Sunteți pe pagina 1din 5

Corpo:

-Sobre ele recaem receios e curiosidades;

-raiz onde se instala a diferença entre os sexos (homem e mulher); e a diferença


entre povos e culturas;

-gerador de identidade;

-expressão de diversidade e de unidade.

Corpo feminino:
-o estudo do corpo feminino ajuda a perceber o que é hoje;

-compreender melhor o papel social do corpo enquanto chave de identificação


do feminino;

-no corpo inscrevem-se histórias, usos e costumes, poder, educação e cultura.

Desde a ditadura (1926) ao ano de 1956

2 padrões de pensamento

Espaços de socialização Próximo da medicina, profilaxia e


higiene:
Controlados pelo poder:
- discurso mais permissivo e
- instituições de formação transformador;
Religiosa; - corpo é matéria rectificável;
- corpo feminino: - sujeito a novas disciplinas,
hábitos e usos;
 Repressivo;
 Conservador; - finalmente pode ser tocado
 Lugar de interdição;
 Espaço sagrado.

- Poder, religião e ciência, desempenham estilos e pesos de intervenção diferenciados no


processo de representações sociais do corpo.
São eles que permitem que haja um certo equilíbrio de posição quanto aos
limites de intervenção sobre a liberdade dos indivíduos, sobre as mulheres e a
forma como vivem.

- O estudo do corpo feminino neste período ajudou a perceber melhor fenómenos


sociais posteriores, relacionados com o lugar da mulher e do homem na sociedade
portuguesa.

Persistência de mentalidades e aspectos da nossa cultura; difíceis relações.

“Somos aprendizes da natureza humana”

-Manifestações; Intervêm como forma de


comunicação
-Sentimentos;

-Dúvidas;
São as manifestações do
-entre o nascimento e a morte. corpo

O corpo é ensinado a:
-exprimir bondades, desejos e repulsas

-rir, chorar, gritar, gostos

-técnicas corporais

-o que é legítimo fazer e exprimir

Marcel Maus “O corpo é objecto técnico mais natural

O corpo manifesta-se em todas as experiências vividas

-natureza própria,

-mercanismo físico, psicológicos e sociológicos,

Corpo:
-Forma de interactuarão privilegiada;
-Matéria potenciadora de todas as realizações humanas;

-encontra-se no domínio do inapreensível do difícil de alcançar ou aprender.

Modo de usar o corpo feminino e que ditaram regras sobre o comportamento legítimo
sobre as mulheres do “Estado Novo”

2 sistemas

Natureza sagrada Algo que deve ser sujeito a


disciplina e a um processo de
-conjunto de atributos físicos
reeducação de hábitos
próprios da mulher dados por
Deus: -processo que permite perceber
traços ideológicos do Estado
-graça; Novo;
-doçura;
-Disciplinas entendidas como
-fragilidade. mecanismos correctivos das
atitudes do corpo;
-sentidos naturais;
-Para corresponder ao modelo
-corpo feminino considerado a ideal de se comportar em
Terra, com sentimentos e sociedade a mulher têm:
atributos;
-ser honesta nos gestos
-não se pode retirar a mulher e na forma de estar em
da natureza conivência social…

-o corpo deve ser escondido,


guardado;

-…

Síntese:

-lógicas produzidas durante o Estado Novo:


-análise sobre o corpo feminino centra-se:

-o que é necessário mudar, através da disciplina;

-o que é preciso conservar, os dons da mulher.

Corpo no discurso das ciências sociais


-reflectir sobre o corpo:

 o que é deixado ao corpo o que quiser ser;


 regras e formas sociais que o sujeitam;
 espaços e tempos próprios que o identificam nas suas
manifestações quotidianas

Linguagem do corpo

2 memórias

Conhecimentos técnicos História que o sujeito tem do


com vista à socialização seu corpo
dos gestos e posturas

Dinâmicas entre
sujeito, sociedade e
corpo

Para Durkaim é o que primeiro distingue um indivíduo do outro.

Não liberta-se agarrar fazer

Descobre o fogo
Cozinha alimentos

Boca altera-se

Começa a produzir sons