Sunteți pe pagina 1din 171

ELEMENTOS DE CONTABILIDADE GERAL & CUSTOS

PARTE I

HISTÓRIA, CONCEITOS CONTÁBEIS, CONTABILIDADE, OBJETO, CAMPO, FINALIDADE E TÉCNICAS UTILIZADAS PARA ATINGIR SUA FINALIDADE

Fra Luca Pacioli, Frade Franciscano , Matemático e Astronômo, ao lado de Leonardo da Vinci em Firenze – Itália na metade final do século XV, participaram da realização de várias obras em conjunto, principalmente, escritos, tratados ligados a geometria, cálculos proporcionais e outros, durante até mesmo o Renascimento Italiano. Entre eles o “ Divina

Proportione”. Após esta publicação Fra Luca Pacioli em especial,

de ciências matemáticas entitulada “ Summa di arithmetica, geometrica, proportione, et proportionalita” , escreveu a mesma em um misto de latin – italiano e grego , no qual tratava de aritmética e álgebra elementos esses, utilizados pelos mercadores, principalmente Venezianos que em suas negociações comerciais envolviam comparações entre moedas, pesos e medidas entre os vários feudos na Itália e Europa em Geral.

Nesta enciclopédia matemática conhecida como la Summa, em um capitulo em especial XI - Tractatus de computis et scripturis, esta apresentado pela primeira vez, de um modo sistemátizado o que conhecemos hoje como conceitos básicos de contabilidade, das partidas dobradas , do débito e crédito, do inventário e balanço. Certamente já havia estes conceitos de forma empírica sendo utilizados pelos mercadores Venezianos, principalmente no que se referia a negócios. Na verdade, Fra Luca em um dos seus primeiros empregos antes de ser Frade, trabalhava para um famoso comerciante Veneziano que reconhecera seus dotes matemáticos e o trouxe para Veneza onde estudou matemática através da astrologia e ciências humanísticas, mesmo porque na época as ciências elevavam a alma a Deus. Só a partir desses fatos é que Pacioli decide ordenar-se na Igreja Católica e lecionar matemática em várias cidades da Itália, trabalhando com importantes nomes da Cultura Mundial do período e que após participaram do Renascimento Italiano. Contasse que ele até mesmo foi convidado, por um Papa para tomar conta de um Convento localizado numa pequena cidade italiana, próximo a Roma. Para aceitar tal incumbência solicitou do Sumo Pontífice uma lista de tudo que pertencia ao convento. A lista lhe foi fornecida e continha as seguintes informações:

publicou uma enciclopédia

Valores a receber

4000,00

Convento (casa)

7000,00

Valores a pagar

2000,00

Caixa

2000,00

De posse dessas informações, o Frei Luca começou a refletir sobre o significado daquela lista. Logo percebeu que aquela lista continha os valores de todos os Bens, Direitos e Obrigações do Convento e que por conseqüência se subtraísse todos os bens mais os direitos das obrigações obteria os recursos líquidos disponíveis do Convento os quais poderia contar para realizar investimentos de melhoria . Dessa forma ele chegou a um dos conceitos mais importantes da Contabilidade que é o patrimônio. Após percebermos como Frei Luca Pacioli, investigou e constatou um dos principais conceitos contábeis, está na hora de conhecermos outros conceitos muito importantes para a ciência contábil em seus estudos da administração do patrimônio. A contabilidade é a ciência que estuda, controla, registra, analisa e interpreta os fatos ocorridos no patrimônio das entidades, mediante o registro, a demonstrações expositivas e a revelação desses fatos, com o fim de oferecer informações sobre a posição do patrimônio, suas variações e o resultado econômicas decorrente da gestão da riqueza patrimonial.

Segundo Hilário Franco ‘ como o simples registro dos fatos não é elemento suficiente de informação, a contabilidade reúne os fatos registrados, também segundo procedimento próprio,

em demonstrações expositivas, que recebem a designação genérica de demonstrações contábeis e denominações especificas de inventários, balanços patrimoniais, demonstrações de resultado, de lucros acumulados, de fluxo de caixa e variações do patrimônio liquido, bem como notas

explicativas’.

O objeto da contabilidade é o patrimônio, que a contabilidade estuda, analisa e controla,

registrando e informando, através de demonstrações contábeis. Seu campo de atuação são os atos e fatos ocorridos das entidades econômico- administrativas sejam de fins lucrativos ou não e sua finalidade. Sua finalidade é assegurar o controle do patrimônio administrado e fornecer informações sobre a composição e as variações patrimoniais, bem como o resultado das

entidades econômicas desenvolvidas pela entidade para alcançar seus fins, que podem ser

lucrativos ou meramente ideais (sociais, culturais, esportivos, beneficentes

).

As técnicas de que a Contabilidade se utiliza para atingir seus objetivos são;

- registro dos fatos escrituração

Segundo Hilário Franco a escrituração contábil é ‘ o registro dos fatos que ocorreram no patrimônio da entidade. Esse registro é feito em ordem cronológica, o que dá a contabilidade a característica de verdadeira história do patrimônio empresarial. ‘

- demonstração expositiva dos fatos-demonstrações contábeis

As demonstrações contábeis são demonstrações expositivas da situação econômico- financeiro da entidade. Ainda segundo Franco ’quando as demonstrações contábeis têm em vista a exposição dos componentes patrimoniais, recebem, portanto o nome de Balanço Patrimonial, quando visam demonstrar o resultado econômico, se chama de demonstração do resultado, quando demonstram a situação de liquidez de caixa, chamam-se de demonstração do fluxo de caixa e assim por diante

- confirmação dos registros e demonstrações contábeis - auditoria Contábil

Utiliza-se na Ciência contábil também uma técnica com o fim de confirmar a exatidão dos registros das demonstrações contábeis, cuja atividade somente é restrita aos Bacharéis em ciências contábeis.

- análise e interpretação de balanços. -análise de balanços.

A análise de balanços é uma técnica contábil que permite decompor, comparar e interpretar o conteúdo das contas, fornecendo informações analíticas e úteis não somente a administradores, mas também com aqueles que este mantém relações negocia.

A análise de balanços nos possibilita, por exemplo, informar:

I. Capacidade de pagamento das empresas.

II. Poder de ganho das empresas.

III. Rentabilidade do capital dos acionistas.

IV. Eficiência em gerar rentabilidade a partir de recursos de terceiros.

V. Utilização de recursos de terceiros de curto prazo financiando ativo permanente.

PATRIMÔNIO

É o conjunto de bens B, direitos D e obrigações O, avaliáveis em moeda corrente, vinculados a uma pessoa física ou jurídica. Segundo Hilário Franco o patrimônio também é

definido “como um conjunto de bens econômicos, ou conjunto de bens com um fim específico que irá gerar riqueza”.

B + D = Patrimônio Bruto ( tudo que tenho )

B + D - O = Patrimônio Líquido ( tudo que tenho - o que devo ), ou Situação

Liquida Patrimonial

BENS ( ATIVO )

É toda coisa suscetível de avaliação monetária, que tem a qualidade de satisfazer uma necessidade humana.

Bens Tangíveis ou Corpóreos e Intangíveis ou Incorpóreos

Os bens podem ser:

Tangíveis/corpóreos/ Materiais ( tem como característica básica sua própria existência, são bens materiais).

Dividem-se em móveis e imóveis .

Móveis

veículos,

ferramentas, máquinas, móveis e utensílios etc

Imóveis

terrenos,

prédios, casas etc

Intangível/ incorpóreo / Imateriais ( a principal característica de um bem intangível é a sua inexistência como coisa, portanto, é um bem imaterial).

Ex.

Marcas e Patentes, Direitos Industriais, royalties, Fundo de Comércio, Direitos Autorais

etc

 

DIREITOS

( ATIVO )

São créditos que a empresa possui de terceiros. São valores representados por títulos de créditos que o titular do patrimônio receberá de terceiros.

Ex: duplicatas a receber ( Clientes ), notas promissórias a receber , Adiantamentos a funcionários e fornecedores, Impostos a recuperar/ compensar, outros títulos a receber participação em outras empresas / Empresas coligadas e Controladas etc

OBRIGAÇÕES ( PASSIVO )

São as dívidas que a empresa possui para com terceiros. São compromissos assumidos pela empresa em pagar alguém em determinada data.

Ex: duplicatas a pagar ( Fornecedores ), salários a pagar, impostos a recolher,Empréstimos Bancários, Adiantamento de clientes, financiamentos de curto e longo prazos obtidos junto a Instituições Financeiras etc

OBSERVAÇÃO: A maioria dos valores que representam direitos são denominados contabilmente seguidos da expressão a receber; bem como, a maioria dos valores representativo de obrigações são seguidos da expressão a pagar. Entretanto, pode haver exceções, como no caso das contas Clientes e Fornecedores, que representam um direito e uma obrigação,

respectivamente. Há também casos que em que obrigações tributárias são seguidas da expressão a recolher.

PATRIMONIO LIQUIDO OU SITUAÇÃO LIQUIDA PATRIMONIAL

O patrimônio liquido representa a situação liquida da empresa, sempre que houver ATIVOS TOTAIS maiores que PASSIVOS TOTAIS, sobrarão recursos para a empresa, ou seja, sempre que o total dos Bens e Direitos for maior que as Obrigações, teremos Patrimônio Liquido.

O Patrimônio Liquido pela Lei 6404/76 é composto pelo seguinte grupo de contas:

Capital Social Representa os recursos dos sócios ou acionistas da empresa, realizados ou a realizar.

Reservas Representam parte dos Lucros da empresa retidos com uma finalidade, podendo a

ou reavaliação conforme estudaremos mais

mesma ser Legal, Estatutária, por contingência, adiante.

Lucros ou Prejuízos Acumulados Como a própria conta é chamada representa os lucros ou prejuízos que vem se acumulando ao longo do tempo da administração do patrimônio empresarial. A partir da MP 449 convertida na Lei nº 11.491, de 2009 o Patrimônio Liquido ficou assim subdividido:

Patrimônio Líquido

- capital social

- reservas de capital

- ajustes de avaliação patrimonial

- reservas de lucros

- ações em tesouraria

- prejuízos acumulados

CAPITAL

Capital é todo bem capaz de produzir riquezas, renda ou utilidade, isto é, representa bens capazes de produzir outros bens.

Na Ciência Econômica, Capital é um dos fatores produtivos mais importantes, porque junto aos demais fatores de produção são responsáveis pela aceleração da acumulação capitalista no sentido mais amplo da palavra. Karl Marx em seu livro DAS KAPITAL ( O capital ), já percebia a importância do capital como cerne do sistema capitalista e só ele levaria as economias a acumulação de capital necessária ao crescimento econômico.

Sob o ponto de vista contábil, o termo " capital " pode encontrar vários sentidos. Desde dinheiro em numerário, até máquinas e equipamentos etc

Capital Próprio

É a diferença entre o Ativo ( que são todos os bens e direitos da empresa ) e o Passivo (representando todas as obrigações da empresa) , abrangendo o capital inicial e suas variações, ou seja o ( PATRIMÔNIO LIQUIDO ), com a subtração ou soma do prejuízo ou lucro acumulado ao longo do tempo.

Capital de Terceiros

Este capital corresponde ao montante das dívidas, ou seja, as obrigações da empresa. O capital de Terceiros é representado pelo total do ( PASSIVO ), baseado em fornecedores, credores, instituições financeiras e tributos a recolher e outras contas a

Logo : PASSIVO (CAPITAL DE TERCEIROS) e PATRIM. LÍQUIDO (CAPITAL PRÓPRIO)

CAPITAL SOCIAL NO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

O Capital Social, quando da representação no Balanço Patrimonial, assume diversas nomenclaturas, as quais representam suas situações peculiares.

Segundo o site http://pt.wikipedia.org/wiki/Capital_social_(contabilidade):

“O capital social, financeiramente ou contabilmente conceituando, é a parcela do patrimônio líquido de uma empresa ou entidade que represente investimento na forma de ações (se for sociedade anônima) ou quotas (se for uma sociedade por quotas de responsabilidade limitada) efetuado na companhia pelos proprietários ou acionistas, o qual abrange não somente as parcelas entregues pelos acionistas, mas também os valores obtidos pela empresa e que, por decisão dos acionistas ou proprietários, são incorporados no capital social.”

CAPITAL NOMINAL E À DISPOSIÇÃO DA EMPRESA

Segundo IUDÍCIBUS (1996,), a saber:

a) capital nominal: investimento inicial feito pelos proprietários de uma empresa que é

registrado pela contabilidade numa “conta” denominada

b) capital. Este o capital nominal, que corresponde ao patrimônio líquido inicial. O capital

nominal só será alterado quando os proprietários realizarem

c) investimentos adicionais (aumentos de capital) ou desinvestimentos (diminuições de capital).

d) capital total à disposição da empresa: em acepção mais ampla, pode-se conceituar o capital

como sendo o conjunto dos valores disponíveis pela empresa em dado momento.

CAPITAL

SOCIAL

NAS

S/A

E

O CAPITAL

SOCIAL

E

A

FORMAÇÃO

DE

RESERVAS

Sugerimos

a

leitura

do

material

anexo

em

nosso

site

que

trata

do

assunto

detalhadamente, conforme legislação em vigor 2009.

Resumo prático dos Conceitos de Capital Social

Capital Social Autorizado :

Contém, no estatuto, disposições autorizando o aumento de capital até certo teto ( capital autorizado ), sem necessidade de anuência da Assembléia Geral

Capital Social Subscrito :

É a parte do capital autorizado que encontra colocação, isto é, que encontrou quem se comprometesse a entregá-lo à empresa, na qualidade de sócio.

Capital Social não-subscrito:

Corresponde à parcela do capital autorizado que não foi colocado em circulação, por vontade própria ou por não Ter encontrado interessado.

Capital Social realizado :

É o valor efetivamente entregue pelos sócios para cumprimento total ou parcial da obrigação assumida quando da subscrição.

Capital Social não-realizado:

Corresponde à parte da obrigação oriunda da subscrição de Capital Social ainda não cumprida pelos sócios.

EXEMPLO:

CAPITAL AUTORIZADO:

15.000,00

(-) CAPITAL NÃO-SUBSCRITO

5.000,00

CAPITAL SUBSCRITO

10.000,00

(-) CAPITAL NÃO REALIZADO

3.000,00

CAPITAL REALIZADO

7.000,00

LANÇAMENTOS CONTÁBEIS:

Na abertura de uma empresa LTDA.

Debitasse - CAPITAL SOCIAL A REALIZAR

Creditasse - CAPITAL SOCIAL

Na realização do capital

Debitasse - CAIXA/BCO/IMÓVEIS/MÓVEIS

Creditasse - CAPITAL SOCIAL A REALIZAR

De forma direta:

Debitasse - CAIXA

Creditasse - CAPITAL SOCIAL

O Capital Social são também os Recursos disponibilizados pelos sócios ou acionistas quando da abertura da empresa ou durante suas atividades são alterados via alteração do contrato Social da Empresa Ltda, ou Estatuto Social quando da Sociedade Anônima .

Na Empresa Ltda, o Capital Social é divido em cotas de participação entre os sócios.

Na Empresa S/A ( Aberta = aquela que possui ações negociadas em Bolsa , Fechada = aquela que as ações não são negociadas em Bolsa ) o capital social é dividido em ações de dois tipos, que podem ser :

ON = Ordinárias Nominativas = Direito a Voto na Assembléia de Acionistas e ainda recebe dividendo +/- valorização da ação no Mercado de Capitais

PN = Preferenciais Nominativas = Direito a Dividendos +/- valorização da ação no Mercado de Capitais

Dividendos = Lucro Liquido divido pelo numero de ações.

OBSERVAÇÃO Não existe um valor mínimo, nem máximo para alocação do capital Social na Empresa podendo ser de zero positivo a infinito, podendo também ser colocado em bens, direitos a vista ou ao longo do tempo.

DIFERENÇA ENTRE CAPITAL E PATRIMONIO

A diferença básica conforme podem observar nos conceitos é que o patrimônio é o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma entidade e o capital é todo recurso da empresa capaz de gerar mais recursos, podendo o mesmo ser bens, direitos e qualquer coisa que gere riqueza a entidade.

ASPECTOS DO PATRIMÔNIO

O patrimônio do ponto de visto contábil pode ser visto sob dois aspectos de interesse:

Aspecto Qualitativo Consideram as espécies dos elementos que compõe o patrimônio do ponto de vista da discrição contábil das contas através de nominação aos Bens, Direitos, Obrigações e contas do Patrimônio Liquido

Ex. veículos , máquinas, dinheiro, caixa, Banco, Empresas Coligadas e Controladas, Fornecedores, contas a pagar, Impostos a recolher/ compensar etc

Aspecto Quantitativo Considera o valor monetário ( em moeda nacional ), atribuído as contas contábeis reconhecidas pelo método Qualitativo dos componentes do patrimônio.

EX: veículos

R$ 5.000.00

máquinas R$ 8.000,00

dinheiro

R$ 3.000,00

OBS: O patrimônio é representado graficamente pelo Balanço Patrimonial, que logo em seguida iremos estudar.

ÁLGEBRA CONTÁBIL

Podemos aqui referir-nos a uma álgebra simples para poder explicar a lógica do patrimônio administrado de uma entidade, baseado no método algébrico criado por Fra Luca Pacioli na Italia século XV, citado em sua “ Summa “no capitulo XI, reescrito pelo Serviço Italiano de Economia Tributária. A lógica racional se refere ao Método Italiano de ontabilidade, utilizado hoje mundialmente e que dá a base do chamado “ “Método das Partidas Dobradas”.

A seguir apresentaremos a lógica algébrica da contabilidade e que nos remete tanto ao “ “Método das Partidas Dobradas”, mas principalmente neste caso a “ Equação Fundamental da

Contabilidade” a qual demonstra os alicerces da metodologia da Contabilidade. seguinte:

BENS + DIREITOS = ( PATRIMÔNIO BRUTO )( TUDO QUE TENHO )

OBRIGACÕES = ( TUDO QUE DEVO )

BENS + DIREITOS - OBRIGACÕES = ( PATRIMONIO LIQUIDO ), ou seja, ( TUDO QUE TENHO - TUDO QUE DEVO ) = Situação Liquida Patrimonial , ou seja o que sobra para os sócios ou acionistas da Empresa DA EQUACÃO DE EQUILIBRIO DE 1º GRAU VEM:

Observe o

BENS E DIREITOS ( COISA POSITIVA ) ( tudo que tenho )

OBRIGACÕES ( COISA NEGATIVA )

( tudo que devo )

BENS + DIREITOS = PATRIMÔNIO BRUTO

BENS + DIREITOS - OBRIGACÕES = PATRIMÔNIO LIQUIDO

BENS + DIREITOS

=

PATRIMÔNIO LIQUIDO + OBRIGACÕES

ATIVO

=

P. LIQUIDO

+

PASSIVO

Observe que do desdobramento da equação patrimonial, obtemos a equação fundamental da contabilidade e que abaixo transcrevemos:

ATIVO = PASSIVO + PATRIMÔNIO LIQUIDO – Equação fundamental da Contabilidade +

=

-

Débito

=

Crédito

A partir da equação fundamental da contabilidade podemos interpretar o que mais adiante estudaremos como o “método das partidas dobradas”, onde o débito ( parte positiva ) representa as aplicações de recursos e o crédito ( parte negativa ) as Origens de Recursos .

REPRESENTAÇÃO GRAFICA DOS ESTADOS PATRIMONIAIS

Em uma Empresa podemos ter três situações financeiros Líquidas do Patrimônio administrado :

Situação I

TOTAL DO ATIVO > TOTAL DO PASSIVO

= SITUAÇÃO POSITIVA

A situação financeira POSITIVA representa que a empresa possui mais ativo que passivo, logo tem mais bens e direitos que obrigações a pagar a terceiros, sobrando assim recursos para formar o Patrimônio Liquido que poderão ser distribuídos aos sócios e acionistas.

EXEMPLO

BALANÇO PATRIMONIAL

CASO

I

ATIVO

PASSIVO

 

TOTAL

DO

PASSIVO R$ 800,00 PATRIM. LIQUIDO R$ 200,00

TOTAL

R$

TOTAL

R$

1000,00

1000,00

Situação II

TOTAL ATIVO < TOTAL PASSIVO DESCOBERTO

= SITUAÇÃO NEGATIVA OU PASSIVO A

A situação financeira NEGATIVA representa que a empresa possui menos ativo que passivo, logo tem menos bens e direitos do que obrigações a pagar a terceiros, necessitando a mesma de recursos para poder seguir operando, não sobrando recursos para serem distribuídos aos sócios e acionistas. Geralmente nesta fase as empresas solicitam a concordata.

EXEMPLO

BALANÇO PATRIMONIAL CASO II

PASSIVO

A

 

DESCOBERTO

PASSIVO

 

R$ 200,00

ATIVO TOTAL DO ATIVO R$ 800,00

TOTAL DO PASSIVO R$ 1.000,00

TOTAL R$ 1000,00

TOTAL

R$ 1000,00

Situação III

ATIVO = PASSIVO

= SITUAÇÃO NULA, ou seja, não há patrim.liquido.

Neste caso tudo que a empresa possui de bens e direitos ela deve a terceiros, não há capital aos sócios e acionistas.

Exemplo

BALANÇO PATRIMONIAL CASO III

ATIVO

PASSIVO

 

TOTAL DO PASSIVO R$ 1.000,00 PATRIM. LIQUIDO

TOTAL R$ 1000,00

TOTAL

R$ 1000,00

BALANÇO PATRIMONIAL Demonstração Contábil lei 6.404/76

O Balanço Patrimonial, utilizando a moeda nacional como padrão de medida, demonstra a situação patrimonial de uma Empresa com ou sem fins lucrativos em determinado momento, apresentando o ATIVO, o PASSIVO e o PATRIMONIO LIQUIDO, sempre sob valores históricos, ou seja, valor da época do lançamento tem os seguintes grupos de contas básicas em seu conteúdo, conforme abaixo apresentamos em seu gráfico aplicado e os conceitos das contas principais conforme adiante estudaremos:

BALANÇO PATRIMONIAL

ATIVO

PASSIVO

TOTAL DO PASSIVO

PATRIM. LIQUIDO

TOTAL

TOTAL

ATIVO

É o conjunto de bens e direitos da entidade. São os itens positivos do patrimônio e sempre

irão ter um saldo de natureza devedora, a menos que a conta seja redutora, como por exemplo, as duplicatas descontadas, créditos de liquidação duvidosa, depreciações/ exaustões e

amortizações acumuladas e outras

Por convenção todos os elementos do ativo, acham-se discriminados no lado esquerdo do balanço patrimonial. Também conhecido como Patrimônio Bruto, ou financeiramente representa as Aplicações de Recursos da Empresa.

cujos saldos são credores.

PASSIVO

São as obrigações, isto é, as quantias que a entidade deve a terceiros.São as dívidas da Empresa., representando os Capitais de Terceiros e Origens de Recursos.

Por convenção, todos os elementos do Passivo, estão discriminados no lado direito do balanço patrimonial e tem uma natureza credora em seu saldo contábil.

PATRIMONIO LIQUIDO

É a diferença entre o ATIVO e o PASSIVO de uma entidade, em determinado momento. É

o quarto grupo dos elementos patrimoniais que juntamente com os bens, direitos e obrigações completará a demonstração contábil, denominada BALANÇO PATRIMONIAL. As contas do Patrimônio Liquido terão por natureza sempre o saldo Credor, salvo os casos de contas redutoras com saldo devedor,por reduzirem estas contas que é o caso por exemplo das contas de Ações em Tesouraria, Capital Social a realizar.

Capital Social são os recursos disponibilizados pelos sócios ou acionistas ao longo do tempo em uma empresa. O Capital Social será reduzido pelas contas de Ações em Tesouraria e Capital Social a realizar, pois as ações foram recompradas no Mercado Financeiro e colocadas no Caixa, portanto reduzindo as ações emitidas pelo Capital Social.

Reservas (é a parte do lucro liquido que por força de lei, estatuto é formado para um determinado fim.)

Lucros ou Prejuízos Acumulados = Lucro ou Prejuízo que vem se acumulando ao longo da existência da empresa.

O Patrimônio Líquido representa os valores que efetivamente pertence à empresa. Se somarmos tudo que a empresa tem (bens+direitos) e subtrairmos o que ela deve (obrigações) encontraremos o seu patrimônio liquido, ou situação liquida patrimomial. Atribuindo-se valores aos bens, direitos e obrigações poderão analisar qual a situação de determinado patrimônio, onde se conclui que:

Se a parte positiva for maior que a negativa, teremos patrimônio positivo. Os bens e direitos superam suas dividas.

Se a parte positiva for igual à parte negativa não teremos patrimônio positivo, pois os bens e direitos gravados em tal patrimônio estão comprometidos com as obrigações.

Se a parte positiva do patrimônio for menor que a parte negativa, teremos patrimônio negativo.

IMPORTANTE:

A>P

patrimônio positivo

A=P

nulo

A<P

patrimônio

negativo ( passivo a descoberto )

O ativo representa os capitais aplicados pela empresa em bens e direitos , e o passivo representa os capitais de terceiros, ou seja , origem de recursos e o Patrimônio Liquido representa os capitais próprios da empresa.

CLASSIFICAÇÃO DAS CONTAS E SUBCONTAS NO BALANÇO PATRIMONIAL Segundo Lei 6404/76

Ativo Representam os Bens e Direitos da Entidade, as Aplicações de Recursos da Empresa, O Patrimônio Bruto ou tudo que a Empresa possui. Circulante - recursos de volatilidade, que entram e saem formando o capital de giro da empresa. Estão aqui dentro as contas de Disponível e Créditos. Disponível Capitais de alta circulação de Curto Prazo para recebimento e com facilidade de acesso, como capitais em Caixa, Bancos, Aplicações Financeiras de Curto Prazo etc Créditos. São recursos um pouco menos disponíveis que caixa, bancos e aplicações, pois demandam mais tempo para seu recebimento, aqui estão contas como: Estoques, Duplicatas a receber, cheques pré-datados a receber, os créditos tributários, adiantamentos a diretores, fornecedores e outros

Realizável a Longo Prazo Assim como o Circulante, porém com prazo superior a 365 após o levantamento do Balanço para seu recebimento. Exemplo. Cheque a receber com prazo superior a 365 dias para seu efetivo recebimento. Ativo Permanente – Aqui estão todas as contas que irão gerar recursos operacionais para empresa, são recursos que irão permanecer no Longo Prazo para gerar a atividade fim da empresa. São contas do Permanente: Os Investimentos, Imobilizado e Diferido.

Investimentos São contas que representam capitais de Longo Prazo, geralmente as participações em outras empresas (coligadas e controladas), bem com, investimentos em ações (ON), Ordinárias Nominativas e aplicações em obras de arte e outros que não possuem a intenção de venda no curto prazo. Imobilizado São todos os recursos aplicados em bens tangíveis e intangíveis da empresa, que não possuem a intenção de venda e sim de geração de caixa, através da operação da empresa, bem como, aplicação em bens e garantia de capital. Estas contas possuem a característica de ser depreciadas ou exauridas ao Longo do tempo, aqui você encontrará as contas de depreciações e exaustões acumuladas que são contas redutoras da conta principal do bem. Exemplo:

Veículos R$ 100,00 (-) Depreciação acumulada sobre veículos R$ 50,00 Diferido Representa as contas de despesas, cuja geração de caixa é futura, no Longo Prazo, caracterizando-se como investimentos do negócio. Exemplo:

Gastos pré-operacionais, Desenvolvimento de novos produtos, pesquisas cientificas.

Passivo Representa todos os capitais de Terceiros aplicados em nossa empresa (obrigações) Circulante Representa todas as obrigações de Curto Prazo da empresa, como : Fornecedores, Contas a pagar, Impostos a recolher, Obrigações em geral a pagar com prazo de até 365 dias para seu efetivo pagamento. Exigível a Longo Prazo Representa as obrigações com mais de 365 dias para o efetivo pagamento.

Patrimônio Liquido Representam todos os recursos Próprios da Empresa, podendo ser subdividido em Capital Social, Reservas e Lucros e Prejuízos acumulados.

ALTERAÇÕES CONTIDAS DA Lei nº 11.491, de 2009

Alterações constantes do Balanço Patrimonial das Empresas S/A, visando basicamente aproximar-se das Normais Internacionais de Contabilidade. Quanto ao Balanço Patrimonial vamos inicialmente partir de uma comparação do mesmo antes e depois da Lei nº 11.491, de

2009.

ATIVO LEI 6404/76

ATIVO na Lei nº 11.491, de 2009

Ativo Circulante

Ativo Circulante

Ativo Realizável a Longo Prazo (ARLP)

Ativo Não- Circulante

Ativo Permanente

- Ativo Realizável a Longo Prazo (ARLP)

- Investimentos

- Investimentos

- Imobilizado

- Imobilizado

- Intangível

- Intangível

- Diferido

O Ativo passou a ter somente dos grupos de Contas: Ativo Circulante e não-circulante.

O grupo Permanente deixou de existir. O ARLP de grupo, virou subgrupo do Ativo Não-

Circulante!. A maior alteração foi à extinção do subgrupo Diferido, que tinha a finalidade de contabilizar as despesas com gastos pré-operacionais, bem como gastos com desenvolvimento e pesquisas de novos produtos, e diluir esses gastos no Longo prazo conforme seus projetos de investimento. Caso as empresas tenham ainda classificadas tais despesas no Diferido, após a edição da MP, podem deixa – lá no Ativo Não-Circulante, até que sejam totalmente amortizadas.

A seguir apresentamos as alterações no Passivo do Balanço Patrimonial, antes e depois da na Lei nº 11.491, de 2009

PASSIVA LEI 6404/76

PASSIVO na Lei nº 11.491, de 2009

Passivo Circulante

Passivo Circulante

Passivo Exigível a Longo Prazo (PELP)

Passivo Não- Circulante

Resultado dos Exercícios Futuros (REF)

Patrimônio Líquido

Patrimônio Líquido

- capital social

- capital social

- reservas de capital

- reservas de capital

- ajustes de avaliação patrimonial

- ajustes de avaliação patrimonial

- reservas de lucros

- reservas de lucros

- ações em tesouraria

- ações em tesouraria

- prejuízos acumulados

- prejuízos acumulados

Passivo tivemos a extinção do grupo de contas do Passivo Exigível a Longo

Prazo o qual foi substituído pelo Passivo Não- Circulante, portanto todas as obrigações das empresas cujo vencimento seja após o exercício seguinte, deverão ser classificadas como não- circulantes.

Já no

A segunda e última mudança no Passivo foi a mais lógica! O grupo extinto Resultado

dos Exercícios Futuro, famoso “REF”, era previsto na Lei das S/A para classificar as contas que representavam recebimentos de receitas que ainda seriam realizadas (receitas antecipadas),

atendendo o princípio da Competência; entretanto a doutrina contábil interpretava que naquele grupo, somente deveriam ser classificadas as receitas antecipadas que a empresa não teria a obrigação de devolução, casos raríssimos na Contabilidade, o exemplo clássico eram os “Aluguéis Recebidos Antecipadamente deduzidos de seus custos de locação”. Na prática pouquíssimas empresas utilizavam esse grupo, basta observar os balanços publicados nos meios

de comunicação.

Com a saída do REF, toda e qualquer receita antecipada deverá ser classificada no Passivo Circulante ou Passivo Não-Circulante, conforme o prazo de realização. Se houver saldo remanescente no REF de receitas antecipadas, após a edição da MP, estas deverão ser remanejadas para o grupo do Passivo Não-Circulante.

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO Lei 6404/76

Amigos, até aqui estudamos as contas patrimoniais, ou seja, aquelas que estão envolvidas no Demonstrativo Contábil chamado, Balanço Patrimonial e que o mesmo envolve as contas de BENS E DIREITOS ( ATIVO ), OBRIGAÇÕES ( PASSIVO) e PATRIMONIO LIQUIDO. Agora estudaremos outro Demonstrativo Contábil importantíssimo para a apresentação da administração da empresa, que se chama Demonstração do Resultado do Exercício, demonstração essa que veremos nos apresenta o resultado da administração do patrimônio, através da realização do Lucro, Prejuízo ou Nulidade, esta demonstração está baseada no estudo das Contas contábeis de RECEITAS E DESPESAS que abaixo conceituamos.

DESPESAS

É o consumo de bens ou serviços utilizados pela empresa para a manutenção de suas atividades. A despesa deverá ser registrada por ocasião do consumo dos bens ou serviços utilizados pela empresa para a manutenção, independentemente de seu efetivo pagamento, isto no regime de escrituração de competência para empresas privadas que logo adiante iremos discutir. Sua natureza de saldo é devedor a menos que exista alguma reversão, ou ajuste da conta. Exemplo de contas de despesa. : Salários, gastos com condução, alimentação, transporte, encargos sociais sobre salários, custo dos estoques, despesas com vendas, juros pagos. etc

Lembre-se que uma conta de despesa ainda não paga está a pagar portanto é obrigação, ou seja, Passivo.

RECEITAS

São valores que a empresa gera, como fonte de recursos financeiros, para atender aos seus gastos e manter as suas atividades, sua natureza de saldo é credor, não podendo a mesma ser debitada a menos que esteja sofrendo ajustes ou correções.

Existem receitas realizadas com recebimento à vista Existem receitas realizadas com recebimento para datas posteriores.

Exemplo: Venda de Mercadorias, Venda de serviços prestados, juros recebidos, venda do ativo Imobilizado etc

O confronto entre Receitas e Despesas estará contido na DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO, segundo a lei 6404/76, sendo esta outra Dem. Contábil Obrigatória às S/As.

RESULTADOS ECONÔMICO FINANCEIROS NA DEM. DO RESULTADO

Se tivermos RECEITAS > DESPESAS então teremos lucro nas empresas privadas / superávit nas empresas estatais

Se tivermos

déficit nas empresas estatais

RECEITAS

< DESPESAS então teremos prejuízo nas empresas privadas /

Superávit / déficit acontece somente nas empresas que não tem por fim a atividade lucrativa e sim beneficente ou empresas do Governo mistas ou não.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE : O RESULTADO DO DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS , SEJA LUCRO OU PREJUIZO LIQUIDO NO EXERCÍCIO DEVERÁ SER ADICIONADO ( CASO DE LUCRO ), OU SUBTRAIDO ( CASO DE PREJUIZO ) DA CONTA LUCROS OU PREJUIZOS ACUMULADOS DO PATRIMONIO LIQUIDO DO BALANÇO PATRIMONIAL DO PERIODO REFERENTE,. DEMONSTRANDO ASSIM A SITUAÇÃO LIQUIDA PATRIMONIAL DA EMPRESA, ATRAVÉS DOS AUMENTOS OU DIMINUIÇÕES DO PATRIMONIO LIQUIDO.

CLASSIFICAÇÃO DAS CONTAS DA DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO , conforme lei 6404/76.

Receita de Vendas Composta por todas as vendas a vista, a prazo e a termo da empresa (-) Deduções de Vendas Abatimentos s/ vendas, ICMS s/ vendas, IPI s/ vendas, Devoluções de Vendas, impostos Proporcionais a Venda COFINS e PIS (=)Rec. Liquida de Vendas Diferença entre Receita de Vendas e Deduções de Vendas (-)CMV Custo da Mercadoria Vendida (=) Lucro Bruto Diferença entre Rec. Liquida de Vendas e CMV (-) Despesas Operacionais São aquelas despesas que fazem parte do negócio da empresa, podendo ser subdivididas em Despesas Administrativas, Pessoal, Vendas Gerais e Tributárias( Observe que houve o lançamento de impostos na conta de dedução de vendas, impostos estes que estavam contidos em nota fiscal, aqui lançamos os demais impostos que a empresa pagou como por exemplo Imposto de renda pessoa Física, Imposto Territorial Rural, IPTU etc (=) Lucro ou Prejuízo Operacional Diferença entre Lucro Bruto e Despesas Operacionais (+) (-) Receitas/Despesas não operacionais Receitas e despesas que não vem fazer parte do negócio fim da empresa, como por exemplo contas de juros pagos e ou recebidos, pois se nossa empresa não é um Banco quando receber juros ou pagá-los deverá aqui lançar pois estas receitas e despesas não fazem parte da atividade fim do negócio. (=) L.A.I.R. Lucro antes do Imposto de Renda e Contrib. Social (-) IR e C.S. (=) Lucro do Exercício

ALTERAÇÕES NA DEM. DO RESULTADO A PARTIR DA na Lei nº 11.491, de 2009

Quanto as alterações na Demonstração do Resultado do Exercício foram poucas uma vez que somente a conta de Receitas e Despesas Não Operacionais que antes na Lei 6404/76 deveria ser evidenciada com esta nomenclatura agora será “ Outras Receitas e Despesas “ e quanto a importância de que o Contabilista demonstre a mesma em seu final as distribuições dos Lucros obtidos e seus destinos” como por exemplo dividendos pagos, lucros distribuídos e assim por diante após o Imposto de Renda Pessoa Juridica e a Contrib. Social paga sobre o Lucro somente nos casos de Empresas tributadas pelo Lucro Real.

CONTAS

Sabemos que uma empresa possui uma estrutura contábil composta da seguinte forma:

Cada um dos itens que compõe o Patrimônio e o Resultado representa uma série de tipos de transações que a contabilidade deve registrar. Assim, temos fatos contábeis que envolvem movimentação de bens, direitos, obrigações, patrimônio liquido, despesas e receitas.

Esses grupos ( bens, direitos, obrigações, patrimônio liquido, despesas e receitas), são genéricos. Dentro de cada um deles se apresentam diversas espécies de transações específicas. Ex:

a) compra de uma máquina

b) depósito em c/c ( grupo dos direitos)

c) pagamento de salários

d) recebimento de juros

(grupo dos bens)

(grupo das despesas) ( grupo das receitas)

Se cada uma das transações mencionadas representa um fato contábil, de natureza distinta, conseqüentemente cada um deles deve ser registrado de forma individual, utilizando-se um título específico denominado conta.

CONTA É UM INSTRUMENTO UTILIZADO PELA TÉCNICA CONTÁBIL PARA REPRESENTAR A MOVIMENTAÇÃO DOS FATOS CONTÁBEIS. CADA CONTA CONSISTE NUM NOME QUE REPRESENTA A NATUREZA DO FATO CONTÁBIL, OU SEJA, A DENOMINAÇÃO DO BEM, DIREITO, OBRIGAÇÃO, DESPESA E DA RECEITA, BEM COMO DAS CONTAS DO PATRIMONIO LIQUIDO.

Utilizando os exemplos citados, podemos criar as seguintes contas representativas dos fatos individualmente:

Fato contábil

Nome da Conta

Compra de uma máquina depósito em conta corrente bancária Pagamento de salários recebimento de juros

maquinários Banco X c/c salários juros recebidos

O fato contábil é representado por uma conta, cujo título indica a sua natureza, um fato

contábil envolve sempre um débito e um crédito, uma partida e uma contrapartida. Portanto, para cada fato, sempre serão movimentadas pelo menos duas contas: uma para indicar o débito e

a outra , o crédito, ou a aplicação e origem dos recursos.

Saldo das contas:

O saldo de uma conta é a diferença algébrica entre os débitos e os créditos. Uma conta

pode apresentar : saldo positivo (+), saldo negativo(-), saldo nulo. Sabemos que, por convenção,

é atribuído ao débito um sinal positivo e ao crédito, um sinal Negativo dessa forma terá saldo credor ou devedor dependendo da soma algébrica entre as movimentações da conta. A existência de um saldo devedor ou credor depende unicamente do tipo de natureza do fato

contábil que a conta representa. Por Exemplo, a conta Caixa, que representa o dinheiro existente na empresa só pode possuir saldo devedor ou nulo nunca negativo ou credor. Nos livros contábeis, os débitos se inscrevem no lado esquerdo, e os créditos, no lado direito, quando da escrituração contábil, podem fazer vários lançamentos de débitos e créditos sob uma conta, porém ao finalizar os lançamentos, ao averiguarmos o saldo da mesma, devemos fazer pela diferença entre a soma dos débitos, menos a soma dos créditos, colocando o resultado final para o lado da conta que possui maior valor, podendo a mesma ser a débito ou a crédito. Segundo Fra Luca Pacioli, pode-se utilizar a figura T conforme abaixo, no sentido de organizar os lançamentos a débito, crédito e originar os saldos das contas, interessante é que este razão T como ele coloca lembra a Cruz de Cristo.

Débitos Créditos Agora observe o seguinte exemplo;
Débitos
Créditos
Agora observe o seguinte exemplo;

1 – Sócios disponibilizam 100,00 em caixa, o financeiro da empresa, pega 50,00 e paga taxas, bem como pega 10,00 para condução e após recebe 100,00 de clientes, como ficará o saldo da conta.

caixa

 

débito

crédito

100

50

 

10

 

100

total

200

60

saldo

140

CLASSIFICAÇÃO DAS CONTAS CONTÁBEIS

Contas Patrimoniais

Registram os fatos contábeis relativos ao patrimônio Bens, direitos , obrigações e Patrimônio Liquido e fazem parte do Demonstrativo Contábil - Balanço Patrimonial,. Exemplo

;

Caixa, Bancos, Aplicações, Clientes, Duplicatas a pagar, impostos a recolher, Capital social

etc

As contas patrimoniais dividem-se em contas do ativo saldo devedor e contas do passivo que devem possuir saldo credor, com exceção das contas redutoras que são aquelas que figuram com saldo contrário tanto no ativo como no passivo e sua finalidade é representar o valor liquido da conta principal.

Contas de Resultado

Registram os fatos contábeis relativos às Receitas possuem natureza credora e as Despesas possuem natureza devedora .

As contas que compõe este grupo são representativas da dinâmica operacional da empresa e servem para apurar o resultado obtido em um exercício. Dividem-se em dois grupos:

Receitas e Despesas e fazem parte do Demonstrativo Financeiro chamado de Demonstração do Resultado do Exercício. Estas contas em natureza de saldo devedor as de despesas e credor as de receitas.

Contas Redutoras ou Retificadoras

São aquelas que reduzem a conta principal, ou seja, possuem saldo invertido das contas principais , se a conta principal é débito essa será a crédito e vice-versa. As contas redutoras estão presentes no Balanço Patrimonial no Ativo, Passivo e Patrimônio Liquido.

Exemplos; Duplicatas Descontadas - ATIVO, Impostos sobre Compras - ATIVO, Resultado de Equivalência Patrimonial negativo- ATIVO, Amortizações, Depreciações e Exaustões Acumuladas- ATIVO, Ações em Tesouraria – PATRIMÔNIO LIQUIDO e Prejuízos Acumulados – PATRIMÔNIO LIQUIDO e outras que venham a reduzir contas do ativo passivo e patrimônio Liquido.

Exemplo de Lançamento de conta redutora participando de um Balanço Patrimonial

Ativo

Duplicatas a receber

( - ) duplicatas descontadas R$ 50.000,00

R$ 100.000,00

Neste caso o Balanço apresenta que a empresa possui R$ 100.000,00 reais a receber, porém já foram descontadas junto aos Bancos R$ 50.000,00, estando neste momento junto a empresa somente a diferença a receber ou seja R$ 50.000,00.

PLANO DE CONTAS

Cabe ao setor de contabilidade mais especificamente o Contador ou Técnico em Contabilidade elaborar um Plano de Contas , que será utilizado para o registro das operações da Empresa. Plano de Contas é uma relação de contas dispostas em ordem de classificação, segundo a natureza das operações, ou seja, por denominação do Bem, do Direito, da Obrigação, do Patrimônio Liquido e da Receita e Despesa.

A forma na qual estão dispostas as contas no Plano de Contas lembra a forma na qual estão dispostos os capítulos de um Livro,( olhe e perceba).

CODIFICAÇÃO DO PLANO DE CONTAS ou RUBRICAS CONTÁBEIS

As Contas Contábeis estão dispostas no Plano de Contas seguindo a lógica de uma codificação linear baseada em códigos numéricos ou alfa-numérico, dependendo da organização que der o Contabilista e a necessidade de prestação de contas das informações relativas ao patrimônio administrado. Logo podemos ter vários formatos para as contas de empresas no mesmo ramo e ou entre ramos diferentes de negócios. Observe abaixo como exemplo, a lógica mais utilizada atualmente:

1.

Ativo

1.1.Circulante

1.1.1.Disponível

1.1.1.1 Caixa

1.1.2.Créditos

2. Passivo

2.1. Circulante 2.1.1. Fornecedores

Observe que durante a a escrituração contábil por softwares é necessário sempre DEBITAR e CREDITAR as contas através de códigos que são o espelho das contas dispostas no Plano de Contas conforme a seguir iremos apresentar, mas um lançamento típico da contabilidade seria assim:

D- 2.1.1. Fornecedores cfe. Nf. 004 R$ 100,00 C- 1.1.1.1 Caixa R$ 100,00

Observe que o sistema funciona como se fosse uma biblioteca o código do caixa por exemplo é 1.1.1.1 ou seja o primeiro 1. Representa conta do ativo, depois 1. Representa as Contas do Circulante , a seguir a conta 1. As contas do Disponível que é um sub-grupo do Ativo Circulante e finalmente 1. Representa a cona caixa que esta dentro do Ativo, no Grupo Circulante e na Pasta do grupo disponível. Se observarmos o exemplo dos fornecedores teríamos o seguinte. 2.1.1 o Número 2 representa conta do Passivo, a seguir o numero 1 representa contas do grupo circulante e após o numero 1. Temos a conta fornecedores que está no Passivo Circulante. Entenderam é fácil observe abaixo o Plano de Contas e sua codificação.

PLANOS DE CONTAS JÁ ATUALIZADO SEGUNDO A LEI Lei nº 11.491, de 2009

1.

ATIVO

1.1

CIRCULANTE

1.1.1.

CAIXA

1.1.2

BCOS

1.1.3

APLICAÇÕES FINANCEIRAS

1.1.4

CLIENTES

1.1.5

(-) DUPLICATAS DESCONTADAS

1.1.6

OUTROS TITULOS A RECEBER

1.1.7

ADIANTAMENTOS DE SALÁRIOS

1.1.8

ADIANTAMENTOS DE VIAGENS

1.1.9

ESTOQUE

1.1.10

ESTOQUE INICIAL

1.1.11

COMPRAS DE MERCADORIAS PARA REVENDA

1.1.12

(-) DEVOLUÇÃO DE COMPRAS

1.1.13

(-) ICMS S/ COMPRAS

1.1.14

ICMS A RECUPERAR

1.1.15

I.R.R.F A RECUPERAR

1.2

NÃO CIRCULANTE

1.2.1

ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO

1.2.1.01

DUPLICATAS A RECEBER COM MAIS DE 1 ANO

1.2.1.02

GASTOS PRÉ-OPERACIONAIS

1.2.1.03

( - ) AMORTIZAÇÃO SOBRE GASTOS PRÉ-OPERACIONAIS

1.2.1.04

DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS E PESQUISAS

1.2.1.05

( - ) AMORTIZAÇÃO SOBRE DESENV. DE NOVOS PRODUTOS

1.2.1.06

SEGUROS PAGOS ANTECIPADAMENTE COM MAIS DE 1 ANO

1.2.2.

INVESTIMENTOS

1.2.2.01

PARTICIPAÇÕES COLIGADAS E CONTROLADAS

1.2.2.02

OBRAS DE ARTE

1.2.2.03

INVESTIMENTOS DE LONGO PRAZO

1.2.3

IMOBILIZADO

1.2.3.01

TERRENOS

1.2.3.02

PRÉDIOS

1.2.3.03

INSTALAÇÕES

1.2.3.04

VEÍCULOS

1.2.3.05

MINAS E REFLORESTAMENTO

1.2.3.06

MÓVEIS E UTENSÍLIOS

1.2.3.07

(-) DEPRECIAÇÕES ACUMULADAS

1.2.3.08

(-) EXAUSTÕES ACUMULADAS

1.2.4

INTANGIVEL

1.2.4.01

MARCAS E PATENTES

1.2.4.02

HOYALTIES

1.2.4.03

PONTO COMERCIAL OU FUNDO DE COMÉRCIO

1.2.4.04

(-) AMORTIZAÇÃO SOBRE INTANGÍVEL.

2.

PASSIVO

2.1

CIRCULANTE

2.1.1

FORNECEDORES

2.1.2

ADIANTAMENTOS DE CLIENTES

2.1.3

OBRIGAÇÕES SOCIAIS A RECOLHER

2.1.4

INSS A RECOLHER

2.1.5

FGTS A RECOLHER

2.1.6

OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS A RECOLHER

2.1.7

SALÁRIOS A PAGAR

2.1.8

PRÓ-LABORE A PAGAR

2.1.9

OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS A RECOLHER

2.1.10

ICMS A RECOLHER

2.1.11

IRRF A RECOLHER

2.1.12

OUTROS TITULOS A PAGAR

2.1.13

OBRIG. FISCAIS/TRABALHISTAS/ PREVIDENCIÁRIAS A

RECOLHER

2.2

NÃO CIRCULANTE

2.2.1

FORNECEDORES A PAGAR COM MAIS DE 1 ANO

2.2.2

EMPRÉSTIMOS FINANCEIROS COM PRAZO SUPERIOR A 1

ANO

2.2.3

OBRIG. FISCAIS/TRAB./ PREVID.A RECOLHER SUPERIOR A

1 ANO

2.2.4

OUTRAS CONTAS A PAGAR COM PRAZO SUPERIOR A 1

ANO.

2.3

PATRIMONIO LIQUIDO

2.3.1

CAPITAL SOCIAL

2.3.1.2

(-) CAPITAL NÃO-SUBSCRITO

2.3.1.3

CAPITAL SUBSCRITO

2.3.1.4

(-) CAPITAL NÃO REALIZADO

2.3.1.5

CAPITAL REALIZADO

2.3.2

RESERVAS DE CAPITAL

2.3.3

AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL

2.3.4

RESERVAS DE LUCROS

2.3.5

(-) AÇÕES EM TESOURARIA

2.3.6

LUCROS OU (-) PREJUIZOS ACUMULADOS

PLANO DE CONTAS DA DEMONSTRAÇÃO DO RESULADO DO EXERCÍCIO SEGUNDO A Lei nº 11.491, de 2009

3.

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

3.1

RECEITA BRUTA

3.1.1

VENDAS / PRET. SERVIÇOS A VISTA

3.1.2

VENDAS / PREST. DE SERVIÇOS A PRAZO

3.1.3

VENDAS / PREST. DE SERVIÇOS A TERMO / CONSIGNADAS

3.2

DEDUÇÕES DE VENDAS

3.2.1

(-) ICMS S/ VENDAS

3.2.2

(-) PIS S/ FATURAMENTO

3.2.3

(-) DEVOLUÇÕES DE VENDAS

3.2.4

FRETES S/ VENDAS

3.3

RECEITA LIQUIDA DA VENDA OU PREST. DE SERVIÇOS

3.4

(-) CMV/CSP/CPV

3.5

LUCRO BRUTO

3.6

DESPESAS OPERACIONAIS

3.6.1

(-) DESPESAS ADMINISTRATIVAS

3.6.1.1

DESPESAS COM PESSOAL

3.6.1.2

SALÁRIOS

3.6.1.3

PRÓ-LABORE

3.6.1.4

FÉRIAS

3.6.1.5

FGTS

3.6.1.6

CONTRIB. PREVIDENCIÁRIAS

3.7

(-) DESPESAS GERAIS

3.7.1

ÁGUA

3.8

(-) DESPESAS TRIBUTÁRIAS

3.8.1

IMPOSTOS E TAXAS

3.9

RESULTADO OPERACIONAL

3.10

OUTRAS RECEITAS E DESPESAS

3.10.1

(-) DESPESAS FINANCEIRAS

3.10.2

(-) DESPESAS COM MULTAS E ATRASOS DE TÍTULOS

3.10.4

(-) DESPESAS EXTRA-OPERACIONAIS

3.10.5

RECEITAS FINANCEIRAS

3.10.6

VENDA DO IMOBILIZADO

3.10.7

VENDA DE SOBRAS E OUTROS DA PRODUÇÃO

3.11

RESULTADO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA

3.11.1

(-) IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES SOBRE O LUCRO

3.12

LUCRO OU (-) PREJUÍZO DO EXERCÍCIO

EXERCÍCIOS PROPOSTOS PELO PROFESSOR:

1)

Observe os dados da Empresa abaixo e responda:

A

Cia. ABC possui os seguintes bens:

Edifícios

 

360,00

Móveis e utensílios

 

180,00

veículos

 

220,00

máquinas

 

800,00

terrenos

 

900,00

marcas e patentes

 

300,00

 

total

2.760,00

A

CIA. ABC possui os seguintes direitos:

 

Bancos conta movimento

 

700,00

duplicatas a receber

 

900,00

aluguéis a receber

 

800.00

empréstimos a diretores

 

700,00

títulos a receber

 

180,00

 

total

3.280,00

A

CIA.ABC possui as seguintes obrigações:

 

fornecedores

 

1.600,00

empréstimos bancários

.

800,00

salários a pagar

 

700,00

encargos sociais a pagar (FGTS,INSS)

 

600,00

títulos a pagar

.

200,00

INSS a pagar

 

900,00

 

.total

4.800,00

1.

QUAL O TOTAL DOS BENS ?2. QUAL O TOTAL DIREITOS ?3. QUAL O TOTAL

DAS OBRIGACÕES ?4. COMO FICOU FORMADA A EQUAÇÃO PATRIMONIAL ?

5. QUAL A SITUAÇÃO FINANCEIRA DA EMPRESA ?

Questão 2

Relembrando os conceitos abaixo das Contas Contábeis, classifique as contas do quadro a seguir em Bens ( B ) , Direitos ( DIR ), Obrigações ( O ), Patrimonio Liquido ( PL ), Receitas ( R ) e Despesas ( D )

ESQUEMA PRÁTICO PARA SABER OS PRINCIPAIS CONCEITOS CONTÁBEIS:

BENS - MÓVEIS, IMÓVEIS

DIREITOS - TODO QUE TENHO A RECEBER DE TERCEIROS OBRIGAÇÕES - TUDO QUE TENHO A PAGAR A TERCEIROS P. LIQUIDO - CAPITAL SOCIAL, RESERVAS E LUCROS OU PREJUIZOS DO EXERCÍCIO RECEITA - TODOS OS INGRESSOS DE RECURSOS DESPESA- TODAS AS SAÍDAS DE RECURSOS

CONTA

TIPO DA CONTA

1.CAIXA

 

2. IMPOSTO DE RENDA A PAGAR

 

3. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

 

4. RESERVA LEGAL

 

5. MÁQUINAS

 

6.CAPITAL SOCIAL

 

7.DUPLICATAS A RECEBER ( CLIENTES )

 

8. EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS

 

9. CREDORES

 

10. BANCOS

 

11. IMÓVEIS

 

12. MÓVEIS E UTENSÍLIOS

 

13. JUROS RECEBIDOS / JUROS ATIVOS / JUROS AUFERIDOS

 

14. LUCROS ACUMULADOS

 

15. PUBLICIDADE

 

16. DEPRECIAÇÕES SOBRE BENS

 

17. ALUGUEIS

 

18.TÍTULOS A PAGAR

 

19. SALÁRIOS A PAGAR

 

20. SALÁRIOS

 

21. ICMS S/ VENDAS

 

22. ICMS A RECOLHER

 

23. ICMS A RECUPERAR ou COMPENSAR

 

24.DEVOLUÇÃO DE VENDAS

 

25. CONTA DE LUZ

 

26. DESPESAS DE VIAGEM

 

27. JUROS PAGOS / JUROS PASSIVOS

 

28. ORDEM DE PAGAMENTO A RECEBER

 

29. ADIANTAMENTO A FORNECEDORES

 

30. ADIANTAMENTO DE CLIENTES

 

31. ADIANTAMENTO A DIRETORES / SALÁRIOS

 

32. PRÓ-LABORE

 

33. APLICAÇÕES FINANCEIRAS

 

34. EMPRESAS COLIGADAS E CONTROLADAS / PARTICIPAÇÃO

EM OUTRAS EMPRESAS

 

35.

GASTOS PRÉ-OPERACIONAIS

 

36.

SEGUROS PAGOS ANTECIPADAMENTE

 

37.

OBRAS DE ARTE

38.

MARCAS E PATENTES / FUNDO DE COMÉRCIO

 

39.

INSS FUNCIONÁRIOS

 

40.

INSS FUNCIONÁRIOS A PAGAR

 

41.

FGTS

42.

FGTS a Recolher

43.

DEPRECIAÇÕES ACUMULADAS SOBRE BENS

 

44.

EXAUSTÃO SOBRE MINAS

 

45.

EXAUSTÃOACUMULADA SOBRE MINAS

 

46.

AMORTIZAÇÃO SOBRE GASTOS PRÉ-OPERACIONAIS

 

47.

AMORTIZAÇÃO

ACUMULADA

SOBRE

GASTOS

PRÉ-

OPERACIONAIS

 

48.

IMPOSTOS A RECOLHER

 

49.VENDA DO ATIVO IMOBILIZADO

 

50. JUROS ATIVOS

 

51. JUROS PASSIVOS

 

52. Custo da Mercadoria Vendida

 

Questão 3 Após ter realizado a classificação das Contas da questão número 2, agora pedimos aos estudantes que classifiquem as contas segundo a disposição legal do Balanço Patrimonial e Demonstração do Resultado já sob a Legislação vigente a partir da MP 449.

 

CONTAS

Classificar segundo a MP 449/08 e Plano de Contas 2009

Classificação

 

segundo

a

lei

6404/76

1.CAIXA

 

Bem

Ativo

Circulante

Disponível

2. IMPOSTO DE RENDA A PAGAR

 

– Passivo Circulante

Obrigação

3. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

 

Despesa – Despesas Operacionais

4. RESERVA LEGAL

 

Patrim. Liquido

5. MÁQUINAS

 

Bens

Ativo

Permanente

Imobilizado

6.CAPITAL SOCIAL

 

Patrim.Liquido

7.DUPLICATAS A RECEBER ( CLIENTES )

 

Direitos

Ativo

Circulante

Créditos

8. EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS

 

– Passivo Circulante

Obrigações

9. CREDORES

 

– Passivo Circulante

Obrigações

10.

BANCOS

 

Direitos

Ativo

 

Circulante

 

Disponível

11. IMÓVEIS

Bens

Ativo

Permanente

Imobilizado

12. MÓVEIS E UTENSÍLIOS

Bens

Ativo

Permanente

Imobilizado

13. JUROS RECEBIDOS

Receitas – Receitas não operacionais

14. LUCROS ACUMULADOS

Patrim.Líquido

15. PUBLICIDADE

Despesas

Despesas

Operacionais

16. DEPRECIAÇÕES SOBRE BENS

Despesas

Despesas

Operacionais

17. ALUGUEIS

Despesas

Despesas

Operacionais

18.TÍTULOS A PAGAR

– Passivo Circulante

Obrigações

19. SALÁRIOS A PAGAR

– Passivo Circulante

Obrigações

20. SALÁRIOS

Despesas

Despesas

Operacionais

21. ICMS S/ VENDAS

– Dedução da Venda

Despesas

22. ICMS A RECOLHER

– Passivo Circulante

Obrigações

23. ICMS A RECUPERAR ou COMPENSAR

Direito

Ativo

Circulante

Créditos

24.DEVOLUÇÃO DE VENDAS

– Dedução da Venda

Despesas

25. CEEE

Despesas

Despesas

Operacionais

26. DESPESAS DE VIAGEM

Despesas- Despesas Operacionais

27. JUROS PAGOS

Despesas

Despesas

não

Operacionais

28. ORDEM DE PAGAMENTO A RECEBER

Direitos

Ativo

Circulante

Créditos

29. ADIANTAMENTO A FORNECEDORES

Direitos

Ativo

Circulante

Créditos

30. ADIANTAMENTO DE CLIENTES

– Passivo Circulante

Obrigações

31. ADIANTAMENTO A DIRETORES / SALÁRIOS

Direitos

-

Ativo

Circulante

Créditos

32.

PRÓ-LABORE

Despesa – Despesas Operacionais

33.

APLICAÇÕES FINANCEIRAS

Direitos

Ativo

 

Circulante

Disponível

34.

EMPRESAS COLIGADAS E CONTROLADAS

 

Direitos

Ativo

 

Permanente

Investimentos

35.

GASTOS PRÉ-OPERACIONAIS

Direito

Ativo

 

Permanente

Diferido

36.

SEGUROS PAGOS ANTECIPADAMENTE

 

Direito

Ativo

 

Circulante

Créditos

37.

OBRAS DE ARTE

Bens

Ativo

 

Permanente

Investimentos

38.

MRCAS E PATENTES

Bens

-

Ativo

 

Permanente

Imobilizado

39.

INSS FUNCIONÁRIOS

Despesas

 

Despesas

Operacionais

40.

INSS FUNCIONÁRIOS A PAGAR

– Passivo Circulante

Obrigações

41.

FGTS

Despesa – Despesa Operacional

42.

FGTS a Recolher

– Passivo Circulante

Obrigação

43.

DEPRECIAÇÕES ACUMULADAS SOBRE BENS

Conta

redutora

 

Ativo

Permanente

Imobilizado

44.

EXAUSTÃO SOBRE MINAS

Despesas

 

Despesas

Operacionais

45.

EXAUSTÃOACUMULADA SOBRE MINAS

 

Conta

Redutora

 

Ativo

Permanente

Imobilizado

46.

AMORTIZAÇÃO

SOBRE

GASTOS

PRÉ-

Despesa

- Despesa

OPERACIONAIS

 

Operacional

47.

AMORTIZAÇÃO ACUMULADA SOBRE GASTOS

Conta

redutora

PRÉ-OPERACIONAIS

 

Ativo

Permanente

 

Diferido

48.

IMPOSTOS A RECOLHER

Obrigações-

 

Passivo Circulante

49.VENDA DO ATIVO IMOBILIZADO

 

Receita

Receita

 

não Operacional

50. JUROS ATIVOS

 

Receita

Receita

 

não Operacional

51. JUROS PASSIVOS

 

Despesas

 

Despesas

Não

Operacionais

52. Custo da Mercadoria Vendida

 

Despesa – CMV

Soluções dos exercícios no site da Verbo Juridico

Questões de Concursos

CESPE/ UNB- POLICIA FEDERAL

AGENTE DA POLICIA FEDERAL 2004

106 As contas registradas no patrimônio líquido incluem a provisão

para contingências. Essa conta representa o reconhecimento de provável perda futura.

AGENTE ADMINISTRATIVO DA POLICIA FEDERAL 2004

Com relação a conceitos de administração financeira, especialmente no que se refere a balanço patrimonial, julgue os itens abaixo.

86 Os ativos são considerados permanentes quando não são destinados à negociação, mas

dirigidos para produzirem benefícios à investidora mediante sua participação nos resultados das

investidas, ou para se obter bom relacionamento com clientes ou fornecedores (excluídas as

instituições financeiras), ou para simplesmente especular, mas por prazo definido, como nas negociações de obras de arte e terrenos.

87 O ativo circulante engloba, além das disponibilidades, créditos, estoques e despesas

antecipadas realizáveis no exercício social subseqüente.

88 Lucros ou prejuízos acumulados são parte das reservas de lucros que ainda não teve seu

destino final determinado. 89_ Os estoques são avaliados apenas pelo custo de aquisição corrigido monetariamente. Os que estão sujeitos à perda de valor por causa do tempo, da obsolescência e do uso são periodicamente baixados. 90 O passivo exigível, tanto o circulante quanto o exigível a longo prazo, é composto de dívidas, obrigações, riscos e contingências e não apresenta diferenciação entre eles em razão do prazo.

Gabarito POLICIA FEDERAL CESPE –UNB Resolvido e comentado :

Questão 106 C Faz parte do Patrimônio Liquido as Contas

estatutárias e contingenciais ), bem como Lucro ou Prejuízos acumulados).

de Capítal

Social,

Questão 86 E

Reservas

(

legais,

No Ativo Permanente temos uma subdivisão que atualmente pela MP 449, ainda consta o Grupo de Imobilizados ( tangíveis – de uso da empresa de não ser realizado a princípio em valor monetário,porque sua finalidade é operacionalizar as atividades empresariais , como por exemplo máquinas e ferramentas ). Também está no Permanente os Intangíveis que também não tem a princípio serem realizados pois são marcas e patentes depositadas da Empresa, mas nele também está a conta Investimentos de Longo Prazo os quais não tem por finalidade gerarem operações empresariais necessariamente que é o caso de obras de arte, é um investimento permanente pois quem as possui geralmente não tem intenção de venda, bem como as participações em outras empresas conta que representa investimentos em outras instituições que não visam necessariamente valorização de capital e muitas vezes somente garantia de fornecimento, participação nos lucros de outros negócios.

Questão 87C Segundo a Lei 6404/76 sim, “O ativo circulante engloba, além das disponibilidades, “““ “““ créditos, estoques e despesas antecipadas realizáveis no exercício social subseqüente”, porém atualmente devemos lembrar que atualmente pela MP 449 não existe mais a subdivisão” disponibilidades,créditos, estoques e despesas antecipadas realizáveis no exercício social subseqüente”, portanto esta questão se fosse aplicada a uma prova 2009 não estaria correta, pois o Circulante não é mais subdividido e sim contem estas contas contábeis todas reunidas sob a rubrica Circulante.

Questão 88C “A Conta Lucros ou Prejuízos acumulados sim é a parte dos Lucros que ainda não tiveram

uma definição, podendo os mesmos ser incorporados ao capital e ou a reserva de Lucros da

Companhia”.

Questão 89E Os estoques são avaliados apenas pelo custo de aquisição ( corrigido monetariamente, “ não podem ser corrigidos”. Os que estão sujeitos à perda de valor por causa do tempo, da obsolescência e do uso são periodicamente baixados ( desde que os mesmos não tenham forte significância e sejam pelo menos comprováveis fiscalmente seus destinos finais).

Questão 90E

Observe o seguinte: “O passivo exigível, tanto o circulante quanto o exigível a longo prazo, é composto de dívidas, obrigações, riscos e

contingências e ( não )

razão do prazo ( curto e Longo ).

( sim ) apresenta diferenciação entre eles em

Questões de Concursos de outras Bancas Examinadoras:

ANALISTA JUDICIÁRIO-ESPEC. CONTADOR TRT

2004

33.

O Ativo, na representação gráfica do patrimônio, expressa apenas

(A)

sua substância patrimonial.

(B)

sua contra-substância patrimonial.

(C)

os bens da entidade e os de terceiros.

(D)

seus recursos em poder de terceiros.

(E)

o capital próprio e o capital de terceiros

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO 1/2006 – APEX-Brasil Contador

QUESTÃO 33 Analise as afirmativas que podem ser produzidas pela técnica contábil de análise de balanços e assinale a alternativa correta. I. Capacidade de pagamento das empresas.

II. Poder de ganho das empresas.

III. Rentabilidade do capital dos acionistas.

IV. Eficiência em gerar rentabilidade a partir de recursos de terceiros.

(A)

Todas as afirmativas estão certas.

(B)

Apenas as afirmativas II e V estão erradas.

(C)

Apenas as afirmativas I, II, III estão certas.

(D)

Apenas as afirmativas III e IV estão erradas.

(E)

Apenas as afirmativas I, II estão certas.

ANALISTA JUDICIÁRIO-ESPEC CONTADOR TRT

2004

QUESTÃO 3 - Assinale a alternativa correta com base na classificação das contas abaixo. Ações em Tesouraria; Duplicatas Descontadas com vencimento para o exercício seguinte; Financiamento com vencimento após o exercício seguinte; Despesas pagas antecipadamente; Despesas pré-operacionais; Devolução de Mercadoria; Reserva de Reavaliação e Caixa.

(A) Uma conta no ativo circulante; uma no passivo exigível a longo prazo; e duas contas de

resultado.

(B)

Uma conta de resultado; três do ativo e três do passivo exigível a longo prazo.

(C)

Uma no ativo permanente, duas no patrimônio líquido, e uma despesa.

(D)

Uma conta de resultado; duas no ativo circulante e duas no patrimônio líquido.

(E)

Uma conta no passivo exigível de longo prazo; três no ativo circulante e duas contas de

resultado

QUESTÃO 6 - Despesas diferidas e prêmios de seguros a vencer são contas dos seguintes grupos patrimoniais, respectivamente.:

(A)

ativo circulante e ativo circulante.

(B)

ativo circulante e ativo permanente.

(C)

ativo permanente e ativo circulante.

(D)

ativo circulante e passivo circulante.

(E)

ativo permanente e passivo circulante.

Questão 7 - De acordo com o balancete de verificação responda qual o resultado do exercício. Débito Caixa 50.000,00 Despesas pagas antecipadamente 100.000,00 Despesas operacionais 150.000,00 Despesas Diferidas 200.000,00 Crédito Amortizações acumuladas 50.000,00 Capital social 100.000,00 Provisão para crédito de liquidação duvidosa 150.000,00 Receita de venda 200.000,00 Diante do exposto, pode-se afirmar que o resultado do período é de:

(A)

lucro de R$ 50.000,00.

(B)

prejuízo de R$ 150.000,00.

(C)

lucro de R$ 150.000,00.

(D)

prejuízo de R$ 200.000,00.

(E)

resultado do período igual a ZERO.

QUESTÃO 15 - Em 31-12-2004 uma empresa apresentou saldo nas seguintes contas: Bancos R$ 15.000,00; Aplicações Financeiras – CDB R$ 10.000,00; Capital Social R$ 25.000,00; Imóveis de uso R$ 50.000,00; Fornecedores (longo prazo) R$ 40.000,00 e Depreciação acumulada de R$ 10.000,00. Considerando estas informações é correto afirmar que:

(A)

O valor do ativo permanente é de R$ 50.000,00.

(B)

O capital próprio é de R$ 65.000,00.

(C)

O capital de terceiro é de R$ 65.000,00.

(D)

O valor do ativo circulante é de R$ 15.000,00.

(E)

O saldo das disponibilidade é de R$ 25.000,00.

QUESTÃO 25- Analise as afirmativas e assinale a alternativa correta. I. O Balanço Patrimonial é constituído pelo Ativo, pelo Passivo e pelo Patrimônio Líquido.

II. As contas do ativo são dispostas em ordem crescente dos prazos esperados de realização, e as contas do passivo são dispostas em ordem crescente dos prazos de exigibilidade, estabelecidos ou esperados, observando-se iguais procedimentos para os grupos e os subgrupos.

III. Os saldos devedores ou credores de todas as contas retificadoras deverão ser apresentados

como valores redutores das contas ou grupo de contas que lhe deram origem.

IV. Reservas são os valores decorrentes de retenções de lucros, de reavaliação de ativos e de

outras circunstâncias.

V. O Diferido representa as aplicações de recursos que contribuirão para a formação do

resultado de mais de um exercício social.

(A)

Apenas uma afirmativa está certa.

(B)

Apenas duas afirmativas estão certas.

(C)

Apenas três afirmativas estão certas.

(D)

Apenas quatro afirmativas estão certas.

(E)

Todas as afirmativas estão certas.

QUESTÃO 28- Assinale a alternativa que contém apenas contas que apareceriam num balanço

patrimonial.

(A) Despesas pagas antecipadamente, ações em tesouraria, despesas financeiras.

(B) Despesas pagas antecipadamente, despesas com depreciação, provisão para crédito de

liquidação duvidosa

(C) despesas com pessoal, custo da mercadoria vendida, provisão para crédito de liquidação

duvidosa.

(D)

devolução de mercadoria, ações em tesouraria, provisão para crédito de liquidação duvidosa

(E)

Ajuste a valor de mercado, despesas pagas antecipadamente, ações em tesouraria.

CONTADOR PETROBRAS – 2006 CESGRANRIO

31Todo o sacrifício da empresa para obter uma receita é o conceito técnico de:

(A)

Venda.

(B)

Perda.

(C)

Encaixe.

(D)

Despesa.

(E)

Desembolso

BAHIAGAS – 2006 CONTADOR CEFET BAHIA

20 - Sobre Lucros, Reservas e Dividendos, constantes no Capítulo XVI da Lei 6404/76, a alternativa correta, é:

A) Do Resultado do Exercício serão deduzidos após as participações, os prejuízos acumulados e

a provisão para o Imposto de Renda.

B) O saldo das Reservas de Lucros, inclusive para Contingências e de Lucros a Realizar, poderá

ultrapassar até 25% do Capital Social.

C) A assembléia-geral pode, por proposta dos órgãos da administração, destinar parte do lucro

líquido à formação de Reservas para Contingências. D) As reservas de capital não poderão ser utilizadas para absorção de prejuízos que ultrapassarem os lucros acumulados e as reservas de lucros.

E) Será constituída Reserva Legal sobre o Lucro Líquido do exercício, de 5% (cinco por cento),

não podendo exceder 25% (vinte e cinco por cento) do Capital Social.

Questão 21 (Peso 1) Sobre as contas presentes no Balanço Patrimonial, a alternativa correta, é:

A) Classificam-se como Investimentos as participações permanentes em outras sociedades e os

direitos de qualquer natureza, não classificáveis no Ativo Circulante, e que se destine à manutenção da atividade da companhia ou da empresa.

B) Serão classificadas como resultados de exercício futuro as receitas de exercícios futuros,

diminuídas dos custos e despesas a elas correspondentes.

C) Todas as obrigações da companhia, vencíveis no curto e no longo prazo, serão classificadas

no Passivo Circulante.

D) A conta do Capital Social discriminará o montante subscrito, acrescido da parcela ainda não

realizada.

E) O prêmio pago na emissão de debêntures será classificado como Reservas de Capital.

Questão 22 (Peso 0,5) Com relação à Demonstração do Resultado do Exercício, analise as proposições abaixo. I. As receitas e rendimentos serão computados no período, independentemente da sua realização em moeda. II. O Lucro Bruto é obtido da Receita Líquida de Vendas e Serviços somada ao Custo das Mercadorias e Serviços Vendidos. III. O Lucro ou Prejuízo Operacional é obtido com a Receita Bruta menos Provisão para Imposto de Renda. Das proposições acima, está(ão) correta(s), apenas,

A) I

B) II

C) III

D) I e II

E) II e III

Questão 23 (Peso 1) Sobre Balanço Patrimonial, a alternativa correta, é:

A) As empresas são obrigadas a levantar o balanço pelo menos uma vez a cada período de 12

meses, coincidentes com o ano civil.

B) Ações em Tesouraria são contas do Ativo Permanente - Investimentos, e representam

participações permanentes em outras companhias.

C) Quando das liquidações, transformações, incorporações, fusões e cisões, as empresas

também efetuarão o levantamento do balanço.

D) Dentre as contas do Patrimônio Líquido, citam-se: Capital Social, Reservas de Capital,

Reservas de Lucros e Provisão para Imposto de Renda.

E) No Ativo Circulante, estão presentes as contas representativas das aplicações em despesas

que contribuirão para a formação do resultado de exercícios futuros.

ANALISTA JUDICIÁRIO-ESPEC CONTADOR TRT

-2004

Questão 38 (Peso 1,5) O critério de Avaliação dos Ativos, segundo a Lei 6404/76, é:

A) Os bens intangíveis sofrerão exaustão.

B) O valor de mercado dos investimentos corresponde ao valor bruto pelo qual possam ser

alienados a terceiros.

C) O ativo diferido, pelo valor do capital aplicado, deduzido do saldo das contas que registrem a

sua depreciação.

D) Estoques de mercadorias e produtos, matérias-primas, produtos em fabricação e bens de

almoxarifado, pelo custo da aquisição ou produção, deduzido da provisão para ajustá-lo ao valor de mercado, quando este for superior.

E) Os investimentos em participação no capital social de outras sociedades – método de custo - pelo custo de sua aquisição, deduzido de provisão para perdas prováveis na realização de seu valor, quando esta perda estiver comprovada como permanente.

TECNICO EM CONTABILIDADE CESPE UNB TRIB. DE JUSTIÇA PARA

27 A empresa X comprou, na Bolsa de Valores, ações do capital social da Cia. Y, com o

objetivo de revender essas ações dentro dos próximos doze meses. Como deve a empresa X classificar tais direitos?

(A)

No Ativo Circulante, conta Investimentos Temporários a Curto Prazo.

 

(B)

No Ativo Realizável a Longo Prazo, conta Investimentos Temporários a Longo Prazo.

 

(C)

No

Ativo

Permanente,

Investimentos,

conta

Participações

Permanentes

em

Outras

Sociedades.

 

(D)

No Patrimônio Líquido, conta Ações em Tesouraria.

 

(E)

No Ativo Permanente, Imobilizado, conta Participações Temporárias em Outras Sociedades

QUESTÃO 3- Assinale a alternativa correta com base na classificação das contas abaixo. Ações em Tesouraria; Duplicatas Descontadas com vencimento para o exercício seguinte; Financiamento com vencimento após o exercício seguinte; Despesas pagas antecipadamente; Despesas pré-operacionais; Devolução de Mercadoria; Reserva de Reavaliação e Caixa.

(A) Uma conta no ativo circulante; uma no passivo exigível a longo prazo; e duas contas de

resultado.

(B)

Uma conta de resultado; três do ativo e três do passivo exigível a longo prazo.

(C)

Uma no ativo permanente, duas no patrimônio líquido, e uma despesa.

(D)

Uma conta de resultado; duas no ativo circulante e duas no patrimônio líquido.

(E)

Uma conta no passivo exigível de longo prazo; três no ativo circulante e duas contas de

resultado.

AGÊNCIA DE PROMOÇÃO E EXPORTAÇÕES DO BRASIL – APEX-Brasil

2006

QUESTÃO 15- Em 31-12-2004 uma empresa apresentou saldo nas seguintes contas: Bancos R$ 15.000,00; Aplicações Financeiras – CDB R$ 10.000,00; Capital Social R$ 25.000,00; Imóveis de uso R$ 50.000,00; Fornecedores (longo prazo) R$ 40.000,00 e Depreciação acumulada de R$ 10.000,00. Considerando estas informações é correto afirmar que:

(A)

O valor do ativo permanente é de R$ 50.000,00.

(B)

O capital próprio é de R$ 65.000,00.

(C)

O capital de terceiro é de R$ 65.000,00.

(D)

O valor do ativo circulante é de R$ 15.000,00.

(E)

O saldo das disponibilidade é de R$ 25.000,00.

Gabarito :

33A 33A 33C

6C 7A 15E 25E 28E 31E 20C

21B

22A 23C 38E 27A 3C 15E

DÉBITO E CRÉDITO “ MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS”

O “ Método das Partidas Dobrados “ ou método “ partita doppia”, é um procedimento matemático , geométrico reconhecido como uma parte áurea das relações geométricas e algébricas entre proporções de várias variáveis, para Fra Luca é “ numero d’oro”. Este método é anunciado assim por Fra Luca, na Summa "Mai si deve mettere in dare che quella ancora non si ponga in avere, e così mai si deve mettere cosa in avere che quella ancora quella medesima con suo ammontare non si metta in dare. E di qua nasci poi al bilancio che del libro si fa: nel suo saldo tanto convien che sia il dare quanto l'avere". Segundo este método definimos o seguinte “ Para cada débito (os), deverá existir crédito(os ) de igual valor”, indicando que tudo que a empresa possui, deve a alguém . Isto prendesse ao fato da lógica de causa e efeito e também da lógica racional de que tudo que temos ao longo do tempo deve-se a fatos que nos possibilitaram como origem. Um fato contábil sempre provoca no mínimo duas alterações na empresa, a partir da idéia de origem e aplicação de recursos, ou também pode gerar mudanças patrimoniais na empresa, vindo a melhorar seu resultado, piorá-lo, ou até mesmo não gerando efeito nenhum sobre o

Para registrar essas alterações, a contabilidade utiliza um método próprio.

Se observarmos a natureza e as coisas que existem à nossa volta, perceberemos a presença

contabilidade

constante de opostos: direito-esquerdo,norte-sul, positivo-negativo, etc também existem opostos: débito e crédito.

Em

Para melhor entender o significado de débito e crédito, suponhamos o seguinte fato contábil:

A empresa compra um caminhão no valor de R$ 1.000,00 e faz o pagamento à vista.

Com esse fato contábil a empresa trocou um bem (dinheiro) por outro bem (caminhão).Ela aplicou seus recursos na compra de um veículo. A origem dos recursos utilizados para o pagamento foi o dinheiro que tinha disponível .Temos dois lados:

fato contábil: compra de um caminhão à vista

débito aplicação dos recursos veículos

crédito: origem dos recursos

R$ 1.000,00

Caixa ou Bancos R$ 1.000,00

(débito corresponde àquilo em que se estão aplicando os recursos: compra de um bem, pagamento de uma obrigação, realização de uma despesa. (crédito corresponde à origem dos recursos: juros recebidos, capital social, receitas obtidas, obrigações contraídas. É importante lembrar que, dado o fato das contas do ativo representar bens ou direitos, ou seja, dívidas de terceiros com relação à empresa de que se trata o livro contábil à noção de débito do ativo se torna intuitiva, pois, o débito aumenta a dívida da terceira parte em relação à empresa, o que aumenta o valor da conta de ativo. O passivo funciona de forma contrária, pois em virtude de sua característica de ser uma obrigação com terceiros o seu débito diminui o seu valor, pois a dívida da empresa em relação à terceira parte diminui. Por exemplo, quando se compra um carro a prazo, o carro é um débito na conta de ativos, enquanto a dívida é um crédito nas contas do passivo. Em outras palavras, o carro comprado um bem adquirido (um débito), que aumenta a conta de ativos. Por sua vez, o valor emprestado para a "troca" foi à origem financeira do bem (um crédito) que também é uma obrigação nova (passivo). Confusão comum vem quando pensamos em crédito ou débito bancário em contas correntes bancárias, onde o crédito aumenta o valor da conta e o débito o diminui. Isso advém do fato de a conta corrente ser um passivo da instituição bancária com seu correntista, desta forma a contabilização se dá seguindo as regras das contas do passivo contábil. Assim, quando se deposita dinheiro em uma conta corrente, o banco marca um débito (o dinheiro que entrou) em seu patrimônio líquido, e um crédito em seu passivo (a dívida que o banco adquiriu).

Quando o correntista solicita o saldo da conta, está visualizando, na verdade, uma das contas de passivo do banco ‘. Lembre-se que em Italiano “La parola "credit" viene dal latino "credere" e la parole ‘debit’

. Tradução: A palavra credito vem do latin acreditar e lembra a lógica do sistema financeiro onde aquele que deve tem alguém que acredita nele por isto emprestou dinheiro e a palavra débito representa o verbo ter.

viene anchè dal latino ‘tenere’

.”

(método das partidas dobradas , universalmente utilizado pela contabilidade , fundamenta-se no ‘debito e crédito. Como o próprio nome diz (partida=lançamento; dobrada=dupla), para cada fato são feitos dois lançamentos: uma partida (débito) e uma contrapartida (crédito).

Segundo Frei Lucca Paciolli “ Para cada Débito (s ), existirá ( ão ) , crédito ( s ) de igual valor “.

Por convenção, são atribuídos ao débito e ao crédito os sinais + e - respectivamente.

Débito possui sinal positivo (+) o débito indica a aplicação dos recursos, enquanto que o crédito que possui sinal negativo(-), nos indica a origem dos recursos.

O Ensino da Contabilidade convencional, não busca explicar o que é o débito e o crédito, em geral deve-se segundo grande parte dos autores fazê-lo segundo observações de lançamentos já aplicados. Porém em geral os Contabilistas mais antigos tem a seguinte tese para aplicação do Método das Partidas Dobradas.

Contas Patrimoniais – Balanço Patrimonial - Bens, Direitos, Obrigações e Patrim. Liquido. Deverá as mesmas obedecerem a seguingte metodologia das partidas dobradas:

D- ENTRADA

C- SAIDA

Contas de Resultado – Demonstração do Resultado do Exercício – Receitas e Despesas. Deverá as mesmas ser debitadas e creditadas da seguinte forma:

D- SAÍDA

C- ENTRADA

Este método convencional amplamente utilizado geralmente causa confusão quando de sua aplicação uma vez que o débito e o crédito esta invertido do ponto de vista Patrimonial e de Resultado.

Resumo do método:

NATUREZA DAS CONTAS

DÉBITO

CRÉDITO

Contas do Ativo

Aumento

Diminuição

Contas do Passivo e PL

Diminuição

Aumento

Contas de Resultado

despesa

Receita

O Autor desta apostila ao Longo de sua atuação acadêmica e profissional, percebeu que é possível explicar o débito e crédito de uma forma mais simplificada e que não necessita uma concentração e aprofundamento de conhecimentos empírico-teóricos, no momento em que é necessário fazer lançamentos contábeis baseados em fatos empresariais.

Esquema prático para debitar e creditar, segundo o Autor Gilberto Elói Milani :

DEBITO

= PARA ONDE FOI O RECURSO

?

CRÉDITO = DE ONDE VEIO O RECURSO

?

Criação: Contabilista Gilberto Elói Milani

Observe os lançamentos abaixo a forma na qual foram gerados os débitos e créditos :

Em cada um dos fatos contábeis abaixo de empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, há sempre duas palavras em destaque. ( os Déditos e os Créditos ) observe com atenção estes lançamenos típicos da contabilidade geral destas empresas.

APLICAÇÃO DE RECURSOS

O DÉBITO

ORIGEM DOS RECURSOS

O CRÉDITO

Exercício aplicado:

1.Entrega ao Caixa do dinheiro referente ao capital social subscrito no Contrato Social de constituição R$ 200,00

D- CAIXA 200,00

C- CAPITAL SOCIAL 200,00 ( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

2.Depósito no Banco de dinheiro que estava no Caixa R$ 100,00 D- BANCO 100,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) C- CAIXA 100,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

3.Compra de mercadoria que a empresa fez junto ao fornecedor para pagar daqui a 30 dias R$ 80,00, COM Icms destacado em nota fiscal 10%

D- COMPRA DE MERCADORIA 80.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- FORNECEDORES

80.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

D- ICMS A RECUPERAR 8,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) C-ICMS SOBRE COMPRAS 8,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

4.Entrega pelo caixa ao office-boy de dinheiro para condução R$ 10,00

D- DESPESA DE CONDUÇÃO

10.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

C- CAIXA

10.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

5.Vendas de mercadorias a vista feitas pela empresa a um cliente e entrega ao caixa do dinheiro recebido R$ 120,00

D- CAIXA

C- VENDA DE MERCADORIA a vista 120.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

120.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

6. Compra de duas máquinas feitas por um fornecedor para nossa empresa pagar da seguinte forma : daqui 60 dias (R$ 50,00) e 90 dias (R$ 50,00).

D- MÁQUINAS

C- FORNECEDOR 50 + 50 = 100.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

100.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

7.Cobrança da conta de telefone, feita pelo Banco, descontando o valor do dinheiro que a empresa tinha depositado em sua conta corrente (débito em conta ) R$ 15,00

D- DESPESA DE TELEFONE

15.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

8. Compra de mercadoria que a empresa fez a vista fiscal 10%

D- COMPRA DE MERCADORIA 80.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- Caixa / Bancos

R$ 80,00, COM Icms destacado em nota

80.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

D- ICMS A RECUPERAR 8,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) C-ICMS SOBRE COMPRAS 8,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

8.Pagamento de uma duplicata efetuada pela empresa ao fornecedor com dinheiro que estava no caixa R$ 50,00

D- FORNECEDORES 50.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) C- CAIXA 50.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

9.Gasto com viagem feito pelo gerente, que é reembolsado através de um cheque do Banco em que a empresa mantém conta R$ 20,00

D- DESPESAS DE VIAGEM 20.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- BANCO 20.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

10.Venda de mercadoria a prazo a um cliente, estando os direitos da empresa garantidos por duas duplicatas a receber R$ 60,00 , com ICMS destacado 10%

D- CLIENTE

C- VENDA DE MERCADORIA

60.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

60.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

D- ICMS sobre vendas 6.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) C- ICMS a recolher 6,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

11.Pagamento de aluguéis de Imóveis que a empresa utiliza para suas instalações , com dinheiro do caixa R$ 40,00

D- ALUGUÉIS 40.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- CAIXA 40.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

12.Pagamento de uma duplicata a receber efetuada pelo cliente, cujo valor entregue ao caixa R$

50,00

D- CAIXA 50,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- CLIENTE

50.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

13.Pagamento dos juros de uma duplicata paga com atraso, efetuada pelo cliente, cujo valor entregou como ressarcimento pelo atraso, que a empresa considerou como juros recebidos, entregues ao caixa R$ 5,00

D- CAIXA 5,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- RECEITA DE JUROS

5.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

14.Empréstimos Bancários para a compra de um caminhão, em virtude de a empresa não possuir o dinheiro para pagá-lo; o empréstimo é feito e a empresa assume uma obrigação com o Banco, que vencerá daqui a 90 dias. O dinheiro recebido foi entregue ao Caixa R$ 500,00

D- CAIXA

500.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

15.Compra de um veículo com dinheiro do caixa R$ 500,00 D- VEÍCULO 500.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- CAIXA

500.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

16.Emissão pelo Banco de um aviso à empresa comunicando um débito na conta corrente referente a juros sobre empréstimo concedido R$ 50,00

D- JUROS PAGOS

C- BANCO 50.00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

50.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

Obs: Alguns Contadores, sobretudo os mais antigos utilizam somente a Letra “a “ no crédito para indicar que aquela conta foi creditada, a outra que não possui tal símbolo portanto foi debitada.

LANÇAMENTO CONTÁBIL

É o registro de um fato contábil em livros próprios de Contabilidade, podendo os mesmos serem obrigatórios, segundo legislação fiscal, trabalhista, previdenciária, ou somente auxiliar ao contabilista para poder manter sua organização dos atos e fatos ocorridos na empresa, para fazer um lançamento, trabalhamos com os seguintes instrumentos: fato contábil, débito/crédito e o nome da conta. Todo o lançamento contábil é composto dos seguintes elementos:

Local e data da ocorrência do fato. Conta a ser debitada Conta a ser creditada Histórico Valor

CLASSIFICAÇÃO DOS LANÇAMENTOS POR FÓRMULAS:

a) Lançamento de 1º. Fórmula:

Sempre representará lançamentos contábeis, os quais possuirão uma conta debitada e

outra creditada

Exemplo:

Dia 01/01/X1 – A empresa Alfa Ltda, retirou R$ 10.000,00 do caixa e pagou conta de luz.

D- Conta de luz do mês de janeiro cfe. Doc.

? ) C- Caixa R$ R$ 10.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

R$

10.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO

Ou

Conta de luz do mês de janeiro cfe Doc.R$ 10.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Caixa R$ 10.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Dia 04/06/X1 – A Empresa Alfa Ltda, pagou fornecedores no valor de R$ 13.000,00 com cheque nr. 004 do Banco do Brasil.

D-

Fornecedores cfe. Dupl. Nr.zzzzzz R$ 13.000,00 ( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- Banco

cfe. Cheque nr. 002 BB R$ 13.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Ou

Fornecedores cfe. Dupl. Nr.zzzzzzz R$ 13.000,00 ( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Banco

cfe. Cheque nr. 002 BB R$ 13.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Dia 05/06/X2 – A Empresa Alfa Ltda. recebeu de clientes o valor de R$ 4.000,00

D-

Caixa R$ 4.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C-

Cliente dp. Nr. 005/x2 R$ 4.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Ou

Caixa R$ 4.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Cliente dp. Nr. 005/x2 R$ 4.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

b) Lançamento de 2º. Fórmula:

Sempre representará lançamentos contábeis, os quais possuirão uma conta a débito e

duas outras contras creditadas:

Exemplo:

Dia 13/04/X1 - Recebimento de duplicata a receber cfe. Fat. 005/X1, no valor de R$ 10.000,00 , com juros recebidos no valor de R$ 3.000,00 , sendo o recurso disponibilizado em conta corrente no Banco do Brasil.

D-

Banco c/corrente BB 13.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C-

Duplicatas a recebercfe. Fatura05/X1 R$ 10.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

C-

Rendimentos de aplicação financeira cfe. Fat. 005/x1 R$ 3.000,00( DE ONDE VEIO O

RECURSO ? )

Ou

Banco c/corrente BB 13.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) a Duplicatas a receber cfe. Fatura05/X1 R$ 10.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

a Rendimentos de aplicação financeira cfe. Fat. 005/x1 RECURSO ? )

R$ 3.000,00( DE ONDE VEIO

O

Dia 29/03/X2 – Pagamento de contra de Luz cfe. Recibo do mês de março/X3 no valor total de R$ 1.000,00, sendo pago com R$ 5.000,00, recursos de caixa e R$ 5.000,00 e o restante através de cheque nr. 006 Banco Banrisul.

D- Luz

R$ 10.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C-

Caixa

R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

C-

Banco cfe. Cheque nr. 006 BB R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Ou

Luz

R$ 10.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Caixa

a C- Banco cfe. Cheque nr. 006 BB R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Dia 04/07/X2 –

NF. 45 do Fornecedor XC, valor pago a vista R$ 10.000,00. Sendo que metade do recursos

foram pagos com cheque 007/X2 e o restante seria pago em 06 duplicatas.

Compra de uma máquina Overlock para uso na Empresa, proveniente da

D- Máquina R$ 10.000,00 ( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- Fornecedores cfe. Nf. 45

R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

C- Banco c/c BB

R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Ou

Máquina R$ 10.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Foncedores cfe. Nf. 45

a Banco c/c BB R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

c) Lançamento de 3º. Fórmula:

Sempre representará lançamentos contábeis, os quais possuirão dois ou mais débitos

para uma conta creditada.

Exemplo:

Dia 04/04/X1 – Recebimento de duplicata de cliente cfe. Fatura 23 no valor de R$ 30.000,00, sendo disponibilizado ao caixa R$ 500,00 e o restante depositado em c/c no Banco do Brasil.

D- Caixa

D- Banco c/c R$ 29.700.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) C-Cliente cfe. Fatura nr. 23 R$ 30.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

R$ 500,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

ou

Caixa

Banco c/c R$ 29.700.00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

R$ 500,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Cliente cfe. Fatura nr. 23 R$ 30.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Dia 06/08/X2 – Pagamento de conta de luz e água no valor total de R$ 5.000,00, sendo R$ 2.500,00 de luz cfe. Recibo do mês de agosto e o mesmo valor para água cfe. Recibo do mês com recursos do caixa.

D- Luz

D- Agua cfe. Recibo Agosto

C- Caixa R$ 5.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

cfe. Recibo Agosto

R$ 2.500,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) R$ 2.500,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

Ou

Luz

Agua cfe. Recibo Agosto

cfe. Recibo Agosto

R$ 2.500,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) R$ 2.500,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

Dia 09/09/X3 - Venda de Ativo Imobilizado cfe. Nf. De Venda nr. 005 e recebimento 50% no ato e disponibilizado em caixa e o restante será recebido através da fatura nr. 098/X3. Total R$ 50.000,00.

D-

Caixa

R$ 25.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

D-

Contas a receber cfe. Fatura 005 R$ 25.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C-Venda do Ativo Imobilizado cfe. Nf. 005 R$ 50.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Ou

Caixa

R$ 25.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

Contas a receber cfe. Fagtura nr. 005 R$ 25.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Venda do Ativo Imobilizado cfe. Nf. 005 R$ 50.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

d )

Lançamento de 4º. Fórmula:

Sempre representará lançamentos contábeis, os quais possuirão dois ou mais débitos para dois

ou mais créditos.

Exemplo:

Dia 08/05/X1 –

Venda de mercadoria cfe. Nf. 008 sendo recebido 50% no ato e o restante

através de duplicatas cfe. Fatura 004 e os recursos a vista disponibilizados em caixa. Valor

total R$ 30.000,00

D-

Duplicatas a receber R$ 15.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

D-

Caixa R$ 15.000,00 ( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C-

Venda a Vista de Mercadoria cfe. Nf. 008 R$ no valor de R$ 15.000,00 ( DE ONDE VEIO

O

RECURSO ? )

C-

Venda a Prazo de Mercadoria cfe. Nf. 008 R$ no valor de R$ 15.000,00 ( DE ONDE VEIO

O

RECURSO ? )

Ou

Duplicatas a receber R$ 15.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) Caixa R$ 15.000,00 ( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a

Venda a Vista de Mercadoria cfe. Nf. 008 R$ no valor de R$ 15.000,00 ( DE ONDE VEIO

O

RECURSO ? )

a

Venda a Prazo de Mercadoria cfe. Nf. 008 R$ no valor de R$ 15.000,00 ( DE ONDE VEIO

O

RECURSO ? )

Dia 09/04/X2- Resgate de aplicação financeira no valor de R$ 10.000,00 e rendimentos recebidos no valor de R$ 2.000,00 e disponibilizados 50% em conta corrente e o restante recebido do Banco via cheque administrativo.

D- Caixa R$ 6.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

D-

Banco c/c R$ 6.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C-

Aplicação financeira R$ 10.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

C-

Rendimentos de Aplicação Financeira 2.000,00 ( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Ou

Caixa R$ 6.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? ) Banco c/c R$ 6.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Aplicação financeira R$ 10.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Dia 10/10/X3 –

pagos pelo atraso no valor de R$ 2.000,00 sendo metade do total dos gastos com recursos

do caixa e o restante com cheque do Banco cfe. Cheque nr. 008 BB.

Pagamento de fornecedor cfe. Nf. 009 no valor de R$ 10.000,00 com juros

D- Despesas com juros pagos R$ 2.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

D- Fornecedor cfe. Nf. 009 R$ 10.000,00 ( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

C- Banco c/c

C- Caixa R$ 6.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

cheque nr. 008 BB R$ 6.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

Ou

Despesas com juros pagos R$ 2.000,00( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

Fornecedor cfe. Nf. 009 R$ 10.000,00 ( PARA ONDE FOI O RECURSO ? )

a Banco c/c

a Caixa R$ 6.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

cheque nr. 08 BB R$ 6.000,00( DE ONDE VEIO O RECURSO ? )

ATOS E FATOS ADMINISTRATIVOS NA EMPRESA

Ato Administrativo

Atos Administrativos são todos os acontecimentos na Empresa ligados aos Sistemas Gerenciais de funcionamento, porém não alteram no curto prazo, nem o patrimônio administrado, nem o resultado do negócio. Observe que o ato administrativo de solicitar uma reunião para tratar de qualquer assunto. Não muda o patrimônio, nem o resultado do negócio, pois não envolve contas e sim situações gerenciais. Da mesma forma, Assinar contratos com funcionários, consultar informações de clientes e ou fornecedores, nada altera na situação patrimonial e de resultado do negócio.

Fatos Administrativos ou Contábeis

Os fatos administrativos ou contábeis, sempre alteram a situação patrimonial e ou do resultado do negócio.Neste caso a ordem de retirar dinheiro do caixa e pagar a conta de luz gera um fato administrativo, pois sai dinheiro do caixa ( conta patrimonial, reduzindo o caixa e ativo por conseqüência e gerando uma despesa que irá reduzir o lucro do negócio e por conseqüência, irá reduzir o patrimônio administrado através da conta Patrimônio Liquido com prejuízo. Podemos citar inúmeros fatos administrativos, como compra de um veículo com recursos da conta corrente bancária etc Lembre-se que muitos atos administrativos, hoje não geram gastos e nem mudança na situação patrimonial de curto prazo, porém podem vir a gerar no longo prazo um fato contábil em função do mesmo como conseqüência.Observe o caso abaixo. :

Assinatura hoje de contração de funcionário ( ATO ADMINISTRATIVO ) Daqui a 30 dias teremos de pagar seu salário ( FATO CONTÁBIL )

Compra de um veículo, com entrega daqui a 6 meses ( ATO ADMINISTRATIVO ) Daqui a 6 meses a compra é efetivada ( FATO CONTÁBIL ).

FATOS CONTÁBEIS E VARIAÇÕES PATRIMONIAIS

Fatos Contábeis : são os eventos que provocam alterações no patrimônio das Entidades e, portanto, devem ser registrados pela Contabilidade, ou seja, todos os acontecimentos da empresa devem ser registrados pelo Contabilista, desde que os mesmos envolvam o patrimônio administrado.Exemplo; Pagamento de contas, recebimentos, compras e vendas , contas a pagar, receber, provisões, perdas e outros

Fatos Permutativos - Apenas trocam componentes patrimoniais ( contas ) do Ativo e / ou Passivo, ou somente no Patrimônio Liquido, sem que ocorra aumento ou diminuição no Patrimônio Liquido.

Ex:

1)

Compra a vista de um veículo com recursos do Caixa.

D- Veículo ( Ativo ) C- Caixa ( Ativo )

2)

Pagamento de ICMS a reoclher ref. Competência mês anterior.

D- ICMS A RECOLHER ( Passivo ) C- CAIXA ( Ativo )

3)

Aplicação Financeira com recursos da conta corrente bancária.

D- APLICAÇÃO FINANCEIRA C- BANCO C/C ( Ativo )

( Ativo )

Observe que neste caso não houve alteração no resultado da empresa somente o cambiamento entre contas do Balanço Patrimonial.

Fatos Modificativos – Alteram o Patrimônio Liquido em importância igual a que alterou o Ativo ou o Passivo, e são :

Aumentativos – envolvem Receitas ( aumenta o PL )

Diminutivos

- envolvem Despesas ( diminuem o PL )

Ex :

4)

Recebimento de Juros s/ aplicação Financeira junto a aplicação bancária

D- Aplicação Financeira ( Ativo ) C- Rendimento de Aplicação Financeira ( Receita ) ( aumenta PL )

Observe que neste caso houve alteração no valor da conta do ativo, bem como gerou uma conta de resultado, positivo por ser uma receita, seria negativo se fosse uma despesa.

5)

Pagamento dos salários do mês em curso

D- Pagamento de salários,

C- Caixa

ATIVO

( despesa ) ( reduz PL )

Neste caso

reduziu conta do ativo no mesmo valor que reduziu o PL.

6)

Venda a vista de mercadoria

D- Caixa ( Ativo ) C- Venda a vista de Mercadoria ( Receita ) ( aumenta PL )

Fatos Mistos – Trocam os componentes patrimoniais e, ao mesmo tempo, alteram o Patrimônio Liquido para mais ou para menos, e são :

Aumentativos: provocam aumento no PL Diminutivos : quando trazem diminuição ao PL

Ex :

7)

Pagamento de dívida ao fornecedor, com aproveitamento do desconto financeiro ( pagamento antecipado ) :

D- Fornecedor ( P ) C- Desconto recebido ( R ) Aumentativo do PL C- Caixa ( A )

8)

Recebimento de duplicatas a receber de clientes com juros pagos pelo atraso.

D- Caixa ( A ) C- Juros recebidos ( R ) Aumentativo do PL C- Clientes ou duplicatas a receber que é a mesma coisa. ( A )

9)

Pagamento de fornecedor com juros pagos por atraso, com cheque do banco.

D- Fornecedor

D- Juros pagos ( Despesa ) Reduz o PL

C- Banco c/c ( A )

( P )

Variações

São as modificações, no patrimônio, geradas pelos fatos contábeis.

Variações Qualitativas : São Variações nas Contas do Ativo, Passivo e PL., está associada aos Fatos Permutativos por trocarem somente as contas Patrimoniais. Exemplo compra de veículo com dinheiro do caixa, somente trocaram-se as contas no Ativo sem gerar modificações no resultado, por isto é uma variação qualitativa, ou seja de nome de contas e suas posições.

No Exemplo acima são os exercícios numeros 1,2 e 3 .

Variações Quantitativas : Variam também os valores das contas , e, está associado aos fatos Modificativos, Exemplo ; Pagamento de salários.

No Exemplo acima são os exercícios numeros 4,5 e 6.

Variações Mistas : Variam as Contas e os valores das mesmas, está associado aos Fatos Mistos por gerarem modificações no resultado do empreendimento com lucro ou prejuízo. Por exemplo; Recebimento de duplicata, com juros e recurso disponibilizado em caixa.

ESCRITURAÇÃO

Os lançamentos contábeis são feitos em livros especiais denominados livros contábeis o ato de registrar os fatos contábeis chama-se de escrituração.

A contabilidade utiliza vários livros para registrar os fatos contábeis e assim ter condições de

controlar o patrimônio e de atender as exigências legais e de fiscalização.

Vamos aqui tratar dos dois livros principais o DIÁRIO E O RAZÃO.

LIVRO DIÁRIO

Exigido pelo Decreto-Lei 486 de 3 de março de 1969 e pelo Decreto nr. 64.567, de 22 de

No Livro Diário devem ser

lançados, dia a dia, todos os fatos contábeis ocorridos na empresa. O atraso da escrituração por

mais de 180 dias importará em multa prevista no Regulamento do Imposto de Renda. Pelos processos mecânicos de hoje, os registros neste livro foram substituídos por folhas soltas e realizados simultaneamente com as fichas razão. Atualmente, na era da informática, os fatos contábeis são jogados para dentro do computador, os quais são processados permitindo grande rapidez na apuração de saldos, de balancetes, do Balanço e outras demonstrações contábeis. Junto ao Livro Diário deve o mesmo conter o Plano de Contas e o Balancete, o Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício. Este livro deve em seu encerramento ser levado também para ser autenticado, além da Junta Comercial, a Vara de Falências e Concordatas conforme o Código Comercial Brasileiro Obriga, porém poucos fazem. Em nosso site temos uma série de questões a cerca do registro dos Livros Contábeis respondidos pela Secretaria da Receita Federal .Segundo o Site

http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=contabil01diario#manual

maio de 1969 e ratificado no Novo Código Civil Brasileiro

““LIVRO DIÁRIO Decreto-lei 486/69

Modelo de Escrituração MANUAL

Modelo de Escrituração MECANIZADA

Livro Razão e Livro de Balancetes Diários e Balanços

Contabilidade Centralizada ou Descentralizada

A escrituração do Livro Diário será efetuada de conformidade com a NBC T1, NBC T2 e NBC

T3 e ainda de acordo com o disposto no Código Civil Brasileiro, no Decreto-lei 486/69, no

Regulamento do Imposto de Renda e na Lei 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações).

O RIR/99 - Regulamento do Imposto de Renda em seu artigo 274 estabelece que deve ser

levantado o Balanço Patrimonial, a Demonstração do Resultado do Exercício e a Demonstração

de Lucros e Prejuízos Acumulados. Nos artigos 260 e 262 o RIR/99 menciona ainda que deve

ser elaborada a Demonstração do Lucro Real, que será transcrita no LALUR - Livro de

Apuração do Lucro Real. As NBC T 3 e a Lei das S/A obrigam a elaboração de outros

Demonstrativo

As Demonstrações Contábeis serão obrigatoriamente transcritas no Livro Diário ou no Livro de

Balancetes Diários e Balanços (NBC T 2.1.4).

Contábeis.

LIVRO DIÁRIO - Modelo de Escrituração MANUAL

A. No início de cada página de Diário ou nas mudanças de mês, a data será sempre por extenso,

sem obedecer as colunas do livro Diário;

B. A conta debitada é colocada sempre na margem esquerda do desenho do livro;

C. Para significar que a conta esta sendo creditada, a mesma deverá conter sempre a sua frente o

símbolo @ (arroba). Esse símbolo "@", será sempre colocada na primeira coluna à esquerda do

Livro Diário;

D. Histórico é a discrição sumária da operação que está sendo contabilizada; não deve conter

informações supérfluas e sim aquelas estritamente necessárias à identificação da operação.

E. Valor. Para escrituração dos valores do lançamento, deverão ser utilizadas as três colunas a

direita da página; da seguinte forma:

1ª COLUNA: Valores Parciais - destina-se ao registro dos valores parciais correspondentes a vários lançamentos efetuados em uma mesma conta; esta coluna é também chamada de auxiliar do histórico e somente poderá ser

utilizada nesses casos. Os valores constantes dessa coluna serão totalizados na 2ª coluna.

2ª COLUNA: Subtotais - destina-se à totalização dos valores parciais de vários lançamentos em uma única conta, quando se tem mais de uma conta debitada ou creditada (Caixa @ Diversos ou Diversos @ Caixa). Os valores constantes dessa coluna serão totalizados na 3ª coluna.

3ª COLUNA: Totais - destina-se à totalização dos valores lançados na 2ª coluna, seja qual for a forma da partida dobrada utilizada.

Modelo de Livro Diário para escrituração manual:

A = Data por extenso

 

B

C

D = Histórico

E

CAIXA

 

1ª Coluna

2ª Coluna

3ª Coluna

@

DIVERSOS

Parciais

Subtotais

Totais

@

DUPLICATAS A RECEBER

     
   

Recebida Dupl. 001

10.000,00

   
   

Recebida Dupl. 002

2.000,00

12.000,00

 

@

COMISSÕES A RECEBER

     
   

Recebida Comissão 001

800,00

   
   

Recebida Comissão 002

1.200,00

2.000,00

14.000,00

Comissão 001 800,00         Recebida Comissão 002 1.200,00 2.000,00 14.000,00

LIVRO DIÁRIO - Modelo de Escrituração MECANIZADA

Modelo para Escrituração mecanizada: (Código da Conta, Data, Nº do Documento, Histórico, Débito, Crédito)

CÓD.CONTA DATA Nº DOC HISTÓRICO DÉBITO CRÉDITO
CÓD.CONTA
DATA
Nº DOC
HISTÓRICO
DÉBITO
CRÉDITO

LIVRO RAZÃO

Indispensável para a boa contabilidade. Cada conta do Plano de Contas, está representada por uma ficha. Pelo sistema mecanizado, a ficha é sobreposta à folha do Diário que esta presa na máquina de contabilidade. É feito o lançamento na ficha, e por meio de carbono, o mesmo lançamento é feito também no Diário. Com isso, o saldo de cada conta está nas fichas de razão. É através das fichas de Razão que o contabilista pode realizar os Balancetes e os Balanços e outras Demonstrações Contábeis. O INSS obriga a empresa a demonstrar as contas para ela importantes através do Livro Razão.

Segundo o site http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=contabil02razao

SISTEMA ESCRITURAL ELETRÔNICO

RIR/99 - Regulamento do Imposto de Renda

o

o

Processamento Eletrônico de Dados (artigo 255 do RIR/99)

Sistema Escritural Eletrônico (artigos 265 a 267 do RIR/99)

NBC - Normas Brasileiras de Contabilidade

o NBC T 2.8 - Das Formalidades da Escrituração Contábil de Forma Eletrônica

SPED - SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

Contabilidade Digital

Sped - Sistema Público de Escrituração Digital

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

FINALIDADE DO RAZÃO