Sunteți pe pagina 1din 55

c 


   

c  
   
      
Prof. Ricardo Caldas, Diretor
Centro de Estudos Avançados (CEAM)
Universidade de Brasília (UnB)
MISSÃO DO SEBRAE

Promover a competitividade e o desenvolvimento


sustentável das micro e pequenas empresas e fomentar
o empreendedorismo.
VISÃO DE FUTURO 2010

As micro e pequenas empresas constituem-se em


importante fator de desenvolvimento do País, atuando
em ambiente institucional favorável, com alto índice de
formalização, competitividade e sustentabilidade.
DIRETRIZES DO SISTEMA SEBRAE

1. Indução do desenvolvimento sustentável das MPE.


2. Ampliação da formalização e redução da taxa de mortalidade.
3. Melhoria do ambiente das MPE.
4. Revolução no atendimento individual.
5. Intensificação e aperfeiçoamento do atendimento coletivo.
6. Priorização dos projetos finalísticos.
7. Ampliação do acesso a serviços financeiros.
PRIORIDADES ESTRATÉGICAS DO SISTEMA SEBRAE

1. Empenhar
Empenhar--se pela aprovação, regulamentação e implementação
de um marco legal para as MPE.

2. Articular políticas públicas voltadas para o desenvolvimento das


MPE.

3. Facilitar a ampliação do acesso e redução dos custos dos


serviços financeiros.

4. Estabelecer alianças estratégicas para mobilizar recursos,


competências e conhecimentos.

5. Promover a educação empreendedora e a cultura da cooperação.


6. Promover o acesso à tecnologia e a ampliação da capacidade de
inovação.
©  

  
©    
 

 * , +
©  

6       ©  



Ê 

 
 
6   

a 
           


 

Ê 

   
a 
          


a 
    

 

      


a 
 

 


   

a 
          


   !"#$%&'#(
a

a)       

      

 

     *+ 
+,, a - 




   !"#$%&'#(

a)           
©  
  
c
 

67% 96% 99%

Empregos formais criados


Pessoal ocupado no Brasil nos 10 últimos Comercio, industria e
(IBGE) anos (BNDES) serviços do País (IBGE)

20% 2,7%

Participação no PIB
nacional Exportações
(IBGE) (SEBRAE/FUNCEX)
Empresas Constituídas

M   


M ^  

M 86 ^^6

 ^^616

 11^6

{  ^8


V    ^ ^ 



0 
                       
MPES criadas nos anos 90


M   
  


M M ^  ^ 


M M 8 ^ ^^ 


 ^
^  
  


  ^ ^^ 



{    ^ ^


V    ^  ^   


Participação das MPEs
nos Postos de Trabalho

Ë © 
       


     
!"! # $  %
! &' (    





      )* 

+ 
  ,

-      ! # 



 )& .    

,

-    #! 
(


%%

    ' )*  




 #,'/.,0!)   

,

1   2% 
 %3


    (
  (  

 
 
  
 
4  %4 ( ,
Participação das MPEs
nos Postos de Trabalho

c


    
 % 
   ( 
  %  5

$
   % 
  (
  6
 
   
2%   


'


 
  

   
 (
  

  (  
     
 
  

    32%    
7
$c
 
  

   0 #&


 

 
(    


  (   
  
 
  
7
$c  
2%   
  !  &&


 


   
  
     (   
  
 
  
7

$16%
 

  %
   (
   
 
 
      (    
 
  
   % ( 
PEA x População
      

   

     

M   

  8 8

  

G       




Setor Informal
 
! 
M   

{     8 89 88 

      8 9    

   
     
8  8

   
     
 82   

M        


G 


 
 





Participação das MPES
nos Setores da Economia

  " # 

      

  
    

{  8  
     

  88   8    

G  8       






A Micro e Pequena Empresa (MPE)
no Brasil
Ë - 
 ( 

  %3

'&
 8   
  
2%
!/ 8  
   
,
Ë c 

 #&&&
  %3
'/0, 0


3 
   

9

! /,0!0  
%  %
 0 )!*

  
  %3

,
Ë 1%   
  2%    %
   
   
  %3
%
 #!',#'/
% % 00,/)/7-   '0,00#74  :
 '0,00#74  :
1  !/,) 7 -  #',/!',
A Taxa de Mortalidade
das MPEs
(Estudo Ano 2000)

;
  



3              


 -     -   ---- - -

   -      -   

        - - -  -


0
 % ;0



0   0 
 
   M
^   
    M
         
!"   #      
    
$! %    "         M    
&'     (   )    *     
0
 % ;0



0   0 
 
              M
       M  
  
                M       
      
0              !  
            M ! "# $% &  
 ' #( )
!"    #   $        M 
*    
         %     
Parte II:
As MPEs e as Políticas Públicas ²
A Visão Governamental
Part.%
Indicadores TOTAL ME e EPPs ME e
EPPs
Empresas formais em operação
5.134.934 5.083.585 99%
(2005)
Empregos formais (2005) 28.455.004 15.650.252 55%
Faturamento das empresas R$ 244,3 R$ 58,6
24%
formais (2005) bilhões bilhões
Empresas exportadoras (2007) 23.537 11.919 50,6%
US$ 160,649 US$ 2,995
Exportações (2007) 1,9%
bilhões bilhões
R$ 24,539 R$ 7,7
Compras Governamentais (2008) 32%
bilhões bilhões
R$ 2,3 R$ 460
PIB (2006) 20%
trilhões bilhões
    2% 


< 4 = -
 

M 
  M

Micro Pequena Média Grande Total

Indústria 234.062 42.975 9.187 1.175 287.959

Construção 63.670 10.290 2.064 273 76.297

Comércio 861.493 125.372 8.550 4.790 1.000.205

Serviços 714.016 133.056 15.547 13.991 876.610

Total 1.873.241 311.693 35.348 20.789 2.241.071


0     
      ! 

 !!! "#!! 


$  % !&!!
    2% 


< 4 = -
 

    
 

 $!! !   !  !  !  


'!  !

 ! ! $  !  !&!


   
 !  ! !!  ! 
( ' &! )
 *! !    & !    !
! +   
 ! ! ! !  $ !    ! 

   ! ! ,   + 0


(
M 


-
-))

 ! !  

  !   +


    2% 


< 4 = -
 

 M  M   .M / 0
 M  M   .M /

)"#

("# 
'"# [ [[ 
&"#  [

%"#
[  

$"# 
!"#

*#) + *#)  *#)  ,*#) *#- + *#-  *#-  ,*#- +*#. /*#. *#.  *#. *#.

0     0 


 0  0   1

 3 M4 4 M5 4

M


! 1  &01 
 
 1 

 
M0
 &

         


' 0   !
+,      !    !
&!!  ! !
2
!
  ! !
M
!0 ! 
#         -  
    2% 

:
: ©
 *5 61 


 !  7 ! !!    !


    !& &   !& !     

  !
     2$
  +

 '   !&!


 ! &
    
    2% 

:
: ©
 *5 61  
 *5M  

! !  !     ! # +


! !   !$ 

()         1 ! 


()     !    !   
 
()         !! !  & !
 
(&) &  &  &  
 
    2% 


(    M5M   14M  


M5 0    

   !  !   -  !   !  !



i   

i   !   !       
 0   2       
 
    ! !  !    &  
i  +
+ 0     3 


i  %& 0     3 
%& 

 4   0
 1        3 


"    ! !  !     !  !  
"

8
i 0     99 1!
 1!    
99 ' ! &
&99
99 '     
   
    2% 


[  
M :    
0!!      0      
i 0!!
    
i 7 &   
5      
©      
i  !              
        © 0
i       


  

  



    2% 


5. Fundo Garantidor de Crédito


Criação de 2 fundos garantidores de crédito para MPEs e para
compra de bens de capital -© $
Aporte por parte da União: >?' 8
Cobertura:
. *


Limite da inadimplência: /*


   
Contribuição dos Bancos: 0*



 

Administração dos Fundos: -© 


    2% 


   M  4      


  ! ! M& !  ! M  ! $!
! !! ! 01  + ! ! & !  
      M  ! $  & ! ! 
 *!  !   7 0!
i            
©

i           3


    2% 


2. Estruturar programa para ampliar a participação de MPEs em pregões e


licitações públicas no âmbito dos governos federal, estadual e municipal,
possibilitando, inclusive, acesso as linhas de crédito para este serviço

Situação:  6  


  

Impacto para o setor:



  
     
8  


 

 
  
    2% 


3. Regulamentação, pelo MF, do art. 65 inciso II § 4º da LC nº


123/2006, que trata da redução a Zero da Alíquota do IPI, da
COFINS e da Contribuição para o PIS/PASEP, incidentes sobre
equipamentos, máquinas, acessórios e peças adquiridas por ME
e EPPs que atuem no setor de Inovação Tecnológica

Situação:
 
 


0 4 6
" &

Impacto para o setor: 3% @ (




    2% 


[   !!  !&!  


i $  +  

i   !&!    !  ; " 
i      
  
 
     
i & 1
& 1        
    
i       
 
 
    2% 


#  ! 
M    ! & 

i     



i   !     
 

i   ! $          
i        
i  '  ! ! !    !
&    !& 
i  $&         
             
         
 
i !  (<
<))
i + !   !      6 
i +  !
 ! 
    
i  +
+ 
  
    2% 



   !  $&   ( )     !
     
i $  +  

i    &   '     !   
 !     !     $   
   !    ( 0)   (!   

  ! &  !     ! $  !
&  )
i !     M   M    "#- #-
! 

-   '   !     !    
!     $   ! $  
i    
        
  

 
   

-   : ! M     $ !  


   !    M%  (   
#8<

#8<
-
-))
i
$  
i !!
!!             
   7 
i ! !  
i   
i $!!
$!! $  +  +   !!  =

i ! !    $  
i $     !! !   !!
 !! 
i  !    $  
i   !  !&!!
i     
i  
   
Parte III:
O Fórum Permanente das
MPEs e das EPPs
Coordenador de Governo: Maurício do Val

Coordenador da Iniciativa Privada: Valdemar Thomsen


Plano Estratégico 2010 da Secretaria
Técnica do Fórum

Ú Seis ações estratégicas:

Ë 4
 
 = 
  
A B
7
Ë 1  
 
 6
  
 7
Ë  -
 

 7
Ë    
 c ( 
 %> % 8 7
Ë     
 0 % >  

< 
%
 1
 
 = 


 0 % >  
7
Ë 4

 
8  4
B( 
 
,
- Reunião Extraordinária do CT COMEX,
em Curitiba Ɗ 25/05/2010

Ú -
)C> % ;
  =
441D2% 
   %
3%  EI Seminário de Desenvolvimento das Exportações
3%  EI
pela Micro e Pequena EmpresaF


EmpresaF

 
 5

Ë 1Brasil WebTrade2%  


1Brasil WebTrade2%   

 G5
 5""
 ,,, "  
,H
 I  
7

Ë 1Projeto Tradings do Brasil


cD
1Projeto Brasil
cD::
5
5""JJJ,
  
,, "  ;,,
,, "  ;,, 7
Ë c Zonas
Zonas de Processamento das Exportações K $,
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre Compras Governamentais:

Ë c  
  
(



 % 8 
  

 
4    (  
% 
 ( 
 
 
%  
3 

    
   


,
Ë c   
3 

 2%

  
 

 

  2%  % 5
Países que Receberam a Proposta
Π- Argentina
2 - Chile (interesse já foi sinalizado em reunião anterior e a proposta será
formalmente apresentada para a reunião de junho)
3 - Colômbia
4 - França
5 - Hungria
6 - Peru
7 - Itália
8 - Índia
9 - Japão
Œ0 - Marrocos
ŒŒ - Paraguai (foi proposta a inclusão do tema para a próxima reunião)
Œ2 - República Tcheca
Œ3 - Turquia
Œ4 - Uruguai
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre Compras Governamentais:

Ë c 
   %:
  %: 
   
 6
 
1 
  B 
  

  %  
2%  
  5

ó Legislação
Ë #,  3     @   4

B( 
 
7
Ë !,0%
  


   3  7
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre Compras Governamentais:

ó Indicadores financeiros
Ë #,B

B(  
     ( 
(  
  


    
$7


    

Ë !,B

B(  
     (  (    7
Ë ),B

B(  
     7
Ë ',B

B(  
  (  (    7
Ë 0,B

B(  
     (  (     
  7
   7 


3
3    ( 
( $7
Ë ,-2% %  ( %
,-2% %  ( % 

  



  
     1
  1  

 
   ;    

  ;    
 ; % (
 %


%

  ,$,
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre Compras Governamentais:

ó Indicadores físicos
Ë #,
     

2%  7
Ë !,
     

2%    7
Ë ),4 


        %(
 

 
7
Ë ',4  (  
        %(
 
 

7
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre Estatísticas de Exportação de MPEs:

Ë 1    
 
 ; 
8   (  
 


     
6=
 (
  
4 


,c%
   
   

 

  

 4    (  

    (% 
,
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre Estatísticas de Exportação de MPEs:

Ë 4 %9
   3( 5L 4-M   ;
3   ;N0
  ;4-c%  
8  
)3(  
;  5  ;4-c;N0,
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre as Zonas de Processamento das


Exportações (ZPEs):

Ë -
)C> % ;
  =
441D ,
 
c Oc %2% 2% A 
4  
 :B
 c=  
c Oc %2% 2% A 
4  
 :
 6  
  

; % (
4 -
 


K  9
 
  
K
   % % 8 
 
 



4 +   
 @ 
; 
8       
K ,
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre os Gargalos às Exportações:

Ë 12%  = % 9



 2%
6= = 3(   

41-c G5
Ë 5""JJJ,
 ,, " 
" 
,
H I.0#
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú Ação sobre Levantamento de Mecanismos de Apoio à


Exportação:

Ë 1

 

P%
  
 (  
 
  

 =  %3( 


  


   
 3( @  ; 
 (
4 +,
|stágio das Seis Ações Prioritárias do CT
COM|X

Ú VrazilTradeNet:
VrazilTradeNet:
Ë http://www.braziltradenet.gov.br/
Ú Nomenclatura Brasileira de Serviços (NBS):
Ë http://www.desenvolvimento.gov.br/arquivos/dwnl_
1254341867.pdf
Ú Termo de Referência do Fórum das MPEs para
Apresentação de Propostas:
Ë http://www.desenvolvimento.gov.br/arquivos/dwnl_
1276097465.doc

Interese conexe