Sunteți pe pagina 1din 16

O RITUAL LEVÍTICO

UM BREVE ESTUDO SOBRE O SISTEMA SACRIFICIAL


DELINEADO PELO LIVRO DE LEVÍTICO, E EXPLANADO
PELAS FONTES TRADICIONAIS JUDAICAS

SISTEMA DE OFERTAS DO SACERDÓCIO LEVÍTICO


Ofertas de Adoração

animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar
agradecimento
pela provisão e
pelo fruto do
Oferta de flor de farinha, azeite e ---- Lev 2
trabalho
Cereais incenso
humano

agradecimento
pela provisão e
Oferta de pelo fruto do
espigas tostadas, azeite ---- Lev 2
Primícias trabalho
e incenso
humano

novilhos, macho de
caprinos, ovinos e
Holocaustos pombos.
derramado em torno adoração
do altar particular
(ofertas
queimadas) Lev 1:5 e 11

Gado derramado em torno votos, ações de


do altar; gorduras graça, ofertas
Ofertas cordeiros ou queimadas voluntárias
Lev 3:1-5

Pacíficas ¹ cabras Lev 3:1,7,12

(macho/fêmea)

Ofertas de Restauração
animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar
parte espargida sobre
o véu e o altar de
incenso; o resto,
Ofertas pelo expiar pecados
derramado ao redor do
Pecado ² não
altar de holocaustos
intencionais
novilho
(sacerdotes e
assembléia) (por ignorância)
Lev 4:3-21

expiar pecados
não
Ofertas pelo intencionais
espargido sobre as
Pecado pontas do altar de
holocaustos; o resto, (por ignorância)
bode que afetavam
(do príncipe) derramado junto à
base apenas o
pecador Lev 4:22-26

espargido sobre as expiar pecados


pontas do altar de não
Ofertas pelo holocaustos; o resto, intencionais
Pecado derramado junto à
base (por ignorância)
cabra ou cordeira que afetavam
(do indivíduo)
apenas o
pecador Lev 4:27-35

fêmea de gado miúdo espargido sobre o altar expiar pecados


de holocaustos; que afetavam
Ofertas pela (cabras, ovelhas) gorduras queimadas outras pessoas e
Culpa contatos com
espremido sobre a
coisas imundas
base Lev 5:1 e 4
[a] rolas ou pombinhos
do altar de holocaustos Lev 6:1-7

Lev 7:1-5
Ofertas pela expiar pecados
Culpa ³ em relação às
coisas santas
espargido sobre o altar Lev 5:15-19
[b] de holocaustos;
gorduras queimadas e nos casos
carneiro Lev 6:1-6
delineados em
Lev 6:1-5

Referências:
1. Quando uma oferta pacífica era apresentada ao S-nhor como ato de ação de graças
(agradecimento por alguma bênção recebida), a mesma deveria vir acompanhada de
bolos ázimos amassados com azeite, e coscorões ázimos untados com azeite, e bolos
amassados com azeite, de flor de farinha, bem embebidos – ou seja, de uma oferta de
cereais (manjares), cf. Lev 7:12.

2. A gordura que cobre as entranhas e o redenho que recobre o fígado eram


queimadas sobre o altar de holocaustos e a carcaça junto om o couro e o excremento
eram depois queimados num local limpo fora do acampamento. (Lev 4:3-21)

3. Exigia-se além da oferta, o acréscimo de 20% sobre o prejuízo (“quinta parte”) no


caso das coisas santas e em relação à terceiros, cf. Lev 5:16 e 6:5.

Ofertas de Purificação (curados de lepra)

animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar

Oferta pela um cordeiro espargido sobre o altar prover expiação Lev 14:12
Culpa de holocaustos e usado pela culpa que
no ritual de causou a praga
(pelo leproso) purificação

prover expiação
pelo pecado que
Oferta pelo causou a praga
uma cordeira espargido sobre o altar Lev 14:10 e 19
Pecado de holocaustos; o
(ou um pombo) resto, derramado junto
(pelo leproso) à base

Holocausto 4 derramado em torno sacrifício de


do altar louvor e ação de
(pelo leproso) graças
um cordeiro Lev 14:20

(ou um pombo)

4. Exigia-se além do holocausto uma oferta de cereais constituída de “três décimos de


efa de flor de farinha para oferta de cereais, amassada com azeite, e um logue de
azeite” Lev 14:10.
Ofertas de Purificação (pós-parto)

animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar

Holocausto derramado em torno sacrifício de


do altar louvor e ação de
graças
cordeiro 5 Lev 12:6

Oferta pelo espremido sobre a purificar do


Pecado base do altar de pecado pelo
holocaustos contato com a
pomba (ou rola) Lev 12:6
impureza
cf. Lev 5:2-3

5. “Mas, se as suas posses não bastarem para um cordeiro, então tomará duas
rolas, ou dois pombinhos: um para o holocausto e outro para a oferta pelo
pecado; assim o sacerdote fará expiação por ela, e ela será limpa” (Lev 12:8)

Ofertas de Purificação (pós-menstrual)

animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar

Holocausto sacrifício de
louvor e ação de
graças
rola ou pombo espremido sobre a Lev 15:29-30
base

do altar de holocaustos

Oferta pelo espremido sobre a purificar do


Pecado base pecado pelo
contato com a
rola ou pombo Lev 15:29-30
do altar de holocaustos impureza
Holocausto sacrifício de
louvor e ação de
graças
rola ou pombo espremido sobre a Lev 15:29-30
base

do altar de holocaustos

cf. Lev 5:2-3

Ofertas de Purificação (do nazireu)

animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar

Holocausto sacrifício de
louvor e ação de
graças
rola ou pombo espremido sobre a Num 6:9-11
base

do altar de holocaustos

Oferta pelo espremido sobre a purificar do


Pecado base pecado pelo
contato com a
rola ou pombo Num 6:9-11
do altar de holocaustos impureza
cf. Lev 5:2-3

Ofertas de Cumprimento de Voto (de nazireu)

animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar
Oferta de um cesto de pães ---- adoração e ação Num 6:15
Cereais ázimos de graças

bolos de flor de farinha


com azeite

espargido sobre as expiação do


pontas do altar de pecado da
Oferta pelo holocaustos; o resto, abstinência do
uma cordeira Num 6:14
Pecado derramado junto à que a Lei
base permite

Holocaustos um cordeiro derramado em torno adoração


do altar particular
(ofertas
queimadas) Num 6:14

derramado em torno ação de graças


do altar; gorduras pelo
Ofertas queimadas cumprimento
um carneiro Num 6:14
do voto
Pacíficas ¹

Ofertas do Dia da Expiação


animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar
espargido sobre o prover expiação
propiciatório e sobre o pelos pecados
Oferta pelo altar de incenso, sete do sacerdote e
um novilho (p/ Lev 16:3 e 5, 18-
Pecado 6 vezes (interior) do povo
sacerdote) 19

um bode (p/ povo)

um carneiro derramado sobre a oferta de Lev 16:3, 5 e 24


(p/sacerdote) base do altar de adoração
Holocausto holocaustos
um carneiro
(exterior)
(p/povo)

um bode

Oferta pelo (expiatório) prover expiação


Pecado (2) de todos,
mantido vivo, enviado levando as suas
------ Lev 16:20-22
ao deserto iniqüidades

6. A gordura da oferta pelo pecado era queimada no altar de holocaustos (Lev 16:25)
e o resto do animal, seu couro, carne e excremento eram queimados fora do
acampamento (Lev 16:27)

Ofertas da Páscoa
animal ou sangue propósitos referência(s)

manjar
flor de farinha com
azeite; três
décimos de efa agradecimento
para cada novilho, pela provisão e
pelo fruto do
Oferta de dois décimos para Num 28:20-21
trabalho humano
Cereais o carneiro, e
um décimo ----
para cada um
dos sete
cordeiros.
dois novilhos, um
carneiro e sete
Holocaustos cordeiros de um
espargido ao redor ação de graças e Num 28:19
ano, todos eles
do altar de louvor
sem defeito;
holocaustos

Oferta pelo espargido sobre as prover expiação


Pecado pontas do altar de pelos pecados de
holocaustos; o todo o povo por
um bode Num 28:22
resto, derramado ocasião da festa
junto à base

desafiar a
idolatraia e
executar juízos
passado sobre os Ex 12:5-7, 12
sobre os falsos
umbrais das portas
deuses
Sacrifício Pascal um cordeiro

ANIMAIS USADOS NAS OFERTAS


CORDEIRO

Animal pertencente à classe dos ovinos. Quando


adulto, recebe o nome de carneiro. Era usado: (1)
Como resgate de outros animais Exo 13:13 (2)
Como holocausto contínuo Exo 29:39; (3) Como
oferta pacífica Lev 3:6-7 (4) Como holocaustos Lev
9:3; 23:12 (5) Na purificação pós-parto Lev 12:6;
(6) Como oferta pela culpa (purificação do leproso)
Lev 14:12 e também como oferta pela culpa (do
nazireu) Num 6:12

Cordeiros NUNCA eram usados como oferta pelo


pecado.

CARNEIRO

Animal pertencente à classe dos ovinos. É o macho


adulto da ovelha, podendo ser selvagem ou
domesticado. Era usado: (1)Na consagração dos
sacerdotes Ex 29:15-22/ Lev 8:22 (2) Como oferta
pela culpa (pecado por ignorância) Lev 5:15; 19:21;
Esd 10:19 (3) Como holocausto Gen 22:13; Lev 9:2;
Num 7:15; 28:11 (4) Como oferta pacífica Lev 9:4;
Num 6:4

Carneiros nunca eram usados como oferta pelo


pecado.

BODE

Animal pertencente à classe dos caprinos. É o


macho da cabra. Este animal era usado
exclusivamente como Oferta pelo Pecado (Lev
9:23; Num 7:16-82). Um clássico exemplo desse
animal usado para fazer expiação pelos pecados
ocorre em Lev 16, onde o ritual do Yom Kippur
(Dia da Expiação) é descrito em detalhes.

NOVILHO

Animal pertencente à classe dos bovinos, filhote da


vaca. Era usado: (1) Como Oferta pelo Pecado, na
consagração dos sacerdotes (Lev 29:14); (2) Como
holocausto (Lev 1:3-5); (3) Como Oferta pelo
Pecado do sacerdote (Lev 4:3); (4) Como Oferta
pelo Pecado da assembléia (Lev 4:14); (5) Como
Oferta pelo Pecado dos sacerdotes no Dia da
Expiação (Lev 16:6); (6) Como holocausto da
Páscoa (Lev 23:18-19)

Antes de nos aprofundarmos no ritual levítico, será importante esclarecer algo


fundamental sobre o termo “expiação”. O termo deriva-se do verbo hebraico
lekhaper (‫ )לְכָפֵר‬significa entre outras coisas, santificar, purificar,
(re)consagrar. Não podemos limitar o sentido do termo ao que normalmente se
pensa pois aqueles que entendem “expiação” como o apagamento de pecados
terão certamente dificuldades em explicar como se fazia expiação pelo altar e o
santuário (Exo 29:36-37). Teriam por acaso o altar e o santuário algum tipo de
pecado para que se fizesse “expiação” por eles? Claro que não! Logo, o termo
deve ter outro sentido do que normalmente se propõe. Nesse caso, o termo
“expiação” refere-se à consagração e santificação dos objetos e locais do culto
israelita, não havendo contexto aqui para defendermos que expiação significa
“perdão de pecados”. Sempre que o termo “expiação” está relacionada ao
apagamento de pecados, notamos a ocorrência da expressão, “e será perdoado”:

Assim o sacerdote fará por ele expiação do seu pecado, que houver cometido
em alguma destas coisas, e ele será perdoado; e o restante pertencerá ao
sacerdote, como a oferta de cereais. (Lev 5:13) - Veja ainda: Lev 4:26-35;
5:10,13,16,18; 6:7; 19:22.

As ofertas do ritual levítico se dividem em: (1) Ofertas de Adoração [Lev 1-3]; (2)
Ofertas de Restauração [Lev 4-7] e (3) Ofertas de Purificação [Lev 12-15]

OFERTAS DE ADORAÇÃO

Oferta de Cereais ‫מִנְחָה‬

As ofertas de cereais [heb., minchah] eram constituídas basicamente de sêmola


de trigo, farinha bem fina, chamada na Torá de “flor de farinha” (heb., soleth
chitim), azeite (óleo de oliva) e incenso. Essas ofertas de cereais não podiam
levar fermento e mel (Lev 2:11), sendo todas elas temperadas com sal (Lev 2:13).
Parte da oferta era queimada sobre o altar como oferta de cheiro suave (Lev 2:2)
e o restante era do sacerdote (Lev 2:3 e 10). As ofertas que envolviam a farinha
de trigo poderiam ser assadas em forma de pães no forno, untadas com azeite
(Lev 2:4) ou ainda assados numa assadeira (Lev 2:5) ou então cozidas (2:4). Um
outro tipo de oferta de cereais era aquela apresentada como primicias, a qual
constituía-se de espigas (grãos verdes trilhados) tostadas ao fogo, à qual
adicionava-se azeite e incenso (Lev 2:16). O propósito geral das ofertas de
cereais era devotar a D-us os frutos do trabalho do homem, visto que os
componentes das ofertas (farinha, azeite e incenso) não eram produtos naturais,
mas sim, resultados da ação humana sobre as coisas criadas por D-us.

Holocausto ‫עֹלָה‬

Os holocaustos constituiam-se de novilhos (bovinos) ou de macho de ovelhas


(carneiros) ou cabras (gado miúdo) ou ainda de aves (rolas ou pombos); os
animais eram sacrificados e totalmente queimados sobre o altar de holocaustos
(ninguém comia a carne, nem mesmo os sacerdotes) e seu sangue derramado
em volta do mesmo (Lev 1:5 e 11). Os holocaustos representavam a completa
submissão à vontade de D-us, e por esta exata razão, a oferta era completamente
devotada à Ele, sendo consumida pelo fogo do altar. Tais ofertas evidenciam o
desejo de comunhão com o Criador, daí a razão de serem chamadas em hebraico
de olah, palavra que expressa “subida, ascenção” - como a fumaça que sobe da
oferta queimada, assim também sobem as preces e desejos do ofertante para
junto de D-us. Essas ofertas não tinham eficácia em si mesmas para a expiação
de pecados; a expiação só se dava quando o holocausto era associado à uma
oferta pelo pecado.

Ofertas Pacíficas ‫שְלָמִים‬

As Ofertas Pacíficas expressavam ação de graças e adoração a D-us por suas


bênçãos e misericórdias. O nome hebraico desse tipo de oferta (shelamim) vem
da raiz de shalom que significa “paz” e “integral”, todo”. Uma parte significativa
da oferta era queimada no altar de holocaustos, outra parte era dada ao
sacerdote e o restante era comido pelo ofertante e sua família. Assim, os
shelamim (ofertas pacíficas) deveriam ser comidos pelos ofertantes, ao
contrário do que ocorria com os holocaustos. Os animais aceitos para tais
ofertas eram novilhos, cordeiros ou cabras. O animal poderia ser macho ou
fêmea sem defeito, cf. Lev 3:1,7,12. O ritual constituía-se em abater o animal e
aspergir seu sangue sobre o altar (de holocaustos) em redor. Queimava-se então
a gordura das entranhas, os dois rins e sua gordura, e a gordura que se encontra
junto ao lombo e o redenho sobre o fígado como uma oferta queimada ao S-
nhor. (Lev 3:1-15). Quando uma oferta pacífica era apresentada ao S-nhor como
ato de ação de graças (agradecimento por alguma bênção recebida), a mesma
deveria vir acompanhada de bolos ázimos amassados com azeite, e coscorões
ázimos untados com azeite, e bolos amassados com azeite, de flor de farinha,
bem embebidos. (Lev 7:12). As ofertas pacíficas se subdividiam em três
categorias:

1. Ofertas de ação de graças [heb., todah; pl. todot]

Oferecidas em agradecimento por ter sido salvo de alguma situação perigosa ou


por alguma bênção particular.

2. Ofertas votivas [heb., neder; pl. nedarim]

Oferecidas após o cumprimento de algum voto, p.ex., nazireu.

3. Ofertas voluntárias [heb., nedavah; pl. nedavot]

Oferecidas livremente sem prescrição da Lei, por motivos particulares.

A carne do sacrifício das ofertas pacificas quando ofertadas como ação de graças
(todah) deveria ser comida toda ela imediatamente, sem que se deixasse nada
para o outro dia. Se fosse uma oferta pacífica de voto (neder) ou de oferta
voluntária (nedavah), a carne poderia ser comida em no máximo dois dias;
entretanto, se parte dela ficasse para o terceiro dia, ninguém poderia mais
comê-la, devendo a mesma ser queimada totalmente no fogo; caso essa regra
fosse trangredida, o sacrifício perderia sua eficácia, e o pecado seria atribuído ao
transgressor, cf. Lev 7:15-18.
O propósito desse tipo de oferta pode ser inferido do nome hebraico da mesma.
Os shelamim (ofertas pacíficas) se propunham a fazer a paz, apazigüar,
reintegrar, reconciliar o ofertante com seu D-us. Era uma espécie de “banquete
comunal” onde celebrava-se uma festa da qual participava o ofertante, o
sacerdote e o próprio D-us, todos tendo uma parte para si da oferta.

OFERTAS DE RESTAURAÇÃO

Ofertas pelo Pecado ‫חַטָאת‬

As Ofertas pelo Pecado classificam-se em:

Ofertas pelo Pecado do sacerdote e de toda a assembléia

O animal (novilho) era morto, colocado no altar de holocaustos; parte do


sangue era levado para santuário e aspergido sobre o véu que dividia a tenda e
também sobre as pontas do altar de incenso. O restante do sangue era
derramado sobre o altar ao redor; a gordura que cobre as entranhas e o redenho
que recobre o fígado eram queimadas sobre o altar de holocaustos e a carcaça
junto om o couro e o excremento era depois queimado num local limpo fora do
acampamento (Lev 4:3-21).

Ofertas pelo Pecado de um príncipe

O animal (bode) era sacrificado e o sangue era aspergido sobre as pontas do


altar de holocaustos e o resto era derramado na base do mesmo. A gordura era
queimada também (Lev 4:22-26).

Ofertas pelo Pecado de um indivíduo

No caso de uma Oferta pelo Pecado do indivíduo, o procedimento era o mesmo


como no caso acima (do príncipe) mas o animal era uma cabra ou cordeira
(Lev 4:27-35). As Ofertas pelo Pecado faziam-se pelos pecados cujos efeitos
terminavam primariamente no pecador, ou seja, os efeitos do pecado recaíam
direta e primeiramente sobre o que havia transgredido. Sua função era expiar os
pecados cometidos inadvertidamente, por ignorância. Sabe-se que os pecados
cometidos intencionalmente eram punidos com a morte, não existindo expiação
em tais casos (Num 15:28-31).

As Ofertas pelo Pecado não podiam ser comidas pelo ofertante, mas somente
pelo sacerdote, cf. Lev 6:25-26,30.

O Rabino Moshe Grylak comenta que o pecado é um ato que não está de acordo
com a consciência humana. É a efervescência de instintos e impulsos e a
rendição do ser humano aos memos. A pessoa que busca a elevação, a unidade e
a santidade é golpeada ao pecar; percebe que suas atitudes só fazem por afastá-
la de seu Criador. Dessa forma, pelas funções que desempenham, os sacrifícios
não são mais “sacrifícios” mas sim, “aproximações” (este é o verdadeiro sentido
da palavra hebraica korbanot) pois através deles, o homem podia alcançar uma
“aproximação” renovada em relação ao Criador.
Ofertas pela Culpa ‫אשָם‬

Estas ofertas eram apresentadas em conexão com a Oferta pelo Pecado quando
alguém pecava por perjúrio, por não denunciar o que testemunhou, por jurar
temerariamente ou por entrar em contato com algo impuro cf. Lev 5:1-6. Nesses
casos, o animal ofertado como asham (Oferta pela Culpa) deveria ser uma
fêmea do gado miúdo (cabra, ovelha). Em alguns casos, entretanto, apenas
a Oferta pela Culpa era apresentada, sem conexão com uma Oferta pelo Pecado;
isto ocorria quando alguém pecava contra as “coisas sagradas” por ignorância,
inadvertidamente. Casos desse tipo devem ter sido raros, mas envolviam ações
pecaminosas como: tirar algo do altar, ou comer do que era reservado apenas
aos sacerdotes, etc. O transgressor devia além de apresentar a oferta (um
carneiro) acrescentar uma multa de 20% do valor do que foi perdido (“um
quinto”) como pena pelo prejuízo cf. Lev 5:15-18 e 6:1-7. As Ofertas pela Culpa
se faziam por aqueles pecados cujos efeitos afetavam outras pessoas (como no
casos descritos em Lev 6:1-5), quando causavam prejuízos e perdas. O prejuízo
devia ser pago por completo, exigindo-se do culpado uma restituição (também
de 20%) a qual era colocada nas mãos do sacerdote que repassava ao ofendido
no dia em que a oferta fosse apresentada. No caso de falecimento do ofendido, a
restituição passava aos seus herdeiros e se não houvessem herdeiros, a mesma
ficava com o sacerdote. (Lev 5:16; 6:5; Num 5:7-8). As restituições eram
calculadas de acordo com o valor do siclo (shekel) do santuário. A Oferta pela
Culpa não podia ser comida pelo ofertante (Lev 6:30); assim como no caso da
Oferta pelo Pecado, somente o sacerdote ungido podia comer dela (Lev 6:25-
26/Lev 7:7). Quando as posses do transgressor não eram suficientes para
oferecer uma fêmea de gado miúdo, deveria então apresentar duas rolas ou
pombinhos, mas apenas nos casos de Lev 5:1-6. Nos outros casos, nenhuma
concessão era feita. A Oferta pela Culpa além de ser considerada uma oferta de
restauração era também de purificação, como nos caso do indivíduo que se
recupera da tsaraat (lepra). As leis referentes à apresentação das Ofertas pela
Culpa eram as mesmas aplicadas às Ofertas pelo Pecado (Lev 7:1-7). Como dito
acima, caso suas posses não permitissem, o transgressor poderia apresentar
duas rolas ou pombinhos como oferta – mas nesse caso a oferta passava a ser
“pelo Pecado”. Um dos animais expiava o pecado, e o outro, servia como
holocausto (Lev 5:7-10). Caso ainda não tivesse condições para tal oferta, o
transgressor podia apresentar uma oferta de cereais – 1/10 de um efa de flor de
farinha sem azeite ou incenso. Nesse caso, assim como no descrito acima, não
tratava-se mais de um asham (Oferta pela Culpa): a oferta agora passava a
funcionar como uma Oferta pelo Pecado, parte da qual era queimada, e o
restante ficava como posse do sacerdote, como normalmente acontecia com as
Ofertas de Cereais e manjares (Lev 5:11-13).

OFERTAS DE PURIFICAÇÃO

Essas ofertas deviam ser apresentadas basicamente pelo purificado da lepra e


pela mulher após seu período menstrual ou então como purificação pós-parto.
Por extensão, a mesma deveria ser ofertada por todos aqueles que tivessem
contato com impurezas, isto é, com tudo aquilo que a Lei considerasse tamê
(“impuro”). Elas se constituíam (conforme nossa tabela) no caso do purificado
da lepra de (1) uma oferta pela culpa, (2) uma oferta pelo pecado e (3) um
holocausto. A razão da oferta pela culpa e da oferta pelo pecado nesse caso é que
a doença chamada tsaraat [traduzida normalmente como “lepra”] era causada
pelo que em hebraico chamamos de lashon ha-rá [“maledicênica”]. O fato é que
tal enfermidade não se assemelha à hanseníase dos dias atuais, visto que não
atingia apenas o ser humano, mas infestava também roupas e moradias (cf. Lev
14:54-57) . É uma doença misteriosa, sobre a qual não dispomos de muitas
informações; entretanto, inferimos do texto bíblico que a praga era causada por
maledicência ou rebeldia e oposição direta a D-us e seus representantes. Assim
foi no caso de Moisés, que opôs-se primeiramente à ordem divina de libertar o
Seu povo (Exo 4:1-6); Miriam, que se opôs a D-us indiretamente usando de
maledicência contra Moisés, servo de D-us (Num 12:2 e 10) e também no caso
de Uzias, rei de Judá (II Cro 26:14-21), que insurgiu-se contra os sacerdotes e
queimou ele mesmo o incenso sagrado no santuário. Assim, o que for a afligido
pela doença devia oferecer uma Oferta pela Culpa e uma Oferta pelo Pecado,
pois prejudicou a terceiros e pecou contra D-us.

Já no caso da purificação pós parto e pós menstrual, oferecia-se um holocausto


e uma oferta pelo pecado; Da mesma forma que no caso acima, a presença de
uma oferta pelo pecado parece conflitar-se com uma possível ausência do
próprio pecado nos casos de impureza menstrual e pós-parto. O que poderia ser
imputado à mulher como pecado nesses casos visto tratar-se de algo natural? É
aí que entra a interpretação e a hermenêutica provida pelos Sábios do Talmud.
No caso da purificação pós-menstrual o pecado estava nao contato físico da
mulher com o sangue ritualmente tamê (impuro). Nos dias que antecedem o seu
período, a mulher segundo a Lei está num estado de kedushá (santidade),
pronta para receber uma nova vida, uma das mais gloriosas e honradas funções
do sexo feminino. Se no entanto a fecundação não acontece, a kedushá
(santidade) se afasta da mulher, e a ausência de santidade é por definição
impureza ritual. O resultado dessa partida da santidade do corpo feminino é o
fluxo menstrual, que tornava a mulher culticamente “impura” também pelo
contato com o mesmo. A impureza derivada do termo hebraico niddá era
tratada como pecado contra D-us, mas mesmo sendo isso uma forma de
“pecado”, não oferecia-se nesses casos uma oferta pela culpa visto que como
sabemos trata-se de algo natural, sem interferência externa do “transgressor”,
nesse caso a própria mulher. A “transgressão” estava no fato de que a
fecundação não ocorrera e assim, a mesma deveria ser expiada pela Oferta pelo
Pecado; no outro caso, a mulher tornava-se t'meah (impura) pelo contato com o
sangue resultante do parto.

Para o nazireu que se contaminava durante o seu voto, ofecerecia-se um


holocausto e uma oferta pelo pecado. Em mais esse caso, o pecado parece
ausente – mas só porque nosso entendimento do termo nem sempre é o correto.
No exemplo fornecido pela Torá, isto é, do contato de um nazireu com algum
morto (uma pessoa que por acaso morre junto dele) não podemos ver no
nazireu culpa alguma; tudo não passa de um mero incidente, sem nenhuma
interferência externa do votante. Mesmo assim, o pecado estava configurado
pelo contato do votante com algo impuro (no caso, o cadáver) e a oferta deveria
ser apresentada; nesse caso uma oferta pela culpa era também apresentada (cf.
Lev 6:12), pois admite-se a imprudência do nazireu em relação às coisas
sagradas; julga-se que o tipo de contaminação provocada pelo caso descrito em
Num 6:9 poderia ter sido evitado.
Quando o nazireu cumpria o seu voto sem nenhum incidente como o descrito
acima ele deveria apresentar quatro tipos diferentes de ofertas: (1) um
holocausto, (2)uma oferta pelo pecado, (3) uma oferta de cereais e (4) uma
oferta pacífica.

Entendemos o porquê da ausência de uma oferta pela culpa nesse caso, mas
temos aqui uma oferta pelo pecado, e isto parece estranho. Não parece mais se
entendermos que, ao deixar de participar das coisas autorizadas pela Lei o
nazireu estava incorrendo também em “pecado”. Pecar não é apenas fazer o que
a Lei proíbe, mas também deixar de fazer o que ela permite – e a Lei diz,

E aquele dinheiro darás por tudo o que desejares, por bois, por ovelhas, por
vinho, por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; comerás ali
perante o Senhor teu Deus, e te regozijarás, tu e a tua casa. (Deu 14:26)

O que temos acima é um mandamento e ao privar-se voluntariamente do que


o mandamento ordenava, o nazireu incorria em transgressão. A ordem dada ao
nazireu incluia a abstinência de vinho, de bebida forte e do fruto da videira
(Num 6:3-4). Dessa forma ele devia apresentar a Oferta pelo Pecado para fazer
expiação por ele.

Autor: João Maria Alves Correia (041) 8452-1705