Sunteți pe pagina 1din 72

®r… ®r… Guru-Gaur€‰gau Jayataƒ

®r… ®r… Guru-Gaur€‰gau Jayataƒ ®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA Compilado por TridaŠisv€m… ®r…mad

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Compilado por

TridaŠisv€m… ®r…mad Bhaktived€nta N€r€yaŠa Mah€r€ja

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA Compilado por TridaŠisv€m… ®r…mad Bhaktived€nta N€r€yaŠa Mah€r€ja
TridaŠisv€m… ®r…mad Bhaktived€nta N€r€yaŠa Mah€r€ja

TridaŠisv€m… ®r…mad Bhaktived€nta N€r€yaŠa Mah€r€ja

Ao fundador da ®r… Gau…ya Ved€nta Samiti, o melhor dentre os da décima geração de

Ao fundador da ®r… Gau…ya Ved€nta Samiti, o melhor dentre os da décima geração de descendentes no Bh€gavat- Parampar€ de ®r… KŠa Caitanya Mah€prabhu,

®r… Gurup€dapadma ®r… Gau…ya Ved€nta šc€rya Kesar… Nitya-l…l€ Pravi˜a Oˆ ViŠup€da A˜ottara-ata

®r… ®r…mad Bhakti Prajñ€na Keava Gosv€m… Mah€r€ja.

Outros títulos de ®r…la Bhaktived€nta N€r€yaŠa Mah€r€ja:

Alma Eterna, Amor Eterno* Arcana-d…pik€ Bhakti-ras€mta-sindhu-bindu Bhajana-rahasya Bhakti-ras€yana* Bhakti-tattva-viveka* Brahma Saˆhit€ Catmak€ra Candrik€ Controlado pelo Amor* D€modara-l…l€-m€dhuri Essência do Bhagavad-g…t€* Five Essential Essays Gau…ya VaiŠavism vs. Sahajiy€ism Gaura-v€Š… Prac€riŠe Gop…-g…ta Indo Além de VaikuŠ˜ha* Guru-devat€tm€ Felicidade no Paraíso dos Tolos* Jaiva-dharma Manaƒ-ik€* My ®ik€-guru and Priya-bandhu O Caminho do Amor* O Nectar de Govinda-l…l€ *

O Príncipe Destemido* Pinnacle of Devotion Prabandh€val… Prema-sampu˜a R€ga vartma candrik€ Secrets truths of the Bh€gavatam Segredos do Eu Oculto* ®iva-tattva ®r… D€modar€˜akam ®r… Gau…ya G…ti-guccha ®r… G…ta-govinda ®r… Navadv…pa-dh€ma Parikram€ ®r… Sa‰kalpa-kalpadrumaƒ ®r… ®ik€taka* ®r… Upade€mta* ®r… Vraja-maŠala Parikram€ ®r…mad Bhagavad-g…t€ ®r…la Bhakti Prajñ€na Keava Gosv€m… The Butter Thief The Essence of All Advice The Origin of Ratha-y€tr€ VeŠu-g…ta Rays of the harmonist (Periódico)

* Títulos disponíveis em português.

Para maiores informações e download completo dos livros:

www.purebhakti.com

Esta obra foi publicada originalmente em inglês com o título ®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

2 nd edition 2001

© Gau…ya Ved€nta Publications

1ª edição em português Rio de Janeiro janeiro de 2010 – ®r… Vy€sa-p™ja

Autor ®r… ®rŸMAD BHAKTIVEDšnta nšršya¦A MAHšršja

Tradução Priyar™pa d€sa (Paulo Sérgio de Sant’Ana)

Revisão Basant… d€s(Bianca Freitas), Mah€k€la d€sa (Marcio Pombo) e Ma‰galanilaya d€sa (Marcelo Dias)

Design Gráfico GauramaŠi d€s(Gouramani Menezes)

Agradecimento aos devotos que contribuiram para a publicação desse livro:

Anit€ d€s, Candra Prabh€ d€s, Govinda d€s, KŠa Jivan… d€s, KŠa KaruŠya d€sa

Sumário

11

®r… Hari-N€ma Mah€-Mantra

13

A Seqüência do Mah€-Mantra

27

®r… Caitanya Mah€prabhu e o Mah€-Mantra

37

Comentários sobre o Mah€-Mantra

37

M€dhurya-may…

38

Aivarya-may…

39

Yugala-smaraŠa-may…

39

Comentário de ®r…la J…va Gosv€m…

42

Comentário de ®r… Gop€la Guru Gosv€m…

46

Comentário de ®r…la Bhaktivinoda µh€kura

48

®r… Pada-kalpataru

53

As Glórias de ®r… Hari-N€ma

53

N€ma-svar™pa

53

N€ma concede toda perfeição em Kali-yuga

54

As glórias de n€ma segundo os sábios da antiguidade

55

As glórias de cantar n€ma excedem as glórias da percepção direta de brahma

56

A superioridade de n€ma-k…rtana

56

A superioridade de n€ma-k…rtana comparado a dhy€na e p™j€

57

®r… N€ma não é regido pelas regras relativas a tempo, lugar e circunstância

58

®r… n€ma-sa‰k…rtana é o s€dhana e o s€dhya para todos

Hare KŠa Hare KŠa KŠa KŠa Hare Hare

Hare R€ma Hare R€ma R€ma R€ma Hare Hare

Hare KŠa Hare KŠa KŠa KŠa Hare Hare Hare R€ma Hare R€ma R€ma R€ma Hare Hare
Hare KŠa Hare KŠa KŠa KŠa Hare Hare Hare R€ma Hare R€ma R€ma R€ma Hare Hare

®HARI-NšMA MAHš-MANTRA

De acordo com as eternas escrituras sagradas (€stras), tais como os Vedas, Upaniads, Pur€Šas e Saˆhit€s, o nome transcendental (n€ma brahma), hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare, é o mantra supremo (mah€-mantra) para se alcançar a liberação nesta era chamada Kali-yuga 1 . O dever ocupacional primordial (dharma) nesta era é realizar o canto congregacional (sa‰k…rtana) deste mah€-mantra composto por dezesseis palavras.

O nome de Deus (Bhagav€n) é diretamente Sua forma pessoal

(svar™pa). Bhagav€n ®r… KŠa impregnou Seus nomes com toda

a doçura de Sua forma e passatempos e também com todas as

Suas potências. Bhagav€n é o possuidor do Seu próprio nome e

é chamado n€m…. Embora Ele (n€m…) e Seu nome (n€ma) não se-

jam diferentes entre si, em certas circunstâncias, a misericórdia de n€ma brahma excede a de n€m… brahma. Por Sua misericórdia sem causa, Svayam Bhagav€n ®r… KŠa aparece sob a forma do n€ma para salvar as almas condicionadas. Aquele que é muito afortunado aceita iniciação (d…k€) no r… hari-n€ma mah€-mantra de um mestre espiritual (guru) fidedigno que está constante- mente absorto em r… hari-n€ma. Deste modo, o discípulo adora ®r… Bhagav€n ao realizar o canto congregacional dos Seus nomes (sa‰k…rtana), ao cantar diariamente um número fixo de nomes (japa) e ao lembrar-se do nome de ®r… Bhagav€n (smaraŠa). Con- forme declaram os €stras, na Kali-yuga é mais glorioso realizar n€ma-sa‰k…rtana em voz alta que fazer n€ma-smaraŠa ou japa.

1 Uma yuga é definida como uma era dentro do ciclo de quatro eras da vida do universo, chamadas Satya, Tret€, Dv€para e Kali. Cada era tem, consecutivamen- te, menos qualidades positivas, longevidade, auspiciosidade etc. que a anterior. A última era é a mais degradada e recebe o nome de Kali-yuga (a era da desavença e hipocrisia), na qual estamos vivendo. Esta era dura 432.000 anos, dos quais 5.000 já se passaram.

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

japato hari-n€m€ni sth€na ata-guŠ€dhikaƒ €tm€nañ ca pun€ty uccair japan rotn pun€ti ca

(®r… N€rad…ya falado por Prahl€da Mah€r€ja)

“Aquele que canta r…-hari-n€ma em voz alta é cem vezes superior àquele que canta murmurando. Quem canta baixo purifica e beneficia somente a si mesmo, enquanto que, ao cantar alto, todos que ouvem – tais como animais, insetos, pássaros, árvores e trepadeiras –, também são purificados e beneficiados. Estes seres vivos não podem cantar, mas têm condição de se libertar do oceano de nascimento e morte pelo simples fato de ouvir hari-n€ma”.

Portanto, nesta era de Kali, a jóia suprema dentre todos os

tipos de práticas para alcançar a perfeição espiritual (s€dhana)

é realizar o sa‰k…rtana do hari-n€ma mah€-mantra de dezesseis

palavras. ®r… Caitanya Mah€prabhu é P€vana-Avat€r…, o avat€ra mais misericordioso que purifica a Kali-yuga e, assim, nos ins- trui a praticar o r… hari-n€ma sa‰k…rtana: k…rtan…ya sad€ hari (®r… ®ik€˜aka 3).

O Bhad-N€rad…ya-Pur€Ša diz claramente:

harer n€ma harer n€ma harer n€maiva kevalam kalau n€sty eva n€sty eva n€sty eva gatir anyath€

”Para fazer progresso espiritual em Kali-yuga não existe outro modo, não existe outro modo, não existe outro modo que não

o cantar do santo nome, o cantar do santo nome, o cantar do santo nome”.

12

A S eqüêNCiA dO M AHš- M ANTRA U ma escola de pensamento diz que

A SeqüêNCiA dO MAHš-MANTRA

Uma escola de pensamento diz que o mah€-mantra deve ser cantado na seguinte seqüência:

hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare

Este entendimento baseia-se nos seguintes pontos:

1) A Kali-santaraŠa Upaniad, publicada pela Venkatesh Press, Mumbai, diz que este mah€-mantra começa com as palavras hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare seguidas por hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare.

2) Em um livro chamado Kaly€Ša, de Gorakhpura, o mah€- mantra é escrito na seqüência mencionada acima.

3) ®r… R€ma apareceu em Tret€-yuga e, mais tarde, ®r… KŠa apareceu em Dv€para-yuga. Portanto, é lógico cantar hare r€ma primeiro e depois hare kŠa.

Os pontos de vista mencionados acima são ilógicos e infundados:

1) As primeiras publicações da Kali-santaraŠa Upaniad, pela Venkatesh Press de Mumbai, claramente citam que o mah€- mantra começa com hare kŠa e não hare r€ma. Estas publicações mais antigas continuam preservadas em bibliotecas de Calcutá e Jayapura.

2) Kaly€Ša, publicado pela G…t€ Press, Gorakhpura, não é uma pro- va autêntica com a qual se possa sustentar a perspectiva acima.

3) O fato de Dv€para-yuga vir após Tret€-yuga não surte efeito no eterno mah€-mantra. O mah€-mantra está além de todas as yugas e do tempo.

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Este assunto só pode ser entendido cantando-se o brahma mah€- mantra, o libertador de todas as yugas. Referências aos nomes de ®r… Bhagav€n em diferentes yugas podem ser encontradas no Ananta-Saˆhit€:

Satya-yuga:

n€r€yaŠa-par€ ved€h n€r€yaŠa-par€karaƒ n€r€yaŠa-par€-muktiƒ n€r€yaŠa-par€-gatiƒ

“Todos os Vedas declaram N€r€yaŠa como o Supremo. N€r€yaŠa é a suprema combinação de todas as letras. N€r€yaŠa é a libera- ção suprema. N€r€yaŠa é a meta suprema da vida”.

Tret€-yuga:

r€ma n€r€yaŠ€nanta mukunda madhus™dana kŠa keava kaˆs€re hare vaikuŠ˜ha v€mana

He R€ma! He N€r€yaŠa! He šnanta! He Mukunda! He Madhus™dana! He KŠa! He Keava! He Kaˆs€re! He Hare! He VaikuŠ˜ha! He V€mana!”.

Dv€para-yuga:

hare mur€re madhu-kaitabh€re gop€la govinda mukunda aure yajñea n€r€yaŠa kŠa viŠo nir€rayaˆ m€ˆ jagad…a raka

“Hare, Mur€re, Madhu-Kaitab€re, Gop€la, Govinda, Mukunda, ®aure (Senhor de todos os yajñas), N€r€yaŠa, KŠa, ViŠu! He Jagad…a, por favor, proteja-me! Não tenho outro refúgio”.

Kali-yuga:

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare

14

A SeqüêNCiA dO MAHš-MANTRA

hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

oaait€ni n€m€ni dv€triˆad varŠak€ni hi kalau yuge mah€-mantraƒ sammato j…va-t€raŠe

Hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare. Este hari-n€ma mah€-mantra consiste em de- zesseis nomes e trinta e duas sílabas. Em Kali-yuga este mantra pode libertar todas as almas (j…vas)”.

Portanto, quanto ao terceiro item, é evidente que o brahma mah€- mantra (o nome de KŠa) estava presente como o libertador mesmo em Tret€-yuga – antes do aparecimento de KŠa em Dv€para-yuga –, em nomes tais como Mukunda, Madhus™dana, KŠa, Keava e Kaˆs€ri. Desse modo, as opiniões e argumentos dados sobre a seqüência inversa do mah€-mantra são inválidos.

Os lokas do Ananta-Saˆhit€ claramente afirmam que nas Upaniads, como a Kali-santarana Upaniad, o mah€-mantra está escrito na seguinte seqüência: hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare.

N€radaj… recebeu o mah€-mantra nesta seqüência de seu guru, Brahm€j…, e esta mesma tradição ainda é praticada hoje na Brahm€-M€dhva-Gau…ya-VaiŠava Samprad€ya. Em outras samprad€yas, entretanto, este mah€-mantra não foi transmitido através de uma sucessão fidedigna de gurus (guru parampar€) e, portanto, seu segredo e seqüência são desconhecidos pelos seus seguidores. Não é de admirar que invertam a seqüência do mah€-mantra e comecem com hare r€ma.

Outros €stras fidedignos apresentam evidências a respeito da forma do mah€-mantra:

iyasyoda‰mukha-sthasya harer n€m€ni oaa

15

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

saˆr€vyaiva tato dady€n mantraˆ trai-lokya-mangalam

(®r…-jñ€n€mta-s€ra)

“®r… Gurudeva deve recitar o hare kŠa mantra de dezesseis palavras ao discípulo antes de iniciá-lo no gop€la-mantra, o qual traz bons auspícios a todos os três mundos. Para receber este

gop€la-mantra, o discípulo deve se sentar com a face para o norte

e ouvir o mantra em seu ouvido direito”.

Em €stras tais como o Brahma Y€mala, o Senhor ®iva descreve

a forma (svar™pa) do mah€-mantra:

hariˆ vin€ n€sti kiñcat p€pa-nist€rakaˆ kalau tasm€l lokoddh€r€Š€rthaˆ hari-n€ma prak€ayet

sarvatra mucyate loko mah€-p€p€t kalau yuge hare-kŠa-pada-dvandvaˆ kŠeti ca pada-dvayam

tath€ hare-pada-dvandvaˆ hare-r€ma iti dvayam tad-ante ca mah€-dev… r€ma r€ma dvayaˆ vadet

hare hare tato br™y€d hari-n€ma samuccararet mah€-mantraˆ ca kŠasya sarva-p€pa-praŠ€akam iti

He Mah€dev…! Olhe! Em Kali-yuga não existe maneira mais fácil de erradicar pecados que o cantar de r… hari-n€ma. Portanto, é essencial propagar r… hari-n€ma entre a população em geral. As pessoas em Kali-yuga podem facilmente libertar- se do maior inferno por realizar sa‰k…rtana deste mah€-mantra. Para cantá-lo, primeiro falamos hare kŠa duas vezes, depois

16

A SeqüêNCiA dO MAHš-MANTRA

kŠa duas vezes, então hare duas vezes. Logo após, cantamos hare r€ma duas vezes, r€ma duas vezes e então hare duas vezes. Devemos cantar, pronunciar e realizar sa‰k…rtana do mah€- mantra de ®r… KŠa que destrói todos os pecados”.

O R€dh€ Tantra declara:

Šu m€tar mah€-m€ye viva-b…ja-svar™piŠi hari-n€mno mah€m€ye kramaŠavat surevari

“Um bhakta ora: ‘He viva-b…ja-svar™piŠ… (semente de todo o universo)! Surevari (aquela que é adorada pelos semideuses)! Mah€m€y€! M€ta! Por favor, ouça minha prece e explique-me a seqüência do mah€-mantra'".

Em resposta, Dev… diz:

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare dv€triˆad akar€Šy eva kalau n€m€ni sarvadam etan mantraˆ putra-re˜ha prathamaˆ Šuy€n naraƒ

“Ó melhor dos filhos! O mah€-mantra para Kali-yuga concede

toda perfeição. Este mah€-mantra, n€ma de ®r… KŠa, é compos-

to por dezesseis nomes e trinta e duas sílabas: hare kŠa hare

kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare. Portanto, uma pessoa que deseja seu próprio bem-estar primeiro deve ouvir este mah€-mantra de seu Gurudeva”.

No mesmo R€dh€ Tantra, Tripur€ Dev… também sugere:

hari-n€mn€ vin€ putra d…k€ ca viphal€ bhavet guru-deva-mukh€c chrutv€

17

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

hari-n€ma par€karam

br€hmaŠa-katra-vi˜-™dr€ƒ rutv€ n€ma par€karam d…k€ˆ kuryuƒ suta-re˜ha mah€-vidhy€-su-sundara

“Ó melhor dos filhos, você é versado no mais elevado jñ€na. Olhe! Se você ouvir o gop€la-mantra de ®r… Gurudeva antes de ouvir o hare kŠa mah€-mantra, os resultados do gop€la-mantra tornar-se- ão nulos. Portanto, pessoas de todos os varŠas (castas), a exem- plo dos br€hmaŠas e katriyas, têm de ouvir este mah€-mantra de ®r… Gurudeva antes de aceitarem iniciação no gop€la-mantra”.

O Padma-Pur€Ša também diz:

dv€ntriˆad akaraˆ mantraˆ n€ma oaak€nvitam prajapan vaiŠavo nityaˆ r€dh€-kŠa-sthalaˆ labhet

“Qualquer VaiŠava que constantemente cante o hare kŠa mah€-mantra, o qual é composto por dezesseis nomes e trinta e duas sílabas, com certeza alcançará a morada de ®r… ®r… R€dh€ KŠa em Goloka VŠd€vana Dh€ma”.

Numa seção do Brahm€Ša-Pur€Ša, R€dh€-Hdya-KhaŠa, RomaharaŠa S™ta ora a ®r… Veda Vy€sa desta maneira:

yat tvay€ k…rtitaˆ n€tha hari-n€meti saˆjñitam mantraˆ brahma-padaˆ siddhi karaˆ tad vad no vibho

He Vibho! He Prabhu! Por favor, instrua-me sobre o brahma-svar™pa n€ma-mantra de ®r… Hari, o outorgador de todas as perfeições”.

Em resposta, ®r… Veda Vy€sa dá a seguinte instrução:

grahaŠ€d yasya mantrasya deh… brahma-mayo bhavet sadhyaƒ p™taƒ sur€-po ‘pi

18

A SeqüêNCiA dO MAHš-MANTRA

sarva-siddhi-yuto bhavet tad ahaˆ te ‘bhidh€sy€mi mah€-bh€gavato hy asi

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

iti oaakaˆ n€mn€ˆ tri-k€la kalma€paham n€taƒ paratarop€yaƒ sarva-vedeu vidhyate

“Ó meu filho, com certeza instruí-lo-ei sobre este mah€-mantra. Por aceitá-lo, uma pessoa situada no conceito corpóreo de vida pode se libertar e até mesmo um bêbado pode rapidamente pu-

rificar-se e alcançar toda a perfeição. Instruí-lo-ei porque você

é um mah€-bh€gavata e um candidato qualificado. Veja! Este

mah€-mantra de dezesseis palavras – hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare –, pode destruir os pecados dos três mundos. Para se alcançar a libera- ção do cativeiro material, os quatro Vedas não mencionam nada

superior ao método de se cantar este mah€-mantra”.

O Ananta-Saˆhit€ também cita:

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

oasait€ni n€m€ni dv€-triˆad varŠak€Ši hi kal€u yuge mah€-mantraƒ sammato j…va-t€raŠe

utsjyait€n-mah€-mantraˆ ye tv anyat kalpitaˆ padam

19

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

mah€-n€meti g€yanti te €stra-guru-la‰ghinaƒ

“Todos os €stras concordam que o hare kŠa mah€-mantra,

composto de dezesseis nomes e trinta e duas sílabas, é o ilustre mantra que libera as almas (j…vas) de Kali-yuga. Aqueles que negligenciam este mah€-mantra e aceitam quaisquer outros pro- cessos, devido à sua própria imaginação ou à imaginação de outrem, em realidade desobedecem ao guru e €stra. Se alguém pergunta ‘Por que este hare kŠa mantra de dezesseis palavras

é o mah€-mantra?’, a resposta é a seguinte: ‘Dentre todos os no- mes de KŠa, nenhum outro nome senão o de Hari pode facil- mente afastar pecados, grande infortúnio e ignorância. Apenas

o nome de KŠa pode outorgar amor puro por Deus (prema) e

unicamente o nome de R€ma concede liberação’. Por esta ra- zão, o mah€-mantra é composto destes três nomes principais. Em segundo lugar, estes dezesseis nomes são uma invocação. Portanto, oˆ, namaƒ, kl…ˆ, sv€h€ etc. não são necessários para que o mantra se torne mais potente. Por isto, ele é chamado de mah€-mantra”.

O Sanat-Kum€ra-Saˆhit€ declara:

hare kŠau dvir €vttau kŠa t€k tath€ hare hare r€ma tath€ r€ma tath€ t€k hare punaƒ hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

Isto significa primeiro cantar hare kŠa duas vezes, depois kŠa duas vezes, seguido de hare duas vezes. Então cante hare r€ma duas vezes, r€ma duas vezes e hare também duas vezes. Assim temos o mah€-mantra, hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare/ hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare.

20

A SeqüêNCiA dO MAHš-MANTRA

No Yajur Veda, a Kali-santaraŠa Upaniad também descreve as glórias e svar™pa do mah€-mantra desta forma:

hariƒ oˆ. dv€par€nte n€rado brahm€Šaˆ jag€ma kathaˆ bhagavan! g€ˆ parya˜an kalim santareyam iti. sa hov€ca brahm€ s€dhu pto ‘smi sarva-sr™ti-rahasyaˆ gopyaˆ tac chŠu yena kali-saˆs€raˆ tariyasi. bhagavata €di-puruasya n€r€yaŠasya n€mocc€raŠa- matreŠa nirdh™t-kalir-bhavti. n€radah punaƒ papraccha. tan-n€ma kim iti? sa hov€ca hiraŠya-garbhaƒ, “hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare, hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare.” iti oaakaˆ n€mn€ˆ kali-kalmaa-n€anam. n€taƒ paratarop€yaƒ sarva-vedeu dyate. iti oaa-kal€vtasya j…vasy€varaŠa-vin€anam. tataƒ prak€ate paraˆ brahma magh€p€ye ravi-rami-maŠdal…veti. punar n€radaƒ papraccha. bhagavan ko ‘sya vidhir iti? sa hov€ca n€sya vidhir iti. sarvad€ ™cir aucir v€ pa˜han brahmaŠaƒ sa-lokat€ˆ sam… pat€m sa rupa. t€ˆ s€yujyat€m iti.

“No final de Dv€para-yuga, ®r… Narada foi a ®r… Brahm€ e, de- pois de oferecer-lhe suas reverências, perguntou: ‘Ó Senhor, como posso, enquanto vagueio neste planeta mundano, atra- vessar esta era de Kali sem ser influenciado por ela?’.

Brahm€j… respondeu: ‘Ó filho, você fez uma excelente pergunta. Por favor, ouça o segredo mais confidencial de todos os Vedas, com o qual você poderá facilmente atravessar este mundo de Kali. Se você pronunciar o nome daquele €di-purua, Bhagav€n ®r… N€r€yaŠa (KŠa), a personalidade de Kali-yuga começará a tremer’.

N€radaj… fez outra pergunta: ‘Qual o nome de ®r… Bhagav€n? E qual é Sua svar™pa?’.

Brahm€j… respondeu: ‘hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare. Deste modo, este mah€- mantra composto de dezesseis nomes pode destruir por com- pleto todos os pecados de Kali-yuga. Em todos os Vedas não há citação sobre um s€dhana mais elevado. O mah€-mantra é dota- do de dezesseis qualidades, o que significa que pode destruir

21

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

os cinco elementos grosseiros (pañca-bhuta) e os onze sentidos que encobrem a j…va. Então, Parabrahma Se manifesta perante a j…va, assim como os raios do sol brilham fulgurosamente após as nuvens se dissiparem’.

N€radaj… perguntou: ‘Ó Senhor, quais são as regras e restrições ao se cantar este mah€-mantra?’.

Brahm€j… disse: ‘Não há regras ou restrições para se cantar este mah€-mantra. Podemos cantá-lo em estado puro ou impuro. Além do mais, por pronunciar claramente este mah€-mantra, podemos alcançar brahma (através dos quatro tipo de liberação pessoal salokya, sam…pya, sar™pya e s€yujya). Não apenas isso, podemos obter kŠa-prema, a quinta meta da vida humana (pañcama-puru€rtha)’”.

O ®r… Bhakti-Chandrika, sétimo Pa˜ala, cita:

atha mantra-varaˆ vakye dv€trimad akar€nvitam sarva-p€pa-praamanaˆ sarva-durv€san€nalam

catur-varga-paradaˆ saumyaˆ bhakti-daˆ prema-p™rvakam durbuddhi-haraŠaˆ uddha sattva-buddhi-prad€yakam

sarvar€dhyaˆ sarva-sevyaˆ sarve€m k€ma-p™rakam sarv€dhik€ra-samyuktaˆ sarva-lokaika-b€ndhavam

sarv€karsaŠa-samyuktaˆ du˜a-vy€dhi-vin€anam d…k€-vidhi-vih…naˆ ca k€l€k€la-vivarjitam v€Š-m€treŠ€rcitaˆ b€hya p™j€-vidhy-anapekakam

22

A SeqüêNCiA dO MAHš-MANTRA

jihv€-sparana-m€treŠa sarve€m phala-d€yakam dea-k€l€niyamitaˆ sarva-v€di-susammatam

“Este mah€-mantra é composto por trinta e duas sílabas e pode acabar com todos os pecados. Assim como o fogo destrói tudo, este mah€-mantra pode destruir todos os maus hábitos e conce- der princípios religiosos (dharma), desenvolvimento econômico

(artha), gratificação dos sentidos (k€ma) e liberação da existência material (moka). Sua bela forma (svar™pa) é capaz de nos tirar toda nossa tola mentalidade ignorante e de nos dar inteligên- cia no modo da bondade pura (uddha-sattvika). Ele concede os sintomas de prema-bhakti, sendo adorável e digno de ser servido por todos. ®r… n€ma satisfaz todos os desejos. Todos são qualifica- dos para servir este mah€-mantra; isto é, todos estão aptos a fazer sa‰k…rtana. Este mah€-mantra é o benquerente pessoal de todos e está dotado com a potência de atrair a todos. É o aniquilador

de todas as aflições. Não considera as regras de d…k€ e não está

restrito pelo tempo. Adora-se o mah€-mantra pelo simples fato

de

cantá-lo. Nenhum artefato externo é necessário. Ele é capaz

de

dar resultados apenas pelo Seu contato com a língua, sem

considerar regras pertinentes a tempo, lugar e circunstância”.

O ramo Pippl€da do Ath€rva-Veda declara:

sva-n€ma-m™la-mantreŠa sarvaˆ hl€dayati vibhuƒ sa eva m™la-mantraˆ japati harir iti kŠa iti r€ma iti

“Este mah€-mantra, que é composto do nome, forma etc. de ®r… KŠa – a origem de todos os avat€ras –, alegra a todos. O hare kŠa mah€-mantra, a fonte de todos os mantras, é o mantra que o próprio KŠa, sob a forma de ®r… KŠa Caitanya Mah€prabhu, canta”.

O seguinte loka explica o resultado de se fazer k…rtana do

mah€-mantra:

23

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

mantro guhyaƒ paramo bhakti-vedyaƒ n€m€ny a˜€v a˜a ca obhan€ni t€ni nityaˆ ye japanti dh…r€s te vai m€y€m atitaranti n€nye paramaˆ mantraˆ parama-rahasyaˆ nityam €vartayati

“Só através de bhakti pode-se entender o mah€-mantra, que é o mais confidencial de todos os mantras. Oito das Suas dezesseis palavras encantadoras são hare kŠa e as outras oito são hare r€ma. Portanto, apenas aquelas pessoas inteligentes que cons- tantemente cantam estes nomes libertar-se-ão de m€y€, outras não. Por isso, as pessoas inteligentes sempre cantam, realizam k…rtana e lembram-se do mah€-mantra”.

No Brahm€Ša-Pur€Ša (Divisão Norte, Capítulo 6), Pippl€da menciona que certa vez Vabh€nu Mah€r€ja orou a Kratu Muni: “Ó Senhor, se queres favorecer-me, dá-me os nomes de Hari.” Naquele momento, o santo Kratu Muni deu-lhe o mah€- mantra de dezesseis palavras. Assim, uma pessoa inteligente deve constantemente realizar sa‰k…rtana deste mah€-mantra:

n€ma-sa‰k…rtanaˆ tasm€t sad€ k€ryaˆ vipacit€.

24

“ C erta vez, ®r…mat… R€dhik€ estava sentindo uma angústia esmagadora por estar separada do
“ C erta vez, ®r…mat… R€dhik€ estava sentindo uma angústia esmagadora por estar separada do
“

Certa vez, ®r…mat… R€dhik€

“ C erta vez, ®r…mat… R€dhik€ estava sentindo uma angústia esmagadora por estar separada do Seu

estava sentindo uma angústia esmagadora por estar separada do Seu amado ®y€masundara e o encontro dos Dois tornou-se o objeto de Sua meditação. Para superar o fogo daquela separação, Ela começou a cantar o hare kŠa mah€-mantra. ®r… Caitanya Mah€prabhu, que vive absorto no humor de ®r…mat… R€dhik€, também cantou estes nomes".

®r…la Raghun€tha d€sa Gosv€m…
®r…la Raghun€tha d€sa Gosv€m…

®CAITANyA MAHšprABHu e o MAHš-MANTRA

Çr… Caitanya Mah€prabhu, que consolidou o cantar de r…- hari-n€ma-sa‰k…rtana, instrui os devotos (bhaktas) a realizarem o sa‰k…rtana do mah€-mantra.

®r… V€sudeva S€rvabhauma Bha˜˜€c€rya diz:

viaŠŠa-citt€n kali-ghora-bh…t€n sanv…kya gauro hari-n€ma-mantram svayaˆ dadau bhakta-jan€n sam€diat sa‰k…rtayadvaˆ nanu ntya-v€dyaiƒ

“Por Sua misericórdia sem causa, o próprio ®r… Caitanya Mah€prabhu deu o mah€-mantra às almas (j…vas) desamparadas e amedrontadas desta Kali-yuga. Ele orientou Seus devotos, dizendo: ‘Ó bhaktas, juntos, cantando e dançando, vocês devem realizar sa‰k…rtana’”.

harer n€ma-pras€dena / nistaret p€tak… janaƒ upade˜€ svayaˆ kŠa / caitanyo jagad-…varaƒ

kŠa-caitanya-devena / hari-n€ma-prak€itam yena ken€pi tat-praptaˆ / dhanyo’ sau loka-p€vanaƒ

“Pela misericórdia de hari-n€ma, um pecador também pode ser liberado, pois quem ensina o cantar de r… hari-n€ma é o Senhor do universo – Svayaˆ ®r… KŠa Caitanya Mah€prabhu. Por- tanto, quem tem a fortuna de receber este hari-n€ma, o qual foi inaugurado pelo próprio ®r… Caitanya Mah€prabhu, também pode purificar os outros com sua companhia”.

O grande poeta ®r…la Kavi KarŠap™ra declara em seu poema épico ®r… Caitanya-Carita (11-54):

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

tataƒ r…-gaur€‰gaƒ samavadad at…va pramudito hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

“No dia da cerimônia de sanny€sa de ®r… Caitanya Mah€prabhu,

o barbeiro a quem pediram para cortar Seu cabelo sentiu-se

perturbado e melancólico. Embora segurasse a lâmina, não tinha forças para raspar o belo cabelo de ®r… Caitanya Mah€prabhu. Ao invés disso, chorava e chorava. ®r… Caitanya Mah€prabhu, completamente imerso em r€dh€-bh€va, ficou assaz satisfeito e disse: ‘Ó barbeiro! Você sempre deve cantar em voz alta hare

kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare’. Ao ouvir estas instruções de ®r… Mah€prabhu,

o barbeiro começou a cantar e, embora continuasse a cho-

rar de aflição, começou a cortar o cabelo de Mah€prabhu. De tão absorto em cantar o mah€-mantra, ele manifestou arrepios (romañca) e seus pêlos ficaram em pé (pulaka)”.

O Caitanya-Ma‰gala declara:

b€hu pras€riy€ prabhu br€hmaŠe tulil€ t€ra ghare bhakti-bhare g€na €raˆbhil€

br€hmaŠera ghara yena haila vnd€vana hari-n€ma unib€re €ise sarva-jana

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

“Uma vez, Mah€prabhu visitou a casa de um br€hmaŠa e abraçou-o. O k…rtana que se seguiu fez aquele lar tornar-se como Vnd€vana e uma multidão juntou-se para ouvir e cantar o mah€ mantra: hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare / hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare”.

O Caitanya-Ma‰gala também diz:

hare kŠa n€ma prabhu bole nirantara prasanna r…-mukhe hare kŠa kŠa bali vijaya hail€ gauracandra kut™hal…

28

®RŸ CAiTANyA MAHšprABHu e O MAHš-MANTRA

hare kŠa hare kŠa bali prema-sukhe pratyaka hail€ €si advaita-sammukhe

“®r… Caitanya Mah€prabhu está sempre cantando r… n€ma. Um dia quando foi à casa de Advaita šc€rya, Sua face encheu-se de prazer enquanto cantava o hare kŠa mah€-mantra”.

O ®r… Caitanya-carit€mta declara:

kŠa n€ma mah€-mantra ei t’svabh€va yei jape t€re kŠe upajaye bh€va

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi-l…l€ 7.83)

“Tal é a natureza do hare kŠa mah€-mantra que, quando alguém o canta, imediatamente desenvolve seu relacionamento amoro-

so e extático com KŠa”.

kŠa viayaka prem€ — parama puru€rtha y€ra €ge tŠa-tulya c€ri puru€rtha

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi-l…l€ 7.84)

“Os quatro objetivos da vida humana – dharma (realizar perfei- tamente o dever ocupacional), artha (acumular riqueza), k€ma (satisfazer os desejos sensuais) e moka (atingir a liberação) –, ao serem comparados a kŠa-prema, o quinto e mais elevado obje- tivo, parecem tão insignificantes quanto uma palha na rua”.

pañcama-puru€rtha — prem€nand€mta-sindƒu brahm€di-€nanda y€ra nahe eka bindu

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi-l…l€ 7.85)

“Os prazeres oriundos de dharma, artha, k€ma e moka, na pre- sença da pessoa que tenha desenvolvido bh€va, são como uma gota no oceano”.

kŠa-n€mera phal’ prem€, sarva €stre kaya

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi-l…l€ 7.86)

“A conclusão de todos os €stras é que o fruto de kŠa-n€ma é amor puro por Deus (prema)”.

29

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

kali-k€le n€ma-r™pe kŠa-avat€ra n€ma haite haya sarva-jagat-nist€ra

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi-l…l€ 17.22)

“O santo nome de ®r… Bhagav€n, o hare kŠa mah€-mantra, é Seu avat€ra nesta era de Kali. Somente por cantarmos este nome nos associamos com ®r… KŠa diretamente. Quem quer que faça isto certamente alcançará a liberação”.

avatari’ caitanya kaila dharma prac€raŠa kali-k€le dharma — kŠa-n€ma-sa‰k…rtana

(®r…-Caitanya-carit€mta, Madhya-l…l€ 11.98)

“®r… Caitanya Mah€prabhu apareceu em Kali-yuga para propa- gar o dharma da era, cantando os santos nomes de KŠa”.

sa‰k…rtana-yajñe t€‰re kare €r€dhana sei ta sumedh€ €ra — kali-hata-jana

(®r…-Caitanya-carit€mta, Madhya-l…l€ 11.99)

“Quem adora ®r… Caitanya Mah€prabhu fazendo sa‰k…rtana deve ser considerado um possuidor de grande inteligência. Sabe-se que quem não realiza sa‰k…rtana carece de inteligência e é uma vítima de Kali”.

nirantara kara kŠa-n€ma-sa‰k…rtana hel€ya mukti p€be, p€be prema-dhana

(®r…-Caitanya-carit€mta, Madhya-l…l€ 25.154)

“Sempre cante kŠa-n€ma e mui facilmente você obterá mukti. Por fim, receberá o tesouro de kŠa-prema”.

eka ‘n€m€bh€se’ tom€ra p€pa doa y€be €ra ‘n€ma’ laite kŠa-caraŠa-p€ibe

(®r…-Caitanya-carit€mta, Madhya-l…l€ 25.199)

“Comece a cantar o hare kŠa mah€-mantra e, no estágio de n€m€bhasa, quando seu canto estiver quase puro, todas as suas reações pecaminosas serão removidas. Quando você cantar hare

30

®RŸ CAiTANyA MAHšprABHu e O MAHš-MANTRA

kŠa com perfeição, alcançará o abrigo dos pés de lótus de ®r… KŠa”.

n€mera phale kŠa-pade prema upajaya

(®r…-Caitanya-carit€mta, Antya-l…l€ 3.178)

“O resultado de cantarmos n€ma sem ofensa é o despertar do nosso amor extático pelos pés de lótus de KŠa”.

kali-k€lera dharma — kŠa-n€ma-sa‰k…rtana

(®r…-Caitanya-carit€mta, Antya-l…l€ 7.11)

“Em Kali-yuga, o dharma é cantar kŠa-n€ma-sa‰k…rtana”.

hare prabhu kahena — una svar™pa-r€ma-r€ya n€ma-sa‰k…rtana kalau parama up€ya

(®r…-Caitanya-carit€mta, Antya-l…l€ 20. 8)

“Em grande júbilo, ®r… Caitanya Mah€prabhu disse: ‘Meus que- ridos Svar™pa D€modara e R€m€nanda R€ya, entendam que o modo mais fácil de se atingir moka nesta era de Kali é através do cantar de hari-n€ma’“.

sa‰k…rtana-yajñe kalau kŠa-€r€dhana sei ta sumedh€ p€ya kŠera caraŠa

(®r…-Caitanya-carit€mta, Antya-l…l€ 20.9)

“Nesta era de Kali, o sistema de adoração a KŠa é realizar ya- jña por cantar o nome de ®r… Bhagav€n. Quem o faz é considera- do inteligente e por certo alcançará os pés de lótus de KŠa”.

n€ma-sa‰k…rtane haya sarv€natha-n€a sarva-ubhodaya, kŠa-premera ull€sa

(®r…-Caitanya-carit€mta, Antya-l…l€ 20.11)

“Por cantarmos kŠa-n€ma, podemos erradicar todos os senti- mentos indesejáveis do coração (anarthas). Desse modo, toda a boa fortuna desperta e o fluxo de kŠa-prema tem início”.

31

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

kh€ite uite yath€ tath€ n€ma laya k€la-de€-niyama n€hi sarva siddhi haya

(®r…-Caitanya-carit€mta, Antya-l…l€ 20.18)

“Aquele que canta o nome enquanto come ou dorme, sem con- siderar tempo ou lugar, alcança plena perfeição”.

ei mata hañ€ yei kŠa-n€ma laya r…-kŠa-caraŠe t€‰ra prema upajaya

(®r…-Caitanya-carit€mta, Antya-l…l€ 20.26)

“A pessoa despertará definitivamente prema pelos pés de lótus de ®r… KŠa se cantar kŠa-n€ma assim”.

®r…la Raghun€tha d€sa Gosv€m… afirma na introdução ao seu comentário sobre o mah€-mantra:

ekad€ kŠa-virah€d dhy€yant… priya-sa‰gamam mano-b€pa-nir€s€rthaˆ jalpat…daˆ muhur muhuƒ

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

y€ni n€m€ni virahe jaj€pa v€rabh€nav… t€nye va tad-bh€va-yukto gauracandro jaj€pa ha

r… caitanya-mukhodg…rŠa hare kŠeti varŠak€ƒ majjayanto jagat premŠi vijayant€ˆ tad€hvay€ƒ

“Certa vez, ®r…mat… R€dhik€ sentia uma angústia esmagadora por estar separada do Seu amado ®y€masundara e o encontro dos Dois tornou-se o objeto de Sua meditação. Para superar o

32

®RŸ CAiTANyA MAHšprABHu e O MAHš-MANTRA

fogo daquela separação, Ela começou a cantar o hare kŠa mah€- mantra. ®r… Caitanya Mah€prabhu, que vive absorto no humor de ®r…mat… R€dhik€, também cantou estes nomes. Portanto, os dezesseis nomes de KŠa, que consistem em trinta e duas síla- bas – o hare kŠa mah€-mantra –, emanaram da boca de lótus de ®r… Caitanya Mah€prabhu. Possa este mah€-mantra, que faz todo o universo absorver-se em kŠa-prema, estar notável e graciosa- mente presente acima de tudo mais. Jaya ho! Jaya ho! Que esse mah€-mantra seja todo vitorioso!”.

Também se faz referência ao mah€-mantra no Brahm€Ša- Pur€Ša, Uttara-khaŠa, 6.55:

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

“Os três nomes – Hare, KŠa e R€ma –, que estão no vocativo, formam o mah€-mantra”.

Os seguintes lokas do ®r… Caitanya-Bh€gavata também mos- tram a supremacia de hari-n€ma: šdi 14.137, 139-143; Madhya 6.117; Madhya 23.74-78 e Madhya 28.28.

33

“ Q uando os mah€-bh€gavatas percebem que seus discípulos estão aptos, o que significa que
“ Q uando os mah€-bh€gavatas percebem que seus discípulos estão aptos, o que significa que
“

Q uando os mah€-bh€gavatas

“ Q uando os mah€-bh€gavatas percebem que seus discípulos estão aptos, o que significa que são

percebem que seus discípulos estão aptos, o que significa que são gratos, pacíficos, vitoriosos sobre os sentidos, puros de coração, e que, sobretudo, têm os corações preenchidos pelo apego (anur€ga) a ®r… ®r… R€dh€-RamaŠa, eles, mui misericordiosamente, os abençoam dando-lhes o hare kŠa mah€-mantra que é composto de três palavras”.

®r… Gop€la Guru Gosv€m…

C OMeNTáriOS SOBre O M AHš- M ANTRA M€dhurya-may… O mah€-mantra consiste de três palavras.

COMeNTáriOS SOBre O MAHš-MANTRA

M€dhurya-may…

O mah€-mantra consiste de três palavras. Cada uma delas está no vocativo 2 , ou seja, trata-se de um chamamento. Estas palavras são Hare, KŠa e R€ma.

vijñ€pya bhagavat-tattvaˆ cid-ghan€nanda-vigraham haraty avidyaˆ tat-k€ryam ato harir iti smtaƒ

€nandaika-sukhaƒ r…m€n y€maƒ kamala-locanaƒ gokul€nanda-do nanda nandanaƒ kŠa …ryate

vaidagdh… s€r€-sarvasvaˆ m™rti-l…l€dhidaivatam r…-r€dh€ˆ ramaya nityaˆ r€ma ity abhid…yate

(Brahm€Ša-Pur€Ša)

“®r… Bhagav€n é sac-cid-€nanda vigraha, a personificação da eternidade, conhecimento e bem-aventurança. Por ser Ele capaz de erradicar toda a ignorância, o termo Hari (aquele que tira) é um meio apropriado para lembrarmo-nos Dele. Só se pode chamar de KŠa (o todo-atrativo) o Nanda-nandana de olhos de lótus, ®r… Sy€masundara, que concede bem-aventurança a

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

todos os residentes de Gokula. ®r… KŠa é o l…l€-vigraha (a per- sonificação dos passatempos) e a jóia suprema de toda sabe- doria e destreza. Por desfrutar eternamente dos passatempos conjugais com ®r…mat… R€dhik€, Ele também é conhecido como R€ma (o desfrutador)”.

Aivarya-may…

O šgama-€stra diz:

harati tri-vidhaˆ t€paˆ janma-ko˜i-atodbhavam papaˆ ca smarat€ˆ yasm€t tasm€d dharir iti smtaƒ

kir bh™-v€cakaƒ abdo Ša ca nirvti v€cakaƒ tayor aikyaˆ paraˆ brahma kŠa ity abhidh…yate

ramante yog…no ‘nante saty€nande cid-€tmani iti r€ma-paden€sau paraˆ brahm€bhid…yate

“Bhagav€n ®r… KŠa é conhecido como Hari porque destrói o

tríplice envoltório de aflições de incontáveis nascimentos, bem como as atividades pecaminosas realizadas pelo corpo, men-

te e palavras dos devotos que se lembram Dele. K significa

‘todo-atrativo’ e Ša, ‘prazeroso’. A combinação dessas sílabas refere-se a ®r… KŠa, o todo-atrativo parabrahma. Os yog…s na plataforma transcendental sentem grande prazer meditan- do Nele como a forma infinita de bem-aventurança suprema (nity€nanda-svar™pa) e como o possuidor de uma forma trans- cendental (cinmaya-svar™pa). Por esta razão, Ele é chamado de R€ma (o desfrutador supremo)”.

38

COMeNTáriOS SOBre O MAHš-MANTRA

yugala-smaraŠa-may…

O ®ruti-€stra declara:

mano harati kŠasya kŠahl€da-svar™piŠ… tato har€ r…-r€dhaiva tasy€ƒ saˆbodhanaˆ hare

apaghya trap€ˆ dharmaˆ dhairyaˆ m€naˆ vraja-striyaƒ veŠun€ karati gh€t tena kŠo’ abhidh…yate

ramayaty aniaˆ r™pa l€vaŠyair vraja-yoit€m manaƒ pañcendriy€Š…ha r€mas tasm€t prak…rtitaƒ

“®r… R€dh€ é a hl€din…-akti (potência de prazer) de ®r… KŠa. Ela

é conhecida como Har€ (aquela que rouba) porque pode cativar

a mente de KŠa. Dirigimo-nos a Har€ com o vocativo Hare. Vraja-r€ja-kum€ra, o Príncipe de Vraja, é conhecido como KŠa. Como o som de Sua flauta é tão atraente para as vaqueirinhas,

estas perdem sua timidez natural, senso de dharma, orgulho, compostura e abandonam seus lares. Portanto, Ele é conhecido como KŠa. Sua forma de beleza extraordinária (r™pa-l€vaŠya) inunda permanentemente as mentes e os sentidos das vaquei- rinhas em bem-aventurança suprema. Por esta razão, Ele é glo- rificado como R€ma”.

Por esta razão, Ele é glo- rificado como R€ma”. Comentário de ®r…la J…va Gosv€m… Hare –

Comentário de ®r…la J…va Gosv€m…

Hare – A beleza transcendental de ®r… KŠacandra cativa as mentes de todos, mas ®r…mat… R€dhik€ cativa a mente de ®r…

KŠa empregando Sua perspicácia sem paralelo. Portanto, Ela

é conhecida como Har€. O vocativo de Har€ é Hare.

39

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

KŠa – ®r… Hari, adornado com qualidades que desnorteiam os três mundos, atrai ®r…mati R€dhik€ com Sua beleza jovial e o doce som de Sua flauta. Portanto, Ele é chamado KŠa, o todo-atrativo.

Hare – ®r… KŠa raptou ®r…mati R€dhik€ de olhos de corça, levando-a a um kuñja recluso dentro da r€sa-maŠala. Isto nos ensinam as palavras dos mah€-puruas. Portanto, R€dhik€ é co- nhecida como Har€. Har€, no vocativo, torna-se Hare.

KŠa – A magnífica refulgência que emana das partes de Seu corpo pode transformar o ouro, dando-lhe o esplendor de uma safira negra (y€ma-varŠa). Este R€dh€-RamaŠa ®y€masundara é chamado KŠa.

KŠa – ®r… Hari manifestou o ®y€ma KuŠa, o mais eleva- do de todos os lagos (sarovaras), na floresta de Vraja, perto de Govardhana. Ele fez isso conforme o desejo de Sua amada, ®r… R€dhik€, e atraiu todos os locais de águas sagradas (t…rthas) até aquele kuŠa. Os eruditos, que entendem este segredo profun- do, O chamam de KŠa.

KŠa – Embora Seus passatempos nas margens do Yamun€, em Vnd€vana, confundam o mundo, o todo-atrativo dh…ra-lalita- n€yaka, ®r… Hari, sente-Se atraído pelo amor transcendental (prema) de ®r… R€dhik€ – o qual é celebrado com o nome mah€bh€va. Esta é a razão pela qual os eruditos O chamam de KŠa.

Hare – Enquanto vivia em Vraja, ®r… KŠa roubou a força vital de Arist€sura, o forte demônio em forma de touro. Neste exa- to momento, ®r…mat… R€dhik€, em grande júbilo, bradou “Hari! Hari!” Por esta razão, ®r… R€dh€ é conhecida como Har€. Refe- rimo-nos a Har€ como Hare.

Hare – ®r… R€dhik€ canta acerca dos passatempos de ®r… KŠa em tons confusos e, algumas vezes, canta bem alto, cheia de intensa afeição. Portanto, os acadêmicos eruditos que perce- bem as doçuras do relacionamento transcendental (rasa-tattva),

40

COMeNTáriOS SOBre O MAHš-MANTRA

referem-se a Ela como Har€. Para dirigir-se a Har€ usa-se Hare.

Hare – Em Vnd€vana, ®r… R€dhik€ rouba, brincando, a flauta que cai das mãos de ®r… KŠa, quando Ele está imerso em rasa. Por isso, R€dhik€ Dev… é conhecida como Har€. O vocativo de Har€ é Hare.

r€ma – ®r… KŠa é parirambha-vicakaŠa, supremamente habi- lidoso na arte de abraçar. Assim, Ele é conhecido como R€ma, pois vagueia com ®r… R€dhik€, brincando e desfrutando nos bosques (kuñjas) de Govardhana.

Hare – ®r… R€dhik€ é assaz misericordiosa. Ela rouba todas as aflições dos bhaktas e diariamente concede-lhes júbilo interno. Portanto, Ela é conhecida como Har€ e A chamamos de Hare.

r€ma – As mentes dos bhaktas que realizam bhajana se delei- tam em ®r… KŠa, o mais elevado oceano de bem-aventurança (param€nanda-sindhu). Por essa razão, aquele ®y€masundara vi- graha, ®r… KŠa, é conhecido como R€ma.

r€ma – Nos kuñjas, ®r…mati R€dhik€ satisfaz ®r… Hari com Seu prema. Portanto, segundo a definição ramayati €nandayati, “Aquele que outorga felicidade e bem-aventurança”, Ele é cha- mado de R€ma. ®r… KŠa é conhecido como R€ma porque Se une a ®r… R€dh€.

r€ma – Quando ®r… KŠa, a fonte de prazer dos bhaktas, viu to- dos os habitantes de Vraja (vrajav€s…s) chorando temerosamen- te, Ele engoliu o incêndio florestal, dando-lhes grande prazer. Portanto, ®r… KŠa, que faz preparativos para Seus bhaktas se divertirem com Ele, é chamado de R€ma.

Hare – ®r… KŠa foi a Mathur€ Pur… a fim de matar Kaˆsa e outros demônios. Sua única intenção era retornar a Vraja e en- contrar-Se com ®r… R€dhik€. Ela atrai ®r… KŠa de dh€mas como Mathur€ e O traz a Vraja. Por esta razão, Ela é chamada de Har€ (aquela que rouba). O vocativo de Har€ é Hare.

41

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Hare – ®r… Nanda-nandana veio de Mathur€ e Dv€rak€ para roubar todas as aflições dos Vrajav€s…s. Este Nanda-nandana, dotado de passatempos que cativam a mente de ®r… R€dhik€, é chamado de Hari. A palavra Hari torna-se Hare no vocativo.

Aqui termina o comentário de ®r…la J…va Gosv€m… sobre o mah€-mantra.

Comentário de ®r… Gop€la Guru Gosv€m…

Os mah€-bh€gavatas lembram-se eternamente do bem-aventura- do y€ma-kiora-vigraha, ®r… R€dh€-RamaŠa, o qual pode destruir a ignorância, bem como a existência material que dela surge.

Quando os mah€-bh€gavatas percebem que seus discípulos estão aptos, o que significa que são gratos, pacíficos, vitoriosos sobre os sentidos, puros de coração, e que, sobretudo, têm os corações preenchidos pelo apego (anur€ga) a ®r… ®r… R€dh€-RamaŠa, eles, mui misericordiosamente, os abençoam dando-lhes o hare kŠa mah€-mantra que é composto de três palavras.

Hare – O fogo pode queimar qualquer coisa, mesmo que não o desejemos. Similarmente, Prabhu pode eliminar todos os pecados das pessoas de mente malévola, a despeito das atitudes destas ao se lembrarem d’Ele. Portanto, Seu nome é Hari, aquele que rouba.

Sac-cid-€nanda-vigraha Bhagav€n revela Seu tattva (as verdades conclusivas e filosóficas) ao coração de quem lembra dos Seus nomes e os canta. Simultaneamente, Ele destrói a ignorância que ali jaz. Este Prabhu é lembrado pelo nome Hari.

Ele é chamado de Hari pois remove as três misérias que afligem as entidades móveis e inertes. O processo de cantar e ouvir sobre Suas qualidades transcendentais cativa as mentes das pessoas munda- nas. Portanto, Seu nome é Hari. Sua doce beleza captura as mentes de milhões de k€madevas (Cupidos). Por isso, o Príncipe de Vraja, ®r… KŠa, é conhecido como Hari. A forma vocativa de Hari é Hare.

42

COMeNTáriOS SOBre O MAHš-MANTRA

®r…mati R€dhik€ cativa a mente de KŠa com a forma e as qualidades que Ela possui, assim como através da expansão de Seu próprio prema e, deste modo, satisfaz o prazer amoroso de r€sa. Desta maneira, pessoas educadas falam e cantam sobre a

hl€din…-akti de ®r… KŠa, Vabh€nu-nandin… ®r… R€dh€, usan-

do o nome Har€. O vocativo de Har€ é Hare.

KŠa – O vocábulo k significa todo-atrativo e Ša quer dizer bem-aventurado supremo. Quando combinados indicam o parabrahma todo-atrativo e bem-aventurado, conhecido pelo nome ®r… KŠa. Esse ®r… Govinda tem corpo eterno, pleno de conhecimento e bem-aventurança. Ele é a causa primordial de todas as causas, conhecido pelo nome KŠa.

O filho do rei Nanda, de olhos de lótus e tez escura, é a única

fonte de bem-aventurança dos residentes de Gokula. Referimo- nos a Ele como KŠa.

r€ma – ®aŠkaraj… disse a P€rvat…: “He Dev…! Por pronunciar a primeira sílaba da palavra R€ma (r€), todos os pecados abando- nam o corpo. Quando cantamos a sílaba ma, a porta da boca se fecha e, desse modo, os pecados não mais podem nela entrar”.

Os yog…s meditam no para-tattva, a verdade ilimitada e trans- cendental e a personificação do prazer. Este para-tattva paraˆ brahma é conhecido como R€ma.

A deidade predominante (adhi˜h€t-deva) de todos os pas-

satempos saturados de rasa é rasika-ekhara ®r… KŠa, que é supremamente astuto e diverte-Se eternamente com ®r…mati R€dhik€. Portanto, referimo-nos a Ele como R€ma.

®r… KŠa atrai a mente de ®r… R€dhik€ e, com Ela, se entretem em

folguedos. Por isso, Ele é conhecido como R€ma. No Krama-d… pik€, ®r… KŠa disse a Candram€, a Lua: “O nome de R€dh€ é superior a centenas de Meus nomes. Nem mesmo Eu conheço o benefício reservado àquele que sempre canta e se lembra de

®r… R€dh€”.

43

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Hare – kŠasya mano harat…ti har€ r€dh€, tasy€ƒ saˆbodhane he hare: ®r…mati R€dhik€, que rouba a mente de KŠa, é chamada de Har€. O vocativo de Har€ é Hare.

KŠa r€dh€y€ manaƒ karat…ti kŠaƒ tasya saˆbodhane he kŠa:

A palavra KŠa significa aquele que atrai a mente de ®r… R€dh€. Para dirigirmo-nos a Ele, falamos: “He KŠa!”.

Hare kŠasya loka-lajj€-dhairy€di sarvaˆ harat…ti har€ r€dh€, tasy€h saˆbodhane he hare: ®r… R€dhik€ faz com que KŠa perca (har€) toda Sua reputação de ser tímido, sóbrio, paciente, mo- desto etc. Dirigimo-nos a Ela assim: “He Hare!”.

KŠa r€dh€y€ loka-lajj€-dhairy€di sarva-karat…ti kŠaƒ, tasya saˆbodhane he kŠa: Aquele que atrai ®r…mati R€dhik€ de tal maneira que Ela perde toda Sua timidez e paciência é chamado de KŠa. “He KŠa!” é o modo de dirigir-se a Ele.

KŠa yatra yatra r€dh€ ti˜hati gacchati v€ tatra tatra s€ payati kŠo m€ˆ spati, bal€t kañcuk€dikaˆ sarvaˆ harat…ti kŠaƒ, tasya saˆbodhane he kŠa: Aonde quer que ®r…mati R€dhik€ esteja ou vá, Ela vê ®r… KŠa tocando-A e atraindo-A forçosamente a Ele. Por esta razão, Ele é chamado KŠa (o todo-atrativo) e nos di- rigimos a Ele assim: “He KŠa!”.

KŠa punar harat€ˆ gamayati vanaˆ karat…ti kŠaƒ, tasya saˆbodhane he kŠa: Ele dá prazer a ®r… R€dh€, que de novo Se aventura na floresta de Vnd€vana, sentindo-Se irresisti- velmente atraída pelo som da flauta de KŠa. Por isso, Ele é chamado de KŠa e nos dirigimos a Ele assim: “He KŠa!”.

Hare yatra kŠo gacchati ti˜hati v€ tatra tatra payati r€dh€ mam€gre p€rve sarvatra ti˜hati viharati iti har€ r€dh€, tasy€ƒ saˆbodhane he hare: Aonde quer que vá ou esteja, em qualquer direção, ®r… KŠa vê R€dh€ junto a Ele – por isso, Sua cons- ciência é cativada por Ela. Deste modo, chamam-Na de Har€. Dirigimo-nos a Ela assim: “He Hare!”.

44

COMeNTáriOS SOBre O MAHš-MANTRA

Hare punas taˆ kŠaˆ harati sva-sthanam abhis€rayat…ti har€ r€dh€, tasy€ƒ saˆbodhane he hare: Mais uma vez, Ela rouba KŠa para um encontro amoroso secreto – portanto, Har€ é como nos referimos a Ela. Har€ muda para Hare no vocativo.

Hare kŠaˆ vanaˆ harati vanam €gamayat…ti har€ r€dh€, tasy€ƒ saˆbodhane he hare: ®r… R€dh€ forçosamente leva KŠa para os bosques da floresta de Vnd€vana. Por isso, ®r… R€dhik€ é cha- mada de Har€. Para nos dirigirmos a Ela usamos: “He Hare!”.

r€ma ramayati taˆ narma-nir…kaŠ€dineti r€maƒ, tasya saˆbodhane he r€ma: O sorriso, a gargalhada e o olhar de ®r… KŠa são causas de prazer para ®r…mat… R€dhik€, portanto, Seu nome é R€ma. Dirigimo-nos a Ele assim: “He R€ma!”.

Hare t€t-k€likaˆ dhairy€valaˆb€n€dikaˆ kŠasya harat…ti har€ r€dh€ tasy€h sambodhane he hare: A companhia de ®r… R€dhik€ faz com que KŠa repentinamente perca Sua compostura. Portan- to, Ela é Har€. Dirigimo-nos a Ela assim: “He Hare!”.

r€ma cumbana-stan€karaŠ€lingan€dibhiƒ ramate iti r€maƒ tasya saˆbodhane he r€ma: KŠa desfruta de ®r… R€dh€ com Seus abraços, carícias confidenciais etc. Dirigimo-nos a Ele assim: “He R€ma!”.

r€ma punas taˆ puruocitaˆ ktv€ ramayat…ti r€maƒ, tasya saˆbodhane he r€ma: KŠa é aquele que desfruta de passatem- pos conjugais com Sua consorte ®r… R€dh€, fazendo-A encenar o papel dominante no amor. Portanto, Ele é chamado de R€ma (o desfrutador) e nos dirigimos a Ele assim: “He R€ma!”.

r€ma punas tatra ramate iti r€maƒ, tasya saˆbodhane he r€ma:

Por regozijar-Se repetidamente, Ele é chamado de R€ma e refe- rimo-nos a Ele assim: “He R€ma!”.

Hare punar€s€nte kŠasya mano htv€ gacchat…ti har€ r€dh€, tasy€ƒ saˆbodhane he hare: Tão logo se encerra a r€sa-l…l€, R€dh€ captura a mente de ®r… KŠa e vai embora. Portanto, Ela é cha- mada de Har€. Dirigimo-nos a Ela assim: “He Hare!”.

45

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Hare r€dh€y€ mano htv€ gacchat…ti hariƒ kŠaƒ, tasya saˆbodhane he hare: De modo similar, ®r… KŠa, no término da r€sa-l…l€, tam- bém cativa a mente de ®r… R€dhik€. Portanto, Ele é chamado de Hari. Referimo-nos a KŠa assim: “He Hare!”.

Aqui termina o comentário de ®r… Gop€la Guru Gosv€m… sobre o mah€-mantra.

Comentário de ®r…la Bhaktivinoda µh€kura

He Hare! mac-cittaˆ htv€ bh€va-bandh€n mocaya: He Hare! Por favor, cative minha mente e liberte-me desta existência material.

He KŠa! mac-cittam €kara: He KŠa! Por favor, atraia minha mente irrequieta em Sua direção.

He Hare! sva-m€dhuryeŠa mac-cinttaˆ hara: He Hare! Cative minha mente com Sua m€dhurya espontânea.

He KŠa! sva-bhakta-dv€r€ bhajana-jñ€na-d€nena mac-cittaˆ odhaya: He KŠa! Por favor, purifique minha mente com o co- nhecimento de bhajana, conforme concedido pelos Seus bhaktas que compreendem a ciência de bhakti-tattva.

He KŠa! n€ma-r™pa-guŠa-l…l€diu man-ni˜haˆ kuru: He KŠa! Por favor, faça-me ter fé firme em Seu nome, forma, qualidades

e passatempos.

He KŠa! rucir bhavatu me: He KŠa! Possa eu desenvolver gosto pelo Seu nome, forma, qualidades e passatempos.

He Hare! nija-sev€-yogyaˆ maˆ kuru: He Hare! Por favor, tor- ne-me apto para eu poder prestar-Lhe serviço.

He Hare! sva-sev€m €deaya: He Hare! Por favor, qualifique-me

e me ocupe a Seu serviço.

He Hare! sva-pre˜hena saha sv€bh…˜a-l…l€ˆ r€vaya: He Hare!

46

COMeNTáriOS SOBre O MAHš-MANTRA

Por favor, faça-me ouvir as narrações que versam sobre os Seus passatempos doces com os Seus mais amados bhaktas.

He r€ma! pre˜hay€ saha sv€bh…˜a-l…l€ˆ m€m r€vaya: He R€ma! R€dhik€-R€maŠa! Faça com que eu ouça os Seus mais afáveis passatempos e a Sua doce e afetuosa voz em Goloka, na Sua companhia e de Sua amada R€dhik€.

He Hare! va-pre˜hena saha sv€bh…˜a-l…l€ˆ maˆ daraya: He Hare! ®r…mat… R€dhike! Por favor, dê-me o darana dos Seus passatem- pos mais queridos envolvendo Você e Seu amado ®r… KŠa.

He r€ma! pre˜hay€ saha sv€bh…˜a-l…l€ˆ maˆ daraya: He R€ma! R€dhika-R€maŠa! Por favor, revele-me Seus passatempos com a Sua amada.

He r€ma! n€ma-r™pa-guŠa-l…l€-smaraŠ€diu m€ˆ yojaya: He R€ma! Você que Se entretem em passatempos com Seus compa- nheiros eternos, por favor, ocupe-me em lembrar de Seu nome, forma, qualidades e passatempos.

He r€ma! tatra maˆ nija-sev€-yogyaˆ kuru: Ó Você que dá pra- zer a Seus associados eternos! Ó ®y€ma! Por favor, torne-me apto para Lhe servir enquanto me lembro do Seu nome, forma, qualidades e passatempos.

He Hare! maˆ sv€ng… ktya ramasva: He Hare! Por favor, aceite esta pessoa perversa e caída. Brinque comigo conforme eu merecer.

He Hare! may€ saha ramasva: He Hare! Por favor, realize Suas brincadeiras transcendentais comigo. Esta é minha única prece aos Seus pés de lótus.

(®r… Caitanya-®ik€mta)

Aqui termina o comentário de Saccid€nanda ®r…la Bhaktivinoda µh€kura.

47

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Comentário contido no ®r… pada-kalpataru

nara harin€ma antare acchu bh€vaha habe bh€va-s€gare p€ra dhara re ravaŠe nara harin€ma s€dare cint€maŠi uha s€ra

“Ó irmão! Quando você tiver compreendido internamente este hari-n€ma, poderá cruzar o oceano de nascimentos e mortes (saˆsara). Quando este hari-n€ma é levado com muito respeito ao ouvido, pode-se bebê-lo, ouvi-lo e absorvê-lo, pois sua pró- pria essência é cint€maŠi”.

yadi kta-p€pi €dare kabhu mantraka r€ja ravaŠe kare p€na r… kna caitanya bale haya tacchu durgama p€pa t€pa saha tr€Ša

“®r… Caitanya Mah€prabhu afirma que até mesmo os pecadores ou os reis que beberem r… n€ma terão, por ouvir respeitosamente este mantra, seus pecados subjugados juntamente com todas as misérias do fogo abrasante deste mundo material (adhy€tmika, adhibhautika e adhidaivika)”.

karaha gaura-guru-vaiŠava-€raya laha nara harin€ma-h€ra saˆs€re n€ma lai sukti haiy€ tare €p€mara dur€c€ra

“Ó irmão! Por favor, abrigue-se em Gaura, Guru e VaiŠavas, e aceite esta guirlanda de r… hari-n€ma. Mesmo os mais perversos e pecaminosos neste saˆsara serão purificados através do can- tar de hari-n€ma”.

ithe kta-viaya-tŠa pahuñ-n€ma-h€r€ yo dh€raŠe rama-bh€ra ku-tna jagad€nanda kta-kalmaa kumati rahala k€r€g€ra

48

COMeNTáriOS SOBre O MAHš-MANTRA

“Contudo, aquela pessoa que abandona ®r… Bhagav€n-N€ma, desejando agradar seus próprios sentidos, carrega um fardo de trabalho penoso. Assim, Jagad€nanda, que é luxurioso, cheio de pecados e de mentalidade demoníaca, permanece dentro desta prisão”.

(®r… Pada-kalptaru Gaurapada-tara‰giŠ…, Tara‰ga 1, uchhv€sa 2, pada 59)

 

1

3

nara

ha

ri-n€ma anta

re

acchu bh€vaha

ha

be bhavas€ga

re

p€ra

dhara

re

ravaŠe nara

ha

ri-n€ma s€da

re

cint€maŠi u

ha

s€ra

yadi

k

ta-p€pi €da

re

kabhumantraka-

r

ja ravaŠe ka

re

p€na

r…k

Ša

caitanya bale

ha

ya tacchudurga

ma

p€pa t€pa sa

ha

tr€Ša

kara

ha

gaura-guru-vai

Ša

va €raya la

ha

nara harin€

ma

h€ra

saˆs€

re

n€ma lai su

k

ti haiy€ ta

re

€p€mara du

r

c€ra

ithe

k

ta-viaya-t

Ša

pahuˆ-n€ma-h€

r

yo dh€raŠe ra

ma

bh€ra

kut

Ša

jagad€nanda

k

ta-kalmaa ku

ma

ti rahala k€

r

g€ra

 

2

4

hare kŠa hare kŠa kŠa kŠa hare hare hare r€ma hare r€ma r€ma r€ma hare hare

Esta ilustração revela o hare kŠa mah€-mantra oculto na canção ®r… Pada-kalpataru.

49

“ Ç r… KŠa-n€ma é o mais doce de tudo o que é doce e
“ Ç r… KŠa-n€ma é o mais doce de tudo o que é doce e
“

Çr… KŠa-n€ma é o mais doce

“ Ç r… KŠa-n€ma é o mais doce de tudo o que é doce e o

de tudo o que é doce e o que há de mais auspicioso dentre tudo que é auspicioso. Ele é a trepadeira em florescência, o fruto eterno e completamente maduro do Bh€gavata, a personificação do conhecimento, cit-akti. Ó melhor da dinastia Bgu! Mesmo que alguém cante o santo nome uma só vez, seja com fé ou com indiferença (hel€), ele será imediatamente liberado deste oceano de nascimentos e mortes“.

®r…-Hari-Bhakti-Vil€sa 11.234

AS GlóriAS de ®HARI-NšMA

O nome de ®r… Bhagav€n é amplamente glorificado nos €stras e um pouco destas glórias será mencionado aqui.

N€ma-svar™pa

n€ma cint€maniƒ kŠa caitanya-rasa-vigrahaƒ p™rnaƒ uddho nitya-mukto ‘bhinnatv€n n€ma-n€minoƒ

(®r…-Bhakti-Ras€mta-Sindhu, Divisão Oriental, Segunda Onda 108)

“Não existe diferença entre n€ma (o nome de KŠa) e n€m… (KŠa), pois r… kŠa-n€ma é cint€maŠi-svar™pa (a pedra de to- que original que realiza todos os desejos) tanto quanto o próprio Svayaˆ KŠa, que é caitanya-rasa-vigraha (a forma plenamente consciente de rasa). ®r… N€ma é completo, eternamente liberado e está além de m€y€”.

N€ma concede toda perfeição em Kali-yuga

kaler doa-nidhe r€jann asti hy eko mah€n guŠaƒ k…rtan€d eva kŠasya mukta-sa‰gaƒ paraˆ vrajet

(®r…mad-Bh€gavatam 12.3.51)

“Meu querido rei, embora Kali-yuga seja um oceano de falhas, ainda existe uma boa qualidade nesta era: pelo simples cantar do hare kŠa mah€-mantra, podemos nos libertar da prisão ma- terial e alcançar Bhagav€n”.

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

kte yad-dhy€yato viŠuˆ tret€y€ˆ yajato makhaiƒ dv€pare paricary€y€ˆ kalau tad dhari-k…rtan€t

(®r…mad-Bh€gavatam 12.3.52)

“O resultado alcançado em Satya-yuga através da meditação em ®r… Bhagav€n (dhy€na), em Tret€-yuga por se realizar yajñas opulentos e em Dv€para-yuga por se fazer arcana é facilmente alcançável em Kali-yuga por se praticar hari-n€ma-k…rtana”.

kali-k€le n€ma-r™pe kŠa-avat€ra n€ma haite haya sarva-jagat-nist€ra

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi 17.22)

“Em Kali-yuga, o avat€ra de ®r… KŠa vem sob a forma do Seu nome. Simplesmente por cantar este nome, o mundo inteiro pode ser liberado”.

n€ma vin€ kali-k€le n€hi €ra dharma sarva-mantra-s€ra n€ma ei €stra-marma

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi 7.74)

“Não existe outro s€dhana em Kali-yuga senão o cantar de hari- n€ma. Ele é a essência de todos os mantras védicos. Esta é a essência de todos os €stras acerca de n€ma-tattva.

As glórias de n€ma segundo os sábios da antiguidade

aˆhaƒ sa‰harate ’khilaˆ sakd uday€d eva sakala-lokasya taraŠir iva timira-jalandhim jayati jagan-mangalaˆ harer-n€ma

(®r…-Pady€val…, loka 16, composto por ®r…la ®r…dhara Sv€m…)

“Todas as glórias a hari-n€ma, que é auspicioso para o mundo inteiro! Assim como o sol nascente dissipa toda a escuridão, se

54

AS GlóriAS de ®rŸ HARI-NšMA

hari-n€ma surgir apenas uma vez poderá destruir todos os nos- sos pecados”.

€k˜iƒ kta-cetas€ˆ sumanas€m ucch€˜anaˆ c€ˆhas€m €-caŠ€lam am™ka-loka-sulabho vaya ca mukti-riyaƒ no d…k€m na ca sat-kriy€ˆ na ca puracary€ˆ man€g …kate mantro ‘yaˆ r€san€-spg eva phalati r…-kŠa-n€m€tmakaƒ

(®r…-Pady€val… 18)

“As mentes daqueles que são guŠ€t…ta (situados além das três qualidades materiais) são atraídas ao n€ma que erradica todos os pecados. Este ®r… KŠa n€ma svar™pa (KŠa sob a forma do mah€-mantra), além de cativar a opulência de mukti, é facilmen- te acessível àqueles que são inferiores aos c€n€las. Ele confere resultados mesmo num contato inicial com a língua, indepen- dentemente da pessoa ter aceito iniciação (d…k€), realizado ati- vidades piedosas ou feito votos de austeridade”.

As glórias de cantar n€ma excedem as glórias da percepção direta de brahma

yad-brahma-s€k€t-kti-ni˜hay€pi vin€am €y€ti vin€ na bhogaiƒ apaiti n€ma-sphuraŠena tat te pr€rabdha-karmeti virauti vedaƒ

(®r…-KŠa-N€m€˜akam 4, ®r…la R™pa Gosv€m…)

“Ó n€ma! Conforme declaram os Vedas em alto e bom som, as reações pecaminosas frutificadas (pr€rabdha-karma) de um bhakta, as quais não podem ser eliminadas sequer pela medi- tação resoluta no brahma impessoal, são mitigadas de vez pelo Seu aparecimento na língua. Isso tudo se alcança sem nenhum sofrimento”.

55

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

A superioridade de n€ma-k…rtana

agha-cchit-smaraŠaˆ viŠor bahv-€y€sena s€dhyate o˜ha-spandana-m€treŠa k…rttanas tu tato varam

(®r…-Hari-Bhakti-Vil€sa 11/236, VaiŠava-Cint€maŠi-V€kya)

“Embora a lembrança de ®r… ViŠu, r…-viŠu-smaraŠaˆ, destrua todos os pecados, ela só pode ser realizada por completo por uma pessoa que tenha se esforçado em suplantar grandes di- ficuldades durante um longo tempo. Porém, viŠu-k…rtanam é superior, pois quando ®r… KŠa-n€ma simplesmente vibra nos lábios de alguém, ainda que seja n€mabhasa (a sombra de n€ma), tal pessoa torna-se livre do cativeiro do ciclo de nascimentos e mortes (saˆs€ra).”

A superioridade de n€ma-k…rtana comparado a dhy€na e p™j€

jayati jayati n€m€nanda-r™paˆ mur€rer viramita-nija-dharma-dhy€na-p™j€di-yatnam katham api sakd €ttaˆ mukti-daˆ pr€Šin€ˆ yat paramamtam ekaˆ j…vanaˆ bh™a‰aˆ me

(®r…-Bhad-Bh€gavat€mtam 1.1.9, ®r…la San€tana Gosv€m…)

“Todas as glórias, todas as glórias ao nome de ®r… KŠa Mur€ri,

a personificação da bem-aventurança divina! Ele põe fim ao

ciclo de nascimentos e mortes e nos alivia de todos os esforços dolorosos na prática da religião, meditação, caridade, adoração

à deidade e austeridade. Ele concede liberação àquele que o

pronuncia apenas uma vez. KŠa-n€ma é o único néctar supre- mo e tesouro da minha vida!”.

yena janma-ataiƒ p™rv€ˆ v€sudevaƒ samarcitaƒ

56

AS GlóriAS de ®rŸ HARI-NšMA

tan-mukhe hari-n€m€ni sad€ ti˜hanti bh€rata

(®r…-Hari-Bhakti-Vil€sa 11. 237)

“Ó grande descendente de Bharata! O nome de ®r… Hari perma- necerá eternamente nos lábios daqueles que, em suas centenas de vidas anteriores, realizaram arcana de V€sudeva”.

®r… n€ma não é regido pelas regras relativas a tempo, lugar e circunstância

na dea-niyamo r€jan na k€la-niyamas tath€ vidyate n€tra sandeho viŠor n€m€nuk…rttane

k€lo ‘sti d€ne yajñe ca sn€ne k€lo ‘sti saj-jape viŠu-sank…rttane k€lo nasty atra pthiv…-tale

(®r…-Hari-Bhakti-Vil€sa 11.206)

“Ó Rei! É dito que, com toda a certeza, tempo e lugar não são leva- dos em conta na realização do k…rtana dos nomes de ®r… ViŠu. Tais regras se aplicam à caridade, à execução de yajña e ao cantar de ou- tros tipos de japa. Neste planeta Terra, contudo, esta consideração não se aplica à prática do sa‰k…rtana dos nomes de ®r… ViŠu”.

na dea-niyamas tastim na k€la-niyamas tath€ nocchi˜€dau niedho ‘sti r…-harer n€mni lubdhaka

(®r…-Hari-Bhakti-Vil€sa 11.202, citação do ViŠu-dharmottara)

“Ó Caçador! As questões relativas a tempo e lugar não são con- sideradas na execução de n€ma-k…rtana de ®r… Hari, assim como

57

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

não há qualquer proibição por encontrar-se num estado impu- ro, tal como durante a refeição, ao defecar etc”.

madhura-madhuram etan ma‰galam ma‰gal€n€ˆ sakala-nigama-vall… sat-phalaˆ cit-svar™pam sakd api parig…taˆ raddhay€ helay€ v€ bhguvara nara-m€traˆ t€rayet kŠa n€ma

(®r…-Hari-Bhakti-Vil€sa 11. 234, citação do Skanda-Pur€Ša)

®r…-KŠa-n€ma é o mais doce de tudo o que é doce e o que há de mais aupicioso dentre tudo o que é auspicioso. Ele é a trepadeira em florescência, o fruto eterno e completamente ma- duro do Bhagavata, a personificação do conhecimento, cit-akti. Ó melhor da dinastia Bhgu! Mesmo que alguém cante o santo nome uma só vez, com fé ou indiferença (hel€), ele será imedia- tamente liberado deste oceano de nascimentos e mortes!”.

®r… n€ma-sa‰k…rtana é o s€dhana e o s€dhya para todos

etan nirvidyam€n€n€m icchat€m akuto-bhayam yogin€ˆ npa nirŠ…taˆ harer n€m€nuk…rtanam

(®r…mad-Bh€gavatam 2.1.11)

“Ó Rei! Os €c€ryas anteriores anunciaram este siddh€nta: can- tar o nome de ®r… Hari e lembrar-se repetidas vezes d'Ele é o principal s€dhana e s€dhya, tanto para aquelas pessoas que são indiferentes aos prazeres mundanos, como para os bhaktas de devoção exclusiva, os yog…s auto-satisfeitos e aqueles que dese- jam alcançar os planetas celestiais, liberação etc”.

58

® RŸ H ARI- N šMA de ®r…la Bhaktivinoda µh€kura S em a misericórdia de

®HARI-NšMA de ®r…la Bhaktivinoda µh€kura

Sem a misericórdia de Paramevara é muito difícil cruzar o oceano da existência material. Não é apenas difícil, mas impos- sível. Embora as j…vas sejam superiores à matéria, são por natu- reza fracas e dependentes de Bhagav€n como seu único prote-

tor, guardião e salvador. A j…va é aŠu-caitanya, um ser consciente infinitesimal. Ela é dependente de Parama-Caitanya Bhagav€n

e é, também, Sua serva. Em outras palavras, Parama-Caitanya

Bhagav€n é o refúgio de todas as j…vas. Este mundo material é

criado por m€y€ e, portanto, a posição das j…vas é a mesma que

a de um transgressor que está na prisão. As j…vas vagueiam por

este saˆsara como resultado de sua oposição a Bhagav€n. Estas j…vas, opostas a Bhagav€n são chamadas de baddha-j…vas (almas condicionadas) por estarem acorrentadas a m€y€. Por outro

lado, aquelas j…vas que seguem Bhagav€n estão libertas de m€y€

e são chamadas de mukta-j…vas (almas liberadas). Esta diferença

ocorre devido às variadas condições nas quais as inumeráveis j…vas se encontram. Assim, existem duas divisões: baddha-j…vas e mukta-j…vas. Por realizar s€dhana, a baddha-j…va alcança a miseri- córdia de Bhagav€n e torna-se capaz de quebrar os poderosos grilhões de m€y€. Após uma prolongada contemplação, nossos grandes maharis estabeleceram três tipos de s€dhana: karma, jñ€na e bhakti.

VarŠ€rama-dharma, tapasy€, yajña, d€na, vrata e yoga são mencio- nados nos €stras como membros de karma, cujos resultados são descritos claramente. Através de uma profunda compreensão da natureza distinta destes resultados, revelam-se os principais efeitos da execução de karma. São eles: 1) desfrutar de praze- res nos planetas terrestres, 2) prazeres nos planetas celestiais,

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

3) alívio de doenças e 4) conhecimento de que grande fortuna surgirá pela realização de bom karma 3 . Se separarmos o quarto efeito – realização de bom karma que resultará em grande for- tuna – dos outros três, parece que os resultados de desfrutar nos planetas celestiais, no planeta Terra e a cura de doenças, adquiridos pela j…va mediante a prática de karma, são todos pe- recíveis. Tais resultados hão de ser destruídos na roda do tempo de ®r… Bhagav€n e não é possível livrar-se do cativeiro de m€y€ por obter tais resultados. Pelo contrário, o desejo de fazer mais karma aumentará e isto resultará em um aprisionamento ainda maior por m€y€. Os resultados do bom karma são desprezíveis se o mesmo não é realizado de acordo com as regras e restrições dos €stras.

A este respeito, o ®r…mad Bh€gavatam (1.2.8) declara:

dharmaƒ svanu˜hitaƒ puˆs€ˆ vivaksena-kath€su yaƒ notp€dayed yadi ratiˆ rama eva hi kevalam

“O principal propósito do varŠ€rama-dharma é simplificar a vida daquele que está cumprindo o dever ocupacional que lhe

é natural, de modo que tenha tempo suficiente para ouvir hari-

kath€. Entretanto, se a atração por hari-kath€ não se faz sentir, todas as atividades religiosas realizadas de acordo com o varŠ€rama-dharma são mero esforço inútil”. Não se pode cruzar

o oceano de existência material através de karma. Explicarei isto de maneira breve.

Jñ€na também é considerado um s€dhana pelo qual se alcança um objetivo elevado. O resultado de jñ€na é €tma-uddhi (pu- rificação da alma). štm€ (alma) está além da matéria, mas, ao esquecer esta realidade e abrigar-se na matéria, a j…va perde-se na senda do karma.

®RŸ HARI-NšMA

Ao examinar jñ€na, podemos entender que não somos com- postos de matéria, mas sim, transcendentais. Em geral, este tipo de jñ€na chama-se naikarmya (auto-realização). No estágio de naikarmya, a j…va somente pode saborear um mon- tante limitado de bem-aventurança (€nanda). A este estágio chamamos €tm€r€ma (no qual sentimos prazer apenas no eu, €tm€). Mas, quando a j…va começa a compreender sua natureza eterna e a saborear seu relacionamento com KŠa, o estágio de naikarmya, ou €tm€r€ma, torna-se completamente insigni- ficante. Por esta razão, Devari N€rada declara no ®r…mad- Bh€gavatam (1.5.12):

naikarmyam apy acyuta-bh€va-varjitaˆ na obhate jñ€nam alaˆ nirañjanam

“Embora o conhecimento sobre auto-realização esteja livre de toda afinidade material, não satisfaz o coração se desprovido da concepção da Personalidade de Deus infalível”.

O ®r…mad-Bh€gavatam (1.7.10) também menciona:

€tm€r€m€ ca munayo nirgranth€ apy urukrame kurvanty ahaituk…ˆ bhaktim itthaˆ-bh™ta-guŠo hariƒ

“Parama-Caitanya Hari possui uma qualidade extraordinária:

Ele atrai todas os tipos de pessoas que são €tm€r€ma – livres de todos os tipos de aprisionamento material –, e ocupa-as em Seu sev€”.

Por isso, jñ€na e karma devem ser chamados de membros de s€dhana somente quando karma, pelo seu próprio efeito, propor- ciona grande fortuna para se realizar karma cada vez mais apri- morado. A partir daí, jñ€na renuncia ao karma inútil. A execução de bom karma, aliada à rejeição de jñ€na impessoal, nos levará a bhakti-s€dhana. Jñ€na e karma, por si só, não são aceitos como membros de s€dhana exceto quando nos conduzem a bhakti; so- mente aí, então, eles têm algum sentido. Portanto, apenas bhakti

61

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

pode ser chamada de s€dhana. Karma e jñ€na que nos levam a bhakti são considerados s€dhana. De outro modo, bhakti, por sua própria natureza, é a forma (svar™pa) exclusiva de s€dhana.

A afirmação do ®r…mad-Bh€gavatam (11.14.20) explica isto claramente:

na s€dhayati m€ˆ yogo na s€‰khyaˆ dharma uddhava na sv€dhy€yas tapas ty€go yath€ bhaktir mamorjit€

He Uddhava! Karma-yoga, s€‰khy€-yoga ou varŠ€rama-dharma não podem satisfazer-Me, tampouco o estudo dos Vedas, a austeridade ou a renúncia. Apenas a realização de bhakti pura realmente Me satisfaz”.

Realizar bhakti é o único modo de satisfazer Bhagav€n. Não há outro meio. Existem nove tipos de s€dhana-bhakti: ravaŠa (ouvir), k…rtana (cantar), smaraŠa (lembrar), arcana (adorar), vandana (orar), p€da-sevanam (oferecer reverências), d€sya (servir), sakhya (fazer amizade) e €tm€-nivedana (render-se completamente). ®ravaŠa, k…rtana e smaraŠa são os membros principais de s€dhana. O nome (n€ma), forma (r™pa), qualidades (guŠa) e passatempos (l…l€) de ®r… Bhagav€n devem ser nosso objeto de ravaŠa, k…rtana etc. Des- ses quatro, r… n€ma é a semente original (bija-svar™pa). Portanto, de acordo com o €stra, hari-n€ma é a raiz de toda adoração.

harer n€ma harer n€ma harer n€maiva kevalam kalau n€sty eva n€sty eva n€sty eva gatir anyath€

(®r…-Bhan-N€radiya-Pur€na 3.8.126)

“Em Kali-yuga, exceto pelo cantar de hari-n€ma, não há outro modo da j…va se liberar”.

Da palavra kalau deve-se entender que, embora nunca tenha existido um tempo em que r…-hari-n€ma não fosse o único meio

62

®RŸ HARI-NšMA

de liberação, nesta era de Kali, em que os vários mantras e prá- ticas se tonaram fracos, é especialmente apropriado abrigar-se neste hari-n€ma todo-poderoso.

Em relação ao hari-n€ma, o ®r… Padma-Pur€Ša cita:

n€ma cint€maŠiƒ kŠa caitanya-rasa-vigrahaƒ p™rŠaƒ uddho nitya-mukto ’bhinnatv€n n€ma-n€minoƒ

®r…la J…va Gosv€m… escreve em seu comentário ao loka acima:

ekam eva sac-cid-€nanda-ras€di-r™paˆ tattvaˆ dvidh€virbh™tam ity arthaƒ

®r…-kŠa-tattva é a forma não-dual de eternidade, conheci- mento e bem-aventurança (advaya-sac-cid-€nanda-svar™pa).” Ele aparece sob duas formas: 1) n€m…, a forma de r…-kŠa-vigraha e 2) n€ma, a forma do Seu nome.

A essência do tattva é que KŠa é sarva-aktim€n, o possuidor de todas as potências. O esplendor do purua supremo é o es- plendor da Sua akti. A akti de KŠa abriga-se n’Ele e sem ela ninguém pode entendê-l'O. Como efeito, a akti manifesta o darana da Sua forma. O efeito bem-aventurado de kŠa-n€ma chama atenção para si mesmo. Assim, kŠa-n€ma é cint€maŠi- svar™pa, kŠa-svar™pa e caitanya-rasa-svar™pa. Simplesmente por catarmos o nome de ®r… KŠa, kŠa-rasa surge espontane- amente no âmago do coração. N€ma é completo em si mesmo, ou seja, ele não depende da construção de mantras, tais como kŠ€ya ou n€r€y€Š€ya, formados por combinações de nomes. N€ma é sempre transcendental – não é sem vida como as sílabas materiais. Apenas n€ma é caitanya-rasa. N€ma é sempre libera- do e não pode ser produzido pela língua material, e somente quem saboreia a doçura do n€ma pode entender esta explicação. Quem imagina que n€ma é sem vida não está apto a saborear caitanya-rasa, nem se contenta com esta explicação.

63

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Pode haver quem diga que o n€ma que cantamos continuamente é dependente de sílabas materiais. Diante disto, como se pode afi- mar que n€ma é eternamente liberado, e não um objeto material? ®r…la Rupa Gosv€m… refuta esta opinião adversa deste modo:

ataƒ r…-kŠa-n€m€di na bhaved gr€hyam indriyaiƒ sevonmukhe hi jihv€dau svayam eva sphuraty adaƒ

(®r…-Bhakti-Ras€mta-Sindhu, Divisão Leste 2/109)

“Os sentidos materiais podem perceber um objeto material. KŠa-n€ma é transcendental, portanto, os sentidos materiais nunca podem percebê-lo. O n€ma que se manifesta inicialmente na língua é somente um resultado de um sph™ti – um lampejo dos sentidos transcendentais da alma. Quando a língua trans- cendental da alma (apr€kta) pronuncia kŠa-n€ma, o parama- tattva aparece na língua material (pr€kta) e começa a dançar. Rir como sintoma de bem-aventurança (€nanda), chorar e lamentar com afeição (sneha) e dançar por amor (pr…ti) é a maneira pela qual a rasa transcendente (apr€kta) permeia os sentidos. De modo similar, a rasa de r… kŠa-n€ma impregna a língua”.

O n€ma cantado durante o s€dhana é somente chaya-n€ma (a sombra de n€ma) ou n€mabhasa (o cantar coberto por nuvens de ignorância e anarthas). Não é o nome verdadeiro. A constân- cia do cantar de n€mabhasa eventualmente resultará no gosto por apr€kta-n€ma. Exemplos disto são evidentes nas vidas de V€lm…ki e Aj€mila.

a j…va, por razão de suas ofensas, não tem gosto por n€ma. Quando a j…va canta kŠa-n€ma sem ofensa, r… hari-n€ma – o caitanya-rasa-vigraha transcendental (o reservatório plenamente consciente de todo o prazer) – Se manifesta dentro do coração. Nessa hora, o coração rejubila-se, torrentes de lágrimas fluem dos olhos e sintomas de êxtase s€ttvika aparecem no corpo. Por- tanto, o ®r…mad-Bh€gavatam (2.3.24) declara:

tad ama-s€raˆ hdayaˆ batedaˆ yad-ghyam€Šair hari-n€ma-dheyaiƒ

64

®RŸ HARI-NšMA

na vikriyet€tha yad€ vik€ro netre jalaˆ g€tra-ruheu haraƒ

“Quando a j…va canta hari-n€ma, os seguintes sintomas se ma- nifestam: experimenta-se uma mudança no coração, lágrimas fluem dos olhos e os pêlos se arrepiam. Fica entendido que, ape- sar de cantar kŠa-n€ma, se não experimentamos qualquer um destes sintomas, nosso coração se endureceu devido a ofensas”.

O primeiro dever do s€dhaka é cantar hari-n€ma sem ofensas.

Portanto, é necessário saber quantos tipos de ofensas existem,

de modo que possamos nos resguardar de cometê-las.

O €stra refere-se a dez ofensas relacionadas ao hari-n€ma:

1. Blasfemar os devotos e pessoas santas.

2. Considerar semideuses como o Senhor ®iva iguais a Bhagav€n ou independentes d’ele.

3. desobedecer ®r… Guru que revela a verdade sobre hari-n€ma.

4. Criticar sat-€stra que descreve as glórias de hari-n€ma.

5. Considerar exageradas as glórias de hari-n€ma.

6. Julgar as qualidades divinas de hari-n€ma delineadas nos €stras como imaginárias. em outras palavras, considerar os nomes de kŠa, r€ma etc. como produtos da imaginação.

7. Cometer atividades pecaminosas apoiando-se no cantar de hari-n€ma.

8. igualar o cantar de hari-n€ma às atividades materiais aus- piciosas recomendadas nas seções karma-k€Ša dos Vedas.

9. instruir infiéis sobre as glórias de hari-n€ma.

10. Não desenvolver amor por r… kŠa-n€ma apesar de conhe- cer Suas glórias.

1) Cometemos ofensa a hari-n€ma se não acreditamos nos san- tificados bhaktas e blasfemamos os mah€janas de caráter ima- culado. Portanto, quem aceita hari-n€ma deve, primeiramente, rejeitar de todo o coração a tendência a desrespeitar ou des- considerar qualquer VaiŠava. Se surgem dúvidas sobre a ativi- dade de um VaiŠava, devemos tentar conhecer a causa de tal

65

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

comportamento e evitar criticá-lo. Nosso dever principal é ter fé (raddh€) nos s€dhus.

2) Considerar os semideuses como o Senhor ®iva como sendo não-diferentes de Bhagav€n é n€m€par€dha. Bhagavat-tattva é

único e iniguilável. Os semideuses como o Senhor ®iva não são independentes da autoridade de ®r… Bhagav€n, nem separados d’Ele. Se honrarmos semideuses como o Senhor ®iva conside- rando-os guŠ€vat€ras ou bhaktas de Bhagav€n, não formaremos

o falso conceito de que são independentes d’Ele. Aqueles que

consideram Mah€deva (®ivaj…) como um semideus indepen- dente e separado, adorando-o lado a lado de ViŠu, na verdade não aceita o elevado status de Mah€deva que é o melhor dentre os VaiŠavas. Portanto, tais pessoas ofendem tanto a ®iva quan- to a ViŠu. Aqueles que cantam hari-n€ma devem rejeitar este tipo de concepção errônea.

3) Desobedecer ®r… Gurudeva é n€m€par€dha. Quem outorga os mais elevados ensinamentos de n€ma-tattva deve ser acei- to como €c€rya e como a pessoa mais querida por Bhagav€n. Podemos lograr obter fé firme em hari-n€ma cultivando bhakti inabalável por ®r… Guru.

4) Os €stras fidedignos nunca devem ser blasfemados. Os €stras revelados, como os Vedas, descrevem bhagavata-dharma

e detalham a importância de r… n€ma. Portanto, blasfemar estes

€stras é uma ofensa ao santo nome. As glórias de hari-n€ma são descritas por todos os Vedas.

vede r€m€yane caiva pura‰e bh€rate tath€ €d€v ante ca madhye ca hariƒ sarvatra g…yate

(®r…-Caitanya-carit€mta, šdi-l…l€ 7.131)

Como podemos desenvolver amor por hari-n€ma se blasfema- mos os €stras fidedignos? Algumas pessoas consideram mero louvor as descrições da importância de hari-n€ma contidas nos

66

®RŸ HARI-NšMA

€stras. Cantar hari-n€ma com tal atitude é n€m€par€dha e aque- les que assim o fazem nunca alcançarão resultados tangíveis. Concluem que os €stras falsamente louvam as glórias de hari- n€ma, da mesma forma que louvam karma-kaŠa, apenas para que as pessoas desenvolvam um gosto pelo €stra. Aqueles que pensam assim são muito desafortunados. Por outro lado, o ®r… mad-Bh€gavatam (2.1.11) descreve a fé dos venturosos:

etan nirvidyam€n€n€m icchat€m akuto-bhayam yogin€ˆ npa nirŠ…taˆ harer nam€nuk…rtanam

“O yog… pensa que, desapegando-se deste mundo, pode livrar- se de todo o medo e conclui que seu único dever é cantar hari- n€ma. Quem possui tal fé logra o resultado de hari-n€ma”.

5) Certas pessoas não compreendem a diferença entre n€m€bhasa

e n€ma. Acreditam que n€ma é somente uma combinação de sí-

labas que, por certo, dará resultados, tenhamos fé ou não. Usam

a vida e o caráter de Aj€mila como exemplo, bem como o ®r… mad-Bh€gavatam (6.2.14):

s€‰ketyaˆ p€rih€syaˆ v€ stobhaˆ helanam eva v€ vaikuŠ˜ha-n€ma-grahaŠam ae€gha-haraˆ viduƒ

“Quem entoa hari-n€ma livra-se imediatamente das reações de pecados ilimitados, mesmo se cantar indiretamente, de maneira jocosa, de forma negligente ou como entretenimento musical. Isto é concluído por todos os acadêmicos eruditos nos €stras”.

6) Anteriormente, hari-n€ma foi descrito como caitanya-rasa-vi- graha, ou seja, aquilo que não pode ser percebido pelos sentidos materiais. Isto prova não ser possível alcançar os resultados do cantar quando cometemos n€m€par€dha. Quem canta sem fé não atinge o resultado do canto; quiçá desenvolve, num cur- to espaço de tempo, alguma fé no n€ma. Os infiéis que acredi-

67

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

tam ser o n€ma um membro de karma-k€Ša progagam que este nome é somente uma sílaba material, igual, portanto, a outros nomes. Em realidade, estas pessoas são almas condicionadas e n€m€par€dh…s. Os VaiŠavas esforçam-se mui zelosamente para evitar esta ofensa.

7) Alguns acreditam que, por se abrigarem no hari-n€ma, obtêm um remédio barato para os resultados de todos os seus pecados. Com esta idéia, pensam que podem roubar, cometer fraudes, atos ilícitos e então cantar hari-n€ma para erradicar seus delitos. Quem acredita nisto certamente é um n€m€par€dh… (ofensor do n€ma). Aquele que, ao menos uma vez, experimenta as doçuras transcendentais de hari-n€ma nunca se apegará de novo a ativi- dades materiais temporárias.

8) Alguns acreditam em atividades piedosas (karma), como re- alizar yajña, fazer caridade, comportar-se conforme o dharma e visitar lugares sagrados, mas também incluem o cantar do n€ma no rol das atividades piedosas e são, portanto, n€m€par€dh…s. N€ma é sempre transcendental, enquanto que todas as ativida- des piedosas são materiais. Quem considera n€ma como equi- valente às atividades piedosas torna-se indiferente e não pode saborear a doçura do n€ma (n€ma-rasa). Existe uma diferença entre vidro e diamantes. De modo similar, vemos uma enorme diferença entre hari-n€ma e as atividades piedosas.

9) Quem instrui infiéis sobre hari-n€ma ou lhes dá o mantra também é n€m€par€dh…. É inútil dar um colar de pérolas a um porco. Este simplesmente se sentirá insultado e não considera- rá tal dádiva. De forma similar, não é nem um pouco adequa- do ensinar n€ma aos infiéis. É sábio primeiro fazer um esforço para ajudá-los a desenvolver sua fé e depois instruí-los sobre o hari-n€ma. Aqueles que agem como gurus e instruem os infiéis sobre o hari-n€ma com certeza cairão por estarem cometendo n€m€par€dha.

10) Se uma pessoa não tem fé exclusiva em hari-n€ma, mesmo após ouvir sobre suas vastas glórias, e se ela continua apegada

68

®RŸ HARI-NšMA

ou dependente de s€dhanas tais como karma, jñ€na ou yoga, esta pessoa é um n€m€par€dh….

Desse

n€m€par€dha.

modo,

hari-n€ma

não

despertará

até

que

evitemos

Vendo as misérias da j…va, o libertador de Kali-yuga, ®r… Cai- tanya Mah€prabhu, nos instrui com o coração compadecido:

tŠ€d api sun…cena taror api sahiŠun€ am€nin€ m€nadena k…rtan…yaƒ sad€ hariƒ

(®r… ®ik€˜aka, loka 3)

“Achando-se mais insignificante que uma palha na rua, sendo mais tolerante que uma árvore, não aceitando honra mas ofere- cendo honra a todos, a j…va capacita-se para cantar hari-n€ma”.

O significado fundamental deste loka é que devemos cantar

hari-n€ma tendo pureza em tal atitude. Quem se considera o

mais baixo e caído nunca critica os s€dhus nem desconside-

ra semideuses como o Senhor ®iva. Tal pessoa tem poder de

discernimento, mas o faz com respeito. Nunca negligencia o guru, blasfema os €stras fidedignos ou duvida das glórias do hari-n€ma. Nunca combina especulação falsa com argumentos áridos, de modo a igualar o nirguŠa brahma com o nome de “Hari”, nem comete ofensas apoiando-se no n€ma. Não aceita

que atividades piedosas estejam no mesmo nível que hari-n€ma. Nunca concede hari-n€ma aos infiéis, nem tem qualquer traço

de descrença no n€ma. Constantemente se esforça para se man-

ter distante dos dez tipos de n€m€par€dha. Nunca segue quem ridiculariza ou é antagônico ao n€ma. Mesmo trabalhando para

o mundo inteiro, não possui qualquer falso ego de ser o des- frutador ou executor. Considerando-se o servo do mundo, ser-

ve a todos. Quando esta pessoa qualificada canta hari-n€ma, o

mundo espiritual situado no âmago do seu coração irradia uma luz transcendental e mantém a escuridão de m€y€ bem longe.

69

®RŸ HARI-NšMA MAHš-MANTRA

Ó mah€tm€s, realizem, portanto, hari-n€ma k…rtana constante- mente e sem ofensa. Não existe outro abrigo para as j…vas que não o hari-n€ma.

A tentativa de se salvar do afogamento neste oceano de existên-

cia material por se abrigar em jñ€na e karma é tão inútil quanto

se valer de um pedaço de palha para cruzar um grande oceano.

Portanto, refugiem-se no grande navio do mah€-mantra e atra- vessem este oceano da existência material.

eNdereçOS e CONTATOS:

ALeMANHA •Stuttgart: Daimlerstrasse 61a 70372 Vedischer Kulturverein e.v., Tel: (0049) 0711-411-71-93, bhaktistuttgart@gmail.com, www.harekrischna.de

AuSTráliA •Murwillumbah: Sri Giriraja Gaudiya Matha, info@giriraja.org.au, www. giriraja.org.au

BOlÍViA •Cochabamba: Ranga Puri dasa, PO Box 2070, Tel: (00591) 4-450-2132, (00591) 4-450-3467, bbt@supernet.com, epicentrohk@yahoo.com

BrASil •Brasília: 215 norte, Bl. "D" sala 159, térreo (de frente à área residencial) Ganapati - Instituto de Yoga, Tel: 55 61 3356-4260 ou 55 61 8198-1828, gvbrasilia@gmail.com

•Paraná: Govinda dasi, govinda@sadhanatimes.com.br, www.sadhanatimes. com.br

•Rio de Janeiro: Sri Gauravani Gaudiya Matha, Rua Dr. Catrambi, 384,

Alto da Boa Vista

gauravani.com.br, www.gauravani.com.br

Tel.: 55 21 2238-3839 ou 55 21 9676-9766, contato@

•Rio de Janeiro: Sri Radha-Madhava Gaudiya Matha, contato@bhaktibrasil .com, rama.dasi@gmail.com, www.bhaktibrasil.com

Rua Coriolano, 1684

Lapa, Tel: 55 011 3672-3413, www.gaudiyasp.com.br, radhagovindasp@ gmail.com

•Teresópolis: Gaura Mandir, Caixa Postal 93455. Alto Teresópolis. Tel: 55 021 2644-7253 ou 55 021 2644-6191 (Subal Sakha dasa), subal@gaura.com. br, www.gaura.com.br

•São Paulo: Sri Radha-Govinda Gaudiya Matha,

CHiNA •Hong Kong: Nandana dasa, 15B Hillview court, 30 Hillwood Road, TST, Kowloon, Tel: (0086) 852-3422-1195 ou (0086) 852-9740-9846, uttamkrish- na@netvigator.com

COSTA riCA •San Jose: Sri Sarasvati Prabhupada Gaudiya Matha, 1352 1st Avenida, Cuesta de Nuez, Tel: (00506) 256-8650, haribol@sol.racsa.co.cr

euA •Florida: Alachua, Bhaktivedanta Gaudiya Institute, Tel: (001)386-462- 0741, eamukendra@aol.com

•Texas: Houston, International Gaudiya Vedanta Societ, Tel: (001)281-491- 4114, igvs_houston@yahoo.com

71

HOlANdA •Rotterdam: Sri Sri Radha-Govinda Gaudiya Matha ,1e Pijnackerstraat 98, 3035GV, Tel: (0031) 010-265-0405, sanga_holland@yahoo.com, info@ bhakti-holland.com, Contact: Indu Bhusan dasa

ÍNdiA •Bangalore: Sri Ranganath Gaudiya Matha, Hesseragatha, near Nritya- gram Kuteeram, Survey #26, Tel: (0091) 080-9341 9614 91, bangalore@ purebhakti.com

•Govardhana: Giridhari Gaudiya Matha, Mathura District, Radha-kund Road, U.P. Tel: (0091) 0565-281-5668

•Kolkata: Sri Vaman Gosvami Gaudiya Matha, 39, R.N. Chatterjee St. Maniktala, W.B. Tel: (0091) 033-2352-2131 ou (0091) 094-3320-3718

•Mathura: Sri Kesavaji Gaudiya Matha, Opp. Dist. Hospital, Jawahar Hata, U.P. 281001, Tel: (0091) 0565-250-2334, mathuramath@purebhakti.com

•Navadvipa: Sri Sri Keshavaji Gaudiya Matha, near Jagai-Madhai Bridge, Nadiya, W.B.

•New Delhi: Shri Ramana-vihari Gaudiya Math, OCF pocket, Block B-3, near Musical Fountain Park, Janakpuri, Tel: (0091) 011-2553-3568 ou (0091) 011-3230-2159, ramchandradas2001@yahoo.com

•Vrindavan: Sri Rupa-Sanatana Gaudiya Matha, Dana Gali, Tel: (0091)

0565-244-3270

ITÁLIA •Curino: Associazione Vaishnava Gaudiya Vedanta, Cantone Salero n.5, 13865, Tel: (0039) 015-928173, gaudyait@tin.it, www.gaudiya.it

MÉXiCO •Mexico City: Instituto Cultural de Bhakti-Yoga, Colonia del Carmen, Coyoacan, Calle Centenario, 16 apto. 8 (arriba de Nalanda Libros) 04000, Tel: (0052) 044-553-9117959, contactanos@bhaktilatam.com

reiNO uNidO

•England: Birmingham, Sri Gour-Govinda Gaudiya Matha, gourgovinda @hotmail.com

•England: London, Ganga-mata Gaudiya Matha, 108 High Street, Plaistow, Tel: (0044) 0208-552-3810, gangamatajis@yahoo.co.uk, www. gangamatas.com

Outros países:

www.purebhakti.com/contact-us/centers-mainmenu-60.html

72