Sunteți pe pagina 1din 13

Edmund Husserl

Integrantes
• Bruno Rodrigues
• Daniel Gusmão
• Fernanda Campos
• Gabriel Aires
• Isabella Oliveira
• Jhoel Trindade
• Ruskaylla Lima
• Sabrina Pettine
Edmund Husserl: Pai na Fenomenologia
• Matemático e Filósofo alemão
• Fundou a metodologia e corrente
filosófica intitulada Fenomenologia
• Foi professor em Gotinga e Friburgo na
Alemanha
• Nasceu em Prossnitz (Atual República
Checa) em 1859
• Faleceu na Alemanha no ano de 1938 aos
79 anos
Biografia
• Nasceu de uma família Judaica • Converteu-se ao Luteranismo
na Morávia
• Sofreu grande influência de
• Estudou matemática nas Brentano, da tradição grega e
universidade de Leipzig e escolástica dando destaque a
Berlim (1876 – 1878) Bolzano, Descartes, Leibniz e
Kant.
• Foi para Viena em 1884 onde
descobriu vocação para
filosofia a partir de Franz
Brentano
Principais Obras
• As meditações Cartesianas
• As crises da ciências europeias e a fenomenologia transcendental
• A crise da humanidade européia e a filosofia
Fenomenologia
• Palavra derivada do grego: phainesthai - aquilo que se apresenta
ou que mostra - e logos explicação, estudo.
• Etimologicamente significa o estudo do que se manifesta pelos
sentidos.
• Inicialmente utilizado por Johann Lambert e empregrado por
Hegel
• Se torna uma corrente filosófica a partir de Husserl
Fenomenologia
• Método que estuda a essência • Rompe com a orientação
das coisas e como são positivista da ciência e da
percebidas no mundo filosofia de sua época
• Exerceu grande influência • Questiona o historicismo e
acadêmica e filosófica psicologismo
• Se torna umas das principais • Não se limita ao empirismo,
correntes da filosofia no século acreditando que a experiência
XX é a fonte do conhecimento
Fenomenologia
FENOMENOLOGIA
• Husserl descreveu como o
mundo se apresenta na mente
de forma rigorosa e radical
Epoché Consciência
• Propôs uma análise
compreensiva da consciência
ao dizer que “Toda consciência
Experiência
é consciência de algo”
Fenomenologia
• Redução fenomenológica - Processo pelo qual o que é informado
pelos sentidos é reduzido ao puro fenômeno da consciência,
implica em uma “contemplação desnecessária” que se dá na
experiência, se abstendo de quaisquer juízos.
Fenomenologia
• Noema: É o aspecto objetivo
da vivência. Ex: Percepção da
cor de determinado objeto.
• Noesis: É o aspecto subjetivo
da vivência. Ex: Lembrar de
algo, imaginar.
Contribuições para a Psicologia
• Husserl foi o primeiro a falar de • A psicologia de sua época
uma Psicologia estudava o observável, o
Fenomenológica, concebeu “externo” – o objetivo. A
esta nova disciplina com o concepção de Psicologia
objetivo de falar da vida Fenomenológica passou a
“interna” tanto na filosofia compor o projeto
como na psicologia empírica. fenomenológico de Husserl na
sua busca de um fundamento
para a subjetividade.
Contribuições para a Psicologia
• Husserl conclui que a • Deste modo a psicologia não
psicologia fenomenológica e a deve se ocupar de experiências
fenomenologia transcendental externas como faz a psicologia
são inseparáveis, visto que, de científica, seguindo o modelo
maneiras distintas, percorrem da física e da fisiologia, mas ao
o mesmo caminho até a contrário, deve orientar-se
subjetividade. exclusivamente para a vida
interna, experiência anímica
interna, constituídas pelas
vivencias intencionais.
Referência Bibliográfica
CERBONE, D. R. – FENOMENOLOGIA – PETRÓPOLIS
EDITORA VOZES.

EDMUND HUSSERL E OS FUNDAMENTOS DE SUA FILOSOFIA –


MARVIN FARBER