Sunteți pe pagina 1din 30
Temperamento 10/6/16 1
Temperamento
10/6/16
1
Introdução: O presente trabalho enquadra-se na disciplina de psicologia geral e tem como tema “temperamento”. O
Introdução:
O presente trabalho enquadra-se na disciplina de
psicologia
geral
e
tem
como
tema
“temperamento”.
O comportamento humano
é fortemente
influenciado pelo temperamento, por tanto, com
este tema, o grupo pretende alcançar os seguintes
objectivos:
10/6/16
2
Objectivos: 1.objectivo geral •Compreender o temperamento como componente de personalidade. 1.1 Objectivos específicos •Definir o “temperamento”
Objectivos:
1.objectivo geral
•Compreender o temperamento como
componente de personalidade.
1.1 Objectivos específicos
•Definir o “temperamento”
•Explicar a natureza do temperamento
10/6/16
3
Cont. •Distinguir os tipos de temperamento •Explicar a influência do temperamento na escolha profissional. 10/6/16 4
Cont.
•Distinguir os tipos de temperamento
•Explicar a influência do temperamento na
escolha profissional.
10/6/16
4
Metodologia: Para a realização do trabalho o grupo teve como recursos: artigos da internet e consultas
Metodologia:
Para a
realização
do trabalho
o grupo
teve
como recursos: artigos da internet e consultas
bibliográficas.
10/6/16
5
Conceitos: •Segundo Hipócrates, temperamento é inato, é o modo de ser que temos constitucionalmente produzidos pela
Conceitos:
•Segundo Hipócrates, temperamento é
inato,
é
o
modo
de
ser
que
temos
constitucionalmente produzidos
pela
herança.
•Por outro lado (Strelau 1998) defende que
Temperamento são traços básicos relativamente
estáveis, expressos principalmente nas
10/6/16
6
características formas de reacções e comportamento, que estão desde o inicio da vida na criança. Primariamente
características formas
de
reacções
e
comportamento, que estão desde o inicio da vida
na criança. Primariamente determinado por
mecanismo de origem biológica, o temperamento
estaria sujeito a mudanças causadas pela
maturação e pela interacção do indivíduo.
10/6/16
7
Cont. •(Buss 1995) entende que temperamento é o conjunto de factores biológicos da personalidade que herdamos
Cont.
•(Buss 1995) entende que temperamento é o
conjunto de factores biológicos da personalidade
que herdamos dos nossos progenitores e actua
sobre o modo de expressão normal de uma
personalidade nas suas relações com o meio. A
personalidade é constituída por três factores: a
constituição, o temperamento e o carácter.
10/6/16
8
Cont. •(Paim 2007) Defende que temperamento é a maneira espontânea de ser, de pensar, sentir, de
Cont.
•(Paim 2007) Defende que temperamento é a
maneira espontânea de ser, de pensar, sentir, de agir
e reagir de cada um desde a sua concepção.
10/6/16
9
Natureza do temperamento A primeira teoria explicativa do temperamento foi apresentado por Hipócrates, médico grego do
Natureza do temperamento
A primeira teoria explicativa do temperamento foi
apresentado por Hipócrates, médico grego do
século V, a.c propôs e desenvolveu uma teoria dos
humores corporais para explicar os estados de
saúde e doença. Na sua dissertação deduziu quatro
elementos primários do universo: calor, frio,
húmido, seco e os que foram relacionados com os
10/6/16
10
Cont. quatro humores corporais: sangue, fleuma, bílis branca e bílis negra. O equilíbrio adequado entre estes
Cont.
quatro humores corporais: sangue, fleuma, bílis
branca e bílis negra. O equilíbrio adequado entre
estes humores corporais determinaria a saúde e o
desequilíbrio causaria doença. A palavra
temperamento provém do latim temperamentum
(que significa carácter das pessoas), esta noção
surgiu com a teoria de humores de Hipócrates e
10/6/16
11
de Empedocles, que acreditavam que a saúde do ser humano dependia do equilíbrio. •Contudo os conceitos
de Empedocles, que acreditavam que a saúde do
ser humano dependia do equilíbrio.
•Contudo os conceitos de temperamento e de
personalidade são geralmente confundidos e
vinculados aos aspectos emocionais da
personalidade, esse conceito é ainda uma dessas
expressões que podem ter, dependendo da visão
de alguns psicólogos e significados muito
diferentes.
10/6/16
12
Tipos de temperamento e sua caracterização Baseado na teoria de Hipócrates, Galeno desenvolveu a primeira tipologia,
Tipos de temperamento e sua caracterização
Baseado na teoria de Hipócrates, Galeno
desenvolveu a primeira tipologia, descrita em sua
monografia “ De Temperamentis” onde distinguiu
e descreveu os temperamentos em: temperamentos
primários, secundário e um temperamento
resultado da mistura estável dos quatro tipos do
temperamento considerado como ideal.
10/6/16
13
Cont. •Aiken (1991) defendeu que os quatro temperamentos estabelecidos e descritos por Galeno são conhecidos entre
Cont.
•Aiken
(1991)
defendeu
que
os
quatro
temperamentos estabelecidos e descritos por
Galeno são conhecidos entre teóricos e leigos,
sendo
nomeados
de
acordo
com
os
humores
predominantes no corpo.
10/6/16
14
Cont. Tipo colérico – actua em indivíduos impacientes, que possuem iniciativas, teimosos e facilmente se irritam.
Cont.
Tipo colérico – actua em indivíduos impacientes,
que possuem iniciativas, teimosos e facilmente se
irritam.
Tipo sanguíneo – caracterizado por indivíduos
alegres, sociais, persistentes, energéticos e auto
confiantes.
10/6/16
15
Cont. Tipos fleumáticos – são indivíduos passivos, calmos, de sangue frio, cuidadosos e controlados. Tipo melancólico
Cont.
Tipos
fleumáticos
são
indivíduos
passivos,
calmos, de sangue frio, cuidadosos e controlados.
Tipo melancólico – caracterizado por indivíduos
tristes, mal-humorado, pessimistas, reservados e
insociais.
10/6/16
16
Cont. •Segundo (Kalinene e Gialomini1998) existe o quinto tipo de temperamento, que é o intermediário –
Cont.
•Segundo (Kalinene
e
Gialomini1998)
existe
o
quinto tipo de temperamento, que é o intermediário
que
é
a
mistura dos outros quatro
temperamentos.
Esses
autores
supõem
tipos de
a
que
maioria das pessoas tenha
temperamento.
esse
tipo
de
10/6/16
17
Exigências Profissionais e Temperamento •O desenvolvimento vocacional é o aspecto integrante da vida portanto a decisão
Exigências Profissionais e Temperamento
•O desenvolvimento vocacional é o aspecto
integrante da vida portanto a decisão vocacional
não pode limitar se em um determinado momento,
pois depende de um longo processo de maturação
e de aprendizagem.
Neste sentido é fundamental que a escola do
segundo grau, desenvolva um trabalho
10/6/16
18
Cont. de formação geral para que caminhe em direcção do auto conhecimento e a compreensão da
Cont.
de formação geral para que caminhe em direcção
do auto conhecimento e a compreensão da
sociedade que o serve, ampliando os
conhecimentos relativos ás diversas ocupações e
as possibilidades do mercado de trabalho.
O auto conhecimento é muito importante na
escolha profissional por que propicia ao aluno
mais dados sobre ele mesmo, ajudando-o assim
10/6/16
19
Cont. a situar-se entre possíveis alternativas, tanto profissionais como pessoais. As técnicas utilizadas pela orientação devem
Cont.
a situar-se entre possíveis alternativas, tanto
profissionais como pessoais.
As técnicas utilizadas pela orientação devem ser
alternativas como possíveis fontes de motivação
de aspectos que sempre se relacionam ao âmbito
efectivo, pois cada aluno sendo único tem uma
história de vida que lhe possibilita grandes
10/6/16
20
Cont. horizontes de opção. As tendências psicológicas podem servir de base não só as diversas áreas
Cont.
horizontes de opção.
As tendências psicológicas podem servir de base
não só as diversas áreas vocacionais e
profissionais pela qual se inclina a pessoa, mas
também a reflexão sobre quais tarefas dessa área.
Por tanto devemos ter orientação vocacional para
que possamos escolher conscientemente uma
10/6/16
21
Cont. Profissão, preparar-se e desenvolver-se no campo escolhido (Silva 1992). 10/6/16 22
Cont.
Profissão, preparar-se e desenvolver-se no campo
escolhido (Silva 1992).
10/6/16
22
Conclusão: Terminado o trabalho, conseguimos alcançar o nosso principal objectivo, que é estudar como o temperamento
Conclusão:
Terminado o trabalho, conseguimos alcançar o
nosso principal objectivo, que é estudar como o
temperamento manifesta-se na vida do homem, e as
suas principais influências no comportamento.
Para salientar, o trabalho pesquisado foi de extrema
importância porque com base nele, tiramos proveito
no que diz respeito ao temperamento, assim feito
10/6/16
23
Cont. feito saberemos procurar ajuda psicológica pois, com a mesma saberemos de forma mais clara a
Cont.
feito saberemos procurar ajuda psicológica pois,
com a mesma saberemos de forma mais clara a
profissão adequada para o nosso tipo de
temperamento. Deste modo, estaremos preparados a
lidar com qualquer tipo de dificuldade encontrada
nas nossas carreiras. Existem vários tipos de
temperamento e esses manifestam-se de formas
10/6/16
24
Cont. diferentes nos indivíduos. O temperamento é muito mais profundo do que a nossa consciência e
Cont.
diferentes nos indivíduos. O temperamento é
muito mais profundo do que a nossa consciência e
pode ter efeitos inevitáveis na nossa
vida
consciente, quando não for controlado.
O auto conhecimento é muito importante na
escolha profissional por que propicia ao aluno
mais dados sobre ele mesmo, ajudando-o assim a
10/6/16
25
Cont. situar-se entre possíveis alternativas, tanto profissionais como pessoais. Portanto é preciso compreendermos essa parte e
Cont.
situar-se entre possíveis alternativas, tanto
profissionais como pessoais. Portanto é
preciso compreendermos essa parte e
respeitar essas individualidades de
modo a termos um bom convívio com os
outros. Deste modo teremos um mundo
melhor. Segundo os teóricos, o temperamento é
inato, isto é, a pessoa nasce com
10/6/16
26
Cont. um determinado temperamento embora este se manifeste muito mais tarde. E deste modo pudemos concluir
Cont.
um determinado temperamento embora este se
manifeste muito mais tarde. E deste modo
pudemos concluir que o temperamento não
influencia por si só na vida de cada indivíduo. A
educação familiar e o processo de socialização
exercem grande influência no temperamento.
10/6/16
27
Referencias bibiliograficas: Strelau, J. (1998) Temperement: a prespectiva psicologica. New York: Plenum. Silva, Maria de Lurdes
Referencias bibiliograficas:
Strelau, J. (1998) Temperement: a prespectiva
psicologica. New York: Plenum.
Silva, Maria de Lurdes Ramos da.
(1992). Personalidade e escolha
Profissional: Subsídios de Keirsey e
Bates para orientação vocacional. São
Paulo. EPU.
10/6/16
28
Keirsey, D. Portraits of Temperament. 2ªed. Del mar, Prometheus Book Company, 1988. Guzzo, R.S.L (2001) Diferenças
Keirsey, D. Portraits of Temperament.
2ªed. Del mar, Prometheus Book
Company, 1988.
Guzzo, R.S.L (2001) Diferenças individuais.
Aiken, L.R. (1991). Psychological testing and
assessment (7th ed). Massachusetts: Allyn and
Bacon.
10/6/16
29
Obrigado Obrigado pela pela vossa vossa atenção atenção 10/6/16 30
Obrigado
Obrigado
pela
pela
vossa
vossa
atenção
atenção
10/6/16
30