Sunteți pe pagina 1din 2
ESTADO DO PARÁ DEFENSORIA PÚBLICA ESTADUAL QUEIXA-CRIME EXMO(A). SR(A). JUIZ(A) DE DIREITO DA ª VARA

ESTADO DO PARÁ DEFENSORIA PÚBLICA ESTADUAL

QUEIXA-CRIME

EXMO(A). SR(A). JUIZ(A) DE DIREITO DA

ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE

da

, através da Defensoria Pública do Estado do Pará, representada pela Defensora Pública, usando das prerrogativas que lhe o art. 128 da Lei Complementar n° 80/84, com habitual respeito à presença de V.Exa., com fundamento nos art. 139, 140, do Código Penal, dentro do prazo legal (Art. 38, CPP) e na Lei n° 11.340/2006, propor:

vem

cédula de identidade n°

,

brasileira,

residente e domiciliada na,

portadora

Q U E I X A – C R I M E”

contra

,

inscrito

no

CPF

,

brasileiro,

sob

o

,

,

,

residente

portador da RG n°

na

e

domiciliado

, Expondo os fatos e requerendo ao poder competente, a instauração da ação penal, contra o seu ofensor.

II. DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA:

Inicialmente, a Requerente afirma que não possui condições de arcar com custas processuais e honorários advocatícios sem prejuízo do sustento próprio, bem como o de sua família, razão pela qual fazem jus ao benefício da gratuidade da justiça, nos termos do artigo 4° da Lei 1.060/50, com redação introduzida pela Lei 7.510/86 e art. 28 da Lei n° 11.340/2006.

anos e tiveram

III. DOS FATOS

1. A Querelante viveu em união estável com o Querelado durante filhos.

2. Que estão separados há

passa a ofender sua reputação e sua dignidade/decoro.

anos,

porém, onde o Querelado a encontra

3. Que as ofensas se intensificaram agora, porque a Querelante está com um novo

relacionamento amoroso.

4. Que no dia

de

do

ano em curso, a Querelante soube por meio de

da

alguns amigos que existiam algumas declarações difamatórias e injuriosas

difamação)

(local

, muitas declarações

depreciativas da honra da Querelante (DOC.ANEXO) e que tais declarações repercutiram negativamente na vida pessoal, social e familiar da Querelante, uma vez que é mulher séria, honesta trabalhadora e mãe.

5. Que

6. A vida da Querelante tornou-se um INFERNO desde então, principalmente porque

sua imagem está completamente MANCHADA socialmente e as pessoas não têm mais respeito pela mesma, pois além da publicação pela internet, dos recados dirigidos à Querelante, o Querelado tornou o fato público

Create PDF files without this message by purchasing novaPDF printer (http://www.novapdf.com)

e notório espalhando por toda a vizinhança outros fatos injuriosos, o que gerou vários constrangimentos e

aborrecimentos diversos. Por fim, a Querelante solicita que este douto Juizado Especial CONDENE o Querelado nas penas dos art. 139 e 140 do Código Penal brasileiro, preenchidos os requisitos legais, inclusive aos Princípios da Ampla Defesa e do Contraditório. Que ao final seja julgado procedente o presente feito, pois, além de legítima a pretensão da parte autora, provados estarão os fatos e os pressupostos essenciais da demanda, originadas pela ação lesiva da parte demandada.

IV. DO DIREITO

Da injuria:

Do relato circunstanciado dos fatos, e da forma como agiu o Querelado, cometeu ato ilícito penal contra a dignidade da Querelante, uma vez que ofendeu-lhe sua dignidade e decoro, conforme visto alhures:

Injúria” Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

pena-detenção, de 1(um) a 6 (seis) meses, ou multa.

Como se vê, a honra subjetiva é o sentimento de cada um a respeito de seus atributos físicos, intelectuais, MORAIS e demais dotes da pessoa humana. É aquilo que cada um pensa a respeito de si mesmo em relação a tais atributos.

Da difamação:

Art.139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:

Pena-detenção, de 3(três) meses a 1 (um) ano, e multa”.

Honra objetiva é a REPUTAÇÃO, aquilo que os outros pensam a respeito do cidadão no tocante a seus atributos físicos, intelectuais, MORAIS”.

Ao denegrir a imagem e a honra da Querelante, depreciando-lhes sua subjetividade perante a sociedade, ofendendo-lhes sua boa reputação, ofendendo-lhes, ainda, sua dignidade e o decoro. Ainda, tendo atuado com manifesto “animus injuriandi vel difamandi”, praticou o Querelado as infrações capituladas nos art. 139 e 140 do Código Penal, respectivamente, difamação e injúria, razão pela qual se requer a V. Exa. a instauração da competente ação penal privada, a qual prosseguirá até final condenação.

V. DO PEDIDO

Assim sendo, restando caracterizada a VIOÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR, contra a requerente, esta vem pugnar:

a) O benefício da Gratuidade de Justiça, em razão da pobreza;

b) Seja decretado “Segredo de Justiça” ao presente procedimento criminal, tendo

em vista que os fatos da demanda são muito constrangedores para a Querelante, devendo os autos serem

entregues apenas às partes, sob pena de responsabilidade;

c) Seja o Querelado Citado para responder aos termos da presente ação penal

privada.

d) Depois de confirmada judicialmente a autoria e materialidade dos delitos dos

autos, seja o Querelado condenado, nas sansões penais previstas no dispositivo legal supramencionado, após

a oitiva das testemunhas que serão apresentadas independente de intimação. Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em Direito admitidos, especialmente pela juntada posterior de documentos, ouvida do Noticiado, depoimentos das testemunhas abaixo arroladas, perícias, diligências e tudo mais que se fizer necessário para a prova real no caso “sub

judice”.

São os termos em que, pede e espera a CONDENAÇÃO DO QUERELADO.

,

de

de 20

Defensor Público de 1ª. entrância

Create PDF files without this message by purchasing novaPDF printer (http://www.novapdf.com)