Sunteți pe pagina 1din 2

O SACERDÓCIO WICCANIANO

Uma eterna polêmica entre os wiccanianos, seja no Brasil, seja em outras partes do
mundo, é a velhíssima discussão sobre a validade ou não da auto-iniciação. Bons argumentos
sobram tanto entre os defensores, como entre os críticos. A vivência na Wicca nos mo
stra que, muitas vezes, se encontra entre iniciados tradicionais pessoas que não s
e dedicam à Arte tanto quanto auto-iniciados, e entre auto-iniciados gente que só po
r muita ilusão se crê praticante da bruxaria.
Creio, pois, que é hora de dar um passo a mais nessa discussão. A importância de inici
ação tradicional é inegável, mas não há como fechar os olhos à realidade que, muito frequen
ente, a auto-iniciação leva ao exercício de um sacerdócio impecável dos Deuses Antigos. O
que é mais importante, então?
A resposta é justamente essa: o importante é o exercício do Sacerdócio Wiccaniano. Se se
chega a ele pela iniciação tradicional, participando de um coven, ok. Se se chega a
ele pelo árduo e dificil caminho de buscar as respostas diretamente da Deusa, pel
a auto-iniciação, ok também.
E o que e´ o Sacerdócio Wiccaniano?
Todos nós sabemos que só pertence realmente à Wicca quem se inicia (seja em uma Tradição,
seja pela auto-iniciação), ou seja, temos uma religião iniciática em que não há seguidores
todo wiccaniano é Sacerdote ou Sacerdotisa da Deusa Triplice e seu Consorte.
Esse é um dos mais importantes diferenciais da Wicca em relação a caminhos mágicos não rel
igiosos. O sacerdócio obrigatório implica que seja necessário à pessoa buscar em si, ant
es de pensar em trilhar este caminho, a veracidade de sua vocação sacerdotal. Costum
o dizer que, na prática, nenhuma diferença vejo na vocação sacerdotal de um Wiccaniano d
a vocação sacerdotal para qualquer outra religião. Embora o modo de exercer nosso Sace
rdócio da Terra não implique renúncias a prazeres, celibatos ou votos de pobreza ou ab
stinência, temos em comum com sacerdotes de outras religiões o seguinte: nossa alma
anseia pelo contato íntimo e direto com a Divindade Criadora e nos oferecemos, vol
untariamente, para realizar, em concreto, esse contato no mundo, em nossas vidas
diárias.
Muitos livros tratam do período de preparação para a iniciação, muitos enfatizam o que dev
e um neófito aprender e conhecer no período de um ano e um dia mínimo para nela chegar
. O que se deixa de comentar é o seguinte: o que faz uma bruxa DEPOIS da iniciação? Co
mo é o exercício do Sacerdócio Wiccaniano?
Para responder essa pergunta, devemos compreender uma face da Deusa que é Aquela q
ue Dá Poderes. Essa face da Deusa significa a Deusa agindo diretamente no mundo. S
eja como a Curadora, seja como Consoladora, seja como Sábia, essa face da Deusa é mu
ito conhecida das pessoas não tanto em tese, mas nas vivências diárias. É Ela quem nos c
oncede nossos dons e quem, quando estamos em estreita comunhão com o Elemento Espíri
to, acende em nós a chama de partilhar esses dons. Creio que todos, mesmo os leigo
s, podem entender o que digo: quando você ouve uma bela música, quando lê um lindo poe
ma ou vê um por do sol de intensa beleza, acende-se em seu coração um desejo de partil
har- você passa a querer dividir com os outros a beleza que descobriu.
Assim é o caminho Wiccaniano, essa mesma é a essência do sacerdócio: levar para a vida d
e outras pessoas a beleza que você descobriu ao perceber que a Vida é mágica, que Tudo
é sagrado, que Ela é a Vida em si. A consciência de que tudo que existe em sua vida é s
ua responsabilidade e pode ser moldado por sua vontade. Descobrir que todas as r
espostas que você procura estão dentro de você mesmo. Obviamente isso não se faz por mei
o de pregações religiosas, nem por proselitismo. Isso se faz vivendo o dia a dia nor
mal que todo Sacerdote ou Sacerdotisa Wiccaniano tem. Exercer o sacerdócio da Deus
a Tríplice é levar encanto e magia a todos, e tornar as pessoas mais despertas , mai
s conscientes e mais livres, independentemente de que religião elas mesmas profess
em.
Ser um Sacerdote ou Sacerdotisa dos Antigos significa viver em alegria, celebrar
a natureza e realizar seus dons no mundo. Seja nas pequenas coisas, como abençoar
a pessoa que serviu a você um café no escritório ou nas coisas mais complexas, como e
ngajar-se em movimentos ambientalistas, seja no usar seus dons para curar alguém o
u um animal ferido, seja celebrando rituais públicos ou particulares, seja dando e
ntrevistas na TV ou respondendo a um estranho sobre sua religião tudo isso são forma
s possíveis de realização do caminho sacerdotal. Talvez você não deseje ser um@ curador@,
ou talvez nunca sinta o impulso de ensinar ou falar sobre a Arte, mas se você desc
obrir o que a Deusa espera de você e realizá-lo, exercendo seus dons, você será um@ verd
adeir@ Sacerdotisa ou Sacerdote Wiccanian@.
Um cuidado muito grande que se deve ter é com a ilusão de estar seguindo um caminho
sacerdotal. Ouço muita gente dizer: Eu vivo consciente da natureza, vejo a Deusa em
tudo, e isso basta para me fazer wiccaniana. Tolice: um caminho sacerdotal não é um
fingimento, uma fantasia, tampouco é simples como ver a Deusa em tudo . Implica estud
o, dedicação e vivência. Implica auto-conhecimento e auto transformação.
Como vai seu Sacerdócio? Como você tem utilizado no mundo os Poderes Dela? Muito mai
s do que se preocupar com a forma da iniciação, esta deve ser a preocupação de todos nós w
iccanianos: a qualidade do exercício do Sacerdócio.
Aos novatos deixo a pergunta: você tem real vocação sacerdotal? Como crê que irá exercer o
sacerdócio da Deusa e Seu Consorte em concreto na sua vida?
Somente Aquela Que Dá Poderes nos transforma em reais Sacerdotisas e Sacerdotes, f
azendo com que nossa prática da Wicca deixe de ser algo formal e livresco, concret
izando de maneira ativa os preceitos de nossa religião em nossas vidas, trazendo a
magia a atuar no mundo.
Bençãos Brilhantes!
Mavesper Ceridwen
© ABRAWICCA
Voltar