Sunteți pe pagina 1din 16

 É óbvio que todos os bancos devem ter um

departamento independente que lida com a


função de crédito.
 Não há, no entanto, um modelo organizacional
perfeito para cada todo tipo de bancos. Podem
determinar essa configuração.
 Condições de mercado diferentes ou estruturas
de custo que podem exigir diferentes soluções
organizacionais.
 No entanto, funções pelo departamento de crédito,
dependendo da dimensão da organização podem ser
realizadas por um agente ou segmentado entre
vários.
 Uma boa prática dita que essas funções sejam
executadas por diferentes sub-unidades dentro da
Unidade, Direcção ou Departamento de Crédito.
 Algumas das tarefas deverão ser executadas por um
departamento central de crédito, outros podem ser
delegadas a analistas de crédito regionais ou a
gestores conta
Função Dpto Depto Gestor de
Central de Regional Conta
Crédito
Estabelecer uma política de geral de crédito X
Planificar e Controlar a Carteira de Crédito X X
Definir limites de crédito gerais e específicos X
Fazer avaliação do desempenho de Crédito X
Fazer a gestão de exposições problemática X X X
Delegar a autorização de crédito X X X
Função Dpto Central Depto Gestor de
de Crédito Regional Conta
Analisar novos pedidos de empréstimo X X X
(dependente do nível de exposição de crédito)
Decidir sobre facilidades de crédito X X X
(dependendo do montante)
Monitorar linhas de crédito X X
Proceder e fornecer análise da indústria X X
Reportar a entidade reguladora e supervisora X
Propor margens X
Função Dpto Central Depto Gestor de
de Crédito Regional Conta
Lidar e coordenar com as Unidades X
tesouraria e outros departamentos
centrais da entidade
Fazer a gestão da documentação de X X
crédito
Proceder a Gestão das Garantias X x
 Uma clara e efectiva segregação de funções
deve ser mantida.
 Para assegurar que as pessoas que avaliam e
autorizam operações de crédito não são
responsáveis pelo pagamento e recebimento de
fundos ou registo contabilísticos das
transacções.
 Evitando o máximo possível de fraudes ou
práticas prejudicais ao banco e a sua reputação
 Há uma série de factores a considerar quando
se determina qual o tipo de departamento de
crédito é melhor para a entidade:
 Produtos Oferecidos pelo Banco
 Perfil da carteira de crédito do banco
 Tamanho do banco e da sua dispersão geográfica
 Cultura de crédito e a tradição do banco
 Os produtos oferecidos pelo banco influenciam a sua
estrutura organizacional.
 Bancos especializados em formas complexas de créditos
apresentariam modelos de organização da função de
crédito centralizado, com profissionais especialistas em
suas respectivas áreas, por exemplo, financiamento
estruturado.

 Os bancos, que operam nas áreas de crédito de menor


risco e oferecem produtos de financiamento de massas e
mais amplos, tendem a repassar a decisão de crédito ao
nível de agências ou sucursais ou até mesmo para os
gestores de clientes.
 O perfil da carteira de crédito do banco tem uma
influência importante sobre o departamento de
crédito.
 Bancos com um pequeno número de créditos
significativamente material irão preferir uma função
de crédito centralizado,

 Enquanto a carteira de crédito com um grande


número de créditos menores podem ser mais bem
gerido e controlado por uma estrutura regional
descentralizada.
 O tamanho do banco e da sua dispersão geográfica:
 Bancos pequenos com apenas um punhado de
especialistas de crédito não têm outra escolha a não ser
centralizar as decisões de crédito.

 Grandes bancos internacionais com centenas de


especialistas pode ter lotes de departamentos de crédito
regionais actuando de forma relativamente independente.
Onde a sede deve define orientações claras para garantir
que a política de crédito é coerente observado ao nível de
todas unidades crédito do banco.
 Finalmente, a cultura de crédito e a tradição do
banco afectar a forma como a sua função de crédito
é regulada.
 Nos últimos anos tem havido uma tendência para
oferecer as unidades operacionais algum poder de
decisões de crédito dentro de um certo limite, a nível
operacional, que às vezes é visto como uma ruptura
com as tradições de longa data.

 A cultura e tradições podem determinar se a entidade


mantém o rompe o modelo de organização
 Com uma estrutura centralizada total, todas as
funções de crédito do departamento de crédito
seria realizada pela sede.
 As filiais regionais ou gestores de cliente ou
contas só poderão apresentar pedidos de
crédito.
 Algumas vantagens e desvantagens de um
departamento de crédito centralizado são como
se segue:
Vantagens Desvantagens
economias de escala As funções de crédito locais são relaxados
de responsabilidades de crédito
concentração de perícia Afastamento do cliente corporativo
Necessidade de menos pessoal Menos sensíveis às condições do mercado
local
A conformidade com a política de Mais burocracia, o tempo de
crédito é mais fácil de controlar processamento
 Por outro lado, a estrutura organizacional do risco de crédito
descentralizado significaria que todas as principais tarefas
associadas com a função de crédito são executadas em cada grupo
operacional local.
 E essas tarefas incluem a avaliação, autorização e controlo dos
riscos de crédito.
 O pessoal local deve ser altamente qualificada, o que exige uma
formação sistemática.
 Além de decidir os pedidos de empréstimo realmente grandes, a
equipe de crédito na sede tende principalmente para garantir que
a política e procedimentos de crédito são seguidas correctamente.
Vantagens Desvantagens
Autonomia e responsabilidade local Sistemas de controle e monitoramento de
risco sofisticados necessário
Iniciativa empresarial Mais pessoal de crédito necessário
Tempos de processamento reduzidos Menos consistência

Mais próximos do cliente e aos Maior risco de controlo insuficiente


mercados locais
Menos de relatórios para a sede
Menos burocracia