Sunteți pe pagina 1din 21

UFSC / CCE - Departamento de Jornalismo

Curso de Jornalismo
Fotojornalismo I - Ivan Giacomelli
Thayse Stein Nicácio
1ª Fase - 2009.2 - Turma B
A CÂMERA
Ansel Adams
Capítulo 1

A CÂMERA DE
ORIFÍCIO

A luz de cada ponto do objeto passa através do orifício e incide sobre um único
ponto do filme. A imagem de cada ponto do objeto não é um verdadeiro
ponto mas um pequeno círculo. A imagem completa é composta por esses
círculos sobrepostos que se projetam sobre o filme a partir de todos os pontos
do objeto. Como o orifício não "focaliza" a luz, a imagem nunca é realmente
nítida. A nitidez da imagem pode ser um pouco aumentada reduzindo-se o
tamanho do orifício, pois assim cada imagem circular torna-se menor. Porém,
utilizar um orifício muito pequeno torna a imagem pouco luminosa.
O principal efeito que ocorre quando se altera a distância do orifício ao filme é a
mudança de área do objeto projetada no filme e o tamanho da imagem.
Aproximar o filme do orifício vai produzir a imagem de uma área maior do
objeto (também a imagem ficará mais luminosa e mais nítida à medida que as
imagens circulares tornam-se menores). Afastar o filme do orifício vai originar
uma imagem de menor ângulo do objeto, o que é comparável a utilizar uma
lente de distância focal mais longa.
Outra consequência do de a luz não ser focalizada é que todas as
partes do objeto ficam igualmente nítidas.
Para aqueles que desejarem fazer experiências com fotografia de
câmera de orifício:

Para obter resultados favoráveis, é importante que o orifício seja liso e


perfurado em um material bem fino;
O material ideal para o orifício é uma fina folha de ouro, que poderá
posteriormente ser fixada em uma abertura;
Para experiências iniciais, uma folha de alumínio comum pode ser utilizada.
A CÂMERA BÁSICA
Capítulo 2

CÂMERAS DE PEQUENO
FORMATO

O maior desafio para a fotografia em pequeno formato é a fluidez que


ela permite, porque o fotógrafo tem de avaliar todos os elementos
dinâmicos da cena e integrá-los em uma fotografia estática
convincente em frações de segundo.
CÂMERAS DE 35 mm

A câmera de 35mm produz uma imagem de 24 x 36 mm. O filme é enrolado


no interior de uma bobina e normalmente permite de 20 a 36 exposições por
rolo.
As câmeras de visor são as que têm um sistema de visor completamente
separado do sistema da lente que faz a fotografia. Essas câmeras, com
exceção do modelo mais elementar, possuem um telêmetro, sistema óptico
que permite que a objetiva focalize o objeto principal. As câmeras reflex
permitem enxergar a cena fotografada através das mesmas lentes usadas
para fazer a fotografia, de forma que a imagem que o fotógrafo vê é
exatamente a mesma que será registrada no filme.
CÂMERAS DE VISOR DIRETO
CÂMERAS REFLEX DE OBJETIVA ÚNICA

O grande sucesso da
câmera reflex deve-se ao
fato de o fotógrafo poder
ver a composição precisa
da imagem
independentemente da
distância focal da objetiva
ou do uso de filtros
polarizadores, sistemas
de close-up ou quaisquer
outros acessórios. Por
esse motivo, as câmeras
reflex podem ser
utilizadas com objetivas
zoom, telescópios,
microscópios e outros
sistemas ópticos.
SISTEMAS AUTOMÁTICOS DE EXPOSIÇÃO

A maior parte desses sistemas de exposição mede a luz transmitida pela


própria objetiva ou uma parte específica dessa área. Os termos "leitura
média" (averaging), "leitura central" (center weited) e "leitura pontual"
(spot reading) são usados para descrever a natureza da leitura de
exposição. Como o nome diz, um sistema de leitura média lê a área inteira
da imagem e determina a média dos valores.
CÂMERAS DE MÉDIO FORMATO

O termo "médio formato" aplica-se de forma vaga a câmera são maiores do


que as de 35mm, porém menores que as de 4 x 5 polegadas. O tamanho do
negativo, várias vezes maior do que 35mm, proporciona mais nitidez e
menos granulação em amplias de imagens de mesmo tamanho final. O
tamanho tradicional da imagem é 6 x 6 cm, mas nos últimos anos tem
surgido um número crescente de câmeras que utiliza formato retangular em
vez do quadrado.
TIPOS DE CÂMERA DE MÉDIO FORMATO
REFLEX DE DUAS OBJETIVAS
REFLEX DE OBJETIVA ÚNICA
CÂMERAS DE “FORMATO IDEAL”

A B
CÂMERAS DE GRANDE FORMATO

As câmeras de grande formato são mais peadas e desajeitadas que as


câmeras menores e quase sempre exigem o uso de um tripé. Em
contrapartida, oferecem uma série de vantagens, como o negativo maior,
controle total da posição dos planos das objetivas e do filme e a
possibilidade de revelar cada negativo individualmente. Os tamanhos
padrão de filme para essas câmeras são o 4 x 5 (o mais usado), o 5 x 7, o 8
x 10 e o 11 x 14 polegadas.
TIPOS DE CÂMERA DE GRANDE
FORMATO
CÂMERAS DE VISOR
COMPONENTES DAS CÂMERAS DE GRANDE
FORMATO
FOLE