacar um ponto muito explorado


pelas
bancas em concursos públicos: não há uma divisão absoluta de funções
entre os três Poderes.

Contudo, é possível que um Poder exerça função atribuída originariamente


aoutro Poder. Pense no Presidente da Repúblic a, Chefe do Poder Executivo,
editando uma medida provisória (atividade legislativa). Outro exemplo é
oSenado Federal – órgão do Legislativo – julgando o Pr esidente da
República
em processo de impeachment. Também é exemplo o STF, órgão do Judiciário,
realizando licitação ou concurso público, que são funções típicas do
Executivo.
Quando tais situações ocorrem estaremos diante das funções atípicas .

Então memorize que os Poderes do Estado exercem função típica – que


étanto
a função principal -, função atípica .
como
Daí estar errada qualquer afirmação em provas de que os Poderes
exercem
suas funções com exclusividade. Não há exclusividade, mas sim
predominância no exercício das funções típicas!

Bom, a partir de agora deixemos de lado as funções legislativa e judiciária


enos concentremos na função administrativa (atividade administrativa) ,
exercida tipicamente pelo
Executivo.
7

www.pontodosconcursos.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO EM EXERCÍCIOS – AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE

Chegamos, portanto, na segunda parte da questão: “ Poderes Executivo,


Legislativo e Judiciário, os quais, no exercício da
atividade
administrativa, devem obediência às normas constitucionais próprias da
administração pública ”.

A pergunta que faço para você é: os Poderes Executivo, Legislativo e


Judiciário exercem atividade administrativa? O enunciado da questão faz
essa afirmação.

Respondo que sim, e creio que você também, pois o Poder Executivo exerce
tipicamente a função administrativa, ao passo que os demais Poderes a
exercem de forma atípica.

Portanto, sendo certo que os três Poderes exercem atividade


não há dúvidas de que eles devem obediência às normas constitucionais
administrativa,
próprias da administração pública , em especial, as constantes nos art. 37 a
41 da CF.

Para comprovar essa afirmação, faça a leitura do art. caput , da CF: “ A


administração
37, pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também,
ao
seguint ”.
e

3. (TJ/PI/JUIZ/2007/CESPE) O poder regulador insere-se no conceito formal


de administr ação
pública.
Temas abordados: abrangência e sentidos da expressão Administração Pública;
Gabarito: Errada

Comentários:

Conforme dito na primeira questão, os sentidos da expressão administração


pública serão abordados nos comentários dessa assertiva do CESPE.

Vimos até esse momento que o Estado, por meio de seus Poderes, exerce as
funções administrativa, legislativa e
judiciária.
Estudamos que não há exercício exclusivo pelos Poderes de suas funções
típicas, sendo possível que um Poder exerça função de outro, desde que haja
autorização
constitucional.
Com base nesse raciocínio, concluímos que os três Poderes exercem função
administrativa. O Executivo de forma típica e os demais Poderes de
forma
atípica
.
Isso já foi visto na questão anterior. Mas aí eu lhe pergunto: será que a
expressão administração pública alcança apenas o Poder Executivo?
8

www.pontodosconcursos.com.br