Sunteți pe pagina 1din 2

FORMAÇÃO SOBRE ORAÇÃO – NOVICIADO I - ALIANÇA

1ª PARTE – A ORAÇÃO COMO UM DOM DE DEUS


E A ORAÇÃO NA VIDA CONSAGRADA

• A oração é a elevação da alma a Deus ou o pedido a Deus dos bens necessários. (Fonte: CIC 2558)
• A humildade é fundamento da oração;
• A oração é um encontro entre a sede de Deus e a nossa. É o coração que reza. Se ele está longe de Deus,
a expressão da oração é vã.
• A medida que Deus se revela Ele revela o homem a si mesmo.
• A oração de fé não consiste apenas em dizer “Senhor, Senhor”, mas em levar o coração a fazer a
vontade do Pai.
• Características que devem existir naquele que quer rezar:
1. Persistência: Lc 11, 5-13;
2. Rezar sem esmorecer, com a paciência da fé: Lc 18,9-13;
3. Humildade do coração que reza: Lc 18,9-14.
• A oração não se reduz ao surgir espontâneo de um impulso interior – para rezar é preciso querer!

A VIDA DE ORAÇÃO
• A oração é a vida do coração novo e deve nos animar a cada momento;
• Recordar de Deus – memória do coração. São Gregório Naziazeno diz: “é preciso se lembrar de Deus
com mais freqüência do que se respira”.
• Cada pessoa responde ao Senhor segundo a determinação de seu coração e as expressões pessoais de sua
oração.
• A oração de contemplação – relacionamento entre o eu e o tu.
• Quem está no centro da oração: eu ou Deus?
• Na meditação eu estou no centro da oração.
• Pensamos em Deus na meditação, mas não necessariamente chegamos a experimentar Deus.
• A meditação é muito ativa. Quem controla a oração sou eu mesmo – sou eu quem determino: assuntos e
questionamentos. É prática, não exige conversão, posso meditar sobre a misericórdia divina e depois
ficar com o espírito de vingança no meu coração.
• A meditação pode levar-me a uma experiência de Deus quando me tiro do centro e dou espaço para
Deus entrar e agir em mim.
• Exemplo: pai de sangue e Deus Pai (se tenho uma visão negativa de Deus Pai isso é reflexo de uma
dificuldade no meu relacionamento com meu pai de sangue).

CONTEMPLAÇÃO
• Na contemplação, Deus está no centro da oração.
• A finalidade da oração de contemplação não é pensar sobre Deus, mas experimentar Deus. Na oração de
contemplação, eu deixo que Deus seja Deus comigo (mais passiva).
• Passiva significa que perco o controle sobre a oração e quem controla é Deus. Quem se revela é Deus e
eu espero sua revelação. Fico numa atitude de pobreza espiritual esperando a sua chegada.
• Logo que Deus aparece, sem eu insistir em minhas falsas imagens, começa entre nós um diálogo de
corações.
• Deus começa e eu participo nesse diálogo. A finalidade da oração de contemplação é experimentar
concretamente o amor de Deus em minha vida, exemplo: misericórdia divina. Eu não penso sobre a
misericórdia de Deus (contemplação) mas deixo que Deus seja misericordioso comigo. Deixo que Deus
seja Deus comigo. Saio do centro da oração e deixo que Deus ocupe o lugar central, permito que Ele
seja Ele mesmo comigo e nessa experiência respondo com amor.
• A contemplação é um mergulhar no coração de Deus (interior), um Deus doador de si mesmo (Sto.
Afonso).
• Contemplação significa “um olhar profundo”.
• Mesmo diante de limitações e fraquezas Ele ainda continua apaixonado por mim! Deixo que Deus seja o
que Ele é: “um Deus que é amor” (IJo 4,7-10).
• O amor recebido na contemplação exige de mim uma resposta de amor. O amor expressa-se pela
conversão no ser e no agir de Deus. Quando tocamos no interior de Deus algo acontece conosco,
mudamos. Sentimos necessidade de mudar – fruto da oração de contemplação. Queremos mudar de vida
para ser uma continuação de Deus na vida.

 MEIOS PARA CHEGAR A CONTEMPLAÇÃO:


• Palavra de Deus – a Bíblia é a descrição do interior de Deus. Não vai de mãos vazias leve a Palavra de
Deus e capacitado (guiado) pela ação do Espírito Santo.
• Dom recebido no batismo. Deus que todos façam a experiência com sua pessoa amorosa. Por isso, não
busque coisas extraordinárias, místicas, porque tal procura é uma busca de nós mesmos e Deus não teria
espaço para entrar. Pode ser árida – experiência de fé (não sente nada) mas, crio na presença amorosa de
Deus.
• Buscar momento de paz e tranqüilidade. “Deus não está na tempestade, mas na brisa mansa (IRs 19,11-
13) – silêncio interior e exterior. Exige disciplina: horário e compromisso.
• Lugar – achar um lugar que pode chamar de “seu lugar santo” (na natureza, diante do Santíssimo, o
importante é fixar-se num lugar. “Deus está em mim e Ele me ama, e quer revelar-se a mim” (Pe. Oscar
Müller) – vai contemplando até que Deus ocupe o seu lugar.

 ORAÇÃO VOCAL
• “Deus fala ao homem por sua palavra” (CIC 2700)
• É por palavras, mentais ou vocais que nossa oração cresce. Mas, o mais importante é a presença do
coração daquele a quem falamos na oração.
• A oração vocal é um dado importante, indispensável na vida cristã. Exemplo: quando os discípulos
aprendem do mestre o “Pai Nosso”.
• A oração vocal é a primeira forma de oração contemplativa.